MINISTÉRIO DA FAZENDA PROCURADORIA-GERAL DA FAZENDA NACIONAL COORDENAÇÃO-GERAL DE ASSUNTOS TRIBUTÁRIOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MINISTÉRIO DA FAZENDA PROCURADORIA-GERAL DA FAZENDA NACIONAL COORDENAÇÃO-GERAL DE ASSUNTOS TRIBUTÁRIOS"

Transcrição

1 NOTA PGFN/CAT/Nº 1095 /2014 Tributário. Previdenciário. Retenção de 11% sobre o valor bruto da Nota Fiscal pela tomadora de serviços, em face da prestadora de serviços. Construção de refinaria. Classificação prevista no Anexo VII da Instrução Normativa nº 971, de 13 de novembro de 2009, da Receita Federal do Brasil. Afastamento da responsabilidade solidária. A PETROBRÁS solicitou reunião junto ao Senhor Procurador-Geral Adjunto de Consultoria e Contencioso Tributário, em face dos efeitos financeiros decorrentes da tese da elisão do sistema de arrecadação da contribuição previdenciária pela via da retenção de 11% entre tomadora e prestadora de serviços na construção de refinarias, por meio de liminares/sentenças em ações judiciais ajuizadas contra a União. 2. Por ordem do Senhor Procurador-Geral Adjunto de Consultoria e Contencioso Tributário, os representantes da Coordenação-Geral de Assuntos Tributários e da Coordenação-Geral de Representação Judicial foram incumbidos de analisar os documentos referentes ao Mandado de Segurança nº , em curso na 1ª Vara Federal de Niterói RJ. 3. Os documentos encaminhados são: i) decisão liminar proferida nos autos do mandado de segurança nº , em curso na 1ª Vara Federal de Niterói RJ; ii) informações prestadas pela Delegacia da Receita Federal do Brasil em Niterói; iii) pedido de reconsideração da decisão liminar feito pela Procuradoria da Fazenda Nacional em Niterói/RJ. I.

2 4. A tese central da União, tanto nas informações ao Mandado de Segurança, quanto no pedido de reconsideração, é que a solidariedade pode, por força do art. 30, inciso VI c/c 3º do art. 220 do Regulamento da Previdência Social, ser evitada pela tomadora do serviço por meio da retenção antecipada dos 11% do total da fatura ou nota fiscal. 5. Do ponto de vista contratual, a sistemática da retenção era de pleno conhecimento das partes, PETROBRÁS E TOYO SETTAL EMPREENDIMENTOS LTDA, uma vez que previsto no contrato nº , assinado em 28 de maio de Sob o ângulo financeiro, razões também não remanesceriam para afastar a retenção, conforme expõe a Fazenda Nacional no pedido de reconsideração: Provavelmente, a Impetrante não juntou documentos pelo simples fato de que se fossem juntados, seus argumentos pereceriam, pois numa simples consulta a sua última DIPJ verifica-se que a receita bruta na prestação de serviços declarada foi de R$ ,27 (seis milhões, novecentos e setenta e dois mil, setecentos e trinta e seis reais e vinte e sete centavos) e o valor pago a título de ordenados, salários, gratificações e outras remunerações a empregados foi de R$ ,29 (quatro milhões, duzentos e setenta e dois mil, cento e noventa e três reais e vinte nove centavos), ou seja, o valor pago a título de remuneração corresponde a aproximadamente 61,27% da sua receita bruta. Se fosse levado em consideração a remuneração a dirigentes e conselho de administração que foi de R$ ,24 (um milhão, trezentos e cinquenta e cinco mil, setecentos reais e vinte e quatro centavos), este percentual subiria a 80,71%. Diante de tais números, fica evidente a inexistência de qualquer dano irreparável causado pela retenção de 11% sobre os valores das notas fiscais. 7. Apesar das razões apresentadas, foi deferida a liminar nos seguintes termos: O contrato firmado entre as partes seria de empreitada geral em obra de construção civil, fato que ensejaria a solidariedade em detrimento da retenção; O objeto social da empresa TOYO SETTAL EMPREENDIMENTOS LTDA é indústria da construção civil, fato que corrobora a tese de que a obra seria de empreitada de construção civil. A retenção de 11% sobre o valor bruto das faturas da prestadora de serviços arruinaria as finanças e a viabilidade do negócio, por parte da impetrante TOYO SETTAL EMPREENDIMENTOS LTDA. 2

3 8. Com efeito, a decisão não examinou os diversos aspectos referentes à tributação pela retenção, especialmente a interpretação à construção de refinarias conferida pela Receita Federal, por meio da Instrução Normativa nº 971/2009, Anexo VII. II. 9. O caso merece uma retrospectiva quanto às alterações legislativas referentes à sistemática de tributação. 10. Até janeiro de 1999, as empresas que contratassem serviços de pessoas jurídicas com a utilização de mão-de-obra respondiam solidariamente pelos débitos previdenciários da prestadora. Após esta data, a empresa contratante de serviços executados mediante cessão de mão-de-obra passou a ter a obrigação de reter 11% sobre o valor da nota fiscal ou fatura de prestação de serviços e de recolhê-los, em nome da prestadora, até o dia 20 do mês subsequente ao da emissão da nota. A ideia da criação desta substituição tributária foi combater a inadimplência no setor. 11. Sucede, no entanto, que nem todos os serviços prestados por pessoas jurídicas sujeitam-se à obrigatoriedade da retenção. Para alguns serviços há a obrigatoriedade de se efetuar a retenção apenas no caso de cessão de mão-de-obra. Já para outros casos a obrigação persiste tanto no regime da cessão de mão-de-obra quanto na contratação por empreitada. 12. Os serviços de construção civil estão sujeitos ao regime de retenção, independente do regime de contratação da prestadora de serviços. A responsabilidade solidária, entretanto, persiste para as obras de construção civil contratadas por empreitada total. Nos termos do Regulamento da Previdência, não se considera cessão de mão-de-obra a contratação de construção civil em que a empresa construtora assuma a responsabilidade direta e total ou repasse o contrato integralmente. (art. 220, 1º). 13. Desta maneira, a construção civil somente estará excluída da retenção caso seja contratada por meio da chamada empreitada total, na qual a empresa construtora assume responsabilidade completa da obra, inclusive matriculando-a 3

4 perante a Previdência Social. Já nas empreitadas parciais, quando há sublocação de parcelas da obra para diferentes empresas, a retenção deve ser feita pela contratante. 14. Em resumo, na construção civil permanece a solidariedade quando a empreitada é total, havendo a retenção nos casos de cessão de mão-de-obra ou empreitada parcial quando envolvam a construção, a demolição, a reforma ou o acréscimo de edificações ou de qualquer benfeitoria agregada ao solo ou ao subsolo ou obras complementares que se integrem a este conjunto. 15. De acordo com os fatos apresentados, há uma divergência entre a sistemática de tributação entre a contratante e a contratada para a execução de instalação industrial. A tomadora de serviços entende que a instalação de refinaria seria uma montagem industrial, portanto, serviço. A prestadora de serviços entende que, por ser empreitada global de obra de construção civil, o caso seria de solidariedade e não de retenção. 16. A PETROBRÁS enviou mensagem eletrônica dirigida a esta Coordenação- Geral de Assuntos Tributários, questionando se é reconhecida a distinção entre empreitada de serviços de engenharia e empreitada de construção civil. Pontua que nos contratos para fornecimento, construção e montagem de plantas industriais, o tratamento tributário da construção e montagem eletromecânica não é o da OBRA de construção civil e sim de SERVIÇO de construção civil. 17. Com efeito, o caso denota peculiaridades, porque a construção de uma refinaria não se encaixa adequadamente ao conceito de construção civil. 18. De acordo com o art. 160 da IN 971/2009, excluem-se da responsabilidade solidária, sujeitando-se à retenção prevista no art. 112 e, conforme o caso, no art. 145, os serviços de construção civil tais como os discriminados no Anexo VII, observado o disposto no art. 143 e no inciso III do 2º do art No Anexo VII, classificam-se como serviço de montagem industrial as obras de montagem de instalações industriais (tubulações, redes de facilidades), tais como refinarias e plantas de indústrias químicas. Neste sentido, a norma explicita que a realização de uma refinaria seria preponderantemente uma atividade de prestação de 4

5 serviços, classificada como montagem industrial. A sistemática da tributação desta maneira seria obrigatoriamente de retenção. 20. A Instrução Normativa aparentemente não ultrapassa os limites da lei, apenas deixando claro, em uma situação que poderia gerar conflito, como aliás já vem gerando, como deve ocorrer a tributação. 21. Ainda que de outra maneira se considere, afastando-se, por exemplo, a classificação imposta pelo Anexo VII, da IN 971/2009, ainda assim a tomadora do serviço poderia optar pela retenção. A solidariedade é uma situação jurídica mais gravosa do que a retenção, razão pela qual o art. 30, VI, da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991, permite esta opção, resguardando a tomadora de serviços dos gravames adicionais impostos pela solidariedade e de seus eventuais prejuízos futuros. À consideração superior. Coordenação-Geral de Assuntos Tributários, em 12 de setembro de MARCIA HENRIQUES RIBEIRO DE OLIVEIRA PROCURADORA DA FAZENDA NACIONAL De acordo. Encaminhe-se ao Senhor Procurador-Geral Adjunto de Consultoria e Contencioso Tributário. Coordenação-Geral de Assuntos Tributários, em 12 de setembro de CLÁUDIA REGINA GUSMÃO CORDEIRO COORDENADORA-GERAL DE ASSUNTOS TRIBUTÁRIOS - SUBSTITUTA Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, em 15 de setembro de Aprovo. Encaminhe-se à Coordenação-Geral de Representação Judicial para conhecimento e providências cabíveis, com cópia para a PRFN 2ª Região. FABRÍCIO DA SOLLER PROCURADOR-GERAL ADJUNTO DE CONSULTORIA E CONTENCIOSO TRIBUTÁRIO 5

Ilma. Sra. Dra. Sinara Inácio Meireles Chenna Presidente da Companhia de Saneamento de Minas Gerais COPASA/MG Nesta

Ilma. Sra. Dra. Sinara Inácio Meireles Chenna Presidente da Companhia de Saneamento de Minas Gerais COPASA/MG Nesta Belo Horizonte, 20 de janeiro de 2015 Ref: 002/2015-S Ilma. Sra. Dra. Sinara Inácio Meireles Chenna Presidente da Companhia de Saneamento de Minas Gerais COPASA/MG Nesta Ref.: Contribuição Previdenciária

Leia mais

Posicionamento Consultoria De Segmentos INSS Retenção sobre serviços de transportes de passageiros, presunção de base de cálculo mínima em 30%

Posicionamento Consultoria De Segmentos INSS Retenção sobre serviços de transportes de passageiros, presunção de base de cálculo mínima em 30% INSS Retenção sobre serviços de transportes de passageiros, 22/01/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 3.1. Fato Gerador

Leia mais

EXIGÊNCIAS/ASPECTOS TRIBUTÁRIOS PARA AS CONTRATAÇÕES DE SERVIÇOS DA ALCOA & COLIGADAS

EXIGÊNCIAS/ASPECTOS TRIBUTÁRIOS PARA AS CONTRATAÇÕES DE SERVIÇOS DA ALCOA & COLIGADAS a EXIGÊNCIAS/ASPECTOS TRIBUTÁRIOS PARA AS CONTRATAÇÕES DE SERVIÇOS DA ALCOA & COLIGADAS I) Dados cadastrais a) Razão Social: b) CNPJ: c) Inscrição Estadual: d) Inscrição Municipal: e) Endereço: f) Cidade:

Leia mais

São Paulo, 27 de Março de 2008.

São Paulo, 27 de Março de 2008. Verificação do Cumprimento das Obrigações Trabalhistas e Previdenciárias na contratação de empresas terceirizadas São Paulo, 27 de Março de 2008. 1 Contatos Marcelo Natale Fernando Azar (11) 5186-1014

Leia mais

Ao SINDUSCON/CE Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará Rua Tomás Acioly, nº 840, 8º andar Fortaleza Ceará

Ao SINDUSCON/CE Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará Rua Tomás Acioly, nº 840, 8º andar Fortaleza Ceará Fortaleza, 14 de novembro de 2014. Ao SINDUSCON/CE Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará Rua Tomás Acioly, nº 840, 8º andar Fortaleza Ceará Prezados Senhores, Encaminhamos-lhes em anexo o

Leia mais

ILUSTRíSSIMO SENHOR PRESIDENTE DA COMISSÃO ESPECIAL DE LICITAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO

ILUSTRíSSIMO SENHOR PRESIDENTE DA COMISSÃO ESPECIAL DE LICITAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO ILUSTRíSSIMO SENHOR PRESIDENTE DA COMISSÃO ESPECIAL DE LICITAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº. 01/2016 OBJETO DA LICITAÇÃO: Obras de engenharia

Leia mais

Construção Civil ADE N 25 da RFB dispõe sobre a Declaração e Informação Sobre Obra - DISO

Construção Civil ADE N 25 da RFB dispõe sobre a Declaração e Informação Sobre Obra - DISO Construção Civil ADE N 25 da RFB dispõe sobre a Declaração e Informação Sobre Obra - DISO Através do Ato Declaratório Executivo - ADE nº 25, publicado no Diário Oficial da União desta terça-feira (29/7),

Leia mais

Regularização de Obra de Construção Civil

Regularização de Obra de Construção Civil Regularização de Obra de Construção Civil Declaração e Informações sobre Obra- DISO Desoneração da folha de pagamento Lei nº 12.546/ 2011 e atualizações Sinduscon - PR Novembro de 2015 DISO INTERNET Serviço

Leia mais

2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos, incluindo dividendos antecipados e juros sobre capital próprio já declarados

2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos, incluindo dividendos antecipados e juros sobre capital próprio já declarados PROPOSTA DE DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO QUE CONTENHA, NO MÍNIMO, AS INFORMAÇÕES INDICADAS NO ANEXO 9.1.II DA INSTRUÇÃO NORMATIVA CVM n. 481/09 1. Informar o lucro líquido do exercício O lucro

Leia mais

AMC - CONSTRUÇÕES E PARTICIPAÇÕES LTDA. C.N.P.J./M.F /

AMC - CONSTRUÇÕES E PARTICIPAÇÕES LTDA. C.N.P.J./M.F / 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Sociedade tem como objetivos a prestação de serviços de construção civil e edificações, a participação no capital de outras empresas, do mesmo ramo ou não, de qualquer natureza

Leia mais

2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos, incluindo dividendos antecipados e juros sobre capital próprio já declarados

2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos, incluindo dividendos antecipados e juros sobre capital próprio já declarados 1. Informar o lucro líquido do exercício ANEXO 9-1-II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO O lucro líquido do exercício de 2009 foi de R$198.263.226,61 (cento e noventa e oito milhões, duzentos e sessenta e três

Leia mais

6ª REGIÃO FISCAL - DIVISÃO DE TRIBUTAÇÃO

6ª REGIÃO FISCAL - DIVISÃO DE TRIBUTAÇÃO 6ª REGIÃO FISCAL - DIVISÃO DE TRIBUTAÇÃO SOLUÇÃO DE CONSULTA Nº 169, DE 1º DE OUTUBRO DE 2008: ASSUNTO: Contribuição para o PIS/Pasep EMENTA: PIS/PASEP. GASTOS NÃO VINCULADOS DIRETAMENTE À FABRICAÇÃO DE

Leia mais

Aryane Gomes Vieira Fernandes Cylmar Pitelli Teixeira Fortes

Aryane Gomes Vieira Fernandes Cylmar Pitelli Teixeira Fortes PANORAMA DA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA INCIDENTE NA CONSTRUÇÃO CIVIL São Paulo, 03/01/2017 Aryane Gomes Vieira Fernandes Cylmar Pitelli Teixeira Fortes I. Introito. 1. A Lei 9.711/1998 introduziu mudança

Leia mais

R$ ,15 (dezesseis milhões, seiscentos e trinta e quatro mil, duzentos e quatorze reais e quinze centavos)

R$ ,15 (dezesseis milhões, seiscentos e trinta e quatro mil, duzentos e quatorze reais e quinze centavos) DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO 1) Lucro líquido do exercício: R$ 16.634.214,15 (dezesseis milhões, seiscentos e trinta e quatro mil, duzentos e quatorze reais e quinze centavos) 2) Montante global e valor

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 135 - Data 6 de setembro de 2016 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA

Leia mais

Terceirização e Trabalho Temporário

Terceirização e Trabalho Temporário Terceirização e Trabalho Temporário Lei 13.429, de 31/03/2017 que promove alterações na Lei 6019 que disciplina as relações de trabalho na empresa de trabalho temporário, na empresa de prestação de serviços

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA INSS/DC Nº 087, DE 27 DE MARÇO DE 2003.

INSTRUÇÃO NORMATIVA INSS/DC Nº 087, DE 27 DE MARÇO DE 2003. INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL DIRETORIA COLEGIADA INSTRUÇÃO NORMATIVA INSS/DC Nº 087, DE 27 DE MARÇO DE 2003. Dispõe sobre a contribuição para o financiamento da aposentadoria especial do cooperado

Leia mais

I O QUE É A RETENÇÃO NA FONTE? I.1 Responsabilidade tributária II SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOAS JURÍDICAS

I O QUE É A RETENÇÃO NA FONTE? I.1 Responsabilidade tributária II SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOAS JURÍDICAS SUMÁRIO I O QUE É A RETENÇÃO NA FONTE? I.1 Responsabilidade tributária... 25 II SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOAS JURÍDICAS II.1 IRRF Serviços prestados por pessoas jurídicas... 31 II.1.1 Hipóteses de incidência...

Leia mais

A retenção previdenciária em face das recentes mudanças legais na contratação de serviço: MEI, empresas, desoneração e contribuintes individuais

A retenção previdenciária em face das recentes mudanças legais na contratação de serviço: MEI, empresas, desoneração e contribuintes individuais com Alexandre Matias Silva A retenção previdenciária em face das recentes mudanças legais na contratação de serviço: MEI, empresas, desoneração e contribuintes individuais Das 09h às 11h - Sede do Sindcont-SP

Leia mais

AGENDA TRIBUTÁRIA: DE 16 A 22 DE JUNHO DE 2016

AGENDA TRIBUTÁRIA: DE 16 A 22 DE JUNHO DE 2016 AGENDA TRIBUTÁRIA: DE 16 A 22 DE JUNHO DE 2016 Até: Quinta-feira, dia 16 ICMS - GIA Histórico: GIA Eletrônica A GIA Eletrônica relativa ao mês anterior deverá ser apresentada por meio da Internet (www.pfe.fazenda.sp.gov.br),

Leia mais

Processo n.º /04 CONTRATO N.º 2007/243.5

Processo n.º /04 CONTRATO N.º 2007/243.5 Processo n.º 121.053/04 CONTRATO N.º 2007/243.5 QUINTO TERMO ADITIVO AO CONTRATO CELEBRADO ENTRE A CÂMARA DOS DEPUTADOS E A PALMA ENGENHARIA LTDA., PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA, COMPREENDENDO

Leia mais

Palestra. Desoneração da Folha de Pagamento Atualização. Março Elaborado por:

Palestra. Desoneração da Folha de Pagamento Atualização. Março Elaborado por: Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400 opções 2 ou 3 (núcleo de relacionamento) Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva, 60 Higienópolis

Leia mais

Janeiro-Dezembro/2014

Janeiro-Dezembro/2014 IRRF - Décimo terceiro salário 2014 - Roteiro Aqui serão analisados os aspectos gerais relacionados à retenção do Imposto de Renda incidente no pagamento do décimo terceiro salário. Introdução Os rendimentos

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 0 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 276 - Data 31 de maio de 2017 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS CONTRATAÇÃO DE EMPRESÁRIO INDIVIDUAL.

Leia mais

GFIP - Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social OUTUBRO/2016

GFIP - Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social OUTUBRO/2016 Previdência Dia: 07 Trabalhista/Previdenciária Mês: 11/2016 GFIP - Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social Envio da Guia de Recolhimento do Fundo

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 232 - Data 25 de agosto de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS CONTRIBUIÇÃO SUBSTITUTIVA. LEI

Leia mais

Sumário. nota do autor...11 nota do autor 2ª edição a seguridade social no brasil...15 CAPÍTULO 1

Sumário. nota do autor...11 nota do autor 2ª edição a seguridade social no brasil...15 CAPÍTULO 1 nota do autor...11 nota do autor 2ª edição...13 CAPÍTULO 1 a seguridade social no brasil...15 1. Evolução histórica e composição...15 2. Definição e natureza jurídica...16 3. Competência legislativa...17

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Patrocínio a Time de Futebol Profissional

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Patrocínio a Time de Futebol Profissional 15/10/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 3.1 SEFIP... 4 4. Conclusão... 5 5. Informações Complementares... 6 6. Referências...

Leia mais

Página 1 de 6 Instrução Normativa RFB nº 1.027, de 22 de abril de 2010 DOU de 23.4.2010 Altera a Instrução Normativa RFB nº 971, de 13 de novembro de 2009, que dispõe sobre normas gerais de tributação

Leia mais

ANO XXV ª SEMANA DE MAIO DE 2014 BOLETIM INFORMARE Nº 18/2014

ANO XXV ª SEMANA DE MAIO DE 2014 BOLETIM INFORMARE Nº 18/2014 ANO XXV - 2014-1ª SEMANA DE MAIO DE 2014 BOLETIM INFORMARE Nº 18/2014 IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA DIPJ 2014 - PESSOAS JURÍDICAS E EQUIPARADAS - DISPOSIÇÕES GERAIS... Pág. 276 SIMPLES NACIONAL DASN-SIMEI

Leia mais

Quinta-feira, 20 de Julho de 2017 Edição N Caderno I

Quinta-feira, 20 de Julho de 2017 Edição N Caderno I ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA DA VITÓRIA CNPJ. 13.912.506/0001-19 Avenida Brasil, 273, Jardim America, Santa Maria da Vitória, Bahia, CEP. 47.640-000. Tel. (77)3483 8907 EXTRATOS:

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta:

O CONGRESSO NACIONAL decreta: REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 4.302-E DE 1998 Altera dispositivos da Lei nº 6.019, de 3 de janeiro de 1974, que dispõe sobre o trabalho temporário nas empresas urbanas e dá outras providências; e dispõe

Leia mais

VIA VAREJO S.A. CNPJ/MF / NIRE ( COMPANHIA )

VIA VAREJO S.A. CNPJ/MF / NIRE ( COMPANHIA ) VIA VAREJO S.A. CNPJ/MF 33.041.260/0652-90 NIRE 35.300.394.925 ( COMPANHIA ) COMUNICAÇÃO SOBRE AUMENTO DE CAPITAL, DECORRENTE DE PLANO DE REMUNERAÇÃO EM OPÇÕES DA COMPANHIA, APROVADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Estão discriminados no ANEXO - I do Termo de Referência contido nos autos do processo.

TERMO DE REFERÊNCIA. Estão discriminados no ANEXO - I do Termo de Referência contido nos autos do processo. 1 OBJETO TERMO DE REFERÊNCIA Contratação de empresa especializada na prestação de serviços de Engenharia para Reforma da Casa da Gestante, com fornecimento de material e mão de obra, situado na Avenida

Leia mais

XP CORPORATE MACAÉ (XPCM11) FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII

XP CORPORATE MACAÉ (XPCM11) FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII XP CORPORATE MACAÉ (XPCM11) FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII Relatório Gerencial 3º Trimestre de 2015 ÍNDICE 1. OBRAS DA 2ª CUSTOMIZAÇÃO 1.1. Assembleia dos Cotistas 1.2. Aditivo ao Contrato de Locação

Leia mais

AVISO AOS ACIONISTAS

AVISO AOS ACIONISTAS TELECOMUNICAÇÕES DE SÃO PAULO S/A TELESP COMPANHIA ABERTA CVM - nº 1767-1 CNPJ - MF nº 02.558.157/0001-62 NIRE 35.3.0015881-4 TELEFONICA DATA BRASIL HOLDING S.A. COMPANHIA ABERTA CVM - nº 18937 CNPJ -

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 1106/09, de 29 de dezembro de 2009.

LEI MUNICIPAL Nº 1106/09, de 29 de dezembro de 2009. LEI MUNICIPAL Nº 1106/09, de 29 de dezembro de 2009. Altera a Lei Complementar nº 001/06 de 13 de fevereiro de 2006, Código Tributário Municipal de Camocim e determina outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

DIREITO DA SEGURIDADE SOCIAL I

DIREITO DA SEGURIDADE SOCIAL I DIREITO DA SEGURIDADE SOCIAL I AULA 7 Arrecadação e Recolhimento de contribuições para a seguridade social I- ARRECADAÇÃO x RECOLHIMENTO - ARRECADAÇÃO: retenção do valor da contribuição de terceiro Lei

Leia mais

ANEXO V PREÇO UNITÁRIO (R$) DEPENDENTES LEGAIS anos , , anos , , anos ,95 2.

ANEXO V PREÇO UNITÁRIO (R$) DEPENDENTES LEGAIS anos , , anos , , anos ,95 2. TABELA I PLANILHA INFORMATIVA DE BENEFICIÁRIOS E PREÇOS ESTIMADOS DO GRUPO A TITULARES E DEPENDENTES LEGAIS NO PLANO BÁSICO A - ENFERMARIA - SUBITEM 3.2.1 DO TERMO DE REFERÊNCIA - BENEFICIÁRIOS - TITULARES

Leia mais

Processo n /06 CONTRATO N. 2009/075.2

Processo n /06 CONTRATO N. 2009/075.2 Processo n. 151.567/06 CONTRATO N. 2009/075.2 SEGUNDO ADITIVO AO CONTRATO CELEBRADO ENTRE A CÂMARA DOS DEPUTADOS E A AC NET PUBLICAÇÕES ELETRÔNICAS LTDA. PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSMISSÃO DE SINAIS

Leia mais

https://pje.trt12.jus.br/primeirograu/visualizadocumento/autenti...

https://pje.trt12.jus.br/primeirograu/visualizadocumento/autenti... 1 de 5 21/06/2017 08:00 PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 12ª REGIÃO 1ª VARA DO TRABALHO DE LAGES RTOrd 0000414-26.2017.5.12.0007 RECLAMANTE: SINDICATO DOS MEDICOS DO

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 4 - Data 6 de janeiro de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS LEI Nº 12.546, DE 2011. EQUIPARAÇÃO

Leia mais

Atualiza o valor das custas judiciais, dos emolumentos e do Fundo de Reaparelhamento da Justiça.

Atualiza o valor das custas judiciais, dos emolumentos e do Fundo de Reaparelhamento da Justiça. RESOLUÇÃO N. 10/2011 CM Atualiza o valor das custas judiciais, dos emolumentos e do Fundo de Reaparelhamento da Justiça. O Conselho da Magistratura do Tribunal de Justiça do Estado de Santa Catarina, considerando

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 132 - Data 1 de setembro de 2016 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS COMPENSAÇÃO DE CRÉDITO RELATIVO

Leia mais

Abreviaturas Notas da 2ª Edição Notas da 3ª Edição Notas da 4ª Edição Introdução... 27

Abreviaturas Notas da 2ª Edição Notas da 3ª Edição Notas da 4ª Edição Introdução... 27 GESTÃO TRIBUTÁRIA DE CONTRATOS E CONVÊNIOS 4ª EDIÇÃO 11 Sumário S Abreviaturas... 19 Notas da 2ª Edição... 21 Notas da 3ª Edição... 23 Notas da 4ª Edição... 25 Introdução... 27 Capítulo 1... 29 1.1. Principais

Leia mais

MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS NA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA A SER REALIZADA EM 30 DE ABRIL DE 2015

MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS NA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA A SER REALIZADA EM 30 DE ABRIL DE 2015 MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS NA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA A SER REALIZADA EM 30 DE ABRIL DE 2015 MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO Ecorodovias Infraestrutura e Logística S.A. ( Companhia ) convida seus

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 123 - Data 19 de agosto de 2016 Processo Interessado CNPJ/CPF Assunto: Contribuição para o PIS/Pasep RETENÇÃO NA FONTE. SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO.

Leia mais

Relatório. Data 18 de dezembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF

Relatório. Data 18 de dezembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 368 - Cosit Data 18 de dezembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS DIRETOR DE SOCIEDADE ANÔNIMA.

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº. 01 (DE 08 DE JANEIRO DE 2016)

PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº. 01 (DE 08 DE JANEIRO DE 2016) PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº. 01 (DE 08 DE JANEIRO DE 2016) Dispõe sobre o reajuste dos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social - INSS e dos demais valores constantes do Regulamento da

Leia mais

AMPLA ENERGIA E SERVIÇOS S.A. CNPJ nº / NIRE nº Companhia Aberta

AMPLA ENERGIA E SERVIÇOS S.A. CNPJ nº / NIRE nº Companhia Aberta AMPLA ENERGIA E SERVIÇOS S.A. CNPJ nº 33.050.071/0001-58 NIRE nº 3330005494-4 Companhia Aberta Ata da Reunião do Conselho de Administração realizada em 21 de fevereiro de 2017. 1. Data, hora e local: No

Leia mais

CÓPIA. Superintendência Regional da Receita Federal do Brasil da 10ª RF. Relatório RS PORTO ALEGRE SRRF10

CÓPIA. Superintendência Regional da Receita Federal do Brasil da 10ª RF. Relatório RS PORTO ALEGRE SRRF10 Fl. 19 Fls. 6 5 Superintendência Regional da Receita Federal do Brasil da 10ª RF Solução de Consulta nº 64 - Data 12 de julho de 2010 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: NORMAS DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA

Leia mais

PROPOSTA PARA DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NOS TERMOS DO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO N o CVM 481/09

PROPOSTA PARA DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NOS TERMOS DO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO N o CVM 481/09 PROPOSTA PARA DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NOS TERMOS DO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO N o CVM 481/09 1. Informar o lucro líquido do exercício O lucro líquido do exercício de 2012 foi de R$ 1.448.887.908,07

Leia mais

Faço saber que a CÂMARA MUNICIPAL DE BELÉM estatui e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que a CÂMARA MUNICIPAL DE BELÉM estatui e eu sanciono a seguinte Lei: Estima a Receita e fixa a Despesa do Município de Belém, para o exercício de 2016. O PREFEITO MUNICIPAL DE BELÉM, Faço saber que a CÂMARA MUNICIPAL DE BELÉM estatui e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1º

Leia mais

RESUMO DE CONTRATO /PREGÃO

RESUMO DE CONTRATO /PREGÃO Diário Oficial Ano: 1 Páginas: 8 Índice do diário Outros Extrato - EXTRATOS DE CONTRATO Licitações Inexigibilidade - Nº 003/2013 Outros Extrato EXTRATOS DE CONTRATO RESUMO DE CONTRATO /PREGÃO CONTRATO

Leia mais

Pessoa com Necessidades Especiais Portaria MTE nº 2020/10. Regulamentação da Atividade PL 4330/04. Objeto. Objeto

Pessoa com Necessidades Especiais Portaria MTE nº 2020/10. Regulamentação da Atividade PL 4330/04. Objeto. Objeto ASSUNTOS PENDENTES Regulamentação da Atividade PL 4330/04 Pessoa com Necessidades Especiais Portaria MTE nº 2020/10 Responsabilidade solidária entre o tomador e o prestador de serviços no cumprimento das

Leia mais

ISS na Construção Civil

ISS na Construção Civil ISS na Construção Civil Cadastro de Obras de Construção Civil & SISCON Sistema Eletrônico da Construção Civil (Emissão de NFS-e com deduções legais na base de cálculo dos serviços de construção civil)

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 7 DE MARÇO DE 2017 (DOU 08/03/2017)

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 7 DE MARÇO DE 2017 (DOU 08/03/2017) INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 7 DE MARÇO DE 2017 (DOU 08/03/2017) Dá nova redação à Instrução Normativa nº 22, de 14 de dezembro de 2015, do Ministério das Cidades, que regulamenta o Programa Carta de

Leia mais

Agenda de Contribuições, Tributos e Obrigações. Mês de Fevereiro de 2017.

Agenda de Contribuições, Tributos e Obrigações. Mês de Fevereiro de 2017. Agenda de Contribuições, Tributos e Obrigações. Mês de Fevereiro de 17. DIAS OBRIGAÇÕES D E S C R I Ç Ã O FUNDAMENTAÇÃO LEGAL 17.01 à 17.03.17 03 06 RAIS SALÁRIOS SECONCI O Ministério do Trabalho e Emprego,

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 081/2016 DISPÕE SOBRE PARCELAMENTOS DE DÉBITO PREVIDENCIÁRIO DO MUNICÍPIO DE SEBERI-RS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

PROJETO DE LEI Nº 081/2016 DISPÕE SOBRE PARCELAMENTOS DE DÉBITO PREVIDENCIÁRIO DO MUNICÍPIO DE SEBERI-RS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. PROJETO DE LEI Nº 081/2016 DISPÕE SOBRE PARCELAMENTOS DE DÉBITO PREVIDENCIÁRIO DO MUNICÍPIO DE SEBERI-RS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. Art. 1º. Fica o Poder Executivo Municipal autorizado a parcelar débitos

Leia mais

Palestra. Outubro Elaborado por: Ademir Macedo de Oliveira. O conteúdo desta apostila é de inteira responsabilidade do autor (a).

Palestra. Outubro Elaborado por: Ademir Macedo de Oliveira. O conteúdo desta apostila é de inteira responsabilidade do autor (a). Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DA PREVIDENCIA SOCIAL E SALÁRIO FAMÍLIA Portaria Interministerial MTPS/MF nº 1/2016, de 8 de janeiro de 2016.

TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DA PREVIDENCIA SOCIAL E SALÁRIO FAMÍLIA Portaria Interministerial MTPS/MF nº 1/2016, de 8 de janeiro de 2016. Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Di Informativo 02/2016 TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DA PREVIDENCIA SOCIAL E SALÁRIO FAMÍLIA Portaria Interministerial MTPS/MF nº 1/2016, de 8 de janeiro de 2016.

Leia mais

ATA DE RESULTADO DE JULGAMENTO DE PROPOSTAS DE PREÇO

ATA DE RESULTADO DE JULGAMENTO DE PROPOSTAS DE PREÇO CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº 01/2007 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 001.001941.07.0 AVISO DE RESULTADO DE JULGAMENTO DE PROPOSTAS DE PREÇO Objeto: Contratação de serviços de coleta de resíduos sólidos, correspondente

Leia mais

Boletim de Atualização Tributária BOLETIM DE ATUALIZAÇÃO TRIBUTÁRIA. Código das Melhores Práticas de

Boletim de Atualização Tributária BOLETIM DE ATUALIZAÇÃO TRIBUTÁRIA. Código das Melhores Práticas de BOLETIM DE ATUALIZAÇÃO TRIBUTÁRIA Código das Melhores Práticas de N 37 Data 11.11.2016 Período Governança pesquisado: Atos publicados entre 04.11.2016 a 11.11.2016 RECEITA FEDERAL DO BRASIL Data da publicação:

Leia mais

CONTRATO TRE/GO N.º 26/2008

CONTRATO TRE/GO N.º 26/2008 PROCEDIMENTO 243175/2007 CONTRATO TRE/GO N.º 26/2008 Prestação de serviços de ascensorista para operar os elevadores do edifício anexo á sede do Tribunal Regional eleitoral de Goiás. ABC Serviços Gerais

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE ÁGUA E ESGOTO

SUPERINTENDÊNCIA DE ÁGUA E ESGOTO RESOLUÇÃO 001/17 Atualiza as tarifas de água e esgoto e demais preços dos serviços prestados pela SAE Superintendência de Água e Esgoto do Município de Araguari. A SUPERINTENDÊNCIA DE ÁGUA E ESGOTO SAE,

Leia mais

Pergunte à CPA. Regras da aplicação das ST dos Novos Protocolos entre São Paulo e Rio de Janeiro a partir de

Pergunte à CPA. Regras da aplicação das ST dos Novos Protocolos entre São Paulo e Rio de Janeiro a partir de 27/11/2014 Pergunte à CPA Regras da aplicação das ST dos Novos Protocolos entre São Paulo e Rio de Janeiro a partir de 27.11.2014 Apresentação: Helen Mattenhauer Convênio e Protocolos CONVÊNIO: Constitui

Leia mais

Regimes de execução dos contratos e contratação integrada

Regimes de execução dos contratos e contratação integrada Regime Diferenciado de Contratações - RDC Lei Federal nº 12.462/11 Regimes de execução dos contratos e contratação integrada Augusto Dal Pozzo Artigo 8º Regimes de contratação de obras e serviços de engenharia

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS FEVEREIRO DE 2014

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS FEVEREIRO DE 2014 AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS FEVEREIRO DE 2014 Dia: 06 Salário Pagamento mensal de salários até o 5º dia útil. Fundamento: 1º do art. 459 e art. 465, ambos da CLT. Quando o pagamento

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 568, DE 31 DE DEZEMBRO DE DOU DE 03/01/2011

PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 568, DE 31 DE DEZEMBRO DE DOU DE 03/01/2011 PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 568, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2010 - DOU DE 03/01/2011 Dispõe sobre o reajuste dos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social - INSS e dos demais valores

Leia mais

DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO

DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO 1. Informar o lucro líquido do exercício O lucro líquido do exercício social findo em 31.12.2010 foi de R$ 72.793.804,47 (setenta e dois milhões, setecentos e noventa e três

Leia mais

SPED Um ano de grandes mudanças

SPED Um ano de grandes mudanças SPED 2016 - Um ano de grandes mudanças Palestra: EFD-REINF Luis Claudio Palese Março 2016 O que é EFD-Reinf? Quem está obrigado? Blocos EFD-Reinf esocial vs. EFD-Reinf Estrutura EFD-Reinf vs esocial Integração

Leia mais

ARTIGO 65 DA LEI Nº , DE 11 DE JUNHO DE Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial ARTIGO 65

ARTIGO 65 DA LEI Nº , DE 11 DE JUNHO DE Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial ARTIGO 65 ARTIGO 65 LEI Nº 12.249, DE 11 DE JUNHO DE 2010 Art. 65. Poderão ser pagos ou parcelados, em até 180 (cento e oitenta) meses, nas condições desta Lei, os débitos administrados pelas autarquias e fundações

Leia mais

Brasília - DF, quarta-feira, 20 de agosto de 2014 página 26 MINISTÉRIO DA FAZENDA

Brasília - DF, quarta-feira, 20 de agosto de 2014 página 26 MINISTÉRIO DA FAZENDA Brasília - DF, quarta-feira, 20 de agosto de 2014 página 26 MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1.491, DE 19 DE AGOSTO DE 2014 Dispõe sobre os débitos a

Leia mais

Dispensa da retenção referente ao INSS nos pagamentos realizados as empresas constituídas como EI

Dispensa da retenção referente ao INSS nos pagamentos realizados as empresas constituídas como EI Dispensa da retenção referente ao INSS nos pagamentos realizados as empresas constituídas como EI Brasília, 01 de agosto de 211 Unidade de Políticas Públicas Nota Técnica 02/2011 1 Nota Técnica UPP 02/2011

Leia mais

Porto: Adm. do Porto de Natal e Areia Branca/RN

Porto: Adm. do Porto de Natal e Areia Branca/RN Porto: Adm. do Porto de Natal e Areia Branca/RN Contrato N Contratado Inicio Término Valor Original (R$) Forma de Pgt. Mod.Lic. Aditivos Valor do Aditivo 1 011/98 Grande Moinho Potiguar e Industria de

Leia mais

RETENÇÕES TRIBUTÁRIAS E PREVIDENCIÁRIAS

RETENÇÕES TRIBUTÁRIAS E PREVIDENCIÁRIAS IBEF-RIO - TREINAMENTO RETENÇÕES TRIBUTÁRIAS E PREVIDENCIÁRIAS P R O G R A M A Módulo 01 - Retenções Tributárias 1º Módulo - Contribuições sociais (CSLL, PIS, COFINS) Serviços sujeitos a retenção: Definição

Leia mais

DECRETO N , DE 31 DE JULHO DE O Prefeito de Ituiutaba, no uso de suas atribuições, e de conformidade com a legislação em vigor,

DECRETO N , DE 31 DE JULHO DE O Prefeito de Ituiutaba, no uso de suas atribuições, e de conformidade com a legislação em vigor, DECRETO N. 7.672, DE 31 DE JULHO DE 2014 Disciplina o sistema de parcelamento de débito fiscal e dá ouras providências. O Prefeito de Ituiutaba, no uso de suas atribuições, e de conformidade com a legislação

Leia mais

PORTARIA MPS/MF Nº 333, DE 29 DE JUNHO DE 2010 (DOU )

PORTARIA MPS/MF Nº 333, DE 29 DE JUNHO DE 2010 (DOU ) PORTARIA MPS/MF Nº 333, DE 29 DE JUNHO DE 2010 (DOU 30.06.2010) Dispõe sobre o salário mínimo e o reajuste dos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social - INSS e dos demais valores constantes

Leia mais

DISPENSA DE LICITAÇÃO

DISPENSA DE LICITAÇÃO DISPENSA DE LICITAÇÃO Processo: Secretaria: Empresa: CNPJ: Objeto: LISTA DE VERIFICAÇÕES Justificativa - deverá ser elaborada pela Secretaria Requisitante, a qual identificará a necessidade administrativa

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 3 - Data 6 de janeiro de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO. PROGRAMA

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 199 - Data 5 de agosto de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: NORMAS GERAIS DE DIREITO TRIBUTÁRIO PARCELAMENTO DA LEI Nº 12.996,

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 20 19 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 381 - Data 26 de dezembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE A RENDA DE PESSOA JURÍDICA - IRPJ LUCRO PRESUMIDO.

Leia mais

PREGÃO SESC/AN Nº 15/0072 PG MINUTA DE TERMO REGISTRO DE PREÇO ANEXO II

PREGÃO SESC/AN Nº 15/0072 PG MINUTA DE TERMO REGISTRO DE PREÇO ANEXO II PREGÃO SESC/AN Nº 15/0072 PG MINUTA DE TERMO REGISTRO DE PREÇO ANEXO II Aos... do mês de... de 2015, às... horas, no Departamento Nacional do Sesc, localizado na Av. Ayrton Senna, n.º 5555, Jacarepaguá,

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE LAURO DE FREITAS, Estado da Bahia, no uso de suas atribuições legais, DECRETA: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

O PREFEITO MUNICIPAL DE LAURO DE FREITAS, Estado da Bahia, no uso de suas atribuições legais, DECRETA: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS DECRETO N o 3.594 DE 14 DE JANEIRO DE 2013. Regulamenta o art. 5 da Lei Municipal 618, de 16 de maio de 1990, na forma que indica e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE LAURO DE FREITAS, Estado

Leia mais

Para obter a CND da Obra (certidão de regularidade)

Para obter a CND da Obra (certidão de regularidade) Para obter a CND da Obra (certidão de regularidade) o RESPONSÁVEL após a CONCLUSÃO de obra de construção civil deverá apresentar à RFB DISO - Declaração e Informação Sobre Obra, onde devem constar: os

Leia mais

Estado de Santa Catarina Prefeitura Municipal de Florianópolis

Estado de Santa Catarina Prefeitura Municipal de Florianópolis EDITAL Nº 002/2015 Processo Seletivo Simplificado para preenchimento de cargos em caráter temporário, para compor a Rede Municipal de Saúde, respaldado no art. 37, inciso IX, da Constituição Federal, art.

Leia mais

Contribuição Intervozes à Consulta pública 46 da Anatel Regulamento da Gestão da Qualidade do SCM

Contribuição Intervozes à Consulta pública 46 da Anatel Regulamento da Gestão da Qualidade do SCM Contribuição Intervozes à Consulta pública 46 da Anatel Regulamento da Gestão da Qualidade do SCM Art. 10. Texto original: As Prestadoras devem oferecer a seus Assinantes software de medição de qualidade

Leia mais

9. PROVA DE INEXISTÊNCIA DE DÉBITO (arts. 47 e 48 da Lei e 257 a 265 do Decreto 3.048)

9. PROVA DE INEXISTÊNCIA DE DÉBITO (arts. 47 e 48 da Lei e 257 a 265 do Decreto 3.048) SUMÁRIO INTRODUÇÃO 1. SEGURIDADE SOCIAL 1.1 Noção geral 1.1.1 Saúde 1.1.2 Assistência social 1.1.3 Previdência Social 1.2 Breve histórico 1.2.1 Evolução legislativa no Brasil 1.3 Conceituação 1.4 Objetivo,

Leia mais

N o 8.949, DE 26 DE AGOSTO DE D E C R E T A: Seção I Das Disposições Gerais

N o 8.949, DE 26 DE AGOSTO DE D E C R E T A: Seção I Das Disposições Gerais D E C R E T O N o 8.949, DE 26 DE AGOSTO DE 2013 DISCIPLINA O PARCELAMENTO DOS CRÉDITOS TRIBUTÁRIOS E NÃO TRIBUTÁRIOS, INSCRITOS OU NÃO EM DÍVIDA ATIVA, DO MUNICÍPIO DE ANGRA DOS REIS, DE SUAS AUTARQUIAS

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO TERMO DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE FORNECIMENTO DE JORNAIS E REVISTAS. TERMO DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Nº 03/2012, QUE FAZEM ENTRE SI O(A) SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DO DEPARTAMENTO

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO Fls. n.º 93 Processo: TC-002950/026/09 Órgão: Instituto de Previdência Municipal de Mogi das Cruzes Dirigente: Paulo Vicentino Diretor-Superintendente Advogada: Violeta Athiê Vaz Ferreira (OAB/SP n.º 110.495)

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PARATINGA ESTADO DA BAHIA ADJUDICAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PARATINGA ESTADO DA BAHIA ADJUDICAÇÃO ADJUDICAÇÃO Com fundamento no inciso nº VI, o art. 43, da Lei nº 8.666/93, adjudico o objeto licitado do Processo Administrativo n.º 153/2015, Chamada Publica nº 003/2015 e em favor da associação e do

Leia mais

Licitações e Gestão de Contratos Administrativos

Licitações e Gestão de Contratos Administrativos Licitações e Gestão de Contratos Administrativos Por: José Luiz Lima Abreu 1 A RESPONSABILIDADE DO GESTOR NA EXECUÇÃO CONTRATUAL LEI 8.666 Art. 67 A execução do contrato deverá ser acompanhada e fiscalizada

Leia mais

Curso Êxito e Prof. Bruno Creado

Curso Êxito e Prof. Bruno Creado Curso Êxito e Prof. Bruno Creado Questões Comentadas Segue às questões da Vunesp do concurso de procurador municipal, devidamente comentada. Cargo de confiança 1) A determinação do empregador para que

Leia mais

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO NORMA Nº: NIE-CGCRE-140 APROVADA EM DEZ/2015 Nº 01/07 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Histórico

Leia mais

Curso Retenção de Tributos e Previdenciária Atualização 2014 ISSQN IRRF P. Físicas e Jurídicas CSLL PIS Cofins

Curso Retenção de Tributos e Previdenciária Atualização 2014 ISSQN IRRF P. Físicas e Jurídicas CSLL PIS Cofins Curso Retenção de Tributos e Previdenciária Atualização 2014 ISSQN IRRF P. Físicas e Jurídicas CSLL PIS Cofins Administração Pública e Empresas em Geral Tomadores e Prestadores de Serviços DA PRÁTICA À

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARAPUÃ Estado do Paraná CNPJ/MF: / Rua Presidente Café Filho, s/n Centro CEP: Arapuã/Pr.

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARAPUÃ Estado do Paraná CNPJ/MF: / Rua Presidente Café Filho, s/n Centro CEP: Arapuã/Pr. Homologo o resultado da Licitação modalidade PREGÃO 01-2017 com abertura em 02/02//2017, a favor da empresa vencedora abaixo discriminada, para a COMPRA DE GÊNEROS DE ALIMENTAÇÃO DESTINADOS À MERENDA ESCOLAR

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA FISCALIZAÇÃO DO ISS OBJETIVO:

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA FISCALIZAÇÃO DO ISS OBJETIVO: PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA FISCALIZAÇÃO DO ISS OBJETIVO: O planejamento é necessariamente fruto de uma inteligência. Para se executar um planejamento, é fundamental que se crie estratégias. Na Administração

Leia mais

Diário Oficial da União Seção 1 - Nº 81, sexta-feira, 29 de abril de 2011 MINISTERIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL

Diário Oficial da União Seção 1 - Nº 81, sexta-feira, 29 de abril de 2011 MINISTERIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Diário Oficial da União Seção 1 - Nº 81, sexta-feira, 29 de abril de 2011 MINISTERIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1149 DE 28 DE ABRIL DE 2011 Aprova o programa

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA - OBJETO DA CONTRATAÇÃO: 1.1. Fornecimento de material de consumo/copa e cozinha, conforme especificação e características abaixo discriminadas. 1.2. Os materiais deverão ser

Leia mais