CEP -CENTRO DE ESTUDOS PSICANALÍTICOS. Curso de Formação em Pasicanálise. Ciclo IV 3ª Noite

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CEP -CENTRO DE ESTUDOS PSICANALÍTICOS. Curso de Formação em Pasicanálise. Ciclo IV 3ª Noite"

Transcrição

1 CEP -CENTRO DE ESTUDOS PSICANALÍTICOS Curso de Formação em Pasicanálise Ciclo IV 3ª Noite O atravessamento da Psicanálise em meu cotidiano Nathália Miyuki Yamasaki 2014

2 Chego para análise e me ponho a falar, falar e falar, como de costume, quando meu analista me coloca uma questão. Ia começar nessa repetição de falar novamente, de formular teorias e de ter a resposta na ponta da língua, quando nesse segundo momento ele se direciona à porta e pede que eu volte na semana que vem. Não diria que não tinha nada a dizer com todo esse blá, blá, blá, mas acho que justamente era no que não era dito, o que era escondido pelas palavras, que ali está ou estava o que tinha para dizer. Será esse meu sintoma? Sintoma esse que vem por uma compulsão por repetição, nas minhas ações do dia a dia, que se reedita na cena transferencial? O que aconteceu? O que foi isso que realmente me deixou com uma questão? O que foi isso que me deixou sem palavras, literalmente, e que me fez pensar em coisas que nem havia pensado? Qual foi o manejo transferencial e a repercussão disso no meu processo analítico? Em Recordar, repetir e elaborar (1914), Freud fala de pacientes que ao invés de recordarem o esquecido e o recalcado, eles o atuam. Não reproduzem o esquecido como uma lembrança, mas reproduzem no ato, sem saber que assim o fazem. Sendo isso o que Freud chamou de compulsão por repetição e sendo essa compulsão um modo de recordar. Ainda no mesmo texto fala da relação dessa compulsão de repetição com a transferência e as resistências. Fala que na trasnferência repete esse sintoma e que tais repetições não ocorrem tão somente na análise com o analista, mas são percebidas e vividas nos demais relacionamentos e nas atividades cotidianas. Fala ainda que quanto maior a resistência, maior será a atuação, maior será o recordar em forma de atos. Caberia ao analista o manejo dessa compulsão pela transferência. Caberia ao analista

3 transformar o recordar por atos em recordar por lembranças. Qual o papel do analista? O que é isso que tenho chamado de manejo da e na transferência? No evento com Antônio Quinet, No princípio era o ato, ele falou justamente do analista e de sua posição na transferência. Fala do analista como quem dirige o tratamento, não o paciente. Dirige o tratamento no sentido da declaração do desejo do paciente. Coloca uma questão para o analisante. Traz para cena analítica de forma enigmática o enigma que é do analisante e cabe a esse último, decifrar. A interpretação do analista não deveria ser uma resposta à demanda do analisante, se assim o for, não há lugar para o sujeito do inconsciente e do desejo aparecer. Quando há um tamponamento da demanda, não há o aparecimento do sujeito. Penso que é disso que Calligaris em Introdução à uma clínica diferencial das Psicoses fala, do analista não estar no lugar de um par imaginário para analisante. Ser um par imaginário, acredito eu que é ser aquele que se identifica com o analisante e que responde do mesmo lugar, não o implicando com sua questão, com seu desejo e sua falta. Para não responder desse lugar de identificação e de par imaginário, é necessário que o analista se destitua enquanto sujeito, pagando como diz Quinet com o cerne do seu ser. O analista ali não existe como pessoa e como sujeito e deveria se abster de compreender, ficando assim atento para aparição do sujeito. E, para o analisante, não sendo colocado uma resposta à sua demanda, o sujeito do inconsciente vai emergindo e vai caminhando mais em direção ao seu próprio desejo. Já nascemos atrelados e marcados pelo desejo do Outro e na análise vamos em direção a essa separação. Logicamente como Calligaris, não acredito que haja um completo estado de autonomia, algumas marcas do desejo do Outro em nossas vidas permanecem,

4 mas acredito que a análise permite ir para além do conhecimento de nós mesmos, possibilita que possamos empreender numa construção, no processo analítico, do tentar nos tornar aquilo que já somos, ou seja tentar fazer nosso aquilo que já somos (Zeferino Rocha). Permite que saiamos do lugar de alienação total ao Outro. Quinet falando de Lacan, fala que para o analisante poder ocupar o lugar e a posição de analista é preciso que chegue, por meio de sua própria análise, nesse processo de destituição subjetiva. Seria o que Lacan chamou do desejo do analista, poder chegar em sua própria análise, nesse não-lugar, no ponto que o Outro te falta, lugar de solidão absoluta, lugar sem o Outro, lugar de desalienação. O que caracteriza o desejo do analista é esse real, esse vazio. E assim, quando o analisante chega nesse não-lugar, pode querer fazer da sua causa a causa da Psicanálise, indo para a posição de analista. Esses questionamentos que parecem não ter nenhum nexo e nenhuma coerência lógica estão me atravessando intensamente nesse momento. O que é, enfim, a análise? O que vivo no meu processo de analise? O que acho que falta para eu ser uma analista? Existe um ideal de análise? Ou mesmo um analista ideal? O quanto esses questionamentos têm a ver com meu próprio sintoma? O quanto tais questionamentos estão permeados pela busca por um ideal de ego? Penso que por mais ilogico que pareça inicialmente todas essas questões, elas de alguma forma estão articuladas. Me parece que nesse momento, estou tão tomada pelas minhas questões de análise que fica difícil pensar em teoria psicanalítica sem deixar transbordar meu próprio processo analítico. Não consigo articulá-las nesse momento, e o que fiz nesse trabalho foi o que foi possível diante do caos e da incoerência do meu inconsciente. O que foi possível também diante do processo analítico que me atravessa,

5 seja pela curso de formação, seja pela minha própria análise. Acho que o trabalho vai me abrindo para mais questões e o termino com muito mais questões do que quando tentei iniciá-lo. Talvez como no processo de análise, vou entender o que se passou e qual o significado disso tudo apréss-coup.

6 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CALLIGARIS, C. Introdução à uma clínica diferencial das Psicoses. São Paulo: Zagodoni, FREUD, S. (1914). Recordar, repetir e elaborar. In: FREUD, S. Observações Psicanalíticas sobre um caso de paranóia relatado em autobiografia ( O caso Schreber ), Artigos sobre a técnica e outros textos. São Paulo: Companhia das Letras, Evento: No princípio era o ato, com Antônio Quinet, realizado no dia 18/10/14, na Livraria Cultura. ROCHA, Z. A experiência psicanalítica: seus desafios e vicissitudes, hoje e amanhã. Ágora (Rio J.) [online]. 2008, vol.11, n.1

ANALISTAS E ANALISANDOS PRECISAM SE ACEITAR: REFLEXÕES SOBRE AS ENTREVISTAS PRELIMINARES

ANALISTAS E ANALISANDOS PRECISAM SE ACEITAR: REFLEXÕES SOBRE AS ENTREVISTAS PRELIMINARES ANALISTAS E ANALISANDOS PRECISAM SE ACEITAR: REFLEXÕES SOBRE AS ENTREVISTAS PRELIMINARES 2014 Matheus Henrique de Souza Silva Psicólogo pela Faculdade Pitágoras de Ipatinga-MG. Especializando em Clínica

Leia mais

A OPERAÇÃO DO DISCURSO ANALÍTICO

A OPERAÇÃO DO DISCURSO ANALÍTICO A OPERAÇÃO DO DISCURSO ANALÍTICO Este trabalho é um recorte do projeto de iniciação científica (PIBIC) Estruturas Clínicas e Discurso: a neurose, no qual trabalhamos o texto do Seminário XVII: O Avesso

Leia mais

Referências Bibliográficas

Referências Bibliográficas 98 Referências Bibliográficas ALBERTI, S. Esse Sujeito Adolescente. Rio de Janeiro: Rios Ambiciosos, 1999. APOLINÁRIO, C. Acting out e passagem ao ato: entre o ato e a enunciação. In: Revista Marraio.

Leia mais

CEP CENTRO DE ESTUDOS PSICANALÍTICOS

CEP CENTRO DE ESTUDOS PSICANALÍTICOS CEP CENTRO DE ESTUDOS PSICANALÍTICOS As pulsões e suas repetições. Luiz Augusto Mardegan Ciclo V - 4ª feira manhã São Paulo, maio de 2015. Neste trabalho do ciclo V apresentamos as análises de Freud sobre

Leia mais

FREUD E LACAN NA CLÍNICA DE 2009

FREUD E LACAN NA CLÍNICA DE 2009 FREUD E LACAN NA CLÍNICA DE 2009 APRESENTAÇÃO O Corpo de Formação em Psicanálise do Instituto da Psicanálise Lacaniana- IPLA trabalhará neste ano de 2009 a atualidade clínica dos quatro conceitos fundamentais

Leia mais

AMOR DE TRANSFERÊNCIA E A QUESTÃO DA CURA NA CLÍNICA PSICANALÍTICA

AMOR DE TRANSFERÊNCIA E A QUESTÃO DA CURA NA CLÍNICA PSICANALÍTICA AMOR DE TRANSFERÊNCIA E A QUESTÃO DA CURA NA CLÍNICA PSICANALÍTICA (2006) Virgínia Ferreira Universidade Católica de Petróplois UCP (Brasil) Contactos: virginia-ferreira@uol.com.br RESUMO O presente artigo

Leia mais

Sofrimento e dor no autismo: quem sente?

Sofrimento e dor no autismo: quem sente? Sofrimento e dor no autismo: quem sente? BORGES, Bianca Stoppa Universidade Veiga de Almeida-RJ biasborges@globo.com Resumo Este trabalho pretende discutir a relação do autista com seu corpo, frente à

Leia mais

Componente Curricular: Psicoterapia I Psicanálise Professor(a): Dalmir Lopes Período: 8º TURNO: Noturno Ano:

Componente Curricular: Psicoterapia I Psicanálise Professor(a): Dalmir Lopes Período: 8º TURNO: Noturno Ano: CRÉDITOS Componente Curricular: Psicoterapia I Psicanálise Professor(a): Dalmir Lopes Período: 8º TURNO: Noturno Ano: 2015.2 TOTAL DE AULAS(h/a) CARGA HORÁRIA ATIVIDADES EM ESPAÇOS DIVERSIFICADOS CARGA

Leia mais

Componente Curricular: Psicoterapia I Psicanálise Professor(a): Dalmir Peira Lopes Período: 8º TURNO: Matutino Ano:

Componente Curricular: Psicoterapia I Psicanálise Professor(a): Dalmir Peira Lopes Período: 8º TURNO: Matutino Ano: CRÉDITOS Componente Curricular: Psicoterapia I Psicanálise Professor(a): Dalmir Peira Lopes Período: 8º TURNO: Matutino Ano: 2015.2 TOTAL DE AULAS(h/a) CARGA HORÁRIA ATIVIDADES EM ESPAÇOS DIVERSIFICADOS

Leia mais

O Psicótico: aspectos da personalidade David Rosenfeld Sob a ótica da Teoria das Relações Objetais da Escola Inglesa de Psicanálise. Expandiu o entend

O Psicótico: aspectos da personalidade David Rosenfeld Sob a ótica da Teoria das Relações Objetais da Escola Inglesa de Psicanálise. Expandiu o entend A CLÍNICA DA PSICOSE Profª Ms Sandra Diamante Dezembro - 2013 1 O Psicótico: aspectos da personalidade David Rosenfeld Sob a ótica da Teoria das Relações Objetais da Escola Inglesa de Psicanálise. Expandiu

Leia mais

PETRI, R. Psicanálise e educação no tratamento da psicose infantil: quatro experiências institucionais. São Paulo, SP: Annablume, 2003

PETRI, R. Psicanálise e educação no tratamento da psicose infantil: quatro experiências institucionais. São Paulo, SP: Annablume, 2003 PETRI, R. Psicanálise e educação no tratamento da psicose infantil: quatro experiências institucionais São Paulo, SP: Annablume, 2003 Marise Bartolozzi B astos Eis um trabalho que traz uma importante contribuição

Leia mais

5 Referências bibliográficas

5 Referências bibliográficas 82 5 Referências bibliográficas BAKER, L. R. Attitudes in Action. Separata de: LECLERC, A.; QUEIROZ, G.; WRIGLEY, M. B. Proceedings of the Third International Colloquium in Philosophy of Mind. Manuscrito

Leia mais

A ESSÊNCIA DA TEORIA PSICANALÍTICA É UM DISCURSO SEM FALA, MAS SERÁ ELA SEM ESCRITA?

A ESSÊNCIA DA TEORIA PSICANALÍTICA É UM DISCURSO SEM FALA, MAS SERÁ ELA SEM ESCRITA? A ESSÊNCIA DA TEORIA PSICANALÍTICA É UM DISCURSO SEM FALA, MAS SERÁ ELA SEM ESCRITA? Maurício Eugênio Maliska Estamos em Paris, novembro de 1968, Lacan está para começar seu décimo sexto seminário. Momento

Leia mais

QUE AMOR NA TRANSFERÊNCIA? Ana Paula de Aguiar Barcellos 1

QUE AMOR NA TRANSFERÊNCIA? Ana Paula de Aguiar Barcellos 1 QUE AMOR NA TRANSFERÊNCIA? Ana Paula de Aguiar Barcellos 1 Na descoberta do inconsciente Freud apontou que a transferência é um fenômeno espontâneo que adquire status de conceito na psicanálise. Ela é

Leia mais

Entrevista com Taciana Mafra Revista Antígona, Na sua opinião, como se dá a formação de um psicanalista?

Entrevista com Taciana Mafra Revista Antígona, Na sua opinião, como se dá a formação de um psicanalista? Entrevista com Taciana Mafra Taciana de Melo Mafra - Psicanalista, membro fundadora do Toro de Psicanálise em Maceió, editora da Revista Antígona, autora dos livros Um Percurso em Psicanálise com Lacan,

Leia mais

Curso de Extensão: LEITURAS DIRIGIDAS DA OBRA DE JACQUES LACAN/2014

Curso de Extensão: LEITURAS DIRIGIDAS DA OBRA DE JACQUES LACAN/2014 Curso de Extensão: LEITURAS DIRIGIDAS DA OBRA DE JACQUES LACAN/2014 Prof. Dr. Mario Eduardo Costa Pereira PROGRAMA - Io. SEMESTRE Março/2014 14/03/2014 CONFERÊNCIA INAUGURAL : Contextualização do seminário

Leia mais

O estudo teórico na formação do psicanalista Uma lógica que não é a da. identificação 1

O estudo teórico na formação do psicanalista Uma lógica que não é a da. identificação 1 O estudo teórico na formação do psicanalista Uma lógica que não é a da Arlete Mourão 2 identificação 1 Na formação do analista, o lugar e a função do estudo da psicanálise são conseqüências lógicas da

Leia mais

CENTRO DE ESTUDOS PSICANALÍTICOS

CENTRO DE ESTUDOS PSICANALÍTICOS CENTRO DE ESTUDOS PSICANALÍTICOS ANTES DE TUDO, O AMOR: CONSIDERAÇÕES SOBRE A TRANSFERÊNCIA EM FREUD E LACAN. Cláudia Sampaio Barral Ciclo V quarta feira/manhã São Paulo 2013 1 A primeira aparição do termo

Leia mais

7 Referências Bibliográficas

7 Referências Bibliográficas 81 7 Referências Bibliográficas ARRIVÉ, M. Linguagem e psicanálise: lingüística e inconsciente. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 1999. BAUMAN, Z. Vida líquida. (2009). Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2009.

Leia mais

MULHERES MASTECTOMIZADAS: UM OLHAR PSICANALÍTICO. Sara Guimarães Nunes 1

MULHERES MASTECTOMIZADAS: UM OLHAR PSICANALÍTICO. Sara Guimarães Nunes 1 MULHERES MASTECTOMIZADAS: UM OLHAR PSICANALÍTICO Sara Guimarães Nunes 1 1. Aluna Especial do Mestrado em Psicologia 2016.1, da Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Tipo de Apresentação: Comunicação

Leia mais

NOME DO PAI E REAL. Jacques Laberge 1

NOME DO PAI E REAL. Jacques Laberge 1 NOME DO PAI E REAL Jacques Laberge 1 Na época em que estava proferindo seu Seminário As formações do inconsciente, Lacan retomou pontos de seu Seminário III, As psicoses em De uma questão preliminar a

Leia mais

As Implicações do Co Leito entre Pais e Filhos para a Resolução do Complexo de Édipo. Sandra Freiberger

As Implicações do Co Leito entre Pais e Filhos para a Resolução do Complexo de Édipo. Sandra Freiberger As Implicações do Co Leito entre Pais e Filhos para a Resolução do Complexo de Édipo Sandra Freiberger Porto Alegre, 2017 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PSICOLOGIA CURSO: INTERVENÇÃO

Leia mais

PSICOLOGIA. Questão nº 1. Padrão de Resposta Esperado:

PSICOLOGIA. Questão nº 1. Padrão de Resposta Esperado: Questão nº 1 Significado da perspectiva sócio-histórica Compreensão do ser humano como historicamente construído, agente e construtor da história e cultura em que vive, e com as quais interage dialeticamente,

Leia mais

A POSIÇÃO DO TERAPEUTA NA DIREÇÃO DO TRATAMENTO 1. Tassia Theves 2.

A POSIÇÃO DO TERAPEUTA NA DIREÇÃO DO TRATAMENTO 1. Tassia Theves 2. A POSIÇÃO DO TERAPEUTA NA DIREÇÃO DO TRATAMENTO 1 Tassia Theves 2. 1 Artigo realizado no curso de psicologia da Unijuí 2 Acadêmica de psicologia na Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande

Leia mais

LATINOAMERICANA DE PSICOPATOLOGIA. Rev. Latinoam. Psicopat. Fund., São Paulo, v. 11, n. 4, p , dezembro 2008

LATINOAMERICANA DE PSICOPATOLOGIA. Rev. Latinoam. Psicopat. Fund., São Paulo, v. 11, n. 4, p , dezembro 2008 Narcisismos Oscar M. Miguelez São Paulo: Escuta, 2007, 156 págs. João Ezequiel Grecco 688 Os escritos de Freud conferiram amplas dimensões e profundidade à psicanálise. É inegável que a forma, o estilo

Leia mais

O PSICANALISTA SÓ SE AUTORIZA DE SI MESMO. O analista só se autoriza de si mesmo, isso é óbvio (...) Aquilo que ele

O PSICANALISTA SÓ SE AUTORIZA DE SI MESMO. O analista só se autoriza de si mesmo, isso é óbvio (...) Aquilo que ele O PSICANALISTA SÓ SE AUTORIZA DE SI MESMO Inicio com três citações de Lacan: O analista só se autoriza de si mesmo, isso é óbvio (...) Aquilo que ele tem de cuidar é que, a autorizar-se por si mesmo, haja

Leia mais

REMEDIAR PARA ELABORAR Djalma Sant Anna 1. Unitermos: Psiquiatria Psicanálise Medicação Sujeito em crise

REMEDIAR PARA ELABORAR Djalma Sant Anna 1. Unitermos: Psiquiatria Psicanálise Medicação Sujeito em crise REMEDIAR PARA ELABORAR Djalma Sant Anna 1 Unitermos: Psiquiatria Psicanálise Medicação Sujeito em crise Resumo: O trabalho pretende abordar a possível relação suplementar entre a Psiquiatria e a Psicanálise.

Leia mais

PSICANÁLISE COM CRIANÇAS: TRANSFERÊNCIA E ENTRADA EM ANÁLISE. psicanálise com crianças, sustentam um tempo lógico, o tempo do inconsciente de fazer

PSICANÁLISE COM CRIANÇAS: TRANSFERÊNCIA E ENTRADA EM ANÁLISE. psicanálise com crianças, sustentam um tempo lógico, o tempo do inconsciente de fazer PSICANÁLISE COM CRIANÇAS: TRANSFERÊNCIA E ENTRADA EM ANÁLISE Pauleska Asevedo Nobrega Assim como na Psicanálise com adultos, as entrevistas preliminares na psicanálise com crianças, sustentam um tempo

Leia mais

3) Interrogações sobre a Ética da Psicanálise na Clínica com Pacientes Psicóticos.

3) Interrogações sobre a Ética da Psicanálise na Clínica com Pacientes Psicóticos. 3) Interrogações sobre a Ética da Psicanálise na Clínica com Pacientes Psicóticos. Yzabelle dos Anjos Almeida (IP-UERJ), Rita Maria Manso de Barros (IP-UERJ) Resumo: Este trabalho pretende tratar da ética

Leia mais

O DESENVOLVIMENTO HUMANO SOB A PERSPECTIVA DE BION E WINNICOTT

O DESENVOLVIMENTO HUMANO SOB A PERSPECTIVA DE BION E WINNICOTT O DESENVOLVIMENTO HUMANO SOB A PERSPECTIVA DE BION E WINNICOTT Carla Maria Lima Braga Inicio a minha fala agradecendo o convite e me sentindo honrada de poder estar aqui nesta mesa com o Prof. Rezende

Leia mais

6. Conclusão. Contingência da Linguagem em Richard Rorty, seção 1.2).

6. Conclusão. Contingência da Linguagem em Richard Rorty, seção 1.2). 6. Conclusão A escolha de tratar neste trabalho da concepção de Rorty sobre a contingência está relacionada ao fato de que o tema perpassa importantes questões da reflexão filosófica, e nos permite termos

Leia mais

Entretantos, 2014 LACAN COMENTÁRIO DO TEXTO: A DIREÇÃO DO TRATAMENTO E OS PRINCÍPIOS DO SEU

Entretantos, 2014 LACAN COMENTÁRIO DO TEXTO: A DIREÇÃO DO TRATAMENTO E OS PRINCÍPIOS DO SEU Entretantos, 2014 Grupo: DE LEITURA: CASOS CLÍNICOS DE FREUD ACOMPANHADOS DE COMENTÁRIOS DE LACAN Integrantes: Ana Maria Leal, Célia Cristina Marcos Klouri, Claudia Justi Monti Schonberger, Cristina Petry,

Leia mais

Repetição, com Estilo 1.

Repetição, com Estilo 1. O artista é aquele que saiu da trincheira e não cedeu quanto à sua marca diferencial. (Jorge Forbes) Repetição, com Estilo 1. Repetição e o Artista Raymond Queneau, escritor francês, contemporâneo de Lacan,

Leia mais

COMENTÁRIOS SOBRE A DIREÇÃO DA CURA 1. Muito foi dito, durante esta semana, sobre a ética e a direção da cura, textos

COMENTÁRIOS SOBRE A DIREÇÃO DA CURA 1. Muito foi dito, durante esta semana, sobre a ética e a direção da cura, textos COMENTÁRIOS SOBRE A DIREÇÃO DA CURA 1 Alejandro Luis Viviani 2 Muito foi dito, durante esta semana, sobre a ética e a direção da cura, textos importantes na obra de Lacan; falar deles implica fazer uma

Leia mais

O Tempo em Análise!!!

O Tempo em Análise!!! O Tempo em Análise!!! O tempo é um tema que vem há vários anos sendo debatido como um tópico polêmico e controvertido dentro da Psicologia e sobretudo dentro da Psicanálise. Ele versa não só sobre a duração

Leia mais

Um rastro no mundo: as voltas da demanda 1

Um rastro no mundo: as voltas da demanda 1 Um rastro no mundo: as voltas da demanda 1 Maria Lia Avelar da Fonte 2 1 Trabalho apresentado no Simpósio de Intersecção Psicanalítica do Brasil. Brasília, 2006. Trabalho Publicado no livro As identificações

Leia mais

O CARTEL FAZ ESCOLA. Em 2004, no final de seu texto denominado Por uma Escola do Cartel (in Em

O CARTEL FAZ ESCOLA. Em 2004, no final de seu texto denominado Por uma Escola do Cartel (in Em O CARTEL FAZ ESCOLA Em 2004, no final de seu texto denominado Por uma Escola do Cartel (in Em torno do Cartel, org. por Barbara Guatimosin), Rithé Cevasco coloca a seguinte questão: saberemos fazer uso

Leia mais

INVESTIGAÇÃO EM PSICANÁLISE NA UNIVERSIDADE

INVESTIGAÇÃO EM PSICANÁLISE NA UNIVERSIDADE INVESTIGAÇÃO EM PSICANÁLISE NA UNIVERSIDADE Gilberto Safra 1 Instituto de Psicologia USP E ste evento surge no momento em que o Departamento de Psicologia Clínica do Instituto de Psicologia da Universidade

Leia mais

Latusa digital N 10 ano 1 outubro de 2004

Latusa digital N 10 ano 1 outubro de 2004 Latusa digital N 10 ano 1 outubro de 2004 Política do medo versus política lacaniana Mirta Zbrun* Há três sentidos possíveis para entender a política lacaniana 1. Em primeiro lugar, o sentido da política

Leia mais

O MANEJO DA ANGÚSTIA NA CLÍNICA PSICANALÍTICA. algo árduo, doloroso, angustiante? Isto se torna paradoxal se considerarmos que as

O MANEJO DA ANGÚSTIA NA CLÍNICA PSICANALÍTICA. algo árduo, doloroso, angustiante? Isto se torna paradoxal se considerarmos que as O MANEJO DA ANGÚSTIA NA CLÍNICA PSICANALÍTICA Sentir o que o sujeito pode suportar de angústia os põe [os analistas] à prova a todo instante. (J. Lacan) Quantos de nós já ouvimos falar ou mesmo já dissemos

Leia mais

Referências bibliográficas

Referências bibliográficas Referências bibliográficas BEZERRIL, C. (relatora). Imagens da letra. Opção Lacaniana Revista Brasileira Internacional de Psicanálise, n. 41, 2004. COTTET, S. La belle inertie. Note sur la depression en

Leia mais

Dois cubos e um analista: figuras do objeto segundo Tania Rivera ou a questão do sujeito na arte contemporânea. Cláudio Oliveira

Dois cubos e um analista: figuras do objeto segundo Tania Rivera ou a questão do sujeito na arte contemporânea. Cláudio Oliveira Viso Cadernos de estética aplicada Revista eletrônica de estética ISSN 1981-4062 Nº 15, 2014 http://www.revistaviso.com.br/ Dois cubos e um analista: figuras do objeto segundo Tania Rivera ou a questão

Leia mais

Porquê estudar Psicologia?

Porquê estudar Psicologia? INTRODUÇÃO A PSICOLOGIA Objetivos Definir o objeto de estudo da Psicologia Descrever a trajetória historica da psicologia para a compreensão de sua utilização no contexto atual Entender a Psicologia Organizacional

Leia mais

O trabalho com os pais na análise de crianças

O trabalho com os pais na análise de crianças O trabalho com os pais na análise de crianças Isabel Napolitani * Resumo O objetivo desta investigação é circunscrever o que há no laço entre pais e filhos no âmbito analítico e, a partir dessa delimitação,

Leia mais

De Descartes a Lacan: a questão sujeito na psicanálise

De Descartes a Lacan: a questão sujeito na psicanálise De Descartes a Lacan: a questão sujeito na psicanálise Joana Souza Psicanalista. Mestranda do Programa de Pós-graduação em Psicanálise da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Especialização

Leia mais

OS TRABALHOS ARTÍSTICOS NÃO SÃO PRODUTOS DO INCONSCIENTE 1

OS TRABALHOS ARTÍSTICOS NÃO SÃO PRODUTOS DO INCONSCIENTE 1 OS TRABALHOS ARTÍSTICOS NÃO SÃO PRODUTOS DO INCONSCIENTE 1 (Pontuações do livro de Collete Soler A Psicanálise na Civilização ) Sonia Coelho 2 Lendo essa afirmativa Os trabalhos artísticos não são produtos

Leia mais

UM PSICANALISTA NO HOSPITAL GERAL

UM PSICANALISTA NO HOSPITAL GERAL UM PSICANALISTA NO HOSPITAL GERAL Áreas de atuação: Psiquiatria de Ligação não vou abordar (platéia de psicólogos) Psicologia Hospitalar Futuro é a união Psicologia Médica UM PSICANALISTA NO HOSPITAL GERAL

Leia mais

PERGUNTANDO A LACAN: TEM INCONSCIENTE NAS PSICOSES?

PERGUNTANDO A LACAN: TEM INCONSCIENTE NAS PSICOSES? PERGUNTANDO A LACAN: TEM INCONSCIENTE NAS PSICOSES? Sonia Coelho 1 Durante um longo tempo, acreditei que o conceito de inconsciente não cabia em se tratando de Psicose. Fiz algumas leituras do Seminário

Leia mais

ABORDAGEM JUNGUIANA PSICOLOGIA CURSO DE

ABORDAGEM JUNGUIANA PSICOLOGIA CURSO DE CURSO DE PSICOLOGIA ABORDAGEM Torne se uma Analista Junguiano, empreendendo na jornada mais importante da sua vida, a sua jornada pessoal, a busca da compreensão de si mesmo, uma vivencia profunda, um

Leia mais

TRADUZIR-SE. "Uma parte de mim é todo mundo. Outra parte é ninguém,fundo sem fundo. Uma parte de mim é multidão. Outra parte estranheza e solidão.

TRADUZIR-SE. Uma parte de mim é todo mundo. Outra parte é ninguém,fundo sem fundo. Uma parte de mim é multidão. Outra parte estranheza e solidão. TRADUZIR-SE Valéria Codato Antonio Silva Inicio a apresentação de hoje com este poema homônimo de Ferreira Gullar, que, para mim, retrata o que somos : sujeitos cindidos, tendo portanto uma porção inconsciente,

Leia mais

Latusa digital ano 2 N 13 abril de 2005

Latusa digital ano 2 N 13 abril de 2005 Latusa digital ano 2 N 13 abril de 2005 A clínica do sintoma em Freud e em Lacan Ângela Batista * O sintoma é um conceito que nos remete à clínica, assim como ao nascimento da psicanálise. Freud o investiga

Leia mais

Altos da Serra - Capítulo Altos da Serra. Novela de Fernando de Oliveira. Escrita por Fernando de Oliveira. Personagens deste Capítulo

Altos da Serra - Capítulo Altos da Serra. Novela de Fernando de Oliveira. Escrita por Fernando de Oliveira. Personagens deste Capítulo Altos da Serra - Capítulo 09 1 Altos da Serra Novela de Fernando de Oliveira Escrita por Fernando de Oliveira Personagens deste Capítulo Altos da Serra - Capítulo 09 2 CENA 01. DELEGACIA INT. / NOITE Sargento

Leia mais

A INCOMPREENSÃO DA MATEMÁTICA É UM SINTOMA?

A INCOMPREENSÃO DA MATEMÁTICA É UM SINTOMA? A INCOMPREENSÃO DA MATEMÁTICA É UM SINTOMA? ROSELI MARIA RODELLA DE OLIVEIRA rrodella@gmail.com A proposta deste trabalho é explicar o sintoma de incompreensão da matemática. Ela está inspirada em uma

Leia mais

FORMULAÇÕES FREUDIANAS SOBRE A EXPERIÊNCIA DO INCONSCIENTE PARA O PSICANALISTA EM FORMAÇÃO

FORMULAÇÕES FREUDIANAS SOBRE A EXPERIÊNCIA DO INCONSCIENTE PARA O PSICANALISTA EM FORMAÇÃO FORMULAÇÕES FREUDIANAS SOBRE A EXPERIÊNCIA DO INCONSCIENTE PARA O PSICANALISTA EM FORMAÇÃO Marcus Kleredis Monteiro Vieira O presente trabalho resulta da pesquisa realizada no Programa de Mestrado em Psicologia

Leia mais

A REPETIÇÃO NO CAMPO CLÍNICO

A REPETIÇÃO NO CAMPO CLÍNICO A REPETIÇÃO NO CAMPO CLÍNICO Maria Teresa de Oliveira Mirás Psicóloga Virgínia da Silva Ferreira Psicóloga / Psicanalista Email: virferreira16@gmail.com RESUMO O presente artigo tem o propósito de discutir

Leia mais

Essa data sempre será inesquecível. Seis de Março, 2016

Essa data sempre será inesquecível. Seis de Março, 2016 Essa data sempre será inesquecível. Seis de Março, 2016 Digamos onde acordou tudo alegre e assim permaneceu. Acho completamente impossível tentar descrever nas palavras o sentimento que sinto aqui dentro

Leia mais

CENTRO DE ESTUDOS PSICANALÍTICOS

CENTRO DE ESTUDOS PSICANALÍTICOS CENTRO DE ESTUDOS PSICANALÍTICOS Escutar a estrutura uma condição para a direção do tratamento FELIPE DE LIMA FAGUNDES CICLO IV 4 a -feira à noite - São Paulo - A função paterna é um lugar que se constitui

Leia mais

Do fenômeno ao sintoma: impasses e possibilidades na escuta do sujeito na instituição. Claudia Escórcio Gurgel do Amaral Pitanga Doris Rinaldi

Do fenômeno ao sintoma: impasses e possibilidades na escuta do sujeito na instituição. Claudia Escórcio Gurgel do Amaral Pitanga Doris Rinaldi Do fenômeno ao sintoma: impasses e possibilidades na escuta do sujeito na instituição Claudia Escórcio Gurgel do Amaral Pitanga Doris Rinaldi O presente trabalho tem a intenção de discutir os impasses

Leia mais

Fonoaudiologia e Psicanálise: Interlocuções Clínicas - Limites e Possibilidades

Fonoaudiologia e Psicanálise: Interlocuções Clínicas - Limites e Possibilidades Fonoaudiologia e Psicanálise: Interlocuções Clínicas - Limites e Possibilidades Christian Ingo Lenz Dunker 1. A Formação da Clínica Fonoaudiológica Fonoaudiologia e psicanálise são duas atividades que

Leia mais

O MANEJO DOS SONHOS NA PSICOTERAPIA PSICANALÍTICA

O MANEJO DOS SONHOS NA PSICOTERAPIA PSICANALÍTICA O MANEJO DOS SONHOS NA PSICOTERAPIA PSICANALÍTICA BISSOLI, Sidney da Silva Pereira Faculda Ciências da Saú FASU / ACEG Prefeitura Municipal SP Mestrando em Filosofia da Psicanálise UFSCar RESUMO Este trabalho

Leia mais

Latusa digital ano 2 N 13 abril de 2005

Latusa digital ano 2 N 13 abril de 2005 Latusa digital ano 2 N 13 abril de 2005 A transferência e o gozo mudo do sintoma Maria do Rosário Collier do Rêgo Barros * O ponto de partida de minha questão é a dimensão da transferência que não se apóia

Leia mais

DESEJO DE ANALISTA. Ana Lúcia Bastos Falcão 1. O x da questão

DESEJO DE ANALISTA. Ana Lúcia Bastos Falcão 1. O x da questão DESEJO DE ANALISTA Ana Lúcia Bastos Falcão 1 O x da questão O desejo do analista sempre acompanhado de uma questão é o próprio x da questão. Tratando-se de escolha de profissão, carreira... O importante

Leia mais

Título: O lugar do analista enquanto suporte dos processos introjetivos Autor: Ricardo Salztrager

Título: O lugar do analista enquanto suporte dos processos introjetivos Autor: Ricardo Salztrager 1 Título: O lugar do analista enquanto suporte dos processos introjetivos Autor: Ricardo Salztrager A proposta do trabalho é questionar qual o lugar do analista no atendimento a pacientes que apresentam

Leia mais

Anais V CIPSI - Congresso Internacional de Psicologia Psicologia: de onde viemos, para onde vamos? Universidade Estadual de Maringá ISSN X

Anais V CIPSI - Congresso Internacional de Psicologia Psicologia: de onde viemos, para onde vamos? Universidade Estadual de Maringá ISSN X ATENDIMENTO PSICANALÍTICO NA CLÍNICA ESCOLA DE PSICOLOGIA: EXPECTATIVAS E DESAFIOS Marana Tamie Uehara de Souza* Camila Soncine Baratto Silvia Nogueira Cordeiro Nara Akemi Hokama Penteado Alves Natalia

Leia mais

PSICANÁLISE E SAÚDE MENTAL

PSICANÁLISE E SAÚDE MENTAL PSICANÁLISE E SAÚDE MENTAL Trabalho apresentado na Letra-Associação de Psicanálise em outubro de 2009. Considerando a grande quantidade de impasses relativos à relação entre a psicanálise e a saúde mental,

Leia mais

Curso de Atualização em Psicopatologia 2ª aula Decio Tenenbaum

Curso de Atualização em Psicopatologia 2ª aula Decio Tenenbaum Curso de Atualização em Psicopatologia 2ª aula Decio Tenenbaum Centro de Medicina Psicossomática e Psicologia Médica do Hospital Geral da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro 2ª aula Diferenciação

Leia mais

Psicanálise em Psicóticos

Psicanálise em Psicóticos Psicanálise em Psicóticos XIX Congresso Brasileiro de Psicanálise Recife, 2003 Dr. Decio Tenenbaum Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro, Rio 2 End: decio@tenenbaum.com.br Processos Psicanalíticos

Leia mais

Como evitar folhas em branco nos arquivos PDF gerados com o Calc

Como evitar folhas em branco nos arquivos PDF gerados com o Calc Olá! Meu nome é Leandro Ferreira (androle) e sou professor da rede municipal da cidade de Rio Grande, no Rio Grande do Sul. No mês passado, julho de 2010, eu recebi uma preciosa dica que me ajudou muito.

Leia mais

Semana de 10/04/17 a 16/04/17

Semana de 10/04/17 a 16/04/17 Semana de 10/04/17 a 16/04/17 DENTRE MUITAS VOZES, OUÇA A VOZ DE DEUS! Estação Cultivo OBJETIVO: Levar as crianças a entenderem que apesar de ouvirmos muitas vozes, devemos sempre optar por seguir a voz

Leia mais

Como a análise pode permitir o encontro com o amor pleno

Como a análise pode permitir o encontro com o amor pleno Centro de Estudos Psicanalíticos - CEP Como a análise pode permitir o encontro com o amor pleno Laura Maria do Val Lanari Ciclo II, terça-feira à noite O presente trabalho tem por objetivo relatar as primeiras

Leia mais

EDITAL PPGPCC nº 01/2014 Processo de Seleção para o Curso de Mestrado Acadêmico (ingresso em março de 2015)

EDITAL PPGPCC nº 01/2014 Processo de Seleção para o Curso de Mestrado Acadêmico (ingresso em março de 2015) EDITAL PPGPCC nº 01/2014 Processo de Seleção para o Curso de Mestrado Acadêmico (ingresso em março de 2015) A Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Psicanálise: Clínica e Cultura, do Instituto de

Leia mais

Fundamentação teórica da Clínica de Psicologia da Unijuí

Fundamentação teórica da Clínica de Psicologia da Unijuí DEBATE Fundamentação teórica da Clínica de Psicologia da Unijuí A Clínica surge do próprio projeto do curso de Psicologia. Este curso tem como base teórica fundamental as teorias psicanalítica e psicológica.

Leia mais

Quando o inominável se manifesta no corpo: a psicossomática psicanalítica no contexto das relações objetais

Quando o inominável se manifesta no corpo: a psicossomática psicanalítica no contexto das relações objetais Apresentação em pôster Quando o inominável se manifesta no corpo: a psicossomática psicanalítica no contexto das relações objetais Bruno Quintino de Oliveira¹; Issa Damous²; 1.Discente-pesquisador do Deptº

Leia mais

A Presença do Analista e o Manejo da Transferência nas Psicoses

A Presença do Analista e o Manejo da Transferência nas Psicoses A Presença do Analista e o Manejo da Transferência nas Psicoses Trabalho apresentado na Biblioteca Freudiana de Curitiba em dezembro de 2007. Desde as minhas primeiras experiências clínicas, eu já me questionava

Leia mais

PSICANÁLISE NO HOSPITAL: UMA EXPERIÊNCIA DE ESTÁGIO EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

PSICANÁLISE NO HOSPITAL: UMA EXPERIÊNCIA DE ESTÁGIO EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PSICANÁLISE NO HOSPITAL: UMA EXPERIÊNCIA DE ESTÁGIO EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO Yuri Ximenes Ávila Siqueira Telles Este artigo trata de questões concernentes à minha experiência de um ano de estágio no

Leia mais

INTRODUÇÃO A PSICOLOGIA

INTRODUÇÃO A PSICOLOGIA INTRODUÇÃO A PSICOLOGIA Objetivos Definir Psicologia Descrever a trajetória historica da psicologia para a compreensão de sua utilização no contexto atual Definir Psicologia Organizacional A relacão da

Leia mais

DO GOZO À FALTA: O SUJEITO E O ENLAÇAMENTO ENTRE O SINTOMA E O DESEJO. Em termos psicanalíticos a referência ao desejo como campo subjetivo ligado

DO GOZO À FALTA: O SUJEITO E O ENLAÇAMENTO ENTRE O SINTOMA E O DESEJO. Em termos psicanalíticos a referência ao desejo como campo subjetivo ligado DO GOZO À FALTA: O SUJEITO E O ENLAÇAMENTO ENTRE O SINTOMA E O DESEJO Altair José dos Santos Em termos psicanalíticos a referência ao desejo como campo subjetivo ligado necessariamente à linguagem, implica

Leia mais

Considerações sobre o conceito de transferência na contemporaneidade: do Sujeito Suposto Saber ao Inconsciente Real.

Considerações sobre o conceito de transferência na contemporaneidade: do Sujeito Suposto Saber ao Inconsciente Real. 1 Clínica Lacaniana de Atendimento e Pesquisa em Psicanálise CLIPP Considerações sobre o conceito de transferência na contemporaneidade: do Sujeito Suposto Saber ao Inconsciente Real. Mayra Kruse de Morais

Leia mais

Como montar uma equipe eficiente de Inteligência Competitiva

Como montar uma equipe eficiente de Inteligência Competitiva Como montar uma equipe eficiente de Inteligência Competitiva Apresentação Para praticar Inteligência Competitiva (IC), uma organização deve contar com o apoio de profissionais que priorizam uma administração

Leia mais

a confusão do final do ano e as metas para o próximo

a confusão do final do ano e as metas para o próximo o que fazer se o ano que passou foi ruim? o que fazer nesse próximo ano? a confusão do final do ano e as metas para o próximo Enéas Guerriero www.equilibriocontinuo.com.br O que vamos falar hoje? 1) Estresse

Leia mais

Se você ainda não tem clientes, não tem problemas! Você pode criar um Mapa de Empatia baseada em uma audiência mínima viável:

Se você ainda não tem clientes, não tem problemas! Você pode criar um Mapa de Empatia baseada em uma audiência mínima viável: MAPA DE EMPATIA O que é? O mapa de Empatia é uma ferramenta visual, que te ajuda a descrever o perfil de uma Pessoa ou de um grupo de pessoas. O Mapa de Empatia permite que você estruture Uma verdadeira

Leia mais

O Saber em Psicanálise

O Saber em Psicanálise O Saber em Psicanálise Franciny Tenório Cavalcante Maiorano de Lima; Camila de Albuquerque Alves da Silva; Pedro Cerqueira de Almeida; Karla Julliana da Silva Sousa * ;Charles Elias Lang ** Nesse texto

Leia mais

INTERVENÇÕES SOMÁTICAS E O FENÔMENO DA TRANSFERÊNCIA

INTERVENÇÕES SOMÁTICAS E O FENÔMENO DA TRANSFERÊNCIA INTERVENÇÕES SOMÁTICAS E O FENÔMENO DA TRANSFERÊNCIA Maria Cecília Ribeiro de Oliveira Mônica Fortuna Pontes RESUMO O presente trabalho aborda alguns aspectos considerados, pelas autoras, relevantes no

Leia mais

AS DIREÇÕES DO TRATAMENTO NA CLÍNICA DA PSICOSE

AS DIREÇÕES DO TRATAMENTO NA CLÍNICA DA PSICOSE AS DIREÇÕES DO TRATAMENTO NA CLÍNICA DA PSICOSE Autoras: 1 BARRETO, Ellen Kelly Marinho; 2 FERNANDES, Regileide de Lucena; 3 LAVIERI, Maria Beatriz Ferreira; 4 MIGUEL, Isabelle Maria Duarte 1.1.Resumo

Leia mais

silêncio e de ruído. Falar de música é então falar de prazer e falar de prazer depois de Freud é falar de pulsão. O que é a pulsão?

silêncio e de ruído. Falar de música é então falar de prazer e falar de prazer depois de Freud é falar de pulsão. O que é a pulsão? 130 8 Conclusão No doutor Fausto de Thomas Mann, o Diabo, esse que o autor chama de Outro, aparecendo ao compositor Adrian Leverkhun, lhe diz: a música é a mais cristã das artes, ainda que às avessas,

Leia mais

Prefácio. Karina Falcone 1 Mônica Nóbrega 2

Prefácio. Karina Falcone 1 Mônica Nóbrega 2 Prefácio Karina Falcone 1 Mônica Nóbrega 2 A Revista Investigações, em seu número especial, resolveu juntar se às homenagens feitas a Ferdinand de Saussure no centenário da sua morte, em 2013. Os artigos

Leia mais

O INTERMINÁVEL DAQUILO QUE TERMINA

O INTERMINÁVEL DAQUILO QUE TERMINA O INTERMINÁVEL DAQUILO QUE TERMINA Por Arlete Mourão Simpósio de Olinda (agosto de 2005) Existem dois tipos de análises termináveis: aquelas cuja saída se dá pela père-version e aquelas cuja saída se dá

Leia mais

LINGUAGEM, LIMITE E TRANSGRESSÃO EM FOUCAULT. à clínica psicanalítica uma contribuição. O autor, com suas formulações sobre este tema,

LINGUAGEM, LIMITE E TRANSGRESSÃO EM FOUCAULT. à clínica psicanalítica uma contribuição. O autor, com suas formulações sobre este tema, LINGUAGEM, LIMITE E TRANSGRESSÃO EM FOUCAULT Maria Fernanda Guita Murad O objeto desse trabalho é a linguagem em Foucault e como sua conceituação oferece à clínica psicanalítica uma contribuição. O autor,

Leia mais

A estranheza da psicanálise

A estranheza da psicanálise Antonio Quinet A estranheza da psicanálise A Escola de Lacan e seus analistas Rio de Janeiro Prefácio: Ex-tranha Não ficaria surpreso, diz Freud, em ouvir que a psicanálise, que se preocupa em revelar

Leia mais

Anais V CIPSI - Congresso Internacional de Psicologia Psicologia: de onde viemos, para onde vamos? Universidade Estadual de Maringá ISSN X

Anais V CIPSI - Congresso Internacional de Psicologia Psicologia: de onde viemos, para onde vamos? Universidade Estadual de Maringá ISSN X A PSICANÁLISE NO CONTEXTO DA CLÍNICA-ESCOLA Bruna C. de Oliveira Danziger Rafael dos Reis Biazin O que se configura de forma premente no âmbito das práticas clínicas atuantes nas clínicas-escolas é a impossibilidade

Leia mais

MÃE, QUANDO EU CRESCER...

MÃE, QUANDO EU CRESCER... MÃE, QUANDO EU CRESCER... Dedico este livro a todas as pessoas que admiram e valorizam a delicadeza das crianças! Me chamo Carol, mas prefiro que me chamem de Cacau, além de ser um apelido que acho carinhoso,

Leia mais

Resenha. Considerações sobre a teoria lacaniana das psicoses*

Resenha. Considerações sobre a teoria lacaniana das psicoses* Resenha Considerações sobre a teoria lacaniana das psicoses* SOUZA LEITE, M. P. Questões preliminares à psicanálise de psicóticos, Palestra. Iª Semana de Psicanálise. Novembro-1987, PUC-SP (www.marciopeter.com.br).

Leia mais

O Corpo na Transferência

O Corpo na Transferência O Corpo na Transferência É preciso muito bem esquecer para experimentar a alegria de novamente lembrar-se. Tantos pedaços de nós dormem num canto da memória, que a memória chega a esquecer-se deles. E

Leia mais

Centro de Estudos Psicanalíticos. Possibilidades diagnósticas em psiquiatria e psicanálise. Patrícia T. Tenguam Ciclo 3 Terça à noite

Centro de Estudos Psicanalíticos. Possibilidades diagnósticas em psiquiatria e psicanálise. Patrícia T. Tenguam Ciclo 3 Terça à noite Centro de Estudos Psicanalíticos Possibilidades diagnósticas em psiquiatria e psicanálise Patrícia T. Tenguam Ciclo 3 Terça à noite Possibilidades diagnósticas em psiquiatria e psicanálise. A pesquisa

Leia mais

RECOMENDAÇÕES DE FREUD ACERCA DA TÉCNICA 1

RECOMENDAÇÕES DE FREUD ACERCA DA TÉCNICA 1 RECOMENDAÇÕES DE FREUD ACERCA DA TÉCNICA 1 RAFAELA THAÍS BORTOLACI Na iminência da transição entre teoria e prática, torna-se fundamental pensar em cada recomendação de Freud acerca da técnica. Ele nunca

Leia mais

Neurociências e Psicanálise

Neurociências e Psicanálise Estados Gerais da Psicanálise: Segundo Encontro Mundial - Rio de Janeiro - outubro 2003 Função Leitor: OSVALDO SAIDON (Argentina) Tema 2 Neurociências e Psicanálise Bom, às três missões impossíveis que

Leia mais

SOCIEDADES E ASSOCIAÇÕES DE PSICOTERAPIA PROTOCOLADAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE PSICANÁLISE E PSICOTERAPIA PSICANALÍTICA

SOCIEDADES E ASSOCIAÇÕES DE PSICOTERAPIA PROTOCOLADAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE PSICANÁLISE E PSICOTERAPIA PSICANALÍTICA SOCIEDADES E ASSOCIAÇÕES DE PSICOTERAPIA PROTOCOLADAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE PSICANÁLISE E PSICOTERAPIA PSICANALÍTICA Apresentação da psicoterapia e do(s) modelo(s) teórico(s) subjacente(s) A Associação

Leia mais

INTRODUÇÃO À PSICOPATOLOGIA PSICANALÍTICA. Profa. Dra. Laura Carmilo granado

INTRODUÇÃO À PSICOPATOLOGIA PSICANALÍTICA. Profa. Dra. Laura Carmilo granado INTRODUÇÃO À PSICOPATOLOGIA PSICANALÍTICA Profa. Dra. Laura Carmilo granado Pathos Passividade, paixão e padecimento - padecimentos ou paixões próprios à alma (PEREIRA, 2000) Pathos na Grécia antiga Platão

Leia mais

ACADÊMICA: ANDRINEA CORDOVA DA ROSA ORIENTADORA/SUPERVISORA: MESTRE: MICHAELLA CARLA LAURINDO DA TEORIA A PRÁTICA SE VISLUMBRA UM SUJEITO DA PERVERSÃO

ACADÊMICA: ANDRINEA CORDOVA DA ROSA ORIENTADORA/SUPERVISORA: MESTRE: MICHAELLA CARLA LAURINDO DA TEORIA A PRÁTICA SE VISLUMBRA UM SUJEITO DA PERVERSÃO ACADÊMICA: ANDRINEA CORDOVA DA ROSA ORIENTADORA/SUPERVISORA: MESTRE: MICHAELLA CARLA LAURINDO DA TEORIA A PRÁTICA SE VISLUMBRA UM SUJEITO DA PERVERSÃO BANCA EXAMINADORA: MESTER MICHAELLA CARLA LAURINDO

Leia mais

Anais V CIPSI - Congresso Internacional de Psicologia Psicologia: de onde viemos, para onde vamos? Universidade Estadual de Maringá ISSN X

Anais V CIPSI - Congresso Internacional de Psicologia Psicologia: de onde viemos, para onde vamos? Universidade Estadual de Maringá ISSN X A PSICANÁLISE APLICADA EM UMA CLÍNICA-ESCOLA: TRATAMENTO DA HISTERIA Alessandra Elisa Gromowski* Marana Tamie Uehara de Souza Rosane Zétola Lustoza O presente trabalho consiste na apresentação das reflexões

Leia mais