Regulamento Interno 2013 /

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Regulamento Interno 2013 / 2014. www.luacrescente.pt geral@luacrescente.pt 21 852 00 43-96 5555 727"

Transcrição

1 Regulamento Interno 2013 /

2 REGULAMENTO INTERNO 2013 / 2014 ESCOLA LUA CRESCENTE (Creche, Jardim de Infância e ATL) I NATUREZA E OBJECTIVOS 1. A LUA CRESCENTE Actividades Educativas, Lda. é uma instituição de carácter particular, com sede na Estrada da Circunvalação nº 2 Stª Maria dos Olivais Lisboa. 2. Tem por objecto o desenvolvimento de actividades na área da educação, sendo neste quadro que se inscreve a criação, manutenção e apoio da Escola Lua Crescente, instituição dedicada às valências de Creche, Jardim de Infância e ATL, abrangendo actividade pedagógica com crianças desde os 4 meses até aos 12 anos de idade. 3. Este regulamento tem como âmbito regular as relações entre a Escola Lua Crescente e os Encarregados de Educação, assim como regular o funcionamento interno da mesma. II ADMISSÃO DE CRIANÇAS 1. São condições de admissão: a idade das crianças (entre os 4 meses e os 12 anos), a capacidade do estabelecimento de ensino, o pagamento da inscrição e o conhecimento e aceitação por parte dos Encarregados de Educação das condições estabelecidas neste Regulamento. 2. As inscrições decorrem nas instalações da Escola Lua Crescente (Creche, Jardim de Infância e ATL), sendo efectuadas em ficha própria.

3 3. A ficha de inscrição inclui a declaração referente à entrega e conhecimento deste Regulamento. 4. O pagamento da inscrição garante o lugar da criança. 5. O pagamento da inscrição cobre o Seguro Escolar anual das crianças. 6. A inscrição e o respectivo pagamento terão que ser realizados todos os anos, uma vez por cada ano lectivo. 7. Em caso de desistência da criança da frequência da Escola (Creche, Jardim de Infância e ATL), não são devidas quaisquer devoluções no que respeita à inscrição. 8. A lotação do estabelecimento é de 92 crianças na Creche e 41 crianças no Jardim de Infância. No caso de a lotação máxima ser atingida, será criada uma lista de espera e as crianças serão chamadas por ordem de inscrição, dependendo da faixa etária a que pertencem. III ASSIDUIDADE E PONTUALIDADE 1. Os Encarregados de Educação deverão informar a Escola sempre que as suas crianças tenham que chegar depois das actividades iniciadas ou sempre que elas não possam comparecer. 2. A comunicação desta informação deve ser efectuada até às 10 horas do próprio dia. O mesmo deve acontecer para saídas antes das 16 horas. IV HORÁRIOS E PERÍODOS DE FUNCIONAMENTO 1. O ano lectivo tem início no 1º dia útil do mês de Setembro e termina no último dia útil do mês de Agosto.

4 2. A Escola Lua Crescente (Creche, Jardim de Infância e ATL) encerra nos feriados nacionais e no feriado municipal de Lisboa e ainda na 2ª Quinzena de Agosto (de 16 a 31 de Agosto); no ano lectivo 2013/2014, a escola encerrará também nos seguintes dias: 24 de Dezembro, 31 de Dezembro (a partir das 13h), 4 de Março e 9 de Junho. 3. A Direcção reserva-se o direito de encerrar a Escola, caso ocorram situações imprevistas que afectem as condições mínimas de saúde, higiene e segurança necessárias ao seu bom funcionamento. 4. A Escola Lua Crescente (Creche, Jardim de Infância e ATL) funciona de Segunda a Sexta-feira com o seguinte horário: - CRECHE Acolhimento: das 08H00 às 10H00 Saída: até às 19H30 - JARDIM INFÂNCIA Acolhimento: das 8H00 às 9H30 Saída: até às 19H30 - ATL Acolhimento: das 8H00 às 9H30 (início das actividades) ou começo das aulas Saída: até às 19H30 5. As crianças deverão ser deixadas no período referido como Acolhimento, ou seja, até às 10h00 para as salas de Creche e até às 9h30 para os grupos de Jardim de Infância e ATL, de forma a que o período reservado para as actividades curriculares não seja afectado. V ENTREGA E RECOLHA DAS CRIANÇAS 1. A entrega e recolha das crianças deverá, em qualquer caso, ser efectuada, dentro de portas da Escola.

5 2. Quando chega, a criança deverá ser sempre entregue a uma pessoa funcionária da Escola. 3. As crianças só deixarão a Escola com os Encarregados de Educação / Pais ou por pessoas cujos nomes estejam previamente definidos na ficha biográfica da criança e autorizadas pelo Encarregado de Educação. Qualquer alteração deve ser comunicada à Escola e ser objecto de uma declaração escrita, acompanhada de fotocópia do documento de identificação da respectiva pessoa. VI SAÚDE DAS CRIANÇAS 1. Se a criança necessitar de tomar medicamentos durante o período de permanência na Escola, os Encarregados de Educação deverão informar o Educador por escrito, assim como os horários em que os mesmos devem ser administrados e a respectiva quantidade. Os medicamentos deverão estar identificados com o nome da criança. 2. Nenhum medicamento será administrado às crianças sem indicação expressa dos pais ou Encarregados de Educação. 3. A Escola deve informar os Encarregados de Educação e vice-versa de qualquer alteração física ou comportamental da criança. Não é permitida a entrada no estabelecimento de crianças que apresentem sintomas de doença. 4. Sempre que na criança sejam notados sintomas de doença súbita, nomeadamente febre, diarreia, parasitas, doenças de pele, conjuntivite ou outras passíveis de contágio, os pais serão informados e obrigados a recolher a criança com a devida urgência. No período de espera pelos pais, a criança poderá ser isolada do grupo no espaço de isolamento, existente para esse mesmo efeito.

6 5. No caso de contrair alguma doença infecto-contagiosa, a criança deve estar afastada das actividades escolares (conforme D.L. 229/94 de 13/09), pelo período que o médico considerar necessário ao restabelecimento da saúde da criança, devendo, os Encarregados de Educação, apresentar uma declaração médica autorizando o regresso da criança à Escola. 6. Em caso de acidente, serão tomadas todas as providências para que a criança seja de imediato observada por instâncias de saúde superiores (Centro de Saúde ou Hospital), devidamente acompanhada de um funcionário da Escola. Os Encarregados de Educação serão de imediato informados e chamados, devendo comparecer no local mais adequado ao tratamento da criança para que a possam também acompanhar. 7. Qualquer restrição alimentar deve ser comunicada por escrito à Escola, ou no início do ano lectivo, na ficha biográfica (restrição permanente); ou no acto de entrega da criança (restrição temporária), informando quais os alimentos restringidos e o período de tempo de restrição. 8. As ementas semanais, acompanhadas por nutricionista, serão afixadas / publicadas semanalmente no site e na Escola. Poderão surgir alterações ocasionais, sendo os Encarregados de Educação diariamente informados dessas mesmas alterações. 9. Para evitar intoxicações alimentares e alergias, os bolos, doces e bebidas trazidos de casa para festas de aniversário, devem obedecer aos seguintes critérios: - os bolos devem ser totalmente isentos de cremes de ovos, natas, coberturas de claras cruas e corantes; - os doces não devem conter ovos crus; - as bebidas não devem ter corantes e/ou conservantes.

7 10. As crianças não devem trazer para a Escola guloseimas que fácil e atractivamente possam passar de boca em boca (por ex. rebuçados, pastilhas, chupa-chupas...). VII MENSALIDADES 1. O montante das mensalidades é previamente definido pela Lua Crescente e deve ser comunicado aos Encarregados de Educação no acto da inscrição, correspondendo a onze mensalidades e meia. 2. O pagamento da mensalidade correspondente a metade do mês de Agosto será distribuído equitativamente pelos meses de Fevereiro a Abril. 3. O pagamento das mensalidades efectua-se até ao dia 8 do mês a que é referente. O não pagamento da mensalidade nos prazos previstos pode levar a Direcção a impedir a entrada da criança nas instalações da Escola. 4. O pagamento das actividades de enriquecimento curricular não cobertas pela mensalidade, quando existam, efectua-se até ao dia 8 de cada mês, juntamente com o pagamento da mensalidade. 5. As mensalidades cobrem todas as actividades curriculares no período entre o início das actividades com a equipa técnica até às 17.30h, alimentação (fruta no período da manhã, almoço completo e lanche), material didáctico, fraldas e produtos de higiene pessoal para os casos em que é aplicável e Expressão Motora / Educação Física e Educação Musical; transporte de e para a escola, para as crianças em valência de ATL. 6. Caso a criança desista da frequência da Escola, deverão os Encarregados de Educação avisar com, pelo menos, 30 dias de antecedência. Caso esta condição não se verifique, considera-se devida a mensalidade desse mesmo mês.

8 VIII GENERALIDADES 1. No início do ano lectivo, os Encarregados de Educação deverão preencher a Ficha Biográfica da criança e apresentar os seguintes documentos e fornecer fotocópias, para integrar no processo individual: Cédula pessoal / Bilhete de Identidade / Cartão de Cidadão Boletim de vacinas actualizado Cartão dos Serviços Saúde (excepto no caso de apresentação do Cartão Cidadão) Declaração médica de que a criança não sofre de doença infecto-contagiosa Indicação do Grupo Sanguíneo Identificação e contactos do médico assistente 1 Fotografia (tipo passe) 2. No início do ano lectivo, será entregue uma lista de objectos pessoais que os Encarregados de Educação deverão trazer para a Escola, devidamente identificados com o nome da criança. 3. Os Encarregados de Educação deverão informar a Escola, assim que lhes for possível, do período (ou períodos) de férias em que a criança estará ausente da Escola, de modo a que a Direcção da Escola possa gerir da melhor forma os seus recursos humanos. 4. A Escola não se responsabiliza pelo desaparecimento e danos de bens pessoais (por exemplo: brinquedos ou outros valores) de que a criança seja portadora. 5. Sempre que a criança participe em algum passeio ou actividade fora da Escola e que necessite de uma autorização específica, assinada pelos Encarregados de Educação, deverá a mesma ser devolvida no prazo combinado e devidamente assinada. Na falta desta, a criança não poderá participar nessa actividade.

9 6. Os Educadores da Escola estarão disponíveis para falar com os Encarregados de Educação, depois de previamente acordados dia e hora, sempre que as Educadoras e/ou Enc. de Educação considerem necessário. 7. A Escola realiza reuniões, previamente calendarizadas, com os Encarregados de Educação no início do ano lectivo e no final de cada período escolar com vista, respectivamente, à apresentação do plano trimestral de actividades e à avaliação do trabalho desenvolvido com/pelas crianças, tal como os seus progressos. 8. No início do ano lectivo é distribuído aos Encarregados de Educação o Calendário Escolar, onde constam reuniões, festas, outros momentos celebrativos, interrupções lectivas e actividades em que a presença dos pais seja relevante. 9. Qualquer observação, sugestão ou crítica sobre o funcionamento da Escola deve ser endereçada, por escrito, ao Conselho Pedagógico ou à Direcção da Escola e terá uma resposta num período máximo de 72 horas. 10. Todos os casos omissos serão decididos pela Direcção da Escola Lua Crescente.

REGULAMENTO INTERNO 2010-2011

REGULAMENTO INTERNO 2010-2011 REGULAMENTO INTERNO 2010-2011 1. Admissão e lotação 1.1. O colégio admite crianças com idades entre os 4 meses e os 6 anos. 1.2. A lotação da creche (dos 4 meses aos 3 anos) é de 56 crianças distribuídas

Leia mais

EXTERNATO DO OLIVAL BASTO REGULAMENTO INTERNO ATL

EXTERNATO DO OLIVAL BASTO REGULAMENTO INTERNO ATL EXTERNATO DO OLIVAL BASTO REGULAMENTO INTERNO ATL CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS NORMA 1 Âmbito de aplicação O presente regulamento aplica-se à frequência no ATL do Externato do Olival Basto, Lda. NORMA

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO 2007-2008

REGULAMENTO INTERNO 2007-2008 REGULAMENTO INTERNO 2007-2008 Regulamento Interno Ano Lectivo 2007/2008 1. Admissão 1.1. O colégio admite crianças com idades entre os 3 meses e os 6 anos. 1.2. No acto da inscrição são necessários os

Leia mais

A Creche Ser Criança tem como objectivo genérico proporcionar às Crianças as

A Creche Ser Criança tem como objectivo genérico proporcionar às Crianças as REGULAMENTO INTERNO 1. Objectivos Gerais A Creche Ser Criança tem como objectivo genérico proporcionar às Crianças as condições para poderem desenvolver todos os aspectos da sua personalidade, nomeadamente

Leia mais

Regulamento Interno Actividades Tempos Livres ATL AGUARELA

Regulamento Interno Actividades Tempos Livres ATL AGUARELA Regulamento Interno Actividades Tempos Livres ATL AGUARELA Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Básica Nº 4 e Jardim de Infância Nº 3 de Alverca do Ribatejo INDICE 1. Objecto 2. Local

Leia mais

EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA - INFANTIL ANO LECTIVO 2012/2013 REGULAMENTO I - NOÇÕES INTRODUTÓRIAS

EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA - INFANTIL ANO LECTIVO 2012/2013 REGULAMENTO I - NOÇÕES INTRODUTÓRIAS EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA - INFANTIL ANO LECTIVO 2012/2013 REGULAMENTO I - NOÇÕES INTRODUTÓRIAS 1- O Externato João Alberto Faria - Infantil destina-se a crianças com idades entre os 3 anos (feitos

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO PARA A VALÊNCIA DE JARDIM DE INFÂNCIA NATUREZA E FINS. Art.º 1º

REGULAMENTO INTERNO PARA A VALÊNCIA DE JARDIM DE INFÂNCIA NATUREZA E FINS. Art.º 1º REGULAMENTO INTERNO PARA A VALÊNCIA DE JARDIM DE INFÂNCIA I NATUREZA E FINS Art.º 1º A Associação de Paralisia Cerebral de Évora, com sede na Avenida Diniz Miranda, 23 - Évora, é uma Instituição Particular

Leia mais

Regulamentos Internos

Regulamentos Internos Regulamentos Internos INFÂNCIA: Período para a construção de alicerces da personalidade de cada criança: Aprendendo a CONHECER, Aprendendo a FAZER, Aprendendo a SER C A I Q U E Ano Letivo 2015/16 1. VALÊNCIAS

Leia mais

RIBA CÔA CENTRO INFANTIL

RIBA CÔA CENTRO INFANTIL RIBA CÔA CENTRO INFANTIL INTERNO R E G U L A M E N T O Santa Casa da Misericórdia do Sabugal Capítulo I Geral Artigo 1º 1. O Centro Infantil Riba Côa é uma instituição particular de assistência à infância

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA CRECHE CRECHE. Enquadramento

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA CRECHE CRECHE. Enquadramento CRECHE Enquadramento A actual organização dos modos de vida familiar, tendo em conta a crescente integração da mulher no mercado de trabalho, tem vindo a acentuar a necessidade de criação de estruturas

Leia mais

REGULAMENTO DO INFANTÁRIO DE NOSSA SENHORA DA PURIFICAÇÃO (Creche)

REGULAMENTO DO INFANTÁRIO DE NOSSA SENHORA DA PURIFICAÇÃO (Creche) REGULAMENTO DO INFANTÁRIO DE NOSSA SENHORA DA PURIFICAÇÃO (Creche) SITE: www.infantarionspurificacao.net (Revisto em Novembro de 2014) REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO (CRECHE) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR 1 1. Considerações Gerais A Lipor, Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto, com sede em Baguim do Monte, concelho de Gondomar,

Leia mais

REGULAMENTO DO INFANTÁRIO DE NOSSA SENHORA DA PURIFICAÇÃO (Creche)

REGULAMENTO DO INFANTÁRIO DE NOSSA SENHORA DA PURIFICAÇÃO (Creche) REGULAMENTO DO INFANTÁRIO DE NOSSA SENHORA DA PURIFICAÇÃO (Creche) SITE: www.infantarionspurificacao.net (Revisto em Julho de 2012) REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO (CRECHE) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

Jardim-de-Infância. Regulamento Interno

Jardim-de-Infância. Regulamento Interno Jardim-de-Infância Regulamento Interno Os Pimentinhas Jardim-de-Infância CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º (Identificação do estabelecimento e sua natureza) 1 - «Os Pimentinhas Creche, Jardim de

Leia mais

Rua da Rainha, nº 6 - Guimarães 4800 248 GUIMARÃES

Rua da Rainha, nº 6 - Guimarães 4800 248 GUIMARÃES CENTRO PASTORAL D. ANTÓNIO BENTO MARTINS JUNIOR REGULAMENTO INTERNO CENTRO DE ACTIVIDADES TEMPOS LIVRES Rua da Rainha, nº 6 - Guimarães 4800 248 GUIMARÃES Telefone 253 416 144 / Fax 253 416 113 E-mail:

Leia mais

Creche. Regulamento Interno. Ano Letivo 2014/2015

Creche. Regulamento Interno. Ano Letivo 2014/2015 Creche Regulamento Interno Ano Letivo 2014/2015 Colégio Kria e Brinca Creche CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º (Identificação do estabelecimento e sua natureza) 1 - Colégio Kria e Brinca, Lda»,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO do NINHO DO SOL Berçário e Creche

REGULAMENTO INTERNO do NINHO DO SOL Berçário e Creche REGULAMENTO INTERNO do NINHO DO SOL Berçário e Creche PREÂMBULO O presente regulamento regula a organização e o modo de funcionamento do NINHO DO SOL Berçário e Creche, Lda. Este regulamento interno será

Leia mais

Esinval - Entidade de Formação. Regulamento Interno

Esinval - Entidade de Formação. Regulamento Interno Esinval - Entidade de Formação Regulamento Interno Legislação/ Organização Interna da Instituição A instituição denominada Esinval - Entidade de Formação Acreditada, com domicilio fiscal e profissional,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO CRECHE. Ano lectivo 2013/14. Urbanização da Quinta do Prado, Lote 17, 3020-170 EIRAS COIMBRA. www.beija-flor.

REGULAMENTO INTERNO CRECHE. Ano lectivo 2013/14. Urbanização da Quinta do Prado, Lote 17, 3020-170 EIRAS COIMBRA. www.beija-flor. REGULAMENTO INTERNO CRECHE Ano lectivo 2013/14 Urbanização da Quinta do Prado, Lote 17, 3020-170 EIRAS COIMBRA www.beija-flor.pt Tel: 239439252 email: c.beijaflor2001@gmail.com CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

Leia mais

Regulamento Creche e Jardim de Infância

Regulamento Creche e Jardim de Infância Regulamento Creche e Jardim de Infância 2012/2013 CASA PASTORINHOS DE FÁTIMA Rua das Janelas Verdes, 11-1200-690 Lisboa Tel.: 21 396 11 24 Fax.: 21 395 27 52 apsov@hotmail.com Assistência Paroquial de

Leia mais

Despacho nº 9265-B/2013

Despacho nº 9265-B/2013 Regulamento Interno da Componente de Apoio à Família (CAF) dos Jardim-deinfância e das Escola Básica 1 (EB1) da União de Freguesias de Nogueiró e Tenões 444 Ano Letivo 2014/15 Enquadramento...Quando as

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE CAMPOS DE FÉRIAS. Nota Justificativa

REGULAMENTO INTERNO DE CAMPOS DE FÉRIAS. Nota Justificativa REGULAMENTO INTERNO DE CAMPOS DE FÉRIAS Nota Justificativa A organização de campos de férias destinados a crianças e jovens é uma das actividades centrais da política do município da Moita na área da juventude

Leia mais

A Educação, conceito que tem sido objecto de múltiplas definições, constitui um processo centrado na pessoa integral do educando, que importa

A Educação, conceito que tem sido objecto de múltiplas definições, constitui um processo centrado na pessoa integral do educando, que importa A Educação, conceito que tem sido objecto de múltiplas definições, constitui um processo centrado na pessoa integral do educando, que importa promover em todas as dimensões e potencialidades. I NORMAS

Leia mais

NORMAS DE ACESSO ÀS PISCINAS MUNICIPAIS DE VILA NOVA DE GAIA

NORMAS DE ACESSO ÀS PISCINAS MUNICIPAIS DE VILA NOVA DE GAIA NORMAS DE ACESSO ÀS PISCINAS MUNICIPAIS DE VILA NOVA DE GAIA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO 1º - OBJECTO ARTIGO 2º - ÂMBITO DE APLICAÇÃO ARTIGO 3º - CONCEITOS ARTIGO 4º - ACESSO À PISCINA ARTIGO

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO 2013/2014

REGULAMENTO INTERNO 2013/2014 REGULAMENTO INTERNO 2013/2014 Praceta Daniel Filipe nº 10 B Casal de S. Brás 2700-228 Amadora Tel.: 214929470 Fax: 214929479 E.mail: geral@bebedesonho.mail.pt Site: http://www.bebedesonho.com/ - 1 - PRINCÍPIOS

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO JARDIM DE INFÂNCIA INDICE

REGULAMENTO INTERNO DO JARDIM DE INFÂNCIA INDICE REGULAMENTO INTERNO DO JARDIM DE INFÂNCIA INDICE Introdução 2 Capitulo I Descrição, Inscrição e Condições Admissão/Matrícula 5 Descrição e Localização Inscrição Condições de Admissão/Matrícula Capitulo

Leia mais

Resposta Social Creche

Resposta Social Creche Fundação Manuel Francisco Clérigo Instituição Particular de Solidariedade Social Caro(a) novo(a) utente GUIA DE ACOLHIMENTO Resposta Social Creche É com o maior prazer que lhe damos as boas vindas, como

Leia mais

creche & jardim de infância projecto de regulamento interno Educação Infantil Lda. Rua Monte dos Burgos, 329 4250-316 Porto

creche & jardim de infância projecto de regulamento interno Educação Infantil Lda. Rua Monte dos Burgos, 329 4250-316 Porto creche & jardim de infância projecto de regulamento interno Educação Infantil Lda. CAPÍTULO I Estabelecimento, natureza e objectivos 1- O Espaço Brincar e Inventar é um estabelecimento de ensino de apoio

Leia mais

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE MIRANDELA CATL ABC REGULAMENTO INTERNO

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE MIRANDELA CATL ABC REGULAMENTO INTERNO REGULAMENTO INTERNO CATL ( CENTRO DE ACTIVIDADES DE TEMPOS LIVRES ) FÉRIAS DIVERTIDAS ( Natal, Páscoa, Verão ) Rua 16 de Maio * 5370-418 Mirandela * Tel.: 278 265198 * Fax: 278 265194* http://www.scmm.web.pt

Leia mais

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE MIRANDELA REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE INFÂNCIA O MIMINHO

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE MIRANDELA REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE INFÂNCIA O MIMINHO REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE INFÂNCIA O MIMINHO 1 º A Creche têm por fim satisfazer as necessidades das crianças nas diferentes etapas do seu desenvolvimento, entre os quatro meses de idade e 3 anos.

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO. Av. Costa Pinto, nº 440 2750-329 Cascais Tel: 21 482 15 21 Email: achupeta@sapo.pt

REGULAMENTO INTERNO. Av. Costa Pinto, nº 440 2750-329 Cascais Tel: 21 482 15 21 Email: achupeta@sapo.pt REGULAMENTO INTERNO Av. Costa Pinto, nº 440 2750-329 Cascais Tel: 21 482 15 21 Email: achupeta@sapo.pt OBJECTIVOS DA CHUPETA "Proporcionar o atendimento individualizado da criança num clima de segurança

Leia mais

REGULAMENTO 2014/2015. 1.1 A frequência nas várias valências depende da prévia inscrição a efetuar pelos pais ou pessoas que as tenham a cargo.

REGULAMENTO 2014/2015. 1.1 A frequência nas várias valências depende da prévia inscrição a efetuar pelos pais ou pessoas que as tenham a cargo. REGULAMENTO 2014/2015 1- ADMISSÃO DE CRIANÇAS 1.1 A frequência nas várias valências depende da prévia inscrição a efetuar pelos pais ou pessoas que as tenham a cargo. 1.2 A instituição dispõe de 3 valências,

Leia mais

Objetivos. Funcionamento

Objetivos. Funcionamento A Ludoteca é um espaço organizado em função da criança, que pretende aliar a brincadeira à aprendizagem através do desenvolvimento de diversas atividades lúdico/pedagógicas, procurando incentivar a comunicação,

Leia mais

NORMAS ADMISSÃO E FUNCIONAMENTO A MELHOR PREPARAÇÃO PARA O AMANHÃ É A UTILIZAÇÃO APROPRIADA DO HOJE

NORMAS ADMISSÃO E FUNCIONAMENTO A MELHOR PREPARAÇÃO PARA O AMANHÃ É A UTILIZAÇÃO APROPRIADA DO HOJE NORMAS DE ADMISSÃO E FUNCIONAMENTO A MELHOR PREPARAÇÃO PARA O AMANHÃ É A UTILIZAÇÃO APROPRIADA DO HOJE NORMAS DE ADMISSÃO E FUNCIONAMENTO 1. CONDIÇÕES DE ADMISSÃO 1.1 O Colégio TAGUSPARK recebe crianças

Leia mais

Creche. Regulamento Interno

Creche. Regulamento Interno Creche Regulamento Interno Os Pimentinhas Creche CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º (Identificação do estabelecimento e sua natureza) 1 - «Os Pimentinhas Creche, Jardim de Infância e ATL», adiante

Leia mais

JARDIM-DE-INFÂNCIA FUNDAÇÃO CARDEAL CEREJEIRA. Regulamento Interno

JARDIM-DE-INFÂNCIA FUNDAÇÃO CARDEAL CEREJEIRA. Regulamento Interno JARDIM-DE-INFÂNCIA FUNDAÇÃO CARDEAL CEREJEIRA Regulamento Interno Rua Cidade Nova de Lisboa (Tras. da Rua Cidade do Negage), n.º 7 e 9, Cave- Olivais Sul 1800-096 Lisboa Tel. 21 851 54 07 Fax. 21 855 12

Leia mais

ALIANÇA FRANCESA DO PORTO

ALIANÇA FRANCESA DO PORTO Natureza e objectivos Projecto de REGULAMENTO INTERNO ALIANÇA FRANCESA DO PORTO Introdução Aliança Francesa do Porto sede: Rua Santa Isabel, 88 4050-536 Porto contribuinte nº 507864549 telefone nº 226098616

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA VALÊNCIA DE JARDIM DE INFÂNCIA

REGULAMENTO INTERNO DA VALÊNCIA DE JARDIM DE INFÂNCIA REGULAMENTO INTERNO DA VALÊNCIA DE JARDIM DE INFÂNCIA I - OBJETIVOS ARTº 1 - O Regulamento Interno visa ordenar e reger a vida interna da instituição, ao nível da valência de Jardim de Infância, para que

Leia mais

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS LAR DE IDOSOS REGULAMENTO

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS LAR DE IDOSOS REGULAMENTO CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS LAR DE IDOSOS REGULAMENTO Artigo 1º CAPÍTULO I Disposições Gerais Âmbito O Centro Social Paroquial de Oeiras é uma Instituição Particular de Solidariedade Social com cariz

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR FÉRIAS DA LIPOR 1. Considerações Gerais A Lipor, Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto, com sede em Baguim do Monte, concelho de Gondomar, realiza atividades de promoção e organização

Leia mais

Normas de Funcionamento - CRECHE MUNICIPAL O OURICINHO -

Normas de Funcionamento - CRECHE MUNICIPAL O OURICINHO - Normas de Funcionamento - CRECHE MUNICIPAL O OURICINHO - Preâmbulo Considerando o indispensável papel da família na nossa sociedade e reconhecendo a importância da ação municipal no âmbito da definição

Leia mais

- NORMAS DE FUNCIONAMENTO -

- NORMAS DE FUNCIONAMENTO - - NORMAS DE FUNCIONAMENTO - O Colégio Laranja e Meia destina-se a receber crianças dos 3 meses aos 6 anos. Horário - Abertura : 8.30 horas - Encerramento : 19 horas As actividades pedagógicas decorrem

Leia mais

Regulamento Interno Campos de Férias Tá a Mexer. Artigo1.º DISPOSIÇÕES GERAIS

Regulamento Interno Campos de Férias Tá a Mexer. Artigo1.º DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo1.º DISPOSIÇÕES GERAIS 1. O Programa do Campo de Férias da Tá a Mexer constitui um programa cultural, desportivo, ambiental e lúdico de tempos livres, em regime aberto, de crianças e jovens. Este

Leia mais

JARDIM DE INFÂNCIA MISERICÓRDIA S.TIRSO

JARDIM DE INFÂNCIA MISERICÓRDIA S.TIRSO JARDIM DE INFÂNCIA MISERICÓRDIA S.TIRSO p / 01 Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º Âmbito de Aplicação O Jardim de Infância Comendador Abílio Ferreira de Oliveira é um equipamento social da Irmandade

Leia mais

I. O INFANTÁRIO INSCRIÇÕES, MENSALIDADES E DEMAIS ENCARGOS

I. O INFANTÁRIO INSCRIÇÕES, MENSALIDADES E DEMAIS ENCARGOS I. O INFANTÁRIO 1. O INFANTÁRIO-JARDIM ARCO-IRIS,, adiante designado por Infantário, é uma instituição de ensino privado, propriedade da sociedade Brito Costa & Rodrigues, Lda.. 2. O Infantário abrange

Leia mais

Regulamento Interno Férias Academia 2014. Art.º 1 - Informações Gerais

Regulamento Interno Férias Academia 2014. Art.º 1 - Informações Gerais Regulamento Interno Férias Academia 2014 Art.º 1 - Informações Gerais 1. As Férias Academia decorrem nas instalações da Academia Sporting, em regime fechado; 2. Os campos de férias têm, normalmente, uma

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA OLIVAIS EM FÉRIAS ANO 2015

REGULAMENTO DO PROGRAMA OLIVAIS EM FÉRIAS ANO 2015 REGULAMENTO DO PROGRAMA OLIVAIS EM FÉRIAS ANO 2015 Contactos da Junta de Freguesia Morada: Rua General Silva Freire, Lote C 1849-029 Lisboa Telefone: 21 854 06 90 Fax: 21 852 06 87 / 21 248 79 25 E-mail:

Leia mais

COOPERATIVA DE ENSINO DE BENFICA, C.R.L. NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA CEBE NO ANO LETIVO 2015/2016

COOPERATIVA DE ENSINO DE BENFICA, C.R.L. NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA CEBE NO ANO LETIVO 2015/2016 NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA CEBE NO ANO LETIVO 2015/2016 1. FREQUÊNCIA 1.1. A frequência da CEBE está condicionada a que um dos pais e/ou encarregado de educação da criança se tornem sócios da CEBE, para

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO 2011/2012

REGULAMENTO INTERNO 2011/2012 REGULAMENTO INTERNO 2011/2012 REGULAMENTO INTERNO 2011/2012 Exmo. Sr. ou Sr.ª Encarregado(a) de Educação Agora que o seu educando deu mais um passo no Universo Benfiquista, é com grande satisfação que

Leia mais

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE S.JOÃO DA MADEIRA REGULAMENTO INTERNO CRECHES

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE S.JOÃO DA MADEIRA REGULAMENTO INTERNO CRECHES Artigo 1º Âmbito 1. Este regulamento aplica-se às respostas sociais de Creche do Abrigo Infantil das Laranjeiras e da Creche Alberto Manuel de Aguiar Pacheco, equipamentos sociais que são propriedade da

Leia mais

Colónias de Férias Infantil REGULAMENTO INTERNO

Colónias de Férias Infantil REGULAMENTO INTERNO Colónias de Férias Infantil REGULAMENTO INTERNO Capítulo I Disposições Gerais Artigo I Âmbito As normas definidas no presente Regulamento Interno visam estabelecer as condições de funcionamento da Colónia

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA CRECHE E JARDIM DE INFÂNCIA

REGULAMENTO INTERNO DA CRECHE E JARDIM DE INFÂNCIA Índice Capítulo I Da natureza e objetivos da Associação Capítulo II Do cumprimento das disposições regulamentares Capítulo III Da candidatura e do processo de admissão Capítulo IV Da inscrição Capítulo

Leia mais

REGULAMENTO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DO MUNICÍPIO DO BARREIRO

REGULAMENTO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DO MUNICÍPIO DO BARREIRO REGULAMENTO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DO MUNICÍPIO DO BARREIRO NOTA JUSTIFICATIVA A organização de campos de férias destinados a crianças e jovens tem apresentado um aumento significativo nos últimos tempos.

Leia mais

Regulamento interno Jardim de infância

Regulamento interno Jardim de infância Creche e Jardim de Infância O Jardim dos Palhacinhos Regulamento interno Jardim de infância Albufeira, outubro 2015 Gerência: O JARDIM DOS PALHACINHOS Jardim de infância CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO 2012-2013

REGULAMENTO INTERNO 2012-2013 REGULAMENTO INTERNO 2012-2013 2 1. Admissão e lotação 1.1. O colégio admite crianças com idades entre os 4 meses e os 6 anos. 1.2. A lotação da creche (dos 4 meses aos 3 anos) é de 56 crianças distribuídas

Leia mais

Programa Olivais em Férias

Programa Olivais em Férias Capítulo 90 Programa Olivais em Férias Ano 2015 MR.003.01.Vers.1.0.a Página 1 de 8 Conteúdo 1. Introdução... 3 2. Planeamento e Organização... 3 3. Inscrição... 3 3.1. Valor a pagar... 3 3.2. Fichas de

Leia mais

EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA - INFANTIL ANO LECTIVO 2009/2010 Condições e Serviços do Externato João Alberto Faria Infantil I - NOÇÕES INTRODUTÓRIAS

EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA - INFANTIL ANO LECTIVO 2009/2010 Condições e Serviços do Externato João Alberto Faria Infantil I - NOÇÕES INTRODUTÓRIAS EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA - INFANTIL ANO LECTIVO 2009/2010 Condições e Serviços do Externato João Alberto Faria Infantil I - NOÇÕES INTRODUTÓRIAS 1- O Externato João Alberto Faria - Infantil destina-se

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO. Índice

REGULAMENTO INTERNO. Índice Índice Capítulo I Disposições Gerais... 4 1. Finalidade... 4 2. Objetivos... 4 Capítulo II Ingresso e Pagamentos... 5 1. Inscrição... 5 2. Admissão... 6 3. Mensalidades... 7 Capítulo III- Desenvolvimento

Leia mais

Regulamento Interno Actividades de Tempos Livres (ATL) 2013/2014

Regulamento Interno Actividades de Tempos Livres (ATL) 2013/2014 Regulamento Interno Actividades de Tempos Livres (ATL) 2013/2014 Página 1 de 15 O Regulamento Interno das Actividades de Tempos Livres, doravante designadas de ATL, da Associação de Pais e Encarregados

Leia mais

Regulamento Interno da Creche

Regulamento Interno da Creche Regulamento Interno da Creche Capitulo I Disposições gerais Artigo 1º (âmbito de aplicação) 1. O presente regulamento visa definir as regras de organização e funcionamento da creche integrada no Externato

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA VALÊNCIA DE CRECHE

REGULAMENTO INTERNO DA VALÊNCIA DE CRECHE REGULAMENTO INTERNO DA VALÊNCIA DE CRECHE I - OBJETIVOS ARTº 1 - O Regulamento Interno visa ordenar e reger a vida interna da Instituição, ao nível da valência de Creche, para que todos possam colaborar

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO. Creche CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO INTERNO. Creche CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO INTERNO Creche CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS NORMA I Âmbito de Aplicação e Legislação Aplicável 1. A Creche de A Previdência Portuguesa é propriedade de A Previdência Portuguesa - Associação

Leia mais

CRECHE E JARDIM DE INFÂNCIA DIVERTILÁXIA. Regulamento interno 2009/2010. Rua de São Salvador, n.º 33 9760 Praia da Vitória

CRECHE E JARDIM DE INFÂNCIA DIVERTILÁXIA. Regulamento interno 2009/2010. Rua de São Salvador, n.º 33 9760 Praia da Vitória CRECHE E JARDIM DE INFÂNCIA DIVERTILÁXIA Regulamento interno 2009/2010 Rua de São Salvador, n.º 33 9760 Praia da Vitória Regulamento Interno 2 Regulamento Interno Este Regulamento vigora a partir de 1

Leia mais

Regulamento Interno da CRECHE 2012/13

Regulamento Interno da CRECHE 2012/13 REGULAMENTO INTERNO DA RESPOSTA SOCIAL CRECHE 2012/13 RESPOSTA SOCIAL CRECHE Capítulo I - Disposições Gerais Norma I Âmbito de Aplicação O Centro Social da Paróquia de N.ª S.ª da Conceição da Abóboda,

Leia mais

CAPITULO I PRINCÍPIOS NORMATIVOS GERAIS. Artigo 1º ÂMBITO E APLICAÇÃO

CAPITULO I PRINCÍPIOS NORMATIVOS GERAIS. Artigo 1º ÂMBITO E APLICAÇÃO REGULAMENTO INTERNO PREÂMBULO O REGULAMENTO INTERNO é o documento que define e articula toda a vida organizativa da INSTITUIÇÃO, segundo uma perspectiva administrativa e de gestão escolar. O REGULAMENTO

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO JARDIM DE INFÂNCIA DO CCD

REGULAMENTO INTERNO DO JARDIM DE INFÂNCIA DO CCD REGULAMENTO INTERNO DO JARDIM DE INFÂNCIA DO CCD (CENTRO DE CULTURA E DESPORTO DO PESSOAL DO MUNICIPIO DE CASCAIS) REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO DO JARDIM DE INFÂNCIA DO CENTRO DE CULTURA E DESPORTO

Leia mais

Santa Casa da Misericórdia de Penela Instituição Particular de Solidariedade Social - NIPC 501 057 501 Fundada em 1559

Santa Casa da Misericórdia de Penela Instituição Particular de Solidariedade Social - NIPC 501 057 501 Fundada em 1559 Instituição Particular de Solidariedade Social - NIPC 501 057 501 Fundada em 1559 MEDALHA DE OURO DE HONRA DO MUNICÍPIO PENELA - 29-09 - 1999 REGULAMENTO INTERNO CRECHE CAPITULO I NATUREZA E OBJETIVOS

Leia mais

Regulamento das Creches e Jardins-de-Infância dos Serviços Sociais da Câmara Municipal de Lisboa

Regulamento das Creches e Jardins-de-Infância dos Serviços Sociais da Câmara Municipal de Lisboa Regulamento das Creches e Jardins-de-Infância dos Serviços Sociais da Câmara Municipal de Lisboa Capitulo I Objecto Art.º 1.º Âmbito e objecto O presente regulamento é aplicável ao funcionamento das creches

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO. Artigo 1º. Denominação e Fim. Artigo 2º. Processo de Admissão

REGULAMENTO INTERNO. Artigo 1º. Denominação e Fim. Artigo 2º. Processo de Admissão REGULAMENTO INTERNO Artigo 1º Denominação e Fim 1. A Casa de Repouso e Saúde de S. Brás (adiante designada por CRSS) é um equipamento privado de prestação de serviços de geriatria, titular do Alvará número

Leia mais

Direção Técnico -Pedagógica. Equipa Pedagógica. Ajudantes de Acção Educativa

Direção Técnico -Pedagógica. Equipa Pedagógica. Ajudantes de Acção Educativa VALÊNCIA DE CRECHE Ano letivo 2012/2013 CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objecto) O presente Regulamento Interno define: a) As normas de prestação do serviço socioeducativo e de cuidados no âmbito

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FÉRIAS

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FÉRIAS REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FÉRIAS Aprovado por deliberação da Assembleia Municipal de Azambuja de 19 de Setembro de 2012, publicada pelo Edital n.º 78/2012, de 26 de Outubro de 2012. Em vigor desde 10

Leia mais

FICHA DE RENOVAÇÃO DE INSCRIÇÃO

FICHA DE RENOVAÇÃO DE INSCRIÇÃO FICHA DE RENOVAÇÃO DE INSCRIÇÃO Data de Inscrição / / Admissão em / / Sala: Renovação em / / Sala: Saída em / / N.º Aluno DADOS DA CRIANÇA Nome Completo: Nome por que é tratado: Sexo: F M Data de Nascimento:

Leia mais

Capítulo 1 - Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF)

Capítulo 1 - Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF) Capítulo 1 - Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF) Norma I Enquadramento Institucional A ABLA é uma IPSS e ONGD de inspiração cristã evangélica criada em 1984 por beneméritos alemães. A Associação

Leia mais

NIF: 505 316 633 Rua Casal da Vinha, 2, Idanha 2605-108 Belas Regulamento Interno 2012/2013. Regulamento Interno. Ano Lectivo 2012/13

NIF: 505 316 633 Rua Casal da Vinha, 2, Idanha 2605-108 Belas Regulamento Interno 2012/2013. Regulamento Interno. Ano Lectivo 2012/13 CAF COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA Regulamento Interno Ano Lectivo 2012/13 INTRODUÇÃO O presente regulamento tem como objectivo estabelecer as normas e procedimentos de funcionamento da CAF, a funcionar

Leia mais

Normas de Funcionamento do Projeto FÉRIAS ATIVAS OBJECTIVO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO

Normas de Funcionamento do Projeto FÉRIAS ATIVAS OBJECTIVO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO Normas de Funcionamento do Projeto FÉRIAS ATIVAS OBJECTIVO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO As presentes Normas têm por objetivo regulamentar as questões de funcionamento das Atividades a realizar nos períodos de

Leia mais

MINUTA DE REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO

MINUTA DE REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO IMP02.PC05 MINUTA DE REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS NORMA I Âmbito de Aplicação Felisbela Tavares Santos Parrinha, Lda., gestora do Jardim Infantil Nossa Senhora da

Leia mais

Regulamento da Creche da Assembleia da República

Regulamento da Creche da Assembleia da República Regulamento da Creche da Assembleia da República Despacho n.º 855/2005, de 23 de novembro de 2004 publicado no Diário da República, II Série, n.º 9, de 13 de janeiro de 2005 com as alterações introduzidas

Leia mais

Regulamento das Consultas Externas. Índice

Regulamento das Consultas Externas. Índice Índice CAPÍTULO I...4 DISPOSIÇÕES GERAIS...4 ARTIGO 1º...4 (Noção de Consulta Externa)...4 ARTIGO 2º...4 (Tipos de Consultas Externas)...4 ARTIGO 3º...4 (Objectivos do Serviço de Consulta Externa)...4

Leia mais

Associação de Pais e Amigos da Freguesia de Cunha

Associação de Pais e Amigos da Freguesia de Cunha ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DA FREGUESIA DE CUNHA INSTITUIÇÃO PARTICULAR DE SOLIDARIEDADE SOCIAL Associação de Pais e Amigos da Freguesia de Cunha Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS)

Leia mais

Regulamento Interno de Funcionamento da Creche 2014-2015

Regulamento Interno de Funcionamento da Creche 2014-2015 Regulamento Interno de Funcionamento da Creche 2014-2015 Capitulo I Disposições Gerais Norma I - Âmbito de Aplicação A Creche do Estabelecimento de Ensino Particular e Cooperativo, designado por Passinhos

Leia mais

Regulamento Geral das Piscinas do Município de Gondomar

Regulamento Geral das Piscinas do Município de Gondomar Regulamento Geral das Piscinas do Município de Gondomar Capítulo I - Parte Geral Secção I - Disposições Gerais ARTIGO 1º - Âmbito de aplicação a) O presente regulamento é aplicável ao funcionamento e utilização

Leia mais

CEBE. Cooperativa de Ensino de Benfica, Crl REGULAMENTO INTERNO

CEBE. Cooperativa de Ensino de Benfica, Crl REGULAMENTO INTERNO CEBE Cooperativa de Ensino de Benfica, Crl REGULAMENTO INTERNO ÍNDICE Introdução 3 Pag 1 Regime de funcionamento 4 1.1 Horário 5 1.2 Acesso, circulação e saída da CEBE 6 2 Estrutura Pedagógica e Administrativa

Leia mais

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE CADAVAL 75 Anos ao Serviço da Comunidade 1930-2005

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE CADAVAL 75 Anos ao Serviço da Comunidade 1930-2005 INDICE Introdução.....2 CAPÍTULO I Descrição, localização e Admissão...4 CAPÍTULO II Serviços...5 CAPÍTULO III Funcionamento...6 CAPÍTULO IV Comparticipações, Pagamentos e Cessação...6 CAPÍTULO V Direitos

Leia mais

abla portugal 2012-2013 Jardim-de-Infância do Murtal

abla portugal 2012-2013 Jardim-de-Infância do Murtal abla portugal 2012-2013 Jardim-de-Infância do Murtal I Enquadramento Institucional A Associação de Beneficência Luso-Alemã é uma IPSS com sede no Junqueiro Carcavelos. Estabelecemos parceria com o Agrupamento

Leia mais

PROGRAMA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES EDUCATIVAS - 2ºCICLO

PROGRAMA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES EDUCATIVAS - 2ºCICLO REGULAMENTO INTERNO PROGRAMA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES EDUCATIVAS - 2ºCICLO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. FILIPA DE LENCASTRE Artigo 1º Finalidade O presente Regulamento tem por finalidade estabelecer as

Leia mais

EXTERNATO MARISTA DE LISBOA. Regulamento da Piscina do Externato Marista de Lisboa. Capitulo I Disposições Gerais

EXTERNATO MARISTA DE LISBOA. Regulamento da Piscina do Externato Marista de Lisboa. Capitulo I Disposições Gerais Pág. 1 de 5 EXTERNATO MARISTA DE LISBOA Regulamento da Piscina do Externato Marista de Lisboa Capitulo I Disposições Gerais Artigo 1º - Objeto O presente regulamento de utilização tem por objeto definir

Leia mais

Câmara Municipal de Vila Franca de Xira REGULAMENTO Nº 05/2005 REGULAMENTO DE CAMPOS DE FÉRIAS

Câmara Municipal de Vila Franca de Xira REGULAMENTO Nº 05/2005 REGULAMENTO DE CAMPOS DE FÉRIAS REGULAMENTO Nº 05/2005 REGULAMENTO DE CAMPOS DE FÉRIAS ARTIGO 1.º OBJECTIVO 1 O presente regulamento estabelece as regras gerais a observar nos Campos de Férias organizados pela Câmara Municipal de Vila

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOS CENTROS DE ACTIVIDADES E TEMPOS LIVRES (ATL)

REGULAMENTO INTERNO DOS CENTROS DE ACTIVIDADES E TEMPOS LIVRES (ATL) Associação de Pais ou Encarregados de Educação do Agrupamento de Escolas Moinhos da Arroja REGULAMENTO INTERNO DOS CENTROS DE ACTIVIDADES E TEMPOS LIVRES (ATL) Índice Página Capítulo I Disposições Gerais

Leia mais

CENTRO DE DIA REGULAMENTO INTERNO

CENTRO DE DIA REGULAMENTO INTERNO CENTRO DE DIA REGULAMENTO INTERNO 1 - ADMISSÃO Os utentes são admitidos no Centro de Dia pelo responsável da área social do Lar e Centro de Dia da Santa Casa da Misericórdia de Machico, em conformidade

Leia mais

Regulamento Interno das Componentes de Apoio à Família da AJEC. I. Funcionamento e Âmbito de Aplicação

Regulamento Interno das Componentes de Apoio à Família da AJEC. I. Funcionamento e Âmbito de Aplicação Regulamento Interno das Componentes de Apoio à Família da AJEC I. Funcionamento e Âmbito de Aplicação O presente Regulamento Interno tem por objetivo regulamentar o funcionamento do projeto Componente

Leia mais

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE CADAVAL 75 Anos ao Serviço da Comunidade 1930-2005 REGULAMENTO INTERNO CENTRO DE DIA

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE CADAVAL 75 Anos ao Serviço da Comunidade 1930-2005 REGULAMENTO INTERNO CENTRO DE DIA INDICE Introdução.....2 CAPÍTULO I Descrição, localização e Admissão...4 CAPÍTULO II Serviços...5 CAPÍTULO III Funcionamento...6 CAPÍTULO IV Comparticipações, Pagamentos e Cessação...8 CAPÍTULO V Direitos

Leia mais

GUIA PARA OS PAIS - EDUCAÇÃO INFANTIL

GUIA PARA OS PAIS - EDUCAÇÃO INFANTIL GUIA PARA OS PAIS - EDUCAÇÃO INFANTIL O QUE É? É um processo educativo que oscila entre a inserção e a autonomia. É uma etapa do sistema de educação que tem como objectivo proporcionar às crianças experiências

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO. Artigo 1º. Denominação e Fim

REGULAMENTO INTERNO. Artigo 1º. Denominação e Fim REGULAMENTO INTERNO Artigo 1º Denominação e Fim 1. A Casa de Repouso e Saúde de S. Brás (adiante designada por CRSS) é um equipamento privado de prestação de serviços de geriatria, titular do Alvará número

Leia mais

Regulamento Interno. Objectivo

Regulamento Interno. Objectivo Regulamento Interno Objectivo É objectivo dos campos de férias proporcionar iniciativas exclusivamente destinadas a crianças e jovens com idades compreendidas entre os 08 e os 18 anos, com a finalidade

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO. Jardim de Infância D. José da Costa Nunes

REGULAMENTO INTERNO. Jardim de Infância D. José da Costa Nunes REGULAMENTO INTERNO INTRODUÇÃO O foi criado em 1933 devendo o seu nome ao então Bispo de Macau. Tendo sido propriedade da Direção dos Serviços de Educação e Juventude até ao ano letivo 1997/1998 passou,

Leia mais

Regulamento Interno do Jardim-de-Infância Santa Casa da Misericórdia de Aveiro

Regulamento Interno do Jardim-de-Infância Santa Casa da Misericórdia de Aveiro Regulamento Interno do Jardim-de-Infância Santa Casa da Misericórdia de Aveiro Centro de Educação de Infância Casa da Cruz Rua Bento Moura, nº 14 Esgueira 3800-114 Aveiro Índice Capítulo I - Disposições

Leia mais

REGULAMENTO CAMPOS DE FÉRIAS 2015 OBJETIVO

REGULAMENTO CAMPOS DE FÉRIAS 2015 OBJETIVO REGULAMENTO CAMPOS DE FÉRIAS 2015 OBJETIVO É objetivo dos Campos de Férias do Pony Club do Porto proporcionar iniciativas exclusivamente destinadas a crianças com idades compreendidas entre os 5 e os 12

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO JARDIM DE INFÂNCIA

REGULAMENTO INTERNO JARDIM DE INFÂNCIA REGULAMENTO INTERNO JARDIM DE INFÂNCIA Abril 2014 Elaborado por: Aprovado por: Direção Data de elaboração: 26/03/2014 Edição: 01 Pág.: 2/ 14 Capítulo I Natureza e Missão Artigo 1º Missão Tendo como inspiração

Leia mais

Regulamento de Utilização e Funcionamento das Piscinas Municipais de Oleiros

Regulamento de Utilização e Funcionamento das Piscinas Municipais de Oleiros Regulamento de Utilização e Funcionamento das Piscinas Municipais de Oleiros Índice Preâmbulo Artigo 1.º Objectivo Artigo 2.º Normas de Acesso Artigo 3.º Tipos de Utilização Artigo 4.º Normas de Utilização

Leia mais

FICHA DE INSCRIÇÃO 2015/2016

FICHA DE INSCRIÇÃO 2015/2016 FICHA DE INSCRIÇÃO 2015/2016 1º Ciclo ESCALÃO FOTOGRFIA MENSALIDADE INSCRIÇÃO RENOVAÇÃO DATA DA INSCRIÇÃO: PREENCHER COM LETRAS MAIÚSCULAS COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA IDENTIFICAÇÃO DA CRIANÇA NOME DATA

Leia mais