APP - Análise Preliminar de Perigos. Empresa: Santa Rita S.A. Operação: Recebimento de produto Página: 1/5

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APP - Análise Preliminar de Perigos. Empresa: Santa Rita S.A. Operação: Recebimento de produto Página: 1/5"

Transcrição

1 Empresa: Santa Rita S.A. Operação: Recebimento de produto Página: 1/5 Hipótese Perigo Causas Modos de Detecção Efeitos 1 Grande vazamento de álcool desde o até a 1) A empresa possui Programa de 1 de incêndio 2 de explosão 3 2 Médio vazamento de álcool desde o até a 4 de incêndio 5 de explosão 6 3 Pequeno álcool desde o até a Dispersão de gasolina na C II N 7

2 Empresa: Santa Rita S.A. Operação: Recebimento do produto Página: 2/5 4 Grande vazamento 1) A empresa possui Programa de 8 de incêndio 9 de explosão 10 5 Médio vazamento 11 de incêndio 12 de explosão 13 6 Pequeno álcool desde a Dispersão de gasolina na 14

3 Empresa: Santa Rita S.A. Operação: Carregamento de navio Página: 3/5 7 Grande vazamento de álcool desde os 1) A empresa possui Programa de Médio vazamento de álcool desde os Pequeno álcool desde os Dispersão de óleo diesel na 21

4 Empresa: Santa Rita S.A. Operação: Carregamento de navio Página: 4/5 10 Grande vazamento 1) A empresa possui Programa de Médio vazamento Pequeno álcool desde a Dispersão de óleo diesel na 28

5 Empresa: Santa Rita S.A. Operação: Armazenamento de álcool Página: 5/5 Hipótese Perigo Causas Modos de Detecção Efeitos 13 Ruptura catastrófica do tanque - Falha intrínseca do tanque; - Choque mecânico. Incêndio em poça A IV S 1) A empresa possui Programa de Explosão de vapor em condições explosivas no interior do tanque - Operações de carga e descarga do tanque; - Incêndio externo; - Eletricidade estática. CVE B III S 32

ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGO - APP UNIDADE DE REGASEIFICAÇÃO

ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGO - APP UNIDADE DE REGASEIFICAÇÃO ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGO - APP UNIDADE DE REGASEIFICAÇÃO Sub-subsistema: Navio de Transporte de GNL ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGO APP Vazamentos Danos aos tanques de Formação de Visual Seguir rigorosamente

Leia mais

Área: UTE - Pampa Subsistema:

Área: UTE - Pampa Subsistema: Carregamento Pequeno vazamento de diesel em conexões, tubo e mangote. -Vazamento em mangote, conexões, flanges, válvulas, instrumentos. A II RM A I RB A I RB tubulação - Atender as exigências da requisição

Leia mais

ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGO PORTO DO PECEM

ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGO PORTO DO PECEM ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGO PORTO DO PECEM Perda de carga e equipamentos Falhas ao estudar as condições meteoceanográficas. Falha mecânica (Guindastes, empilhadeiras,. Encalhe em bancos de areia e/ou

Leia mais

Módulo 8: Estudo de Caso Posto de Combustíveis

Módulo 8: Estudo de Caso Posto de Combustíveis APOSTILA DO CURSO SOBRE ESTUDO DE ANÁLISE DE RISCOS E PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Relatório Nº: Apostila Análise Risco/2006 Revisão Nº: 2 Módulo 8: Estudo de Caso Posto de Combustíveis Preparado

Leia mais

ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGOS

ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGOS 1 de 16 EIG USS MD DE DETEÇÃ Vazamento de ó- leo contaminado por rompimento do tanque do caminhão devido suas condições operacionais (caminhão/ tanque) Gestão gerencial i- nadequada dos aspectos relacionados

Leia mais

ANEXO II.7-1 - ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGOS - APP

ANEXO II.7-1 - ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGOS - APP ANEXO II.7-1 - ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGOS Pág. 1/19 ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGOS CLIENTE PETROBRAS REV. 00 DATA Out/2010 FOLHA 1/19 INSTALAÇÃO Unidade Marítima de Perfuração NS-21 (Ocean Clipper)

Leia mais

ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGO APP TERMOELÉTRICA GÁS NATURAL

ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGO APP TERMOELÉTRICA GÁS NATURAL ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGO APP TERMOELÉTRICA GÁS NATURAL Sub-subsistema: Alimentação de Gás Natural (CityGate) / Distribuição ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGO - APP Grande tubulações do CityGate Pequeno

Leia mais

Definição dos objetivos da análise, caracterização da instalação e da região de interesse;

Definição dos objetivos da análise, caracterização da instalação e da região de interesse; CAPÍTULO 10 ESTUDO DE ANÁLISE DE RISCO O Estudo de Análise de Riscos (EAR) foi desenvolvido pela empresa RCA Rabaneda Consultoria Ambiental, subcontratada da CPEA e contempla as futuras instalações do

Leia mais

1. INTRODUÇÃO 1.1. O EMPREENDIMENTO

1. INTRODUÇÃO 1.1. O EMPREENDIMENTO 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO 1.1. O EMPREENDIMENTO O Complexo Industrial do Pecém CIP. Este empreendimento está localizado no município de São Gonçalo do Amarante, estado do Ceará, conforme mostra o Mapa

Leia mais

NR 16 ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS

NR 16 ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS NR 16 ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS Aprovada pela Portaria GM nº 3.214, de 08/06/1978 DOU de 06/07/1978 Alterado pela Portaria MTE nº 1.078, de 16/07/2014 DOU de 17/07/2014 Alterado pela Portaria MTE

Leia mais

ANEXO II.8-1 - ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGOS - APP

ANEXO II.8-1 - ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGOS - APP ANEXO II.8-1 - ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGOS - APP Pág. 1/23 Análise Empresa: Petrobras Folha: 1/23 Sistema: Produção de Petróleo e Gás Subsistema: Elevação de Petróleo Data: 04 e 05/10/2010 Liberação

Leia mais

Fundamentos de Automação. Hidráulica 01/06/2015. Hidráulica. Hidráulica. Hidráulica. Considerações Iniciais CURSO DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL

Fundamentos de Automação. Hidráulica 01/06/2015. Hidráulica. Hidráulica. Hidráulica. Considerações Iniciais CURSO DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação CURSO

Leia mais

CADASTRO 6- Garagens de ônibus, transportadoras e similares

CADASTRO 6- Garagens de ônibus, transportadoras e similares CADASTRO 6- Garagens de ônibus, transportadoras e similares 1. Identificação Empresa/Interessado: para correspondência: Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Fone: Fax: E-mail: Atividade: Localização do empreendimento:

Leia mais

n o 2 INTRODUÇÃO GUIAS BÁSICOS DE SEGURANÇA

n o 2 INTRODUÇÃO GUIAS BÁSICOS DE SEGURANÇA n o 2 Armazenamento e Manipulação de Inflamáveis GUIAS BÁSICOS DE SEGURANÇA INTRODUÇÃO O campo dos produtos inflamáveis é amplo e diversificado, estando presente como matéria prima, produto intermediário,

Leia mais

CADASTRO DE POSTOS DE SERVIÇOS

CADASTRO DE POSTOS DE SERVIÇOS CADASTRO DE POSTOS DE SERVIÇOS REQUERENTE SEÇÃO 1: DADOS DE IDENTIFICAÇÃO RAZÃO SOCIAL PRINCIPAL ATIVIDADE LOCAL DA ATIVIDADE BAIRRO CEP NOME DO REPRESENTANTE CARGO TEL. E RAMAL SEÇÃO 2: DADOS ADMINISTRATIVOS

Leia mais

NR 16 - ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS (116.000-1)

NR 16 - ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS (116.000-1) NR 16 - ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS (116.000-1) 16.1. São consideradas atividades e operações perigosas as constantes dos Anexos números 1 e 2 desta Norma Regulamentadora-NR. 16.2. O exercício de

Leia mais

16.1. São consideradas atividades e operações perigosas as constantes dos Anexos números 1 e 2 desta Norma Regulamentadora-NR.

16.1. São consideradas atividades e operações perigosas as constantes dos Anexos números 1 e 2 desta Norma Regulamentadora-NR. NR 16 - Atividades e Operações Perigosas (116.000-1) 16.1. São consideradas s e operações perigosas as constantes dos Anexos números 1 e 2 desta Norma Regulamentadora-NR. 16.2. O exercício de trabalho

Leia mais

Curso: Pós-Graduação em Segurança e Higiene do Trabalho

Curso: Pós-Graduação em Segurança e Higiene do Trabalho Curso: Pós-Graduação em Segurança e Higiene do Trabalho Semana 1 2 3 4 5 27/01 28/01 29/01 30/01 04/02 05/02 06/02 11/02 12/02 13/02 18/02 19/02 20/02 25/02 Sessão de Abertura Prof. Doutor João Calado

Leia mais

Normas Regulamentadoras

Normas Regulamentadoras 1 de 10 6/5/2013 08:39 CLT DINÂMICA Normas Regulamentadoras NR 16 - Atividades e Operações Perigosas (116.000-1) 16.1. São consideradas atividades e operações perigosas as constantes dos Anexos números

Leia mais

CADASTRO 3 - Comércio varejista de combustível

CADASTRO 3 - Comércio varejista de combustível CADASTRO 3 - Comércio varejista de combustível 1. Identificação Empresa/Interessado: Nome fantasia: para correspondência: Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Fone: Fax: E-mail: Atividade: Localização do

Leia mais

2 PRESCRIÇÕES GERAIS PARA O TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS

2 PRESCRIÇÕES GERAIS PARA O TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS 2 PRESCRIÇÕES GERAIS PARA O TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS As prescrições a seguir, exceto indicação em contrário, são aplicáveis ao transporte de produtos de qualquer classe. Elas constituem as precauções

Leia mais

ANEXO II. Análise Preliminar de Perigos APP

ANEXO II. Análise Preliminar de Perigos APP ANEXO II Análise Preliminar de Perigos APP Sistema: Torre Subsistema: Top Drive Data: 05/05/5 Perigo Causas Mo de Corrosão da torre Desgaste por exposição tempo de operabilidade (corrosão) -Desabamento

Leia mais

Curso: Pós-Graduação em Segurança e Higiene do Trabalho

Curso: Pós-Graduação em Segurança e Higiene do Trabalho Curso: Pós-Graduação em Segurança e Higiene do Trabalho Semana 1 16/02 2ª Feira 17/02 18/02 Sessão de Abertura Prof. Doutor João Calado ---------- 19/02 2 02/03 03/03 04/03 09/03 3 10/03 11/03 16/03 4

Leia mais

Eletricidade estática: exposições e controles

Eletricidade estática: exposições e controles Eletricidade estática: exposições e controles Eletricidade estática: exposições e controles INTRODUÇÃO A eletricidade estática é frequente na fonte de ignição de algumas substâncias, tornando-se um real

Leia mais

Componente curricular: Mecanização Agrícola. Curso: Técnico em Agroecologia Professor: Janice Regina Gmach Bortoli

Componente curricular: Mecanização Agrícola. Curso: Técnico em Agroecologia Professor: Janice Regina Gmach Bortoli Componente curricular: Mecanização Agrícola Curso: Técnico em Agroecologia Professor: Janice Regina Gmach Bortoli Mecanização agrícola. 1. Motores agrícola. Agricultura moderna: uso dos tratores agrícolas.

Leia mais

III - ANEXO I e ANEXO II (Conforme Resolução CONAMA n. 273/2000)

III - ANEXO I e ANEXO II (Conforme Resolução CONAMA n. 273/2000) III - ANEXO I e ANEXO II (Conforme Resolução CONAMA n. 273/2000) 1. IDENTIFICAÇÃO DO RESPONSÁVEL PELO EMPREENDIMENTO Nome: Endereço: CEP: CPF: RG: e-mail: 2. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDIMENTO Nome Fantasia:

Leia mais

Operação e Regras de segurança...01. Manutenção Geral...02. Lubrificação de motores...03. Limpeza...04. Armazenamento...05. Identificando falhas...

Operação e Regras de segurança...01. Manutenção Geral...02. Lubrificação de motores...03. Limpeza...04. Armazenamento...05. Identificando falhas... Índice Operação e Regras de segurança...01 Manutenção Geral...02 Lubrificação de motores...03 Limpeza...04 Armazenamento...05 Identificando falhas...06 Certificado de Garantia...07 Operando seu gerador

Leia mais

Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas.

Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas. Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas.es/insht/ INTRODUÇÃO Os incêndios e explosões, ainda que representem uma porcentagem

Leia mais

Portaria nº 147, de 27 de maio de 2009.

Portaria nº 147, de 27 de maio de 2009. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria nº 147, de 27 de maio de 2009.

Leia mais

NR 16 ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS (116.000-1)

NR 16 ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS (116.000-1) NR 16 ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS (116.000-1) * NR aprovada pela Portaria MTb 3.214/1978. 16.1. São consideradas atividades e operações perigosas as constantes dos Anexos números 1 e 2 desta Norma

Leia mais

Para aprendermos a combater o fogo, precisamos conhecê-lo muito bem. Fogo - É uma reação em cadeia de três elementos que produz luz e calor.

Para aprendermos a combater o fogo, precisamos conhecê-lo muito bem. Fogo - É uma reação em cadeia de três elementos que produz luz e calor. COMBATE A INCÊNDIO 116 1 Combate a incêndio Para aprendermos a combater o fogo, precisamos conhecê-lo muito bem. Fogo - É uma reação em cadeia de três elementos que produz luz e calor. Os três elementos

Leia mais

AGÊNCIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE

AGÊNCIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE Conforme a Lei Estadual nº 1., de de embro de 200, FORMULÁRIO PARA EMPREENDIMENTOS POSTOS DE COMBUSTÍVEIS 1. IDENTIFICAÇÃO DO RESPONSÁVEL PELO EMPREENDIMENTO NOME: IDENTIDADE: ENDEREÇO: ÓRGÃO EXPEDIDOR:

Leia mais

Jornada de Trabalho: 44 horas semanais. Repouso remunerado por escala de revezamento

Jornada de Trabalho: 44 horas semanais. Repouso remunerado por escala de revezamento O Profissional Postos Combustíveis FRENTISTA Requisito de escolaridade para exercício da função: Mínimo: Ensino fundamental completo; Comum: Ensino médio em curso; Desejável: estudantes universitários.

Leia mais

bombas dosadoras a motor Por acionamento hidráulico

bombas dosadoras a motor Por acionamento hidráulico Dosadoras a Motor bombas dosadoras a motor Por acionamento hidráulico Serie 600 Serie 500 Há opção de duplo diafragma cabeçotes duplex e válvulas EZE- Serie 700 CLEAN TM consulte-nos! Detalhamento de sistema

Leia mais

PORTARIA DNC Nº 27, DE 16.9.1996 - DOU 17.9.1996

PORTARIA DNC Nº 27, DE 16.9.1996 - DOU 17.9.1996 PORTARIA DNC Nº 27, DE 16.9.1996 - DOU 17.9.1996 Estabelece condições mínimas de segurança das instalações de armazenamento de recipientes transportáveis de GLP. O DIRETOR DO DEPARTAMENTO NACIONAL DE COMBUSTÍVEIS,

Leia mais

INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO

INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO Manual de Operação Revisão 2 - Data 22/03/2011 EQUITEST LEAKTEST 1000 Sistema de Detecção de Variação Volumétrica para Teste de Estanqueidade em tanques UNIDADE DE LEITURA SÉRIE I INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO

Leia mais

Treinamento Multiplicadores NR 20 Segurança e saúde no trabalho com inflamáveis e combustíveis

Treinamento Multiplicadores NR 20 Segurança e saúde no trabalho com inflamáveis e combustíveis Treinamento Multiplicadores NR 20 Segurança e saúde no trabalho com inflamáveis e combustíveis Inflamáveis Características e propriedades Muitos acidentes são evitados ou atenuados quando as características

Leia mais

LIC - LEVANTAMENTO DE INDÍCIOS DE CONTAMINAÇÃO EM IMÓVEIS URBANOS (para esclarecimentos consultar Anexo III) DATA DA VISITA: / /

LIC - LEVANTAMENTO DE INDÍCIOS DE CONTAMINAÇÃO EM IMÓVEIS URBANOS (para esclarecimentos consultar Anexo III) DATA DA VISITA: / / LIC - LEVANTAMENTO DE INDÍCIOS DE CONTAMINAÇÃO EM IMÓVEIS URBANOS (para esclarecimentos consultar Anexo III) 1. DADOS GERAIS DO IMÓVEL DATA DA VISITA: / / 1.1. Identificação do Imóvel: 1.2. Endereço: Cidade:

Leia mais

Investigação Confirmatória

Investigação Confirmatória MODULO 3 Gestores e Técnicos Ambientais Procedimentos para postos e sistemas retalhistas Licenciamento Ambiental Recebimento de Denúncia ou Reclamação Medidas Emergenciais Nenhuma intervenção necessária

Leia mais

zeppini@zeppini.com.br www.zeppini.com.br Estrada Sadae Takagi, 665 CEP 09852-070 Fone (11) 4393-3600 Fax (11) 4393-3609 Zeppini Comercial Ltda

zeppini@zeppini.com.br www.zeppini.com.br Estrada Sadae Takagi, 665 CEP 09852-070 Fone (11) 4393-3600 Fax (11) 4393-3609 Zeppini Comercial Ltda + Sideraço Industrial do Brasil Ltda Rua Francisco Reis, 785-3º Distrito Industrial CEP 88311-710 Itajaí - SC Fone (47) 3341-6700 Fax (47) 3341-6717 vendas@sideraco.com.br www.sideraco.ind.br Zeppini Comercial

Leia mais

ADENDO A DO APÊNDICE V AO ANEXO E CONCEITO DA OPERAÇÃO DO PLANO DE COOPERAÇÃO DE BUSCA E SALVAMENTO

ADENDO A DO APÊNDICE V AO ANEXO E CONCEITO DA OPERAÇÃO DO PLANO DE COOPERAÇÃO DE BUSCA E SALVAMENTO PLAO DE AUXÍLIO MÚTUO MARÍTIMO PAM-M ADEDO A DO APÊDICE V AO AEXO E COCEITO DA OPERAÇÃO DO 1. Conceituação: 1.1. AR - abreviatura do inglês "search and rescue" - Busca e alvamento - correspondente a socorro,

Leia mais

CURSO MULTIPLICADORES NR-20

CURSO MULTIPLICADORES NR-20 CURSO MULTIPLICADORES NR-20 O CONTROLE DAS FONTES DE IGNIÇÃO Data: 28 de maio de 2014 Local: Uberlândia CREA-MG Realização: Prevenir/Fundacentro Apoio: Crea-MG/ Asseng José Possebon Em uma unidade de produção

Leia mais

MANUAL DE FUNCIONAMENTO FILTROS INDUSTRIAIS. G:Manuais/Manuais atualizados/ta

MANUAL DE FUNCIONAMENTO FILTROS INDUSTRIAIS. G:Manuais/Manuais atualizados/ta MANUAL DE FUNCIONAMENTO FILTROS INDUSTRIAIS TA G:Manuais/Manuais atualizados/ta Rev.01 ESQUEMA HIDRÁULICO 1 - INTRODUÇÃO 1.1. - FINALIDADE DESTE MANUAL Este manual proporciona informações teóricas e de

Leia mais

NBR5410 SOB O PONTO DE VISTA DA SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO. Ivan Faccinetto Bottger www.firesafetybrasil.com

NBR5410 SOB O PONTO DE VISTA DA SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO. Ivan Faccinetto Bottger www.firesafetybrasil.com NBR5410 SOB O PONTO DE VISTA DA SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO Ivan Faccinetto Bottger www.firesafetybrasil.com PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DA NBR5410 As instalações elétricas devem ser concebidas e construídas

Leia mais

SIENA / GRAND SIENA TETRAFUEL

SIENA / GRAND SIENA TETRAFUEL SIENA / GRAND SIENA TETRAFUEL Página 1 FIAT CHRYSLER AUTOMOBILES 13/08/2015 DESCRIÇÃO DO SISTEMA GNV COMPONENTES DO SISTEMA GNV 1. Cilindro GNV 2. Suporte do Cilindro de GNV 3. Linha de Alta Pressão: Tubo

Leia mais

Prevenção e Combate a Incêndios

Prevenção e Combate a Incêndios Prevenção e Combate a Incêndios Fogo É uma forma de combustão Combustão É uma forma de oxidação Incêndio É um acidente provocado pelo fogo Analogias Geométricas do Fogo Triângulo do Fogo Tetraedro do Fogo

Leia mais

Alta Pressão. Lideres em tecnologia de alta pressão

Alta Pressão. Lideres em tecnologia de alta pressão Alta Pressão A Haskel fornece uma grande variedade de equipamentos pneumáticos e hidráulicos de alta pressão para as indústrias de petróleo e gás, defesa, aeroespacial, automotiva, potência de fluido ou

Leia mais

Purgador Termostático Bimetálico Manual de Instalação e Manutenção

Purgador Termostático Bimetálico Manual de Instalação e Manutenção Purgador Termostático Bimetálico Manual de Instalação e Manutenção ÍNDICE Termo de Garantia 1.Descrição 2.Instalação 3.Manutenção 4.Peças de reposição 5.Informações Técnicas 1 TERMO DE GARANTIA A Spirax

Leia mais

A NR-20 e o armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis em instalações administrativas

A NR-20 e o armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis em instalações administrativas A NR-20 e o armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis em instalações administrativas Autora Patrícia Lins de Paula A NR-20, Norma Regulamentadora 20 do Ministério do Trabalho e Emprego, trata

Leia mais

Sistema de Proteção contra Sobrepressão

Sistema de Proteção contra Sobrepressão Sistema de Proteção contra Sobrepressão Sistema de Proteção contra Sobrepressão HIPPS O QUE É UM SISTEMA HIPPS? HIPPS é uma sigla para High Integrity Pressure Protection System (Sistema de Proteção contra

Leia mais

NORMA REGULAMENTADORA NÚMERO 16 ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS

NORMA REGULAMENTADORA NÚMERO 16 ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS NORMA REGULAMENTADORA NÚMERO 16 ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS 16.1. São consideradas atividades e operações perigosas as constantes dos Anexos números 1 e 2 desta Norma Regulamentadora - NR. 16.2. O

Leia mais

Vasos de Pressão. Ruy Alexandre Generoso

Vasos de Pressão. Ruy Alexandre Generoso Vasos de Pressão Ruy Alexandre Generoso VASOS DE PRESSÃO DEFINIÇÃO: São equipamentos que contêm fluidos sob pressão, cujo produto P x V seja superior a 8. Em que: Pressão (Kpa) Volume (m 3 ) VASOS DE PRESSÃO

Leia mais

NR 16 - Atividades e Operações Perigosas (116.000-1)

NR 16 - Atividades e Operações Perigosas (116.000-1) NR 16 - Atividades e Operações Perigosas (116.000-1) 16.1. São consideradas atividades e operações perigosas as constantes dos Anexos números 1 e 2 desta Norma Regulamentadora-NR. 16.2. O exercício de

Leia mais

Dados técnicos. necessário. Consumo de corrente Placa de medição não abrangida 3 ma Placa de medição abrangida

Dados técnicos. necessário. Consumo de corrente Placa de medição não abrangida 3 ma Placa de medição abrangida 0102 Designação para encomenda Características Para montagem na caixa Montagem directa em accionamentos normais Directivas europeias para máquinas cumpridas Certificado de verificação de modelos TÜV99

Leia mais

SISTEMAS HIDRÁULICOS DE POTÊNCIA NA INDÚSTRIA DO PETRÓLEO

SISTEMAS HIDRÁULICOS DE POTÊNCIA NA INDÚSTRIA DO PETRÓLEO SISTEMAS HIDRÁULICOS DE POTÊNCIA NA INDÚSTRIA DO PETRÓLEO Dirceu Silveira Sampaio dirceuss@petrobras.com.br (21)3876-3303 Introdução: 1 - Vivemos uma era de contrastes, onde sistemas de controle com nano

Leia mais

Purgador de Bóia FTA - 550 Manual de Instalação e Manutenção

Purgador de Bóia FTA - 550 Manual de Instalação e Manutenção Purgador de Bóia FTA - 550 Manual de Instalação e Manutenção ÍNDICE Termo de Garantia 1.Descrição 2.Instalação 3.Manutenção 4.Peças de reposição 5.Informações Técnicas 1 TERMO DE GARANTIA A Spirax Sarco

Leia mais

OS RISCOS DOS TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS

OS RISCOS DOS TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS OS RISCOS DOS TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS Luiz Carlos Saraiva Serrão, Eng o de Segurança Universidade Federal Fluminense - CTC - LATEC - Pós-Grad. em Engenharia de Segurança do Trabalho Caixa Postal

Leia mais

Classificação de incidentes

Classificação de incidentes norma técnica Classificação de incidentes Código: NT.00036.GN Edição: 1 O texto seguinte corresponde a uma tradução do Procedimento original Clasificación de incidentes (NT.00036.GN), Edição 1, com o fim

Leia mais

TRANSPORTE E MANUSEIO DE PRODUTO QUÍMICO

TRANSPORTE E MANUSEIO DE PRODUTO QUÍMICO TRANSPORTE E MANUSEIO DE PRODUTO QUÍMICO ÍCARO LOGÍSTICA AMBIENTAL QUÍMICO ORION DE VARGAS FLORES TELEFONE COMERCIAL: 51-3051-7544 TELEFONE DE EMERGÊNCIA: 51-9918-9135 icaroamb@cpovo.net orion.phoenix@terra.com.br

Leia mais

FISPQ - Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos em acordo com a NBR-14725 Fat Yellow3G-CN Página 1 / 6

FISPQ - Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos em acordo com a NBR-14725 Fat Yellow3G-CN Página 1 / 6 Fat Yellow3G-CN Página 1 / 6 1. Identificação do produto e da empresa Nome comercial: Fat Yellow3G-CN nº Material: 197950 nº Material:197950 Código Interno de Produto : 000000189695 Identificação da sociedade/empresa

Leia mais

Eng. Rosiane Albuquerque

Eng. Rosiane Albuquerque Eng. Rosiane Albuquerque NR - 20 Definição e Classes: - Líquidos e Combustíveis Inflamáveis Tanques de Armazenagem e suas Características Salas de armazenamento de Líquidos Inflamáveis NR - 23 Classes

Leia mais

Ferramenta de Análise da Condição de Ativos Health Index. Autores: Aline de Oliveira Marques Luiz Rogério Varasquim Mischa Vermeer

Ferramenta de Análise da Condição de Ativos Health Index. Autores: Aline de Oliveira Marques Luiz Rogério Varasquim Mischa Vermeer Ferramenta de Análise da Condição de Ativos Health Index Autores: Aline de Oliveira Marques Luiz Rogério Varasquim Mischa Vermeer Outubro, 2014 Triagem no Sistema de Saúde Protocolo de Manchester: Pulseiras

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 017/DAT/CBMSC) SISTEMA DE ÁGUA NEBULIZADA (MULSIFYRE)

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 017/DAT/CBMSC) SISTEMA DE ÁGUA NEBULIZADA (MULSIFYRE) ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 017/DAT/CBMSC)

Leia mais

Unidade 1. Tanques. Em grandes quantidades para garantir o suprimento das plantas

Unidade 1. Tanques. Em grandes quantidades para garantir o suprimento das plantas Unidade 1 O bserve a foto e leia o texto. Finalidades Os tanques armazenam os diversos produtos envolvidos na produção em uma unidade de processo, da pressão atmosférica até baixas pressões (aproximadamente

Leia mais

Curso de formação: Análise de Risco, Segurança Operacional e Confiabilidade

Curso de formação: Análise de Risco, Segurança Operacional e Confiabilidade CETESB Companhia Ambiental do Estado de São Paulo FDTE Fundação para o Desenvolvimento Tecnológico da Engenharia LabRisco Laboratório de Análise, Avaliação e Gerenciamento de Risco da USP Curso de formação:

Leia mais

TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS NA COMGAS AGOSTO/02

TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS NA COMGAS AGOSTO/02 TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS NA COMGAS AGOSTO/02 Sistema de Gerenciamento de SSM na Comgás Liderança e Comprometimento Política e Objetivos Estratégicos Organização, Responsabilidades, Recursos, Padrões

Leia mais

Segurança em edificações existentes construídas há mais de 15 anos. Eng. Valdemir Romero

Segurança em edificações existentes construídas há mais de 15 anos. Eng. Valdemir Romero Segurança em edificações existentes construídas há mais de 15 anos Eng. Valdemir Romero Agenda Objetivos Ações propostas Justificativas Riscos Agenda Objetivos Ações propostas Justificativas Riscos Segurança

Leia mais

Avaliação e Gestão de Riscos Industriais Refinaria Gabriel Passos REGAP

Avaliação e Gestão de Riscos Industriais Refinaria Gabriel Passos REGAP Avaliação e Gestão de Riscos Industriais Refinaria Gabriel Passos REGAP - João Eustáquio Beraldo Teixeira Engenheiro de Segurança do Trabalho - Marcos José Jeber Jardim Gerente de Segurança. Meio Ambiente

Leia mais

Mecânica dos Fluidos. Aula 2 Propriedades dos Fluidos. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Mecânica dos Fluidos. Aula 2 Propriedades dos Fluidos. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Aula 2 Propriedades dos Fluidos Tópicos Abordados Nesta Aula Propriedades dos Fluidos. Massa Específica. Peso Específico. Peso Específico Relativo. Alfabeto Grego Propriedades dos Fluidos Algumas propriedades

Leia mais

- Tecnologia 100% Nacional, possibilitando melhor adaptação as condições específicas das necessidades Brasileiras.

- Tecnologia 100% Nacional, possibilitando melhor adaptação as condições específicas das necessidades Brasileiras. EQUIPAMENTOS ::: TECNOLOGIA PNEUMÁTICA: - Sistema 100% seguro, ideal para medição de nível e volumétrica em líquidos e em especial combustiveis, pois não possui componentes elétricos ou magnéticos em contato

Leia mais

NORMA REGULAMENTADORA n.º 20 SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO COM INFLAMÁVEIS E COMBUSTÍVEIS

NORMA REGULAMENTADORA n.º 20 SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO COM INFLAMÁVEIS E COMBUSTÍVEIS NORMA REGULAMENTADORA n.º 20 SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO COM INFLAMÁVEIS E COMBUSTÍVEIS SUMÁRIO 20.1 Introdução 20.2 Abrangência 20.3 Definições 20.4 Classificação das Instalações 20.5 Projeto da Instalação

Leia mais

1 e 2... devem contemplar no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, além dos requisitos previstos na Norma Regulamentadora n.

1 e 2... devem contemplar no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, além dos requisitos previstos na Norma Regulamentadora n. ANEXO I da NR-20 1 e 2.... devem contemplar no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, além dos requisitos previstos na Norma Regulamentadora n.º 9: a) o inventário e características dos inflamáveis

Leia mais

GNV. Combustível de baixo impacto ambiental para frotas de Táxis.

GNV. Combustível de baixo impacto ambiental para frotas de Táxis. GNV Combustível de baixo impacto ambiental para frotas de Táxis. REUNIÃO DE ESPECIALISTAS SOBRE TRANSPORTE URBANO SUSTENTÁVEL MODERNIZAR E TORNAR ECOLÓGICA A FROTA DE TÁXIS NAS CIDADES LATINO AMERICANAS

Leia mais

Tópicos. Introdução Avaliação/gestão de riscos Normas de segurança Boas práticas laboratoriais (case study) Conclusões

Tópicos. Introdução Avaliação/gestão de riscos Normas de segurança Boas práticas laboratoriais (case study) Conclusões Boas Práticasde Trabalhoem Laboratório Olga Conde Moreira Seminário no âmbito do Projeto AGROPECUÁRIA, TECNOLOGIA ALIMENTAR E AMBIENTE APRENDER CIÊNCIA HANDS-ON Programa Ciência Viva 12 de Março de 2014

Leia mais

Riscos na armazenagem e manuseio de produtos inflamáveis em contentores metálicos e de polietileno.

Riscos na armazenagem e manuseio de produtos inflamáveis em contentores metálicos e de polietileno. Riscos na armazenagem e manuseio de produtos inflamáveis em contentores metálicos e de polietileno. Oscar D. F. Abreu Gerente de Fábrica 11 45479952 oscar@bbquimica.com.br Agosto 2012 APRESENTAÇÃO DA EMPRESA

Leia mais

Petróleo e Meio Ambiente

Petróleo e Meio Ambiente Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi Petróleo e Meio Ambiente Curso:Tecnólogo em Gestão Ambiental Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira Acidentes na Indústria de Petróleo Acidentes com Plataformas

Leia mais

Os perigos do Gás G s Liquefeito de Petróleo (GLP) e a segurança no uso doméstico

Os perigos do Gás G s Liquefeito de Petróleo (GLP) e a segurança no uso doméstico Os perigos do Gás G s Liquefeito de Petróleo (GLP) e a segurança no uso doméstico José Possebon 20/10/2010 Características do GLP O GLP normalmente é uma mistura de propano e butano e sua composição é

Leia mais

GASES PERIGOSOS NOS ESPAÇOS CONFINADOS

GASES PERIGOSOS NOS ESPAÇOS CONFINADOS GASES PERIGOSOS NOS ESPAÇOS CONFINADOS Nos diversos ambientes, muitos deles existentes no subsolo, como galerias, esgotos, os porões nas edificações, tanques etc., pela natureza de seus projetos e finalidades,

Leia mais

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI Equipamento De Proteção Individual - EPI Definição: EPI é todo dispositivo de uso individual, destinado a proteger a integridade física do trabalhador. EPI (s)

Leia mais

Transportador Pantográfico Elétrico TPE 1000

Transportador Pantográfico Elétrico TPE 1000 Transportador Pantográfico Elétrico TPE 1000 1 Manual de operação Conteúdo : 1 Parâmetros técnicos 2 Aplicações 3 Instruções de uso e operação 4 Manutenção 5 Carregador de bateria 6 Esquema elétrico 2

Leia mais

Ar Comprimido ONU 1002

Ar Comprimido ONU 1002 Ficha Técnica Ar Comprimido ONU 1002 CLASSE DE RISCO: 2.2 NÚMERO DE RISCO: 25 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Ar Comprimido 2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES Natureza

Leia mais

DETECÇÃO DE INCÊNDIOS E GASES

DETECÇÃO DE INCÊNDIOS E GASES DETECÇÃO DE INCÊNDIOS E GASES COMPLETAMENTE INTEGRADA O sistema de detecção de incêndios e de gases NFS2-3030 funciona com dispositivos padrão industrial 4-20 ma utilizando o módulo FMM-4-20 da NOTFIER

Leia mais

NORMA TÉCNICA N o 25 MEDIDAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS

NORMA TÉCNICA N o 25 MEDIDAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS ANEXO XXV AO DECRETO N o 3.950, de 25 de janeiro de 2010. NORMA TÉCNICA N o 25 MEDIDAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS 1. OBJETIVO Esta Norma Técnica estabelece as medidas de segurança

Leia mais

Portaria nº 3.214, de 08 de junho de 1978.

Portaria nº 3.214, de 08 de junho de 1978. Portaria nº 3.214, de 08 de junho de 1978. Aprova as Normas Regulamentadoras NR do Capítulo V, Título II, da Consolidação da Leis do Trabalho, relativas a Segurança e Medicina do Trabalho. O Ministério

Leia mais

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DE UM POSTO REVENDEDOR DE COMBUSTÍVEIS (PRC) NA CIDADE DE NATAL/RN

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DE UM POSTO REVENDEDOR DE COMBUSTÍVEIS (PRC) NA CIDADE DE NATAL/RN DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DE UM POSTO REVENDEDOR DE COMBUSTÍVEIS (PRC) NA CIDADE DE NATAL/RN Cleciana Raylle Lopes Ferreira¹ ; Dayanne Costa da Silva²; Estefhany Marreiros de Lima³; Robson Garcia da Silva

Leia mais

ATENÇÃO INFORMAÇÕES SOBRE A GARANTIA

ATENÇÃO INFORMAÇÕES SOBRE A GARANTIA ATENÇÃO INFORMAÇÕES SOBRE A GARANTIA Motor vertical 2 tempos LER O MANUAL DO PROPRIETÁRIO. TRABALHE SEMPRE COM ROTAÇÃO CONSTANTE, NO MÁXIMO 3.600 RPM EVITE ACELERAR E DESACELERAR O EQUIPAMENTO. NÃO TRABALHE

Leia mais

PORTARIA DAEE nº 2292 de 14 de dezembro de 2006. Reti-ratificada em 03/08/2012

PORTARIA DAEE nº 2292 de 14 de dezembro de 2006. Reti-ratificada em 03/08/2012 Ref.: Autos DAEE nº 49.559, prov. 1 PORTARIA DAEE nº 2292 de 14 de dezembro de 2006 Reti-ratificada em 03/08/2012 O Superintendente do Departamento de Águas e Energia Elétrica - DAEE, no uso de suas atribuições

Leia mais

1. As Actividades do Técnico de Higiene e Segurança

1. As Actividades do Técnico de Higiene e Segurança BOAS PRÁTICAS PREVENTIVAS PORTUCEL - Fábrica de Cacia Paula Lima (Técnico Sup. HST) 100505PL1P 1. As Actividades do Técnico de Higiene e Segurança ENQUADRAMENTO LEGAL Ver em pormenor no Artº 98º da DL

Leia mais

Nome do produto: Botatop DM -W Data da última revisão: 10/01/2012. - Nome da empresa: MC-Bauchemie Brasil Indústria e Comércio Ltda

Nome do produto: Botatop DM -W Data da última revisão: 10/01/2012. - Nome da empresa: MC-Bauchemie Brasil Indústria e Comércio Ltda Página 1 de 6 1. Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: Botatop DM-W - Nome da empresa: MC-Bauchemie Brasil Indústria e Comércio Ltda - Endereço: Rua Henry Martin, 235 Vargem Grande Paulista

Leia mais

Corpo de Bombeiros. São Paulo

Corpo de Bombeiros. São Paulo Corpo de Bombeiros São Paulo EXTINTORES Fogo É uma reação química em cadeia que desprende luz e calor devido à combustão de materiais diversos. Elementos que compõe o fogo Calor Combustível Comburente

Leia mais

AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA EM VASOS DE PRESSÃO ESFÉRICOS CONTENDO GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO

AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA EM VASOS DE PRESSÃO ESFÉRICOS CONTENDO GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA EM VASOS DE PRESSÃO ESFÉRICOS CONTENDO GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO Luciano de Oliveira Castro Lara Departamento de Engenharia Mecânica Faculdade de Aracruz UNIARACRUZ castrolara@hotmail.com

Leia mais

ANÁLISE DE RISCO. Pág. 1 de 107

ANÁLISE DE RISCO. Pág. 1 de 107 Pág. 1 de 107 ÍNDICE: 1. INTRODUÇÃO...4 1.1 SUMÁRIO EXECUTIVO...4 1.2 RESULTADOS E CONCLUSÕES...6 Risco Individual...6 Risco Social...7 1.3 RESULTADOS E CONCLUSÕES COM AS MEDIDAS MITIGADORAS...8 1.3 INTRODUÇÃO...10

Leia mais

Instruções complementares Flutuador para detecção de óleo/água para VEGACAP 63

Instruções complementares Flutuador para detecção de óleo/água para VEGACAP 63 Instruções complementares Flutuador para detecção de óleo/água para VEGACAP 63 Document ID: 31595 1 Índice Índice 1 Sobre o presente documento 1.1 Função.................................. 3 1.2 Grupo-alvo................................

Leia mais

Comandos Eletro-eletrônicos SENSORES

Comandos Eletro-eletrônicos SENSORES Comandos Eletro-eletrônicos SENSORES Prof. Roberto Leal Sensores Dispositivo capaz de detectar sinais ou de receber estímulos de natureza física (tais como calor, pressão, vibração, velocidade, etc.),

Leia mais

ANEXO IV. II- um armário para armazenagem de solventes, com construção resistente ao fogo.

ANEXO IV. II- um armário para armazenagem de solventes, com construção resistente ao fogo. ANEXO IV ARMAZENAMENTO DE PRODUTOS QUÍMICOS. No laboratório, almoxarifado e em locais em que se tenha que armazenar ou manipular substâncias químicas, deve-se ter em conta sua composição, pois muitas delas

Leia mais

Administração de CPD Internet Data Center

Administração de CPD Internet Data Center Administração de CPD Internet Data Center Cássio D. B. Pinheiro pinheiro.cassio@ig.com.br cassio.orgfree.com Objetivos Apresentar os principais conceitos e elementos relacionados a um dos principais tipos

Leia mais

TOMO II SUMÁRIO DO ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA

TOMO II SUMÁRIO DO ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA TOMO II SUMÁRIO DO ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA 5. IDENTIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS 5.1 5.1. METODOLOGIA 5.1 5.2. IDENTIFICAÇÃO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS 5.3 5.3. DESCRIÇÃO DOS IMPACTOS

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES Steam Power

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES Steam Power MANUALDE DE INSTRUÇÕES MANUAL INSTRUÇÕES Steam Power INTRODUÇÃO Parabéns pela escolha de um produto da linha Philco. Para garantir o melhor desempenho do produto, ler atentamente as instruções a seguir.

Leia mais

PARTE II REGRAS PARA CONSTRUÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE NAVIOS IDENTIFICADOS POR SUAS MISSÕES TÍTULO 32 PETROLEIROS CAPÍTULOS ABORDAGEM

PARTE II REGRAS PARA CONSTRUÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE NAVIOS IDENTIFICADOS POR SUAS MISSÕES TÍTULO 32 PETROLEIROS CAPÍTULOS ABORDAGEM PARTE II REGRAS PARA CONSTRUÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE NAVIOS IDENTIFICADOS POR SUAS MISSÕES TÍTULO 32 PETROLEIROS SEÇÃO 5 MOTORES E MECÂNICA CAPÍTULOS A B C D E F G H I T ABORDAGEM DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA MATERIAIS

Leia mais

1 OBJETIVO DA POLÍTICA... 1 2 DESCRIÇÃO DA POLÍTICA... 1

1 OBJETIVO DA POLÍTICA... 1 2 DESCRIÇÃO DA POLÍTICA... 1 Política de Resposta a Emergência Ambiental Versão 1 Data 09/2014 SUMÁRIO 1 OBJETIVO DA POLÍTICA... 1 2 DESCRIÇÃO DA POLÍTICA... 1 2.1 O QUE É UM DERRAMAMENTO?... 1 2.2 QUE TIPOS DE DERRAMAMENTOS EXISTEM?...

Leia mais