Mais recente e mais profundo: Treptichnus (Phycodes) pedum (Seilacher) no Devónico Inferior de Barrancos, Zona de Ossa Morena (Portugal)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mais recente e mais profundo: Treptichnus (Phycodes) pedum (Seilacher) no Devónico Inferior de Barrancos, Zona de Ossa Morena (Portugal)"

Transcrição

1 Comunicações Geológicas, 2008, t. 95, pp Mais recente e mais profundo: Treptichnus (Phycodes) pedum (Seilacher) no Devónico Inferior de Barrancos, Zona de Ossa Morena (Portugal) Younger and deeper: Treptichnus (Phycodes) pedum (Seilacher) from the Lower Devonian of Barrancos, Ossa Morena Zone (Portugal) C. NETO DE CARVALHO 1 Palavras-chave: Treptichnus pedum; turbiditos; Devónico Inferior; Barrancos; Portugal. Resumo: A ocorrência de Treptichnus (Phycodes) pedum (SEILACHER, 1955) é identificada pela primeira vez em Portugal na colecção de Nery Delgado (geólogo pioneiro nos estudos estratigráficos, paleontológicos e icnológicos do Paleozóico Inferior de Portugal) do Museu Geológico do LNEG-IGM (Litoteca de Alfragide), proveniente dos turbiditos da Formação de Terena (Devónico Inferior de Barrancos, Zona de Ossa Morena). Esta é a primeira ocorrência de Treptichnus pedum descrita em Portugal. As suas características morfológicas permitem distinguir Treptichnus pedum das várias ocorrências do icnogénero Phycodes, nomeadamente em fácies turbidíticas análogas. A forma agora descoberta poderá estender a evolução do famoso fóssil-guia da transição Proterozóico-Câmbrico ao Devónico Inferior e regista uma possível tendência do desaparecimento de Treptichnus pedum em fácies litorais típicas (icnofácies de Cruziana) no sentido da colonização de ambientes marinhos profundos. Keywords: Treptichnus pedum; turbidites; Lower Devonian; Barrancos; Portugal. Abstract: An occurrence of Treptichnus (Phycodes) pedum (SEILACHER, 1955) was identified in the collection of the Nery Delgado (Portuguese pioneer on Paleozoic stratigraphy and paleontology namely ichnology from the Lower Paleozoic) stored in the Geological Museum of the Portuguese Geological Survey (LNEG-IGM). It is the first reference for Treptichnus pedum in Portugal. The specimen came from the turbidites of Terena Formation (Lower Devonian from Barrancos). The two morphotypes of Treptichnus pedum are distinguished from several occurrences of the igén. Phycodes, namely in palaeoenvironmentally similar turbidite deposits. The trace fossil found may extend the evolution of the famous ichnospecies that defines the transition Proterozoic-Cambrian worldwide to Lower Devonian. Treptichnus pedum from Barrancos may also register a trend for retreating from its typical shallow marine facies (Cruziana ichnofacies) during Lower Ordovician towards the colonization of deep sea settings. This was an aptive trend, where fodinichnia detritivores and some specialized pascichnia lost competitivity across Paleozoic biological escalation for newly evolved solutions. Many behaviors were remitted to deeper ecotones but with similar sedimentary conditions of the primary environments where they were developed. With the presence of Treptichnus pedum in Barrancos may be confirmed that, also for its producer, there was the ultimate search for the deep sea before final extinction. INTRODUÇÃO das formações onde ocorrem, sobretudo quando não existem outros indicadores fósseis preservados. Estes são A importância dos icnofósseis como fósseis de idade os casos das icnoespécies de Cruziana e de Oldhamia, bem é extremamente reduzida devido à recorrência da maioria como o famoso caso de Treptichnus (Phycodes) pedum dos icnotaxa ao longo do registo estratigráfico. É esta re- (vide SEILACHER, 2007). corrência que lhes confere uma elevada reputação en- Treptichnus pedum (SEILACHER, 1955) tem a particuquanto indicadores para correlação paleoambiental. No laridade de ter sido escolhido como marcador da tranentanto, existem icnotaxa com padrões morfológicos su- sição Neoproterozóico-Câmbrico (NARBONNE et al., 1987), ficientemente distintos a nível icnoespecífico e uma dis- um pouco por todo o mundo. No entanto, sabe-se hoje tribuição geográfica lata para um intervalo evolutivo mais que esta icnoespécie apresenta uma distribuição que recurto que permitem uma datação mais ou menos rigorosa monta ao Neoproterozóico e que se estende bem para lá 1 Geopark Naturtejo da Meseta Meridional UNESCO European and Global Geopark; Gabinete de Geologia e Paleontologia. Joaquim Morão, Idanha-a-Nova, Portugal. Telf.: (+351) INETI Todos os direitos reservados.

2 168 do seu limite com o Paleozóico. Esta contribuição pretende justamente descrever a mais recente ocorrência de Treptichnus pedum no registo estratigráfico mundial, que se tem conhecimento. Complementarmente, Treptichnus pedum é visto como exemplo de um padrão recorrente de icnotaxa pertencentes à icnofácies de Cruziana, em que as formas fodinichnia mais recentes tendem a ocorrer em ambientes marinhos mais profundos, neste caso associados a turbiditos. TREPTICHNUS PEDUM DO DEVÓNICO INFERIOR DE BARRANCOS O espécime encontrado na colecção Nery Delgado depositada no Museu Geológico do Laboratório Nacional de Energia e Geologia (LNEG-IGM) provém das proxi- C. NETO DE CARVALHO midades do v. g. da Gata, Barrancos, numa jazida identificada a 1300 m N22ºE do vértice geodésico citado. A sua localização estratigráfica identificada na etiqueta reporta-se ao corte de Santo Aleixo a Eiras Altas, camada 11 nº 3 de Nery Delgado (DELGADO, 1908). Esta unidade pertence à Formação de Terena, sector de Estremoz-Barrancos na Zona de Ossa Morena (ZOM) (PIÇARRA, 2000; Fig. 1). A Formação de Terena, desenvolvida numa estrutura em sinclinal que se estende de Estremoz a Aracena (Espanha), é composta por uma sedimentação essencialmente turbidítica, com ritmos de xistos cinzentos e grauvaques finos. A base da formação tem uma componente detrítica mais grosseira, chegando a existir espessos níveis conglomeráticos. É daqui que a amostra tem origem, de quartzitos cinzentos micáceos em níveis delgados, com grau- Fig. 1 Localização da jazida com Treptichnus pedum estudada, no mapa geológico de Barrancos (A) e na coluna estratigráfica local (B), assinalada com um quadrado a negro. Mapa e estratigrafia de PIÇARRA (2000). Legenda da estratigrafia: XN Formação dos Xistos com Nódulos; Os Formação de Ossa; Te Formação de Terena; Co Formação de Colorada; Fa Formação de Fatuquedo; Ru Formação de Russianas; XP Formação dos Xistos com Phyllodocites; CI Complexo Ígneo de Barrancos. Escala = 2 km. Location of the road cut where the studied Treptichnus pedum was found, both in the geological map of Barrancos (A) and the local stratigraphic log (B), signaled by a dark square. Map and stratigraphy of PIÇARRA (2000). Stratigraphic legend: XN Schists with Nodules Formation; Os Ossa Formation; Te Terena Formation; Co Colorada Formation; Fa Fatuquedo Formation; Ru Russianas Formation; XP Xistos com Phyllodocites Formation; CI Barrancos Igneous Complex. Bar scale = 2km.

3 Mais recente e mais profundo: Treptichnus (Phycodes) pedum (Seilacher) no Devónico Inferior de Barrancos, Zona de Ossa Morena (Portugal) 169 vaques subordinados (DELGADO, 1908). Também na base ocorrem lentículas carbonatadas com fragmentos dispersos de artículos de crinóides e fragmentos de vegetais (PIÇARRA, 2000). No que respeita à idade, na base da sequência da Fm. Terena ocorrem graptólitos da Biozona de Monograptus hercynicus e esporos que permitem uma datação do Lochkoviano alto (PIÇARRA, 1997; PIÇARRA et al., 1999). Os níveis mais altos da sucessão atingem o Praguiano-Emsiano (biozonas de Verrucosisporites polygonalis-dictyotriletes emsiensis e Emphanisporites annulatus-camarozonotriletes sextanti; PEREIRA et al., 1998, 1999). A geometria das fácies aponta para um acarreio detrítico grosseiro bem vincado nos bordos da bacia, havendo uma sedimentação fina no centro, com algumas intercalações de grauvaques e raros debris-flows com origem a partir de elevações intrabasinais (OLIVEIRA, 1984). O exemplar estudado pertence à colecção Nery Delgado (Fig. 2). Trata-se de um pequeno fragmento de camada de arenito quártzico de grão fino, com cerca de 1 cm de espessura, e que mostra duas estruturas com o mesmo tipo de preservação em hiporrelevo convexo e preenchimento semelhante à matriz. O icnofóssil identificado como Treptichnus pedum é composto por uma alternância de segmentos rectilíneos modulares com direcções distintas mas unidos por um ângulo agudo, projectados a partir do segmento precedente, formando um padrão contínuo em Z (Fig. 2A). Estas projecções curvam para cima e nunca ramificam. O curso da escavação é linear. Os segmentos não apresentam qualquer ornamentação, atingindo comprimentos de 8-15 mm. O segundo icnofóssil, também encontrado na mesma amostra, tem um curso em arco, apresentando fiadas de escavações rectilíneas menos bem preservadas, mas separadas por um ângulo muito pequeno e com uma orientação comum (Fig. 2A). JENSEN (1997) e JENSEN & GRANT (1998) fazem a distinção entre Treptichnus MILLER, 1889 e o icnogénero Phycodes Richter, Enquanto que Treptichnus corresponde a segmentos simples ou em Z curvos, interligados formando um único sistema tridimensional (veja-se também BUATOIS & MÁNGANO, 1993), Phycodes apresenta um ou poucos túneis primários não ramificados que distalmente dão origem a formas variadas ou a sistemas de escavações secundariamente ramificadas (PICKERILL et al., 1994; Fig. 2B). Segundo HAN & PICKERILL (1994), é o estilo e disposição destas ramificações secundárias que leva à diferenciação das suas icnoespécies. Tal como Treptichnus pedum, Phycodes é típico da icnofácies de Cruziana, embora possa ser encontrado em meio marinho profundo associado a ambientes turbidíticos (HAN & PICKERILL, 1994, PICKERILL et al., 1994). Em Portugal, Phycodes isp. foi identificado no Ediacarano Superior do Grupo das Fig. 2 Treptichnus pedum do Devónico Inferior da Formação de Terena, Barrancos. A Perspectiva geral do espécime LNEG1200 com os dois morfotipos considerados. B LNEG1508: Phycodes wabanensis Fillion & Pickerill encontrado na sequência turbidítica do Grupo Flysch do Baixo Alentejo. O túnel-mestre ramifica num ângulo muito agudo para formar um sistema de galerias em forma de vassoura, quase paralelos e sucessivos, inclinados para a esquerda, na fotografia. É característica a ornamentação anelar transversa das escavações. Escala = 30 mm. Treptichnus pedum from Lower Devonian of Terena Formation in Barrancos. A General view of the specimen LNEG1200 with the two studied traces. B LNEG1508: Phycodes wabanensis Fillion & Pickerill found in the turbiditic sequence from the Baixo Alentejo Flysch Group. The main tunnel ramifies in a very acute angle to form a broom-shaped burrow system, almost parallel and successive, bending to the left side of the photo. Typical ichnotaxonomic features the transverse ring-style ornamentation of the burrows. Scale = 30 mm.

4 170 Beiras, em ambientes de plataforma em bacias pull-apart (MEDINA et al. 1998) e em fácies costeiras do Ordovícico Inferior da Formação do Quartzito Armoricano (amostra do Museu Geológico do LNEG, proveniente da Serra do Fontão, Valongo, classificado como Vexillum? por DELGADO, 1888, p. 75, est. VIIIa, fig.2), do Jurássico Médio da Bacia Lusitânica (Cylindrites lusitanicus de HEER, 1881) e do Miocénico superior da Formação de Cacela (CACHÃO et al., 2000). Phycodes foi ainda tentativamente identificado em turbiditos distais do Ordovícico Inferior da Formação de Xistos com Phyllodocites (DELGADO, 1910; est. 47, fig. 1) por ROBARDET et al., (1998) e PIÇARRA (2000). Durante a análise da colecção de Nery Delgado, observou-se Phycodes wabanensis Fillion & Pickerill (1990) em amostras dos turbiditos carbónicos do Grupo Flysch do Baixo Alentejo, próximo do Monte do Gavião, Aljustrel (Fig. 2B) associado a Nereites, Chondrites e Neonereites, assim como Phycodes isp. na Mina de Minancos, 1080 m S42ºE do Monte da Coitadinha, Barrancos (LNEG1236). O icnogénero Treptichnus é identificado pela primeira vez em Portugal no presente trabalho. Treptichnus pedum encontra-se associado a numerosas escavações do tipo Nereites ispp., Lophoctenium ispp. e Phycosiphon provenientes da Formação de Terena e característicos da icnofácies de Nereites. Estes icnofósseis deverão ser descritos a posteriori. Referentes à jazida onde foi encontrado Treptichnus pedum ocorrem ainda Chondrites isp. e Gordia marina (Emmons), também identificados na colecção Nery Delgado (LNEG1200 e 1198), para além de Nereites observadas in situ (DELGADO, 1908). Embora os primeiros icnogéneros não sejam característicos da icnofácies de Nereites, testemunham variações nas condições de oxigenação dos sedimentos argilosos, com a existência de eventos disóxicos intercalados nos turbiditos, a grande profundidade. O produtor de Treptichnus é interpretado como um detritívoro vermiforme capaz de produzir uma estrutura de alimentação sistemática, com uma prospecção rítmica, em que cada segmento se desenvolve no sentido da interface água-sedimento. Desta forma, a principal actividade deu-se ao longo da fina camada de areia, de onde o animal emergiu à superfície em cada segmento (SEILACHER, 1997). A IMPORTÂNCIA DO ACHADO NO CONTEXTO DA EVOLUÇÃO DE UM COMPORTAMENTO TIPICAMENTE FANEROZÓICO Treptichnus pedum é um dos icnofósseis mais importantes e bem conhecidos do registo estratigráfico mun- C. NETO DE CARVALHO dial. Com efeito, o GSSP do Câmbrico na Chapel Island Formation (Terra Nova, Canadá) foi definido com base na primeira ocorrência de uma assembleia de icnofósseis, incluindo as famosas escavações tridimensionais (Treptichnus pedum), as primeiras marcas de locomoção de artrópodes (Monomorphichnus) e vários icnotaxa do tipo escavações em forma de tigela, como Bergaueria (NARBONNE et al., 1987, LANDING, 1994). A utilização da Zona de Treptichnus pedum em função de biozonas de somatofósseis mostra a consistência na ordem do aparecimento das icnoassociações observadas em numerosas sucessões siliciclásticas que atravessam o limite Proterozóico-Câmbrico, por todo o mundo (GEHLING et al., 2001). No entanto, hoje sabe-se que Treptichnus pedum também pode ocorrer no Neoproterozóico (GEHLING et al., 2001) até ao Ordovícico basal (FILLION & PICKERILL, 1990; SEILACHER, 2007). Com a descrição de Treptichnus pedum no Devónico Inferior de Barrancos no presente trabalho, estende-se a distribuição temporal desta icnoespécie até para além do Paleozóico Inferior (Devónico Inferior). A presença de Treptichnus pedum nos turbiditos da Formação de Terena é sintomática de uma tendência de ocupação dos nichos marinhos profundos (e.g., UCHMAN, 2004; SEILACHER, 2007). De facto, icnofósseis como Palaeodictyon, Nereites, Oldhamia, Zoophycos ou, mais recentemente, os ophiomorphídeos surgiram no Câmbrico em fácies marinhas superficiais, tendo progressivamente ocupado ou mesmo sido remetidos a condições sedimentares de grande profundidade. Esta é uma escalada aptativa no sentido de GOULD & VRBA (1982), em que detritívoros fodinichnia e alguns pascichnia especializados perdem competitividade durante a Escalada do Paleozóico (sensu VERMEIJ, 1987) em função de novas soluções evolutivas, e vêem-se remetidos a ecótonos progressivamente mais profundos, mas que mimetizam as condições sedimentares dos ambientes de que foram originários. Com a ocorrência de Treptichnus pedum em Barrancos pode confirmar-se que, também para o seu produtor, houve a derradeira procura dos fundos oceânicos antes da extinção final. BIBLIOGRAFIA BUATOIS, L. A. & MÁNGANO, M. G. (1993) The ichnotaxonomic status of Plangtichnus and Treptichnus. Ichnos, 2(3): CACHÃO, M., DE GIBERT, J. M., MAYORAL, E., MUÑIZ, F. & DA SILVA, C. M. (2000) Paleoicnologia da Formação de Cacela (Miocénio Superior), Algarve, Portugal: dados preliminares. I Congresso Ibérico de Paleontologia/XVI Jornadas de la Sociedad Española de Paleontologia: 5-7.

5 Mais recente e mais profundo: Treptichnus (Phycodes) pedum (Seilacher) no Devónico Inferior de Barrancos, Zona de Ossa Morena (Portugal) 171 DELGADO, J. F. N. (1888) Terrenos paleozóicos de Portugal: Estudo sobre os Bilobites e outros fósseis das quartzites da base do Systema Silurico de Portugal (Supplemento). Memória da Commissão dos Trabalhos Geológicos de Portugal, Lisboa, 75p. (1908) Systéme Silurique du Portugal. Étude de stratigraphie paléontologique. Memoire de la Commission du Service Géologique de Portugal, Lisboa, 233p. (1910) Terrains paléozoïques du Portugal: - Étude sur les fossiles des schistes à Néréites de San Domingos et des schistes à Néréites et à Graptolites de Barrancos (obra póstuma). Memória da Comissão dos Serviços Geológicos de Portugal, Lisboa, 68p. FILLION, D. & PICKERILL, R. K. (1990) Ichnology of the Upper Cambrian (?) to Lower Ordovician Bell Island and Wabana groups of eastern Newfoundland, Canada. Palaeontographica Canadiana, 7, 119p. GEHLING, J. G., JENSEN, S., DROSER, M. L., MYROW, P. M. & NARBONNE, G. M. (2001) Burrowing below the basal Cambrian GSSP, Fortune Head, Newfoundland. Geological Magazine, 138(2): GOULD, S. J. & VRBA, E. S. (1982) Exaptation - a missing term in the science of form. Palaeobiology, 8: HAN, Y. & PICKERILL, R. K. (1994) Phycodes templus isp. nov. from the Lower Devonian of northwestern New Brunswick, eastern Canada. Atlantic Geology, 30: HEER, O. (1881) Contributions à la flore fossile du Portugal. Sec. Trav. Geol. Port., Lisboa, 51p. JENSEN, S. (1997) Trace fossils from the Lower Cambrian Mickwitzia sandstone, south-central Sweden. Fossils and Strata, 42: JENSEN, S. & GRANT, S. W. (1998) Trace fossils from the Dividalen Group, northern Sweden: implications for early Cambrian biostratigraphy of Baltica. Norsk Geologisk Tidsskrift, 78: LANDING, E. (1994) Precambrian-Cambrian boundary global stratotype ratified and a new perspective of Cambrian time. Geology, 22: MEDINA, J., RODRÍGUEZ ALONSO, M. D. & ALONSO GAVILÁN, G. (1998) Sedimentação em plataforma siliciclástica do Grupo das Beiras (C.X.G.) na região do Caramulo-Buçaco (Portugal Central). Comunicações do Instituto Geológico e Mineiro, 85: NARBONNE, G. M., MYROW, P. M., LANDING, E. & ANDERSON, M. M. (1987) A candidate stratotype for the Precambrian-Cambrian boundary, Fortune Head, Burin Peninsula, southeast Newfoundland. Canadian Journal of Earth Sciences, 24: OLIVEIRA, J. T. (1984) Sedimentação clástica profunda: turbiditos, flysch e sedimentos associados. Geonovas, 6: PEREIRA, Z., PIÇARRA, J. M. & OLIVEIRA, J. T. (1998) Palinomorfos do Devónico Inferior da região de Barrancos (Zona de Ossa Morena). Actas do V Congresso Nacional de Geologia, Comunicações do Instituto Geológico e Mineiro, 84(1): A PEREIRA, Z., PIÇARRA, J. M. & OLIVEIRA, J. T. (1999) Lower Devonian palynomorphs from the Barrancos region, Ossa Morena Zone, Portugal. Bolletino della Societá Paleontologica Italiana, 38(2-3): PIÇARRA, J. M. (1997) Nota sobre a descoberta de graptólitos do Devónico Inferior na Formação de Terena, em Barrancos (Zona de Ossa Morena). In: A. Araújo & F. Pereira (eds.), Estudos sobre a Geologia da Zona de Ossa-Morena (Maciço Ibérico). Livro de homenagem ao Prof. Francisco Gonçalves, Univ. Évora: PIÇARRA, J. M. (2000) Estudo estratigráfico do Sector de Estremoz- Barrancos, Zona de Ossa Morena, Portugal. Vol. II - Bioestratigrafia do intervalo Ordovícico-Devónico Inferior. Universidade de Évora, pp PIÇARRA, J. M., LE MENN, J., PEREIRA, Z., GOURVENNEC, R., OLIVEIRA, J. T. & ROBARDET, M. (1999) Novos dados sobre o Devónico Inferior de Barrancos (Zona de Ossa Morena, Portugal). Temas Geológico-Mineros, ITGE, 26: PIÇARRA, J. M., LE MENN, J., PEREIRA, Z., GOURVENNEC, R., OLIVEIRA, J. T. & PICKERILL, R. K., NORMAN, Y. & HAN, Y. (1994) New occurrence of Phycodes templus Han and Pickerill, 1994 with a taxonomic reassessment of Yangziichnus yichangensis Yang, Atlantic Geology, 31: 1-5. ROBARDET, M., PIÇARRA, J. M., STORCH, P., GUTIÉRREZ-MARCO, J. C. & SARMIENTO, G. N. (1998) Ordovician and Silurian stratigraphy and faunas (graptolites and conodonts) in the Ossa Morena Zone of the SW Iberian Península (Portugal and Spain). In: J. C. Gutiérrez-Marco & I. Rábano (eds), Proceedings 6th International Graptolite Conference (GWG-IPA) & 1998 Field Meeting, IUGS Subcommission on Silurian Stratigraphy. Temas Geológico-Mineros ITGE, 23: SEILACHER, A. (1955) Spuren und fazies im Unterkambrium. In: O. Schindewolf & A. Seilacher (eds), Beiträge zur Kenntnis des Kambriums in der Salt Range (Pakistan). Akademie der Wissenschaften un der Literatur, Mainz, Abhandlungen der mathematisch-naturwissenschaftlichen Klasse, 10: (2007) Trace Fossil Analysis. Springer-Verlag, Berlin Heidelberg, 226p. UCHMAN, A. (2004) Phanerozoic history of deep-sea trace fossils. In: D. McIlroy (Ed.), The application of Ichnology to palaeoenvironmental and stratigraphic analysis. Geological Society, London, Special Publications, 228: VERMEIJ, G. J. (1987) Evolution and Esclation. Princeton University Press, New Jersey, pp Artigo recebido em Novembro de 2008 Aceite em Dezembro de 2008

6 INSTRUÇÕES AOS AUTORES Estatuto Editorial Comunicações Geológicas é uma revista anual, que publica artigos de investigação científica no âmbito das Geociências, Arqueologia, História da Geologia Portuguesa e do património geológico nacional. O domínio geográfico é, principalmente, o do território português, podendo, no entanto, alargar-se a outras regiões cujos resultados tenham interesse para a geologia portuguesa ou sejam considerados relevantes para as Ciências da Terra. A revista poderá integrar artigos de autores especialmente convidados, que desenvolvam temas de carácter geral no âmbito acima referido, sendo esta situação assinalada em rodapé na 1.ª página do artigo ou, ainda, notícias de carácter informativo. Geral Os autores devem apresentar os seus artigos dentro das normas estabelecidas e publicadas no final da revista. Cada artigo, exceptuando os dos autores convidados, é avaliado pelo menos por um dos membros da Comissão Editorial, sendo seguidamente apreciado por dois referee anónimos, podendo ser recusada a sua publicação. Os nomes dos referee e da instituição a que pertencem constarão no início do volume respectivo, salvo o daqueles que não o autorizarem. Os artigos submetidos a publicação não podem ser enviados a outras revistas. Os direitos de autor dos artigos publicados são propriedade institucional, não se autorizando a sua reprodução total ou parcial, mesmo sob a forma de tradução em língua diferente, sem prévia autorização escrita do director das Comunicações. Normas de publicação 1 Os artigos e os resumos poderão ser escritos em português, francês, espanhol ou inglês. Em qualquer dos casos deverão ser sempre acompanhados de um resumo em inglês. 2 O original dactilografado em papel A4, a dois espaços, deverá ser enviado ao editor acompanhado de três cópias, CD ou correio electrónico. Nos manuscritos devem figurar o título do artigo, o nome, a morada, telefone ou fax e do autor responsável pela correspondência. Na primeira página deverão figurar o título do artigo, com a sua tradução em inglês, e a indicação dos autores pelas iniciais dos primeiros nomes seguidas pelo último nome. A morada e nome das instituições onde os autores exercem a sua actividade virão em rodapé. 3 Resumo: na língua original do artigo e em português com o máximo 150 palavras. Palavras-chave:com o máximo 9 palavras. 4 Resumo em inglês: todos os artigos escritos em qualquer uma das línguas deve incluir um resumo em inglês, alargado, com cerca de 400 palavras. Palavras-chave em inglês com o máximo 9 palavras. 5 Quadros, gráficos e ilustrações: todas as figuras a incluir no texto devem ser numeradas com algarismos árabes, ter legendas explicativas claramente localizadas no texto, em folha separada e sempre traduzidas em inglês. As estampas deverão vir montadas. Para casos específicos serão consideradas ilustrações, em estendido, para além da mancha, bem como fotos a cor. 6 Referências: as referências bibliográficas, no texto, deverão conter apenas o último nome do autor, em versaletes, seguido da data de edição, entre parêntesis. 7 Bibliografia: no fim do texto, e deve ser escrita por ordem alfabética do último nome dos autores, seguindo-se a data da edição (entre parêntesis), título da obra, em itálico, editor, paginação. Caso se trate de artigo periódico, a seguir ao título, mencionar: título do periódico em itálico, local de edição, volume ou tomo (a negro), fascículo ou parte (entre parêntesis) e paginação. 8 Separatas: Serão distribuídas 50 separatas ao(s) autor(es), sem capa. Caso estes desejem maior número de exemplares, devê-lo-ão comunicar aquando da devolução das 1. as provas tipográficas, responsabilizando-se pelos custos respectivos.

7 INSTRUCTIONS FOR AUTHORS Aims and Scope Comunicações Geológicas is an annual scientific publication. It publishes articles on the Geosciences, Archaeology, History of Portuguese Geology and on the conservation of national geological sites. The geographic domain is fundamentally the Portuguese territory, but it can be extended to other regions whenever the scientific content of articles is relevant to Portuguese geology or to the earth sciences in general. The journal can also include news and useful information, and articles of authors especially invited to make their contributions on the above topics, in which case a footnote on the first page will state this situation. General Authors must present their articles in accordance with the Instructions for Authors, which are printed on the last page of each issue. With the exception of invited contributors, each article is reviewed by at least one member of the Editorial Board after which it will normally be sent at least to two anonymous referees who will assess the paper. Articles that do not meet the scientific standards of the journal may be refused publication. In this case, the article will be returned to the author. The names of the referees and of the institutions to which they belong are printed at the beginning of each issue, except in cases in which a referee might prefer to maintain his/er anonymity. Articles submitted to this journal cannot be submitted to other periodicals. Copyright of all published articles is institutional property. The total or partial reproduction of the articles is strictly forbidden even if translated into other languages without the prior written permission of the editor. Manuscript instructions 1 Articles and abstracts may be written in Portuguese, French, Spanish or English. However, an additional abstract in English is always required. 2 One original and three copies of the manuscript should be submitted to the Editor together with a CD or by . The text should be typed double space on single-sided, A4-sized paper. Manuscripts should bear the name, address, telephone or fax and of the author to whom the correspondence should be sent. The front page should display the full title of the paper with its English translation and the first name, middle initial (if applicable) and last name of each author, as well as a footnote with the author s address or workplace. 3 Abstract: In the original language of the article with no more than 150 words. Key-words:In the original language and no more than 9 words. 4 Abstract in English: All articles written in one of the three languages other than English must include an extended abstract in English of no more than 400 words. Key-words:In English with no more than 9 words. 5 Tables, graphics and illustrations: tables, graphics and illustrations must be numbered consecutively in Arabic numerals and printed on separate sheets with captions in the original language and in English, describing briefly its content. Captions should be clearly located in the text. Illustrations and photographs should be sent in film or in diskette. 6 References: Bibliographical references in the text should refer solely to the author s last name in capital letters followed by the date of publication, all in brackets. 7 Bibliography: At the end of the text, the bibliography should be written in alphabetical order by authors last name. References to books should mention the name of the author(s) followed by the year of publication in brackets, the title in italics, place of publication, publisher and page numbers. References to articles should contain the author s name and date in brackets followed by the title, the name of the periodical in italics, publisher, place of publication, volume in bold print, and page numbers. 8 Reprints: Fifty free reprints will be provided for each paper. Additional reprints may be supplied, provided the author pays for mailing expenses and makes his/er request to the Editor at the time s/he returns the galley proofs.

NORMAS PARA AUTORES. As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt.

NORMAS PARA AUTORES. As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt. NORMAS PARA AUTORES As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt. COPYRIGHT Um artigo submetido à Revista Portuguesa

Leia mais

Intellectual Property. IFAC Formatting Guidelines. Translated Handbooks

Intellectual Property. IFAC Formatting Guidelines. Translated Handbooks Intellectual Property IFAC Formatting Guidelines Translated Handbooks AUTHORIZED TRANSLATIONS OF HANDBOOKS PUBLISHED BY IFAC Formatting Guidelines for Use of Trademarks/Logos and Related Acknowledgements

Leia mais

REGULAMENTO REGULATION

REGULAMENTO REGULATION REGULAMENTO REGULATION Estatuto Editorial Editorial Statement 1. A Revista Portuguesa de Marketing (RPM) é uma revista de cariz científico e académico publicada pelo Instituto Português de Administração

Leia mais

INTRODUÇÃO GEOLÓGICA (SEDIMENTAR, ESTRATIGRÁFICA, TECTÓNICA E CARACTERIZAÇÃO PALEOAMBIENTAL) Trilobita.

INTRODUÇÃO GEOLÓGICA (SEDIMENTAR, ESTRATIGRÁFICA, TECTÓNICA E CARACTERIZAÇÃO PALEOAMBIENTAL) Trilobita. Paleoicnologia da Formação do Quartzito Armoricano (Ordovícico Inferior) em Portugal: implicações em Paleoecologia e Paleoetologia (dados preliminares) C. NETO DE CARVALHO 1.2, C. DETRY 2.3 & M. CACHÃO

Leia mais

學 術 研 究 獎 學 金 申 請 表. Bolsas de Investigação Académica Boletim de Candidatura. Academic Research Grant Application Form

學 術 研 究 獎 學 金 申 請 表. Bolsas de Investigação Académica Boletim de Candidatura. Academic Research Grant Application Form 澳 門 特 別 行 政 區 政 府 Governo da Região Administrativa Especial de Macau 文 化 局 Instituto Cultural 學 術 研 究 獎 學 金 申 請 表 ( 根 據 學 術 研 究 獎 學 金 規 章 第 九 條 第 一 款 ) Bolsas de Investigação Académica Boletim de Candidatura

Leia mais

4. PLACEMENT OFFERED Number of Placement offered: Two places in the Romantic Museum of Macieirinha Farm.

4. PLACEMENT OFFERED Number of Placement offered: Two places in the Romantic Museum of Macieirinha Farm. 1. COMPANY Porto City Hall - www.cm-porto.pt Municipal Department of Museums and Cultural Heritage 2. LOCATION Rua Entre Quintas, 219 4050-240 Porto Portugal 3. MAIN ACTIVITY The Municipal Department of

Leia mais

Uma colecção centenária, de fósseis de Cacela: um património museológico com relevância científica e histórica 1

Uma colecção centenária, de fósseis de Cacela: um património museológico com relevância científica e histórica 1 Uma colecção centenária, de fósseis de Cacela: um património museológico com relevância científica e histórica 1 José M. Brandão INETI / CEHFC- Universidade de Évora Abstract: The Geological Museum (INETI,

Leia mais

Câmara Municipal de Valongo Geologia no Verão. Helena Couto. Departamento de Geologia Faculdade de Ciências da Universidade do Porto

Câmara Municipal de Valongo Geologia no Verão. Helena Couto. Departamento de Geologia Faculdade de Ciências da Universidade do Porto Câmara Municipal de Valongo Geologia no Verão Helena Couto Departamento de Geologia Faculdade de Ciências da Universidade do Porto 2002 Introdução O Parque Paleozóico de Valongo, criado em 1998, é o resultado

Leia mais

TÍTULO EM FONTE ARIAL, CORPO 12, BOLD, CAIXA ALTA, CENTRALIZADO, ENTRELINHA SIMPLES E NÃO ULTRAPASSANDO DUAS LINHAS

TÍTULO EM FONTE ARIAL, CORPO 12, BOLD, CAIXA ALTA, CENTRALIZADO, ENTRELINHA SIMPLES E NÃO ULTRAPASSANDO DUAS LINHAS TÍTULO EM FONTE ARIAL, CORPO 12, BOLD, CAIXA ALTA, CENTRALIZADO, ENTRELINHA SIMPLES E NÃO ULTRAPASSANDO DUAS LINHAS Nome Completo / Instituição Antônio da Silva / Universidade Fictícia do Brasil RESUMO

Leia mais

INSTRUÇÕES INSTRUCTIONS

INSTRUÇÕES INSTRUCTIONS INSTRUÇÕES INSTRUCTIONS DOCUMENTAÇÃO A APRESENTAR PELOS CANDIDATOS PARA AVALIAÇÃO Os candidatos devem apresentar para avaliação da candidatura a seguinte documentação: a) Prova da nacionalidade (BI, passaporte.);

Leia mais

Interface between IP limitations and contracts

Interface between IP limitations and contracts Interface between IP limitations and contracts Global Congress on Intellectual Property and the Public Interest Copyright Exceptions Workshop December 16, 9-12:30 Denis Borges Barbosa The issue Clause

Leia mais

RESGATE DE FÓSSEIS EM REABERTURA DE AFLORAMENTO NA ÁREA URBANA DE PONTA GROSSA, PR

RESGATE DE FÓSSEIS EM REABERTURA DE AFLORAMENTO NA ÁREA URBANA DE PONTA GROSSA, PR RESGATE DE FÓSSEIS EM REABERTURA DE AFLORAMENTO NA ÁREA URBANA DE PONTA GROSSA, PR 54 SEDORKO, Daniel LUZ, Daniel Zadra LIMA, Michele Martha Weber BOSETTI, Elvio Pinto Introdução A Paleontologia avança

Leia mais

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Portuguese Lesson A Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Story Time is a program designed for students who have already taken high school or college courses or students who have completed other

Leia mais

Português 207 Portuguese for Business

Português 207 Portuguese for Business Português 207 Portuguese for Business Spring 2012: Porugal and the EU Instructor: Jared Hendrickson Office: 1149 Van Hise Office Hours: Monday and Thursday, 11:00 am-12:00 pm e-mail: jwhendrickso@wisc.edu

Leia mais

Versão: 1.0. Segue abaixo, os passos para o processo de publicação de artigos que envolvem as etapas de Usuário/Autor. Figura 1 Creating new user.

Versão: 1.0. Segue abaixo, os passos para o processo de publicação de artigos que envolvem as etapas de Usuário/Autor. Figura 1 Creating new user. Órgão: Ministry of Science, Technology and Innovation Documento: Flow and interaction between users of the system for submitting files to the periodicals RJO - Brazilian Journal of Ornithology Responsável:

Leia mais

NORMAS PARA OS COLABORADORES

NORMAS PARA OS COLABORADORES NORMAS PARA OS COLABORADORES A Revista Brasileira de Estudos Políticos somente aceita trabalhos inéditos. Os textos deverão versar sobre a Linha Editorial da revista, cujo detalhamento consta da quarta-

Leia mais

2 Regulations for the submission of manuscripts

2 Regulations for the submission of manuscripts Instructions to authors 1 Scope The purpose of Salusvita, a quarterly journal edited by the Universidade do Sagrado Coração USC (Sacred Heart University), is to publish original articles, review articles

Leia mais

LÍNGUA INGLESA CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA AULA. Conteúdo: Reading - Typographic Marks

LÍNGUA INGLESA CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA AULA. Conteúdo: Reading - Typographic Marks Conteúdo: Reading - Typographic Marks Habilidades: Utilizar as Marcas Tipográficas para facilitar a compreensão e também chamar a atenção do leitor. Typographic Marks O que são marcas tipográficas? As

Leia mais

Erasmus Student Work Placement

Erasmus Student Work Placement Erasmus Student Work Placement EMPLOYER INFORMATION Name of organisation Address Post code Country SPORT LISBOA E BENFICA AV. GENERAL NORTON DE MATOS, 1500-313 LISBOA PORTUGAL Telephone 21 721 95 09 Fax

Leia mais

MODELO PARA A FORMATAÇÃO DOS ARTIGOS A SEREM SUBMETIDOS À REVISTA GESTÃO INDUSTRIAL

MODELO PARA A FORMATAÇÃO DOS ARTIGOS A SEREM SUBMETIDOS À REVISTA GESTÃO INDUSTRIAL Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR Campus Ponta Grossa - Paraná - Brasil ISSN 1808-0448 / v. 04, n. 03: p. xx-xx, 2008 MODELO PARA A FORMATAÇÃO DOS ARTIGOS A SEREM SUBMETIDOS À REVISTA

Leia mais

F. Raquel R. F. Sousa

F. Raquel R. F. Sousa F. Raquel R. F. Sousa Geologia Aplicada e do Ambiente Geologia Hidrologia Hidrogeologia SIG Arcgis 9.3 10 Morada Data de nascimento Telemóvel E-mail Skype Rua Filipe da Mata, nº 26, 1º direito, 1600 071

Leia mais

Programa: 1º DIA DO SEMINÁRIO 27 DE NOVEMBRO, 2014

Programa: 1º DIA DO SEMINÁRIO 27 DE NOVEMBRO, 2014 SEMINÁRIO Agricultura e Ambiente: conflito de lógicas produtivas? 27 e 28 de novembro Angra do Heroísmo Universidade dos Açores Programa: 1º DIA DO SEMINÁRIO 27 DE NOVEMBRO, 2014 9h00-9h15 9h15-9h30 Receção

Leia mais

A. Situação / Situation

A. Situação / Situation A. Situação / Situation A Assembleia Mundial da Saúde (OMS) aprova em 1969 o Regulamento Sanitário Internacional, revisto pela quarta vez em 2005. Esta última versão entrou em vigor no plano internacional

Leia mais

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO da UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO da UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA PROGRAMA DE INTERCÂMBIO da UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTRUÇÕES INSTRUCTIONS 1. Favor preencher com letra de forma ou digitar todos os campos em português / inglês. Please complete with block letters or

Leia mais

Paleozóico? Helena Couto*, *** & Alexandre Lourenço**,***

Paleozóico? Helena Couto*, *** & Alexandre Lourenço**,*** Departamento de Geologia Paleozóico? Helena Couto*, *** & Alexandre Lourenço**,*** *Professora Associada do Departamento de Geologia da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto **Reitoria da Universidade

Leia mais

UNIVERSITY OF CAMBRIDGE INTERNATIONAL EXAMINATIONS International General Certificate of Secondary Education

UNIVERSITY OF CAMBRIDGE INTERNATIONAL EXAMINATIONS International General Certificate of Secondary Education UNIVERSITY OF CAMBRIDGE INTERNATIONAL EXAMINATIONS International General Certificate of Secondary Education *5148359301* PORTUGUESE 0540/03 Paper 3 Speaking Role Play Card One 1 March 30 April 2013 No

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA MARINHA E AMBIENTES COSTEIROS DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA MARINHA

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA MARINHA E AMBIENTES COSTEIROS DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA MARINHA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA MARINHA E AMBIENTES COSTEIROS DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA MARINHA INSTITUTO DE BIOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE Curso de Mestrado em Biologia Marinha e Ambientes

Leia mais

Edital Revista REABTIC 04/2015

Edital Revista REABTIC 04/2015 Edital Revista REABTIC 04/2015 ESTABELECE NORMAS E DATA PARA A SUBMISSÃO DE ARTIGOS PARA O QUARTO NÚMERO DA REVISTA ELETRÔNICA ARGENTINA-BRASIL DE TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (REABTIC) E

Leia mais

I: Aplicação. Descritiva. propriedade mais. importante. (vista

I: Aplicação. Descritiva. propriedade mais. importante. (vista Noções básicas de Geometria Descritiva e sua aplicação naa análise de estruturas geológicas António Alexandre Araújo (Centro de Geofísica de Évora, Departamento de Geociências, Escola de Ciências e Tecnologia

Leia mais

Gerir referências bibliográficas. APA 6th. EndNote Web

Gerir referências bibliográficas. APA 6th. EndNote Web Gerir referências bibliográficas APA 6th EndNote Web Sumário 1. EndNote Web: instalação do estilo bibliográficos APA 6th... 3 2. Tipologia de documentos: elementos a preencher... 4 2.1 Artigo científico...

Leia mais

Instructions for Authors of SBC Conferences Papers and Abstracts

Instructions for Authors of SBC Conferences Papers and Abstracts Instructions for Authors of SBC Conferences Papers and Abstracts Marta Mattoso COPPE - Universidade Federal do Rio de Janeiro marta@cos.ufrj.br Resumo. Este meta-relatório descreve o estilo a ser usado

Leia mais

MEMORANDUM OF UNDERSTANDING BETWEEN THE COMPETENT AUTHORITIES OF THE PORTUGUESE REPUBLIC AND THE GOVERNMENT OF JERSEY

MEMORANDUM OF UNDERSTANDING BETWEEN THE COMPETENT AUTHORITIES OF THE PORTUGUESE REPUBLIC AND THE GOVERNMENT OF JERSEY MEMORANDUM OF UNDERSTANDING BETWEEN THE COMPETENT AUTHORITIES OF THE PORTUGUESE REPUBLIC AND THE GOVERNMENT OF JERSEY The Competent Authorities of the Portuguese Republic and the Government of Jersey in

Leia mais

ONLINE SUBMISSION Revisor

ONLINE SUBMISSION Revisor ONLINE SUBMISSION Revisor O Brazilian Journal of Medical and Biological Research é parcialmente financiado por: LOG IN Log In REVISOR Brazilian Journal of Medical and Biological O Brazilian Journal Research

Leia mais

PSICOLOGIA em ReVISTA INSTITUTO De PSICOLOGIA DA PUC MINAS

PSICOLOGIA em ReVISTA INSTITUTO De PSICOLOGIA DA PUC MINAS PSICOLOGIA em ReVISTA INSTITUTO De PSICOLOGIA DA PUC MINAS Instruções aos autores Linha editorial Psicologia em Revista, publicação semestral do Instituto de Psicologia da PUC Minas, tem por finalidade

Leia mais

ESTUDO GRANULOMÉTRICO DA PLATAFORMA INTERNA N DO RN, ENTRE GALINHOS E PORTO DO MANGUE

ESTUDO GRANULOMÉTRICO DA PLATAFORMA INTERNA N DO RN, ENTRE GALINHOS E PORTO DO MANGUE Copyright 2004, Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás - IBP Este Trabalho Técnico Científico foi preparado para apresentação no 3 Congresso Brasileiro de P&D em Petróleo e Gás, a ser realizado no período

Leia mais

Museu e Laboratório mineralógico e geológico; Centro de Estudos Geológicos http://hdl.handle.net/10316.2/36503

Museu e Laboratório mineralógico e geológico; Centro de Estudos Geológicos http://hdl.handle.net/10316.2/36503 Massas de ar e sua temperatura em Coimbra Author(s: Published by: Persistent URL: Pereira, Barata Museu e Laboratório mineralógico e geológico; Centro de Estudos Geológicos http://hdl.handle.net/10316.2/36503

Leia mais

REVISTA BRASILEIRA DE FARMÁCIA HOSPITALAR E SERVIÇOS DE SAÚDE

REVISTA BRASILEIRA DE FARMÁCIA HOSPITALAR E SERVIÇOS DE SAÚDE REVISTA BRASILEIRA DE FARMÁCIA HOSPITALAR E SERVIÇOS DE SAÚDE Uma publicação da Sociedade Brasileira de Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde (SBRAFH) A Revista Brasileira de Farmácia Hospitalar e Serviços

Leia mais

學 術 研 究 獎 學 金 申 請 表. Bolsas de Investigação Académica Boletim de Candidatura. Academic Research Grant Application Form

學 術 研 究 獎 學 金 申 請 表. Bolsas de Investigação Académica Boletim de Candidatura. Academic Research Grant Application Form 澳 門 特 別 行 政 區 政 府 Governo da Região Administrativa Especial de Macau 文 化 局 Instituto Cultural 學 術 研 究 獎 學 金 申 請 表 ( 根 據 學 術 研 究 獎 學 金 規 章 第 九 條 第 一 款 ) Bolsas de Investigação Académica Boletim de Candidatura

Leia mais

Caso ocorram problemas ao efetuar a inscrição antecipadamente, contatar a Comissão Organizadora pelo emaillatinmag2013@fcien.edu.

Caso ocorram problemas ao efetuar a inscrição antecipadamente, contatar a Comissão Organizadora pelo emaillatinmag2013@fcien.edu. A Associação Latinoamericana de Paleomagnetismo e Geomagnetismo (LATINMAG) tem o prazer de anunciar sua Segunda Reunião Bienal, que será realizada entre os dias 23 a 25 de Outubro de 2013, na Facultad

Leia mais

MODELO DE INSTRUÇÕES PARA A PREPARAÇÃO E SUBMISSÃO DE TRABALHOS PARA CONGRESSOS BRASILEIROS

MODELO DE INSTRUÇÕES PARA A PREPARAÇÃO E SUBMISSÃO DE TRABALHOS PARA CONGRESSOS BRASILEIROS MODELO DE INSTRUÇÕES PARA A PREPARAÇÃO E SUBMISSÃO DE TRABALHOS PARA CONGRESSOS BRASILEIROS TÍTULO DO TRABALHO Primeiro Autor e-mail Instituição de Ensino Endereço CEP Cidade Estado Segundo Autor e-mail

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados - Curso Intermediário. By: Andre Campos

Algoritmos e Estruturas de Dados - Curso Intermediário. By: Andre Campos Algoritmos e Estruturas de Dados - Curso Intermediário By: Andre Campos Algoritmos e Estruturas de Dados - Curso Intermediário By: Andre Campos Online: < http://cnx.org/content/col10238/1.1/ > C O N N

Leia mais

PROGRAM FOR 3 DAYS in Faial and S. Jorge Islands, Azores

PROGRAM FOR 3 DAYS in Faial and S. Jorge Islands, Azores PROGRAM FOR 3 DAYS in Faial and S. Jorge Islands, Azores THIS PROGRAM AIMS TO TOAST OUR CUSTOMERS WITH THE OPPORTUNITY TO DISCOVER AND EXPLORE THE FAIAL AND S. JORGE ISLANDS. WE HAVE A WIDE RANGE OF CULTURAL

Leia mais

Institutional Skills. Sessão informativa INSTITUTIONAL SKILLS. Passo a passo. www.britishcouncil.org.br

Institutional Skills. Sessão informativa INSTITUTIONAL SKILLS. Passo a passo. www.britishcouncil.org.br Institutional Skills Sessão informativa INSTITUTIONAL SKILLS Passo a passo 2 2 British Council e Newton Fund O British Council é a organização internacional do Reino Unido para relações culturais e oportunidades

Leia mais

GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO

GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO PROJECTO PROVAS EXPERIMENTAIS DE EXPRESSÃO ORAL DE LÍNGUA ESTRANGEIRA - 2005-2006 Ensino Secundário - Inglês, 12º ano - Nível de Continuação 1 1º Momento GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO

Leia mais

Searching for Employees Precisa-se de Empregados

Searching for Employees Precisa-se de Empregados ALIENS BAR 1 Searching for Employees Precisa-se de Empregados We need someone who can prepare drinks and cocktails for Aliens travelling from all the places in our Gallaxy. Necessitamos de alguém que possa

Leia mais

UNIVERSITY OF CAMBRIDGE INTERNATIONAL EXAMINATIONS International General Certificate of Secondary Education PORTUGUESE 0540/03

UNIVERSITY OF CAMBRIDGE INTERNATIONAL EXAMINATIONS International General Certificate of Secondary Education PORTUGUESE 0540/03 UNIVERSITY OF CAMBRIDGE INTERNATIONAL EXAMINATIONS International General Certificate of Secondary Education PORTUGUESE 0540/03 Paper 3 Speaking/Listening Role Play Card One No Additional Materials are

Leia mais

Guião A. Descrição das actividades

Guião A. Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Ponto de Encontro Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: Um Mundo de Muitas Culturas Duração da prova: 15 a 20 minutos 1.º MOMENTO

Leia mais

A Geologia no litoral do Alentejo

A Geologia no litoral do Alentejo A Geologia no litoral do Alentejo Manuel Francisco Pereira (Prof. Auxiliar da Universidade de Évora) Carlos Ribeiro (Prof. Auxiliar da Universidade de Évora) Cristina Gama (Prof.ª Auxiliar da Universidade

Leia mais

CULTURA MATERIAL: escolhas metodológicas para o estudo de saias estampadas do século XIX

CULTURA MATERIAL: escolhas metodológicas para o estudo de saias estampadas do século XIX CULTURA MATERIAL: escolhas metodológicas para o estudo de saias estampadas do século XIX Rita Andrade (FAV/UFG) Aline O. T. Monteiro (FAV/UFG) RESUMO Esse artigo apresenta três autores que escreveram sobre

Leia mais

Principais texturas e rochas metamórficas Os fenómenos metamórficos provocam modificações na textura das rochas iniciais. A textura depende da dimensão dos cristais, forma e arranjo dos diferentes minerais,

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS COORDENADORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS International Relations Office

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS COORDENADORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS International Relations Office UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS COORDENADORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS International Relations Office FORMULÁRIO DE CANDIDATURA PARA ESTUDANTE DE INTERCÂMBIO EXCHANGE STUDENT APPLICATION FORM Semestre

Leia mais

Revista da Faculdade de Letras: CIÊNCIAS E TÉCNICAS DO PATRIMÓNIO vol 14 2015

Revista da Faculdade de Letras: CIÊNCIAS E TÉCNICAS DO PATRIMÓNIO vol 14 2015 Convocatória/chamada para artigos Revista da Faculdade de Letras: CIÊNCIAS E TÉCNICAS DO PATRIMÓNIO vol 14 2015 Número temático: Relações de Cooperação Cultural no Noroeste Peninsular Foi há 80 anos que

Leia mais

À descoberta da Geologia da Praia Grande, Sintra

À descoberta da Geologia da Praia Grande, Sintra À descoberta da Geologia da Praia Grande, Sintra Para observar as pegadas de dinossáurio preservadas na laje vertical do extremo sul da Praia Grande, suba as escadas até as encontrar. Nas pegadas que observa

Leia mais

ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS

ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS THE CAPITAL STRUCTURE: AN ANALYSE ON INSURANCE COMPANIES FREDERIKE MONIKA BUDINER METTE MARCO ANTÔNIO DOS SANTOS MARTINS PAULA FERNANDA BUTZEN

Leia mais

Folha 3. O processador de texto do STAROFFICE : Ferramentas

Folha 3. O processador de texto do STAROFFICE : Ferramentas Folha 3. O processador de texto do STAROFFICE : Ferramentas 1. Quebra de páginas, secções, símbolos especiais e fórmulas 1.1. Considerar o seguinte texto : Disciplina de Informática. A disciplina de Informática

Leia mais

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO ACADÊMICO-JURÍDICO UNB/STF- MERCOSUR 2011

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO ACADÊMICO-JURÍDICO UNB/STF- MERCOSUR 2011 PROGRAMA DE INTERCÂMBIO ACADÊMICO-JURÍDICO UNB/STF- MERCOSUR 2011 INSTRUÇÕES INSTRUCTIONS 1. Favor preencher com letra de forma ou digitar todos os campos em português / inglês. Please complete with block

Leia mais

Guia de utilização da Base de Dados

Guia de utilização da Base de Dados Guia de utilização da Base de Dados Introdução Este guia tem por objetivos a apresentação do conteúdo da base de dados relativa às traduções de textos de economia incluída no website do EE-T, bem como

Leia mais

Stop Ne(c)king around : How interactomics contributes to functionally characterize Nek family kinases

Stop Ne(c)king around : How interactomics contributes to functionally characterize Nek family kinases W J B C World Journal of Biological Chemistry Submit a Manuscript: http://www.wjgnet.com/esps/ Help Desk: http://www.wjgnet.com/esps/helpdesk.aspx DOI: 10.4331/wjbc.v5.i2.141 World J Biol Chem 2014 May

Leia mais

Vantagem de Adesão AMERICAN SOCIETY OF PLASTIC SURGEONS Como se Tornar um Membro Internacional:

Vantagem de Adesão AMERICAN SOCIETY OF PLASTIC SURGEONS Como se Tornar um Membro Internacional: Vantagem de Adesão AMERICAN SOCIETY OF PLASTIC SURGEONS Como se Tornar um Membro Internacional: Se você está ativamente envolvido na prática da Cirurgia Plástica ou Reconstrutiva por menos de três (3)

Leia mais

DEPARTAMENTO DE LETRAS INGLÊS TÉCNICO E CIENTÍFICO PROFESSOR: WELLINGTON BORGES

DEPARTAMENTO DE LETRAS INGLÊS TÉCNICO E CIENTÍFICO PROFESSOR: WELLINGTON BORGES Palavras cognatas, palavras repetidas e marcas tipográficas UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ DEPARTAMENTO DE LETRAS INGLÊS TÉCNICO E CIENTÍFICO PROFESSOR: WELLINGTON BORGES Fatos: A língua inglesa teve origem

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Serviço de Informação Científica e Tecnológica Revista Pesquisa Agropecuária Brasileira

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Serviço de Informação Científica e Tecnológica Revista Pesquisa Agropecuária Brasileira Chamada 01/2010 Número Temático sobre Integração Lavoura-Pecuária-Floresta 1. Chamada A, editada sob a égide da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e subordinada ao seu, está, por meio

Leia mais

Preposições em Inglês: www.napontadalingua.hd1.com.br

Preposições em Inglês: www.napontadalingua.hd1.com.br Preposições na língua inglesa geralmente vem antes de substantivos (algumas vezes também na frente de verbos no gerúndio). Algumas vezes é algo difícil de se entender para os alunos de Inglês pois a tradução

Leia mais

Título (linha simples)

Título (linha simples) Título (linha simples) Subtítulo (até duas linhas) Primeiro AUTOR 1 ; Segundo AUTOR 2 ; Último AUTHOR n 1 Endereço postal, País Número de telefone internacional, Endereço eletrónico (autor correspondente)

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA OS AUTORES DOS ARTIGOS: ATENDE AS NORMAS DA ABNT

INSTRUÇÕES PARA OS AUTORES DOS ARTIGOS: ATENDE AS NORMAS DA ABNT INSTRUÇÕES PARA OS AUTORES DOS ARTIGOS: ATENDE AS NORMAS DA ABNT Janete Ribeiro Loureiro * Mestre em Educação RESUMO Estas instruções descrevem o estilo a ser usado na elaboração de artigos para publicação

Leia mais

[resumo] - Mines et Industries. peças indispensáveis para a história económica JOSÉ M. BRANDÃO CARMEN CARVALHO

[resumo] - Mines et Industries. peças indispensáveis para a história económica JOSÉ M. BRANDÃO CARMEN CARVALHO JOSÉ M. BRANDÃO CARMEN CARVALHO ELIANA CASTRO [resumo] - Mines et Industries - Mines et Industries In: 1 peças indispensáveis para a história económica contemporânea cit. 63 Mines et Industries S.A., duas

Leia mais

I: PRAIA DE PORTO DE MÓS

I: PRAIA DE PORTO DE MÓS Índice: Atenção...2 O porquê do roteiro...3 Material necessário...3 Descrição geral da geologia da Bacia Algarvia...4 PARTE I: PRAIA DE PORTO DE MÓS...8 Localização geográfica do local da saída de campo...9

Leia mais

IMMIGRATION Canada. Study Permit. São Paulo Visa Office Instructions. Table of Contents. For the following country: Brazil IMM 5849 E (04-2015)

IMMIGRATION Canada. Study Permit. São Paulo Visa Office Instructions. Table of Contents. For the following country: Brazil IMM 5849 E (04-2015) IMMIGRATION Canada Table of Contents Document Checklist Study Permit (disponible en Portuguese) Study Permit São Paulo Visa Office Instructions For the following country: Brazil This application is made

Leia mais

Instruções aos autores de trabalhos completos para o XVI Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada - SBGFA

Instruções aos autores de trabalhos completos para o XVI Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada - SBGFA Instruções aos autores de trabalhos completos para o XVI Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada - SBGFA Autor (Nome) Co-autor (es) (Nomes) 1 Universidade Federal do Piauí UFPI/DGH/PPGGEO fulanodetal@ufpi.edu.br

Leia mais

ANÁLISE DE ESTRUTURAS PRIMÁRIAS EM DEPÓSITOS GERADOS EM LABORATÓRIO E SUA RELAÇÃO COM A DINÂMICA DAS CORRENTES TURBIDÍTICAS DE BAIXA DENSIDADE.

ANÁLISE DE ESTRUTURAS PRIMÁRIAS EM DEPÓSITOS GERADOS EM LABORATÓRIO E SUA RELAÇÃO COM A DINÂMICA DAS CORRENTES TURBIDÍTICAS DE BAIXA DENSIDADE. Copyright 2005, Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás - IBP Este Trabalho Técnico Científico foi preparado para apresentação no 3 Congresso Brasileiro de P&D em Petróleo e Gás, a ser realizado no período

Leia mais

5 th Brazilian Conference of In form ation Design

5 th Brazilian Conference of In form ation Design CIDI 2013 6TH CIDI 5TH InfoDesign 6TH CONGIC 6 th Inform ation Design International Conference 5 th Brazilian Conference of In form ation Design 6 th Inform ation Design Student Conference Catálogo de

Leia mais

TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS

TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS SANDRA MARIA MORAIS VALENTE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO Área de

Leia mais

T U T O R I A I S WEB OF SCIENCE TUTORIAL. Biblioteca da Escola de Engenharia da UFRGS. WEB OF SCIENCE - Tutorial

T U T O R I A I S WEB OF SCIENCE TUTORIAL. Biblioteca da Escola de Engenharia da UFRGS. WEB OF SCIENCE - Tutorial T U T O R I A I S WEB OF SCIENCE TUTORIAL Biblioteca da Escola de Engenharia da UFRGS WEB OF SCIENCE - Tutorial O que é? O Web of Science é uma base de dados que disponibiliza acesso a mais de 9.200 títulos

Leia mais

ICNOFÓSSEIS. (ou Fósseis-Traço = Trace Fossils) Coprólitos. Rosemarie Rohn Davies. Coprólito de dinossauro. Coprólitos de peixes

ICNOFÓSSEIS. (ou Fósseis-Traço = Trace Fossils) Coprólitos. Rosemarie Rohn Davies. Coprólito de dinossauro. Coprólitos de peixes ICNOFÓSSEIS Ovos (ou Fósseis-Traço = Trace Fossils) Rosemarie Rohn Davies Coprólitos Bioturbação Escavações que destruíram ram a laminação original. Copr ólitos: importantes para analisar a dieta alimentar

Leia mais

Os nomes das universidades e autores são meramente demonstrativos. Editado com o Br.Office 3.2, em 06/01/2011.

Os nomes das universidades e autores são meramente demonstrativos. Editado com o Br.Office 3.2, em 06/01/2011. Os nomes das universidades e autores são meramente demonstrativos. Editado com o Br.Office 3.2, em 06/01/2011. Tudo o que estiver escrito com fonte de cor azul ou vermelho deverá ser deletado para o envio

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE O TEOR DE MINERAIS PESADOS COM A DENSIDADE GAMA E A GRANULOMETRIA

RELAÇÃO ENTRE O TEOR DE MINERAIS PESADOS COM A DENSIDADE GAMA E A GRANULOMETRIA RELAÇÃO ENTRE O TEOR DE MINERAIS PESADOS COM A DENSIDADE GAMA E A GRANULOMETRIA Rodrigo Coutinho Abuchacra 1 ; Paula Ferreira Falheiro 1 ; Carolinne L. Soares Macedo 2 ; Sabrina Felix de Oliveira; Alberto

Leia mais

atempo livraria antiquário Vinhos

atempo livraria antiquário Vinhos Vinhos 1 1. Allen, H. Warner The wines of Portugal. New York, McGraw-Hill Book Company, 1963, 192;[3] p., com 2 mapas e 24 ilustrações coloridas, 27 cm. Encadernação original do editor, com sobre capa,

Leia mais

My English Language Passport

My English Language Passport My English Language Passport Personal information First name: Address: Surname: Date of birth: First language: Languages spoken: Email address: English learnt at school Type of school Primary school Number

Leia mais

Inglês. Guião. Teste Intermédio de Inglês. Parte IV Interação oral em pares. Teste Intermédio

Inglês. Guião. Teste Intermédio de Inglês. Parte IV Interação oral em pares. Teste Intermédio Teste Intermédio de Inglês Parte IV Interação oral em pares Teste Intermédio Inglês Guião Duração do Teste: 10 a 15 minutos De 25.02.2013 a 10.04.2013 9.º Ano de Escolaridade D TI de Inglês Página 1/ 7

Leia mais

Cursos Profissionais. Prova de Aptidão Profissional

Cursos Profissionais. Prova de Aptidão Profissional Escola Secundária de S. João do Estoril Cursos Profissionais Normas para a apresentação do relatório Professora Orientadora: Apresentação As normas que se apresentam têm por objectivo uniformizar a apresentação

Leia mais

Fórum de Editores Científicos na Área da Saúde Pública Abrascão 2006, Rio de Janeiro. Revisão por pares. Cesar Victora Epidemiologia UFPEL

Fórum de Editores Científicos na Área da Saúde Pública Abrascão 2006, Rio de Janeiro. Revisão por pares. Cesar Victora Epidemiologia UFPEL Fórum de Editores Científicos na Área da Saúde Pública Abrascão 2006, Rio de Janeiro Revisão por pares Cesar Victora Epidemiologia UFPEL Editor Associado Internacional, AJPH Editor Associado, Rev Bras

Leia mais

15º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DO VOÇOROCAMENTO URBANO EM RANCHARIA-SP DE 1962 A 2014.

15º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DO VOÇOROCAMENTO URBANO EM RANCHARIA-SP DE 1962 A 2014. 15º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DO VOÇOROCAMENTO URBANO EM RANCHARIA-SP DE 1962 A 2014. Alyson Bueno Francisco 1 Resumo Este trabalho visa apresentar

Leia mais

Normalização e interoperabilidade da informação geográfica

Normalização e interoperabilidade da informação geográfica Normalização e interoperabilidade da informação geográfica perspetivas para a formação em Engenharia Geográfica João Catalão Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia Faculdade de Ciências

Leia mais

Solicitação de Mudança 01

Solicitação de Mudança 01 Solicitação de Mudança 01 Refatorar a especificação da linha de produtos Crisis Management System permitindo que o suporte ao registro de LOG seja opcional. Isso significa que o comportamento descrito

Leia mais

SAÚDE NORMAS DE PUBLICAÇÃO DA REVISTA BRASILEIRA DE CIÊNCIAS DA SAÚDE NORMAS

SAÚDE NORMAS DE PUBLICAÇÃO DA REVISTA BRASILEIRA DE CIÊNCIAS DA SAÚDE NORMAS NORMAS DE PUBLICAÇÃO DA REVISTA BRASILEIRA DE CIÊNCIAS DA 1. INFORMAÇÕES GERAIS A submissão dos manuscritos deverá ser efetuada pelo envio do material para o e-mail revista.saude@uscs.edu.br, sob a responsabilidade

Leia mais

Análise e Classificação Granulométrica de Sedimentos Quaternários em Perfil Estratigráfico de Margem Fluvial do Rio Itapocu - SC

Análise e Classificação Granulométrica de Sedimentos Quaternários em Perfil Estratigráfico de Margem Fluvial do Rio Itapocu - SC Análise e Classificação Granulométrica de Sedimentos Quaternários em Perfil Estratigráfico de Margem Fluvial do Rio Itapocu - SC Paulino, R.B. (UFPR) ; Goulart, A.A. (UFPR) ; Siefert, C.A.C. (UFPR) ; Lopes,

Leia mais

qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmq wertyuiopasdfghjklzxcvbnmqw ertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwer tyuiopasdfghjklzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklzxcvbnmqwertyui

qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmq wertyuiopasdfghjklzxcvbnmqw ertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwer tyuiopasdfghjklzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklzxcvbnmqwertyui qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmq Programa de Mestrado Profissional em Ciências Ambientais Disciplina de Seminários Prof. William Costa Rodrigues wertyuiopasdfghjklzxcvbnmqw ertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwer tyuiopasdfghjklzxcvbnmqwerty

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO HIDROQUÍMICA DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS DAS ROCHAS CRISTALINAS DO CONCELHO DE PORTALEGRE - NOTA PRÉVIA

CARACTERIZAÇÃO HIDROQUÍMICA DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS DAS ROCHAS CRISTALINAS DO CONCELHO DE PORTALEGRE - NOTA PRÉVIA CARACTERIZAÇÃO HIDROQUÍMICA DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS DAS ROCHAS CRISTALINAS DO CONCELHO DE PORTALEGRE - NOTA PRÉVIA Paulo ANDRADE (1) ; António CHAMBEL (2) ; Jorge DUQUE (3) RESUMO O presente artigo pretende

Leia mais

REVISTA DO CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO DAS FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS CESCAGE

REVISTA DO CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO DAS FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS CESCAGE REVISTA DO CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO DAS FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS CESCAGE INSTRUÇÕES AOS AUTORES 1 GERAIS: Originais: Artigos, resenhas, análises jurisprudenciais devem ser enviados

Leia mais

Aqui pode escolher o Sistema operativo, e o software. Para falar, faça download do Cliente 2.

Aqui pode escolher o Sistema operativo, e o software. Para falar, faça download do Cliente 2. TeamSpeak PORTUGUES ENGLISH Tutorial de registo num servidor de TeamSpeak Registration tutorial for a TeamSpeak server Feito por [WB ].::B*A*C*O::. membro de [WB ] War*Brothers - Non Dvcor Dvco Made by:

Leia mais

UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE LETRAS ÁREA DAS CIÊNCIAS DA LINGUAGEM

UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE LETRAS ÁREA DAS CIÊNCIAS DA LINGUAGEM UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE LETRAS ÁREA DAS CIÊNCIAS DA LINGUAGEM Imagens convencionalizadas na Tradução Técnica Relatório de estágio em Tradução na Onoma de Ana Raquel Moço Meirim Pinto Mestrado

Leia mais

VOUCHERS POUSADAS DE PORTUGAL

VOUCHERS POUSADAS DE PORTUGAL 2 presentes em 1 2 gifts in 1 Válidos para 2 pessoas / Valid for 2 people Válido 1 ano após a data de compra / Valid until 1 year after purchased date CENTRAL DE RESERVAS CONTACT CENTER FOR RESERVATIONS

Leia mais

BR-EMS MORTALITY AND SUVIVORSHIP LIFE TABLES BRAZILIAN LIFE INSURANCE AND PENSIONS MARKET

BR-EMS MORTALITY AND SUVIVORSHIP LIFE TABLES BRAZILIAN LIFE INSURANCE AND PENSIONS MARKET BR-EMS MORTALITY AND SUVIVORSHIP LIFE TABLES BRAZILIAN LIFE INSURANCE AND PENSIONS MARKET 2015 1 e-mail:mario@labma.ufrj.br Tables BR-EMS, mortality experience of the Brazilian Insurance Market, were constructed,

Leia mais

Depósitos marinhos do litoral da região do Porto: tectónica versus eustatismo

Depósitos marinhos do litoral da região do Porto: tectónica versus eustatismo Depósitos marinhos do litoral da região do Porto: tectónica versus eustatismo Maria da Assunção Araújo Departamento de Geografia, Faculdade de Letras Universidade do Porto Portugal e-mail: ass.geo.porto@mail.telepac.pt

Leia mais

Technical Reporting Requirements

Technical Reporting Requirements Technical Reporting Requirements Exploration Phase Osvair Trevisan Superintendent of Exploration Agência Nacional do Petróleo Concession Agreement Concession Agreement Signing Exploration Phase Begins

Leia mais

Capítulo Sistemas de Memória Memória Virtual. Ch7b 1

Capítulo Sistemas de Memória Memória Virtual. Ch7b 1 Capítulo Sistemas de Memória Memória Virtual Ch7b Memória Virtual Memória principal funciona como uma cache para o armazenamento secundário (disco) Virtual addresses Physical addresses Address translation

Leia mais

ANÁLISE EXPLORATÓRIA DE DADOS ESPACIAL DA INCIDÊNCIA DE POBREZA NA ILHA DE SANTIAGO DE CABO VERDE

ANÁLISE EXPLORATÓRIA DE DADOS ESPACIAL DA INCIDÊNCIA DE POBREZA NA ILHA DE SANTIAGO DE CABO VERDE ANÁLISE EXPLORATÓRIA DE DADOS ESPACIAL DA INCIDÊNCIA DE POBREZA NA ILHA DE SANTIAGO DE CABO VERDE ANTÓNIO JOSÉ MEDINA DOS SANTOS BAPTISTA; CRISTIANE MÁRCIA SANTOS; UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA VIÇOSA

Leia mais

TRÂNSITOS CULTURAIS: MÚSICA ENTRE AMÉRICA LATINA E EUROPA

TRÂNSITOS CULTURAIS: MÚSICA ENTRE AMÉRICA LATINA E EUROPA VI SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE MUSICOLOGIA DA UFRJ & COLÓQUIO INTERNACIONAL DO INSTITUTO IBERO-AMERICANO DE BERLÍM (IAI) / UNIVERSIDADE DAS ARTES DE BERLIM (UDK) TRÂNSITOS CULTURAIS: MÚSICA ENTRE AMÉRICA

Leia mais

Mestrado em Ciências Jurídicas Especialização em História do Direito 2015-16

Mestrado em Ciências Jurídicas Especialização em História do Direito 2015-16 Mestrado em Ciências Jurídicas Especialização em História do Direito Unidade curricular História do Direito Português I (1º sem). Docente responsável e respectiva carga lectiva na unidade curricular Prof.

Leia mais

III ENCONTRO DE PROFESSORES DE GEOCIÊNCIAS DO ALENTEJO E ALGARVE

III ENCONTRO DE PROFESSORES DE GEOCIÊNCIAS DO ALENTEJO E ALGARVE III ENCONTRO DE PROFESSORES DE GEOCIÊNCIAS DO ALENTEJO E ALGARVE 1- Introdução Delminda Moura Universidade do Algarve e DPGA Zonas costeiras ou litorais, são zonas de interface entre as zonas continentais

Leia mais