BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA SETEMBRO 2011

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA SETEMBRO 2011"

Transcrição

1 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA SETEMBRO 2011 US$ milhões FOB Período Dias Úteis EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia útil p/dia útil Setembro , , , ,4 1a. semana (01 a 04) , , , ,0 2a. semana (05 a 11) , , , ,8 3a. semana (12 a 18) , , , ,6 4a. semana (19 a 25) , , , ,8 5a. Semana (26 a 30) , , , ,2 Acumulado no ano , , , ,9 Janeiro , , , ,0 Fevereiro , , , ,8 Março , , , ,8 Abril , , , ,9 Maio , , , ,0 Junho , , , ,9 Julho , , , ,3 Agosto , , , ,4 Setembro , , , ,4 Setembro/ , , , ,3 Agosto/ , , , ,4 Var. % Setembro-2011/Setembro ,6 13,8 18,9 185,2 185,2 Var. % Setembro-2011/Agosto ,5-0,7-1,7-20,7-13,1 Jan-Setembro/ , , , ,9 Jan-Setembro/ , , , ,5 Var. % Jan/Setembro / ,4 25,6 28,1 81,4 80,5 Acumulado de doze meses Outubro/2010-Setembro/ , , , ,0 Outubro/2009-Setembro/ , , , ,9 Var. % Outubro/Setembro / ,2 27,3 29,9 81,6 80,9 Fonte: SECEX/MDIC Setembro/2011: 21 dias úteis; Setembro/2010: 21 dias úteis; Agosto/2011: 23 dias úteis. Setembro 2011 No mês, a exportação alcançou o valor de US$ 23,286 bilhões, recorde para meses de setembro. Sobre setembro de 2010, as exportações registraram aumento de 23,6%, enquanto decresceram 2,5%, pela média diária, em relação a agosto de As importações totalizaram valor de US$ 20,212 bilhões, recorde para meses de setembro. Sobre igual período anterior, as importações registraram crescimento de 13,8%, e sobre agosto de 2011, pela média diária, retrocederam 0,7%. No período, a corrente de comércio registrou cifra recorde para meses de setembro de US$ 43,498 bilhões. Sobre igual período do ano anterior, a expansão da corrente de comércio foi de 18,9%. O saldo comercial do mês registrou superávit de US$ 3,074 bilhões, valor superior ao registrado em setembro de 2010 (US$ 1,078 bilhão). 1

2 Exportação - US$ bilhões FOB Setembro a ,3 20,0 18,8 6,5 7,3 8,9 10,7 12,6, 14,2 13,9 Importação - US$ bilhões FOB Setembro a ,3 17,8 20,2 10,7 12,6 4,0 4,6 5,8 6,3 8,1 Saldos Comerciais - US$ bilhões FOB Setembro a ,3 4,5 2,5 2,7 3,2 3,5 2,8 3,1 1,3 1,1 Corrente de Comércio - US$ bilhões FOB Setembro a ,5 37,3 36,6 10,5 11,9 14,7 17,0 20,7 24,9 26,4 2

3 Janeiro-Setembro 2011 No acumulado janeiro-setembro de 2011, as exportações apresentaram valor recorde de US$ 190,000 bilhões. Sobre igual período de 2010, as exportações registraram crescimento de 30,4%, pela média diária. As importações somaram recorde de US$ 166,966 bilhões, com aumento de 25,6% pela média diária, sobre o mesmo período anterior. O superávit comercial no acumulado totalizou US$ 23,034 bilhões, valor 81,4% superior ao registrado em equivalente período anterior (US$ 12,695 bilhões). A corrente de comércio alcançou cifra recorde de US$ 356,966 bilhões, representando crescimento de 28,1% pela média diária, sobre o mesmo período anterior, quando totalizou US$ 277,163 bilhões. Exportação - US$ bilhões FOB Janeiro/Setembro a ,0 Importação - US$ bilhões FOB Janeiro/Setembro a ,0 150,9 144,9 131,2 132,2 43,6 52,9 70,4 86,9 101,0 116,6 111,8 35,7 35,0 45,2 54,1 66,7 85,7 90,6 Saldos Comerciais - US$ bilhões FOB Janeiro/Setembro a 2011 Corrente de Comércio - US$ bilhões FOB Janeiro/Setembro a ,8 34,2 30,9 357,0 7,9 17,9 25,2 19,7 21,2 12,7 23,0 79,2 87,9 115,7 141,0 167,7 202,3 282,0 202,4 277,2 Acumulado de doze meses (Outubro-2010/Setembro-2011) Em períodos de doze meses, as exportações somaram valor recorde de US$ 246,986 bilhões. Sobre o período outubro/2009-setembro/2010, quando as exportações atingiram US$ 186,127 bilhões, houve crescimento de 32,2%, pela média diária. As importações também registraram recorde de US$ 216,490 bilhões, aumento de 27,3% sobre o mesmo período anterior, pela média diária, de US$ 169,336 bilhões. O superávit comercial, em doze meses, acumula cifra de US$ 30,496 bilhões, valor 81,6% acima de equivalente período anterior (US$ 16,791 bilhões). A corrente de comércio apresentou recorde histórico, totalizando US$ 463,476 bilhões, com crescimento de 29,9% sobre igual período anterior (US$ 355,463 bilhões). 3

4 set/05 mar/06 set/06 mar/07 set/07 mar/08 set/08 mar/09 set/09 mar/10 set/10 mar/11 set/11 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Balança Comercial Brasileira - Valores Acumulados de Doze Meses US$ milhões FOB Exportação Importação Corrente Saldo Exportação de Setembro 2011 No mês, os produtos básicos (US$ 11,353 bilhões) e os semimanufaturados (US$ 3,449 bilhões) registraram recorde para meses de setembro, enquanto os manufaturados somaram US$ 8,035 bilhões. Sobre o ano anterior, cresceram as exportações de básicos (+27,5%), manufaturados (+12,3%) e semimanufaturados (+40,8%). No grupo dos manufaturados, destacaram-se, sobre setembro de 2010, os aumentos dos seguintes produtos: tratores (+63,1%, para US$ 168 milhões), etanol (+62,2%, para US$ 146 milhões), polímeros plásticos (+55,0%, para US$ 217 milhões), máquinas e aparelhos para terraplanagem (+36,7%, para US$ 201 milhões), motores para veículos e partes (+29,9%, para US$ 291 milhões), motores e geradores elétricos (+27,0%, para US$ 155 milhões), óxidos e hidróxidos de alumínio (+25,8%, para US$ 239 milhões), bombas e compressores (+22,0%, para US$ 150 milhões), pneumáticos (+18,5%, para US$ 141 milhões), aviões (+15,9%, para US$ 429 milhões), autopeças (+13,2%, para US$ 360 milhões) e veículos de carga (+9,6%, para US$ 171 milhões). Entre os básicos, o principal item exportado, na categoria e na pauta, foi minério de ferro (+23,4%, para US$ 4,1 bilhões). Cresceram também as exportações de algodão em bruto (+103,4%, para US$ 299 milhões), soja em grão (+76,9%, para US$ 1,5 bilhão), fumo em folhas (+47,2%, para US$ 465 milhões), café em grão (+43,7%, para US$ 776 milhões), milho em grão (+38,1%, para US$ 504 milhões), carne de bovina (+21,9%, para US$ 390 milhões), carne de frango (+9,2%, para US$ 567 milhões) e petróleo em bruto (+6,2%, para US$ 1,4 bilhão). Quanto aos semimanufaturados, o aumento ocorreu, principalmente, por conta de óleo de soja em bruto (+157,1%, para US$ 234 milhões), semimanufaturados de ferro/aço (+134,8%, para US$ 371 milhões), ouro semimanufaturado (+88,5%, para US$ 262 milhões), alumínio em bruto (+74,2%, para US$ 108 milhões), ferro fundido (+66,0%, para US$ 88 milhões), açúcar em bruto (+33,7%, para US$ 1,3 bilhão), couros e peles (+28,6%, para US$ 162 milhões), ferro-ligas (+8,3%, para US$ 196 milhões) e celulose (+8,2%, para US$ 410 milhões). Importantes produtos da pauta de exportação apresentaram elevação de preços, na comparação setembro-2011/2010, com destaque para os seguintes: gasolina (+102,6%), etanol (+71,3%), milho (+61,6%), café em grão (+59,5%), óleos combustíveis (+55,4%), óleo de soja em bruto (+50,4%), açúcar refinado (+39,6%), petróleo (+38,0%), açúcar em bruto (+37,1%), algodão (+30,3%), soja em grão (+27,0%), carne bovina (+26,4%), laminados planos (+23,0%), carne de frango (+22,7%), semimanufaturados de ferro/aço (+19,6%), couro (+18,5%), farelo de soja (+15,7%), alumínio (+14,7%), carne suína (+12,9%), minério de ferro (+12,3%), celulose (+6,1%) e suco de laranja (+0,6%). 4

5 No mês, os principais produtos exportados, por categoria de produtos e seus principais mercados de destino, foram: Categoria/Produto Setembro/2011 US$ milhões FOB Var. % Setembro 2011/10 Principais mercados Manufaturados Aviões 429,9 16,1 Argentina, China e Quênia Autopeças 360,8 13,2 Argentina, EUA e México Automóveis 332,2-13,5 Argentina, México e Uruguai Açúcar refinado 315,5-30,9 Emirados Árabes, Nigéria e Colômbia Óxidos e hidróxidos de alumínio 239,5 25,9 Canadá, Noruega e Islândia Polímeros plásticos 217,6 55,0 China, Argentina e Bélgica Maqs. p/terraplanagem 201,2 36,7 EUA, Argentina e México Partes de motores para veículos 173,5 23,8 EUA, Alemanha e Argentina Veículos de carga 171,1 9,3 Argentina, Chile e Peru Tratores 168,7 62,4 Argentina, Irã e Chile Motores/geradores elétricos 155,6 26,6 EUA, Alemanha e Argentina Bombas e compressores 150,7 22,4 Argentina, EUA e Alemanha Etanol 146,7 61,5 EUA, Trinidad e Tobago e Coréia do Sul Pneumáticos 141,2 18,5 Argentina, EUA e Colômbia Óleos combustíveis 126,6-29,0 Cingapura, Argentina e Países Baixos Básicos Minério de ferro 4.083,7 23,4 China, Japão e Coréia do Sul Soja em grão 1.458,1 76,9 China, Espanha e Vietnã Óleos brutos de petróleo 1.379,3 6,2 EUA, Índia e China Café em grão 776,7 43,8 EUA, Alemanha e Itália Carne de frango 567,7 9,3 Japão, Arábia Saudita e Hong Kong Farelo de soja 513,6-0,2 Países Baixos, França e Alemanha Milho em grãos 504,4 38,1 Japão, Irã e Taiwan Fumo em folhas 465,7 47,0 China, Bélgica e Alemanha Carne bovina 390,8 22,0 Rússia, Irã e Venezuela Algodão em bruto 299,3 103,0 China, Indonésia e Turquia Carne suína 101,5-11,1 Ucrânia, Hong Kong e Argentina Minério de cobre 87,3-8,2 Bulgária, Índia e China Semimanufaturados Açúcar em bruto 1.334,0 33,6 China, Bangladesh e Venezuela Celulose 410,9 8,4 China, Países Baixos e EUA Semimanuf. de ferro ou aço 372,0 134,9 EUA, Tailândia e Coréia do Sul Ouro em forma semimanufaturada 262,5 88,3 Reino Unido, Suíça e Canadá Óleo de soja em bruto 234,2 155,0 Índia, China e Irã Ferro-ligas 196,6 8,2 Países Baixos, Japão e China Couros e peles 162,9 28,6 China, Itália e EUA Alumínio em bruto 108,9 73,9 Japão, EUA e Suíça Ferro fundido 88,6 64,5 EUA, Taiwan e Países Baixos Por mercados compradores, ampliaram-se as vendas para os principais blocos econômicos, exceto Europa Oriental (-11,7%, pela retração de carnes e açúcar). Cresceram: Ásia (+42,6%, especificamente para a China, as exportações cresceram 37,9%, pelo aumento das exportações de minério de ferro, soja em grão, açúcar, fumo, algodão em bruto, celulose e aviões), Estados Unidos (+28,6%, por conta de petróleo, siderúrgicos, máquinas e equipamentos, café, aviões, etanol, aparelhos eletroeletrônicos, granito, borracha e obras e alumínio e suas obras), Mercosul (+19,9%, sendo para Argentina 18,1%, por conta de automóveis e autopeças, máquinas e equipamentos, minério de ferro, energia elétrica, óleo diesel, aviões, plásticos e obras, siderúrgicos, químicos orgânicos e borracha e obras), União Europeia (+17,1%, por conta de minério de ferro, café, farelo de soja, petróleo, máquinas e equipamentos, carnes, ouro em forma 5

6 semimanufaturada, açúcar e frutas), África (+10,6%, em decorrência de açúcar, cereais, aviões, minério de ferro, máquinas e equipamentos, óleo de soja, siderúrgicos e plásticos e obras), América Latina e Caribe, exceto Mercosul (+5,6%, por conta de máquinas e equipamentos, automóveis e autopeças, açúcar, siderúrgicos, aparelhos eletroeletrônicos, carnes, plásticos e obras, borracha e obras e cereais) e Oriente Médio (+2,5%, principalmente por conta de açúcar, minério de ferro, milho em grão, óleo de soja, soja em grão e automóveis e partes). Em termos de países, os cinco principais compradores foram: 1º) China (US$ 4,520 bilhões), 2º) Argentina (US$ 2,207 bilhões), 3º) Estados Unidos (US$ 2,131 bilhões), 4º) Países Baixos (US$ 1,296 bilhão) e 5º) Japão (US$ 1,058 bilhão). Importação de Setembro 2011 No mês, cresceram as importações de combustíveis e lubrificantes (+35,3%), matériasprimas e intermediários (+17,0%), bens de consumo (+15,3%), enquanto os bens de capital retrocederam 6,5%. No grupo dos combustíveis e lubrificantes, o crescimento ocorreu principalmente pelo aumento de preço e das quantidades embarcadas de petróleo, gasolina, óleos combustíveis, gás natural, carvão e nafta. No segmento de matérias-primas e intermediários, aumentaram as aquisições de matériasprimas para agricultura, produtos alimentícios, acessórios de equipamentos de transporte, produtos agropecuários não alimentícios, químicos/farmacêuticos, produtos minerais e partes e peças de produtos intermediários. No segmento bens de consumo, os principais crescimentos foram observados nas importações de vestuário, bebidas e tabacos, produtos alimentícios, objetos de adorno, produtos de toucador, partes e peças para bens de consumo duráveis, máquinas e aparelhos de uso doméstico, automóveis, produtos farmacêuticos e móveis. Com relação a bens de capital, os itens que retrocederam foram: equipamento móvel de transporte e maquinaria industrial. Por mercados fornecedores, na comparação com setembro 2011/2010, ampliaram-se as compras originárias dos principais blocos econômicos, exceto União Europeia (-0,7%, pelas maiores quedas de máquinas e equipamentos, automóveis e autopeças e químicos orgânicos). Os demais cresceram: Europa Oriental (+115,2%, pelas maiores aquisições de adubos e fertilizantes, nafta para petroquímica e carvão), Estados Unidos (+13,9%, principalmente, óleo diesel, gasolina, máquinas e equipamentos, aparelhos eletroeletrônicos, instrumentos de ótica e precisão, plásticos e obras, aeronaves e partes e adubos e fertilizantes), África (+21,0%, por conta de petróleo e adubos e fertilizantes), América Latina e Caribe, exceto Mercosul (+17,2%, por conta de gás natural, carvão, petróleo, automóveis e partes, catodos de cobre, químicos orgânicos e adubos e fertilizantes), Ásia (+16,3%, sendo que da China foi 16,5%, principalmente, aparelhos eletroeletrônicos, químicos orgânicos, automóveis e autopeças, obras de ferro fundido, plásticos e obras, brinquedos e confecções), Oriente Médio (+13,6%, por conta de petróleo, querosene para aviação, propano liquefeito e plásticos e obras), Mercosul (+10,4%, sendo que da Argentina foi 5,9%, trigo, plásticos e obras, farinha de trigo, malte, leite e derivados, preparações de frutas e hortícolas, frutas e alumínio e suas obras). Em termos de países, os cinco principais fornecedores foram: 1º) China (US$ 3,178 bilhões), 2º) Estados Unidos (US$ 2,998 bilhões), 3º) Argentina (US$ 1,433 bilhão), 4º) Alemanha (US$ 1,308 bilhão) e 5º) Coréia do Sul (US$ 949 milhões). 6

7 Destaques da Exportação em Janeiro/Setembro 2011 No acumulado janeiro-setembro de 2011, os três grupos de produtos registraram crescimento em relação à igual período de 2010: básicos (+39,8%, para US$ 90,975 bilhões), semimanufaturados (+34,6%, para US$ 26,879 bilhões) e manufaturados (+18,4%, para US$ 68,159 bilhões). Com relação à exportação de produtos básicos, houve crescimento de receita de: milho em grãos (+68,6%), café em grão (+65,7%), minério de ferro (+58,6%), petróleo em bruto (+39,3%), soja em grão (+35,0%), minério de cobre (+25,5%), farelo de soja (+23,9%), carne de frango (+20,6%), carne bovina (+3,4%) e fumo em folhas (+3,2%). Dentro dos semimanufaturados, os maiores aumentos ocorreram nas vendas de semimanufaturados de ferro/aço (+112,6%), ferro fundido (+94,2%), óleo de soja em bruto (+59,8%), açúcar em bruto (+29,5%), ouro em forma semimanufaturada (+28,7%), ferro-ligas (+25,7%), couros e peles (+19,0%), alumínio em bruto (+13,8%) e celulose (+6,7%). No grupo dos manufaturados, dentre os principais produtos exportados, destacaram-se, pela expansão relativa: plataforma p/exploração de petróleo/gás (de zero para US$ 1,0 bilhão), máquinas e aparelhos para terraplanagem (+67,1%), suco de laranja não congelado (+47,6%), polímeros plásticos (+46,8%), óleos combustíveis (+40,4%), óxidos e hidróxidos de alumínio (+37,5%), laminados planos (+33,7%), veículos de carga (+30,8%), motores para veículos e partes (+30,7%), pneumáticos (+22,0%), autopeças (+20,0%), bombas e compressores (+12,7%) e motores e geradores elétricos (+1,0%). Por mercados de destino, houve crescimento para os principais blocos econômicos, a saber: Ásia (+39,1%, com destaque para a China +44,0%, por conta de aumento nas vendas de minério de ferro, soja em grão, petróleo em bruto, açúcar, celulose, siderúrgicos, aviões, carnes, couros e peles, fumo, plásticos e obras e algodão em bruto), África (+32,5%, por conta de açúcar, trigo, milho, arroz, automóveis e autopeças, minério de ferro, óleo de soja, máquinas e equipamentos, siderúrgicos, aparelhos eletroeletrônicos e aviões), Estados Unidos (+31,1%, por conta de petróleo em bruto, siderúrgicos, maquinas e equipamentos, café, celulose, químicos orgânicos, aparelhos eletroeletrônicos, borracha e obras e aeronaves e partes), Mercosul (+29,1%, para a Argentina o aumento foi de 28,9%, por conta de automóveis e autopeças, máquinas e equipamentos, minério de ferro, energia elétrica, óleo combustível, óleo diesel, plásticos e obras, siderúrgicos, borracha e suas obras, aviões e químicos orgânicos), União Europeia (+28,4%, por conta de minério de ferro, café, farelo de soja, petróleo, óleo combustível, soja em grão, siderúrgicos, máquinas e equipamentos, celulose, suco de laranja, carnes e ouro em forma semimanufaturada), Oriente Médio (+23,6%, por conta de carnes, minério de ferro, milho, trigo, soja em grão, farelo de soja, máquinas e equipamentos, automóveis e autopeças, aviões e café), Europa Oriental (+23,6%, por conta de açúcar e carnes), América Latina e Caribe, exceto Mercosul (+15,2%, principalmente, automóveis e autopeças, máquinas e equipamentos, petróleo, siderúrgicos, plásticos e obras, carnes, borracha e obras, açúcar e papel e cartão). Os principais países de destino das exportações, no acumulado janeiro-setembro/2011, foram: 1º) China (US$ 33,6 bilhões), 2º) Estados Unidos (US$ 18,7 bilhões), 3º) Argentina (US$ 16,9 bilhões), 4º) Países Baixos (US$ 10,4 bilhões) e 5º) Alemanha (US$ 6,8 bilhões). Destaques da Importação em Janeiro/Setembro 2011 No acumulado janeiro-setembro de 2011, houve crescimento de todas as categorias de uso, na comparação com igual período de 2010: combustíveis e lubrificantes (+37,5%), bens de consumo (+28,7%), matérias-primas e intermediários (+24,6%) e bens de capital (+17,8%). Por mercados fornecedores, na comparação com janeiro-setembro de 2010, cresceram as compras originárias de todos os principais blocos econômicos, a saber: Europa Oriental (+76,2%, por conta principalmente de adubos e fertilizantes), África (+33,0%, pelo crescimento nas compras 7

8 de petróleo, adubos e fertilizantes e químicos inorgânicos), América Latina e Caribe, exceto Mercosul (+32,8%, por conta de automóveis e autopeças, gás natural, nafta para petroquímica, carvão, catodos de cobre, sulfeto de cobre, químicos orgânicos e plásticos e obras), Oriente Médio (+32,8%, por conta de petróleo), Ásia (+28,2%, sendo que da China cresceu 31,8%, por conta de aparelhos eletroeletrônicos, máquinas e equipamentos, químicos orgânicos, automóveis e autopeças, obras de ferro/aço, plásticos e obras e confecções), Estados Unidos (+24,5%, pelos aumentos de máquinas e equipamentos, óleo diesel, carvão, químicos orgânicos, aparelhos eletroeletrônicos, plásticos e obras, instrumentos de ótica e precisão e aeronaves e peças), União Europeia (+18,2%, principalmente, máquinas e equipamentos, automóveis e autopeças, aparelhos eletroeletrônicos, farmacêuticos, químicos orgânicos, plásticos e obras, e instrumentos de ótica e precisão) e Mercosul (+16,6%, sendo +16,2% da Argentina, por conta de automóveis e autopeças, nafta para petroquímica, gás, trigo, plásticos e obras, farinha de trigo, produtos hortícolas, leite e derivados, frutas e borracha e obras). Os principais países de origem das importações foram: 1º) Estados Unidos (US$ 25,0 bilhões), 2º) China (US$ 24,1 bilhões), 3º) Argentina (US$ 12,4 bilhões), 4º) Alemanha (US$ 11,2 bilhões) e 5º) Coréia do Sul (US$ 7,8 bilhões). 8

9 ANEXOS EXPORTAÇÃO POR FATOR AGREGADO SETEMBRO-2011/2010 E AGOSTO US$ MILHÕES FOB setembro Var. % 2011/10 agosto Var.% set-11/ago Part. % Média 2010 Part. % Média p/média diária 2011 Part. % Média p/média diária Básicos ,8 540, ,3 424,1 27, ,8 555,1-2,6 Industrializados ,3 546, ,0 457,2 19, ,3 560,2-2,4. Semimanufaturados ,8 164, ,0 116,6 40, ,0 171,1-4,0. Manufaturados ,5 382, ,0 340,6 12, ,2 389,1-1,7 Op. Especiais 449 1,9 21, ,7 15,5 37, ,9 22,0-2,8 TOTAL , , ,0 896,8 23, , ,3-2,5 setembro/2011: 21 dias úteis; setembro/2010: 21 dias úteis; agosto/2011: 23 dias úteis. EXPORTAÇÃO BRASILEIRA FATOR AGREGADO JANEIRO/SETEMBRO 2011/ US$ MILHÕES FOB Janeiro/setembro Var.% 2011/10 Part. % p/ média diária Básicos ,8 47,9 44,7 Industrializados ,6 50,0 53,2. Semimanufaturados ,6 14,1 13,7. Manufaturados ,4 35,9 39,5 Op. Especiais ,1 2,1 2,1 Total ,4 100,0 100,0 Janeiro-setembro/2011: 189 dias úteis; Janeiro-setembro/2010: 188 dias úteis EXPORTAÇÃO BRASILEIRA PRINCIPAIS BLOCOS ECONÔMICOS SETEMBRO-2011/2010 E AGOSTO US$ MILHÕES FOB setembro Var% 2011/10 agosto Var.% set-11/ago-11 Part. % 2011 Média 2010 Média p/média diária 2011 Média p/média diária Ásia , ,1 42, ,1 7,4 34,1 29,6. China , ,0 37, ,7 7,3 19,4 17,4 América Latina e Caribe , ,0 12, ,5-1,5 21,5 23,5 - Mercosul , ,1 19, ,3 8,4 11,4 11,7. Argentina , ,0 18, ,9 9,6 9,5 9,9 - Demais AL e Caribe , ,0 5, ,2-10,6 10,1 11,8 União Européia , ,3 17, ,0-9,4 19,0 20,1 EUA (1) , ,9 28, ,0-8,6 9,2 8,8 Oriente Médio , ,2 2, ,7-13,9 5,1 6,2 África , ,9 10, ,7-9,7 4,8 5,3 Europa Oriental , ,0-11, ,1 6,5 1,4 1,9 Demais , ,3 34, ,2-9,1 5,0 4,6 TOTAL , ,8 23, ,3-2,5 100,0 100,0 setembro/2011: 21 dias úteis; setembro/2010: 21 dias úteis; agosto/2011: 23 dias úteis. (1) inclui Porto Rico. 9

10 EXPORTAÇÃO BRASILEIRA PRINCIPAIS BLOCOS ECONÔMICOS JANEIRO/SETEMBRO 2011/ US$ MILHÕES FOB Janeiro/setembro Var.% 2011/10 Part. % p/média diária Ásia ,1 30,0 28,1. China ,0 17,7 16,0 América Latina e Caribe ,7 22,0 23,6 - Mercosul ,1 10,9 11,0. Argentina ,9 8,9 9,0 - Demais da AL e Caribe ,2 11,1 12,5 União Européia ,4 20,9 21,2 EUA (1) ,1 9,8 9,8 Oriente Médio ,6 4,9 5,1 África ,5 4,6 4,5 Europa Oriental ,6 2,3 2,5 Demais ,8 5,5 5,2 TOTAL Janeiro-setembro/2011: 189 dias úteis; Janeiro-setembro/2010: 188 dias úteis (1) inclui Porto Rico ,4 100,0 100,0 IMPORTAÇÃO BRASILEIRA POR CATEGORIA DE USO SETEMBRO-2011/2010 E AGOSTO US$ MILHÕES FOB setembro Var.% 2011/10 agosto Var. % set-11/ago Média 2010 Média p/média diária 2011 Média p/média diária Bens de Capital , ,9-6, ,7-8,2 Matérias-primas e intermediários , ,9 17, ,3-1,8 Bens de Consumo , ,6 15, ,7 1,3 - Não-duráveis , ,7 18, ,2 4,5 - Duráveis , ,9 13, ,5-0,8. Automóveis , ,5 9, ,0-7,2 Combustíveis e lubrificantes , ,1 35, ,3 10,9 - Petróleo , ,3 22, ,9 12,7 - Demais , ,8 42, ,4 10,1 Total , ,5 13, ,9-0,7 setembro/2011: 21 dias úteis; setembro/2010: 21 dias úteis; agosto/2011: 23 dias úteis. IMPORTAÇÃO BRASILEIRA POR CATEGORIA DE USO JANEIRO/SETEMBRO 2011/ US$ MILHÕES FOB Janeiro/setembro Var.% 2011/10 Part. % p/média diária Bens de Capital ,8 21,1 22,5 Matérias-primas e intermediários ,6 45,9 46,2 Bens de Consumo ,7 17,3 16,9 - Não-duráveis ,5 6,9 7,0 - Duráveis ,7 10,4 9,9. Automóveis ,4 5,0 4,5 Combustíveis e lubrificantes ,5 15,7 14,3 - Petróleo ,4 6,2 5,9 - Demais ,3 9,4 8,4 Total ,6 100,0 100,0 Janeiro-setembro/2011: 189 dias úteis; Janeiro-setembro/2010: 188 dias úteis 10

11 IMPORTAÇÃO POR CATEGORIA DE USO - SETEMBRO 2011/2010 SETEMBRO 2011 SETEMBRO 2010 US$ FOB US$ FOB Var. % Set11/Set10 pela média diária US$ Média US$ Média Valor T O T A L G E R A L ,8 1-BENS DE CAPITAL ,5 MAQUINARIA INDUSTRIAL ,4 MAQUINAS E APARELHOS DE ESCRITORIO,SERVICO CIENTIFICO ,3 PARTES E PECAS PARA BENS DE CAPITAL PARA INDUSTRIA ,1 ACESSORIOS DE MAQUINARIA INDUSTRIAL ,1 EQUIPAMENTO MOVEL DE TRANSPORTE ,9 OUTROS BENS DE CAPITAL ,4 2-BENS DE CONSUMO ,3 21-BENS DE CONSUMO NAO DURAVEIS ,1 PRODUTOS ALIMENTICIOS ,5 PRODUTOS FARMACEUTICOS ,4 PRODUTOS DE TOUCADOR ,9 VESTUARIO E OUTRAS CONFECCOES TEXTEIS ,2 BEBIDAS E TABACOS ,5 OUTROS BENS DE CONSUMO NAO DURAVEIS ,8 22-BENS DE CONSUMO DURAVEIS ,5 AUTOMOVEIS DE PASSAGEIROS ,8 OBJETOS DE ADORNO,DE USO PESSOAL E OUTROS ,1 MAQUINAS E APARELHOS DE USO DOMESTICO ,1 PARTES E PECAS PARA BENS DE CONSUMO DURAVEIS ,1 MOVEIS E OUTROS EQUIPAMENTOS PARA CASA ,9 OUTROS BENS DE CONSUMO DURAVEIS ,1 3-COMBUSTIVEIS E LUBRIFICANTES ,3 4-MATERIAS-PRIMAS E PRODUTOS INTERMEDIARIOS ,0 PRODUTOS QUIMICOS E FARMACEUTICOS ,0 PRODUTOS INTERMEDIARIOS - PARTES E PECAS ,9 PRODUTOS MINERAIS ,8 ACESSORIOS DE EQUIPAMENTOS DE TRANSPORTE ,8 PRODUTOS AGROPECUARIOS NAO ALIMENTICIOS ,8 PRODUTOS ALIMENTICIOS ,1 OUTRAS MATERIAS-PRIMAS PARA AGRICULTURA ,8 OUTRAS MATERIAS-PRIMAS E PRODS INTERMEDIARIOS ,7 Fonte: SECEX/MDIC IMPORTAÇÃO BRASILEIRA PRINCIPAIS BLOCOS ECONÔMICOS SETEMBRO-2011/2010 E AGOSTO US$ MILHÕES FOB setembro Var. % 2011/10 agosto Var.% set-11/ago Média 2010 Média p/média diária 2011 Média p/média diária Ásia , ,4 16, ,1 1,2. China , ,9 16, ,7 6,8 União Européia , ,9-0, ,3-9,5 América Latina e Caribe , ,0 13, ,0 2,6 - Mercosul , ,3 10, ,7 12,8. Argentina , ,4 5, ,5 9,1 - Demais da AL e Caribe , ,8 17, ,2-6,2 EUA (1) , ,4 13, ,1-1,6 África , ,5 21, ,3 13,0 Oriente Médio , ,4 13, ,6-2,0 Europa Oriental , ,3 115, ,3-8,5 Demais , ,5 30, ,2 5,5 TOTAL , ,5 13, ,9-0,7 setembro/2011: 21 dias úteis; setembro/2010: 21 dias úteis; agosto/2011: 23 dias úteis. (1) inclui Porto Rico. 11

12 IMPORTAÇÃO BRASILEIRA PRINCIPAIS BLOCOS ECONÔMICOS JANEIRO/SETEMBRO 2011/ US$ MILHÕES FOB Janeiro/setembro Var.% 2011/10 Part. % p/média diária Ásia ,2 31,4 30,7. China ,8 14,4 13,8 União Européia ,2 20,4 21,7 América Latina e Caribe ,0 16,6 16,8 - Mercosul ,6 8,5 9,1. Argentina ,2 7,4 8,0 Demais da AL e Caribe ,8 8,1 7,7 EUA (1) ,5 15,0 15,1 África ,0 7,0 6,6 Oriente Médio ,8 2,6 2,5 Europa Oriental ,2 2,2 1,6 Demais ,1 4,9 5,1 TOTAL ,6 100,0 100,0 Janeiro-setembro/2011: 189 dias úteis; Janeiro-setembro/2010: 188 dias úteis (1) inclui Porto Rico. EXPORTAÇÃO BRASILEIRA POR FATOR AGREGADO SETEMBRO-2011/2010 E AGOSTO US$ MILHÕES FOB setembro Var.% 2011/10 agosto Var.% set-11/ago Média 2010 Média p/média diária 2011 Média p/média diária BÁSICOS , ,1 27, ,1-2,6 Minério de ferro , ,5 23, ,3 0,1 Soja em grão , ,2 76, ,8-16,1 Petróleo em bruto , ,9 6, ,2-37,0 Café em grão , ,7 43, ,4 17,7 Carne de frango , ,7 9, ,7 5,3 Farelo de soja , ,5-0, ,2 21,1 Milho em grão , ,4 38, ,7 21,6 Fumo em folha , ,0 47, ,8 105,4 Carne bovina , ,2 21, ,1 23,1 Algodão em bruto , ,0 103, ,9 30,5 Demais , ,9 21, ,1 9,0 SEMIMANUFATURADOS , ,6 40, ,1-4,0 Açúcar em bruto , ,5 33, ,6-3,1 Celulose , ,0 8, ,0-6,8 Semimanufaturados de ferro/aço , ,5 134, ,3-20,9 Ouro semimanufaturado , ,6 88, ,3 21,6 Óleo de soja em bruto ,1 91 4,3 157, ,5 70,9 Ferro-ligas 196 9, ,6 8, ,1 2,2 Couros e peles 162 7, ,0 28, ,3-6,6 Alumínio em bruto 108 5,1 62 3,0 74, ,6-7,6 Ferro fundido 88 4,2 53 2,5 66, ,5-50,8 Demais , ,5 8, ,0-3,4 MANUFATURADOS , ,6 12, ,1-1,7 Aviões , ,6 15, ,8 3,0 Autopeças , ,1 13, ,1 0,3 Automóveis de passageiros , ,3-13, ,4-9,1 Açúcar refinado , ,7-30, ,0-21,2 Motores para veículos e partes , ,7 29, ,8 0,5 Óxidos e hidróxidos de alumínio , ,0 25, ,4 35,6 Polímeros plásticos , ,7 55, ,7 6,6 Máqs. e apars. p/terraplanagem 201 9, ,0 36, ,0 6,9 Veículos de carga 171 8, ,4 9, ,3-12,9 Tratores 168 8, ,9 63, ,6 42,6 Motores e geradores elétricos 155 7, ,8 27, ,9-6,2 Bombas e compressores 150 7, ,9 22, ,7 6,0 Etanol 146 7,0 90 4,3 62, ,3-25,3 Pneumáticos 141 6, ,7 18, ,7 0,3 Óleos combustíveis 126 6, ,5-29, ,6-61,6 Demais , ,0 13, ,7 2,3 OPERAÇÕES ESPECIAIS , ,5 37, ,0-2,8 TOTAL , ,8 23, ,3-2,5 Fonte: SECEX/MDIC. setembro/2011: 21 dias úteis; setembro/2010: 21 dias úteis; agosto/2011: 23 dias úteis. 12

13 EXPORTAÇÃO BRASILEIRA POR FATOR AGREGADO JANEIRO/SETEMBRO 2011/ US$ MILHÕES FOB Janeiro/Setembro Var. % 2011/10 Part. % p/média diária BÁSICOS ,8 47,9 44,7 Minério de ferro ,6 16,1 13,3 Petróleo em bruto ,3 8,3 7,8 Soja em grão ,0 7,4 7,1 Café em grão ,7 3,0 2,3 Carne de frango ,6 2,7 2,9 Farelo de soja ,9 2,3 2,4 Carne bovina ,4 1,6 2,0 Fumo em folha ,2 1,1 1,4 Milho em grãos ,6 0,9 0,7 Minério de cobre ,5 0,6 0,6 Demais ,4 3,8 4,0 SEMIMANUFATURADOS ,6 14,1 13,7 Açúcar em bruto ,5 4,3 4,3 Celulose ,7 2,0 2,4 Semimanufaturados de ferro/aço ,6 1,9 1,1 Ferro-ligas ,7 1,0 1,0 Ouro semimanufaturado ,7 0,9 0,9 Couros e peles ,0 0,8 0,9 Óleo de soja em bruto ,8 0,8 0,6 Ferro fundido ,2 0,7 0,5 Alumínio em bruto ,8 0,5 0,5 Demais ,2 1,4 1,4 MANUFATURADOS ,4 35,9 39,5 Automóveis de passageiros ,8 1,6 2,2 Autopeças ,0 1,6 1,7 Óleos combustíveis ,4 1,5 1,4 Açúcar refinado ,4 1,4 1,8 Aviões ,2 1,3 1,8 Motores para veículos e partes ,7 1,2 1,2 Polímeros plásticos ,8 0,9 0,8 Óxidos e hidróxidos de alumínio ,5 0,9 0,9 Máqs. e apars. p/terraplanagem ,1 0,8 0,7 Veículos de carga ,8 0,8 0,8 Laminados planos de ferro/aço ,7 0,8 0,8 Pneumáticos ,0 0,6 0,7 Bombas e compressores ,7 0,6 0,7 Motores e geradores elétricos ,0 0,6 0,8 Suco de laranja não congelado ,6 0,6 0,5 Plataforma p/exploração de petróleo/gás * 0,5 0,0 Calçados e partes ,8 0,5 0,8 Demais ,7 21,0 24,1 OPERAÇÕES ESPECIAIS ,1 2,1 2,1 TOTAL ,4 100,0 100,0 Janeiro-setembro/2011: 189 dias úteis; Janeiro-setembro/2010: 188 dias úteis

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA FEVEREIRO 2012

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA FEVEREIRO 2012 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA FEVEREIRO 2012 US$ milhões FOB Período Dias Úteis EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia útil

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA SETEMBRO 2012

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA SETEMBRO 2012 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA SETEMBRO 2012 Período Dias Úteis US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia útil

Leia mais

Fevereiro , , , ,9

Fevereiro , , , ,9 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA FEVEREIRO 2010 US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Período Dias Valor Média Valor Média Valor Média Valor Média Úteis p/dia útil p/dia útil p/dia útil

Leia mais

Agosto , , , ,9

Agosto , , , ,9 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA AGOSTO 2010 US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Período Dias Valor Média Valor Média Valor Média Valor Média Úteis p/dia útil p/dia útil p/dia útil p/dia

Leia mais

Abril , , , ,2

Abril , , , ,2 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2010 US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Período Dias Valor Média Valor Média Valor Média Valor Média Úteis p/dia útil p/dia útil p/dia útil p/dia

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2012

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2012 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2012 US$ milhões FOB Período Dias Úteis EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia útil p/dia

Leia mais

Novembro , , , ,8

Novembro , , , ,8 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA NOVEMBRO 2009 US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Período Dias Valor Média Valor Média Valor Média Valor Média Úteis p/dia útil p/dia útil p/dia útil

Leia mais

Resultados de Junho/2013 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA

Resultados de Junho/2013 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA Junho / 2013 Resultados de 2013 - JUNHO/2013 - Exportação: 2ª maior média diária para meses de junho (US$ 1,06 bi); 1º junho/11: US$ 1,128 bi); - Importação: maior média diária para meses de junho (US$

Leia mais

Destaques. Julho: Janeiro-Julho: 12 meses (Agosto-Julho):

Destaques. Julho: Janeiro-Julho: 12 meses (Agosto-Julho): Julho / 2012 Destaques Julho: - Exportação: 2º maior valor para julho (exp: US$ 21,0 bi); anterior jul-11 (US$ 22,3 bi); - Importação: 2º maior valor para julho (US$ 18,1 bi); anterior jul-11: US$ 19,1

Leia mais

Geografia. O Comércio Exterior do Brasil. Professor Luciano Teixeira.

Geografia. O Comércio Exterior do Brasil. Professor Luciano Teixeira. Geografia O Comércio Exterior do Brasil Professor Luciano Teixeira www.acasadoconcurseiro.com.br Geografia O BRASIL NO COMÉRCIO EXTERIOR O comércio exterior é a troca de bens e serviços realizada entre

Leia mais

Resultados de Junho de 2014

Resultados de Junho de 2014 Junho / 2014 Resultados de Junho de 2014 - Exportação: US$ 20,5 bi, em valor, e média diária de US$ 1,023 bilhão; sobre mai-14, aumento de 3,6%, pela média diária; sobre jun-13, redução de 3,5%, pela média

Leia mais

- 12 MESES - Exportação: US$ 241,1 bi; Importação: US$ 238,9 bi; Saldo: +US$ 2,2 bilhões. Novembro/2013 Resultados de 2013

- 12 MESES - Exportação: US$ 241,1 bi; Importação: US$ 238,9 bi; Saldo: +US$ 2,2 bilhões. Novembro/2013 Resultados de 2013 Novembro / 2013 Resultados de 2013 - NOVEMBRO/2013 - Exportação: média diária de US$ 1,043 bilhão, 2ª maior para meses de novembro, abaixo somente de nov-11: US$ 1,089bi; - Importação: média diária de

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Brasileiro Tatiana Lacerda Prazeres Secretária de Comércio Exterior

Desempenho do Comércio Exterior Brasileiro Tatiana Lacerda Prazeres Secretária de Comércio Exterior Desempenho do Comércio Exterior Brasileiro -2013 Tatiana Lacerda Prazeres Secretária de Comércio Exterior Resultados de 2013 - MAIO/2013 - Exportação:média diária (US$ 1,04 bi) acima de US$ 1 bilhão; 3ªmaior

Leia mais

(+0,5% sobre dez-12), 2ª maior média para meses de dezembro, anterior dez-11: US$ 1,006 bi; sobre nov-13, houve redução de 4,8%;

(+0,5% sobre dez-12), 2ª maior média para meses de dezembro, anterior dez-11: US$ 1,006 bi; sobre nov-13, houve redução de 4,8%; Resultados dezembro de - Exportação: US$ 20,8 bilhões e média diária de US$ 992,7 milhões (+0,5% sobre dez-12), 2ª maior média para meses de dezembro, anterior dez-11: US$ 1,006 bi; sobre nov-13, houve

Leia mais

- Exportação: US$ 17,5 bi, em valor, e média diária de US$ 795,0 milhões; sobre dez-13 (US$ 992,7 milhões),

- Exportação: US$ 17,5 bi, em valor, e média diária de US$ 795,0 milhões; sobre dez-13 (US$ 992,7 milhões), Dezembro / 2014 Resultados de Dezembro de 2014 - Exportação: US$ 17,5 bi, em valor, e média diária de US$ 795,0 milhões; sobre dez-13 (US$ 992,7 milhões), redução de 19,9%, pela média diária; - Importação:

Leia mais

REVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL PARA 2012

REVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL PARA 2012 REVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL PARA 2012 EXPORTAÇÃO BÁSICOS 108,050 122,457-11,8 INDUSTRIALIZADOS 123,620 128,317-3,7 - Semimanufaturados 32,800 36,026-8,9 - Manufaturados 90,820 92,291-1,6 OPERAÇÕES ESPECIAIS

Leia mais

Janeiro 2015 São Paulo, 23 de Fevereiro de 2015 BALANÇA COMERCIAL TEM DÉFICIT DE US$ 3,2 BILHÕES NO PRIMEIRO MÊS DO ANO

Janeiro 2015 São Paulo, 23 de Fevereiro de 2015 BALANÇA COMERCIAL TEM DÉFICIT DE US$ 3,2 BILHÕES NO PRIMEIRO MÊS DO ANO Janeiro 2015 São Paulo, 23 de Fevereiro de 2015 BALANÇA COMERCIAL TEM DÉFICIT DE US$ 3,2 BILHÕES NO PRIMEIRO MÊS DO ANO A balança comercial brasileira iniciou 2015 com um déficit de US$ 3,2 bilhões em

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 13,4 BILHÕES EM 2015

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 13,4 BILHÕES EM 2015 São Paulo, 18 de dezembro de 2015 Novembro 2015 BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 13,4 BILHÕES EM 2015 Em novembro, a corrente de comércio brasileira totalizou US$ 335,3 bilhões, o que significou

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 4,0 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DO ANO

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 4,0 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DO ANO São Paulo, 20 de março de 2016 Fevereiro 2016 BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 4,0 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DO ANO Em fevereiro, a corrente de comércio brasileira totalizou US$ 23,7 bilhões,

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA OUTUBRO 2017

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA OUTUBRO 2017 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA OUTUBRO 2017 Período Dias Úteis US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia útil

Leia mais

PREVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL PARA 2014

PREVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL PARA 2014 PREVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL PARA 2014 EXPORTAÇÃO US$ BILHÕES US$ BILHÕES 2014/2013 BÁSICOS 112,137 112,423-0,3 INDUSTRIALIZADOS 121,416 121,851-0,4 - Semimanufaturados 28,771 30,284-5,0 - Manufaturados

Leia mais

CRESCEM AS EXPORTAÇÕES DE MANUFATURADOS PARA OS ESTADOS UNIDOS EM 2015

CRESCEM AS EXPORTAÇÕES DE MANUFATURADOS PARA OS ESTADOS UNIDOS EM 2015 São Paulo, 30 de novembro de 2015 Outubro 2015 CRESCEM AS EXPORTAÇÕES DE MANUFATURADOS PARA OS ESTADOS UNIDOS EM 2015 Em outubro, a corrente de comércio alcançou valor de US$ 30,1 bilhões, o que significou

Leia mais

Fevereiro 2015 São Paulo, 19 de Março de 2015 FEVERE REIRO REGISTRA O MENOR VALOR PARA AS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DESDE JANEIRO DE 2010.

Fevereiro 2015 São Paulo, 19 de Março de 2015 FEVERE REIRO REGISTRA O MENOR VALOR PARA AS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DESDE JANEIRO DE 2010. Fevereiro 2015 São Paulo, 19 de Março de 2015 FEVERE REIRO REGISTRA O MENOR VALOR PARA AS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DESDE JANEIRO DE 2010. Em fevereiro de 2015 as exportações brasileiras somaram US$ 12,1

Leia mais

São Paulo, 13 de setembro de 2012

São Paulo, 13 de setembro de 2012 São Paulo, 13 de setembro de 2012 Agosto 2012 Superávit comercial mantém trajetória de desaceleração: a balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 3,2 bilhões em agosto. Apesar de registrar

Leia mais

São Paulo, 18 de março de 2013.

São Paulo, 18 de março de 2013. São Paulo, 18 de março de 2013. Fevereiro 2013 Balança comercial registra novo déficit: em fevereiro, o saldo negativo totalizou US$ 1,3 bilhão contra um superávit de US$ 1,7 bilhão no mesmo mês do ano

Leia mais

REDUÇÃO DAS IMPORTAÇÕES ASSEGURA SUPERÁVIT DA BALANÇA COMERCIAL EM 2015

REDUÇÃO DAS IMPORTAÇÕES ASSEGURA SUPERÁVIT DA BALANÇA COMERCIAL EM 2015 São Paulo, 05 de fevereiro de 2016 Dezembro 2015 REDUÇÃO DAS IMPORTAÇÕES ASSEGURA SUPERÁVIT DA BALANÇA COMERCIAL EM 2015 A balança comercial brasileira encerrou o ano de 2015 com um superávit de US$ 19,7

Leia mais

- Exportação: US$ 13,7 bi, em valor, e média diária de US$ 652,6 milhões; sobre jan-14 (US$ 728,5 bilhões),

- Exportação: US$ 13,7 bi, em valor, e média diária de US$ 652,6 milhões; sobre jan-14 (US$ 728,5 bilhões), Janeiro / 2015 Resultados de Janeiro de 2015 - Exportação: US$ 13,7 bi, em valor, e média diária de US$ 652,6 milhões; sobre jan-14 (US$ 728,5 bilhões), redução de 10,4%, pela média diária; - Importação:

Leia mais

Julho São Paulo, 20 de agosto de 2015 BALANÇA COMERCIAL REGISTRA 5º SUPERÁVIT CONSECUTIVO EM JULHO.

Julho São Paulo, 20 de agosto de 2015 BALANÇA COMERCIAL REGISTRA 5º SUPERÁVIT CONSECUTIVO EM JULHO. Julho 2015 São Paulo, 20 de agosto de 2015 BALANÇA COMERCIAL REGISTRA 5º SUPERÁVIT CONSECUTIVO EM JULHO. A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 2,4 bilhões no mês de julho, resultado

Leia mais

Novembro 2014 São Paulo, 16 de dezembro de 2014 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA PODERÁ ENCERRAR O ANO DEFICITÁRIA

Novembro 2014 São Paulo, 16 de dezembro de 2014 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA PODERÁ ENCERRAR O ANO DEFICITÁRIA Novembro 2014 São Paulo, 16 de dezembro de 2014 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA PODERÁ ENCERRAR O ANO DEFICITÁRIA Em novembro, as exportações brasileiras registraram queda de 25,0% na comparação com o mesmo

Leia mais

São Paulo, 10 de julho de Junho 2012

São Paulo, 10 de julho de Junho 2012 São Paulo, 10 de julho de 2012 Junho 2012 Saldo contrai 46% no primeiro semestre do ano: o fraco desempenho do comércio exterior levou o país a uma retração no saldo comercial do primeiro semestre de 2012,

Leia mais

AUMENTO NAS IMPORTAÇÕES INFLUENCIAM SALDO NEGATIVO DA BALANÇA COMERCIAL

AUMENTO NAS IMPORTAÇÕES INFLUENCIAM SALDO NEGATIVO DA BALANÇA COMERCIAL Fevereiro 2014 São Paulo, 31 de março de 2014 AUMENTO NAS IMPORTAÇÕES INFLUENCIAM SALDO NEGATIVO DA BALANÇA COMERCIAL A balança comercial brasileira registrou um déficit de US$ 2,1 bilhões em fevereiro,

Leia mais

Balança mensal registra superávit de US$ 1,2 bilhão. Saldo acumula déficit de US$ 3,7 bilhões no ano. Destaques entre parceiros e produtos

Balança mensal registra superávit de US$ 1,2 bilhão. Saldo acumula déficit de US$ 3,7 bilhões no ano. Destaques entre parceiros e produtos São Paulo, 25 de setembro de 2013. Agosto 2013 Balança mensal registra superávit de US$ 1,2 bilhão Apesar do saldo positivo, o resultado foi 62% menor frente a agosto de 2012. As exportações somaram US$

Leia mais

Dezembro 2014 São Paulo, 19 de Janeiro de 2015 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA TEM PRIMEIRO DÉFICIT ANUAL EM 14 ANOS

Dezembro 2014 São Paulo, 19 de Janeiro de 2015 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA TEM PRIMEIRO DÉFICIT ANUAL EM 14 ANOS Dezembro 2014 São Paulo, 19 de Janeiro de 2015 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA TEM PRIMEIRO DÉFICIT ANUAL EM 14 ANOS Apesar do superávit de US$ 293 milhões no último mês do ano, a balança comercial brasileira

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA JANEIRO-ABRIL 2018

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA JANEIRO-ABRIL 2018 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA JANEIRO-ABRIL 2018 Período Dias Úteis US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia

Leia mais

Janeiro Atualizado até 10/02/2012.

Janeiro Atualizado até 10/02/2012. Janeiro 2012 crescem acima das exportações: o saldo da balança comercial brasileira iniciou o ano com um déficit de US$ 1,3 bilhão, após consecutivos saldos superavitários desde fevereiro de 2010. Em relação

Leia mais

Maio 2015 São Paulo, 22 de junho de 2015 BALANÇA COMERCIAL TEM SUPERÁVIT DE US$ 2,8 BILHÕES EM MAIO

Maio 2015 São Paulo, 22 de junho de 2015 BALANÇA COMERCIAL TEM SUPERÁVIT DE US$ 2,8 BILHÕES EM MAIO Maio 2015 São Paulo, 22 de junho de 2015 BALANÇA COMERCIAL TEM SUPERÁVIT DE US$ 2,8 BILHÕES EM MAIO O saldo positivo da balança comercial brasileira resultou de US$ 16,8 bilhões em exportações e US$ 14,0

Leia mais

São Paulo, 10 de janeiro de 2012.

São Paulo, 10 de janeiro de 2012. São Paulo, 10 de janeiro de 2012. Dezembro 2012 Dezembro registrou superávit comercial de US$ 2,2 bilhões: o resultado é 41% menor do que o saldo do mesmo mês de 2011. No acumulado do ano, as exportações

Leia mais

Junho 2014 São Paulo, 25 de julho de 2014 DÉFITIC COMERCIAL NO PRIMEIRO SEMESTRE DO ANO É 19,0% MENOR QUE EM 2013

Junho 2014 São Paulo, 25 de julho de 2014 DÉFITIC COMERCIAL NO PRIMEIRO SEMESTRE DO ANO É 19,0% MENOR QUE EM 2013 Junho 2014 São Paulo, 25 de julho de 2014 DÉFITIC COMERCIAL NO PRIMEIRO SEMESTRE DO ANO É 19,0% MENOR QUE EM 2013 No mês de junho, a balança comercial brasileira registrou o maior superávit do ano, de

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA JANEIRO-OUTUBRO 2018

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA JANEIRO-OUTUBRO 2018 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA JANEIRO-OUTUBRO 2018 Período Dias Úteis US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia

Leia mais

Balança mensal registra superávit de US$ 2,1 bilhões. Saldo acumula déficit de US$ 1,6 bilhão no ano. Destaques entre parceiros e produtos

Balança mensal registra superávit de US$ 2,1 bilhões. Saldo acumula déficit de US$ 1,6 bilhão no ano. Destaques entre parceiros e produtos São Paulo, 16 de outubro de 2013. Setembro 2013 Balança mensal registra superávit de US$ 2,1 bilhões Setembro registrou o segundo maior superávit do ano, embora tenha recuado 16% na comparação com o mesmo

Leia mais

Julho O fraco desempenho comercial pode ser atribuído à combinação entre redução das exportações e avanço das importações;

Julho O fraco desempenho comercial pode ser atribuído à combinação entre redução das exportações e avanço das importações; São Paulo, 23 de agosto de 2013. Julho 2013 Balança mensal A balança comercial registrou o quarto déficit mensal do ano. O saldo ficou negativo em US$ 1,9 bilhão frente a um superávit de US$ 2,9 bilhões

Leia mais

Abril 2015 São Paulo, 19 de maio de 2015 BALANÇA COMERCIAL REGISTRA NOVO SUPERÁVIT EM ABRIL

Abril 2015 São Paulo, 19 de maio de 2015 BALANÇA COMERCIAL REGISTRA NOVO SUPERÁVIT EM ABRIL Abril 2015 São Paulo, 19 de maio de 2015 BALANÇA COMERCIAL REGISTRA NOVO SUPERÁVIT EM ABRIL A balança comercial brasileira registou superávit de pouco mais de US$ 500 milhões em abril, próximo ao resultado

Leia mais

Março 2014 São Paulo, 30 de abril de 2014

Março 2014 São Paulo, 30 de abril de 2014 Março 2014 São Paulo, 30 de abril de 2014 BALANÇA COMERCIAL REGISTRA O PRIMEIRO SALDO POSITIVO DO ANO,, MAS RESULTADO SEGUE MODESTO A balança comercial brasileira registrou um superávit de US$ 112 milhões

Leia mais

São Paulo, 26 de fevereiro de 2013.

São Paulo, 26 de fevereiro de 2013. São Paulo, 26 de fevereiro de 2013. Janeiro 2013 Janeiro registrou o maior déficit mensal da série histórica. O saldo comercial do mês ficou negativo em US$ 4,03 bilhões, resultado de aproximadamente US$

Leia mais

São Paulo, 13 de dezembro de 2012.

São Paulo, 13 de dezembro de 2012. São Paulo, 13 de dezembro de 2012. Novembro 2012 Novembro registrou déficit comercial de US$ 186 milhões: o resultado foi 133% menor que o saldo do mesmo período de 2011. No acumulado do ano, o resultado

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA MAIO 2017

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA MAIO 2017 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA MAIO 2017 Período Dias Úteis US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia útil p/dia

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Março Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Março Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Março 2013 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM MARÇO Exportações As exportações ficaram praticamente estáveis em comparação com o mesmo mês

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA DEZEMBRO 2016

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA DEZEMBRO 2016 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA DEZEMBRO 2016 Período Dias Úteis US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia útil

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Fevereiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Fevereiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Fevereiro 2014 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM FEVEREIRO Exportações As exportações registraram queda, mesmo com o efeito favorável do

Leia mais

São Paulo, 18 de junho de 2013.

São Paulo, 18 de junho de 2013. São Paulo, 18 de junho de 2013. Maio 2013 Balança comercial tem o segundo resultado positivo do ano: o saldo da balança comercial somou US$ 760 milhões em maio. Apesar do superávit, o resultado não superou

Leia mais

PRIMEIRO MÊS DE 2014 MARCA DÉFICIT COMERCIAL DE US$ 4,1 BILHÕES

PRIMEIRO MÊS DE 2014 MARCA DÉFICIT COMERCIAL DE US$ 4,1 BILHÕES Janeiro 2014 São Paulo, 28 de fevereiro de 2014 PRIMEIRO MÊS DE 2014 MARCA DÉFICIT COMERCIAL DE US$ 4,1 BILHÕES O saldo da balança comercial brasileira ficou negativo em US$ 4,06 bilhões, o que significou

Leia mais

Análise da Balança Comercial Brasileira jan-set/2011

Análise da Balança Comercial Brasileira jan-set/2011 Análise da Balança Comercial Brasileira jan-set/2011 Exportação mantém crescimento acelerado puxado pelas commodities No ano de 2011, até setembro, as exportações estão crescendo a uma taxa de 31,1%, em

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Setembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Setembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Setembro 2012 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM SETEMBRO Exportações A queda de 28% na comparação mensal pode ser explicada por: 1) Dois

Leia mais

REVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL PARA 2017

REVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL PARA 2017 REVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL PARA 2017 EXPORTAÇÃO US$ BILHÕES US$ BILHÕES 2017 / 2016 BÁSICOS 93,697 79,159 18,4 INDUSTRIALIZADOS 110,320 101,883 8,3 - Semimanufaturados 31,396 27,963 12,3 - Manufaturados

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Setembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Setembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Setembro 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM SETEMBRO Exportações Houve contabilização como exportação de uma plataforma de petróleo e

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA JULHO 2017

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA JULHO 2017 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA JULHO 2017 Período Dias Úteis US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia útil p/dia

Leia mais

PREVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA DE 2012

PREVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA DE 2012 PREVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA DE 2012 A previsão da AEB para a Balança Comercial Brasileira de 2012 indica os seguintes valores: exportações de US$236,580 bilhões projetando redução de 7,2%;

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Outubro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Outubro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Outubro 2012 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM OUTUBRO Exportações A exportação de produtos básicos registrou queda de 87,3% ante outubro

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Março Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Março Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Março 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS NO 1º TRIMESTRE Exportações Das 24 categorias da indústria, apenas 4 apresentaram crescimento em

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Novembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Novembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Novembro 2014 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM NOVEMBRO Exportações A base de comparação está elevada pela contabilização como exportação

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA MARÇO 2017

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA MARÇO 2017 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA MARÇO 2017 Período Dias Úteis US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia útil p/dia

Leia mais

Balança Comercial. 1 0 Semestre de 2013 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA - JANEIRO-JUNHO/2013 EXPORTAÇÃO: US$ 114,5 BI - JANEIRO-JUNHO/2013

Balança Comercial. 1 0 Semestre de 2013 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA - JANEIRO-JUNHO/2013 EXPORTAÇÃO: US$ 114,5 BI - JANEIRO-JUNHO/2013 Balança Comercial 1 0 Semestre de 2013 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA - JANEIRO-JUNHO/2013 O semestre foi o pior desde 1995, com déficit de US$ 3 bilhões, afetado por importações de petróleo e derivados

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Fevereiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Fevereiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Fevereiro 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM FEVEREIRO Exportações Em nível, as exportações da indústria gaúcha estão no pior patamar

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA DEZEMBRO 2017

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA DEZEMBRO 2017 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA DEZEMBRO 2017 Período Dias Úteis US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia útil

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto 2014 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM AGOSTO Exportações As retrações da Argentina (-32,8%) e dos Estados Unidos (-8,8%) explicam

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM AGOSTO Exportações As exportações da indústria registraram o nível mais baixo para o mês desde

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Junho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Junho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Junho 2014 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JUNHO Exportações A forte redução no mês foi causada pela contabilização como exportação da

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações Além da forte queda da indústria (-18,5%), ressalta-se o fato de que somente

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho 2013 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JULHO Exportações O principal destaque ficou por conta do aumento das vendas de tratores e de

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Fevereiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Fevereiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Fevereiro 2013 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM FEVEREIRO Exportações Apesar da queda nos embarques para a Argentina (6%), trata-se do melhor

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Secretaria de Comércio Exterior

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Secretaria de Comércio Exterior Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio Exterior O comércio exterior brasileiro e o desempenho do setor industrial Welber Barral Secretário SÃO PAULO (SP), 27

Leia mais

Balança comercial encerra 2013 com superávit de US$ 2,56 bilhões

Balança comercial encerra 2013 com superávit de US$ 2,56 bilhões São Paulo, 29 de janeiro de 2014 Balança comercial encerra 2013 com superávit de US$ 2,56 bilhões Apesar de o ano de 2013 ter apresentado aumento do intercâmbio comercial brasileiro, as importações aumentaram

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Junho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Junho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Junho 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS NO 2º TRIMESTRE Exportações As exportações da indústria de transformação tiveram o nível mais baixo

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Março Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Março Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Março 2014 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS NO TRIMESTRE Exportações A retração das vendas da indústria do Rio Grande do Sul estiveram concentradas

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Outubro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Outubro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Outubro 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM OUTUBRO Exportações A separação por categoria de atividade econômica mostra que a indústria

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2013 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações A queda das exportações para a Argentina (43%) foi determinante para esse

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA JANEIRO-ABRIL 2019

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA JANEIRO-ABRIL 2019 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA JANEIRO-ABRIL 2019 Período Balança Comercial Brasileira - Abril de 2019 US$ milhões FOB Dias Úteis EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Novembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Novembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Novembro 2012 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM NOVEMBRO Exportações As retrações nos embarques para a China (produtos básicos e semimanfaturados)

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA SETEMBRO 2016

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA SETEMBRO 2016 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA SETEMBRO 2016 Período Dias Úteis US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia útil

Leia mais

EVOLUÇÃO RECENTE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS PRINCIPAIS BLOCOS ECONÔMICOS E PAÍSES DE DESTINO Julho / 2004

EVOLUÇÃO RECENTE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS PRINCIPAIS BLOCOS ECONÔMICOS E PAÍSES DE DESTINO Julho / 2004 EVOLUÇÃO RECENTE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS PRINCIPAIS BLOCOS ECONÔMICOS E PAÍSES DE DESTINO 2002-2004 Julho / 2004 EVOLUÇÃO RECENTE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS COMENTÁRIOS A - EVOLUÇÃO DAS EXPORTAÇÕES

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JULHO Exportações As exportações da indústria atingiram o nível mais baixo desde 2006 para o

Leia mais

Raio-X do Comércio Exterior Brasileiro

Raio-X do Comércio Exterior Brasileiro Raio-X do Comércio Exterior Brasileiro DESTAQUES Déficit recorde do setor de manufaturados: O Brasil fechou o ano de 2010 com o maior déficit comercial de sua história do setor manufatureiro, de US$ 70,9

Leia mais

SÍNTESE AGOSTO DE 2015

SÍNTESE AGOSTO DE 2015 Em Bilhões US$ ano V, n 53 Setembro de 2015 SÍNTESE AGOSTO DE 2015 Em US$ milhões Período Exportações Importações Saldo Agosto 15.485 12.796 2.689 Variação em relação a agosto de 2014-24,3 % -33,7 % 1.530

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2011 Unidade de Estudos Econômicos PRINCIPAIS ESTADOS EXPORTADORES NO MÊS jan/10 Part(%) jan/11 Part(%) Var (%) SAO PAULO 3.127 27,7% 3.328 21,9% 6,4% 201

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2009 Unidade de Estudos Econômicos PRINCIPAIS ESTADOS EXPORTADORES NO MÊS Variação Participação jan/08 jan/09 % jan/08 jan/09 SAO PAULO 3.959 2.750-31% -1.209

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2016 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações O principal destaque negativo ficou por conta do impacto contracionista

Leia mais

INFORME ESTATÍSTICO DA ECONOMIA BRASILEIRA

INFORME ESTATÍSTICO DA ECONOMIA BRASILEIRA LC/BRS/R.294/Add.1 Janeiro 2015 Original: Espanhol CEPAL COMISSÃO ECONÔMICA PARA A AMÉRICA LATINA E O CARIBE Escritório em Brasília INFORME ESTATÍSTICO DA ECONOMIA BRASILEIRA Janeiro 2015 O presente Informe

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR MAIO

COMÉRCIO EXTERIOR MAIO MAIO EXPORTAÇÕES No mês de maio de 2017, as exportações catarinenses somaram US$ 802,8 milhões, o que representou um avanço de 15,8% frente a maio de 2016. Esse crescimento é o melhor para o mês desde

Leia mais

ano I, n 5, setembro de 2011

ano I, n 5, setembro de 2011 ,, setembro de 2011 SÍNTESE AGOSTO DE 2011 (Em US$ milhões) Período Exportações Importações Saldo Agosto 26.159 22.285 3.874 Variação em relação a agosto de 2010 36,0 % 32,5 % + US$ 1.461 milhões Janeiro-Agosto

Leia mais

INFORME ESTATÍSTICO DA ECONOMIA BRASILEIRA

INFORME ESTATÍSTICO DA ECONOMIA BRASILEIRA Documento Interno para discussão Nº LC/BRS/R.289/Add.8-9 Agosto-Setembro 2014 Original: Espanhol CEPAL COMISSÃO ECONÔMICA PARA A AMÉRICA LATINA E O CARIBE Escritório em Brasília INFORME ESTATÍSTICO DA

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2012 Unidade de Estudos Econômicos PRINCIPAIS ESTADOS EXPORTADORES NO MÊS jan/11 Part(%) jan/12 Part(%) Var (%) SAO PAULO 3.328 21,9% 3.672 22,7% 10,3% 344

Leia mais

ano V, n 49 Maio de 2015

ano V, n 49 Maio de 2015 ano V, n 49 Maio de 2015 SÍNTESE ABRIL DE 2015 Em US$ milhões Período Exportações Importações Saldo Abril 15.156 14.665 491 Variação em relação a abril de 2014-23,2% 23,7% -15 Acumulado no ano 57.932 62.997-5.066

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro 2013 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM 2013 Exportações A contabilização como exportação de três plataformas de petróleo e gás somou

Leia mais

Parceiros Comerciais do RS no período de. Comparação do mês de maio de 2017

Parceiros Comerciais do RS no período de. Comparação do mês de maio de 2017 Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio exterior do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de maio de 2017. Total das exportações do Rio Grande do Sul.

Leia mais

A Recessão Global e o Comércio Exterior Brasileiro

A Recessão Global e o Comércio Exterior Brasileiro A Recessão Global e o Comércio Exterior Brasileiro Roberto Giannetti da Fonseca Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior 1 25 de Março de 2009 1 A recessão se torna global 10,0 8,0 2009*

Leia mais

São Paulo, 16 de julho de Junho 2012

São Paulo, 16 de julho de Junho 2012 São Paulo, 16 de julho de 2012 Junho 2012 Superávit comercial contrai em junho: o saldo positivo da balança comercial brasileira com a China registrou uma redução 22,3% em junho deste ano, frente ao mesmo

Leia mais

Ano II, n 15, julho de 2012

Ano II, n 15, julho de 2012 , n 15, julho de 2012 SÍNTESE JUNHO DE 2012 (Em US$ milhões) Período Exportações Importações Saldo Junho 19.353 18.547 806 Variação em relação a junho de 2011-18,3 % -3,7 % - US$ 3.624 milhões Janeiro-

Leia mais

RIO EXPORTA Boletim de comércio exterior do Rio de Janeiro

RIO EXPORTA Boletim de comércio exterior do Rio de Janeiro MAIO DE 2014 1 RIO EXPORTA Boletim de comércio exterior do Rio de Janeiro Expediente Maio de 2014 Ano XII - nº 05 Sistema FIRJAN Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro PRESIDENTE Eduardo

Leia mais

Balança Comercial Brasileira Conselho Superior de Comércio Exterior da FIESP

Balança Comercial Brasileira Conselho Superior de Comércio Exterior da FIESP INTERCÂMBIO COMERCIAL BRASIL / MERCOSUL Balança Comercial Brasileira Conselho Superior de Comércio Exterior da FIESP Daniel Marteleto Godinho Secretário de Comércio Exterior Evolução das Exportações 2004

Leia mais

Corrente de comércio com a China acumula US$ 53,8 bilhões em 2015

Corrente de comércio com a China acumula US$ 53,8 bilhões em 2015 São Paulo, 29 de outubro de 2015 SETEMBRO 2015 Corrente de comércio com a China acumula US$ 53,8 bilhões em 2015 O saldo comercial com a China foi favorável ao Brasil em US$ 851 milhões no mês de setembro,

Leia mais