Sistemas Embarcados. Introdução aos sistemas embarcados

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sistemas Embarcados. Introdução aos sistemas embarcados"

Transcrição

1 Sistemas Embarcados Introdução aos sistemas embarcados

2 Introdução aos Sistemas embarcados Definição de um sistema embarcado Exemplos de sistemas embarcados Processadores utilizados em sistemas embarcados A linguagem C Os compiladores C O compilador CCS PICC Exemplo de código fonte em CCS PICC Introdução aos Sistemas Embarcados 2

3 Definição de um sistema embarcado Um sistema embarcado é um sistema informático dedicado ao controle de um determinado dispositivo. Este sistema informático muitas vezes se confunde com o próprio dispositivo. Dependendo do sistema, pode possuir funcionalidades de aquisição de sinais analógicos e digitais vindos de sensores ou outras interfaces. Introdução aos Sistemas Embarcados 3

4 Definição de um sistema embarcado Estes dispositivos possuem capacidade de processamento para prover a funcionalidade que se deseja. Estes dispositivos também possuem dispositivos de saída para o acionamento de atuadores destinados ao controle do processo ao que estão associados. Introdução aos Sistemas Embarcados 4

5 Exemplos de Sistemas Embarcados Monitores de computador; Telefones celulares; Osciloscópios digitais; Televisores com ajustes digitais; Injeção eletrônica de automóveis; Sistemas de freios ABS; etc. Introdução aos Sistemas Embarcados 5

6 Processadores utilizados em Sistemas Embarcados Microcontroladores de 8, 16 e 32 bits Microchip, Atmel, Motorola, Intel, TI, ARM, Philips, etc. Processadores digitais de sinais (DSPs) de 16 e 32 bits (ponto fixo e/ou flutuante) Microchip, Motorola, TI, Analog Devices, etc. Processadores dedicados e SoC (System on a Chip) de diferentes fabricantes Introdução aos Sistemas Embarcados 6

7 Processadores utilizados em Sistemas Embarcados Cada um dos tipos de processadores utilizado em sistemas embarcados são indicados de acordo com as suas particularidades e dispositivos periféricos embarcados no mesmo. Introdução aos Sistemas Embarcados 7

8 Processadores utilizados em Sistemas Embarcados Microcontroladores de 8 bits são utilizados quando não se necessita uma grande capacidade de processamento ou velocidade. Controle de monitores de computador Controle de modems MP3 players Introdução aos Sistemas Embarcados 8

9 Processadores utilizados em Sistemas Embarcados Microcontroladores de 16 bits são utilizados quando o processo a ser controlado requer o processamento de informações mais complexas. O processamento de dados de 16 bits em um microcontrolador de 8 bits pode ser realizado, mas a uma velocidade muito inferior. Em geral, os microcontroladores de 16 bits podem operar a velocidades mais altas. Introdução aos Sistemas Embarcados 9

10 Processadores utilizados em Sistemas Embarcados Os microcontroladores de 32 bits são os dispositivos mais avançados neste campo. Alguns incorporam funções de DSPs. Alguns não apresentam periféricos e são meros microprocessadores. Introdução aos Sistemas Embarcados 10

11 Processadores utilizados em Sistemas Embarcados Microchip PIC32: Baseada na arquitetura MIPS; Opera a até 80MHz (124,8 MIPS); Incorpora funções de DSP; Inclui um grande número de dispositivos periféricos como portas de comunicação e conversores A/D. Introdução aos Sistemas Embarcados 11

12 Processadores utilizados em Sistemas Embarcados NXP Philips Baseados na arquitetura ARM; Opera até 266 Mhz (292,6 MIPS) (ARM9); Não incorpora funções de DSP; Inclui um grande número de dispositivos periféricos como portas de comunicação e conversores A/D. Introdução aos Sistemas Embarcados 12

13 Processadores utilizados em Sistemas Embarcados TI OMAP Baseados na arquitetura ARM; Opera até 600 Mhz (1200MIPS); Inclui um grande número de dispositivos periféricos como portas de comunicação e conversores A/D ou interfaces para SD e telas gráficas de LCD, câmeras, etc.; Alguns modelos incorporam um DSP que opera em paralelo com o núcleo ARM (3440 MMACS). Introdução aos Sistemas Embarcados 13

14 Processadores utilizados em Sistemas Embarcados Os processadores digitais de sinais (DSPs) são processadores especializados. Ferramentas de hardware especializadas: Endereçamento em bit reverso; Funções MAC (Multiply and Accumulate) Registro de trabalho para MAC com múltiplos bits de overflow Barrel Shifter para deslocamentos múltiplos em 1 ciclo Introdução aos Sistemas Embarcados 14

15 Processadores utilizados em Sistemas Embarcados Os DSPs normalmente não incorporam muitos periféricos como os microcontroladores. Os DSCs (Digital Signal Controllers) incorporam as ferramentas dos DSPs com a flexibilidade dos microcontroladores. Microchip e Texas Instruments produzem DSCs Introdução aos Sistemas Embarcados 15

16 A linguagem C A linguagem C pode ser utilizada para a programação de microcontroladores, DSPs e DSCs. A estrutura de um programa em C para um microcontrolador ou DSP é muito similar à estrutura de um programa em C para um computador. Introdução aos Sistemas Embarcados 16

17 A linguagem C Linguagem de alto nível Descrição do programa em uma maneira mais legível Tradução mais fácil de um algoritmo a um programa Introdução aos Sistemas Embarcados 17

18 A linguagem C Existem diferentes compiladores C para microcontroladores. Cada compilador apresenta diferentes estruturas preparadas para facilitar a implementação de sistemas embarcados. Introdução aos Sistemas Embarcados 18

19 Os compiladores C Para a família PIC existem vários compiladores para as diferentes famílias. Para a família PIC16, Microchip não produz um compilador C. Para as famílias PIC18, PIC24, PIC32 e dspic, Microchip produz um compilador C baseado em gcc, mas com otimizações de código fechado. Introdução aos Sistemas Embarcados 19

20 Os compiladores C Os compiladores produzidos por Microchip possuem versões de estudante com algumas limitações, comparadas às versões comerciais. Outras empresas produzem compiladores para a toda a família PIC. Introdução aos Sistemas Embarcados 20

21 O compilador CCS PICC Possui muitas funções predefinidas para o manejo de tarefas como o atendimento das interrupções e configuração de periféricos. Pode ser integrado ao ambiente MPLAB. Possui versões para os PIC16, PIC18, PIC24 e dspic. Introdução aos Sistemas Embarcados 21

22 O compilador CCS PICC Possui um ambiente de desenvolvimento próprio com um assistente de desenvolvimento que auxilia na escrita do programa ao inserir as chamadas das funções já definidas na biblioteca do compilador. Introdução aos Sistemas Embarcados 22

23 Exemplo de código fonte em CCS PICC Inicialização e definições iniciais #include <16f877A.h> // Define processador #device ADC=10 // Define ADC de 10 bits #fuses HS,NOWDT,NOPROTECT,PUT,NOLVP,NOCPD // Define condicoes de compilacao #use delay(clock= ) // Informa o clock para rotinas de tempo #priority rb,psp,ext,rtcc //Define prioridade entre as interrupcoes //********************************************************** // Diretiva para comunicacao serial RS232 * //********************************************************** #use rs232(baud=9600,xmit=pin_c6,rcv=pin_c7, bits=8) Introdução aos Sistemas Embarcados 23

24 Exemplo de código fonte em CCS PICC Declaração de Variáveis //*********************************************************** // Inicio do Programa Principal - Declaracao das variaveis * //*********************************************************** unsigned int ta, cont, vbr[20], //Periodo de amostragem //Quantidade de contagens do TMR0 //Vetor de bytes recebidos Introdução aos Sistemas Embarcados 24

25 Exemplo de código fonte em CCS PICC Rotina de atendimento de interrupção associada ao Timer0 (RTCC) //************************************************ // Rotina de interrupcao - Periodo de Amostragem * //************************************************ #INT_RTCC void amost() { tmr0 = 217; cont = cont - 1; //Define quantas contagens do TMR0 para 1 ms if(cont==0) fl_t = 0; //Libera o processamento para proximo Tamost } Introdução aos Sistemas Embarcados 25

26 Exemplo de código fonte em CCS PICC Programa principal Inicialização 1 void main() { delay_ms(1000); disable_interrupts(global); disable_interrupts(int_rtcc); disable_interrupts(int_rb); disable_interrupts(int_psp); disable_interrupts(int_ext); setup_timer_0(rtcc_internal RTCC_DIV_64); setup_timer_1(t1_disabled); Introdução aos Sistemas Embarcados 26

27 Exemplo de código fonte em CCS PICC Programa principal Inicialização 2 //******************************** // Configuracao da conversao A/D * //******************************** setup_adc_ports(ra0_ra1_ra3_analog); setup_adc(adc_clock_div_32); /********************************/ /* Habilitacao das interrupcoes */ /********************************/ enable_interrupts(global); enable_interrupts(int_rtcc); Introdução aos Sistemas Embarcados 27

28 Exemplo de código fonte em CCS PICC Programa principal Loop principal //***************************************** // Loop principal de execucao do Programa * //***************************************** while(1) { bit_clear(portc,4); //Limpa o bit que define interrupcao } } Introdução aos Sistemas Embarcados 28

29 Preparação para tarefa de laboratório Elabore um sistema com o PIC16F877 para a leitura do valor de uma entrada analógica e a visualização dos valores em um conjunto de displays de 7 segmentos. Elaborar o circuito a ser utilizado utilizando o Proteus. Escrever o programa para a leitura e visualização do valor utilizando CCS PICC Introdução aos Sistemas Embarcados 29

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Unidade Universitária Escola de Engenharia Curso Engenharia Mecânica com formação específica em Mecatrônica Disciplina Microprocessadores I Professor(es) Ivair Reis Neves Abreu Carga horária 2 aulas semanais

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CURVE TRACER

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CURVE TRACER PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CURVE TRACER CURITIBA 2011 GUSTAVO MURILO SCHMITT MASSANEIRO CURVE TRACER Documentação apresentada

Leia mais

AULA1 Introdução a Microprocessadores gerais

AULA1 Introdução a Microprocessadores gerais AULA1 Introdução a Microprocessadores gerais Disciplina: Aplicações Avançadas de Microprocessadores (AAM) Prof. Eduardo Henrique Couto ehcouto@hotmail.com 2014/1 Apresentação do Professor: Cronograma:

Leia mais

Controle e monitoramento da fonte de alta-tensão: proposta, desenvolvimento e estágio atual.

Controle e monitoramento da fonte de alta-tensão: proposta, desenvolvimento e estágio atual. Controle e monitoramento da fonte de alta-tensão: proposta, desenvolvimento e estágio atual. Paulo Farias 1,2, Victor Ferraz 2, Breno Ramos 2, Linton Esteves 2, Germano Guedes 1 1 Laboratório de Energia

Leia mais

Plataforma de desenvolvimento dspic - SIGMA128 -

Plataforma de desenvolvimento dspic - SIGMA128 - T e c n o l o g i a Plataforma de desenvolvimento dspic - SIGMA128 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. DESENVOLVIMENTO INTRODUÇÃO Plataforma de desenvolvimento

Leia mais

Prática 8: Comunicação SPI. 8.1 Introdução e objetivos. 8.2 Princípios básicos do protocolo SPI

Prática 8: Comunicação SPI. 8.1 Introdução e objetivos. 8.2 Princípios básicos do protocolo SPI Prática 8: 8.1 Introdução e objetivos Comunicação SPI O protocolo SPI (serial peripheral interface) é um método de comunicação utilizado para interconectar dispositivos ou chips de tal forma que estes

Leia mais

AULA2 Introdução a Microcontrolador

AULA2 Introdução a Microcontrolador AULA2 Introdução a Microcontrolador Disciplina: Aplicações Avançadas de Microprocessadores (AAM) Profa. Eduardo Henrique Couto ehcouto@hotmail.com Tópicos: Microcontroladores - Evolução Principais características

Leia mais

Centro Universitário Positivo - UnicenP Núcleo de Ciências Exatas e Tecnológicas NCET Engenharia da Computação

Centro Universitário Positivo - UnicenP Núcleo de Ciências Exatas e Tecnológicas NCET Engenharia da Computação Centro Universitário Positivo - UnicenP Núcleo de Ciências Exatas e Tecnológicas NCET Engenharia da Computação MINI OSCILOSCÓPIO DIGITAL PORTÁTIL BASEADO EM MICROCONTROLADOR PIC Curitiba 2004 1 Ederson

Leia mais

Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira- Departamento de Engenharia Elétrica

Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira- Departamento de Engenharia Elétrica Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira- Departamento de Engenharia Elétrica TEEE I- Projeto de Robôs Móveis - Profs. Nobuo Oki e Suely Cunha Amaro Mantovani 1 o.sem / 2013 TEEE I Projeto de Robôs Móveis

Leia mais

Conhecendo o PIC16F877 Microcontrolador de 8 bits da Microchip Co.

Conhecendo o PIC16F877 Microcontrolador de 8 bits da Microchip Co. Programação Daniel Corteletti Aula 2 Página 1/6 Conhecendo o PIC16F877 Microcontrolador de 8 bits da Microchip Co. O microcontrolador PIC16F877 pode ser encontrado em diversos encapsulamentos: PDIP, QFP,

Leia mais

Application Note FBEE Comunicação Serial Wireless REV01. - 1 - Rev01

Application Note FBEE Comunicação Serial Wireless REV01. - 1 - Rev01 Application Note FBEE Comunicação Serial Wireless REV01-1 - Rev01 1. INTRODUÇÃO Aplicações com redes sem fio vêm se tornando bastante comuns. De aplicações industriais a projetos específicos, criou-se

Leia mais

Programação em BASIC para o PIC Mostrando Mensagens no Display LCD Vitor Amadeu Souza

Programação em BASIC para o PIC Mostrando Mensagens no Display LCD Vitor Amadeu Souza Programação em BASIC para o PIC Mostrando Mensagens no Display LCD Vitor Amadeu Souza Introdução Nesta terceira série de artigos que aborda a programação na linguagem BASIC para o microcontrolador PIC,

Leia mais

Projeto de Sistemas Embarcados Microcontrolados

Projeto de Sistemas Embarcados Microcontrolados Departamento de Engenharia Elétrica - FT UnB Projeto de Sistemas Embarcados Microcontrolados Prof. Ricardo Zelenovsky ENE Prof. Geovany Araújo Borges ENE Prof. Adson Ferreira da Rocha ENE E-mails: {zele,gaborges,adson}@unb.br

Leia mais

Interrupções e timers

Interrupções e timers Prática 3: 3.1 Introdução e objetivos Interrupções e timers Na prática anterior foi visto que a função main fica continuamente monitorando o teclado avaliando se alguma tecla foi pressionada através da

Leia mais

Trabalho de Conclusão de Curso - TCC

Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Identificação Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Jorge de Assis Merege Neto Construção de um protótipo (hardware e software) para segurança predial através de uma rede digital de monitoração via câmera

Leia mais

Curso Superior de Sistemas de Telecomunicações Unidade São José. Disciplina: Síntese de Sistemas de Telecomunicações 7º Fase

Curso Superior de Sistemas de Telecomunicações Unidade São José. Disciplina: Síntese de Sistemas de Telecomunicações 7º Fase Curso Superior de Sistemas de Telecomunicações Unidade São José Disciplina: Síntese de Sistemas de Telecomunicações 7º Fase Bases tecnológicas Dispositivos Lógicos Programáveis. Introdução à Tecnologia

Leia mais

CAPÍTULO 5. INTERFACES PARA PERIFÉRICOS DE ARMAZENAMENTO INTERFACES DIVERSAS: FIREWIRE, SPI e I 2 C INTERFACES COM O MUNDO ANALÓGICO

CAPÍTULO 5. INTERFACES PARA PERIFÉRICOS DE ARMAZENAMENTO INTERFACES DIVERSAS: FIREWIRE, SPI e I 2 C INTERFACES COM O MUNDO ANALÓGICO 28 CAPÍTULO 5 INTERFACES PARA PERIFÉRICOS DE ARMAZENAMENTO INTERFACES DIVERSAS: FIREWIRE, SPI e I 2 C INTERFACES COM O MUNDO ANALÓGICO Interfaces para periféricos de armazenamento: Periféricos de armazenamento,

Leia mais

WWW.cerne-tec.com.br. Comunicação USB com o PIC Vitor Amadeu Souza Parte II vitor@cerne-tec.com.br

WWW.cerne-tec.com.br. Comunicação USB com o PIC Vitor Amadeu Souza Parte II vitor@cerne-tec.com.br 1 Comunicação USB com o PIC Vitor Amadeu Souza Parte II vitor@cerne-tec.com.br Continuando com o artigo apresentado na edição passada de comunicação USB com o PIC, continuaremos nesta edição o estudo do

Leia mais

Sistemas Embarcados. 1. Introdução. www.sbajovem.org Este Material é livre e não pode ser comercializado 1

Sistemas Embarcados. 1. Introdução. www.sbajovem.org Este Material é livre e não pode ser comercializado 1 Escrito por: Otavio Chase Em 12/2007 www.sbajovem.org SBAJovem 2010 Sistemas Embarcados 1. Introdução Segundo alguns dados estimados por pesquisas em alta tecnologia, mais de 90% dos microprocessadores

Leia mais

APRESENTAÇÃO SOBRE O DSP ADSP-21160M

APRESENTAÇÃO SOBRE O DSP ADSP-21160M [ ADSP-21160M ] APRESENTAÇÃO SOBRE O DSP ADSP-21160M RAFAEL ASTUTO AROUCHE NUNES ORIENTADOR Marcelo Portes de Albuquerque (CBPF) LPS Laboratório de Processamento de Sinais (UFRJ) CAT - Coordenação de Atividades

Leia mais

Introdução à Arquitetura de Computadores IFES Campus Serra

Introdução à Arquitetura de Computadores IFES Campus Serra Os computadores atuais possuem seis ou mais níveis de máquinas conforme podemos observar no quadro abaixo Nível de linguagem orientada para problemas Nível de linguagem de montagem Nível de sistema operacional

Leia mais

MICROCONTROLADORES PIC 16F E 18F TEORIA E PRÁTICA. Instituto NCB www.newtoncbraga.com.br contato@newtoncbraga.com.br

MICROCONTROLADORES PIC 16F E 18F TEORIA E PRÁTICA. Instituto NCB www.newtoncbraga.com.br contato@newtoncbraga.com.br 1 MICROCONTROLADORES PIC 16F E 18F TEORIA E PRÁTICA Instituto NCB www.newtoncbraga.com.br contato@newtoncbraga.com.br 2 Microcontroladores PIC 16F e 18F Teoria e Prática Autor:. São Paulo - Brasil - 2013

Leia mais

TEM VÁRIOS ESTADOS: 0V,0.1V,3V,3.3V,4V,5V,10V, ETC.

TEM VÁRIOS ESTADOS: 0V,0.1V,3V,3.3V,4V,5V,10V, ETC. CONVERSOR ANALÓGICO / DIGITAL SINAL DIGITAL ASSUME APENAS 2 ESTADOS: 0V E 5V SINAL ANALÓGICO TEM VÁRIOS ESTADOS: 0V,0.1V,3V,3.3V,4V,5V,10V, ETC. 1 FONTE DESTES SINAIS ANALÓGICOS UM DOS NOSSOS OBJETIVOS

Leia mais

Programação C para microcontroladores PIC

Programação C para microcontroladores PIC Programação C para microcontroladores PIC eletrocursos.gnomio.com 1/6 Sumário Histórico do Documento... 3 Treinadores Responsáveis... 3 Carga Horária... 3 Ementa... 3 Objetivos... 3 Conteúdo Programático...

Leia mais

REGISTRADOR DIGITAL DE GRANDEZAS COM CONEXÃO À INTERNET RELATÓRIO TÉCNICO FINAL

REGISTRADOR DIGITAL DE GRANDEZAS COM CONEXÃO À INTERNET RELATÓRIO TÉCNICO FINAL PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO DISCIPLINA DE PROJETO FINAL REGISTRADOR DIGITAL DE GRANDEZAS COM CONEXÃO À INTERNET RELATÓRIO

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Sistemas de Entrada/Saída Princípios de Hardware Sistema de Entrada/Saída Visão Geral Princípios de Hardware Dispositivos de E/S Estrutura Típica do Barramento de um PC Interrupções

Leia mais

Desenvolvendo Projetos em BASIC para o Microcontrolador AT89S8252. Com base no BASCOM - Teoria e Prática. Autor: Vitor Amadeu Souza

Desenvolvendo Projetos em BASIC para o Microcontrolador AT89S8252. Com base no BASCOM - Teoria e Prática. Autor: Vitor Amadeu Souza Desenvolvendo Projetos em BASIC para o Microcontrolador AT89S8252 Com base no BASCOM - Teoria e Prática Autor: Vitor Amadeu Souza Dedicatória Dedico este livro a minha querida noiva Renata Leal. Que preciosos

Leia mais

Processadores. Prof. Alexandre Beletti Ferreira

Processadores. Prof. Alexandre Beletti Ferreira Processadores Prof. Alexandre Beletti Ferreira Introdução O processador é um circuito integrado de controle das funções de cálculos e tomadas de decisão de um computador. Também é chamado de cérebro do

Leia mais

Arquitetura de Sistemas Embarcados: Controladores Industriais

Arquitetura de Sistemas Embarcados: Controladores Industriais Arquitetura de Sistemas Embarcados: Controladores Industriais Heber A. Scachetti RA 004933 heber_augusto@yahoo.com.br RESUMO Este artigo apresenta algumas das principais características encontradas em

Leia mais

Sistemas Embarcados. Comunicação em Sistemas Embarcados

Sistemas Embarcados. Comunicação em Sistemas Embarcados Sistemas Embarcados Comunicação em Sistemas Embarcados Comunicação em Sistemas Embarcados As necessidades de comunicação Os tipos de comunicação Meios de comunicação Protocolos de comunicação Periféricos

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba. Microcontrolador PIC 16F877

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba. Microcontrolador PIC 16F877 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba MINICURSO Microcontrolador PIC 16F877 Alison Lins de Lima Fábio Montenegro Pontes Jonathan B. da Silva Rafael Tavares Coutinho Thiago Pinto

Leia mais

Curso microcontroladores PIC

Curso microcontroladores PIC Curso microcontroladores PIC Jean Carlos www.pk2lab.blogspot.com Curso de microcontroladores em linguagem C 2 Baseado no microcontrolador PIC18F4550 da Microchip, compilador MikroC e placa de desenvolvimento

Leia mais

RECEPTOR GPS ME1513 ARM7 LPC2138. 1 ME Componentes e Equipamentos Eletrônicos Ltda

RECEPTOR GPS ME1513 ARM7 LPC2138. 1 ME Componentes e Equipamentos Eletrônicos Ltda RECEPTOR GPS ME1513 ARM7 LPC2138 1 ME Componentes e Equipamentos Eletrônicos Ltda Prefácio Obrigado por escolher o Receptor GPS ME-1513. Este manual mostra o esquema eletrônico, da conexão do microcontrolador

Leia mais

Sumário Capítulo I Introdução aos Comandos Elétricos... 12 Capítulo II Chaves com e sem retenção... 14 Capítulo III Atuadores...

Sumário Capítulo I Introdução aos Comandos Elétricos... 12 Capítulo II Chaves com e sem retenção... 14 Capítulo III Atuadores... Sumário Capítulo I Introdução aos Comandos Elétricos... 12 1. Simulações de comandos elétricos... 12 2. Diagrama unifilar e multifilar... 13 Capítulo II Chaves com e sem retenção... 14 1. Chaves... 14

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO TREINAMENTO:

PROGRAMAÇÃO DO TREINAMENTO: PROGRAMAÇÃO DO TREINAMENTO: Página 2 0. Objetivos deste treinamento Quem está fazendo este módulo avançado II é porque já passou pelos módulos anteriores. Portanto não serão abordados aqui os tópicos já

Leia mais

COMANDO-GERAL DE TECNOLOGIA AEROESPACIAL INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA DIVISÃO DE ENGENHARIA ELETRÔNICA

COMANDO-GERAL DE TECNOLOGIA AEROESPACIAL INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA DIVISÃO DE ENGENHARIA ELETRÔNICA COMANDO-GERAL DE TECNOLOGIA AEROESPACIAL INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA DIVISÃO DE ENGENHARIA ELETRÔNICA Medidor de Deslocamento utilizando sensores MEMS Outubro de 2010 Disciplina: EA-291 / 2010

Leia mais

Kit de desenvolvimento ACEPIC 40N

Kit de desenvolvimento ACEPIC 40N Kit de desenvolvimento ACEPIC 40N O Kit de desenvolvimento ACEPIC 40N foi desenvolvido tendo em vista a integração de vários periféricos numa só placa, além de permitir a inserção de módulos externos para

Leia mais

Sistemas Embarcados: uma Visão Geral. byprof Edson Pedro Ferlin

Sistemas Embarcados: uma Visão Geral. byprof Edson Pedro Ferlin Sistemas Embarcados: uma Visão Geral Semicondutores Mainstream Silicon Application is switching every 10 Years standard hardwired The Programmable System-on-a-Chip is the next wave procedural programming

Leia mais

www.cerne-tec.com.br

www.cerne-tec.com.br 1 Cerne Tecnologia e Treinamento Apostila de Programação para a Família HC908 Com base no microcontrolador MC68HC908QY4 (21) 4063-9798 (11) 4063-1877 E-mail: cerne@cerne-tec.com.br MSN: cerne-tec@hotmail.com

Leia mais

Microcontroladores ARM Cortex-M3 - XM 700 -

Microcontroladores ARM Cortex-M3 - XM 700 - T e c n o l o g i a Microcontroladores ARM Cortex-M3 - XM 700 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. INTRODUÇÃO Microcontroladores ARM Cortex-M3 - XM 700

Leia mais

Sistemas Microcontrolados

Sistemas Microcontrolados Sistemas Microcontrolados Uma Abordagem com o Microcontrolador PIC 16F84 Nardênio Almeida Martins Novatec Editora Capítulo 1 Introdução Os microcontroladores estão presentes em quase tudo o que envolve

Leia mais

PIC18F4550. Curso Engenharia de Controle e Automação. Alex Vidigal Bastos www.decom.ufop.br/alex/ alexvbh@gmail.com

PIC18F4550. Curso Engenharia de Controle e Automação. Alex Vidigal Bastos www.decom.ufop.br/alex/ alexvbh@gmail.com PIC18F4550 Curso Engenharia de Controle e Automação Alex Vidigal Bastos www.decom.ufop.br/alex/ alexvbh@gmail.com 1 Agenda Características do PIC18F4550 Pinagem do PIC18F4550 Pinagem do PIC18F4550 Datasheet

Leia mais

- Arquitetura de sistemas digitais- Cap 1 - Introdução

- Arquitetura de sistemas digitais- Cap 1 - Introdução - Arquitetura de sistemas digitais- Cap 1 - Introdução Prof. Alan Petrônio - www.ufsj.edu.br/alan - 2012 Conteúdos/propósitos deste capítulo: 1.1 - Relembrando conceitos 1.2 - Arquitetura de computadores

Leia mais

ARQUITETURA DE SISTEMAS EMBARCADOS AULA 15 Arquitetura de Computadores Gil Eduardo de Andrade

ARQUITETURA DE SISTEMAS EMBARCADOS AULA 15 Arquitetura de Computadores Gil Eduardo de Andrade ARQUITETURA DE SISTEMAS EMBARCADOS AULA 15 Arquitetura de Computadores Gil Eduardo de Andrade O conteúdo deste documento é baseado no livro Princípios Básicos de Arquitetura e Organização de Computadores

Leia mais

Características técnicas Baseado no ATMega da empresa AVR, fabricante de micro-controladores em plena ascensão e concorrente do PIC Pode usar ATMega

Características técnicas Baseado no ATMega da empresa AVR, fabricante de micro-controladores em plena ascensão e concorrente do PIC Pode usar ATMega ARDUINO O que é Arduino Arduino foi criado na Itália por Máximo Banzi com o objetivo de fomentar a computação física, cujo conceito é aumentar as formas de interação física entre nós e os computadores.

Leia mais

Programação em BASIC para o PIC Vitor Amadeu Souza

Programação em BASIC para o PIC Vitor Amadeu Souza Programação em BASIC para o PIC Vitor Amadeu Souza Introdução Continuando com a série do último artigo, hoje veremos os passos para o desenvolvimento de uma minuteria com o microcontrolador PIC18F1220

Leia mais

Informática I. Aula 4. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 4-11/09/2006 1

Informática I. Aula 4. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 4-11/09/2006 1 Informática I Aula 4 http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 4-11/09/2006 1 Ementa Histórico dos Computadores Noções de Hardware e Software Microprocessadores Sistemas Numéricos e Representação

Leia mais

Sistemas de Aquisição de Dados Baseado em Microcontroladores

Sistemas de Aquisição de Dados Baseado em Microcontroladores Universidade Federal do Pará Laboratório de Sensores e Sistemas Embarcados (LASSE) Sistemas de Aquisição de Dados Baseado em Microcontroladores Rodrigo Williams Rodrigues Ataíde rodrigowra@ufpa.br 26 de

Leia mais

Estrutura de um Computador

Estrutura de um Computador SEL-0415 Introdução à Organização de Computadores Estrutura de um Computador Aula 7 Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira MODELO DE VON NEUMANN PRINCÍPIOS A arquitetura de um computador consiste de

Leia mais

AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL INTRODUÇÃO A ROBÓTICA

AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL INTRODUÇÃO A ROBÓTICA AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL INTRODUÇÃO A ROBÓTICA CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Microcontroladores - Hardware Microcontroladores - Software Visão Geral de um Robô Manipulador Constituição Básica de um Robô Industrial

Leia mais

Automação de Instrumentação de Laboratório

Automação de Instrumentação de Laboratório Automação de Instrumentação de Laboratório Alunos: Henrique Vaisman Pinto e Pedro Bittencourt Orientador: Raul Almeida Nunes Introdução Um sistema embarcado é um sistema de computação projetado com propósito

Leia mais

O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA

O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA Quim. Nova, Vol. 38, No. 3, S1-S6, 2015 O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA Fernando Arruda Mendes de Oliveira a,b, Eduardo Ribeiro

Leia mais

Seleção de Sistemas Operacionais de Tempo Real para Sistemas Embarcados

Seleção de Sistemas Operacionais de Tempo Real para Sistemas Embarcados Seleção de Sistemas Operacionais de Tempo Real para Sistemas Embarcados RESUMO O presente documento pretende apresentar as principais características dos Sistemas Operacionais de Tempo Real para aplicação

Leia mais

Na primeira aula, conhecemos um pouco sobre o projeto Arduino, sua família de placas, os Shields e diversos exemplos de aplicações.

Na primeira aula, conhecemos um pouco sobre o projeto Arduino, sua família de placas, os Shields e diversos exemplos de aplicações. Na primeira aula, conhecemos um pouco sobre o projeto Arduino, sua família de placas, os Shields e diversos exemplos de aplicações. A partir de agora, iremos conhecer o hardware do Arduino e suas caracteristicas

Leia mais

Simplifique a complexidade do sistema

Simplifique a complexidade do sistema 1 2 Simplifique a complexidade do sistema Com o novo controlador de alto desempenho CompactRIO Rodrigo Schneiater Engenheiro de Vendas National Instruments Leonardo Lemes Engenheiro de Sistemas National

Leia mais

Aula 2. - Elaboração de algoritmos/fluxogramas. - Gravação do programa no microcontrolador

Aula 2. - Elaboração de algoritmos/fluxogramas. - Gravação do programa no microcontrolador Aula 2 - Elaboração de algoritmos/fluxogramas - Set de instruções do 8051 - Programação em Assembly - Gravação do programa no microcontrolador - Simulação Exercícios da aula passada... 1) Converta os números

Leia mais

Cerne Tecnologia e Treinamento

Cerne Tecnologia e Treinamento Tecnologia e Treinamento Tutorial para Testes na Placa AVR MASTER (21)4063-9798 (11)4063-1877 Skype: cerne-tec MSN: cerne-tec@hotmail.com www.cerne-tec.com.br Kits Didáticos e Gravadores da Cerne Tecnologia

Leia mais

1. Introdução aos Microcontroladores

1. Introdução aos Microcontroladores 1. Introdução aos Microcontroladores Professor: Vlademir de Oliveira Disciplina: Microcontroladores e DSP Conteúdo Introdução aos microcontroladores Arquiteturas Computacionais Revisão de eletrônica digital

Leia mais

AUTOMAҪÃO INDUSTRIAL E LINHAS DE PRODUҪÃO FLEXÍVEIS

AUTOMAҪÃO INDUSTRIAL E LINHAS DE PRODUҪÃO FLEXÍVEIS CENTRO FEDERAL DE ENSINO TECNOLÓGICO MG CONTEXTO SOCIAL E PROFISSIONAL DA ENGENHARIA MECATRÔNICA AUTOMAҪÃO INDUSTRIAL E LINHAS DE PRODUҪÃO FLEXÍVEIS COMPONENTES: Guilherme Márcio Matheus Sakamoto Rafael

Leia mais

Alessandro F. Cunha O que são sistemas embarcados?

Alessandro F. Cunha O que são sistemas embarcados? Alessandro F. Cunha O que são sistemas embarcados? 1. Introdução Alguma vez você já se deu conta que o microondas de sua casa tem uma capacidade computacional maior do que tinha o projeto Apolo, que levou

Leia mais

Visão Geral da Arquitetura de Computadores. Prof. Elthon Scariel Dias

Visão Geral da Arquitetura de Computadores. Prof. Elthon Scariel Dias Visão Geral da Arquitetura de Computadores Prof. Elthon Scariel Dias O que é Arquitetura de Computadores? Há várias definições para o termo arquitetura de computadores : É a estrutura e comportamento de

Leia mais

Microprocessadores. Cap. 2 Microprocessador, operação de hardware e computação

Microprocessadores. Cap. 2 Microprocessador, operação de hardware e computação Microprocessadores Cap. 2 Microprocessador, operação de hardware e computação Sumário 2.1 Arquiteturas microprocessadas 2.2. Diagrama de blocos (arquitetura, registradores, ALU, etc.) 2.3. Barramentos

Leia mais

Interfaces para Instalações Interativas

Interfaces para Instalações Interativas Interfaces para Instalações Interativas Conceito de sistema Interação Homem-máquina Segundo Eugenio Tisseli: Sensores e atuadores São transdutores: dispositivos que traduzem sinais de um domínio para outro.

Leia mais

Organização de Computadores. (Aula 5) Entrada/Saída

Organização de Computadores. (Aula 5) Entrada/Saída Organização de Computadores (Aula 5) Entrada/Saída Entrada e Saída (Input/Output I/O) Computador: Processador, Memória (principal e secundária) Equipamentos (dispositivos, elementos, unidades,...) de Entrada/Saída

Leia mais

Índice. Dia 05 de fevereiro de 2014...2. Apresentação... 2. Dia 12 de fevereiro de 2013...3

Índice. Dia 05 de fevereiro de 2014...2. Apresentação... 2. Dia 12 de fevereiro de 2013...3 Índice Dia 05 de fevereiro de 2014....2 Apresentação... 2 Dia 12 de fevereiro de 2013....3 -Processador... 3 -Von Neumann... 3 -Harvard... 4 -Von Neumann x Harvard... 4 -Equipamentos que utilizam a arquitetura

Leia mais

Instalação de ambiente de desenvolvimento para a série NXP LPC111x

Instalação de ambiente de desenvolvimento para a série NXP LPC111x UNIFEI Universidade Federal de Itajubá IESTI - Instituto de Engenharia de Sistemas e Tecnologia da Informação ELT031 Aprendizado Baseado em Projeto I Instalação de ambiente de desenvolvimento para a série

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE VEÍCULO MECATRÔNICO COMANDADO REMOTAMENTE

CONSTRUÇÃO DE VEÍCULO MECATRÔNICO COMANDADO REMOTAMENTE CONSTRUÇÃO DE VEÍCULO MECATRÔNICO COMANDADO REMOTAMENTE Roland Yuri Schreiber 1 ; Tiago Andrade Camacho 2 ; Tiago Boechel 3 ; Vinicio Alexandre Bogo Nagel 4 INTRODUÇÃO Nos últimos anos, a área de Sistemas

Leia mais

Entrada e Saída (Input/Output I/O) Organização de Computadores (Aula 5) Entrada/Saída. Diferentes Tipos de Dispositivos (1)

Entrada e Saída (Input/Output I/O) Organização de Computadores (Aula 5) Entrada/Saída. Diferentes Tipos de Dispositivos (1) Organização de Computadores (Aula 5) Entrada/Saída Roberta Lima Gomes - LPRM/DI/UFES Sistemas de Programação I Eng. Elétrica 2007/2 Entrada e Saída (Input/Output I/O) Computador: Processador, Memória (principal

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ ESCOLA POLITÉCNICA ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO MICROPROCESSADORES PROJETO PARDAL DOCUMENTAÇÃO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ ESCOLA POLITÉCNICA ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO MICROPROCESSADORES PROJETO PARDAL DOCUMENTAÇÃO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ ESCOLA POLITÉCNICA ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO MICROPROCESSADORES PROJETO PARDAL DOCUMENTAÇÃO CURITIBA, 2012 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ ESCOLA POLITÉCNICA

Leia mais

Hardware (Nível 0) Organização. Interface de Máquina (IM) Interface Interna de Microprogramação (IIMP)

Hardware (Nível 0) Organização. Interface de Máquina (IM) Interface Interna de Microprogramação (IIMP) Hardware (Nível 0) Organização O AS/400 isola os usuários das características do hardware através de uma arquitetura de camadas. Vários modelos da família AS/400 de computadores de médio porte estão disponíveis,

Leia mais

TUTORIAL ROBÔ CACO ROBÔ PARA MOVIMENTAÇÃO EM LABIRINTO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA

TUTORIAL ROBÔ CACO ROBÔ PARA MOVIMENTAÇÃO EM LABIRINTO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA TUTORIAL ROBÔ CACO ROBÔ PARA MOVIMENTAÇÃO EM LABIRINTO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA 18 de dezembro de 2013 Elaboração: Carlos Eduardo Magrin cmagrin@gmail.com

Leia mais

Curso Superior de Sistemas de Telecomunicações Unidade São José. Disciplina: Síntese de Sistemas de Telecomunicações 7º Fase

Curso Superior de Sistemas de Telecomunicações Unidade São José. Disciplina: Síntese de Sistemas de Telecomunicações 7º Fase Curso Superior de Sistemas de Telecomunicações Unidade São José Disciplina: Síntese de Sistemas de Telecomunicações 7º Fase Bases tecnológicas Dispositivos Lógicos Programáveis. Introdução à Tecnologia

Leia mais

1. NÍVEL CONVENCIONAL DE MÁQUINA

1. NÍVEL CONVENCIONAL DE MÁQUINA 1. NÍVEL CONVENCIONAL DE MÁQUINA Relembrando a nossa matéria de Arquitetura de Computadores, a arquitetura de Computadores se divide em vários níveis como já estudamos anteriormente. Ou seja: o Nível 0

Leia mais

EXPERIÊNCIA 17 USO DO TEMPORIZADOR INTERNO

EXPERIÊNCIA 17 USO DO TEMPORIZADOR INTERNO EXPERIÊNCIA 17 USO DO TEMPORIZADOR INTERNO Parte I Fundamentos Teóricos O que diferencia um microcontrolador (como o 8051) de um microprocessador é o fato de que o primeiro pode apresentar, integrados

Leia mais

Easy Lab. Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14. www.dma.ind.br. DMA Electronics 1

Easy Lab. Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14. www.dma.ind.br. DMA Electronics 1 Easy Lab Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14 www.dma.ind.br DMA Electronics 1 A DMA ELECTRONICS projeta e fabrica sistemas para aquisição e registro de dados com conexão a um computador do tipo PC.

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES

ARQUITETURA DE COMPUTADORES 01001111 01110010 01100111 01100001 01101110 01101001 01111010 01100001 11100111 11100011 01101111 00100000 01100100 01100101 00100000 01000011 01101111 01101101 01110000 01110101 01110100 01100001 01100100

Leia mais

Figura 01 Visão Geral da Placa

Figura 01 Visão Geral da Placa 1. Hardware O kit de FPGA é formado por periféricos que possibilitam sua interação com sinais de áudio, display gráfico e alfanumérico, comunicação serial e USB, codec de áudio, chaves para simulação e

Leia mais

Você acha que não precisa de um FPGA? Pense melhor!

Você acha que não precisa de um FPGA? Pense melhor! Você acha que não precisa de um FPGA? Pense melhor! Objetivos de hoje Definir e explicar os FPGAs Desmistificar os conceitos incorretos mais comuns sobre os FPGAs Compreender a melhor e mais intuitiva

Leia mais

Descubra as soluções EXSTO de EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

Descubra as soluções EXSTO de EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA T e c n o l o g i a Descubra as soluções EXSTO de EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA ATAS de Registro de Preços 2014 Ao Depto. Compras / Licitações A empresa MAX LTDA, inscrita sob o CNPJ 17.320.313/0001-20 vem por

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA SÉRIE DE EXERCÍCIO #A (1) CONVERSOR A/D APROXIMAÇÃO SUCESSIVA (SAR) A figura

Leia mais

Descobrindo o dspic da Microchip Vitor Amadeu Souza Vitor@cerne-tec.com.br

Descobrindo o dspic da Microchip Vitor Amadeu Souza Vitor@cerne-tec.com.br Descobrindo o dspc da Microchip Vitor Amadeu Souza Vitor@cernetec.com.br A Microchip lançou recentemente uma nova família de microcontroladores chamada de dspc. Esta linha vem para atender um mercado onde

Leia mais

Processador ( CPU ) E/S. Memória. Sistema composto por Processador, Memória e dispositivos de E/S, interligados por um barramento

Processador ( CPU ) E/S. Memória. Sistema composto por Processador, Memória e dispositivos de E/S, interligados por um barramento 1 Processadores Computador Processador ( CPU ) Memória E/S Sistema composto por Processador, Memória e dispositivos de E/S, interligados por um barramento 2 Pastilha 3 Processadores (CPU,, Microcontroladores)

Leia mais

www.microgenios.com.br

www.microgenios.com.br Manual (versão 2.0) Microgenios Soluções Eletrônicas Ltda. ME - ano 2009 Todos os direitos reservados Proibida cópia integral ou parcial do material aqui contido.br Índice Apresentação...3 Características

Leia mais

Sistema de Aquisição de Dados

Sistema de Aquisição de Dados Sistema de Aquisição de Dados Versão 2013 RESUMO Nesta experiência será desenvolvido o projeto de um sistema de aquisição e armazenamento de dados analógicos em formato digital. O sinal de um sensor de

Leia mais

Curso de Linguagem C. Rinaldo Câmara Gonçalves Labtools Mosaico Didactic Division Revisão 2

Curso de Linguagem C. Rinaldo Câmara Gonçalves Labtools Mosaico Didactic Division Revisão 2 Curso de Linguagem C Rinaldo Câmara Gonçalves Labtools Mosaico Didactic Division Revisão 2 Sumário SUMÁRIO...3 RECURSOS BÁSICOS: EXEMPLO 1 BOTÃO E LED...5 RECURSOS DO LIVRO...5 LÓGICA DO EXEMPLO...5 ESQUEMA

Leia mais

Programação Engenharia Informática (11543) 1º ano, 1º semestre Tecnologias e Sistemas de Informação (6619) 1º ano, 1º semestre

Programação Engenharia Informática (11543) 1º ano, 1º semestre Tecnologias e Sistemas de Informação (6619) 1º ano, 1º semestre Programação Engenharia Informática (11543) 1º ano, 1º semestre Tecnologias e Sistemas de Informação (6619) 1º ano, 1º semestre Cap. 01 Fundamentos de Computadores Sumário : Conceitos básicos: computador,

Leia mais

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL POR NÍVEL DE PERSONALIZAÇÃO DOS USUÁRIOS COMO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL POR NÍVEL DE PERSONALIZAÇÃO DOS USUÁRIOS COMO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL POR NÍVEL DE PERSONALIZAÇÃO DOS USUÁRIOS COMO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Stevan L. Machado stevan.machado@gmail.com Universidade do Norte do Paraná, Centro de Ciências Exatas

Leia mais

Toolkit para Linux Embarcado. Autor: Thiago Waltrik Orientador: Miguel Alexandre Wisintainer

Toolkit para Linux Embarcado. Autor: Thiago Waltrik Orientador: Miguel Alexandre Wisintainer Toolkit para Linux Embarcado Autor: Thiago Waltrik Orientador: Miguel Alexandre Wisintainer Roteiro Introdução Fundamentação Teórica Objetivos Trabalhos Correlatos Desenvolvimento Requisitos Especificação

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DEDICADOS AO CONTROLE E AQUISIÇÃO DE DADOS

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DEDICADOS AO CONTROLE E AQUISIÇÃO DE DADOS DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DEDICADOS AO CONTROLE E AQUISIÇÃO DE DADOS Igor Ferreira do PRADO (1); Vinicius Dutra ANDRADE (2); Jorge Ricardo de Araújo KASCHNY (3) (1) Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO PICKIT2... 4. 2.1. Ligação da porta USB... 4. 2.2. LEDs de estado... 4. 2.3. Botão... 5

ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO PICKIT2... 4. 2.1. Ligação da porta USB... 4. 2.2. LEDs de estado... 4. 2.3. Botão... 5 MANUAL PICKIT2 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO PICKIT2... 4 2.1. Ligação da porta USB... 4 2.2. LEDs de estado... 4 2.3. Botão... 5 2.4. Conector de programação... 5 2.5. Slot para chaveiro...

Leia mais

XIX Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica - 13 a 17/08/2012 São Carlos-SP Artigo CREEM2012 SENSOR DE TEMPERATURA WIRELESS

XIX Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica - 13 a 17/08/2012 São Carlos-SP Artigo CREEM2012 SENSOR DE TEMPERATURA WIRELESS XIX Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica - 13 a 17/08/2012 São Carlos-SP Artigo CREEM2012 SENSOR DE TEMPERATURA WIRELESS Antonio Carlos Lemos Júnior, Ednaldo Lopes Rosa e Leandro Aureliano

Leia mais

11.3) Circuitos conversores D/A

11.3) Circuitos conversores D/A 11.3) Circuitos conversores D/A Conversor com rede R2R: Se o R MSB for de 1KΩem um conversor de 12 bits, o R LSB seria 2 12 1KΩ=4096KΩ. Não é possível garantir precisão nesta faixa. Nas redes R/2R usamos

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: CONTROLE DE PROCESSOS INDUSTRIAIS Habilitação Profissional: TÉCNICO EM MECATRÔNICA

Leia mais

PROTÓTIPO DE CONTROLE DE ACESSO POR RFID

PROTÓTIPO DE CONTROLE DE ACESSO POR RFID 1 PROTÓTIPO DE CONTROLE DE ACESSO POR RFID Alexsandro Monteiro de Oliveira Antônio Carlos Almeida Eunice de Lassalete Sebastião Bartolomeu RESUMO O projeto de controle de acesso por RFID consiste no desenvolvimento

Leia mais

Manual (versão 1.4) Kit 8051 Study

Manual (versão 1.4) Kit 8051 Study Manual (versão 1.4) Kit 8051 Study Microgenios Soluções Eletrônicas Ltda. ME - ano 2010 Todos os direitos reservados Proibida cópia integral ou parcial do material aqui contido www.microgenios.com.br Sumário

Leia mais

Capítulo 12. Projeto 5 Controle de Motores de Passo. 12.1 Circuito e Funcionamento

Capítulo 12. Projeto 5 Controle de Motores de Passo. 12.1 Circuito e Funcionamento Capítulo 12 Projeto 5 Controle de Motores de Passo A crescente popularidade dos motores de passo deve-se a sua adaptação à lógica digital. Estes dispositivos são usados em inúmeras aplicações, tais como:

Leia mais

Algoritmos e Programação Estruturada

Algoritmos e Programação Estruturada Algoritmos e Programação Estruturada Virgínia M. Cardoso Linguagem C Criada por Dennis M. Ritchie e Ken Thompson no Laboratório Bell em 1972. A Linguagem C foi baseada na Linguagem B criada por Thompson.

Leia mais

LP II Estrutura de Dados. Introdução e Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br

LP II Estrutura de Dados. Introdução e Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br LP II Estrutura de Dados Introdução e Linguagem C Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br Resumo da aula Considerações Gerais Introdução a Linguagem C Variáveis e C Tipos de

Leia mais