O Psicótico: aspectos da personalidade David Rosenfeld Sob a ótica da Teoria das Relações Objetais da Escola Inglesa de Psicanálise. Expandiu o entend

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Psicótico: aspectos da personalidade David Rosenfeld Sob a ótica da Teoria das Relações Objetais da Escola Inglesa de Psicanálise. Expandiu o entend"

Transcrição

1 A CLÍNICA DA PSICOSE Profª Ms Sandra Diamante Dezembro

2 O Psicótico: aspectos da personalidade David Rosenfeld Sob a ótica da Teoria das Relações Objetais da Escola Inglesa de Psicanálise. Expandiu o entendimento psicanalítico da psicose tanto clínica qto teoricamente. Funções dos sintomas psicóticos na transferência, com ênfase nas defesas primitivas (identificação projetiva, dissociação, negação), com redução da capacidade de pensar do paciente e de se haver com a realidade interna. Funções do analista: ser continente e usar interpretações contratranferênciais. A organização intrapsíquica das relações internas de objetos diferencia os diversos tipos de organizações defensivas no desenvolvimento da clinicada psicose. 2

3 Psicose e Parte Psicótica: uma aproximação clínica Definida por Freud como uma negação da realidade e inadaptação. É um distúrbio narcisista, um aparelho psíquico danificado. A parte psicótica (não descrita por Freud) defini-se a partir do conceito de Cisão. Para Freud trata-se de um processo defensivo dos mais primitivos. Rosenfeld conjectura que a parte sadia ou neurótica, sem presente em qq paciente, é capaz de estabelecer alguma forma de relação transferencial, mesmo com a parte cindida do ego. 3

4 Podemos entender algo sobre o paciente psicótico graças a sua parte mais sadia através da qual ele pode verbalizar e formas conceitos. Não se pode tomar contato direto com a parte psicótica. Vai sendo criada, durante o tratamento (19 25, p 32) Para Freud a transferência não está totalmente ausente, mas pode ser usada até certo ponto, e a psicanálise conseguiu um inegável sucesso nas depressões cíclicas, transtornos paranóides leves e esquizofrenias parciais (1925) Contribuições de Bion (1967 a) ao campo clínico e técnico ao identificar o funcionamento da personalidade psicótico. Entende que a personalidade psicótica não tem capacidade de formular perguntas para si mesmo, não toma conhecimento dos conflitos. Expele seu ego e suas funções perceptivas. 4

5 Transferência no Tratamento Psicanalítico O analista deve então ajudar o paciente a recuperar aquilo do qual se livrou (objetos, emoções, e também funções do ego) por identificação projetiva. No tratamento é preciso aproveitar-se da parte neurótica do paciente, com mínima capacidade de verbalização, par estabelecer uma relação transferencial. Esta parte neurótica que dá base para uma relação transferencial. (Abraham) Metodologicamente a Transferência em Freud permite que os protótipos das imagos parentais emerjam. É pela relação libidinosa que o paciente é capaz de se comunicar com o analista. 5

6 Como é a transferência no tratamento de psicóticos? Alguns fenômenos transferenciais Muitos aspectos profundos que nos neuróticos só podem ser trazidos à superfície trabalhosamente, nos psicóticos são visíveis a qualquer um O que Freud chamou de transferências na psicose, foi um tipo de transferência que não pode ser incluída na sua teoria das neuroses. Com alguns modos de comunicação mais primitivos e indiferenciados, disruptivas ou desorganizadas. Restituição Psicótica: São delírios e alucinações como tentativas de restituição do vínculo. Mas são fenômenos transferenciais? Nem Freud respondeu... Freud: Reconstituição é reconexão com os objetos. A noção do conceito de tempo necessário para estabelecimento 6 de transferência no tratamento com psicótico.

7 Conduta técnica: 1. Não interpretar apressadamente, antes criar o contexto adequado; 2. Aprender a conter as identificações projetivas do paciente para não ser subjugado por elas 3. Considerar os sentimentos contratransferenciais em relação à transferência delirante 4. Não interpretar níveis edípicos pois só aumentam a confusão do paciente. Ex: esta é uma parte louca sua projetada no seu pai ou sua mãe e agora em mim 5. O paciente descobre que existe alguém capaz de tolerar e conter sentimentos insuportáveis para ele, e par aqueles que com ele convivem. Rosenfeld, 1994, p.42/43. 7

8 O uso da contratransferência O terapeuta do paciente psicótico ante emoções intensas que estão além dos afetos da transferência do neurótico. A contratransferência deveria ser usada para pensar e não para explicar ou interpretar. Usada como hipótese para pensar. Os sentimentos intensos são transmitidos pelos mecanismos (defensivos e também expressivos, tom de voz, frases interrompidas mensagens paradoxais. 8

9 O uso da contratransferência A maneira do psicótico se expressar é a fonte mais rica, mais que memórias e sonhos dos neuróticos (Liberman, 1970) A contratransferência é perturbadora somente enq uanto não percebemos seu significado, qdo não se sabe o que fazer com ela. Nos psicóticos a perturbação é mais difícil porque o paciente tenta transmitir o que não pode expressar em palavras, seu mundo caótico infantil 9

10 O uso da contratransferência No caso do paciente psicótico o sentimento mais difícil de tolerar é o desespero. É sua forma de projetar de se livrar dos sentimentos insuportáveis, com os quais não pode lidar. Tenta descobrir se o terapeuta também se sente desesperançado dele, ou se fica atento e ainda pode pensar ativamente, diferente dos pais na sua infância. A contratransferência deve ser pensada, decodificada, levada para nossa análise e nunca expelida por meio de interpretações selvagens apressadas e incorretas. 10

11 REFERÊNCIAS D. Rosenfeld. O Psicótico. Petrópolis, RJ: Vozes, J. Bergeret. Psicopatologia: teoria e clínica 9ª ed. Porto Alegre: Artmed, A personalidade normal e a patológica 3ª ed. Porto Alegre: Artmed, S. Freud. Obras Completas 11

C U R S O D E F O R M A Ç Ã O PSICANÁLISE

C U R S O D E F O R M A Ç Ã O PSICANÁLISE C U R S O D E F O R M A Ç Ã O PSICANÁLISE PSICOPATOLOGIA 1 Dr FRANCIS BITTENCOURT OLIVEIRA 2015 CLASSIFICAÇÃO QUANTO A CATEGORIA PARA FINS DIDÁTICOS 1) PSICOSES; 2) ESTADOS PSICÓTICOS; 3) CONDIÇÕES PSICÓTICAS.

Leia mais

Eva Maria Migliavacca

Eva Maria Migliavacca N Eva Maria Migliavacca este trabalho serão abordados alguns aspectos que podem ser observados no decorrer do processo terapêutico psicanalítico e desenvolvidas algumas reflexões a respeito. O trabalho

Leia mais

INTRODUÇÃO À PSICOPATOLOGIA PSICANALÍTICA. Profa. Dra. Laura Carmilo granado

INTRODUÇÃO À PSICOPATOLOGIA PSICANALÍTICA. Profa. Dra. Laura Carmilo granado INTRODUÇÃO À PSICOPATOLOGIA PSICANALÍTICA Profa. Dra. Laura Carmilo granado Pathos Passividade, paixão e padecimento - padecimentos ou paixões próprios à alma (PEREIRA, 2000) Pathos na Grécia antiga Platão

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina EDU210 Psicologia da Educação I

Programa Analítico de Disciplina EDU210 Psicologia da Educação I 0 Programa Analítico de Disciplina Departamento de Educação - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Número de créditos: 4 Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 15 Carga horária semanal 4 0 4

Leia mais

Carga horária total: 04 Prática: 04 Teórico Prática: Semestre Letivo 1º/2012 Ementa

Carga horária total: 04 Prática: 04 Teórico Prática: Semestre Letivo 1º/2012 Ementa Unidade Universitária Centro de Ciências Biológicas e da Saúde - 040 Curso Psicologia Disciplina Psicopatologia Psicodinâmica Professor(es) e DRTs Fernando Genaro Junior 114071-3 Sandra Fernandes de Amorim

Leia mais

Curso de Extensão: LEITURAS DIRIGIDAS DA OBRA DE JACQUES LACAN/2014

Curso de Extensão: LEITURAS DIRIGIDAS DA OBRA DE JACQUES LACAN/2014 Curso de Extensão: LEITURAS DIRIGIDAS DA OBRA DE JACQUES LACAN/2014 Prof. Dr. Mario Eduardo Costa Pereira PROGRAMA - Io. SEMESTRE Março/2014 14/03/2014 CONFERÊNCIA INAUGURAL : Contextualização do seminário

Leia mais

A esquizofrenia é uma perturbação psiquiátrica caracterizada pela presença de comportamento psicótico ou amplamente desorganizado;

A esquizofrenia é uma perturbação psiquiátrica caracterizada pela presença de comportamento psicótico ou amplamente desorganizado; A esquizofrenia é uma perturbação psiquiátrica caracterizada pela presença de comportamento psicótico ou amplamente desorganizado; Afeta homens e mulheres na mesma proporção; Eugen Bleuler, importante

Leia mais

A contribuição winnicottiana à teoria do complexo de Édipo e suas implicações para a

A contribuição winnicottiana à teoria do complexo de Édipo e suas implicações para a A contribuição winnicottiana à teoria do complexo de Édipo e suas implicações para a prática clínica. No interior de sua teoria geral, Winnicott redescreve o complexo de Édipo como uma fase tardia do processo

Leia mais

Bárbara da Silva. Português. Aula 26 Interpretação de textos do Enem II

Bárbara da Silva. Português. Aula 26 Interpretação de textos do Enem II Bárbara da Silva Português Aula 26 Interpretação de textos do Enem II Saber ler e interpretar um texto é o primeiro passo na resolução de qualquer questão do Enem. A compreensão do enunciado é uma chave

Leia mais

Curso de Atualização em Psicopatologia 2ª aula Decio Tenenbaum

Curso de Atualização em Psicopatologia 2ª aula Decio Tenenbaum Curso de Atualização em Psicopatologia 2ª aula Decio Tenenbaum Centro de Medicina Psicossomática e Psicologia Médica do Hospital Geral da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro 2ª aula Diferenciação

Leia mais

SOCIEDADES E ASSOCIAÇÕES DE PSICOTERAPIA PROTOCOLADAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE PSICANÁLISE E PSICOTERAPIA PSICANALÍTICA

SOCIEDADES E ASSOCIAÇÕES DE PSICOTERAPIA PROTOCOLADAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE PSICANÁLISE E PSICOTERAPIA PSICANALÍTICA SOCIEDADES E ASSOCIAÇÕES DE PSICOTERAPIA PROTOCOLADAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE PSICANÁLISE E PSICOTERAPIA PSICANALÍTICA Apresentação da psicoterapia e do(s) modelo(s) teórico(s) subjacente(s) A Associação

Leia mais

Psicanálise em Psicóticos

Psicanálise em Psicóticos Psicanálise em Psicóticos XIX Congresso Brasileiro de Psicanálise Recife, 2003 Dr. Decio Tenenbaum Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro, Rio 2 End: decio@tenenbaum.com.br Processos Psicanalíticos

Leia mais

CEP - Centro de Estudos Psicanalíticos. A psicanálise como berço ou por que tratamos apenas crianças em nossos consultórios

CEP - Centro de Estudos Psicanalíticos. A psicanálise como berço ou por que tratamos apenas crianças em nossos consultórios CEP - Centro de Estudos Psicanalíticos Luis Fernando de Souza Santos Trabalho semestral - ciclo II (terças 19h30) A psicanálise como berço ou por que tratamos apenas crianças em nossos consultórios Se

Leia mais

CEP -CENTRO DE ESTUDOS PSICANALÍTICOS. Curso de Formação em Pasicanálise. Ciclo IV 3ª Noite

CEP -CENTRO DE ESTUDOS PSICANALÍTICOS. Curso de Formação em Pasicanálise. Ciclo IV 3ª Noite CEP -CENTRO DE ESTUDOS PSICANALÍTICOS Curso de Formação em Pasicanálise Ciclo IV 3ª Noite O atravessamento da Psicanálise em meu cotidiano Nathália Miyuki Yamasaki 2014 Chego para análise e me ponho a

Leia mais

RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DA SES UNIDADE III (Parte 1)

RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DA SES UNIDADE III (Parte 1) RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DA SES UNIDADE III (Parte 1) TAUANE PAULA GEHM Mestre e doutorando em Psicologia Experimental TEMAS Psicopatologia geral. Transtornos psicológicos, cognitivos, relacionados ao uso

Leia mais

Escola Secundária de Carregal do Sal

Escola Secundária de Carregal do Sal Escola Secundária de Carregal do Sal Área de Projecto 2006\2007 Sigmund Freud 1 2 Sigmund Freud 1856-----------------Nasceu em Freiberg 1881-----------------Licenciatura em Medicina 1885-----------------Estuda

Leia mais

O Corpo na Transferência

O Corpo na Transferência O Corpo na Transferência É preciso muito bem esquecer para experimentar a alegria de novamente lembrar-se. Tantos pedaços de nós dormem num canto da memória, que a memória chega a esquecer-se deles. E

Leia mais

ANALISTAS E ANALISANDOS PRECISAM SE ACEITAR: REFLEXÕES SOBRE AS ENTREVISTAS PRELIMINARES

ANALISTAS E ANALISANDOS PRECISAM SE ACEITAR: REFLEXÕES SOBRE AS ENTREVISTAS PRELIMINARES ANALISTAS E ANALISANDOS PRECISAM SE ACEITAR: REFLEXÕES SOBRE AS ENTREVISTAS PRELIMINARES 2014 Matheus Henrique de Souza Silva Psicólogo pela Faculdade Pitágoras de Ipatinga-MG. Especializando em Clínica

Leia mais

LATINOAMERICANA DE PSICOPATOLOGIA. Rev. Latinoam. Psicopat. Fund., São Paulo, v. 11, n. 4, p , dezembro 2008

LATINOAMERICANA DE PSICOPATOLOGIA. Rev. Latinoam. Psicopat. Fund., São Paulo, v. 11, n. 4, p , dezembro 2008 Narcisismos Oscar M. Miguelez São Paulo: Escuta, 2007, 156 págs. João Ezequiel Grecco 688 Os escritos de Freud conferiram amplas dimensões e profundidade à psicanálise. É inegável que a forma, o estilo

Leia mais

Material produzido pelos alunos Cerise, Gil e Purpurine

Material produzido pelos alunos Cerise, Gil e Purpurine Psicopatologia I 09-09-05 Definição de Psicopatologia é o estudo dos transtornos mentais para estudarmos os transtornos mentais precisamos estudar os fenômenos Psicopatológicos Os fenômenos psicopatológicos

Leia mais

da negativa, afirmando que uma, situação não seria analítica se o

da negativa, afirmando que uma, situação não seria analítica se o Ivonise Fernandes da Motta Catafesta o ser perguntado sobre o que caracterizaria a relação psicoterapeutacliente do ponto de vista psicanalítico, Winnicott respondeu através A da negativa, afirmando que

Leia mais

O MANEJO DA TRANSFERÊNCIA NA PSICOSE: O SECRETÁRIO DO ALIENADO E SUAS IMPLICAÇÕES

O MANEJO DA TRANSFERÊNCIA NA PSICOSE: O SECRETÁRIO DO ALIENADO E SUAS IMPLICAÇÕES O MANEJO DA TRANSFERÊNCIA NA PSICOSE: O SECRETÁRIO DO ALIENADO E SUAS IMPLICAÇÕES Roberto Lopes Mendonça O tratamento da psicose: impasses iniciais No trabalho clínico com a psicose, torna-se cada vez

Leia mais

O Trauma no sistema de vinculação - como distúrbios de vinculação podem causar esquizofrenias.

O Trauma no sistema de vinculação - como distúrbios de vinculação podem causar esquizofrenias. O Trauma no sistema de vinculação - como distúrbios de vinculação podem causar esquizofrenias. www.asaseraizes.pt www.franz-ruppert.de Um homem tem subitamente a ideia de ser muito atrativo para todas

Leia mais

Universidade Anhanguera-Uniderp Pró-Reitoria de Graduação. Curso: Psicologia PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

Universidade Anhanguera-Uniderp Pró-Reitoria de Graduação. Curso: Psicologia PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM Módulo: A FASE ADULTA Universide Anhanguera-Uniderp Pró-Reitoria de Graduação Curso: Psicologia PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM Semestre: 7º Perío Letivo: 2011 Turno: Matutino Turma: Carga Horária semestral

Leia mais

Psicose e ética do pensador na

Psicose e ética do pensador na Psicose e ética do pensador na clínica de Bion: panorama dos artigos dos anos 50 Psychosis and the thinker s ethics in Bion s clinic: a scenario of papers from the fifties Resumo Na década de 1950, Wilfred

Leia mais

8. Referências bibliográficas

8. Referências bibliográficas 8. Referências bibliográficas ABRAM, J. (2000). A Linguagem de Winnicott. Revinter, Rio de Janeiro. ANDRADE, V. M. (2003). Um diálogo entre a psicanálise e a neurociência. Casa do Psicólogo, São Paulo.

Leia mais

7 Referências Bibliográficas

7 Referências Bibliográficas 81 7 Referências Bibliográficas ARRIVÉ, M. Linguagem e psicanálise: lingüística e inconsciente. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 1999. BAUMAN, Z. Vida líquida. (2009). Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2009.

Leia mais

Sociedade Psicanalítica de Angra dos Reis Rio de Janeiro

Sociedade Psicanalítica de Angra dos Reis Rio de Janeiro CURSO DE PSICANÁLISE E EDUCAÇÃO I. Objetivos do Curso Estudar a estrutura da realidade psíquica do ser humano, suas leis, seus limites e sua importância na educação das crianças e adolescentes. Mostrar

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Unidade Universitária Centro de Ciências Biológicas e da Saúde - 040 Curso: Psicologia Disciplina: Psicanálise II Professor(es) e DRTs Carmen Silvia de Souza Nogueira DRT: 112426-1 Fernando Genaro Junior

Leia mais

PSICÓLOGO - ÁREA CLÍNICA LÍNGUA PORTUGUESA

PSICÓLOGO - ÁREA CLÍNICA LÍNGUA PORTUGUESA PSICÓLOGO - ÁREA CLÍNICA LÍNGUA PORTUGUESA Compreensão e interpretação de texto Aulas Cursos VIP 100% em Vídeo Aulas (Teoria & Questões) #02 - Língua Portuguesa #8 - Compreensão e Interpretação de Textos,

Leia mais

Sumário. Parte I VISÃO GERAL. Parte II COMUNICAÇÃO E RELAÇÃO. Introdução A medicina da pessoa...31

Sumário. Parte I VISÃO GERAL. Parte II COMUNICAÇÃO E RELAÇÃO. Introdução A medicina da pessoa...31 Sumário Introdução...25 Parte I VISÃO GERAL 1. A medicina da pessoa...31 Um pouco de história saúde-doença: evolução do conceito...31 Período pré-histórico...31 Período histórico primórdios...33 O antigo

Leia mais

Seminário sobre O homem dos lobos. Jacques Lacan

Seminário sobre O homem dos lobos. Jacques Lacan Seminário sobre O homem dos lobos Jacques Lacan Jacques Lacan fez este seminário em 1952. As notas aqui publicadas, inéditos também em francês, provém de um ouvinte e são redigidas por Jacques- Alain Miller.

Leia mais

3) Interrogações sobre a Ética da Psicanálise na Clínica com Pacientes Psicóticos.

3) Interrogações sobre a Ética da Psicanálise na Clínica com Pacientes Psicóticos. 3) Interrogações sobre a Ética da Psicanálise na Clínica com Pacientes Psicóticos. Yzabelle dos Anjos Almeida (IP-UERJ), Rita Maria Manso de Barros (IP-UERJ) Resumo: Este trabalho pretende tratar da ética

Leia mais

PSICANÁLISE E O TEMPO: A CLÍNICA PSICANALITICA SUAS TRANSFORMAÇÕES E ATUALIZAÇÕES

PSICANÁLISE E O TEMPO: A CLÍNICA PSICANALITICA SUAS TRANSFORMAÇÕES E ATUALIZAÇÕES PSICANÁLISE E O TEMPO: A CLÍNICA PSICANALITICA SUAS TRANSFORMAÇÕES E ATUALIZAÇÕES Jorge Luis Ferreira Abrão 1 Glaucia Maria Ferreira Furtado 2 RESUMO: O presente estudo tem por objetivo discutir a influência

Leia mais

Dinâmica de Grupo. As contribuições da Psicanálise

Dinâmica de Grupo. As contribuições da Psicanálise As contribuições da Psicanálise Profª: Daniela Campos Bahia Moscon danielamoscon@yahoo.com.br Freud não se ocupou diretamente da teoria de grupos centro-se nos estudos das massas ou multidões; Suas conclusões

Leia mais

Informação para os pacientes e seus familiares

Informação para os pacientes e seus familiares Psicose Psychosis - Portuguese UHN Informação para os pacientes e seus familiares Leia esta brochura para aprender: o que é a psicose o que a causa os sinais ou sintomas de psicose que tratamentos podem

Leia mais

Sociedade Psicanalítica de Angra dos Reis Rio de Janeiro

Sociedade Psicanalítica de Angra dos Reis Rio de Janeiro Uma Abordagem Psicanalítica da CID-10 da Organização Mundial de Saúde, de F00 a F99. CID - Classificação Internacional de Doenças TRANSTORNOS MENTAIS E COMPORTAMENTAIS I. Objetivos do curso: Conhecer a

Leia mais

MENSUTE 2014 PSICOPEDAGOGIA. Prof.ª Suzane Maranduba AULA 4. Freire e mandella

MENSUTE 2014 PSICOPEDAGOGIA. Prof.ª Suzane Maranduba AULA 4. Freire e mandella MENSUTE 2014 PSICOPEDAGOGIA AULA 4 Prof.ª Suzane Maranduba Freire e mandella 1 A MINHA PRÁTICA PESSOAL REFLETE A MINHA PRÁTICA PROFISSIONAL Suzane Maranduba sumário SUMÁRIO 1. Anamnese 2. Desenvolvimento

Leia mais

BION A CONTRIBUIÇÃO DA PSICANÁLISE A PSICOTERAPIA DE GRUPO

BION A CONTRIBUIÇÃO DA PSICANÁLISE A PSICOTERAPIA DE GRUPO BION A CONTRIBUIÇÃO DA PSICANÁLISE A PSICOTERAPIA DE GRUPO BIOGRAFIA Nasceu em 1897 na Índia, filho de ingleses Com 8 anos foi p\ Inglaterra Oficial na I e na II Guerra Mundial iniciou primeiras experiências

Leia mais

RECOMENDAÇÕES DE FREUD ACERCA DA TÉCNICA 1

RECOMENDAÇÕES DE FREUD ACERCA DA TÉCNICA 1 RECOMENDAÇÕES DE FREUD ACERCA DA TÉCNICA 1 RAFAELA THAÍS BORTOLACI Na iminência da transição entre teoria e prática, torna-se fundamental pensar em cada recomendação de Freud acerca da técnica. Ele nunca

Leia mais

PSICOSE, ATENDIMENTO CLÍNICO E REFLEXÃO TEÓRICA 1

PSICOSE, ATENDIMENTO CLÍNICO E REFLEXÃO TEÓRICA 1 PSICOSE, ATENDIMENTO CLÍNICO E REFLEXÃO TEÓRICA 1 Psycho, care clinical and reflection theory Lucas Silveira da SILVA 2 Thiago MUCENECKI 3 RESUMO O presente artigo tem como objetivo apresentar uma revisão

Leia mais

Referências Bibliográficas

Referências Bibliográficas 98 Referências Bibliográficas ALBERTI, S. Esse Sujeito Adolescente. Rio de Janeiro: Rios Ambiciosos, 1999. APOLINÁRIO, C. Acting out e passagem ao ato: entre o ato e a enunciação. In: Revista Marraio.

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO E CURSO: MESTRADO PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO E CURSO: MESTRADO PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM CURSO: MESTRADO PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: PDA00021 - Desenvolvimento Psicossexual e Constituição da Personalidade na Abordagem

Leia mais

As Implicações do Co Leito entre Pais e Filhos para a Resolução do Complexo de Édipo. Sandra Freiberger

As Implicações do Co Leito entre Pais e Filhos para a Resolução do Complexo de Édipo. Sandra Freiberger As Implicações do Co Leito entre Pais e Filhos para a Resolução do Complexo de Édipo Sandra Freiberger Porto Alegre, 2017 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PSICOLOGIA CURSO: INTERVENÇÃO

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NO PROCESSO TERAPÊUTICO COM CRIANÇAS, UM DIÁLOGO ENTRE A PSICANÁLISE WINNICOTTIANA E A ANÁLISE BIOENERGETICA

A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NO PROCESSO TERAPÊUTICO COM CRIANÇAS, UM DIÁLOGO ENTRE A PSICANÁLISE WINNICOTTIANA E A ANÁLISE BIOENERGETICA A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NO PROCESSO TERAPÊUTICO COM CRIANÇAS, UM DIÁLOGO ENTRE A PSICANÁLISE WINNICOTTIANA E A ANÁLISE BIOENERGETICA Nadja Nunes de Lima Perisson Dantas do Nascimento RESUMO Esse trabalho

Leia mais

TÍTULO: CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA DA ANGUSTIA E NARCISISMO PARA PSICANÁLISE. ORIENTADOR(ES): KELE CRISTINA PASQUALINI, PATRICIA SOARES BALTAZAR BODONI

TÍTULO: CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA DA ANGUSTIA E NARCISISMO PARA PSICANÁLISE. ORIENTADOR(ES): KELE CRISTINA PASQUALINI, PATRICIA SOARES BALTAZAR BODONI TÍTULO: CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA DA ANGUSTIA E NARCISISMO PARA PSICANÁLISE. CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PSICOLOGIA INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE BAURU AUTOR(ES):

Leia mais

INTRODUÇÃO - GENERALIDADES SOBRE AS ADICÇÕES

INTRODUÇÃO - GENERALIDADES SOBRE AS ADICÇÕES SUMÁRIO PREFÁCIO - 11 INTRODUÇÃO - GENERALIDADES SOBRE AS ADICÇÕES DEFINIÇÃO E HISTÓRICO...14 OBSERVAÇÕES SOBRE O CONTEXTO SOCIAL E PSÍQUICO...19 A AMPLIDÃO DO FENÔMENO ADICTIVO...24 A ADICÇÃO VISTA PELOS

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA CÓDIGO DISCIPLINA REQUISITOS CHF 907 PSICOLOGIA APLICADA À SAÚDE --

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA CÓDIGO DISCIPLINA REQUISITOS CHF 907 PSICOLOGIA APLICADA À SAÚDE -- UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA U.E.F.S DEPARTAMENTO DE SAÚDE PROGRAMA DE DISCIPLINA CÓDIGO DISCIPLINA REQUISITOS CHF 907 PSICOLOGIA APLICADA À SAÚDE -- CARGA HORÁRIA CRÉDITOS PROFESSOR(A) T

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Conceituar a Psicologia e sua intercomunicação com o Direito.

PLANO DE ENSINO. Conceituar a Psicologia e sua intercomunicação com o Direito. PLANO DE ENSINO CURSO: Direito PERÍODO: 1º Semestre DISCIPLINA: Psicologia Jurídica CARGA HORÁRIA SEMANAL: 03 horas/aula CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 horas/aula I EMENTA Psicologia jurídica: definição,

Leia mais

Transferência e Contratransferência

Transferência e Contratransferência 1 RESUMO O presente artigo visa abordar os princípios básicos da grupanálise e de uma análise em geral: transferência e contra transferência. Separar o material do grupanalista do que pertence aos grupanalisandos

Leia mais

6 Referências bibliográficas

6 Referências bibliográficas 6 Referências bibliográficas ABRAM, J. A linguagem de Winnicott. Rio de Janeiro: Editora Revinter, 2000 AISENSTEIN, M. Do corpo que sofre ao corpo erótico: A escola da carne. In; Primeiro Encontro de Psicossomática

Leia mais

A Relação Terapeuta-Cliente

A Relação Terapeuta-Cliente Maria Helena Raimo Caldas de Oliveira m psicoterapia psicanalítica, a relação psicoterapeuta-cliente E constitui-se no espaço onde os fenômenos do processo psicoterapêutico acontecem. Trata-se de uma relação

Leia mais

O que vem a ser identidade? O que vem a ser uma identificação?

O que vem a ser identidade? O que vem a ser uma identificação? . O que vem a ser identidade? O que vem a ser uma identificação? . Quando falamos de identificação entre pessoas, entre pais e filhos, o que queremos dizer com isso? Resultado de projeções e de introjeções

Leia mais

Abram Eksterman S.B.R.J. Centro de Medicina Psicossomática e PsicologIa Medica Hospital Geral da Santa Casa do Rio de Janeiro

Abram Eksterman S.B.R.J. Centro de Medicina Psicossomática e PsicologIa Medica Hospital Geral da Santa Casa do Rio de Janeiro Abram Eksterman S.B.R.J Centro de Medicina Psicossomática e PsicologIa Medica Hospital Geral da Santa Casa do Rio de Janeiro Bases teóricas da Psicanálise Teoria da memória Teoria do conflito Teoria da

Leia mais

ABORDAGEM JUNGUIANA PSICOLOGIA CURSO DE

ABORDAGEM JUNGUIANA PSICOLOGIA CURSO DE CURSO DE PSICOLOGIA ABORDAGEM Torne se uma Analista Junguiano, empreendendo na jornada mais importante da sua vida, a sua jornada pessoal, a busca da compreensão de si mesmo, uma vivencia profunda, um

Leia mais

Paciente diagnóstico sindrômico

Paciente diagnóstico sindrômico I- DIAGNÓSTICO SITUACIONAL Equipe tensões assistenciais regressivas de aniquilamento (desorg. do ego; medo da morte) diante do sofrimento e do desamparo diante das limitações profissionais Paciente diagnóstico

Leia mais

PULSÃO DE MORTE, CORPO E MENTALIZAÇÃO. Eixo: O corpo na teoría Palavras chave : psicossomática, pulsão de morte, depressão essencial, psicanálise

PULSÃO DE MORTE, CORPO E MENTALIZAÇÃO. Eixo: O corpo na teoría Palavras chave : psicossomática, pulsão de morte, depressão essencial, psicanálise PULSÃO DE MORTE, CORPO E MENTALIZAÇÃO Patricia Rivoire Menelli Goldfeld Eixo: O corpo na teoría Palavras chave : psicossomática, pulsão de morte, depressão essencial, psicanálise Resumo: A autora revisa

Leia mais

Anais V CIPSI - Congresso Internacional de Psicologia Psicologia: de onde viemos, para onde vamos? Universidade Estadual de Maringá ISSN X

Anais V CIPSI - Congresso Internacional de Psicologia Psicologia: de onde viemos, para onde vamos? Universidade Estadual de Maringá ISSN X A PSICOSE DO COTIDIANO: ALGUMAS CONSTRIBUIÇÕES DE W. R. BION PARA PENSAR A CLÍNICA CONTEMPORÂNEA Angelica Calaresi Wolff Cristina Vilela de Carvalho Paulo José da Costa Introdução A psicanálise vem procurando,

Leia mais

A PSICOLOGIA COMO PROFISSÃO

A PSICOLOGIA COMO PROFISSÃO Pontifícia Universidade Católica de Goiás Psicologia Jurídica A PSICOLOGIA COMO PROFISSÃO Profa. Ms. Joanna Heim PSICOLOGIA Contribuições Histórica Filosóficas Fisiológicas FILOSÓFICA(psyché = alma e logos=razão)

Leia mais

AGITAÇÃO PSICOMOTORA. Karoline Senna Juliana Suzano Gabriela Vieira Orientador: Dr. Alexandre Pereira

AGITAÇÃO PSICOMOTORA. Karoline Senna Juliana Suzano Gabriela Vieira Orientador: Dr. Alexandre Pereira AGITAÇÃO PSICOMOTORA Karoline Senna Juliana Suzano Gabriela Vieira Orientador: Dr. Alexandre Pereira CONCEITO Estado de excitação mental e de atividade motora aumentada, associada a uma experiência subjetiva

Leia mais

A Especialização em Psicoterapia de Orientação Analítica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

A Especialização em Psicoterapia de Orientação Analítica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) RBPsicoterapia Revista Brasileira de Psicoterapia Volume 14, número 2, 2012 www.rbp.celg.org.br A Especialização em Psicoterapia de Orientação Analítica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Leia mais

ETEC CARAPICUÍBA São Paulo - Brasil

ETEC CARAPICUÍBA São Paulo - Brasil 07 de novembro de 2015 ETEC CARAPICUÍBA São Paulo - Brasil RETOMANDO APRESENTAÇÃO DE 20/07/2015 Suely Laitano Nassif, Psy, Md, PhD Suely Laitano Nassif, Psy, MD, PhD São Paulo SP Brasil Site: Contato:

Leia mais

CONTRATRANSFERÊNCIA - Uma reflexão sobre a parte do analista

CONTRATRANSFERÊNCIA - Uma reflexão sobre a parte do analista 1 CONTRATRANSFERÊNCIA - Uma reflexão sobre a parte do analista Figueiredo Diego, Luciana As situações clínicas descritas por nós analista representam um recorte que precariamente ilustram um processo analítico.

Leia mais

A disciplina estuda as noções fundamentais da psicopatologia, aprofundando o conhecimento sobre as funções mentais e suas alterações patológicas.

A disciplina estuda as noções fundamentais da psicopatologia, aprofundando o conhecimento sobre as funções mentais e suas alterações patológicas. Unidade Universitária CCBS - 040 Curso PSICOLOGIA Disciplina INTRODUÇÃO À PSICOPATOLOGIA Professor(es) Martha Serodio Dantas 113352-8 Terezinha A. de Carvalho Amaro 113774-3 Código da Disciplina 0802405-7

Leia mais

Psicanálise: as emoções nas organizações

Psicanálise: as emoções nas organizações Psicanálise: as emoções nas organizações Objetivo Apontar a importância das emoções no gerenciamento de pessoas Definir a teoria da psicanálise Descrever os niveis da vida mental Consciente Subconscinete

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE LEITURA

PROCEDIMENTOS DE LEITURA PROCEDIMENTOS DE LEITURA O procedimento de leitura consiste em uma análise atenta do que está sendo comunicado, pois durante este processo ocorre o DIÁLOGO entre autor e leitor. Nesse sentido o autor do

Leia mais

PSICOTERAPIA PSICANALÍTICA COM ADULTO: UM CAMINHO PARA A

PSICOTERAPIA PSICANALÍTICA COM ADULTO: UM CAMINHO PARA A PSICOTERAPIA PSICANALÍTICA COM ADULTO: UM CAMINHO PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE. Ana Celina Pires de Campos Guimarães. Danielle Arrielo Rossato. Resumo A psicoterapia de orientação psicanalítica tem sido utilizada

Leia mais

SÍNDROMES PSICÓTICAS (quadros do espectro da esquizofrenia e outras psicoses) Psicopatologia II - DEPSI-UFPR Profª Melissa Rodrigues de Almeida

SÍNDROMES PSICÓTICAS (quadros do espectro da esquizofrenia e outras psicoses) Psicopatologia II - DEPSI-UFPR Profª Melissa Rodrigues de Almeida SÍNDROMES PSICÓTICAS (quadros do espectro da esquizofrenia e outras psicoses) Psicopatologia II - DEPSI-UFPR Profª Melissa Rodrigues de Almeida Referências utilizadas Psicopatologia e Semiologia dos Transtornos

Leia mais

A CONTRATRANSFERÊNCIA NA ABORDAGEM PSICANALÍTICA E COGNITIVO-COMPORTAMENTAL: DUAS PERSPECTIVAS, UMA SÓ IMPORTÂNCIA

A CONTRATRANSFERÊNCIA NA ABORDAGEM PSICANALÍTICA E COGNITIVO-COMPORTAMENTAL: DUAS PERSPECTIVAS, UMA SÓ IMPORTÂNCIA A CONTRATRANSFERÊNCIA NA ABORDAGEM PSICANALÍTICA E COGNITIVO-COMPORTAMENTAL: DUAS PERSPECTIVAS, UMA SÓ IMPORTÂNCIA Revisão de literatura 2009 Letícia Leite Gilce Plá Peres Acadêmicas da Faculdade de Psicologia

Leia mais

Introdução à Obra de Bion. Profa. Dra. Laura Carmilo Granado

Introdução à Obra de Bion. Profa. Dra. Laura Carmilo Granado Introdução à Obra de Bion Profa. Dra. Laura Carmilo Granado WILFRED RUPRECHT BION (1897-1979) Nasceu na Índia em 8 de setembro de 1897. Pai: engenheiro Mãe: pessoa simples de temperamento instável, mostrava-se

Leia mais

UMA ESTRANHA AMEAÇA, A PSICOSE E A RELAÇÃO FAMILIAR: ESTUDO DE CASO EM UBERLÂNDIA-MG.

UMA ESTRANHA AMEAÇA, A PSICOSE E A RELAÇÃO FAMILIAR: ESTUDO DE CASO EM UBERLÂNDIA-MG. UMA ESTRANHA AMEAÇA, A PSICOSE E A RELAÇÃO FAMILIAR: ESTUDO DE CASO EM UBERLÂNDIA-MG. RESUMO O presente trabalho apresenta algumas reflexões do acompanhamento de um caso de psicose, revelando os impasses

Leia mais

PROJETO AIMEE: A CLÍNICA DA PSICOSE E SEU EFEITO NO SOCIAL

PROJETO AIMEE: A CLÍNICA DA PSICOSE E SEU EFEITO NO SOCIAL PROJETO AIMEE: A CLÍNICA DA PSICOSE E SEU EFEITO NO SOCIAL Autoras: 1 BARRETO, Ellen Kelly Marinho; 2 FERNANDES, Regileide de Lucena; 3 LAVIERI, Maria Beatriz Ferreira; 4 MIGUEL, Isabelle Maria Duarte

Leia mais

INDICAÇÕES DO MÉTODO PSICANALÍTICO. Cristiana Rodrigues Rua

INDICAÇÕES DO MÉTODO PSICANALÍTICO. Cristiana Rodrigues Rua INDICAÇÕES DO MÉTODO PSICANALÍTICO Cristiana Rodrigues Rua Resumo: A proposta do presente trabalho é uma reflexão acerca dos critérios de analisabilidade que encontramos na clínica atual, considerando

Leia mais

UMA LEITURA DA OBRA DE SIGMUND FREUD. PALAVRAS-CHAVE Sigmund Freud. Psicanálise. Obras Completas de Freud.

UMA LEITURA DA OBRA DE SIGMUND FREUD. PALAVRAS-CHAVE Sigmund Freud. Psicanálise. Obras Completas de Freud. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( X) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA UMA LEITURA

Leia mais

O que é estar louco? Prefácio à nova edição

O que é estar louco? Prefácio à nova edição Prefácio à nova edição O que é estar louco? Passaram-se 22 anos desde a edição original de Os olhos de Laura, 22 anos ao longo dos quais a psicanálise evoluiu, a prática se modificou e a teoria se enriqueceu.

Leia mais

Transferência e Contratransferência

Transferência e Contratransferência Transferência e Contratransferência Suad Haddad de Andrade Freud, no seu trabalho inicial com as pacientes histéricas, percebeu muito cedo que elas viviam conflitos: conflito entre seus desejos, seus impulsos

Leia mais

Quando o inominável se manifesta no corpo: a psicossomática psicanalítica no contexto das relações objetais

Quando o inominável se manifesta no corpo: a psicossomática psicanalítica no contexto das relações objetais Apresentação em pôster Quando o inominável se manifesta no corpo: a psicossomática psicanalítica no contexto das relações objetais Bruno Quintino de Oliveira¹; Issa Damous²; 1.Discente-pesquisador do Deptº

Leia mais

Sofrimento e dor no autismo: quem sente?

Sofrimento e dor no autismo: quem sente? Sofrimento e dor no autismo: quem sente? BORGES, Bianca Stoppa Universidade Veiga de Almeida-RJ biasborges@globo.com Resumo Este trabalho pretende discutir a relação do autista com seu corpo, frente à

Leia mais

Contribuições de Paul Federn para a clínica contemporânea. O objetivo deste trabalho é apresentar e discutir alguns conceitos do psicanalista Paul

Contribuições de Paul Federn para a clínica contemporânea. O objetivo deste trabalho é apresentar e discutir alguns conceitos do psicanalista Paul Contribuições de Paul Federn para a clínica contemporânea. O objetivo deste trabalho é apresentar e discutir alguns conceitos do psicanalista Paul Federn,, que parecem contribuir para uma maior compreensão

Leia mais

Alguns resumos de trabalhos que serão apresentados na Jornada

Alguns resumos de trabalhos que serão apresentados na Jornada Boletim da Jornada nº 2 SOCIEDADE PSICANALÍTICA DO RECIFE XXII Jornada de Psicanálise da SPRPE XVIII Encontro de Psicanálise da Criança e do Adolescente 21, 22 e 23 de setembro Mar Hotel Recife-PE Tema:

Leia mais

FREUD E ERIK ERIKSON. Psicologia do Desenvolvimento

FREUD E ERIK ERIKSON. Psicologia do Desenvolvimento FREUD E ERIK ERIKSON Psicologia do Desenvolvimento Sigmund Freud (1856 1939), médico austríaco Fundador da psicanálise. O aparelho psíquico ID o mais antigo, contém tudo que é herdado (sobretudo os instintos);

Leia mais

Sobre a Psicanálise de Psicóticos 1

Sobre a Psicanálise de Psicóticos 1 Sobre a Psicanálise de Psicóticos 1 Decio Tenenbaum 2 O que irei apresentar hoje é uma continuação do que apresentei no Congresso de 2001 em Nice. Essas idéias foram inicialmente desenvolvidas no livro

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: : Técnico em Enfermagem Qualificação:

Leia mais

PSICANÁLISE COM CRIANÇAS: TRANSFERÊNCIA E ENTRADA EM ANÁLISE. psicanálise com crianças, sustentam um tempo lógico, o tempo do inconsciente de fazer

PSICANÁLISE COM CRIANÇAS: TRANSFERÊNCIA E ENTRADA EM ANÁLISE. psicanálise com crianças, sustentam um tempo lógico, o tempo do inconsciente de fazer PSICANÁLISE COM CRIANÇAS: TRANSFERÊNCIA E ENTRADA EM ANÁLISE Pauleska Asevedo Nobrega Assim como na Psicanálise com adultos, as entrevistas preliminares na psicanálise com crianças, sustentam um tempo

Leia mais

Neurose, Psicose e Funcionamento Borderline: Uma Análise a Partir da Estrutura do Aparelho Psíquico

Neurose, Psicose e Funcionamento Borderline: Uma Análise a Partir da Estrutura do Aparelho Psíquico Neurose, Psicose e Funcionamento Borderline: Margarida Pocinho As três instâncias fundamentais de funcionamento do aparelho psíquico, conhecido como modelo estrutural ou dinâmico, são o Id, o Ego e o Superego.

Leia mais

Projeto de estágio. Coordenação do projeto: Prof. Dr. Antonio Augusto Pinto Junior

Projeto de estágio. Coordenação do projeto: Prof. Dr. Antonio Augusto Pinto Junior UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE ICHS- INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DE VOLTA REDONDA VPS - DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA SPA SERVIÇO DE PSICOLOGIA AOLICADA Projeto de estágio Coordenação do projeto:

Leia mais

1) Freud I - 27 Seminários

1) Freud I - 27 Seminários PROGRAMA DE ENSINO DO INSTITUTO DE PSICANÁLISE VIRGÍNIA LEONE BICUDO - SOCIEDADE DE PSICANÁLISE DE BRASÍLIA 1º ANO 1º Semestre - 35 Seminários 1) Freud I - 27 Seminários a) Descoberta, natureza e métodos

Leia mais

Sobre o ensino de psicoterapia de orientação analítica

Sobre o ensino de psicoterapia de orientação analítica Revista Brasileira de Psicoterapia RBPsicoterapia Volume 13, número 3, 2011 www.rbp.celg.org.br Sobre o ensino de psicoterapia de orientação analítica Antonio Carlos J. Pires * * Psiquiatra, professor

Leia mais

Trabalho em Equipe. São unidades com duas ou mais pessoas que interagem e coordenam seu trabalho para conseguir atingir uma meta específica.

Trabalho em Equipe. São unidades com duas ou mais pessoas que interagem e coordenam seu trabalho para conseguir atingir uma meta específica. Equipe Trabalho em Equipe São unidades com duas ou mais pessoas que interagem e coordenam seu trabalho para conseguir atingir uma meta específica. Objetivo comum. Objetivos do grupo acima dos interesses

Leia mais

Contratransferência. Maria Vera Pompêo de Camargo Pacheco

Contratransferência. Maria Vera Pompêo de Camargo Pacheco Rev. Latinoam. Psicopat. Fund., IV, 3, 171-177 RESENHA Contratransferência Beatriz de León e Ricardo Bernardi Buenos Aires: Editorial Polemos, 2000 Coleção Psicanálise e Saúde Mental Série Eslabones 1

Leia mais

Versão preliminar Palavras Chaves: Pacientes Difíceis, Técnica Psicanalítica, Psicopatologia, Winnicott.

Versão preliminar Palavras Chaves: Pacientes Difíceis, Técnica Psicanalítica, Psicopatologia, Winnicott. Sérgio de Gouvêa Franco, O atendimento de pacientes difíceis O atendimento de pacientes difíceis* Sérgio de Gouvêa Franco Versão preliminar Palavras Chaves: Pacientes Difíceis, Técnica Psicanalítica, Psicopatologia,

Leia mais

Perturbações Afectivas

Perturbações Afectivas Perturbações Afectivas 1 Grupo das Grupo das Depressão endógena Mania endógena Equivalentes afectivos Personalidades afectivas (hipertímica, depressiva, ciclotímica mica) 2 Incidência 1,5% da população

Leia mais

A teoria winnicottiana do amadurecimento como guia da prática clínica

A teoria winnicottiana do amadurecimento como guia da prática clínica A teoria winnicottiana do amadurecimento como guia da prática clínica Elsa Oliveira Dias Diretora de ensino e formação do Centro Winnicott de São Paulo E-mail: elsadias@uol.com.br Resumo: Partindo da concepção

Leia mais

Obras de J.-D. Nasio publicadas por esta editora:

Obras de J.-D. Nasio publicadas por esta editora: A dor física Obras de J.-D. Nasio publicadas por esta editora: A alucinação E outros estudos lacanianos Cinco lições sobre a teoria de Jacques Lacan Como trabalha um psicanalista? A criança do espelho

Leia mais

Curso de Atualização em Psicopatologia 3ª aula Decio Tenenbaum

Curso de Atualização em Psicopatologia 3ª aula Decio Tenenbaum Curso de Atualização em Psicopatologia 3ª aula Decio Tenenbaum Centro de Medicina Psicossomática e Psicologia Médica do Hospital Geral da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro 3ª aula O que é adaptação?

Leia mais

O DESENVOLVIMENTO HUMANO SOB A PERSPECTIVA DE BION E WINNICOTT

O DESENVOLVIMENTO HUMANO SOB A PERSPECTIVA DE BION E WINNICOTT O DESENVOLVIMENTO HUMANO SOB A PERSPECTIVA DE BION E WINNICOTT Carla Maria Lima Braga Inicio a minha fala agradecendo o convite e me sentindo honrada de poder estar aqui nesta mesa com o Prof. Rezende

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS INSTITUTO DE PSICOLOGIA CURSO DE PSICOLOGIA NORMAS COMPLEMENTARES Nº 01/2017/PSI

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS INSTITUTO DE PSICOLOGIA CURSO DE PSICOLOGIA NORMAS COMPLEMENTARES Nº 01/2017/PSI UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS INSTITUTO DE PSICOLOGIA CURSO DE PSICOLOGIA NORMAS COMPLEMENTARES Nº 01/2017/PSI A Direção do Instituto de Psicologia e a Coordenação do Curso de Psicologia, baseadas no

Leia mais

O PODER DO INCONSCIENTE

O PODER DO INCONSCIENTE O PODER DO INCONSCIENTE Todos os nossos comportamentos Mesmo os nossos atos voluntários, resultantes de uma deliberação racional, estão dependentes de uma fonte motivacional inconsciente... O Aparelho

Leia mais

ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO

ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO FUNÇÕES DA LINGUAGEM ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO Emissor emite, codifica a mensagem Receptor recebe, decodifica a mensagem Mensagem- conteúdo transmitido pelo emissor Código conjunto de signos usado na transmissão

Leia mais

Humanização na Emergência. Disciplna Urgência e Emergência Profª Janaína Santos Valente

Humanização na Emergência. Disciplna Urgência e Emergência Profª Janaína Santos Valente Humanização na Emergência Disciplna Urgência e Emergência Profª Janaína Santos Valente A Enfermagem em cuidados intensivos requer uma capacidade de lidar com situações cruciais com uma velocidade e precisão

Leia mais