EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO. 2) Qual é a vantagem para a indústria participar do Edital de Inovação?

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO. 2) Qual é a vantagem para a indústria participar do Edital de Inovação?"

Transcrição

1 1) O que é o Edital SENAI e SESI de Inovação? 2) Qual é a vantagem para a indústria participar do Edital de Inovação? 3) Qual é a vantagem para um Departamento Regional participar do Edital de Inovação? 4) O que é inovação social? 5) O que é inovação tecnológica? 6) Qual é o montante de recursos disponíveis e qual é o limite de recursos por projeto? 7) A quem está dirigido o Edital de Inovação? Quem deve submeter a proposta à comissão avaliadora? 8) Qual o prazo para inscrição? 9) É preciso pagar alguma taxa para participar? 10) Quais são os anexos/documentos obrigatórios para participar? 11) Apresentei meu projeto e ainda não tive resposta. O que faço? 12) Minha empresa pode apresentar mais de um projeto? 13) Sou um Departamento Regional. Como posso participar do Edital de Inovação? 14) Projetos desenvolvidos exclusivamente dentro do SESI ou do SENAI podem concorrer? 15) Que tipo de industria pode firmar parceria com o SENAI e SESI? 16) Como deverão ser tratados os projetos que envolvem empresas que estão em processo de mudança no contrato social? 17) Mesmo que no contrato social não esteja discriminada, a produção de software caracteriza uma atividade industrial? Quais atividades devem constar no contrato social para caracterizá-la? 18) Os projetos apresentados para o SESI e para o SENAI concorrerão ao mesmo recurso disponibilizado (competem entre si)? 19) Sou uma empresa industrial e tenho interesse em participar. Como posso concorrer aos recursos do Edital de Inovação? 01

2 20) Que tipos de projetos do SENAI serão elegíveis? 21) Como deverá ser o envio das propostas? 22) O que é um projeto SENAI e SESI? 23) Qual é a diferença entre indústria parceira e outro parceiro? 24) Como uma entidade (que não seja uma empresa industrial) pode participar como outro parceiro? 25) Outra unidade da mesma entidade do mesmo Departamento Regional pode ser considerada "outro parceiro"? 26) Existem regras para aplicação dos recursos por parte do Departamento Regional (DR)? 27) Para que se destinam os recursos do Edital de Inovação tecnológica? 28) Qual é o destino dos equipamentos adquiridos com recursos do projeto? 29) Que tipo de aporte oferecido pela empresa parceira pode ser reconhecido como contrapartida financeira e econômica na participação do projeto? 30) Qual é o prazo para aplicação dos recursos no desenvolvimento do projeto? 31) O investimento em bolsas está incluído no limite de apoio financeiro estabelecido no Edital? 32) Quais são as responsabilidades dos proponentes ao Edital de Inovação? 33) Quais projetos serão atendidos pelo SESI e quais serão atendidos pelo SENAI? E por ambos? 34) Como minha empresa pode firmar uma parceria com o SESI e/ou o SENAI para participar do Edital de Inovação? 35) Onde os projetos podem ser desenvolvidos? 36) Qual é o papel efetivo do SENAI e/ou do SESI nos projetos? 37) O que devo fazer se meu projeto for selecionado? 02

3 38) Quais critérios serão utilizados para a avaliação dos projetos? 39) Quem receberá os recursos destinados aos projetos selecionados pelo Edital de Inovação? 40) Quais são os impactos que os projetos deverão promover? 41) Como devo proceder para solicitar as bolsas oferecidas pelo CNPq? 42) Onde obter mais informações a respeito de bolsas oferecidas pelo CNPq? 43) Quem será o responsável pela avaliação dos projetos? 44) Como será a pontuação dos projetos? 45) Como caracterizar a inovação nos projetos desenvolvidos em parceria com o SENAI e com o SESI? 46) Como evidenciar a parceria do SENAI e do SESI? 47) O que é o Relatório de Pesquisa de Anterioridade? Qual é a sua função? Ele é obrigatório? 48) Existem critérios de desempate? 49) Um projeto pode ter mais de uma empresa como parceira? 50) Qual é a diferença entre outra empresa parceira e a empresa prestadora de serviços? 51) Uma indústria pode propor um projeto em parceria com uma Unidade Regional do SENAI e /ou do SESI de outro estado? 03

4 1) O que é o Edital SENAI e SESI de Inovação? O Edital é uma iniciativa do SENAI e do SESI que visa despertar a cultura da inovação na indústria brasileira, onde o objetivo é estimular a habilidade de desenvolver projetos de pesquisa nas entidades do SENAI e do SESI. Este não é um Edital voltado para o ambiente interno das instituições e sim um Edital voltado para atender à demanda da indústria. 2) Qual é a vantagem para a indústria participar do Edital de Inovação? Por se tratar de um projeto de inovação, a indústria se beneficia com os impactos diretos de um novo produto, serviço ou nos seus processos produtivos, bem como na melhoria da qualidade de vida do seu trabalhador. 3) Qual é a vantagem para um Departamento Regional participar do Edital de Inovação? Como a pesquisa será conduzida pelo SENAI e/ou SESI, a participação no Edital de Inovação favorece a aproximação da empresa junto ao SESI e/ou ao SENAI, há uma ampliação do conhecimento por parte das entidades, além da incorporação de novos conhecimentos educacionais. Tudo isso permite aprimorar os serviços prestados. 4) O que é inovação social? Para este Edital, a inovação social consiste em apoiar e fomentar o desenvolvimento de novos conhecimentos, competências, produtos ou serviços sociais que contribuam para a promoção da qualidade de vida do trabalhador e gestão responsável da empresa industrial. O objetivo final é promover a cultura da inovação corporativa. 5) O que é inovação tecnológica? Para este Edital, trata-se da inovação de processo ou de produto. A inovação de processo consiste na incorporação de novas tecnologias ao processo produtivo de uma determinada empresa. Essa tecnologia pode ser incorporada com a inserção ou substituição de etapas do processo, implantação de software que impacte diretamente o processo, adaptação de maquinário etc. Já a inovação de produto é aquela em que, ao final da pesquisa aplicada e do desenvolvimento experimental, resulta em um produto que pode ser adquirido por consumidores ou por outras empresas. 6) Qual é o montante de recursos disponíveis e qual é o limite de recursos por projeto? O Edital de Inovação disponibiliza R$ 5 milhões ao SESI e R$ 5 milhões ao SENAI. Os projetos do SESI e os projetos SENAI têm limite de recursos disponíveis de até R$ 200 mil por projeto. Já os projetos articulados, ou seja, aqueles SENAI e SESI têm limite de recursos de até R$ 300 mil por projeto. Adicionalmente, o Ministério de Ciência e Tecnologia, disponibiliza, por meio do CNPq, R$ 2 milhões e 500 mil para investimentos em bolsas. 04

5 7) A quem está dirigido o Edital de Inovação? Quem deve submeter a proposta à comissão avaliadora? O Edital está dirigido às empresas que desejam desenvolver e implementar um projeto inovador que gere novos negócios, promova a melhoria na produtividade ou impacte positivamente nas condições de trabalho e qualidade de vida dos seus colaboradores. Quem submete a proposta é o Departamento Regional do SENAI ou do SESI, elaborada em parceria com a empresa. 8) Qual o prazo para inscrição? O prazo para o envio dos projetos termina em 30 de abril de Para mais informações sobre prazos, consulte o cronograma disponível no Edital de Inovação. 9) É preciso pagar alguma taxa para participar? Não. A inscrição é gratuita. 10) Quais são os anexos/documentos obrigatórios para participar? Ficha de inscrição, relatório de busca de anterioridade e contrato preliminar de parceria. 11) Apresentei meu projeto e ainda não tive resposta. O que faço? A data prevista para a divulgação dos projetos aprovados é 16/06/2009. Para mais informações sobre prazos, consulte o cronograma disponível no Edital de Inovação. 12) Minha empresa pode apresentar mais de um projeto? Sim. Mas cabe ressaltar que a empresa terá de se responsabilizar pelas contrapartidas financeiras e econômicas propostas em cada um dos projetos apresentados e aprovados. 13) Sou um Departamento Regional. Como posso participar do Edital de Inovação? É necessário procurar o interlocutor do seu estado e apresentar a sua proposta de projeto, que deverá atender às especificações expressas no Edital e identificar uma empresa parceira. O Edital está disponível nos sites ou É imprescindível o preenchimento de todos os campos de acordo com os requisitos do Edital. 14) Projetos desenvolvidos exclusivamente dentro do SESI ou do SENAI podem concorrer? Não. É exigência do Edital que os projetos sejam desenvolvidos em parceria com uma industria. 05

6 15) Que tipo de industria pode firmar parceria com o SENAI e SESI? Podem participar empresas públicas ou privadas com caráter industrial (Setores industriais: Alimentos e Bebidas, Automação, Automotiva, Celulose e Papel, Construção, Couro e calçados, Eletroeletrônica, Comunicação, Energia, Gemologia e joalheria, Gráfica e editorial, Madeira e Mobiliário, Metalmecânica, Mineração, Minerais não metálicos, Petróleo e gás, Polímeros, Química, Refrigeração e climatização, Segurança do Trabalho, Sucroalcooleiro, Tecnologia da Informação, Telecomunicações, Têxtil e vestuário). 16) Como deverão ser tratados os projetos que envolvem empresas que estão em processo de mudança no contrato social? Cabe ao DR decidir se é interessante firmar parcerias com indústrias dessa natureza. É importante salientar que o Edital tem o objetivo de apoiar e aprimorar os serviços de inovação do SENAI e do SESI. Sendo assim, deve ser visto como uma ferramenta de aprendizagem, visando a melhoria no atendimento a clientes/contribuintes. 17) Mesmo que no contrato social não esteja discriminada, a produção de software caracteriza uma atividade industrial? Quais atividades devem constar no contrato social para caracterizá-la? Em parceria com empresas de software, o SENAI e o SESI podem apresentar propostas de produção de softwares desde que o produto seja colocado na linha de produção da empresa. Existem, por exemplo, softwares como aqueles comercializados pela Microsoft, Norton, Lótus que fabricam seus softwares e os colocam em prateleiras para venda. Empresas dessa natureza geralmente são contribuintes do Sistema Indústria, e podem desenvolver projetos para concorrer ao Edital de Inovação. Já as propostas que visam ao desenvolvimento de soluções em Tecnologia da Informação específicas (prestação de serviços) não poderão ser contempladas no Edital. 18) Os projetos apresentados para o SESI e para o SENAI concorrerão ao mesmo recurso disponibilizado (competem entre si)? Não. O Edital disponibiliza R$ 5 milhões ao SESI e R$ 5 milhões ao SENAI. 19) Sou uma empresa industrial e tenho interesse em participar. Como posso concorrer aos recursos do Edital de Inovação? Procure a unidade do SENAI ou do SESI de seu estado para apresentar seu projeto e entender como participar ou entre em contato com os responsáveis nacionais. SENAI DN Unidade de Tecnologia Industrial, Gerência de Inovação Tecnológica s: / / Telefones: (61) /(61) /(61) /fax: (61) SESI-DN - Unidade de Tendências e Prospecção UNITEP: s: / Telefones: (61) / (61) / fax: (61)

7 20) Que tipos de projetos do SENAI serão elegíveis? Serão considerados elegíveis os projetos do SENAI que atenderem aos elementos obrigatórios do Edital e que apresentem novos produtos ou melhorias significativas de processos industriais, com estratégias concretas de comercialização pela empresa parceira e que mostrem seu impacto nos serviços oferecidos pelo SENAI. 21) Como deverá ser o envio das propostas? As propostas de projetos deverão ser enviadas, obrigatoriamente, pelo Departamento Regional do SENAI ou do SESI, por meio do sistema Project Explorer Módulo Submissão de Propostas, que contém todos os campos obrigatórios para preenchimento. O sistema será disponibilizado a partir do dia 16/03/2009 em um endereço específico na web. Os Departamentos Regionais do SENAI e SESI deverão fazer o download e instalar o programa em seus computadores e solicitar senha de acesso ao respectivo Departamento Nacional. Os proponentes deverão preencher todos os campos obrigatórios em modo off-line e enviar as informações via web. 22) O que é um projeto SENAI e SESI? Trata-se da articulação entre o SESI e o SENAI, durante todo o período de execução do projeto, para o desenvolvimento de uma inovação que tenha ao mesmo tempo impactos tecnológicos e sociais. 23) Qual é a diferença entre indústria parceira e outro parceiro? A indústria parceira é aquela que receberá a inovação na sua linha de produção. É ela quem desenvolverá, em parceria com a unidade regional do SESI ou do SENAI, o produto ou serviço estabelecido no projeto. Por isso, a presença de uma empresa parceria é item obrigatório para a inscrição de um projeto no Edital de Inovação. Na categoria de outro parceiro enquadram-se Instituições de Ciência e Tecnologia, ONGs, Universidades, Associações, Instituições do Sistema S, e demais instituições não industriais. A participação de outra parceira é facultativa. 24) Como uma entidade (que não seja uma empresa industrial) pode participar como outro parceiro? Para participar do Edital de Inovação, a entidade deve, em conjunto com uma indústria, entrar em contato com o SENAI ou com o SESI, apresentar a sua idéia e submetê-la à aprovação em uma das duas instituições. Esta entidade também deverá apresentar contrapartidas financeiras ou econômicas. 25) Outra unidade da mesma entidade do mesmo Departamento Regional pode ser considerada "outro parceiro"? Não. Para que a mesma entidade seja parceira, deverá ser feita com outro Departamento Regional. 07

8 26) Existem regras para aplicação dos recursos por parte do Departamento Regional (DR)? A aplicação de recursos por parte do DR deve respeitar as regras de contratação e aquisição regimentais já existentes no SENAI e no SESI. 27) Para que se destinam os recursos do Edital de Inovação tecnológica? Os recursos se destinam a custear as despesas com o desenvolvimento dos produtos, processos e serviços propostos nos projetos. Estes recursos podem ser aplicados na aquisição de equipamentos, contratação de terceiros, despesas com viagens, material de consumo, software, material de laboratório, etc. Cabe ressaltar que esses recursos não podem ser destinados a gastos internos ou de infra-estrutura do departamento regional. Eles custeiam apenas gastos voltados exclusivamente para o desenvolvimento do projeto. 28) Qual é o destino dos equipamentos adquiridos com recursos do projeto? Todos os equipamentos e máquinas (bens) adquiridos com recursos providos pelo Edital de Inovação passarão a fazer parte do patrimônio do SENAI ou do SESI. Caso o recurso adquirido seja uma contrapartida da empresa, o equipamento poderá ficar como patrimônio da empresa participante. 29) Que tipo de aporte oferecido pela empresa parceira pode ser reconhecido como contrapartida financeira e econômica na participação do projeto? Os recursos financeiros são aqueles destinados à contratação de terceiros, passagens, aquisição de máquinas e matéria prima. Os recursos econômicos são aqueles destinados ao pagamento de hora máquina e hora técnica de funcionários do SESI, SENAI ou empresa parceira. 30) Qual é o prazo para aplicação dos recursos no desenvolvimento do projeto? O prazo para a aplicação dos recursos e conclusão do projeto é de 18 meses (veja o cronograma que consta no Edital). 31) O investimento em bolsas está incluído no limite de apoio financeiro estabelecido no Edital? Não. Os recursos das bolsas de R$ 2 milhões e 500 mil do Ministério de Ciência e Tecnologia, repassados pelo CNPq, são recursos adicionais aos projetos. Portanto, os investimentos em bolsas não são somados aos recursos que irão comprometer o apoio financeiro. Por exemplo: Custo do Projeto: R$ 200 mil. Investimento em Bolsa DTI-1: R$ ,66. Total do projeto com bolsa: R$ ,66. 32) Quais são as responsabilidades dos proponentes ao Edital de Inovação? Os proponentes ao Edital deverão elaborar e submeter suas propostas no prazo determinado e, se selecionados, deverão desenvolver um projeto atendendo todas as etapas estabelecidas no Edital. Ao final do projeto, os proponentes deverão elaborar e apresentar um relatório final de conclusão do projeto, bem como fazer a prestação de contas financeira e física do mesmo, além de manter o sistema de gestão atualizado. 08

9 33) Quais projetos serão atendidos pelo SESI e quais serão atendidos pelo SENAI? E por ambos? Os projetos de inovação tecnológica serão contemplados pelo SENAI. Já os projetos de inovação social serão contemplados pelo SESI. Os projetos articulados, ou seja, aqueles que combinem tanto inovação tecnológica quanto social, serão atendidos pelo SESI e pelo SENAI. 34) Como minha empresa pode firmar uma parceria com o SESI e/ou o SENAI para participar do Edital de Inovação? A ficha de inscrição já é um termo de compromisso. Além disso, o DR e a empresa deverão negociar e estabelecer o escopo de um contrato entre si e apresentá-lo, de forma preliminar (sem assinaturas), como ANEXO, no formato de arquivo.doc ou.pdf, anexando este documento ao Project Explorer Módulo de Submissão de Propostas. 35) Onde os projetos podem ser desenvolvidos? Os projetos devem ser desenvolvidos nos centros do SESI e do SENAI e na própria indústria. Existindo um terceiro parceiro no projeto, o mesmo poderá também ser desenvolvido no ambiente deste terceiro, como uma universidade, por exemplo. 36) Qual é o papel efetivo do SENAI e/ou do SESI nos projetos? O papel dos técnicos e profissionais das duas entidades envolvidos no projeto é atuar de forma ativa no desenvolvimento das ações tecnológicas e sociais envolvidas no projeto, além de responder pela gestão das metas físicas e financeiras. Caberá aos profissionais das duas entidades a gestão dos recursos, prestação de contas e conclusão do projeto em questão. 37) O que devo fazer se meu projeto for selecionado? A primeira ação é fazer com que o contrato preliminar se torne um contrato efetivo de parceria. Para isso, o DR deverá enviar uma cópia do contrato assinado por todos os envolvidos no projeto, além de cópia de toda a documentação especificada no contrato ao Departamento Nacional do SESI e/ou do SENAI, para que os recursos possam ser liberados. 38) Quais critérios serão utilizados para a avaliação dos projetos? O anexo quatro do Edital de Inovação apresenta o detalhamento de todos os aspectos que serão considerados na avaliação dos projetos. 39) Quem receberá os recursos destinados aos projetos selecionados pelo Edital de Inovação? Os recursos financeiros concedidos aos projetos selecionados pelo Edital não serão repassados às empresas e sim aos Departamentos Regionais do SENAI e do SESI. 09

10 40) Quais são os impactos que os projetos deverão promover? Os projetos deverão promover impactos sociais, ambientais, de produção ou de produtividade. No caso dos projetos custeados pelo SENAI, trata-se de impactos como aumento de produção, aumento de flexibilidade de produção, redução de custos. Já para projetos do SESI, destacam-se impactos sociais que podem se reverter em programas de beneficio ao trabalhador como segurança no trabalho, saúde ocupacional, seguridade social, entre outros. 41) Como devo proceder para solicitar as bolsas oferecidas pelo CNPq? O pedido de bolsa deve ser feito no ato de apresentação da proposta. Logo, essas bolsas deverão estar previstas no projeto a ser apresentado pelo proponente. A solicitação está prevista no campo Bolsas CNPq do Project Explorer. Vale ressaltar que os recursos para as bolsas são adicionais àqueles previstos para a execução do projeto proposto. 42) Onde obter mais informações a respeito de bolsas oferecidas pelo CNPq? As informações estão no site 43) Quem será o responsável pela avaliação dos projetos? A comissão julgadora será constituída por analistas do SENAI-DN e SESI-DN, podendo contar com especialistas ad hoc em inovação tecnológica e social de entidades governamentais, universidades ou associações convidadas. 44) Como será a pontuação dos projetos? Depois de avaliados, os projetos serão organizados de acordo com a pontuação de forma decrescente, onde serão apoiados os projetos melhor pontuados até que sejam comprometidos os recursos de R$ 5 milhões para o SENAI e R$ 5 milhões para o SESI. 45) Como caracterizar a inovação nos projetos desenvolvidos em parceria com o SENAI e com o SESI? A inovação é caracterizada a partir da descrição de um novo produto, melhoria de um processo de produção ou um novo serviço que proporcione melhoria da qualidade de vida do trabalhador ou da comunidade. Para os projetos desenvolvidos em parceria pelas duas instituições, deverá ser caracterizada tanto a inovação tecnológica, quanto a inovação social. Além da descrição do novo produto ou processo, também deverá ser apresentado um Relatório de Pesquisa de Anterioridade, cujo modelo está anexo ao Edital. 46) Como evidenciar a parceria do SENAI e do SESI? A parceria entre SENAI e SESI deverá ser caracterizada na proposta do projeto onde uma instituição será a proponente e a outra será outro parceiro. A instituição proponente será responsável por apresentar o projeto, pela gestão financeira do projeto e pela apresentação de relatório de conclusão, entre outras. 10

11 47) O que é o Relatório de Pesquisa de Anterioridade? Qual é a sua função? Ele é obrigatório? O Relatório de Pesquisa de Anterioridade é um documento que evidencia a existência de uma pesquisa realizada pela empresa e pelo Departamento Regional quanto à existência de projetos anteriores que tenham as mesmas características daquele que está sendo proposto. Seu objetivo é assegurar que o projeto é caracterizado como inovador e seu resultado pode ser inserido no mercado. 48) Existem critérios de desempate? No caso de ocorrer empate na nota final, será selecionado como projeto merecedor dos recursos aquele que obtiver a melhor pontuação no item I do Edital de Inovação, descrito como Impacto de Mercado, Tecnológico e Social. Caso o empate persista, será apontada como vencedora a proposta que apresente maior contrapartida financeira. 49) Um projeto pode ter mais de uma empresa como parceira? Sim. O projeto pode ter várias empresas parceiras. Mas é importante ressaltar que todas as empresas parceiras deverão apresentar contrapartidas financeiras e econômicas e que o projeto deverá ser implementado em todas as empresas parceiras simultaneamente, o que pode dificultar a execução do projeto. 50) Qual é a diferença entre outra empresa parceira e a empresa prestadora de serviços? A outra empresa parceira entra no projeto com contrapartidas financeiras ou econômicas que incluem as horas técnicas de seus colaboradores, enquanto que a empresa prestadora de serviços cobrará pelo seu envolvimento no projeto. 51) Uma indústria pode propor um projeto em parceria com uma Unidade Regional do SENAI e /ou do SESI de outro estado? Sim. A parceria pode ser feita entre indústrias, outras parceiras e Unidades do SENAI e/ou do SESI de qualquer outro estado do país. 11

FAQ Edital SENAI SESI de inovação 2010 21 Edital SENAI SESI de inovação 2010

FAQ Edital SENAI SESI de inovação 2010 21 Edital SENAI SESI de inovação 2010 FAQ 21 Edital SENAI SESI de inovação 2010 1. Edital SENAI e SESI 1.1 O que é o Edital SENAI e SESI de Inovação? O Edital é uma iniciativa do SENAI e do SESI que visa despertar a cultura da inovação na

Leia mais

Edital SENAI SESI de Inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES

Edital SENAI SESI de Inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES Edital SENAI SESI de Inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES Brasília 2012 Edital SENAI SESI de Inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES Brasília 2012 Edital SENai SESi de inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES 3 1)

Leia mais

SENAI e SESI, parceiros da Indústria na Inovação

SENAI e SESI, parceiros da Indústria na Inovação SENAI e SESI, parceiros da Indústria na Inovação Março 2009 I DENOMINAÇÃO E FINALIDADE Art. 1º - Art. 2º - Denominação. SENAI/SESI Inovação 2009. É uma ação de abrangência nacional voltada para os Departamentos

Leia mais

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO. Caráter inovador projeto cujo escopo ainda não possui. Complexidade das tecnologias critério de avaliação que

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO. Caráter inovador projeto cujo escopo ainda não possui. Complexidade das tecnologias critério de avaliação que ANEXO II Caráter inovador projeto cujo escopo ainda não possui registro em base de patentes brasileira. Também serão considerados caráter inovador para este Edital os registros de patente de domínio público

Leia mais

PROGRAMA INOVA SENAI PE 2015

PROGRAMA INOVA SENAI PE 2015 PROGRAMA INOVA SENAI PE 2015 1. Estrutura do INOVA SENAI-PE 1.1. O que é O Programa INOVA SENAI-PE 2015 é uma ação anual, promovida e patrocinada pelo Departamento Regional de Pernambuco (SENAI DR-PE),

Leia mais

PRÊMIO FINEP DE INOVAÇÃO

PRÊMIO FINEP DE INOVAÇÃO PRÊMIO FINEP DE INOVAÇÃO Objetivo: O Prêmio FINEP de Inovação foi criado para reconhecer e divulgar esforços inovadores realizados por empresas, Instituições Científicas e Tecnológicas - ICTs e inventores

Leia mais

ESCOLA SENAI ÍTALO BOLOGNA. INOVAÇÃO Ítalo Bologna

ESCOLA SENAI ÍTALO BOLOGNA. INOVAÇÃO Ítalo Bologna ESCOLA SENAI ÍTALO BOLOGNA INOVAÇÃO Ítalo Bologna REGULAMENTO VERSÃO 01/2011 1 REGULAMENTO TÍTULO I DA DENOMINAÇÃO E FINALIDADES Capítulo I Das Finalidades e Objetivos Terá como principal objetivo desenvolver

Leia mais

INOVA SENAI EDITAL 2015

INOVA SENAI EDITAL 2015 INOVA SENAI EDITAL 2015 Sumário 1 Estrutura do Inova SENAI... 2 1.1 O que é... 2 1.2 Objetivo... 2 1.3 Objetivos específicos... 2 1.4 Categorias... 3 1.5 Estrutura Organizacional... 4 2 Participantes e

Leia mais

Está vedada a participação das empresas e instituições que tenham sido vencedoras regionais e nacionais no Prêmio FINEP de Inovação 2009.

Está vedada a participação das empresas e instituições que tenham sido vencedoras regionais e nacionais no Prêmio FINEP de Inovação 2009. Regulamento O Prêmio FINEP de Inovação foi criado para reconhecer e divulgar esforços inovadores realizados por empresas, Instituições Científicas e Tecnológicas - ICTs e inventores brasileiros, desenvolvidos

Leia mais

SEBRAEtec Diferenciação

SEBRAEtec Diferenciação SEBRAEtec Diferenciação REGULAMENTO Investir em inovação tecnológica é fundamental para a competitividade das micro e pequenas empresas gaúchas. 2 2014 Mais recursos para as MPEs representam mais desenvolvimento

Leia mais

Novas Formas de Aprender e Empreender

Novas Formas de Aprender e Empreender Novas Formas de Aprender e Empreender DÚVIDAS FREQUENTES 1. Sobre o Prêmio Instituto Claro, Novas Formas de Aprender e Empreender 1.1. O que é o Prêmio? O Prêmio Instituto Claro Novas Formas de Aprender

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015 EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015 1. DO OBJETO 1.1. O presente edital tem por objeto realizar uma chamada pública nacional para seleção de projetos que contribuam para o empoderamento das mulheres

Leia mais

PRÊMIO FINEP DE INOVAÇÃO 15ª EDIÇÃO REGULAMENTO

PRÊMIO FINEP DE INOVAÇÃO 15ª EDIÇÃO REGULAMENTO PRÊMIO FINEP DE INOVAÇÃO 15ª EDIÇÃO REGULAMENTO 1. Objetivo O Prêmio FINEP de Inovação foi criado para reconhecer e divulgar esforços inovadores realizados por empresas, instituições sem fins lucrativos

Leia mais

PROGRAMA FORTALECER Edital de Projetos REGULAMENTO

PROGRAMA FORTALECER Edital de Projetos REGULAMENTO PROGRAMA FORTALECER Edital de Projetos REGULAMENTO Sumário 1. O EDITAL... 2 1.1. Natureza e objetivos... 2 1.2. Princípios orientadores... 2 1.3. Foco temático do edital... 2 2. QUEM PODE PARTICIPAR...

Leia mais

EDITAL ITA DE EMPREENDEDORISMO. São José dos Campos

EDITAL ITA DE EMPREENDEDORISMO. São José dos Campos EDITAL ITA DE EMPREENDEDORISMO 2013 São José dos Campos 2013 SUMÁRIO 1 DENOMINAÇÃO, OBJETIVO E GOVERNANÇA... 4 1.1 Denominação... 4 1.2 Objetivo do Desafio... 4 1.3 Conceito... 4 1.3.1 Desenvolvimento

Leia mais

SECRETARIA DE INOVAÇÃO

SECRETARIA DE INOVAÇÃO SECRETARIA DE INOVAÇÃO EDITAL Nº 01, DE 30 DE JANEIRO DE 2013 SEGUNDA CHAMADA PARA A APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS DE COOPERAÇÃO TECNOLÓGICA ENTRE BRASIL E ISRAEL O SECRETÁRIO DE INOVAÇÃO DO MINISTÉRIO DO

Leia mais

VISÃO DA EDUCAÇÃO SOBRE A CERTIFICAÇÃO DE PESSOAS

VISÃO DA EDUCAÇÃO SOBRE A CERTIFICAÇÃO DE PESSOAS Fórum Internacional de Certificação de Pessoas VISÃO DA EDUCAÇÃO SOBRE A CERTIFICAÇÃO DE PESSOAS Alberto B. Araújo Gerente Executivo de Educação Profissional SENAI/DN São Paulo, setembro 2007 Educação

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014 EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014 1. DO OBJETO 1.1. O presente edital tem por objeto realizar uma chamada pública nacional para seleção de projetos sociais. O edital destina-se às organizações

Leia mais

A MARCA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA

A MARCA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA A MARCA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Rede SENAI de Educação Profissional e Tecnológica UNIGEPLAN O SENAI Ceará foi criado em 27 de novembro de 1943, organizado e administrado pela Federação das

Leia mais

Painel Setorial Inmetro Desafios Atuais da Educação a Distância Módulo VI Educação a Distância: com parcerias se faz mais

Painel Setorial Inmetro Desafios Atuais da Educação a Distância Módulo VI Educação a Distância: com parcerias se faz mais Painel Setorial Inmetro Desafios Atuais da Educação a Distância Módulo VI Educação a Distância: com parcerias se faz mais Centro Operacional do Inmetro Xerém/RJ, 31 de julho de 2009 SENAI Grandes Números

Leia mais

Regulamento Prêmio Telecentros Brasil 2015

Regulamento Prêmio Telecentros Brasil 2015 Regulamento Prêmio Telecentros Brasil 2015 Seção I - Introdução Art. 1º O Prêmio Telecentros Brasil, criado pela Associação Telecentro de Informação e Negócios (ATN) em parceria com o SEBRAE, TICKET, Ministério

Leia mais

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO 2015

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO 2015 EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO 2015 Público alvo Empresas Industriais Startups e Empresas de Base Tecnológica (EBT) ATENÇÃO - Início da operação da empresa - Alteração do contrato social - CNAE principal

Leia mais

MOSTRA DE PROJETOS 2015. Iniciativas Sociais que contribuem para o desenvolvimento local. REGULAMENTO Anexos I e II

MOSTRA DE PROJETOS 2015. Iniciativas Sociais que contribuem para o desenvolvimento local. REGULAMENTO Anexos I e II MOSTRA DE PROJETOS 2015 Iniciativas Sociais que contribuem para o desenvolvimento local REGULAMENTO Anexos I e II O Sesi Paraná, por meio do programa Sesi Indústria e Sociedade e do Movimento Nós Podemos

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL DE CO-FINANCIAMENTO (COFOP) ACORDO DE COOPERAÇÃO Finep Research Council of Norway

PROGRAMA OPERACIONAL DE CO-FINANCIAMENTO (COFOP) ACORDO DE COOPERAÇÃO Finep Research Council of Norway PROGRAMA OPERACIONAL DE CO-FINANCIAMENTO (COFOP) ACORDO DE COOPERAÇÃO Finep Research Council of Norway Com o objetivo de implementar o Acordo de Cooperação assinado entre a FINEP e o Research Council of

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP A Coordenadora da Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros FACIT, no uso de suas atribuições regimentais, considerando

Leia mais

2.1.1 Preenchimento do formulário de inscrição. Deve ser preenchido de forma a contemplar as etapas a seguir:

2.1.1 Preenchimento do formulário de inscrição. Deve ser preenchido de forma a contemplar as etapas a seguir: EDITAL PIBITI Nº 041/2013 Goiânia, 26 de dezembro de 2013. A Universidade Federal de Goiás por intermédio da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós- Graduação torna público o presente edital e convida os interessados

Leia mais

SESI. Empreendedorismo Social. Você acredita que sua idéia pode gerar grandes transformações?

SESI. Empreendedorismo Social. Você acredita que sua idéia pode gerar grandes transformações? SESI Empreendedorismo Social Você acredita que sua idéia pode gerar grandes transformações? REGULAMENTO SESI Empreendedorismo Social A inovação social é o ponto de partida para um novo modelo que atende

Leia mais

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica Edital 1/2014 Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica A (PoloSul.org) torna pública a presente chamada e convida os interessados para apresentar propostas de incubação

Leia mais

EDITAL PI IPCIT - Nº001/2012 - PRPPGI/IFAM PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PI-IPCIT

EDITAL PI IPCIT - Nº001/2012 - PRPPGI/IFAM PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PI-IPCIT EDITAL PI IPCIT - Nº001/2012 - PRPPGI/IFAM PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PI-IPCIT PROJETOS DE PESQUISA CIENTÍFICA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DO IFAM Maio

Leia mais

Chamada MCTI/CNPq Nº 09/2015 - Auxílio Promoção de Eventos Científicos, Tecnológicos e/ou de Inovação - ARC. Perguntas Mais Frequentes

Chamada MCTI/CNPq Nº 09/2015 - Auxílio Promoção de Eventos Científicos, Tecnológicos e/ou de Inovação - ARC. Perguntas Mais Frequentes Chamada MCTI/CNPq Nº 09/2015 - Auxílio Promoção de Eventos Científicos, Tecnológicos e/ou de Inovação - ARC Perguntas Mais Frequentes 1) Onde encontro o Formulário Online de Propostas? O formulário Online

Leia mais

Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE

Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE O Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE visa fortalecer a missão de desenvolver a nossa terra e nossa gente e contribuir para

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

INCUBADORA RINETEC. Regulamento da Chamada para ingresso de idéias inovadoras na incubadora RINETEC. Edital 001 2014

INCUBADORA RINETEC. Regulamento da Chamada para ingresso de idéias inovadoras na incubadora RINETEC. Edital 001 2014 INCUBADORA RINETEC Regulamento da Chamada para ingresso de idéias inovadoras na incubadora RINETEC Edital 001 2014 1. APRESENTAÇÃO 1.1 Este edital estabelece formas, condições e critérios para que a Associação

Leia mais

EDITAL E REGULAMENTO DE CHAMADA PÚBLICA ITFETEP

EDITAL E REGULAMENTO DE CHAMADA PÚBLICA ITFETEP SUMÁRIO OBJETIVO... 2 1. DAS PROPOSTAS... 2 2. PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÃO, PARTICIPAÇÃO E SELEÇÃO DE PROPOSTAS E PROJETOS... 4 3. CRITÉRIOS PARA SELEÇÃO DE EMPREENDIMENTOS E PROJETOS... 4 4. DA CLASSIFICAÇÃO...

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS EDITAL 05/2014

PERGUNTAS E RESPOSTAS EDITAL 05/2014 PERGUNTAS E RESPOSTAS EDITAL 05/2014 Atualizado em 10/11/2014 Esta nota tem o objetivo de esclarecer as instituições que pretendam apresentar propostas de projetos ao Edital 05/2014. 1. No que se refere

Leia mais

Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos

Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos PROCESSO SELETIVO 2011 Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos REGULAMENTO Prezado Gestor, Criado em 2006, o Instituto HSBC Solidariedade é responsável por gerenciar

Leia mais

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA NACIONAL DE PROTEÇÃO E DEFESA CIVIL

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA NACIONAL DE PROTEÇÃO E DEFESA CIVIL MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA NACIONAL DE PROTEÇÃO E DEFESA CIVIL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ESTUDOS E PESQUISAS SOBRE DESATRES CEPED/RS CURSO DE EXTENSÃO

Leia mais

O Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores possui flexibilidade para atender dois tipos de certificações intermediárias, que são:

O Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores possui flexibilidade para atender dois tipos de certificações intermediárias, que são: 1) Formas de participação do Corpo Discente: O Colegiado do Curso é um órgão consultivo, deliberativo e normativo, onde é possível a participação do corpo discente nas decisões que competem a exposição

Leia mais

AUD. Audiência Pública: PRONATEC

AUD. Audiência Pública: PRONATEC AUD Audiência Pública: PRONATEC SENAI Missão Promover a educação profissional i e tecnológica, a inovação e a transferência de tecnologias industriais, contribuindo para elevar a competitividade da indústria

Leia mais

EDITAL PARA ADMISSÃO DE EMPREENDIMENTOS INCUBADOS. Apoio:

EDITAL PARA ADMISSÃO DE EMPREENDIMENTOS INCUBADOS. Apoio: EDITAL PARA ADMISSÃO DE EMPREENDIMENTOS INCUBADOS Apoio: Recife, 2015 Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. OBJETIVOS... 3 3. PUBLICO ALVO... 3 4. ATORES... 3 5. ESPAÇO FÍSICO... 4 6. SERVIÇOS OFERECIDOS...

Leia mais

Programa de Aprendizagem em Consultoria Acadêmica - CONSAC. Processo de Seleção de Empresas. EDITAL nº 2/2015

Programa de Aprendizagem em Consultoria Acadêmica - CONSAC. Processo de Seleção de Empresas. EDITAL nº 2/2015 Programa de Aprendizagem em Consultoria Acadêmica - CONSAC Processo de Seleção de Empresas EDITAL nº 2/2015 Brasília, 20 de Novembro de 2015 Apresentação É com satisfação que a Projetos Consultoria Integrada,

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PROPOSTAS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA DA UNICAMP - INCAMP

EDITAL DE SELEÇÃO PROPOSTAS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA DA UNICAMP - INCAMP EDITAL DE SELEÇÃO PROPOSTAS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA DA UNICAMP - INCAMP REALIZAÇÃO Fone (19)3521-5012 E-mail INCAMP@unicamp.br - Site: http://www.incamp.unicamp.br 1.

Leia mais

Tutorial: Lei da Informática (Leis 8.248, 10.176 e 11.077)

Tutorial: Lei da Informática (Leis 8.248, 10.176 e 11.077) Tutorial: Lei da Informática (Leis 8.248, 10.176 e 11.077) Sobre a autora Eng. Adelice Leite de Godoy Obteve sua graduação em Engenharia Química pela Unicamp em 1992, completando sua formação com o Curso

Leia mais

Instruções para preenchimento do formulário de CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO

Instruções para preenchimento do formulário de CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO Instruções para preenchimento do formulário de CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO As instruções a seguir orientam a elaboração de propostas de Cursos de Aperfeiçoamento para aprovação e registro no Sistema de Informações

Leia mais

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 1 Do programa e objetivo 1.1 O Programa CAFP/BA (Centros Associados para o Fortalecimento

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DOCENTE PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CIENTÍFICA (PIBID/FAI) EDITAL N O.

EDITAL DE SELEÇÃO DOCENTE PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CIENTÍFICA (PIBID/FAI) EDITAL N O. EDITAL DE SELEÇÃO DOCENTE PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CIENTÍFICA (PIBID/FAI) EDITAL N O. 004/15 1. APRESENTAÇÃO A Direção-Geral das FACULDADES ADAMANTINENSES INTEGRADAS

Leia mais

Modalidade Franqueado

Modalidade Franqueado PRÊMIO o cumprimento ABF DESTAQUE de todos os critérios FRANCHISING deste Categoria regulamento, selecionando Sustentabilidade os melhores trabalhos. Modalidade Franqueado REGULAMENTO Objetivos O Prêmio

Leia mais

EDITAL PRÊMIO GUNGA IDENTIDADE E CULTURA

EDITAL PRÊMIO GUNGA IDENTIDADE E CULTURA EDITAL PRÊMIO GUNGA IDENTIDADE E CULTURA 1. APRESENTAÇÃO Com base nos valores da economia solidária e da cultura livre, o Estúdio Gunga empresa de comunicação focada na criação de sites, editoração gráfica,

Leia mais

Edital Instituto Sabin - 01/2015

Edital Instituto Sabin - 01/2015 Edital Instituto Sabin - 01/2015 Seleção pública de iniciativas empreendedoras socioambientais inovadoras para parceria com o Instituto Sabin O Instituto Sabin, torna público o presente Edital e convoca

Leia mais

2. O QUE É O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBITI EM PARCERIA COM O FUNTTEL

2. O QUE É O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBITI EM PARCERIA COM O FUNTTEL CHAMADA PARA O PROCESSO DE INSCRIÇÃO 2014/2015 DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBITI NA ÁREA DE TELECOMUNICAÇÕES E AFINS DETALHAMENTO GERAL 1.

Leia mais

Plano de Ação e Programa de Formação de Recursos Humanos para PD&I

Plano de Ação e Programa de Formação de Recursos Humanos para PD&I Plano de Ação e Programa de Formação de Recursos Humanos para PD&I 1. Plano de Ação A seguir apresenta-se uma estrutura geral de Plano de Ação a ser adotado pelo Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

2.2 São considerados passíveis de concorrer aos recursos (brinquedoteca e capacitação) desta Chamada Pública, as instituições que:

2.2 São considerados passíveis de concorrer aos recursos (brinquedoteca e capacitação) desta Chamada Pública, as instituições que: 1. APRESENTAÇÃO 1.1 O projeto Recrear defende a importância do Brincar para o desenvolvimento infantil. Por meio da brincadeira, uma criança aprende e desenvolve seu corpo, suas habilidades sociais, de

Leia mais

EDITAL E REGULAMENTO DE CHAMADA PÚBLICA ITFETEP

EDITAL E REGULAMENTO DE CHAMADA PÚBLICA ITFETEP SUMÁRIO OBJETIVO... 2 1. DAS PROPOSTAS... 2 2. PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÃO, PARTICIPAÇÃO E SELEÇÃO DE PROPOSTAS E PROJETOS... 4 3. CRITÉRIOS PARA SELEÇÃO DE EMPREENDIMENTOS E PROJETOS... 4 4. DA CLASSIFICAÇÃO...

Leia mais

RESUMO DA CHAMADA MCTI/CNPq/ANA Nº 23/2015 Pesquisa em Mudança do Clima

RESUMO DA CHAMADA MCTI/CNPq/ANA Nº 23/2015 Pesquisa em Mudança do Clima RESUMO DA CHAMADA MCTI/CNPq/ANA Nº 23/2015 Pesquisa em Mudança do Clima Salvador Nov/2015 I - CHAMADA A referida chamada tem por objetivo selecionar propostas para apoio financeiro a projetos de desenvolvimento

Leia mais

EDITAL PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO JOVEM DA UFPE

EDITAL PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO JOVEM DA UFPE EDITAL PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO JOVEM DA UFPE A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) torna pública, através da Diretoria de Inovação e Empreendedorismo (DINE) da Pró-Reitoria para Assuntos de

Leia mais

REGULAMENTO DESAFIO CRIATIVOS DA ESCOLA

REGULAMENTO DESAFIO CRIATIVOS DA ESCOLA REGULAMENTO DESAFIO CRIATIVOS DA ESCOLA O Desafio Criativos da Escola é um concurso promovido pelo Instituto Alana com sede na Rua Fradique Coutinho, 50, 11 o. andar, Bairro Pinheiros São Paulo/SP, CEP

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO INSTITUTO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO INSTITUTO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBITI NA ÁREA DE TELECOMUNICAÇÕES E AFINS DA UFES - 2014 O Programa Institucional de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico

Leia mais

EDITAL FAPEMIG 13/2013 PROGRAMA DE APOIO À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE TECNOVA MINAS GERAIS

EDITAL FAPEMIG 13/2013 PROGRAMA DE APOIO À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE TECNOVA MINAS GERAIS EDITAL FAPEMIG 13/2013 PROGRAMA DE APOIO À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE TECNOVA MINAS GERAIS Objetivos da apresentação Exposição dos principais detalhes do edital,

Leia mais

Edital. Ações para o desenvolvimento integral na Primeira Infância

Edital. Ações para o desenvolvimento integral na Primeira Infância Edital Ações para o desenvolvimento integral na Primeira Infância 1. OBJETIVO 1.1. Este edital tem o objetivo de apoiar financeiramente projetos de extensão universitária voltados a ações para o desenvolvimento

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FORMAÇÃO PARA CAPACITAÇÃO DE CAPITAL HUMANO EM LÍNGUA INGLESA DO PORTO DIGITAL

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FORMAÇÃO PARA CAPACITAÇÃO DE CAPITAL HUMANO EM LÍNGUA INGLESA DO PORTO DIGITAL REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FORMAÇÃO PARA CAPACITAÇÃO DE CAPITAL HUMANO EM LÍNGUA INGLESA DO PORTO DIGITAL 1. APRESENTAÇÃO Este regulamento apresenta as regras e os critérios estabelecidos pelo Núcleo de

Leia mais

INCUBADORAS DE EMPRESAS EDITAL 01/ 2011 - SEBRAE

INCUBADORAS DE EMPRESAS EDITAL 01/ 2011 - SEBRAE INCUBADORAS DE EMPRESAS EDITAL 01/ 2011 - SEBRAE Anexo I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DO PROJETO Modalidade Tipo 1 Aplicação do modelo CERNE 1 Brasília, 2011 Código da Proposta: (Uso do Sebrae): 1. DADOS

Leia mais

EDITAL Nº 01/2009 PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ

EDITAL Nº 01/2009 PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ EDITAL Nº 01/2009 PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ O presente edital regulamenta o processo de recrutamento, seleção e ingresso de projetos empresariais na Incubadora

Leia mais

GUIA PARA AVALIAÇÃO DAS PROPOSTAS DE PROJETOS COMPONENTE 4

GUIA PARA AVALIAÇÃO DAS PROPOSTAS DE PROJETOS COMPONENTE 4 FUNDO MULTILATERAL DE INVESTIMENTOS PROGRAMA REGIONAL DE FORMAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO LOCAL COM INCLUSÃO SOCIAL- CONECTADEL GUIA PARA AVALIAÇÃO DAS PROPOSTAS DE PROJETOS COMPONENTE 4 1. Objetivo

Leia mais

4. Professor que já possui bolsa PIBIC pode concorrer a novas bolsas no PIBITI? Sim. São cotas independentes.

4. Professor que já possui bolsa PIBIC pode concorrer a novas bolsas no PIBITI? Sim. São cotas independentes. 1. Qual a diferença entre PIBITI e PIBIC? A dinâmica e procedimentos do PIBITI (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação) é exatamente igual ao PIBIC. A diferença

Leia mais

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NA SEGUNDA FASE DO CURSO DE FORMAÇÃO PARA CERTIFICAÇÃO DE CAPITAL HUMANO EM LÍNGUA INGLESA

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NA SEGUNDA FASE DO CURSO DE FORMAÇÃO PARA CERTIFICAÇÃO DE CAPITAL HUMANO EM LÍNGUA INGLESA REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NA SEGUNDA FASE DO CURSO DE FORMAÇÃO PARA CERTIFICAÇÃO DE CAPITAL HUMANO EM LÍNGUA INGLESA 1. APRESENTAÇÃO Este regulamento apresenta as regras e os critérios estabelecidos

Leia mais

Conjunto EDITAL N.º 025/2014 PROEPI/IFPR - RETIFICADO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INCENTIVO AO EMPREENDEDORISMO INOVADOR (PIBIN)

Conjunto EDITAL N.º 025/2014 PROEPI/IFPR - RETIFICADO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INCENTIVO AO EMPREENDEDORISMO INOVADOR (PIBIN) EDITAL N.º 025/2014 PROEPI/IFPR - RETIFICADO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INCENTIVO AO EMPREENDEDORISMO INOVADOR (PIBIN) A Pró-Reitoria de Extensão, Pesquisa e Inovação do Instituto Federal do Paraná

Leia mais

EDITAL N 003/2015 PROEX SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA DE UNIDADES AUXILIARES DA UNESP

EDITAL N 003/2015 PROEX SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA DE UNIDADES AUXILIARES DA UNESP EDITAL N 003/2015 PROEX SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA DE UNIDADES AUXILIARES DA UNESP Seleção de propostas de extensão universitária de Unidades Auxiliares no âmbito da PROEX/UNESP para

Leia mais

CAMPUS XANXERÊ CHAMADA PÚBLICA

CAMPUS XANXERÊ CHAMADA PÚBLICA EDITAL N º 26 /PROPPI/2015 CHAMADA PÚBLICA PROGRAMA DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS TÉCNICOS COM FINALIDADE DIDÁTICO-PEDAGÓGICA EM CURSOS REGULARES NO PERÍODO DE EXECUÇÃO: JULHO A DEZEMBRO/2015

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓOGICO DA PARAÍBA 01/2013

SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓOGICO DA PARAÍBA 01/2013 SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓOGICO DA PARAÍBA 01/2013 PROGRAMA DE INCUBAÇÃO DE EMPRESAS INOVADORAS A Diretora Geral da Fundação Parque Tecnológico

Leia mais

2. QUEM PODE PARTICIPAR

2. QUEM PODE PARTICIPAR EDITAL 1. Edital Instituto Walmart 1.1. Este edital é uma iniciativa do Instituto Walmart com o objetivo de identificar, reconhecer e estimular o desenvolvimento de projetos por organizações da sociedade

Leia mais

REGULAMENTO V - DRUMS CONTEST. A categoria Junior define como participantes os inscritos com 11 à 17 anos de idade no dia 04/12/2012.

REGULAMENTO V - DRUMS CONTEST. A categoria Junior define como participantes os inscritos com 11 à 17 anos de idade no dia 04/12/2012. REGULAMENTO V - DRUMS CONTEST O festival terá duas categorias: Junior e Senior A categoria Junior define como participantes os inscritos com 11 à 17 anos de idade no dia 04/12/2012. A categoria Senior

Leia mais

INC.EM.T.IVA Católica

INC.EM.T.IVA Católica INC.EM.T.IVA Católica Incubadora de Empresas Tocantinenses Inovadoras da Católica do Tocantins Processo de Seleção de Novos Empreendimentos CHAMADA PÚBLICA 001/2015 Palmas, Setembro de 2015. A Faculdade

Leia mais

II Edição do Prêmio IPEN de Inovação Tecnológica REGULAMENTO GERAL

II Edição do Prêmio IPEN de Inovação Tecnológica REGULAMENTO GERAL II Edição do Prêmio IPEN de Inovação Tecnológica REGULAMENTO GERAL 1. Objetivos 2. Participantes 3. Temas 4. Inscrição 5. Julgamento 6. Critérios de Avaliação 7. Premiação e Divulgação 8. Direitos e Obrigações

Leia mais

Promover o Ensino Superior Associado ao Desenvolvimento Sustentável de Belém e Região

Promover o Ensino Superior Associado ao Desenvolvimento Sustentável de Belém e Região Promover o Ensino Superior Associado ao Desenvolvimento Sustentável de Belém e Região Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica- PIC A iniciação científica viabiliza, aos universitários

Leia mais

III Edital para Seleção de Projetos. Associação Fundo Patrimonial Amigos da Poli

III Edital para Seleção de Projetos. Associação Fundo Patrimonial Amigos da Poli III Edital para Seleção de Projetos Associação Fundo Patrimonial Amigos da Poli A Associação Fundo Patrimonial Amigos da Poli ( Amigos da Poli ), com o apoio da Escola Politécnica da USP ( EPUSP ), torna

Leia mais

REGULAMENTO Prêmio IEL de Estágio 2014

REGULAMENTO Prêmio IEL de Estágio 2014 REGULAMENTO Prêmio IEL de Estágio 2014 Curitiba, Fevereiro de 2014 Sumário 1. O PRÊMIO... 3 2. OBJETIVOS... 4 3. CATEGORIAS DE PREMIAÇÃO... 5 4. ETAPAS DE AVALIAÇÃO... 5 5. PREMIAÇÃO... 5 6. PARTICIPAÇÃO/INSCRIÇÃO...

Leia mais

EDITAL 191/2015 Programa de Iniciação Científica Voluntária/IFSP Campus Itapetininga

EDITAL 191/2015 Programa de Iniciação Científica Voluntária/IFSP Campus Itapetininga EDITAL 191/2015 Programa de Iniciação Científica Voluntária/IFSP Campus Itapetininga A Direção Geral do campus Itapetininga do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), torna

Leia mais

Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura

Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura Termo de Referência para Contratação de Consultoria - TR Modalidade Pessoa Física Vaga Código TR/PF/IICA-005/2010 PCT BRA/09/001 - Acesso e uso da energia elétrica como fator de desenvolvimento de comunidades

Leia mais

REGULAMENTO. 1º - Serão aceitos projetos inovadores desenvolvidos em 2009 e 2010, e que já estejam no mercado por um período mínimo de 6 meses.

REGULAMENTO. 1º - Serão aceitos projetos inovadores desenvolvidos em 2009 e 2010, e que já estejam no mercado por um período mínimo de 6 meses. REGULAMENTO APRESENTAÇÃO Art. 1º O Prêmio de Nacional de Inovação na Indústria, promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pelo Movimento Brasil Competitivo (MBC), com o apoio da Financiadora

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL Nº. 08/2014 PRE/UFSM SELEÇÃO DE SELEÇÃO DE CURSISTAS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL Nº. 08/2014 PRE/UFSM SELEÇÃO DE SELEÇÃO DE CURSISTAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL Nº. 08/2014 PRE/UFSM SELEÇÃO DE SELEÇÃO DE CURSISTAS Inscrição para seleção de Candidatos à 3ª edição do Curso

Leia mais

Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social - 2013 Regulamento

Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social - 2013 Regulamento 1. Do Conceito de Tecnologia Social 1.1 Tecnologia Social compreende produtos, técnicas ou metodologias reaplicáveis, desenvolvidas na interação com a comunidade e que representem efetivas soluções de

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009.

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009. 1 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009. A Fundação Universidade do Tocantins UNITINS torna público

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS Edital de Melhoria e Inovação do Ensino da Graduação Nº 01/2015 A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE),

Leia mais

Edital CESAR.EDU N 02/2011

Edital CESAR.EDU N 02/2011 C.E.S.A.R.EDU Unidade de Educação do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife MESTRADO PROFISSIONAL EM ENGENHARIA DE SOFTWARE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU Recomendação MEC/CAPES N o. 234_6/2006/CTC/CAPES

Leia mais

Palestra Divulgação PAPPE Paraná. PAPPE Subvenção Paraná Chamada Pública 01/2009. Fomento à Inovação Tecnológica

Palestra Divulgação PAPPE Paraná. PAPPE Subvenção Paraná Chamada Pública 01/2009. Fomento à Inovação Tecnológica Palestra Divulgação PAPPE Paraná PAPPE Subvenção Paraná Chamada Pública 01/2009 Fomento à Inovação Tecnológica Programa PAPPE Programa de Apoio à Pesquisa na Pequena Empresa Operacionalização: Consórcio

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII

CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII A Associação Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial EMBRAPII torna público o processo de seleção para habilitar Polos EMBRAPII IF (PEIF). Os

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR 1. Como são os cursos ofertados pela plataforma freire e quais os benefícios para os professores que forem selecionados? O professor sem formação poderá estudar nos

Leia mais

CONSULTA SOBRE O PLANO CONJUNTO BNDES/FINEP PARA DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO DA INDÚSTRIA QUÍMICA PADIQ

CONSULTA SOBRE O PLANO CONJUNTO BNDES/FINEP PARA DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO DA INDÚSTRIA QUÍMICA PADIQ CONSULTA SOBRE O PLANO CONJUNTO BNDES/FINEP PARA DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO DA INDÚSTRIA QUÍMICA PADIQ I - Objetivos do PADIQ O Plano Conjunto BNDES-FINEP de Apoio à Diversificação e Inovação da Indústria

Leia mais

EDITAL Nº 003/2015/PROPE SELEÇÃO DE ORIENTADORES E PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

EDITAL Nº 003/2015/PROPE SELEÇÃO DE ORIENTADORES E PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL Nº 003/2015/PROPE SELEÇÃO DE ORIENTADORES E PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PRIMEIROS PASSOS NA CIÊNCIA PROGRAMA INTEGRADO DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA ENSINO SUPERIOR E ENSINO MÉDIO

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UEMA PIBIC-CNPq/UEMA/FAPEMA EDITAL UEMA/PPG Nº 03/2015

PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UEMA PIBIC-CNPq/UEMA/FAPEMA EDITAL UEMA/PPG Nº 03/2015 PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UEMA PIBIC-CNPq/UEMA/FAPEMA EDITAL UEMA/PPG Nº 03/2015 A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Estadual do Maranhão - PPG UEMA em conjunto

Leia mais

CAMPANHA DE SUSTENTABILIDADE (mudança no título antes chamada de Campanha Indústria Farmacêutica & Iniciativas de Responsabilidade Corporativa)

CAMPANHA DE SUSTENTABILIDADE (mudança no título antes chamada de Campanha Indústria Farmacêutica & Iniciativas de Responsabilidade Corporativa) CAMPANHA DE SUSTENTABILIDADE (mudança no título antes chamada de Campanha Indústria Farmacêutica & Iniciativas de Responsabilidade Corporativa) A categoria SUSTENTABILIDADE é a antiga categoria Indústria

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília EDITAL Nº 007/RIFB, DE 28 DE ABRIL DE 2015.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília EDITAL Nº 007/RIFB, DE 28 DE ABRIL DE 2015. EDITAL Nº 007/RIFB, DE 28 DE ABRIL DE 2015. SELEÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS E VOLUNTARIADO EM INICIAÇÃO CIENTÍFICA NAS AÇÕES AFIRMATIVAS (ENSINO

Leia mais

REGULAMENTO DA SEMANA DA ENGENHARIA

REGULAMENTO DA SEMANA DA ENGENHARIA REGULAMENTO DA SEMANA DA ENGENHARIA A Coordenadora da Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros FACIT, no uso de suas atribuições regimentais, considerando que o projeto dos cursos de engenharia

Leia mais

PATRONAGE - ADMINISTRAÇÃO DE BOLSAS E AUXÍLIOS FAPEMA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E AO DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO DO MARANHÃO Rua

PATRONAGE - ADMINISTRAÇÃO DE BOLSAS E AUXÍLIOS FAPEMA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E AO DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO DO MARANHÃO Rua 1 Sumário INTRODUÇÃO... 3 1 COMO ACESSAR O PATRONAGE... 4 2 INFORMAÇÕES SOBRE O PROJETO... 5 3 PRESTAÇÃO DE CONTAS... 8 3.1 Execução do projeto... 8 3.2 Autorização de recursos (remanejamento de recurso,

Leia mais

FACULDADE CASTANHAL-FCAT COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FCAT

FACULDADE CASTANHAL-FCAT COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FCAT 1 FACULDADE CASTANHAL-FCAT COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FCAT Dispõe sobre a estruturação e operacionalização do Programa de Iniciação Científica

Leia mais

REGULAMENTO - PRÊMIO EDP INOVAÇÃO

REGULAMENTO - PRÊMIO EDP INOVAÇÃO REGULAMENTO - PRÊMIO EDP INOVAÇÃO 1. OBJETIVOS O Prêmio EDP Inovação é uma iniciativa da EDP Brasil, subsidiária da EDP Energias de Portugal, que visa incentivar a inovação, a sustentabilidade e o empreendedorismo

Leia mais

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2013 REGULAMENTO Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2013 é uma competição interna da Laureate International

Leia mais

Formulário de Apresentação de Proposta - TECNOVA PB

Formulário de Apresentação de Proposta - TECNOVA PB Formulário de Apresentação de Proposta - TECNOVA PB Secretaria de Recursos Hídricos, Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia - SERHMACT Fundação de Apoio à Pesquisa - FAPESQ Setembro/Outubro de 2013 TECNOVA

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

Como Criar uma Aula? Na página inicial do Portal do Professor, acesse ESPAÇO DA AULA: Ao entrar no ESPAÇO DA AULA, clique no ícone Criar Aula :

Como Criar uma Aula? Na página inicial do Portal do Professor, acesse ESPAÇO DA AULA: Ao entrar no ESPAÇO DA AULA, clique no ícone Criar Aula : Como Criar uma Aula? Para criar uma sugestão de aula é necessário que você já tenha se cadastrado no Portal do Professor. Para se cadastrar clique em Inscreva-se, localizado na primeira página do Portal.

Leia mais