Implementação da Lei de Acesso à Informação Pública. Lei nº /2011. Controladoria-Geral da União

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Implementação da Lei de Acesso à Informação Pública. Lei nº /2011. Controladoria-Geral da União"

Transcrição

1 Implementação da Lei de Acesso à Informação Pública Lei nº /2011 Controladoria-Geral da União Casa Civil

2 Lei n.º /2011 Comando central da Lei O acesso à informação é a regra. O sigilo é a exceção. Ou seja, todas as informações produzidas ou custodiadas pelo poder público e não classificadas como sigilosas são públicas e, portanto, acessíveis a todos os cidadãos. Lei segue tendência internacional: cerca de 90 países já possuem leis que regulamentam o direito de acesso à informação, como EUA, Inglaterra, Índia, México, Chile e Uruguai. 13

3 Lei n.º /2011 Quem deve cumprir Órgãos e entidades da Administração Direta e Indireta. Inclui empresas públicas, sociedades de economia mista e demais entidades controladas direta ou indiretamente pela União. Entidades privadas sem fins lucrativos que recebam recursos públicos. Recursos podem vir diretamente do orçamento; ou Mediante subvenções sociais, contratos de gestão, termos de parceria, convênios, acordos, ajustes ou outros instrumentos congêneres.

4 Lei n.º /2011 Principais comandos da Lei É dever do Estado garantir o direito de acesso à informação; A publicidade é o preceito geral e o sigilo a exceção; A informação deve ser franqueada de forma ágil, transparente, clara e de fácil compreensão; A divulgação de informações de interesse público independe de solicitações; O órgão ou entidade pública deverá autorizar ou conceder o acesso imediato à informação disponível; e A gestão da informação deve ser transparente e propiciar o amplo acesso.

5 Lei n.º /2011 Principais temas da Lei Novas regras para a classificação de documentos e informações e para os graus de sigilo. Divulgação proativa de informações, com a disponibilização na internet, independentemente de requisição. (Transparência ativa) Criação do Serviço de Informações ao Cidadão SIC, para o atendimento a requisições. (Transparência passiva) Estruturação de procedimentos e instâncias recursais em caso de negativa de acesso. Responsabilização dos órgãos, entidades e agentes públicos.

6 Providências Imediatas para a Implementação da Lei Lei entra em vigor em: 16 de maio de 2012

7 Providência imediata nº 1 Transparência ativa Divulgar na internet as informações básicas sobre: O órgão ou entidade; Setores de atuação; e Principais programas, ações e projetos. Divulgação se dará em página específica. Acesso será feito por banner na página inicial do site do órgão ou entidade. CGU disponibilizará padrão de site (wireframe) e o banner.

8 Conteúdo mínimo na internet 1) Competências, estrutura organizacional, autoridades, endereços e telefones do órgão ou entidade. 2) Dados e estatísticas do setor. 3) Descrição dos principais programas, ações, projetos e obras, com informações sobre sua execução, metas e indicadores de fácil compreensão. 4) Repasses, transferências de recursos e despesas. 5) Procedimentos licitatórios e contratos. 6) Resultados de inspeções, auditorias, prestações e tomadas de contas realizadas pelos órgãos de controle. 7) Repositório de perguntas frequentes (FAQ).

9 Providência imediata nº 2 Transparência passiva Implantar o Serviço de Informações ao Cidadão: Local de fácil acesso e identificado; Telefones e s dedicados e equipamentos; Servidores treinados para o atendimento aos cidadãos e encaminhamento dos requerimentos; e Fluxo de tramitação interna dos requerimentos. O SIC será responsável pelo recebimento, processamento, gerenciamento e envio da resposta aos pedidos de acesso à informação e pela orientação dos cidadãos. Órgão ou entidade deve designar ao menos 2 servidores para atuar no SIC e fornecer a infraestrutura necessária. CGU disponibilizará sistema eletrônico de registros de entradas e saídas de pedidos de acesso à informação, além de formulário padrão para a requisição.

10 Requerimentos de Informações 1) Requerimentos não precisam ser motivados. 2) Serão exigidas apenas a identificação do requerente e a especificação da informação desejada. 3) Prazo para resposta é de 20 dias, prorrogáveis por mais 10, desde que justificadamente. 4) A busca e o fornecimento das informações é gratuito. 5) Apenas cópias de documentos poderão ser cobradas. 6) Negativa de acesso deve ser motivada, cabendo recurso no âmbito do próprio órgão. 7) Indeferido o recurso interno, caberá novo recurso à CGU.

11 Providência imediata nº 3 Monitoramento Designar autoridade responsável pela implementação da Lei no órgão ou entidade: Preferência a autoridades diretamente subordinadas aos Ministros de Estado ou dirigentes da entidade. Constituir Grupo de Trabalho para planejar e coordenar a execução da Lei: Deve incluir as áreas diretamente envolvidas com o processo de atendimento aos cidadãos e disponibilização de informações, além daquelas mais demandadas nos requerimentos.

12 Providência imediata nº 4 Identificação das informações prioritárias Avaliar as informações que o órgão produz ou detém e que são de maior interesse da sociedade e: Disponibilizá-las na internet ou organizá-las de modo a permitir o atendimento aos requerimentos de acesso. Levantar todas as informações classificadas como sigilosas e: Reavaliar as classificações e os graus de sigilo.

13 Hipóteses de aplicação do sigilo A imposição de sigilo é procedimento excepcional. Como regra geral, podem ser classificadas apenas as informações cujo sigilo seja imprescindível à segurança da sociedade ou do Estado. Grau e Prazo Ultrassecreta 25 anos Secreta 15 anos Reservada 5 anos Autoridade Classificadora Presidente, Vice-Presidente, Ministros de Estado, Comandantes da Marinha, Exército e Aeronáutica e Chefes de Missões Diplomáticas e Consultares permanentes. Titulares de autarquias, fundações, empresas públicas e sociedades de economia mista. Ocupantes de cargos DAS-5 ou equivalente, e superiores.

14 Informações pessoais São aquelas relativas à intimidade, à vida privada, à honra e à imagem das pessoas. O acesso é restrito, independentemente de classificação, pelo prazo de 100 anos. Podem ter acesso às informações pessoais: Os agentes públicos legalmente autorizados; A pessoa à qual se referem; Terceiros, mediante consentimento expresso da pessoa à qual se referem; e Independentemente de consentimento, para as finalidades previstas no art. 31, 3º da Lei nº /11.

15 Cronograma de Implementação Lei entra em vigor em: 16 de maio de 2012

16 Ação Levantar e organizar informações Fevereiro Março Abril Maio X X X X X 1 Abastecer site padronizado Validar site e conteúdo X X X X Publicar site na internet X Elaborar fluxo interno de tramitação Selecionar servidores para o SIC X X X X X X 2 Treinar os servidores do SIC Disponibilizar infraestrutura do SIC Inaugurar o SIC X X X X X X X X X X X X 3 4 Indicar autoridade responsável Criar GT Identificar infos. mais demandadas Revisar informações sigilosas X X X X X X X X X X X X X X X X X X

17

Lei nº 12.527/2011 A Lei de Acesso à Informação e o papel dos Auditores Internos

Lei nº 12.527/2011 A Lei de Acesso à Informação e o papel dos Auditores Internos Lei nº 12.527/2011 A Lei de Acesso à Informação e o papel dos Auditores Internos 1 Luiz Alberto Sanábio Freesz Chefe da Controladoria Regional da União no Estado de MG Art. 5º. XXXIII todos têm direito

Leia mais

público Informação apoio:

público Informação apoio: público Entendendo a Lei Geral de Acesso à Informação apoio: ? Expediente texto Arthur Serra Massuda revisão Laura Tresca e Paula Martins arte e diagramação Cadu Elmadjian Entendendo a Lei Geral de Acesso

Leia mais

Lei de acesso a informações públicas: principais pontos

Lei de acesso a informações públicas: principais pontos Lei de acesso a informações públicas: principais pontos Íntegra do texto 1. Quem deve cumprir a lei Órgãos públicos dos três poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) dos três níveis de governo (federal,

Leia mais

Departamento de Segurança da Informação e Comunicações - DSIC. Tratamento da Classificação da Informação e Credenciamento de Segurança

Departamento de Segurança da Informação e Comunicações - DSIC. Tratamento da Classificação da Informação e Credenciamento de Segurança Departamento de Segurança da Informação e Comunicações - DSIC Tratamento da Classificação da Informação e Credenciamento de Segurança Roteiro O GSIPR e o DSIC Legislação / Conceitos Tratamento da Informação

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA: Auditoria de Gestão EXERCÍCIO: 2010 PROCESSO: 00190-015347/2011-28

Leia mais

Transparência no BNDES Mauro Figueiredo 1 e Jennifer Gleason 2

Transparência no BNDES Mauro Figueiredo 1 e Jennifer Gleason 2 Transparência no BNDES Mauro Figueiredo 1 e Jennifer Gleason 2 O Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) é um banco estatal 3, fundado em 1952, que opera sob a supervisão do ministério do Desenvolvimento,

Leia mais

20/IN01/DSIC/GSIPR 00 15/JUL/14 1/12

20/IN01/DSIC/GSIPR 00 15/JUL/14 1/12 20/IN01/DSIC/GSIPR 00 15/JUL/14 1/12 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Gabinete de Segurança Institucional Departamento de Segurança da Informação e Comunicações DIRETRIZES DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÕES

Leia mais

Jaime Antunes da Silva Diretor-Geral do Arquivo Nacional Presidente do Conselho Nacional de Arquivos CONARQ Presidente da Comissão de Coordenação do

Jaime Antunes da Silva Diretor-Geral do Arquivo Nacional Presidente do Conselho Nacional de Arquivos CONARQ Presidente da Comissão de Coordenação do Jaime Antunes da Silva Diretor-Geral do Arquivo Nacional Presidente do Conselho Nacional de Arquivos CONARQ Presidente da Comissão de Coordenação do Sistema de Gestão de Documentos de Arquivo - SIGA, da

Leia mais

Tudo sobre a Lei Geral de Acesso à Informação, uma conquista da cidadania

Tudo sobre a Lei Geral de Acesso à Informação, uma conquista da cidadania Tudo sobre a Lei Geral de Acesso à Informação, uma conquista da cidadania Por Antônio Augusto de Queiroz (*) A presidente da República, Dilma Rousseff, deve sancionar, até o dia 23 de novembro de 2011,

Leia mais

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER Referência: 60502.0008/201-16. Assunto: Restrição de acesso: Ementa: Órgão ou entidade recorrido (a): Recorrente: Recurso contra justificativa

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL SOBRE A APLICAÇÃO DA LEI DE ACESSO À INFORMAÇÃO NO SENADO FEDERAL

RELATÓRIO ANUAL SOBRE A APLICAÇÃO DA LEI DE ACESSO À INFORMAÇÃO NO SENADO FEDERAL RELATÓRIO ANUAL SOBRE A APLICAÇÃO DA LEI DE ACESSO À INFORMAÇÃO NO SENADO FEDERAL Brasília 2013 SUMÁRIO MOTIVAÇÃO DO RELATÓRIO... 3 INTRODUÇÃO... 3 INICIATIVAS DO SENADO FEDERAL PARA ADEQUAÇÃO À LEI DE

Leia mais

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30)

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30) UNIP Brasília - Crdenaçã CG/CW/GR/AD Senhres Aluns, Seguem infrmações imprtantes sbre PIM: 1. O QUE É? - Os PIM (Prjet Integrad Multidisciplinar) sã prjets brigatóris realizads els aluns ds curss de graduaçã

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA DE CONTAS EXTRAORDINÁRIAS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA DE CONTAS EXTRAORDINÁRIAS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA DE CONTAS EXTRAORDINÁRIAS TIPO DE AUDITORIA: Auditoria de Gestão EXERCÍCIO: 2011 PROCESSO:

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO ANTÔNIO DA PLATINA - PR

CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO ANTÔNIO DA PLATINA - PR JANEIRO 75 0 75 2 73 1440 0 1440 104 1336 7 0 7 5 2 119 0 119 1 118 293 0 293 11 282 225 0 225 5 220 2 0 2 0 2 116 0 116 4 112 Página 1 de 12 FEVEREIRO 73 0 73 2 71 1336 0 1336 385 951 2 0 2 2 0 118 0

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 001844 - TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLV.DE SISTEMAS Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 001844 - TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLV.DE SISTEMAS Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 001844 - TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLV.DE SISTEMAS Nivel: Superior Area Profissional: 0018 - INFORMATICA Area de Atuacao: 0021 - OPERACAO

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000232 - ADMINISTRACAO Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000232 - ADMINISTRACAO Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000232 - ADMINISTRACAO Nivel: Superior Area Profissional: 0006 - COMUNICACAO Area de Atuacao: 0122 - RELACIONAMENTO CLIENTE/COM. Planejar

Leia mais

CONVENIO PARA CONTRATACAO. DE CONSoRCIO

CONVENIO PARA CONTRATACAO. DE CONSoRCIO CONS ORCIO 0 Banasul realizando sonhos earn voc* 1 CONVENIO PARA CONTRATACAO. DE CONSoRCIO BANRISUL SJA ADMINISTRADORA DE CONSORCIOS, corn sede na Av. Presidente Vargas no 2296 na cidade de Esteio/RS,

Leia mais

O Prefeito Constitucional de Nova Palmeira, Estado da Paraíba, no uso de suas atribuições legais,

O Prefeito Constitucional de Nova Palmeira, Estado da Paraíba, no uso de suas atribuições legais, DECRETO Nº 009/2015, de 10 de julho de 2015 O Prefeito Constitucional de Nova Palmeira, Estado da Paraíba, no uso de suas atribuições legais, DECRETA: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Este Decreto

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000026 - COMUNICACAO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000026 - COMUNICACAO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000026 - COMUNICACAO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nivel: Superior Area Profissional: 0006 - COMUNICACAO Area de Atuacao: 0110 - EDITORACAO/COMUNICACAO

Leia mais

e- SIC Manual do Cidadão

e- SIC Manual do Cidadão e- SIC Manual do Cidadão Sumário Introdução... 3 O e-sic... 4 Primeiro acesso... 5 Cadastrando-se no e-sic... 6 Acessando o e-sic... 7 Funções do e-sic... 8 Envio de avisos por e-mail pelo e-sic... 9 Como

Leia mais

MODELO DE GESTÃO: A experiência da Prefeitura de Porto Alegre

MODELO DE GESTÃO: A experiência da Prefeitura de Porto Alegre SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E ORÇAMENTO - SMPEO PORTAL TRANSPARÊNCIA E ACESSO À INFORMAÇÃO DE PORTO ALEGRE 14 REUNIÃO DA CÂMARA TEMÁTICA NACIONAL DE TRANSPARÊNCIA RIO DE JANEIRO /

Leia mais

CARTA DE SERVIÇOS. Coordenação-Geral da Gestão da Carreira de Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental.

CARTA DE SERVIÇOS. Coordenação-Geral da Gestão da Carreira de Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental. CARTA DE SERVIÇOS Coordenação-Geral da Gestão da Carreira de Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental Brasília - DF Secretaria de Gestão Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão

Leia mais

REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2012 (Do Sr. Augusto Coutinho)

REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2012 (Do Sr. Augusto Coutinho) REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2012 (Do Sr. Augusto Coutinho) Solicita informações ao Excelentíssimo Ministro de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Sr. Marco Antônio Raupp, sobre a implantação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS EDITAL Nº 24/2015 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE QUALIFICAÇÃO

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000026 - COMUNICACAO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000026 - COMUNICACAO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000026 - COMUNICACAO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nivel: Superior Area Profissional: COMUNICACAO Area de Atuacao: EDITORACAO/COMUNICACAO

Leia mais

nº 18/2012 23 de maio de 2012.

nº 18/2012 23 de maio de 2012. nº 18/2012 23 de maio de 2012. Sumário SUMÁRIO... 2 2.00 ASSUNTOS FEDERAIS... 3 2.04 LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA... 3 DECRETO Nº 7.724, DE 16 DE MAIO DE 2012-DOU de 16/05/2012 (nº 94-A Edição

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União NOTA TÉCNICA /2012/OGU/CGU-PR Referência: Assunto: 904/2012 (protocolo SIC PETROBRAS) Recurso do art. 23 do Decreto nº 7.724/2012, referente ao pedido de acesso à informação feito à PETROBRAS pelo Senhor

Leia mais

LEI DE ACESSO À INFORMAÇÃO PÚBLICA. Um guia prático para políticos, autoridades e funcionários da Administração Pública

LEI DE ACESSO À INFORMAÇÃO PÚBLICA. Um guia prático para políticos, autoridades e funcionários da Administração Pública LEI DE ACESSO À INFORMAÇÃO PÚBLICA Um guia prático para políticos, autoridades e funcionários da Administração Pública Redação: Manuella Maia Ribeiro Revisão: Alexandre Andrade Sampaio e Anita Reis Esta

Leia mais

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia AGESPI AGESPI 12. AGESPI A Assessoria na Gestão de Projetos e Convênios Institucionais AGESPI trabalha na perspectiva de obter linhas de financiamento através

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DESPACHO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DESPACHO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DESPACHO Referência: 25820.001179/2012-31 Assunto: Recurso contra decisão denegatória ao pedido de acesso à informação requerido à Agência Nacional

Leia mais

Quem faz o pedido, ou quem for nomeado como administrador pela pessoa que fez o pedido.

Quem faz o pedido, ou quem for nomeado como administrador pela pessoa que fez o pedido. VirtuaLand Network Solutions http://www.virtualand.net info@virtualand.net F.A.Q Listas de Discussão TIPOS DE LISTA Pública: O proprio usuario se cadastra, sem a interferência do administrador. Porém,

Leia mais

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao.

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000184 - SISTEMAS DE INFORMACAO Nivel: Superior Area Profissional: 0018 - INFORMATICA Area de Atuacao: 0018 - BANCO DE DADOS/INFORMATICA

Leia mais

1 de 6 30/10/2015 17:02

1 de 6 30/10/2015 17:02 1 de 6 30/10/2015 17:02 GOVERNO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRACAO E DOS RECURSOS HUMANOS CONCURSO PUBLICO EDITAL N 001/2015 SEARH SEEC/RN, DE 30 DE OUTUBRO DE 2015 A Secretaria

Leia mais

Projeto: Beta para Todos Início: 15/09/2014 Gerente de Projetos: Nestor G. de Resende Junior

Projeto: Beta para Todos Início: 15/09/2014 Gerente de Projetos: Nestor G. de Resende Junior Plano de Projeto Projeto: Beta para Todos Início: 15/09/2014 Projetos: Nestor G. de Resende Junior Término: 30/11/2014 Versão: 1.0 Sumário 1.Introdução...2 1.1.Justificativa...3 1.2.Descrição do Projetos...3

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Institucional PDI UFPA 2011-2015

Plano de Desenvolvimento Institucional PDI UFPA 2011-2015 Plano de Desenvolvimento Institucional PDI UFPA 2011-2015 Belém Pará - Brasil Dezembro/ 2012 UFPA em Números 01 Cidade Universitária 11 campi 48.554 alunos 16.545 no interior 2.154 professores efetivos

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos 1 de 8 3/10/2012 13:55 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 6.170, DE 25 DE JULHO DE 2007. Vigência (Vide Portaria Interministerial nº 507, de 2011) Dispõe sobre

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO O DE DEFESA DO CONSUMIDOR. 06 de maio de 2009 DEPARTAMENTO NACIONAL DE TRÂNSITO. Denatran. Ministério Das Cidades

CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO O DE DEFESA DO CONSUMIDOR. 06 de maio de 2009 DEPARTAMENTO NACIONAL DE TRÂNSITO. Denatran. Ministério Das Cidades CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO O DE DEFESA DO CONSUMIDOR 06 de maio de 2009 DEPARTAMENTO NACIONAL DE TRÂNSITO LACRES PORTARIA DENATRAN Nº N 272/07 PORTARIA DENATRAN Nº N 272 DE 21 DE DEZEMBRO DE 2007 Estabelece

Leia mais

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI 6.1 Requisits de Capacidade e Experiência d Prestadr A ANEEL deveria exigir um puc mais quant a estes requisits, de frma a garantir uma melhr qualificaçã da empresa a ser cntratada.

Leia mais

Política de. [ comunicação] Forluz

Política de. [ comunicação] Forluz Política de [ comunicação] Forluz Índice Apresentação...4 Missão da Forluz...5 Condições para aplicação deste documento...6 Objetivos da Política de Comunicação...7 Diretrizes da Política de Comunicação...8

Leia mais

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao.

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000407 - REDES DE COMPUTADORES Nivel: Superior Area Profissional: 0018 - INFORMATICA Area de Atuacao: 0018 - BANCO DE DADOS/INFORMATICA

Leia mais

Sistemas Institucionais Integrados SIG. Camilo de Lélis Diretoria de Sistemas SINFO/UFRN

Sistemas Institucionais Integrados SIG. Camilo de Lélis Diretoria de Sistemas SINFO/UFRN Sistemas Institucionais Integrados SIG Camilo de Lélis Diretoria de Sistemas SINFO/UFRN Agenda Sistemas Institucionais Integrados SIGAA (Acadêmico) SIPAC (Administrativo) SIGRH (Recursos Humanos) SIGPP

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO Nº : 04972.000579/2007-59 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

Guia para implantação da nova versão do SCDP

Guia para implantação da nova versão do SCDP Guia para implantação da nova versão do SCDP Dezembro/2013 PARTE 1 SUMÁRIO 1. PRINCIPAIS NOVIDADES NA NOVA VERSÃO...3 1.1. Melhorias no controle do orçamento...3 1.2. Melhorias na execução financeira...3

Leia mais

APRESENTAÇÃO(bis) EFOCOS ATUAIS 2º ENCONTRO DE FACILITADORES DE CAPACITAÇÃO DA USP

APRESENTAÇÃO(bis) EFOCOS ATUAIS 2º ENCONTRO DE FACILITADORES DE CAPACITAÇÃO DA USP APRESENTAÇÃO(bis) EFOCOS ATUAIS 2º ENCONTRO DE FACILITADORES DE CAPACITAÇÃO DA USP PROF. GUILHERME ARY PLONSKI- AGOSTO/2013 ROTEIRO 1. PROPOSIÇÃO A UNIVERSIDADE EM TRANSFORMAÇÃO ESCOLAUSP: MISSÃO E VISÃO

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União DESPACHO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União DESPACHO DESPACHO Referência: 16853.007082/2012-64 Assunto: Recurso contra decisão denegatória ao pedido de acesso à informação requerido ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC pelo

Leia mais

Lei de Acesso a Informações Públicas O que você precisa saber

Lei de Acesso a Informações Públicas O que você precisa saber 1 Lei de Acesso a Informações Públicas Atualizado em junho/2012 www.informacaopublica.org.br Fórum de Direito de Acesso a Informações Públicas Diretor Responsável Fernando Rodrigues Coordenador Fernando

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PRÓ-GESTÃO DAS ÁGUAS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARAÍBA DO SUL ANEXO 4 R E G U L A M E N T O DE RECURSOS HUMANOS

ASSOCIAÇÃO PRÓ-GESTÃO DAS ÁGUAS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARAÍBA DO SUL ANEXO 4 R E G U L A M E N T O DE RECURSOS HUMANOS ASSOCIAÇÃO PRÓ-GESTÃO DAS ÁGUAS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARAÍBA DO SUL ANEXO 4 R E G U L A M E N T O DE RECURSOS HUMANOS SUMÁRIO SUMÁRIO 2 1. FINALIDADE 3 2. APLICAÇÃO 3 3. PRINCÍPIOS BÁSICOS 3 4.

Leia mais

Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL

Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL Hospital de Clínicas de Porto Alegre Ministério da Educação Responsável: Sérgio Carlos Eduardo Pinto

Leia mais

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS PROJETO DE LEI Regula o acesso a informações previsto no inciso XXXIII do art. 5 o, no inciso II do 3 o do art. 37 e no 2 o do art. 216 da Constituição, e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

Leia mais

O Presidente do Conselho Superior de Acadêmico (CONSEA) da Fundação Universidade

O Presidente do Conselho Superior de Acadêmico (CONSEA) da Fundação Universidade Resolução nº 200/CONSEA, de 19 de fevereiro de 2009. Altera normas para o oferecimento de cursos de pós-graduação Stricto Sensu e lato sensu, pelos Departamentos da Fundação Universidade Federal de Rondônia

Leia mais

TECNICO EM INFORMATICA PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO

TECNICO EM INFORMATICA PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO (s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 500446 - TECNICO EM INFORMATICA Nivel: Tecnico Area Profissional: 0042 - COMERCIO-TEC Area de Atuacao: 0440 - BANCO DADOS/COMERCIO-TEC

Leia mais

MENSAGEM CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

MENSAGEM CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO MENSAGEM O Código de Ética do Banco do Brasil vem reafirmar a contínua valorização dos preceitos éticos existentes na cultura da Organização, reconhecidos pela comunidade. Nasce da realidade da Empresa,

Leia mais

Núcleo de Gestão Ambiental Avançada - NUGA

Núcleo de Gestão Ambiental Avançada - NUGA Núcleo de Gestão Ambiental Avançada - NUGA Coordenador(es): Istvan Karoly Kasznar MISSÃO O Núcleo de Gestão Ambiental Avançada (NUGA) foi concebido para desenvolver estudos e práticas inovadoras de gestão

Leia mais

Planejamento Estratégico nos Órgãos Públicos

Planejamento Estratégico nos Órgãos Públicos Planejamento Estratégico nos Órgãos Públicos Juan Cristóbal Bonnefoy ILPES-CEPAL Curso-seminário Políticas orçamentárias e gestão pública por resultados Caucaia, Ceará, Brasil, agosto de 2005 Pilares do

Leia mais

Ministério Público do Estado de São Paulo. Procuradoria-Geral de Justiça

Ministério Público do Estado de São Paulo. Procuradoria-Geral de Justiça Ministério Público do Estado de São Paulo Procuradoria-Geral de Justiça GAIMP Grupo de Acompanhamento da Informatização do Ministério Público Doutor Alberto Carlos Dib Júnior Promotor de Justiça Coordenador

Leia mais

12-03-12 - Limitação do direito à dedução do IVA

12-03-12 - Limitação do direito à dedução do IVA 12-03-12 - Limitação do direito à dedução do IVA Segundo o Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE), um Estado membro pode autorizar um sujeito passivo a deduzir o IVA segundo um método diferente do

Leia mais

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao.

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000654 - TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES Nivel: Superior Area Profissional: 0018 - INFORMATICA Area de Atuacao: 0018 - BANCO DE DADOS/INFORMATICA

Leia mais

(s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000065 - LETRAS Nivel: Superior

(s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000065 - LETRAS Nivel: Superior (s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000065 - LETRAS Nivel: Superior Area Profissional: 0004 - BIBLIOTECA Area de Atuacao: 0042 - ACERVO/BIBLIOTECA Analisar e processar

Leia mais

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER. Recurso contra decisão denegatória ao pedido de acesso à informação. Sem restrição.

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER. Recurso contra decisão denegatória ao pedido de acesso à informação. Sem restrição. Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União Referência: 99928.000163/201-10 Assunto: Restrição de acesso: Providências adicionais PARECER Recurso contra decisão denegatória ao pedido de acesso

Leia mais

Guia. 2ª versão GUIA PARA CRIAÇÃO DA SEÇÃO DE ACESSO À INFORMAÇÃO NOS SÍTIOS ELETRÔNICOS DOS ÓRGÃOS E ENTIDADES FEDERAIS

Guia. 2ª versão GUIA PARA CRIAÇÃO DA SEÇÃO DE ACESSO À INFORMAÇÃO NOS SÍTIOS ELETRÔNICOS DOS ÓRGÃOS E ENTIDADES FEDERAIS Guia 2ª versão GUIA PARA CRIAÇÃO DA SEÇÃO DE ACESSO À INFORMAÇÃO NOS SÍTIOS ELETRÔNICOS DOS ÓRGÃOS E ENTIDADES FEDERAIS Sumário A. Introdução 3 B. Padrão para identificação da seção Acesso à Informação

Leia mais

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal Mapa de obras contratadas pela CEF, em andamento com recursos do Governo Federal 5.048

Leia mais

Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse SICONV. Medidas para Desburocratização das Transferências Voluntárias

Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse SICONV. Medidas para Desburocratização das Transferências Voluntárias Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse SICONV Medidas para Desburocratização das Transferências Voluntárias Departamento de Transferências Voluntárias da União Brasília, 01 de abril de 2014

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SINTÉTICO 2013 2016 - REVISÃO 2014

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SINTÉTICO 2013 2016 - REVISÃO 2014 Anexo à Resolução CGM 1.143 DE 08/07/2014 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SINTÉTICO 2013 2016 - REVISÃO 2014 INTRODUÇÃO Este trabalho é o produto de discussões finalizados em fevereiro de 2014, junto à Comissão

Leia mais

Boas vindas e apresentações Objetivos e agenda do encontro Encerramento espaço livre

Boas vindas e apresentações Objetivos e agenda do encontro Encerramento espaço livre 1 Boas vindas e apresenta Objetiv e agenda do encontro Encerramento espaço livre Boas vindas (10 minut) Fernando Barba, Coordenador Geral de Desenvolvimento Institucional e Programas de Gestão SGE/SE Apresenta

Leia mais

DECRETO Nº 2.134, DE 24 DE JANEIRO DE

DECRETO Nº 2.134, DE 24 DE JANEIRO DE DECRETO Nº 2.134, DE 24 DE JANEIRO DE 1997 (Revogado Pelo Decreto nº 4.553, de 27.12.2002) Regulamenta o art. 23 da Lei nº 8.159, de 8 de janeiro de 1991, que dispõe sobre a categoria dos documentos públicos

Leia mais

DECRETO Nº 6.029, DE 1º DE FEVEREIRO DE 2007

DECRETO Nº 6.029, DE 1º DE FEVEREIRO DE 2007 SENADO FEDERAL SUBSECRETARIA DE INFORMAÇÕES DECRETO Nº 6.029, DE 1º DE FEVEREIRO DE 2007 Institui Sistema de Gestão da Ética do Poder Executivo Federal, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA,

Leia mais

Definição e Implementação de Metodologia, Modelo e Ferramentas para Avaliação de Projectos e Despesas TIC

Definição e Implementação de Metodologia, Modelo e Ferramentas para Avaliação de Projectos e Despesas TIC Definição e Implementação de Metodologia, Modelo e Ferramentas para Avaliação de Projectos e Despesas TIC Overview do Processo de Avaliação de Projectos e Despesas TIC www.ama.pt Índice 1. Enquadramento

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 139, DE 29 DE JUNHO DE 2012

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 139, DE 29 DE JUNHO DE 2012 Publicada no Boletim de Serviço, n. 7, p. 13-18 em 6/7/2012 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 139, DE 29 DE JUNHO DE 2012 Dispõe sobre o fornecimento e a autenticação de cópias e impressões e dá outras providências.

Leia mais

Procedimentos Para Visita e/ou Entrada-Saída de Equipamentos ao Housing Intelig Telecom

Procedimentos Para Visita e/ou Entrada-Saída de Equipamentos ao Housing Intelig Telecom 1. OBJETIVO Este documento tem como objetivo descrever a metodologia para o Controle de Acesso, Entrada e Saída de Clientes Dentro ou Fora do Ambiente Housing., bem como a metodologia para o recebimento

Leia mais

segurança da informação

segurança da informação Superior Tribunal de Justiça Secretaria de Controle Interno CARTILHA segurança da informação Coordenadoria de Auditoria de Tecnologia da Informação O que você faz para proteger as informações do STJ?

Leia mais

Manual do Siorg - Cadastro de Estruturas Organizacionais

Manual do Siorg - Cadastro de Estruturas Organizacionais Manual do Siorg - Cadastro de Estruturas Organizacionais Julho / 2014 Sumário 1. Introdução...4 1.1. Contextualização...4 1.2. A Secretaria de Gestão Pública...5 2. Solicitação de Acesso ao Sistema...6

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO RM Agilis Manual do Usuário Ouvidoria, Correspondência Interna, Controle de Processos, Protocolo Eletrônico, Solicitação de Manutenção Interna, Solicitação de Obras em Lojas,

Leia mais

Fundos de Investimentos

Fundos de Investimentos Fundos de Investimentos 1 O que e um fundo de investimentos? Um fundo de investimentos concentra em uma unica entidade juridica, varios investidores com o mesmo objetivo e que compartilham a mesma estrategia

Leia mais

Programa San Tiago Dantas de Apoio ao Ensino de Relações Internacionais

Programa San Tiago Dantas de Apoio ao Ensino de Relações Internacionais C A P E S Programa San Tiago Dantas de Apoio ao Ensino de Relações Internacionais A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) convida as instituições públicas de ensino superior

Leia mais

CONVÊNIOS DO SINTRAESCO

CONVÊNIOS DO SINTRAESCO CONVÊNIOS DO SINTRAESCO FACULDADES - Pegar Autorização no Sindicato 01 UNIRONDON CENTRO UNIVERSITARIO CANDIDO RONDON TELEFONE: 3316-4000 (Desconto de 40% até o dia 10 de cada mês para os filiados) 02 UNIC

Leia mais

Universidade Federal de Roraima Diretoria de Tecnologia da Informação SIG Software e Consultoria em T.I

Universidade Federal de Roraima Diretoria de Tecnologia da Informação SIG Software e Consultoria em T.I SIPAC - PROTOCOLO Manual de Memorand Cadastro e Autenticação 1 Tela Inicial do SIPAC Ao acessar o SIPAC, a tela acima é apresentada. Nela, estão presentes todos os memorandos destinados ao usuário que

Leia mais

MARINHA DO BRASIL BASE DE HIDROGRAFIA DA MARINHA EM NITERÓI CÓDIGO DE ÉTICA

MARINHA DO BRASIL BASE DE HIDROGRAFIA DA MARINHA EM NITERÓI CÓDIGO DE ÉTICA MARINHA DO BRASIL ER/NC/05 010.01 BASE DE HIDROGRAFIA DA MARINHA EM NITERÓI CÓDIGO DE ÉTICA 1. APRESENTAÇÃO A Base de Hidrografia da Marinha em Niterói (BHMN) foi criada por meio da Portaria nº 361/MM,

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu MBA em Gestã de Prjets A Faculdade de Tecnlgia SENAI/SC em Flrianóplis

Leia mais

LEI Nº 4.075 DE 10 DE JULHO DE 2012

LEI Nº 4.075 DE 10 DE JULHO DE 2012 LEI Nº 4.075 DE 10 DE JULHO DE 2012 ESTABELECE procedimentos de acesso à informação pública no âmbito do Município, e dá outras providências... ANTÔNIO VICENTE PIVA, PREFEITO DO MUNICÍPIO DE NÃO-ME-TOQUE

Leia mais

GESTÃO DE MÉTRICAS. Sistema de Gestão de Métricas

GESTÃO DE MÉTRICAS. Sistema de Gestão de Métricas GESTÃO DE MÉTRICAS 2010 Sistema de Gestão de Métricas SUMÁRIO Sumá rio Introduçá o 1 Processos de Nego cios 2 Instáláçá o 3 Operáçá o 4 Mánutençá o 29 Informáço es de contáto 41 INTRODUÇÃO Introduçá o

Leia mais

Experiência: GESTÃO ELETRÔNICA DE DOCUMENTOS NA MARINHA. Marinha do Brasil - MB Diretoria de Administração da Marinha DadM

Experiência: GESTÃO ELETRÔNICA DE DOCUMENTOS NA MARINHA. Marinha do Brasil - MB Diretoria de Administração da Marinha DadM 1 Experiência: GESTÃO ELETRÔNICA DE DOCUMENTOS NA MARINHA Marinha do Brasil - MB Diretoria de Administração da Marinha DadM Responsável: Vice-Almirante (IM) Flavio Lucio Cortez de Barros Equipe: Oficiais,

Leia mais

TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO CLASSIFICADA NO GOVERNO FEDERAL. Departamento de Segurança da Informação e Comunicações - DSIC SE/GSI/PR

TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO CLASSIFICADA NO GOVERNO FEDERAL. Departamento de Segurança da Informação e Comunicações - DSIC SE/GSI/PR TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO CLASSIFICADA NO GOVERNO FEDERAL Departamento de Segurança da Informação e Comunicações - DSIC SE/GSI/PR 2º. Encontro Rede SIC - Serviço de Informação ao Cidadão MPOG 20 de Novembro

Leia mais

Proteção de dados e acesso à informação. Mario Viola

Proteção de dados e acesso à informação. Mario Viola Proteção de dados e acesso à informação Mario Viola Seminário sobre a Lei de Acesso à Informação Anvisa 06 de agosto de 2013 Leis de Acesso à Informação David Banisar - 2013 Acesso à Informação Declaração

Leia mais

tl IHrnTUTO ITDtRAI. Of ~~O.CI(H(IA ( T((HOI.OGIA

tl IHrnTUTO ITDtRAI. Of ~~O.CI(H(IA ( T((HOI.OGIA tl IHrnTUTO ITDtRAI. Of ~~O.CI(H(IA ( T((HOI.OGIA EDITAL N 247/15, DE 05 DE MAIO DE 2015 0 Reitor do lnstituto Federal de Educa9ao, Ciencia e Tecnologia de Sao Paulo (IFSP) torna publico o presente edital

Leia mais

Manual de Procedimentos GGAF

Manual de Procedimentos GGAF Manual de Procedimentos GGAF 2014 Ficha Técnica Diretoria Diretor Presidente: Marcelo Pacho dos Guaranys Diretor de Aeronavegabilidade: Cláudio Passos Simão Diretor de Regulação Econômica: Ricardo Sérgio

Leia mais

1ª EDIÇÃO. Regulamento

1ª EDIÇÃO. Regulamento 1ª EDIÇÃO Regulament 1. OBJETIVO O Prêmi BRASILIDADE é uma iniciativa d Serviç de Api às Micr e Pequenas Empresas n Estad d Ri de Janeir SEBRAE/RJ, idealizad pr Izabella Figueired Braunschweiger e cm a

Leia mais

2 Oferta de cursos técnicos e superiores por eixo tecnológico, por Campus. Taxa de ingresso nos cursos técnicos na forma de oferta, por Campus

2 Oferta de cursos técnicos e superiores por eixo tecnológico, por Campus. Taxa de ingresso nos cursos técnicos na forma de oferta, por Campus PERSPECTIVA OBJETIVO INDICADOR META RESULTADOS INSTITUCIONAIS 1 Nº de cursos técnicos e superiores, articulados com os arranjos produtivos locais por Campus; 2 Oferta de cursos técnicos e superiores por

Leia mais

PROTOCOLO. 1. A Imperio Bonanca e uma entidade legalmente autorizada a desenvolver a actividade seguradora em Portugal;

PROTOCOLO. 1. A Imperio Bonanca e uma entidade legalmente autorizada a desenvolver a actividade seguradora em Portugal; ~ ~~ PROTOCOLO Entre, Exercito Portugues, pessoa colectiva numero 600 021 610, devidamente representado neste acto pelo Exmo. Senhor Tenente-General Eduardo Manuel de Lima Pinto, na qualidade de Comandante

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE

FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE (Prt. MEC nº 797/14, de 11/09/2014, publicada n DOU em 12/09/2014) EDITAL 2015 PROCESSO SELETIVO O Diretr Geral da Faculdade de Educaçã em Ciências da Saúde (FECS),

Leia mais

GABINETE DO PREFEITO

GABINETE DO PREFEITO Dados do requerente - obrigatórios Nome: CPF: Endereço físico: Cidade: Estado: CEP: Endereço eletrônico (e-mail): Dados do requerente não obrigatórios ATENÇÃO: Os dados não obrigatórios serão utilizados

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 03, DE 10 DE MAIO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 03, DE 10 DE MAIO DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 03, DE 10 DE MAIO DE 2011 Disciplina os procedimentos a serem adotados relativos à comercialização e utilização do Alojamento da ENAP. O PRESIDENTE DO CONSELHO DIRETOR DA FUNDAÇÃO NACIONAL

Leia mais

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao.

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000053 - ENGENHARIA DA COMPUTACAO Nivel: Superior Area Profissional: INFORMATICA Area de Atuacao: BANCO DE DADOS/INFORMATICA Planejar, administrar,

Leia mais

PORTARIA Nº 076 DE 21 DE JANEIRO DE 2014.

PORTARIA Nº 076 DE 21 DE JANEIRO DE 2014. PORTARIA Nº 076 DE 21 DE JANEIRO DE 2014. Dispõe sobre aprovação da Política de Segurança da Informação do IFMG. O REITOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS, no uso

Leia mais

PROGEP PRÓ REITORIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAL

PROGEP PRÓ REITORIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAL PROGEP PRÓ REITORIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAL MISSÃO Atuar como agente de mudança desenvolvendo políticas de gestão de pessoas que contribuam para o alcance dos objetivos institucionais. Planejar

Leia mais

DISSEMINAÇÃO ATUARIAL: PERSPECTIVAS PARA A PROFISSÃO ADRIANA OKADA

DISSEMINAÇÃO ATUARIAL: PERSPECTIVAS PARA A PROFISSÃO ADRIANA OKADA DISSEMINAÇÃO ATUARIAL: PERSPECTIVAS PARA A PROFISSÃO ADRIANA OKADA Novos Cenários Crises Recentes: Desaquecimento Econômico e Baixo Retorno Financeiro Mudanças Econômicas Maior Concorrência Novos Cenários

Leia mais

D I R E T O R D E S E G U R I D A D E

D I R E T O R D E S E G U R I D A D E D I R E T O R D E S E G U R I D A D E PLANO MISTO DOCAS - Ações tomadas/articulações junto aos Ministérios e Secretarias/posição atual - Benefícios (vantagens) - Aceitação pelas Patrocinadoras/porquê sua

Leia mais

CONTROLE INTERNO. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado

CONTROLE INTERNO. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado CONTROLE INTERNO Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado PLANO DE AULA Inadequação do controle interno adotado pelos municípios Controle interno pró-ativo Legislação municipal mínima INADEQUAÇÃO DO CONTROLE INTERNO

Leia mais

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER. Recurso contra decisão denegatória ao pedido de acesso à informação.

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER. Recurso contra decisão denegatória ao pedido de acesso à informação. Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER Referência: 60502.000113/201-90 Assunto: Restrição de acesso: Ementa: Órgão ou entidade recorrido (a): Recorrente: R. N. B. R. Recurso contra

Leia mais

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER Referência: 23480.011516/2014-33 Assunto: Restrição de acesso: Providências adicionais: Ementa: Órgão ou entidade recorrido (a): Recorrente:

Leia mais