Dê partida na sua solução de Auditoria OpenEdge. Regis Martins Ezipaato Sr. Solution Engineer

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Dê partida na sua solução de Auditoria OpenEdge. Regis Martins Ezipaato Sr. Solution Engineer"

Transcrição

1 Dê partida na sua solução de Auditoria OpenEdge Regis Martins Ezipaato Sr. Solution Engineer

2 Agenda OpenEdge Auditing visão geral Primeiros passos com Auditing Mantendo o Controle Relatórios produtivos This presentation includes annotations with additional complementary information 2 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

3 O que é Auditoria? O processo de evolução das práticas de uma organização para salva-guardar informações eletrônicas de perdas, danos, revelação não planejada, ou indisponibilidade. O OpenEdge Auditing Core Service reúne, grava, e mantém seguras as informações necessárias para executar o processo de auditoria: Quem foi o usuário Qual ação ele fez Quando aconteceu Onde ocorreu 3 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

4 O que é um Core Service? Definição Sem-domínio especifica funções relatadas que provém a infrastrutura comum para uma moderma aplicação Comportamento padrão, características e funcionalidade independem de qualquer requerimento específico da aplicação Tipicamente pré-iniciado e sempre disponível 4 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

5 O que o OpenEdge Auditing pode fazer fora da caixa? Use o forncedor OpenEdge de políticas e relatórios ABL & SQL Conexões a banco de dados Administração de Segurança Login/logout do usuário (precisa da segurança do OpenEdge) OpenEdge DB Padrão para eventos em registros Alterações de Schema Administração de Banco de Dados e _User Administração de políticas e eventos de auditoria Fácil de reportar 5 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

6 Auditoria baseada em Trigger de banco ABL Client SQL Client Audit Policy Tools Application Code Application Code API Audit Event Manager (schema triggers) Archive Daemon Offline Audit Data Audit Policy Manager Audit Data Manager Archive Manager Report Manager Security Manager Audit Report App DB Policy Data Audit Data Audit Data Application Data Archive DB 6 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

7 Auditando no OpenEdge Database Tools and Utilities API Audit Policy Subsystem App DB ABL Client SQL Client Open Tools Audit Policy Tools (APMT) Application Code Application Code Audit Event Subsystem Application Internal Archive Daemon Offline Audit Data Database Audit Data Subsystem Archiving Subsystem Reporting Subsystem Security Subsystem Audit Report Policy Data Audit Data Audit Data Application Data Archive DB 7 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

8 Não Obrigado, eu já tenho pronta Por que o uso do OpenEdge Auditing supera sua solução? Serviço principal flexível e escalável Construção comum para clientes SQL/ABL Performance, performance, performance Segurança Sistema de Eventos de Auditoria Utilitários, alterações de schema, etc Relatórios flexíveis e seguros Armazenamento Multi banco de dados, multi aplicação 8 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

9 Agenda OpenEdge Auditing visão geral Primeiros passos com Auditing Mantendo o Controle Relatórios produtivos This presentation includes annotations with additional complementary information 9 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

10 Passo 1: Antes de você começar App DB Atualize Bancos de dados E Clientes para Adicione Storage Areas do tipo Type II para auditoria Habilite Auditoria (prepare para auditoria) Coloque parâmetros de banco de dados Assiná-le permissões de auditoria Importe políticas de auditoria enviadas com o produto Policy Data Audit Data Application Data 10 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

11 Passo 2: Defina suas políticas de auditoria Política de Auditoria é a configuração que controla a gravação de dados de auditoria num banco de dados OpenEdge Através das Políticas de Auditoria você controla Qual informação de auditoria é gravada Onde armazenar informações auditadas Como armazenar informações auditadas Quantas informações auditadas armazenar Contexto para leitura das informações auditadas Segurança das informações auditadas 11 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

12 Atributos da política de Auditoria Armazenada num banco de dados OpenEdge habilitado para auditoria Contém qualquer número de políticas Aplicadas somente para o banco de dados onde estão armazenadas Podem ter estado ativo ou inativo ( on/off ) Políticas Ativas são absorvidas em tempo de leitura Podem ser alteradas e relidas on-line Tem um único identificador GUID Políticas contém eventos de registros 12 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

13 Agenda OpenEdge Auditing visão geral Primeiros passos com Auditing Mantendo o Controle Relatórios produtivos This presentation includes annotations with additional complementary information 13 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

14 Projetando Políticas de Auditoria Qual tipo de projeto de política eu uso? Muitas possibilidades de projetos Não há único projeto para cada aplicação Cada aplicação tem o melhor projeto A política projetada é indicada por Quem gera e roda os relatórios Quem gera e gerencia as políticas Quem consome os relatórios 14 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

15 Objetivos do Projeto de Políticas de Auditoria Meu projeto de política de auditoria precisa 1. Registros suficientes para gerar os relatórios 2. NÃO abuse do espaço em disco & performance 3. Simplifique a administração da auditoria 15 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

16 Simplificando a Administração da Auditoria Para simplificar a administração da auditoria para o usuário final Foco em quem controla o que será auditado Seu nível de conhecimento da aplicação e banco de dados? Sua habilidade para montar treinamento e documentação? Sua habilidade para suportar administração de políticas detalhadas? Exponha somente o que precisa ser configurado Apague os detalhes dentro das políticas construidas Use um gerenciamento através de IU para ativar e desativar as políticas Automatize a troca de/para Auditando características primárias da aplicação Manutenção vs. modo de produção Diferentes níveis de detalhes de auditoria 16 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

17 Escolhendo a estratégia de política de auditoria Quais as escolhas de estratégias de política para a produção? Não faça nada Clientes são 100% responsáveis pela geração de políticas Supra políticas de auditoria como templates Desenvolvimento supre 80% do conhecimento em templates Clientes customizam os restantes 20% dos templates Existem quaisquer pontos de responsabilidade? Venda a administração como um serviço Desenvolver criação de políticas e administração remotas Supra políticas de auditoria de chaves para ligar/desligar Desenvolvedor supre 100% do conhecimento Cliente usa ferramentas com IU para gerenciar auditoria Existem quaisquer pontos de responsabilidade? 17 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

18 O que é um Evento de Auditoria OpenEdge? Eventos de Auditoria representa o Qual em auditoria. Cada definição de Evento é uma única ação ou operação Eventos de Auditoria resumem-se em três tipos Operações de Banco de Dados CAE ( OpenEdge ) Interno ( OpenEdge ) Aplicação ( ABL or SQL ) Cada definição de Evento tem um Valor inteiro positivo único ( 1 para max inteiro ) nome ( cliente.create ) descrição ( create registro cliente ) 18 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

19 Tipos de Eventos de Auditoria Eventos de Registros de Banco de Dados Usado para Operações de gravação numa tabela Criação, Alteração e Exclusão Opcional gravar valores de campos selecionados Gravado somente no banco local Consulta por nome de tabela OU tabela e valores de campos selecionados Aplicação de contexto não automática relatando a operação de gravação para a operação da aplicação 19 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

20 Tipos de Eventos de Auditoria Eventos de Aplicação Usado para Gravação por negócios, menor detalhe, eventos Eventos sem operação correspondente ao banco Leitura da Auditoria Aplicando contexto da aplicação para eventos de auditoria [registro] Agrupamento de eventos de auditoria para facilitar consultas Disparado por Comandos da linguagem ABL Códigos de aplicação ABL ou SQL Codificado na aplicação Número do Evento Registros de Auditoria Evento por Contexto Detalhando formato e contexto 20 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

21 Eventos de Aplicação e Múltiplos Bancos O que acontece? Eventos de aplicação são propagados para todos os bancos Permite consulta imediata dos eventos em qualquer banco Mesmos registros de Auditoria com índice primário em cada banco (duplicados) Duplicidades removidas por utilitário de arquivamento para operações de leitura Minimiza problemas de performance Habilita somente um banco de Política de Eventos para gravar evento se consultas não são requeridas imediatamente 21 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

22 Configurando Contexto de Auditoria e Escopo Evento Contexto de Auditoria define uma especifica instância de um evento de auditoria ID de Evento & Contexto são os filtros primários de consulta Usado para simplificar consultas para uma específica Alteração de Registro Operação da Aplicação ou Ação Operações ou Ações do OpenEdge AVISO: evite alterações de formato nos sites de produção (ou faça consultas muito complexas) 22 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

23 Estratégia de Evento de Contexto Simplificar consultas para uma ou mais instâncias de um Evento Contexto do registro de evento Consulta a alterações de tabela por valores de campos [indices] PUB.Customer PUB.Customer pluto PUB.Customer pluto 56 Bone Dr. Contexto de Evento de Aplicação Use múltiplos campos de informação de contexto c1 [.c2 [.c3 ] ] Mais campos de contexto rende menores subconjuntos de registros print print.audit print.audit.users.dduck 23 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

24 Apontando Eventos de Auditoria para gravação Arquivo sugerido de estratégia de Política de Eventos Cada tabela tem um bloco de 10 eventos numerados Tabelas Relacionadas ocupam blocos sequênciais Cada evento de Tabela CREATE - criação de registro (table-base + 0) UPDATE - alteração de registro (table-base + 1) DELETE - deleção de registro (table-base + 2) VIEW - Por terminal do usuário * (table-base + 3) IMPORT - transf. eletrônica entr. * (table-base + 4) EXPORT - transf. eletrônica saída * (table-base + 5) PRINT - Cópia feita p/ papel * (table-base + 6) REPLICA - Cópia feita eletronicam. * (table-base + 7) Controlado em tab. políticas 24 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution Controlado em polít.de eventos

25 Tipos de Eventos de Auditoria Eventos de Auditoria Prontos Regula auditoria aos acessos humanos aos dados Somente aplicações conhecem acessos humanos OpenEdge lê muitos registros numa consulta Conjunto de registros filtrados retornados para a aplicação Não está pronta somente para acesso humano Relatórios Impressos Cópia eletrônica para mídia removível Rede de Transporte para aplicações externas 25 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

26 Continuando o longo-caminho de gravação sob controle Gravação Auditoria Armazenagem curto prazo Proposto, Armazenagem Longo Prazo Offline Storage DB Aplicação DB Armaz. Auditoria Dados Auditoria Arqs..abd Registrador Auditoria Arquivos Auditoria Leitores Auditoria Arquivadas Relatórios Auditoria 26 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

27 Estratégia de Arquivamento de Auditoria Considerar banco da aplicação como um armazenamento de curto prazo para dados de auditoria Não habilite indices de auditoria Use Storage Areas separadas para dados de auditoria Armazene com frequência! Use banco de dados proposto para arquivar/imprimir auditoria Habilite todos os indices Plano para armazenamento off-line 27 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

28 Agenda OpenEdge Auditing visão geral Primeiros passos com Auditing Mantendo o Controle Relatórios produtivos This presentation includes annotations with additional complementary information 28 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

29 Gerando relatórios solicitados Os relatórios de auditoria são dirijidos a Tabelas precisam de políticas de auditoria Quais operações nos registros precisam de auditoria Valores de campos precisam ser gravados Valores de campos precisam ser indexados Que eventos de aplicação são necessários e onde Evento de contexto de aplicação que formatos e valores usar Contexto-Aplicação e Grupo-Evento-Auditoria usar Onde no código da aplicação Junto com programas e classes 29 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

30 Consultando dados auditoria Imprimindo Subsistema Segurança de acesso aos dados de auditoria Separação de deveres Exposto como tabelas de banco padrão para facilitar a impressão Requer conhecimento da implementação Schema e meta-schema Identificando campos Como o contexto está formatado (Vários por ID de eventos) Dados de Auditoria pesquisáveis por ID usuário, ID evento, dado, contexto, transação, grupo auditoria, conexão ao DB, seção cliente 30 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

31 Consultando dados transacionais de auditoria _client-session _Client-session-uuid _Client-name _User-id (IE1.1) _Authentication-date-time Informações (IE2.1) _Server-uuid _Authentication-domain-type _Authentication-domain-name Seção _Db-guid (FK) (IE3.1) _Session-custom-detail Cliente _Audit-data-security-level _Data-seal _aud-audit-data _Audit-data-guid created _Database-connection-id (IE1.1) _Client-session-uuid (FK) (IE1.2) _User-id (IE2.1) _Audit-date-time (IE5.1) _Audit-event-group (FK) (IE3.1) _Db-guid (FK) Dados (IE3.2) _Transaction-id (IE3.3) _Transaction-sequence (IE3.4) Transacionais _Event-id (FK) (IE4.1) _Event-context (IE6.1) _Application-context-id Auditoria (FK) (IE7.1) _Event-detail _Audit-custom-detail _Audit-data-security-level _Data-seal supplies context to is the group for 31 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution Relatório Auditoria consists of _aud-audit-data-value _Audit-data-guid (FK) _Field-name (IE1.1) _Continuation-sequence _Data-type-code _Old-string-value _New-string-value Valores _Old-blob-value _New-blob-value _Old-clob-value _New-clob-value _Audit-data-security-level _Data-seal Modificados Por Campo Somente registros que vc precisa imprimir Usa nomes de eventos estruturados _sys.tbl.create _sys.tbl.trig.update Usa banco de relatório Evite SHARE-LOCK Valores formatados sempre em formato Americano SESSION:DATE- FORMAT = mdy SESSION:NUMERIC- FORMAT = American Join Recursivo

32 Que informação é gravada? _aud-audit-data _Audit-data-guid _Database-connection-id (IE1.1) _Client-session-uuid (FK) (IE1.2) _User-id (IE2.1) _Audit-date-time (IE5.1) _Audit-event-group (FK) (IE3.1) _Db-guid (FK) (IE3.2) _Transaction-id (IE3.3) _Transaction-sequence (IE3.4) _Event-id (FK) (IE4.1) _Event-context (IE6.1) _Application-context-id (FK) (IE7.1) _Event-detail _Audit-custom-detail _Audit-data-security-level _Data-seal supplies context to is the group for Quem fez isto? Quando aconteceu? Que evento o causou? Em que contexto? O que estava ocorrendo naquele momento? Qualquer outra informação relevante? 32 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

33 Imprimindo os Contexto de Aplicação e Grupos de Eventos Contexto-Aplicação e Grupos-eventos-auditoria São uma forma de eventos de auditoria da aplicação Normaliza aplicando contexto da aplicação para Registros de auditoria de eventos de banco de dados Outros eventos de aplicação de auditoria Grupo relacionado a registros de auditoria através de múltiplos bancos de dados UUID UUID AB627H8 AB627H8 Event Event Application-context-id Event Event context context Record Record visit visit Evento Contexto-Aplicação UUID UUID G78456U G78456U Event Event Application-context-id AB627H8 AB627H8 Event Event context context Visit Visit OK OK Btn Btn Eventos de Aplicação UUID UUID Q2395NL Q2395NL Event Event Application-context-id AB627H8 AB627H8 Event Event context context PUB.T1:Jones PUB.T1:Jones Eventos Registros 33 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

34 Melhores práticas de Auditoria Somente audite o que for absolutamente necessário ajuste com manutenção das políticas de auditoria Plano para impressão ID de grupo de eventos por faixas Estrutura de contexto consistente Grupos de eventos de auditoria mais usados Estilo de codificação padronizado para os mais importantes eventos (alterações, escopo registro, escopo transação) 34 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

35 Resumindo Auditoria é um Serviço Principal Uma das muitas novas características do OpenEdge 10 Invista tempo planejando sua implementação 35 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

36 Treinamento / Documentação Treinamento What's New In OpenEdge 10.1: Auditing Documentação Core Business Services PSDN 36 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

37 Perguntas? 37 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

38 Obrigado pelo seu tempo 38 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

39 Relevant Exchange Sessions DB-19: OpenEdge Authentication Without the _User Table DB-14: OpenEdge run-time database security revealed 39 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

40 40 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

41 Preparing for Auditing App DB Preparing for auditing Upgrade Databases AND Clients to 10.1A+ Add Type II Storage Areas for Auditing prostrct add <db> addaudit.st Policy Data Audit Data Application Data d "Audit_Data":20,32;512. f d "Audit_Data":20,32;512. d "Audit_Index":21,1;64. f 5120 d "Audit_Index":21,1;64. Enable Auditing (prepares for auditing) proutil <db> -C enableauditing area Audit_Data indexarea Audit_Index [deactivateidx] 41 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

42 Database Options and Audit Permissions Security Subsystem 42 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

43 Application Context and Audit Event Groups Example usage DEFINE VARIABLE ctxid AS CHARACTER. DEFINE VARIABLE grpid AS CHARACTER. Indexed ctxid = AUDIT-CONTROL:SET-APPL-CONTEXT (PROGRAM-NAME(1) + :Create Order", corderdata,cextrastuff). Indexed grpid = AUDIT-CONTROL:BEGIN-EVENT-GROUP (PROGRAM-NAME(1) + :Create Order Line", clinedata,cextrastuff). AUDIT-CONTROL:END-EVENT-GROUP. AUDIT-CONTROL:CLEAR-APPL-CONTEXT. 43 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

44 Audit Event Types Default Database Record Events Name Event-id Description Type _sys.db.rec.create 5100 Create record schema _sys.db.rec.update 5101 Update record schema _sys.db.rec.delete 5102 Delete record schema Demonstration and development purposes Recommend using application defined event IDs for Production auditing 44 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

45 Recording Field Values Selectable via table / field policy Streamed (default) Modified values stored in _Event-detail field of the primary _aud-audit-data record Minimizes performance impact Limited by max record length auto overflows Arbitrary field order / content <fld-nam> + CHR(6) + <data-typ> + CHR(6) + [<oldval> +] CHR(6) + <new-val> + CHR(7) CHR(8) is used to delimit array elements One Record per Field Query for specific field value changes 45 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

46 Controlling the Storage of Audited Field Values Database record f1 f2 f3 f4 f5 f6 f7 f8 f9 f10 f11 f12 f13 f14 Audit Audit Event Event Subsystem Audited Fields Database f1 f2 f3 f4 f5 f6 f7 f8 f9 f10 f11 f12 f13 f14 Audit Audit Policy Policy Subsystem _aud-file-policy _aud-field-policy 1 Field/Record (f2, f6, f9, f14) _aud-audit-data _aud-audit-data _aud-audit-data _aud-audit-data-value Audit Audit Data Data Subsystem Streamed Field Values f1:old/new, f3:old/new, f10:old/new _aud-audit-data _aud-audit-data _Event-detail 46 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

47 Application Event Examples /* = Run Menu Option */ AppID = AUDIT-CONTROL:LOG-AUDIT-EVENT (32800, cmenucode, cdetail, cmore). /* READ auditing = Customer Enquiry */ AppID = AUDIT-CONTROL:LOG-AUDIT-EVENT (32003, STRING(Customer.CustNum), ccustomerdetail, cmore). Indexed Indexed 47 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

48 Audit Event Types Internal Audit Events Are a form of application audit event Could not be captured by an application s bespoke auditing system Are triggered by internal OpenEdge operations ABL & SQL database clients Database utilities Ids are predefined by OpenEdge In OpenEdge controlled event-id space [ 0 31,999 ] _pvm.user.login.pass #10510 _sys.audit.data.dump #10310 _sys.tbl.create #5000 _sql.dba.create #210 _sys.area.truncate # DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

49 Locating Specific Audit Data Event context field _aud-audit-data._event-context DEFINE VARIABLE ckey AS CHARACTER NO-UNDO. ASSIGN ckey = "PUB.orderline" + CHR(6) + STRING(orderline.ordernum) + CHR(7) + STRING(orderline.linenum). By default uses Primary Key Fields IF CAN-FIND(FIRST _aud-audit-data NO-LOCK WHERE _aud-audit-data._event-context = ckey) THEN MESSAGE "Audit data exists for " + ckey. <owner>.<table>chr(6)<id-fld-val>[chr(7)<id-fldval>.. ] CHR(8) is used to delimit array elements 49 DB-8: Jump Starting Your OpenEdge Auditing Solution

Migrando para OpenEdge 10. Regis Martins Ezipato Sr Solution Engineer

Migrando para OpenEdge 10. Regis Martins Ezipato Sr Solution Engineer Migrando para OpenEdge 10 Regis Martins Ezipato Sr Solution Engineer Façam as perguntas durante a apresentação 2 Visão Geral Versão 7.2A 8.2A 8.3A 9.0A 9.1A 10.0A 10.1A Quando Passado distante Passado

Leia mais

Revelada a Segurança de Tempo de Execução da Base de Dados OpenEdge

Revelada a Segurança de Tempo de Execução da Base de Dados OpenEdge Revelada a Segurança de Tempo de Execução da Base de Dados OpenEdge Regis Martins Ezipato Sr. Solution Engineer Agenda Cenário da segurança de banco em tempo de execução Segurança de banco OpenEdge 10

Leia mais

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1 AULA Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1 Em qualquer profissão é importante que se conheça bem as ferramentas que serão usadas para executar o trabalho proposto. No desenvolvimento de software não é

Leia mais

Novidades Oracle 11g. Rio Grande Energia - RGE

Novidades Oracle 11g. Rio Grande Energia - RGE Novidades Oracle 11g Daniel Güths Rio Grande Energia - RGE 1 Agenda Oracle Database 11g new features SQL e PL/SQL new features Performance e gerenciamento de recursos Gerenciamento de mudanças Gerenciamento

Leia mais

PL/SQL Developer. Solução para Ambiente de Desenvolvimento Integrado Oracle

PL/SQL Developer. Solução para Ambiente de Desenvolvimento Integrado Oracle Solução para Ambiente de Desenvolvimento Integrado Oracle PL/SQL Developer é um ambiente de desenvolvimento integrado (IDE) que foi especialmente destinado ao desenvolvimento de programas armazenados em

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ARTEFATO 02 AT02 Diversos I 1 Indice ESQUEMAS NO BANCO DE DADOS... 3 CRIANDO SCHEMA... 3 CRIANDO TABELA EM DETERMINADO ESQUEMA... 4 NOÇÕES BÁSICAS SOBRE CRIAÇÃO E MODIFICAÇÃO

Leia mais

SQL Server Triggers Aprenda a utilizar triggers em views e auditar as colunas atualizadas em uma tabela

SQL Server Triggers Aprenda a utilizar triggers em views e auditar as colunas atualizadas em uma tabela SQL Server Triggers Aprenda a utilizar triggers em views e auditar as colunas atualizadas em uma tabela Certamente você já ouviu falar muito sobre triggers. Mas o quê são triggers? Quando e como utilizá-las?

Leia mais

Prof. Carlos Majer Aplicações Corporativas UNICID

Prof. Carlos Majer Aplicações Corporativas UNICID Este material pertence a Carlos A. Majer, Professor da Unidade Curricular: Aplicações Corporativas da Universidade Cidade de São Paulo UNICID Licença de Uso Este trabalho está licenciado sob uma Licença

Leia mais

Como aumentar a produtividade com segurança usando a tecnologia Progress. Camila Valentin Solution Consultant

Como aumentar a produtividade com segurança usando a tecnologia Progress. Camila Valentin Solution Consultant Como aumentar a produtividade com segurança usando a tecnologia Progress Camila Valentin Solution Consultant Porque capacitar-se? Você sabia que um funcionário treinado aumenta sua produtividade em aproximadamente

Leia mais

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS ARMAZENAMENTO EM BD NO DM. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS ARMAZENAMENTO EM BD NO DM. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS ARMAZENAMENTO EM BD NO DM Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza ROTEIRO Introdução App de exemplo Implementação do exemplo Testes realizados

Leia mais

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS ARMAZENAMENTO EM BD NO DM. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS ARMAZENAMENTO EM BD NO DM. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS ARMAZENAMENTO EM BD NO DM Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza ROTEIRO Introdução App de exemplo Implementação do exemplo Testes realizados

Leia mais

Nota de Aplicação. Exemplo de log de usuários utilizando IHM Magelis e o leitor biometrico XB5S5B2L2. Suporte Técnico Brasil. Versão: 1.

Nota de Aplicação. Exemplo de log de usuários utilizando IHM Magelis e o leitor biometrico XB5S5B2L2. Suporte Técnico Brasil. Versão: 1. Nota de Aplicação Exemplo de log de usuários utilizando IHM Magelis e o leitor biometrico XB5S5B2L2. Versão: 1.0 Suporte Técnico Brasil Especificações técnicas Hardware: Firmware: HMIGTO4310 XB5S5B2L2

Leia mais

Advanced Group Policy Management (AGPM) 2.5

Advanced Group Policy Management (AGPM) 2.5 Advanced Group Policy Management (AGPM) 2.5 Última revisão feita em 02 de Setembro de 2008. Objetivo Neste artigo iremos conhecer um dos cinco componentes do MDOP 2008. Você vai aprender sobre o Advanced

Leia mais

System Handle ou Referência de Conta de Suporte: Identificação de Contrato de Serviço:

System Handle ou Referência de Conta de Suporte: Identificação de Contrato de Serviço: HP 690 East Middlefield Road Mt. View, CA 94043, EUA Resposta de Clientes N.º (650) 960-5040 System Handle ou Referência de Conta de Suporte: Identificação de Contrato de Serviço: IMPORTANTE: Todos os

Leia mais

SQL Gatilhos (Triggers)

SQL Gatilhos (Triggers) SQL Gatilhos (Triggers) Laboratório de Bases de Dados Gatilho (trigger) Bloco PL/SQL que é disparado de forma automática e implícita sempre que ocorrer um evento associado a uma tabela INSERT UPDATE DELETE

Leia mais

Histórico de revisões

Histórico de revisões Histórico de revisões Data Versão Descrição Autor 13/11/2009 1.0 Criação da primeira versão HEngholmJr CONTEÚDO Passos para a instalação do SQL Server O MS SQL Server Conceitos relacionais Bancos de dados

Leia mais

Crash recovery é similar ao instance recovery, onde o primeiro referencia ambientes de instância exclusiva e o segundo ambientes parallel server.

Crash recovery é similar ao instance recovery, onde o primeiro referencia ambientes de instância exclusiva e o segundo ambientes parallel server. Recover no Oracle O backup e recuperação de dados em um SGBD é de grande importância para a manutenção dos dados. Dando continuidade a nossos artigos, apresentamos abaixo formas diferentes de se fazer

Leia mais

PgAdmin. O pgadmin é um software gráfico para administração do SGBD PostgreSQL disponível para Windows e UNIX.

PgAdmin. O pgadmin é um software gráfico para administração do SGBD PostgreSQL disponível para Windows e UNIX. 1/20 PgAdmin O pgadmin é um software gráfico para administração do SGBD PostgreSQL disponível para Windows e UNIX. Site para download. Caso queira a última versão - http://www.pgadmin.org/download/ É uma

Leia mais

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 INTRODUÇÃO PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 Leonardo Pereira leonardo@estudandoti.com.br Facebook: leongamerti http://www.estudandoti.com.br Informações que precisam ser manipuladas com mais segurança

Leia mais

Auditoria de sistemas Deixe que seu banco de dados faça o trabalho por você

Auditoria de sistemas Deixe que seu banco de dados faça o trabalho por você Auditoria de sistemas Deixe que seu banco de dados faça o trabalho por você por Cristóferson Guimarães Magalhães Bueno e Odilon Corrêa da Silva 1 O objetivo deste artigo é demonstrar como criar um sistema

Leia mais

Asset Inventory Service (AIS)

Asset Inventory Service (AIS) Asset Inventory Service (AIS) Última revisão feita em 02 de Setembro de 2008. Objetivo Neste artigo veremos detalhes sobre o Asset Inventory Service (AIS), um serviço disponível através do System Center

Leia mais

Iniciando com o OpenEdge Architect. Camila Valentin Sr. Instructor, Consultant Global Field Services

Iniciando com o OpenEdge Architect. Camila Valentin Sr. Instructor, Consultant Global Field Services Iniciando com o OpenEdge Architect Camila Valentin Sr. Instructor, Consultant Global Field Services Iniciando com o OpenEdge Architect Objetivos da sessão Princípios Começar com OpenEdge Architect Editando

Leia mais

Adotando OpenEdge Architect. Luciano Oliveira Sr. Instructor, Consultant Global Field Services

Adotando OpenEdge Architect. Luciano Oliveira Sr. Instructor, Consultant Global Field Services Adotando OpenEdge Architect Luciano Oliveira Sr. Instructor, Consultant Global Field Services Agenda Antes do OpenEdge Architect Por quê OpenEdge Architect? Adotando o OpenEdge Architect Integrar às Customizações

Leia mais

Tópicos. Atualizações e segurança do sistema. Manutenção Preventiva e Corretiva de Software (utilizando o MS Windows XP)

Tópicos. Atualizações e segurança do sistema. Manutenção Preventiva e Corretiva de Software (utilizando o MS Windows XP) teste 1 Manutenção Preventiva e Corretiva de Software (utilizando o MS Windows XP) Rafael Fernando Diorio www.diorio.com.br Tópicos - Atualizações e segurança do sistema - Gerenciamento do computador -

Leia mais

DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9

DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9 DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9 Í N D I C E Capítulo 1 - O Início de Tudo 1 Reunindo todas as informações necessárias 2 Instalando o Visual FoxPro 2 Configurando o Visual FoxPro 7 Capítulo

Leia mais

DB-1: Multi-database query for ODBC and JDBC Brian Werne

DB-1: Multi-database query for ODBC and JDBC Brian Werne -1: Multi-database query for OC and JC OpenEdge SQL em um Ambiente 10.1B multi-database para OC e JC Claudemiro Pacheco Technical Support Americas Objetivos Respostas para as seguintes perguntas: O que

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados Banco de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix

Leia mais

Guia da interface Pcounter Administrator - PAdmin

Guia da interface Pcounter Administrator - PAdmin Guia da interface Pcounter Administrator - PAdmin Objetivo: Este documento tem como objetivo apresentar a interface Pcounter Administrator (PAdmin) e as funcionalidades necessárias para o gerenciamento

Leia mais

Aplicabilidade: visão geral

Aplicabilidade: visão geral CURSO BÁSICO SAXES 2 Aplicabilidade: visão geral BI Comércio Indústria nf-e Serviços Software house Enterprise Business Bus Banco financeiro Instituição Sindicato ERP html Casos 3 6 Customização: importação

Leia mais

LEIA ISTO PRIMEIRO. IBM Tivoli Configuration Manager, Versão 4.2.1

LEIA ISTO PRIMEIRO. IBM Tivoli Configuration Manager, Versão 4.2.1 LEIA ISTO PRIMEIRO IBM Tivoli, Versão 4.2.1 O IBM Tivoli, Versão 4.2.1, é uma solução para controlar a distribuição de software e o inventário de gerenciamento de recursos em um ambiente multiplataformas.

Leia mais

Prof. Omero, pág. 63. Banco de Dados InterBase.

Prof. Omero, pág. 63. Banco de Dados InterBase. Prof. Omero, pág. 63 O que é o InterBase? O InterBase é um SGBDR - Sistema Gerenciador de Banco de Dados Cliente/Servidor Relacional 1 que está baseado no padrão SQL ANSI-9, de alta performance, independente

Leia mais

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS POSTGRESQL O PostgreSQL é um sistema gerenciador de banco de dados dos mais robustos e avançados do mundo. Seu código é aberto e é totalmente gratuito,

Leia mais

Projeto de Banco de Dados: Empresa X

Projeto de Banco de Dados: Empresa X Projeto de Banco de Dados: Empresa X Modelo de negócio: Empresa X Competências: Analisar e aplicar o resultado da modelagem de dados; Habilidades: Implementar as estruturas modeladas usando banco de dados;

Leia mais

Fórum Internacional Software Livre 8.0. PEAR::MDB2_Schema. Igor Feghali [ifeghali@php.net]

Fórum Internacional Software Livre 8.0. PEAR::MDB2_Schema. Igor Feghali [ifeghali@php.net] Fórum Internacional Software Livre 8.0 PEAR::MDB2_Schema Igor Feghali [ifeghali@php.net] Quem sou eu? Graduando em Engenharia de Computação pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) Participante

Leia mais

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO ÍNDICE Relatórios Dinâmicos... 3 Requisitos de Sistema... 4 Estrutura de Dados... 5 Operadores... 6 Tabelas... 7 Tabelas x Campos... 9 Temas... 13 Hierarquia Relacionamento...

Leia mais

INSTALANDO E CONFIGURANDO O MY SQL

INSTALANDO E CONFIGURANDO O MY SQL INSTALANDO E CONFIGURANDO O MY SQL Este tutorial tem como objetivo mostrar como instalar o banco de dados My SQL em ambiente Windows e é destinado aqueles que ainda não tiveram um contato com a ferramenta.

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

Sumário Agradecimentos... 19 Sobre.o.autor... 20 Prefácio... 21 Capítulo.1..Bem-vindo.ao.MySQL... 22

Sumário Agradecimentos... 19 Sobre.o.autor... 20 Prefácio... 21 Capítulo.1..Bem-vindo.ao.MySQL... 22 Sumário Agradecimentos... 19 Sobre o autor... 20 Prefácio... 21 Capítulo 1 Bem-vindo ao MySQL... 22 1.1 O que é o MySQL?...22 1.1.1 História do MySQL...23 1.1.2 Licença de uso...23 1.2 Utilizações recomendadas...24

Leia mais

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 11-1. INTRODUÇÃO TRIGGERS (GATILHOS OU AUTOMATISMOS) Desenvolver uma aplicação para gerenciar os dados significa criar uma aplicação que faça o controle sobre todo ambiente desde a interface, passando

Leia mais

1 Criar uma entity a partir de uma web application que usa a Framework JavaServer Faces (JSF)

1 Criar uma entity a partir de uma web application que usa a Framework JavaServer Faces (JSF) Sessão Prática II JPA entities e unidades de persistência 1 Criar uma entity a partir de uma web application que usa a Framework JavaServer Faces (JSF) a) Criar um Web Application (JPAsecond) como anteriormente:

Leia mais

Manual da Ferramenta Metadata Editor

Manual da Ferramenta Metadata Editor 4 de março de 2010 Sumário 1 Introdução 3 2 Objetivos 3 3 Visão Geral 3 3.1 Instalação............................. 3 3.2 Legenda.............................. 4 3.3 Configuração Inicial........................

Leia mais

BANCO DE DADOS. info 3º ano. Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br

BANCO DE DADOS. info 3º ano. Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br BANCO DE DADOS info 3º ano Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br Na última aula estudamos Unidade 4 - Projeto Lógico Normalização; Dicionário de Dados. Arquitetura

Leia mais

Software de Gerência de Dados de Música. Data Manager para Windows. Guia do Usuário

Software de Gerência de Dados de Música. Data Manager para Windows. Guia do Usuário P Software de Gerência de Dados de Música Data Manager para Windows Guia do Usuário Use este manual em combinação com o guia do usuário que acompanha o instrumento. DATAMANAGERP1C Sumário Introdução...3

Leia mais

AUDITORIA NO SGBD MICROSOFT SQL SERVER 2008 R2. Resumo: Este artigo discute o processo de auditoria no Sistema Gerenciador de

AUDITORIA NO SGBD MICROSOFT SQL SERVER 2008 R2. Resumo: Este artigo discute o processo de auditoria no Sistema Gerenciador de AUDITORIA NO SGBD MICROSOFT SQL SERVER 2008 R2 WADSON DUARTE MONTEIRO 1 IREMAR NUNES DE LIMA 2 Resumo: Este artigo discute o processo de auditoria no Sistema Gerenciador de Banco de Dados SQL Server 2008

Leia mais

Usando PostgreSQL na Regra de Negócio de um ERP. Fabiano Machado Dias Eduardo Wolak

Usando PostgreSQL na Regra de Negócio de um ERP. Fabiano Machado Dias Eduardo Wolak Usando PostgreSQL na Regra de Negócio de um ERP Fabiano Machado Dias Eduardo Wolak Regra de negócio? São todas as regras existentes num sistema de informação, que ditam seu comportamento, suas restrições

Leia mais

Sumário. Capítulo 2 Conceitos Importantes... 32 Tópicos Relevantes... 32 Instance... 33 Base de Dados... 36 Conclusão... 37

Sumário. Capítulo 2 Conceitos Importantes... 32 Tópicos Relevantes... 32 Instance... 33 Base de Dados... 36 Conclusão... 37 7 Sumário Agradecimentos... 6 Sobre o Autor... 6 Prefácio... 13 Capítulo 1 Instalação e Configuração... 15 Instalação em Linux... 15 Instalação e Customização do Red Hat Advanced Server 2.1... 16 Preparativos

Leia mais

Auditando o Acesso ao Sistema de Arquivos no Windows 2008 Server R2

Auditando o Acesso ao Sistema de Arquivos no Windows 2008 Server R2 Auditando o Acesso ao Sistema de Arquivos no Windows 2008 Server R2 Primeiramente vamos falar um pouco sobre a Auditoria do Windows 2008 e o que temos de novidades com relação aos Logs. Como parte de sua

Leia mais

Android e Bancos de Dados

Android e Bancos de Dados (Usando o SQLite) Programação de Dispositivos Móveis Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do

Leia mais

BANCO DE DADOS -INTRODUÇÃO AO SQL. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br

BANCO DE DADOS -INTRODUÇÃO AO SQL. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br BANCO DE DADOS -INTRODUÇÃO AO SQL Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br INTRODUÇÃO AO SQL Ferramentas brmodelo Ferramenta Case PostgreSQL versão 8 ou superior SGBD Em 1986 o American

Leia mais

Procedimentos de Instalação e Configuração do Print Management no Windows Server 2008 R2 SP1 64 Bits

Procedimentos de Instalação e Configuração do Print Management no Windows Server 2008 R2 SP1 64 Bits Procedimentos de Instalação e Configuração do Print Management no Windows Server 2008 R2 SP1 64 Bits Fonte: http://procedimentosemti.com.br/blog/blog1.php/2011/04/12/procedimentos-de- instalacao-e-configuracao-do-print-management-no-windows-server-2008-r2-sp1-64-

Leia mais

Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 2 Pedreiros da Informação Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração

Manual de Instalação e Configuração e Configuração MyABCM 4.0 Versão 4.00-1.00 2 Copyright MyABCM. Todos os direitos reservados Reprodução Proibida Índice Introdução... 5 Arquitetura, requisitos e cenários de uso do MyABCM... 7 Instalação

Leia mais

Treinamento sobre SQL

Treinamento sobre SQL Treinamento sobre SQL Como Usar o SQL Os dois programas que você mais utilizara no SQL Server são: Enterprise Manager e Query Analyzer. No Enterprise Manager, você pode visualizar e fazer alterações na

Leia mais

Sumário. Cópia de Sumário Crystal 10 Guia Prático.pmd 285

Sumário. Cópia de Sumário Crystal 10 Guia Prático.pmd 285 Sumário 1 Crystal Reports...1 1.1 Introdução... 1 1.2 Um pouco de História... 1 1.3 Novidades e Melhorias da Versão 10... 2 1.3.1 Acesso a Dados Simplificados (Business Views)... 3 1.3.2 Repositório...

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix Ingress SQL

Leia mais

CA Clarity Agile. Guia de Implementação. Release 13.3.00

CA Clarity Agile. Guia de Implementação. Release 13.3.00 CA Clarity Agile Guia de Implementação Release 13.3.00 A presente documentação, que inclui os sistemas de ajuda incorporados e os materiais distribuídos eletronicamente (doravante denominada Documentação),

Leia mais

Iniciando o MySQL Query Brower

Iniciando o MySQL Query Brower MySQL Query Brower O MySQL Query Browser é uma ferramenta gráfica fornecida pela MySQL AB para criar, executar e otimizar solicitações SQL em um ambiente gráfico. Assim como o MySQL Administrator foi criado

Leia mais

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD 2 1 Características dos SGBDs Natureza auto-contida de um sistema de banco de dados: metadados armazenados num catálogo ou dicionário de

Leia mais

Programação para Android. Aula 08: Persistência de dados SQL

Programação para Android. Aula 08: Persistência de dados SQL Programação para Android Aula 08: Persistência de dados SQL Persistência de dados Na maioria das aplicações precisamos ter algum tipo de persistência de dados. Para guardar informações de forma persistente

Leia mais

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício Introdução à Banco de Dados Nathalia Sautchuk Patrício Histórico Início da computação: dados guardados em arquivos de texto Problemas nesse modelo: redundância não-controlada de dados aplicações devem

Leia mais

BANCO DE DADOS: SQL. Edson Anibal de Macedo Reis Batista. 27 de janeiro de 2010

BANCO DE DADOS: SQL. Edson Anibal de Macedo Reis Batista. 27 de janeiro de 2010 BANCO DE DADOS: SQL UERN - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Departamento de Ciências da Computação. 27 de janeiro de 2010 índice 1 Introdução 2 3 Introdução SQL - Structured Query Language

Leia mais

APOSTILA BANCO DE DADOS INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL

APOSTILA BANCO DE DADOS INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL 1. O que é Linguagem SQL 2. Instrução CREATE 3. CONSTRAINT 4. ALTER TABLE 5. RENAME TABLE 6. TRUCANTE TABLE 7. DROP TABLE 8. DROP DATABASE 1 1. O que é Linguagem SQL 2. O SQL (Structured Query Language)

Leia mais

Persistindo dados com TopLink no NetBeans

Persistindo dados com TopLink no NetBeans Persistindo dados com TopLink no NetBeans O que é TopLink? O TopLink é uma ferramenta de mapeamento objeto/relacional para Java. Ela transforma os dados tabulares de um banco de dados em um grafo de objetos

Leia mais

Print Audit 6 - SQL Server 2005 Express Edition Installation Guide

Print Audit 6 - SQL Server 2005 Express Edition Installation Guide Print Audit 6 - SQL Server 2005 Express Edition Installation Guide Resumo Este é um guia passo a passo para instalar o SQL Server 2005 Express Edition como base de dados para o Print Audit 6. Pré-Requisitos

Leia mais

Como posso usar o HP Easy Printer Care através de USB ou conexão paralela?

Como posso usar o HP Easy Printer Care através de USB ou conexão paralela? HP Easy Printer Care Perguntas freqüentes Como posso usar o HP Easy Printer Care através de USB ou conexão paralela? O HP Easy Printer Care só pode ser usado através de USB ou de uma conexão paralela se

Leia mais

SQL. Structured Query Language

SQL. Structured Query Language SQL Structured Query Language Construções básicas Junção de Tabelas Join O uso da operação JOIN numa cláusula FROM especifica como se deseja que as tabelas sejam vinculadas. Use INNER JOIN para associar

Leia mais

Guia de administração para a integração do Portrait Dialogue 6.0. Versão 7.0A

Guia de administração para a integração do Portrait Dialogue 6.0. Versão 7.0A Guia de administração para a integração do Portrait Dialogue 6.0 Versão 7.0A 2013 Pitney Bowes Software Inc. Todos os direitos reservados. Esse documento pode conter informações confidenciais ou protegidas

Leia mais

Restauração do Exchange Server.

Restauração do Exchange Server. Restauração do Exchange Server. Considerações Iniciais Como visto anteriormente, não há maiores dificuldades na configuração de backups de um banco Exchange. Reservam-se à restauração as operações mais

Leia mais

Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG

Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG Abril 2013 Sumário 1. Agente... 1 2. Onde instalar... 1 3. Etapas da Instalação do Agente... 1 a. Etapa de Instalação do Agente... 1 b. Etapa de Inserção

Leia mais

Introdução ao IDE Netbeans (Programação Java)

Introdução ao IDE Netbeans (Programação Java) Universidade Federal do ABC (UFABC) Disciplina: Processamento da Informação (BC-0505) Assunto: Java e Netbeans Introdução ao IDE Netbeans (Programação Java) Conteúdo 1. Introdução... 1 1.1. Programas necessários...

Leia mais

Criar o diagrama entidade associação do exemplo do hotel no Oracle Designer

Criar o diagrama entidade associação do exemplo do hotel no Oracle Designer Criar o diagrama entidade associação do exemplo do hotel no Oracle Designer 1 escolher o tipo de dados de cada atributo 2 escolher as chaves Gerar as tabelas Correr o "Database Design Transformer" 3 Seleccionar

Leia mais

MySQL. Prof. César Melo. com a ajuda de vários

MySQL. Prof. César Melo. com a ajuda de vários MySQL Prof. César Melo com a ajuda de vários Banco de dados e Sistema de gerenciamento; Um banco de dados é uma coleção de dados. Em um banco de dados relacional, os dados são organizados em tabelas. matricula

Leia mais

SQL - Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL

SQL - Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL SQL - Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL Criar uma base de dados (criar um banco de dados) No mysql: create database locadora; No postgresql: createdb locadora Criar

Leia mais

Gatilhos (Triggers) Prof. Márcio Bueno {bd2tarde,bd2noited}@marciobueno.com. Elaborado por Maria Lígia B. Perkusich

Gatilhos (Triggers) Prof. Márcio Bueno {bd2tarde,bd2noited}@marciobueno.com. Elaborado por Maria Lígia B. Perkusich Gatilhos (Triggers) Prof. Márcio Bueno {bd2tarde,bd2noited}@marciobueno.com Elaborado por Maria Lígia B. Perkusich O que é um gatilho (trigger)? Um gatilho é um tipo especial de procedimento armazenado

Leia mais

CA Clarity PPM. Guia do Usuário de Gestão de Demanda. Release 14.2.00

CA Clarity PPM. Guia do Usuário de Gestão de Demanda. Release 14.2.00 CA Clarity PPM Guia do Usuário de Gestão de Demanda Release 14.2.00 A presente documentação, que inclui os sistemas de ajuda incorporados e os materiais distribuídos eletronicamente (doravante denominada

Leia mais

MANEJO DE DOCUMENTOS COM O GXFLOW

MANEJO DE DOCUMENTOS COM O GXFLOW MANEJO DE DOCUMENTOS COM O GXFLOW Introdução GXflow permite associar documentos às diferentes tarefas dos processos. O controle de versões e permissões de edição destes documentos é realizado em forma

Leia mais

Faça-Fácil: Passos Terminal Server

Faça-Fácil: Passos Terminal Server Faça-Fácil: 1. Objetivo Este documento mostra como configurar uma estação com Terminal Server da Microsoft (Windows 2003), para ser usado com o ifix (3.5 ou superior). 2. Introdução O ifix é capaz de trabalhar

Leia mais

Universidade Federal de Viçosa CPD - Central de Processamento de Dados Divisão de Desenvolvimento de Sistemas

Universidade Federal de Viçosa CPD - Central de Processamento de Dados Divisão de Desenvolvimento de Sistemas Universidade Federal de Viçosa CPD - Central de Processamento de Dados Divisão de Desenvolvimento de Sistemas Manual de padrões e convenções para desenvolvimento de sistemas PHP Versão Conteúdo 1.

Leia mais

Progress Exchange 2007

Progress Exchange 2007 Adotando e Usando OpenEdge Architect Camila Valentin Solution Consultant 1 Agenda O que é OpenEdge Architect? Adotando OpenEdge Architect Utilizando ambiente orientado a projetos Mapeando dados no OpenEdge

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE ARQUITETURA PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE WEB UTILIZANDO NOVAS TECNOLOGIAS

UM ESTUDO SOBRE ARQUITETURA PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE WEB UTILIZANDO NOVAS TECNOLOGIAS UM ESTUDO SOBRE ARQUITETURA PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE WEB UTILIZANDO NOVAS TECNOLOGIAS Edi Carlos Siniciato ¹, William Magalhães¹ ¹ Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil edysiniciato@gmail.com,

Leia mais

PRO201 - Integrando o Visual Studio 2005 Team Edition for Database Professional no Ciclo de Desenvolvimento de Software. Regis Gimenis - Microsoft

PRO201 - Integrando o Visual Studio 2005 Team Edition for Database Professional no Ciclo de Desenvolvimento de Software. Regis Gimenis - Microsoft PRO201 - Integrando o Visual Studio 2005 Team Edition for Database Professional no Ciclo de Desenvolvimento de Software Regis Gimenis - Microsoft 01. 02. 03. 04. 05. Introdução Visual Studio Team System

Leia mais

No Fedora, instalamos os pacotes "mysql" e "mysql-server", usando o yum:

No Fedora, instalamos os pacotes mysql e mysql-server, usando o yum: Instalando o MySQL O MySQL é um banco de dados extremamente versátil, usado para os mais diversos fins. Você pode acessar o banco de dados a partir de um script em PHP, através de um aplicativo desenvolvido

Leia mais

Segurança de Acesso a Banco de Dados no MS SQL Server

Segurança de Acesso a Banco de Dados no MS SQL Server Segurança de Acesso a Banco de Dados no MS SQL Server Para efetuar com sucesso os exemplos que serão mostrados a seguir é necessário que exista no SQL Server uma pessoa que se conecte como Administrador,

Leia mais

Construindo portais com Plone

Construindo portais com Plone Construindo portais com Plone Módulo 9 Dexterity Dexterity TTW Módulo 9 Dexterity Dexterity >> O que é? Framework para incorporação de tipos de dados ao Plone. Sucessor do Archetypes. Mais rápido, modular

Leia mais

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível

Leia mais

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível de independência do

Leia mais

Esta aula tem o objetivo de nos orientar durante este período em nossas aulas de Banco de Dados, não tem a pretensão de ser a única fonte de

Esta aula tem o objetivo de nos orientar durante este período em nossas aulas de Banco de Dados, não tem a pretensão de ser a única fonte de BD Esta aula tem o objetivo de nos orientar durante este período em nossas aulas de Banco de Dados, não tem a pretensão de ser a única fonte de informação para nosso êxito no curso. A intenção de elaborar

Leia mais

Backup Exec 2014: Guia de Atualização

Backup Exec 2014: Guia de Atualização Introdução Esse material tem como objetivo demonstrar na prática um passo a passo de como fazer o upgrade do Backup Exec 2010 R3 para o Backup Exec 2014, tendo como foco mostrar como algumas configurações

Leia mais

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello Banco de Dados Maurício Edgar Stivanello Agenda Conceitos Básicos SGBD Projeto de Banco de Dados SQL Ferramentas Exemplo Dado e Informação Dado Fato do mundo real que está registrado e possui um significado

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Nota de Aplicação. Exemplo de gerenciamento de usuários nas IHMs Magelis utilizando como acessório leitor biometrico XB5S5B2L2. Suporte Técnico Brasil

Nota de Aplicação. Exemplo de gerenciamento de usuários nas IHMs Magelis utilizando como acessório leitor biometrico XB5S5B2L2. Suporte Técnico Brasil Nota de Aplicação Exemplo de gerenciamento de usuários nas IHMs Magelis utilizando como acessório leitor biometrico XB5S5B2L2. Versão: 1.0 Suporte Técnico Brasil Especificações técnicas Hardware: Firmware:

Leia mais

Brahms versão 6.7. Tutorial para extração dos dados no formato DarwinCore. Rede specieslink

Brahms versão 6.7. Tutorial para extração dos dados no formato DarwinCore. Rede specieslink Brahms versão 6.7 Tutorial para extração dos dados no formato DarwinCore Rede specieslink http://splink.cria.org.br INTRODUÇÃO Tutorial desenvolvido pelo CRIA, a fim de auxiliar as coleções que utilizam

Leia mais

Sisorc. Tutorial de Criação de Novos Módulos

Sisorc. Tutorial de Criação de Novos Módulos Sisorc Tutorial de Criação de Novos Módulos Banco de Dados Para criar um novo módulo é aconselhável que todas as tabelas destinadas a este módulo esteja dentro de um novo schema. Atualmente existem os

Leia mais

Utilizando subversion como controle de versão

Utilizando subversion como controle de versão Utilizando subversion como controle de versão Heitor Rapcinski Este documento descreverá a utilização de subversion como ferramenta de controle de versão mostrando as facilidades da sua utilização para

Leia mais

Drupal. Desenvolvimento de Módulos

Drupal. Desenvolvimento de Módulos Drupal Desenvolvimento de Módulos O que é o Drupal? O que é o Drupal? Framework de gestão de conteúdo. O que é o Drupal? Framework de gestão de conteúdo. O padrão do Drupal é fornecer ferramentas para

Leia mais

Elementos do IDE do Delphi

Elementos do IDE do Delphi Capítulo 2 Um Tour pelo Ambiente de Programação do Delphi Ao final deste capítulo, você estará apto a: Identificar os elementos do IDE do Delphi Identificar os elementos essenciais que formam uma aplicação

Leia mais

Implementando e Gerenciando Diretivas de Grupo

Implementando e Gerenciando Diretivas de Grupo Implementando e Gerenciando Diretivas de João Medeiros (joao.fatern@gmail.com) 1 / 37 Introdução a diretivas de grupo - GPO Introdução a diretivas de grupo - GPO Introdução a diretivas de grupo Criando

Leia mais

Banco de Dados. Prof. Antonio

Banco de Dados. Prof. Antonio Banco de Dados Prof. Antonio SQL - Structured Query Language O que é SQL? A linguagem SQL (Structure query Language - Linguagem de Consulta Estruturada) é a linguagem padrão ANSI (American National Standards

Leia mais