INSTITUTO SUPERIOR DE COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL REGULAMENTO DE ACTIVIDADE PROFISSIONAL RELATÓRIO FINAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INSTITUTO SUPERIOR DE COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL REGULAMENTO DE ACTIVIDADE PROFISSIONAL RELATÓRIO FINAL"

Transcrição

1 REGULAMENTO DE ACTIVIDADE PROFISSIONAL RELATÓRIO FINAL MESTRADO EM MARKETING ESTRATÉGICO MESTRADO EM COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL 1. Princípios Gerais O presente normativo tem por finalidade, possibilitar aos licenciados anteriores ao Processo de Bolonha obter os créditos relativos à tese/relatório de estágio para a obtenção do grau de Mestre através da apresentação de um Relatório de Actividade Profissional. O Relatório visa mostrar que o candidato possui competências técnicas/científicas equivalentes ou superiores às dos estudantes que obtém o grau de Mestre com o actual currículo escolar. 2. Relatório de Actividade Profissional O Relatório de Actividade Profissional visa complementar a formação académica obtida com a demonstração por parte do mestrando que desenvolveu, durante a sua experiência profissional, competências relevantes na área científica do mestrado a que se propõe. O relatório final deverá enfatizar a abordagem profissional do trabalho desenvolvido durante a experiência profissional e a sua interligação com o estado da arte da especialidade em que se integra. 3. Estrutura e Formato Relatório de Actividade Profissional O relatório de actividade profissional a entregar (5 cópias) deverá conter no mínimo 45 páginas (cerca de palavras), podendo ainda incluir anexos (exemplos de anexos: documentos, cartas de recomendação, imagens) Estrutura do Relatório de Actividade Profissional O relatório de actividade profissional, redigido em Língua Portuguesa ou em Língua Inglesa, deverá ter a seguinte sequência de apresentação: (i) (ii) (iii) Capa, lombada; Agradecimentos (facultativo); Resumo e palavras-chave (em Português e em Inglês). O resumo deve consistir numa 1

2 síntese curricular dos aspectos que o candidato considere mais relevantes no seu currículo e uma breve descrição sobre o tema seleccionado para desenvolvimento. A sua finalidade é permitir o conhecimento sumário do teor do Relatório sem a leitura integral do mesmo, com um máximo de 800 palavras e acompanhado de 4 a 6 palavras-chave; (iv) (v) (vi) Índice; Lista de quadros e figuras e lista de abreviações; Texto principal deverá ter obrigatoriamente a seguinte estrutura: Apresentação do tema seleccionado para desenvolvimento e discussão nas provas (máximo de palavras); Descrição detalhada do CV (sem limite de palavras, na medida em que deverá apresentar uma exposição exaustiva da experiência profissional do candidato). (vii) Referências bibliográficas; (viii) Anexo(s) (documentos comprovativos da experiência profissional do candidato, cartas de recomendação, avaliações formais obtidas no desempenho das funções entre outros elementos julgados pertinentes) Tema para Desenvolvimento e Discussão Pública Os candidatos devem, escolher um tema na área do Mestrado que esteja relacionado com a sua experiência e actividade profissionais. A título meramente exemplificativo, ficam as seguintes possibilidades: a. Explicitação técnica/científica de um trabalho que tenha realizado ou em que tenha participado e que considere ser uma mais-valia para a transmissão dos conhecimentos adquiridos a outros profissionais do domínio Mestrado; b. Exposição sobre um assunto particular da área do Mestrado que considere inovador ou importante Curriculum Vitae O Relatório deverá incluir um Curriculum Vitae suficientemente detalhado e que comprove a experiência e actividade profissional desenvolvida no âmbito do Mestrado. Este CV deve incluir obrigatoriamente os seguintes elementos (apresentados por ordem temporal decrescente): 2

3 a. Percurso académico (cursos que frequentou, instituições e classificação obtida, podendo incluir os títulos das monografias ou trabalhos finais de curso que tenham sido realizados); b. Actividade profissional (indicar entidade empregadora, datas, função e cargo, principais trabalhos e/ou actividades desenvolvidas, descrição minuciosa das tarefas que desenvolveu no âmbito destas actividades); c. Publicações (artigos publicados em revistas internacionais e nacionais; livros e capítulos de livros; comunicações em congressos internacionais e nacionais; relatórios técnicos, entre outros; no caso de ser co-autor de relatórios institucionais, explicitar o seu envolvimento); d. Prémios ou distinções recebidas; e. Participação ou representações (em organizações consultivas, profissionais ou associações de ambiente); f. Outras competências (e.g. línguas, conhecimentos de informática); g. Uma discussão crítica da evolução da sua experiência profissional e da respectiva relevância como actividade da especialidade do Mestrado. O candidato terá de apresentar documentos que comprovem todos os elementos colocados no Curriculum Vitae. Estes documentos deverão ser entregues em anexo ao corpo do relatório final, para apreciação por parte dos elementos do júri Impressão do Relatório Final de Estágio A impressão do relatório final de estágio deve obedecer às seguintes regras gerais: Papel A4 branco; Capa de cartolina branca com impressão a cores e encadernamento a cola; Tipo de letra: Arial (ou semelhante); Páginas de texto com impressão a preto; Espaçamento a 1,5 linhas; Tamanho de letra: 12 pontos; Notas de pé de página com espaçamento de 1 linha; 3

4 Margens: mínimo de 2,5 centímetros nos quatro lados; Número de página: em numeração arábica em baixo centrado ou à direita; Não usar cabeçalho/rodapé, excepto para número de página em 9 pontos; No caso de ser necessária a inclusão de gráficos ou quadros com dimensão superior a A4, estes deverão ser apresentados em anexo, dobrados em formato A Capa e Lombada A capa deve obedecer à seguinte organização: 1. Logótipo do ISCEM; 2. Nome da Instituição; 3. Título do Relatório Final de Estágio; 4. Subtítulo (facultativo); 5. Nome do candidato; 6. Nome do mestrado; 7. Data. A lombada deve obedecer à seguinte organização: 9. Logótipo do ISCEM (alinhado à esquerda); 10.Título do trabalho (alinhado ao centro); 11. Subtítulo (facultativo, alinhado ao centro); 12. Nome do candidato (alinhado à direita) Estrutura do Cd Com a entrega da Relatório Final de Estágio em papel, deverá ser entregue duas cópias em CD com os seguintes ficheiros em formato pdf: Relatório Final.Pdf Resumo.pdf 4

5 Abstract.pdf Resumo alargado.pdf A capa do CD deverá seguir o modelo exigido na capa da versão em papel Referências e Bibliografia Nas referências bibliográficas só podem ser incluídos documentos que foram citados no texto; Deve haver uma lista única de referências bibliográficas, independentemente do tipo de documento citado, ordenada por Apelido, Ano; As referências de livros deverão incluir sempre a edição, a Editora e o Local de Edição; As referências de artigos publicados em livros editados ou publicações periódicas, devem indicar as páginas do artigo citado; Referências de documentos na Internet: deverão ser construídas como as restantes e colocadas alfabeticamente por ordem de autor (e.g. o nome do organismo a que a página pertence), a data de consulta e o URL. 4. Avaliação e Provas Públicas 4.1. A Comissão de Coordenação de Mestrado tem a competência de definir a composição do júri de arguição e determinar a data de defesa do Relatório de Actividade Profissional O mestrando deverá preparar uma apresentação em PowerPoint sobre o tema de desenvolvimento previamente escolhido pelo candidato como uma duração máxima de 15 (quinze) minutos com uma estrutura que poderá ter os seguintes tópicos: objectivos; metodologia; resultados e conclusões. O candidato iniciará a defesa do relatório de estágio, a qual não deverá ultrapassar os (30) trinta minutos O júri é constituído por um mínimo de três elementos: Presidente do júri designado pela Comissão de Coordenação e de acordo com a temática do Relatório Final de Estágio; Dois docentes de ensino superior, externo e/ou interno ao Instituto Superior de Comunicação Empresarial, com desempenhos académicos relevantes na temática do Relatório Final de Estágio Após a defesa, a Comissão de Coordenação de Mestrado com base na recepção da documentação (Acta, dissertações em papel e CD) faz a homologação da prova. Esta homologação indica a possibilidade de lançamento da classificação, a qual é produzida a nível da secretaria através pauta de lançamento de nota. 5

6 DECLARAÇÃO RESPEITANTE À DIVULGAÇÃO DO RELATÓRIO DE ACTIVIDADE PROFISSIONAL DECLARAÇÃO (nome), aluno do Instituto Superior de Comunicação Empresarial nº (número de aluno), autor do Relatório Final de Actividade Profissional para obtenção do Grau de Mestre em (nome do mestrado), autorizo o Instituto Superior de Comunicação Empresarial a divulgar este Relatório e o seu resumo alargado, em formato pdf, possibilitando assim o seu conhecimento a todos os que o queiram fazer através do ISCEM, com a ressalva de que estes não possam, sem a minha expressa autorização, reproduzir, por qualquer meio, o texto daquele meu Relatório Final de Actividade Profissional para além dos limites fixados no Código do Direito de Autor e dos Direitos Conexos. Mais autorizo, o Instituto Superior de Comunicação Empresarial a reproduzir, no todo ou em parte, o meu Relatório de Actividade Profissional para responder a pedidos que lhe sejam formulados, por parte de instituições de ensino ou de investigação, ou de Centros de Documentação ou de Bibliotecas, e desde que desses pedidos se destinem a fins pedagógicos ou de investigação. (data e assinatura) 6

GUIA DE PREPARAÇÃO DA DISSERTAÇÃO E RESUMO ALARGADO PARA OS CURSOS DE MESTRADO DE 2º CICLO NO IST

GUIA DE PREPARAÇÃO DA DISSERTAÇÃO E RESUMO ALARGADO PARA OS CURSOS DE MESTRADO DE 2º CICLO NO IST GUIA DE PREPARAÇÃO DA DISSERTAÇÃO E RESUMO ALARGADO PARA OS CURSOS DE MESTRADO DE 2º CICLO NO IST 1. TRAMITAÇÃO DE DISSERTAÇÃO/PROJECTO... 2 2. INFORMAÇÃO A INTRODUZIR NO SISTEMA FÉNIX... 4 3. CONFIDENCIALIDADE...

Leia mais

Guia De Preparação Da Dissertação

Guia De Preparação Da Dissertação 2012/2013 Guia De Preparação Da Dissertação Direção Académica 1. ESTRUTURA E FORMATO DA DISSERTAÇÃO A dissertação, redigida em Língua Portuguesa ou em Língua Inglesa (e apenas em uma das línguas), deverá

Leia mais

Guia de Preparação da Dissertação

Guia de Preparação da Dissertação 2013/2014 Guia de Preparação da Dissertação Direção Académica A versão final da dissertação deve ser entregue apenas em suporte digital. 1. ESTRUTURA E FORMATO DA DISSERTAÇÃO A dissertação, redigida em

Leia mais

Departamento de Ciências da Comunicação Regras para o acesso ao Mestrado em Comunicação Aplicada para os licenciados pré-bolonha

Departamento de Ciências da Comunicação Regras para o acesso ao Mestrado em Comunicação Aplicada para os licenciados pré-bolonha Departamento de Ciências da Comunicação Regras para o acesso ao Mestrado em Comunicação Aplicada para os licenciados pré-bolonha Respeitando a deliberação n.º 37/2011 do Conselho Científico da UAL, de

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DA SAÚDE DE LISBOA INSTITUTO POLITÉCNICO DE LISBOA

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DA SAÚDE DE LISBOA INSTITUTO POLITÉCNICO DE LISBOA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DA SAÚDE DE LISBOA INSTITUTO POLITÉCNICO DE LISBOA NORMAS DE ORIENTAÇÃO E PROCEDIMENTOS DE APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS DE MESTRADO 2012 NORMAS DE ORIENTAÇÃO E PROCEDIMENTOS

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2013 PPGLET. O Colegiado do Programa de Pós-Graduação em Letras, Cultura e Regionalidade, da Universidade RESOLVE:

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2013 PPGLET. O Colegiado do Programa de Pós-Graduação em Letras, Cultura e Regionalidade, da Universidade RESOLVE: INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2013 PPGLET Estabelece os procedimentos para o Exame de Qualificação para os discentes vinculados ao Programa de Pós-Graduação em Letras, Cultura e Regionalidade Mestrado O Colegiado

Leia mais

Universidade Nova de Lisboa Escola Nacional de Saúde Pública

Universidade Nova de Lisboa Escola Nacional de Saúde Pública Universidade Nova de Lisboa Escola Nacional de Saúde Pública Elaboração de Trabalhos Académicos (Teses, dissertações e relatórios técnico-científicos) Geral e Capa Lisboa, 2015 1. ELEMENTOS GENÉRICOS DA

Leia mais

Normas para a elaboração da dissertação de Mestrado

Normas para a elaboração da dissertação de Mestrado 2.2 Normas para a elaboração da dissertação de Mestrado 1 A dissertação de mestrado deverá obedecer às seguintes normas: a) Pode ser escrita em português ou em inglês. b) Não pode exceder as 80 páginas

Leia mais

5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5.

5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5. 5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5.2 Capa... 48 5.3 Folha de rosto... 51 5.4 Errata... 53

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE DISSERTAÇÕES E RELATÓRIOS. 1. Documentação a entregar para admissão à dissertação

NORMAS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE DISSERTAÇÕES E RELATÓRIOS. 1. Documentação a entregar para admissão à dissertação NORMAS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE DISSERTAÇÕES E RELATÓRIOS 1. Documentação a entregar para admissão à dissertação Modelo de Admissão à Dissertação 2. Documentação a entregar até à data limite de

Leia mais

Universidade Federal de São Paulo Instituto Saúde e Sociedade Programa de Pós-Graduação Alimentos, Nutrição e Saúde

Universidade Federal de São Paulo Instituto Saúde e Sociedade Programa de Pós-Graduação Alimentos, Nutrição e Saúde Universidade Federal de São Paulo Instituto Saúde e Sociedade Programa de Pós-Graduação Alimentos, Nutrição e Saúde ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE DOCUMENTO DE QUALIFICAÇÃO E DISSERTAÇÃO PARA O PROGRAMA

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE MESTRADO

REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE MESTRADO REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE MESTRADO Preâmbulo Considerando o Decreto-Lei n.º 216/92 de 13 de Outubro; Considerando o Decreto-Lei n.º 16/94 de 22 de Janeiro; Considerando o Decreto-Lei n.º 42/2005

Leia mais

1 Escola Superior de Desporto de Rio Maior

1 Escola Superior de Desporto de Rio Maior Instituto Politécnico de Santarém ESCOLA SUPERIOR DE DESPORTO DE RIO MAIOR MESTRADO EM DESPORTO REGULAMENTO DE DISSERTAÇÃO Este regulamento enquadra-se no âmbito do artigo 21.º do regulamento específico

Leia mais

REGULAMENTO. Projetos de tese de doutoramento. Elaborado por: Aprovado por: Versão. Reitor 1.3. Gabinete Apoio Reitoria.

REGULAMENTO. Projetos de tese de doutoramento. Elaborado por: Aprovado por: Versão. Reitor 1.3. Gabinete Apoio Reitoria. REGULAMENTO Projetos de tese de doutoramento Elaborado por: Aprovado por: Versão Reitor 1.3 (Professor Doutor Rui oliveira) Revisto e confirmado por: Data de Aprovação Inicial (José João Amoreira) 31 de

Leia mais

Cursos Profissionais. Prova de Aptidão Profissional

Cursos Profissionais. Prova de Aptidão Profissional Escola Secundária de S. João do Estoril Cursos Profissionais Normas para a apresentação do relatório Professora Orientadora: Apresentação As normas que se apresentam têm por objectivo uniformizar a apresentação

Leia mais

Mestrado em Sistemas de Informação. Regulamento

Mestrado em Sistemas de Informação. Regulamento Mestrado em Sistemas de Informação Regulamento Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1.º Introdução 1 - O presente Regulamento fixa as condições de funcionamento do ciclo de estudos conducente ao grau de

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL Parceria: ESTBarreiro/IPS - ISE/UAlg

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL Parceria: ESTBarreiro/IPS - ISE/UAlg REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL Parceria: ESTBarreiro/IPS - ISE/UAlg PREÂMBULO O Decreto Lei n.º 74/2006, de 24 de março, alterado pelos Decretos Lei n. os 107/2008, de 25 de Junho,

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA Normas para elaboração de Dissertações do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais MODELO

Leia mais

2. REQUERIMENTO PARA OUTORGA DO TÍTULO DE ESPECIALISTA

2. REQUERIMENTO PARA OUTORGA DO TÍTULO DE ESPECIALISTA 1 PRINCÍPIOS ORIENTADORES PARA APRESENTAÇÃO DE PROVAS PÚBLICAS PARA OBTENÇÃO DO TÍTULO DE ESPECIALISTA, COM PROCESSO INSTRUTÓRIO ATRAVÉS DO ISPGAYA 1. INTRODUÇÃO A publicação em Diário da República dos

Leia mais

Regras de Estilo para teses e dissertações e outros trabalhos escritos apresentados à FDUNL Aprovadas em Conselho Científico de 21 de Maio de 2014

Regras de Estilo para teses e dissertações e outros trabalhos escritos apresentados à FDUNL Aprovadas em Conselho Científico de 21 de Maio de 2014 Regras de Estilo para teses e dissertações e outros trabalhos escritos apresentados à FDUNL Aprovadas em Conselho Científico de 21 de Maio de 2014 O n.º 3 do art. 16.º do Regulamento do Terceiro Ciclo

Leia mais

Manual do Pós-Graduando

Manual do Pós-Graduando UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO HISTÓRIA, ENSINO E NARRATIVAS (PPGHEN/UEMA) Manual do Pós-Graduando Mestrado Versão 2016 São Luís, Maranhão 1 Apresentação Prezados Pós-Graduandos,

Leia mais

NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DE DISSERTAÇÕES

NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DE DISSERTAÇÕES NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DE DISSERTAÇÕES DE MESTRADO E TESES DE DOUTORAMENTO 1/8 1. Entrega da dissertação DEPARTAMENTO DE SOCIOLOGIA MESTRADO Cinco exemplares da tese em papel e um exemplar em CD com

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA Atualizada em julho de 2011 A maior parte das Monografias

Leia mais

Regulamento do 2º Ciclo dos Mestrados Integrados

Regulamento do 2º Ciclo dos Mestrados Integrados Faculdade de Arquitectura, Universidade Técnica de Lisboa Regulamento do 2º Ciclo dos Mestrados Integrados (Com alterações aprovadas em reunião do CC de 30 de Março de 2011. Revoga o Regulamento de Acesso

Leia mais

FACULDADE SETE DE SETEMBRO COMUNICAÇÃO SOCIAL JORNALISMO/PUBLICIDADE E PROPAGANDA COORDENAÇÃO DE TCC

FACULDADE SETE DE SETEMBRO COMUNICAÇÃO SOCIAL JORNALISMO/PUBLICIDADE E PROPAGANDA COORDENAÇÃO DE TCC REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art.1º. Este regulamento disciplina o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de Comunicação Social (Cursos de Jornalismo

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Secretaria Acadêmica Processamento de Dissertações e Teses

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Secretaria Acadêmica Processamento de Dissertações e Teses Procedimentos para depósito dos exemplares de Dissertação e Tese 1. Da apresentação do Trabalho 1.1. Capa A capa deverá conter os elementos essenciais para a identificação do trabalho, a saber: I. Pontifícia

Leia mais

ANEXO II - Trabalho de conclusão de curso (TCC)

ANEXO II - Trabalho de conclusão de curso (TCC) ANEXO II - Trabalho de conclusão de curso (TCC) O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) compreende a elaboração de trabalho de caráter individual teórico, projetual ou aplicativo, com observância de exigências

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em

Leia mais

Universidade de São Paulo Faculdade de Medicina. Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Alergia e Imunopatologia

Universidade de São Paulo Faculdade de Medicina. Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Alergia e Imunopatologia Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Alergia e Imunopatologia I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP) A CCP terá como membros titulares 3 (três) orientadores plenos credenciados

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA CURSO: AGRONOMIA

ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA CURSO: AGRONOMIA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO Av. Dom Manuel de Medeiros s/nº Dois Irmão, Recife PE Telefone: 3320-6203 ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA CURSO: AGRONOMIA I ESTRUTURA DO RELATÓRIO 1.1

Leia mais

DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA TCC2

DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA TCC2 UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS COORDENAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA COORDENAÇÃO ADJUNTA DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO

Leia mais

Artigo 4º - Os cursos com ênfase deverão ter o TCC relacionado aos conteúdos trabalhados na ênfase.

Artigo 4º - Os cursos com ênfase deverão ter o TCC relacionado aos conteúdos trabalhados na ênfase. NORMA CONJUNTA FGV MANAGEMENT (MGM)/ DIRETORIA EXECUTIVA ACADÊMICA (ACD) Nº 11 / 2009 PADRONIZAÇÃO DE APRESENTAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO - TCC O Diretor Executivo do Programa FGV Management

Leia mais

Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação

Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO NORMAS PARA APRESENTAÇÃO GRÁFICA DE DISSERTAÇÕES E TESES DEFENDIDAS NOS PROGRAMAS

Leia mais

Escola Superior de Educação João de Deus

Escola Superior de Educação João de Deus Regulamento do 2.º Ciclo de Estudos Conducente ao Grau de Mestre em Educação Especial: Domínio Cognitivo e Motor Artigo 1.º Objectivos Os objectivos dos cursos de Mestrado (2.º ciclo), da Escola Superior

Leia mais

REGULAMENTO DO PROJETO GLOBAL

REGULAMENTO DO PROJETO GLOBAL REGULAMENTO DO PROJETO GLOBAL Lisboa, Novembro de 2015 Considerando que um dos fins ISTEC é fomentar atividades de investigação fundamental e aplicada que visem contribuir de forma inovadora, para o desenvolvimento

Leia mais

Normas Regulamentares do Curso de Jornalismo Comunicação e Cultura

Normas Regulamentares do Curso de Jornalismo Comunicação e Cultura 0 APROVADO POR: Conselho Técnico-Científico 20 10 2010 Data: / / 20 10 2010 Normas Regulamentares do Curso de Jornalismo Comunicação e Cultura 1. INTRODUÇÃO As presentes normas aplicam se aos cursos de

Leia mais

PIM II. Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO FINANCEIRA DA EMPPRESA

PIM II. Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO FINANCEIRA DA EMPPRESA PIM II Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO FINANCEIRA DA EMPPRESA 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: O aluno deverá escolher uma empresa de qualquer porte ou segmento e, com base no cenário

Leia mais

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA Este roteiro não dispensa a leitura do Regulamento do Curso de Pós- Graduação Stricto Sensu Mestrado Acadêmico

Leia mais

NORMAS PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS DO I CONGRESSO DE CURSOS DA ESCOLA SÃO FRANCISCO DE ASSIS

NORMAS PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS DO I CONGRESSO DE CURSOS DA ESCOLA SÃO FRANCISCO DE ASSIS NORMAS PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS DO I CONGRESSO DE CURSOS DA ESCOLA SÃO FRANCISCO DE ASSIS A. INFORMAÇÕES GERAIS Os trabalhos poderão ser apresentados na forma de COMUNICAÇÃO ORAL, PÔSTER ou EXPOSIÇÃO

Leia mais

Normas para apresentação de dissertações

Normas para apresentação de dissertações Normas para apresentação de dissertações Bases Essenciais Manuel A. Matos Resumo: Neste documento descrevem-se os aspectos essenciais a ter em conta na apresentação de dissertações ou documentos similares,

Leia mais

Regulamento dos Programas de Pós-graduação Stricto Sensu em Ensino de Ciências e em Ensino de Ciências e Matemática.

Regulamento dos Programas de Pós-graduação Stricto Sensu em Ensino de Ciências e em Ensino de Ciências e Matemática. Regulamento dos Programas de Pós-graduação Stricto Sensu em Ensino de Ciências e em Ensino de Ciências e Matemática. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1 - Os Programas de Pós-graduação Stricto Sensu estão

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - 1ª REGIÃO DISTRITO FEDERAL - GOIÁS - MATO GROSSO - TOCANTINS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - 1ª REGIÃO DISTRITO FEDERAL - GOIÁS - MATO GROSSO - TOCANTINS IV PRÊMIO CIENTÍFICO HELENA FEIJÓ 2011 REGULAMENTO CAPÍTULO I DA INSTITUIÇÃO DO PRÊMIO SEÇÃO I DOS OBJETIVOS Art. 1º O IV PRÊMIO CIENTÍFICO HELENA FEIJÓ, promovido pelo Conselho Regional de Nutricionistas

Leia mais

mestrado normas para a realização de prova de projeto

mestrado normas para a realização de prova de projeto natureza O perfil do Projeto deve obedecer ao artigo 20º do Decreto-Lei n.º 74/2006 de 7 de agosto, ou seja, corresponder a um trabalho de investigação e desenvolvimento conducente à apresentação de uma

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA MANUAL DE NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA FORMOSA/GO

Leia mais

UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR APLICADA

UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR APLICADA UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR APLICADA EDITAL DE SELEÇÃO DE MESTRADO ACADÊMICO 2016 1. PREÂMBULO 1.1. O Instituto

Leia mais

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Sistemas Logísticos

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Sistemas Logísticos Regulamento do Programa de em Engenharia de Sistemas Logísticos I Composição da Comissão Coordenadora de Programa (CCP) A CCP do Programa de Engenharia de Sistemas Logísticos é constituída por 3 (três)

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO CAMPINA GRANDE 2015 1 DISSERTAÇÃO A defesa pública da dissertação

Leia mais

Art. 3º Cada Programa de Pós-Graduação é organizado em 1 (um) Corpo Docente e 1 (uma) Comissão de Pós-Graduação (CPG).

Art. 3º Cada Programa de Pós-Graduação é organizado em 1 (um) Corpo Docente e 1 (uma) Comissão de Pós-Graduação (CPG). 1 O Programa de Pós-Graduação do Observatório Nacional foi credenciado pelo parecer do Conselho Federal de Educação CFE, 05/73 de 22/01/73. Foi recredenciado pelo CFE, através do Parecer 755/93 de 06/12/93,

Leia mais

NORMAS REGULAMENTARES DOS MESTRADOS DO ISEG

NORMAS REGULAMENTARES DOS MESTRADOS DO ISEG NORMAS REGULAMENTARES DOS MESTRADOS DO ISEG Nos termos do artigo 26.º do Decreto-Lei n.º 74/2006 de 24 de Março e do Regulamento de Mestrados da Universidade Técnica de Lisboa (Deliberação do Senado da

Leia mais

Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária)

Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária) Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária) /curriculum Julho de 2008 Versão 1.1 1 Introdução O objectivo deste guia é auxiliar o utilizador da Plataforma

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AQUICULTURA DO CENTRO DE AQÜICULTURA DA UNESP - CAUNESP DOS OBJETIVOS DO CORPO DOCENTE

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AQUICULTURA DO CENTRO DE AQÜICULTURA DA UNESP - CAUNESP DOS OBJETIVOS DO CORPO DOCENTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AQUICULTURA DO CENTRO DE AQÜICULTURA DA UNESP - CAUNESP DOS OBJETIVOS Artigo 1º - O Programa de Pós-graduação em Aqüicultura do Centro de Aqüicultura da Unesp

Leia mais

Regulamento do. Programa de Estágios Curriculares. no Ministério dos Negócios Estrangeiros

Regulamento do. Programa de Estágios Curriculares. no Ministério dos Negócios Estrangeiros Regulamento do Programa de Estágios Curriculares no Ministério dos Negócios Estrangeiros Preâmbulo Na sequência do acordo tripartido celebrado entre o Governo e os parceiros sociais em junho de 2008 e

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO

NORMAS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO NORMAS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO Aprovado pelo Colegiado do Curso através da Resolução nº 03 de 13 de agosto de 2010 NORMAS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Psicologia e Educação

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Psicologia e Educação UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Psicologia e Educação Regulamento de Estágios 2º Ciclo em Psicologia da Universidade da Beira Interior Artigo 1.º

Leia mais

CENTRO TECNOLÓGICO UFES COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS PARA O PROJETO DE GRADUAÇÃO

CENTRO TECNOLÓGICO UFES COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS PARA O PROJETO DE GRADUAÇÃO CENTRO TECNOLÓGICO UFES COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS PARA O PROJETO DE GRADUAÇÃO O Colegiado do Curso de Engenharia Ambiental, em reunião de 26 de agosto de 2011, RESOLVE: Aprovar

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA DEFESA DO PROJETO DE DISSERTAÇÃO

ORIENTAÇÃO PARA DEFESA DO PROJETO DE DISSERTAÇÃO ORIENTAÇÃO PARA DEFESA DO PROJETO DE DISSERTAÇÃO Orientações para elaboração e defesa do projeto O projeto de pesquisa será apresentado na disciplina de Seminário II, no seguinte formato: O projeto deverá

Leia mais

GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO PROPe

GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO PROPe REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO PROPe Sumário Título I Dos Cursos de Pós Graduação e suas finalidades...1 Título II Dos Cursos de Pós Graduação em Sentido Lato...1 Título III Dos Cursos de

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM PROCESSOS QUÍMICOS E BIOLÓGICOS. (edição 2010-2012)

EDITAL MESTRADO EM PROCESSOS QUÍMICOS E BIOLÓGICOS. (edição 2010-2012) EDITAL MESTRADO EM PROCESSOS QUÍMICOS E BIOLÓGICOS (edição 2010-2012) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março, com as alterações introduzidas

Leia mais

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Iniciação à Pesquisa em Informática Profª MSc. Thelma E. C. Lopes e-mail: thelma@din.uem.br 2 Texto Científico: o que é? A elaboração do texto científico

Leia mais

ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA

ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA A elaboração da monografia deve ter como referência a ABNT NBR 14724/ 2006, a qual destaca que um trabalho acadêmico compreende elementos pré-textuais,

Leia mais

Normas técnicas para a monografia de graduação da Faculdade de Letras

Normas técnicas para a monografia de graduação da Faculdade de Letras UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO FACULDADE DE LETRAS DIREÇÃO ADJUNTA DE GRADUAÇÃO SEÇÃO DE ENSINO Normas técnicas para a monografia de graduação da Faculdade de Letras 2 SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Pós-Graduação

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Pós-Graduação Normas Específicas do Programa de em Engenharia Mecânica I Composição da Comissão Coordenadora do Programa A CCP do Programa em Engenharia Mecânica (PPGEM) é constituída por 6 (seis) membros docentes titulares

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA UFSJ

GUIA PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA UFSJ UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI UFSJ CAMPUS CENTRO OESTE DONA LINDU GUIA PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA UFSJ DIVINÓPOLIS MG 2009 O Trabalho de

Leia mais

CONCURSO ANUAL DO CBAR DE MONOGRAFIAS

CONCURSO ANUAL DO CBAR DE MONOGRAFIAS CONCURSO ANUAL DO CBAR DE MONOGRAFIAS 1 ÍNDICE I - Objetivos II Organização dos Concursos III Inscrições IV Requisitos de Apresentação dos Trabalhos V Comissão Julgadora VI Julgamento dos Trabalhos VI

Leia mais

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU USJT REGULAMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU USJT REGULAMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU USJT REGULAMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA CEPE 04/12/2013 I - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1 o O Curso de Mestrado do Programa

Leia mais

Universidade de São Paulo Instituto de Relações Internacionais. Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais

Universidade de São Paulo Instituto de Relações Internacionais. Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP) A Comissão Coordenadora do Programa (CCP) é a CPG Comissão de Pós-Graduação.

Leia mais

NORMAS PARA ENVIO DE TRABALHOS

NORMAS PARA ENVIO DE TRABALHOS NORMAS PARA ENVIO DE TRABALHOS REGRAS BÁSICAS A submissão de trabalhos ao 9º Simpósio Brasileiro de Cartografia Geotécnica e Geoambiental será totalmente online, não mais sendo necessário o envio de cópias

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - UFSJ

GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - UFSJ UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI UFSJ CAMPUS CENTRO-OESTE DONA LINDU CCO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA

Leia mais

Regulamento do Mestrado em Engenharia Industrial. Regulamento do Ciclo de Estudos de Mestrado em Engenharia Industrial

Regulamento do Mestrado em Engenharia Industrial. Regulamento do Ciclo de Estudos de Mestrado em Engenharia Industrial Regulamento do Ciclo de Estudos de Mestrado em Engenharia Industrial REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS DE MESTRADO EM ENGENHARIA INDUSTRIAL Artigo 1º (Natureza e âmbito de aplicação) 1. O presente Regulamento

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS PARA APRESENTAÇÃO EM FORMA DE TEMAS LIVRES

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS PARA APRESENTAÇÃO EM FORMA DE TEMAS LIVRES ORIENTAÇÕES GERAIS PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS PARA APRESENTAÇÃO EM FORMA DE TEMAS LIVRES 1) Quem pode inscrever trabalhos - Profissionais e estudantes de graduação e pós-graduação interessados nas discussões

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 013, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012.

RESOLUÇÃO Nº 013, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012. Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Câmpus Porto Alegre RESOLUÇÃO Nº 013, DE 13 DE NOVEMBRO

Leia mais

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO HOSPITALAR PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Elaborar um estudo acerca Estrutura e Funcionamento do Sistema de Saúde Pública e Privada no Brasil.

Leia mais

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA 1 Prezado(a) aluno(a), Este roteiro foi preparado para auxiliá-lo na elaboração de sua monografia (TCC). Ele o apoiará na estruturação das etapas do seu trabalho de maneira

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP

CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP 2011 ESTRUTURA 1 ELEMENTOS DE PRÉ-TEXTO 1.1 Capa 1.2 Lombada descendente 1.3 Folha de rosto 1.4 Folha de aprovação 1.5 Dedicatória 1.6 Agradecimentos 1.7 Epígrafe

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Faculdade de Artes Visuais Programa de Pós-Graduação em Arte e Cultura Visual

Universidade Federal de Goiás Faculdade de Artes Visuais Programa de Pós-Graduação em Arte e Cultura Visual Universidade Federal de Goiás Faculdade de Artes Visuais Programa de Pós-Graduação em Arte e Cultura Visual NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIOS PARA QUALIFICAÇÃO (MESTRADO E DOUTORADO), TESES E TRABALHOS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM GERONTOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM GERONTOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM GERONTOLOGIA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) São Carlos 2012 SUMÁRIO Capitulo I Da definição e objetivos... 03 Capítulo II Da

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA UNIDADE CURRICULAR

REGULAMENTO INTERNO DA UNIDADE CURRICULAR REGULAMENTO INTERNO DA UNIDADE CURRICULAR DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL CURSOS LIVRES ACTIVIDADES EXTRA-CURRICULARES REGULAMENTO INTERNO DA UNIDADE CURRICULAR DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL Secção I Disposições

Leia mais

RESOLUÇÃO CoPGr 6887, DE 25 DE AGOSTO DE 2014

RESOLUÇÃO CoPGr 6887, DE 25 DE AGOSTO DE 2014 D.O.E.: 28/08/2014 RESOLUÇÃO CoPGr 6887, DE 25 DE AGOSTO DE 2014 Baixa o Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Pneumologia da Faculdade de Medicina. A Pró-Reitora de Pós-Graduação da Universidade

Leia mais

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO I - II - III IV - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA

Leia mais

Regulamentação para Trabalho de Conclusão de Curso - TCC

Regulamentação para Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Regulamentação para Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Material elaborado pelo corpo docente da EBRAMEC / CIEFATO Para os cursos da Escola Brasileira de Medicina Chinesa Direção Geral: Reginaldo de Carvalho

Leia mais

NORMAS PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC

NORMAS PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO BAIXO TOCANTINS FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA RUA Manoel de Abreu, s/n, Bairro: Mutirão, CEP: 68.440-000 Fone/Fax:

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS Cada trabalho apresentado no congresso (comunicação oral ou pôster) receberá apenas trabalho um certificado, apresentado independente no congresso (comunicação do número de oral autores ou pôster) inscritos

Leia mais

Normas Regulamentares do Mestrado em Educação Pré-Escolar e em Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico

Normas Regulamentares do Mestrado em Educação Pré-Escolar e em Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico Normas Regulamentares do Mestrado em Educação Pré-Escolar e em Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico Artigo 1.º Da admissão ao ciclo de estudos 1. À matrícula no mestrado em Educação Pré-Escolar e em Ensino

Leia mais

Normas de apresentação e de harmonização gráfica para dissertação ou trabalho de projecto de mestrado e tese de doutoramento 1

Normas de apresentação e de harmonização gráfica para dissertação ou trabalho de projecto de mestrado e tese de doutoramento 1 Normas de apresentação e de harmonização gráfica para dissertação ou trabalho de projecto de mestrado e tese de doutoramento 1 1. Entrega (i) Os exemplares a entregar da dissertação ou do trabalho de projecto

Leia mais

I Prémio. II Concurso A. ÂMBITO E CONCORRENTES

I Prémio. II Concurso A. ÂMBITO E CONCORRENTES I Prémio 1. O Prémio Secil Universidades 2014, atribuído através do «Concurso Arquitectura», tem como objectivo incentivar a qualidade do trabalho de jovens oriundos das Escolas de Arquitectura Portuguesas

Leia mais

FACULDADE UNISAÚDE INSTITUTO UNISAÚDE MANUAL DE ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE FORMAÇÃO DE ESPECIALISTA EM ACUPUNTURA

FACULDADE UNISAÚDE INSTITUTO UNISAÚDE MANUAL DE ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE FORMAÇÃO DE ESPECIALISTA EM ACUPUNTURA FACULDADE UNISAÚDE INSTITUTO UNISAÚDE MANUAL DE ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE FORMAÇÃO DE ESPECIALISTA EM ACUPUNTURA Prof. Ms. Jean Luís de Souza Diretor Geral Faculdade Unisaude Prof.

Leia mais

a) Regras sobre a admissão no ciclo de estudos

a) Regras sobre a admissão no ciclo de estudos ANEXO Normas regulamentares do ciclo de estudos conducente ao grau de mestre em a) Regras sobre a admissão no ciclo de estudos 1. Habilitações de acesso São admitidos como candidatos à inscrição no ciclo

Leia mais

Sociedade Educacional da Paraíba - SEDUP Faculdades de Ensino Supeior da Paraíba - FESP

Sociedade Educacional da Paraíba - SEDUP Faculdades de Ensino Supeior da Paraíba - FESP Sociedade Educacional da Paraíba - SEDUP Faculdades de Ensino Supeior da Paraíba - FESP REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO TCC CURSO DE DIREITO DA FESP FACULDADES Ultima versão 21/08/2012 CAPÍTULO

Leia mais

Normas para Apresentação de Monografias

Normas para Apresentação de Monografias UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE DEPARTAMENTO DE SISTEMAS E COMPUTAÇÃO COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Normas para Apresentação de Monografias Campina Grande, dezembro 2010

Leia mais

4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO Este capítulo visa a orientar a elaboração de artigos científicos para os cursos de graduação e de pós-graduação da FSG. Conforme a NBR 6022 (2003, p. 2),

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º- O presente Regulamento tem por finalidade normatizar as atividades relacionadas

Leia mais

UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO EM PATRIMÔNIO CULTURAL E SOCIEDADE

UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO EM PATRIMÔNIO CULTURAL E SOCIEDADE UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO EM PATRIMÔNIO CULTURAL E SOCIEDADE Campus I Joinville 2008 SUMÁRIO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS... 03 CAPÍTULO II DA ORGANIZAÇÃO

Leia mais

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS MONOGRAFIA Trata-se de uma construção intelectual do aluno-autor que revela sua leitura, reflexão e interpretação sobre o tema da realidade. Tem como base a escolha de uma unidade ou elemento social, sob

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO Setembro de 2012 Luanda CAPÍTULO I (DISPOSIÇÕES GERAIS) Artigo 1.º (Natureza) O Trabalho de Conclusão do Curso, neste regulamento designado abreviadamente

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado MANUAL DE DEFESA Exame de Qualificação: banca examinadora

Leia mais

NBR 14724/2011 ABNT NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 19/10/2011. Objetivo

NBR 14724/2011 ABNT NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 19/10/2011. Objetivo Objetivo ABNT Normas para elaboração de trabalhos científicos Esta Norma especifica os princípios gerais para a elaboração de trabalhos acadêmicos, visando sua apresentação à instituição Estrutura Parte

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO. CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA e CURSO TÉCNICO EM REDES DE COMPUTADORES

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO. CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA e CURSO TÉCNICO EM REDES DE COMPUTADORES REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA e CURSO TÉCNICO EM REDES DE COMPUTADORES Os Cursos Técnicos da área de Informática (Informática e Redes de Computadores) estabelecem

Leia mais