SECRETARIA DA SAÚDE PROJETO DE LEI Nº DE DE DE 2008

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SECRETARIA DA SAÚDE PROJETO DE LEI Nº DE DE DE 2008"

Transcrição

1

2 ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA SAÚDE PROJETO DE LEI Nº DE DE DE 2008 Aprova o Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) dos Grupos Ocupacionais Serviços Especializados de Saúde - SES e Atividades Auxiliares de Saúde ATS no Quadro I Poder Executivo e nos Quadros de Pessoal de Autarquias e cria e implanta os Grupos Ocupacionais Serviços Especializados de Apoio em Saúde SEAS e Atividades Auxiliares de Apoio de Saúde AAAS do Quadro de Pessoal da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO CEARÁ. Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Fica aprovado o Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) dos Grupos Ocupacionais Serviços Especializados de Saúde - SES e Atividades Auxiliares de Saúde ATS no Quadro I Poder Executivo e nos Quadros de Pessoal de Autarquias; dos Grupos Ocupacionais Serviços Especializados de Apoio em Saúde SEAS e Atividades Auxiliares de Apoio de Saúde - AS do Quadro de Pessoal da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará, obedecendo às disposições contidas nesta Lei. 1º - O PCCS baseia-se nas atribuições e responsabilidades previstas nos Princípios e Diretrizes para Gestão do Trabalho no Sistema Único de Saúde (NOB/RH-SUS) e pela Legislação da Administração Pública vigente. 2º - O PCCS visa prover uma estrutura de Cargos e Carreiras baseada na Política de Educação Permanente em Saúde e na valorização dos servidores, através de critérios que proporcionem igualdade de oportunidades profissionais, garantindo a qualidade dos serviços prestados à população.

3 Art. 2º - Ficam criados e implantados os Grupos Ocupacionais Serviços Especializados de Apoio em Saúde SEAS e Atividades Auxiliares de Apoio de Saúde - AS do Quadro de Pessoal da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará. Art. 3º - O PCCS dos Grupos Ocupacionais Serviços Especializados de Saúde - SES e Atividades Auxiliares de Saúde ATS no Quadro I Poder Executivo e nos Quadros de Pessoal de Autarquias; dos Grupos Ocupacionais Serviços Especializados de Apoio em Saúde SEAS, Atividades Auxiliares de Apoio de Saúde - AS do Quadro de Pessoal da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará está fundamentado nos seguintes conceitos básicos: I. Plano de Carreira - conjunto de princípios, diretrizes e normas que regulam o desenvolvimento profissional dos servidores titulares de Cargos/Funções que integram determinada carreira, constituindo-se em instrumento de gestão; II. Cargo - conjunto de atribuições assemelhadas quanto à natureza das ações e às qualificações exigidas de seus ocupantes, com responsabilidades previstas na estrutura organizacional e vínculo de trabalho estatutário, de natureza permanente, criado por Lei, com denominação própria e pagamento pelos cofres públicos; III. Função - de forma análoga ao cargo, é também um conjunto de atribuições e responsabilidades cometido ou cometível ao servidor com denominação própria, pagamento pelos cofres públicos, porém não provida através de concurso público e extinta quando vagar; IV. Classe - agrupamento de Cargos/Funções da mesma natureza funcional, grau de complexidade, nível de responsabilidade, requisitos de capacitação e experiência para o desempenho das atividades. V. Carreira - trajetória do servidor, desde o seu ingresso no Cargo/Função até o seu desligamento, regida por regras específicas, desenvolvimento profissional, remuneração e avaliação de desempenho; VI. Referência - nível vencimental integrante da faixa de vencimentos fixados para a classe e atribuídos ao ocupante do cargo ou exercente de função em decorrência do seu progresso salarial; VII. Grupo Ocupacional - conjunto de Carreiras e Cargos cujas atividades tenham natureza correlata ou afim; VIII. Qualificação - conjunto de requisitos exigidos para ingresso e desenvolvimento na carreira; IX. Enquadramento - ato pelo qual se estabelece a posição do servidor em um determinado Cargo/Função, classe e padrão de vencimento, em face da análise de sua situação jurídico-funcional. CAPÍTULO II DOS PRINCÍPIOS E DAS DIRETRIZES Art. 4º - O PCCS de que trata esta Lei observará os seguintes princípios e diretrizes:

4 I. Universalidade - o PCCS deverá contemplar todos os servidores ocupantes dos Grupos Ocupacionais Serviços Especializados de Saúde - SES e Atividades Auxiliares de Saúde ATS no Quadro I Poder Executivo e nos Quadros de Pessoal de Autarquias; dos Grupos Ocupacionais Serviços Especializados de Apoio em Saúde SEAS, Atividades Auxiliares de Apoio de Saúde - AS do Quadro de Pessoal da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará que participam dos processos de trabalho desenvolvidos no âmbito do SUS; II. Eqüidade - fica assegurada o tratamento igualitário para os servidores integrantes dos cargos iguais ou assemelhados, entendidos como igualdade de direitos e deveres; III. Gestão Compartilhada - deverá ser observado o princípio da participação bilateral entre os servidores e o Órgão Gestor da Saúde, para implantação ou adequação do PCCS às necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS); IV. Concurso Público - única forma de ingresso nas Carreiras de Serviços Especializados de Saúde - SES e Atividades Auxiliares de Saúde ATS no Quadro I Poder Executivo e nos Quadros de Pessoal de Autarquias; dos Grupos Ocupacionais Serviços Especializados de Apoio em Saúde SEAS e Atividades Auxiliares de Apoio de Saúde - AS do Quadro de Pessoal da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará, ressalvados os servidores que ingressaram antes da promulgação da presente Lei; V. Publicidade - todos os fatos e atos administrativos referentes a este PCCS serão públicos, garantindo total e permanente transparência; VI. Isonomia - será assegurado o tratamento remuneratório isonômico para os servidores com funções iguais ou assemelhadas, dentro do mesmo nível de escolaridade, observando-se a igualdade de direitos e deveres; VII. Educação Permanente - desenvolvimento de recursos humanos no serviço público com relação aos aspectos técnicos, psicossociais e processos de formação, qualificação e aperfeiçoamento profissionais, em consonância com a Política Estadual de Valorização do Servidor; IX. Flexibilidade - garantia de permanente adequação do PCCS às necessidades e à dinâmica do Sistema Único de Saúde (SUS); X. Carreiras como Instrumentos de Gestão - entendendo-se por isto que o PCCS deverá se constituir num instrumento gerencial de política de pessoal integrado ao planejamento e ao desenvolvimento organizacional; XI. Avaliação de Desempenho - processo pedagógico avaliativo realizado com os servidores mediante critérios, parâmetros e metas pré-estabelecidas de forma coletiva, que visem mensurar o desenvolvimento das atividades direcionadas para os objetivos organizacionais; XII. Compromisso Solidário - pactuação firmada entre os gestores e servidores em prol da qualidade dos serviços, do profissionalismo e da adequação técnica dos mesmos às necessidades dos serviços de saúde; XIII. Mobilidade - assegura o trânsito do servidor da SESA, em todas as esferas de Governo, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) sem perda de seus direitos, vantagens e progressão na carreira.

5 CAPÍTULO III DO PROVIMENTO Art. 5º - O Provimento de Cargos Efetivos, compreendendo-se os atos administrativos pelos quais esses são preenchidos, dar-se-à obrigatoriamente, por Concurso Público de Provas ou de Provas e Títulos. Parágrafo Único - O ingresso na carreira deverá ocorrer na classe inicial e no primeiro padrão de vencimento do cargo. Art. 6º - O concurso será de Provas ou de Provas e Títulos, sempre de caráter eliminatório e classificatório e poderá ser realizado em 02 (duas) etapas, quando a natureza do cargo exigir complementação de formação ou de qualificação. Art. 7º - No Edital de abertura do concurso público constarão, obrigatoriamente, o programa das disciplinas, a bibliografia e a descrição de competências e habilidades para a atuação do profissional recrutado. Art. 8º - Durante o estágio probatório o servidor não poderá ser afastado de seu Órgão de origem, nem fará jus à ascensão funcional. CAPÍTULO IV DA ESTRUTURA DO PLANO SEÇÃO I DA ORGANIZAÇÃO Art. 9º - O PCCS dos Grupos Ocupacionais Serviços Especializados de Saúde - SES e Atividades Auxiliares de Saúde ATS no Quadro I Poder Executivo e nos Quadros de Pessoal de Autarquias; dos Grupos Ocupacionais Serviços Especializados de Apoio em Saúde SEAS e Atividades Auxiliares de Apoio de Saúde - AS do Quadro de Pessoal da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará, aprovado por esta Lei, fica assim organizado: I. Estrutura e composição do PCCS dos Grupos Ocupacionais Serviços Especializados de Saúde - SES e Atividades Auxiliares de Saúde ATS no Quadro I Poder Executivo e nos Quadros de Pessoal de Autarquias; dos Grupos Ocupacionais Serviços Especializados de Apoio em Saúde SEAS e Atividades Auxiliares de Apoio de Saúde - AS do Quadro de Pessoal da Secretaria da Saúde do Estado, da Categoria Funcional, das Carreiras, dos Cargos/Funções, das Classes, das Referências e da Qualificação exigida para o ingresso; II. Requisitos para ascenção funcional; III. Tabela de vencimentos. Art O PCCS dos Grupos Ocupacionais Serviços Especializados de Saúde - SES e Atividades Auxiliares de Saúde ATS no Quadro I Poder Executivo e nos Quadros de Pessoal de Autarquias; dos Grupos Ocupacionais Serviços Especializados de Apoio em

6 Saúde SEAS e Atividades Auxiliares de Apoio de Saúde - AS do Quadro de Pessoal da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará ficam organizados em Carreiras, Cargos/Funções, Classes, Referências e Qualificação exigida para o ingresso, na forma do Anexo I desta Lei. Art Os cargos terão seus perfis profissionais, suas denominações e os Requisitos para Promoção que ficam definidos conforme dispõem o Anexo III, partes integrantes desta Lei. Art A Tabela de Vencimento dos Cargos/Funções ficam determinados no Anexo IV, parte integrante desta Lei. Art Os Grupos Ocupacionais em Serviços Especializados de Saúde - SES e Atividades Auxiliares de Saúde ATS no Quadro I Poder Executivo e nos Quadros de Pessoal de Autarquias; os Grupos Ocupacionais Serviços Especializados de Apoio em Saúde SEAS e Atividades Auxiliares de Apoio de Saúde - AS do Quadro de Pessoal da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará previstos no PCCS com competência para atuar nas áreas de atenção à saúde, planejamento, administração, auditoria, gestão, fiscalização, regulação, vigilância a saúde, ensino e pesquisa, produção, perícia, apoio e infra-estrutura são assim denominados: I. Serviços Especializados de Saúde SES; II. Atividades Auxiliares de Saúde ATS; III. Serviços Especializados de Apoio em Saúde SEAS; IV. Atividades Auxiliares de Apoio de Saúde - AS. 1º - Considera-se Serviços Especializados de Saúde SES e Serviços Especializados de Apoio em Saúde SEAS as categorias profissionais que realizam atividades que exigem Ensino Superior Completo inerente ao Cargo/Função ocupado. 2º - Considera-se Atividades Auxiliares de Saúde ATS e Atividades Auxiliares de Apoio de Saúde AS as categorias profissionais que realizam, sob supervisão, atividades que exigem níveis de escolaridades de Ensino Médio, Profissionalizante, seqüencial ou tecnológico. Art Aplica-se aos Grupos Ocupacionais Serviços Especializados de Apoio em Saúde SEAS e Atividades Auxiliares de Apoio de Saúde - AS do Quadro de Pessoal da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará, aos servidores dos Grupos Ocupacionais Atividades de Nível Superior (ANS) e Atividades de Apoio Administrativo Operacional (ADO) os direitos que foram concedidos através da Lei nº , de 09 de dezembro de Art.15 - Os Grupos Ocupacionais abaixo discriminados classificam-se de acordo com o nível de escolaridade, cujas classes são compostas por níveis de vencimento reajustáveis, estabelecidos por interníveis, cuja tabela se encontra especificada no Anexo I: I. Para os Grupos Ocupacionais em Serviços Especializados de Saúde SES: Classe A - Ensino Superior Completo

7 Classe B - Ensino Superior Completo com Especialização Classe C - Ensino Superior Completo com Residência Médica I e II e/ou Mestrado (Acadêmico ou Profissional) e/ou Doutorado II. Para os Grupos Ocupacionais em Atividades Auxiliares de Saúde ATS: Classe A - Ensino Médio Completo+ profissionalizante de nível auxiliar Classe B - Ensino Técnico Completo e/ou seqüencial Classe C Tecnológico. III. Para os Grupos Ocupacionais em Serviços Especializados de Apoio em Saúde SEAS: Classe A - Ensino Superior Completo Classe B - Ensino Superior Completo com Especialização Classe C - Ensino Superior Completo com Mestrado (Acadêmico ou Profissional) e/ou Doutorado IV. Para os Grupos Ocupacionais em Atividades Auxiliares de Apoio de Saúde AS: Classe A - Ensino Médio Completo Classe B - Ensino Técnico Completo e/ou Curso Seqüencial Classe C Tecnológico. Art.16 - O valor inicial de cada classe vencimental correspondente aos cargos, será considerado referência básica para as progressões verticais e horizontais de acordo com o estabelecido nos Anexos I e IV partes integrantes desta Lei. CAPÍTULO V DO DESENVOLVIMENTO NA CARREIRA Art O desenvolvimento na carreira é a forma de evolução do servidor dentro da Tabela de Vencimento, no mesmo Cargo/Função, através de mecanismos de Progressão e Promoção, a partir de seu efetivo exercício, levando-se em consideração o tempo de exercício no Cargo/Função, a qualificação e o mérito profissional. Art A ascensão funcional do servidor nas carreiras far-se-á através dos processos de Progressão e Promoção. Art Promoção é a elevação do servidor de uma para outra classe, imediatamente superior, dentro da mesma carreira e observará, cumulativamente, o preenchimento dos requisitos constantes no Anexo III desta Lei e ao seguinte: I. O número de servidores a serem promovidos corresponderá a 100%(cem por cento) do total dos integrantes de cada referência;

8 II. Se o quociente for fracionado e a fração superior a 0,5 (cinco décimos) será acrescido mais 1 (um) servidor. III. Conclusão, com aproveitamento, do programa de formação, qualificação, capacitação e aperfeiçoamento estabelecido para a classe; Art Caberá a Gestão, anualmente, avaliar e adequar seu Quadro de Pessoal de acordo com as necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS) propondo redimensionamento com base nas seguintes variáveis: demandas de serviços; inovações tecnológicas, modernização de processos de trabalho e proporção entre o quantitativo da força de trabalho e usuários. Art Os critérios específicos e os procedimentos para aplicação do Princípio do Mérito e/ou da Antigüidade para efetivação da Progressão e Promoção, serão definidos por uma Comissão indicada pela Mesa Estadual de Negociação Permanente do SUS. SEÇÃO I PROGRESSÃO POR TEMPO DE EXERCÍCIO NO CARGO Art A Progressão por tempo de exercício no Cargo/Função dar-se-á de forma horizontal automaticamente, obedecendo ao interstício de 365 (trezentos e sessenta e cinco) dias de efetivo exercício, até o limite do último nível de vencimento, garantindo a mesma para o nível imediatamente superior ao que estiver posicionado o servidor, conforme tabela salarial constante no Anexo IV, parte integrante desta Lei. SEÇÃO II PROGRESSÃO POR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL Art A Progressão por qualificação profissional poderá ser conquistada pelo servidor, de forma horizontal e vertical dentro da classe na qual estiver enquadrado. Art A progressão por qualificação profissional poderá ser conquistada pelo servidor, de forma horizontal e vertical, após 365 (trezentos e sessenta e cinco) dias de efetivo exercício no cargo, no nível de vencimento correspondente ao valor imediatamente superior ao valor percebido, na classe também imediatamente superior, dentro do mesmo Cargo/Função, da seguinte forma: 1º - Para os Grupos Ocupacionais em Serviços Especializados de Saúde - SES no Quadro I Poder Executivo e nos Quadros de Pessoal de Autarquias e os Grupos Ocupacionais Serviços Especializados de Apoio em Saúde SEAS do Quadro de Pessoal da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará: a) Curso (s) de aperfeiçoamento em sua área de atuação, cujo somatório da/s carga/s horária/s seja igual ou superior a 80 horas, que garantam o enquadramento do nível imediatamente superior, até o limite do último nível de vencimento da classe, a cada 365 (trezentos e sessenta e cinco) dias, alternando com o ano da progressão por tempo de efetivo exercício no Cargo/Função; b) Os servidores que apresentarem, ao tempo da ascensão funcional, certificado de conclusão de Curso de Pós-graduação em sua área de atuação, com carga horária igual ou superior a 360 (trezentos e sessenta) horas, (mil) horas e (mil e

9 quinhentas) horas, para Especialização, Mestrado e Doutorado respectivamente, deverá ser deslocado para classe imediatamente superior, atendidos os requisitos do Anexo III; 2º - Para os Grupos Ocupacionais em Atividades Auxiliares de Saúde ATS no Quadro I Poder Executivo e nos Quadros de Pessoal de Autarquias e os Grupos Ocupacionais em Atividades Auxiliares de Apoio de Saúde - AS do Quadro de Pessoal da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará: a) Curso/s de aperfeiçoamento, em sua área de atuação, cujo somatório da/s carga/s horária/s seja igual ou superior a 40 (quarenta) horas, que garantam a progressão para o nível imediatamente superior, até o limite do último nível de vencimento da classe, a cada 365 (trezentos e sessenta e cinco) dias, alternando com o ano da progressão por tempo de efetivo exercício no Cargo/Função; b) Avanço de 3 (três) níveis salariais para os servidores que apresentarem, ao tempo da ascensão funcional, certificado de conclusão de Curso de Pós-graduação Lato Sensu (Especialização), em sua área de atuação, com carga horária igual ou superior a 360 (trezentos e sessenta) horas; c) Avanço de Quatro (4) níveis salariais para os servidores que apresentarem, ao tempo da ascensão funcional, certificado de conclusão de Curso de Pós-graduação Stricto Sensu (Mestrado Acadêmico ou Profissional e Doutorado), em sua área de atuação, com somatório de carga horária igual ou superior a (mil) horas e (mil e quinhentas) horas respectivamente; SEÇÃO III DA CAPACITAÇÃO E DO APERFEIÇOAMENTO DO SERVIDOR Art As atividades de formação, qualificação, capacitação e aperfeiçoamento serão planejadas e organizadas em conformidade como as diretrizes da Política de Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde. SEÇÃO IV DA PROGRESSÃO POR MÉRITO PROFISSIONAL Art A Progressão por mérito profissional dar-se-á de forma horizontal, mediante avaliação de desempenho profissional do servidor a cada 365 (trezentos e sessenta e cinco) dias de efetivo exercício no cargo, correspondendo ao acréscimo máximo de 1(um) nível de vencimento. 1º - A avaliação de desempenho profissional do servidor é um processo que adota parâmetros e metas pré-estabelecidas, visando mensurar o seu desenvolvimento no cumprimento das atividades laborais e consecução dos objetivos organizacionais e individuais. 2º - O Programa de Avaliação de Desempenho deverá estabelecer critérios capazes de possibilitar a avaliação da qualidade dos processos de trabalho em saúde, de forma permanente e contínua, com ênfase nos aspectos pedagógicos, crítico e participativo. Art Os critérios para avaliação de desempenho do servidor serão elaborados pela MENPS -CE da SESA que deverão propor:

10 I. Indicadores de avaliação; II. Modelos e instrumentos que atendam à natureza das atividades, assegurados nos seguintes princípios: a) Legitimidade e transparência do processo de avaliação; b) Periodicidade; c) Contribuição do servidor para a consecução dos objetivos organizacionais; d) Consideração das condições reais de trabalho que, se precárias ou adversas, não prejudiquem a avaliação; e) Conhecimento do servidor sobre todas as etapas do processo; f) Direito de manifestação às instâncias recursais. Art A avaliação de desempenho para fins de mérito profissional será realizada por composição de média de pontos anuais, uma vez a cada período de 365 (trezentos e sessenta e cinco) dias, em conformidade com os critérios que deverão ser objeto de regulamentação após a publicação desta lei. Parágrafo Único - As repercussões financeiras decorrentes da Progressão por mérito profissional, serão concedidas subseqüentemente ao processo de avaliação de desempenho. Art Caberá a SESA, através da CGTES, a organização, o planejamento, a promoção e o controle dos programas de formação, qualificação, capacitação e aperfeiçoamento, buscando as parcerias e convênios necessários, sempre de acordo com as necessidades e prioridades advindas das necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS), dentro dos interstícios estabelecidos, assegurando a todas as categorias funcionais, a oportunidade de participação. 1º - Os Programas de Educação Permanente em Saúde terão como objetivos: a) Preparar os servidores para o cumprimento de seu papel no fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS); b) Propiciar o desenvolvimento profissional dos servidores; 2º - O Gestor deverá elaborar e apresentar à MENPSUS os critérios para afastamento e participação do servidor em estágios profissionais, visitas técnicas, congressos, seminários, capacitações, complementações de escolaridade e cursos de aperfeiçoamento ou pós-graduação, através de Portaria do Titular da Pasta, obedecendo a Legislação Estadual. CAPÍTULO VI DA GESTÃO DESTE PLANO Art Com relação a gestão deste PCCS compete à SESA: I. Propor alterações ou regulamentações suplementares;

11 II. Promover e aprovar Edital para a realização de Concurso Público; III. Homologar resultados de Concursos Públicos; IV. Promover e executar programas de desenvolvimento de recursos humanos. CAPÍTULO VII DOS CARGOS, JORNADAS, ENQUADRAMENTO E REMUNERAÇÃO. SEÇÃO I DO QUADRO DE PESSOAL Art O Quadro de pessoal da SESA fica constituído por Cargos de Provimento Efetivo, Funções Públicas e Cargos de Provimento em Comissão, devendo a lotação ser estabelecida de acordo com a necessidade e conveniência do serviço. Art Os requisitos e descrição de cada um dos Cargos/Funções que integram os Grupos Ocupacionais em Serviços Especializados de Saúde - SES e Atividades Auxiliares de Saúde ATS no Quadro I Poder Executivo e nos Quadros de Pessoal de Autarquias; os Grupos Ocupacionais Serviços Especializados de Apoio em Saúde SEAS e Atividades Auxiliares de Apoio de Saúde - AS do Quadro de Pessoal da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará, estão identificados no Anexo III, referidos nesta Lei. Parágrafo Único - O servidor que não possuir a escolaridade exigida para o exercício do cargo/função, e já estiver, na data da vigência desta Lei, enquadrado em cargo/função correlata, fica dispensado do pré-requisito de escolaridade. SEÇÃO II DA DURAÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO Art A carga horária de trabalho dos Cargos/Funções dos Grupos Ocupacionais em Serviços Especializados de Saúde - SES no Quadro I Poder Executivo e nos Quadros de Pessoal de Autarquias é de 20 (vinte) horas semanais e os Grupos Ocupacionais Serviços Especializados de Apoio em Saúde SEAS do Quadro de Pessoal da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará integrantes deste PCCS é de 30 (trinta) horas semanais. Parágrafo Único - Os ocupantes dos Cargos/Funções dos Grupos Ocupacionais em Serviços Especializados de Saúde - SES no Quadro I Poder Executivo e nos Quadros de Pessoal de Autarquias e os Grupos Ocupacionais Serviços Especializados de Apoio em Saúde SEAS do Quadro de Pessoal da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará poderão fazer opção, em formulário próprio, pela jornada de trabalho de 40 (quarenta) horas semanais passando a perceber o vencimento previsto no Anexo IV, Art A carga horária de trabalho dos Cargos/Funções dos Grupos Ocupacionais em Atividades Auxiliares de Saúde ATS no Quadro I Poder Executivo e nos Quadros de Pessoal de Autarquias e os Grupos Ocupacionais em Atividades Auxiliares de Apoio de Saúde - AS do Quadro de Pessoal da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará, integrantes deste PCCS, será de 30 (trinta) horas semanais.

12 Parágrafo Único - Os ocupantes dos Cargos/Funções dos Grupos Ocupacionais em Atividades Auxiliares de Saúde ATS no Quadro I Poder Executivo e nos Quadros de Pessoal de Autarquias e os Grupos Ocupacionais em Atividades Auxiliares de Apoio de Saúde - AS do Quadro de Pessoal da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará poderão fazer opção, em formulário próprio, pela jornada de trabalho de 40 (quarenta) horas semanais passando a perceber o vencimento previsto no Anexo IV. SEÇÃO III DO ENQUADRAMENTO Art O Processo de Enquadramento dos servidores integrantes dos Grupos Ocupacionais de que trata esta Lei, dar-se-á através de 3 (três) modalidades: I. Enquadramento Salarial e Qualificação Profissional Automático - consiste no Enquadramento dos atuais ocupantes de Cargos/Funções do nível hierárquico atual para o nível hierárquico da escala salarial do novo sistema de carreiras correspondente ao vencimento básico e a progressão por qualificação profissional de forma vertical. II. Enquadramento por Descompressão - consiste no deslocamento do servidor de uma referência para outra dentro de uma mesma classe ou para outra classe quando o servidor for integrante dos Grupos Ocupacionais, em função do tempo de serviço, avançando uma referência vencimental, por cada 5 (cinco) anos de serviço público estadual, completados até a data de publicação desta Lei. 1º - O Enquadramento Salarial e por Qualificação Profissional automáticos, consistirá em: a) Posicionar o servidor na classe correspondente ao seu grau de escolaridade, que deverá ocorrer na referência igual ou superior ao seu vencimento da tabela vencimental anterior; b) Promover o deslocamento do servidor conforme 2º do Art. 23 da presente Lei, após o cumprimento da alínea a deste artigo; c) Quando o vencimento básico for superior ao da referência inicial da faixa vencimental do Cargo/Função ocupado pelo servidor, este será deslocado para referência igual ou imediatamente superior. 2º - Os Enquadramentos Salariais e por Qualificação Profissional, automático, por descompressão e funcional, terão seus efeitos financeiros a partir da publicação desta Lei. 3º - Será por Portaria do Titular da Pasta a formalização do Enquadramento Automático do servidor e por descompressão, cabendo ao mesmo interpor recurso, no prazo de 30 (trinta) dias, após ciência do mesmo através do recebimento do contracheque; 4º - O Enquadramento Funcional ocorrerá sempre na classe e referência inicial da nova carreira, salvo quando o servidor perceber vencimento base mais elevado, o qual será deslocado para a referência imediatamente superior, obedecendo a Descompressão. Permanecer.

13 Art Os servidores que se encontrarem afastados na data da publicação desta Lei terão seu enquadramento efetivado por ocasião do retorno ao exercício de suas funções na SESA, excetuando-se aqueles que estejam em gozo de licenças previstas nos incisos I, II, IV e VII do art.80 da Lei nº 9.826, de 14 de maio de SEÇÃO IV DO VENCIMENTO E DA REMUNERAÇÃO Art Para efeito desta Lei considera-se vencimento a retribuição pecuniária devida ao servidor pelo exercício de Cargo/Função, fixada para a respectiva referência vencimental. Art A remuneração será considerada como o vencimento do Cargo/Função acrescido das vantagens pecuniárias permanentes ou temporárias estabelecidas em Lei. Art O sistema de remuneração do servidor constará de dois (2) componentes: I. Componente 1 - uma parte fixa de acordo com a classe e referência do Cargo/Função, previsto na Tabela de Vencimento do Anexo IV, parte integrante desta Lei; II. Componente 2 - uma parte variável que será estabelecida com base em indicadores de desempenho com a finalidade de avaliar o servidor no cumprimento das metas definidas pela SESA. Art Fica instituída a Gratificação de Desempenho em Gestão (GDG), devida aos ocupantes dos Cargos/Funções dos Grupos Ocupacionais em Serviços Especializados de Saúde - SES e Atividades Auxiliares de Saúde ATS no Quadro I Poder Executivo e nos Quadros de Pessoal de Autarquias; os Grupos Ocupacionais Serviços Especializados de Apoio em Saúde SEAS e Atividades Auxiliares de Apoio de Saúde - AS do Quadro de Pessoal da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará, no percentual de 35% (trinta e cinco por cento), incidente sobre o vencimento básico do servidor, conforme valores estabelecidos no Anexo IV, parte integrante desta Lei. 1º - Será devida a GDG aos servidores ocupantes dos Cargos/Funções dos Grupos Ocupacionais em Serviços Especializados de Saúde - SES e Atividades Auxiliares de Saúde ATS e dos Grupos Ocupacionais em Serviços Especializados de Apoio em Saúde SEAS e Atividades Auxiliares de Apoio de Saúde AS, em exercício funcional no Nível Central e nas Células Regionais de Saúde da Estrutura Organizacional da SESA não sendo cumulativa com a Gratificação Especial de Desempenho (GED). 2º - A GDG será atribuída em função do efetivo desempenho do servidor definido por Portaria do Titular da Pasta, segundo critérios propostos pela MSNPSUS.. 3º - A gratificação de que trata o caput deste artigo será incorporada aos proventos da aposentadoria, calculada com base na média da remuneração variável do respectivo nível dos últimos 18 (dezoito) meses. Art Fica extensiva a Gratificação de Titulação Acadêmica (GTA) aos ocupantes do Cargo/Função do Grupo Ocupacional em Serviços Especializados de Apoio em Saúde (SEAS) nos percentuais atualmente conferidos ao Grupo Ocupacional em Serviços Especializados de Saúde (SES).

14 CAPÍTULO VIII DAS DISPOSIÇÕES FINAIS Art Fazem parte desta Lei os seguintes Anexos: Anexo I - Estrutura e composição do PCCS dos Grupos Ocupacionais em Atividades Auxiliares de Saúde ATS e Atividades Auxiliares de Apoio de Saúde, da Categoria Funcional, das Carreiras, dos Cargos/Funções, das Classes, das Referências e da Qualificação exigida para o ingresso; Anexo III - Requisitos para promoção; Anexo IV - Tabela de vencimentos. Art Anualmente, serão revistas às perdas salariais dos servidores ativos, inativos e pensionistas, do período anterior, analisadas e discutidas entre a SESA e o Chefe do Poder Executivo. Art Os servidores, aposentados e pensionistas beneficiados por esta Lei deverão fazer opção expressa por seu enquadramento no PCCS no prazo de 90 (noventa) dias a contar da data de sua publicação, sendo incompatível os benefícios do PCCS, ora aprovado, com a situação jurídica dos não optantes. Parágrafo Único - Ficam assegurados aqueles que não optarem pelo enquadramento de que trata este artigo, o reajuste de seus vencimentos nos mesmos percentuais e datas fixadas para os servidores do Poder Executivo. Art Os servidores beneficiados por esta Lei deverão fazer opção expressa em formulário próprio, por seu enquadramento neste PCCS, no prazo de 30 (trinta) dias contados a partir da data de sua publicação. Parágrafo Único - Ficam assegurados aqueles que não optarem pelo enquadramento de que trata este artigo, o reajuste de seus vencimentos nos mesmos percentuais e datas fixadas para os servidores do Poder Executivo. Art Será criada uma Comissão formada por representantes dos servidores da Secretaria da Saúde, indicados pela MENPSUS, para acompanhar à implantação deste PCCS. Art Os Servidores detentores de Piso Salarial ou quaisquer outras vantagens decorrentes de Atos Administrativos ou Judiciais, poderão expressamente fazer opção em formulário próprio, por este PCCS. Art As despesas decorrentes da aplicação desta Lei correrão por conta das dotações orçamentárias próprias de cada órgão ou entidade, que serão suplementadas, caso sejam insuficientes. Art Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. Art Revogam-se as disposições em contrário

15 PALÁCIO DO GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ, Fortaleza, 11 de março de 2008.

16 ANEXO I - As que se referem os artigos 12, 18 e 19 desta Lei. ESTRUTURA E COMPOSIÇÃO DOS GRUPOS OCUPACIONAIS SEGUNDO CARREIRAS, CARGOS/FUNÇÕES, CLASSES, REFERÊNCIAS E QUALIFICAÇÃO EXIGIDA PARA O INGRESSO. continua GRUPOS OCUPACIONAIS CARREIRA Carga Horária CARGO/FUNÇÃO CLASSE REFERÊNCIA QUALIFICAÇÃO EXIGIDA PARA O INGRESSO Serviços Especializados de Saúde SES 20 horas ASSISTENTE SOCIAL BIOLÓGO CIRURGIÃO DENTISTA ENFERMEIRO FARMACÊUTICO FISIOTERAPEUTA FONOAUDIOLÓGO MÉDICO MÉDICO VETERINÁRIO NUTRICIONISTA PSICOLOGO SANITARISTA TÉCNOLOGO E SANEAMENTO AMBIENTAL TERAPEUTA OCUPACIONAL A 1 a 30 Nível Superior B 1 a 30 Especialização na área de atuação C 1 a 30 Mestrado (Acadêmico ou Profissional), Residência I e II e/ou Doutorado na área de atuação. Atividades Auxiliares em Saúde - ATS Profissionais de Saúde 30 horas AUXILIAR DE ENFERMAGEM * AUXLIAR DE CONSULTÓRIO DENTÁRIO AUXILIAR DE NUTRIÇÃO E DIETETICO AUXILIAR DE REABILITAÇÃO AUXILIAR DE TRAUMATOLOGIA ATENTENDE DENTAL* ATENTENDE DE ENFERMAGEM* AUXILIAR DE PATOLOGIA CLÍNICA ATENTENDE DE CONSULTÓRIO DENTÁRIO* AUXILIAR DE NUTRIÇÃO CITOTÉCNICO INSPETOR SANITÁRIO ORIENTADOR DE SAÚDE E SANEAMENTO TÉCNICO EM ANATOMIA E NECROPSIA TÉCNICO DE ENFERMAGEM TÉCNICO DE HIGIÊNE DENTAL TÉCNICO DE LABORATÓRIO DE ANÁLISE CLINICA TÉCNICO EM PATOLOGIA CLÍNICA TÉCNICO EM RADIOLOGIA VISITADOR SANITÁRIO* A 1 a 30 B 1 a 30 Ensino médio profissionalizantenível auxiliar Ensino Técnico profissional/seqüencial C 1 a 30 Tecnológico e/ou Graduação

17 ANEXO I - As que se referem os artigos 12, 18 e 19 desta Lei. ESTRUTURA E COMPOSIÇÃO DOS GRUPOS OCUPACIONAIS SEGUNDO CARREIRAS, CARGOS/FUNÇÕES, CLASSES, REFERÊNCIAS E QUALIFICAÇÃO EXIGIDA PARA O INGRESSO. conclusão Serviços Especializados de Apoio em Saúde SEAS Atividades de Apoio em Saúde - AS Profissionais de Apoio Técnico em Saúde 30 horas ADMINISTRADOR ADMINISTRADOR HOSPITLAR ADVOGADO ASSESSOR TÉCNICO* ARQUITETO BIBLIOTECÁRIO CONTADOR ECONOMISTA ECONOMISTA DOMÉSTICO ENGENHEIRO CIVIL ENGENHEIRO MECÂNICO ESTATÍSTICO FÍSICO QUÍMICO RELAÇÕES PÚBLICAS SOCIOLOGO TÉCNICO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS TÉCNICO EM ORÇAMENTO TÉCNICO EM TURISMO AGENTE DE ADMINISTRAÇÃO ASSISTENTE DE ADMINISTRAÇÃO ASSISTENTE DE BIBLIOTECONOMIA AUXILIAR DE ADMINISTRAÇÃO AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS COZINHEIRO COSTUREIRO DATILOGRAFO MECÂNICO DE MÁQUINA E VEÍCULO MOTORISTA OFICIAL DE MANUTENÇÃO OPERADOR DE MÁQUINA AGRÍCOLA OPERADOR DE TELECOMUNICAÇÃO TÉCNICO EM AGROPECUÁRIA TÉCNICO EM CONTABILIDADE TÉCNICO EM ESTATÍSTICA TELEFONISTA TRABALHADOR DO CAMPO VÍGIA A 1 a 30 Nível Superior B 1 a 30 Especialização na área de atuação C 1 a 30 Mestrado (Acadêmico ou Profissional) e/ou Doutorado na área de atuação A 1 a 30 Ensino Médio Completo B 1 a 30 Ensino Técnico profissional/seqüencial C 1 a 30 Tecnológico e/ou Graduação

18 ANEXO II - A que se refere o artigo 13 desta Lei GRUPOS OCUPACIONAIS SITUAÇÃO ATUAL CARGOS E FUNÇÕES CARGOS/FUNÇÕES GRUPO OCUPACIONAL SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE SAÚDE (SES) ASSISTENTE SOCIAL BIOLÓGO CIRURGIÃO DENTISTA ENFERMEIRO FARMACÊUTICO FISIOTERAPEUTA FONOAUDIOLÓGO MÉDICO MÉDICO VETERINÁRIO NUTRICIONISTA PSICOLOGO SANITARISTA TÉCNOLOGO E SANEAMENTO AMBIENTAL TERAPEUTA OCUPACIONAL GRUPO OCUPACIONAL ATIVIDADES AUXILIARES DE SAÚDE (ATS) AUXILIAR DE ENFERMAGEM* AUXLIAR DE CONSULTÓRIO DENTÁRIO AUXILIAR DE NUTRIÇÃO E DIETETICO AUXILIAR DE REABILITAÇÃO AUXILIAR DE TRAUMATOLOGIA ATENTENDE DENTAL* ATENTENDE DE ENFERMAGEM* AUXILIAR DE PATOLOGIA CLÍNICA ATENTENDE DE CONSULTÓRIO DENTÁRIO* AUXILIAR DE NUTRIÇÃO CITOTÉCNICO INSPETOR SANITÁRIO ORIENTADOR DE SAÚDE E SANEAMENTO TÉCNICO EM ANATOMIA E NECROPSIA TÉCNICO DE ENFERMAGEM TÉCNICO DE HIGIÊNE DENTAL TÉCNICO DE LABORATÓRIO DE ANÁLISE CLINICA TÉCNICO EM PATOLOGIA CLÍNICA TÉCNICO EM RADIOLOGIA VISITADOR SANITÁRIO*

19 ANEXO II - A que se refere o artigo 13 desta Lei LINHAS DE DENOMINAÇÃO DOS CARGOS/FUNÇÕES DOS GRUPOS OCUPACIONAIS SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE APOIO EM SAÚDE (SEAS) E ATIVIDADES DE APOIO EM SAÚDE (AAS) SITUAÇÃO ATUAL SITUAÇÃO NOVA GRUPO OCUPACIONAL ATIVIDADES DE NÍVEL SUPERIOR (ANS) GRUPO OCUPACIONAL ATIVIDADES DE APOIO ADMINISTRATIVO E OPERACIONAL (ADO) GRUPO OCUPACIONAL DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE APOIO EM SAÚDE SEAS ADMINISTRADOR ADMINISTRADOR HOSPITLAR ADVOGADO ASSESSOR TÉCNICO ARQUITETO BIBLIOTECÁRIO CONTADOR ECONOMISTA ECONOMISTA DOMÉSTICO ENGENHEIRO CIVIL ENGENHEIRO MECÂNICO ESTATÍSTICO FÍSICO QUÍMICO RELAÇÕES PÚBLICAS SOCIOLOGO TÉCNICO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS TÉCNICO EM ORÇAMENTO TÉCNICO EM TURISMO TÉCNICO EM PLANEJAMENTO AGENTE DE ADMINISTRAÇÃO ASSISTENTE DE ADMINISTRAÇÃO ASSISTENTE DE BIBLIOTECONOMIA AUXILIAR DE ADMINISTRAÇÃO AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS COZINHEIRO COSTUREIRO DATILOGRAFO MECÂNICO DE MÁQUINA E VEÍCULO MOTORISTA OFICIAL DE MANUTENÇÃO OPERADOR DE MÁQUINA AGRÍCOLA OPERADOR DE TELECOMUNICAÇÃO TÉCNICO EM AGROPECUÁRIA TÉCNICO EM CONTABILIDADE TÉCNICO EM ESTATÍSTICA TELEFONISTA TRABALHADOR DO CAMPO VÍGIA ATIVIDADES DE APOIO EM SAÚDE AS

20 ANEXO III - A que se referem os artigos 13, 22, 31 e 39 desta Lei REQUISITOS PARA PROMOÇÃO DE CARGOS/FUNÇÕES DOS GRUPOS OCUPACIONAIS DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE SAÚDE (SES) E ATIVIDADE AUXILIARES DE SAÚDE (ATS) CARGO ASSISTENTE SOCIAL BIOLÓGO CIRURGIÃO DENTISTA ENFERMEIRO FARMACÊUTICO FISIOTERAPEUTA FONOAUDIOLÓGO MÉDICO MÉDICO VETERINÁRIO NUTRICIONISTA PSICOLOGO SANITARISTA TÉCNOLOGO E SANEAMENTO AMBIENTAL TERAPEUTA OCUPACIONAL CLASSE A B C Nível Superior - Está na Classe A. - Experiência de Cinco (5) anos na Classe A - Não ter sofrido pena disciplinar nos últimos Dois (2) anos - Curso de Especialização (360h) na área de atuação - Está na Classe B - Experiência de Cinco (5) anos na Classe B - Não ter sofrido pena disciplinar nos últimos Dois (2) anos - Curso de Mestrado (Acadêmico ou Profissional) e/ou Residência I e II e/ou Curso de Doutorado na área de atuação AUXILIAR DE ENFERMAGEM AUXLIAR DE CONSULTÓRIO DENTÁRIO AUXILIAR DE NUTRIÇÃO E DIETETICO AUXILIAR DE REABILITAÇÃO AUXILIAR DE TRAUMATOLOGIA ATENTENDE DENTAL ATENTENDE DE ENFERMAGEM AUXILIAR DE PATOLOGIA CLÍNICA ATENTENDE DE CONSULTÓRIO DENTÁRIO AUXILIAR DE NUTRIÇÃO CITOTÉCNICO INSPETOR SANITÁRIO ORIENTADOR DE SAÚDE E SANEAMENTO TÉCNICO EM ANATOMIA E NECROPSIA TÉCNICO DE ENFERMAGEM TÉCNICO DE HIGIÊNE DENTAL TÉCNICO DE LABORATÓRIO DE ANÁLISE CLINICA TÉCNICO EM PATOLOGIA CLÍNICA TÉCNICO EM RADIOLOGIA VISITADOR SANITÁRIO Nível Médio + Profissionalizan te/ auxiliar - Está na Classe A - Experiência de Cinco (5) anos na Classe A - Não ter sofrido pena disciplinar nos últimos Dois (2) anos Ensino Técnico profissional/seqüencial - Está na Classe B - Experiência de Cinco (5) anos na Classe B - Não ter sofrido pena disciplinar nos últimos Dois (2) anos - Ensino Tecnológico e/ou Graduação

21 ANEXO III - As que se referem os artigos 13, 22, 31 e 39 desta Lei. REQUISITOS PARA PROMOÇÃO DE CARGOS/FUNÇÕES DOS GRUPOS OCUPACIONAIS SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE APOIO EM SAÚDE (SEAS) E ATIVIDADES DE APOIO EM SAÚDE (AS) CARGO ADMINISTRADOR ADMINISTRADOR HOSPITLAR ADVOGADO ASSESSOR TÉCNICO ARQUITETO BIBLIOTECÁRIO CONTADOR ECONOMISTA ECONOMISTA DOMÉSTICO ENGENHEIRO CIVIL ENGENHEIRO MECÂNICO ESTATÍSTICO FÍSICO QUÍMICO RELAÇÕES PÚBLICAS SOCIOLOGO TÉCNICO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS TÉCNICO EM ORÇAMENTO TÉCNICO EM TURISMO TÉCNICO EM PLANEJAMENTO CLASSE A B C NÍVEL SUPERIOR - Está na Classe A - Não ter sofrido pena disciplinar nos últimos Dois (2) anos - Curso de Especialização (360h) na área de atuação - Está na Classe B - Não ter sofrido pena disciplinar nos últimos Dois (2) anos - Curso de Mestrado (Acadêmico e/ou Profissional) e/ou Curso de Doutorado na área de atuação AGENTE DE ADMINISTRAÇÃO ASSISTENTE DE ADMINISTRAÇÃO ASSISTENTE DE BIBLIOTECONOMIA AUXILIAR DE ADMINISTRAÇÃO AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS COZINHEIRO COSTUREIRO DATILOGRAFO MECÂNICO DE MÁQUINA E VEÍCULO MOTORISTA OFICIAL DE MANUTENÇÃO OPERADOR DE MÁQUINA AGRÍCOLA OPERADOR DE TELECOMUNICAÇÃO TÉCNICO EM AGROPECUÁRIA TÉCNICO EM CONTABILIDADE TÉCNICO EM ESTATÍSTICA TELEFONISTA TRABALHADOR DO CAMPO VÍGIA ENSINO MÉDIO - Está na Classe A - Experiência de Cinco (5) anos na Classe A - Não ter sofrido pena disciplinar nos últimos Dois (2) anos Ensino Técnico Completo e/ou Seqüencial - Está na Classe B - Experiência de Cinco (5) anos na Classe B - Não ter sofrido pena disciplinar nos últimos Dois (2) anos - Ensino Tecnológico e/ou Graduação em outras áreas

22 ANEXO IV - as que se referem os artigos 14, 19, 29, 40, 47 e 48 desta Lei. TABELA DE VENCIMENTOS DOS CARGOS/FUNÇÕES DOS GRUPOS OCUPACIONAIS: SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE SAÚDE (SES); SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE APOIO EM SAÚDE (SSEAS); ATIVIDADES AUXILIARES DE SAÚDE (ATS) E ATIVIDADES AUXILIARES DE APOIO DE SAÚDE (AS) TABELA DE VENCIMENTOS PARA 20 HORAS GRUPOS OCUPACIONAIS Serviços Especialista da Saúde (SES) CLASSE A 2.905, , , , , , , , , ,61 B 3.195, , , , , , , , , ,27 C 3.515, , , , , , , , , ,00 CLASSE A 4.731, , , , , , , , , ,79 B 5.205, , , , , , , , , ,87 C 5.725, , , , , , , , , ,36 CLASSE A 7.707, , , , , , , , , ,37 B 8.478, , , , , , , , , ,11 C 9.326, , , , , , , , , ,42

23 ANEXO IV - as que se referem os artigos 14, 19, 29, 40, 47 e 48 desta Lei. TABELA DE VENCIMENTOS DOS CARGOS/FUNÇÕES DOS GRUPOS OCUPACIONAIS: SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE SAÚDE (SES); SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE APOIO EM SAÚDE (SSEAS); ATIVIDADES AUXILIARES DE SAÚDE (ATS) E ATIVIDADES AUXILIARES DE APOIO DE SAÚDE (AS) GRUPOS OCUPACIONAIS Serviços Especialista em Saúde (SES) e Serviços Especialista de Apoio em Saúde (SEAS) ATIVIDADES AUXILIARES DE SAÚDE (ATS) e ATOVODADES AUXILIARES DE APOIO EM SAÚDE (AS) TABELA DE VENCIMENTOS PARA 30 HORAS CLASSE A 4.357, , , , , , , , , ,91 B 4.793, , , , , , , , , ,90 C 5.272, , , , , , , , , ,49 CLASSE A 7.097, , , , , , , , , ,19 B 7.807, , , , , , , , , ,30 C 8.588, , , , , , , , , ,53 CLASSE A , , , , , , , , , ,06 B , , , , , , , , , ,67 C , , , , , , , , , ,63 CLASSE A 830,00 871,50 915,08 960, , , , , , ,60 B 913,00 958, , , , , , , , ,36 C 1.004, , , , , , , , , ,00 CLASSE A 1.351, , , , , , , , , ,37 B 1.487, , , , , , , , , ,11 C 1.635, , , , , , , , , ,82 CLASSE A 2.202, , , , , , , , , ,39 B 2.422, , , , , , , , , ,03 C 2.664, , , , , , , , , ,83

24 ANEXO IV - as que se referem os artigos 14, 19, 29, 40, 47 e 48 desta Lei. TABELA DE VENCIMENTOS DOS CARGOS/FUNÇÕES DOS GRUPOS OCUPACIONAIS: SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE SAÚDE (SES); SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE APOIO EM SAÚDE (SSEAS); ATIVIDADES AUXILIARES DE SAÚDE (ATS) E ATIVIDADES AUXILIARES DE APOIO DE SAÚDE (AS) GRUPOS OCUPACIONAIS Serviços Especialista em Saúde (SES) e Serviços Especialista de Apoio em Saúde (SEAS) ATIVIDADES AUXILIARES DE SAÚDE (ATS) e ATOVODADES AUXILIARES DE APOIO EM SAÚDE (AS) TABELA DE VENCIMENTOS PARA 40 HORAS CLASSE A 5.810, , , , , , , , , ,22 B 6.391, , , , , , , , , ,54 C 7.030, , , , , , , , , ,99 CLASSE A 9.463, , , , , , , , , ,58 B , , , , , , , , , ,74 C , , , , , , , , , ,71 CLASSE A , , , , , , , , , ,75 B , , , , , , , , , ,22 C , , , , , , , , , ,84 CLASSE A 1.106, , , , , , , , , ,80 B 1.217, , , , , , , , , ,48 C 1.355, , , , , , , , , ,58 CLASSE A 1.550, , , , , , , , , ,66 B 1.705, , , , , , , , , ,23 C 1.899, , , , , , , , , ,22 CLASSE A 2.525, , , , , , , , , ,56 B 2.778, , , , , , , , , ,42 C 3.065, , , , , , , , , ,43

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 13.421, DE 05 DE ABRIL DE 2010. (publicada no DOE nº 062, de 05 de abril de 2010 2ª edição) Institui a Carreira

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL BOMBINHAS-SC

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL BOMBINHAS-SC LEI COMPLEMENTAR Nº 034, de 13 de dezembro de 2005. Institui o Plano de Carreira, Cargos e Vencimentos do Pessoal do Poder Legislativo do Município de Bombinhas e dá outras providências.. Júlio César Ribeiro,

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI N. 1.704, DE 26 DE JANEIRO DE 2006 Estabelece pisos salariais para os novos cargos criados nesta lei, concede reajuste salarial aos servidores públicos civis, militares, ativos, inativos e pensionistas

Leia mais

LEI Nº 8.966 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003

LEI Nº 8.966 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003 Publicada D.O.E. Em 23.12.2003 LEI Nº 8.966 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003 Reestrutura o Plano de Carreira do Ministério Público do Estado da Bahia, instituído pela Lei nº 5.979, de 23 de setembro de 1990,

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I DA CARREIRA DOS PROFISSIONAIS DA SEFAZ Seção I Dos Princípios Básicos

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I DA CARREIRA DOS PROFISSIONAIS DA SEFAZ Seção I Dos Princípios Básicos LEI N. 2.265, DE 31 DE MARÇO DE 2010 Estabelece nova estrutura de carreira para os servidores públicos estaduais da Secretaria de Estado da Fazenda SEFAZ. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO

Leia mais

http://www.legislabahia.ba.gov.br/verdoc.php?id=65585&voltar=voltar

http://www.legislabahia.ba.gov.br/verdoc.php?id=65585&voltar=voltar Page 1 of 11 Voltar Imprimir "Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial do Estado." LEI Nº 11.374 DE 05 DE FEVEREIRO DE 2009 Ver também: Decreto 14.488 de 23 de maio de 2013 - Regulamenta

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS PREFEITURA MUNICIPAL DE CALDAS NOVAS SECRETARIA MUNICIPAL DE SÁUDE LEI Nº [...],DE[...] DE [...] DE 2006.

ESTADO DE GOIÁS PREFEITURA MUNICIPAL DE CALDAS NOVAS SECRETARIA MUNICIPAL DE SÁUDE LEI Nº [...],DE[...] DE [...] DE 2006. ESTADO DE GOIÁS PREFEITURA MUNICIPAL DE CALDAS NOVAS SECRETARIA MUNICIPAL DE SÁUDE LEI Nº [...],DE[...] DE [...] DE 2006. Institui o Plano de Carreiros Cargos e Vencimentos do Quadro de Pessoal da Secretaria

Leia mais

SEGUNDA-FEIRA, 08 DE SETEMBRO DE 2014 CADERNO 1 5

SEGUNDA-FEIRA, 08 DE SETEMBRO DE 2014 CADERNO 1 5 SEGUNDA-FEIRA, 08 DE SETEMBRO DE 2014 L E I N 8.037, DE 5 DE SETEMBRO DE 2014 Institui o Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração dos Servidores do Tribunal de Contas do Estado do Pará e dá outras providências.

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS PROJETO DE LEI Súmula: "Dispõe sobre o Plano de Carreiras, Cargos e Vencimentos- PCCV, dos servidores da Secretaria de Saúde do Estado do Paraná". CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º. Fica instituído

Leia mais

PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E SALÁRIOS. Brasília, dezembro de 2014. Diretoria de Gestão de Pessoas

PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E SALÁRIOS. Brasília, dezembro de 2014. Diretoria de Gestão de Pessoas PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E SALÁRIOS Brasília, dezembro de 2014 1 APRESENTAÇÃO Apresentamos o Plano de Cargos, Carreiras e Salários da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares EBSERH, criada pela Lei

Leia mais

Diretoria de Gestão de Pessoas

Diretoria de Gestão de Pessoas Apresentamos o Plano de Cargos, Carreiras e Salários da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares EBSERH, criada pela Lei n. 12.550, de 15 de dezembro de 2011. A referência para instruir o presente plano

Leia mais

Diretoria de Gestão de Pessoas

Diretoria de Gestão de Pessoas Diretoria de Gestão de Pessoas APRESENTAÇÃO Apresentamos o Plano de Cargos, Carreiras e Salários da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares EBSERH, criada pela Lei n. 12.550, de 15 de dezembro de 2011.

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS Secretaria de Estado da Casa Civil

GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS Secretaria de Estado da Casa Civil . Minuta de Lei n o de de de 2013 Dispõe sobre o Plano de Carreiras, Cargos e Remuneração dos servidores efetivos a Secretaria e Estado da Saúde SES-GO e dá outras providências. A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES imprensa FESSERGS Novo esboço de Plano de Carreira do Quadro-Geral(para substituir no MURAL) July 19, 2012 2:32 PM Projeto de Lei nº00/2012 Poder Executivo Reorganiza o Quadro

Leia mais

LEI Nº 74, DE 30 MAIO DE 2006.

LEI Nº 74, DE 30 MAIO DE 2006. LEI Nº 74, DE 30 MAIO DE 2006. O Prefeito Municipal de Tijucas do Sul, Estado do Paraná: A Câmara Municipal decretou e eu sanciono a seguinte Lei: Reorganiza o quadro de pessoal da administração direta

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 005, DE 10 DE FEVEREIRO DE 1992 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E DOS OBJETIVOS

LEI COMPLEMENTAR Nº 005, DE 10 DE FEVEREIRO DE 1992 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E DOS OBJETIVOS ESTADO DO CEARÁ Prefeitura Municipal de Farias Brito LEI COMPLEMENTAR Nº 005, DE 10 DE FEVEREIRO DE 1992 Dispõe sobre o plano de cargos, salários e carreira dos servidores da Prefeitura Municipal de Farias

Leia mais

Prefeitura Municipal de Sabará Rua Dom Pedro II, 200 CEP: 34505-000 Sabará MG Fones: (31) 3672-7672 - (31) 3674-2909

Prefeitura Municipal de Sabará Rua Dom Pedro II, 200 CEP: 34505-000 Sabará MG Fones: (31) 3672-7672 - (31) 3674-2909 LEI COMPLEMENTAR NÚMERO 015, de 10 de novembro de 2011. Dispõe sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos dos Profissionais da Educação Básica do Município de Sabará, estabelece normas de enquadramento,

Leia mais

LEI Nº 13.574, DE 12 DE MAIO DE 2003. (Projeto de Lei nº 611/02, da Vereadora Claudete Alves - PT)

LEI Nº 13.574, DE 12 DE MAIO DE 2003. (Projeto de Lei nº 611/02, da Vereadora Claudete Alves - PT) LEI Nº 13.574, DE 12 DE MAIO DE 2003 (Projeto de Lei nº 611/02, da Vereadora Claudete Alves - PT) Dispõe sobre a transformação e inclusão no Quadro do Magistério Municipal, do Quadro dos Profissionais

Leia mais

PROJETO DE LEI. TÍTULO I Das Disposições Preliminares

PROJETO DE LEI. TÍTULO I Das Disposições Preliminares TEXTO DOCUMENTO PROJETO DE LEI Consolida o Plano de Carreira e Cargo de Professor Federal e dispõe sobre a reestruturação e unificação das carreiras e cargos do magistério da União, incluídas suas autarquias

Leia mais

LEI N 7.350, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2000 D.O. 13.12.00.

LEI N 7.350, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2000 D.O. 13.12.00. LEI N 7.350, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2000 D.O. 13.12.00. Autor: Poder Executivo Cria a carreira de Gestor Governamental e os respectivos cargos na Administração Pública Estadual e dá outras providências.

Leia mais

I - Grupo ocupacional de controle externo, integrado pelas seguintes carreiras:

I - Grupo ocupacional de controle externo, integrado pelas seguintes carreiras: PROPOSTA PROJETO DE LEI Autor: Tribunal de Contas Dispõe sobre a reestruturação organizacional dos cargos e carreiras do quadro permanente, a criação de cargos de provimento em comissão e fixa o subsídio

Leia mais

I - Técnico de Apoio Fazendário e Financeiro, integrando a categoria funcional de Profissional de Apoio Operacional;

I - Técnico de Apoio Fazendário e Financeiro, integrando a categoria funcional de Profissional de Apoio Operacional; (*) Os textos contidos nesta base de dados têm caráter meramente informativo. Somente os publicados no Diário Oficial estão aptos à produção de efeitos legais. ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL DECRETO Nº 10.609,

Leia mais

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL 1 CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL LEI Nº 5.106, DE 3 DE MAIO DE 2013 (Autoria do Projeto: Poder Executivo) Dispõe sobre a carreira Assistência à Educação do Distrito Federal e dá outras providências.

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 611, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013

LEI COMPLEMENTAR Nº 611, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013 LEI COMPLEMENTAR Nº 611, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013 Procedência: Governamental Natureza: PLC/0046.0/2013 DO: 19.729, de 31/12/2013 Fonte: ALESC/Coord. Documentação Fixa o subsídio mensal dos integrantes

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.350, DE 5 DE OUTUBRO DE 2006. Regulamenta o 5 o do art. 198 da Constituição, dispõe sobre o aproveitamento de pessoal amparado

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE MUNICÍPIO DE PARELHAS Palácio Severino da Silva Oliveira GABINETE DO PREFEITO

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE MUNICÍPIO DE PARELHAS Palácio Severino da Silva Oliveira GABINETE DO PREFEITO LEI N 2309/2013, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2013. EMENTA: CRIA CARGOS E QUANTITATIVOS DE VAGAS PARA QUADRO PERMANENTE DE PESSOAL DO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Prefeito Municipal de Parelhas, Estado do Rio Grande

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei: Capítulo I Das Disposições Preliminares

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei: Capítulo I Das Disposições Preliminares Cria o Plano de Carreira dos Servidores Técnicos e Administrativos da Polícia Rodoviária Federal e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono

Leia mais

PROPOSTA DE PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E REMUNERAÇÃO DOS POFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO: MAGISTÉRIO E FUNCIONÁRIOS ADMINISTRATIVOS.

PROPOSTA DE PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E REMUNERAÇÃO DOS POFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO: MAGISTÉRIO E FUNCIONÁRIOS ADMINISTRATIVOS. PROPOSTA DE PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E REMUNERAÇÃO DOS POFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO: MAGISTÉRIO E FUNCIONÁRIOS ADMINISTRATIVOS. Seção 1 Disposições Preliminares Art. 1º- Fica criado o Plano Unificado de

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 021/2014

ATO NORMATIVO Nº 021/2014 ATO NORMATIVO Nº 021/2014 Altera o Ato Normativo nº 003/2011 que regulamenta a Lei nº 8.966/2003, com alterações decorrentes das Leis n os 10.703/2007, 11.171/2008 e 12.607/2012 que dispõem sobre o Plano

Leia mais

Câmara Municipal de Uberaba O progresso passa por aqui LEI COMPLEMENTAR Nº 381

Câmara Municipal de Uberaba O progresso passa por aqui LEI COMPLEMENTAR Nº 381 LEI COMPLEMENTAR Nº 381 Modifica dispositivos da Lei Complementar nº 133, de 25 de novembro de 1998, e suas posteriores alterações, e dá outras providências. O Povo do Município de Uberaba, Estado de Minas

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.707, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2006. Institui a Política e as Diretrizes para o Desenvolvimento de Pessoal da administração

Leia mais

Decreto nº 31.452, de 22 de março de 2010

Decreto nº 31.452, de 22 de março de 2010 Decreto nº 31.452, de 22 de março de 2010 Diário Oficial do Distrito Federal ANO XLIII Nº 56 BRASÍLIA DF, 23 DE MARÇO DE 2010 Aprovar normas para concessão da Gratificação de Titulação - GTIT e do Adicional

Leia mais

LEI Nº 11.375 DE 05 DE FEVEREIRO DE 2009

LEI Nº 11.375 DE 05 DE FEVEREIRO DE 2009 LEI Nº 11.375 DE 05 DE FEVEREIRO DE 2009 Reestrutura as carreiras de Analista Universitário e Técnico Universitário, integrantes do Grupo Ocupacional Técnico- Específico, criado pela Lei nº 8.889, de 01

Leia mais

REITORIA. Minuta RESOLUÇÃO UNESP Nº DE DE DE 2012.

REITORIA. Minuta RESOLUÇÃO UNESP Nº DE DE DE 2012. Minuta RESOLUÇÃO UNESP Nº DE DE DE 2012. Altera e inclui dispositivos da Resolução Unesp nº 32, de 28 de julho de 2011. O VICE-REITOR NO EXERCÍCIO DA REITORIA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA "JÚLIO DE

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR N º 38/2011

LEI COMPLEMENTAR N º 38/2011 LEI COMPLEMENTAR N º 38/2011 ALTERA O ESTATUTO E PLANO DE CARREIRA E DE REMUNERAÇÃO PARA O MAGISTÉRIO PÚBLICO DO MUNICIPIO DE FORTUNA DE MINAS, INSTITUÍDO PELA LEI COMPLEMENTAR N.º 27/2004. A Câmara Municipal

Leia mais

(*)OFÍCIO GP n.º 86/CMRJ Em 1º de outubro de 2013.

(*)OFÍCIO GP n.º 86/CMRJ Em 1º de outubro de 2013. (*)OFÍCIO GP n.º 86/CMRJ Em 1º de outubro de 2013. Senhor Presidente, Dirijo-me a Vossa Excelência para comunicar que, nesta data, sancionei o Projeto de Lei n.º 442-A, de 2013, de autoria do Poder Executivo,

Leia mais

MENSAGEM Nº 01/11. Senhor Presidente,

MENSAGEM Nº 01/11. Senhor Presidente, MENSAGEM Nº /11 Senhor Presidente, Tenho a honra de encaminhar a V. Exa, a fim de ser submetido à deliberação dessa Augusta Câmara Municipal, o incluso Projeto de Lei que fixa os parâmetros quantitativos

Leia mais

DECRETO Nº 39409 DE 3 DE NOVEMBRO DE 2014. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais, e

DECRETO Nº 39409 DE 3 DE NOVEMBRO DE 2014. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais, e DECRETO Nº 39409 DE 3 DE NOVEMBRO DE 2014 Regulamenta o Processo de Seleção para Promoção na Carreira dos Servidores da Área Operacional Atividade Fim da Guarda Municipal do Rio de Janeiro GM-RIO. O PREFEITO

Leia mais

Lei 7645 de 12 de Fevereiro de 1999

Lei 7645 de 12 de Fevereiro de 1999 Lei 7645 de 12 de Fevereiro de 1999 INSTITUI O PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES DA ÁREA DE ATIVIDADES DE TRIBUTAÇÃO, ESTABELECE A RESPECTIVA TABELA DE VENCIMENTO E DISPÕE SOBRE O QUADRO ESPECIAL DA SECRETARIA

Leia mais

MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI PLANO DE CARREIRA, CARGOS E SALÁRIOS. A Assembléia Legislativa do Estado do Paraná decretou e eu sanciono a seguinte lei:

MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI PLANO DE CARREIRA, CARGOS E SALÁRIOS. A Assembléia Legislativa do Estado do Paraná decretou e eu sanciono a seguinte lei: MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI PLANO DE CARREIRA, CARGOS E SALÁRIOS Súmula: Dispõe sobre a Carreira Técnica Universitária das Instituições de Ensino Superior do Estado do Paraná e adota outras providências.

Leia mais

Faço saber que a CÂMARA MUNICIPAL DE BANABUIÚ aprovou e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Faço saber que a CÂMARA MUNICIPAL DE BANABUIÚ aprovou e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS PROJETO DE LEI Nº /11 Institui o Plano de Cargos, Carreiras e Salários da Área da Saúde PCC/Saúde, no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE BANABUIÚ Faço

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ESTADO DO RIO DE JANEIRO Prefeitura Municipal de Porciúncula

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ESTADO DO RIO DE JANEIRO Prefeitura Municipal de Porciúncula LEI COMPLEMENTAR Nº 055/2007 Dispõe sobre o Plano de Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município de Porciúncula/RJ e dá outras providências O PREFEITO MUNICIPAL DE PORCIÚNCULA, no uso das

Leia mais

Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado de Minas Gerais

Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado de Minas Gerais LEI 15304 2004 Data: 11/08/2004 REESTRUTURA A CARREIRA DE ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL E INSTITUI A CARREIRA DE AUDITOR INTERNO DO PODER EXECUTO. Reestrutura a carreira de

Leia mais

LEI Nº 2.581/2009. O Prefeito Municipal de Caeté, Minas Gerais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele sanciona a seguinte Lei:

LEI Nº 2.581/2009. O Prefeito Municipal de Caeté, Minas Gerais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele sanciona a seguinte Lei: LEI Nº 2.581/2009 DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA DO MUNICÍPIO DE CAETÉ. O Prefeito Municipal de Caeté, Minas Gerais, faz saber que a Câmara Municipal

Leia mais

Art. 1º - Fica reorganizado, nos termos desta Lei, o Quadro de Pessoal Efetivo do Quadro Geral.

Art. 1º - Fica reorganizado, nos termos desta Lei, o Quadro de Pessoal Efetivo do Quadro Geral. LEI Nº, E E 2011 (publicada no OE nº) Reorganiza o Quadro de Pessoal Efetivo do Quadro Geral e dá outras providências O GOVERNOR O ESTO O RIO GRNE O SUL Faço saber, em cumprimento ao disposto no artigo

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº... (Autoria: Poder Executivo) CAPÍTULO I DA CARREIRA

PROJETO DE LEI Nº... (Autoria: Poder Executivo) CAPÍTULO I DA CARREIRA PROJETO DE LEI Nº... (Autoria: Poder Executivo) Dispõe sobre a carreira Assistência à Educação do Distrito Federal e dá outras providências CAPÍTULO I DA CARREIRA Art. 1. Carreira Assistência à Educação

Leia mais

PREFEITURA DE GOIÂNIA

PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 8916, DE 02 DE JUNHO DE 2010. Dispõe sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos dos Servidores do Quadro Permanente da Função Saúde da Administração Pública Municipal

Leia mais

Para efeito desta Lei:

Para efeito desta Lei: LEI ORDINARIA n 39/1993 de 17 de Dezembro de 1993 (Mural 17/12/1993) Estabelece o Plano de carreira do Magistério público do Município, institui o respectivo quadro de cargos e dá outras providências.

Leia mais

Medida Provisória nº de de 2008

Medida Provisória nº de de 2008 Medida Provisória nº de de 008 Dispõe sobre a criação da Gratificação de Desempenho de Atividade de Controle Interno e de Apoio Técnico ao Controle Interno no âmbito das Instituições Federais vinculadas

Leia mais

CÂMARA M UNICIPAL DE M ANAUS

CÂMARA M UNICIPAL DE M ANAUS LEI Nº 1.463, DE 25 DE MAIO DE 2010 (D.O.M. 26.05.2010 N. 2453, Ano XI) CRIA e EXTINGUE cargos no âmbito da Secretaria Municipal de Educação do município de Manaus. O PREFEITO MUNICIPAL DE MANAUS, usando

Leia mais

MUNICÍPIO DE VITÓRIA DA CONQUISTA/BA

MUNICÍPIO DE VITÓRIA DA CONQUISTA/BA Dispõe sobre o Plano de Carreira e Remuneração dos Servidores da Administração Direta, das Autarquias e Fundações Públicas do Município de Vitória da Conquista, e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 6.697-C DE 2009 Dispõe sobre as carreiras dos servidores do Ministério Público da União e as carreiras dos servidores do Conselho Nacional do Ministério Público; fixa valores

Leia mais

Câmara Municipal de Curitiba

Câmara Municipal de Curitiba Câmara Municipal de Curitiba PROPOSIÇÃO N 005.00164.2014 Projeto de Lei Ordinária Redação para 2º turno EMENTA Institui o Plano de Carreira do Profissional do Magistério de Curitiba. CAPÍTULO I DAS DIRETRIZES

Leia mais

As entidades da Bancada Sindical da Saúde do Município de São Paulo vêm propor aos representantes da Secretaria Municipal de Saúde e Secretaria

As entidades da Bancada Sindical da Saúde do Município de São Paulo vêm propor aos representantes da Secretaria Municipal de Saúde e Secretaria As entidades da Bancada Sindical da Saúde do Município de São Paulo vêm propor aos representantes da Secretaria Municipal de Saúde e Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão na Mesa Setorial

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE MINAS GERAIS, no uso de atribuição que lhe confere o inciso VII do art. 90, da Constituição do Estado, DECRETA:

O GOVERNADOR DO ESTADO DE MINAS GERAIS, no uso de atribuição que lhe confere o inciso VII do art. 90, da Constituição do Estado, DECRETA: DECRETO Nº 44.769, de 7 de abril de 2008 Dispõe sobre a promoção por escolaridade adicional do servidor das carreiras dos Grupos de Atividades do Poder Executivo que especifica. O GOVERNADOR DO ESTADO

Leia mais

CAMPANHA SALARIAL 2015 CARREIRA DE REFORMA E DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO LEI 11.090/2005

CAMPANHA SALARIAL 2015 CARREIRA DE REFORMA E DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO LEI 11.090/2005 CAMPANHA SALARIAL 2015 CARREIRA DE REFORMA E DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO LEI 11.090/2005 PENDENCIAS DOS TERMOS DE ACORDO 07 de julho de 2005 Fazer gestões para no menor prazo possível assegurar adoção das

Leia mais

PLANOS DE CARGOS E SALÁRIOS. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado

PLANOS DE CARGOS E SALÁRIOS. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado PLANOS DE CARGOS E SALÁRIOS Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado ESTRUTURA REMUNERATÓRIA BÁSICA PCS dos servidores comissionados PCS dos servidores efetivos (quadro geral) PCS dos servidores do magistério SERVIDORES

Leia mais

PROPOSTA DE PROJETO DE LEI SOBRE O PISO SALARIAL NACIONAL DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO ESCOLAR PÚBLICA

PROPOSTA DE PROJETO DE LEI SOBRE O PISO SALARIAL NACIONAL DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO ESCOLAR PÚBLICA PROPOSTA DE PROJETO DE LEI SOBRE O PISO SALARIAL NACIONAL DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO ESCOLAR PÚBLICA Regulamenta o inciso VIII do artigo 206 da Constituição Federal, para instituir o piso salarial profissional

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BAURU

PREFEITURA MUNICIPAL DE BAURU LEI Nº 5.999, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2.010 P. 42.519/09 Dispõe sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Salário - PCCS, dos servidores específicos da área da educação do município; bem como reenquadra os respectivos

Leia mais

O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Lei 7238 de 30 de Dezembro de 1996 DISPÕE SOBRE O QUADRO ESPECIAL DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE, INSTITUI O PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES DA SAÚDE DA PREFEITURA MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE, ESTABELECE

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 478, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012.

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 478, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012. RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 478, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012. Dispõe sobre concessão de incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no âmbito do Estado do Rio Grande do Norte.

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 10.871, DE 20 DE MAIO DE 2004. Conversão da MPv nº 155, de 2003 Texto compilado Dispõe sobre a criação de carreiras e organização

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GABINETE CIVIL

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GABINETE CIVIL Publicada no DOE Nº 2075, 30-12-05, Págs. 9 á 15 LEI Nº1417, DE 29 DE Dezembro DE 2005. Institui a Carreira dos Profissionais de Saúde do Município de Palmas, dispondo sobre cargos e vencimentos e dá outras

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL DO MUNICÍPIO

DIÁRIO OFICIAL DO MUNICÍPIO DIÁRIO OFICIAL DO MUNICÍPIO Ano XXVI Nº 4493 Uberlândia - MG, segunda-feira, 29 de setembro de 2014. LEI Nº 11.965, DE 26 DE SETEMBRO DE 2014. ATOS DO PODER EXECUTIVO ADMINISTRAÇÃO DIRETA LEIS ORDINÁRIAS

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº XXXX DE XX DE XXXXXX DE 201X ALTERA A LEI Nº 6720, DE 25 DE MARÇO DE 2014, QUE INSTITUI PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E REMUNERAÇÃO DA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Leia mais

Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação - PCCTAE

Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação - PCCTAE Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação - PCCTAE Coordenadoria de Gestão de Pessoas Área de Desenvolvimento de Pessoal Telefone: 3559-1309 / 35591440 Email:adp@proad.ufop.br Lei

Leia mais

Este texto não substitui o original publicado no Diário Oficial, de 25/01/2012

Este texto não substitui o original publicado no Diário Oficial, de 25/01/2012 Este texto não substitui o original publicado no Diário Oficial, de 25/01/2012 LEI Nº 892 DE 25 DE JANEIRO DE 2013 Dispõe sobre a criação do Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações dos Servidores da

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei: Capítulo I Das Disposições Preliminares

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei: Capítulo I Das Disposições Preliminares Cria a Carreira de Saúde Pública da Administração Federal Direta, Autárquica e das Fundações Federais, no âmbito do Ministério da Saúde e suas vinculadas e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Leia mais

Art. 3º Os detentores de cargo de Educador Infantil atuarão exclusivamente na educação infantil.

Art. 3º Os detentores de cargo de Educador Infantil atuarão exclusivamente na educação infantil. LEI Nº 3464/2008 de 20.03.08 DÁ NOVA DENOMINAÇÃO AO CARGO DE MONITOR, INCLUI SEUS OCUPANTES NO PLANO DE CARGOS, CARREIRA E REMUNERAÇÃO DO MAGISTÉRIO MUNICIPAL DE FRANCISCO BELTRÃO, NA ÁREA DE EDUCAÇÃO

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ARAPONGAS ESTADO DO PARANÁ

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ARAPONGAS ESTADO DO PARANÁ 1 LEI Nº 2.879, DE 03 DE ABRIL DE 2002 Dispõe sobre a estruturação do Plano de Cargos e Salários dos Servidores do Município de Arapongas, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE ARAPONGAS, ESTADO

Leia mais

FORTALEZA DIÁRIO OFICIAL DO MUNICÍPIO

FORTALEZA DIÁRIO OFICIAL DO MUNICÍPIO FORTALEZA DIÁRIO OFICIAL DO MUNICÍPIO ANO LV FORTALEZA, 12 DE JULHO DE 2007 Nº 13.613 PODER EXECUTIVO GABINETE DA PREFEITA LEI Nº 9249 DE 10 DE JULHO DE 2007 Institui o Plano de Cargos, Carreiras e Salários

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU R E G I M E N T O G E R A L PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Regimento Geral PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Este texto foi elaborado com as contribuições de um colegiado de representantes da Unidades Técnico-científicas,

Leia mais

ESTADO DO MATO GROSSO DO SUL LEI COMPLEMENTAR N. 057, DE 20 DE OUTUBRO DE 2011

ESTADO DO MATO GROSSO DO SUL LEI COMPLEMENTAR N. 057, DE 20 DE OUTUBRO DE 2011 PREFEITURA MUNICIPAL DE FÁTIMA DO SUL 1 LEI COMPLEMENTAR N. 057, DE 20 DE OUTUBRO DE 2011 Dispõe sobre alterações no Plano de Classificação de Cargos e Vencimentos da Prefeitura Municipal de Fátima do

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 411, DE 08 DE JANEIRO DE 2010.

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 411, DE 08 DE JANEIRO DE 2010. RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 411, DE 08 DE JANEIRO DE 2010. Dispõe sobre a estrutura organizacional do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte e dá outras providências. A GOVERNADORA

Leia mais

RESOLUÇÃO N 002, DE 11 DE OUTUBRO DE 1991, DA CONGREGAÇÃO.

RESOLUÇÃO N 002, DE 11 DE OUTUBRO DE 1991, DA CONGREGAÇÃO. RESOLUÇÃO N 002, DE 11 DE OUTUBRO DE 1991, DA CONGREGAÇÃO. Fixa normas de capacitação para o pessoal técnicoadministrativo. A CONGREGAÇÃO DA FACULDADE DE MEDICINA DO TRIÂNGULO MINEIRO, no uso de suas atribuições

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais;

O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais; LEI Nº 2451 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre o estágio de estudantes junto ao poder público Municipal, suas autarquias e fundações e dá outras providencias. O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado

Leia mais

LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007.

LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007. LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007. Dispõe sobre a criação do Instituto Escola de Governo e Gestão Pública de Ananindeua, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE ANANINDEUA estatui, e eu

Leia mais

LEI N 3.077/2010. A Prefeita do Município de Ibiraçu, Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais e regimentais.

LEI N 3.077/2010. A Prefeita do Município de Ibiraçu, Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais e regimentais. DISPÕE SOBRE A FIXAÇÃO DE PERCENTUAL PARA REVISÃO GERAL ANUAL DOS VENCIMENTOS, REMUNERAÇÕES E SUBSÍDIOS DOS SERVIDORES PÚBLICOS E AGENTES POLÍTICOS DO MUNICÍPIO DE IBIRAÇU, REFERENTES AO EXERCÍCIO DE 2009,

Leia mais

DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARGOS E VENCIMENTOS DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE DA PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARGOS E VENCIMENTOS DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE DA PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI Nº 7867/2010. DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARGOS E VENCIMENTOS DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE DA PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DO SALVADOR, CAPITAL DO ESTADO

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR N.º 63, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2005.

LEI COMPLEMENTAR N.º 63, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2005. LEI COMPLEMENTAR N.º 63, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2005. ALTERA DISPOSITIVOS DA LEI COMPLEMENTAR N.º 45, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2004 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE BARRETOS, ESTADO DE SÃO

Leia mais

LEI Nº 8.690, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2003. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 8.690, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2003. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 8.690, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2003 Institui o Plano de Carreira dos Servidores da Área de Atividades de Administração Geral da Prefeitura de Belo Horizonte, estabelece a respectiva Tabela de Vencimentos

Leia mais

LEI 3.981/91 DE 7 DE JANEIRO DE 1991. O Prefeito Municipal de Natal, Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI 3.981/91 DE 7 DE JANEIRO DE 1991. O Prefeito Municipal de Natal, Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: LEI 3.981/91 DE 7 DE JANEIRO DE 1991 Dispõe sobre o Grupo Ocupacional Fisco e dá outras providencias. O Prefeito Municipal de Natal, Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

Leia mais

ATENÇÃO! OS GRIFOS EM AZUL CORRESPONDEM ÀS NOVAS REDAÇÕES SUGERIDAS PELA APROJUS E/OU ACRÉSCIMOS NO TEXTO ORIGINAL. Capítulo I. Das Disposições Gerais

ATENÇÃO! OS GRIFOS EM AZUL CORRESPONDEM ÀS NOVAS REDAÇÕES SUGERIDAS PELA APROJUS E/OU ACRÉSCIMOS NO TEXTO ORIGINAL. Capítulo I. Das Disposições Gerais Dispõe sobre as Carreiras dos Servidores do Quadro de Pessoal de Provimento Efetivo dos Serviços Auxiliares do Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul, fixa valores de vencimento básico; cria

Leia mais

LEI Nº 21.710, DE 30 DE JUNHO DE

LEI Nº 21.710, DE 30 DE JUNHO DE LEI Nº 21.710, DE 30 DE JUNHO DE 2015. Dispõe sobre a política remuneratória das carreiras do Grupo de Atividades de Educação Básica do Poder Executivo, altera a estrutura da carreira de Professor de Educação

Leia mais

LEI N. 1397/2013, de 03 de dezembro de 2013.

LEI N. 1397/2013, de 03 de dezembro de 2013. LEI N. 1397/2013, de 03 de dezembro de 2013. REESTRUTURA O SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO, O CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE FAZENDA VILANOVA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. PEDRO ANTONIO DORNELLES, PREFEITO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO Nº 5, DE 3 DE AGOSTO DE 2010 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO Nº 5, DE 3 DE AGOSTO DE 2010 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO Nº 5, DE 3 DE AGOSTO DE 2010 (*) Fixa as Diretrizes Nacionais para os Planos de Carreira e Remuneração dos Funcionários

Leia mais

TABELA SALARIAL Outubro de 2009 Fonte: Coordenadoria de Recursos Humanos - Secretaria Estadual da Saúde GRATIFICAÇÕES Salário Base GEA Executiva Geral

TABELA SALARIAL Outubro de 2009 Fonte: Coordenadoria de Recursos Humanos - Secretaria Estadual da Saúde GRATIFICAÇÕES Salário Base GEA Executiva Geral TABELA SALARIAL Outubro de 2009 Fonte: Coordenadoria de Recursos Humanos - Secretaria Estadual da Saúde 674/92 Agente de Saneamento 206,55 326,61 32,00 80,00 645,16 265,00 910,16 674/92 Agente de Saúde

Leia mais

A CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DA BARRA APROVA E EU SANCIONO A SEGUINTE LEI: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E DOS CONCEITOS NORMATIVOS

A CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DA BARRA APROVA E EU SANCIONO A SEGUINTE LEI: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E DOS CONCEITOS NORMATIVOS ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DA BARRA LEI Nº. 209/12, DE 04 DE ABRIL DE 2012. INSTITUI O PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E VENCIMENTOS DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE SÃO

Leia mais

LEI Nº 10.593, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2002

LEI Nº 10.593, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2002 LEI Nº 10.593, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2002 Dispõe sobre a reestruturação da Carreira Auditoria do Tesouro Nacional, que passa a denominar-se Carreira Auditoria da Receita Federal - ARF, e sobre a organização

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES LEI Nº 2.252, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2009. Publicado no Diário Oficial nº 3.039 Institui o Quadro de Servidores Auxiliares da Defensoria Pública do Estado do Tocantins e o respectivo Plano de Cargos, Carreira

Leia mais

SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS RESOLUÇÃO Nº 06/2010

SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS RESOLUÇÃO Nº 06/2010 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS Campus Universitário Viçosa, MG 36570-000 Telefone: (31) 3899-2127 - Fax: (31) 3899-1229 - E-mail: soc@ufv.br RESOLUÇÃO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ÁGUA DOCE DO NORTE ESTADO DO ESPÍRITO SANTO GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA MUNICIPAL DE ÁGUA DOCE DO NORTE ESTADO DO ESPÍRITO SANTO GABINETE DO PREFEITO LEI COMPLEMENTAR Nº 060/1997. INSTITUI O PLANO DE CARREIRA E VENCIMENTOS DO MAGISTÉRIO PÚBLICO MUNICIPAL DE ÁGUA DOCE DO NORTE, ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. O Prefeito Municipal de Água Doce do Norte, Estado

Leia mais

Elaborado por RHUMO CONSULTORIA EMPRESARIAL

Elaborado por RHUMO CONSULTORIA EMPRESARIAL Elaborado por RHUMO CONSULTORIA EMPRESARIAL Página 2 de 14 1 INTRODUÇÃO O Plano de Cargos e Salários do CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DE MINAS GERAIS CRA-MG, cuja última versão data de maio/2014,

Leia mais

PLANO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES INTEGRANTES DO PCCTAE

PLANO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES INTEGRANTES DO PCCTAE PLANO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES INTEGRANTES DO PCCTAE Ministério da Educação Novembro de 2013 1 SUMÁRIO 1. Apresentação 1.1 Introdução 1.2 Base Legal 1.3 Justificativa 2.

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA PROJETO DE LEI Nº Disciplina a admissão de pessoal por prazo determinado no âmbito do Magistério Público Estadual, para atender à necessidade temporária de excepcional interesse público, sob regime administrativo

Leia mais

LEI Nº 10.555 DE 13 DE ABRIL DE 2007

LEI Nº 10.555 DE 13 DE ABRIL DE 2007 LEI Nº 10.555 DE 13 DE ABRIL DE 2007 Altera a Lei nº 8.977, de 12 de janeiro de 2004, que dispõe sobre o Plano de Carreiras e Vencimentos dos Servidores do Poder Judiciário do Estado da Bahia, e dá outras

Leia mais

MÓDULO II PISO SALARIAL PROFISSIONAL NACIONAL

MÓDULO II PISO SALARIAL PROFISSIONAL NACIONAL MÓDULO II PISO SALARIAL PROFISSIONAL NACIONAL LEGISLAÇÃO BÁSICA LEI Nº 11.738, DE 16/07/2008 1 Profissionais têm direito ao piso piso. O art. 1º e o 2º do art. 2º definem quais profissionais têm direito

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE CAMPINA GRANDE, faço saber que a Câmara de Vereadores aprovou e eu sanciono a seguinte, L E I

O PREFEITO MUNICIPAL DE CAMPINA GRANDE, faço saber que a Câmara de Vereadores aprovou e eu sanciono a seguinte, L E I LEI COMPLEMENTAR N.º 065 DE 04 DE ABRIL DE 2012. INSTITUI O PLANO DE CARGOS, CARREIRA E REMUNERAÇÃO DOS SERVIDORES OCUPANTES DO CARGO DE ENGENHEIRO E ARQUITETO DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA DO MUNICÍPIO DE CAMPINA

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VÁRZEA PAULISTA ESTADO DE SÃO PAULO

PREFEITURA MUNICIPAL DE VÁRZEA PAULISTA ESTADO DE SÃO PAULO ESTADO DE SÃO PAULO ÍNDICE TÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO II DA COMPOSIÇÃO DO QUADRO DE PESSOAL TÍTULO II DOS CARGOS E EMPREGOS EFETIVOS CAPÍTULO I DAS ATRIBUIÇÕES

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE CORRENTE, ESTADO DO PIAUÍ, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 55, 2º, I, da Lei Orgânica do Município,

O PREFEITO MUNICIPAL DE CORRENTE, ESTADO DO PIAUÍ, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 55, 2º, I, da Lei Orgânica do Município, LEI ORDINÁRIA Nº 564/2014, DE 13 DE MARÇO DE 2014 Amplia o quadro de pessoal efetivo da Prefeitura, define atribuições e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE CORRENTE, ESTADO DO PIAUÍ, no uso

Leia mais