Projetos Integradores Banco de Dados PI-BD v1.0 NOV/2007

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Projetos Integradores Banco de Dados PI-BD v1.0 NOV/2007"

Transcrição

1 Projetos Integradores Banco de Dados PI-BD v1.0 NOV/2007 O texto desta publicação, ou qualquer parte dela, não poderá ser reproduzido ou transmitido em nenhuma forma ou por qualquer meio, eletrônico ou mecânico, incluindo fotocópias, gravação, arquivamento em um sistema de informação sem uma prévia permissão por escrito dos direitos autorais do proprietário. Gleison Carneiro Gomes, Esp.

2

3 Projetos Integradores Banco de Dados Objetivo dos Projetos Integradores As disciplinas de projeto integrador têm como objetivo comum propor aos alunos problemas práticos, de forma a incentivá-los na busca por soluções para cada uma das situações propostas. Através desses projetos o aluno poderá desenvolver a capacidade de analisar criticamente as soluções possíveis, considerando as diversas variáveis que podem dificultar ou facilitar a implantação das mesmas no ambiente real de uma organização. Esses projetos são, por sua natureza, interdisciplinares e valorizam o trabalho em equipe. Conteúdo das Disciplinas 1 PROJETO INTEGRADOR I 1.1 Estrutura de banco de dados e modelagem relacional. 1.2 Comandos SQL. 1.3 Fundamentos de Sistemas Operacionais e Programação de Computadores. 2 PROJETO INTEGRADOR II 2.1 Funcionalidades dos sistemas gerenciadores de bancos de dados. 2.2 Programação para bancos de dados relacionais. 2.3 Importação e exportação de dados. 3 PROJETO INTEGRADOR III 3.1 Segurança de acesso aos dados. 3.2 Orientação a objetos em bancos de dados. 4 PROJETO INTEGRADOR IV 4.1 Projeto físico. 4.2 Otimização de bancos de dados relacionais. 5 PROJETO INTEGRADOR V 5.1 Gerenciamento de projetos e qualidade de software. 5.2 Replicação e fragmentação de bancos de dados relacionais. Faculdade de Tecnologia INED 1

4 6 PROJETO INTEGRADOR VI 5.1 Administração de bancos de dados. 5.2 Data Warehousing e Data Mining. Faculdade de Tecnologia INED 2

5 Material Usado na Disciplina Bibliografia Obrigatória ELMASRI, R.; NAVATHE, S. B. Sistemas de Bancos de Dados Fundamentos e Aplicações. 4.ed. São Paulo: Pearson Education, MARTINS, José Carlos Cordeiro. Gerenciando Projetos de desenvolvimento de Software com PMI, RUP e UML. São Paulo: Brasport, Bibliografia Adicional: Para Saber Mais DATE, C J. Introdução a Sistemas de Banco de Dados. Rio de Janeiro: Elsevier, SILBERSCHATZ, Abraham; KORTH, Henry F.; SUDARSHAN, S. Sistema de Banco de Dados. Tradução da 5.ed. Rio de Janeiro: Campus, Recursos da Internet codedados Faculdade de Tecnologia INED 3

6 Avaliação do Rendimento Escolar O aproveitamento escolar do aluno será verificado por disciplina, mediante a avaliação das atividades escolares e da assiduidade, exigindo-se para aprovação a obtenção de, no mínimo, 60 (sessenta) pontos em um total de 100 (cem) pontos e 75% (setenta e cinco por cento) de freqüência nas atividades programadas. A verificação do rendimento escolar será feita através de: avaliações individuais, compreendendo provas ou trabalhos produzidos ao longo da disciplina. avaliações de tarefas ou trabalhos produzidos por equipes de aprendizagem durante a disciplina, quando for o caso. os pontos serão distribuídos, entre as avaliações individuais e avaliações das equipes (quando for o caso), da seguinte forma: Etapa 1: 30 pontos Etapa 2: 30 pontos Etapa 3: 40 pontos Ao final de cada termo, em data prevista no calendário Acadêmico, o aluno poderá fazer uma avaliação suplementar, a título de recuperação, para cada disciplina, que substituirá o conjunto das notas obtidas pelo aluno. A nota da prova suplementar só produzirá efeitos para apuração da nota final do aluno se for maior do que os pontos obtidos no conjunto das notas individuais das 3 etapas. O aproveitamento final do aluno em cada disciplina será expresso também em conceitos, conforme a seguinte escala: Conceito A: entre 90 e 100 pontos Conceito B: entre 80 e 89 pontos Conceito C: entre 70 e 79 pontos Conceito D: entre 60 e 69 pontos Conceito E: entre 0 e 59 pontos DATA WAREHOUSING E DATA MINING Subtópico: 6.2 Neste projeto os alunos deverão projetar modelos dimensionais e implementar os data marts para controle de registro acadêmico de alunos de uma instituição de ensino superior.. O professor deverá descrever detalhes da aplicação, de forma a permitir a identificação por parte dos alunos da(s) tabela(s) fato, dimensões e atributos. Em seguida o professor deverá propor algumas questões a serem respondidas com o auxílio de ferramentas de data mining. 1 BI x Data Warehouses x Data Marts x Data Mining. 2 Modelagem dimensional. 3 Extração, transformação e carga. 4 Algoritmos aplicáveis ao data mining. 5 Ferramentas de BI disponíveis no Oracle e SQL Server. 1 A relação entre o custo do hardware e a evolução das técnicas de DW e DM. 2 Existem ferramentas CASE que podem ser utilizadas na modelagem dimensional? 3 Quais os tipos possíveis de dimensões? Faculdade de Tecnologia INED 4 Faculdade de Tecnologia INED 29

7 AULA EXPOSITIVA ADMINISTRAÇÃO DE BANCOS DE DADOS Subtópico: 6.1 Nesta etapa do projeto os alunos deverão elaborar projetos que garantam a segurança física e lógica dos bancos de dados de uma organização. Os projetos deverão especificar o hardware, softwares e outras rotinas a serem implementadas (a modelagem do banco não fará parte do projeto). Para isso o professor deverá elaborar um ambiente fictício, no qual deverão ser definidas características relevantes para a elaboração do projeto, tais como: número de funcionários que irão acessar a base de dados, restrições do negócio em relação ao acesso aos dados, unidades de negócio da empresa, descrição das edificações nas quais a empresa está implantada, horários de execução das operações da empresa, etc. 1 Atividades principais do administrador de bancos de dados. 2 Habilidades e competências desejáveis ao DBA. 3 Fatores que precisam ser considerados na elaboração de uma política de cópias de segurança. 4 Controles de acesso, papéis e privilégios. 5 Documentação e padronização. 1 Qual o perfil das empresas que mais necessitam de profissionais administradores de bancos de dados? 2 Podemos afirmar que o papel do administrador de dados tem sido incorporado ao administrador de bancos de dados? 3 Que tipo de documentação deve ser elaborado durante a concepção, desenvolvimento e manutenção de um sistema de banco de dados? 4 - É possível uma organização restringir ao acesso do DBA aos dados corporativos? Será considerado reprovado o aluno que obtiver conceito final E na disciplina. Ao final de cada termo, em data prevista no calendário, o aluno poderá fazer uma avaliação substitutiva de alguma avaliação perdida durante o curso. Faculdade de Tecnologia INED 28 Faculdade de Tecnologia INED 5

8 Aula Zero Visão Geral Metodologia de ensino/aprendizagem da Faculdade Ined: Utilização de módulos, cada um dos quais se subdividem nos seguintes momentos: Aula expositiva: informação, conhecimento, aprendizagem de conceitos e princípios. Atividades práticas: desenvolvimento de habilidades e competências, não só da disciplina em questão, mas também habilidade de trabalhar em grupos e equipes. Ênfase em projetos e pesquisas dos alunos, fazendo a relação entre a teoria e o mundo real. Avaliações. Visão Geral da Disciplina Cada projeto integrador aborda conhecimentos já adquiridos pelos alunos em disciplinas anteriores através do desenvolvimento de soluções para problemas propostos, valorizando a interdisciplinaridade e o desenvolvimento de novas habilidades e competências. Objetivos Cada projeto integrador tem como objetivos principais o desenvolvimento de trabalhos práticos interdisciplinares que propiciarão ao aluno condições para consolidar conhecimento já adquirido em disciplinas anteriores e aprimorar, concomitantemente, habilidades específicas pautadas nesse conhecimento. Unidade 6 Projeto Integrador VI Aula Expositiva Para reflexão... Para reduzir erros, melhorar o desempenho e aumentar a habilidade de um profissional de SI de entender o trabalho feito por outro, é importante que a função de administração de dados estabeleça padrões no que diz respeito aos dados e ao seu uso. Gillenson, "Quando é necessário mudar? Antes que seja necessário. Claus Muller Conteúdo da Disciplina 6 PROJETO INTEGRADOR VI 5.1 Administração de bancos de dados. 5.2 Data Warehousing e Data Mining. Objetivos da Unidade Neste último projeto os alunos terão oportunidade praticar tarefas de responsabilidade do DBA (administrador de bancos de dados) e desenvolver melhor suas habilidades no que tange a modelagem e implementação de data warehouses. Leitura Obrigatória ELMASRI, R.; NAVATHE, S. B. Sistemas de Bancos de Dados Fundamentos e Aplicações. Para Saber Mais SILBERSCHATZ, Abraham; KORTH, Henry F.; SUDARSHAN, S. Sistema de Banco de Dados. Faculdade de Tecnologia INED 6 Faculdade de Tecnologia INED 27

9 REPLICAÇÃO E FRAGMENTAÇÃO DE BANCOS DE DADOS RELACIONAIS Subtópico: 5.2 O professor deverá elaborar um modelo para o qual os alunos deverão implementar dois tipos diferentes de replicação utilizando 3 sites distintos. Na primeira, apenas um site será atualizado e as atualizações serão enviadas aos demais. No segundo modelo deverá ser possível atualizar os dados em pelo menos dois dos sites envolvidos. Assim os alunos poderão comparar essas implementações, tendo em vista principalmente o custo e a complexidade de cada uma. Consequentemente estarão aptos a identificar situações para as quais cada um dos tipos é mais indicado. 1 Características dos bancos de dados distribuídos. 2 Tipos de replicação. 3 Fragmentação horizontal e vertical. 4 Situações favoráveis à replicação e fragmentação. 5 Objetos replicáveis e requisitos para a replicação. 1 Por que não é possível replicar tabelas sem chaves primárias? 2 Em que fase do projeto do banco de dados deve ser considerada a distribuição dos mesmos? 3 Quais as tarefas da administração de bancos de dados específicas para os casos de sistemas de dados distribuídos? 4 É possível implementar uma replicação de dados entre SGBDs diferentes? Competências As competências relevantes que se buscam desenvolver são as de pensar sistemicamente e logicamente na solução de problemas computacionais que envolvem a tecnologia de bancos de dados. Regras Encontro dos Grupos de Trabalho: Nenhum aluno pode participar dos encontros dos Grupos de Trabalho sem fazer parte de uma equipe. O aluno deve ler o material indicado no anteriormente. Não é possível desenvolver satisfatoriamente uma atividade sem um mínimo de conhecimento do conteúdo ministrado nas aulas expositivas. O aluno deve trazer o material indicado para a sala de aula. A participação será avaliada a cada encontro dos Grupos de Trabalho. A nota de participação não é nota de presença. Avaliações: o que se avalia? Avaliação de conteúdos. Produtos: estruturas internas que revelam o grau de proficiência do aluno para elaborar os conteúdos, relacioná-los com conhecimentos anteriores e aplicá-los a situações concretas, conhecidas ou novas. Estratégias cognitivas e metacognitivas: capacidade do aluno monitorar e regular o próprio processo de aprender a aprender. Avaliação Avaliações dos alunos: Conhecimentos adquiridos. Habilidades e competências específicas da disciplina, principalmente a competência argumentativa. Atitudes: abertura às idéias e argumentos dos outros, mostrando disponibilidade para rever suas próprias opiniões; Faculdade de Tecnologia INED 26 Faculdade de Tecnologia INED 7

10 cooperação com os outros, mostrando que a crítica só é eficaz através do diálogo justo e honesto no seio de uma comunidade. Participação efetiva nas aulas (não é apenas presença). Anotações em sala de aula Por que fazer anotações das aulas? 1. Fazer anotações das aulas obriga o aluno a prestar atenção cuidadosa às aulas e a testar o seu entendimento da matéria lecionada. Isso ajuda o aprendizado e poupa tempo de estudo. 2. A revisão das anotações mostra o que é mais importante na matéria lecionada e o que deve ser estudado com mais cuidado. 3. É mais fácil guardar na memória as próprias anotações do que os textos dos livros. 4. Ajuda a memorização. 5. Promove um entendimento muito mais profundo da matéria do que a simples escuta. AULA EXPOSITIVA GERENCIAMENTO DE PROJETOS E QUALIDADE DE SOFTWARE Subtópico: 5.1 Neste subtópico, deve-se aplicar os conhecimentos de gerenciamento de projeto ao produto feito nos projetos integradores anteriores. Embora as melhores práticas determinem que o planejamento do projeto deva ser feito antes de sua execução, o Gerenciamento de Projetos está sendo tratado nesta etapa da disciplina. Isto não impede a demonstração das vantagens do gerenciamento adequado de qualquer projeto. Portanto, o professor deve destacar como o processo de construção de banco de dados seria conduzido com a adoção destas técnicas e ainda quais os ganhos trazidos com estas ações. Estas técnicas podem ser aplicadas não apenas à construção de um BD, mas também à sua alteração, criação de regras de replicação, etc. Devem ser construídos os planos de gerenciamento de escopo e de tempo. As outras áreas de conhecimento do PMBOK podem ser tratadas opcionalmente. Um outro aspecto a ser tratado é como as normas de qualidade (ISO, etc) podem guiar o desenvolvimento dos trabalhos de banco de dados. 1 Formalização dos requisitos do cliente. 2 Gerenciamento do escopo. 3 Gerenciamento de tempo. 4 Normas de qualidade. 1 Como absorver as mudanças solicitadas pelos usuários no decorrer do projeto? 2 Como conciliar escopo, prazo e custos de um projeto? 3 Como satisfazer as necessidades do usuário e ao mesmo tempo cuidar da equipe? 4 Uma certificação de qualidade é garantia de um projeto atenda às necessidades dos clientes? Faculdade de Tecnologia INED 8 Faculdade de Tecnologia INED 25

11 Para Saber Mais ELMASRI, R.; NAVATHE, S. B. Sistemas de Bancos de Dados Fundamentos e Aplicações. Unidade 1 Projeto Integrador I Aula Expositiva Para reflexão... O domínio da língua inglesa pode ser considerado indispensável ao profissional da área de banco de dados? Redundância pode ser vista sempre como um aspecto negativo em bancos de dados? Quais problemas podem ser gerados por erros na modelagem de dados? Uma caminhada de mil léguas começa sempre com o primeiro passo. (Provérbio chinês). Conteúdo da Disciplina 1 PROJETO INTEGRADOR I 1.1 Estrutura de banco de dados e modelagem relacional. 1.2 Comandos SQL. 1.3 Fundamentos de Sistemas Operacionais e Programação de Computadores. Objetivos da Unidade Neste projeto os alunos deverão colocar em prática conhecimentos adquiridos nas primeiras disciplinas do curso, principalmente em relação à modelagem de bancos de dados relacionais e utilização de consultas SQL. Leitura Obrigatória ELMASRI, R.; NAVATHE, S. B. Sistemas de Bancos de Dados Fundamentos e Aplicações. Para Saber Mais SILBERSCHATZ, Abraham; KORTH, Henry F.; SUDARSHAN, S. Sistema de Banco de Dados. Faculdade de Tecnologia INED 24 Faculdade de Tecnologia INED 9

12 AULA EXPOSITIVA ESTRUTURA DE BANCO DE DADOS E MODELAGEM RELACIONAL Subtópico: 1.1 Nesta primeira etapa do projeto os alunos deverão criar modelos conceituais e lógicos para sistemas hipotéticos, de acordo com descrições sugeridas pelo professor. É aconselhável que cada grupo escolha uma proposta distinta e que os modelos gerados não ultrapassem o limite de 15 (quinze) tabelas. 1 Identificação das entidades. 2 Cardinalidades. 3 Entidades fracas e associativas. 4 Mapeamento conceitual -> lógico. 5 Normalização. 6 Digitalização do modelo. 1 Entidade X atributo multivalorado. 2 Restrições de integridade (chaves). 3 Tipos de chaves estrangeiras. 4 Objetivos da normalização. 5 Escolha da ferramenta CASE. 6 Padronização do modelo. COMANDOS SQL Subtópico: 1.2 Nesta etapa os alunos deverão elaborar comandos DDL para criação da estrutura definida na etapa anterior. Em seguida cada grupo deverá criar comandos DML para popular o banco de dados com informações fictícias. Estes comandos (DDL e DML) serão produtos a serem entregues para o professor. Em seguida, o professor deverá simular algumas necessidades de recuperação de Unidade 5 Para reflexão... Projeto Integrador V Aula Expositiva De que forma o conhecimento das técnicas de garantia de qualidade de software pode auxiliar o profissional de bancos de dados no seu dia-a-dia? A construção de um banco de dados pode ser considerada um projeto? Quais as principais dificuldades encontradas na implementação de um banco de dados distribuído? Você é do tamanho do seu sonho. Autor desconhecido Conteúdo da Disciplina 5 PROJETO INTEGRADOR V 5.1 Gerenciamento de projetos e qualidade de software. 5.2 Replicação e fragmentação de bancos de dados relacionais. Objetivos da Unidade Neste projeto os alunos serão motivados a aplicar as melhores práticas de gerenciamento de projetos, considerando os benefícios que esses procedimentos podem trazer para a organização. Concomitantemente serão realizadas práticas de replicação e fragmentação de dados que permitirão ao aluno desenvolver soluções reais envolvendo estas técnicas de distribuição de dados. Leitura Obrigatória MARTINS, José Carlos Cordeiro. Gerenciando Projetos de desenvolvimento de Software com PMI, RUP e UML. Recurso de Internet Faculdade de Tecnologia INED 10 Faculdade de Tecnologia INED 23

13 1 Operações otimizáveis: consultas, índices, bloqueios e leitura/escrita em disco. 2 Políticas de atualização das estatísticas do banco de dados. 3 Otimização de consultas. 4 Ferramentas que auxiliam no monitoramento da performance do banco de dados. 5 Utilização de buffers de memória. 1 A atualização de dados estatísticos do banco resulta sempre em redução de tempo de resposta das consultas? 2 Os comandos EXISTS e NOT EXISTS terão sempre menor custo que os comandos IN e NOT IN? 3 É possível monitorar o uso (hit ratio) de buffer de memória? 4 É possível determinar uma seqüência de passos e fatores a serem verificados na otimização de uma consulta? informações a partir dos dados armazenados (consultas do tipo SELECT). Os grupos também deverão montar consultas que serão entregues ao professor. As consultas deverão cobrir o maior número possível de recursos do SQL (agrupamentos, funções agregativas, ordenação, junções, etc). 1 Comandos DDL x DML. 2 Sintaxe básica dos comandos. 3 Componentes do SGBD envolvidos na execução de consultas. 4 Recuperação dos dados armazenados. 5 Funções agregadas. 1 Geração automática de comandos DDL em ferramentas CASE. 2 Utilização de asterisco (*) em comandos do tipo SELECT. 3 Consultas aninhadas. 4 Apresentação de relatórios. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS E PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES Subtópico: 1.3 Nesta etapa os alunos deverão ser incentivados a verificar as estratégias mais utilizadas no processo de alocação de dados em memória secundária pelos SGBDs, com o objetivo de entender melhor a interface entre o SGBD e o sistema operacional neste processo. Em seguida deverão utilizar alguma linguagem de programação para desenvolver um programa simples que consiga efetuar operações básicas sobre o banco de dados utilizando comandos DML. 1 Estruturas de arquivos e diretórios utilizadas por alguns SGBDs. 2 Conectividade entre programas e SGBDs. 3 Comandos SQL embutidos em código-fonte. Faculdade de Tecnologia INED 22 Faculdade de Tecnologia INED 11

14 1 Sistemas operacionais compatíveis com os SGBDs líderes de mercado. 2 Arquitetura cliente-servidor X multicamadas. AULA EXPOSITIVA PROJETO FÍSICO Subtópico: 4.1 Os alunos deverão implementar o projeto físico de um modelo fictício fornecido pelo professor. Baseado neste modelo, e em ambientes fictícios para a aplicação do mesmo, os alunos deverão sugerir adequações no projeto para a sua implementação, tais como índices, redundâncias, fragmentações, etc. 1 Fatores a serem verificados no projeto físico: volumes, acessos, disponibilidade, performance, padronização, e segurança. 2 Informações relevantes para o processo: requisitos do ambiente, volumes de dados, características da aplicação, nível de segurança desejado, SGBD e hardware a serem utilizados. 3 Recursos utilizados no projeto físico (índices, visões, fragmentação, desnormalizações, redundâncias, tipos de dados, etc). 1 Uma performance insuficiente de um banco de dados indica, necessariamente, falha no projeto desse banco? 2 Qual a relação entre a normalização e o projeto físico do banco de dados? 3 De que forma a estimativa de volume de dados em tabelas pode influenciar no projeto físico? OTIMIZAÇÃO DE BANCOS DE DADOS RELACIONAIS Subtópico: 4.2 Nesta etapa do projeto os alunos deverão utilizar ferramentas para monitoramento da performance de consultas (planos de execução), índices e operações de I/O. É interessante que seja preparada uma base de dados populada, de forma a permitir a visualização de estatísticas do mesmo e a influência dessas informações na execução de consultas. Faculdade de Tecnologia INED 12 Faculdade de Tecnologia INED 21

15 Unidade 4 Projeto Integrador IV Aula Expositiva Unidade 2 Projeto Integrador II Aula Expositiva Para reflexão... A correção de erros após a implementação do modelo gera sempre custos mais altos e soluções mais traumáticas... Os dados são um recurso corporativo e devem ser gerenciados do mesmo modo que qualquer outro recurso corporativo o é. Quando se busca o cume da montanha, não se dá importância às pedras do caminho. Conteúdo da Disciplina 4 PROJETO INTEGRADOR IV 4.1 Projeto físico. 4.2 Otimização de bancos de dados relacionais. Autor desconhecido Objetivos da Unidade Este projeto integrador tem como objetivos principais consolidar conhecimentos acerca dos fatores que precisam ser considerados no projeto físico de bancos de dados e aprimorar a habilidade de monitoramento e otimização da performance dos bancos de dados relacionais. Leitura Obrigatória ELMASRI, R.; NAVATHE, S. B. Sistemas de Bancos de Dados Fundamentos e Aplicações. Para Saber Mais SILBERSCHATZ, Abraham; KORTH, Henry F.; SUDARSHAN, S. Sistema de Banco de Dados. Para reflexão... Que fatores devem ser levados em consideração na escolha do SGBD? Em que situações os triggers e stored procedures (ou functions) devem ser evitados? "Muitos homens devem a grandeza da sua vida aos obstáculos que tiveram de vencer. Spurgeon Conteúdo da Disciplina 2 PROJETO INTEGRADOR II 2.1 Funcionalidades dos sistemas gerenciadores de bancos de dados. 2.2 Programação para bancos de dados relacionais. 2.3 Importação e exportação de dados. Objetivos da Unidade Neste projeto os alunos serão levados a comparar os SGBDs mais utilizados no mercado atualmente sob o ponto de vista das funcionalidades disponíveis em cada um. Além disso, os alunos serão levados a desenvolver soluções práticas utilizando triggers, stored procedures e functions, assim como exercitar importação e exportação de dados entre sistemas distintos. Leitura Obrigatória ELMASRI, R.; NAVATHE, S. B. Sistemas de Bancos de Dados Fundamentos e Aplicações. Para Saber Mais SILBERSCHATZ, Abraham; KORTH, Henry F.; SUDARSHAN, S. Sistema de Banco de Dados. Faculdade de Tecnologia INED 20 Faculdade de Tecnologia INED 13

16 AULA EXPOSITIVA FUNCIONALIDADES DOS SISTEMAS GERENCIADORES DE BANCOS DE DADOS Subtópico: 2.1 Nesta etapa os alunos deverão analisar comparativamente os principais aplicativos ou funcionalidades disponibilizadas pelos SGBDs mais utilizados atualmente. Nesta comparação deverá ser dada ênfase no suporte à programação embutida no banco de dados (triggers, stored procedures e functions) e nas ferramentas utilizadas disponíveis para exportação ou importação de dados de outros repositórios. 1 Principais ferramentas dos SGBDs. 2 Principais interfaces disponibilizadas. 3 Linguagens utilizadas. 4 Ferramentas para conexão. 5 Diferenças de sintaxe entre os SGBDs banco. Em seguida o professor deverá propor consultas a serem construídas utilizando a linguagem OQL. Ao final, sugere-se a criação de um relatório analisando alguns pontos, tais como: complexidade de cada etapa do projeto, tempo de resposta às consultas, interfaces utilizadas, documentações, padronizações, etc. 1 Justificativa para o uso de orientação a objetos em bancos de dados. 2 SGBDOO x SGBDOR 3 Padrão ODMG e modelagem UML. 4 Linguagens ODL e OQL. 1 Quais os princípios propostos pelo paradigma orientado a objetos suportados pelo Oracle (versão mais recente)? 2 É possível estabelecer uma analogia entre ODL, OQL, DDL e DML? 3 Quais os principais obstáculos encontrados na implementação de soluções que envolvem a orientações a objetos nas organizações atualmente? 1 O Microsoft Access pode ser considerado um SGBD? 2 Quais SGBDs já adotaram o padrão ANSI da linguagem SQL para implementação de triggers e procedures? PROGRAMAÇÃO PARA BANCOS DE DADOS RELACIONAIS Subtópico: 2.2 Nesta etapa do projeto o professor deverá apresentar aos alunos algumas propostas de problemas para os quais os alunos desenvolverão soluções utilizando triggers, stored procedures e functions. Aconselha-se, quando possível, a utilização de bases de dados já criadas no Projeto Integrador I. Faculdade de Tecnologia INED 14 Faculdade de Tecnologia INED 19

17 AULA EXPOSITIVA SEGURANÇA DE ACESSO AOS DADOS. Subtópico: 3.1 A partir da descrição de um ambiente organizacional fictício fornecida pelo professor, cada grupo deverá preparar um documento propondo uma política de segurança para os dados da empresa. Deverão ser abordadas no relatório questões referentes a: cópias de segurança, autenticação e permissão de usuários, métodos de proteção contra ataques externos ao servidor de bancos de dados, atualização dos sistemas, outras ferramentas e aplicativos que podem melhorar a segurança do banco de dados. Deverá ser montado um esquema de usuários e grupos de acesso à base de dados e quais permissões são indicadas para cada caso. 1 Autenticação de usuários. 2 Prevenção a falhas e catástrofes. 3 Segurança no tráfego de dados em sistemas distribuídos. 4 Cuidados com o acesso físico e remoto ao servidor de bancos de dados. 1 De que forma a política de segurança da rede corporativa pode influenciar na segurança dos bancos de dados? 2 Em termo de projeto de redes e conexão à internet, que cuidados devem ser tomados em relação ao servidor de bancos de dados? ORIENTAÇÃO A OBJETOS EM BANCOS DE DADOS Subtópico: 3.2 Neste projeto o professor deverá selecionar e descrever previamente uma situação problemática a ser solucionada através da utilização de bancos de dados orientados a objetos ou objetorelacionais. Os alunos deverão elaborar o diagrama de classes em UML e utilizar os padrões ODMG para a criação do esquema do 1 Estrutura básica de programação de rotinas armazenadas (triggers, stored procedures e functions). 2 Passagem de parâmetros. 3 Execução de rotinas armazenadas em banco. 4 Exibição de resultados utilizando rotinas armazenadas. 1 Quais as principais vantagens e desvantagens do uso de triggers e procedures? 2 Como as procedures costumam ser disparadas pela camada de interface do sistema? Nesses casos, como é feito o tratamento de parâmetros? IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO DE DADOS Subtópico: 2.3 Neste ponto do projeto os alunos deverão exercitar a importação de dados de outras fontes ou formatos, tais como arquivos texto, planilhas do Microsoft Excel e dados gerados por outros SGBDs. O mesmo vale para a exportação dos dados. Os grupos deverão criar uma base de dados em um SGBD diferente daquele no qual foi criada a base original e efetuar a importação / exportação de dados. 1 Importância da importação/exportação de dados em ambientes corporativos. 2 Procedimentos mais utilizados para importação/exportação. 3 Utilização de XML como padrão para intercâmbio de dados. 4 Tratamento de restrições de integridade no processo de importação/exportação. 1 Quais os problemas mais comuns durante a importação de dados de outros repositórios? 2 A existência de índices pode prejudicar a performance do processo de importação? 3 O que é uma fonte do tipo OLE DB? Faculdade de Tecnologia INED 18 Faculdade de Tecnologia INED 15

18 Unidade 3 Projeto Integrador III Aula Expositiva Para Saber Mais SILBERSCHATZ, Abraham; KORTH, Henry F.; SUDARSHAN, S. Sistema de Banco de Dados. Para reflexão... Como a criptografia pode incrementar a segurança em bancos de dados? Quais os SGBDs orientados a objetos disponíveis no mercado atualmente? É possível traçar um perfil das empresas que utilizam estes sistemas? Por que a orientação a objetos é considerada um novo paradigma no contexto da engenharia de software? "A coragem é a mais alta das qualidades humanas, pois é a qualidade que garante as outras. Conteúdo da Disciplina 3 PROJETO INTEGRADOR III 3.1 Segurança de acesso aos dados. 3.2 Orientação a objetos em bancos de dados. Autor desconhecido Objetivos da Unidade Este projeto tem como objetivo desenvolver nos alunos habilidades para projetar formas seguras de acesso a bancos de dados, considerando diversas possibilidades de ambientes organizacionais. Além disso, os alunos terão a oportunidade de consolidar conhecimentos acerca do paradigma orientado a objetos, dando ênfase aos conceitos aplicáveis em sistemas de bancos de dados. Leitura Obrigatória ELMASRI, R.; NAVATHE, S. B. Sistemas de Bancos de Dados Fundamentos e Aplicações. Recurso de Internet Faculdade de Tecnologia INED 16 Faculdade de Tecnologia INED 17

Aula 0. Agenda 04/02/2009. Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computares. Disciplina: Gestão de Projeto de TI. Prof.: Fernando Hadad Zaidan

Aula 0. Agenda 04/02/2009. Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computares. Disciplina: Gestão de Projeto de TI. Prof.: Fernando Hadad Zaidan Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computares Disciplina: Gestão de Projeto de TI Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Aula 0 Agenda Regras A disciplina Apresentações 2 Apresentações Da

Leia mais

FACULDADE INTEGRADAS DE PARANAÍBA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS. Bancos de Dados Conceitos Fundamentais

FACULDADE INTEGRADAS DE PARANAÍBA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS. Bancos de Dados Conceitos Fundamentais FACULDADE INTEGRADAS DE PARANAÍBA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS Bancos de Dados Conceitos Fundamentais Tópicos Conceitos Básicos Bancos de Dados Sistemas de Bancos de Dados Sistemas de Gerenciamento de Bancos

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA CAMPUS: (CEUNES) CURSO: Engenharia de Produção HABILITAÇÃO: OPÇÃO: DEPARTAMENTO RESPONSÁVEL: Departamento de Engenharias e Computação (DECOM) IDENTIFICAÇÃO: CÓDIGO DISCIPLINA OU

Leia mais

14/08/2008. Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan

14/08/2008. Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2 Introdução a SQL 2 Leitura Obrigatória ELMASRI,

Leia mais

SISTEMA GERENCIADOR DE BANCO DE DADOS

SISTEMA GERENCIADOR DE BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Ciência da Computação Prof. Alexandre Veloso de Matos alexandre.matos@udesc.br SISTEMA GERENCIADOR

Leia mais

Roteiro 2 Conceitos Gerais

Roteiro 2 Conceitos Gerais Roteiro 2 Conceitos Gerais Objetivos: UC Projeto de Banco de Dados Explorar conceitos gerais de bancos de dados; o Arquitetura de bancos de dados: esquemas, categorias de modelos de dados, linguagens e

Leia mais

BANCO DE DADOS AULA 02 INTRODUÇÃO AOS BANCOS DE DADOS PROF. FELIPE TÚLIO DE CASTRO 2015

BANCO DE DADOS AULA 02 INTRODUÇÃO AOS BANCOS DE DADOS PROF. FELIPE TÚLIO DE CASTRO 2015 BANCO DE DADOS AULA 02 INTRODUÇÃO AOS BANCOS DE DADOS PROF. FELIPE TÚLIO DE CASTRO 2015 NA AULA PASSADA... 1. Apresentamos a proposta de ementa para a disciplina; 2. Discutimos quais as ferramentas computacionais

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 3ª Série Programação em Banco de Dados A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem

Leia mais

Plano de Ensino. Apresentação da Unidade Curricular

Plano de Ensino. Apresentação da Unidade Curricular Plano de Ensino Plano de Ensino Apresentação da Unidade Curricular o Funcionamento, arquitetura e conceitos fundamentais dos bancos de dados relacionais e objeto relacionais. Utilização de linguagem DDL

Leia mais

PLANO DE ENSINO. PRÉ-REQUISITO: Modelagem e Programação Orientada a Objetos. PROFESSOR RESPONSÁVEL : Josino Rodrigues Neto

PLANO DE ENSINO. PRÉ-REQUISITO: Modelagem e Programação Orientada a Objetos. PROFESSOR RESPONSÁVEL : Josino Rodrigues Neto UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO Rua Dom Manoel de Medeiros, s/n Dois Irmãos 52171-900 Recife-PE Fone: 0xx-81-332060-40 proreitor@preg.ufrpe.br PLANO DE ENSINO

Leia mais

Para construção dos modelos físicos, será estudado o modelo Relacional como originalmente proposto por Codd.

Para construção dos modelos físicos, será estudado o modelo Relacional como originalmente proposto por Codd. Apresentação Este curso tem como objetivo, oferecer uma noção geral sobre a construção de sistemas de banco de dados. Para isto, é necessário estudar modelos para a construção de projetos lógicos de bancos

Leia mais

18/03/2012. Formação. E-mail: alunos@ecivaldo.com

18/03/2012. Formação. E-mail: alunos@ecivaldo.com Formação Bacharelado em Ciência da Computação (UFBA) Especialização avançada em Sistemas Distribuídos (UFBA) Mestrado em Ciência da Computação (UFCG) Doutorado em Educação (USP) 1a. Aula 2012.1 2 Empresa

Leia mais

GEE051 - Banco de Dados (BD) Plano de Curso. Ilmério Reis da Silva ilmerio@facom.ufu.br www.facom.ufu.br/~ilmerio/bd UFU/FACOM - 2011/2

GEE051 - Banco de Dados (BD) Plano de Curso. Ilmério Reis da Silva ilmerio@facom.ufu.br www.facom.ufu.br/~ilmerio/bd UFU/FACOM - 2011/2 GEE051 - Banco de Dados (BD) Plano de Curso Ilmério Reis da Silva ilmerio@facom.ufu.br www.facom.ufu.br/~ilmerio/bd UFU/FACOM - 2011/2 Motivação Problemas reais encontrados por engenheiros exigem uma visão

Leia mais

Introdução Banco de Dados

Introdução Banco de Dados Introdução Banco de Dados Vitor Valerio de Souza Campos Adaptado de Vania Bogorny Por que estudar BD? Os Bancos de Dados fazem parte do nosso dia-a-dia: operação bancária reserva de hotel matrícula em

Leia mais

Banco de Dados. Introdução. João Eduardo Ferreira Osvaldo Kotaro Takai. jef@ime.usp.br DCC-IME-USP

Banco de Dados. Introdução. João Eduardo Ferreira Osvaldo Kotaro Takai. jef@ime.usp.br DCC-IME-USP Banco de Dados Introdução João Eduardo Ferreira Osvaldo Kotaro Takai jef@ime.usp.br DCC-IME-USP Importância dos Bancos de Dados A competitividade das empresas depende de dados precisos e atualizados. Conforme

Leia mais

Projeto de Banco de Dados

Projeto de Banco de Dados Luiz Vivacqua (lavcm@terra.com.br) http://geocities.yahoo.com.br/lavcm 1 Ementa 1. Introdução (1) 2. Modelo Conceitual Diagrama de classes 3. Modelo Lógico Relacional Características Chaves Restrições

Leia mais

Persistência e Banco de Dados em Jogos Digitais

Persistência e Banco de Dados em Jogos Digitais Persistência e Banco de Dados em Jogos Digitais Prof. Marcos Francisco Pereira da Silva Especialista em Engenharia de Software Jogos Digitais - Computação Gráfica 1 Agenda Vantagens de usar a abordagem

Leia mais

Hoje é inegável que a sobrevivência das organizações depende de dados precisos e atualizados.

Hoje é inegável que a sobrevivência das organizações depende de dados precisos e atualizados. BANCO DE DADOS Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Ciência da Computação Prof. Alexandre Veloso de Matos alexandre.matos@udesc.br INTRODUÇÃO Hoje é

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. TURMA: 3º semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. TURMA: 3º semestre EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Sistemas de Informação FORMA/GRAU:( ) Integrado ( ) Subsequente ( ) Concomitante ( X ) Bacharelado ( ) Licenciatura ( ) Tecnólogo

Leia mais

Banco de Dados. Uma coleção de dados relacionados [ELMASRI/NAVATHE]

Banco de Dados. Uma coleção de dados relacionados [ELMASRI/NAVATHE] 1/6 Banco de Dados O que é um Banco de Dados? Uma coleção de dados relacionados [ELMASRI/NAVATHE] Conjunto de dados integrados que tem por objetivo atender a uma comunidade específica [HEUSER] Um conjunto

Leia mais

Introdução. Banco de dados. Por que usar BD? Por que estudar BD? Exemplo de um BD. Conceitos básicos

Introdução. Banco de dados. Por que usar BD? Por que estudar BD? Exemplo de um BD. Conceitos básicos Introdução Banco de Dados Por que usar BD? Vitor Valerio de Souza Campos Adaptado de Vania Bogorny 4 Por que estudar BD? Exemplo de um BD Os Bancos de Dados fazem parte do nosso dia-a-dia: operação bancária

Leia mais

SISTEMA DE BANCO DE DADOS. Banco e Modelagem de dados

SISTEMA DE BANCO DE DADOS. Banco e Modelagem de dados SISTEMA DE BANCO DE DADOS Banco e Modelagem de dados Sumário Conceitos/Autores chave... 3 1. Introdução... 4 2. Arquiteturas de um Sistema Gerenciador... 5 3. Componentes de um Sistema... 8 4. Vantagens

Leia mais

Prof. Antonio Almeida de Barros Jr. Prof. Antonio Almeida de Barros Junior

Prof. Antonio Almeida de Barros Jr. Prof. Antonio Almeida de Barros Junior Prof. Antonio Almeida de Barros Jr. Introdução Dados Informações Banco de Dados Conceitos Básicos em Bancos de Dados Definição BD - Banco de Dados SGBD - Sistema de Gerenciamento de BD Programa de Aplicação

Leia mais

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados:

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados: MC536 Introdução Sumário Conceitos preliminares Funcionalidades Características principais Usuários Vantagens do uso de BDs Tendências mais recentes em SGBDs Algumas desvantagens Modelos de dados Classificação

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ANEXO II EDITAL N 06/2014, DE 29 DE SETEMBRO DE 2014 PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO A-01 - ASSESSOR TECNICO IV RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS Administração

Leia mais

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Julho / 2.012 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 29/07/2012 1.0 Versão inicial Ricardo Kiyoshi Página 2 de 11 Conteúdo 1. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING

BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING http://www.uniriotec.br/~tanaka/tin0036 tanaka@uniriotec.br Bancos de Dados Distribuídos Conceitos e Arquitetura Vantagens das Arquiteturas C/S (em relação

Leia mais

Bancos de Dados. Conceitos F undamentais em S is temas de B ancos de Dados e s uas Aplicações

Bancos de Dados. Conceitos F undamentais em S is temas de B ancos de Dados e s uas Aplicações Conceitos F undamentais em S is temas de B ancos de Dados e s uas Aplicações Tópicos Conceitos Básicos Bancos de Dados Sistemas de Bancos de Dados Sistemas de Gerenciamento de Bancos de Dados Abstração

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Etec Dr. José Luiz Viana Coutinho Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Dr. José Luiz Viana Coutinho Código: 073 Município: Jales Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Componente

Leia mais

Banco de Dados I. Introdução. Fabricio Breve

Banco de Dados I. Introdução. Fabricio Breve Banco de Dados I Introdução Fabricio Breve Introdução SGBD (Sistema Gerenciador de Banco de Dados): coleção de dados interrelacionados e um conjunto de programas para acessar esses dados Coleção de dados

Leia mais

17/10/2008. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Redes de Computadores

17/10/2008. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Redes de Computadores Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Redes de Computadores Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2 Imagem: BARBIERI, Carlos. 2

Leia mais

Figura 1 - Arquitetura multi-camadas do SIE

Figura 1 - Arquitetura multi-camadas do SIE Um estudo sobre os aspectos de desenvolvimento e distribuição do SIE Fernando Pires Barbosa¹, Equipe Técnica do SIE¹ ¹Centro de Processamento de Dados, Universidade Federal de Santa Maria fernando.barbosa@cpd.ufsm.br

Leia mais

Banco de Dados. CursoTécnico em Informática Modalidade Integrado. Professora Michelle Nery. Instituto Federal do Sul de Minas, câmpus Pouso Alegre

Banco de Dados. CursoTécnico em Informática Modalidade Integrado. Professora Michelle Nery. Instituto Federal do Sul de Minas, câmpus Pouso Alegre Banco de Dados CursoTécnico em Informática Modalidade Integrado Instituto Federal do Sul de Minas, câmpus PousoAlegre Professora Michelle Nery Conteúdo Programático Introdução O que é Banco de Dados O

Leia mais

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Programação com acesso a BD Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias 2 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias Modelo de dados: Conjunto de conceitos

Leia mais

GBC043 Sistemas de Banco de Dados (SBD) Plano de Curso. Ilmério Reis da Silva ilmerio@facom.ufu.br www.facom.ufu.br/~ilmerio/sbd UFU/FACOM

GBC043 Sistemas de Banco de Dados (SBD) Plano de Curso. Ilmério Reis da Silva ilmerio@facom.ufu.br www.facom.ufu.br/~ilmerio/sbd UFU/FACOM GBC043 Sistemas de Banco de Dados (SBD) Plano de Curso Ilmério Reis da Silva ilmerio@facom.ufu.br www.facom.ufu.br/~ilmerio/sbd UFU/FACOM Motivação/Justificativa Conteúdo fundamental para a Formação Tecnológica

Leia mais

Conceitos de Banco de Dados

Conceitos de Banco de Dados Conceitos de Banco de Dados Autor: Luiz Antonio Junior 1 INTRODUÇÃO Objetivos Introduzir conceitos básicos de Modelo de dados Introduzir conceitos básicos de Banco de dados Capacitar o aluno a construir

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI)

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI) Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI) Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Business Intelligence Inteligência Competitiva tem por fornecer conhecimento

Leia mais

14/09/2008. Curso Superior de Tecnologia em Bando de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan

14/09/2008. Curso Superior de Tecnologia em Bando de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia em Bando de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan Unidade 2.2 1 2 Material usado na montagem dos Slides Bibliografia

Leia mais

BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE. C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03)

BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE. C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03) MBA em Gestão de TI MÓDULO: BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03) PROFESSOR: Edison Andrade Martins Morais prof@edison.eti.br http://www.edison.eti.br

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Dr. José Luiz Viana Coutinho Código: 073 Município: Jales Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Habilitação Profissional

Leia mais

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Ementa Introdução a Banco de Dados (Conceito, propriedades), Arquivos de dados x Bancos de dados, Profissionais de Banco de dados,

Leia mais

Introdução. Motivação. Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD) Banco de Dados (BD) Sistema de Banco de Dados (SBD)

Introdução. Motivação. Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD) Banco de Dados (BD) Sistema de Banco de Dados (SBD) Pós-graduação em Ciência da Computação CCM-202 Sistemas de Banco de Dados Introdução Profa. Maria Camila Nardini Barioni camila.barioni@ufabc.edu.br Bloco B - sala 937 2 quadrimestre de 2011 Motivação

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Administração de Banco de Dados - Oracle

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Administração de Banco de Dados - Oracle Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Administração de Banco de Dados - Oracle Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Administração de Banco de Dados tem por fornecer conhecimento

Leia mais

CURSO TECNOLÓGICO 2008/01 1º SEMESTRE. Programação e Estruturas de Dados Fundamentais

CURSO TECNOLÓGICO 2008/01 1º SEMESTRE. Programação e Estruturas de Dados Fundamentais 1º SEMESTRE Programação e Estruturas de Dados Fundamentais 8 Créditos Desenvolver a lógica de programação através da construção de algoritmos utilizando português estruturado Representar a solução de problemas

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

Fundamentos de Banco de Dados

Fundamentos de Banco de Dados Fundamentos de Banco de Dados SISTEMAS BASEADOS NO PROCESSAMENTO DE ARQUIVOS Sistema A Funcionário Pagamento Cargo Sistema B Funcionário Projeto SISTEMAS GERENCIADORES DE BANCO DE DADOS (SGBD) Sistema

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Sistemas de Informação FORMA/GRAU:( ) Integrado ( ) Subsequente ( ) Concomitante ( X ) Bacharelado ( ) Licenciatura ( ) Tecnólogo

Leia mais

Evolução. Tópicos. Bancos de Dados - Introdução. Melissa Lemos. Evolução dos Sistemas de Informação Esquemas Modelos. Características de SGBDs

Evolução. Tópicos. Bancos de Dados - Introdução. Melissa Lemos. Evolução dos Sistemas de Informação Esquemas Modelos. Características de SGBDs 1 Bancos de Dados - Introdução Melissa Lemos melissa@inf.puc-rio.br Tópicos Evolução dos Sistemas de Informação Esquemas Modelos Conceitual Lógico Características de SGBDs 2 Evolução tempo Programas e

Leia mais

Banco de Dados II. Introdução Revisão - normalização -modelagem - sql básico

Banco de Dados II. Introdução Revisão - normalização -modelagem - sql básico Banco de Dados II Introdução Revisão - normalização -modelagem - sql básico Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com http://www.bolinhabolinha.com Apresentação Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com

Leia mais

PLANO DE ENSINO PRÉ-REQUISITOS: ENS

PLANO DE ENSINO PRÉ-REQUISITOS: ENS UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI PLANO DE ENSINO DEPARTAMENTO: DSI Departamento de Sistema de Informação DISCIPLINA: Data Warehouse

Leia mais

UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO (Bacharelado)

UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO (Bacharelado) UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO (Bacharelado) SISTEMA INTERNO INTEGRADO PARA CONTROLE DE TAREFAS INTERNAS DE UMA EMPRESA DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Faculdade Lourenço Filho - ENADE 2011-1

Faculdade Lourenço Filho - ENADE 2011-1 1. Quando se constrói um banco de dados, define-se o modelo de entidade e relacionamento (MER), que é a representação abstrata das estruturas de dados do banco e seus relacionamentos. Cada entidade pode

Leia mais

Conteúdo. Disciplina: INF 02810 Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos. Centro Tecnológico. Universidade Federal do Espírito Santo

Conteúdo. Disciplina: INF 02810 Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos. Centro Tecnológico. Universidade Federal do Espírito Santo Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Disciplina: INF 02810 Prof.: (monalessa@inf.ufes.br) Conteúdo 1. Introdução 2. Processo de Software 3. Gerência de

Leia mais

2. Conceitos e Arquitetura de Bancos de Dados

2. Conceitos e Arquitetura de Bancos de Dados Bancos de Dados 2. Conceitos e Arquitetura de Bancos de Dados 1 Arquitetura Moderna de SGBD SGBD antigos eram monolíticos e rígidos, voltados para funcionamento em ambientes centralizados (mainframes e

Leia mais

Banco de Dados I. Apresentação (mini-currículo) Conceitos. Disciplina Banco de Dados. Cont... Cont... Edson Thizon (edson@esucri.com.

Banco de Dados I. Apresentação (mini-currículo) Conceitos. Disciplina Banco de Dados. Cont... Cont... Edson Thizon (edson@esucri.com. Sistemas da Informação Banco de Dados I Edson Thizon (edson@esucri.com.br) 2008 Apresentação (mini-currículo) Formação Acadêmica Mestrando em Ciência da Computação (UFSC/ ) Créditos Concluídos. Bacharel

Leia mais

INTRODUÇÃO E CONCEITOS BÁSICOS. Prof. Ronaldo R. Goldschmidt

INTRODUÇÃO E CONCEITOS BÁSICOS. Prof. Ronaldo R. Goldschmidt INTRODUÇÃO E CONCEITOS BÁSICOS Prof. Ronaldo R. Goldschmidt Hierarquia Dado - Informação - Conhecimento: Dados são fatos com significado implícito. Podem ser armazenados. Dados Processamento Informação

Leia mais

ALESSANDRO RODRIGO FRANCO FERNANDO MARTINS RAFAEL ALMEIDA DE OLIVEIRA

ALESSANDRO RODRIGO FRANCO FERNANDO MARTINS RAFAEL ALMEIDA DE OLIVEIRA ALESSANDRO RODRIGO FRANCO FERNANDO MARTINS RAFAEL ALMEIDA DE OLIVEIRA INTRODUÇÃO O projeto de um banco de dados é realizado sob um processo sistemático denominado metodologia de projeto. O processo do

Leia mais

Roteiro. Conceitos e Arquitetura de Sistemas de Banco de Dados. Conceitos e Arquiteturas de Sistemas de Banco de Dados. BCC321 - Banco de Dados I

Roteiro. Conceitos e Arquitetura de Sistemas de Banco de Dados. Conceitos e Arquiteturas de Sistemas de Banco de Dados. BCC321 - Banco de Dados I Roteiro Conceitos e Arquitetura de Sistemas de Banco de Dados Luiz Henrique de Campos Merschmann Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto luizhenrique@iceb.ufop.br www.decom.ufop.br/luiz

Leia mais

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Sistemas de Informação Professores: Rafael Francisco Thibes thibes@uniarp.edu.br Período/ Fase: 5º Semestre:

Leia mais

Administração de Banco de Dados

Administração de Banco de Dados Administração de Banco de Dados Professora conteudista: Cida Atum Sumário Administração de Banco de Dados Unidade I 1 INTRODUÇÃO A BANCO DE DADOS...1 1.1 Histórico...1 1.2 Definições...2 1.3 Importância

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 015 Ensino Técnico Etec ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico em Informática para

Leia mais

Módulo 4: Gerenciamento de Dados

Módulo 4: Gerenciamento de Dados Módulo 4: Gerenciamento de Dados 1 1. CONCEITOS Os dados são um recurso organizacional decisivo que precisa ser administrado como outros importantes ativos das empresas. A maioria das organizações não

Leia mais

SQL APOSTILA INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL

SQL APOSTILA INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL SQL APOSTILA INTRODUÇÃO Uma linguagem de consulta é a linguagem por meio da qual os usuários obtêm informações do banco de dados. Essas linguagens são, tipicamente, de nível mais alto que as linguagens

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: TÉCNICO EM INFORMÁTICA Qualificação:

Leia mais

Programação com acesso a BD. Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Programação com acesso a BD. Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Programação com acesso a BD Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Introdução BD desempenha papel crítico em todas as áreas em que computadores são utilizados: Banco: Depositar ou retirar

Leia mais

04/08/2012 MODELAGEM DE DADOS. PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO, M.Sc. @ribeirord MODELAGEM DE DADOS. Aula 1. Prof. Rafael Dias Ribeiro. M.Sc.

04/08/2012 MODELAGEM DE DADOS. PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO, M.Sc. @ribeirord MODELAGEM DE DADOS. Aula 1. Prof. Rafael Dias Ribeiro. M.Sc. MODELAGEM DE DADOS PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO, M.Sc. @ribeirord MODELAGEM DE DADOS Aula 1 Prof. Rafael Dias Ribeiro. M.Sc. @ribeirord 1 Objetivos: Apresenta a diferença entre dado e informação e a importância

Leia mais

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI Nome da Empresa Documento Visão Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 23/02/2015 1.0 Início do projeto Anderson, Eduardo, Jessica, Sabrina, Samuel 25/02/2015 1.1 Correções Anderson e Eduardo

Leia mais

Revisão de Banco de Dados

Revisão de Banco de Dados Revisão de Banco de Dados Fabiano Baldo 1 Sistema de Processamento de Arquivos Antes da concepção dos BDs o registro das informações eram feitos através de arquivos. Desvantagens: Redundância e Inconsistência

Leia mais

Banco de Dados. Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011

Banco de Dados. Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011 Banco de Dados Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011 Roteiro Apresentação do professor e disciplina Definição de Banco de Dados Sistema de BD vs Tradicional Principais características de BD Natureza autodescritiva

Leia mais

fagury.com.br. PMBoK 2004

fagury.com.br. PMBoK 2004 Este material é distribuído por Thiago Fagury através de uma licença Creative Commons 2.5. É permitido o uso e atribuição para fim nãocomercial. É vedada a criação de obras derivadas sem comunicação prévia

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Rodrigues de Abreu Código: 135 Município: Bauru Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnica de nível médio de técnico

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em BD Curso Superior de Tecnologia em DAI

Curso Superior de Tecnologia em BD Curso Superior de Tecnologia em DAI Curso Superior de Tecnologia em BD Curso Superior de Tecnologia em DAI Fundamentos de Banco de Dados Aula 01 Introdução aos Sistemas de Bancos de Dados Introdução aos Sistemas de BD Objetivo Apresentar

Leia mais

Introdução a Banco de Dados Aula 03. Prof. Silvestri www.eduardosilvestri.com.br

Introdução a Banco de Dados Aula 03. Prof. Silvestri www.eduardosilvestri.com.br Introdução a Banco de Dados Aula 03 Prof. Silvestri www.eduardosilvestri.com.br Arquiteturas de Banco de Dados Arquiteturas de BD - Introdução Atualmente, devem-se considerar alguns aspectos relevantes

Leia mais

Banco de Dados Conceito de Arquitetura

Banco de Dados Conceito de Arquitetura Banco de Dados Conceito de Arquitetura Wireless-Optical Broadband Acess Network APRESENTAÇÃO Graduado SI Engenharia de Software Gerenciamento de Projetos Mecatrônica Mestrando CONCEITO DE BD MODELO DE

Leia mais

MAGREGISTER 1.0: GERADOR DE INTERFACES DE COLETAS DE DADOS PARA PDA S. Acadêmico: Gilson Chequeto Orientador: Adilson Vahldick

MAGREGISTER 1.0: GERADOR DE INTERFACES DE COLETAS DE DADOS PARA PDA S. Acadêmico: Gilson Chequeto Orientador: Adilson Vahldick MAGREGISTER 1.0: GERADOR DE INTERFACES DE COLETAS DE DADOS PARA PDA S Acadêmico: Gilson Chequeto Orientador: Adilson Vahldick Roteiro Introdução Objetivos do trabalho Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

Plano de Gerência de Configuração

Plano de Gerência de Configuração Plano de Gerência de Configuração Objetivo do Documento Introdução A aplicação deste plano garante a integridade de códigos-fonte e demais produtos dos sistemas do, permitindo o acompanhamento destes itens

Leia mais

BANCO DE DADOS. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com

BANCO DE DADOS. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com BANCO DE DADOS Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com Contexto Fazem parte do nosso dia a dia: Operações bancárias Matrícula na universidade Reserva de hotel Controle de biblioteca Comércio

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES

DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES 39 A, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com o Estatuto e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem no tocante a esta

Leia mais

Disciplina de Banco de Dados Introdução

Disciplina de Banco de Dados Introdução Disciplina de Banco de Dados Introdução Prof. Elisa Maria Pivetta CAFW - UFSM Banco de Dados: Conceitos A empresa JJ. Gomes tem uma lista com mais ou menos 4.000 nomes de clientes bem como seus dados pessoais.

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2014

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2014 ETEC PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Habilitação Profissional:

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL - FATESG PROJETO INTEGRADOR 3º PERÍODO GOIÂNIA

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL - FATESG PROJETO INTEGRADOR 3º PERÍODO GOIÂNIA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL - FATESG PROJETO INTEGRADOR 3º PERÍODO GOIÂNIA 2012. INFORMAÇÕES GERAIS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL Coordenação

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Dr. José Luiz Viana Coutinho Código: 073 Município: Jales Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Componente Curricular: Técnica de Nível Médio

Leia mais

TRABALHO DE DIPLOMAÇÃO Regime Modular ORIENTAÇÕES SOBRE O ROTEIRO DO PROJETO FINAL DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES

TRABALHO DE DIPLOMAÇÃO Regime Modular ORIENTAÇÕES SOBRE O ROTEIRO DO PROJETO FINAL DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES TRABALHO DE DIPLOMAÇÃO Regime Modular ORIENTAÇÕES SOBRE O ROTEIRO DO PROJETO FINAL DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES [Observação: O template a seguir é utilizado como roteiro para projeto de sistemas orientado

Leia mais

Banco de Dados I Introdução

Banco de Dados I Introdução Banco de Dados I Introdução Prof. Moser Fagundes Curso Técnico em Informática (Modalidade Integrada) IFSul Campus Charqueadas Sumário da aula Avaliações Visão geral da disciplina Introdução Histórico Porque

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

04/08/2012 MODELAGEM DE DADOS. PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO, M.Sc. @ribeirord MODELAGEM DE DADOS. Aula 2. Prof. Rafael Dias Ribeiro. M.Sc.

04/08/2012 MODELAGEM DE DADOS. PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO, M.Sc. @ribeirord MODELAGEM DE DADOS. Aula 2. Prof. Rafael Dias Ribeiro. M.Sc. MODELAGEM DE DADOS PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO, M.Sc. @ribeirord MODELAGEM DE DADOS Aula 2 Prof. Rafael Dias Ribeiro. M.Sc. @ribeirord 1 Objetivos: Revisão sobre Banco de Dados e SGBDs Aprender as principais

Leia mais

PLANO DE ENSINO DO 2º SEMESTRE LETIVO DE 2012

PLANO DE ENSINO DO 2º SEMESTRE LETIVO DE 2012 PLANO DE ENSINO DO 2º SEMESTRE LETIVO DE 2012 Curso: TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL Habilitação: TECNÓLOGO Disciplina: NEGÓCIOS INTELIGENTES (BUSINESS INTELLIGENCE) Período: M V N 4º semestre do Curso

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Técnico em Informática FORMA/GRAU: (X) Integrado ( ) Subsequente ( ) Concomitante ( ) Bacharelado ( ) Licenciatura ( ) Tecnólogo

Leia mais

Data Warehouse Processos e Arquitetura

Data Warehouse Processos e Arquitetura Data Warehouse - definições: Coleção de dados orientada a assunto, integrada, não volátil e variável em relação ao tempo, que tem por objetivo dar apoio aos processos de tomada de decisão (Inmon, 1997)

Leia mais

Introdução a Computação

Introdução a Computação Introdução a Computação Aula 03 Profissões de TI Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http:// Papéis... Um papel é uma definição abstrata de um conjunto de atividades executadas e dos respectivos

Leia mais

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Nome e titulação do Coordenador: Coordenador: Prof. Wender A. Silva - Mestrado em Engenharia Elétrica (Ênfase em Processamento da Informação). Universidade

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET Introdução à Computação A disciplina apresenta a área da Computação como um todo, desde a história e a evolução dos computadores

Leia mais

PLANO DE ENSINO DE DISCIPLINA

PLANO DE ENSINO DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE PARANAENSE - UNIPAR Reconhecida pela Portaria - MEC nº 1580, de 09/11/93 - D.O.U. 10/11/93 Mantenedora Associação Paranaense de Ensino e Cultura - APEC UMUARAMA TOLEDO GUAÍRA PARANAVAÍ CIANORTE

Leia mais

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED Implantação de um Sistema de GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Importância do GED O GED tem uma importante contribuição na tarefa da gestão eficiente da informação; É a chave para a melhoria da

Leia mais

Objetivos Específico

Objetivos Específico Banco de Dados Ementa (DBA) Conceitos Gerais sobre Banco de Dados Instalação e configuração da Ferramenta de Banco de Dados. Elaboração de projeto de Banco de Dados. Implementação do projeto de Banco de

Leia mais

Banco de Dados Orientado a Objetos

Banco de Dados Orientado a Objetos Banco de Dados Orientado a Objetos MODELAGEM, ANÁLISE, PROJETO e CLASSIFICAÇÃO Interação combinando lógica, através de objetos que contém os dados. Estes divididos conforme seus tipos e métodos (classe),

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE DADOS Capítulo 7 ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE DADOS 7.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Por que as empresas sentem dificuldades para descobrir que tipo de informação precisam ter em seus sistemas de informação?

Leia mais

Data Warehousing. Leonardo da Silva Leandro. CIn.ufpe.br

Data Warehousing. Leonardo da Silva Leandro. CIn.ufpe.br Data Warehousing Leonardo da Silva Leandro Agenda Conceito Elementos básicos de um DW Arquitetura do DW Top-Down Bottom-Up Distribuído Modelo de Dados Estrela Snowflake Aplicação Conceito Em português:

Leia mais