ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS AO ESTÁGIO DE AUXILIAR DE GUIA DE CORDADA (EAGC)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS AO ESTÁGIO DE AUXILIAR DE GUIA DE CORDADA (EAGC)"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO CML 1ª DE 4ª Bda Inf L (Mth) 11º Batalhão de Infantaria de Montanha (28º BI/ REGIMENTO TIRADENTES) São João del-rei, MG 10 JAN 14 EAGC 2014 ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS AO ESTÁGIO DE AUXILIAR DE GUIA DE CORDADA (EAGC) 1. APRESENTAÇÃO O presente documento tem por objetivos: - cumprimentar os candidatos ao EAGC pelo elevado senso de profissionalismo ao se voluntariarem para um estágio que lhes exigirá muito sacrifício, abnegação e vontade de vencer; - estabelecer o primeiro contato com os futuros estagiários, orientando-os para uma adequada preparação orgânica, física, intelectual e psicológica, bem como tecer considerações sobre os materiais mínimos a serem utilizados durante o transcorrer do estágio, tudo isso visando o sucesso dos militares ao final do ESTÁGIO DE AUXILIAR DE GUIA DE CORDADA. 2. PREPARAÇÃO FÍSICA a. Considerações Gerais Para o êxito no estágio é fundamental que o candidato possua um bom condicionamento físico. O Treinamento Físico Militar (TFM), durante o EAGC, será composto por sessões de treinamento cardiopulmonar (Corrida Contínua) e neuromuscular (Pista de Cordas, Pista de Treinamento de Montanhismo com escalada em muro artificial e trabalho de fortalecimento muscular). O guia para o alongamento e aquecimento será sempre um estagiário escalado pela equipe de instrução, ao início de cada sessão, devendo o mesmo seguir o prescrito no Manual de Treinamento Físico Militar (C 20-20). Considerando que o bom condicionamento físico não é adquirido em curto espaço de tempo, é de fundamental importância que os candidatos já estejam realizando uma preparação física prévia para o ingresso no EAGC. A preparação física deverá habilitar os candidatos a superarem os desgastes físicos das atividades desenvolvidas durante o Estágio. Sugerimos a realização de corridas de 8 a 12 Km, com aclives e declives, em terrenos variados, treinamento nos obstáculos da Pista de Cordas e realização de escaladas livres em muro artificial. Entende-se como preparação física, não só a prática de atividades físicas dirigidas ao esforço ao qual o estagiário será submetido, mas também aos cuidados prévios que se deve ter com a saúde, particularmente a ortopédica, evitando excessos nos treinamentos que possam causar lesões, e as doenças crônicas que possam prejudicar o desempenho do estagiário. Enfatizamos aos candidatos que evitem em seus treinamentos prévios a ingestão de medicamentos ou produtos similares (complementos alimentares) sem o acompanhamento de um médico ou nutricionista que possa melhor orientá-lo, uma vez que em algumas atividades do Exército Brasileiro, problemas sanitários graves já foram constatados, inclusive com o militar chegando ao óbito, em virtude da prática irresponsável da automedicação. Deixamos claro aos candidatos que durante o transcorrer do EAGC os estagiários somente poderão consumir medicamentos ou complementos alimentares apresentando, por ocasião da visita médica, um receituário e/ou laudo de profissional competente para medicá-lo (médico ou nutricionista). b. Exame de Aptidão Física (EAF) 1) O Exame de Aptidão Física tem caráter eliminatório, e será aplicado em todos os candidatos pelo CIOpMth, após a apresentação dos mesmos e antes da efetivação da matrícula. Constará das provas de corrida contínua, sustentação na barra fixa horizontal, e subida na corda, todas no mesmo dia, nas condições estipuladas nesse documento.

2 2) Condições para realização das provas: PROVA CONDIÇÃO DE EXECUÇÃO PADRÃO MÍNIMO Corrida Contínua - Uniforme 5º A, podendo ser utilizado tênis apropriado para corrida de cor diferente de preta. - Na posição inicial de pé, cada candidato deverá correr ou andar a distância mínima de 3 km, podendo haver interrupção 12 minutos ou modificação do ritmo da corrida. A prova será realizada em piso duro com aclives e declives ao longo do percurso. Sustentação na barra fixa horizontal - Uniforme 5º A. - Posição inicial: pegada na barra em pronação e braços distendidos. A contagem do tempo iniciará quando o candidato, realizando uma flexão de braço, ultrapassar a barra com o queixo, estando a cabeça na posição natural, sem hiperextensão do pescoço. A posição deverá ser mantida sem apoiar o queixo na linha da barra. 30 segundos Subida em corda vertical - Uniforme 4º B. - Posição inicial: de pé, com as duas mãos na corda abaixo da marcação inicial (1,90 m do solo), iniciará a subida utilizando somente as mãos, não sendo permitido saltar para segurar a corda. É permitido o auxilio dos pés somente quando ambas as mãos ultrapassarem 3 metros da marcação inicial. 6 metros Todas as provas do EAF têm caráter impeditivo para matrícula, no caso de não serem atingidos quaisquer dos padrões mínimos exigidos. Aos candidatos que não atingirem o padrão mínimo em uma das provas, será facultada uma segunda tentativa, com intervalo mínimo de 24 horas, nas mesmas condições de execução, não podendo ficar reprovado em mais do que uma prova. Caso isto ocorra, o candidato será automaticamente considerado inapto para fins de matrícula no EAGC. O EAF será aplicado por uma Comissão de Aplicação e Fiscalização (CAF) constituída por, no mínimo, 03 (três) Of/ST/Sgt, preferencialmente possuidores do CBM ou EAGC e, sempre que possível, um dos militares deverá possuir o Curso de Instrutor ou Monitor de Educação Física da Escola de Educação Física do Exército (EsEFEx). O presidente da CAF obrigatoriamente deverá ser um oficial. 3. PREPARAÇÃO INTELECTUAL a. Considerações gerais A preparação intelectual será um instrumento fundamental para os candidatos obterem um melhor rendimento nas atividades do estágio. Para tal, todos os candidatos deverão revisar todos os conhecimentos adquiridos no EBCM. b. Verificação Prática (VP) Antes da efetivação da matrícula para o estágio, será aplicada uma Verificação Prática, de caráter eliminatório, visando checar os conhecimentos básicos ministrados no EBCM necessários para o ingresso no EAGC. Constará de duas provas: nós e amarrações e técnica de escalada livre. Não haverá recuperação para as provas da Avaliação Prática. PACIÊNCIA, HUMILDADE E PERSEVERANÇA! 2

3 Os objetivos e condições de execução serão os seguintes: PROVA Nós e Amarrações CONDIÇÕES DE EXECUÇÃO - Uniforme 4º A, sem cobertura, utilizando cabo solteiro de 11 ou 12 mm ou retinida de 6 ou 7 mm de diâmetro e com 6 metros de comprimento. - Confeccionar os principais nós e amarrações, dentro do tempo estipulado para cada nó em segundos, com nó pescador duplo para arremate: Nó a ser confeccionado Tempo Nó mola no mosquetão com nó de porco arrematado 50 Lais de guia na cintura 25 Nó azelha em oito 20 Nó alemão 15 Nó meio porco no mosquetão 15 Nó boca de lobo 20 Nó de frade 20 Nó prússico a 6 voltas 35 Atadura de peito 90 Assento americano 90 Nó azelha simples 20 Nó azelha dupla 25 Nó de porco 20 Nó direito 30 Nó de fita 25 Nó de escota simples 25 Nó de escota dupla 30 Nó pescador duplo na função de junção 20 PADRÃO MÍNIMO 80% de aproveitamento na pontuação da prova Técnica de Escalada livre - Uniforme 4º A, Assento Americano e Atadura de Peito. - O candidato deverá escalar quatro rotas, sem meios artificiais para auxiliar na progressão, empregando as técnicas de escalada adquiridas no EBCM. - Poderão ser realizadas até três tentativas consecutivas de subida em cada rota, após o que, será a rota considerada NÃO EXECUTADA. 75% de aproveitamento nas rotas de escalada (3 rotas) 4. O ESTÁGIO PROPRIAMENTE DITO a. Considerações gerais O EAGC é um estágio que visa capacitar os Of/Sgt temporários e os Cb/Sd do efetivo profissional já possuidores do Estágio Básico do Combatente de Montanha, a auxiliarem nas atividades técnicas de: - Operações militares em Ambiente Operacional de Montanha; - Instrução básica de combatentes de montanha; e - Ações de Busca e Salvamento em Montanha. b. Matérias fundamentais do Estágio - Técnica de escalada em cordada (livre e artificial); - Resgate e Autoresgate; e - Técnica de equipagem de vias. c. Avaliações O rendimento das instruções do EAGC é avaliado através de Avaliações Formativas e Somativas. - Avaliações Formativas visam preparar o estagiário para as avaliações Somativas; - Avaliações Somativas comporão a NOTA FINAL do estagiário. Para ser considerado aprovado no EAGC, o estagiário deverá obter, no mínimo, nota final maior ou igual a cinco vírgula zero. PACIÊNCIA, HUMILDADE E PERSEVERANÇA! 3

4 5. PREPARAÇÃO PSICOLÓGICA A preparação psicológica é de fundamental importância e, seguramente, pode definir o sucesso no Estágio. Ela é de responsabilidade, única e exclusiva, do candidato e será avaliada, desde o início do Estágio, por meio dos atributos da área afetiva inerentes ao Auxiliar de Guia de Cordada. O contato externo com o estagiário, após iniciado o EAGC, que envolva problemas de caráter emergencial ou pessoal, deverão ser tratados por meio da Seção de Alunos, através do telefone (32) MEDIDAS ADMINISTRATIVAS a. Materiais a serem providenciados pelos estagiários: 1) Fardo de Combate (mochila) Qnt Material Obs 01 Mochila militar Cantil com caneco Marmita com tampa e talher Kit de primeiros socorros Kit de anotação Kit de Mnt de ferragens Kit de manutenção do uniforme e coturno Abrigo de proteção Poncho, malvinão, malvininha, anorack, goretex. 01 Lanterna de cabeça Velada e com cordel para ancoragem no capacete 01 Coturno com solado de montanha Poderá ser substituído pela sapatilha de escalada. Não há sapatilhas para cautela no CIOpMth. 01 Protetor solar Preferencialmente com FPS mínimo de 30 De boa qualidade, preferencialmente categoria 3, lente 01 Óculos escuros verde, preta ou marron, com armação preta ou camuflada Observações: a) Todo o material deverá estar impermeabilizado e identificado (Kits lateral dos recipientes ou potes, sacos plásticos face exterior); b) Todos os kits deverão estar identificados com o nome do kit e o número do estagiário. O Kit primeiros socorros deverá constar na etiqueta o Medicamento, Indicação, Posologia e Validade; e c) Durante as escaladas será autorizado o uso de magnésio, desde que o saco porta magnésio seja verde, preto ou camuflado. 2) Fardo de Bagagem (saco VO) Qnt Material Obs 01 Saco VO ou bolsa tipo T 10 verde ou preta Uniforme de muda completo Calça, gandola, camiseta, meias, cuecas 02 Uniforme de TFM completo Camiseta, short, meia e tênis 01 Par de coturno --- 3) Outros Qnt Material Obs 03 Fotos 3x4 fardado Será recolhido pela equipe de instrução ao início do curso 01 Lona plástica preta de 1 m² (1x1 m) Será utilizada para proteção da corda nas escaladas 01 Canivete pequeno Utilizado no bolso direito da calça. 4) Material mínimo para montagem dos kits (Anexo A); PACIÊNCIA, HUMILDADE E PERSEVERANÇA! 4

5 7. MATERIAL A SER FORNECIDO PELO CIOpMTH - material de escalada, exceto sapatilha; e - gorro numerado. 8. CALENDÁRIO DO EAGC EAGC Apresentação no 11º BIMth Início Término FEV14 (uniforme: 4º A com boina) 10FEV14 21FEV14 9. PRESCRIÇÕES DIVERSAS a. O estagiário deverá trazer documentos pessoais (identidade) e o cartão do FUSEX ou cartão de assistência médica. b. O estagiário deverá conduzir, durante todo o EAGC, cópia da identidade militar e do cartão do FUSEX (ou similar) plastificada, que deverá estar no bolso superior esquerdo da gandola. Caso o estagiário possua reação alérgica a algum medicamento, deverá conduzir também no bolso superior esquerdo da gandola, um papel plastificado de 5x5 cm contendo o registro. c. Os seguintes materiais deverão estar numerados com o número do estagiário, conforme abaixo: 1) Dimensões 7 x 5 cm, normógrafo de 35 mm: - Mochila: um número na tampa da mochila - Saco VO: um número no saco VO d. Recomenda-se que a preparação dos coturnos com solado especial seja feita antes do início do estágio. GEORGES FERES KANAAN Ten Cel Cmt 11º BIMth A CONQUISTA DE UM IDEAL INICIA-SE NA MENTE DE CADA UM MONTANHA! PACIÊNCIA, HUMILDADE E PERSEVERANÇA! 5

6 ANEXO A MATERIAL MÍNIMO OBRIGATÓRIO 1. KIT DE PRIMEIROS SOCORROS: - Andolba ou similar - Luvas cirúrgicas - Band-aid (mínimo 10 unidades). - Rehidrat (no mínimo, 2 envelopes). - Esparadrapo (mínimo 1 rolo pequeno). - Pinça - Gaze (mínimo 4 gazes estéreis). - Atadura 2. KIT DE MANUTENÇÃO DE FERRAGENS: - Escova - Pano para limpeza - Pincel - Grafite em pó 3. KIT DE MANUTENÇÃO DO UNIFORME E COTURNO: - Agulhas - Linhas - Botões - Graxa e escova 4. KIT ANOTAÇÃO: - Bloco de anotações de plástico (uso na chuva) - Bloco de anotações de papel - Caneta de retroprojetor - Borracha - Caneta (mínimo 02 cores) - Lapiseira ou lápis - Estilete PACIÊNCIA, HUMILDADE E PERSEVERANÇA! 6

ORIENTAÇÃO AOS CANDIDATOS AO ESTÁGIO DE AUXILIAR DE GUIA DE CORDADA (EAGC) 2010

ORIENTAÇÃO AOS CANDIDATOS AO ESTÁGIO DE AUXILIAR DE GUIA DE CORDADA (EAGC) 2010 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO CML 1ª DE 4ª Bda Inf Mtz 11º BIMth São João del Rei, MG Em 09 Set 10 An A à O Instr Nr 01 EAGC ORIENTAÇÃO AOS CANDIDATOS AO ESTÁGIO DE AUXILIAR DE GUIA DE CORDADA

Leia mais

SUGESTÕES DE PROGRAMAS DE TREINAMENTO FISICO PARA OS CANDIDATOS AOS CURSOS DE OPERAÇÕES NA SELVA

SUGESTÕES DE PROGRAMAS DE TREINAMENTO FISICO PARA OS CANDIDATOS AOS CURSOS DE OPERAÇÕES NA SELVA MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO COMANDO MILITAR DA AMAZÔNIA CENTRO DE INSTRUÇÃO DE GUERRA NA SELVA CENTRO CORONEL JORGE TEIXEIRA SUGESTÕES DE PROGRAMAS DE TREINAMENTO FISICO PARA OS CANDIDATOS

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL DIRETORIA DE GESTÃO DE PESSOAL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL DIRETORIA DE GESTÃO DE PESSOAL SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL DIRETORIA DE GESTÃO DE PESSOAL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04/2009-DGP/DPF, DE 23 DE JULHO DE 2009 Regulamenta a aplicação do exame de aptidão física

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO DE OFICIAIS DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE

CONCURSO PÚBLICO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO DE OFICIAIS DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL CENTRO DE RECURSOS HUMANOS CONCURSO PÚBLICO

Leia mais

PROCESSO SELETIVO Nº 009/2013-DE

PROCESSO SELETIVO Nº 009/2013-DE ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA POLICIA MILITAR DO MARANHÃO DIRETORIA DE ENSINO Av. Jerônimo de Albuquerque, s/n, Calhau; CEP. 65.074-220; São Luís/MA; Telefax: (0xx98) 3268-3057;

Leia mais

EDITAL 010/2014 CURSO DE COMBATE À INCÊNDIO NA FLORESTA AMAZÔNICA CCIFA 2014

EDITAL 010/2014 CURSO DE COMBATE À INCÊNDIO NA FLORESTA AMAZÔNICA CCIFA 2014 EDITAL 010/2014 CURSO DE COMBATE À INCÊNDIO NA FLORESTA AMAZÔNICA CCIFA 2014 1 FINALIDADE: Regular o processo de seleção dos candidatos as vagas abertas do Curso de Combate a Incêndio Florestal CCIFA/2014,

Leia mais

ORIENTAÇÃO AOS CANDIDATOS AO CURSO DE FORMAÇÃO DE OFICIAIS (CFO) 2015

ORIENTAÇÃO AOS CANDIDATOS AO CURSO DE FORMAÇÃO DE OFICIAIS (CFO) 2015 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO D E C E X - D E S Mil ESCOLA DE SAÚDE DO EXÉRCITO (Es Apl Sv Sau Ex 1910) ORIENTAÇÃO AOS CANDIDATOS AO CURSO DE FORMAÇÃO DE OFICIAIS (CFO) 2015 Candidato(a), O

Leia mais

DEPARTAMENTO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1, DE 4 DE JANEIRO DE 2002 Regulamenta a aplicação da prova de capacidade física no

DEPARTAMENTO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1, DE 4 DE JANEIRO DE 2002 Regulamenta a aplicação da prova de capacidade física no DEPARTAMENTO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1, DE 4 DE JANEIRO DE 2002 Regulamenta a aplicação da prova de capacidade física no processo seletivo para o cargo de Policial Rodoviário

Leia mais

ORIENTAÇÃO AOS CANDIDATOS AO CURSO DE FORMAÇÃO DE OFICIAIS MÉDICOS (CFOM) 2012

ORIENTAÇÃO AOS CANDIDATOS AO CURSO DE FORMAÇÃO DE OFICIAIS MÉDICOS (CFOM) 2012 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO ESCOLA DE SAÚDE DO EXÉRCITO (Escola de Aplicação para o Serviço de Saúde do Exército - 1910) ORIENTAÇÃO AOS CANDIDATOS AO CURSO DE FORMAÇÃO DE OFICIAIS MÉDICOS

Leia mais

ANEXO VII PROCEDIMENTOS DA AVALIAÇÃO DE APTIDÃO FÍSICA 1. TESTE DE BARRA FIXA

ANEXO VII PROCEDIMENTOS DA AVALIAÇÃO DE APTIDÃO FÍSICA 1. TESTE DE BARRA FIXA ANEXO VII 1. TESTE DE BARRA FIXA PROCEDIMENTOS DA AVALIAÇÃO DE APTIDÃO FÍSICA 1.1 Teste dinâmico de barra fixa (somente para candidatos do sexo masculino) 1.1.1 A metodologia para a preparação e a execução

Leia mais

ORIENTAÇÃO AOS CANDIDATOS AO CURSO DE FORMAÇÃO DE OFICIAIS (CFO) 2014

ORIENTAÇÃO AOS CANDIDATOS AO CURSO DE FORMAÇÃO DE OFICIAIS (CFO) 2014 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO D E C E X - D E S Mil ESCOLA DE SAÚDE DO EXÉRCITO (Es Apl Sv Sau Ex 1910) ORIENTAÇÃO AOS CANDIDATOS AO CURSO DE FORMAÇÃO DE OFICIAIS (CFO) 2014 Candidato(a), O

Leia mais

Briefing eletrônico. saloman

Briefing eletrônico. saloman Short & Half Mision Brasil Briefing eletrônico saloman Ben vindos a ediçao 2015 da Short & Half Mision Brasil!!! A partir do día 19 de Junho esperamos todos vocês na cidade de Passa Quatro/MG para a maior

Leia mais

Téc. Caminhada, Graduação / Classificações, Acampamento, Logística e Ética

Téc. Caminhada, Graduação / Classificações, Acampamento, Logística e Ética Téc. Caminhada, Graduação / Classificações, Acampamento, Logística e Ética CLASSIFICAÇÃO - MODELO AMERICANO Classe 1 * Caminhada. Uso de trilhas simples e demarcadas, pode haver inclinação mas não há a

Leia mais

TESTES DE APTIDÃO FÍSICA A SEREM REALIZADOS PELO SESI

TESTES DE APTIDÃO FÍSICA A SEREM REALIZADOS PELO SESI TESTES DE APTIDÃO FÍSICA A SEREM REALIZADOS PELO SESI 1 DOS TESTES 1.1 Os Testes de Aptidão Física, de caráter eliminatório, serão aplicados no dia e horários indicados no telegrama de convocação, individualmente

Leia mais

NORMA TÉCNICA n. 16/2014

NORMA TÉCNICA n. 16/2014 3 yahooé ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA n. 16/2014 Segurança em Áreas de Piscinas e Emprego de Guarda-vidas SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO MUNICIPAL SEMSA / BONFIM Nº 001/2015 COMISSÃO DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL PARA PROVA DE CAPACITAÇÃO FÍSICA

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO MUNICIPAL SEMSA / BONFIM Nº 001/2015 COMISSÃO DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL PARA PROVA DE CAPACITAÇÃO FÍSICA PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO MUNICIPAL SEMSA / BONFIM Nº 001/2015 COMISSÃO DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL PARA PROVA DE CAPACITAÇÃO FÍSICA 1. Participarão desta etapa os candidatos aprovados/classificados

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PUBLICA DEPARTAMENTO DA FORÇA NACIONAL DE SEGURANÇA PUBLICA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PUBLICA DEPARTAMENTO DA FORÇA NACIONAL DE SEGURANÇA PUBLICA MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PUBLICA DEPARTAMENTO DA FORÇA NACIONAL DE SEGURANÇA PUBLICA PORTARIA Nº 005/2015/GAB/DFNSP/SENASP/MJ. Aprova a Diretriz do Teste de Aptidão Física

Leia mais

INSTITUTO DE PESQUISA DA CAPACITAÇÃO FÍSICA DO EXÉRCITO CIÊNCIA PARA SAÚDE E OPERACIONALIDADE

INSTITUTO DE PESQUISA DA CAPACITAÇÃO FÍSICA DO EXÉRCITO CIÊNCIA PARA SAÚDE E OPERACIONALIDADE INSTITUTO DE PESQUISA DA CAPACITAÇÃO FÍSICA DO EXÉRCITO CIÊNCIA PARA SAÚDE E OPERACIONALIDADE PROGRAMA DE TREINAMENTO FÍSICO PARA O CURSO DE AÇÕES DE COMANDOS ELABORADO PELO INSTITUTO DE PESQUISA DA CAPACITAÇÃO

Leia mais

1. NO CARGO DE SOLDADO BOMBEIRO MILITAR NAS QUALIFICAÇÕES DO QUADRO DE BOMBEIRO MILITAR PARTICULAR (QBMP) DE COMBATENTE, GUARDA-VIDAS E MOTORISTA.

1. NO CARGO DE SOLDADO BOMBEIRO MILITAR NAS QUALIFICAÇÕES DO QUADRO DE BOMBEIRO MILITAR PARTICULAR (QBMP) DE COMBATENTE, GUARDA-VIDAS E MOTORISTA. ANEXO II TESTE DE APTIDÃO FÍSICA O Teste de Aptidão Física tem o objetivo de selecionar os candidatos cuja aptidão física seja compatível com o exercício da atividade de Bombeiro Militar e será realizado

Leia mais

INSTRUÇÕES NORMATIVAS PARA EXECUÇÃO DE SONDAGENS

INSTRUÇÕES NORMATIVAS PARA EXECUÇÃO DE SONDAGENS REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA INFRA-ESTRUTURA DEPARTAMENTO ESTADUAL DE INFRA-ESTRUTURA INSTRUÇÕES NORMATIVAS PARA SONDAGENS IN-04/94 Instrução Normativa

Leia mais

INFORMATIVO DOZE DE OURO

INFORMATIVO DOZE DE OURO INFORMATIVO DOZE DE OURO ABRIL 2013/24 EDITORIAL O IDO do início de abril destaca algumas das atividades que conferem ao Btl o conhecido reconhecimento no âmbito da 4ª RM: Capacitação dos Quadros para

Leia mais

Memorial Descritivo OBRA: CERCAMENTO DOS LOTES Nº02 E Nº03 DA QUADRA Nº344

Memorial Descritivo OBRA: CERCAMENTO DOS LOTES Nº02 E Nº03 DA QUADRA Nº344 Memorial Descritivo OBRA: CERCAMENTO DOS LOTES Nº02 E Nº03 DA QUADRA Nº344 Endereço da obra: Quadra 128, situada na esquina da Rua Ijui esquina Rua Inhacorá, Bairro Recanto do Sol, Horizontina - RS. O

Leia mais

PRINCIPAIS FUNÇÕES NA EQUIPE

PRINCIPAIS FUNÇÕES NA EQUIPE Trekking é uma caminhada com uma boa dose de aventura na qual os praticantes não andam com guia, mas fazem o percurso com o auxílio de uma planilha de navegação. A prova de Trekking de Regularidade se

Leia mais

A estrutura do nosso corpo foi "projetada" para suportar o nosso peso. A mochila é, portanto, uma carga extra.

A estrutura do nosso corpo foi projetada para suportar o nosso peso. A mochila é, portanto, uma carga extra. Arrumar a Mochila Corpo Nacional de Escutas Agrupamento 143 S. Mamede de Infesta A estrutura do nosso corpo foi "projetada" para suportar o nosso peso. A mochila é, portanto, uma carga extra. Graças à

Leia mais

PREFEITURA DE IPIRÁ - ESTADO DA BAHIA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE COMUNICADO Prova de Aptidão Física - TAF

PREFEITURA DE IPIRÁ - ESTADO DA BAHIA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE COMUNICADO Prova de Aptidão Física - TAF PREFEITURA DE IPIRÁ - ESTADO DA BAHIA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE COMUNICADO Prova de Aptidão Física - TAF O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE IPIRÁ, Estado da Bahia, no uso de suas atribuições legais, mediante

Leia mais

BARRACA BÁSICA ESPECIFICAÇÃO

BARRACA BÁSICA ESPECIFICAÇÃO INSTRUÇÁO NORMATIVA / DIRETORIA DE ABASTECIMENTO BARRACA BÁSICA ESPECIFICAÇÃO IN / D Abst / C1 II no 0041 201 1 SUMÁRIO 1. OBJETIVO... I 2. NORMAS CONIPLENIENTARES... I 3. CARACTER~STICAS GERAIS... 2 4.

Leia mais

BERÇARIO I E II (DE 6 MESES A 18 MESES)

BERÇARIO I E II (DE 6 MESES A 18 MESES) 1. MATERIAL INDIVIDUAL BERÇARIO I E II (DE 6 MESES A 18 MESES) A entrega de matéria na data prevista é indispensável para o início das atividades da criança na Creche PARA MEIO EXPEDIENTE PARA TEMPO INTEGRAL

Leia mais

MANUAL BICICLETAS. Número do quadro: ... Nome do Proprietário: ... Data da compra:. ...

MANUAL BICICLETAS. Número do quadro: ... Nome do Proprietário: ... Data da compra:. ... MANUAL BICICLETAS Número do quadro:... Nome do Proprietário:... Data da compra:.... 1 MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL LINHA CONVENCIONAL: ADULTOS E JUVENIL ÍNDICE: INTRODUÇÃO Introdução 03 Manual Linha Convencional

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA POLICIA MILITAR DO MARANHÃO DIRETORIA DE ENSINO

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA POLICIA MILITAR DO MARANHÃO DIRETORIA DE ENSINO ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA POLICIA MILITAR DO MARANHÃO DIRETORIA DE ENSINO Av. Jerônimo de Albuquerque, s/n, Calhau; CEP. 65.074-220; São Luís/MA; Telefax: (0xx98) 3268-3057

Leia mais

INSTRUÇÃO DE EXAMES CANDIDATO INS-002

INSTRUÇÃO DE EXAMES CANDIDATO INS-002 Página 1 de 14 1. OBJETIVO Fornecer ao candidato as instruções necessárias para execução do exame prático de Acesso por Corda de acordo com o Sistema de Certificação ANEAC. 2. DOCUMENTOS APLICÁVEIS - NAC-005

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA A PROVA DE APTIDÃO FÍSICA PARA O CARGO DE AGENTE DE DEFESA CIVIL

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA A PROVA DE APTIDÃO FÍSICA PARA O CARGO DE AGENTE DE DEFESA CIVIL ANEXO III DO EDITAL N o 075/2011 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA A PROVA DE APTIDÃO FÍSICA PARA O CARGO DE AGENTE DE DEFESA CIVIL 1. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1.1 - Os testes de aptidão física, de caráter

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL COORDENAÇÃO-GERAL DE RECURSOS HUMANOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL COORDENAÇÃO-GERAL DE RECURSOS HUMANOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL COORDENAÇÃO-GERAL DE RECURSOS HUMANOS INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 005/2009 CGRH/DPRF, DE 11 DE AGOSTO DE 2009 Regulamenta

Leia mais

NORMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

NORMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN n 042/DAT/CBMSC)

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN nº 040/DAT/CBMSC)

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DE BICICLETAS NA FISCALIZAÇÃO DO TRÂNSITO E TRANSPORTE.

A UTILIZAÇÃO DE BICICLETAS NA FISCALIZAÇÃO DO TRÂNSITO E TRANSPORTE. A UTILIZAÇÃO DE BICICLETAS NA FISCALIZAÇÃO DO TRÂNSITO E TRANSPORTE. EMDEC Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas S/A RESENHA A utilização de bicicletas na fiscalização do trânsito ocorre em

Leia mais

DESCRIÇÃO UNIFORMES DA DEFESA CIVIL PARA AS COORDENADORIAS DISTRITAIS DE DEFESA CIVIL DAS SUBPREFEITURAS

DESCRIÇÃO UNIFORMES DA DEFESA CIVIL PARA AS COORDENADORIAS DISTRITAIS DE DEFESA CIVIL DAS SUBPREFEITURAS DESCRIÇÃO UNIFORMES DA DEFESA CIVIL PARA AS COORDENADORIAS DISTRITAIS DE DEFESA CIVIL DAS SUBPREFEITURAS 1- COLETE : - Azul marinho; - 02 (duas) faixas refletivas, na direção horizontal, na cor laranja;

Leia mais

Manual de Instruções MACAS MAMUTE

Manual de Instruções MACAS MAMUTE Manual de Instruções MACAS Maca para resgate e transporte de feridos Considerações Médicas 1 A Maca Mamute foi desenvolvida para atender à situações de emergência em que seja necessária a imobilização

Leia mais

Onde lê: EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÃO

Onde lê: EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÃO Coordenadoria de Serviços de Saúde Grupo de Atenção às Urgências e Emergências - GRAU Concurso Público para classe de Enfermeiro (para atuar junto ao serviço Pré Hospitalar Móvel). I.E nº002/2013 Edital

Leia mais

Resgatando a autoestima das mulheres em situação de violência através da corrida e caminhada

Resgatando a autoestima das mulheres em situação de violência através da corrida e caminhada PROJETO CORRA PELA VIDA Resgatando a autoestima das mulheres em situação de violência através da corrida e caminhada I. INTRODUÇÃO Os altos índices de violência doméstica e familiar contra a mulher em

Leia mais

EDITAL Nº 001/2014 P/3 2º BPM

EDITAL Nº 001/2014 P/3 2º BPM ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO MARANHÃO COMANDO DO POLICIAMENTO DE ÁREA DO INTERIOR 4 2º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR EDITAL Nº 001/2014 P/3 2º BPM I Curso

Leia mais

Trabalhos em Altura com a Utilização de Cadeira Suspensa (Balancim)

Trabalhos em Altura com a Utilização de Cadeira Suspensa (Balancim) PROCEDIMENTO DE SMS Trabalhos em Altura com a Utilização de Cadeira Suspensa (Balancim) PR-99-993-CPG-009 Revisão: 00 Aprovação: 30/05/2014 Página: 1/7 1. OBJETIVO Estabelecer requisitos de segurança para

Leia mais

REGULAMENTO 1 OBJETIVO: 2 DATA, LOCAL E HORÁRIO: 3 PERCURSO: 4 REGRAS GERAIS DO EVENTO:

REGULAMENTO 1 OBJETIVO: 2 DATA, LOCAL E HORÁRIO: 3 PERCURSO: 4 REGRAS GERAIS DO EVENTO: REGULAMENTO O evento Circuito Vida Segura SINCOR. GO é uma iniciativa de caráter esportivo - social voltada para o público praticante de corrida de rua. Será realizada no dia 11 de Maio de 2014, com largada

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA CENTRO DE INSTRUÇÃO E ADAPTAÇÃO DA AERONÁUTICA

MINISTÉRIO DA DEFESA CENTRO DE INSTRUÇÃO E ADAPTAÇÃO DA AERONÁUTICA MINISTÉRIO DA DEFESA CENTRO DE INSTRUÇÃO E ADAPTAÇÃO DA AERONÁUTICA RECOMENDAÇÕES SOBRE O TESTE DE AVALIAÇÃO DO CONDICIONAMENTO FÍSICO (TACF) AO(À) FUTURO(A) ESTAGIÁRIO(A) DO EAOT/EIAC - 2013 PREPARE-SE

Leia mais

CAPÍTULO IV. Das Formas de Aplicação do TAF-3

CAPÍTULO IV. Das Formas de Aplicação do TAF-3 DEI - CSMFD - CENTRO DE SAÚDE MENTAL, FÍSICA E DESPORTOS - CEL PM OEZER DE CARVALHO - DIRETRIZ DE CONDICIONAMENTO FÍSICO DA POLÍ- CIA MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ( D-5 ) PUBLICAÇÃO Artigo 3º -

Leia mais

CURSO DE AÇÕES DE COMANDOS

CURSO DE AÇÕES DE COMANDOS CURSO DE AÇÕES DE COMANDOS Edição 2015 1. FINALIDADES a. Prestar informações de caráter geral quanto aos objetivos gerais, inscrição e seleção do Curso de Ações de Comandos (); e b. Orientar a preparação

Leia mais

1.1 A presente seleção tem por objetivo o provimento de bolsas de estudo para 1ª, 2ª e 3ª séries do Ensino Médio, no ano de 2016.

1.1 A presente seleção tem por objetivo o provimento de bolsas de estudo para 1ª, 2ª e 3ª séries do Ensino Médio, no ano de 2016. EDITAL Nº 01 Instituto LACOAN - 2015 PROCESSO SELETIVO PARA BOLSISTAS A Senhora Ângela Cristina de Carvalho Viana, Diretora do Instituto LACOAN, no uso das suas atribuições legais torna público o processo

Leia mais

POLÍCIA CIVIL DO ESTADO DO PARANÁ CONSELHO DA POLÍCIA CIVIL. EDITAL N 045/2014 (Sub Judice)

POLÍCIA CIVIL DO ESTADO DO PARANÁ CONSELHO DA POLÍCIA CIVIL. EDITAL N 045/2014 (Sub Judice) POLÍCIA CIVIL DO ESTADO DO PARANÁ CONSELHO DA POLÍCIA CIVIL EDITAL N 045/2014 (Sub Judice) O Presidente do Conselho da Polícia Civil do Estado do Paraná, no uso de suas atribuições legais, em conformidade

Leia mais

PORTARIA Nº 032-EME, DE 31 DE MARÇO DE 2008.

PORTARIA Nº 032-EME, DE 31 DE MARÇO DE 2008. PORTARIA Nº 032-EME, DE 31 DE MARÇO DE 2008. Aprova a Diretriz para o Treinamento Físico Militar do Exército e sua Avaliação. O CHEFE DO ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO, no uso da atribuição que lhe confere o

Leia mais

AS LEIS DO TÊNIS DE MESA Capítulo 2

AS LEIS DO TÊNIS DE MESA Capítulo 2 AS LEIS DO TÊNIS DE MESA Capítulo 2 2.1 A MESA 2.1.1 A parte superior da mesa, chamada superfície de jogo, deve ser retangular, com 2,74 m de comprimento por 1,525 m de largura, e situar-se em um plano

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA CENTRO DE ENSINO BOMBEIRO MILITAR ACADEMIA DE BOMBEIRO MILITAR

SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA CENTRO DE ENSINO BOMBEIRO MILITAR ACADEMIA DE BOMBEIRO MILITAR SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA CENTRO DE ENSINO BOMBEIRO MILITAR ACADEMIA DE BOMBEIRO MILITAR Caro futuro Cadete, Nós, da Academia de Bombeiro Militar

Leia mais

FAMERV. Faculdade de Medicina de Rio Verde

FAMERV. Faculdade de Medicina de Rio Verde EDITAL 001/2015 MONITORIA O Laboratório de Anatomia Humana da UniRV, no uso de suas atribuições, torna público as inscrições para o processo seletivo para Monitoria do Laboratório Morfofuncional, destinado

Leia mais

NR-35 TRABALHO EM ALTURA

NR-35 TRABALHO EM ALTURA 35.1. Objetivo e Campo de Aplicação NR-35 TRABALHO EM ALTURA Publicação D.O.U. Portaria SIT n.º 313, de 23 de março de 2012 27/03/12 35.1.1 Esta Norma estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção

Leia mais

EDITAL Nº 04/2015/DAE/PJC/MT

EDITAL Nº 04/2015/DAE/PJC/MT ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA JUDICIÁRIA CIVIL DIRETORIA DE ATIVIDADES ESPECIAIS EDITAL Nº 04/2015/DAE/PJC/MT Disciplina as inscrições e o processo de seleção

Leia mais

ANEXO A PORTARIA Nº 09/DFNSP/SENASP/MJ PROTOCOLO GERAL DE TESTE DE APTIDÃO FÍSICA

ANEXO A PORTARIA Nº 09/DFNSP/SENASP/MJ PROTOCOLO GERAL DE TESTE DE APTIDÃO FÍSICA ANEXO A PORTARIA Nº 09/DFNSP/SENASP/MJ PROTOCOLO GERAL DE TESTE DE APTIDÃO FÍSICA CAPÍTULO I Art. 1º - O presente trabalho visa avaliar os militares em condições normais de saúde, já mobilizados ou que

Leia mais

Art. 3º - Compete ainda, ao Comandante Geral estabelecer normas para aplicação do Regulamento ora aprovado.

Art. 3º - Compete ainda, ao Comandante Geral estabelecer normas para aplicação do Regulamento ora aprovado. DECRETO N.º 18.063, de 06 de agosto de 1986 Aprova o Regulamento de Uniformes da Polícia Militar do Ceará e dá outras providências O GOVERNADOR DO ESTADO DO CEARÁ, no uso de suas atribuições legais que

Leia mais

Caso tenha adquirido uma de nossas dobráveis, favor verificar em anexo a este manual nosso folheto de como dobrar e desdobrar rapidamente.

Caso tenha adquirido uma de nossas dobráveis, favor verificar em anexo a este manual nosso folheto de como dobrar e desdobrar rapidamente. INTRODUÇÃO Parabéns, você agora é proprietário de uma bicicleta BLITZ, um produto importado que segue os padrões de qualidade internacionais e as regras de segurança para que seu prazer de pedalar seja

Leia mais

REGULAMENTOS E MANUAL PROVA DE RESISTÊNCIA CBM PROGRAMA HIPERAÇÃO

REGULAMENTOS E MANUAL PROVA DE RESISTÊNCIA CBM PROGRAMA HIPERAÇÃO REGULAMENTOS E MANUAL PROVA DE RESISTÊNCIA CBM PROGRAMA HIPERAÇÃO INFORMAÇÒES DE PROVAS BOAS PRÁTICAS AO MOTOCICLISMO REGULAMENTOS DE PROVA ETAPAS DE CERTIFICAÇÃO Programa CBM HIPERAÇÃO Nosso propósito

Leia mais

ESTADO DE RORAIMA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR Amazônia: Patrimônio dos Brasileiros " CONVOCAÇÃO

ESTADO DE RORAIMA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR Amazônia: Patrimônio dos Brasileiros  CONVOCAÇÃO CONVOCAÇÃO Referência: Processos PJE N os: 0401074-27.2013.8.23.0010 e 0401071.27.2013.8.23.0010 Considerando que o Douto Juiz de Direito do Juizado Especial da Fazenda Pública de Boa Vista concedeu, no

Leia mais

Comprimento...420 mm. Largura...330 mm. Telhas por m²...10,4 pçs. Peso médio por telha... 4,7 Kg. Distância máx entre ripas...

Comprimento...420 mm. Largura...330 mm. Telhas por m²...10,4 pçs. Peso médio por telha... 4,7 Kg. Distância máx entre ripas... Infomações Técnicas TELHAS As telhas de concreto CASA FORTE são do tipo Coppo Vêneto e são fabricadas em conformidade com a NBR 13.858-1 e atendem as especificações da NBR 13.858-2. Possuem encaixes perfeitos

Leia mais

Atualmente muito se tem ouvido falar e os estudos científicos. comprovam que a prática física diária é considerada um dos fatores

Atualmente muito se tem ouvido falar e os estudos científicos. comprovam que a prática física diária é considerada um dos fatores Atualmente muito se tem ouvido falar e os estudos científicos comprovam que a prática física diária é considerada um dos fatores que contribui efetivamente para uma melhor qualidade de vida do indivíduo.

Leia mais

Manual de Instruções RETÍFICA RETA 1/4 AR 1214

Manual de Instruções RETÍFICA RETA 1/4 AR 1214 Manual de Instruções RETÍFICA RETA 1/4 AR 1214 ADVERTÊNCIA: Leia atentamente este manual antes de usar o produto. ÍNDICE SEÇÃO PÁGINA Introdução 3 Normas gerais de segurança 3 Normas especificas de segurança

Leia mais

1. Identificação do Produto e da Empresa

1. Identificação do Produto e da Empresa 1. Identificação do Produto e da Empresa Produto: Perfis de Poliestireno Tipo de produto: 96 % de Poliestireno Reciclado e 4 % de Poliestireno Virgem Empresa: Indústria e Comércio de Molduras Santa Luzia

Leia mais

Sua 1ª opção em redes esportivas

Sua 1ª opção em redes esportivas Sua 1ª opção em redes esportivas MASTERFEW Indústria e Comércio Ltda. Av. Prefeito Bernardino de Lucca, 1222 - Jd. Carambeí - São Roque - SP - CEP 18132-295 vendas@masterfew.com.br www.masterfew.com.br

Leia mais

SUGESTÕES PARA INSTALAÇÃO DO ECOBLOCK

SUGESTÕES PARA INSTALAÇÃO DO ECOBLOCK SUGESTÕES PARA INSTALAÇÃO DO ECOBLOCK GUIA DO INSTALADOR MADEIRA FEITA PARA DURAR ÍNDICE FICHA TÉCNICA... 3 PERFIS E PLACAS DISPONÍVEIS...... 3 1. INFORMAÇÕES BÁSICAS... 4 1.1 CONTRAÇÃO E DILATAÇÃO...

Leia mais

LISTA DE MATERIAL ESCOLAR 2016 EDUCAÇÃO INFANTIL

LISTA DE MATERIAL ESCOLAR 2016 EDUCAÇÃO INFANTIL OBSERVAÇÕES: 1. Todo o material deverá vir com nome, ano e professora; 2. Etiquetar cadernos, livros e pastas (do lado de fora) 3. O material de uso individual deverá ser reposto sempre que necessário;

Leia mais

Lista de Material - 2012. Educação Infantil Infantil I

Lista de Material - 2012. Educação Infantil Infantil I Lista de Material - 2012 Educação Infantil Infantil I 05 cartolinas guachadas (cores diferentes) 01 cartolina laminada dourada 05 cartolinas brancas 02 cartolinas pretas 02 rolos de papel crepom na cor

Leia mais

Versão 1. Versão 2. Tipos de aplicação da marca

Versão 1. Versão 2. Tipos de aplicação da marca Aplicações Tipos de aplicação da marca 01 São aceitas duas aplicações, horizontal e vertical, com redução proporcional do letreiro em relação ao desenho no segundo caso. Versão 1 Versão 2 Versão para aplicação

Leia mais

Escola Portuguesa de Luanda Lista de material básico para EV (5.º e 6.ºAnos) 2015/16

Escola Portuguesa de Luanda Lista de material básico para EV (5.º e 6.ºAnos) 2015/16 Lista de material básico para EV (5.º e 6.ºAnos) 2015/16 - Capa preta A3, com lombada de 3cm e com elásticos; - Régua de 30 cm transparente; - Esquadro de 45º de 30cm; - Transferidor semi-circular; - Lápis

Leia mais

E.E.I.F. PROFª. ADRIANA SODRÉ. Material Escolar - 2016 Berçário I, Berçário II e Mini Maternal

E.E.I.F. PROFª. ADRIANA SODRÉ. Material Escolar - 2016 Berçário I, Berçário II e Mini Maternal Berçário I, Berçário II e Mini Maternal 01 malinha com aproximadamente 4 trocas (incluindo 2 babadores) 01 sabonete 01 saboneteira 01 shampoo 01 condicionador 01 pomada contra assaduras 01 pote de lenços

Leia mais

1. DA CONVOCAÇÃO PARA A MATRÍCULA NO CURSO DE FORMAÇÃO E PARA A INVESTIGAÇÃO SOCIAL

1. DA CONVOCAÇÃO PARA A MATRÍCULA NO CURSO DE FORMAÇÃO E PARA A INVESTIGAÇÃO SOCIAL O SECRETÁRIO DE ESTADO DA GESTÃO E PREVIDÊNCIA, na qualidade de Presidente da Comissão Central de Concurso Público, criada por meio do Decreto Estadual n.º 28.608, de 28 de setembro de 2012, torna pública

Leia mais

PROVAS DE ROBUSTEZ FÍSICA, PSÍQUICA E ENTREVISTA PROFISSIONAL DE SELECÇÃO

PROVAS DE ROBUSTEZ FÍSICA, PSÍQUICA E ENTREVISTA PROFISSIONAL DE SELECÇÃO PROVAS DE ROBUSTEZ FÍSICA, PSÍQUICA E ENTREVISTA PROFISSIONAL DE SELECÇÃO INTRODUÇÃO O presente concurso de selecção de candidaturas para elementos a incluir na Força Especial de Bombeiros, rege-se pelas

Leia mais

CURSO DE AÇÕES DE COMANDOS CENTRO DE INSTRUÇÃO DE OPERAÇÕES ESPECIAIS ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO

CURSO DE AÇÕES DE COMANDOS CENTRO DE INSTRUÇÃO DE OPERAÇÕES ESPECIAIS ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO CURSO DE AÇÕES DE COMANDOS CENTRO DE INSTRUÇÃO DE OPERAÇÕES ESPECIAIS ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO CAC 2016 1. FINALIDADES CURSO DE AÇÕES DE COMANDOS ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO Edição 2016 - Prestar informações

Leia mais

PREGÃO. Endereço : AV. AYRTON SENNA,5677 ALMOXARIFADO - JACAREPAGUÁ. Kátia Valeria Teixeira Lopes SEC/DAF/DAF

PREGÃO. Endereço : AV. AYRTON SENNA,5677 ALMOXARIFADO - JACAREPAGUÁ. Kátia Valeria Teixeira Lopes SEC/DAF/DAF 1 Nome/Razão Social : ANGEL'S SEGURANÇA E VIGILÂNCIA LTDA. Endereço : RUA SANTA ALEXANDRINA,210 - RIO COMPRIDO Cidade : RIO DE JANEIRO UF :RJ CEP : 20261-232 E-mail : diretoria@angels-seguranca.com.br

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INSTRUÇÃO E ADAPTAÇÃO DA AERONÁUTICA

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INSTRUÇÃO E ADAPTAÇÃO DA AERONÁUTICA MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INSTRUÇÃO E ADAPTAÇÃO DA AERONÁUTICA ORIENTAÇÕES AOS FUTUROS ESTAGIÁRIOS (AS) DO CAMAR, CADAR, CAFAR E EAOEAR 2014 Parabéns por haver sido aprovado(a)

Leia mais

ENXOVAL PARA OS ALUNOS QUE IRÃO INICIAR O CURSO: Bacharelado em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública

ENXOVAL PARA OS ALUNOS QUE IRÃO INICIAR O CURSO: Bacharelado em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública ENXOVAL PARA OS ALUNOS QUE IRÃO INICIAR O CURSO: Bacharelado em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública 1. MATERIAL ESCOLAR BÁSICO - Caneta esferográfica azul, preta e vermelha; - lápis preto,

Leia mais

A 6ª EcoRunner Corrida e Caminhada pelo Meio Ambiente de Bauru/2014 Etapa Água.

A 6ª EcoRunner Corrida e Caminhada pelo Meio Ambiente de Bauru/2014 Etapa Água. REGULAMENTO OFICIAL A 6ª EcoRunner Corrida e Caminhada pelo Meio Ambiente de Bauru/2014 Etapa Água. Local: Recinto Mello de Moraes. Avenida Comendador José da Silva Martha,q 36 - Bauru/SP A prova será

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA AVALIAÇÃO DE APTIDÃO FÍSICA

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA AVALIAÇÃO DE APTIDÃO FÍSICA GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DA ADMINISTRAÇÃO DO ESTADO DA BAHIA (SAEB) CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS VAGOS DE PERITO CRIMINALÍSTICO, DE PERITO MÉDICO-LEGAL, DE PERITO ODONTO-LEGAL

Leia mais

CONDIÇÕES MINÍMAS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO.PARA. PRESTADORAS DE SERVIÇOS. MANUTENÇÃO E OPERAÇÃO DE USINA

CONDIÇÕES MINÍMAS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO.PARA. PRESTADORAS DE SERVIÇOS. MANUTENÇÃO E OPERAÇÃO DE USINA 1/7 I FINALIDADE Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços. II ABRANGÊNCIA Todas Prestadoras de Serviços contratadas pela CERON. III PROCEDIMENTOS

Leia mais

PROGRAMA DE TREINAMENTO PARA O CURSO BÁSICO PÁRA QUEDISTA

PROGRAMA DE TREINAMENTO PARA O CURSO BÁSICO PÁRA QUEDISTA PROGRAMA DE TREINAMENTO PARA O CURSO BÁSICO PÁRA QUEDISTA Título: PROGRAMA DE TREINAMENTO PARA O CURSO BÁSICO PÁRA-QUEDISTA Categoria/Assunto: ASSUNTO PROFISSIONAL DE INTERESSE MILITAR Autor: CAPITÃO DE

Leia mais

AGENDA PROTEÇÃO DE QUEDAS NR35 TRABALHO EM ALTURA 21/05/2014

AGENDA PROTEÇÃO DE QUEDAS NR35 TRABALHO EM ALTURA 21/05/2014 PROTEÇÃO DE QUEDAS NR35 TRABALHO EM ALTURA Eng. Alberto Delgado Gerente de Treinamento Região América Latina 2 AGENDA Estatísticas dos Acidentes no Trabalho Riscos típicos de Trabalhos em Altura Revisão

Leia mais

NR-35 TRABALHO EM ALTURA

NR-35 TRABALHO EM ALTURA NORMA REGULAMENTADORA - NR 35 Trabalho em Altura 35.1. Objetivo e Campo de Aplicação 35.1.1 Esta Norma estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura, envolvendo o

Leia mais

A QUEDA DO AVIÃO. Reunião de Seção. Área de Desenvolvimento enfatizada: FÍSICO. Ramo: Sênior. Mês recomendado para desenvolver a reunião: Qualquer mês

A QUEDA DO AVIÃO. Reunião de Seção. Área de Desenvolvimento enfatizada: FÍSICO. Ramo: Sênior. Mês recomendado para desenvolver a reunião: Qualquer mês Reunião 01 Reunião de Seção A QUEDA DO AVIÃO Área de Desenvolvimento enfatizada: FÍSICO Ramo: Sênior Mês recomendado para desenvolver a reunião: Qualquer mês Explicação sobre o tema: O fundo motivador

Leia mais

Simulador de Caminhada

Simulador de Caminhada Simulador de Caminhada Como usar seu Simulador de Caminhada Instruções de montagem Retire seu Simulador de Caminhada Oceano Fitness da caixa. Procure instalar seu aparelho em local amplo, arejado e que

Leia mais

Curso Básico de Escalada em Rocha

Curso Básico de Escalada em Rocha Curso Básico de Escalada em Rocha Objetivo: introduzir conceitos gerais como ética na montanha, conduta de mínimo impacto, gerenciamento de risco e prevenção de acidentes. Capacitar o aluno nas técnicas

Leia mais

COMPETIÇÕES DE VOLEIBOL ETAPA ESCOLAR

COMPETIÇÕES DE VOLEIBOL ETAPA ESCOLAR COMPETIÇÕES DE VOLEIBOL ETAPA ESCOLAR INTRODUÇÃO O Atleta na Escola tem como premissas a democratização do acesso ao esporte e o incentivo da prática esportiva na escola. Neste ano, o Programa de Formação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração Latino Americana. Termo de Adjudicação do Pregão Eletrônico Nº 00033/2015 (SRP)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração Latino Americana. Termo de Adjudicação do Pregão Eletrônico Nº 00033/2015 (SRP) Pregão Eletrônico MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração Latino Americana Termo de Adjudicação do Pregão Eletrônico Nº 00033/2015 (SRP) Às 16:06 horas do dia 20 de novembro de 2015,

Leia mais

TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXIII Edição

TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXIII Edição TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXIII Edição Art. 1º - Art. 2º - Art. 3º - O Troféu Brasil de Atletismo é uma competição realizada anualmente que têm por propósito básico a difusão do Atletismo e a verificação

Leia mais

RES. 227/2010 de 28/12/2010 Título: PROCEDIMENTO PARA OPERAÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL E CHAVE FACA

RES. 227/2010 de 28/12/2010 Título: PROCEDIMENTO PARA OPERAÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL E CHAVE FACA Página: 1/11 DO-OP-01/P-2 1. OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia na operação de chaves fusíveis e chaves facas. 2. ABRANGÊNCIA Este procedimento aplica-se a todas as Empresas

Leia mais

Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços.

Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços. 1/6 I FINALIDADE Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços. II ABRANGÊNCIA Todas Prestadoras de Serviços contratadas pela CERON. III PROCEDIMENTOS

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DA BAHIA DEPARTAMENTO DE ENSINO

POLÍCIA MILITAR DA BAHIA DEPARTAMENTO DE ENSINO 1 POLÍCIA MILITAR DA BAHIA DEPARTAMENTO DE ENSINO COORDENAÇÃO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE PEDAGÓGICO CPCP CURSO DE OPERAÇÕES DE CHOQUE PARA OFICIAIS E PRAÇAS (COpChq) Edição 2013 2ª Turma EDITAL N.º DE

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA Lote nº 01 01 Agenda permanente com fita em tecido para marcação de datas Unidade 50 02 Bobina para máquina de calcular em papel apergaminhado 57mm x 30m. Modelo de referência:

Leia mais

Provas Finais do Ensino Básico 1º Ciclo 4º Ano

Provas Finais do Ensino Básico 1º Ciclo 4º Ano Secretariado de Exames 2012/2013 Provas Finais do Ensino Básico 1º Ciclo 4º Ano http://www.dgidc.min edu.pt/jurinacionalexames/ www.gave.min edu.pt/np3/exames 1 Calendário de provas finais do 1º ciclo

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO ACRE POLÍCIA MILITAR DIRETORIA DE ENSINO E INSTRUÇÃO EDITAL Nº 002 / PMAC / DEI/ 2014

GOVERNO DO ESTADO DO ACRE POLÍCIA MILITAR DIRETORIA DE ENSINO E INSTRUÇÃO EDITAL Nº 002 / PMAC / DEI/ 2014 GOVERNO DO ESTADO DO ACRE POLÍCIA MILITAR DIRETORIA DE ENSINO E INSTRUÇÃO EDITAL Nº 002 / PMAC / DEI/ 2014 2º CURSO DE AÇÕES TÁTICAS ESPECIAIS / CATE/ PMAC/ BOPE O Comandante Geral da PMAC, no uso de suas

Leia mais

LOCAL: CAMPO DE FUTEBOL DA COHAB

LOCAL: CAMPO DE FUTEBOL DA COHAB EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014 PARA PROVIMENTO DE 86 (OITENTA E SEIS) VAGAS, PARA CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR, NÍVEL MÉDIO COMPLETO, MÉDIO/TÉCNICO COMPLETO, NÍVEL FUNDAMENTAL E FUNDAMENTAL INCOMPLETO

Leia mais

Artigos Técnicos v.out/2009

Artigos Técnicos v.out/2009 Artigos Técnicos Sendo a MONTANHA o meio onde desenvolvemos as nossas actividades, não podemos ignorar que o montanhismo, devido ao ambiente onde decorre, apresenta uma série de riscos que devemos conhecer,

Leia mais

Metro-light. toldos de fachada manual de instalação

Metro-light. toldos de fachada manual de instalação Metro-light toldos de fachada manual de instalação Metro-light toldos de fachada manual de instalação Instruções gerais e de segurança Leia as instruções de montagem Apesar dos produtos Stobag serem de

Leia mais

Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho

Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Objetivo Estabelecer as diretrizes básicas para a implementação de medidas de proteção

Leia mais

CAMP-IMAGEM NUCLEAR S/C LTDA EXAME DE SELEÇÃO PARA RESIDÊNCIA MÉDICA EM MEDICINA NUCLEAR - 2015 EDITAL 01/2015

CAMP-IMAGEM NUCLEAR S/C LTDA EXAME DE SELEÇÃO PARA RESIDÊNCIA MÉDICA EM MEDICINA NUCLEAR - 2015 EDITAL 01/2015 CAMP-IMAGEM NUCLEAR S/C LTDA EXAME DE SELEÇÃO PARA RESIDÊNCIA MÉDICA EM MEDICINA NUCLEAR - 2015 EDITAL 01/2015 A Camp-Imagem Nuclear S/C LTDA torna pública a realização do Processo seletivo de candidatos

Leia mais

PORTARIA Nº 001/BM-8/2011

PORTARIA Nº 001/BM-8/2011 ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO INSTITUCIONAL COORDENADORIA DE LEGISLAÇÃO E DOUTRINA / BM -8 PORTARIA Nº 001/BM-8/2011

Leia mais