Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS"

Transcrição

1 PREVISÃO DE TEMPO DO GRUPO DE MODELAGEM ATMOSFÉRICA DA UFSM: IMPLEMENTAÇÃO E CONTROLE DE QUALIDADE Vivian Bauce, Everson Dal Piva, Vagner Anabor, Leandro Almeida, Pablo Oliveira, Otávio Acevedo, Osvaldo Moraes, Gervásio Degrazia Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS RESUMO O modelo de previsão numérica de mesoescala BRAMS vem sendo rodado operacionalmente desde abril de 2006 pelo Grupo de Modelagem Atmosférica da Universidade Federal de Santa Maria. São disponibilizadas previsões de até 72 horas para o Sul do Brasil, norte da Argentina, Paraguai e Uruguai, no sítio Neste trabalho, descrevemos as atividades de implementação do modelo, os produtos oferecidos e se faz uma análise da qualidade da previsão, comparando-a com valores observados por estações de superfície. ABSTRACT The Atmospheric Modelling Group from Universidade Federal de Santa Maria has been running mesoscale numerical weather forecast BRAMS operationally since April The forecasts, up to 72 hours, cover southern Brazil, northern Argentina, Paraguay and Uruguay, and are available at In this work, we describe the activities of model implementation, the available products and present a forecast quality analysis, comparing it to surface station data. Palavras-Chave: previsão numérica do tempo; modelo de mesoescala, BRAMS INTRODUÇÃO Desde abril de 2006, o Grupo de Modelagem Atmosférica (GruMA) da Universidade Federal de Santa Maria disponibiliza em seu sítio previsões numéricas do tempo, de até 72 horas, válidas para o sul do Brasil, norte da Argentina, Uruguai e Paraguai. As previsões são originadas do modelo de mesoescala BRAMS, inicializado duas vezes ao dia. O GruMA é um laboratório experimental com o objetivo principal de servir de apoio a estudantes do Curso de Bacharelado em Meteorologia da UFSM. Atualmente, é composto por um Doutor, um aluno de Doutorado, dois bolsistas de Iniciação Científica e um técnico computacional, além de ter o apoio dos pesquisadores do Curso de Meteorologia da UFSM. Neste trabalho, apresentamos os produtos oferecidos pelo GruMA. Na seção final, apresentamos uma análise de qualidade da previsão fornecida. IMPLEMENTAÇÃO Utiliza-se a versão brasileira do Regional Atmospheric Modelling System (BRAMS). As simulações são inicializadas com a saída do modelo ETA, com resolução de 40 Km, do CPTEC. Após as condições iniciais e de contorno estarem preparadas, roda-se a previsão, com resolução de 20 Km, com uma única grade, utilizando os dados do solo, NDVI, TSM semanalmente observados. O domínio cobre o sul do Brasil, norte da Argentina, Uruguai e Paraguai (figura 1). As simulações rodam em um Cluster de 14 máquinas Pentium 4. A configuração do modelo exige um tempo de processamento de duas horas, sendo rodada duas vezes ao dia, às 6h e às 19:30h

2 As simulações apresentam limitações, como o fato de não levar em conta a umidade observada do solo, nem as observações brutas das condições iniciais. Figura 1. Topografia do modelo no domínio utilizado. PRODUTOS São fornecidas as saídas do modelo a cada 6 horas, estando disponíveis campos de pressão reduzida ao nível do mar, precipitação (figura 2), temperatura em superfície, umidade relativa em superfície e vento em 10 m. Também são disponibilizados meteogramas para algumas cidades no domínio das simulações (figura 3). ANÁLISE DA PREVISÃO Se iniciou o controle de qualidade da previsão através do estudo da margem de erro das previsões do modelo. Aqui, mostraremos um estudo preliminar, no período de 4 a 9 de abril de De maneira geral, se observa que a previsão de temperatura se aproxima relativamente bem dos valores observados para o período diurno, mas superestima a temperatura durante a noite. Para

3 a umidade, por outro lado, há uma tendência geral de subestimação dos valores observados. Figura 2. Previsão de 24 h da pressão reduzida ao nível do mar e precipitação, inicializada às 0000 Z de 29 de setembro de 2006 CONSIDERAÇÕES FINAIS A análise de qualidade da previsão aqui mostrada é preliminar. Estudos em andamento incluem uma análise estatística da previsão para todo o período e diversas localidades. Com isso, se espera identificar deficiências do modelo, e corrigi-las. Cabe ressaltar que a previsão do GruMA participa do programa de intercomparação de modelos do MASTER, laboratório de previsão do tempo da Universidade de São Paulo. Também se pretende, no futuro aumentar o número de variáveis disponíveis, procurando enfatizar a previsão e acompanhamento em mesoescala. Especial ênfase é dada à ocorrência de sistemas convectivos de mesoescala, responsáveis por importantes eventos de precipitação na região.

4 Figura 3. Meteograma com previsão para a cidade de Santa Maria, inicializada às 0000 Z do dia 29 de setembro de 2006.

5 Figura 4. Comparação entre os valores observados (linhas pretas) de temperatura (painel superior) e umidade relativa (painel inferior) com as previsões inicializadas nos dias 4 de abril (verde), 5 de abril (azul) e 6 de abril (vermelho)

Temperaturas Mínimas no Rio Grande do Sul. Parte II: Previsibilidade Através de um Modelo Numérico de Mesoescala

Temperaturas Mínimas no Rio Grande do Sul. Parte II: Previsibilidade Através de um Modelo Numérico de Mesoescala Temperaturas Mínimas no Rio Grande do Sul. Parte II: Previsibilidade Através de um Modelo Numérico de Mesoescala Bruno Vidaletti Brum, Adriano Battisti, Otávio Costa Acevedo, Vagner Anabor, Marco Aurélio

Leia mais

Simulação da Precipitação Acumulada com o BRAMS: A Questão da Relaxação

Simulação da Precipitação Acumulada com o BRAMS: A Questão da Relaxação Simulação da Precipitação Acumulada com o BRAMS: A Questão da Relaxação Everson Dal Piva, Vagner Anabor, Ernani L. Nascimento Universidade Federal de Santa Maria UFSM Av. Roraima, 1000 sala 1055 Santa

Leia mais

ESCOLHA DE MEMBROS PARA PREVISÃO POR CONJUNTO COM O MODELO BRAMS. Ricardo Almeida de Siqueira

ESCOLHA DE MEMBROS PARA PREVISÃO POR CONJUNTO COM O MODELO BRAMS. Ricardo Almeida de Siqueira ESCOLHA DE MEMBROS PARA PREVISÃO POR CONJUNTO COM O MODELO BRAMS Ricardo Almeida de Siqueira Introdução Evolução dos estados atmosféricos tendem a ocorrer de maneira caótica, dificultando a acurácia da

Leia mais

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002 SISTEMA CONVECTIVO DE MESOESCALA OCORRIDO NO DIA 15 DE MARÇO DE 2002 Anatoli Starostin Universidade Federal de Pelotas, Centro de Pesquisas Meteorológicas, Pelotas-RS, Brasil Av. Ildefonso Simões Lopes,

Leia mais

SISTEMA DE ASSIMILAÇÃO LOCAL DE DADOS UTILIZADO NO INMET. Gilberto Ricardo Bonatti 1 Reinaldo Silveira 1 Ricardo Raposo dos Santos 1 Juliana Mol 1

SISTEMA DE ASSIMILAÇÃO LOCAL DE DADOS UTILIZADO NO INMET. Gilberto Ricardo Bonatti 1 Reinaldo Silveira 1 Ricardo Raposo dos Santos 1 Juliana Mol 1 SISTEMA DE ASSIMILAÇÃO LOCAL DE DADOS UTILIZADO NO INMET Gilberto Ricardo Bonatti 1 Reinaldo Silveira 1 Ricardo Raposo dos Santos 1 Juliana Mol 1 RESUMO Desde 2000 o INMET inicializa o Modelo Brasileiro

Leia mais

Previsão de Vento em Altíssima Resolução em Região de Topografia Complexa. RELATÓRIO DO PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PIBIC/CNPq/INPE)

Previsão de Vento em Altíssima Resolução em Região de Topografia Complexa. RELATÓRIO DO PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PIBIC/CNPq/INPE) Previsão de Vento em Altíssima Resolução em Região de Topografia Complexa RELATÓRIO DO PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PIBIC/CNPq/INPE) João Batista Araujo Figueiredo (UFRJ, Bolsista PIBIC/CNPq) E-mail:

Leia mais

AVALIAÇÃO DO MODELO DE KUO NA PREVISÃO DE CHUVAS NA REGIÃO DE PELOTAS COM A UTILIZAÇÃO DO MODELO BRAMS. José Francisco Dias da Fonseca 1

AVALIAÇÃO DO MODELO DE KUO NA PREVISÃO DE CHUVAS NA REGIÃO DE PELOTAS COM A UTILIZAÇÃO DO MODELO BRAMS. José Francisco Dias da Fonseca 1 AVALIAÇÃO DO MODELO DE KUO NA PREVISÃO DE CHUVAS NA REGIÃO DE PELOTAS COM A UTILIZAÇÃO DO MODELO BRAMS José Francisco Dias da Fonseca 1 Simone Colvara Alves 2 RESUMO O objetivo deste trabalho de pesquisa

Leia mais

Relatório das atividades do grupo de avaliação dos modelos de previsão de tempo para região da campanha CHUVA-SUL

Relatório das atividades do grupo de avaliação dos modelos de previsão de tempo para região da campanha CHUVA-SUL Relatório das atividades do grupo de avaliação dos modelos de previsão de tempo para região da campanha CHUVA-SUL Estudo de caso observado no dia 10/11/2012 Participantes: Virginia P. Silveira (INPE),

Leia mais

Ciência e Natura ISSN: Universidade Federal de Santa Maria Brasil

Ciência e Natura ISSN: Universidade Federal de Santa Maria Brasil Ciência e Natura ISSN: 0100-8307 cienciaenaturarevista@gmail.com Universidade Federal de Santa Maria Brasil Martins Basso, João Luiz; Ribeiro Macedo, Luana; Yamasaki, Yoshihiro Avaliação da extensão dos

Leia mais

MONITORAMENTO E EVOLUÇÃO DE DESCARGAS ELÉTRICAS ATMOSFÉRICAS ASSOCIADAS A SISTEMAS CONVECTIVOS DE MESOESCALA

MONITORAMENTO E EVOLUÇÃO DE DESCARGAS ELÉTRICAS ATMOSFÉRICAS ASSOCIADAS A SISTEMAS CONVECTIVOS DE MESOESCALA MONITORAMENTO E EVOLUÇÃO DE DESCARGAS ELÉTRICAS ATMOSFÉRICAS ASSOCIADAS A SISTEMAS CONVECTIVOS DE MESOESCALA Suzana Rodrigues Macedo, Wagner Flauber Araújo Lima, Luiz Augusto Toledo Machado Divisão de

Leia mais

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002 VERIFICAÇÃO DAS PREVISÕES DE PRECIPITAÇÃO DO MODELO RAMS (VERSÃO- 3B) PARA O RIO GRANDE DO SUL Janaina S.Martins geojsm@super.furg.br Margareth Badejo dgembs@super.furg.br Jaci Saraiva Departamento de

Leia mais

USO DO MODELO WRF PARA A SIMULAÇÃO DA DIREÇÃO E VELOCIDADE DO VENTO INCIDENTE NA REGIÃO DA GRANDE VITÓRIA (ES)

USO DO MODELO WRF PARA A SIMULAÇÃO DA DIREÇÃO E VELOCIDADE DO VENTO INCIDENTE NA REGIÃO DA GRANDE VITÓRIA (ES) USO DO MODELO WRF PARA A SIMULAÇÃO DA DIREÇÃO E VELOCIDADE DO VENTO INCIDENTE NA REGIÃO DA GRANDE VITÓRIA (ES) ANDERSON DA SILVA. SIMÕES 1, WESLEY SOUZA CAMPOS CORREA 2, EBERVAL MARCHIORO 3. 1 Graduando

Leia mais

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002 XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002 ANÁLISES PRELIMINARES DAS OBSERVAÇÕES VERSUS AS PREVISÕES DE SISTEMAS FRONTAIS OBTIDAS ATRAVÉS DOS MODELOS OPERACIONAIS DE PREVISÃO NUMÉRICA

Leia mais

Ciência e Natura ISSN: Universidade Federal de Santa Maria Brasil

Ciência e Natura ISSN: Universidade Federal de Santa Maria Brasil Ciência e Natura ISSN: 0100-8307 cienciaenaturarevista@gmail.com Universidade Federal de Santa Maria Brasil Battisti, Adriano; Denardin Costa, Felipe; Costa Acevedo, Otávio; da Silva Guerra, Viviane; Freitas

Leia mais

MODELAGEM NUMÉRICA DE UM COMPLEXO CONVECTIVO DE MESOESCALA OCORRIDO NO NORTE DO NORDESTE BRASILEIRO ABSTRACT

MODELAGEM NUMÉRICA DE UM COMPLEXO CONVECTIVO DE MESOESCALA OCORRIDO NO NORTE DO NORDESTE BRASILEIRO ABSTRACT MODELAGEM NUMÉRICA DE UM COMPLEXO CONVECTIVO DE MESOESCALA OCORRIDO NO NORTE DO NORDESTE BRASILEIRO Kleiton do Carmo Mendes Departamento de Meteorologia - Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos

Leia mais

Submódulo 9.6. Disponibilização de Informações Meteorológicas e Climáticas

Submódulo 9.6. Disponibilização de Informações Meteorológicas e Climáticas Submódulo 9.6 Disponibilização de Informações Meteorológicas e Climáticas Rev. N.º Motivo da Revisão 0 Este documento foi motivado pela criação do Operador Nacional do Sistema Elétrico. Data de Aprovação

Leia mais

PERFIL VERTICAL DO VENTO DE UM CCMT DESENVOLVIDO EM AMBIENTE DE DIPOLO DE TSM

PERFIL VERTICAL DO VENTO DE UM CCMT DESENVOLVIDO EM AMBIENTE DE DIPOLO DE TSM PERFIL VERTICAL DO VENTO DE UM CCMT DESENVOLVIDO EM AMBIENTE DE DIPOLO DE TSM Valner da Silva Nogueira 1, Virgínia de Fátima Bezerra Nogueira 2, Enilson Palmeira Cavalcanti 3, Maria de Fátima Araújo Alves

Leia mais

ASSIMILAÇÃO DOS DADOS DE RADIOSSONDAGENS NA REGIÃO DA CONFLUÊNCIA BRASIL-MALVINAS POR MODELOS ATMOSFÉRICOS.

ASSIMILAÇÃO DOS DADOS DE RADIOSSONDAGENS NA REGIÃO DA CONFLUÊNCIA BRASIL-MALVINAS POR MODELOS ATMOSFÉRICOS. ASSIMILAÇÃO DOS DADOS DE RADIOSSONDAGENS NA REGIÃO DA CONFLUÊNCIA BRASIL-MALVINAS POR MODELOS ATMOSFÉRICOS. Luciano P. Pezzi 1, José A. Aravéquia 1, Luiz F. Sapucci 1, Dirceu L. Herdies 1 e Ronald B Souza

Leia mais

Boletim Semanal de Meteorologia 05 de junho de 2017

Boletim Semanal de Meteorologia 05 de junho de 2017 Boletim Semanal de Meteorologia de junho de 217 ANÁLISE Os primeiros dias de junho foram com chuvas concentradas no Sul do Brasil, devido a formação de um sistema frontal sobre a região no primeiro dia

Leia mais

Dados ambientais. Previsão do tempo. Imagem de satélite GOES

Dados ambientais. Previsão do tempo. Imagem de satélite GOES Dados ambientais. A terra recebe energia solar continuamente. A instituição recebe a radiação solar, que a através do aquecimento diurno e resfriamento noturno caracteriza o clima. Serão estudados dentro

Leia mais

INTERAÇÃO ENTRE O JATO EM BAIXOS NÍVEIS E COMPLEXOS CONVECTIVOS DE MESOESCALA SOBRE A REGIÃO DO CONESUL

INTERAÇÃO ENTRE O JATO EM BAIXOS NÍVEIS E COMPLEXOS CONVECTIVOS DE MESOESCALA SOBRE A REGIÃO DO CONESUL INTERAÇÃO ENTRE O JATO EM BAIXOS NÍVEIS E COMPLEXOS CONVECTIVOS DE MESOESCALA SOBRE A REGIÃO DO CONESUL Nuri O. de Calbete, nuri@cptec.inpe.br Julio Tóta, tota@cptec.inpe.br Adma Raia, adma@cptec.inpe.br

Leia mais

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002 IMPLEMENTAÇÃO DE UM MODELO DE MESOESCALA PARA A REGIÃO SUL DO BRASIL Maurício F. Gobbi gobbi@simepar.br Marcelo Chamecki chamecki@simepar.br Dornelles Vissotto Junior vissotto@simepar.br Igor A. Pisnitchenko

Leia mais

AVALIAÇÃO DO MCGA/CPTEC NO ESTUDO SOBRE A PREVISÃO DE UM CICLONE EXTRATROPICAL NO ATLÂNTICO SUL PRÓXIMO DA COSTA BRASILEIRA

AVALIAÇÃO DO MCGA/CPTEC NO ESTUDO SOBRE A PREVISÃO DE UM CICLONE EXTRATROPICAL NO ATLÂNTICO SUL PRÓXIMO DA COSTA BRASILEIRA AVALIAÇÃO DO MCGA/CPTEC NO ESTUDO SOBRE A PREVISÃO DE UM CICLONE EXTRATROPICAL NO ATLÂNTICO SUL PRÓXIMO DA COSTA BRASILEIRA Paulo Yoshio Kubota 1, Simone Shizue Tomita, Dirceu Luís Herdies e José Paulo

Leia mais

Andre de Arruda Lyra 1 Sin Chan Chou 1 Enio Bueno Pereira 1 Antônio Leite de Sá 2

Andre de Arruda Lyra 1 Sin Chan Chou 1 Enio Bueno Pereira 1 Antônio Leite de Sá 2 AVALIAÇÃO DA PREVISÃO DE VENTO A 5 M DE ALTURA GERADA PELO MODELO ETA-5 KM PARA REGIÃO NORDESTE Andre de Arruda Lyra 1 Sin Chan Chou 1 Enio Bueno Pereira 1 Antônio Leite de Sá RESUMO A previsão de vento

Leia mais

Neve nas serras gaúcha e catarinense no dia 26/06/2011

Neve nas serras gaúcha e catarinense no dia 26/06/2011 Neve nas serras gaúcha e catarinense no dia 26/06/2011 Entre a tarde e a noite de domingo do dia 26 junho houve a primeira queda de neve de 2011 em território brasileiro. De acordo com a Climaterra, os

Leia mais

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002 SISTEMA AVALIADOR AUTOMÁTICO DAS PREVISÕES NUMÉRICAS REGIONAIS DO MODELO ATMOSFÉRICO RAMS Ricardo Hallak Laboratório MASTER Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas Universidade de São

Leia mais

Novembro de 2012 Sumário

Novembro de 2012 Sumário 11 Novembro de 2012 Sumário BOLETIM DIÁRIO DO TEMPO... 2 Boletim do Tempo para 11 de Novembro... 2 Previsão do Tempo para o dia 12 de Novembro de 2012 (24 horas)... 5 Tendência para o dia 13 de Novembro

Leia mais

Eventos climáticos extremos: monitoramento e previsão climática do INPE/CPTEC

Eventos climáticos extremos: monitoramento e previsão climática do INPE/CPTEC Eventos climáticos extremos: monitoramento e previsão climática do INPE/CPTEC Ariane Frassoni dos Santos ariane.frassoni@cptec.inpe.br Junho de 2014 Sumário Introdução Clima e variabilidade climática Monitoramento

Leia mais

Alice Grimm Departamento de Física Universidade do Paraná. Vicente Barros Departamento de Ciencias de la Atmosfera Universidad de Buenos Aires

Alice Grimm Departamento de Física Universidade do Paraná. Vicente Barros Departamento de Ciencias de la Atmosfera Universidad de Buenos Aires VARIABILIDADE INTERANUAL DA PRECIPITAÇÃO SOBRE A REGIÃO SUL/SUDESTE DA AMÉRICA DO SUL SIMULADA PELO MODELO DE CIRCULAÇÃO GLOBAL DA ATMOSFERA CPTEC/COLA Iracema F. A Cavalcanti Centro de Previsão de Tempo

Leia mais

PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL

PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL JULHO/AGOSTO/SETEMBRO -2017 Cooperativa de Energia Elétrica e Desenvolvimento Rural JUNHO/2017 Diminui a probabilidade para a formação de El Niño no segundo semestre de 2017

Leia mais

AVANÇOS RECENTES NO SISTEMA DE ASSIMILAÇÃO DE DADOS REGIONAL DO CPTEC-INPE BUSCANDO INDEPENDÊNCIA, EFICIÊNCIA E QUALIDADE

AVANÇOS RECENTES NO SISTEMA DE ASSIMILAÇÃO DE DADOS REGIONAL DO CPTEC-INPE BUSCANDO INDEPENDÊNCIA, EFICIÊNCIA E QUALIDADE AVANÇOS RECENTES NO SISTEMA DE ASSIMILAÇÃO DE DADOS REGIONAL DO CPTEC-INPE BUSCANDO INDEPENDÊNCIA, EFICIÊNCIA E QUALIDADE Luiz Fernando Sapucci 1, Dirceu Luiz Herdies 1, José Antonio Aravéquia 1, Julio

Leia mais

PREVISÃO HIDROCLIMÁTICA DE VAZÕES NA BACIA DO RIO SÃO FRANCISCO

PREVISÃO HIDROCLIMÁTICA DE VAZÕES NA BACIA DO RIO SÃO FRANCISCO PREVISÃO HIDROCLIMÁTICA DE VAZÕES NA BACIA DO RIO SÃO FRANCISCO OBJETIVOS Melhorar a Previsão hidroclimática de curto e longo prazo 1. Avaliar as previsões hidroclimáticas de vazões afluentes aos reservatórios

Leia mais

PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL

PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL SETEMBRO/OUTUBRO/NOVEMBRO -2017 Cooperativa de Energia Elétrica e Desenvolvimento Rural AGOSTO/2017 Temperatura da superfície do mar segue em condições de normalidade no Oceano

Leia mais

Relatório Final de Atividades

Relatório Final de Atividades Relatório Final de Atividades Geração de um mapa de classificação de solos para a utilização em modelos atmosféricos e hidrológicos. Bolsista: Júlio Cezar Ferreira Orientador: Javier Tomasella CPTEC /

Leia mais

MODELAGEM NEUTROSFÉRICA COM ASSIMILAÇÃO DE DADOS E SUA AVALIAÇÃO UTILIZANDO GNSS

MODELAGEM NEUTROSFÉRICA COM ASSIMILAÇÃO DE DADOS E SUA AVALIAÇÃO UTILIZANDO GNSS MODELAGEM NEUTROSFÉRICA COM ASSIMILAÇÃO DE DADOS E SUA AVALIAÇÃO UTILIZANDO GNSS Tayná Aparecida Ferreira Gouveia Dr. Luiz Fernando Sapucci Dr. João Francisco Galera Monico Presidente Prudente, 10 de Maio

Leia mais

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002 O SISTEMA DE ASSIMILAÇÃO DE DADOS ATMOSFÉRICOS GLOBAL DO CPTEC/INPE Dirceu L. Herdies, Sergio H. Ferreira, José P. Bonatti, Rosângela Cintra e Arlindo da Silva Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos

Leia mais

Previsão de vento com o modelo WRF para a região do Complexo Eólico de Alto Sertão/BA: Resultados Preliminares

Previsão de vento com o modelo WRF para a região do Complexo Eólico de Alto Sertão/BA: Resultados Preliminares Previsão de vento com o modelo WRF para a região do Complexo Eólico de Alto Sertão/BA: Resultados Preliminares Davidson M. Moreira1, Marcelo R. de Moraes2 e Alex A. B. Santos1 SENAI/CIMATEC, Salvador-BA

Leia mais

PREVISÃO DAS TEMPERATURAS MÍNIMAS PARA O CENTRO-SUL DO BRASIL UTILIZANDO A PREVISÃO DE TEMPO POR ENSEMBLE DO CPTEC

PREVISÃO DAS TEMPERATURAS MÍNIMAS PARA O CENTRO-SUL DO BRASIL UTILIZANDO A PREVISÃO DE TEMPO POR ENSEMBLE DO CPTEC PREVISÃO DAS TEMPERATURAS MÍNIMAS PARA O CENTRO-SUL DO BRASIL UTILIZANDO A PREVISÃO DE TEMPO POR ENSEMBLE DO CPTEC Maria Cristina Lemos da Silva 1, Antônio Marcos Mendonça 2, José Paulo Bonatti 3 e Maria

Leia mais

Luciana de Sousa de Oliveira 1 Maria Gertrudes A. Justi da Silva 2 David Garrana Coelho 3

Luciana de Sousa de Oliveira 1 Maria Gertrudes A. Justi da Silva 2 David Garrana Coelho 3 VERIFICAÇÃO DAS PREVISÕES DE PRECIPITAÇÃO E TEMPERATURA PARA O RIO DE JANEIRO MAIO A SETEMBRO DE E JULHO A SETEMBRO DE Luciana de Sousa de Oliveira Maria Gertrudes A. Justi da Silva David Garrana Coelho

Leia mais

Simulações do Perfil Vertical do Vento na Camada Limite Planetária com o Modelo WRF - ARW Utilizando Diferentes Esquemas de Parametrizações

Simulações do Perfil Vertical do Vento na Camada Limite Planetária com o Modelo WRF - ARW Utilizando Diferentes Esquemas de Parametrizações Simulações do Perfil Vertical do Vento na Camada Limite Planetária com o Modelo WRF - ARW Utilizando Diferentes Esquemas de Parametrizações Everton de Almeida Unipampa Marcelo Romero Unipampa Alejandro

Leia mais

Estudo de Sistemas Convectivos de Mesoescala no Sul da América do Sul utilizando o Modelo WRF

Estudo de Sistemas Convectivos de Mesoescala no Sul da América do Sul utilizando o Modelo WRF Estudo de Sistemas Convectivos de Mesoescala no Sul da América do Sul utilizando o Modelo WRF Luciana Cardoso Neta 1, Roseli Gueths Gomes 2, Eliane Grala Pinheiro Alves 3 1,2,3 Centro de Pesquisa e Previsões

Leia mais

SONDAGENS ATOVS UTILIZANDO ICI NA AMÉRICA DO SUL

SONDAGENS ATOVS UTILIZANDO ICI NA AMÉRICA DO SUL SONDAGENS ATOVS UTILIZANDO ICI NA AMÉRICA DO SUL ELIZABETH SILVESTRE ESPINOZA 1 WAGNER FLAUBERT 1 JUAN CEBALLOS 1 1 CPTEC Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos Rodovia Presidente Dutra Km. 40-

Leia mais

COMPARAÇÃO ENTRE OS CAMPOS DE PRECIPITAÇÃO DE REANÁLISE DO CPTEC E NCEP/NCAR PARA A AMÉRICA DO SUL

COMPARAÇÃO ENTRE OS CAMPOS DE PRECIPITAÇÃO DE REANÁLISE DO CPTEC E NCEP/NCAR PARA A AMÉRICA DO SUL COMPARAÇÃO ENTRE OS CAMPOS DE PRECIPITAÇÃO DE REANÁLISE DO CPTEC E NCEP/NCAR PARA A AMÉRICA DO SUL Lucía I. Chipponelli Pinto 1, Luciana M. F. Diniz 2, Marcos H. Costa 3 RESUMO - Devido às dificuldades

Leia mais

ASSIMILAÇÃO DE DADOS DAS ESTAÇÕES METEOROLÓGICAS AUTOMÁTICAS DA FUNCEME

ASSIMILAÇÃO DE DADOS DAS ESTAÇÕES METEOROLÓGICAS AUTOMÁTICAS DA FUNCEME 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ CURSO DE FÍSICA MESTRADO EM CIÊNCIAS FÍSICAS APLICADAS NILTON SERGIO BRITO DE CASTRO ASSIMILAÇÃO DE DADOS DAS ESTAÇÕES METEOROLÓGICAS AUTOMÁTICAS DA FUNCEME Fortaleza 2008

Leia mais

Fernanda Batista Silva 1,4, Edilson Marton 2, Gustavo Bodstein 3, Karla Longo 1

Fernanda Batista Silva 1,4, Edilson Marton 2, Gustavo Bodstein 3, Karla Longo 1 ESTUDO DE ILHA DE CALOR NA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO: ASPECTOS DAS CIRCULAÇÕES LOCAIS COM A UTILIZAÇÃO DO MODELO ATMOSFÉRICO BRAMS ACOPLADO AO ESQUEMA DE ÁREA URBANA Fernanda Batista Silva

Leia mais

ESTUDO DO CICLO DE VIDA DE UMA LINHA DE INSTABILIDADE ATRAVÉS DE DADOS DE RADAR METEOROLOGICO

ESTUDO DO CICLO DE VIDA DE UMA LINHA DE INSTABILIDADE ATRAVÉS DE DADOS DE RADAR METEOROLOGICO ESTUDO DO CICLO DE VIDA DE UMA LINHA DE INSTABILIDADE ATRAVÉS DE DADOS DE RADAR METEOROLOGICO Ianuska Ramos Oliveira 1, José Felipe da Silva Farias 2, Paulo Roberto Pelufo Foster 3 RESUMO - Na madrugada

Leia mais

1 Universidade do Estado do Amazonas/Escola Superior de Tecnologia (UEA/EST)

1 Universidade do Estado do Amazonas/Escola Superior de Tecnologia (UEA/EST) SIMULAÇÃO DE UM CASO DE EVENTO EXTREMO DE CHUVA NA CIDADE DE MANAUS-AM COM O MODELO WRF: O CASO 17 DE FEVEREIRO DE 2011 Adriane Lima Brito¹ José Augusto Paixão Veiga 1 André Ferreira Aranha 1 1 Universidade

Leia mais

ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DO MAL NA PREVISÃO DE TEMPERATURA, NO PERÍODO DE 15 A 17 DE MAIO DE 1998, NAS CIDADES DE BAURU E BOTUCATU/SP.

ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DO MAL NA PREVISÃO DE TEMPERATURA, NO PERÍODO DE 15 A 17 DE MAIO DE 1998, NAS CIDADES DE BAURU E BOTUCATU/SP. ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DO MAL NA PREVISÃO DE TEMPERATURA, NO PERÍODO DE 15 A 17 DE MAIO DE 1998, NAS CIDADES DE BAURU E BOTUCATU/SP. José Carlos Figueiredo 1 Rosmeri Porfirio da Rocha 2, José Scolar

Leia mais

Comparação de perfis verticais observados e simulados obtidos com o modelo WRF

Comparação de perfis verticais observados e simulados obtidos com o modelo WRF Comparação de perfis verticais observados e simulados obtidos com o modelo WRF Juliana Resende Silva¹; Aline Macedo Oliveira²; Roseli Gueths Gomes³ ¹²³ Departamento de Meteorologia Faculdade de Meteorologia

Leia mais

ESTUDO DE ALGUMAS VARIÁVEIS METEOROLÓGICAS QUE AUXILIARAM NA PREVISÃO DE TEMPO PARA O DIA 18 DE JANEIRO DE 1998 PARA O ESTADO DE PERNAMBUCO.

ESTUDO DE ALGUMAS VARIÁVEIS METEOROLÓGICAS QUE AUXILIARAM NA PREVISÃO DE TEMPO PARA O DIA 18 DE JANEIRO DE 1998 PARA O ESTADO DE PERNAMBUCO. ESTUDO DE ALGUMAS VARIÁVEIS METEOROLÓGICAS QUE AUXILIARAM NA PREVISÃO DE TEMPO PARA O DIA 18 DE JANEIRO DE 1998 PARA O ESTADO DE PERNAMBUCO. Flaviano Fernandes Ferreira 1 Ricardo de Souza Rodrigues 2 RESUMO

Leia mais

AVALIAÇÃO DA PRECIPITAÇÃO DO MODELO REGIONAL ETA UTILIZANDO AS ANÁLISES DO CPTEC E NCEP

AVALIAÇÃO DA PRECIPITAÇÃO DO MODELO REGIONAL ETA UTILIZANDO AS ANÁLISES DO CPTEC E NCEP AVALIAÇÃO DA PRECIPITAÇÃO DO MODELO REGIONAL ETA UTILIZANDO AS ANÁLISES DO CPTEC E NCEP Rildo Gonçalves de Moura 1, Dirceu Luis Herdies 1, David Mendes 1, Monica Cristina Damião 1 1 Instituto Nacional

Leia mais

Mecanismos físicos associados à formação da Baixa do Chaco

Mecanismos físicos associados à formação da Baixa do Chaco Mecanismos físicos associados à formação da Baixa do Chaco Marcelo E. Seluchi 1 e A. Celeste Saulo 2 1 Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos CPTEC/INPE, Cachoeira Paulista, SP, Brasil, 2 Centro

Leia mais

ACA-223: Climatologia 1. Climatologia Física: Elementos e Controles do Clima: Variabilidade Diurna e Sazonal

ACA-223: Climatologia 1. Climatologia Física: Elementos e Controles do Clima: Variabilidade Diurna e Sazonal ACA-223: Climatologia 1 Climatologia Física: Elementos e Controles do Clima: Variabilidade Diurna e Sazonal O que é o Clima? Clima: estado da atmosfera (caracterizado pelas variáveis atmosféricas, ex.

Leia mais

Relação entre a precipitação pluvial no Rio Grande do Sul e a Temperatura da Superfície do Mar do Oceano Atlântico

Relação entre a precipitação pluvial no Rio Grande do Sul e a Temperatura da Superfície do Mar do Oceano Atlântico Relação entre a precipitação pluvial no Rio Grande do Sul e a Temperatura da Superfície do Mar do Oceano Atlântico Eliane Barbosa Santos 1 e Gilberto Barbosa Diniz 1 Universidade Federal de Pelotas Curso

Leia mais

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002 ESTUDO DE TEMPESTADES DO VERÃO 2001/2002 NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: ASPECTOS OBSERVACIONAIS E NUMÉRICOS Igor Cerqueira Oliveira UFRJ - Dept. de Meteorologia - Laboratório de Prognósticos em Mesoescala

Leia mais

ESTUDO SOBRE A FORMAÇÃO E PREVISIBILIDADE DE UM DOWNBURST EM MACAÉ, USANDO O MODELO REGIONAL BRAMS E ÍNDICES DE INSTABILIDADE ATMOSFÉRICA

ESTUDO SOBRE A FORMAÇÃO E PREVISIBILIDADE DE UM DOWNBURST EM MACAÉ, USANDO O MODELO REGIONAL BRAMS E ÍNDICES DE INSTABILIDADE ATMOSFÉRICA ESTUDO SOBRE A FORMAÇÃO E PREVISIBILIDADE DE UM DOWNBURST EM MACAÉ, USANDO O MODELO REGIONAL BRAMS E ÍNDICES DE INSTABILIDADE ATMOSFÉRICA Willians Bini 1 Fernando Almeida 2 RESUMO: No dia 20 de junho de

Leia mais

Evento extremo de chuva no dia 06 de abril de 2012 em Teresópolis-RJ

Evento extremo de chuva no dia 06 de abril de 2012 em Teresópolis-RJ Evento extremo de chuva no dia 06 de abril de 2012 em Teresópolis-RJ Entre o final da tarde e início da noite de sexta-feira do dia 06/04/2012, chuvas torrenciais atingiram algumas localidades da Região

Leia mais

SISTEMA DE MONITORAMENTO AGROCLIMÁTICO DA REGIÃO DE DOURADOS, MS. Palavras-chave: suporte à decisão, agrometeorologia, estação meteorológica.

SISTEMA DE MONITORAMENTO AGROCLIMÁTICO DA REGIÃO DE DOURADOS, MS. Palavras-chave: suporte à decisão, agrometeorologia, estação meteorológica. SISTEMA DE MONITORAMENTO AGROCLIMÁTICO DA REGIÃO DE DOURADOS, MS Carlos Ricardo Fietz 1 Eder Comunello 2 Luciano Édipo Pereira da Silva 3 Pablo Soares de Souza 4 RESUMO - O objetivo deste trabalho é apresentar

Leia mais

Frente fria provoca deslizamentos e mais de 30 mortes na região serrana do RJ

Frente fria provoca deslizamentos e mais de 30 mortes na região serrana do RJ Frente fria provoca deslizamentos e mais de 30 mortes na região serrana do RJ No decorrer do dia 17/03 e madrugada do dia 18/03/2013 houve chuvas torrenciais que ocasionaram diversos impactos em áreas

Leia mais

PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL

PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL AGOSTO/SETEMBRO/OUTUBRO - 2016 Cooperativa de Energia Elétrica e Desenvolvimento Rural JULHO/2016 La Niña 2016-2017 A temperatura da superfície do mar nas regiões dos Niños

Leia mais

JULHO RV0 1ª Semana

JULHO RV0 1ª Semana JULHO 2015 RV0 1ª Semana Sumário INTRODUÇÃO... 3 CONDIÇÕES INICIAIS... 3 1 - Nível dos reservatórios... 3 2 - Expansão da oferta hidrotérmica (MW)... 4 ANÁLISE DAS CONDIÇÕES HIDROMETEREOLÓGICAS... 5 1

Leia mais

Campos de espessura associados a condições de neve no Sul do Brasil: o evento de julho de 2000.

Campos de espessura associados a condições de neve no Sul do Brasil: o evento de julho de 2000. Campos de espessura associados a condições de neve no Sul do Brasil: o evento de julho de 2000. Taciana Weber 1, Ernani L. Nascimento 1,2 1 Universidade Federal de Santa Maria, Depto. de Física, Av. Roraima

Leia mais

Resumo. Abstract. Palavras chave: complexo convectivo de mesoescala, análises transversais, movimento vertical, células convectivas. 1.

Resumo. Abstract. Palavras chave: complexo convectivo de mesoescala, análises transversais, movimento vertical, células convectivas. 1. Aspectos Dinâmicos de um Complexo Convectivo de Mesoescala (CCM) no Sertão Paraibano Raimundo Jaildo dos Anjos raimundo.anjos@inmet.gov.br Instituto Nacional de Meteorologia Maria Marle Bandeira marle@aesa.pb.gov.br

Leia mais

Avaliação de previsões de tempo do modelo ETA. para subsidiar pesquisas agrícolas no Brasil

Avaliação de previsões de tempo do modelo ETA. para subsidiar pesquisas agrícolas no Brasil MS777 - Projeto Supervisionado Avaliação de previsões de tempo do modelo ETA para subsidiar pesquisas agrícolas no Brasil Aluna: Dânia Naomi Osato Meira Orientadora: Doutora Ana Maria Heuminski de Ávila

Leia mais

Sistemas Convectivos no dia 07 de setembro de 2009: Evento Extremo em Itaara RS.

Sistemas Convectivos no dia 07 de setembro de 2009: Evento Extremo em Itaara RS. Sistemas Convectivos no dia 07 de setembro de 2009: Evento Extremo em Itaara RS. Elisa Glitzenhirn¹, Vagner Anabor², Everson Dal Piva², Ernani L. Nascimento². ¹² Departamento de Física. Universidade Federal

Leia mais

PREVISÕES DE CONCENTRAÇÃO DE POLUENTES NO CICLO OPERACIONAL DO LABORATÓRIO MASTER

PREVISÕES DE CONCENTRAÇÃO DE POLUENTES NO CICLO OPERACIONAL DO LABORATÓRIO MASTER PREVISÕES DE CONCENTRAÇÃO DE POLUENTES NO CICLO OPERACIONAL DO LABORATÓRIO MASTER Melissa Santi Itimura 1 Edmilson Dias de Freitas 2 Leila Droprinchinski Martins 3 Pedro Leite da Silva Dias 4 Saulo Ribeiro

Leia mais

SIMULAÇÃO DO POTENCIAL EÓLICO DA PARAÍBA PARA DOIS PERÍODOS DO ANO USANDO O MODELO BRAMS

SIMULAÇÃO DO POTENCIAL EÓLICO DA PARAÍBA PARA DOIS PERÍODOS DO ANO USANDO O MODELO BRAMS SIMULAÇÃO DO POTENCIAL EÓLICO DA PARAÍBA PARA DOIS PERÍODOS DO ANO USANDO O MODELO BRAMS Soetânia S. OLIVEIRA 1, Enio P. SOUZA 2, Taciana L. ARAÚJO 3, Enilson P. CAVALCANTE 2 1 Doutoranda em Meteorologia

Leia mais

PREVISÃO DE FENÔMENOS ATMOSFÉRICOS PARA O ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Jaci M. B. Saraiva e Cláudia Jacondino de Campos

PREVISÃO DE FENÔMENOS ATMOSFÉRICOS PARA O ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Jaci M. B. Saraiva e Cláudia Jacondino de Campos PREVISÃO DE FENÔMENOS ATMOSFÉRICOS PARA O ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Jaci M. B. Saraiva e Cláudia Jacondino de Campos dgejaci@super.furg.br cjcampos@ufpel.tche.br Departamento de Geociências-FURG Faculdade

Leia mais

Palavras chave: assimilação de precipitação, inicialização física, modelo global

Palavras chave: assimilação de precipitação, inicialização física, modelo global IMPACTO DA INICIALIZAÇÃO FÍSICA NA ANÁLISE E PREVISÃO DE CURTO PRAZO DA AMÉRICA DO SUL UTILIZANDO AS ANÁLISES DE UM SISTEMA ESTATÍSTICO EM ESPAÇO FÍSICO Renata Weissmann Borges Mendonça 1 José Paulo Bonatti

Leia mais

Estudo da previsibilidade de eventos extremos sobre a Serra do Mar utilizando ensemble de curto prazo.

Estudo da previsibilidade de eventos extremos sobre a Serra do Mar utilizando ensemble de curto prazo. Estudo da previsibilidade de eventos extremos sobre a Serra do Mar utilizando ensemble de curto prazo. Josiane F. Bustamante e Chou Sin Chan INPE/CPTEC I Workshop Projeto Serra do Mar Ubatuba Agosto/26

Leia mais

Novembro de 2012 Sumário

Novembro de 2012 Sumário 29 Novembro de 2012 Sumário BOLETIM DIÁRIO DO TEMPO... 2 Boletim do Tempo para 29 de Novembro... 2 Previsão do Tempo para o dia 30 de Novembro de 2012 (24 horas)... 3 Tendência para o dia 01 de Dezembro

Leia mais

ESTUDO DE CASOS DE CHUVAS INTENSAS NO ESTADO DE ALAGOAS UTILIZANDO O MODELO WRF VERSÃO 3.1

ESTUDO DE CASOS DE CHUVAS INTENSAS NO ESTADO DE ALAGOAS UTILIZANDO O MODELO WRF VERSÃO 3.1 ESTUDO DE CASOS DE CHUVAS INTENSAS NO ESTADO DE ALAGOAS UTILIZANDO O MODELO WRF VERSÃO 3.1 Thiago L. do Vale Silva ¹, Rosiberto S. da S. Junior 2, Ricardo F. C. de Amorim 3, Márcio H. S. Silveira 4, Adriano

Leia mais

Sistema de previsão de qualidade do ar para os Jogos Olímpicos 2016

Sistema de previsão de qualidade do ar para os Jogos Olímpicos 2016 Sistema de previsão de qualidade do ar para os Jogos Olímpicos 2016 Ariane Frassoni, Denis Eiras, Valter Oliveira, Angel Chovert, Marcelo Alonso, Fernanda Batista, Gonzalo Ferrada, Demerval Moreira, Daniela

Leia mais

Cenários da mudança climática em Portugal. Mariana Bernardino & Fátima Espírito Santo, IPMA 4 de junho de 2015

Cenários da mudança climática em Portugal. Mariana Bernardino & Fátima Espírito Santo, IPMA 4 de junho de 2015 Cenários da mudança climática em Portugal Mariana Bernardino & Fátima Espírito Santo, IPMA 4 de junho de 2015 Alterações Observadas no Sistema Climático Desde 1950 têm-se observado alterações em todo o

Leia mais

TEMPERATURAS MÍNIMAS NO RIO GRANDE DO SUL. PARTE I: COMPARAÇÃO ENTRE ESTAÇÕES E DEPENDÊNCIA COM A TOPOGRAFIA

TEMPERATURAS MÍNIMAS NO RIO GRANDE DO SUL. PARTE I: COMPARAÇÃO ENTRE ESTAÇÕES E DEPENDÊNCIA COM A TOPOGRAFIA TEMPERATURAS MÍNIMAS NO RIO GRANDE DO SUL. PARTE I: COMPARAÇÃO ENTRE ESTAÇÕES E DEPENDÊNCIA COM A TOPOGRAFIA Adriano Battisti 1 Bruno Vidaletti Brum 1 Otavio Costa Acevedo² Vagner Anabor² 1 Faculdade de

Leia mais

SIMULAÇÃO DO FURACÃO CATARINA USANDO O MODELO MM5

SIMULAÇÃO DO FURACÃO CATARINA USANDO O MODELO MM5 SIMULAÇÃO DO FURACÃO CATARINA USANDO O MODELO MM5 GILSANE MARI DA COSTA PINHEIRO 1, ROGÉRIO DE SOUZA E SILVA¹, GABRIEL BONOW MÜNCHOW 2, BRUNA BARBOSA SILVEIRA² RESUMO - Neste trabalho foi feita uma similação

Leia mais

o PROGRAMA DE APLICAÇÕES DE SAT~LITES METEOROLÕGICOS DO INPE

o PROGRAMA DE APLICAÇÕES DE SAT~LITES METEOROLÕGICOS DO INPE 138 o PROGRAMA DE APLICAÇÕES DE SAT~LITES METEOROLÕGICOS DO INPE Nelson Arai Nelson Jesus Ferreira Divisão de Sensoriamento Remoto e Meteorologia Espacial Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais C.P.

Leia mais

Novembro de 2012 Sumário

Novembro de 2012 Sumário 05 Novembro de 2012 Sumário BOLETIM DIÁRIO DO TEMPO... 2 Boletim do Tempo para 05 de novembro... 2 Previsão do Tempo para 06 de novembro (24 horas)... 3 Tendência para o dia 07 de Novembro de 2012 (48

Leia mais

A MAIOR CATÁSTROFE CLIMÁTICA DO BRASIL SOB A VISÃO OPERACIONAL DO CPTEC/INPE

A MAIOR CATÁSTROFE CLIMÁTICA DO BRASIL SOB A VISÃO OPERACIONAL DO CPTEC/INPE A MAIOR CATÁSTROFE CLIMÁTICA DO BRASIL SOB A VISÃO OPERACIONAL DO CPTEC/INPE Henri Pinheiro 1, Kelen Andrade 1, Carlos Moura 1 Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos CPTEC/INPE,São Paulo-SP,

Leia mais

ANÁLISE DA PASSAGEM DE UMA FRENTRE FRIA NA REGIÃO SUL DO PAÍS NOS DIAS DE JULHO DE 2006, UTILIZANDO SENSORIAMENTO REMOTO

ANÁLISE DA PASSAGEM DE UMA FRENTRE FRIA NA REGIÃO SUL DO PAÍS NOS DIAS DE JULHO DE 2006, UTILIZANDO SENSORIAMENTO REMOTO ANÁLISE DA PASSAGEM DE UMA FRENTRE FRIA NA REGIÃO SUL DO PAÍS NOS DIAS 08-10 DE JULHO DE 2006, UTILIZANDO SENSORIAMENTO REMOTO Aline Schneider Falck 1, Paulo Roberto Pelufo Foster 2 RESUMO - Este trabalho

Leia mais

Dezembro de 2012 Sumário

Dezembro de 2012 Sumário 02 Dezembro de 2012 Sumário BOLETIM DIÁRIO DO TEMPO... 2 Boletim do Tempo para 02 de Dezembro... 2 Previsão do Tempo para o dia 03 de Dezembro de 2012 (24 horas)... 4 Tendência para o dia 04 de Dezembro

Leia mais

UMA ANÁLISE SINÓTICA DO MÊS DE JANEIRO DE 2005 COM ÊNFASE NO VÓRTICE DO NORDESTE: UM ESTUDO DE CASO.

UMA ANÁLISE SINÓTICA DO MÊS DE JANEIRO DE 2005 COM ÊNFASE NO VÓRTICE DO NORDESTE: UM ESTUDO DE CASO. UMA ANÁLISE SINÓTICA DO MÊS DE JANEIRO DE 2005 COM ÊNFASE NO VÓRTICE DO NORDESTE: UM ESTUDO DE CASO. Virgínia de Fátima Bezerra Nogueira 1, Valner da Silva Nogueira 2 e Gustavo Carlos Juan Escobar 3 RESUMO

Leia mais

ANEXO 3. Considerações para Eficiência Energética no projeto de Edificações Comerciais, de Serviço e Públicas

ANEXO 3. Considerações para Eficiência Energética no projeto de Edificações Comerciais, de Serviço e Públicas ANEXO 3 DADOS RELATIVOS À EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Considerações para Eficiência Energética no projeto de Edificações Comerciais, de Serviço e Públicas 1. Considerações gerais As edificações comerciais apresentam

Leia mais

GUIA CLIMA: SISTEMA DE MONITORAMENTO AGROMETEOROLÓGICO DE MATO GROSSO DO SUL

GUIA CLIMA: SISTEMA DE MONITORAMENTO AGROMETEOROLÓGICO DE MATO GROSSO DO SUL GUIA CLIMA: SISTEMA DE MONITORAMENTO AGROMETEOROLÓGICO DE MATO GROSSO DO SUL CARLOS RICARDO FIETZ 1, EDER COMUNELLO 2, DANILTON LUIZ FLUMIGNAN 3 1 Eng. Agr., Dr., Pesquisador, Embrapa Agropecuária Oeste,

Leia mais

Aplicação de Indicadores de Tempo Severo na Caracterização de um Ciclone Intenso

Aplicação de Indicadores de Tempo Severo na Caracterização de um Ciclone Intenso Aplicação de Indicadores de Tempo Severo na Caracterização de um Ciclone Intenso Mariana Ximenes do Nascimento 1, Karen Santiago Grossmann², Wallace Figueiredo Menezes³ 1,2,3 Instituto de Geociências da

Leia mais

BOLETIM CLIMÁTICO SOBRE A PRIMAVERA NO ESTADO DO PARANÁ

BOLETIM CLIMÁTICO SOBRE A PRIMAVERA NO ESTADO DO PARANÁ BOLETIM CLIMÁTICO SOBRE A PRIMAVERA NO ESTADO DO PARANÁ Data da previsão: 22/09/15 Duração da Primavera: 23/09/15 (05h20) a 22/12/2015 (01h48 não ajustado ao horário de verão) Características climáticas

Leia mais

PARÂMETROS TÍPICOS PARA A OCORRÊNCIA DE NEVOEIRO DE RADIAÇÃO. Parte I: CARACTERÍSTICAS EM SUPERFÍCIE

PARÂMETROS TÍPICOS PARA A OCORRÊNCIA DE NEVOEIRO DE RADIAÇÃO. Parte I: CARACTERÍSTICAS EM SUPERFÍCIE PARÂMETROS TÍPICOS PARA A OCORRÊNCIA DE NEVOEIRO DE RADIAÇÃO. Parte I: CARACTERÍSTICAS EM SUPERFÍCIE Abstract Everson Dal Piva* everson@cpmet.ufpel.tche.br Natalia Fedorova natalia@cpmet.ufpel.tche.br

Leia mais

Submódulo 9.6. Acompanhamento e previsão meteorológica e climática

Submódulo 9.6. Acompanhamento e previsão meteorológica e climática Submódulo 9.6 Acompanhamento e previsão meteorológica e climática Rev. Nº. 0.0 0.1 1.0 Motivo da revisão Este documento foi motivado pela criação do Operador Nacional do Sistema Elétrico. Atendimento à

Leia mais

Submódulo 9.6. Acompanhamento e previsão meteorológica e climática

Submódulo 9.6. Acompanhamento e previsão meteorológica e climática Submódulo 9.6 Acompanhamento e previsão meteorológica e climática Rev. Nº. 0.0 0.1 Motivo da revisão Este documento foi motivado pela criação do Operador Nacional do Sistema Elétrico. Atendimento à Resolução

Leia mais

A atuação do INMET, CPTEC e da Marinha do Brasil/CHM durante a ocorrência de um sistema de baixa pressão no oceano Atlântico Sul em março de 2010

A atuação do INMET, CPTEC e da Marinha do Brasil/CHM durante a ocorrência de um sistema de baixa pressão no oceano Atlântico Sul em março de 2010 A atuação do INMET, CPTEC e da Marinha do Brasil/CHM durante a ocorrência de um sistema de baixa pressão no oceano Atlântico Sul em março de 2010 Marcia dos Santos Seabra 1, Alaor Dall Antonia Júnior 2

Leia mais

CONTEXTO SINÓTICO DO COMPLEXO CONVECTIVO DE MESOESCALA QUE PASSOU PELO RIO GRANDE DO SUL EM 11/07/2006

CONTEXTO SINÓTICO DO COMPLEXO CONVECTIVO DE MESOESCALA QUE PASSOU PELO RIO GRANDE DO SUL EM 11/07/2006 CONTEXTO SINÓTICO DO COMPLEXO CONVECTIVO DE MESOESCALA QUE PASSOU PELO RIO GRANDE DO SUL EM 11/07/2006 Diego Simões Fernandes 1, Paulo Roberto Pelufo Foster 2 RESUMO - O estudo de Sistemas Convectivos

Leia mais

PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL

PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL MARÇO/ABRIL/MAIO - 2016 Cooperativa de Energia Elétrica e Desenvolvimento Rural MARÇO/2016 El Niño 2015-2016 Observações recentes sobre a região do Oceano Pacífico Equatorial

Leia mais

INFOCLIMA BOLETIM DE INFORMAÇÕES CLIMÁTICAS. Ano de agosto de 2004 Número 8. Sumário Executivo

INFOCLIMA BOLETIM DE INFORMAÇÕES CLIMÁTICAS. Ano de agosto de 2004 Número 8. Sumário Executivo INFOCLIMA BOLETIM DE INFORMAÇÕES CLIMÁTICAS Ano 11 17 de agosto de 2004 Número 8 Previsão de Consenso 1 CPTEC/INPE e INMET CONDIÇÕES PRÓXIMAS DO NORMAL NA MAIOR PARTE DO PAÍS Sumário Executivo O mês de

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES

RELATÓRIO DE ATIVIDADES Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas Universidade de São Paulo RELATÓRIO DE ATIVIDADES Área : Mestrado em Meteorologia Projeto : Efeito da ressurgência oceânica costeira na camada

Leia mais

EMPREGO DE MODELAGEM NUMÉRICA PARA ESTIMATIVA DE RADIAÇÃO SOLAR NO ESTADO DO CEARÁ

EMPREGO DE MODELAGEM NUMÉRICA PARA ESTIMATIVA DE RADIAÇÃO SOLAR NO ESTADO DO CEARÁ EMPREGO DE MODELAGEM NUMÉRICA PARA ESTIMATIVA DE RADIAÇÃO SOLAR NO ESTADO DO CEARÁ Francisco José Lopes de Lima 1,2, Fernando Ramos Martins 1, Jerfferson Souza, 1 Enio Bueno Pereira 1 1 Instituto Nacional

Leia mais

Submódulo 9.6. Acompanhamento e previsão meteorológica e climática

Submódulo 9.6. Acompanhamento e previsão meteorológica e climática Submódulo 9.6 Acompanhamento e previsão meteorológica e climática Rev. Nº. 2.0 2016.12 Motivo da revisão Versão decorrente da Audiência Pública nº 002/2011. Versão decorrente da Audiência Pública nº 020/2015.

Leia mais

O RELEVO E AS TEMPERATURAS MÍNIMAS NO SUL-BRASILEIRO

O RELEVO E AS TEMPERATURAS MÍNIMAS NO SUL-BRASILEIRO O RELEVO E AS TEMPERATURAS MÍNIMAS NO SUL-BRASILEIRO Adriano BATTISTI 1,2, Bruno Vidaletti BRUM 1, Otávio Costa ACEVEDO 1, Pablo Eli Soares de OLIVEIRA 1 1 Universidade Federal de Santa Maria UFSM Avenida

Leia mais

PRECIPITAÇÃO ABAIXO DO PADRÃO NO FINAL DA PRIMAVERA

PRECIPITAÇÃO ABAIXO DO PADRÃO NO FINAL DA PRIMAVERA Ano 14 / Número 10 BOLETIM CLIMÁTICO NOVEMBRO DEZEMBRO - JANEIRO (2016-2017) Estado do Rio Grande do Sul Resp. Técnica: 8 0 DISME/INMET e CPPMet/UFPEL Porto Alegre, 19 de outubro de 2016. PRECIPITAÇÃO

Leia mais

EVENTO EXTREMO DE CHUVA NO LITORAL DE SÃO PAULO E NO RIO DE JANEIRO DE ABRIL DE 2014

EVENTO EXTREMO DE CHUVA NO LITORAL DE SÃO PAULO E NO RIO DE JANEIRO DE ABRIL DE 2014 EVENTO EXTREMO DE CHUVA NO LITORAL DE SÃO PAULO E NO RIO DE JANEIRO 13-15 DE ABRIL DE 2014 Entre o domingo (13/04/2014) e a terça-feira (15/04/2014) houve grande acumulado de chuva em localidades do litoral

Leia mais

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002 XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, CALIBRAGEM ESTATÍSTICA DAS PREVISÕES DE TEMPERATURA DO MODELO ETA Luiz Rodrigo Lins Tozzi e Maria Gertrudes Alvarez Justi da Silva Departamento

Leia mais