COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL 1"

Transcrição

1 COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL 1

2 2 COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL

3 ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL Seccional de Mato Grosso do Sul COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL Presidente Leonardo Avelino Duarte Vice-Presidente Júlio César Souza Rodrigues Secretária-Geral Rachel de Paula Magrini Sanches Secretária-Adjunta Luciana Azambuja Tesoureiro André LuiS Xavier Machado PRESIDENTE Samia Roges Jordy Barbieri VICE-PRESIDENTE Wilson Capistrano SECRETÁRIO-GERAL Marcus Ruiz SECRETÁRIO-GERAL adjunta Tatiana AZAMBUJA Ujacow MEMBROS SAMIA ROGES JORDY BARBIERI WILSON MATEUS CAPISTRANO DA SILVA MARCUS ANTONIO RUIZ TATIANA AZAMBUJA UJACOW MARIO MORANDI ADRIANA DE OLIVEIRA ROCHA JOSÉ FERRAZ DE CAMPOS colaboradores ARLETE SILVA LIMA POVH RICARDO RAO ILUSTRADORES NÍCOLAS JORDY BARBIERI ALEXANDRE DE LIMA POVH MARCUS ANTÔNIO NIKEUET MEKARON ECHEVERRIA RUIZ PATRICIA CHAVEZ COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL 3

4 ÍNDICE Prefácio Apresentação Quem são os índios? A cultura indígena Quem são os indígenas de Mato Grosso do Sul? Quais são as suas leis internacionais ou Tratados? Existe alguma Declaração que reconheça os direitos dos povos indígenas e que sirva para todos os índios do mundo? Quais os seus direitos na Constituição do Brasil? O que são terras indígenas? O que são direitos humanos? O que são direitos humanos dos povos indígenas? Quem cuida dos índios? Quem cuida da saúde dos índios? O que é criminalização dos índios? O que significa isso? Os indígenas têm direito a uma educação diferenciada? Por que dizem que os índios são ágrafos e orais? O que significa? Quais os desafios que se apresentam no futuro para os povos indígenas? Afinal, o que são direitos indígenas? COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL

5 PREFÁCIO Somos todos membros da mesma família humana. Somos todos membros da mesma raça, que se manifesta biologicamente e culturalmente de diversas maneiras interdependentes. Da mesma maneira, somos iguais em dignidade e direitos. A OAB/MS inovou em tornar a discussão e a defesa dos povos indígenas em luta permanente. A Copai faz parte permanente da nossa Ordem, que zela pela sociedade com a mesma atenção que cuida dos interesses dos advogados. É preciso afirmar e reafirmar, constantemente, o direito nas relações entre pessoas e povos, organizações e nações. Ao mesmo tempo que somos diferentes uns dos outros, e temos direito a essa diferença, são esses detalhes que enriquecem nossa condição humana. Crenças, identidade, liberdade de expressão, opções, fazem parte de condições essenciais para a nossa convivência neste planeta. Dentro dos limites da ética e dos acordos nacionais e internacionais. Que esta cartilha possibilite e facilite a compreensão de todos para a questão do Direito Indígena e possa abrir uma reflexão, assim como é a Comissão, permanente. Leonardo Avelino Duarte Presidente da OAB/MS COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL 5

6 APRESENTAÇÃO Apresentamos, com muito prazer, a nossa CARTILHA, que tem o objetivo de instruir a sociedade sobre a importância dos povos indígenas e seus direitos constitucionais. Falaremos da importância dos habitantes originários na nossa terra brasilis, como representantes da nossa cultura, história e identidade nacional. Por isso, vamos aprender um pouco mais sobre os direitos humanos dos povos indígenas. A Ordem dos Advogados do Brasil, de Mato Grosso do Sul e a Comissão Permanente de Assuntos Indígenas da OAB/MS, preocupadas com as desigualdades e imbuída de seus princípios contidos no Estatuto da OAB/MS, no artigo 44, nos ensina que devemos defender a Constituição, a ordem jurídica do Estado Democrático de Direito, os direitos humanos, a justiça social, pela boa aplicação das leis, pela rápida administração da justiça e pelo aperfeiçoamento da cultura e das instituições jurídicas. É muito importante falarmos dos nossos amigos indígenas, que são os primeiros habitantes e merecem todo o nosso respeito, e por isso, vamos estudar um pouco sobre os povos indígenas, porque queremos uma sociedade mais justa, fraterna e solidária a todos, principalmente, aos nossos primeiros habitantes: os índios. 6 COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL

7 1. QUEM SÃO OS ÍNDIOS São os primeiros habitantes do Brasil, chamados de povos originários. Os povos indígenas habitavam o Brasil quando aqui chegaram os colonizadores portugueses, que invadiram o Brasil. Os índios são importantes como traço da nossa identidade cultural, com seus costumes, línguas diferenciadas, que devem ser respeitadas por todos nós. Todos nós temos muito dos índios, como o hábito arraigado na nossa cultura sabia? 2. A CULTURA INDÍGENA A cultura indígena é extremamente rica em todos os seus aspectos e cada etnia carrega em si formas bem distintas, além de um universo inteiro pra gente descobrir. Os Kadiweu, por exemplo, são hábeis desenhistas, estampam rostos com desenhos minuciosos e simétricos, traçados com a tinta obtida da mistura de suco de jenipapo com o pó de carvão, que é aplicada com uma fina lasca de madeira ou taquara. No passado a diferença entre nobres, guerreiros e cativos era diferenciada pela pintura corporal. Você sabia que a criança Kadiweu recebe um nome quando nasce e outro quando da morte Gostamos de chá, deitamos na rede, andamos de mochila, nos adornamos com brincos, pulseiras, plumagens, piercings, e muito mais. COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL 7

8 de um parente? Pois é, e durante os ritos funerários, os parentes do morto têm seus cabelos cortados, e aquele que corta o cabelo em sinal de luto é chamado okojege. E tem muito mais, por exemplo, são as mulheres Kadiweu que produzem as belas peças de cerâmica e se utilizam do barro e para as cores ganharem mais vida utilizam-se dos diferentes tons de areias encontrados, sendo alguns detalhes envernizados com a resina do palo-santo. Podemos também ver a arte Kadiweu expressa nos cânticos das mulheres mais velhas, nas músicas dos tocadores de tambor, o gogué. Os Guarani tem na agricultura sua principal atividade econômica, mas também gostam muito de caçar e pescar. As roças são pequenas e todos os familiares participam plantando milho, mandioca, batata doce, cana-de-açúcar, abóbora, mamão, laranja, banana, amendoim, urucu, vários tipos de feijão de árvore e outros produtos destinados à alimentação da família e ainda, espécies utilizadas como remédios. O milho branco é considerado planta sagrada, e, portanto, não é comercializado e sim, usado nas cerimônias anuais do avati kyry, que é o batismo do milho. Religião e xamanismo Terena. Os Terena, sobretudo aqueles que residem nas aldeias mais tradicionais como Cachoeirinha e Bananal, utilizam os poderes dos seus porangueiros ou curadores, conhecidos também como xamãs. Recorrem a estes para a cura de doenças, interpretadas como males do espírito que afetam o corpo. O mito de origem do povo Terena conta a historia de um herói civilizador duplo Yurikoyuvakái que tirou os Terena debaixo da terra e ensinou-lhes o uso do fogo e das ferramentas agrícolas, e que ainda hoje é passado de geração a geração. Este herói civilizador possui duas metades gêmeas, uma age como herói e outra como anti-herói. Os Guató fabricam arcos e flechas, bodoques, zagaias, canoas, remos e zingas, armadi- 8 COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL

9 lhas para caçar, pau de cavouco, porrete para pesca, equipamentos domésticos e de trabalho, como objetos em madeira, conchas de moluscos, cerâmica, couro, trançados e tecelagem. A canoa manum é o principal meio de transporte dos Guató, especialmente na cheia, a tal ponto que as pernas dos homens são pouco desenvolvidas e arqueadas para dentro, enquanto o tronco permanece notadamente mais desenvolvido por conta da atividade de remar. Muitas vezes as famílias passam a noite em suas próprias canoas, que são fabricadas com uma rara perfeição, e possuem notável elegância e rapidez. De acordo com a FUNAI (fundação Nacional do Índio), são 09 as etnias dos nossos índios sul-mato-grossenses, das quais temos: Atikum, Guarany [Kaiwá e Nhadéwa], Guató, Kadiwéu, Kamba, Kinikinawa, Ofaié, Terena e Xiquitano. E o mais bonito nisso tudo é que cada uma destas etnias têm brilho próprio nos seus distintos traços físicos, em sua singular forma de viver e de pensar, bem como, nas suas expressões culturais, linguísticas e espirituais. Além de toda essa diversidade física e cultural, 3. QUEM SÃO OS INDÍGE- NAS DE MATO GROSSO DO SUL? Vocês sabiam que Mato Grosso do Sul é o segundo Estado do Brasil com maior número de índios? Sim, moramos num local muito abençoado e privilegiado por abrigar entre os seus habitantes tantos índios, de tão lindas e diferentes etnias. Veja, de acordo com dados de 2010 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), nosso Estado chega a ter indígenas vivendo - e tentando sobreviver - nas áreas urbanas (14.457) e mais os que ainda moram nas áreas rurais (58.838). MunICÍPIOS COM ÁREAS InDÍGEnAS POR EtnIA Mato GroSSo do Sul Guarani-Kaiowá Guató Kadiwéu ofaié terena COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL 9

10 as etnias também carregam e transmitem grande parte de sua riqueza ancestral, seja na arte, pintura, culinária e na dança. Tudo que realizam é sempre de forma harmoniosa, singular, enriquecedora e em respeito à natureza. Os indígenas de Mato Grosso do Sul são povos muito valentes, inteligentes, sociáveis e acima de tudo, resistentes a toda forma de agressão e injustiça que lhes tem sido impostas no decorrer de toda a sua histórica e sofrida existência. o Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos, a Convenção para a Eliminação da Discriminação Racial; a Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho; Convenção das Nações Unidas sobre o Direito da Criança e a Convenção sobre a Diversidade Biológica. Devem ser respeitados por todos os países que aceitam e assinam esses Tratados, reconhecendo os direitos individuais e coletivos dos povos indígenas. Devemos, portanto, respeitar e ter muito orgulho deles, além de muita admiração também, pois acima de tudo, nossos índios são a nossa história viva, pulsando e caminhando pelos espaços lindos deste nosso pedaço de chão. 4. QUAIS SÃO AS SUAS LEIS INTERNACIONAIS OU TRA- TADOS? Bom, para começar o Brasil assina vários acordos e tratados muito importantes para a valorização dos direitos humanos dos povos indígenas. Podemos destacar: O Pacto Internacional de Direitos Econômicos, Sociais e Culturais; 10 COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL

11 5. EXISTE ALGUMA DECLA- RAÇÃO QUE RECONHEÇA OS DIREITOS DOS POVOS INDÍGENAS E QUE SIRVA PARA TODOS OS ÍNDIOS DO MUNDO? Existe sim. Chama-se Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas. Esta Declaração é importante porque reafirma e reconhece os direitos fundamentais universais relacionados à dignidade, culturas, línguas, diversidade, territórios tradicionais, entre outros. É um importante instrumento internacional de reconhecimento dos direitos humanos dos povos indígenas do mundo, declarado pela ONU e aceito por mais de 149 países do mundo. Direitos dos Povos Indígenas declarada pela ONU? Ela reafirma e reconhece os direitos individuais e coletivos, reconhecendo o direito dos índios à cultura, costumes, à língua, à diversidade, à autodeterminação, liberdade, segurança, educação, saúde, a permanecerem com seu estilo de vida diferente, e não serem assimilados pela cultura do branco, se assim quiserem. A Declaração reconhece também a relação dos povos indígenas com a natureza, com sua medicina tradicional, seus conhecimentos ancestrais, e ao uso do solo, com o manejo natural e orgânico, e também a manterem sua espiritualidade, como faz a nossa lei maior que é a Constituição Federal do Brasil de Consta de 46 artigos Foi declarada no dia 13 de setembro de O Brasil declarou-se favorável ainda no Conselho de Direitos Humanos da ONU, concordando com todos os termos da Declaração, por afirmar e consagrar os direitos dos indígenas de todo o mundo. O que aborda a Declaração Universal dos COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL 11

12 6. QUAIS OS SEUS DIREITOS NA CONSTITUIÇÃO DO BRA- SIL? Dignidade da pessoa humana do índio, direito à demarcação de suas terras tradicionais, direito à autodeterminação, igualdade na diferença, cultura e língua diferenciadas, cosmovisão, saúde, educação. Dignidade da pessoa humana: nasce com a pessoa. Todos nascem livres e iguais em direitos. Todo o ser humano tem direito a tratamento digno, porque todos somos seres humanos. Cultura e língua diferenciadas: devemos entender que a igualdade indígena reside em respeitar a sua cultura, que é diferente da nossa, como a sua língua, que também é diferenciada. Cosmovisão: os índios se sentem como parte da natureza. Por isso, tem um olhar de sentimento profundo com ela, respeitam, cultivam, não degradam o solo, conservam a natureza como parte de si mesmos. É muito peculiar e interessante. Direito à demarcação de suas terras: isso está escrito na maior e mais importante lei do país: a Constituição Federal de 1988, no artigo 231 e demais artigos, como nas disposições constitucionais transitórias, artigo 67. Autodeterminação: os povos indígenas tem o direito à livre escolha de sua vida, a forma como deseja viver na esfera social, econômica, jurídica, cultural e política. A eles cabe a escolha do seu modo de vida. Igualdade na diferença: parece difícil este termo, mas não é. A Igualdade para o índio é respeitar que a cultura indígena é diferente, só isso, mas no fundo, todos somos iguais. 12 COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL

13 7. O QUE SÃO TERRAS INDÍGENAS? Terras indígenas são áreas destinadas aos índios brasileiros para que possam viver sem deixar de serem índios. A maior lei do país, a Constituição Federal, que já tem mais de 20 anos, disse que os indígenas brasileiros possuem direito de ficar em suas terras, ter filhos nelas e passar a eles toda a sua cultura, língua e tradições. E diz mais, fala que os direitos dos índios nunca vão acabar porque começaram antes mesmo de o Brasil existir, pois, eles já estavam nos lugares que hoje são nosso país, muito antes de os primeiros colonizadores chegarem. E esses direitos são chamados por nossa Constituição de direitos originários. É importante ressaltar que o direito a estar na própria terra é tão importante para os indígenas que eles, mesmo sendo expulsos, sempre tentam voltar para o lugar de onde seus familiares mais antigos vieram. E isto acaba provocado novas violências contra eles, que os juízes precisam resolver. O direito às terras indígenas é o mais importante dos direitos reconhecidos aos índios brasileiros, pois nelas eles podem viver tranquilos, sem serem ameaçados, e realizar seu modo de vida, seja falando sua própria língua, seja cultivando suas crenças, como também podendo viver, segundo seus usos, costumes e tradições. 8. O QUE SÃO DIREITOS HUMANOS? Os direitos de todos os seres humanos, como dignidade, educação, saúde, cultura, moradia, lazer e tantos outros. COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL 13

14 10. QUEM CUIDA DOS ÍNDIOS? Antigamente, a FUNAI fazia a tutela e os protegia juridicamente. Hoje, ainda existe a FUNAI que cuida dos interesses dos índios, de forma protetiva apenas, porque os índios são os titulares dos seus direitos e podem eles mesmo postular em juízo, em causa própria. 9. O QUE SÃO DIREITOS HUMANOS DOS POVOS INDÍGENAS? Além dos já citados acima, temos ainda os direitos humanos dos povos indígenas, que são os específicos dos índios, como o de respeitar à sua cultura diferente, sua língua, forma de viver e observar a natureza, porque são brasileiros como todos nós. Os índios são apenas os que vivem em aldeias? E os que habitam as cidades também são índios? Não. Os índios são índios morando em aldeias ou em cidades. O que importa é que eles carregam a cultura, língua e dignidade dentro do coração e da alma. 14 COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL

15 11. QUEM CUIDA DA SAÚDE DOS ÍNDIOS? Hoje temos a SESAI, que significa Secretaria Especial de Saúde Indígena, ligada ao Ministério da Saúde, que tem a obrigação de cuidar da saúde dos povos indígenas em todo o território nacional em cada distrito sanitário de saúde indígena, o chamado DSEI. Esses sistemas estão inseridos no Sistema Único de Saúde, o SUS. 12. O QUE É CRIMINALIZA- ÇÃO DOS ÍNDIOS? O QUE SIGNIFICA ISSO? Para saber se um índio é responsável pela pratica de um crime é preciso, primeiramente, verificar sua cultura, costumes e tradição. Observar se ele sabe que o que está fazendo é uma conduta considerada crime perante a lei do não índio. Mas, veja esse entendimento nem sempre foi assim. Antes da Constituição Federal de 1988, a aplicação da lei penal aos indígenas era orientada apenas pela menor ou maior integração deles com os não índios, ou seja, levava-se em conta se o contato deles com os não índios era considerado muito próximo, pouco ou nenhum, para depois aplicar a possível penalização. Os costumes também têm muita importância neste contexto, pois são a maneira deles conduzirem uns aos outros ou de fazerem determinadas coisas, como, por exemplo, o hábito de aprender com os mais velhos a respeitar pela natureza, o jeito de criar os filhos, a forma de alimentá-los, vestir ou não vestir, o tipo de moradia, e assim por diante. Entretanto, existe também a cultura do COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL 15

16 não índio que é baseada mais nas leis do que nos costumes e tradições, e onde a lei predomina, muito embora, o costume possa vir, eventualmente, a ser transformado em lei. Porém, para que um índio seja considerado culpado é preciso que ele esteja sabendo que está infringindo tal lei, pois se não souber, se não tiver sido informado de alguma forma, seja pela informação pessoal através das conversas, ou mesmo, pelo conhecimento através da maioria dos moradores da aldeia ou vila, de que tal fato é errado, será considerado sem culpa, e não será punido, ou então terá sua terá sua punição atenuada, ou seja, diminuída. Uma das coisas que, infelizmente, mais tem acontecido e levado os índios a serem punidos pelas leis dos não índios é um fato que diz respeito diretamente aos seus costumes tradicionais. O casamento de um índio com uma índia que tenha 14 anos de idade, por exemplo, pois para os não índios isso é considerado um crime grave. No entanto, para as comunidades indígenas, não! Pois para estes, isso faz parte de suas tradição e de seus costumes. No mais, matar, roubar, furtar, apropriar- -se das coisas dos outros, causar ferimentos em outros, entre tantas outras coisas mais, é considerado errado pelos índios também. 13. OS INDÍGENAS TÊM DI- REITO A UMA EDUCAÇÃO DIFERENCIADA? Sim. Tanto a lei maior como leis específicas sobre educação garantem escolas com idioma próprio dos índios, com professores que falem o seu idioma e permaneçam valorizando os hábitos e costumes, como a língua e sua sabedoria, que vem de geração em geração. ESCOLA 16 COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL

17 14. POR QUE DIZEM QUE OS ÍNDIOS SÃO ÁGRAFOS E ORAIS? O QUE SIGNIFICA? Os indígenas transmitem a sua cultura, seus conhecimentos, sua medicina tradicional, seus costumes, de forma oral, não escrita, por isso se diz que é ágrafa, ou seja, não é escrita e é transmitida verbalmente pelos indígenas mais velhos e sábios, pelos pajés. 15. QUAIS OS DESAFIOS QUE SE APRESENTAM NO FUTURO PARA OS POVOS INDÍGENAS? O reconhecimento e o respeito de todos os cidadãos por uma cultura diferente, mas que representa muito da nossa história, cultura e hábitos. Um dos maiores desafios que se apresentam é se realmente as terras tradicionais serão reconhecidas para que os indígenas possam desenvolver cada vez mais sua cultura, seu modo de ver a natureza, seus costumes, no seu habitat, com suas línguas e costumes próprios respeitados pela sociedade, construindo de verdade uma sociedade mais justa, fraterna e solidária, sem preconceitos ou discriminações aos nossos habitantes originários: os índios. 16. AFINAL, O QUE SÃO DIREITOS INDÍGENAS? Para os índios que ali estavam nus na praia, o mundo era um luxo de viver, tão rico de aves, de peixes, de raízes, de frutas, de flores, de sementes, que podia dar as alegrias de caçar, de pescar, de plantar e colher a quanta gente aqui viesse ter (Darci Ribeiro). Os direitos dos índios se misturam e quase que se confundem com os direitos da natureza porque entre eles há uma plenitude de convivência que é totalmente harmoniosa. Os índios são humanos assim como nós, e no âmbito internacional a lei diz que só pelo fato de uma pessoa nascer com vida ela já portadora de direitos humanos, portanto, os índios tem os mesmos direitos que os demais, sem nenhuma restrição. Os índios têm os seus costumes e modos de viver como direitos? Sim. Portanto, os costumes dos indígenas são diretos que devem COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL 17

18 ser respeitados e a lei manda respeitar esses direitos. E esses costumes são chamados de direitos consuetudinários dos indígenas, ou seja, surgem dos próprios costumes. Mas ao longo da história os índios tiveram seu modo de viver, seu contato com a terra e a natureza e seus direitos violados? Sim. O escritor Darcy Ribeiro conta todas essas violações cometidas contras os índios ao relatar que a ocupação do Brasil feita por gentes de outras partes do mundo se deu com as palavras: selvageria civilização. Para os que aqui chegavam era como entrar na arena de seus ganhos, em ouro e glórias. Já para os índios que aqui estavam nus nas praias o mundo era um luxo de se viver, e acabava sendo um encontro fatal, porque os índios sempre acabavam mortos ou expulsos de suas terras. Para ter uma ideia melhor, no inicio do século passado havia 230 tribos no Brasil, das quais 90 desapareceram por causa da violência e das agressões sofridas por armas de fogo, doenças e até micróbios contraídos do contato com a chamada civilização do não índio. 18 COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL

19 Mas e então, a nossa Constituição protege e garante mesmo os direitos indígenas? Muito embora todas as constituições brasileiras, em seus textos, falem que os primitivos e nativos são os donos da terra que ocupam, todavia, quanto mais ricas são essas terras, maior é a ameaça às suas vidas. Ainda assim, a nossa Constituição Federal Brasileira atual continua protegendo e garantindo os direitos dos índios, entre eles o direito à suas terras. Enfim, depois de tanto aprendizado, podemos concluir que, os direitos indígenas são acima de tudo, direitos humanos como os das pessoas não índias, com uma diferença: entre eles há ainda o modo simples e místico de enxergar o mundo que os estabelecem com a natureza e a terra, preservando-as! COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL 19

20 Patricia Chavez Patricia Chavez Mekaron Echeverria Ruiz 20 COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL

21 Patricia Chavez Patricia Chavez COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL 21

22 Marcus Antônio Nikeuet e Mekaron Echeverria Ruiz Alexandre Lima Povh 22 COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL

23 Marcus Antônio Nikeuet Alexandre Lima Povh COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL 23

24 Nicolas Jordy Barbieri 24 COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL

25 Alexandre Lima Povh Alexandre Lima Povh COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL 25

26 Alexandre Lima Povh Alexandre Lima Povh 26 COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL

27 COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL 27

28 28 COPAI - COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS INDÍGENAS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL

VALORES CULTURAIS (INDÍGENAS) KAINGANG

VALORES CULTURAIS (INDÍGENAS) KAINGANG VALORES CULTURAIS (INDÍGENAS) KAINGANG Um cacique kaingang, meu amigo, me escreveu pedindo sugestões para desenvolver, no Dia do Índio, o seguinte tema em uma palestra: "Os Valores Culturais da Etnia Kaingáng".

Leia mais

EDUCAÇÃO INDÍGENA INTRODUÇÃO

EDUCAÇÃO INDÍGENA INTRODUÇÃO EDUCAÇÃO INDÍGENA Gonçalves,Emily 1 Mello,Fernanda 2 RESUMO: Falar da educação dos índios nos dias atuais requer uma breve análise histórica deste povo. Precisamos reconhecer que nesses 508 anos, os povos

Leia mais

POVOS INDÍGENAS NO BRASIL. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José Montes Claros - MG

POVOS INDÍGENAS NO BRASIL. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José Montes Claros - MG POVOS INDÍGENAS NO BRASIL Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José Montes Claros - MG Conhecendo os povos indígenas Para conhecer melhor os povos indígenas, é importante estudar sua língua.

Leia mais

Destacando que a responsabilidade primordial e o dever de promover e proteger os direitos humanos, e as liberdades fundamentais incumbem ao Estado,

Destacando que a responsabilidade primordial e o dever de promover e proteger os direitos humanos, e as liberdades fundamentais incumbem ao Estado, Declaração sobre o Direito e o Dever dos Indivíduos, Grupos e Instituições de Promover e Proteger os Direitos Humanos e as Liberdades Fundamentais Universalmente Reconhecidos 1 A Assembléia Geral, Reafirmando

Leia mais

A Uwê uptabi Marãiwatsédé buscam o bem viver no território tradicional. Palavras-Chaves: Território Sustentabilidade- Bem Viver.

A Uwê uptabi Marãiwatsédé buscam o bem viver no território tradicional. Palavras-Chaves: Território Sustentabilidade- Bem Viver. A Uwê uptabi Marãiwatsédé buscam o bem viver no território tradicional. Este trabalho tem o objetivo de discutir a sustentabilidade do território A uwe- Marãiwatsédé, mediada pelas relações econômicas,

Leia mais

MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES

MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES MÓDULO I Corredor Etnoambiental Tupi Mondé Atividade 1 Conhecendo mais sobre nosso passado, presente e futuro 1. No

Leia mais

O que são Direitos Humanos?

O que são Direitos Humanos? O que são Direitos Humanos? Técnico comercial 4 (1º ano) Direitos Humanos são os direitos e liberdades básicas de todos os seres humanos. O principal objetivo dos Direitos Humanos é tratar cada indivíduo

Leia mais

Entrevista - Espiritualidade nas empresas

Entrevista - Espiritualidade nas empresas Entrevista - Espiritualidade nas empresas 1 - O que podemos considerar como espiritualidade nas empresas? Primeiramente considero importante dizer o que entendo por espiritualidade. Podemos dizer que é

Leia mais

mundo. A gente não é contra branco. Somos aliados, queremos um mundo melhor para todo mundo. A gente está sentindo muito aqui.

mundo. A gente não é contra branco. Somos aliados, queremos um mundo melhor para todo mundo. A gente está sentindo muito aqui. Em 22 de maio de 2014 eu, Rebeca Campos Ferreira, Perita em Antropologia do Ministério Público Federal, estive na Penitenciária de Médio Porte Pandinha, em Porto Velho RO, com os indígenas Gilson Tenharim,

Leia mais

Reflexões sobre Empresas e Direitos Humanos. Leticia Veloso leticiahelenaveloso@outlook.com

Reflexões sobre Empresas e Direitos Humanos. Leticia Veloso leticiahelenaveloso@outlook.com Reflexões sobre Empresas e Leticia Veloso leticiahelenaveloso@outlook.com PRINCÍPIOS ORIENTADORES SOBRE EMPRESAS E DIREITOS HUMANOS (ONU, 2011): 1. PROTEGER 2. RESPEITAR 3. REPARAR Em junho de 2011, o

Leia mais

cartilha direitos humanos layout:layout 1 2008-09-05 13:42 Página 1 CAPA

cartilha direitos humanos layout:layout 1 2008-09-05 13:42 Página 1 CAPA cartilha direitos humanos layout:layout 1 2008-09-05 13:42 Página 1 CAPA cartilha direitos humanos layout:layout 1 2008-09-05 13:42 Página 2 TODOS SÃO IGUAIS PERANTE A LEI* *Artigo 5º da Constituição Brasileira

Leia mais

DIVERSIDADE HISTÓRICA, CULTURAL E LINGUÍSTICA NA EDUCAÇÃO

DIVERSIDADE HISTÓRICA, CULTURAL E LINGUÍSTICA NA EDUCAÇÃO 1 DIVERSIDADE HISTÓRICA, CULTURAL E LINGUÍSTICA NA EDUCAÇÃO INTRODUCÃO Patrícia Edí Ramos Escola Estadual Maria Eduarda Pereira Soldera São José dos Quatro Marcos Este trabalho tem por objetivo uma pesquisa

Leia mais

Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas

Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas A Assembléia Geral, Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas Tomando nota da recomendação que figura na resolução 1/2 do Conselho dos Direitos Humanos, de 29 de junho de 2006,

Leia mais

Lancamento da Campanha Livres e Iguais no Brasil Sao Paulo, 28 de abril de 2014. Ilustríssimo Sr. Presidente.senhoras e senhores todos.

Lancamento da Campanha Livres e Iguais no Brasil Sao Paulo, 28 de abril de 2014. Ilustríssimo Sr. Presidente.senhoras e senhores todos. Palavras de Humberto Henderson, Representante Regional Adjunto para América do Sul do Escritório do Alto Comissariado das Nacoes Unidas para os Direitos Humanos, Lancamento da Campanha Livres e Iguais

Leia mais

Notas sobre a organização religiosa e social dos índios kaingang Curt Nimuendajú Abril/1913

Notas sobre a organização religiosa e social dos índios kaingang Curt Nimuendajú Abril/1913 Notas sobre a organização religiosa e social dos índios kaingang Curt Nimuendajú Abril/1913 O mito de origem diz que os primeiros desta etnia sairam do chão, por isso tem a cor da terra. Chefiados por

Leia mais

INDÍGENAS NO BRASIL SITUAÇÃO DOS INDÍGENAS NO BRASIL HOJE. Capítulo 5 DEMANDAS DOS POVOS E PERCEPÇÕES DA OPINIÃO PÚBLICA

INDÍGENAS NO BRASIL SITUAÇÃO DOS INDÍGENAS NO BRASIL HOJE. Capítulo 5 DEMANDAS DOS POVOS E PERCEPÇÕES DA OPINIÃO PÚBLICA Capítulo 5 SITUAÇÃO DOS INDÍGENAS NO BRASIL HOJE Percepção de diferenças entre índios e não índios no Brasil hoje Estimulada e única, em % Base: Total da amostra (402) NÃO S/ URBANOS POPULAÇÃO NACIONAL

Leia mais

Kaingang: uma criança que cresce em tempo record...

Kaingang: uma criança que cresce em tempo record... Kaingang: uma criança que cresce em tempo record... Nossa infância,cada kaingang ao nascer já estará predestinado a vivenciar um mundo que tem dois fatores lados: primeiro, nascer dentro de uma comunidade

Leia mais

Educação escolar indígena

Educação escolar indígena Educação escolar indígena O principal objetivo desta apresentação é fazer uma reflexão sobre a cultura indígena kaingang, sobre as políticas educacionais integracionistas e sobre a política atual, que

Leia mais

PROFª CLEIDIVAINE DA S. REZENDE Disc. Sociologia / 1ª Série

PROFª CLEIDIVAINE DA S. REZENDE Disc. Sociologia / 1ª Série PROFª CLEIDIVAINE DA S. REZENDE Disc. Sociologia / 1ª Série 1 - DEFINIÇÃO Direitos e deveres civis, sociais e políticos usufruir dos direitos e o cumprimento das obrigações constituem-se no exercício da

Leia mais

CAPÍTULO 2 ANDAMENTO DO PROJETO BÁSICO AMBIENTAL DO COMPONENTE INDÍGENA. Anexo 5 27 Projeto revitalização cultura Arara

CAPÍTULO 2 ANDAMENTO DO PROJETO BÁSICO AMBIENTAL DO COMPONENTE INDÍGENA. Anexo 5 27 Projeto revitalização cultura Arara CAPÍTULO 2 ANDAMENTO DO PROJETO BÁSICO AMBIENTAL DO COMPONENTE INDÍGENA Anexo 5 27 Projeto revitalização cultura Arara Projeto Resgate do Artesanato Arara do Laranjal Consultor responsável: Francisco Fortes

Leia mais

CONVENÇÃO INTERAMERICANA PARA PREVENIR, PUNIR E ERRADICAR A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER, CONVENÇÃO DE BELÉM DO PARÁ

CONVENÇÃO INTERAMERICANA PARA PREVENIR, PUNIR E ERRADICAR A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER, CONVENÇÃO DE BELÉM DO PARÁ CONVENÇÃO INTERAMERICANA PARA PREVENIR, PUNIR E ERRADICAR A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER, CONVENÇÃO DE BELÉM DO PARÁ (Adotada em Belém do Pará, Brasil, em 9 de junho de 1994, no Vigésimo Quarto Período Ordinário

Leia mais

Conversando com os pais

Conversando com os pais Conversando com os pais Motivos para falar sobre esse assunto, em casa, com os filhos 1. A criança mais informada, e de forma correta, terá mais chances de saber lidar com sua sexualidade e, no futuro,

Leia mais

Sistema COC de Educação Unidade Portugal

Sistema COC de Educação Unidade Portugal Sistema COC de Educação Unidade Portugal Ribeirão Preto, de de 009. Nome: 3 o ano ( a série) AVALIAÇÃO DE CONTEÚDO DO GRUPO VII 3 o BIMESTRE Eixo temático Culturas nativas Disciplina/Valor Português 4,0

Leia mais

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS BR/1998/PI/H/4 REV. DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS Adotada e proclamada pela resolução 217 A (III) da Assembléia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948 Brasília 1998 Representação

Leia mais

A REPRESA CAIGUAVA E OS INDIOS GUARANI DA ALDEIA ARAÇA-I. Mario Sergio Michaliszyn Antropólogo Universidade Positivo

A REPRESA CAIGUAVA E OS INDIOS GUARANI DA ALDEIA ARAÇA-I. Mario Sergio Michaliszyn Antropólogo Universidade Positivo A REPRESA CAIGUAVA E OS INDIOS GUARANI DA ALDEIA ARAÇA-I Mario Sergio Michaliszyn Antropólogo Universidade Positivo Áreas de Proteção Ambiental APAs OBJETIVOS: Conciliar o desenvolvimento econômico e a

Leia mais

ÍNDICE. Apresentação. Participantes da Oficina. Aldeias Guaranis do Litoral Norte. Programação da Oficina

ÍNDICE. Apresentação. Participantes da Oficina. Aldeias Guaranis do Litoral Norte. Programação da Oficina ÍNDICE Encontro de Mulheres Guarani do Litoral Norte do Estado de São Paulo Organização: Selma A. Gomes Projeto gráfico: Irmãs de Criação Fotos: Carlos Penteado Publicado com o apoio da CAFOD Novembro

Leia mais

Ser humano, sociedade e cultura

Ser humano, sociedade e cultura Ser humano, sociedade e cultura O ser humano somente vive em sociedade! Isolado nenhuma pessoa é capaz de sobreviver. Somos dependentes uns dos outros,e por isso, o ser humano se organiza em sociedade

Leia mais

COSTUMES INDÍGENAS 7

COSTUMES INDÍGENAS 7 COSTUMES INDÍGENAS 7 Silva, Wanderlúcia Araújo. Aluna da Universidade Federal do Pará Curso de História Bacharelado/Licenciatura RESUMO - Este artigo implica na reflexão a cerca dos costumes indígenas,

Leia mais

PRÁTICAS CORPORAIS E MANIFESTAÇÕES CULTURAIS INDÍGENAS E SUAS RELAÇÕES COM OS JOGOS DOS POVOS INDÍGENAS DO BRASIL

PRÁTICAS CORPORAIS E MANIFESTAÇÕES CULTURAIS INDÍGENAS E SUAS RELAÇÕES COM OS JOGOS DOS POVOS INDÍGENAS DO BRASIL PRÁTICAS CORPORAIS E MANIFESTAÇÕES CULTURAIS INDÍGENAS E SUAS RELAÇÕES COM OS JOGOS DOS POVOS INDÍGENAS DO BRASIL Bruna Maria de Oliveira (¹) ; Elcione Trojan de Aguiar (2) ;Beleni Salete Grando (3) 1.Acadêmica

Leia mais

www. Lifeworld.com.br

www. Lifeworld.com.br 1 Artigos da Constituição Mundial A Constituição Mundial é composta de 61º Artigos, sendo do 1º ao 30º Artigo dos Direitos Humanos de 1948, e do 31º ao 61º Artigos estabelecidos em 2015. Dos 30 Artigos

Leia mais

São reconhecidos aos índios sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições,

São reconhecidos aos índios sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições, A Constituição Federal de 1988 reconhece aos povos indígenas suas especificidades étnicas e culturais bem como estabelece seus direitos sociais. Dentre as inúmeras proteções conferidas aos povos indígenas

Leia mais

CARTA DA TERRA Adaptação Juvenil

CARTA DA TERRA Adaptação Juvenil CARTA DA TERRA Adaptação Juvenil I TRODUÇÃO Vivemos um tempo muito importante e é nossa responsabilidade preservar a Terra. Todos os povos e todas as culturas do mundo formam uma única e grande família.

Leia mais

MEIO AMBIENTE E VIDA TEXTO PARA A CAMINHADA DE CORPUS CRISTI A VIDA AMEAÇADA...

MEIO AMBIENTE E VIDA TEXTO PARA A CAMINHADA DE CORPUS CRISTI A VIDA AMEAÇADA... MEIO AMBIENTE E VIDA TEXTO PARA A CAMINHADA DE CORPUS CRISTI Daniel Cenci A VIDA AMEAÇADA... A vida é sempre feita de escolhas. A qualidade de vida resulta das escolhas que fazemos a cada dia. É assim

Leia mais

Vendo Jesus as multidões, subiu ao monte e, como se assentasse, aproximaram-se os seus discípulos; e Ele passou a ensiná-los dizendo... Mateus 5.

Vendo Jesus as multidões, subiu ao monte e, como se assentasse, aproximaram-se os seus discípulos; e Ele passou a ensiná-los dizendo... Mateus 5. Vendo Jesus as multidões, subiu ao monte e, como se assentasse, aproximaram-se os seus discípulos; e Ele passou a ensiná-los dizendo... Mateus 5.1-2 E na minha nação excedia em judaísmo a muitos da minha

Leia mais

Povos tradicionais e locais; Acesso a conhecimento tradicional; Panorama legal nacional e internacional; Repartição de benefícios;

Povos tradicionais e locais; Acesso a conhecimento tradicional; Panorama legal nacional e internacional; Repartição de benefícios; Povos tradicionais e locais; Acesso a conhecimento tradicional; Panorama legal nacional e internacional; Repartição de benefícios; CTA na indústria e instituições de pesquisa; Propriedade industrial e

Leia mais

SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO E ASSISTÊNCIA SOCIAL - SEDAS GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO, PROJETOS E CAPACITAÇÃO TEXTO I

SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO E ASSISTÊNCIA SOCIAL - SEDAS GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO, PROJETOS E CAPACITAÇÃO TEXTO I TEXTO I Igualdade de Gênero no Enfrentamento à Violência Contra a Mulher As desigualdades são sentidas de formas diferentes pelas pessoas dependendo do seu envolvimento com a questão. As mulheres sentem

Leia mais

A GARANTIA DO ENSINO DA LÍNGUA TERENA E ARTES E CULTURA TERENA NO MUNICÍPIO DE AQUIDAUANA

A GARANTIA DO ENSINO DA LÍNGUA TERENA E ARTES E CULTURA TERENA NO MUNICÍPIO DE AQUIDAUANA A GARANTIA DO ENSINO DA LÍNGUA TERENA E ARTES E CULTURA TERENA NO MUNICÍPIO DE AQUIDAUANA Arcenio Francisco Dias Neste artigo iremos apresentar o ensino da Língua Terena e Artes e Cultura Terena no município

Leia mais

Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL O DIREITO HUMANO À ALIMENTAÇÃO ADEQUADA Nº 1

Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL O DIREITO HUMANO À ALIMENTAÇÃO ADEQUADA Nº 1 Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL O DIREITO HUMANO À ALIMENTAÇÃO ADEQUADA Nº 1 Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social Coordenadoria da Proteção

Leia mais

11º GV - Vereador Floriano Pesaro PROJETO DE LEI Nº 128/2012

11º GV - Vereador Floriano Pesaro PROJETO DE LEI Nº 128/2012 PROJETO DE LEI Nº 128/2012 Altera a Lei nº 14.485, de 19 de julho de 2007, com a finalidade de incluir no Calendário Oficial de Eventos da Cidade de São Paulo o Dia Municipal de Combate a Homofobia, a

Leia mais

MANUTENÇÃO DE ILHAS NA FLORESTA EN KATOONARIB PAKAWAN WATAAPAN WA KATONARUN KIDA DA'A'A WA WIZI'I KATONARUBA'A.

MANUTENÇÃO DE ILHAS NA FLORESTA EN KATOONARIB PAKAWAN WATAAPAN WA KATONARUN KIDA DA'A'A WA WIZI'I KATONARUBA'A. MANUTENÇÃO DE ILHAS NA FLORESTA EN KATOONARIB PAKAWAN WATAAPAN WA KATONARUN KIDA DA'A'A WA WIZI'I KATONARUBA'A. O que são ilhas de floresta? Uma isla de floresta é semelhante a ter uma ilha no meio do

Leia mais

Aula 10.2 Conteúdo: Os esportes indígenas na cultura não indígena. DINÂMICA LOCAL INTERATIVA APRENDER A APRENDER APRENDER A APRENDER EDUCAÇÃO FÍSICA

Aula 10.2 Conteúdo: Os esportes indígenas na cultura não indígena. DINÂMICA LOCAL INTERATIVA APRENDER A APRENDER APRENDER A APRENDER EDUCAÇÃO FÍSICA A A Aula 10.2 Conteúdo: Os esportes indígenas na cultura não indígena. 2 A A Habilidades: Reconhecer os jogos com heranças indígenas. 3 A A O esporte indígena na cultura não indígena: A cultura brasileira

Leia mais

DECLARAÇÃO UNIVERSAL SOBRE O GENOMA HUMANO E OS DIREITOS HUMANOS

DECLARAÇÃO UNIVERSAL SOBRE O GENOMA HUMANO E OS DIREITOS HUMANOS DECLARAÇÃO UNIVERSAL SOBRE O GENOMA HUMANO E OS DIREITOS HUMANOS A Conferência Geral, Lembrando que o Preâmbulo da Carta da Unesco refere-se a os princípios democráticos de dignidade, igualdade e respeito

Leia mais

Declaração de Pequim adotada pela Quarta Conferência Mundial sobre as Mulheres: Ação para Igualdade, Desenvolvimento e Paz (1995)

Declaração de Pequim adotada pela Quarta Conferência Mundial sobre as Mulheres: Ação para Igualdade, Desenvolvimento e Paz (1995) Declaração de Pequim adotada pela Quarta Conferência Mundial sobre as Mulheres: Ação para Igualdade, Desenvolvimento e Paz (1995) 1. Nós, os Governos, participante da Quarta Conferência Mundial sobre as

Leia mais

DECLARAÇAO DE NYÉLÉNY FÓRUM MUNDIAL PELA SOBERANIA ALIMENTAR

DECLARAÇAO DE NYÉLÉNY FÓRUM MUNDIAL PELA SOBERANIA ALIMENTAR DECLARAÇAO DE NYÉLÉNY FÓRUM MUNDIAL PELA SOBERANIA ALIMENTAR Nyéléni, Selingue, Malí Quarta-feira 28 de fevereiro de 2007 Nós, mais de 500 representantes de mais de 80 paises, de organizações camponesas,

Leia mais

Juristas Leigos - Direito Humanos Fundamentais. Direitos Humanos Fundamentais

Juristas Leigos - Direito Humanos Fundamentais. Direitos Humanos Fundamentais Direitos Humanos Fundamentais 1 PRIMEIRAS NOÇÕES SOBRE OS DIREITOS HUMANOS FUNDAMENTAIS 1. Introdução Para uma introdução ao estudo do Direito ou mesmo às primeiras noções de uma Teoria Geral do Estado

Leia mais

DATAS COMEMORATIVAS. CHEGADA DOS PORTUGUESES AO BRASIL 22 de abril

DATAS COMEMORATIVAS. CHEGADA DOS PORTUGUESES AO BRASIL 22 de abril CHEGADA DOS PORTUGUESES AO BRASIL 22 de abril Descobrimento do Brasil. Pintura de Aurélio de Figueiredo. Em 1500, há mais de 500 anos, Pedro Álvares Cabral e cerca de 1.500 outros portugueses chegaram

Leia mais

A MULHER E OS TRATADOS INTERNACIONAIS DE DIREITOS HUMANOS

A MULHER E OS TRATADOS INTERNACIONAIS DE DIREITOS HUMANOS A MULHER E OS TRATADOS INTERNACIONAIS DE DIREITOS HUMANOS Os Direitos Humanos surgiram na Revolução Francesa? Olympe de Gouges (1748-1793) foi uma revolucionária e escritora francesa. Abraçou com destemor

Leia mais

Perguntas e Respostas

Perguntas e Respostas DECLARAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE OS DIREITOS DOS POVOS INDÍGENAS Perguntas e Respostas I - Introdução O Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, comemora a adoção da Declaração dos Direitos dos

Leia mais

/ / JEITOS DE APRENDER. Índios Yanomami, Roraima

/ / JEITOS DE APRENDER. Índios Yanomami, Roraima / / JEITOS DE APRENDER Índios Yanomami, Roraima Ao longo de toda vida as pessoas passam por muitos aprendizados. Aprende-se dos mais diferentes jeitos e em vários momentos. O que se aprende e com quem

Leia mais

O que são Direitos Humanos?

O que são Direitos Humanos? O que são Direitos Humanos? Por Carlos ley Noção e Significados A expressão direitos humanos é uma forma abreviada de mencionar os direitos fundamentais da pessoa humana. Sem esses direitos a pessoa não

Leia mais

o pensar e fazer educação em saúde 12

o pensar e fazer educação em saúde 12 SUMÁRIO l' Carta às educadoras e aos educadores.................5 Que história é essa de saúde na escola................ 6 Uma outra realidade é possível....... 7 Uma escola comprometida com a realidade...

Leia mais

Entendendo o que é Gênero

Entendendo o que é Gênero Entendendo o que é Gênero Sandra Unbehaum 1 Vila de Nossa Senhora da Piedade, 03 de outubro de 2002 2. Cara Professora, Hoje acordei decidida a escrever-lhe esta carta, para pedir-lhe ajuda e trocar umas

Leia mais

Pequim+20. Empoderar Mulheres. Empoderar a Humanidade. Imagine! Tótens Pequim + 20. Tótem 01 Painel 01. Cliente ONU Mulheres A RICCHIERO FILHO

Pequim+20. Empoderar Mulheres. Empoderar a Humanidade. Imagine! Tótens Pequim + 20. Tótem 01 Painel 01. Cliente ONU Mulheres A RICCHIERO FILHO Pequim+20 Empoderar Mulheres. Empoderar a Humanidade. Imagine! Tótem 01 Painel 01 Pequim+20 A exposição Pequim+20 foi inspirada nos 12 temas prioritários da Plataforma de Ação de Pequim, documento resultante

Leia mais

Preconceito é um juízo preconcebido, manifestado geralmente na forma de uma atitude discriminatória contra pessoas, lugares ou tradições diferentes

Preconceito é um juízo preconcebido, manifestado geralmente na forma de uma atitude discriminatória contra pessoas, lugares ou tradições diferentes Preconceito é um juízo preconcebido, manifestado geralmente na forma de uma atitude discriminatória contra pessoas, lugares ou tradições diferentes daqueles que consideramos nossos. Costuma indicar desconhecimento

Leia mais

Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a).

Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a). 1 Ofício nº 01/2015 - CDS - OAB/BLUMENAU Aos(as) Excelentíssimos(as) Vereadores(as) de Blumenau. Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a). Conforme se denota do sítio eletrônico,

Leia mais

CONSELHO INTERACÇÃO. Declaração Universal dos Deveres do Homem. Setembro de 1997. Criado em 1983. InterAction Council

CONSELHO INTERACÇÃO. Declaração Universal dos Deveres do Homem. Setembro de 1997. Criado em 1983. InterAction Council CONSELHO INTERACÇÃO Criado em 1983 Declaração Universal dos Deveres do Homem Setembro de 1997 InterAction Council Declaração Universal dos Deveres do Homem Preâmbulo Considerando que o reconhecimento da

Leia mais

Canadá. Você sabia que... Alguns fatos sobre o meu país. Leia a nossa história e descubra...

Canadá. Você sabia que... Alguns fatos sobre o meu país. Leia a nossa história e descubra... Canadá Você sabia que... Os indivíduos e as comunidades têm o direito a exprimir as próprias opiniões e a participar, com os governos locais, na tomada de decisões e ações que afetem o seu direito à alimentação.

Leia mais

Prova bimestral. Língua portuguesa. 2 o Bimestre 4 o ano. 1. Leia o texto.

Prova bimestral. Língua portuguesa. 2 o Bimestre 4 o ano. 1. Leia o texto. Material elaborado pelo Ético Sistema de Ensino Ensino fundamental Publicado em 2012 Prova bimestral 2 o Bimestre 4 o ano Língua portuguesa Data: / / Nível: Escola: Nome: 1. Leia o texto. Daniel Wiedemann/shutterstock

Leia mais

CONVENÇÃO INTERAMERICANA PARA PREVENIR, PUNIR E ERRADICAR A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER, CONVENÇÃO DE BELÉM DO PARÁ

CONVENÇÃO INTERAMERICANA PARA PREVENIR, PUNIR E ERRADICAR A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER, CONVENÇÃO DE BELÉM DO PARÁ CONVENÇÃO INTERAMERICANA PARA PREVENIR, PUNIR E ERRADICAR A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER, CONVENÇÃO DE BELÉM DO PARÁ (Adotada em Belém do Pará, Brasil, em 9 de junho de 1994, no Vigésimo Quarto Período Ordinário

Leia mais

ÍNDIOS NO BRASIL. Cristina Langendorf Luciana Catardo

ÍNDIOS NO BRASIL. Cristina Langendorf Luciana Catardo ÍNDIOS NO BRASIL Cristina Langendorf Luciana Catardo AS PRIMEIRAS IMPRESSÕES Eram pardos, todos nus, sem coisa alguma que lhes cobrissem as suas vergonhas. Traziam nas mãos arcos e setas. Historiadores

Leia mais

Estímulo Experimental: Texto para filmagem dos discursos políticos (Brasil Thad Dunning)

Estímulo Experimental: Texto para filmagem dos discursos políticos (Brasil Thad Dunning) Estímulo Experimental: Texto para filmagem dos discursos políticos (Brasil Thad Dunning) DISCURSOS 1, 2, 3 e 4 sem mensagem de raça ou classe (o texto do discurso é para ser lido duas vezes por cada ator,

Leia mais

DECRETO Nº 1.973, DE 1º DE AGOSTO DE 1996. (Publicado no D.O.U. de 02.08.1996)

DECRETO Nº 1.973, DE 1º DE AGOSTO DE 1996. (Publicado no D.O.U. de 02.08.1996) DECRETO Nº 1.973, DE 1º DE AGOSTO DE 1996. (Publicado no D.O.U. de 02.08.1996) Promulga a Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher, concluída em Belém do Pará,

Leia mais

DISCURSO PELA PASSAGEM DO DIA DO ÍNDIO

DISCURSO PELA PASSAGEM DO DIA DO ÍNDIO DISCURSO PELA PASSAGEM DO DIA DO ÍNDIO Excelentíssimo Senhor Presidente da Câmara dos Deputados, em nome de quem cumprimento os demais integrantes da Mesa Diretora dessa Casa. Senhores e senhoras parlamentares

Leia mais

PEDAGOGIA TERENA X PEDAGOGIA URBANA: O que eu professor preciso saber da Pedagogia Terena para atuar no espaço escolar indígena multicultural.

PEDAGOGIA TERENA X PEDAGOGIA URBANA: O que eu professor preciso saber da Pedagogia Terena para atuar no espaço escolar indígena multicultural. PEDAGOGIA TERENA X PEDAGOGIA URBANA: O que eu professor preciso saber da Pedagogia Terena para atuar no espaço escolar indígena multicultural. Por SHIRLEY VILHALVA - Surda / Professora Técnica do CAS/SED/MS

Leia mais

ATIVIDADE DE ESTUDOS SOCIAIS 3ª S SÉRIES A-B-C-D

ATIVIDADE DE ESTUDOS SOCIAIS 3ª S SÉRIES A-B-C-D Nome: n.º 3ª série Barueri, / / 2009 Disciplina: ESTUDOS SOCIAIS 1ª POSTAGEM ATIVIDADE DE ESTUDOS SOCIAIS 3ª S SÉRIES A-B-C-D Querido aluno, segue a orientação para esta atividade. - Ler com atenção, responder

Leia mais

AÇÕES SOCIOAMBIENTAIS EM DEFESA DOS DIREITOS DOS POVOS INDÍGENAS: A COMUNIDADE INDÍGENA TEKOHA YHOVY LOCALIZADA NO MUNICÍPIO DE GUAÍRA- PR

AÇÕES SOCIOAMBIENTAIS EM DEFESA DOS DIREITOS DOS POVOS INDÍGENAS: A COMUNIDADE INDÍGENA TEKOHA YHOVY LOCALIZADA NO MUNICÍPIO DE GUAÍRA- PR AÇÕES SOCIOAMBIENTAIS EM DEFESA DOS DIREITOS DOS POVOS INDÍGENAS: A COMUNIDADE INDÍGENA TEKOHA YHOVY LOCALIZADA NO MUNICÍPIO DE GUAÍRA- PR Gisele Kava 1 Natália Raquel Niedermayer 2 RESUMO: O trabalho

Leia mais

Aula 3 de 4 Versão Aluno

Aula 3 de 4 Versão Aluno Aula 3 de 4 Versão Aluno As Comunidades Indígenas Agora vamos conhecer um pouco das características naturais que atraíram essas diferentes ocupações humanas ao longo dos séculos para a Região da Bacia

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 285, DE 2006

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 285, DE 2006 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 285, DE 2006 Autoriza o Poder Executivo a criar o Programa Cantando as Diferenças, destinado a promover a inclusão social de grupos discriminados e dá outras providências. O

Leia mais

Aprendendo Conceitos sobre Gênero e Sexo. Você Sabia

Aprendendo Conceitos sobre Gênero e Sexo. Você Sabia Aprendendo Conceitos sobre Gênero e Sexo Você Sabia Que o sexo de uma pessoa é dado pela natureza e por isso nascemos macho ou fêmea? Que o gênero é construído pelas regras da sociedade para definir, a

Leia mais

CONVENÇÃO INTERNACIONAL SOBRE A ELIMINAÇÃO DE TODAS AS FORMAS DE DISCRIMINAÇÃO RACIAL (DECRETO Nº 65.810, DE 8 DE DEZEMBRO DE 1969)

CONVENÇÃO INTERNACIONAL SOBRE A ELIMINAÇÃO DE TODAS AS FORMAS DE DISCRIMINAÇÃO RACIAL (DECRETO Nº 65.810, DE 8 DE DEZEMBRO DE 1969) Normas internacionais sistema global DECLARAÇÃO UNIVERSAL DE DIREITOS HUMANOS Art. 2º - Toda pessoa tem capacidade para gozar os direitos e as liberdades estabelecidas nesta Declaração, sem distinção de

Leia mais

A NOCIVIDADE DOS DESMATAMENTOS E QUEIMADAS

A NOCIVIDADE DOS DESMATAMENTOS E QUEIMADAS A NOCIVIDADE DOS DESMATAMENTOS E QUEIMADAS Mensagem do Ministério Público do Estado de Goiás O Ministério Público do Estado de Goiás MPGO tem a missão de defender a ordem jurídica, o regime democrático

Leia mais

Povos Indígenas e Desenvolvimento Sustentável:

Povos Indígenas e Desenvolvimento Sustentável: Justiça para os Povos Indígenas O Centro de Recursos Jurídicos para os Povos Indígenas Indian Law Resource Center é uma organização legal e de advocacy sem fins lucrativos criada e dirigida por índígenas

Leia mais

Entrevista com o antropólogo Luis Donisete Benzi Grupioni

Entrevista com o antropólogo Luis Donisete Benzi Grupioni 1 Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental 1, publicação mensal da Editora Lua ( entrevista do mês da edição de abril de 2009. Ano 06, No. 62). ISBN 1679-9879. Entrevista com o antropólogo Luis

Leia mais

que se viver com dignidade, o que requer a satisfação das necessidades fundamentais. O trabalho é um direito e um dever de todo cidadão.

que se viver com dignidade, o que requer a satisfação das necessidades fundamentais. O trabalho é um direito e um dever de todo cidadão. Osdireitosdohomemedocidadãonocotidiano (OscarNiemeyer,1990) "Suor, sangue e pobreza marcaram a história desta América Latina tão desarticulada e oprimida. Agora urge reajustá-la num monobloco intocável,

Leia mais

Setembro/2015. Novas Doações do Prof. Charles Bicalho!

Setembro/2015. Novas Doações do Prof. Charles Bicalho! Setembro/2015 Novas Doações do Prof. Charles Bicalho! PRÊMIO Culturas Indígenas. Brasília: Ministério da Cultura; São Paulo: Sesc SP, 2007- v. MÕGMÕKA yõgkutex. Belo Horizonte: INCTI (Instituto de Inclusão

Leia mais

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA Clodoaldo Meneguello Cardoso Nesta "I Conferência dos lideres de Grêmio das Escolas Públicas Estaduais da Região Bauru" vamos conversar muito sobre política.

Leia mais

Apresentação. Dr. Hédio Silva Jr. Adv. e Dir. Ex. do Centro de Estudos das Relações do Trabalho e Desigualdades

Apresentação. Dr. Hédio Silva Jr. Adv. e Dir. Ex. do Centro de Estudos das Relações do Trabalho e Desigualdades Apresentação Quando falamos em uma sociedade mais justa e igualitária, quando falamos em democracia, não temos como ignorar o livre exercício de crença de cada cidadão. A intolerância religiosa não é algo

Leia mais

Considerando ser essencial promover o desenvolvimento de relações amistosas entre as nações,

Considerando ser essencial promover o desenvolvimento de relações amistosas entre as nações, A Declaração Universal dos Direitos Humanos é um dos documentos básicos das Nações Unidas e foi assinada em 1948. Nela, são enumerados os direitos que todos os seres humanos possuem. Preâmbulo Considerando

Leia mais

DATAS COMEMORATIVAS. FESTAS JUNINAS 12 de junho Santo Antônio 24 de junho São João 29 de junho São Pedro

DATAS COMEMORATIVAS. FESTAS JUNINAS 12 de junho Santo Antônio 24 de junho São João 29 de junho São Pedro FESTAS JUNINAS 12 de junho Santo Antônio 24 de junho São João 29 de junho São Pedro As festas juninas fazem parte da tradição católica, mas em muitos lugares essas festas perderam essa característica.

Leia mais

Usos e Costumes. Nos Dias Atuais TIAGO SANTOS

Usos e Costumes. Nos Dias Atuais TIAGO SANTOS Usos e Costumes Nos Dias Atuais TIAGO SANTOS [ 2 ] Prefácio Nos dias atuais temos visto muitas mudanças de paradigmas nos regulamentos internos de nossas instituições. Isso tem ocorrido pela demanda de

Leia mais

BASE LEGAL PARA A INCLUSÃO DO/A ALUNO/A COM DEFICIÊNCIA. Docente responsável: Profa. Dra. Neiza de Lourdes Frederico Fumes CEDU/UFAL

BASE LEGAL PARA A INCLUSÃO DO/A ALUNO/A COM DEFICIÊNCIA. Docente responsável: Profa. Dra. Neiza de Lourdes Frederico Fumes CEDU/UFAL UNIDADE DE APRENDIZAGEM 4 BASE LEGAL PARA A INCLUSÃO DO/A ALUNO/A COM DEFICIÊNCIA Docente responsável: Profa. Dra. Neiza de Lourdes Frederico Fumes CEDU/UFAL Objetivo Conhecer os diferentes instrumentos

Leia mais

PROJETO MUTAÇÕES: Cada um na sua, mas todos ligados em rede O mundo e o planeta Urbanização e cidades Globalização: o mundo em toda parte

PROJETO MUTAÇÕES: Cada um na sua, mas todos ligados em rede O mundo e o planeta Urbanização e cidades Globalização: o mundo em toda parte PROJETO MUTAÇÕES: O início do século XXI impressiona não apenas pelo volume das mudanças que se efetivaram em todos os campos da ação humana, mas também na velocidade com que elas têm se processado. Em

Leia mais

Declaração sobre a raça e os preconceitos raciais

Declaração sobre a raça e os preconceitos raciais Declaração sobre a raça e os preconceitos raciais Aprovada e proclamada pela Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, reunida em Paris em sua 20.º reunião,

Leia mais

Campo Grande, 08 de outubro de 2015

Campo Grande, 08 de outubro de 2015 Campo Grande, 08 de outubro de 2015 Deus enxugará toda a lágrima de seus olhos, pois nunca mais haverá morte, nem luto, nem clamor, e nem dor haverá mais. Sim! As coisas antigas se foram! (Ap. 21.4) Nhanderu

Leia mais

CONFERÊNCIA MUNDIAL SOBRE OS DIREITOS DO HOMEM Viena, 14-25 de Junho de 1993

CONFERÊNCIA MUNDIAL SOBRE OS DIREITOS DO HOMEM Viena, 14-25 de Junho de 1993 CONFERÊNCIA MUNDIAL SOBRE OS DIREITOS DO HOMEM Viena, 14-25 de Junho de 1993 DECLARAÇÃO DE VIENA E PROGRAMA DE ACÇÃO Nota do Secretariado Em anexo encontra-se o texto da Declaração de Viena e do Programa

Leia mais

BANDEIRA NACIONAL: IDENTIDADE BRASILEIRA

BANDEIRA NACIONAL: IDENTIDADE BRASILEIRA SAUDAÇÃO À BANDEIRA 2009 NOVEMBRO/2009 BANDEIRA NACIONAL: IDENTIDADE BRASILEIRA Assim como nós, cidadãos, temos documentos para sermos identificados onde quer que estejamos, como brasileiros temos nossa

Leia mais

Ensino Fundamental I. Relações Étnico-raciais, Diversidade e Cotidiano Escolar PRIMEIRO LUGAR

Ensino Fundamental I. Relações Étnico-raciais, Diversidade e Cotidiano Escolar PRIMEIRO LUGAR Relações Étnico-raciais, Diversidade e Cotidiano Escolar Um currículo voltado para as relações étnico-raciais e para a diversidade efetiva o direito de expressar subjetividades, de construir identidades

Leia mais

ATIVIDADES PARA O DIA DO ÍNDIO 19 DE ABRIL

ATIVIDADES PARA O DIA DO ÍNDIO 19 DE ABRIL ATIVIDADES PARA O DIA DO ÍNDIO 19 DE ABRIL Pintura facial pg. 02 Saia indígena pg. 02 Dança indígena pg. 02 Passeio pela floresta pg. 02 Modelo de cocar para o do livro Natureza e Sociedade 5 anos pg.

Leia mais

Como utilizar este caderno

Como utilizar este caderno INTRODUÇÃO O objetivo deste livreto é de ajudar os grupos da Pastoral de Jovens do Meio Popular da cidade e do campo a definir a sua identidade. A consciência de classe, ou seja, a consciência de "quem

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO Justiça Federal de 1ª Instância Seção Judiciária da Bahia 4ª Vara Federal! "#$#% $ %!#$&#'#% $%()*!% +,#% -$%.

PODER JUDICIÁRIO Justiça Federal de 1ª Instância Seção Judiciária da Bahia 4ª Vara Federal! #$#% $ %!#$&#'#% $%()*!% +,#% -$%. ! "#$#% $ %!#$&#'#% $%(*!% +,#% -$%.#% +,#% $0#$##! "#"""$"" %&'( * +!,-. ( ( #" %. 0.. 1 2 345*67$$ 8489*85:7;# :884?= =>8 *67$$$@ A @ B 48#8 C8 @ D 0 41EF * G H 2 0 * A I % H ( 2.! H H 2 (. 0. J

Leia mais

REGISTRE SEUS DADOS ESCOLA: ALUNO: Prezados alunos e professores!

REGISTRE SEUS DADOS ESCOLA: ALUNO: Prezados alunos e professores! 1 Prezados alunos e professores! O livro Somos os Senhores do Planeta é fruto de um trabalho didático que tem por objetivo reunir em uma única publicação temas sobre o meio ambiente, são textos de fácil

Leia mais

Projeto Meu Brasil Brasileiro

Projeto Meu Brasil Brasileiro 1 Projeto Meu Brasil Brasileiro 1.0 - APRESENTAÇÃO O presente projeto será realizado pelos estudantes da Escola Carpe Diem de forma transdisciplinar, sob a orientação do corpo docente como objeto de estudo

Leia mais

NOVOS INSTRUMENTOS PERMITEM CONCRETIZAR DIREITOS HUMANOS NO STF E STJ

NOVOS INSTRUMENTOS PERMITEM CONCRETIZAR DIREITOS HUMANOS NO STF E STJ NOVOS INSTRUMENTOS PERMITEM CONCRETIZAR DIREITOS HUMANOS NO STF E STJ (Conjur, 10/12/2014) Alexandre de Moraes Na luta pela concretização da plena eficácia universal dos direitos humanos o Brasil, mais

Leia mais

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS. UNIC / Rio / 005 - Dezembro 2000

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS. UNIC / Rio / 005 - Dezembro 2000 DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS UNIC / Rio / 005 - Dezembro 2000 DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS Preâmbulo Considerando que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros

Leia mais

Cartilha da CRianca e do adolescente

Cartilha da CRianca e do adolescente Cartilha da CRianca e do adolescente Mais um dia vivido pela familia Brasilino Oi, pessoal, cheguei! Oi, filho, tudo bem? Hum... que cheiro bom! Tô morrendo de fome! Vou lá dentro lavar as mãos, guardar

Leia mais

Antes, o mundo não existia Ailton Krenak

Antes, o mundo não existia Ailton Krenak Antes, o mundo não existia Ailton Krenak Os intelectuais da cultura ocidental escrevem livros, fazem filmes, dão conferências, dão aulas nas universidades. Um intelectual, na tradição indígena, não tem

Leia mais