Guia de utilizador Plataformas de Consulta SPOTIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Guia de utilizador Plataformas de Consulta SPOTIA"

Transcrição

1 Guia de utilizador Plataformas de Consulta SPOTIA Este documento serve de apoio à utilização das Plataformas de Consulta do Projecto SPOTIA - Orientações de política territorial sustentável e avaliação de impactos - contributos para o caso português V.1.

2 ÍNDICE Guia de utilizador das Plataformas de Consulta SPOTIA 2 1. Plataforma de consulta dos diagnósticos, objectivos (ou similares) 4 e sistemas de indicadores 1.1. Página de consulta Diagnóstico Página de consulta Objectivos ou similares Página de consulta Sistemas de indicadores Plataforma de consulta com base em informação presente no 20 PNPOT 2.1. Página de consulta Medidas Prioritárias por Tipo de 20 Intervenção Pública 2.2. Página de consulta Objectivos específicos e domínios de 26 Acção Governativa / Ministérios 2.3. Página de consulta Medidas Prioritárias e Instrumentos de 31 Gestão Territorial 3. Plataforma de consulta com base em informação presente nos 37 PROT 3.1. Página de consulta Responsáveis pelas acções - PROT Página de consulta Fontes de financiamento das acções - 43 PROT 1

3 Guia de utilizador das Plataformas de Consulta SPOTIA Esta ferramenta Plataformas de Consulta SPOTIA - tem como objectivo principal a procura de novas abordagens metodológicas para o desenvolvimento de um conjunto de ferramentas de suporte a um Sistema Espacial de Apoio à Decisão (SEAD) que apoie o sistema de planeamento nacional, através da relação entre os vários instrumentos de planeamento à escala nacional e regional. O SEAD pretende conjugar informação quantitativa, através da análise e cartografia de indicadores, mas também informação qualitativa, relacionada com as orientações estratégicas promovidas pelos vários instrumentos em análise. A conjugação de informações de características tão díspares, embora ambas territorializadas, é um dos aspectos inovadores desta abordagem. Para mais informações consultar a apresentação A necessidade de informação e o papel dos Sistemas Espaciais de Apoio à Decisão (SEAD). Que potencialidades? (Patrícia Abrantes, Paulo Morgado, Jorge Rocha, CEG/IGOT/UL) (URL: As Plataformas de Consulta permitem a consulta de informação proveniente nos vários instrumentos de planeamento seleccionados para o estudo, de forma organizada e (o mais possível) compatibilizada entre instrumentos. Estas plataformas pretendem apoiar a formulação, revisão, actualização e avaliação das orientações já existentes para uma região e/ou temática, através de uma consulta acessível a todos, reforçando a governança e a coerência interna e externa do sistema de planeamento nacional numa perspectiva multi-escalar. O sistema de categorização por temática e domínio desenvolvido no Projecto SPOTIA inclui-se nesta ferramenta na medida em que permite uma selecção desses mesmos tópicos entre os vários instrumentos. Para mais informações sobre o sistema de codificação SPOTIA consultar a apresentação Coerência de políticas e sistemas de indicadores nos instrumentos de ordenamento e 2

4 planeamento territorial um balanço (Eduarda Marques da Costa, CEG/IGOT/UL) (URL: No contexto das Plataformas de Consulta SPOTIA, desenvolveram-se várias componentes distintas, nomeadamente: 1. Plataforma de consulta dos diagnósticos, objectivos (ou similares) e sistemas de indicadores presentes nos instrumentos em estudo; 2. Plataforma de consulta com base em informação presente no PNPOT, destacando-se a identificação das entidades responsáveis associados aos objectivos específicos, e os Tipos de intervenção e Instrumentos de Gestão Territorial associados às medidas do mesmo instrumento; 3. Plataforma de consulta com base em informação presente nos vários PROT de Portugal Continental (Norte, Centro, OVT; Lisboa, Alentejo, Algarve), nomeadamente a identificação das Entidades responsáveis e Fontes de financiamento das acções propostas nos instrumentos. 3

5 1. Plataforma de consulta dos diagnósticos, objectivos (ou similares) e sistemas de indicadores A primeira Plataforma de Consulta SPOTIA prende-se com a organização de três níveis de informação diagnósticos, objectivos ou similares, e sistemas de indicadores - dos instrumentos em estudo no contexto do Projecto SPOTIA, a destacar, à escala nacional: Programa Nacional da Política de Ordenamento do Território (PNPOT), Estratégia Nacional de Desenvolvimento Sustentável (ENDS), Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN), Programa Operacional de Valorização do Território (PO VT), Programa Operacional de Competitividade (PO Compete) e Programa Operacional Potencial Humano (PO PH); E à escala regional Programas Operacionais Regionais (POR) Norte, Centro, Lisboa, Alentejo e Algarve e Planos Regionais de Ordenamento do Território para Portugal Continental (PROT) Norte, Centro, Oeste e Vale do Tejo, Área Metropolitana de Lisboa, Alentejo e Algarve. Todos estes níveis de informação foram codificados com recurso ao sistema de codificação por Temáticas e Domínios SPOTIA Página de consulta Diagnóstico A identificação dos diagnósticos dos vários instrumentos, partindo especialmente das Análises SWOT Força, Fraqueza, Oportunidades e Ameaças torna-se relevante para a avaliação da coerência e relevância das opções políticas, considerando também as escalas a que os instrumentos se destinam. Dada a maior generalidade dos tópicos, verifica-se uma maior complexidade na codificação de cada item do Diagnóstico, sendo que cada item foi codificado em um ou mais códigos de Temáticas SPOTIA. 4

6 Procedimento para a consulta: Nome do Ficheiro: Consultas SPOTIA GERAL Formulário: 111 Diagnóstico 1. Abrir ficheiro Access Consultas SPOTIA - Geral, abrir página 111 Diagnóstico no menu Formulários (à esquerda, (A)) (Fig. 1); Fig. 1. Consultas SPOTIA Geral, página 111 Diagnóstico Passo 1 2. Após o Passo 1, surge a vista de Formulário (Fig. 2). A vista de formulário apresenta cinco componentes distintas: - menu de navegação (A) identifica os ficheiros disponíveis para consulta; - friso superior (B) opções básicas do Microsoft Office para Access; - secção superior (C) Formulário - secção inferior (D) Folha de dados associada ao Formulário, permite a realização de consultas - friso inferior (E) pesquisa por palavra-chave, localização de registos (Primeiro registo, Registo anterior, Registo Seguinte, Último Registo) 5

7 Fig. 2. Consultas SPOTIA Geral, página 111 Diagnóstico Passo 2 3. As pesquisas podem ser várias e de complexidade variada: 3.1. Identificação de itens específicos dos Diagnósticos de acordo com uma Temática SPOTIA (Fig. 3): - Na secção inferior (folha de dados), procurar a coluna da Temática SPOTIA em foco (ex. 11 Economia ); - Seleccionar o filtro no cabeçalho na coluna pretendida e desmarcar a opção Em branco, mantendo a opção Sim ; - A secção inferior apresentará apenas os itens de Diagnóstico associados à Temática seleccionada; - No friso inferior surgirá o total de itens dos Diagnósticos filtrados e poderá, através das setas de Registo anterior e Registo seguinte, percorrer todos os itens filtrados, visualizando detalhadamente a informação na secção superior (formulário); 6

8 Fig. 3. Consultas SPOTIA Geral, página 111 Diagnóstico Passo Identificação de itens específicos dos Diagnósticos de acordo com duas ou mais Temáticas SPOTIA: - Na secção inferior (folha de dados), procurar a coluna da Temática SPOTIA em foco (ex. 11 Economia e 12 Investigação, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação ); - Seleccionar o filtro no cabeçalho das colunas pretendidas e desmarcar a opção Em branco, mantendo a opção Sim ; - A secção inferior apresentará apenas os itens de Diagnóstico associados às Temáticas seleccionadas; - No friso inferior surgirá o total de itens dos Diagnósticos filtrados e poderá, através das setas de Registo anterior e Registo seguinte, percorrer todos os itens filtrados, visualizando detalhadamente a informação na secção superior (formulário); 3.3. Identificação de itens específicos dos Diagnósticos de acordo com uma Temática SPOTIA associado a outros critérios - uma ou mais regiões, uma ou mais escalas, um ou mais quadrantes da Análise SWOT: - Na secção inferior (folha de dados), procurar a coluna da Temática SPOTIA em foco (ex. 11 Economia ); 7

9 - Seleccionar o filtro no cabeçalho na coluna pretendida e desmarcar a opção Em branco, mantendo a opção Sim ; - Na secção inferior (folha de dados), procurar outras condições em coluna para filtro, nomeadamente: - Quadrante do diagnóstico (força, fraqueza, oportunidade, ameaça, tendência, problema, desafio); - Região; - Escala regional, nacional; - Ano de Publicação. - Seleccionar o filtro das colunas pretendidas para uma análise mais complexa, manter marcada a opção pretendida, desmarcando todas as outras; - A secção inferior apresentará apenas os itens de Diagnóstico associados aos filtros seleccionados previamente; - No friso inferior surgirá o total itens dos Diagnósticos filtrados e poderá, através das setas de registo anterior e registo seguinte, percorrer todos os itens filtrados, visualizando detalhadamente a informação na secção superior (formulário); Fig. 4. Consultas SPOTIA Geral, página 111 Diagnóstico Passo Para exportar a informação filtrada (Fig. 5): - No friso superior (b), clicar em Dados Externos ; - Na secção Exportar, seleccionar o formato em que pretende exportar Excel, Word, PDF, ou outro. - Só será exportada a informação previamente filtrada 8

10 Fig. 5. Consultas SPOTIA Geral, página 111 Diagnóstico Passo 4. 9

11 1.2. Página de consulta Objectivos ou similares A identificação das orientações estratégicas propostas pelos vários instrumentos, na forma de objectivos ou similares, é o segundo elemento relevante para a avaliação da coerência e relevância das opções políticas. Cada objectivo foi codificado através do sistema de Temáticas e Domínios SPOTIA para uma mais fácil pesquisa e organização da informação. Procedimento para a consulta: Nome do Ficheiro: Consultas SPOTIA GERAL Formulário: 112 Objectivos 1. Abrir ficheiro Access Consultas SPOTIA - Geral, abrir página 112 Objectivos, no menu Formulários (à esquerda, (A)) (Fig. 6); Fig. 6. Consultas SPOTIA Geral, página 112 Objectivos Passo Após o Passo 1, surge a vista de Formulário (Fig. 7). A vista de formulário apresenta cinco componentes distintas: 10

12 - menu de navegação (A) identifica os ficheiros disponíveis para consulta; - friso superior (B) opções básicas do Microsoft Office para Access; - secção superior (C) Formulário - secção inferior (D) Folha de dados associada ao Formulário, permite a realização de consultas - friso inferior (E) pesquisa por palavra-chave, localização de registos (Primeiro registo, Registo anterior, Registo Seguinte, Último Registo) Fig. 7. Consultas SPOTIA Geral, página 112 Objectivos Passo As pesquisas podem ser várias e de complexidade variada: 3.1. Identificação de Objectivos ou similares de acordo com uma Temática ou Domínio SPOTIA (Fig. 8): - Na secção inferior (folha de dados), procurar a coluna das Temáticas SPOTIA em foco (ex. Temática 1.1. Economia e empresas ); - Seleccionar o filtro no cabeçalho na coluna pretendida e manter a marcação nas opções pretendidas; - A secção inferior apresentará apenas os Objectivos associados à Temática seleccionada; - No friso inferior surgirá o total objectivos filtrados e poderá, através das setas de registo anterior e registo seguinte, percorrer todos os itens filtrados, visualizando detalhadamente a informação na secção superior (formulário); 11

13 Fig. 8. Consultas SPOTIA Geral, página 112 Objectivos Passo Identificação de objectivos de acordo com duas ou mais Temáticas SPOTIA (Fig. 9): - Na secção inferior (folha de dados), procurar a coluna da Temática SPOTIA;; - Seleccionar o filtro no cabeçalho das colunas pretendidas e desmarcar a opção Em branco, mantendo a opção Sim (ex. 11 Economia e 12 Investigação, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação ); - A secção inferior apresentará apenas os Objectivos associados às Temáticas seleccionadas; - No friso inferior surgirá o total de Objectivos filtrados e poderá, através das setas de registo anterior e registo seguinte, percorrer todos os itens filtrados, visualizando detalhadamente a informação na secção superior (formulário); 12

14 Fig. 9. Consultas SPOTIA Geral, página 112 Objectivos Passo Identificação de Objectivos de acordo com a selecção da Temática SPOTIA e/ou de outras variáveis (Fig. 10): - Na secção inferior (folha de dados), procurar a coluna da Temática SPOTIA; - Seleccionar o filtro no cabeçalho na coluna pretendida e desmarcar a opção Em branco, mantendo a opção Sim (ex. 11 Economia ); - Na secção inferior (folha de dados), procurar outras colunas para filtro, nomeadamente: - Região; - Escala regional, nacional; - Ano de Publicação; - Tipologia do item medida, sub-prioridades, objectivos-chave, objectivos estratégicos, objectivos específicos, objectivos operativos, opções estratégicas; (Nota: a variedade da Tipologia do item deve-se ao facto de, por vezes, os vários documentos apresentarem conceitos diferentes para o mesmo tipo de informação ou até mesmo haver em cada instrumento um conjunto de conceitos diferentes) - Seleccionar o filtro das colunas pretendidas para uma análise mais complexa, manter a opção em foco, desmarcando todas as outras; - A secção inferior apresentará apenas os Objectivos associados aos filtros seleccionados previamente; - No friso inferior surgirá o total de Objectivos filtrados e poderá, através das setas de registo anterior e registo seguinte, percorrer todos os itens filtrados, visualizando detalhadamente a informação na secção superior (formulário); 13

15 Fig. 10. Consultas SPOTIA Geral, página 112 Objectivos Passo Para exportar a informação filtrada (Fig. 11): - No friso superior (b), clicar em Dados Externos ; - Na secção Exportar, seleccionar o formato em que pretende exportar Excel, Word, PDF, ou outro. - Só será exportada a informação previamente filtrada Fig. 11. Consultas SPOTIA Geral, página 112 Objectivos Passo 4. 14

16 1.3. Página de consulta Sistemas de indicadores A identificação dos sistemas de indicadores de monitorização e avaliação dos vários instrumentos, de acordo com a escala a que se destina, são o terceiro aspecto relevante para a avaliação da coerência e relevância das opções políticas. Cada indicador foi codificado através do Sistema de Codificação de Temáticas e Domínios SPOTIA. Procedimento para a consulta: Nome do Ficheiro: Consultas SPOTIA GERAL Formulário: 113 Indicadores 1. Abrir ficheiro Access Consultas SPOTIA - Geral, abrir página 113 Indicadores, no menu Formulários (à esquerda, (A)) (Fig. 12); Fig. 12. Consultas SPOTIA Geral, página 113 Indicadores Passo Após o Passo 1, surge a vista de Formulário (Fig. 13). A vista de formulário apresenta cinco componentes distintas: 15

17 - menu de navegação (A) identifica os ficheiros disponíveis para consulta; - friso superior (B) opções básicas do Microsoft Office para Access; - secção superior (C) Formulário - secção inferior (D) Folha de dados associada ao Formulário, permite a realização de consultas - friso inferior (E) pesquisa por palavra-chave, localização de registos (Primeiro registo, Registo anterior, Registo Seguinte, Último Registo) Fig. 13. Consultas SPOTIA Geral, página 113 Indicadores Passo As pesquisas podem ser várias e de complexidade variada: 3.1. Identificação dos indicadores de acordo com uma Temática SPOTIA (Fig. 14): - Na secção inferior (folha de dados), procurar a coluna da Temática SPOTIA em foco (ex. 11 Economia ); - Seleccionar o filtro no cabeçalho na coluna pretendida e desmarcar a opção Em branco, mantendo a opção Sim ; - A secção inferior apresentará apenas os indicadores associados à Temática seleccionada; 16

18 - No friso inferior surgirá o total de indicadores filtrados e poderá, através das setas de registo anterior e registo seguinte, percorrer todos os itens filtrados, visualizando detalhadamente a informação na secção superior (formulário); Fig. 14. Consultas SPOTIA Geral, página 113 Indicadores Passo Identificação de indicadores de acordo com duas ou mais Temáticas SPOTIA (Fig. 15): - Na secção inferior (folha de dados), procurar a coluna da Temática SPOTIA; - Seleccionar o filtro no cabeçalho das colunas pretendidas e desmarcar a opção Em branco, mantendo a opção Sim (ex. 11 Economia e 12 Investigação, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação ); - A secção inferior apresentará apenas os indicadores associados às Temáticas seleccionadas; - No friso inferior surgirá o total de indicadores filtrados e poderá, através das setas de registo anterior e registo seguinte, percorrer todos os itens filtrados, visualizando detalhadamente a informação na secção superior (formulário); 17

19 Fig. 15. Consultas SPOTIA Geral, página 113 Indicadores Passo Identificação de indicadores de acordo com uma Temática SPOTIA associados a informações complementares (Fig. 16): - Na secção inferior (folha de dados), procurar a coluna da Temática SPOTIA;; - Seleccionar o filtro no cabeçalho das colunas pretendidas e desmarcar a opção Em branco, mantendo a opção Sim (ex. 11 Economia e 12 Investigação, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação ); - Na secção inferior (folha de dados), procurar outras colunas para filtro, nomeadamente: - Quadrante do diagnóstico (força, fraqueza, oportunidade, ameaça, tendência, problema, desafio); - Região; - Escala regional, nacional; - Ano de Publicação; - Tipologia de indicador; - Seleccionar o filtro das colunas pretendidas para uma análise mais complexa, manter a opção em foco, desmarcando todas as outras; - A secção inferior apresentará apenas os indicadores associados aos filtros seleccionados previamente; - No friso inferior surgirá o total de indicadores filtrados e poderá, através das setas de registo anterior e registo seguinte, percorrer todos os itens filtrados, visualizando detalhadamente a informação na secção superior (formulário); 18

20 Fig. 16. Consultas SPOTIA Geral, página 113 Indicadores Passo Para exportar a informação filtrada (Fig. 17): - No friso superior (b), clicar em Dados Externos ; - Na secção Exportar, seleccionar o formato em que pretende exportar Excel, Word, PDF, ou outro. - Só será exportada a informação previamente filtrada Fig. 17. Consultas SPOTIA Geral, página 113 Indicadores Passo 4. 19

21 2. Plataforma de consulta com base em informação presente no PNPOT Sendo o PNPOT Programa Nacional da Política de Ordenamento do Território - um documento central no Sistema de Planeamento Nacional, importa que as suas informações sejam o mais amplamente divulgadas pelos agentes que as devem considerar e estar disponíveis para consulta. Assim, destaca-se para a construção desta Plataforma de Consulta, aspectos fundamentais do documento, nomeadamente a identificação das Entidades responsáveis associadas aos objectivos específicos propostos, e os Tipos de intervenção e a identificação dos Instrumentos de Gestão Territorial a considerar para resposta às medidas propostas pelo PNPOT Página de consulta Medidas Prioritárias por Tipo de Intervenção Pública O Programa de Acção do PNPOT identifica os Tipos de Intervenção Pública associadas às Medidas Prioritárias propostas. Os Tipos de Intervenção Pública repartem-se em 4 grandes grupos (Fonte: PNPOT, Programa de Acção, 73-91): 1. Legislação Lei, Decreto-Lei e outra legislação; 2. Estratégia, Planeamento e Regulação Estratégias, Instrumentos de Gestão Territorial e outros instrumentos de planeamento ou de regulação; 3. Informação, Coordenação e Avaliação Sistemas de informação, monitorização, coordenação e avaliação de políticas públicas; 20

22 4. Administração, Execução e Incentivo Inclui actos de Administração Pública, incluindo acções de inspecção e fiscalização, execução de projectos e acções de desenvolvimento de natureza material ou imaterial por entidades públicas e o apoio ao investimento e a outras acções desenvolvidas por entidades públicas e o apoio ao investimento e a outras acções desenvolvidas por entidades privadas ou em parceria público-privada. Procedimento para a consulta: Nome do Ficheiro: Consultas SPOTIA PNPOT Formulário: 121 Medidas Prioritárias por Tipo de Intervenção Pública 1. Abrir ficheiro Access Consultas SPOTIA - PNPOT, abrir página 121 Medidas Prioritárias por Tipo de Intervenção Pública, no menu Formulários (à esquerda, (A)) (Fig. 18); Fig. 18. Consultas SPOTIA PNPOT, página 121 Medidas Prioritárias por Tipo de Intervenção Pública Passo Após o Passo 1, surge a vista de Formulário (Fig. 19). A vista de formulário apresenta cinco componentes distintas: - menu de navegação (A) identifica os ficheiros disponíveis para consulta; - friso superior (B) opções básicas do Microsoft Office para Access; - secção superior (C) Formulário 21

23 - secção inferior (D) Folha de dados associada ao Formulário, permite a realização de consultas - friso inferior (E) pesquisa por palavra-chave, localização de registos (Primeiro registo, Registo anterior, Registo Seguinte, Último Registo) Fig. 19. Consultas SPOTIA PNPOT, página 121 Medidas Prioritárias por Tipo de Intervenção Pública Passo Tipologias de pesquisa 3.1. Identificação das Medidas Prioritárias para apenas um tipo de intervenção (Fig. 20): - Na secção inferior (folha de dados), procurar a coluna do tipo de intervenção em foco (ex. Legislação ); - Seleccionar o filtro no cabeçalho na coluna pretendida e desmarcar a opção Em branco, mantendo a opção Sim ; - A secção inferior apresentará apenas as Medidas Prioritárias associadas ao tipo de intervenção seleccionado; - No friso inferior surgirá o total de Medidas Prioritárias filtradas e poderá, através das setas de registo anterior e registo seguinte, percorrer todos os itens filtrados, visualizando detalhadamente a informação na secção superior (formulário); 22

24 Fig. 20. Consultas SPOTIA PNPOT, página 121 Medidas Prioritárias por Tipo de Intervenção Pública Passo Identificação das Medidas Prioritárias para dois ou mais tipos de intervenção (Fig. 21): - Na secção inferior (folha de dados), procurar a coluna dos tipos de intervenção em análise (ex. Legislação e Informação, Coordenação e Avaliação ); - Seleccionar os filtros no cabeçalho na coluna pretendida e desmarcar a opção Em branco, mantendo a opção Sim ; - A secção inferior apresentará apenas as Medidas Prioritárias associadas aos tipos de intervenção seleccionados; - No friso inferior surgirá o total de Medidas Prioritárias filtradas e poderá, através das setas de registo anterior e registo seguinte, percorrer todos os itens filtrados, visualizando detalhadamente a informação na secção superior (formulário); 23

25 Fig. 21. Consultas SPOTIA PNPOT, página 121 Medidas Prioritárias por Tipo de Intervenção Pública Passo Identificação das Medidas Prioritárias por Temática e Domínio SPOTIA (Fig. 22): - Na secção inferior (folha de dados), procurar a coluna Temática ou Domínio ; - Seleccionar os filtros no cabeçalho na coluna pretendida e desmarcar as opções não pretendidas (p.ex Economia e empresas ); - A secção inferior apresentará apenas as Medidas Prioritárias associadas às Temáticas e/ou Domínios seleccionados; - No friso inferior surgirá o total de Medidas Prioritárias filtradas e poderá, através das setas de registo anterior e registo seguinte, percorrer todos os itens filtrados, visualizando detalhadamente a informação na secção superior (formulário); 24

26 Fig. 22. Consultas SPOTIA PNPOT, página 121 Medidas Prioritárias por Tipo de Intervenção Pública Passo Para exportar a informação filtrada (Fig. 23): - No friso superior (b), clicar em Dados Externos ; - Na secção Exportar, seleccionar o formato em que pretende exportar Excel, Word, PDF, ou outro. - Só será exportada a informação previamente filtrada. Fig. 23. Consultas SPOTIA PNPOT, página 121 Medidas Prioritárias por Tipo de Intervenção Pública Passo 4. 25

27 2.2. Página de consulta Objectivos específicos e domínios de Acção Governativa / Ministérios O Programa de Acção do PNPOT identifica os Domínios de Acção Governativa ou Ministérios associados aos Objectivos Específicos propostos, clarificando as responsabilidades e exigências de coordenação institucional para a implementação do programa. Neste contexto destacam-se como agentes (informações de ) (Fonte: PNPOT, Programa de Acção, 92-94): MAOTDR - Ministério do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional MADRP - Ministério da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas MCTES - Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior MDN - Ministério da Defesa Nacional MEI - Ministério da Economia e da Inovação MAI - Ministério da Administração Interna MOPTC - Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações MC - Ministério da Cultura MS - Ministério da Saúde MTSS - Ministério do Trabalho e da Segurança Social ME - Ministério da Economia SEJD - Secretaria de Estado da Juventude e Desporto MJ - Ministério da Justiça MFAP - Ministério das Finanças e da Administração Pública Procedimento para a consulta: Nome do Ficheiro: Consultas SPOTIA PNPOT Formulário: 122 Objectivos específicos e domínios de Acção Governativa 1 Os Ministérios têm sofrido alterações com o evoluir dos Governos. Actualmente são Ministérios do Governo de Portugal: Ministério das Finanças, Ministério dos Negócios Estrangeiros, Ministério da Defesa Nacional, Ministério da Administração Interna, Ministério da Justiça, Ministério da Economia, Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Ministério da Agricultura e do Mar, Ministério da Saúde, Ministério da Educação e Ciência, Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, entre outros. 26

28 1. Abrir ficheiro Access Consultas SPOTIA - PNPOT, abrir página 122 Objectivos específicos e domínios de Acção Governativa, no menu Formulários (à esquerda, (A)) (Fig. 24); Fig. 24. Consultas SPOTIA PNPOT, página 122 Objectivos específicos e domínios de Acção Governativa Passo Após o Passo 1, surge a vista de Formulário (Fig. 25). A vista de formulário apresenta cinco componentes distintas: - menu de navegação (A) identifica os ficheiros disponíveis para consulta; - friso superior (B) opções básicas do Microsoft Office para Access; - secção superior (C) Formulário - secção inferior (D) Folha de dados associada ao Formulário, permite a realização de consultas - friso inferior (E) pesquisa por palavra-chave, localização de registos (Primeiro registo, Registo anterior, Registo Seguinte, Último Registo) 27

29 Fig. 25. Consultas SPOTIA PNPOT, página 122 Objectivos específicos e domínios de Acção Governativa Passo Tipologias de pesquisa 3.1. Identificação dos Objectivos Específicos para apenas um domínio de acção Governativa / Ministério (Fig. 26): - Na secção inferior (folha de dados), procurar a coluna do domínio de acção Governativa / Ministério; - Seleccionar o filtro no cabeçalho na coluna pretendida (ex. MAOTDR ), e desmarcar a opção Em branco, mantendo a opção Sim ; - A secção inferior apresentará apenas as Medidas Prioritárias associadas ao domínio de acção Governativa / Ministério seleccionado; - No friso inferior surgirá o total de Medidas Prioritárias filtradas e poderá, através das setas de registo anterior e registo seguinte, percorrer todos os itens filtrados, visualizando detalhadamente a informação na secção superior (formulário); 28

30 Fig. 26. Consultas SPOTIA PNPOT, página 122 Objectivos específicos e domínios de Acção Governativa Passo Identificação dos Objectivos Específicos para dois ou mais domínios de acção Governativa / Ministérios (Fig. 27): - Na secção inferior (folha de dados), procurar a coluna do tipo de intervenção; - Seleccionar os filtros no cabeçalho na coluna pretendida (ex. MAORDR e MADRP ), e desmarcar a opção Em branco, mantendo a opção Sim ; - A secção inferior apresentará apenas as Medidas Prioritárias associadas aos tipos de intervenção seleccionados; - No friso inferior surgirá o total de Medidas Prioritárias filtradas e poderá, através das setas de registo anterior e registo seguinte, percorrer todos os itens filtrados, visualizando detalhadamente a informação na secção superior (formulário); 29

31 Fig. 27. Consultas SPOTIA PNPOT, página 122 Objectivos específicos e domínios de Acção Governativa Passo Para exportar a informação filtrada (Fig. 28): - No friso superior (b), clicar em Dados Externos ; - Na secção Exportar, seleccionar o formato em que pretende exportar Excel, Word, PDF, ou outro. - Só será exportada a informação previamente filtrada Fig. 28. Consultas SPOTIA PNPOT, página 122 Objectivos específicos e domínios de Acção Governativa Passo 4. 30

32 2.3. Página de consulta Medidas Prioritárias e Instrumentos de Gestão Territorial O Programa de Acção do PNPOT identifica os Instrumentos de Gestão Territorial (IGT) associadas às Medidas Prioritárias propostas, de forma a compatibilizar as opções destes planos com as do PNPOT. Neste contexto destacam-se quatro IGT (Fonte: PNPOT, Programa de Acção, pp ): 1. PEOT Planos Especiais de Ordenamento do Território; 2. PROT Planos Regionais de Ordenamento do Território; 3. PIOT Planos Intermunicipais de Ordenamento do Território; 4. PMOT Planos Municipais de Ordenamento do Território Procedimento para a consulta: Nome do Ficheiro: Consultas SPOTIA PNPOT Formulário: 123 Medidas Prioritárias e Instrumentos de Gestão Territorial 1. Abrir ficheiro Access Consultas SPOTIA - PNPOT, abrir página 123 Medidas Prioritárias e Instrumentos de Gestão Territorial, no menu Formulários (à esquerda, (A)) (Fig. 29); Fig. 29. Consultas SPOTIA PNPOT, página 123 Medidas Prioritárias e Instrumentos de Gestão Territorial Passo 1. 31

33 2. Após o Passo 1, surge a vista de Formulário (Fig. 30). A vista de formulário apresenta cinco componentes distintas: - menu de navegação (A) identifica os ficheiros disponíveis para consulta; - friso superior (B) opções básicas do Microsoft Office para Access; - secção superior (C) Formulário - secção inferior (D) Folha de dados associada ao Formulário, permite a realização de consultas - friso inferior (E) pesquisa por palavra-chave, localização de registos (Primeiro registo, Registo anterior, Registo Seguinte, Último Registo) Fig. 30. Consultas SPOTIA PNPOT, página 123 Medidas Prioritárias e Instrumentos de Gestão Territorial Passo 2. 32

34 3. Tipologias de pesquisa 3.1. Identificação das Medidas Prioritárias a considerar por apenas um tipo de Instrumento de Gestão Territorial (Fig. 31): - Na secção inferior (folha de dados), procurar a coluna do tipo IGT em análise (ex. PROT ); - Seleccionar o filtro no cabeçalho na coluna pretendida e desmarcar a opção Em branco, mantendo a opção Sim ; - A secção inferior apresentará apenas as Medidas Prioritárias associadas ao tipo de IGT seleccionado; - No friso inferior surgirá o total de Medidas Prioritárias filtradas e poderá, através das setas de registo anterior e registo seguinte, percorrer todos os itens filtrados, visualizando detalhadamente a informação na secção superior (formulário); Fig. 31. Consultas SPOTIA PNPOT, página 123 Medidas Prioritárias e Instrumentos de Gestão Territorial Passo

35 3.2. Identificação das Medidas Prioritárias a considerar por dois ou mais tipos de Instrumento de Gestão Territorial (Fig. 32): - Na secção inferior (folha de dados), procurar a coluna do tipo de IGT em análise (ex. PROT e PEOT ); - Seleccionar os filtros no cabeçalho na coluna pretendida e desmarcar a opção Em branco, mantendo a opção Sim ; - A secção inferior apresentará apenas as Medidas Prioritárias associadas aos tipos de IGT seleccionados; - No friso inferior surgirá o total de Medidas Prioritárias filtradas e poderá, através das setas de registo anterior e registo seguinte, percorrer todos os itens filtrados, visualizando detalhadamente a informação na secção superior (formulário); Fig. 32. Consultas SPOTIA PNPOT, página 123 Medidas Prioritárias e Instrumentos de Gestão Territorial Passo Identificação das Medidas Prioritárias por Temática e Domínio SPOTIA (Fig. 33): - Na secção inferior (folha de dados), procurar as colunas Temática e/ou Domínio ; 34

36 - Seleccionar os filtros no cabeçalho na coluna pretendida e desmarcar as opções não pretendidas; - A secção inferior apresentará apenas as Medidas Prioritárias associadas às Temáticas e/ou Domínios seleccionados; - No friso inferior surgirá o total de Medidas Prioritárias filtradas e poderá, através das setas de registo anterior e registo seguinte, percorrer todos os itens filtrados, visualizando detalhadamente a informação na secção superior (formulário); Fig. 33. Consultas SPOTIA PNPOT, página 123 Medidas Prioritárias e Instrumentos de Gestão Territorial Passo Para exportar a informação filtrada (Fig. 34): - No friso superior (b), clicar em Dados Externos ; - Na secção Exportar, seleccionar o formato em que pretende exportar Excel, Word, PDF, ou outro. - Só será exportada a informação previamente filtrada. 35

37 Fig. 34. Consultas SPOTIA PNPOT, página 123 Medidas Prioritárias e Instrumentos de Gestão Territorial Passo 4. 36

38 3. Plataforma de consulta com base em informação presente nos PROT A terceira Plataforma de Consulta SPOTIA tem por base informação presente nos PROT, nomeadamente a identificação das entidades responsáveis e fontes de financiamento das acções propostas nos instrumentos Página de consulta Responsáveis pelas acções - PROT Nos Programas de Execução dos vários PROT, é apresentada uma listagem de acções onde se associam os seus responsáveis. De forma a promover a fácil identificação das acções que devem ser desenvolvidas por determinado agente, é possível consultar a plataforma 131 Responsáveis pelas acções PROT. Procedimento para a consulta: Nome do Ficheiro: Consultas SPOTIA PROT Formulário: 131 Responsáveis pelas acções PROT 1. Abrir ficheiro Access Consultas SPOTIA - PROT, abrir página 131 Responsáveis pelas acções - PROT, no menu Formulários (à esquerda, (A)) (Fig. 35); Fig. 35. Consultas SPOTIA PROT, página 131 Responsáveis pelas acções PROT Passo 1. 37

39 2. Após o Passo 1, surge a vista de Formulário (Fig. 36). A vista de formulário apresenta cinco componentes distintas: - menu de navegação (A) identifica os ficheiros disponíveis para consulta; - friso superior (B) opções básicas do Microsoft Office para Access; - secção superior (C) Formulário - secção inferior (D) Folha de dados associada ao Formulário, permite a realização de consultas - friso inferior (E) pesquisa por palavra-chave, localização de registos (Primeiro registo, Registo anterior, Registo Seguinte, Último Registo) Fig. 36. Consultas SPOTIA PROT, página 131 Responsáveis pelas acções PROT Passo Tipologias de pesquisa 3.1. Identificação das Acções associadas a um único responsável (Fig. 37): - Na secção inferior (folha de dados), procurar a coluna do responsável em análise (ex. Administração Central ); - Seleccionar o filtro no cabeçalho na coluna pretendida e desmarcar a opção Em branco, mantendo a opção Sim ; 38

40 - A secção inferior apresentará apenas as acções associadas ao agente responsável seleccionado; - No friso inferior surgirá o total de acções filtradas e poderá, através das setas de registo anterior e registo seguinte, percorrer todos os itens filtrados, visualizando detalhadamente a informação na secção superior (formulário); Fig. 37. Consultas SPOTIA PROT, página 131 Responsáveis pelas acções PROT Passo Identificação das Acções associadas a dois ou mais responsáveis em conjunto (Fig. 38): - Na secção inferior (folha de dados), procurar a coluna dos responsáveis em análise (ex. Administração Central e Administração Local ); - Seleccionar os filtros no cabeçalho nas colunas pretendidas e desmarcar a opção Em branco, mantendo a opção Sim ; - A secção inferior apresentará apenas as acções associadas aos agentes responsáveis seleccionados; - No friso inferior surgirá o total de acções filtradas e poderá, através das setas de registo anterior e registo seguinte, percorrer todos os itens filtrados, visualizando detalhadamente a informação na secção superior (formulário); 39

41 Fig. 38. Consultas SPOTIA PROT, página 131 Responsáveis pelas acções PROT Passo Identificação das Acções por Temática e Domínio SPOTIA (Fig. 39): - Na secção inferior (folha de dados), procurar as colunas Temática e Domínio ; - Seleccionar os filtros no cabeçalho na coluna pretendida e desmarcar as opções não pretendidas; - A secção inferior apresentará apenas as acções associadas às Temáticas e/ou Domínios seleccionados; - No friso inferior surgirá o total de Acções filtradas e poderá, através das setas de registo anterior e registo seguinte, percorrer todos os itens filtrados, visualizando detalhadamente a informação na secção superior (formulário); Nota: dado que esta consulta congrega informação dos vários PROT, a identificação do PROT pode também ser considerada como um filtro a associar a outras pesquisas (por responsável ou por temática e domínio). 40

42 Fig. 39. Consultas SPOTIA PROT, página 131 Responsáveis pelas acções PROT Passo Para exportar a informação filtrada (Fig. 40): - No friso superior (b), clicar em Dados Externos ; - Na secção Exportar, seleccionar o formato em que pretende exportar Excel, Word, PDF, ou outro. - Só será exportada a informação previamente filtrada. 41

43 Fig. 40. Consultas SPOTIA PROT, página 131 Responsáveis pelas acções PROT Passo 4. 42

44 3.2. Página de consulta Fontes de financiamento das acções - PROT Nos Programas de Execução dos vários PROT, é apresentada uma listagem de acções onde se associam os responsáveis de cada acção. De forma a promover a fácil identificação das possíveis fontes de financiamento por acção, é possível consultar a plataforma 132 Fontes de financiamento das acções PROT. Procedimento para a consulta: Nome do Ficheiro: Consultas SPOTIA PROT Formulário: 132 Fontes de Financiamento das acções PROT 1. Abrir ficheiro Access Consultas SPOTIA - PROT, abrir página 132 Fontes de Financiamento das acções PROT, no menu Formulários (à esquerda, (A)) (Fig. 41); Fig. 41. Consultas SPOTIA PROT, página 132 Fontes de Financiamento das acções PROT Passo 1. 43

45 2. Após o Passo 1, surge a vista de Formulário (Fig. 42). A vista de formulário apresenta cinco componentes distintas: - menu de navegação (A) identifica os ficheiros disponíveis para consulta; - friso superior (B) opções básicas do Microsoft Office para Access; - secção superior (C) Formulário - secção inferior (D) Folha de dados associada ao Formulário, permite a realização de consultas - friso inferior (E) pesquisa por palavra-chave, localização de registos (Primeiro registo, Registo anterior, Registo Seguinte, Último Registo) Fig. 42. Consultas SPOTIA PROT, página 132 Fontes de Financiamento das acções PROT Passo Tipologias de pesquisa 3.1. Identificação das Acções associadas a uma única fonte de financiamento (Fig. 43): - Na secção inferior (folha de dados), procurar a coluna da fonte de financiamento em análise (ex. Administração Central ); - Seleccionar o filtro no cabeçalho na coluna pretendida e desmarcar a opção Em branco, mantendo a opção Sim ; 44

46 - A secção inferior apresentará apenas as Acções associadas à fonte de financiamento seleccionada; - No friso inferior surgirá o total de Acções filtradas e poderá, através das setas de registo anterior e registo seguinte, percorrer todos os itens filtrados, visualizando detalhadamente a informação na secção superior (formulário); Fig. 43. Consultas SPOTIA PROT, página 132 Fontes de Financiamento das acções PROT Passo Identificação das Acções associadas a dois ou mais responsáveis em conjunto (Fig. 44): - Na secção inferior (folha de dados), procurar a coluna da fonte de financiamento em análise (ex. Administração Central e Administração Local ); - Seleccionar os filtros no cabeçalho na coluna pretendida e desmarcar a opção Em branco, mantendo a opção Sim ; - A secção inferior apresentará apenas as acções associadas às fontes de financiamento seleccionadas; - No friso inferior surgirá o total de acções filtradas e poderá, através das setas de registo anterior e registo seguinte, percorrer todos os itens filtrados, visualizando detalhadamente a informação na secção superior (formulário); 45

47 Fig. 44. Consultas SPOTIA PROT, página 132 Fontes de Financiamento das acções PROT Passo Identificação das Acções por Temática e Domínio SPOTIA (Fig. 45): - Na secção inferior (folha de dados), procurar as colunas Temática e/ou Domínio ; - Seleccionar os filtros no cabeçalho na coluna pretendida e desmarcar as opções não pretendidas; - A secção inferior apresentará apenas as acções associadas às Temáticas e/ou Domínios seleccionados; - No friso inferior surgirá o total de Acções filtradas e poderá, através das setas de registo anterior e registo seguinte, percorrer todos os itens filtrados, visualizando detalhadamente a informação na secção superior (formulário); Nota: dado que esta consulta congrega informação dos vários PROT, a identificação do PROT pode também ser considerada como um filtro a associar a outras pesquisas (por responsável ou por temática e domínio). 46

48 Fig. 45. Consultas SPOTIA PROT, página 132 Fontes de Financiamento das acções PROT Passo Para exportar a informação filtrada (Fig. 46): - No friso superior (b), clicar em Dados Externos ; - Na secção Exportar, seleccionar o formato em que pretende exportar Excel, Word, PDF, ou outro. - Só será exportada a informação previamente filtrada. 47

49 Fig. 46. Consultas SPOTIA PROT, página 132 Fontes de Financiamento das acções PROT Passo 4. 48

A GESTÃO RISCO NO TERRITÓRIO, O CONTRIBUTO DOS PLANOS REGIONAIS DE ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO

A GESTÃO RISCO NO TERRITÓRIO, O CONTRIBUTO DOS PLANOS REGIONAIS DE ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO A GESTÃO RISCO NO TERRITÓRIO, O CONTRIBUTO DOS PLANOS REGIONAIS DE ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO Painel 4 - Aplicação do planeamento/planejamento e ordenamento do território à gestão de riscos Teresa Cravo

Leia mais

A VISTA BACKSTAGE PRINCIPAIS OPÇÕES NO ECRÃ DE ACESSO

A VISTA BACKSTAGE PRINCIPAIS OPÇÕES NO ECRÃ DE ACESSO DOMINE A 110% ACCESS 2010 A VISTA BACKSTAGE Assim que é activado o Access, é visualizado o ecrã principal de acesso na nova vista Backstage. Após aceder ao Access 2010, no canto superior esquerdo do Friso,

Leia mais

PROJECTOS INDIVIDUAIS E DE COOPERAÇÃO

PROJECTOS INDIVIDUAIS E DE COOPERAÇÃO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 03 / SI / 2009 SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO DE PME) PROJECTOS INDIVIDUAIS E DE COOPERAÇÃO Nos termos do

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO DE PME) VALE INOVAÇÃO

SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO DE PME) VALE INOVAÇÃO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 07 / SI / 2009 SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO DE PME) VALE INOVAÇÃO Nos termos do Regulamento do SI Qualificação

Leia mais

PROJECTOS DE EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO

PROJECTOS DE EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 12 / SI / 2009 SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO (SI INOVAÇÃO) PROJECTOS DE EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO Nos termos do Regulamento do SI Inovação, a apresentação

Leia mais

Planeamento Urbano Urbanização e Cidade Planeamento e Planos JOÃO CABRAL FA/UTL

Planeamento Urbano Urbanização e Cidade Planeamento e Planos JOÃO CABRAL FA/UTL Planeamento Urbano Urbanização e Cidade Planeamento e Planos JOÃO CABRAL FA/UTL Cidade de Chaves em DOMINGUES, A. (2006), Cidade & Democracia, 30 anos de transformação urbana em Portugal, Ed. Argumentum,

Leia mais

A MOBILIDADE EM CIDADES MÉDIAS ABORDAGEM NA PERSPECTIVA DA POLÍTICA DE CIDADES POLIS XXI

A MOBILIDADE EM CIDADES MÉDIAS ABORDAGEM NA PERSPECTIVA DA POLÍTICA DE CIDADES POLIS XXI Mobilidade em Cidades Médias e Áreas Rurais Castelo Branco, 23-24 Abril 2009 A MOBILIDADE EM CIDADES MÉDIAS ABORDAGEM NA PERSPECTIVA DA POLÍTICA DE CIDADES POLIS XXI A POLÍTICA DE CIDADES POLIS XXI Compromisso

Leia mais

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Eixo Prioritário IV Protecção e Valorização Ambiental ACÇÕES DE VALORIZAÇÃO E QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS ÁGUAS INTERIORES Aviso nº : CENTRO-VQA-2009-14-PIN-07

Leia mais

REQUISITOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO

REQUISITOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO Guia Agenda 21 Local REQUISITOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO Isabel Lico Divisão de Desempenho e Qualificação Ambiental ESTORIL 23 de Setembro de 2009 A Proposta... REQUISITOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO Apoiar a preparação

Leia mais

Programa Operacional Regional do Algarve

Programa Operacional Regional do Algarve Programa Operacional Regional do Algarve Critérios de Seleção das Candidaturas e Metodologia de Análise Domínio Temático CI Competitividade e Internacionalização Prioridades de investimento: 11.2 Aprovado

Leia mais

Eixo Prioritário 2 Protecção e Qualificação Ambiental. Acções de Valorização e Qualificação Ambiental. Aviso - ALG-31-2010-02

Eixo Prioritário 2 Protecção e Qualificação Ambiental. Acções de Valorização e Qualificação Ambiental. Aviso - ALG-31-2010-02 Eixo Prioritário 2 Protecção e Qualificação Ambiental Acções de Valorização e Qualificação Ambiental Aviso - ALG-31-2010-02 AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS ACÇÕES DE VALORIZAÇÃO E QUALIFICAÇÃO

Leia mais

SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC) ESTRATÉGIAS DE EFICIÊNCIA COLECTIVA - TIPOLOGIA CLUSTERS E DINÂMICAS DE REDE

SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC) ESTRATÉGIAS DE EFICIÊNCIA COLECTIVA - TIPOLOGIA CLUSTERS E DINÂMICAS DE REDE AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 01 / SIAC / 2011 SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC) ESTRATÉGIAS DE EFICIÊNCIA COLECTIVA - TIPOLOGIA CLUSTERS E DINÂMICAS DE REDE Nos termos do Regulamento

Leia mais

Criar Valor com o Território

Criar Valor com o Território Os territórios como ativos 4 O VALORIZAR é um programa de valorização económica de territórios, que os vê como ativos de desenvolvimento e geração de riqueza e emprego. 5 é a sua visão e a sua assinatura.

Leia mais

Adenda aos Critérios de Selecção

Adenda aos Critérios de Selecção Adenda aos Critérios de Selecção... Critérios de Selecção SI Qualificação PME EIXO I COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE

Leia mais

Relatório de Estágio. Análise dos dados constantes na Base de Dados das Rotas do Vinho

Relatório de Estágio. Análise dos dados constantes na Base de Dados das Rotas do Vinho Relatório de Estágio Análise dos dados constantes na Base de Dados das Rotas do Vinho Rui Neves Lisboa, 21 de Junho de 2011 Índice Introdução... 3 Caracterização da Base de Dados... 4 Recolha e validação

Leia mais

Seminário Turismo 2020: Fundos Comunitários

Seminário Turismo 2020: Fundos Comunitários Seminário Turismo 2020: Fundos Comunitários Plano de Ação para o Desenvolvimento do Turismo em Portugal 2014-2020 Braga, 15 de janeiro 2014 Nuno Fazenda Turismo de Portugal, I.P. TURISMO Importância económica

Leia mais

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes:

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes: EIXO I COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO PME) O presente documento suporta a apreciação do ponto 3

Leia mais

Neste contexto, o IDIT vai intervir em 31 empresas localizadas no Norte de Portugal, e 28 empresas localizadas na Região Centro.

Neste contexto, o IDIT vai intervir em 31 empresas localizadas no Norte de Portugal, e 28 empresas localizadas na Região Centro. NEWSLETTER 1 O IDIT O IDIT Instituto de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica é uma associação privada de utilidade pública, sem fins lucrativos, cujo objectivo primordial é contribuir para a modernização

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO

PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO Jorge Abegão Secretário-Técnico do COMPETE Coimbra, 28 de janeiro de 2015 Estratégia Europa 2020 ESTRATÉGIA EUROPA 2020 CRESCIMENTO INTELIGENTE

Leia mais

Resumo do Acordo de Parceria para Portugal, 2014-2020

Resumo do Acordo de Parceria para Portugal, 2014-2020 COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 30 de julho de 2014 Resumo do Acordo de Parceria para Portugal, 2014-2020 Informações gerais O Acordo de Parceria abrange cinco fundos: Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional

Leia mais

Energia 2ª ALTERAÇÃO AO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO. Aviso - ALG-48-2011-01. Eixo Prioritário 3 Valorização Territorial e Desenvolvimento Urbano

Energia 2ª ALTERAÇÃO AO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO. Aviso - ALG-48-2011-01. Eixo Prioritário 3 Valorização Territorial e Desenvolvimento Urbano 2ª ALTERAÇÃO AO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Eixo Prioritário 3 Valorização Territorial e Desenvolvimento Urbano Energia Aviso - ALG-48-2011-01 Página 1 de 2 A Autoridade de Gestão do POAlgarve 21, comunica

Leia mais

CONCEÇÃO PLANEAMENTO OPERACIONALIZAÇÃO

CONCEÇÃO PLANEAMENTO OPERACIONALIZAÇÃO CONCEÇÃO PLANEAMENTO OPERACIONALIZAÇÃO MAR PORTUGAL - Um Mar de Oportunidades MAR PORTUGAL Conectividade intercontinental; Todas as regiões são litorais ou insulares; Mar profundo. MAR PORTUGAL - Um Mar

Leia mais

Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Informação e Comunicação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE

Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Informação e Comunicação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE . Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete . Objectivos e Princípios Orientadores O Sistema de Informação e Comunicação (SIC) da Rede Social de Alcochete tem como objectivo geral

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Acordo de Parceria Consagra a política de desenvolvimento económico, social, ambiental e territorial Define

Leia mais

(RoadMap) Guia de Utilização dos Recursos de Competitividade

(RoadMap) Guia de Utilização dos Recursos de Competitividade (RoadMap) Guia de Utilização dos Recursos de Competitividade Notas de enquadramento O presente Roadmap surge no âmbito do projeto de Recursos de Competitividade, tendo como objectivo a facilitação da utilização

Leia mais

Membro da direcção da Revista Intervenção Social Investigadora do CLISSIS Doutoranda em Serviço Social

Membro da direcção da Revista Intervenção Social Investigadora do CLISSIS Doutoranda em Serviço Social A investigação do Serviço Social em Portugal: potencialidades e constrangimentos Jorge M. L. Ferreira Professor Auxiliar Universidade Lusíada Lisboa (ISSSL) Professor Auxiliar Convidado ISCTE IUL Diretor

Leia mais

EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA

EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA Convite Público à Apresentação de Candidatura no Domínio da Assistência Técnica aos Organismos Intermédios Eixo Prioritário VI - Assistência Técnica Convite para

Leia mais

Relatório de Monitorização do Regime de Fruta Escolar. Ano lectivo 2010/2011

Relatório de Monitorização do Regime de Fruta Escolar. Ano lectivo 2010/2011 Relatório de Monitorização do Regime de Fruta Escolar Ano lectivo 2010/2011 Apreciação Geral A aplicação do Regime de Fruta Escolar (RFE) em Portugal tem os seguintes objectivos gerais: Saúde Pública:

Leia mais

O que é o Portugal 2020?

O que é o Portugal 2020? O que é o Portugal 2020? Portugal 2020 é o novo ciclo de programação dos fundos europeus, que substitui o antigo QREN (Quadro Estratégico de Referência Nacional). Foi acordado entre Portugal e a Comissão

Leia mais

Eixo Prioritário IV Qualificação do Sistema Urbano. Promoção da Mobilidade Urbana. Aviso para apresentação de candidaturas CIMC/MT/02/2010 -

Eixo Prioritário IV Qualificação do Sistema Urbano. Promoção da Mobilidade Urbana. Aviso para apresentação de candidaturas CIMC/MT/02/2010 - Eixo Prioritário IV Qualificação do Sistema Urbano Promoção da Mobilidade Urbana Aviso para apresentação de candidaturas - Eixo Prioritário IV Qualificação do Sistema Urbano Promoção da Mobilidade Urbana

Leia mais

O Futuro da Política Europeia de Coesão. Inovação, Coesão e Competitividade

O Futuro da Política Europeia de Coesão. Inovação, Coesão e Competitividade O Futuro da Política Europeia de Coesão Inovação, Coesão e Competitividade 20 de Abril de 2009 António Bob Santos Gabinete do Coordenador Nacional da Estratégia de Lisboa e do Plano Tecnológico Desafios

Leia mais

SISTEMA DE APOIOS À MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA (SAMA)

SISTEMA DE APOIOS À MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA (SAMA) AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º 1 / SAMA/ 2009 SISTEMA DE APOIOS À MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA (SAMA) PROJECTOS-PILOTO SUSTENTADOS EM REDES DE NOVA GERAÇÃO OPERAÇÕES INDIVIDUAIS E OPERAÇÕES

Leia mais

Nuno Vitorino Faro 22 Junho 2012

Nuno Vitorino Faro 22 Junho 2012 Iniciativa JESSICA Financiamento de Projectos Sustentáveis de Reabilitação Urbana Perspectivas para o Período 2014-2020 de Programação dos Fundos Comunitários Nuno Vitorino Faro 22 Junho 2012 JESSICA (Joint

Leia mais

FUNDOS EUROPEUS APOIAM INOVAÇÃO SOCIAL/EMPREENDEDORISMO SOCIAL

FUNDOS EUROPEUS APOIAM INOVAÇÃO SOCIAL/EMPREENDEDORISMO SOCIAL FUNDOS EUROPEUS APOIAM INOVAÇÃO SOCIAL/EMPREENDEDORISMO SOCIAL Rosa Maria Simões Vice-presidente do Conselho Diretivo Agência para o Desenvolvimento e Coesão, IP 8 de maio de 2014, Teatro Municipal do

Leia mais

EIXO PRIORITÁRIO III AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS

EIXO PRIORITÁRIO III AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EIXO PRIORITÁRIO III PREVENÇÃO, GESTÃO E MONITORIZAÇÃO DE RISCOS NATURAIS E TECNOLÓGICOS PREVENÇÃO E GESTÃO DE RISCOS CÓDIGO DO AVISO: POVT- 35-2011-41 17 de Janeiro

Leia mais

SIGRIA. sistema de informação geográfica dos municípios da ria. guião de exploração dos. serviços SIG na web AM RIA. Associação de Municípios da Ria

SIGRIA. sistema de informação geográfica dos municípios da ria. guião de exploração dos. serviços SIG na web AM RIA. Associação de Municípios da Ria SIGRIA. sistema de informação geográfica dos municípios da ria guião de exploração dos serviços SIG na web Associação de Municípios da Ria 02 GUIA WEB ÍNDICE Introdução O que é um SIG? 03 O que é SIGRia?

Leia mais

Fundos Comunitários. geridos pela Comissão Europeia. M. Patrão Neves. www.mpatraoneves.pt. www.mpatraoneves.pt. www.mpatraoneves.

Fundos Comunitários. geridos pela Comissão Europeia. M. Patrão Neves. www.mpatraoneves.pt. www.mpatraoneves.pt. www.mpatraoneves. Fundos Comunitários geridos pela Comissão Europeia M. Patrão Neves Fundos comunitários: no passado Dependemos, de forma vital, dos fundos comunitários, sobretudo porque somos um dos países da coesão (e

Leia mais

1998/2008 Ideias do GEOTA sobre 10 anos de Lei de Bases de Ordenamento do Território

1998/2008 Ideias do GEOTA sobre 10 anos de Lei de Bases de Ordenamento do Território 1998/2008 Ideias do GEOTA sobre 10 anos de Lei de Bases de Ordenamento do Território O GEOTA Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente, acompanha desde 1997 a Lei de Bases do Ordenamento

Leia mais

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 06 / SI / 2012

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 06 / SI / 2012 AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 06 / SI / 2012 SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO DE PME) PROGRAMA ESTRATÉGICO +E+I VALE PROJETO SIMPLIFICADO

Leia mais

INSTITUCIONAL. Eixo Prioritário 5 GOVERNAÇÃO E CAPACITAÇÃO. Operações no Domínio da Administração em Rede

INSTITUCIONAL. Eixo Prioritário 5 GOVERNAÇÃO E CAPACITAÇÃO. Operações no Domínio da Administração em Rede Eixo Prioritário 5 GOVERNAÇÃO E CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL Operações no Domínio da Administração em Rede Aviso para apresentação de candidaturas - Eixo Prioritário V Governação e Capacitação Institucional

Leia mais

SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC)

SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC) AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 01 / SIAC / 2012 SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC) PROGRAMA ESTRATÉGICO +E+I PROMOÇÃO DA PARTICIPAÇÃO NO 7.º PROGRAMA-QUADRO DE I&DT (UNIÃO EUROPEIA)

Leia mais

SISTEMA DE APOIO À MODERNIZAÇÃO E CAPACITAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (PI 2.3 E 11.1)

SISTEMA DE APOIO À MODERNIZAÇÃO E CAPACITAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (PI 2.3 E 11.1) SISTEMA DE APOIO À MODERNIZAÇÃO E CAPACITAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (PI 2.3 E 11.1) CA 9.03.2015 Versão Definitiva Consulta escrita Maio.2015 Página 1 de 13 TIPOLOGIAS DE INVESTIMENTOS

Leia mais

EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA. Convite Público à Apresentação de Candidatura no Domínio da Assistência Técnica aos Órgãos de Gestão

EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA. Convite Público à Apresentação de Candidatura no Domínio da Assistência Técnica aos Órgãos de Gestão EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA Convite Público à Apresentação de Candidatura no EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA Convite Público à Apresentação de Candidatura no Domínio da Assistência

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável da Inovação Empresarial

Desenvolvimento Sustentável da Inovação Empresarial Desenvolvimento Sustentável da Inovação Empresarial Inovar para Ganhar Paulo Nordeste Portugal tem apresentado nos últimos anos casos de sucesso em inovação; como novos produtos, serviços e modelos de

Leia mais

Domínio Prioritário Natureza e Biodiversidade

Domínio Prioritário Natureza e Biodiversidade Domínio Prioritário Natureza e Biodiversidade Projectos contribuem para: aplicação, desenvolvimento, avaliação e seguimento da política e legislação da UE na área da natureza e da biodiversidade, incluindo

Leia mais

Versão 1.0. [08.02.2012] 2012, Portugal - Efacec Sistemas de Gestão S.A. Todos os direitos reservados. 1

Versão 1.0. [08.02.2012] 2012, Portugal - Efacec Sistemas de Gestão S.A. Todos os direitos reservados. 1 Copyright 2012 Efacec Todos os direitos reservados. Não é permitida qualquer cópia, reprodução, transmissão ou utilização deste documento sem a prévia autorização escrita da Efacec Sistemas de Gestão S.A.

Leia mais

ANTE PROJECTO DA PROPOSTA DE LEI DE BASES DO PLANEAMENTO ECONÓMICO E SOCIAL. CAPITULO I Princípios Gerais e Objectivos.

ANTE PROJECTO DA PROPOSTA DE LEI DE BASES DO PLANEAMENTO ECONÓMICO E SOCIAL. CAPITULO I Princípios Gerais e Objectivos. Nota explicativa O actual quadro jurídico do planeamento económico e social, aprovado pela Lei nº 52/II/85, de 10 de Janeiro, encontra-se desactualizado face à nova realidade jurídica, política, económica

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade ACORDO DE PARCERIA Consagra a política de desenvolvimento económico, social, ambiental e territorial Define

Leia mais

Manual de Utilizador Acesso e Navegação na Plataforma de Web TV da Assembleia da República

Manual de Utilizador Acesso e Navegação na Plataforma de Web TV da Assembleia da República Manual de Utilizador Acesso e Navegação na Plataforma de Web TV da Assembleia da República Índice 1 Página de Entrada / Home 1.1 Endereço Internet de Acesso ao Interface WEB 3 2 Transmissões em Direto

Leia mais

Portugal 2020. CCILC, Junho 2014

Portugal 2020. CCILC, Junho 2014 Portugal 2020 CCILC, Junho 2014 Internacionalização: Quando? Para Quem? PME Organizações Onde? Regiões Como valorizar? + RH +Inovação O Quê? Que Investimentos? Quais? Temas Prioridades Objetivos Internacionalização:

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção 02 Estratégia Nacional de

Leia mais

Orientação nº 1/2008 ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DA ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO (EDL) EIXO 4 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

Orientação nº 1/2008 ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DA ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO (EDL) EIXO 4 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Programa de da ELABORAÇÃO DA ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO (ELD) 1 / 16 Programa de da 1. Caracterização Socioeconómica do Território A caracterização do território deve centrar-se em dois aspectos

Leia mais

GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL

GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL CADERNOS DE MUSEOLOGIA Nº 28 2007 135 GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL INTRODUÇÃO Os Sistemas da Qualidade

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 906-() Diário da República,.ª série N.º 56 de Março de 00 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Portaria n.º 7-A/00 de de Março O Decreto -Lei n.º 8/00, de 9 de Março, prevê, no seu artigo

Leia mais

INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO

INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO A partir de meados do século xx a actividade de planeamento passou a estar intimamente relacionada com o modelo racional. Uma das propostas que distinguia este do anterior paradigma era a integração

Leia mais

BPstat. manual do utilizador. Banco de Portugal BPstat Estatísticas online Manual do Utilizador 1/24

BPstat. manual do utilizador. Banco de Portugal BPstat Estatísticas online Manual do Utilizador 1/24 BPstat manual do utilizador Banco de Portugal BPstat Estatísticas online Manual do Utilizador 1/24 BANCO DE PORTUGAL Av. Almirante Reis, 71 1150-012 Lisboa www.bportugal.pt Edição Departamento de Estatística

Leia mais

Saúde Aviso de Abertura de Concurso para Apresentação de Candidaturas S/1/2007

Saúde Aviso de Abertura de Concurso para Apresentação de Candidaturas S/1/2007 Saúde Aviso de Abertura de Concurso para Apresentação de Candidaturas S/1/2007 Saúde Aviso de Abertura de Concurso para Apresentação de Candidaturas S/1/2007 Nos termos do Regulamento Específico Saúde

Leia mais

Apoios ao Turismo Lições do QREN, desafios e oportunidades

Apoios ao Turismo Lições do QREN, desafios e oportunidades Apoios ao Turismo Lições do QREN, desafios e oportunidades Piedade Valente Comissão Diretiva do COMPETE Sintra, 9 de outubro de 2014 Agenda da Competitividade (2007-2013): instrumentos de apoio eficiência

Leia mais

AGENDA 21 LOCAL UM DESAFIO DE TODOS RESUMO

AGENDA 21 LOCAL UM DESAFIO DE TODOS RESUMO AGENDA 21 LOCAL UM DESAFIO DE TODOS RESUMO http://www.tterra.pt/publicacoes/guia_agenda_21.html 1. ENQUADRAMENTO A Agenda 21 Local mais não é do que um Sistema de Sustentabilidade Local (SSL) constituindo

Leia mais

SESSÃO DE CAPACITAÇÃO

SESSÃO DE CAPACITAÇÃO SESSÃO DE CAPACITAÇÃO Apoios Financeiros para a Área Social 27 de Maio de 2013 MISSÃO ÁREAS ESTATUTÁRIAS ARTE BENEFICÊNCIA EDUCAÇÃO CIÊNCIA Promoção do desenvolvimento individual e apoio à inclusão social

Leia mais

SIALM Sistema de Incentivos de Apoio Local a Micro empresas. CCDRC, 14 fevereiro 2013

SIALM Sistema de Incentivos de Apoio Local a Micro empresas. CCDRC, 14 fevereiro 2013 SIALM Sistema de Incentivos de Apoio Local a Micro empresas CCDRC, 14 fevereiro 2013 PROGRAMA VALORIZAR RCM n.º 7/2013, de 9/01 Valorização do território do interior e de baixa densidade demográfica e

Leia mais

Aviso - ALG-28-2015-11

Aviso - ALG-28-2015-11 Eixo Prioritário 5 Investir no Emprego OT 8 Promover a Sustentabilidade e a Qualidade do Emprego, e Apoiar a Mobilidade dos Trabalhadores PI 8.9 Apoio ao crescimento propício ao emprego, através do desenvolvimento

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão. Evento IDC PME 24.set.2008. Carlos Neves

Sistema Integrado de Gestão. Evento IDC PME 24.set.2008. Carlos Neves Sistema Integrado de Gestão Evento IDC PME 24.set.2008 Carlos Neves Agradecimentos Carlos Neves - 24.Set.08 2 Sumário 1. Oportunidades e desafios para as PME 2. Os projectos SI/TI e a Mudança 3. Perspectivas

Leia mais

Programas Europeus. 09 de Julho de 2010 Salão Nobre. Eurodeputada Parlamento Europeu

Programas Europeus. 09 de Julho de 2010 Salão Nobre. Eurodeputada Parlamento Europeu Programas Europeus de Ciência e Inovação 09 de Julho de 2010 Nobre do Instituto Superior Técnico, Lisboa Salão Nobre Maria da Graça Carvalho Eurodeputada Parlamento Europeu ESTRATÉGIA EU2020 CIÊNCIA E

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO DAS PME SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO

SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO DAS PME SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 09/2009 SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO DAS PME SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO LIMITES À ELEGIBILIDADE DE DESPESAS, CONDIÇÕES ESPECÍFICAS DE APLICAÇÃO DAS DESPESAS ELEGÍVEIS

Leia mais

Portugal e a Política de Coesão 2007-2013

Portugal e a Política de Coesão 2007-2013 MINISTÉRIO DO AMBIENTE, DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL Portugal e a Política de Coesão 2007-2013 2013 Rui Nuno Baleiras Secretário de Estado do Desenvolvimento Regional Centro

Leia mais

Guia Metodológico DOCUMENTO DE TRABALHO N. 1

Guia Metodológico DOCUMENTO DE TRABALHO N. 1 Guia Metodológico DOCUMENTO DE TRABALHO N. 1 ESTRATÉGIA NACIONAL DE ESPECIALIZAÇÃO INTELIGENTE - ENEI WORKSHOP DE REFLEXÃO ESTRATÉGICA Inovar: Proteger e Comercializar o Conhecimento 1. INTRODUÇÃO A Comissão

Leia mais

Sistema de Certificação de Competências TIC

Sistema de Certificação de Competências TIC Sistema de Certificação de Competências TIC Portal das Escolas Manual de Utilizador INDICE 1 Introdução... 5 1.1 Sistema de formação e certificação de competências TIC...6 1.1.1 Processo de certificação

Leia mais

1. INTRODUÇÃO 2. ANÁLISE ESTRATÉGICA

1. INTRODUÇÃO 2. ANÁLISE ESTRATÉGICA CADERNO FICHA 11. RECUPERAÇÃO 11.4. OBJECTIVOS ESTRATÉGICOS O presente documento constitui uma Ficha que é parte integrante de um Caderno temático, de âmbito mais alargado, não podendo, por isso, ser interpretado

Leia mais

Urbana. Urbana. Nuno Vitorino 19 Outubro 2011 16 Nov 2010. Nuno Vitorino

Urbana. Urbana. Nuno Vitorino 19 Outubro 2011 16 Nov 2010. Nuno Vitorino Inicia&va Iniciativa JESSICA JESSICA Financiamento Financiamento de de Projectos Projectos Sustentáveis Sustentáveis de Reabilitação de Reabilitação Nuno Vitorino Nuno Vitorino 19 Outubro 2011 JESSICA

Leia mais

Atelier Inclusão Social

Atelier Inclusão Social Atelier Inclusão Social Porto, 3 de setembro de 2013 ccdr-n.pt/norte2020 Atelier Inclusão Social: Estrutura de apresentação Sumário 1. Enquadramento Europeu: Próximo ciclo da Politica de Coesão 2. Investimentos

Leia mais

Portugal 2020. Inovação da Agricultura, Agroindústria. Pedro Cilínio pedro.cilinio@iapmei.pt

Portugal 2020. Inovação da Agricultura, Agroindústria. Pedro Cilínio pedro.cilinio@iapmei.pt Portugal 2020 Inovação da Agricultura, Agroindústria e Floresta Pedro Cilínio pedro.cilinio@iapmei.pt FEDER 2020 - Prioridades Concentração de investimentos do FEDER Eficiência energética e energias renováveis

Leia mais

Sistemas de Apoio a Áreas de Acolhimento Empresarial e Logística (SAAAEL) Aviso para apresentação de Candidaturas em Contínuo Balcão Permanente

Sistemas de Apoio a Áreas de Acolhimento Empresarial e Logística (SAAAEL) Aviso para apresentação de Candidaturas em Contínuo Balcão Permanente Eixo Prioritário I Competitividade, Inovação e Conhecimento Sistemas de Apoio a Áreas de Acolhimento Empresarial e Logística (SAAAEL) Aviso para apresentação de Candidaturas em Contínuo Balcão Permanente

Leia mais

LeYa Educação Digital

LeYa Educação Digital Índice 1. Conhecer o 20 Aula Digital... 4 2. Registo no 20 Aula Digital... 5 3. Autenticação... 6 4. Página de entrada... 7 4.1. Pesquisar um projeto... 7 4.2. Favoritos... 7 4.3. Aceder a um projeto...

Leia mais

República de Moçambique. Ministério Das Finanças

República de Moçambique. Ministério Das Finanças República de Moçambique Ministério Das Finanças CEDSIF Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças TERMOS DE REFERÊNCIA PARA O OBJECTO 1 E/OU OBJECTO 2 MAPUTO, Setembro de 2012 2 Introdução

Leia mais

Introdução 02. CRER Metodologia Integrada de Apoio ao Empreendedor 04. Passos para criação do CRER Centro de Recursos e Experimentação 05

Introdução 02. CRER Metodologia Integrada de Apoio ao Empreendedor 04. Passos para criação do CRER Centro de Recursos e Experimentação 05 criação de empresas em espaço rural guia metodológico para criação e apropriação 0 Introdução 02 O que é o CRER 03 CRER Centro de Recursos e Experimentação 03 CRER Metodologia Integrada de Apoio ao Empreendedor

Leia mais

Um Programa dirigido às Empresas Francisco Nunes

Um Programa dirigido às Empresas Francisco Nunes Um Programa dirigido às Empresas Francisco Nunes Gestor de Eixo Aveiro 2 de dezembro de 2015 Fonte: Comissão Europeia Contexto competitivo global Melhoria dos fatores domésticos de competitividade Ambiente

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Universidade de Évora, 10 de março de 2015 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo Central Alentejo Litoral

Leia mais

Tecnologias de Informação e Comunicação Página 1 de 5

Tecnologias de Informação e Comunicação Página 1 de 5 1. Descrição da prova A prova irá abranger várias tarefas de utilização do software do Microsoft Office2007 e software gráfico como o Adobe Photoshop CS4 ou Adobe Fireworks CS4. As principais áreas abrangidas

Leia mais

Comissão Ministerial de Coordenação do Programa Operacional Fatores de Competitividade

Comissão Ministerial de Coordenação do Programa Operacional Fatores de Competitividade Comissão Ministerial de Coordenação do Programa Operacional Fatores de Competitividade Alteração ao regulamento específico do Sistema de Apoio a Ações Coletivas (SIAC) Deliberação aprovada por consulta

Leia mais

GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2008 PRINCIPAIS ASPECTOS

GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2008 PRINCIPAIS ASPECTOS GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2008 PRINCIPAIS ASPECTOS I. INTRODUÇÃO O Governo apresentou ao Conselho Económico e Social o Projecto de Grandes Opções do Plano 2008 (GOP 2008) para que este Órgão, de acordo com

Leia mais

A VISÃO do ENERGYIN Motivos da sua criação & Objectivos

A VISÃO do ENERGYIN Motivos da sua criação & Objectivos Pólo da Competitividade e Tecnologia da Energia (PCTE) O papel do PCTE na energia solar em Portugal 8 e 9 de Fevereiro de 2010 António Mano - EDP Antonio.ermidamano@edp.pt A VISÃO do ENERGYIN Motivos da

Leia mais

INICIATIVA ESTRATÉGICA CONHECIMENTO E INOVAÇÃO

INICIATIVA ESTRATÉGICA CONHECIMENTO E INOVAÇÃO INICIATIVA ESTRATÉGICA CONHECIMENTO E INOVAÇÃO Janeiro 2004 INICIATIVA ESTRATÉGICA CONHECIMENTO E INOVAÇÃO 1 - OBJECTIVOS O Conhecimento é fonte de Desenvolvimento. A criação e transmissão do Conhecimento

Leia mais

Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas

Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas Da União Europeia vão chegar até 2020 mais de 20 mil milhões de euros a Portugal. Uma pipa de massa, nas palavras do ex-presidente da Comissão

Leia mais

A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER

A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER A Gestão da Inovação Proposta de Utilização do Guia de Boas Práticas de IDI e das ferramentas desenvolvidas no âmbito da iniciativa DSIE da COTEC para o desenvolvimento do sistema

Leia mais

POCI Aviso n.º3/si/2015 Programa Operacional Fatores de Competitividade INOVAÇÃO PRODUTIVA ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS BENEFICIÁRIOS

POCI Aviso n.º3/si/2015 Programa Operacional Fatores de Competitividade INOVAÇÃO PRODUTIVA ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS BENEFICIÁRIOS ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS POCI Aviso n.º3/si/2015 Programa Operacional Fatores de Competitividade INOVAÇÃO PRODUTIVA O objetivo específico deste concurso consiste em conceder apoios financeiros a projetos

Leia mais

SIARL / Sistema de Administração do recurso Litoral. ajherdeiro@dgterritorio.pt mota.lopes@apambiente.pt

SIARL / Sistema de Administração do recurso Litoral. ajherdeiro@dgterritorio.pt mota.lopes@apambiente.pt SIARL / Sistema de Administração do recurso Litoral Uma Plataforma Colaborativa para apoiar a Gestão do Litoral ajherdeiro@dgterritorio.pt j @ g p mota.lopes@apambiente.pt Lugares comuns de quem lida com

Leia mais

Indicadores Gerais para a Avaliação Inclusiva

Indicadores Gerais para a Avaliação Inclusiva PROCESSO DE AVALIAÇÃO EM CONTEXTOS INCLUSIVOS PT Preâmbulo Indicadores Gerais para a Avaliação Inclusiva A avaliação inclusiva é uma abordagem à avaliação em ambientes inclusivos em que as políticas e

Leia mais

A cartografia nos planos municipais de ordenamento do território - experiência recente

A cartografia nos planos municipais de ordenamento do território - experiência recente Workshop - Regulamentação da cartografia a utilizar nos instrumentos de gestão territorial A cartografia nos planos municipais de ordenamento do território - experiência recente Luis Rebolo ESTRUTURA DA

Leia mais

Solidariedade. Inovação. Oportunidade. Cultura. A s s o c i a ç õ e s F u n d a ç õ e s. E m p r e s a s C o o p e rativa s. Inclusão Social e Emprego

Solidariedade. Inovação. Oportunidade. Cultura. A s s o c i a ç õ e s F u n d a ç õ e s. E m p r e s a s C o o p e rativa s. Inclusão Social e Emprego Solidariedade A s s o c i a ç õ e s F u n d a ç õ e s P a r c e r i a Oportunidade Cultura E m p r e s a s C o o p e rativa s Empreendedorismo PORTUGAL Inclusão Social e Emprego Inovação A c o r d o I

Leia mais

4.3 Ferramentas para criar conteúdos/recursos educativos

4.3 Ferramentas para criar conteúdos/recursos educativos 4.3 Ferramentas para criar conteúdos/recursos educativos 4.3.2. Google Sites Célio Gonçalo Marques a) Introdução O Google Sites foi lançado oficialmente no dia 23 de Outubro de 2008 em mais de 37 línguas,

Leia mais

ELABORAÇÃO, DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO DE PROJETOS EDUCATIVOS MUNICIPAIS E DE PROJETO EDUCATIVO METROPOLITANO

ELABORAÇÃO, DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO DE PROJETOS EDUCATIVOS MUNICIPAIS E DE PROJETO EDUCATIVO METROPOLITANO ELABORAÇÃO, DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO DE PROJETOS EDUCATIVOS MUNICIPAIS E DE PROJETO EDUCATIVO METROPOLITANO OBJETIVOS, METODOLOGIA E ETAPAS DO PROJETO EDUCATIVO MUNICIPAL Concebendo a Educação como

Leia mais

Guia de Utilização. Acesso Universal

Guia de Utilização. Acesso Universal Guia de Utilização Índice PREÂMBULO...3 ACESSO À PLATAFORMA...3 ÁREA DE TRABALHO...4 APRESENTAR PROPOSTAS...9 RECEPÇÃO DE ADJUDICAÇÃO...18 PARAMETRIZAÇÃO DA EMPRESA...19 Acesso universal Proibida a reprodução.

Leia mais

QREN Inovação Inovação Produtiva. Projectos Individuais N.º 05/SI/2011

QREN Inovação Inovação Produtiva. Projectos Individuais N.º 05/SI/2011 1 QREN Inovação Inovação Produtiva Projectos Individuais N.º 05/SI/2011 2 Índice 1. Objectivos e Prioridades 2. Condições de Acesso a. Promotor b. Projecto c. Aviso de Abertura 3. Modalidades de Projectos

Leia mais

Número de. Gabinete de Planeamento e Políticas. Inspecção-Geral da Agricultura e Pescas. 11 851 Tecnologia de protecção do ambiente

Número de. Gabinete de Planeamento e Políticas. Inspecção-Geral da Agricultura e Pescas. 11 851 Tecnologia de protecção do ambiente MADRP Entida Promotora Autorida Gestão do Programa Desenvolvimento Rural do Continente Autorida Gestão do PROMAR Autorida Florestal Nacional Direcção-Geral Veterinária Direcção Regional das Florestas Lisboa

Leia mais

Apoios ao Investimento em Portugal

Apoios ao Investimento em Portugal Apoios ao Investimento em Portugal AICEP Abril 2015 FINANÇAS Índice Investimento Produtivo Auxílios Estatais Máximos Incentivos Financeiros Incentivos Fiscais Investimento em I&D Empresarial Incentivos

Leia mais

Iniciativa PE2020. A Engenharia como fator de competitividade Projetos colaborativos. António Manzoni/Vilar Filipe

Iniciativa PE2020. A Engenharia como fator de competitividade Projetos colaborativos. António Manzoni/Vilar Filipe Iniciativa PE2020 A Engenharia como fator de competitividade Projetos colaborativos António Manzoni/Vilar Filipe Novembro 2013 Projeto Engenharia 2020 Preocupações macroeconómicas Papel da engenharia na

Leia mais

Urban Analytics AcceleratingtheDevelopmentofSmartCitiesinPortugal

Urban Analytics AcceleratingtheDevelopmentofSmartCitiesinPortugal Urban Analytics AcceleratingtheDevelopmentofSmartCitiesinPortugal Iniciativa do Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia Promoção da Direção Geral do Território com a colaboração das

Leia mais

ABORDAGEM METODOLÓGICA E OBJECTIVOS - REGULAMENTO URBANÍSTICO DE ALMADA

ABORDAGEM METODOLÓGICA E OBJECTIVOS - REGULAMENTO URBANÍSTICO DE ALMADA ABORDAGEM METODOLÓGICA E OBJECTIVOS - REGULAMENTO URBANÍSTICO DE ALMADA ABORDAGEM METODOLÓGICA E OBJECTIVOS - REGULAMENTO URBANÍSTICO DE ALMADA INTRODUÇÃO ENQUADRAMENTO PONTO DE SITUAÇÃO DO PROCESSO OBJECTIVOS

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT

SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT PROJETOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS AVISO N.º 7 / SI / 2012 REFERENCIAL DE ANÁLISE DO MÉRITO DO PROJETO O indicador MP (Mérito do Projeto) é determinado através da seguinte

Leia mais