Objetivos. Funcionamento

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Objetivos. Funcionamento"

Transcrição

1

2 A Ludoteca é um espaço organizado em função da criança, que pretende aliar a brincadeira à aprendizagem através do desenvolvimento de diversas atividades lúdico/pedagógicas, procurando incentivar a comunicação, a socialização, a criatividade e a capacidade de improviso das crianças, através de vasto conjunto de atividades criativas que abrangem diversas áreas: literatura, música, artes, expressão dramática, expressão plástica, reciclagem, costura, moda, culinária, dança, novas tecnologias, jogos tradicionais etc. Objetivos Deixar que as crianças brinquem com os jogos e brinquedos que elas mesmo escolhem em função do seu gosto. Aumentar a comunicação e melhorar a relação das crianças entre si e com os adultos em geral. Apoiar as crianças, a família e a escola. Proporcionar o acesso a uma maior diversidade de material lúdico. Realizar atividades de animação infantil. Realizar atividades criativas/ateliês. Funcionamento As inscrições são realizadas anualmente na Ludoteca durante o mês de junho, mediante a apresentação da seguinte documentação: Fotocópia do Cartão do Cidadão ou Bilhete de Identidade ou Cédula Pessoal. Caso não apresente o Cartão do Cidadão será necessária Fotocópia do Cartão de Contribuinte, do Cartão de Saúde e caso beneficie de outro sistema de saúde fotocópia do mesmo; Fotocópia do Boletim de Vacinas; Fotocópia do documento que comprove a matricula no Estabelecimento de Ensino do 1º Ciclo; Declaração da Entidade Patronal do Horário Laboral dos Pais; Preenchimento da ficha de Inscrição e Declaração da autorização de saída da criança da Ludoteca (acompanhada com a Fotocópia do Cartão 2

3 de Cidadão dos responsáveis que podem acompanhar a saída da criança); Renovação Declaração da Entidade Patronal do horário Laboral dos Pais; Renovação da ficha de inscrição e autorização de Saída da criança da Ludoteca (caso existam alterações acompanhada dos respetivos documentos). Atualmente a Ludoteca de Espiche tem a capacidade de 20 crianças por turno (manhã/tarde) e a Ludoteca de Odiáxere tem a lotação de 30 crianças. A seleção de crianças para a frequência na Ludoteca obedece aos seguintes critérios: Frequência na EB1 onde a Ludoteca está inserida; Necessidade de utilização da Ludoteca (Horário laboral dos Pais); Crianças que frequentaram o ano anterior a Ludoteca; Crianças com irmãos a frequentarem a Ludoteca. A Ludoteca funciona de segunda a sexta-feira, exceto feriados e tolerâncias de ponto. O horário é definido no início de cada ano letivo de forma a dar resposta às necessidades da família e da escola, tendo em conta os recursos disponíveis. Nos meses de julho e agosto o horário será estabelecido de acordo com as atividades a desenvolver. Sempre que for necessário alterar o horário da Ludoteca, este será informado com a maior brevidade possível aos encarregados de educação. Ludoteca encerra entre 23 e 31 de dezembro. Na eventualidade de surgir a necessidade da ludoteca encerrar temporariamente os encarregados de educação serão avisados com a máxima brevidade possível. A Ludoteca nas pausas letivas apenas funcionará com um número mínimo de 5 crianças. Sempre que a criança faltar por um período consecutivo superior a 15 dias, de forma injustificada, a sua inscrição será considerada anulada por falta de comparência, sendo o encarregado de educação notificado por escrito. Serão justificadas as faltas desde que comunicadas por escrito ou verbalmente. 3

4 Frequência A Ludoteca destina-se prioritariamente às crianças do 1 º Ciclo. As crianças só poderão frequentar a Ludoteca com autorização do respetivo encarregado de educação, mediante preenchimento e assinatura da Ficha de Inscrição. A autorização de frequência é efetivada pela Inscrição ou Renovação da mesma. Os encarregados de educação são responsáveis pela informação prestada no preenchimento da ficha de inscrição, bem como toda a informação complementar relativa ao seu filho(a). A frequência é livre e gratuita dentro do horário de funcionamento. Sempre que houver desistência ou falta prolongada esta deve ser informada logo que possível. Não há Apoio nos Trabalhos de Casa. Deveres da Ludoteca Garantir seguro de acidentes pessoais às crianças que frequentam a ludoteca. Assegurar o acompanhamento das crianças durante as atividades. A Ludoteca só é responsável por qualquer dano pessoal sofrido pela criança durante a sua participação nas atividades organizadas/dinamizadas pela mesma. Deveres dos Utentes da Ludoteca O cumprimento deste regulamento. As crianças devem respeitar as condições de frequência e as regras estabelecidas, sendo responsável pelos prejuízos causados à ludoteca ou a terceiros, podendo incorrer a pena de exclusão quando a sua ação tenha afetado o seu normal funcionamento. As crianças só poderão sair da Ludoteca acompanhadas pelos pais ou por quem eles previamente designarem, mediante o preenchimento de Declaração de Saída. Cumprir os horários de abertura e de encerramento da Ludoteca. 4

5 Passeios/Visitas Sempre que se verifiquem atividades lúdicas/pedagógicas, serão utilizados transportes cedidos pela Câmara Municipal e os pais informados com antecedência. A criança só poderá participar nas atividades exteriores com a autorização assinada pelo encarregado de educação. Pontualmente poderão ser desenvolvidas atividades que necessitem de uma comparticipação financeira por parte dos encarregados de educação (ex: participação em parques temáticos). Saúde Não é permitida a frequência de crianças doentes, a não ser no período que medeie a deteção da doença e o regresso a casa. Os pais sempre que suspeitarem que a criança está doente ou com febre não podem trazê-la para a ludoteca. Após um período de doença a criança regressará à ludoteca acompanhada de um certificado médico, sempre que necessário e que lhe seja solicitado. Em caso de piolhos a criança deverá permanecer em casa para tratamento e só regressar após efetuada a desparatização e respetiva limpeza, de modo a serem evitados contágios. Os encarregados de educação tem o dever de informar o responsável da ludoteca por qualquer problema de saúde do seu educando. Só podem ser administrados medicamentos às crianças mediante cópia de informação médica. Reuniões Serão realizadas sempre que haja necessidade e comunicadas com antecedência. Setembro de

Despacho nº 9265-B/2013

Despacho nº 9265-B/2013 Regulamento Interno da Componente de Apoio à Família (CAF) dos Jardim-deinfância e das Escola Básica 1 (EB1) da União de Freguesias de Nogueiró e Tenões 444 Ano Letivo 2014/15 Enquadramento...Quando as

Leia mais

EXTERNATO DO OLIVAL BASTO REGULAMENTO INTERNO ATL

EXTERNATO DO OLIVAL BASTO REGULAMENTO INTERNO ATL EXTERNATO DO OLIVAL BASTO REGULAMENTO INTERNO ATL CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS NORMA 1 Âmbito de aplicação O presente regulamento aplica-se à frequência no ATL do Externato do Olival Basto, Lda. NORMA

Leia mais

abla portugal 2012-2013 Jardim-de-Infância do Murtal

abla portugal 2012-2013 Jardim-de-Infância do Murtal abla portugal 2012-2013 Jardim-de-Infância do Murtal I Enquadramento Institucional A Associação de Beneficência Luso-Alemã é uma IPSS com sede no Junqueiro Carcavelos. Estabelecemos parceria com o Agrupamento

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA OLIVAIS EM FÉRIAS ANO 2015

REGULAMENTO DO PROGRAMA OLIVAIS EM FÉRIAS ANO 2015 REGULAMENTO DO PROGRAMA OLIVAIS EM FÉRIAS ANO 2015 Contactos da Junta de Freguesia Morada: Rua General Silva Freire, Lote C 1849-029 Lisboa Telefone: 21 854 06 90 Fax: 21 852 06 87 / 21 248 79 25 E-mail:

Leia mais

Programa Olivais em Férias

Programa Olivais em Férias Capítulo 90 Programa Olivais em Férias Ano 2015 MR.003.01.Vers.1.0.a Página 1 de 8 Conteúdo 1. Introdução... 3 2. Planeamento e Organização... 3 3. Inscrição... 3 3.1. Valor a pagar... 3 3.2. Fichas de

Leia mais

FICHA DE INSCRIÇÃO 2015/2016

FICHA DE INSCRIÇÃO 2015/2016 FICHA DE INSCRIÇÃO 2015/2016 1º Ciclo ESCALÃO FOTOGRFIA MENSALIDADE INSCRIÇÃO RENOVAÇÃO DATA DA INSCRIÇÃO: PREENCHER COM LETRAS MAIÚSCULAS COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA IDENTIFICAÇÃO DA CRIANÇA NOME DATA

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR FÉRIAS DA LIPOR 1. Considerações Gerais A Lipor, Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto, com sede em Baguim do Monte, concelho de Gondomar, realiza atividades de promoção e organização

Leia mais

Regulamento das Atividades de Animação e Apoio à Família (AAAF) Jardim de Infância António José de Almeida

Regulamento das Atividades de Animação e Apoio à Família (AAAF) Jardim de Infância António José de Almeida Regulamento das Atividades de Animação e Apoio à Família (AAAF) Jardim de Infância António José de Almeida Artigo 1º Enquadramento As atividades letivas com as educadoras no Jardim de Infância António

Leia mais

Regulamento Interno 2013 / 2014. www.luacrescente.pt geral@luacrescente.pt 21 852 00 43-96 5555 727

Regulamento Interno 2013 / 2014. www.luacrescente.pt geral@luacrescente.pt 21 852 00 43-96 5555 727 Regulamento Interno 2013 / 2014 www.luacrescente.pt geral@luacrescente.pt 21 852 00 43-96 5555 727 REGULAMENTO INTERNO 2013 / 2014 ESCOLA LUA CRESCENTE (Creche, Jardim de Infância e ATL) I NATUREZA E OBJECTIVOS

Leia mais

Regulamentos Internos

Regulamentos Internos Regulamentos Internos INFÂNCIA: Período para a construção de alicerces da personalidade de cada criança: Aprendendo a CONHECER, Aprendendo a FAZER, Aprendendo a SER C A I Q U E Ano Letivo 2015/16 1. VALÊNCIAS

Leia mais

REGULAMENTO 2014/2015. 1.1 A frequência nas várias valências depende da prévia inscrição a efetuar pelos pais ou pessoas que as tenham a cargo.

REGULAMENTO 2014/2015. 1.1 A frequência nas várias valências depende da prévia inscrição a efetuar pelos pais ou pessoas que as tenham a cargo. REGULAMENTO 2014/2015 1- ADMISSÃO DE CRIANÇAS 1.1 A frequência nas várias valências depende da prévia inscrição a efetuar pelos pais ou pessoas que as tenham a cargo. 1.2 A instituição dispõe de 3 valências,

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR (A.E.C.)

REGIMENTO DO PROGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR (A.E.C.) REGIMENTO DO PROGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR (A.E.C.) A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S D E B E N A V E N T E INTRODUÇÃO Tendo por base os normativos legais

Leia mais

Normas DE. Atividades de Animação e Apoio à Família e Componente de Apoio à Família. Estabelecimentos de Educação e Ensino da Freguesia de Benfica

Normas DE. Atividades de Animação e Apoio à Família e Componente de Apoio à Família. Estabelecimentos de Educação e Ensino da Freguesia de Benfica Normas DE FuNcioNamENto Atividades de Animação e Apoio à Família e Componente de Apoio à Família Estabelecimentos de Educação e Ensino da Freguesia de Benfica O presente documento apresenta-se como um

Leia mais

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA - 2013/14. FUNCIONAMENTO: refeições, prolongamento horário, férias em movimento

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA - 2013/14. FUNCIONAMENTO: refeições, prolongamento horário, férias em movimento COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA - 2013/14 FUNCIONAMENTO: refeições, prolongamento horário, férias em movimento Objeto e âmbito de aplicação O presente documento visa regular o funcionamento da Componente

Leia mais

Componente de Apoio à Família

Componente de Apoio à Família Capítulo 056 Componente de Apoio à Família MR.003.01.Vers.1.0.a Página 1 de 11 Conteúdo 1. Introdução... 3 2. Planeamento e organização... 3 3. Funcionamento... 4 3.1. Períodos da CAF... 4 3.2. Horários

Leia mais

Capítulo 1 - Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF)

Capítulo 1 - Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF) Capítulo 1 - Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF) Norma I Enquadramento Institucional A ABLA é uma IPSS e ONGD de inspiração cristã evangélica criada em 1984 por beneméritos alemães. A Associação

Leia mais

Natal na desportiva NORMAS DE PARTICIPAÇÃO

Natal na desportiva NORMAS DE PARTICIPAÇÃO Natal na desportiva 2015 NORMAS DE PARTICIPAÇÃO CML/DRIC/2015 Alvará 694 I. Apresentação e objetivos 1. Entidade Promotora e Organizadora - Município de Loures 1 a) O Programa de Ocupação de Tempos Livres

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR 1 1. Considerações Gerais A Lipor, Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto, com sede em Baguim do Monte, concelho de Gondomar,

Leia mais

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA/ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E DE APOIO À FAMILIA - 2015/16

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA/ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E DE APOIO À FAMILIA - 2015/16 COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA/ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E DE APOIO À FAMILIA - 2015/16 FUNCIONAMENTO: refeições, prolongamento horário, férias divertidas Objeto e âmbito de aplicação O presente documento

Leia mais

Normas de participação

Normas de participação Verão com desafios 2015 Normas de participação I. Apresentação e objetivos 1. Entidade promotora e organizadora - Município de Loures 1 a) O programa de Ocupação de Tempos Livres Verão com Desafios é promovido

Leia mais

REGULAMENTO ESCOLA DE FUTEBOL OS AFONSINHOS Época 2013/2014. Artigo 1º (Entidade reguladora)

REGULAMENTO ESCOLA DE FUTEBOL OS AFONSINHOS Época 2013/2014. Artigo 1º (Entidade reguladora) REGULAMENTO ESCOLA DE FUTEBOL OS AFONSINHOS Época 2013/2014 Artigo 1º (Entidade reguladora) A entidade reguladora da Escola de Futebol Os Afonsinhos é o departamento de futebol formação do Vitória Sport

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE CAMPOS DE FÉRIAS. Nota Justificativa

REGULAMENTO INTERNO DE CAMPOS DE FÉRIAS. Nota Justificativa REGULAMENTO INTERNO DE CAMPOS DE FÉRIAS Nota Justificativa A organização de campos de férias destinados a crianças e jovens é uma das actividades centrais da política do município da Moita na área da juventude

Leia mais

NORMAS DE PARTICIPAÇÃO DO PROGRAMA DE MINI FÉRIAS DE VERÃO - 2015

NORMAS DE PARTICIPAÇÃO DO PROGRAMA DE MINI FÉRIAS DE VERÃO - 2015 NORMAS DE PARTICIPAÇÃO DO PROGRAMA DE MINI FÉRIAS DE VERÃO - 2015 A criação do Programa de Mini Férias de Verão 2015 foi pensada para o fortalecimento e melhoramento da qualidade de vida dos munícipes,

Leia mais

COOPERATIVA DE ENSINO DE BENFICA, C.R.L. NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA CEBE NO ANO LETIVO 2015/2016

COOPERATIVA DE ENSINO DE BENFICA, C.R.L. NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA CEBE NO ANO LETIVO 2015/2016 NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA CEBE NO ANO LETIVO 2015/2016 1. FREQUÊNCIA 1.1. A frequência da CEBE está condicionada a que um dos pais e/ou encarregado de educação da criança se tornem sócios da CEBE, para

Leia mais

Regulamento da Creche da Assembleia da República

Regulamento da Creche da Assembleia da República Regulamento da Creche da Assembleia da República Despacho n.º 855/2005, de 23 de novembro de 2004 publicado no Diário da República, II Série, n.º 9, de 13 de janeiro de 2005 com as alterações introduzidas

Leia mais

REGULAMENTO ESCOLA DE FUTEBOL OS AFONSINHOS Época 2015/2016. Artigo 1º (Entidade reguladora)

REGULAMENTO ESCOLA DE FUTEBOL OS AFONSINHOS Época 2015/2016. Artigo 1º (Entidade reguladora) REGULAMENTO ESCOLA DE FUTEBOL OS AFONSINHOS Época 2015/2016 Artigo 1º (Entidade reguladora) A entidade reguladora da Escola de Futebol Os Afonsinhos é Academia do Vitória Sport Clube. Artigo 2º (Destinatários)

Leia mais

NORMAS PARA A ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DAS ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E APOIO À FAMÍLIA NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

NORMAS PARA A ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DAS ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E APOIO À FAMÍLIA NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR NORMAS PARA A ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DAS ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E APOIO À FAMÍLIA NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Aprovação em Conselho Municipal de Educação 10 de março de 2015 Aprovação em Reunião de Câmara 25

Leia mais

PROGRAMA NORMAS DE PARTICIPAÇÃO 2015

PROGRAMA NORMAS DE PARTICIPAÇÃO 2015 PROGRAMA NORMAS DE PARTICIPAÇÃO 2015 I DESTINATÁRIOS O Programa de Ocupação de Jovens, promovido pela Câmara Municipal de Cascais, através da Divisão de Promoção de Emprego (DPRE), destina-se a jovens

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO 2007-2008

REGULAMENTO INTERNO 2007-2008 REGULAMENTO INTERNO 2007-2008 Regulamento Interno Ano Lectivo 2007/2008 1. Admissão 1.1. O colégio admite crianças com idades entre os 3 meses e os 6 anos. 1.2. No acto da inscrição são necessários os

Leia mais

FICHA DE RENOVAÇÃO DE INSCRIÇÃO

FICHA DE RENOVAÇÃO DE INSCRIÇÃO FICHA DE RENOVAÇÃO DE INSCRIÇÃO Data de Inscrição / / Admissão em / / Sala: Renovação em / / Sala: Saída em / / N.º Aluno DADOS DA CRIANÇA Nome Completo: Nome por que é tratado: Sexo: F M Data de Nascimento:

Leia mais

MUNICÍPIO DE MIRANDA DO DOURO. Férias ativas. Regulamento interno

MUNICÍPIO DE MIRANDA DO DOURO. Férias ativas. Regulamento interno MUNICÍPIO DE MIRANDA DO DOURO Férias ativas Regulamento interno PREÂMBULO No uso da competência prevista pelos artigos 112º, n.º 8, e 241º da Constituição da República Portuguesa, e conferida pela alínea

Leia mais

RIBA CÔA CENTRO INFANTIL

RIBA CÔA CENTRO INFANTIL RIBA CÔA CENTRO INFANTIL INTERNO R E G U L A M E N T O Santa Casa da Misericórdia do Sabugal Capítulo I Geral Artigo 1º 1. O Centro Infantil Riba Côa é uma instituição particular de assistência à infância

Leia mais

Regulamento Geral. As matrículas devem ser efetuadas o mais tardar até 15 de Setembro. As inscrições feitas em Junho e Julho beneficiam de desconto.

Regulamento Geral. As matrículas devem ser efetuadas o mais tardar até 15 de Setembro. As inscrições feitas em Junho e Julho beneficiam de desconto. Regulamento Geral Matrícula: Para efetuar a matrícula é necessário: Bilhete de Identidade ou Cartão de Cidadão 1 Fotografia Pagamento da matrícula As matrículas devem ser efetuadas o mais tardar até 15

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO 2010-2011

REGULAMENTO INTERNO 2010-2011 REGULAMENTO INTERNO 2010-2011 1. Admissão e lotação 1.1. O colégio admite crianças com idades entre os 4 meses e os 6 anos. 1.2. A lotação da creche (dos 4 meses aos 3 anos) é de 56 crianças distribuídas

Leia mais

ESCOLA DE MÚSICA Mértola tem Melodia

ESCOLA DE MÚSICA Mértola tem Melodia ESCOLA DE MÚSICA Mértola tem Melodia Regulamento 2014/2015 O presente Regulamento estabelece as regras gerais de funcionamento da Escola de Música Mértola tem Melodia (MTM) e tem a vigência de Setembro

Leia mais

Jovens residentes ou estudantes no Município de Cascais e com idade compreendida entre os 15 e os 25 anos (à data de início do projeto).

Jovens residentes ou estudantes no Município de Cascais e com idade compreendida entre os 15 e os 25 anos (à data de início do projeto). 1. OBJECTIVOS Promover a ocupação saudável do tempo livre dos jovens no período de Verão, fomentando o seu desenvolvimento pessoal, pela aproximação com as realidades locais, o contato com o mundo do trabalho

Leia mais

REGULAMENTO de. do MUNICÍPIO DE VIZELA TRANSPORTES ESCOLARES MUNICÍPIO DE VIZELA

REGULAMENTO de. do MUNICÍPIO DE VIZELA TRANSPORTES ESCOLARES MUNICÍPIO DE VIZELA REGULAMENTO de TRANSPORTES ESCOLARES do MUNICÍPIO DE VIZELA MUNICÍPIO DE VIZELA ÍNDICE Preâmbulo 2 Artigo 1.º Lei habilitante 3 Artigo 2.º Princípios gerais 3 Artigo 3.º Âmbito 3 Artigo 4.º Organização

Leia mais

FICHA DE PRÉ-INSCRIÇÃO MOD.092/1

FICHA DE PRÉ-INSCRIÇÃO MOD.092/1 DATA DE PRÉ-INSCRIÇÃO:. / /20 DATA PREVISTA DE ENTRADA:. / /20 DATA EFECTIVA DE ENTRADA:. / /20 1. IDENTIFICAÇÃO PESSOAL Nome Morada Código-postal N.º Telefone Idade BI/CC N.º Beneficiário SS Email Data

Leia mais

RI AEV assiduidade alunos CGT versão consulta pública Página 1

RI AEV assiduidade alunos CGT versão consulta pública Página 1 Artigo 54.º Faltas do aluno do ensino pré-escolar 1. No ensino pré-escolar, o conceito de falta aplica-se quando a criança não comparece durante todo o dia no Jardim de Infância ou nas atividades previstas

Leia mais

Normas do Banco de Manuais Escolares do Município de Ponte de Lima

Normas do Banco de Manuais Escolares do Município de Ponte de Lima Normas do Banco de Manuais Escolares do Município de Ponte de Lima O projeto Banco de Manuais Escolares do Município de Ponte de Lima tem como propósito fomentar a partilha de manuais escolares, mediante

Leia mais

EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA - INFANTIL ANO LECTIVO 2012/2013 REGULAMENTO I - NOÇÕES INTRODUTÓRIAS

EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA - INFANTIL ANO LECTIVO 2012/2013 REGULAMENTO I - NOÇÕES INTRODUTÓRIAS EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA - INFANTIL ANO LECTIVO 2012/2013 REGULAMENTO I - NOÇÕES INTRODUTÓRIAS 1- O Externato João Alberto Faria - Infantil destina-se a crianças com idades entre os 3 anos (feitos

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014. Série. Número 27

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014. Série. Número 27 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014 Série Sumário SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS Portaria n.º 16/2014 Aprova o Regulamento do Programa Jovem

Leia mais

A Educação, conceito que tem sido objecto de múltiplas definições, constitui um processo centrado na pessoa integral do educando, que importa

A Educação, conceito que tem sido objecto de múltiplas definições, constitui um processo centrado na pessoa integral do educando, que importa A Educação, conceito que tem sido objecto de múltiplas definições, constitui um processo centrado na pessoa integral do educando, que importa promover em todas as dimensões e potencialidades. I NORMAS

Leia mais

Regulamento das Creches e Jardins-de-Infância dos Serviços Sociais da Câmara Municipal de Lisboa

Regulamento das Creches e Jardins-de-Infância dos Serviços Sociais da Câmara Municipal de Lisboa Regulamento das Creches e Jardins-de-Infância dos Serviços Sociais da Câmara Municipal de Lisboa Capitulo I Objecto Art.º 1.º Âmbito e objecto O presente regulamento é aplicável ao funcionamento das creches

Leia mais

MATRÍCULAS ANO LETIVO 2015/2016. Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares

MATRÍCULAS ANO LETIVO 2015/2016. Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares ANO LETIVO 2015/2016 MATRÍCULAS Escola Secundária da Baixa da Banheira Praceta Maria Helena Vieira da Silva 2835-220 Vale da Amoreira Tlf.: 21 209 99 70 Fax:

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO 2012-2013

REGULAMENTO INTERNO 2012-2013 REGULAMENTO INTERNO 2012-2013 2 1. Admissão e lotação 1.1. O colégio admite crianças com idades entre os 4 meses e os 6 anos. 1.2. A lotação da creche (dos 4 meses aos 3 anos) é de 56 crianças distribuídas

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOS CENTROS DE ACTIVIDADES E TEMPOS LIVRES (ATL)

REGULAMENTO INTERNO DOS CENTROS DE ACTIVIDADES E TEMPOS LIVRES (ATL) Associação de Pais ou Encarregados de Educação do Agrupamento de Escolas Moinhos da Arroja REGULAMENTO INTERNO DOS CENTROS DE ACTIVIDADES E TEMPOS LIVRES (ATL) Índice Página Capítulo I Disposições Gerais

Leia mais

PROGRAMA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES EDUCATIVAS - 2ºCICLO

PROGRAMA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES EDUCATIVAS - 2ºCICLO REGULAMENTO INTERNO PROGRAMA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES EDUCATIVAS - 2ºCICLO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. FILIPA DE LENCASTRE Artigo 1º Finalidade O presente Regulamento tem por finalidade estabelecer as

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA CRECHE CRECHE. Enquadramento

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA CRECHE CRECHE. Enquadramento CRECHE Enquadramento A actual organização dos modos de vida familiar, tendo em conta a crescente integração da mulher no mercado de trabalho, tem vindo a acentuar a necessidade de criação de estruturas

Leia mais

EDITAL SEEC Nº. 01/2013

EDITAL SEEC Nº. 01/2013 ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE COCAL DO SUL SECRETARIA DE EDUCAÇÃO, ESPORTE E CULTURA EDITAL SEEC Nº. 01/2013 Dispõe sobre as diretrizes de matrícula para o ano letivo de 2014, nas instituições

Leia mais

ENQUADRAMENTO E DISPOSIÇÕES COMUNS AOS JARDINS-DE-INFANCIA DO AGRUPAMENTO JOSÉ MARIA DOS SANTOS EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

ENQUADRAMENTO E DISPOSIÇÕES COMUNS AOS JARDINS-DE-INFANCIA DO AGRUPAMENTO JOSÉ MARIA DOS SANTOS EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR ENQUADRAMENTO E DISPOSIÇÕES COMUNS AOS JARDINS-DE-INFANCIA DO AGRUPAMENTO JOSÉ MARIA DOS SANTOS EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR A educação pré-escolar destina-se às crianças com idades compreendidas entre os três

Leia mais

MANUAL: Transportes escolares

MANUAL: Transportes escolares MUNICÍPIO DE OEIRAS DECPC Divisão de Educação MANUAL: Transportes escolares Conforme o Plano de Atribuição de Auxílios Económicos no Âmbito da Ação Social Escolar, aprovado pela Assembleia Municipal em

Leia mais

Regulamento Ser Cientista

Regulamento Ser Cientista 1 Regulamento Ser Cientista 1- Objetivos 1.1 - "Ser Cientista" é um programa que tem por objetivo proporcionar aos alunos do ensino secundário uma aproximação à realidade da investigação científica pela

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO INTERNO

NORMAS DE FUNCIONAMENTO INTERNO NORMAS DE FUNCIONAMENTO INTERNO BUS Solidário e Loja Solidária Junta de Freguesia de Encosta do Sol Capítulo I Disposições Gerais Artigo I Enquadramento No âmbito das atribuições que lhe são cometidas

Leia mais

Regulamento do Seguro Escolar

Regulamento do Seguro Escolar Regulamento do Seguro Escolar O presente documento constitui o Regulamento do Seguro Escolar a estabelecer no Colégio de S. Pedro e tem por base a legislação em vigor, nomeadamente, a Portaria n.º413/99,

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROJECTO Gai@prende+ REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROJETO GAI@PRENDE+

REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROJECTO Gai@prende+ REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROJETO GAI@PRENDE+ REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROJETO GAI@PRENDE+ 2 PREÂMBULO A educação é um instrumento fundamental para assegurar uma sociedade do conhecimento e um melhor entendimento do mundo, para o garante de uma cidadania

Leia mais

DIVISÃO DE EDUCAÇÃO, CULTURA E COESÃO SOCIAL SETOR SERVIÇOS EDUCATIVOS

DIVISÃO DE EDUCAÇÃO, CULTURA E COESÃO SOCIAL SETOR SERVIÇOS EDUCATIVOS DIVISÃO DE EDUCAÇÃO, CULTURA E COESÃO SOCIAL SETOR SERVIÇOS EDUCATIVOS EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR ANO LETIVO 2015/2016 I APRESENTAÇÃO A educação pré-escolar contribui de forma significativa para o desenvolvimento

Leia mais

Resposta Social Creche

Resposta Social Creche Fundação Manuel Francisco Clérigo Instituição Particular de Solidariedade Social Caro(a) novo(a) utente GUIA DE ACOLHIMENTO Resposta Social Creche É com o maior prazer que lhe damos as boas vindas, como

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA VALÊNCIA DE CRECHE

REGULAMENTO INTERNO DA VALÊNCIA DE CRECHE REGULAMENTO INTERNO DA VALÊNCIA DE CRECHE I - OBJETIVOS ARTº 1 - O Regulamento Interno visa ordenar e reger a vida interna da Instituição, ao nível da valência de Creche, para que todos possam colaborar

Leia mais

REGULAMENTO DO INFANTÁRIO DE NOSSA SENHORA DA PURIFICAÇÃO (Creche)

REGULAMENTO DO INFANTÁRIO DE NOSSA SENHORA DA PURIFICAÇÃO (Creche) REGULAMENTO DO INFANTÁRIO DE NOSSA SENHORA DA PURIFICAÇÃO (Creche) SITE: www.infantarionspurificacao.net (Revisto em Novembro de 2014) REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO (CRECHE) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

REGULAMENTO DO INFANTÁRIO DE NOSSA SENHORA DA PURIFICAÇÃO (Creche)

REGULAMENTO DO INFANTÁRIO DE NOSSA SENHORA DA PURIFICAÇÃO (Creche) REGULAMENTO DO INFANTÁRIO DE NOSSA SENHORA DA PURIFICAÇÃO (Creche) SITE: www.infantarionspurificacao.net (Revisto em Julho de 2012) REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO (CRECHE) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 8 de março de 2013. Série. Número 32

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 8 de março de 2013. Série. Número 32 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 8 de março de 2013 Série Sumário SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS Portaria n.º 19/2013 Aprova o Programa Juventude Ativa. 2 8 de

Leia mais

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE PONTE DE LIMA SERVIÇO DE VOLUNTARIADO. Índice

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE PONTE DE LIMA SERVIÇO DE VOLUNTARIADO. Índice REGULAMENTO INTERNO Índice Preâmbulo...... 3 Artigo 1º - Âmbito de aplicação........ 3 Artigo 2º - Definição......... 3 Artigo 3º - Princípios enquadradores do voluntariado...... 4 Artigo 4º - Perfil do

Leia mais

Autorizado pela Resolução n 05/2010, de 22 de fevereiro de 2010

Autorizado pela Resolução n 05/2010, de 22 de fevereiro de 2010 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO MÉDIA E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSA AUXÍLIO PERMANÊNCIA AO EDUCANDO PROEJA Autorizado pela Resolução n 05/2010,

Leia mais

Colónias de Férias Infantil REGULAMENTO INTERNO

Colónias de Férias Infantil REGULAMENTO INTERNO Colónias de Férias Infantil REGULAMENTO INTERNO Capítulo I Disposições Gerais Artigo I Âmbito As normas definidas no presente Regulamento Interno visam estabelecer as condições de funcionamento da Colónia

Leia mais

CENTRO DE DIA REGULAMENTO INTERNO

CENTRO DE DIA REGULAMENTO INTERNO CENTRO DE DIA REGULAMENTO INTERNO 1 - ADMISSÃO Os utentes são admitidos no Centro de Dia pelo responsável da área social do Lar e Centro de Dia da Santa Casa da Misericórdia de Machico, em conformidade

Leia mais

Rua Moreira e Costa, 531 Ipiranga CEP 04266 010 São Paulo SP Tel.: (11) 3013 0320 Fax: (11) 3013 0366 www.sanfra.g12.

Rua Moreira e Costa, 531 Ipiranga CEP 04266 010 São Paulo SP Tel.: (11) 3013 0320 Fax: (11) 3013 0366 www.sanfra.g12. Rua Moreira e Costa, 531 Ipiranga CEP 04266 010 São Paulo SP Tel.: (11) 3013 0320 Fax: (11) 3013 0366 www.sanfra.g12.br M I S S Ã O O Colégio São Francisco Xavier, da Rede Jesuíta de Educação, tem como

Leia mais

Normas de Funcionamento - CRECHE MUNICIPAL O OURICINHO -

Normas de Funcionamento - CRECHE MUNICIPAL O OURICINHO - Normas de Funcionamento - CRECHE MUNICIPAL O OURICINHO - Preâmbulo Considerando o indispensável papel da família na nossa sociedade e reconhecendo a importância da ação municipal no âmbito da definição

Leia mais

PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG EDITAL DE SELEÇÃO PARA INGRESSO DE ALUNOS EM CURSOS OFERTADOS PELO SENAC

PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG EDITAL DE SELEÇÃO PARA INGRESSO DE ALUNOS EM CURSOS OFERTADOS PELO SENAC PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG EDITAL DE SELEÇÃO PARA INGRESSO DE ALUNOS EM CURSOS OFERTADOS PELO SENAC O SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO PARÁ, SENAC/PA, no uso

Leia mais

Regulamento Interno Actividades Tempos Livres ATL AGUARELA

Regulamento Interno Actividades Tempos Livres ATL AGUARELA Regulamento Interno Actividades Tempos Livres ATL AGUARELA Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Básica Nº 4 e Jardim de Infância Nº 3 de Alverca do Ribatejo INDICE 1. Objecto 2. Local

Leia mais

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE S.JOÃO DA MADEIRA REGULAMENTO INTERNO CRECHES

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE S.JOÃO DA MADEIRA REGULAMENTO INTERNO CRECHES Artigo 1º Âmbito 1. Este regulamento aplica-se às respostas sociais de Creche do Abrigo Infantil das Laranjeiras e da Creche Alberto Manuel de Aguiar Pacheco, equipamentos sociais que são propriedade da

Leia mais

PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG EDITAL DE SELEÇÃO PARA INGRESSO DE ALUNOS EM CURSOS OFERTADOS PELO SENAC

PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG EDITAL DE SELEÇÃO PARA INGRESSO DE ALUNOS EM CURSOS OFERTADOS PELO SENAC PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG EDITAL DE SELEÇÃO PARA INGRESSO DE ALUNOS EM CURSOS OFERTADOS PELO SENAC O SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO PARÁ, SENAC/PA, no uso

Leia mais

CÂMARA DO COMÉRCIO DE ANGRA DO HEROÍSMO. Associação Empresarial das ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge

CÂMARA DO COMÉRCIO DE ANGRA DO HEROÍSMO. Associação Empresarial das ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge NOVAS MEDIDAS DE APOIO AO EMPREGO Programa ESTAGIAR L, T e U (Resolução do Conselho de Governo nº 100/2015 de 15/07/2015) OBJETO O plano de estágios ESTAGIAR desenvolve-se em três programas: a) O ESTAGIAR

Leia mais

I Prémio Jovens Talentos. Regulamento

I Prémio Jovens Talentos. Regulamento 1 I Prémio Jovens Talentos Regulamento 1. Introdução O presente concurso tem como objectivo estimular o aparecimento e divulgação de novos talentos, no domínio cultural e artístico, dos jovens Bracarenses

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA MUNICIPAL

REGULAMENTO DO PROGRAMA MUNICIPAL REGULAMENTO DO PROGRAMA MUNICIPAL FÉRIAS DIVERTIDAS Página 1 de 13 ÍNDICE PREÂMBULO... 3 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS..4 CAPÍTULO II PROGRAMA..5 CAPÍTULO III INSCRIÇÕES...5 CAPÍTULO IV ENTIDADE PROMOTORA..

Leia mais

NORMAS E CRITÉRIOS DE CONCESSÃO DE AUXILIOS ECONÓMICOS ACÇÃO SOCIAL ESCOLAR DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO

NORMAS E CRITÉRIOS DE CONCESSÃO DE AUXILIOS ECONÓMICOS ACÇÃO SOCIAL ESCOLAR DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO NORMAS E CRITÉRIOS DE CONCESSÃO DE AUXILIOS ECONÓMICOS ACÇÃO SOCIAL ESCOLAR DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO NORMAS E CRITÉRIOS DE CONCESSÃO DE AUXILIOS ECONÓMICOS OBJECTIVOS O Decreto-lei 55/2009 estabelece

Leia mais

Regulamento da Candidatura através dos Concursos Especiais. Ano Letivo 2013/2014

Regulamento da Candidatura através dos Concursos Especiais. Ano Letivo 2013/2014 Regulamento da Candidatura através dos Concursos Especiais (Decreto-Lei nº393-b/99, de 2 de outubro, alterado pelo Decreto-lei nº64/2006, de 21 de março, pelo Decreto-Lei nº88/2006, de 23 de maio, e pela

Leia mais

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade internacional para estágio dos estudantes de Licenciatura

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA VALÊNCIA DE JARDIM DE INFÂNCIA

REGULAMENTO INTERNO DA VALÊNCIA DE JARDIM DE INFÂNCIA REGULAMENTO INTERNO DA VALÊNCIA DE JARDIM DE INFÂNCIA I - OBJETIVOS ARTº 1 - O Regulamento Interno visa ordenar e reger a vida interna da instituição, ao nível da valência de Jardim de Infância, para que

Leia mais

MUNICÍPIO DE ALCANENA CÂMARA MUNICIPAL. Regulamento Cartão Sénior Municipal

MUNICÍPIO DE ALCANENA CÂMARA MUNICIPAL. Regulamento Cartão Sénior Municipal Regulamento Cartão Sénior Municipal Artigo 1º Objeto 1- O Cartão Sénior Municipal é um cartão emitido pela Câmara Municipal de Alcanena que tem como destinatários os cidadãos residentes no concelho de

Leia mais

Nota Justificativa. Regulamento Municipal para os Serviços de Apoio à Família Prolongamento de Horário 1

Nota Justificativa. Regulamento Municipal para os Serviços de Apoio à Família Prolongamento de Horário 1 REGULAMENTO MUNICIPAL PARA AS ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E DE APOIO À FAMÍLIA PROLONGAMENTO DE HORÁRIO NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA DO CONCELHO DE OEIRAS Nota Justificativa

Leia mais

FAQ's - Preparação da mobilidade e questões logísticas do intercâmbio

FAQ's - Preparação da mobilidade e questões logísticas do intercâmbio FAQ's - Preparação da mobilidade e questões logísticas do intercâmbio 1. Devo matricular-me na UAc mesmo indo para o estrangeiro? 2. Tenho de pagar propinas na UAc? 3. Tenho que pagar propinas na Universidade

Leia mais

Procedimentos Matrículas e Inscrições 2015/2016 1.º ciclo - Licenciatura

Procedimentos Matrículas e Inscrições 2015/2016 1.º ciclo - Licenciatura Instituto Politécnico de Beja Procedimentos Matrículas e Inscrições 2015/2016 1.º ciclo - Licenciatura Serviços Académicos (Sector I) Introdução O presente documento constitui um breve guia que visa ajudar

Leia mais

REGULAMENTO CAMPOS DE FÉRIAS 2015 OBJETIVO

REGULAMENTO CAMPOS DE FÉRIAS 2015 OBJETIVO REGULAMENTO CAMPOS DE FÉRIAS 2015 OBJETIVO É objetivo dos Campos de Férias do Pony Club do Porto proporcionar iniciativas exclusivamente destinadas a crianças com idades compreendidas entre os 5 e os 12

Leia mais

PREÂMBULO REGULAMENTO DO

PREÂMBULO REGULAMENTO DO PREÂMBULO Sendo uma das atribuições das Câmaras Municipais promover, apoiando ou comparticipando, o desenvolvimento de actividades de interesse social que, de alguma forma, sirvam os interesses e necessidades

Leia mais

De forma a melhor adequar os objetivos das atividades às expectativas, necessidades e motivações dos jovens

De forma a melhor adequar os objetivos das atividades às expectativas, necessidades e motivações dos jovens O GO UP! Dão Lafões Summer Camp é um campo de férias, organizado pela CIMRDL Comunidade Intermunicipal da Região Dão Lafões, em regime residencial com a duração de 5 dias que pretende, de uma forma dinâmica

Leia mais

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO JOVEM EQUIPA DE VIGILÂNCIA FLORESTAL 2015. Artigo 1º Âmbito e definição

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO JOVEM EQUIPA DE VIGILÂNCIA FLORESTAL 2015. Artigo 1º Âmbito e definição PROGRAMA DE VOLUNTARIADO JOVEM EQUIPA DE VIGILÂNCIA FLORESTAL 2015 Artigo 1º Âmbito e definição 1. As presentes normas instituem e regulam o Programa de Voluntariado Jovem para operacionalização da Equipa

Leia mais

* FICHA DE INSCRIÇÃO/ MATRÍCULA *

* FICHA DE INSCRIÇÃO/ MATRÍCULA * * FICHA DE INSCRIÇÃO/ MATRÍCULA * Resposta Social: Ano Letivo: / A preencher pela MSPS Data de entrada: / / N.º de inscrição: N.º de ordem de recepção: / / Nº do processo Individual: IDENTIFICAÇÃO DA CRIANÇA

Leia mais

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE MIRANDELA REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE INFÂNCIA O MIMINHO

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE MIRANDELA REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE INFÂNCIA O MIMINHO REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE INFÂNCIA O MIMINHO 1 º A Creche têm por fim satisfazer as necessidades das crianças nas diferentes etapas do seu desenvolvimento, entre os quatro meses de idade e 3 anos.

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS ORGANIZADOS PELA UNIÃO DAS FREGUESIAS DO CACÉM E SÃO MARCOS - SINTRA REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS ORGANIZADOS PELA UNIÃO DAS FREGUESIAS DO CACÉM E SÃO

Leia mais

PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG EDITAL DE SELEÇÃO PARA INGRESSO DE ALUNOS EM CURSOS OFERTADOS PELO SENAC

PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG EDITAL DE SELEÇÃO PARA INGRESSO DE ALUNOS EM CURSOS OFERTADOS PELO SENAC PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG EDITAL DE SELEÇÃO PARA INGRESSO DE ALUNOS EM S OFERTADOS PELO SENAC O SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO PARÁ, SENAC/PA, no uso de suas

Leia mais

Regulamento dos Cursos de Língua Estrangeira da Universidade de Trásos-Montes

Regulamento dos Cursos de Língua Estrangeira da Universidade de Trásos-Montes Regulamento dos Cursos de Língua Estrangeira da Universidade de Trásos-Montes e Alto Douro Artigo 1º Objeto O presente regulamento define um conjunto de normas e orientações dos Cursos de Língua Estrangeira

Leia mais

PROJETO DE ANIMAÇÃO SOCIOEDUCATIVA

PROJETO DE ANIMAÇÃO SOCIOEDUCATIVA PROJETO DE ANIMAÇÃO SOCIOEDUCATIVA Agrupamento de Escolas do Bonfim Portalegre, 17 março 2014 Projeto de: Beatriz André Índice Visão geral ------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Regulamento da Creche da Assembleia da República

Regulamento da Creche da Assembleia da República Regulamento da Creche da Assembleia da República Despacho n.º 855/2005, de 23 de novembro de 2004 publicado no Diário da República, II Série, n.º 9, de 13 de janeiro de 2005 com as alterações introduzidas

Leia mais

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE MORA REGULAMENTO PARA A CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE MORA REGULAMENTO PARA A CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE MORA REGULAMENTO PARA A CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO No âmbito da sua ação sócio-cultural e educacional, a Santa Casa da Misericórdia de Mora decidiu atribuir bolsas de estudo

Leia mais

Regulamento Seguro Escolar

Regulamento Seguro Escolar Regulamento Seguro Escolar O seguro escolar, enquanto sistema de apoio socioeconómico aos alunos, no âmbito da ASE, atua como complemento à assistência assegurada por outros sistemas públicos e privados

Leia mais

EDITAL Nº 29 de 20 de junho de 2014: RETIFICAÇÃO do EDITAL Nº55, de 02 de dezembro de 2013, DOS AUXÍLIOS ESTUDANTIS DO PERÍODO LETIVO DE 2014

EDITAL Nº 29 de 20 de junho de 2014: RETIFICAÇÃO do EDITAL Nº55, de 02 de dezembro de 2013, DOS AUXÍLIOS ESTUDANTIS DO PERÍODO LETIVO DE 2014 EDITAL Nº 29 de 20 de junho de 2014: RETIFICAÇÃO do EDITAL Nº55, de 02 de dezembro de 2013, DOS AUXÍLIOS ESTUDANTIS DO PERÍODO LETIVO DE 2014 O Diretor geral do do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

1. DAS VAGAS 1.1. A tabela abaixo representa o número de vagas oferecidas para o curso, município de oferta, respectivo turno e carga horária.

1. DAS VAGAS 1.1. A tabela abaixo representa o número de vagas oferecidas para o curso, município de oferta, respectivo turno e carga horária. EDITAL Nº 006 /2013 ABERTURA DE INSCRIÇÕES NO PROGRAMA MULHERES MIL - MULHER E O DIREITO À CIDADE PARA O CURSO DE RECICLADORA DO INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ - CÂMPUS TELÊMACO BORBA. A Diretora Geral do,

Leia mais

REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DOS CARTÕES DE LEITURA POR PROXIMIDADE

REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DOS CARTÕES DE LEITURA POR PROXIMIDADE REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DOS CARTÕES DE LEITURA POR PROXIMIDADE Artigo 1º Âmbito e função 1. O Cartão de leitura por proximidade tem por função identificar todos os utentes (alunos, pessoal docente e

Leia mais

Secção I Matricula e Inscrição. Art.º 16.º ( conceito) Art.º 17.º (Matricula e Inscrição)

Secção I Matricula e Inscrição. Art.º 16.º ( conceito) Art.º 17.º (Matricula e Inscrição) Secção I Matricula e Inscrição Art.º 16.º ( conceito) 1. A matrícula é o acto pelo qual o estudante ingressa na universidade Agostinho Neto. 2. A matrícula á Universidade Agostinho Neto faz-se uma só vez.

Leia mais