Construindo o Plano Municipal de Cultura

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Construindo o Plano Municipal de Cultura"

Transcrição

1 Prefeitura Municipal de Fortaleza Secretaria de Cultura de Fortaleza (SECULTFOR) Relatório Final da IV Conferência Municipal de Cultura: Construindo o Plano Municipal de Cultura Fortaleza, 27 de novembro de 2011.

2 EIXO I MEMÓRIA E PATRIMÔNIO CULTURAL: Diretriz 01: Mapear e registrar o Patrimônio Cultural material e imaterial de Fortaleza em todas as suas possibilidades de expressões e garantir acesso amplo e irrestrito ao material coletado. Proposta 1: Criar, fomentar e subsidiar um banco de dados virtual (em plataforma digital livre) e publicações impressas continuas para divulgação das memórias, das tradições, dos saberes e fazeres da cultura popular e tradicional e bens históricos edificados em Fortaleza. Proposta 2: Capacitar os indivíduos, grupos e comunidades praticantes de culturas populares e tradicionais para que eles próprios realizem ações de mapeamento de suas manifestações. Proposta 3: Garantir recursos e um corpo técnico especializado em Patrimônio Cultural material e imaterial, que capacite os indivíduos, grupos e comunidades envolvidos na realização dos registros e de sua atualização. Diretriz 02: Fomentar e promover ações para educação patrimonial garantindo cursos e atividades em museus, escolas, instituições culturais e nos bairros de modo a sensibilizar a população para a valorização do patrimônio cultural. Proposta 1: Criação do Programa de Educação em Patrimônio em parceria com as instituições de ensino, objetivando o conhecimento e valorização do patrimônio cultural material e imaterial da cidade de Fortaleza. Proposta 2: Fomentar ações educativas e de pesquisa nas instituições culturais, a partir do conceito de patrimônio integral, voltadas para a promoção da cidadania e ação social. Proposta 3: Incentivar e promover visitas reciprocas e de forma continuada às escolas municipais e aos mestres da cultura popular tradicional reconhecidos por suas comunidades, assegurando recursos para a efetivação das ações. Diretriz 03: Garantir uma política de preservação dos bens patrimonializados materiais e imateriais.

3 Proposta 1: Realizar de forma permanente e sistemática estudos técnicos relacionados aos bens de interesse patrimonial. Proposta 2: Assegurar recursos para desenvolvimento de projetos para restauro, uso e conservação. Proposta 3: Criar mecanismos e parcerias com outras instituições socioculturais, para sensibilizar e conscientizar a sociedade civil da relevância histórica destes bens. Diretriz 04: Assegurar recursos financeiros para projetos de memória histórica e garantir a criação de programas de arte em suas diferentes linguagens (dança, teatro, circo, cinema/audiovisual, artes visuais, fotografia e cultura popular) como instrumento de transmissão e preservação da identidade cultural. Proposta 1: Promover, financiar e apoiar projetos de cultura popular em todas as linguagens artísticas, mediante realização de oficinas, mostras, apresentações, festivais e concessão de prêmios às pessoas idosas. Proposta 2: Estimular e fomentar processos de musealização comunitária que garanta a autonomia dos grupos e entidades locais na gestão museal. Diretriz 05: Valorizar o patrimônio cultural (material e imaterial) do município de Fortaleza expresso através dos seus mestres, de suas manifestações folclóricas e religiosas da cultura popular e tradicional, seus saberes e fazeres reconhecidos em suas comunidades como perpetuadores de suas tradições culturais. Proposta 1: Ampliação do calendário cultural da cidade de Fortaleza, inserindo o Dia do Patrimônio Municipal. Diretriz 06: Efetivar a criação do Museu da Cidade, vinculado a Secretaria da Cultura de Fortaleza. Proposta 1: Definir espaço com infraestrutura adequada e corpo técnico especializado para o funcionamento do equipamento. Proposta 2: Garantir recursos para o pleno funcionamento do Museu. Diretriz 07: Estimular a criação, revitalização e manutenção de centros de exibição audiovisual nos bairros.

4 Proposta 1: Promover políticas públicas que visem aprimorar a distribuição e acesso a conteúdos audiovisuais brasileiros mediante a criação, revitalização e manutenção de centros de exibição, estabelecendo meios para implementação de programas de construção, implantação, modernização e digitalização de salas de exibição em direção aos bairros da periferia da cidade, em espaços públicos e privados. Diretriz 08: Implantar o Sistema Municipal de Museus de Fortaleza, com dotação orçamentária própria, consolidando-o como veículo de participação social na gestão da política pública, articulado aos demais Sistemas e Redes de Museus. Proposta 1: Aprovar o Projeto de Lei de criação do Sistema Municipal de Museus de Fortaleza. Proposta 2: Garantir o funcionamento do Sistema Municipal de Museus de Fortaleza, vinculado a Secretaria da Cultura do Município, a partir de uma Coordenação específica. Diretriz 09: Criar a Coordenadoria Municipal de Museus, com dotação orçamentária própria, vinculada a Secretaria da Cultura de Fortaleza. Proposta 1: Garantir a inserção da Coordenadoria de Museus no organograma da Secretaria da Cultura de Fortaleza, por meio de Decreto Lei. Proposta 2: Garantir o funcionamento da Coordenadoria de Museus, vinculado a Secretaria da Cultura de Fortaleza. Diretriz 10: Promover programas de formação voltados aos profissionais na área de patrimônio histórico-cultural material e imaterial. Proposta 1: Articular junto as instituições de ensino a criação de cursos de formação em nível superior, técnico e profissionalizante, bem como a qualificação de profissionais nas áreas de restauração e preservação de bens móveis, imóveis e integrados. Diretriz 11: Regularização dos instrumentos legais de proteção do Patrimônio Histórico. Proposta 1: Normatizar e regulamentar a transferência do direito de construir previsto no estatuto da cidade.

5 Proposta 2: Criar instrumentos legais de adaptação da Lei de Uso e Ocupação do Solo e o Código de Obras e Posturas às questões do patrimônio histórico. Diretriz 12: Implementação de ações que despertem o sentimento de pertencimento da população para com a cidade. Proposta 1: Criação de Edital, nas diversas linguagens artísticas, com o tema Patrimônio Histórico de Fortaleza visando ação concreta de Educação Patrimonial. Proposta 2: Criação do selo Amigo do Patrimônio para empresas e profissionais da construção civil, empresas privadas, entidades de caráter público ou privado que de alguma forma estimulem ou adotem os conceitos de preservação. Recomendação: A denominação do eixo um está superada juridicamente e incompleta, sendo correta a denominação Patrimônio Cultural. O eixo estaria mais bem denominado como Memoria e Patrimônio Cultural. EIXO II - GESTÃO E INSTITUCIONALIDADE: Diretriz 01: Garantir a criação, consolidação e funcionamento dos Sistemas Setoriais de Cultura de Fortaleza, destinando dotações orçamentárias específicas para os diversos setores e linguagens. Proposta 1: Implantar os Planos Setoriais para cada linguagem artística-cultural. Proposta 2: Replicar, em nível municipal, os sistemas nacionais, com dotação orçamentária. Diretriz 02: Garantir a criação, consolidação e funcionamento de um Sistema Municipal de Equipamentos Culturais de Fortaleza, vinculado a Secretaria da Cultura do Município, com dotação orçamentária específica. Proposta 1: Desenvolver atividades de cultura nos espaços e equipamentos culturais das regionais, com destaque para os bens tombados, promovendo a inclusão e a descentralização das politicas de cultura. Proposta 2: Garantir a manutenção de espaços alternativos voltados para a produção cultural, através de financiamento por meio de editais, convênios ou leis de incentivo. Proposta 3: Garantir a apropriação e ocupação dos espaços ociosos da prefeitura, pelos grupos, coletivos culturais e artistas independentes e acervos de museus comunitários.

6 Proposta 4: Incluir os Centros de Cidadania, Praças da Juventude, Cucas e outros espaços, no Sistema Municipal de Equipamentos culturais. Proposta 5: Processo transparente de seleção pública dos gestores de equipamentos e espaços culturais, feita por critérios de mérito profissional e reconhecimento comprovado na área de atuação; Proposta 6: Garantir a aplicação da Lei de Resíduos Sólidos nos equipamentos culturais e eventos promovidos e apoiados pela Prefeitura de Fortaleza. Diretriz 03: Desenvolver uma politica intersetorial entre a cultura e os direitos humanos, no sentido de desenvolver ações afirmativas com os setores socialmente vulneráveis. Proposta 1: Garantir dotação orçamentária específica para ações culturais que envolvam a cultura e os direitos humanos. Proposta 2: Garantir a acessibilidade de crianças e adolescentes, pessoas com deficiência, idosos e idosas e pessoas com mobilidade reduzida aos equipamentos culturais da cidade, bem como aos projetos sociais. Proposta 3: Incluir as ações relacionadas aos direitos humanos, movimentos de identidade e diversidade cultural, no calendário Cultural de Fortaleza. Diretriz 04: Garantir a criação, consolidação e funcionamento do Sistema Municipal de Informação e Indicadores Culturais. Proposta 1: Criar dotação orçamentária específica para efetivação do levantamento de informações e indicadores culturais, por meio do mapeamento cultural de Fortaleza e outras atividades. Proposta 2: Estabelecer meios físicos e digitais para a publicização e levantamento das informações, tornando permanente o processo de mapeamento artístico cultural da cidade. Proposta 3: Disponibilizar as informações sobre organograma, leis, orçamento, calendário de atividades da cultura, cursos e oficinas de maneira mais clara e acessível, por todos os meios possíveis. Proposta 4: Utilizar os dados do Sistema Municipal de Informações e indicadores Culturais, para nortear as políticas públicas para a cultura. Diretriz 05: Consolidar um Calendário Cultural para a cidade de Fortaleza. Proposta 1: Realizar o mapeamento da programação cultural da cidade, a partir do sistema de informações e indicadores culturais.

7 Proposta 2: Utilizar as informações do SIIC e de outras fontes para organizar a ocupação dos espaços e equipamentos públicos e de uso comunitário de Fortaleza. Proposta 3: Garantir a regularidade na realização dos eventos estruturantes do Calendário Cultural de Fortaleza e projetos em parceria com instituições, coletivos e redes associativas. Proposta 4: Assegurar a criação de novos eventos a partir das demandas setoriais, para compor o calendário cultural de fortaleza. Proposta 5: Consolidação dos circuitos de linguagens: Música, Teatro, Artes Cênicas, Audiovisual e todos os outros. Proposta 6: Garantir a participação dos artistas de Fortaleza nos grandes eventos realizados pela Prefeitura. Proposta 7: Garantir a realização anual de editais para as diversas linguagens artísticas culturais, de modo a fortalecer e consolidar as atividades do Calendário Cultural da cidade. Diretriz 06: Garantir que na realização de eventos culturais, a PMF não contrate projetos artísticos que apoiem e estimulem a depreciação da imagem do ser humano, a partir das opressões sociais existentes. Proposta 1: Promoção de campanhas sócio educativas acerca da conscientização do motivo da não contratação de bandas ou grupos culturais que possuam abordagens preconceituosas ou que referendem a violência contra a imagem do ser humano. Proposta 2: Assegurar igualdade entre mulheres e homens no processo de contratação e na remuneração de profissionais para os eventos culturais promovidos pela PMF. Diretriz 07: Descentralização das ações culturais na cidade. Proposta 1: Priorizar ações do calendário cultural e histórico de Fortaleza, levando em conta os bairros de menor IDH. Proposta 2: Garantir que todas as SER s estejam contempladas no Calendário Cultural de Fortaleza, através da articulação com os Distritos de Cultura de cada regional. Diretriz 08: Revisão da composição e das atribuições do Conselho Municipal de Políticas Culturais (CMPC). Proposta 1: Criar Conselhos Locais de Cultura nas regionais, com assento no CMPC. Proposta 2: Divulgação das atividades do CMPC, de maneira clara, transparente e atualizada, facilitando o entendimento do processo de escolha dos conselheiros, a forma de organização e os nomes de todos os membros.

8 Diretriz 09: Garantir a criação e aplicação do Fundo Municipal de Cultura Proposta 1: Monitorar, através do CMPC e da SECULTFOR, a aplicação do Fundo Municipal de Cultura. Diretriz 10: Assegurar a manutenção dos programas e projetos da SECULTFOR, com a regularidade anual do lançamento dos editais, criando mecanismos de atualização e reajuste dos valores relativos às especificidades de cada linguagem. Proposta 1: Garantir a contínua atualização financeira dos recursos destinados aos editais da SECULTFOR para as diversas linguagens. Diretriz 11: Fomento e fortalecimento da articulação entre as secretarias e órgãos municipais com o objetivo de implementar, consolidar e solidificar ações e projetos artísticos e culturais, enfatizando a cooperação e sintonia na formulação de políticas públicas para a cultura. Proposta 1: Consolidar as parcerias entre todas as secretarias e coordenadorias da PMF, garantindo a intersetorialidade dos diversos programas de formação em linguagens artísticas, a exemplo do Dançando na Escola. Diretriz 12: Reelaborar os modelos de inscrição aplicados nos editais de cultura da PMF, tornando-os mais acessíveis à população. Proposta 1: Garantir a utilização, nos editais de cultura da PMF, de linguagem mais clara, objetiva e acessível aos diversos públicos da cidade, especialmente os de baixa escolaridade. Proposta 2: Para a inscrição em editais, assegurar a possibilidade da apresentação de projetos através de outras formas além do texto escrito, em sistemas digitais integrados (como o Siconv, do Gov. Federal), possibilitando inclusive a utilização de relato audiovisual ou oral. Proposta 3: Garantir a elaboração de uma seleção/concurso/edital voltados para divulgação, circulação e valorização da produção do servidor artista (servidores de carreira, terceirizados, comissionados). Diretriz 13: Estabelecer e assegurar a regularidade da Política de Editais para a Cultura, com a criação de mecanismos de atualização e reajuste dos valores relativos às especificidades das diversas linguagens e expressões culturais. Proposta 1: Reavaliar a política de editais para a cultura, buscando contemplar as demandas de experimentação, pesquisa e formação cultural, para todas as áreas.

9 Proposta 2: Estabelecer critérios claros para a seleção de avaliadores dos editais, garantindo a participação de representantes especialistas indicados por entidades, coletivos e grupos das diversas linguagens. Proposta 3: Garantir, através de regulamentação específica, uma política de atualização regular dos valores das premiações e remunerações dos editais para a cultura. Diretriz 14: Revisar e Reestruturar o modelo organizacional da Secretaria de Cultura de Fortaleza, definindo de maneira clara seu organograma e garantindo a criação de cargos efetivos e adequados a todas as áreas de conhecimento e linguagens. Proposta 1: Realização de concursos públicos para contratação de funcionários efetivos, levando em consideração a diversidade de linguagens e áreas da cultura. Proposta: Definir equipe técnica para atuar junto a cada coordenação de linguagens. Proposta 2: Realizar, dentro do Conselho Municipal de Políticas Culturais, reuniões específicas anuais para avaliação e revisão da estrutura da Secretaria de Cultura de Fortaleza levando em consideração as demandas dos fóruns, câmaras setoriais, indivíduos e coletivos para a criação de coordenações de linguagem em consonância com as representações no Conselho. Proposta 3: Consolidar as parcerias entre secretarias e coordenadorias da PMF para a realização de atividades de formação e difusão das linguagens artísticas e culturais. Proposta 4: Redefinir a estrutura organizacional, técnica e física da Coordenação de Patrimônio Histórico e Cultural, criando dotações orçamentárias adequadas para o seu bom funcionamento. Diretriz 15: Institucionalizar uma política voltada à gestão e preservação do Patrimônio Histórico de Fortaleza. Proposta 1: Regulamentar as poligonais de proteção ao patrimônio histórico existentes como ZEPH S (Zonas especiais de Patrimônio Histórico) dentro do Plano Diretor de Fortaleza e implantar política específica de acautelamento nas áreas tombadas e elaborar diretrizes para gestão do patrimônio histórico-cultural. Proposta 2: Garantir a aplicação da Lei 8.221/98, através da implementação de uma política continuada de despoluição visual da cidade, executando o cabeamento subterrâneo das fiações com foco nas paisagens culturais, em especial no centro. Diretriz 16: Garantir a criação, consolidação e funcionamento de um Programa Municipal de Formação Cultural, destinando dotação orçamentária específica para este fim.

10 Proposta 1: Institucionalizar a Vila das Artes, garantindo dotação orçamentária específica e apropriada, a fim de proporcionar a ampliação e manutenção de seus programas de formação. Diretriz 17: Criar um Distrito de Cultura em cada Secretaria Executiva Regional, vinculados à SECULTFOR, garantindo dotação orçamentária específica para o seu funcionamento. Proposta 1: Garantir destinação de orçamento do Fundo Municipal de Cultura para a criação e a manutenção do setor de cultura das SER s com suas respectivas ações. Proposta 2: Articular os Distritos de Cultura com a comunidade, através dos Conselhos Locais de Políticas Culturais, contemplando os vários segmentos sociais/culturais da cidade, nas decisões relativas às políticas culturais. Proposta 3: Direcionar programas de formação da Vila das Artes para as Secretarias Executivas Regionais, através de seus distritos de cultura. Diretriz 18: Promover a formação continuada de gestores públicos e comunitários para a implementação de políticas públicas de cultura. Proposta 1: Realizar cursos de curta duração para gestores que atuam em diversos níveis da cultura, principalmente os da área financeira. Proposta 2: Incentivar a formação de lideranças nas organizações, através de formação em educação de jovens e adultos. Proposta 3: Implementar uma gestão compartilhada de preservação e valorização da cultura, entre as secretarias, coordenadorias e departamentos municipais, bem como os agentes culturais, mestres da cultura e sociedade civil. EIXO III - CULTURA E DESENVOLVIMENTO: Diretriz 01: Criação de tabela de valores referenciais mínimos, em diálogo com as categorias artísticas, a partir de pesquisa de mercado, referenciais nacionais, locais e de entidades sindicais para contratação e aquisição de serviços, produtos e estrutura voltados às ações artísticas e culturais promovidas pela Prefeitura Municipal de Fortaleza, bem como para a contratação via editais de artistas, produtores, técnicos e demais profissionais respeitando as competências técnicas dos agentes envolvidos, e especificidades de cada ação a ser realizada, garantindo equidade de tratamento a todos.

11 Recomendação: Definir junto com os mestres e grupos populares tabela de remuneração para apresentações em eventos promovidos pela Prefeitura Municipal de Fortaleza, levando em consideração tempo de existência dos grupos, quantidade de brincantes e tempo de apresentação. Proposta 1: Garantir o pagamento de cachês aos artistas e grupos locais contratados, via editais ou não, no ato da realização da apresentação, do modo como é feito com os demais artistas nacionais, assegurando também o pagamento de prêmios e recursos de editais pelo menos 30 (trinta) dias antes do inicio da atividade a que o edital diz respeito. Diretriz 02: Consolidação e ampliação de mecanismos para financiamento à produção (criação, difusão, manutenção, pesquisa, etc.) em todas as linguagens/expressões artísticas, com aumento exponencial dos recursos. Proposta 1: Fomentar a criação de microcrédito para produtores artísticos e culturais de pequeno e médio porte e de linhas de créditos especiais para projetos de formação, produção e difusão em todas as linguagens artísticas e culturais. Proposta 2: Assegurar a participação de representantes especialistas indicados por entidades de cada linguagem nas comissões de avaliação dos seus respectivos projetos e programas municipais de fomento. Diretriz 03: Garantir a implementação e o pleno funcionamento do Sistema Municipal de Fomento à Cultura, que é composto pelo Fundo Municipal de Cultura - sendo este dividido em Fundos Setoriais - pelas Leis Municipais de Incentivo à Cultura, pelo Sistema Municipal de Informações e Indicadores Culturais e pelo Cadastro Cultural de Fortaleza, entendendo a Cultura como fator de inclusão social e de desenvolvimento local, de forma a promover a cidadania cultural. Recomendação: Todas as ações de fomento à Cultura desenvolvida pela PMF devem ser orientadas conforme a política nacional de direitos humanos, que contempla os segmentos LGBT, Igualdade Racial, Idosos, Infância e Adolescência, Juventude, Mulheres e Pessoas com Deficiência.

12 Proposta 1: Garantir que o acesso aos recursos do Fundo Municipal de Cultura se dará através de Editais Públicos, lançados anualmente pela Secretaria de Cultura de Fortaleza (SECULTFOR). Proposta 2: Garantir consultoria, assessoria e processos de formação e capacitação, como oficinas, referentes à elaboração de projetos para participação em editais, bem como o aprimoramento da redação e da linguagem expressa nos textos dos Editais Públicos lançados pela Secretaria de Cultura de Fortaleza SECULTFOR de forma a facilitar sua compreensão e entendimento, favorecendo a desburocratização dos editais e ampliando a sua acessibilidade. Proposta 3: Garantir o aumento da dotação orçamentária do município de 1 (um) para 2 (dois) % (por cento) para a Cultura. Diretriz 04: Criação e aplicação de leis específicas apropriadas que regulamente a prestação de contas diferenciadas das ações de fomento do município, dos setores artísticos e cultural. Proposta 1: Assegurar a redução de alíquotas, especialmente em relação ao ISS, especificamente para artistas, produtores, organizações culturais sem fins lucrativos e empresas de pequeno porte atuantes no campo da cultura. Proposta 2: Encaminhar junto aos órgãos competentes a atualização e aplicação efetiva da Lei 6045/1985, que visa a destinação de todos os recursos do ISS arrecadado das salas de cinema comerciais de Fortaleza, à criação de um Fundo Municipal de Cinema, com o objetivo de fomentar a realização em audiovisual e a criação e a manutenção de cineclubes. Diretriz 05: Implantar um programa municipal de Economia da Cultura para a cidade de Fortaleza. Proposta 1: Implantar um Sistema de Informações e Indicadores referentes à Economia da Cultura na cidade de Fortaleza, incluindo os necessários mapeamentos para tal, assegurando atualização permanente deste sistema e a utilização do mesmo para a implantação das políticas públicas culturais.

13 Proposta 2: Fomentar a criação e o fortalecimento de incubadoras de atividades referentes à Economia Criativa em Fortaleza, objetivando a oferta de serviços de assessoria, consultoria e estruturação para o desenvolvimento dessas atividades. Diretriz 06: Garantir a criação, a manutenção e a modernização de equipamentos e espaços públicos voltados às manifestações artísticas e culturais, prioritariamente nos bairros e comunidades de baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), obedecendo a legislação de acessibilidade (decreto 5296). Proposta 1: Garantir a ocupação cultural dos equipamentos e espaços públicos geridos pela PMF (como CRAS, Centros de Cidadania, Escolas da Rede Pública Municipal, CUCA s e Sedes das SER s), por todas as linguagens e expressões artísticas e culturais, via editais públicos e/ou demandas espontâneas. Proposta 2: Assegurar a disponibilização dos equipamentos e espaços públicos geridos pela PMF, através de editais públicos de seleção, para a utilização de artistas, grupos e/ou coletivos residentes, de forma a garantir a continuidade do seu fazer-artístico (ensaios, desenvolvimento da produção do artista/grupo/coletivo). Proposta 3: Estabelecer parcerias público-privadas em âmbito municipal, estadual e federal, buscando garantir a manutenção e a criação de equipamentos culturais para o município de Fortaleza, como os Centro Culturais do Banco do Brasil e dos Correios. Diretriz 07: Criar ações de difusão da produção cultural local, levando em conta o artesanato e as outras expressões artísticas e culturais, fomentando a criação e contribuindo na manutenção de feiras, exposições, e demais eventos e espaços ligados à economia criativa, reforçando também as iniciativas já existentes, como a dos trabalhadores do serviço público municipal. Proposta 1: Fortalecer a política de economia solidária incentivando o cooperativismo entre os segmentos atuantes no campo da cultura. Proposta 2: Criação de uma feira livre itinerante nos bairros e comunidades de Fortaleza, no formato de escambo, envolvendo a venda, compra e troca de produtos culturais de artistas residentes e atuantes no município de Fortaleza.

14 Proposta 3: Criação de um calendário oficial de eventos culturais da cidade de Fortaleza, envolvendo todas as linguagens e manifestações artísticas e culturais da cidade. Proposta 4: Garantia de recursos específicos do Fundo Municipal de Cultura para a realização dos eventos com o mínimo de três edições, a ser acessado por meio de demanda espontânea e aprovados pelo Conselho Municipal de Cultura. Diretriz 08: Ampliação dos programas de criação, pesquisa, difusão e fruição em todas as linguagens e manifestações artísticas e culturais, através de bolsas e editais de fomento, criação de seminários, eventos e festivais da área. Diretriz 09: Incentivar a publicação impressa e digital de obras literárias e de outras linguagens artísticas, que abordem temas transversais com foco na questão dos Direitos Humanos, visando a diversidade cultural e o pluralismo de identidades, assegurando também a constituição de um acervo físico e virtual. Proposta 1: Criação de acervo físico e virtual contendo as publicações de obras literárias e de outras linguagens/expressões artísticas que será mantido e atualizado de forma permanente pela SECULTFOR. EIXO IV ARTE E CULTURA: Diretriz 01: Garantir políticas e programas de formação contínua em arte e cultura para as diversas linguagens artísticas (audiovisual, dança, música, teatro, etc) a ser realizada nas escolas e equipamentos públicos municipais. Proposta 1: Garantir através de parceria entre a Secretaria Municipal de Educação e a Secretaria de Cultura de Fortaleza a implementação de programas que contemplem a iniciação e formação nas várias linguagens artísticas e arte-educação. Proposta 2: Utilizar os espaços das Escolas como lugares de difusão e estímulo a produção artístico-cultural, facilitando o acesso da comunidade às escolas. Proposta 3: Criar cursos de capacitação e aperfeiçoamento para arte-educadores.

15 Proposta 4: Consolidar e ampliar os programas de formação nas várias linguagens artísticas oferecidos pelos equipamentos culturais da Prefeitura de Fortaleza já existentes e outros a serem implementados, bem como de grupos, associações, entidades privadas e afins, através de parcerias. Proposta 5: Criação de programas e escolas voltados para a iniciação nas diversas linguagens artísticas. Diretriz 02: Promover programas de capacitação específica para os diversos profissionais que atuam no campo cultural (tradicional popular, humoristas, museólogos, bibliotecários, educadores sociais e arte-educadores, artistas circences, produtores de moda, etc) de modo a garantir a formação, o aperfeiçoamento e o intercâmbio entre os trabalhadores da cultura. Proposta 1: Mapear sistematicamente as demandas dos artistas e organizações da cultura para a implantação e oferta de cursos de formação artístico e cultural. Proposta 2: Estimular a pesquisa em arte e cultura com a criação de programas e de publicação dos resultados. Proposta 3: Assegurar a criação de equipes habilitadas para garantir o atendimento especializado e a acessibilidade dos diversos públicos. Diretriz 03: Garantir um conjunto de políticas culturais afirmativas de formação permanente no campo dos direitos humanos, com foco nas populações LGBTT, indígenas, negros, mulheres, artesãos, crianças e adolescentes, idosos, pessoas com deficiência e outros grupos, priorizando ONGs, equipamentos e grupos culturais comunitários. Proposta 1: Promover ações intergeracionais, com ênfase na pessoa idosa, no ensino formal e não formal, por meio de vivências e práticas educativas, inclusive através de intercâmbios com professores dos diversos níveis de ensino, favorecendo também o repasse de saberes em suas comunidades. Proposta 2: Implementação de ações desenvolvidas através de parcerias entre CUCAS, ONG s, OG s e movimentos sociais que militam no setor de Direitos Humanos para ações afirmativas em educação em direitos humanos e cultura, visando fortalecer a cultura de paz, com a superação das rivalidades territoriais no município de Fortaleza. Proposta 3: Inserir a temática das políticas afirmativas e direitos humanos nos cursos de formação em arte e cultura realizados pela SECULTFOR. Diretriz 04: Criar e ampliar programas de capacitação técnica especifica destinando recursos e infraestrutura que garantam uma política pública de formação nas diversas

16 linguagens artísticas e voltadas para os diversos segmentos culturais do município como instrumento de valorização das manifestações culturais no âmbito da educação formal e não formal. Proposta 1: Criar cursos profissionalizantes para produtores e produtoras de eventos da cultura para os diversos segmentos artísticos e culturais da cidade de Fortaleza. Proposta 2: Consolidar e ampliar os vários programas de formação artística e cultural da Escola Pública de Dança da Vila das Artes e dos CUCAs, contemplando também as demais áreas artística-culturais, bem como de outros equipamentos culturais a serem implantados. Proposta 3: Propiciar e ampliar infraestrutura específica (estúdios, bibliotecas, palco apropriado, etc.) para o funcionamento adequado das atividades de formação artísticas e culturais, promovidas pela Prefeitura. Proposta 4: Garantir que as instituições públicas de ensino insiram disciplinas de arte no currículo escolar regular, garantindo a formação continuada de professores de arte da rede pública. Proposta 5: Assegurar recursos humanos e orçamentários para a criação e a manutenção de um curso técnico voltado para formação de profissionais em arte-educação. Proposta 6: Implementar uma política pública de formação em economia criativa, através de cursos técnico-instrumentais e profissionalizantes, abarcando diversas áreas da cadeia produtiva. Proposta 7: Firmar parcerias com as linguagens artísticas e culturais, com objetivo de apoiar a aquisição, a preservação e a reutilização de figurinos e adereços e demais peças utilizadas em diversos projetos. Proposta 8: Assegurar a criação permanente de cursos, oficinas e work shops voltados para a elaboração de projetos culturais, em todas as SER's e demais equipamentos da PMF que desenvolvam ações artísticas e culturais. Recomendação: Inserir no plano setorial de moda a proposta: Implementar uma política pública de formação em moda, através de cursos técnico-instrumentais e profissionalizantes, abarcando diversas áreas da cadeia produtiva. Diretriz 05: Fortalecer a articulação das diversas instâncias de organização política dos grupos e coletivos de arte e cultura das diversas linguagens junto as Instituições de Ensino Superior para possibilitar a criação de cursos de graduação e pós-graduação (especialização, mestrado, doutorado), valorizando a transversalidade entre as linguagens e o intercâmbio de conhecimentos.

17 Recomendação: Inserir no plano setorial de museus a proposta: Criar um cadastro municipal dos museus, que evidencie as demandas de formação do setor museológico. Recomendação: Inserir no plano setorial de patrimônio a proposta: Articular junto às instituições de ensino a criação de cursos de formação em nível superior, técnico e profissionalizante, bem como a qualificação de profissionais nas áreas de restauração e preservação de bens móveis, imóveis e integrados. Proposta 1: Estimular o desenvolvimento de ações que resgatem os saberes, fazeres e as formas das expressões e manifestações artísticas e culturais da cidade de Fortaleza. Proposta 2: Articular com instituições de ensino superior e outras de formação acadêmica ou profissional a criação de cursos técnicos, de graduação e pós-graduação, assim como de formação livre em produção, gestão e organização cultural. Proposta 3: Fomento ao intercambio cultural de formação, através de edital, tendo como contrapartida o desenvolvimento de trabalho por parte do profissional no município de Fortaleza. Proposta 4 : Inserir nos editais existentes a seleção de projetos para pesquisa teórico e prática em todas as áreas e linguagens artísticas e culturais. Proposta 5: Constituição de bibliotecas públicas com acervo de qualidade e acessibilidade ampliada garantida. Diretriz 06: Criação de mecanismos de financiamento (fundo, editais, premiações, leis de incentivo etc,) que garantam os recursos necessários ao desenvolvimento dos diversos eventos e atividades culturais de formação, difusão e produção artísticocultural de Fortaleza. Proposta 1: Criação de Edital do Patrimônio Histórico de Fortaleza para projetos envolvendo as diversas linguagens artísticas, visando ação concreta de Educação Patrimonial. Proposta 2: Criação do selo Amigo do Patrimônio para empresas e profissionais da construção civil, empresas privadas, entidades de caráter público ou privado que de alguma forma estimulem ou adotem os conceitos de preservação. Proposta 3: Realização de concursos públicos para professores das linguagens artísticas e culturais no município de Fortaleza. Proposta 4: Apoiar as iniciativas e atividades de grupos artísticos, instituições e entidades que atuam na perspectiva de construção da cultura de paz e de valores

18 humanos no município de Fortaleza, com ações voltadas para os diversos segmentos sociais. EIXO V- CULTURA E COMUNICAÇÃO: Diretriz 01: Criar mecanismos que interliguem as linguagens artísticas e garantam a publicação do material produzido a partir dessa relação. Proposta 1: Garantir um calendário unificado de eventos e ações de difusão das diversas linguagens artísticas locais (circo, música, dança, teatro, artes visuais, fotografia, audiovisual, cultura tradicional popular, humor, moda, etc.). Proposta 2: Criação de um portal digital na rede mundial de computadores e outros instrumentos de comunicação para dar visibilidade e acesso ao acervo e as ações das diversas linguagens culturais, assim como as produções apoiadas pela PMF, licenciadas em creative communs de acordo com os editais. Diretriz 02: Garantir a divulgação, circulação e disponibilização dos bens culturais produzidos nas diversas linguagens artísticas (circo, música, dança, teatro, artes visuais, fotografia, audiovisual, cultura tradicional popular, humor, moda, etc.) por vários meios de comunicação (publicações, rádios, televisão, internet, entre outros), nas SER s, ONGs e outros movimentos sócio-culturais e espaços públicos do município de Fortaleza. Proposta 1: Definir uma cota de tela na grade da programação dos meios de comunicação públicos no município voltada para a exibição de produção audiovisual independente local. Proposta 2: Criar/efetivar canal de televisão municipal de sinal aberto, emissora de rádio FM, ambos de caráter educativo, e portal de notícias para a promoção, valorização e divulgação das atividades culturais do município de Fortaleza. Proposta 3: Distribuir o resultado dos produtos culturais das diversas linguagens (circo, música, dança, teatro, artes visuais, fotografia, audiovisual, cultura tradicional popular, humor, moda, etc.) e projetos contemplados pelos editais da Prefeitura Municipal de Fortaleza de fomento à cultura para escolas, bibliotecas públicas e museus.

19 Proposta 4: Estimular campanhas de divulgação, visitação, sensibilização para a importância do setor museal e demais instituições culturais. Diretriz 03: Criar instrumentos de conhecimento e divulgação do patrimônio históricocultural material e imaterial. Proposta 1: Garantir a produção e difusão de conteúdos educativos e culturais nos diversos veículos de comunicação. Proposta 2: Adequar e potencializar a sinalização patrimonial e turística do Município de acordo com Manual de Sinalização Turística elaborado pelo DETRAN, IPHAN e EMBRATUR. Diretriz 04: Assegurar que as ferramentas de comunicação da PMF disponibilizem espaço para divulgação da programação cultural desenvolvida pelos Pontos de Cultura e demais órgãos, equipamentos públicos de Fortaleza. Proposta 1: Manutenção, ampliação e fomento das publicações já existentes, tais como: Cultura de Bolso, Revista Farol, entre outros. Diretriz 05: Garantir uma cota de todo material de comunicação produzido e veiculado pela PMF voltado a pessoas com deficiências. Diretriz 06: Criar ferramentas estratégicas de comunicação, dentro e fora da estrutura da PMF, para divulgação dos eventos e atividades culturais dos grupos (LGBT, negros, mulheres, entre outros) do município. Proposta 1: Implementar um sistema de comunicação municipal que inclua as manifestações de culturas populares tradicionais em sua programação, garantindo a valorização e divulgação de nossas tradições culturais. Proposta 2: Apoiar campanhas e eventos alusivos as datas de referencia, ou quando pertinente, relacionadas as populações LGBTT, indígenas, negros e negras, mulheres, crianças e adolescentes, idosos e idosas e pessoas com deficiência. Proposta 3: Garantir um constante trabalho de coleta memorial e produção de acervo variado relacionadas as populações LGBTT, indígenas, negros e negras, mulheres, crianças e adolescentes, idosos e idosas e pessoas com deficiência, para alimentar as bibliotecas comunitárias. Diretriz 07: Criação, implementação e manutenção de um núcleo de cultura e mídia, com parceria entre poder público, movimentos sócio-culturais e sociedade civil.

20 Proposta 1: Implantar um núcleo de produção digital, impressa e audiovisual, com o objetivo de documentar, difundir e registrar os bens artísticos e culturais, bem como suas memórias, no município de Fortaleza. Proposta 2: Criação de um observatório de cultura e mídia, com parceria entre poder público, movimentos sócio-culturais e sociedade civil, com incidência nas escolas municipais e espaços públicos, que promova uma reflexão crítica sobre políticas públicas de cultura, Direitos Humanos, e suas relações com a produção midiática e cultural. Proposta 3: Criar, fomentar e subsidiar um banco de dados virtual (em plataforma digital livre) voltado para as produções críticas e históricas de todas as linguagens (circo, música, dança, teatro, artes visuais, fotografia, audiovisual, cultura tradicional popular, humor, moda, etc.) do município de Fortaleza. Proposta 4: Garantir profissionais qualificados para as SER s responsáveis por realizar de forma permanente o mapeamento regional das atividades artístico culturais de todas as comunidades do município de Fortaleza e repassar para sociedade civil através de veículos de comunicação públicos. Diretriz 08: Cultura e educomunicação. Proposta 1: Criação e ampliação de novos instrumentos pedagógicos por meio de múltiplas linguagens, da radiodifusão e outras tecnologias que abordem a temática dos Direitos Humanos. Proposta 2: Implementação e fomento de redes de rádio-escolas. Proposta 3: Criar cinematecas e estimular cineclubes nas escolas públicas. Diretriz 09: Fomentar a criação de instrumentos de comunicação e divulgação da produção cultural dos bairros e comunidades, através da criação de veículos como: ferramentas digitais interativas, publicações impressas e rádios, vinculados às SER's e distribuídas nos equipamentos culturais, escolas e outros espaços sociais dos bairros. Proposta 1: Fomentar e implementar canais de acesso (rádio, televisão, jornais alternativos) entre os bairros do município para difundir e circular, entre os mesmos, os produtos e bens artísticos e culturais produzido na cidade de Fortaleza e Região Metropolitana. Proposta 2: Fomento a implantação de portais que aglomerem webtvs e rádios onĺine nos bairros.

Cultura Oficina Litoral Sustentável

Cultura Oficina Litoral Sustentável Cultura Oficina Litoral Sustentável 1 ESTRUTURA DA AGENDA REGIONAL E MUNICIPAIS 1. Princípios 2. Eixos 3. Diretrizes 4. Ações 4.1 Natureza das ações (planos, projetos, avaliação) 4.2 Mapeamento de Atores

Leia mais

PROPOSTAS PRIORITÁRIAS

PROPOSTAS PRIORITÁRIAS PROPOSTAS PRIORITÁRIAS EIXO1: PRODUÇÃO SIMBÓLICA E DIVERSIDADE CULTURAL SUB EIXO: 1.1 - Produção de Arte e Bens Simbólicos 1 - Implementar políticas de intercâmbio em nível regional, nacional e internacional

Leia mais

Realização de rodas de conversa e de troca de conhecimento para intercâmbio do que foi desenvolvido e produzido.

Realização de rodas de conversa e de troca de conhecimento para intercâmbio do que foi desenvolvido e produzido. Realização de rodas de conversa e de troca de conhecimento para intercâmbio do que foi desenvolvido e produzido. Criar novos mecanismos de intercâmbio e fortalecer os programas de intercâmbio já existentes,

Leia mais

EIXO1: PRODUÇÃO SIMBÓLICA E DIVERSIDADE CULTURAL

EIXO1: PRODUÇÃO SIMBÓLICA E DIVERSIDADE CULTURAL PROPOSTAS PRIORITÁRIAS EIXO1: PRODUÇÃO SIMBÓLICA E DIVERSIDADE CULTURAL SUB EIXO 1.1 - Produção de Arte e Bens Simbólicos - Implementar políticas de intercâmbio em nível regional, nacional e internacional,

Leia mais

DIRETRIZES E PROPOSTAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE CULTURA (2016-2025)

DIRETRIZES E PROPOSTAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE CULTURA (2016-2025) DIRETRIZES E PROPOSTAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE CULTURA (2016-2025) 1. GESTÃO E INSTITUCIONALIDADE DA CULTURA Diretriz: Fortalecimento, ampliação, aperfeiçoamento e valorização da gestão cultural,

Leia mais

Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus

Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus APRESENTAÇÃO Ao se propor a sistematização de uma política pública voltada para os museus brasileiros, a preocupação inicial do Ministério

Leia mais

Ação Orçamentária - Padronizada Setorial 14U2 - Implantação, Instalação e Modernização de Espaços e Equipamentos Culturais

Ação Orçamentária - Padronizada Setorial 14U2 - Implantação, Instalação e Modernização de Espaços e Equipamentos Culturais Momento do Tipo de Temático Macrodesafio Fortalecer a cidadania Eixo Desenvolvimento Social e Erradicação da Miséria Valor de Referência para Individualização de Projetos em Iniciativas Esferas Fiscal

Leia mais

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL ANEXO IV Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO 1-Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes Buscar apoio das esferas de governo (Federal e Estadual)

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 14.663, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2014. (publicada no DOE n.º 253, de 31 de dezembro de 2014) Institui a Política

Leia mais

Propostas do Eixo IV

Propostas do Eixo IV Propostas do Eixo IV Proposta síntese Propostas específicas Zona Observações (remanejamento, contradições) 1 Apoio à reforma imediata da lei de direito autoral. Apoio à reforma imediata da lei de direito

Leia mais

PLANO SETORIAL DE DANÇA. DOCUMENTO BASE: Secretaria de Políticas Culturais - SPC Fundação Nacional de Artes FUNARTE Câmaras Setoriais de Dança

PLANO SETORIAL DE DANÇA. DOCUMENTO BASE: Secretaria de Políticas Culturais - SPC Fundação Nacional de Artes FUNARTE Câmaras Setoriais de Dança PLANO SETORIAL DE DANÇA DOCUMENTO BASE: Secretaria de Políticas Culturais - SPC Fundação Nacional de Artes FUNARTE Câmaras Setoriais de Dança MARÇO DE 2009 CAPÍTULO I DO ESTADO FORTALECER A FUNÇÃO DO ESTADO

Leia mais

MINIFÓRUM CULTURA 10. Fórum Permanente para Elaboração do Plano Municipal de Cultura 2012 a 2022 RELATÓRIA DA AUDIÊNCIA PÚBLICA

MINIFÓRUM CULTURA 10. Fórum Permanente para Elaboração do Plano Municipal de Cultura 2012 a 2022 RELATÓRIA DA AUDIÊNCIA PÚBLICA MINIFÓRUM CULTURA 10 Fórum Permanente para Elaboração do Plano Municipal de Cultura 2012 a 2022 RELATÓRIA DA AUDIÊNCIA PÚBLICA Orientação aprovada: Que a elaboração do Plano Municipal de Cultura considere

Leia mais

AÇÕES DO PLANO NACIONAL DE CULTURA. Número da ação

AÇÕES DO PLANO NACIONAL DE CULTURA. Número da ação Meta Número da ação 1.1.1; 1.1.2; 1.1.3; 1.1.4; 1.1.5; 1.1.7; 1.1.8; 1.1.9; 1.2.3; 1.3.1; 1.4.2; 1.5.1; 1.5.2; 1.6.5; 1.7.1; 1.7.2; 1.7.4; 1.10.1; 1.10.3; 5.1.1; 5.1.4; 5.4.1; 5.4.2; 5.4.3 e 5.4.4 1.1.1

Leia mais

RELATÓRIO V CONFERÊNCIA DE CULTURA DE FLORIANÓPOLIS 02 a 04 de abril de 2014 Auditório da Assembleia Legislativa de Santa Catarina

RELATÓRIO V CONFERÊNCIA DE CULTURA DE FLORIANÓPOLIS 02 a 04 de abril de 2014 Auditório da Assembleia Legislativa de Santa Catarina RELATÓRIO V CONFERÊNCIA DE CULTURA DE FLORIANÓPOLIS a 04 de abril de 24 Auditório da Assembleia Legislativa de Santa Catarina A V Conferência Municipal de Cultura de Florianópolis, teve como objetivo dar

Leia mais

Sheet1. Criação de uma rede formada por tvs e rádios comunitárias, para acesso aos conteúdos

Sheet1. Criação de uma rede formada por tvs e rádios comunitárias, para acesso aos conteúdos Criação de um canal de atendimento específico ao público dedicado ao suporte de tecnologias livres. Formação de comitês indicados por representantes da sociedade civil para fomentar para a ocupação dos

Leia mais

PROJETO DE LEI 01-00147/2013 dos Vereadores Floriano Pesaro (PSDB) e Laércio Benko (PHS)

PROJETO DE LEI 01-00147/2013 dos Vereadores Floriano Pesaro (PSDB) e Laércio Benko (PHS) PROJETO DE LEI 01-00147/2013 dos Vereadores Floriano Pesaro (PSDB) e Laércio Benko (PHS) Estabelece diretrizes para a Política Municipal de Promoção da Cidadania LGBT e Enfrentamento da Homofobia, e dá

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE CULTURA FLORIANÓPOLIS PMCF

PLANO MUNICIPAL DE CULTURA FLORIANÓPOLIS PMCF PLANO MUNICIPAL DE CULTURA DE FLORIANÓPOLIS PMCF Exposição de Motivos O Plano Municipal de Cultura de Florianópolis é o documento que fundamenta, regulamenta e orienta a proposição e execução de políticas

Leia mais

II CONFERENCIA ESTADUAL DE CULTURA SANTA CATARINA COMITE EXECUTIVO ESTADUAL

II CONFERENCIA ESTADUAL DE CULTURA SANTA CATARINA COMITE EXECUTIVO ESTADUAL EIXO I - PRODUÇÃO SIMBÓLICA E DIVERSIDADE CULTURAL Foco: produção de arte e de bens simbólicos, promoção de diálogos interculturais, formação no campo da cultura e democratização da informação. Produção

Leia mais

Plenária: Conferência Estadual de Cultura,Vitória da Conquista, 30/11/2011 a 3/12/2011. Propostas Consensuais Para o Eixo: V.

Plenária: Conferência Estadual de Cultura,Vitória da Conquista, 30/11/2011 a 3/12/2011. Propostas Consensuais Para o Eixo: V. SUB-EIXO: DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL DA CULTURA PROJETO : 44 IMPLANTAÇÃO DE DIRETORIAS TERRITORIAIS DE CULTURA EM TODOS OS 26 TERRITÓRIOS DO ESTADO. GESTORES CULTURAIS, AGENTES CULTURAIS E EDUCACIONAIS;

Leia mais

PLANO SETORIAL DAS ARTES VISUAIS

PLANO SETORIAL DAS ARTES VISUAIS PLANO SETORIAL DAS ARTES VISUAIS DOCUMENTO BASE: Secretaria de Políticas Culturais - SPC Fundação Nacional de Artes FUNARTE Câmaras Setoriais de Artes Visuais MARÇO DE 2009 CAPÍTULO I DO ESTADO FORTALECER

Leia mais

EIXO DE TRABALHO 01 DIREITO A CIDADANIA, PARTICIPAÇÃO SOCIAL E POLÍTICA E A REPRESENTAÇÃO JUVENIL

EIXO DE TRABALHO 01 DIREITO A CIDADANIA, PARTICIPAÇÃO SOCIAL E POLÍTICA E A REPRESENTAÇÃO JUVENIL EIXO DE TRABALHO 01 DIREITO A CIDADANIA, PARTICIPAÇÃO SOCIAL E POLÍTICA E A REPRESENTAÇÃO JUVENIL Proposta I Fomentar a criação de grêmios estudantis, fóruns de juventude, diretórios centrais de estudantes,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA PROGRAMA Nº- 042 PALCO SOBRE RODAS Projeto inspirado no clássico modelo de teatro itinerante, através da montagem de um palco móvel que percorre os bairros da cidade, levando cultura. Levar o Palco sobre

Leia mais

8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS

8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS 8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS DOCUMENTO FINAL EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Ações de mobilização: 1. Ampla mobilização, por

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Institui o Programa Mais Educação, que visa fomentar a educação integral de crianças, adolescentes e jovens, por meio do apoio a atividades

Leia mais

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas.

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas. Extensão ETENSÃO A implementação da politica de Extensão, no Instituto Federal do Amazonas reafirma a missão deste Instituto e seu comprometimento com o desenvolvimento local e regional promovendo a integração

Leia mais

PROJETO SEMANA CULTURA VIVA 10 ANOS DE CIDADANIA E DIVERSIDADE CULTURAL

PROJETO SEMANA CULTURA VIVA 10 ANOS DE CIDADANIA E DIVERSIDADE CULTURAL MINISTÉRIO DA CULTURA SECRETARIA DA CIDADANIA E DA DIVERSIDADE CULTURAL PROJETO SEMANA CULTURA VIVA 10 ANOS DE CIDADANIA E DIVERSIDADE CULTURAL Brasília, Novembro de 2014. APRESENTAÇÃO A primeira Semana

Leia mais

2ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DE CULTURA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (2ª CEC/RJ) SUBSÍDIO PARA O PLANO ESTADUAL DE CULTURA

2ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DE CULTURA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (2ª CEC/RJ) SUBSÍDIO PARA O PLANO ESTADUAL DE CULTURA 2ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DE CULTURA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (2ª CEC/RJ) SUBSÍDIO PARA O PLANO ESTADUAL DE CULTURA Propostas de âmbito estadual por eixo: 1 Produção Simbólica e Diversidade Cultural 1.1.

Leia mais

ANEXO IX - DEMONSTRATIVO VII METAS E PRIORIDADES - COMPATIBILIZAÇÃO DA LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS COM O PLANO PLURIANUAL

ANEXO IX - DEMONSTRATIVO VII METAS E PRIORIDADES - COMPATIBILIZAÇÃO DA LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS COM O PLANO PLURIANUAL METAS E PRIORIDADES - COMPATIBILIZ DA LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS COM O PLANO PLURIANUAL TÍTULO PRODUTO TIPO DE META 2013 2001 Administração Legislativa Serviços Realizados ORÇAMENTÁRIA 95% 0001 GESTÃO

Leia mais

FÓRUM MUNDIAL DE DIREITOS HUMANOS. Data: 10 a 13 de Dezembro de 2013 Local: Brasília

FÓRUM MUNDIAL DE DIREITOS HUMANOS. Data: 10 a 13 de Dezembro de 2013 Local: Brasília FÓRUM MUNDIAL DE DIREITOS HUMANOS Data: 10 a 13 de Dezembro de 2013 Local: Brasília Nome do Evento: Fórum Mundial de Direitos Humanos Tema central: Diálogo e Respeito às Diferenças Objetivo: Promover um

Leia mais

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Diretriz 01 - Promoção da cultura do respeito e da garantia dos direitos humanos de

Leia mais

PLANO NACIONAL DE DANÇA

PLANO NACIONAL DE DANÇA PLANO NACIONAL DE DANÇA I APRESENTAÇÃO II - DIRETRIZES E AÇÕES II HISTÓRICO DO SETOR NO PAÍS III DIAGNOSE DE POTENCIAL E PONTOS CRÍTICOS DO SETOR IV DADOS DO SETOR PARA O SISTEMA DE INFORMAÇÕES E INDICADORES

Leia mais

PODER EXECUTIVO - PROGRAMAS ESTRUTURADORES PLANO PLURIANUAL - 2010/2013 - Lei 6.716, de 22 de dezembro de 2010.

PODER EXECUTIVO - PROGRAMAS ESTRUTURADORES PLANO PLURIANUAL - 2010/2013 - Lei 6.716, de 22 de dezembro de 2010. 2001 Administração Legislativa Serviços Realizados Percentual 95% 0001 GESTÃO LEGISLATIVA E CIDADANIA 2002 Processamento Legislativo Ações Realizadas Percentual 95% 2003 Modernização Administrativa Gestão

Leia mais

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Eixos Temáticos, Diretrizes e Ações Documento final do II Encontro Nacional de Educação Patrimonial (Ouro Preto - MG, 17 a 21 de julho

Leia mais

TEXTO-BASE PARA VALIDAÇÃO

TEXTO-BASE PARA VALIDAÇÃO TEXTO-BASE PARA VALIDAÇÃO O Plano Estadual de Cultura, um dos constituintes do Sistema Estadual de Cultura, tem como princípios: I. respeito aos direitos humanos; II. garantia do direito à criação, expressão

Leia mais

CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA: Construindo o Plano de Cultura para a cidade de Belo Horizonte

CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA: Construindo o Plano de Cultura para a cidade de Belo Horizonte CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA: Construindo o Plano de Cultura para a cidade de Belo Horizonte PLANO MUNICIPAL DE CULTURA DE BELO HORIZONTE 2014-2023* Caderno de Propostas: Metas e Ações *O período de

Leia mais

CONFERÊNCIA ESPECIAL DE CULTURA

CONFERÊNCIA ESPECIAL DE CULTURA CONFERÊNCIA ESPECIAL DE Eixo: CAPACITAÇÃO META GERAL 1 EDUCAÇÃO E CAPACITAÇÃO Estimular e viabilizar a capacitação dos agentes de cultura da cidade e fomentar a inserção da cultura no processo educacional

Leia mais

Ministério da Cultura Estrutura Organizacional e Competências. Professor Francisco Carlos M. da Conceição

Ministério da Cultura Estrutura Organizacional e Competências. Professor Francisco Carlos M. da Conceição Ministério da Cultura Estrutura Organizacional e Competências Professor Francisco Carlos M. da Conceição DECRETO Nº 6.835, DE 30 DE ABRIL DE2009. Aprova a Estrutura Regimental e o Quadro Demonstrativo

Leia mais

PLANO DE AÇÃO PARA O DIÁLOGO E A COOPERAÇÃO EM CULTURA ENTRE BRASIL E URUGUAI

PLANO DE AÇÃO PARA O DIÁLOGO E A COOPERAÇÃO EM CULTURA ENTRE BRASIL E URUGUAI PLANO DE AÇÃO PARA O DIÁLOGO E A COOPERAÇÃO EM CULTURA ENTRE BRASIL E URUGUAI Aos 26 dias do mês de julho de 2011, as autoridades de Cultura da República Federativa do Brasil e da República Oriental do

Leia mais

MINUTA DE LEI DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE CARIACICA

MINUTA DE LEI DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE CARIACICA MINUTA DE LEI DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE CARIACICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Fica instituída a Política Municipal de Educação Ambiental, seus objetivos, princípios

Leia mais

PRÓ - REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL 004/2015/ PROEX/UEPB PROGRAMA DE CONCESSÃO de BOLSAS DE EXTENSÃO - PROBEX COTA: 2015-2016

PRÓ - REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL 004/2015/ PROEX/UEPB PROGRAMA DE CONCESSÃO de BOLSAS DE EXTENSÃO - PROBEX COTA: 2015-2016 PRÓ - REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL 004/2015/ PROEX/UEPB PROGRAMA DE CONCESSÃO de BOLSAS DE EXTENSÃO - PROBEX COTA: 2015-2016 A Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Estadual da Paraíba, no uso das suas

Leia mais

EIXO I GESTÃO CULTURAL DEMOCRÁTICA E PARTICIPATIVA

EIXO I GESTÃO CULTURAL DEMOCRÁTICA E PARTICIPATIVA PLANO MUNICIPAL DE CULTURA DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ Comissão de Elaboração do Plano Municipal de Cultura: Anderson Beluzzo, Celso Peixoto, Dagma Castro, Elias Alcides Luciano, Guilhermina Stuker, João Alexandre

Leia mais

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012 Programa 2016 - Política para as Mulheres: Promoção da Autonomia e Enfrentamento à Violência 20O0 - Políticas Culturais de Incentivo à Igualdade de Gênero Número de Ações 13 Esfera: 10 - Orçamento Fiscal

Leia mais

14/Mar/2013 :: Edição 31 ::

14/Mar/2013 :: Edição 31 :: 14/Mar/2013 :: Edição 31 :: Cadernos do Poder Executivo Poder Geraldo Julio de Mello Filho Executivo DECRETO Nº 26.993 DE 13 DE MARÇO DE 2013 EMENTA: Descreve as competências e atribuições dos cargos comissionados

Leia mais

Propostas elaboradas pelos Grupos de Trabalho dos Subeixos. e referendadas pela Plenária Final em 21 de setembro de 2013.

Propostas elaboradas pelos Grupos de Trabalho dos Subeixos. e referendadas pela Plenária Final em 21 de setembro de 2013. Propostas elaboradas pelos Grupos de Trabalho dos Subeixos e referendadas pela Plenária Final em 21 de setembro de 2013. Eixo I: Implementação do Sistema Nacional de Cultura Subeixo 1.1.: Marcos Legais,

Leia mais

PROPOSTAS APROVADAS NA PLENÁRIA FINAL DA VII CONFERÊNCIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

PROPOSTAS APROVADAS NA PLENÁRIA FINAL DA VII CONFERÊNCIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL PROPOSTAS APROVADAS NA PLENÁRIA FINAL DA VII CONFERÊNCIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL EIXO 1 Processo Histórico da Participação Popular no País: nossa cidade e territórios em movimento; Trajetória e

Leia mais

Conhecendo a Fundação Vale

Conhecendo a Fundação Vale Conhecendo a Fundação Vale 1 Conhecendo a Fundação Vale 2 1 Apresentação Missão Contribuir para o desenvolvimento integrado econômico, ambiental e social dos territórios onde a Vale atua, articulando e

Leia mais

EIXO 5 GESTÃO DA POLÍTICA NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS

EIXO 5 GESTÃO DA POLÍTICA NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS EIXO 5 GESTÃO DA POLÍTICA NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS Garantir a elaboração e implementação da política e do Plano Decenal

Leia mais

DESAFIOS, OBJETIVOS, ESTRATÉGIAS E AÇÕES.

DESAFIOS, OBJETIVOS, ESTRATÉGIAS E AÇÕES. DESAFIOS, OBJETIVOS, ESTRATÉGIAS E AÇÕES. A Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais e o Conselho Estadual de Política Cultural, por meio do Núcleo Técnico Executivo de Elaboração e Acompanhamento

Leia mais

RESULTADO: EDUCAÇÃO Nº PROPOSTAS PONTOS

RESULTADO: EDUCAÇÃO Nº PROPOSTAS PONTOS RESULTADO: EDUCAÇÃO 43 - Garantir o financiamento público para a manutenção e ampliação das escolas famílias agrícolas, possibilitando ofertar PRONATEC - campo, trabalhando a pedagogia da alternância,

Leia mais

EIXO I - IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE CULTURA

EIXO I - IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE CULTURA III CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA APRESENTAÇÃO DOS 04 (QUATRO) EIXOS A SEREM DISCUTIDOS NA CONFERÊNCIA EIXO I - IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE CULTURA Foco Nacional: Impactos da Emenda Constitucional

Leia mais

Proposta de ações para elaboração do. Plano Estadual da Pessoa com Deficiência;

Proposta de ações para elaboração do. Plano Estadual da Pessoa com Deficiência; 1 Proposta de ações para elaboração do Plano Estadual da Pessoa com Deficiência Objetivo Geral: Contribuir para a implementação das diretrizes e metas na garantia de direitos às pessoas com deficiência

Leia mais

Política cultural: Brasil; SP; São Paulo

Política cultural: Brasil; SP; São Paulo Política cultural: Brasil; SP; São Paulo Antônio Eleilson Leite eleilsonleite@hotmail.com São Paulo, maio, 2014 Política cultural Nacional As três dimensões da cultura: simbólica, cidadã e econômica Fortalecimento

Leia mais

São elas: Comercialização e consumo:

São elas: Comercialização e consumo: SISTEMATIZAÇÃO DAS PROPOSTAS ENCAMINHADAS PELAS CONFERÊNCIAS TERRITORIAS (REGIONAIS/MUNICIPAIS) DE ECONOMIA SOLIDÁRIA DO ESTADO DE SÃO PAULO COM CONTRIBUIÇÕES GERADAS PELA CONFERÊNCIA ESTADUAL DE ECONOMIA

Leia mais

Lei do ICMS São Paulo Lei 12.268 de 2006

Lei do ICMS São Paulo Lei 12.268 de 2006 Governo do Estado Institui o Programa de Ação Cultural - PAC, e dá providências correlatas. O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu promulgo a seguinte

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO N 12.653

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO N 12.653 Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO N 12.653 Estabelece a forma de organização e regulamenta o funcionamento das unidades administrativas da Secretaria de Trabalho e Geração

Leia mais

Anexo 1 - Resolução 016/2011 - CONSUN. Plano de Desenvolvimento Institucional PDI

Anexo 1 - Resolução 016/2011 - CONSUN. Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Plano de Desenvolvimento Institucional PDI 13 I ENSINO DE GRADUAÇÃO Objetivo 1 - Buscar continuamente a excelência nos cursos de graduação 1. Avaliar continuamente o processo educativo, em consonância

Leia mais

PROJETO DE LEI ESTADUAL PARANÁ

PROJETO DE LEI ESTADUAL PARANÁ PROJETO DE LEI ESTADUAL PARANÁ Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Estadual de Educação Ambiental e dá outras providências. CAPÍTULO I DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL Art. 1 - A Política Estadual

Leia mais

PRÉ-CONFERÊNCIAS SETORIAIS DE CULTURA ESTRATÉGIAS PRIORITÁRIAS

PRÉ-CONFERÊNCIAS SETORIAIS DE CULTURA ESTRATÉGIAS PRIORITÁRIAS PRÉ-CONFERÊNCIAS SETORIAIS DE CULTURA ESTRATÉGIAS PRIORITÁRIAS 1 EIXO 1: PRODUÇÃO SIMBÓLICA E DIVERSIDADE CULTURAL ARTESANATO Criar edital específico de fomento ao artesanato, regionalizando de forma a

Leia mais

PLANO ESTADUAL DA CULTURA. Matriz Situacional da Cultura

PLANO ESTADUAL DA CULTURA. Matriz Situacional da Cultura PLANO ESTADUAL DA CULTURA Matriz Situacional da Cultura Fórum de Planejamento Regional Cidade Sede: Aranranguá 29 e 30 de agosto de 2012 Priorização de Diretrizes e Ações Objetivo: Discussão da proposta

Leia mais

PLANO ESTADUAL DA CULTURA. Matriz Situacional da Cultura

PLANO ESTADUAL DA CULTURA. Matriz Situacional da Cultura PLANO ESTADUAL DA CULTURA Matriz Situacional da Cultura Fórum de Planejamento Regional Cidade Sede: Tubarão 27 e 28 de agosto de 2012 Priorização de Diretrizes e Ações Objetivo: Discussão da proposta de

Leia mais

CARTILHA PROGRAMA MUNICIPAL DE INCENTIVO À CULTURA

CARTILHA PROGRAMA MUNICIPAL DE INCENTIVO À CULTURA DEPARTAMENTO DE CULTURA CARTILHA PROGRAMA MUNICIPAL DE INCENTIVO À CULTURA SUMÁRIO 1 Sobre a cartilha... 03 2 O que é o Programa Municipal de Incentivo à Cultura... 04 3 Finalidades do programa... 04 4

Leia mais

Fomento a Projetos Culturais nas Áreas de Música e de Artes Cênicas

Fomento a Projetos Culturais nas Áreas de Música e de Artes Cênicas Programa 0166 Música e Artes Cênicas Objetivo Aumentar a produção e a difusão da música e das artes cênicas. Público Alvo Sociedade em geral Ações Orçamentárias Indicador(es) Número de Ações 7 Taxa de

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA ELABORAÇÃO LDO 2016 AVALIAÇÃO E PRIORIZAÇÃO DOS PROGRAMAS DE GOVERNO

AUDIÊNCIA PÚBLICA ELABORAÇÃO LDO 2016 AVALIAÇÃO E PRIORIZAÇÃO DOS PROGRAMAS DE GOVERNO Visando fazer gestão pública em sintonia com a sociedade, de modo democrático, a Prefeitura Municipal do Cabo de Santo Agostinho, através da Secretaria Municipal de Planejamento e Meio Ambiente, submete

Leia mais

Eixo 3: Distribuição de Conteúdos

Eixo 3: Distribuição de Conteúdos : Distribuição de Conteúdos Criação de um órgão responsavel pela assessoria e planejamento de projetos de distribuição de conteúdos culturais. Criação de polos de distribuição da produção cultural por

Leia mais

1. Implementação do Sistema Nacional de Cultura.

1. Implementação do Sistema Nacional de Cultura. 1. Implementação do Sistema Nacional de Cultura. 1.1 Marcos Legais, Participação e Controle Social e Funcionamento dos Sistemas Municipais, Estaduais/Distrito Federal e Setoriais de Cultura, de acordo

Leia mais

Esta publicação tem por objetivo apresentar o Programa Cultura Viva, de responsabilidade da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural do

Esta publicação tem por objetivo apresentar o Programa Cultura Viva, de responsabilidade da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural do Esta publicação tem por objetivo apresentar o Programa Cultura Viva, de responsabilidade da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura, de modo a facilitar sua compreensão

Leia mais

SOBRE O DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES ARTÍSTICAS, CIENTÍFICAS E CULTURAIS NO PROCESSO DA 3ª CONFERÊNCIA NACIONAL DE JUVENTUDE

SOBRE O DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES ARTÍSTICAS, CIENTÍFICAS E CULTURAIS NO PROCESSO DA 3ª CONFERÊNCIA NACIONAL DE JUVENTUDE RESOLUÇÃO 08/2015, DA COMISSÃO ORGANIZADORA NACIONAL A Comissão Organizadora da 3ª Conferência Nacional de Juventude, no uso de suas atribuições regimentais, em conformidade com o artigo 6º, objetivo específico

Leia mais

Princípios Gerais. Política Nacional de Saúde Integral da População Negra 15/10/2012

Princípios Gerais. Política Nacional de Saúde Integral da População Negra 15/10/2012 Princípios Gerais Política Nacional de Saúde Integral da População Negra PORTARIA Nº 992, DE 13 DE MAIO DE 2009 Profª Carla Pintas A Constituição de 1988 assumiu o caráter de Constituição Cidadã, em virtude

Leia mais

Programa. orientações. Portal do Ministério da Cultura www.cultura.gov.br. Cultura Viva www.cultura.gov.br/culturaviva

Programa. orientações. Portal do Ministério da Cultura www.cultura.gov.br. Cultura Viva www.cultura.gov.br/culturaviva Programa Portal do Ministério da Cultura www.cultura.gov.br Cultura Viva www.cultura.gov.br/culturaviva orientações @DiversidadeMinC e @CulturaViva cidadaniaediversidade Secretaria da Cidadania e da Diversidade

Leia mais

LEI Nº 8478, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2010.

LEI Nº 8478, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2010. LEI Nº 8478, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2010. CRIA O FUNDO MUNICIPAL DE CULTURA DE FLORIANÓPOLIS (FMCF), VINCULADO À FUNDAÇÃO CULTURAL DE FLORIANÓPOLIS FRANKLIN CASCAES E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS Faço saber a

Leia mais

FAQ (Frequently Asked Questions) PERGUNTAS FREQUENTES

FAQ (Frequently Asked Questions) PERGUNTAS FREQUENTES 1. Onde faço a inscrição dos meus projetos? No site www.oifuturo.org.br. 2. Há alguma forma de fazer inscrição dos projetos por outro meio? Não, somente online. Os anexos não serão aceitos por correio.

Leia mais

CAPITULO I DO PROGRAMA MUNCIPAL DE INCENTIVO À CULTURA. Seção I Dos objetivos e dos Participantes

CAPITULO I DO PROGRAMA MUNCIPAL DE INCENTIVO À CULTURA. Seção I Dos objetivos e dos Participantes PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 5.662, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2009. Institui no âmbito municipal o Programa Municipal de Incentivo à Cultura PROCULTURA, e dá outras providências.

Leia mais

AOS CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA DO BRASIL PROPOSTAS DE POLÍTICAS PARA A ÁREA DAS COMUNICAÇÕES

AOS CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA DO BRASIL PROPOSTAS DE POLÍTICAS PARA A ÁREA DAS COMUNICAÇÕES AOS CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA DO BRASIL PROPOSTAS DE POLÍTICAS PARA A ÁREA DAS COMUNICAÇÕES 1 Apresentação 1. As comunicações, contemporaneamente, exercem crescentes determinações sobre a cultura,

Leia mais

Políticas de Desenvolvimento para as Mulheres Rurais a partir de uma perspectiva de Raça a e Gênero. Andrea Butto

Políticas de Desenvolvimento para as Mulheres Rurais a partir de uma perspectiva de Raça a e Gênero. Andrea Butto Políticas de Desenvolvimento para as Mulheres Rurais a partir de uma perspectiva de Raça a e Gênero Andrea Butto Ministério do Desenvolvimento Agrário Temas abordados Estados assumiram compromissos que

Leia mais

EIXO VI VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO: FORMAÇÃO, REMUNERAÇÃO, CARREIRA E CONDIÇÕES DE TRABALHO

EIXO VI VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO: FORMAÇÃO, REMUNERAÇÃO, CARREIRA E CONDIÇÕES DE TRABALHO VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO: FORMAÇÃO, REMUNERAÇÃO, CARREIRA E CONDIÇÕES DE TRABALHO PROPOSIÇÕES ESTRATÉGIAS E RESPONSABILIDADE* UNIÃO DF ESTADOS MUNICÍPIOS 1. Profissionais da educação:

Leia mais

EDITAL 02/2008 - PROJETO 914BRA1109 SELECIONA

EDITAL 02/2008 - PROJETO 914BRA1109 SELECIONA Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura EDITAL 02/2008 - PROJETO 914BRA1109 SELECIONA Consultor por Produto para Projeto da Organização das Nações Unidas para a Educação, a

Leia mais

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI A implementação do Plano de Desenvolvimento Institucional, envolve além dos objetivos e metas já descritos, o estabelecimento de indicadores, como forma de se fazer o

Leia mais

09HB Contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações para o Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Públicos Federais

09HB Contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações para o Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Públicos Federais Programa 0172 Cultura Afro-Brasileira Ações Orçamentárias Esfera: 10 Função: 13 - Cultura Subfunção: 122 - Administração Geral Num ero de Ações 17 09HB Contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações

Leia mais

Proposta de programação cultural nos Centros Unificados de Educação

Proposta de programação cultural nos Centros Unificados de Educação CULTURA NOS CEUs Proposta de programação cultural nos Centros Unificados de Educação Resumo São Paulo, março de 2013. Por Ney Piacentini O projeto CULTURA NOS CEUs pretende levar às instalações culturais

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO, TRABALHO E SOLIDARIEDADE

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO, TRABALHO E SOLIDARIEDADE LEI nº, de de (Projeto de Lei nº 00/04, do Executivo) Institui o Programa Oportunidade Solidária, estabelece princípios fundamentais e objetivos da Política de Fomento à Economia Popular Solidária do Município

Leia mais

Articular o Conselho Escolar, os Grêmios Estudantis, os trabalhadores de educação, as Associações de Pais e Mestres e a comunidade em geral.

Articular o Conselho Escolar, os Grêmios Estudantis, os trabalhadores de educação, as Associações de Pais e Mestres e a comunidade em geral. EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Garantir a elaboração e implementação da Política e do Plano Decenal de Direitos Humanos de Criança e Adolescente nos âmbitos federal, estadual,

Leia mais

Maiores informações: http://www.cultura.gov.br/site/2009/03/03/edital-n%c2%ba-12009-doprograma-de-intercambio-e-difusao-cultural/

Maiores informações: http://www.cultura.gov.br/site/2009/03/03/edital-n%c2%ba-12009-doprograma-de-intercambio-e-difusao-cultural/ RESUMO DE EDITAIS DE CULTURA ABERTOS EM MAIO/09 Ministério da Cultura: Programa de Intercâmbio e Difusão Cultural Para viagens em junho, inscrições até 10 de maio. A iniciativa, coordenada pela Secretaria

Leia mais

3801 - SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS E SEGURANÇA CIDADÃ - ADMINISTRAÇÃO DIRETA

3801 - SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS E SEGURANÇA CIDADÃ - ADMINISTRAÇÃO DIRETA 3801 - SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS E SEGURANÇA CIDADÃ - ADMINISTRAÇÃO DIRETA Legislação: Lei nº 17.108, de 27 de julho de 2005. DESCRIÇÃO DO PROGRAMA DE TRABALHO PROGRAMAS ESPECÍFICOS VOLTADOS PARA

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCLUSÃO PLANO DE TRABALHO ACORDO DE COOPERAÇÃO FEDERATIVA MINISTÉRIO DA CULTURA E PREFEITURA DE PALMAS FUNDAÇÃO CULTURAL DE PALMAS

RELATÓRIO DE CONCLUSÃO PLANO DE TRABALHO ACORDO DE COOPERAÇÃO FEDERATIVA MINISTÉRIO DA CULTURA E PREFEITURA DE PALMAS FUNDAÇÃO CULTURAL DE PALMAS RELATÓRIO DE CONCLUSÃO PLANO DE TRABALHO ACORDO DE COOPERAÇÃO FEDERATIVA MINISTÉRIO DA CULTURA E PREFEITURA DE PALMAS FUNDAÇÃO CULTURAL DE PALMAS Palmas/TO, setembro 2013 Relatório de conclusão: Plano

Leia mais

Tema 2 CONAE 2014 Diretrizes gerais para intervenção do PROIFES-Federação na CONAE 2014

Tema 2 CONAE 2014 Diretrizes gerais para intervenção do PROIFES-Federação na CONAE 2014 Tema 2 CONAE 2014 Diretrizes gerais para intervenção do PROIFES-Federação na CONAE 2014 Eixo I O plano Nacional de Educação e o Sistema Nacional de Educação: organização e regulação. Instituir, em cooperação

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GOVERNO

DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GOVERNO DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GOVERNO POR UM CEARÁ MELHOR PRA TODOS A COLIGAÇÃO POR UM CEARA MELHOR PRA TODOS, com o objetivo de atender à Legislação Eleitoral e de expressar os compromissos

Leia mais

Escola de Políticas Públicas

Escola de Políticas Públicas Escola de Políticas Públicas Política pública na prática A construção de políticas públicas tem desafios em todas as suas etapas. Para resolver essas situações do dia a dia, é necessário ter conhecimentos

Leia mais

Propostas para o plano de governo na área da cultura 1

Propostas para o plano de governo na área da cultura 1 Propostas para o plano de governo na área da cultura 1 Contextualização A cultura, como política pública, historicamente, foi relegada à plano inferior pelos governos brasileiros. O governo Lula, no entanto,

Leia mais

CULTURA OBJETIVOS E METAS

CULTURA OBJETIVOS E METAS CULTURA OBJETIVOS E METAS 1. Garantir a participação juvenil na elaboração das políticas públicas na área de cultura com a participação de mais entidades e partidos políticos, via projetos e via mobilização

Leia mais

Eixo I - Produção Simbólica e Diversidade Cultural

Eixo I - Produção Simbólica e Diversidade Cultural Consolidação das Propostas de Estratégias Âmbito Nacional Eixo I - Produção Simbólica e Diversidade Cultural 1.1. Regulamentar a relação entre a produção de conteúdo independente e o sistema de comunicação.

Leia mais

Prefeitura Municipal de Paranaguá Fundação Municipal de Cultura de Paranaguá - Nelson de Freitas Barbosa

Prefeitura Municipal de Paranaguá Fundação Municipal de Cultura de Paranaguá - Nelson de Freitas Barbosa REGIMENTO DO II FÓRUM MUNICIPAL DE CULTURA DE PARANAGUÁ Art. 1 O II Fórum de Municipal de Cultura de Paranaguá comporta o foro municipal dos debates sobre o Sistema Municipal de Cultura de Paranaguá, aberto

Leia mais

LEI Nº 12.780, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2007

LEI Nº 12.780, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2007 LEI Nº 12.780, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2007 (Projeto de lei nº 749/2007, da Deputada Rita Passos - PV) Institui a Política Estadual de Educação Ambiental O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que

Leia mais

INSTITUI O PLANO MUNICIPAL DE CULTURA PMC, CRIA O SISTEMA MUNICIPAL DE INFORMAÇÕES E INDICADORES CULTURAIS SMIIC, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

INSTITUI O PLANO MUNICIPAL DE CULTURA PMC, CRIA O SISTEMA MUNICIPAL DE INFORMAÇÕES E INDICADORES CULTURAIS SMIIC, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. 28/07/2015 Lei Ordinária 3809 2015 de Balneário Camboriú SC www.leismunicipais.com.br LEI Nº 3809, DE 24 DE JULHO DE 2015. INSTITUI O PLANO MUNICIPAL DE CULTURA PMC, CRIA O SISTEMA MUNICIPAL DE INFORMAÇÕES

Leia mais

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013 UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013 O UNICEF, Fundo das Nações Unidas para a Infância, a Organização mundial pioneira na defesa dos direitos das crianças e adolescentes, convida profissionais

Leia mais

RESULTADO DA PLENÁRIA FINAL DA III CNC DE EIXO 1 - IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE CULTURA

RESULTADO DA PLENÁRIA FINAL DA III CNC DE EIXO 1 - IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE CULTURA RESULTADO DA PLENÁRIA FINAL DA III CNC DE EIXO 1 - IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE CULTURA PROPOSTAS PRIORIZADAS: 1ª) Proposta 1.11. Que o Congresso Nacional aprove com urgência a PEC 150, realizando

Leia mais

1.2 Possibilitar, através da extensão, a articulação entre o ensino e a pesquisa;

1.2 Possibilitar, através da extensão, a articulação entre o ensino e a pesquisa; UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ - REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS EDITAL PARA BOLSAS DE EXTENSÃO CONCEDIDAS A PROJETOS PROBEX SELEÇÃO 2012 2013 A Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários

Leia mais

ANEXO II CONDIÇÕES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA APOIO E/ OU IMPLANTAÇÃO DE ÓRGÃOS COLEGIADOS E APOIO A FÓRUNS E REDES

ANEXO II CONDIÇÕES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA APOIO E/ OU IMPLANTAÇÃO DE ÓRGÃOS COLEGIADOS E APOIO A FÓRUNS E REDES ANEXO II CONDIÇÕES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA APOIO E/ OU IMPLANTAÇÃO DE ÓRGÃOS COLEGIADOS E APOIO A FÓRUNS E REDES I ÁREAS DE INTERESSE Criança e Adolescente Apoio aos Fóruns, Comitês, Associações

Leia mais