ATA 12/2014 ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE DE PELOTAS. No dia 24 de julho de 2014, com início às 19h, no auditório da Casa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ATA 12/2014 ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE DE PELOTAS. No dia 24 de julho de 2014, com início às 19h, no auditório da Casa"

Transcrição

1 ATA 12/2014 ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE DE PELOTAS. No dia 24 de julho de 2014, com início às 19h, no auditório da Casa dos Conselhos, na cidade de Pelotas/RS, realizou-se a ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE DE PELOTAS, tendo como pauta: 1. Informes; 2. Ata 09/2013; 3. Apresentação de novo conselheiro na Direção do CMSPel; 4. Projeto Consultório Itinerante (HE-UFPel)- Pactuação do plano de ação da implantação; 5. Inclusão de membro na Comissão Técnica (CS Fragata: Francisco Roig); 6. Avaliação do Of. 506 da SMS (Produtos Médicos de Uso Único); 7.Plano de Aplicação de recurso do Programa Nota Fiscal Gaúcha-etapa 38, para o HEP no valor de R$ 1.367,61; 8.Prestação de contas de recurso do programa NFGetapa 38, para o HEP no valor de R$ 1.367,61. A Assembleia foi presidida pela conselheira Janaína Quinzen Willrich e secretariada pelo conselheiro Márcio Torma. A Assembleia contou com a participação de 31 conselheiros, conforme registro no livro de presença, foram 10 do segmento gestor/prestador, 7 trabalhadores, e 14 usuários, e registraram presença 12 visitantes 1. Informes: Da Direção: Janaína Willrich, SERGS, registra que a SMS mandou documento indicando novos representantes para a plenária, para os meses de julho, agosto e setembro será representado por Ana Costa (titular) e Leandro Thurow (suplente), e para os meses de outubro, novembro e dezembro será representado por Maria Regina Reis (titular) e Leandro Mansur (suplente). Também o Diretório Acadêmico Ana Nery encaminhou novos representantes são Cassia Kohls (titular) e Priscila Morais (suplente). OSC Gesto encaminhou representantes para a plenária Maiquel Fouchy (titular) e Vânia Beatriz Araújo (suplente). Informa que o CES convida os conselheiros para o Seminário de Capacitação CGU que será realizado no dia 07/08 às 9hs em Porto Alegre. Acredita que deve haver representantes do CMSPel por se tratar de um seminário muito importante dando preferência para os conselheiros representantes da COMFIS. Comunica que o Conselho encaminhará a SMS documento solicitando que o atendimento do CAPS Castelo seja restabelecido com urgência, pois o trabalho do CAPS não é somente de liberar medicamentos. Também causa estranheza e confusão a todos e principalmente aos usuários o fato da suposta mudança do nome CAPS Castelo para CAPS Fragata Sul relegando assim a história do 1ª CAPS da cidade. SMS: Ana Costa, SMS, informa que não houve mudança do nome do CAPS, mantendo-se então o nome CAPS Castelo. Quanto à mudança de endereço se deu pelo fato do proprietário de quem o imóvel era alugado faleceu e com isto os familiares decidiram pela venda do imóvel ficando um prazo de 60 dias para conseguir um novo imóvel para sediar o CAPS, não foi conseguido um novo local devido aos valores altos solicitados pelos imóveis visitados. No momento esta sendo avaliado um novo local ao lado da Estilo, mas há uma previsão de construção do CAPS o qual já saiu a portaria, mas o recurso ainda não foi liberado e será construído em um terreno próximo ao local em era sediado o antigo CAPS Castelo. Aproveita para tranqüilizar todos, inclusive os usuários, que o serviço não será extinto e nem haverá mudança do nome do mesmo. Informa que a UBS da Colônia Maciel esta atendendo em um local improvisado, pois já foi assinado contrato com empresa construtora e a ordem de serviço será assinada na Colônia Maciel no dia 29 para inicio das obras de construção e reforma da unidade. Dos Conselheiros e Visitantes: Tânia Oliveira, CS Fragata, informa que o antigo prédio que se localizava o CAPS Fragata não foi devolvido para a proprietária estando ainda de responsabilidade da prefeitura e o mesmo foi arrobando. Ivon Lopes, AUSSMPE, pede que o atendimento do CAPS Castelo seja restabelecido o mais rápido possível, pois os usuários necessitam além de medicamentos das oficinas terapêuticas. Acredita que o valor de R$ 7.000,00 solicitados por uma dos imóveis, localizado na rua Dom Pedro II, não é um absurdo, pois os usuários não podem ficar sem atendimento. Jamila Rockembach, enfermeira do CAPS

2 Castelo, informa que um novo local para o CAPS Castelo está sendo procurado a um ano e foi pedido a SMS que atenção especial a uma casa cujo o valor do aluguel seria de R$ 7.000,00 sendo a manutenção feita pelo proprietário este imóvel não foi aceito. Conseguiu-se outro imóvel (Dom Pedro II) fora do território, mas que demandava de toda a estrutura necessária para o atendimento também com o valor de R$ 7.000,00, mas na quinta-feira foram informados que não iriam para este endereço na sexta-feira foi feita a mudança do material do CAPS pra o CAPS Escola. Informa que no momento o CAPS está atendendo na sala da nutrição da SMS, sendo que o atendimento é somente médico e com psicólogos não sendo feita nenhuma oficina terapêutica e poucos grupos. Wilmar Costa, OAB, solicita que haja maior coesão entre os segmentos do CMSPel. Informa a gravidade da direção do CMSPel não estar paritária como consta na resolução nº 333 do CNS, sendo assim solicita que se faça uma esforço para que seja cumprido esta obrigatoriedade. 2. Ata 09/2013: Janaína Willrich informa que a ata é da plenária realizada no dia 06 de junho de Colocada em votação a aprovação da Ata 09/2013 que obteve 26 favoráveis e 5 abstenções. 3. Apresentação de novo conselheiro na Direção do CMSPel: Janaína Willrich apresenta Cristiana Gularte Silveira representante da APAE assumirá o cargo de 4ª secretária. Sendo assim a direção esta paritária tendo como representantes Janaína Willrich, presidente, representante do SERGS (segmento trabalhadores), Maiquel Fouchy, 1º vice-presidente, representante OSC Gesto (segmento usuário), Márcio Torma, 2º vice-presidente, representante do SIMP (segmento usuários), Hilda Heinenn, 3ª vice-presidente, representante da, representante da 3ª CRS (segmento gestor), Luiz Fernando Veronez, 1º secretário, representante da ASUFPel (segmento trabalhador), Flávia Scatollin, 2ª secretária, representante da MITRA (segmento usuário), Ivon Lopes, 3º secretário, representante AUSSMPE (segmento usuário) e Cristiana Silveira, 4ª secretária, representante da APAE (segmento prestador). Cristiana Silveira, APAE, informa que espera contribuir com o conselho. 4. Projeto Consultório Itinerante (HE-UFPel)- Pactuação do plano de ação da implantação: Parecer das Comissões: CS Bucal: A Comissão incluiu na avaliação do projeto as seguintes recomendações: a) Esclarecer que a responsabilidade da Secretaria Municipal de Saúde é acolher os casos contra referenciados do Projeto Consultório Itinerante; b) Em relação à triagem, conforme o inciso 5º e alínea C da Portaria nº 15 de outubro de 2013, compete a Secretaria de Educação a triagem para os atendimentos. Para isso, a escola deve estabelecer critérios sociais, acrescidos das necessidades auto referidas; c) Recomendamos incluir no parecer de aprovação do projeto que, em função da infraestrutura necessária para a operacionalização das carretas, em Pelotas durante a vigência do projeto, a carreta ficará localizada no Anglo e a função itinerante ocorrerá em caráter intermunicipal; d) Que a articulação do projeto com os programas do município se dá a partir da ampliação da capacidade de procedimentos clínicos básicos e oferta de atenção especializada para crianças e adolescentes, através da atuação do serviço de residência multiprofissional e saúde da criança. COMFIN: Conforme deliberação realizada na reunião de 26/06 a comissão considerou que todos os questionamento foram considerados satisfatório. Ressalta-se que na apresentação a COMFIN recomenda para aprovação. COMTEC: A COMTEC já avaliou e emitiu parecer sobre este projeto, e ratifica seu parecer anterior (aprovação do projeto apresentado). Recomenda que seja anexado ao projeto as respostas às dúvidas levantadas pela Plenária do CMSPel, a serem encaminhadas pelo HE-UFPel por Ofício. (NOTA À DIREÇÃO: quando o projeto já tiver sido avaliado pelas Comissões, pedimos que, em caso de dúvidas da Plenária, as perguntas sejam encaminhadas, diretamente à parte envolvida, e as eventuais respostas retornem diretamente à Plenária). Questionamentos das plenárias dos dias 22/05 e 26/06/2014 a serem esclarecidas

3 pelas comissões: 1- Falta clareza na forma de inclusão deste serviço na rede municipal; 2- Plano de ação sistema de referência e contra referência que será efetuado pelo programa; 3- Quais são os profissionais das escolas que serão responsáveis pela triagem dos alunos para as consultas; 4- De quem é a responsabilidade de garantir o espaço para que o funcionamento da estrutura fora do Anglo; 5- Quais as escolas serão contempladas pelo programa; 6- Os profissionais do Consultório Itinerante serão contratados por quem; 7- Como foi feita a discussão intersetorial entre SMED e SMS; 8- Condição de itinerância não está clara dentro do município de Pelotas; 9- Qual o limite de distância entre o Anglo e a escola que será atendida; 10- Como será a pactuação do transporte dos alunos das Escolas até o consultório (municipais e estaduais). Camila Schwonke, coordenadora de Ensino, Pesquisa e Extensão UFPel, com relação a questão número um esclarece que o programa esta incluído na rede municipal conforme a portaria do programa através do PSE e Brasil Alfabetizado visando a prevenção, promoção e atenção a saúde. A princípio no município de Pelotas estavam cadastradas seis escolas no PSE, mas houve alteração neste número e o projeto pretende ampliar este atendimento. A questão dois que trata da referência e contra referência ficou acordado que quem fará a referência serão as escolas, ESF e o Programa Sorrindo na Escola. A contra referência será encaminhada para as ESF, caso não seja possível será encaminhado pra o microssistema de saúde da UFPel através da Faculdade de Odontologia e FAMED, onde é apresentado os modelos dos formulários de referência, contra referência e de autorização dos responsáveis para tratamento dos estudantes encaminhados. Questão número três sobre responsabilidade das triagens dos estudantes informa que a triagem de oftalmologia esta sendo feita pelo Lions Clube de Pelotas através do Projeto Prevenção à Deficiência Visual. Já a triagem odontológica será feita pelos professores das escolas utilizando critério social e necessidade auto referida, por odontologos das UBS e do Programa Sorrindo na Escola. Cabendo salientar que a portaria que rege o programa define que é competência das SMED e Secretaria Estadual... encaminhar a populaçãoalvo triada no PSE e cadastrada no PBA para o atendimento nos consultórios Itinerantes.. Em relação à questão número 4 informa que a responsabilidade de garantir o espaço adequado para o funcionamento da estrutura do consultório itinerante será da Secretaria de Educação de cada município atendido que deverá realizar análise prévia do local, indicando se há condições de acesso à escola. Sendo que a itinerância do projeto se dará nos municípios da 3º CRS. A questão número cinco no que diz respeito às escolas do município que serão atendidas são elas: EMEI Paulo Freire - Dunas I, EMEF Núcleo Habitacional Dunas Dunas III e II, EMEF Jornalista Deogar Soares Dunas IV e I, EMEF Mário Meneguetti Getúlio Vargas e EMEF Independência Sítio Floresta. Após o atendimento destas escolas será feito um novo planejamento junto com a SMED para ampliação das escolas beneficiadas. Questão número seis, foi explicado que será feito concurso específico, que já está tramitando no MS e ME, para a contratação para o Programa Consultório Itinerante e o quantitativo de profissionais serão: de: 71 Assistentes Administrativos, 74 Médicos Oftalmologistas, 37 Técnicos em Óptica, 68 Cirurgiões Dentistas e 68 Técnicos em Saúde Bucal. Sobre a questão número sete informa que após a publicação da portaria interministerial foram comunicadas a SMS, SMED, 5ª CRE e 3ª CRS para que fossem encaminhados representantes para participar de reuniões para que fosse tratado do assunto. No total foram realizadas cinco reuniões para discutir cada estratégia. Na questão oito foi esclarecido que para o funcionamento do Consultório Itinerante é necessário seguir o Manual Básico de Operação que exige alguns pré requisitos, como: ter área rigorosamente nivelada de 8x10m de base de resistência para seis toneladas; espaço livre para a manobra de caminhão tipo truck; a área deverá ser circundada com um cordão de isolamento eqüidistante de 5m no mínimo; ponto de

4 energia de 220 Volts que disponibilize no mínimo 50 Amperes em um disjuntor de mesmo valor com distância máxima de 20m; encanamento de água com pressão razoável em ½ polegada com torneira de jardim e distância máxima de 20m; encanamento para a recepção de esgoto com diâmetro de ¾ de polegada distante no máximo 20 e manter segurança com vigia 24h. Com relação à maior distância questionada no item 9 ela é de 11 km da Escola Independência, no Bairro Sítio Floresta, a sede do Consultório Itinerante que fica localizada no Anglo. A questão 10 sobre a pactuação do transporte informa que foi pactuado com a SMED e a mesma comprometeu-se em realizar o deslocamento dos estudantes até o local de atendimento. Ficou também estabelecido que será otimizado o agendamento para que seja efetuado o maior número possível de atendimentos. Há um local próprio para o estacionamento do ônibus escolar e será implantado um ambiente de acolhimento. Janaína Willrich lê o ofício número 146/2014-SMED datado de 25 de junho de 2014 encaminhado pelo Sr. Gilberto de Lima Garcias, secretario da SMED, à Camila Schwonke, coordenadora de Ensino, Pesquisa e Extensão UFPel, no qual informa que a SMED irá dar apoio as escolas municipais na liberação de transporte para conduzir os alunos para ser atendidos no projeto. Também lê o ofício número 540/2014-SMS de 27 de junho de 2014 encaminhado pelo Sra. Ana Costa, secretária em substituição da SMS, à Dra. Julieta Fripp, diretora do HE-UFPel, onde informa que a SMS está de acordo com o Plano de Ação para Pactuação do Projeto Consultório Itinerante de Odontologia e Oftalmologia. Francisco Assis, ADOTE, discorda quando no parecer da comissão de Saúde Bucal se refere que haverá critérios sociais e também na resposta dada na questão três sendo assim gostaria de obter informação sobre o que são estes critérios sociais. Jacqueline Dutra, SINURGS, informa que na portaria não consta utilização de critérios sociais. Na portaria se refere que deverão ser atendidos prioritariamente educandos do PSE ou PBA, mas também não é um critério obrigatório. Gostaria também por que a Escola do Navegantes foi excluída, pois desde o começo ela está cadastrada no PSE e na primeira apresentação do projeto ela constava como escola que seria contemplada. Tânia Bighetti, CRO, informa que faz parte da rede BrasBuco e as dúvidas sobre o projeto que estão sendo discutidas no CMSPel também estão acontecendo em todo Brasil, por isto solicita que seja feito um manifesto e encaminhando para o MS e ME. Acredita que a triagem de odontologia que será efetuada pelo Programa Sorrindo na Escola será um problema, pois o programa constitui em fazer escovação supervisionada e não tem caráter de triagem. Solicita esclarecimento com relação à contratação dos profissionais em Pelotas, pois só foi comentado o geral e não ficando clara a quantidade de profissionais necessários para o município. Com relação à contra referência acredita que a Faculdade de Odontologia não terá como absorver esta demanda, pois já há problemas com a demanda que há na própria faculdade. Ana Costa explica que em relação à itinerância concorda com o secretário da SMED quando prefere que os alunos sejam levados até onde ficará o Consultório Itinerante, pois criar a estrutura necessária em todas as escolas para acolher o consultório é um custo muito alto. Acredita que por ser um programa novo deverá ser observado e avaliado para que seja se necessário feito ajuste. Com relação à referência e contra referência explica que será referenciado pelo ESF, professores, Projeto Sorrindo na Escola e até mesmo a auto referência, acredita que os Auxiliares de Saúde Bucal que fazem parte do Projeto Sorrindo na Escola têm condições de avaliar no momento da escovação se o aluno tem algum problema dentário. A contra referência será feita para a rede de saúde e não para a Faculdade de Odontologia ou FAMED, as contra referências serão encaminhadas para o sistema da SMS para posteriormente encaminhar o paciente para o atendimento especializado. Camila Schwonke explica que a escola do Navegantes não está nesta apresentação, pois no momento que ela foi feita a 5ª CRE não havia respondido as convocações da coordenação do projeto. Mas como a 5ª CRE

5 participou da última reunião foi decidido que a escola será incluída. No caso da Faculdade de Odontologia ela é uma parceira do projeto onde há um docente participando da construção do projeto e também existe um projeto extensão cadastrado na Pró-Reitoria de Extensão de Educação e Cultura (PREC) com possibilidade de recursos sendo ela participante da rede como um todo, não está se querendo sobrecarregar pontos específicos. O que se pretende é que o projeto seja resolutivo, mas pode ser que tenha que haver contra referência para outros serviços. Janaína Willrich encaminha sugere a retira do item critério social, pois o SUS é universal. Também sugere para coordenadora do projeto, Camila Schwonke, que seja procurado o Departamento de Saúde Bucal Coletiva, pois acredita que o projeto este ligado com ele. Leandro Thurow, SMS, informa que o Programa Sorrindo na Escola poderá encaminhar, mas não tem como fazer uma triagem, pois triagem é um termo muito abrangente. Com relação ao que foi discutido na comissão de Saúde Bucal em termos de critérios sociais o que se quis dizer é que para quando for feito o encaminhamento do aluno para o projeto fosse avaliado o comprometimento da família e que os alunos contemplados sejam aqueles com menos comprometimento, pois a escola vai ser responsável por levar este aluno. Solicita que as autorizações dos pais ou responsáveis sejam encaminhadas junto com a re matrícula dos alunos, pois se for deixado para outro momento pode ser que se torne mais difícil se conseguir esta autorização. Bernadete Lovatel, CRESS, vê o projeto como positivo tanto na parte de odontologia e oftalmologia, principalmente no que se refere à oftalmologia, pois os professores facilmente podem identificar os alunos com problemas de visão. Francisco Assis encaminha que seja retirado o item critério social. Camila Schwonke informa que os critérios de encaminhamento serão feitos pelo grupo intersetorial municipal do PSE, cuja finalidade do grupo é articular o trabalho da UBS com a escola e concorda com a retirada do termo critério social. Ana Costa e acredita quando a comissão falou em critério social na verdade quis se referir ao termo equidade. Jacqueline Dutra encaminha que seja esclarecido e registrado que o critério social que foi deliberado pela comissão de saúde bucal é para que não haja duplicidade de atendimento de um mesmo paciente, pois se o mesmo já está sendo atendido pelo odontologo da escola ou UBS não seja referenciado para o projeto. Além disto, encaminha que no texto do projeto conste que no município de Pelotas o projeto não terá a condição de itinerância. Também encaminha que conste que o atendimento é prioritariamente para alunos do PSE, como consta no projeto do MS, mas que não obrigatoriamente como esta sendo apresentado para a plenária, assim dá acesso a outras crianças. Janaína reitera seu encaminhamento da retirada do termo critério social sendo substituída por necessidade referida, encaminhado por professores e odontologos ou necessidade em saúde bucal. Colocado em votação o Projeto Consultório Itinerante (HE-UFPel)- Pactuação do plano de ação da implantação com os pareceres das comissões e com os encaminhamentos retirados da plenária que são: substituir o termo critérios sociais por necessidades em saúde bucal; colocar no plano de pactuação do projeto o que esta na portaria do MS onde consta que o atendimento será prioritariamente dos cadastrados no PSE e que o Projeto Consultório Itinerante no município de Pelotas não terá condição de itinerante, sendo aprovado com 28 votos favoráveis e 1abstenção. 5. Inclusão de membro na Comissão Técnica (CS Fragata: Francisco Roig): Parecer da COMTEC: As inclusões, alterações e exclusões de membros das comissões, quaisquer que sejam elas, são sempre realizadas unicamente pela Plenária, todos os anos. Logo, a COMTEC não tem como avaliar este ponto. Francisco Assis informa que a comissão esta completa com oito membros. Foi colocado em votação que será encaminhado ao conselheiro Francisco Roig documento informando que o mesmo deve solicitar vaga na COMTEC quando houver vaga disponível e foi aprovado por unanimidade. 6. Avaliação do Of. 506 da SMS (Produtos Médicos de

6 Uso Único): Parecer das comissões: COMFIN: PE 40/2014- Fase de homologação; PE 49/2014- Fase das análise de amostra; PE 62/2014- Fase das análise de amostra; PE 50/2014- Fase das análise de amostra; PE 70/2014- Fase das análise de amostra; PE 52/2014- Licitação para 30/07/2014; PE 83/2014- Fase das análise de amostra; PE 84/2014- Fase das análise de amostra. Conforme analise da documentação solicitada pelo CMSPel, mesmo com atraso (data aprovação plano de trabalho 22/08/2013) a COMFIN acatou satisfatoriamente o andamento dos pregões. COMTEC: A COMTEC recomenda que o pleito da SMS (Ofício 506/2014) referente à aplicação de recursos da Emenda Parlamentar, no valor de R$ ,00, seja aprovado se comprovado o cumprimento da deliberação da Plenária de 22/08/2013, segundo a qual Na licitação de compra dos materiais seja definida a entrega programada a cada três meses, com um prazo de validade dos produtos e materiais de no mínimo 2 (dois) anos, posterior à entrega. Em atenção ao Ofício 106/2014 do CMSPel, a SMS informou a lista de produtos sob licitação na qual consta a exigência do prazo de validade. Com respeito ao cronograma de entrega (a cada três meses), objeto de contrato, a COMTEC recomenda que a SMS anexe ao processo uma minuta do contrato que será firmado com os fornecedores vencedores das licitações. Alessandra, SMS, informa que é uma emenda parlamentar e que em contato com o MS houve a orientação que fosse dada ciência ao CMSPel das compras dos Produtos Médicos de Uso Único que seriam efetuadas. Neste momento foi entregue a mesa os editais e a minuta do contrato conforme foi solicitado pela COMTEC. Informa que todas as informações sobre estas compras estão no site do Cidade Compras (www.cidadecompras.com.br) onde o cronograma de entrega estão em anexo nos editais. Colocado em votação a Avaliação do Of. 506 da SMS (Produtos Médicos de Uso Único) que foi aprovado com 24 votos favoráveis e 2 abstenções. 7.Plano de Aplicação de recurso do Programa Nota Fiscal Gaúcha-etapa 38, para o HEP no valor de R$ 1.367,61: Parecer da COMFIN: NFG 1367,61 inicial. Conforme planos de aplicações e prestação de contas a COMFIN recomenda sua aprovação. 8.Prestação de contas de recurso do programa NFG- etapa 38, para o HEP no valor de R$ 1.367,61: Parecer da COMFIN: NFG 1367,61 inicial. Conforme planos de aplicações e prestação de contas a COMFIN recomenda sua aprovação. Janaína Willrich solicita que os dois pontos sejam avaliados juntos. Tiago Martinato, HEP, informa que o valor de R$ 1.367,61 do NFG etapa 38 foi utilizado para a compra de uma TV de 40 e suporte para uso dos pacientes, sendo que o hospital deu uma contra partida de R$ 70,39 para complementar o valor total de R$ 1.448,00. Colocado em votação o Plano de Aplicação e Prestação de Contas do recurso NFG etapa 38 no valor de R$ 1367,61 que foi aprovado com 27 votos favoráveis e 1 abstenção. A reunião foi encerrada às 20h21 e após será lavrada a presente Ata que depois de lida e aprovada, serão encaminhadas cópias ao Prefeito Municipal, Promotor Público de Justiça ou Semelhante, à Câmara Municipal de Vereadores e às instituições que as requererem. Para conhecimento, registra-se para os devidos fins que as manifestações encontram-se gravadas em arquivos eletrônicos. Janaína Quinzen Willrich Márcio Torma Presidente do CMSPel Secretária da Plenária

REGULAMENTO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA

REGULAMENTO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA REGULAMENTO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA Art. 1º - O Núcleo Docente Estruturante do Curso de Graduação em Odontologia, instituído pela Portaria IMMES nº 010, de 15 de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 142/15 - CIB/RS. A Comissão Intergestores Bipartite/RS, no uso de suas atribuições legais, e considerando:

RESOLUÇÃO Nº 142/15 - CIB/RS. A Comissão Intergestores Bipartite/RS, no uso de suas atribuições legais, e considerando: RESOLUÇÃO Nº 142/15 - CIB/RS A Comissão Intergestores Bipartite/RS, no uso de suas atribuições legais, e considerando: o Decreto nº 6.093, de 24 de abril de 2007, que dispõe sobre a reorganização do Programa

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO URBANO CAPÍTULO I DA NATUREZA, COMPOSIÇÃO E ORGANIZAÇÃO

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO URBANO CAPÍTULO I DA NATUREZA, COMPOSIÇÃO E ORGANIZAÇÃO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO URBANO CAPÍTULO I DA NATUREZA, COMPOSIÇÃO E ORGANIZAÇÃO Art. 1º - O Conselho Municipal de Planejamento Urbano, criado pela Lei Complementar nº 510,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO HOSPITAL MATERNO INFANTIL PRESIDENTE VARGAS. Capítulo I Da denominação e sede

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO HOSPITAL MATERNO INFANTIL PRESIDENTE VARGAS. Capítulo I Da denominação e sede REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO HOSPITAL MATERNO INFANTIL PRESIDENTE VARGAS Capítulo I Da denominação e sede Art. 1º A Associação dos Amigos do Hospital Materno-Infantil Presidente Vargas,

Leia mais

ATA 17/2014 ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE DE PELOTAS. No dia 02 de outubro de 2014, com início às 19h, no auditório da

ATA 17/2014 ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE DE PELOTAS. No dia 02 de outubro de 2014, com início às 19h, no auditório da 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 ATA 17/2014 ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DO CONSELHO MUNICIPAL

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO INTERNO

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO INTERNO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DO CONSELHO, ATRIBUIÇÕES E SUA COMPOSIÇÃO Art. 1.º- O Conselho Municipal de Educação de Carlos Barbosa, criado pela Lei Municipal nº1.176 de

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA EM ENFERMAGEM

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA EM ENFERMAGEM REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA EM ENFERMAGEM CAPÍTULO I Natureza, Finalidade, Sede e Foro Art. 1º - A Comissão Nacional de Residência em Enfermagem - CONARENF, criada pela Portaria

Leia mais

Regimento Interno do Comitê de Remuneração e Sucessão

Regimento Interno do Comitê de Remuneração e Sucessão Regimento Interno do Comitê de Remuneração e Sucessão 1 ARTIGO Artigo 1º - NATUREZA, OBJETO E APROVAÇÃO DO REGIMENTO INTERNO Artigo 2º - COMPOSIÇÂO, CARGOS E MANDATOS Artigo 3º - DA PRESIDÊNCIA E SECRETARIADO

Leia mais

CONSULTA Nº 164.517/2013

CONSULTA Nº 164.517/2013 1 CONSULTA Nº 164.517/2013 Assunto: Sobre como SAMU deve proceder em certas situações na sala de Regulação Médica do 192, procedimentos em diversas situações, na sala de Regulação Médica do 192, devido

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES - Edital Nº 32, de 24 de julho de 2014 - RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL E EM ÁREA PROFISSIONAL DA SAÚDE

PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES - Edital Nº 32, de 24 de julho de 2014 - RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL E EM ÁREA PROFISSIONAL DA SAÚDE PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES - Edital Nº 32, de 24 de julho de 2014 - RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL E EM ÁREA PROFISSIONAL DA SAÚDE ORIENTAÇÕES PARA SOLICITAÇÃO DE FINANCIAMENTO DE BOLSAS DE RESIDÊNCIA

Leia mais

EDITAL DE COMPOSIÇÃO DO COMITÊ GESTOR DO PROGRAMA MUNICIPAL DE PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS

EDITAL DE COMPOSIÇÃO DO COMITÊ GESTOR DO PROGRAMA MUNICIPAL DE PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS EDITAL DE COMPOSIÇÃO DO COMITÊ GESTOR DO PROGRAMA MUNICIPAL DE PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS A Secretaria Municipal de Agricultura, Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente convida os Órgãos Públicos

Leia mais

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários ESTATUTO DA LIGA GERIATRIA E GERONTOLOGIA - LIG Capítulo I - Da Natureza e Finalidade ART. 1º - A LIGA DE GERIATRIA E GERONTOLOGIA é uma entidade sem fins lucrativos, com duração ilimitada, sob a supervisão

Leia mais

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários ESTATUTO DA LIGA ACADÊMICA DE ESPORTES E SAÚDE - LIES Capítulo I - Da Natureza e Finalidade ART. 1º - A Liga Acadêmica de Esportes e Saúde é uma entidade sem fins lucrativos, com duração ilimitada, sob

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO COLEGIADO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DA FACULDADE DE APUCARANA - FAP

REGULAMENTO INTERNO DO COLEGIADO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DA FACULDADE DE APUCARANA - FAP 205 ANEXO B Regulamento Interno do Colegiado do Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação REGULAMENTO INTERNO DO COLEGIADO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DA FACULDADE DE APUCARANA - FAP 206 CAPÍTULO

Leia mais

REGULAMENTO DOS COLEGIADOS DE CURSO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DOS COLEGIADOS DE CURSO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DOS COLEGIADOS DE CURSO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art.1º. O Colegiado de Curso, previsto no Regimento Geral da Faculdade Guairacá é órgão da Coordenação Didática, destinado a

Leia mais

Regimento do Comitê de Tecnologia da Informação

Regimento do Comitê de Tecnologia da Informação Regimento do Comitê de Tecnologia da Informação Capítulo 1 Da Natureza e das Competências Art. 1º - O Comitê de Tecnologia da Informação (CTI) instituído pela portaria Nº 1319/GR, de 15 de Setembro de

Leia mais

FORUM PERMANENTE DA AGENDA 21 LOCAL DE SAQUAREMA REGIMENTO INTERNO. CAPITULO 1-Da natureza, sede, finalidade, princípios e atribuições:

FORUM PERMANENTE DA AGENDA 21 LOCAL DE SAQUAREMA REGIMENTO INTERNO. CAPITULO 1-Da natureza, sede, finalidade, princípios e atribuições: FORUM PERMANENTE DA AGENDA 21 LOCAL DE SAQUAREMA REGIMENTO INTERNO CAPITULO 1-Da natureza, sede, finalidade, princípios e atribuições: Artigo I: O Fórum Permanente da Agenda 21 de Saquarema, criado pelo

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR 1. Como são os cursos ofertados pela plataforma freire e quais os benefícios para os professores que forem selecionados? O professor sem formação poderá estudar nos

Leia mais

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA PSE

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA PSE 2013 PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA PSE RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO PSE NO ANO DE 2013. Janeiro/2014 PREFEITURA MUNICIPAL DO SURUBIM SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA

Leia mais

Programa de Inclusão Digital dos Conselhos de Saúde. O que é. Objetivo. Como se estrutura

Programa de Inclusão Digital dos Conselhos de Saúde. O que é. Objetivo. Como se estrutura MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA/SGEP CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE/CNS Programa de Inclusão Digital dos Conselhos de Saúde O que é O Programa de Inclusão Digital dos Conselhos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 016/2015 DE 05 DE MARÇO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 016/2015 DE 05 DE MARÇO DE 2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 016/2015 DE 05

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO EXECUTIVA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REDITUS - SOCIEDADE GESTORA DE PARTICIPAÇÕES SOCIAIS, S.A.

REGULAMENTO DA COMISSÃO EXECUTIVA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REDITUS - SOCIEDADE GESTORA DE PARTICIPAÇÕES SOCIAIS, S.A. REGULAMENTO DA COMISSÃO EXECUTIVA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REDITUS - SOCIEDADE GESTORA DE PARTICIPAÇÕES SOCIAIS, S.A. ARTIGO 1.º (Âmbito e Aplicabilidade) 1. O presente regulamento estabelece as regras

Leia mais

Sistema de Gestão do Programa Bolsa Família

Sistema de Gestão do Programa Bolsa Família Sistema de Gestão do Programa Bolsa Família Desde o dia 01 de dezembro, o novo sistema de Gestão do Programa Bolsa Família (SIGPBF) do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) está disponível para os

Leia mais

Câmara Municipal de Carnaubal

Câmara Municipal de Carnaubal Câmara Municipal de Carnaubal ATA DA 2º ( SEGUNDDA) SESSÃO ORDINÁRIA DO 1º PRIMEIRO PERÍODO LEGISLATIVO ANO 2015 Ata da Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Carnaubal CE; realizada no dia 24 ( VINTE

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA MINISTRADOS PELA FATEC-SOROCABA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA MINISTRADOS PELA FATEC-SOROCABA Fatec Sorocaba REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA MINISTRADOS PELA FATEC-SOROCABA Sorocaba, 2010 Reduza, Reutilize, Recicle REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - CMAS RESOLUÇÃO CMAS Nº 16, DE 26 DE SETEMBRO DE 2011

CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - CMAS RESOLUÇÃO CMAS Nº 16, DE 26 DE SETEMBRO DE 2011 CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - CMAS RESOLUÇÃO CMAS Nº 16, DE 26 DE SETEMBRO DE 2011 Resolução CMAS nº 16, 26 de setembro de 2011, revoga a Resolução CMAS nº 01/2002 e define os parâmetros para

Leia mais

NORMAS REGULADORAS DO PROCESSO SELETIVO Edital Nº 17/2014-SEDIS

NORMAS REGULADORAS DO PROCESSO SELETIVO Edital Nº 17/2014-SEDIS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA NACIONAL DE FORTALECIMENTOS DOS CONSELHOS ESCOLARES PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO CENTRO DE EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

Leia mais

MORADIA ESTUDANTIL INFORMES DA PRAE N.º 002/2013

MORADIA ESTUDANTIL INFORMES DA PRAE N.º 002/2013 MORADIA ESTUDANTIL INFORMES DA PRAE N.º 002/2013 RELATÓRIO DA REUNIÃO REALIZADA DIA 12.04. 2013 ENTRE O CONSELHO DA MORADIA ESTUDANTIL E REPRESENTANTES DA UFSC FLORIANÓPOLIS, 30 DE ABRIL DE 2013 1 APRESENTAÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 052/2014, DE 12 DE AGOSTO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 052/2014, DE 12 DE AGOSTO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Conselho Superior Rua Ciomara Amaral de Paula, 167 Bairro Medicina 37550-000 - Pouso Alegre/MG Fone: (35)

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde Por uma política de saúde do trabalhador do SUS na Secretaria Municipal de Divinópolis/MG Marília Fraga Cerqueira

Leia mais

REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982

REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982 REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982 Artigo 1º. - A FUNDAÇÃO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM AGRONOMIA, MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA - FUNEP, além das disposições constantes de seu Estatuto

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 21/2007

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 21/2007 RESOLUÇÃO Nº 21/2007 O DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, CONSIDERANDO o que consta do Processo nº 25.154/2007-18 CENTRO DE EDUCAÇÃO (CE); CONSIDERANDO

Leia mais

FÓRUM REGIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL DO ALTO VALE DO ITAJAÍ RIO DO SUL SC 2015 CARTA DE PRINCÍPIOS

FÓRUM REGIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL DO ALTO VALE DO ITAJAÍ RIO DO SUL SC 2015 CARTA DE PRINCÍPIOS FÓRUM REGIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL DO ALTO VALE DO ITAJAÍ RIO DO SUL SC 2015 CARTA DE PRINCÍPIOS 1. Natureza e Finalidade O Fórum Regional de Educação Infantil do Alto Vale do Itajaí - FREIAVI é um espaço

Leia mais

LEI Nº 982 DE 16 DE MAIO DE 2013.

LEI Nº 982 DE 16 DE MAIO DE 2013. LEI Nº 982 DE 16 DE MAIO DE 2013. Dispõe sobre a criação, composição, competência e funcionamento do Conselho Municipal de Esporte e Lazer CMEL. O Povo do Município de Turvolândia Estado de Minas Gerais,

Leia mais

3.1 Planejar, organizar logística e tecnicamente das Oficinas temáticas de formação da Agentes de Prevenção e seus parceiros locais.

3.1 Planejar, organizar logística e tecnicamente das Oficinas temáticas de formação da Agentes de Prevenção e seus parceiros locais. EDITAL DO CENTRO DE PROMOÇÃO DA SAÚDE TERMO DE REFERÊNCIA Nº 10/2012 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 10/2012 TIPO: MELHOR TÉCNICA O Centro de Promoção da Saúde, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita

Leia mais

Sistema Integrado de Avaliação do Desempenho na Administração Publica (SIADAP)

Sistema Integrado de Avaliação do Desempenho na Administração Publica (SIADAP) Sistema Integrado de Avaliação do Desempenho na Administração Publica (SIADAP) REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CONSELHO COORDENADOR DA AVALIAÇÃO O Decreto Regulamentar n.º 18/2009, de 4 de setembro, procedeu

Leia mais

EDITAL Nº001, DE 13 DE JANEIRO DE 2015.

EDITAL Nº001, DE 13 DE JANEIRO DE 2015. EDITAL Nº001, DE 13 DE JANEIRO DE 2015. A Presidente do no uso de suas atribuições legais e regulamentadas pela Lei Nº 2.750 de 31 de Dezembro publica as normas para o processo eleitoral das entidades

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SANTA MARIA DA FEIRA

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SANTA MARIA DA FEIRA REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SANTA MARIA DA FEIRA O Decreto-Lei nº7/2003, de 15 de Janeiro, com as alterações introduzidas pela Lei nº 41/2003, de 22 de Agosto, retificada pela

Leia mais

ESTATUTO DO CONSELHO DO PROJETO VIVATIVA

ESTATUTO DO CONSELHO DO PROJETO VIVATIVA ESTATUTO DO CONSELHO DO PROJETO VIVATIVA I CONCEITO E FINALIDADE a) o Conselho é associação livre de voluntários com a finalidade de organizar ações de cunho sócio/cultural/ambiental, pelos meios que os

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE

REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE TÍTULO I DA COMPOSIÇÃO E DAS COMPETÊNCIAS CAPÍTULO I - DA COMPOSIÇÃO Art. 1º O CONSEPE é o órgão colegiado superior que supervisiona e

Leia mais

Manuel Lima Soares Filho Presidente do CEG/FDID. Anastácio Jorge Matos de Souza Marinho Conselheiro - PGE

Manuel Lima Soares Filho Presidente do CEG/FDID. Anastácio Jorge Matos de Souza Marinho Conselheiro - PGE 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 Aos oito dias do mês de janeiro de dois mil e sete, às nove horas,

Leia mais

LEI Nº 2.699, DE 8 DE SETEMBRO DE 2014.

LEI Nº 2.699, DE 8 DE SETEMBRO DE 2014. LEI Nº 2.699, DE 8 DE SETEMBRO DE 2014. Dispõe sobre adequação da Lei nº 1.253, de 12 de abril de 1996 que instituiu o Conselho de Alimentação Escolar do Município de Ananindeua, e dá outras providências.

Leia mais

RESOLUÇÃO CSA N.º 05, DE 14 DE ABRIL DE 2015

RESOLUÇÃO CSA N.º 05, DE 14 DE ABRIL DE 2015 RESOLUÇÃO CSA N.º 05, DE 14 DE ABRIL DE 2015 Altera o Regimento Interno da Comissão Própria de Avaliação (CPA) das Faculdades Ponta Grossa. A Presidente do Conselho Superior de Administração das Faculdades

Leia mais

REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MANUTENÇÃO

REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MANUTENÇÃO REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MANUTENÇÃO Capítulo I da Finalidade Art. 1o. - Este Regimento Interno complementa e disciplina disposições do Estatuto da Associação Brasileira de Manutenção

Leia mais

SAÚDE. Coordenador: Liliane Espinosa de Mello

SAÚDE. Coordenador: Liliane Espinosa de Mello Coordenador: Liliane Espinosa de Mello SAÚDE Visão: Que Santa Maria seja o principal Polo na Área de Saúde do interior do Rio Grande do Sul, contribuindo para a melhor qualidade de vida da população da

Leia mais

LEI Nº 2.998/2007 CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO

LEI Nº 2.998/2007 CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO LEI Nº 2.998/2007 REGULAMENTA O CONSELHO MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO URBANO - COPLAN, CRIADO NO ARTIGO 2º, DA LEI COMPLEMENTAR N.º 037/2006, DE 15 DE DEZEMBRO, QUE DISPOE SOBRE NORMAS DE

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO TECNOLÓGICA INOVATEC/UERGS 2012

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO TECNOLÓGICA INOVATEC/UERGS 2012 PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO TECNOLÓGICA INOVATEC/UERGS 2012 EDITAL PROPPG 011/2011 O Reitor da UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO

Leia mais

I RELATÓRIO. Histórico

I RELATÓRIO. Histórico INTERESSADO: CEFORP Centro de Formação Profissional de Ribeirão Preto - UF: SP ASSUNTO: Credenciamento do Instituto de Ensino Superior de Formação Profissional, com sede na cidade de Ribeirão Preto, Estado

Leia mais

Perguntas e Respostas Conselho de Usuários VIVO

Perguntas e Respostas Conselho de Usuários VIVO Perguntas e Respostas Conselho de Usuários VIVO Resolução n o 623, de 18 de Outubro de 2013 1. Qual a Resolução que trata sobre Conselho de Usuários e onde ela está disponível? Trata-se da Resolução n

Leia mais

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA NOTA JUSTIFICATIVA A Lei 159/99, de 14 de Setembro, estabelece no seu artigo 19.º, n.º 2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os Conselhos locais de Educação. A Lei 169/99, de 18

Leia mais

REGIMENTO DO FÓRUM ESTADUAL PERMANENTE DE APOIO À FORMAÇÃO DOCENTE GOIÁS (FORPROF-GO)

REGIMENTO DO FÓRUM ESTADUAL PERMANENTE DE APOIO À FORMAÇÃO DOCENTE GOIÁS (FORPROF-GO) REGIMENTO DO FÓRUM ESTADUAL PERMANENTE DE APOIO À FORMAÇÃO DOCENTE GOIÁS (FORPROF-GO) Goiânia-2010 REGIMENTO DO FÓRUM ESTADUAL PERMANENTE DE APOIO À FORMAÇÃO DOCENTE GOIÁS (FORPROF-GO) CAPÍTULO I DOS FUNDAMENTOS

Leia mais

Edital Instituto Sabin - 01/2015

Edital Instituto Sabin - 01/2015 Edital Instituto Sabin - 01/2015 Seleção pública de iniciativas empreendedoras socioambientais inovadoras para parceria com o Instituto Sabin O Instituto Sabin, torna público o presente Edital e convoca

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA CRECHE DA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

REGIMENTO INTERNO DA CRECHE DA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE Conforme texto publicado no Boletim de Serviço nº 047 de 18/04/2005 páginas 05 a 11 REGIMENTO INTERNO DA CRECHE DA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares Seção I Da criação

Leia mais

Número do Documento: 1005795

Número do Documento: 1005795 Número do Documento: 1005795 Governo do Estado do Ceará Secretaria da Ciência Tecnologia e Educação Superior Universidade Estadual do Ceará UECE Secretaria dos Órgãos de Deliberação Coletiva - SODC RESOLUÇÃO

Leia mais

Universidade de Uberaba Curso de Medicina ESTATUTO DA LIGA DE DIABETES DA UNIUBE

Universidade de Uberaba Curso de Medicina ESTATUTO DA LIGA DE DIABETES DA UNIUBE Universidade de Uberaba Curso de Medicina ESTATUTO DA LIGA DE DIABETES DA UNIUBE Capitulo I Da Sede. Fórum. Denominação e Finalidades Art. 1º - A Liga de Diabetes da Universidade de Uberaba é um órgão

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO PEDAGÓGICO

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO PEDAGÓGICO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO PEDAGÓGICO TRIÉNIO 2014/2017 Artigo 1º Princípios Gerais 1. O Conselho Pedagógico é o órgão de coordenação e orientação educativa da unidade orgânica, nomeadamente nos domínios

Leia mais

2. Princípios fundamentais. 3. Objetivos

2. Princípios fundamentais. 3. Objetivos CARTA DE PRINCÍPIOS DO FÓRUM NACIONAL DOS TRABALHADORES DO SISTEMA ÚNICO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL FTSUAS. Princípios norteadores de funcionamento do Fórum 1. Natureza O Fórum Nacional dos Trabalhadores do

Leia mais

Perguntas freqüentes Projeto Serviços e Cidadania

Perguntas freqüentes Projeto Serviços e Cidadania Perguntas freqüentes Projeto Serviços e Cidadania 1. Sobre o Projeto 1.1. O que é o Projeto Serviços e Cidadania? É um canal de serviços gratuitos que oferece apoio nas áreas de gestão, jurídica e comunicação

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO I V S E M I N Á R I O D E E X E C U Ç Ã O F I N A N C E I R A D E P R O J E T O S F I N A N C I A D O S C O M R E C U R S O S E X T E R N O S MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE

Leia mais

Normas de regulamentação para a certificação de. atualização profissional de títulos de especialista e certificados de área de atuação.

Normas de regulamentação para a certificação de. atualização profissional de títulos de especialista e certificados de área de atuação. Normas de regulamentação para a certificação de atualização profissional de título de especialista e certificado de área de atuação Em decorrência do convênio celebrado entre a Associação Médica Brasileira

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 008/2013

RESOLUÇÃO Nº 008/2013 RESOLUÇÃO Nº 008/2013 Súmula: Define critérios para apresentação de projetos para o valor R$966.734,86 (Novecentos e sessenta e seis mil, setecentos e trinta e quatro reais e oitenta e seis centavos) do

Leia mais

PROJETO ELO PARA A CIDADANIA

PROJETO ELO PARA A CIDADANIA PROJETO ELO PARA A CIDADANIA I - IDENTFICAÇÃO Entidade Executora: Ordem dos Advogados do Brasil OAB Subseção de Pirassununga, a Secretaria Municipal da Promoção Social, a Secretaria Municipal de Educação,

Leia mais

Programa de Mestrado em Informática 1

Programa de Mestrado em Informática 1 Programa de Mestrado em Informática 1 REGULAMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM INFORMÁTICA DA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS I - OBJETIVOS DO CURSO ART. 1º - O Curso de

Leia mais

EDITAL 08/2015-DF DE CONVOCAÇÃO DAS ENTIDADES RESOLVE:

EDITAL 08/2015-DF DE CONVOCAÇÃO DAS ENTIDADES RESOLVE: EDITAL 08/2015-DF DE CONVOCAÇÃO DAS ENTIDADES O Doutor Rhamice Ibrahim Ali Ahmad Abdallah - MM. Juiz de Direito e Diretor do Foro da Comarca de Rondonópolis, Estado de Mato Grosso, no uso de suas atribuições

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE SÃO TIAGO-MG CADASTRO NACIONAL DE ESTABELECIMENTO DE SAÚDE: 6627803

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE SÃO TIAGO-MG CADASTRO NACIONAL DE ESTABELECIMENTO DE SAÚDE: 6627803 REGULAMENTO VI CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE SÃO TIAGO CAPITULO I DA REALIZAÇÃO Art. 1º A VI Conferência Municipal de Saúde de São Tiago é convocada e presidida pelo Prefeito Municipal e, na sua ausência

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ATENAS MARANHENSE DE IMPERATRIZ- FAMA CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ATENAS MARANHENSE DE IMPERATRIZ- FAMA CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ATENAS MARANHENSE DE IMPERATRIZ- FAMA CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art 1º O presente Regimento disciplina a organização, o funcionamento

Leia mais

Havendo número legal, o senhor Presidente declarou aberta a Sessão. Deu as boas vindas aos presentes, registrou com alegria a presença dos

Havendo número legal, o senhor Presidente declarou aberta a Sessão. Deu as boas vindas aos presentes, registrou com alegria a presença dos 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO, REALIZADA NO

Leia mais

PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 16/3/2009, Seção 1, Pág. 21. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 16/3/2009, Seção 1, Pág. 21. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 16/3/2009, Seção 1, Pág. 21. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Ministério da Educação/Secretaria de Educação

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE ARBITRAGEM

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE ARBITRAGEM ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE LEIRIA COMUNICADO OFICIAL N.º 051 Data: 2012.09.26 Para conhecimento dos Clubes filiados, Comunicação Social e demais interessados, se comunica: REGIMENTO INTERNO DO Cumprindo

Leia mais

Professor Rodrigo Marques de Oliveira Presidente do Conselho Acadêmico do IFMG - Campus Governador Valadares

Professor Rodrigo Marques de Oliveira Presidente do Conselho Acadêmico do IFMG - Campus Governador Valadares SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS GOVERNADOR VALADARES - CONSELHO ACADÊMICO Av. Minas Gerais, 5.189 - Bairro Ouro

Leia mais

Câmara Municipal de Resende REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO

Câmara Municipal de Resende REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO Câmara Municipal de Resende REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO A Lei n.º 159/99, de 14 de setembro estabelece no seu artigo 19º, nº 2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. BKR-Lopes, Machado Orientador Empresarial LEX

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. BKR-Lopes, Machado Orientador Empresarial LEX VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Orientador Empresarial LEX Jovem Empreendedor Programa de Crédito Orientado Comitês de Aprovação Regulamento Operacional CARTA-CIRCULAR

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FACULDADE DE DIREITO Coordenação de Atividades Complementares

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FACULDADE DE DIREITO Coordenação de Atividades Complementares UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FACULDADE DE DIREITO Coordenação de Atividades Complementares REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA O CURSO DE GRADUAÇÃO Art.1º Este Regulamento define,

Leia mais

RECONHECIMENTO DE DIPLOMA DE PÓS-GRADUAÇAO DE MESTRADO E DOUTORADO OBTIDO EM INSTITUIÇÃO ESTRANGEIRA

RECONHECIMENTO DE DIPLOMA DE PÓS-GRADUAÇAO DE MESTRADO E DOUTORADO OBTIDO EM INSTITUIÇÃO ESTRANGEIRA RECONHECIMENTO DE DIPLOMA DE PÓS-GRADUAÇAO DE MESTRADO E DOUTORADO OBTIDO EM INSTITUIÇÃO ESTRANGEIRA De acordo com a Resolução Complementar nº01/2007, de 8/11/2007, Art.1º, a Universidade Federal de Minas

Leia mais

REGIMENTO INTERNO COMISSÃO DE RESÍDUOS EMBRAPA SEMI-ÁRIDO DA COMPOSIÇÃO E DAS COMPETÊNCIAS

REGIMENTO INTERNO COMISSÃO DE RESÍDUOS EMBRAPA SEMI-ÁRIDO DA COMPOSIÇÃO E DAS COMPETÊNCIAS REGIMENTO INTERNO COMISSÃO DE RESÍDUOS EMBRAPA SEMI-ÁRIDO DA COMPOSIÇÃO E DAS COMPETÊNCIAS Art. 1º - A Comissão de Resíduos da EMBRAPA SEMI-ÁRIDO, instituída pela Portaria n o 558 de 12 de agosto de 2003,

Leia mais

Carta de Campinas 1) QUANTO AO PROBLEMA DO MANEJO DAS CRISES E REGULAÇÃO DA PORTA DE INTERNAÇÃO E URGÊNCIA E EMERGÊNCIA,

Carta de Campinas 1) QUANTO AO PROBLEMA DO MANEJO DAS CRISES E REGULAÇÃO DA PORTA DE INTERNAÇÃO E URGÊNCIA E EMERGÊNCIA, Carta de Campinas Nos dias 17 e 18 de junho de 2008, na cidade de Campinas (SP), gestores de saúde mental dos 22 maiores municípios do Brasil, e dos Estados-sede desses municípios, além de profissionais

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO CONSULTIVO DO AUDIOVISUAL DE PERNAMBUCO

REGIMENTO DO CONSELHO CONSULTIVO DO AUDIOVISUAL DE PERNAMBUCO REGIMENTO DO CONSELHO CONSULTIVO DO AUDIOVISUAL DE PERNAMBUCO CAPITULO I DA NATUREZA E FINALIDADE Art. 1º - O Conselho Consultivo do Audiovisual de Pernambuco, órgão colegiado permanente, consultivo e

Leia mais

REGIMENTO DOS LABORATÓRIOS MULTIUSUÁRIOS DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO (RESOLUÇÃO CCS 102/2011)

REGIMENTO DOS LABORATÓRIOS MULTIUSUÁRIOS DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO (RESOLUÇÃO CCS 102/2011) REGIMENTO DOS LABORATÓRIOS MULTIUSUÁRIOS DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO (RESOLUÇÃO CCS 102/2011) CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO E FINALIDADES Art.1º- Os Laboratórios

Leia mais

MUNICÍPIO DE LAGOA AÇORES REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE PREÂMBULO

MUNICÍPIO DE LAGOA AÇORES REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE PREÂMBULO REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE PREÂMBULO Em 1986 a Organização Mundial de Saúde (OMS) lança o projeto Cidades Saudáveis em 11 cidades europeias. O propósito desta iniciativa visou fortalecer

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO ABERTA E A DISTÂNCIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO ABERTA E A DISTÂNCIA CHAMADA PÚBLICA PARA SELEÇÃO DE CURSISTAS DO CURSO DE EXTENSÃO: FORMAÇÃO CONTINUADA DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO EDITAL DE SELEÇÃO, INSCRIÇÃO E MATRÍCULA PARA CURSO DE EXTENSÃO - FORMAÇÃO CONTINUADA

Leia mais

Orientações Gerais para as Disciplinas de Trabalho de Conclusão do Cursos de Sistemas para Internet IFRS - Câmpus Porto Alegre

Orientações Gerais para as Disciplinas de Trabalho de Conclusão do Cursos de Sistemas para Internet IFRS - Câmpus Porto Alegre Orientações Gerais para as Disciplinas de Trabalho de Conclusão do Cursos de Sistemas para Internet IFRS - Câmpus Porto Alegre Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul -

Leia mais

CURSO: O SUS PARA NOVOS SECRETÁRIOS DE SAÚDE. Início da Nova Gestão Diagnóstico, Planejamento e Controle Social.

CURSO: O SUS PARA NOVOS SECRETÁRIOS DE SAÚDE. Início da Nova Gestão Diagnóstico, Planejamento e Controle Social. CURSO: O SUS PARA NOVOS SECRETÁRIOS DE SAÚDE. Início da Nova Gestão Diagnóstico, Planejamento e Controle Social. TRANSIÇÃO Organograma Oficial da Secretaria com os atuais ocupantes, condição (efetivo ou

Leia mais

Capítulo I das Atividades do Conselho

Capítulo I das Atividades do Conselho REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE ITARANTIM BA, DE ACORDO COM A LEI Nº 11.947/2009 E RESOLUÇÃO/CD/FNDE Nº 038/2009. Capítulo I das Atividades do Conselho

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Serviço Social é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais

Leia mais

CARTA CONVITE N 04/2012 CONVÊNIO 760683/2011 SDH/PR

CARTA CONVITE N 04/2012 CONVÊNIO 760683/2011 SDH/PR CARTA CONVITE N 04/2012 CONVÊNIO 760683/2011 SDH/PR TIPO: MENOR PREÇO O Centro de Defesa da Criança e do Adolescente Glória de Ivone CEDECA-TO, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita no Cadastro

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO DEPARTAMENTAL

REGULAMENTO DO CONSELHO DEPARTAMENTAL Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional REGULAMENTO DO CONSELHO DEPARTAMENTAL RESOLUÇÃO Nº. 073/12-COGEP de 07/12/12 Curitiba

Leia mais

SECRETARIA DE SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA DE COORDENAÇÃO GERAL DIRETORIA GERAL DE PLANEJAMENTO - GERÊNCIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA

SECRETARIA DE SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA DE COORDENAÇÃO GERAL DIRETORIA GERAL DE PLANEJAMENTO - GERÊNCIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA NOTA TÉCNICA 07/13 RELATÓRIO ANUAL DE GESTÃO - RAG ORIENTAÇÕES GERAIS Introdução O Planejamento é um instrumento de gestão, que busca gerar e articular mudanças e aprimorar o desempenho dos sistemas de

Leia mais

Manual do Sistema para abertura de curso de extensão pelos docentes EACH - USP

Manual do Sistema para abertura de curso de extensão pelos docentes EACH - USP Manual do Sistema para abertura de curso de extensão pelos docentes EACH - USP 1.INTRODUÇAO...... 3 2.ONDE CONSEGUIR INFORMAÇÔES?... 4 Normas USP... 4 Site EACH...4 Sistema de atendimento da Comissão de

Leia mais

Ata n. 25 da Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Medeiros Neto BA.

Ata n. 25 da Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Medeiros Neto BA. Ata n. 25 da Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Medeiros Neto BA. Aos quatro (04) dias do Mês de Março (03) do ano de Dois Mil e Treze (2013), às 17:35 horas, com a presença de nove (09) vereadores,

Leia mais

Art. 1º Fica aprovado, na forma do Anexo, o Regimento Interno do Conselho Nacional de Arquivos - CONARQ. JOSÉ EDUARDO CARDOZO ANEXO

Art. 1º Fica aprovado, na forma do Anexo, o Regimento Interno do Conselho Nacional de Arquivos - CONARQ. JOSÉ EDUARDO CARDOZO ANEXO PORTARIA Nº 2.588, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011 Aprova o Regimento Interno do Conselho Nacional de Arquivos O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso de suas atribuições previstas nos incisos I e II do parágrafo

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO FÓRUM ESTADUAL PERMANENTE DE APOIO À FORMAÇÃO DOCENTE DO ESTADO DO AMAPÁ TITULO I DA NATUREZA

REGIMENTO INTERNO DO FÓRUM ESTADUAL PERMANENTE DE APOIO À FORMAÇÃO DOCENTE DO ESTADO DO AMAPÁ TITULO I DA NATUREZA REGIMENTO INTERNO DO FÓRUM ESTADUAL PERMANENTE DE APOIO À FORMAÇÃO DOCENTE DO ESTADO DO AMAPÁ TITULO I DA NATUREZA Art. 1. O Fórum Estadual Permanente de Apoio à Formação Docente do Estado do Amapá é a

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CONSELHO GESTOR DAS UNIDADES DE SAUDE

REGIMENTO INTERNO CONSELHO GESTOR DAS UNIDADES DE SAUDE REGIMENTO INTERNO CONSELHO GESTOR DAS UNIDADES DE SAUDE SEÇÃO I Da Instituição: Art. 1º - O presente Regimento Interno, regula as atividades e as atribuições do Conselho Gestor na Unidade de Saúde, conforme

Leia mais

PORTARIA Nº 876/GM, DE 16 DE MAIO DE 2013. p. DOU, Seção1, de 17.5.2013, págs. 135/136

PORTARIA Nº 876/GM, DE 16 DE MAIO DE 2013. p. DOU, Seção1, de 17.5.2013, págs. 135/136 PORTARIA Nº 876/GM, DE 16 DE MAIO DE 2013 p. DOU, Seção1, de 17.5.2013, págs. 135/136 Dispõe sobre a aplicação da Lei nº 12.732, de 22 de novembro de 2012, que versa a respeito do primeiro tratamento do

Leia mais

MINUTA DE DECRETO MUNICIPAL

MINUTA DE DECRETO MUNICIPAL CONJACI CONSELHO DISTRITAL DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE JACI-PARANÁ Distrito de Jaci-Paraná Município de Porto Velho - RO MINUTA DE DECRETO MUNICIPAL Dezembro de 2012. MINUTA DE DECRETO MUNICIPAL

Leia mais

Ata de Reunião. Data da Reunião: 02/07/2013 Horário: 10h00min às 18h00min Local: Apex Brasil.

Ata de Reunião. Data da Reunião: 02/07/2013 Horário: 10h00min às 18h00min Local: Apex Brasil. Ata de Reunião 1. IDENTIFICAÇÃO DA REUNIÃO Data da Reunião: 02/07/2013 Horário: 10h00min às 18h00min Local: Apex Brasil. Líder da Reunião: Regina Silvério Telefones: (61) 3426-0785 Ordem do dia: Reunião

Leia mais

Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS Programa de Práticas Sócio-Jurídicas PRASJUR Curso de Serviço Social

Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS Programa de Práticas Sócio-Jurídicas PRASJUR Curso de Serviço Social Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS Programa de Práticas Sócio-Jurídicas PRASJUR Curso de Serviço Social PAPER DA CARTILHA DO FÓRUM INTERSETORIAL DE CONSELHOS DE POLÍTICAS PÚBLICAS NO MUNICÍPIO

Leia mais

Ata Conselho de Usuários 12/11/2008.

Ata Conselho de Usuários 12/11/2008. Ata Conselho de Usuários 12/11/2008. Aos doze dias do mês de novembro de dois mil e oito, às 08h40min., reuniram-se o Presidente do Conselho, Sr. Osvaldo Eustáquio, o Vice-Presidente Sr. Petrolinces de

Leia mais

D.O.U, de 26 de maio de 2011, Seção 1, pag. 35 COMITÊ NACIONAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA. DELIBERAÇÃO No- 1, DE 5 DE MAIO DE 2011

D.O.U, de 26 de maio de 2011, Seção 1, pag. 35 COMITÊ NACIONAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA. DELIBERAÇÃO No- 1, DE 5 DE MAIO DE 2011 D.O.U, de 26 de maio de 2011, Seção 1, pag. 35 COMITÊ NACIONAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA DELIBERAÇÃO No- 1, DE 5 DE MAIO DE 2011 Institui o Regimento Interno do Comitê Nacional de Educação Financeira. O COMITÊ

Leia mais

Edital nº 001/2010/GSIPR/SENAD / MS PLANO INTEGRADO DE ENFRENTAMENTO AO CRACK E OUTRAS DROGAS

Edital nº 001/2010/GSIPR/SENAD / MS PLANO INTEGRADO DE ENFRENTAMENTO AO CRACK E OUTRAS DROGAS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA GABINETE DE SEGURANÇA INSTITUCIONAL SECRETARIA NACIONAL DE POLITICAS SOBRE DROGAS MINISTÉRIO DA SAÚDE Comitê Gestor do Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e outras drogas

Leia mais

Regulamento Estágio Curricular Obrigatório

Regulamento Estágio Curricular Obrigatório Regulamento Estágio Curricular Obrigatório CST em Fabricação Mecânica CST em Gestão de Recursos Humanos CST em Mecatrônica Industrial 1 CAPÍTULO I DA JUSTIFICATIVA E FINALIDADES Art. 1º - O programa de

Leia mais