Objetivos. Estabelecer requisitos básicos à admissão de um novo servidor, na medida em que subsidia programas de recrutamento e seleção de pessoal.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Objetivos. Estabelecer requisitos básicos à admissão de um novo servidor, na medida em que subsidia programas de recrutamento e seleção de pessoal."

Transcrição

1 Objetivos A Principal finalidade do Plano de Cargos e Salários é de estabelecer políticas e procedimentos voltados à valorização do colaborador e de incentivo ao seu crescimento profissional. Os fundamentos deste Plano foram definidos observando a missão institucional e as diretrizes de gestão do SESC/AM, principalmente à política de gestão dos recursos humanos e deve: Estabelecer requisitos básicos à admissão de um novo servidor, na medida em que subsidia programas de recrutamento e seleção de pessoal. Definir corretamente o campo de atuação de diversos cargos estabelecendo níveis de escolaridade, de experiência, de responsabilidade, de habilidade e de competência ao bom desempenho dos mesmos; Proporcionar subsídios essenciais à adequada programação de treinamento e de desenvolvimento dos servidores, indicando tipos de conhecimentos, equipamentos, técnicas, métodos e habilidades que o ocupante do cargo deve possuir para exercer as atribuições neles previstas. Proporcionar subsídios para o estabelecimento de níveis de remuneração compatíveis com o valor relativo do cargo e com o mercado de trabalho; Oferecer dados e informações importantes para a escolha dos fatores (habilidades e competências) de avaliação de desempenho, destinados à aferição da eficiência do servidor; Sugerir programas e definir perspectivas de carreira dos servidores, indicando as exigências para ascensão funcional às demais posições no Regional Amazonas; Proporcionar elementos indispensáveis ao planejamento das atividades técnico/administrativas, assim como do controle quantitativo/qualitativo do quadro de lotação de pessoal e atribuições básicas dos cargos; 1

2 Definições dos Termos Utilizados Os termos técnicos utilizados estarão conceituados de forma a uniformizar sua utilização no presente Plano. Função é o conjunto de atribuições, deveres e responsabilidades inerentes a cada cargo. Função de confiança - As funções de confiança são aquelas representadas pelo exercício de postos considerados de confiança em qualquer nível hierárquico e semelhança de responsabilidade e complexidade, bem como requisitos para o seu desempenho. Cargo É o conjunto de funções de mesma natureza e de equivalentes graus de complexidade e de responsabilidade, hierarquizado segundo os indicativos de qualificação profissional e, conseqüentemente, dos crescentes graus de habilidade e competência que lhes são inerentes. Classe - Conjunto de cargos da mesma natureza e hierarquizados segundo os níveis de complexidade e responsabilidade que lhe são inerentes, conforme abaixo: - Cargos Técnicos de Nível Superior - Cargos Técnicos de Nível Médio - Cargos de Apoio Administrativo - Cargos Especiais - Cargos Operacionais Faixa Salarial - É o conjunto de valores salariais de um cargo, correspondente entre o salário inicial e o final. Amplitude da Faixa - Intervalo compreendido entre os valores mínimos e máximos de um cargo, de acordo com o percentual estabelecido na tabela salarial. Estrutura Salarial - Conjunto ordenado de faixas salariais praticadas pela Instituição de tal forma que a cada cargo corresponda a uma única faixa salarial. Administração Salarial - Modelo de gestão adotado pelo Regional que permite remunerar seus servidores com salários adequados e equitativos, em conformidade com o mercado de trabalho no segmento onde 2

3 atua e baseado no desempenho de cada um, de forma a atrair e a estimular a motivação de todos os integrantes de seu quadro de pessoal. Promoção Horizontal - É a movimentação salarial do colaborador, dentro do mesmo cargo, para faixa salarial superior. Está diretamente relacionada ao desenvolvimento das potencialidades e crescimento do nível de qualificação identificado no colaborador, implícito ao exercício de suas atividades. Promoção Vertical - É a movimentação funcional e salarial do colaborador para cargo superior, dentro da mesma classe, observados os critérios estabelecidos. Reclassificação - É o acesso do colaborador a cargo de outra classe, respeitando os critérios assim estabelecidos. Enquadramento funcional e/salarial - É adequação do colaborador e/ou ajustamento do salário à nova estrutura salarial vigente. Política de Promoções, Reclassificações e Aumento A política de promoções e reclassificações a serem praticadas no Regional se dará da seguinte forma: PROMOÇÃO HORIZONTAL 1. Incentivo por conhecimento dar-se-á quando o colaborador obtiver os seguintes cursos: a) Curso de Ensino Médio 10% de acréscimo b) Curso de Ensino Superior 15% de acréscimo c) Pós-graduação 10% de acréscimo d) Mestrado ou Doutorado 15% de acréscimo Normas e Procedimentos: O valor correspondente ao incentivo será pago ao colaborador a partir do mês seguinte ao da apresentação do comprovante emitido por Instituição reconhecida perante os órgãos competentes na área de educação, relativo à conclusão do curso, que tenha ocorrido na vigência do contrato de trabalho. 3

4 2 PROMOÇÃO VERTICAL É a movimentação funcional e salarial do colaborador, resultante da passagem de um cargo para outro, após ter sido submetido a um processo de recrutamento e seleção, conforme previsto no Artigo 16º e 17º da Resolução do SESC nº. 1163/2008. Normas e procedimentos: A promoção vertical dependerá da existência de vaga prevista no Quadro de Pessoal. O colaborador deverá estar apto e possuir as qualificações indispensáveis ao exercício do cargo proposto. O colaborador deverá candidatar-se em Processo Seletivo, inscrevendo-se na Seção de Gestão de Pessoas. 3 RECLASSIFICAÇÃO É a movimentação funcional e salarial do colaborador, resultante de seu acesso para cargo de outra classe, conforme previsto nos Artigos 16º e 17º da Resolução do SESC/AM nº. 1163/2008. Normas e procedimentos: O colaborador deverá estar apto e possuir qualificações indispensáveis ao exercício do cargo proposto; O colaborador reclassificado receberá o salário compatível com o novo cargo a ser ocupado, podendo permanecer na mesma faixa salarial. O colaborador deverá candidatar-se em Processo Seletivo. 4 AUMENTO GERAL Movimentação salarial decorrente de aumento concedido, incidindo sobre toda a estrutura salarial da Instituição, podendo ser: a) Compulsório de efeito legal acordo/dissídio coletivo, salário mínimo, lei salarial; b) Espontâneo concedido por liberalidade, com vistas à manutenção do poder aquisitivo dos salários. Normas e procedimentos: 4

5 Quando Compulsório É calculado em obediência ao que determina os acordo/dissídios coletivos e/ou leis especificas sobre a matéria; Quando Espontâneo De acordo com critérios estabelecidos pela Presidência do Conselho Regional do SESC. Esse aumento poderá ser compensado por ocasião do acordo coletivo na data-base. Estrutura dos Cargos Os cargos constantes desta Sistemática estão divididos em 02 categorias: Administração Geral e Operacional. 1. Administração Geral Os cargos que compõem a administração geral estão distribuídos em 03 classes: Superior: compreendem os cargos cujas atribuições são de nível técnico-superior, exigindo escolaridade superior específica e/ou experiências comprovadas, onde o termo técnico designa a natureza do trabalho, seja ele exercido na área fim, meio e gerencial; Médio: compreendem os cargos cujas atribuições são de menor complexidade, exigindo formação escolar de nível médio e experiência prévia suplementada, quando a ocupação o exigir, por especialização; Fundamental: compreendem os cargos de apoio do nível operacional, cujas atribuições são simples e rotineiras, envolvendo experiência prévia e/ou qualificação especifica. 2. Operacional Os cargos que compõem o operacional estão distribuídos em 03 níveis: I Superior e Médio: compreende os cargos cujas atribuições são de nível profissional relacionadas com as áreas ocupacionais de ensino atendidas pelo SESC, exigindo formação e/ou qualificação profissional compatível com o exercício da ocupação; II Especiais: é destinado às ocupações da área de informática e profissionais liberais, em função da especialidade do mercado salarial atualmente em vigor na região. 5

6 Estrutura Salarial A estrutura salarial do DR/AM, estabelecida para jornadas de trabalho de 20, 25, 40 e 44 horas/semanais, onde procura-se manter os custos salariais num nível razoável sob o ponto de vista financeiro da Instituição; Na categoria Produção, poder-se-á efetuar a contratação de pessoal por jornada parcial, de acordo com a necessidade da programação de ensino; A estrutura salarial da Instituição é estabelecida com os seguintes objetivos: 1. Permitir, em termos de valores, que aos ocupantes de cargos de maior posição relativa na escala ocupacional seja possível atribuírem salários maiores; 2. Permitir adequada competitividade da Instituição no segmento do mercado de trabalho, definido por sua política de remuneração, de forma a garantir atratividade para empregados, oferecidos pela Instituição. 3. Permitir a adequada diferenciação salarial entre os ocupantes de um mesmo cargo que demonstrem diferenças de desempenho, através de destacada e real produtividade. Os salários dos cargos que compõem o presente instrumento foram estabelecidos dentro do princípio de que ocupações do mesmo nível de responsabilidade e dificuldade, em iguais condições de trabalho, devem ser remuneradas com iguais salários; Devido ímpares pecurialidades institucionais e de objetivos da Instituição, levou-se em conta, também, a importância conferida à experiência, o real conhecimento da cultura organizacional, a maturidade, a capacidade de introjeção nos seus objetivos, bem como os cursos de especialização necessários ao adequado desempenho funcional, para a fixação dos valores dos cargos; Cada cargo corresponde a uma faixa salarial que é determinada pelo salário inicial e salário final, este equivalendo, no máximo, a 140% (cento e quarenta por cento) superior aquele; A remuneração do colaborador é constituída pela soma das seguintes parcelas; a) Salário Inicial do Cargo; b) Adicional Salarial, decorrente do Adicional por Conhecimento, Periculosidade ou Insalubridade ; 6

7 c) Função Gratificada e Quebra de Caixa. Disposições Gerais Compete a Presidência do Conselho Regional do SESC autorizar todas as medidas que envolvam o cumprimento às normas de administração salarial ou de sua estrutura, assim como quaisquer modificações na política salarial ou alterações funcionais e/ou salariais que estejam em conformidade ou fora das determinações. 1. O provimento do cargo de Consultor é regulamentado por ato especifico; 2. Compõem, também, o quadro de pessoal do Regional, os cargos em comissão e os de funções gratificadas, que estão definidos em tabelas próprias, por ato da Presidência; 3. Cada cargo é composto por um salário inicial e final, distribuído em 02 (duas) categorias e em diversas classes, de acordo com a escolaridade; 4. A amplitude salarial de cada cargo é de 140% (cento e quarenta por cento), entendendo-se como tal, a diferença entre os valores do salarial inicial e do final; 5. Quando da contratação de um novo colaborador, que venha a fazer parte do Quadro de Pessoal do SESC, o salário a ser adotado será aquele correspondente ao inicial do cargo que vier a ocupar, proposto na tabela deste plano. 6. Em hipótese alguma haverá, dentro do mês, mais de um aumento salarial dos previstos nesta norma, exceto se coincidir com o aumento geral na data-base. 7. Os casos omissos a esta norma serão analisados e decididos pelas instancias superiores da Administração Regional do SESC Amazonas. Manaus, 01 de Setembro de

Plano de Cargos, Carreiras e Salários CONTROLE DE REVISÕES

Plano de Cargos, Carreiras e Salários CONTROLE DE REVISÕES Plano de Cargos, Carreiras e Salários Abril de 2013 CONTROLE DE REVISÕES Versão Data Responsável Descrição 0 15/04/2013 Tríade RH Desenvolvimento e Implantação do Plano 1 26/06/2013 Tríade RH Revisão do

Leia mais

Responsável: Gerente de Recursos Humanos Revisado em: 16/09/2016

Responsável: Gerente de Recursos Humanos Revisado em: 16/09/2016 Responsável: Revisado em: 16/09/2016 Objetivos Estabelecer um conjunto de procedimentos para criar e manter uma estrutura de salários equitativa e justa na organização. Manter o equilíbrio interno dos

Leia mais

Art. 1º Aprovar o Estatuto do Pessoal Técnico Administrativo, conforme cópia anexa a esta Resolução.

Art. 1º Aprovar o Estatuto do Pessoal Técnico Administrativo, conforme cópia anexa a esta Resolução. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 36/07/Administração RESOLUÇÃO Nº 36/07/Universitário Aprova o Estatuto do Pessoal Técnico Administrativo. O Conselho e Administração da Fundação

Leia mais

COPERGÁS - COMPANHIA PERNAMBUCANA DE GÁS PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E SALÁRIOS -PCCS- Página 1 de 14

COPERGÁS - COMPANHIA PERNAMBUCANA DE GÁS PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E SALÁRIOS -PCCS- Página 1 de 14 COPERGÁS - COMPANHIA PERNAMBUCANA DE GÁS PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E SALÁRIOS -PCCS- Página 1 de 14 Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. PRINCIPIOS BÁSICOS... 3 3. CONCEITOS... 3 4. QUADRO DE PESSOAL... 5

Leia mais

Política Salarial, Remuneração Valorização e Desempenho. Junho 2014

Política Salarial, Remuneração Valorização e Desempenho. Junho 2014 0 Política Salarial, Remuneração Valorização e Desempenho. Junho 2014 1 1. Introdução A Política Salarial, Remuneração, Valorização e Desempenho do Instituto Aliança (IA), sediado em Salvador, reúne um

Leia mais

Normas e Procedimentos de Funcionamento do Sistema de Administração de Cargos e Salários ABCZ

Normas e Procedimentos de Funcionamento do Sistema de Administração de Cargos e Salários ABCZ Normas e Procedimentos de Funcionamento do Sistema de Administração de Cargos e Salários ABCZ Os salários serão administrados dentro das faixas salariais de cada classe de cargos. A determinação dos salários

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSELHO DIRETOR Nº 021/10 (Processo nºª 9062/08)

RESOLUÇÃO CONSELHO DIRETOR Nº 021/10 (Processo nºª 9062/08) RESOLUÇÃO CONSELHO DIRETOR Nº 021/10 (Processo nºª 9062/08) Dispõe sobre a Estruturação do Plano de Classificação de Cargos e Carreiras do corpo técnico-administrativo da Fundação Santo André, estabelece

Leia mais

Procedimento Operacional N⁰ do procedimento: PO 028

Procedimento Operacional N⁰ do procedimento: PO 028 1/ 6 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Elaboração inicial do documento 01 Revisão geral do documento 02 Revisão geral do documento 03 Revisão geral do documento Demais envolvidos na análise e aprovação

Leia mais

PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS

PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS 2015 Índice 1 - Introdução... 03 2 Sumário... 04 2.1 - Estrutura de Cargos 2.2 - Estrutura de Remuneração 2.3 Objetivos dos Planos de Cargos e Salários 3 Etapas e resultados...

Leia mais

LEI Nº , DE 2 DE FEVEREIRO DE Seção XXIV. Do Plano de Carreiras e Cargos do Inmetro

LEI Nº , DE 2 DE FEVEREIRO DE Seção XXIV. Do Plano de Carreiras e Cargos do Inmetro LEI Nº 11.907, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2009. Seção XXIV Do Plano de Carreiras e Cargos do Inmetro Art. 147. Os arts. 56, 60, 61, 62 e 63 da Lei n o 11.355, de 19 de outubro de 2006, passam a vigorar com a

Leia mais

PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E VENCIMENTOS

PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E VENCIMENTOS III Congresso Consad de Gestão Pública PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E VENCIMENTOS Fernanda Mayer dos Santos Souza Painel 02/008 Avaliação de desempenho e remuneração variável PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E

Leia mais

HOSPITAL MUNICIPAL DE SIMÕES FILHO / ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇAO A MATERNIDADE E A INFÂNCIA DE CASTRO ALVES-APMI

HOSPITAL MUNICIPAL DE SIMÕES FILHO / ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇAO A MATERNIDADE E A INFÂNCIA DE CASTRO ALVES-APMI REGULAMENTO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL 1. DISPOSIÇÕES GERAIS. 1.1. Este Regulamento norteia o recrutamento, seleção, regime jurídico e as regras de conduta ética e disciplinar dos empregados da APMI na

Leia mais

Plano de Cargos e Salários

Plano de Cargos e Salários Plano de Cargos e Salários Introdução O Plano foi elaborado com a finalidade de normatizar os procedimentos do Plano de Cargos e Salários da Organização que envolve remuneração fixa, gestão por competências

Leia mais

Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração SUREH / A-GRH

Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração SUREH / A-GRH Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração SUREH / A-GRH DEZ/2013 Busca do equilíbrio interno e externo. Equilíbrio Interno Equilíbrio Externo Metodologia Strata de Avaliação de Cargos PwC. DESCRIÇÕES DE

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais REGULAMENTO DE AFASTAMENTO DOS SERVIDORES TÉCNICO ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DO IFNMG PARA CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO. CAPÍTULO I DOS CONCEITOS Art. 1º. Caracteriza-se como afastamento para capacitação

Leia mais

PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E SALÁRIOS ADMINISTRATIVOS PCA

PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E SALÁRIOS ADMINISTRATIVOS PCA PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E SALÁRIOS ADMINISTRATIVOS PCA APRESENTAÇÃO O Plano de Cargos, Carreiras e Salários Administrativos PCA da Faculdade Atenas Maranhense FAMA faz parte da política de atração e

Leia mais

Estrutura Remuneratória, Composição dos Funcionários e Critérios de Ascensão em Carreira do Sebrae/SC

Estrutura Remuneratória, Composição dos Funcionários e Critérios de Ascensão em Carreira do Sebrae/SC Estrutura Remuneratória, Composição dos Funcionários e Critérios de Ascensão em Carreira do Sebrae/SC ESTRUTURA SALARIAL DO SEBRAE SANTA CATARINA FUNÇÃO SALÁRIO INGRESSO SALÁRIO TETO ASSISTENTE I R$ 1.926,87

Leia mais

REMUNERAÇÃO APLICÁVEL AOS ÓRGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO

REMUNERAÇÃO APLICÁVEL AOS ÓRGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO POLÍTICA CORPORATIVA Política de Remuneração de Administradores POLITICA CORPORATIVA Versão: 1 POLÍTICA DE REMUNERAÇÃO DE ADMINISTRADORES I. OBJETIVOS O objetivo da presente Política de Remuneração de

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS GERENCIA GERAL ADMINISTRATIVA/ FINANCEIRA TÍTULO: POLÍTICA E PROCEDIMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO SALARIAL

MANUAL DE PROCEDIMENTOS GERENCIA GERAL ADMINISTRATIVA/ FINANCEIRA TÍTULO: POLÍTICA E PROCEDIMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO SALARIAL COB MANUAL DE PROCEDIMENTOS GERENCIA GERAL ADMINISTRATIVA/ FINANCEIRA Nº RH-002 TÍTULO: POLÍTICA E PROCEDIMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO SALARIAL Pg. 1/8 ÓRGÃO EMITENTE: RECURSOS HUMANOS Data: 28/08/08 Rev. 1

Leia mais

POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS CONHECENDO UM POUCO MAIS...

POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS CONHECENDO UM POUCO MAIS... POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS CONHECENDO UM POUCO MAIS... As avaliações e premiações são consideradas salários indiretos que tem como principal objetivo motivar, reter e consequentemente garantir bons

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 2.550, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2011

LEI COMPLEMENTAR Nº 2.550, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2011 1 LEI COMPLEMENTAR Nº 2.550, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2011 Transforma o regime jurídico de funções de emprego público, revoga a Lei nº 2.175, de 7 de dezembro de 2005, e altera as Leis nº 2.176 de 7 de dezembro

Leia mais

b) aos demais aplicar-se-á, para fins de cálculo das aposentadorias e pensões, o disposto na Lei n o , de 18 de junho de 2004.

b) aos demais aplicar-se-á, para fins de cálculo das aposentadorias e pensões, o disposto na Lei n o , de 18 de junho de 2004. LEI Nº 12.277, DE 30 DE JUNHO DE 2010. Dispõe sobre a instituição do Adicional por Participação em Missão no Exterior, a remuneração dos cargos de Atividades Técnicas da Fiscalização Federal Agropecuária

Leia mais

PLANO DE CARREIRA DA EQUIPE TÉCNICO-ADMINISTRATIVA

PLANO DE CARREIRA DA EQUIPE TÉCNICO-ADMINISTRATIVA PLANO DE CARREIRA DA EQUIPE TÉCNICO-ADMINISTRATIVA PLANO DE CARREIRA DA EQUIPE TÉCNICO ADMINISTRATIVA Capítulo I Art. 1º - Este Plano de Carreira Técnico-Administrativo regula as condições de admissão,

Leia mais

LEI Nº 1.275/2013. CNPJ. nº / Praça Padre Francisco Pedro da Silva, nº 145- Centro CEP: OURICURI-PERNAMBUCO

LEI Nº 1.275/2013. CNPJ. nº / Praça Padre Francisco Pedro da Silva, nº 145- Centro CEP: OURICURI-PERNAMBUCO LEI Nº 1.275/2013 Ementa:Dispõe sobre o Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos dos Servidores da Prefeitura Municipal de Ouricuri, Estado de Pernambuco e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO

Leia mais

Você gostaria de ter um espaço aberto para trocar idéias sobre...

Você gostaria de ter um espaço aberto para trocar idéias sobre... Você gostaria de ter um espaço aberto para trocar idéias sobre... Este bate papo que tivemos foi, na verdade, para inaugurar o Programa Sua carreira; Sua vida profissional; Dicas para o auto-desenvolvimento;

Leia mais

FAÇO SABER QUE A CÂMARA MUNICIPAL DE APARECIDA DE GOIÂNIA APROVOU E EU, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO A SEGUINTE LEI:

FAÇO SABER QUE A CÂMARA MUNICIPAL DE APARECIDA DE GOIÂNIA APROVOU E EU, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO A SEGUINTE LEI: LEI MUNICIPAL Nº 2.221, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2001. Dispõe sobre o Plano de Carreira e Vencimentos do Grupo Ocupacional Magistério da Prefeitura Municipal de Aparecida de Goiânia. FAÇO SABER QUE A CÂMARA

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE CARGOS E SALÁRIOS INSTITUTO ODEON

POLÍTICA DE GESTÃO DE CARGOS E SALÁRIOS INSTITUTO ODEON POLÍTICA DE GESTÃO DE CARGOS E SALÁRIOS INSTITUTO ODEON Elaborada por: Instituto Equilibrium de Desenvolvimento Humano e Empresarial RIO DE JANEIRO ABRIL 2016 1 SUMÁRIO 2 INTRODUÇÃO... 3 3 OBJETIVOS...

Leia mais

REVOGADA pela Resolução n , de 23 de novembro de R E S O L U Ç Ã O :

REVOGADA pela Resolução n , de 23 de novembro de R E S O L U Ç Ã O : SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO N. 1.274, DE 24 DE AGOSTO DE 2009 REVOGADA pela Resolução n. 1.277, de 23 de novembro de 2009. Regulamenta

Leia mais

POLÍTICA DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE PESSOAL, PLANO DE CARGOS, SALÁRIOS E BENEFÍCIOS

POLÍTICA DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE PESSOAL, PLANO DE CARGOS, SALÁRIOS E BENEFÍCIOS PL n º Pág: 1/8 Data de CAPÍTULO I. DA INTRODUÇÃO Art. 1º. O presente regulamento tem por finalidade estabelecer normas e critérios para o recrutamento, seleção, contratação e avaliação de desempenho de

Leia mais

Cargos e Salários Professor Douglas

Cargos e Salários Professor Douglas 27 Uma das questões mais polêmicas referentes a salário é se este funcionaria como um fator de motivação para os funcionários. Se estudarmos a evolução do pensamento administrativo, detendo-nos, primeiramente,

Leia mais

Substitua-se, os artigos 46 ao 68 pelos seguintes artigos, renumerando os demais bem como os anexos:

Substitua-se, os artigos 46 ao 68 pelos seguintes artigos, renumerando os demais bem como os anexos: COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO-CTASP EMENDA SUBSTITUTIVA AO PROJETO DE LEI 6788 de 2017 Substitua-se no PL 6788, os artigos 46 ao 68 pelos seguintes artigos: Substitua-se, os

Leia mais

Curso de Especialização em Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde

Curso de Especialização em Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde Curso de Especialização em Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde EXERCÍCIO DE ENLACE Os Exercícios de Enlace irão compor as três unidades de aprendizagem do curso de especialização. O objetivo desses

Leia mais

PLANEJAMENTO DE CARREIRA BIBLIOGRAFIA: CHIAVENATO; DUTRA FONTE: VALENTINI E CESAR

PLANEJAMENTO DE CARREIRA BIBLIOGRAFIA: CHIAVENATO; DUTRA FONTE: VALENTINI E CESAR PLANEJAMENTO DE CARREIRA BIBLIOGRAFIA: CHIAVENATO; DUTRA FONTE: VALENTINI E CESAR PLANEJAMENTO DE CARREIRA Para tornarmos o trabalho uma atividade alegre e criativa não basta apenas alterarmos as formas

Leia mais

Entre as funções exercidas pelos funcionários do departamento pessoal temos:

Entre as funções exercidas pelos funcionários do departamento pessoal temos: Conceito O setor de departamento pessoal tem grande importância em uma empresa, podemos dizer que e um dos pilares mais importante, sem ela não temos um bom andamento da empresa, esse setor lida com assuntos

Leia mais

Índice METODOLOGIA DA PESQUISA... 2 UTILIZANDO OS DADOS DA PESQUISA... 4 COMPONDO A ESTRATIFICAÇÃO PARA CARGOS COM COMPLEXIDADE NÍVEL TÉCNICO...

Índice METODOLOGIA DA PESQUISA... 2 UTILIZANDO OS DADOS DA PESQUISA... 4 COMPONDO A ESTRATIFICAÇÃO PARA CARGOS COM COMPLEXIDADE NÍVEL TÉCNICO... Índice METODOLOGIA DA PESQUISA... 2 UTILIZANDO OS DADOS DA PESQUISA... 4 COMPONDO A ESTRATIFICAÇÃO PARA CARGOS COM COMPLEXIDADE NÍVEL TÉCNICO... 5 METODOLOGIA DA PESQUISA A pesquisa salarial é um instrumento

Leia mais

I WORKSHOP DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA GESTÃO DE PESSOAS DA USP

I WORKSHOP DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA GESTÃO DE PESSOAS DA USP I WORKSHOP DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA GESTÃO DE PESSOAS DA USP NOVEMBRO 2010 Propostas de MISSÃO para a Gestão de Pessoas da USP Criar condições para o engajamento pessoal e profissional dos servidores

Leia mais

CAPÍTULO VIII DA PROGRESSÃO

CAPÍTULO VIII DA PROGRESSÃO 1º Para a concessão da Licença Sabática prevista neste artigo, o servidor deverá assumir o compromisso de permanência na FAETEC por um período correspondente ao dobro do período da Licença. 2º A Licença

Leia mais

POLÍTICA CARGOS E REMUNERAÇÃO

POLÍTICA CARGOS E REMUNERAÇÃO 1 / 13 1. OBJETIVO 1.1 Geral Estabelecer uma política eficaz para a ascensão profissional dos seus colaboradores, de acordo com suas aptidões e desempenho; assim como subsidiar o desenvolvimento no plano

Leia mais

PLANO DE EMPREGOS COMISSIONADOS E DE CONFIANÇA - PECC

PLANO DE EMPREGOS COMISSIONADOS E DE CONFIANÇA - PECC SECRETARIA DE PORTOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA AUTORIDADE PORTUÁRIA PLANO DE EMPREGOS COMISSIONADOS E DE CONFIANÇA - PECC SALVADOR BAHIA DEZEMBRO 2010 SUMÁRIO ÁG.

Leia mais

QUADRO COMPARATIVO DO PCCS

QUADRO COMPARATIVO DO PCCS Arquitetura de carreira Vinculação ao MANPES QUADRO COMPARATIVO DO PCCS TEMAS PCCS/1995 PCCS 01/07/08 PCCS 03/12/08 Cargos que compunha: de cargos/carreira, ou seja, cargos com estágios que na concepção

Leia mais

MANUAL DE RECURSOS HUMANOS

MANUAL DE RECURSOS HUMANOS MANUAL DE RECURSOS HUMANOS OBJETIVO O Manual de Recursos Humanos da Associação de Cultura, Educação e Assistência Social Santa Marcelina, denominada SMC, tem como objetivo apresentar as políticas, normas

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA O PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS PROFISSIONAIS FAEPU

ORIENTAÇÕES PARA O PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS PROFISSIONAIS FAEPU 0 ORIENTAÇÕES PARA O PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS PROFISSIONAIS FAEPU APRESENTAÇÃO Este manual busca orientar os funcionários do quadro da FAEPU sobre a Avaliação de Desempenho que será realizada.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DECRETO Nº 85.487, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1980 Dispõe sobre a carreira do magistério nas instituição federais autárquicas e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE SEROPÉDICA, Estado do Rio de Janeiro, faço saber que a Câmara Municipal de Vereadores aprovou e eu sanciono a seguinte Lei.

O PREFEITO MUNICIPAL DE SEROPÉDICA, Estado do Rio de Janeiro, faço saber que a Câmara Municipal de Vereadores aprovou e eu sanciono a seguinte Lei. De 14 de dezembro de 2005 LEI N 316/05 Dispõe sobre o Plano de Carreiras e Remuneração dos Profissionais da Educação do Município de Seropédica. O PREFEITO MUNICIPAL DE SEROPÉDICA, Estado do Rio de Janeiro,

Leia mais

PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS PSCS 2015

PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS PSCS 2015 PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS PSCS 2015 Princípios: Foco na Valorização Profissional Princípio da Transparência Estímulo ao Desenvolvimento Profissional Contínuo Mobilidade Horizontal e Vertical TRANSIÇÃO

Leia mais

Senado Federal Subsecretaria de Informações DECRETO Nº 2.794, DE 1º DE OUTUBRO DE 1998

Senado Federal Subsecretaria de Informações DECRETO Nº 2.794, DE 1º DE OUTUBRO DE 1998 Senado Federal Subsecretaria de Informações DECRETO Nº 2.794, DE 1º DE OUTUBRO DE 1998 Institui a Política Nacional de Capacitação dos Servidores para a Administração Pública Federal direta, autárquica

Leia mais

BHTRANS Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte

BHTRANS Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte BHTRANS Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte Evolução na Carreira A forma de evolução na carreira de cada categoria funcional, indicando critérios percentuais, interstícios, teto possível

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE PCCSs - Planos de Cargos Salários. Escritório Regional do DIEESE em Goiás Goiânia 23 de novembro de 2012

CONSIDERAÇÕES SOBRE PCCSs - Planos de Cargos Salários. Escritório Regional do DIEESE em Goiás Goiânia 23 de novembro de 2012 CONSIDERAÇÕES SOBRE PCCSs - Planos de Cargos Salários Escritório Regional do DIEESE em Goiás Goiânia 23 de novembro de 2012 1 PCSS Principais Conceitos 2 Planos de Carreira estão no centro dos debates

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 003/2011-CD

RESOLUÇÃO N. 003/2011-CD RESOLUÇÃO N. 003/2011-CD Aprova o Regulamento de Avaliação de Desempenho dos Agentes Universitários da Fecilcam. O Diretor da Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Campo Mourão - Fecilcam, na qualidade

Leia mais

Regulamento para Contratação de Recursos Humanos

Regulamento para Contratação de Recursos Humanos REGULAMENTO PARA CONTRATAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS Art. 1º - Os Procedimentos da Gerência de tem a função de definir, normatizar e padronizar os recursos humanos a serem contratados, a partir de sua identificação

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL LEI Nº 3.669, DE 15 DE MAIO DE 2009. Aprova tabelas de vencimento e de subsídio dos servidores das categorias funcionais integrantes das carreiras do Plano de Cargos, Empregos

Leia mais

POLÍTICA DE VALORIZAÇÃO DA DIVERSIDADE E NÃO DISCRIMINAÇÃO

POLÍTICA DE VALORIZAÇÃO DA DIVERSIDADE E NÃO DISCRIMINAÇÃO POLÍTICA DE VALORIZAÇÃO DA DIVERSIDADE E NÃO DISCRIMINAÇÃO A Petrol Industrial S/A está entre aquelas empresas que estão preocupadas com as questões trabalhistas, procurando adotar os Princípios de Direito

Leia mais

ADICIONAL POR IRRADIAÇÃO IONIZANTE

ADICIONAL POR IRRADIAÇÃO IONIZANTE ADICIONAL POR IRRADIAÇÃO IONIZANTE DEFINIÇÃO DOCUMENTAÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES DEFINIÇÃO Vantagem pecuniária concedida ao servidor que

Leia mais

DELIBERAÇÃO PLENÁRIA CAU/GO Nº 23, DE 29 DE SETEMBRO DE 2015

DELIBERAÇÃO PLENÁRIA CAU/GO Nº 23, DE 29 DE SETEMBRO DE 2015 DELIBERAÇÃO PLENÁRIA CAU/GO Nº 23, DE 29 DE SETEMBRO DE 2015 Aprova o Quadro de Pessoal do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Goiás (CAU/GO) e dá outras providências. O Conselho de Arquitetura e Urbanismo

Leia mais

TIPO DE DOCUMENTO INSTRUÇÃO NORMATIVA LOCALIZADOR. Controlar a concessão de férias dos servidores e empregados públicos da Administração Direta

TIPO DE DOCUMENTO INSTRUÇÃO NORMATIVA LOCALIZADOR. Controlar a concessão de férias dos servidores e empregados públicos da Administração Direta 2/6 MACRO 4.1.3 Em nenhuma hipótese, sob qualquer pretexto, o servidor poderá deixar de gozar férias anuais, obrigatórias, no exercício a que corresponderem, exceto se o prazo previsto no item 4.1.2 for

Leia mais

ATO NORMATIVO 03/2015 DE 30 DE JULHO DE 2015

ATO NORMATIVO 03/2015 DE 30 DE JULHO DE 2015 ATO NORMATIVO 03/2015 DE 30 DE JULHO DE 2015 A Presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado do Acre CREA-AC, no uso de suas atribuições legais e regimentais conferidas pelos incisos

Leia mais

TEXTO DOCUMENTO PROJETO DE LEI TÍTULO I. Das Disposições Preliminares

TEXTO DOCUMENTO PROJETO DE LEI TÍTULO I. Das Disposições Preliminares Plano de Carreira TEXTO DOCUMENTO PROJETO DE LEI Consolida o Plano de Carreira e Cargo de Professor Federal e dispõe sobre a reestruturação e unificação das carreiras e cargos do magistério da União, incluídas

Leia mais

CIRCULAR CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2013

CIRCULAR CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2013 CIRCULAR CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2013 Esta circular do segmento VAREJISTA se aplica aos comerciários da base comum dos sindicatos signatários deste documento: SINCOMÉRCIARIOS E SINCOMÉRCIO,

Leia mais

Plano de Carreira Docente do Centro de Ensino Superior de São Gotardo

Plano de Carreira Docente do Centro de Ensino Superior de São Gotardo Plano de Carreira Docente do Centro de Ensino Superior de São Gotardo Título I Disposições Preliminares Art. 1 o - O Centro de Ensino Superior de São Gotardo - CESG, entidade mantenedora da Faculdade de

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 1.217, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2013

LEI COMPLEMENTAR Nº 1.217, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2013 LEI COMPLEMENTAR Nº 1.217, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2013 Altera a Lei Complementar nº 1.111, de 25 de maio de 2010, que institui o Plano de Cargos e Carreiras dos servidores do Tribunal de Justiça do Estado

Leia mais

DECRETO Nº 6.114, DE 15 DE MAIO DE

DECRETO Nº 6.114, DE 15 DE MAIO DE DECRETO Nº 6.114, DE 15 DE MAIO DE 2007. Regulamenta o pagamento da Gratificação por Encargo de Curso ou Concurso de que trata o art. 76-A da Lei n o 8.112, de 11 de dezembro de 1990. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA,

Leia mais

EDITAL Nº 024/ PROCESSO DE BUSCA PARA PREENCHIMENTO DE UMA VAGA PARA FUNÇÃO GRATIFICADA DE COORDENADOR DE RECURSOS HUMANOS

EDITAL Nº 024/ PROCESSO DE BUSCA PARA PREENCHIMENTO DE UMA VAGA PARA FUNÇÃO GRATIFICADA DE COORDENADOR DE RECURSOS HUMANOS EDITAL Nº 024/2012 - PROCESSO DE BUSCA PARA PREENCHIMENTO DE UMA VAGA PARA FUNÇÃO GRATIFICADA DE COORDENADOR DE RECURSOS HUMANOS O Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá IDSM está selecionando

Leia mais

NOVO PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES MÉDICOS DO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE

NOVO PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES MÉDICOS DO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE NOVO PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES MÉDICOS DO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE LEI Nº 10.948, DE 13 DE JULHO DE 2016 (Originária do Projeto de Lei n.º 1.908/2016, da autoria do Executivo) Objetivo da lei

Leia mais

4 Perfil do Quadro de Servidores

4 Perfil do Quadro de Servidores 4 Perfil do Quadro de Servidores 4.1 Servidores Docentes O quadro de servidores docentes do IFRO é composto por Professores do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico regidos pela Lei nº 8.112/90 e Lei nº

Leia mais

Fundação Universidade de Cruz Alta

Fundação Universidade de Cruz Alta FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DE CRUZ ALTA CONSELHO CURADOR RESOLUÇÃO Nº 01/2010 Dispõe sobre a aprovação do plano de Carreira do Corpo Técnico Funcional, ======================= O Conselho Curador, em reunião

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS LEI COMPLEMENTAR Nº 79, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2000 D.O

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS LEI COMPLEMENTAR Nº 79, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2000 D.O Autor: Poder Executivo LEI COMPLEMENTAR Nº 79, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2000 D.O. 13.12.00. Dispõe sobre o subsídio dos integrantes do Grupo TAF - Tributação, Arrecadação e Fiscalização. O GOVERNADOR DO ESTADO

Leia mais

Procuradoria Geral do Município

Procuradoria Geral do Município LEI Nº 2.461, DE 09 DE ABRIL DE 2012. Institui o Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos dos Auditores Fiscais da Fazenda Municipal - PCAFM, carreira específica conforme dispõe os incisos XVIII e XXII,

Leia mais

PLANO DE CARREIRA SERVIDORES TÉCNICO/ADMINISTRATIVOS UNESP

PLANO DE CARREIRA SERVIDORES TÉCNICO/ADMINISTRATIVOS UNESP PLANO DE CARREIRA SERVIDORES TÉCNICO/ADMINISTRATIVOS UNESP Objetivo Levar ao conhecimento do corpo técnico/ administrativo a regulamentação do plano de carreira pub. DOE de 28/11/2008 Resolução unesp 70/2008

Leia mais

REGULAMENTO DE PROCESSO SELETIVO PAPA ADMISSÃO DE PESSOAL DA FUNDAÇÃO DO INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS - FUNDIBIO

REGULAMENTO DE PROCESSO SELETIVO PAPA ADMISSÃO DE PESSOAL DA FUNDAÇÃO DO INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS - FUNDIBIO REGULAMENTO DE PROCESSO SELETIVO PAPA ADMISSÃO DE PESSOAL DA FUNDAÇÃO DO INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS - FUNDIBIO CAPÍTULO I Art. 1º - Este Regulamento estabelece normas, objetivando a contratação de pessoal

Leia mais

Art 2º Os procedimentos para a seleção de ocupantes dos Cargos em Comissão e Funções Gratificadas serão os seguintes:

Art 2º Os procedimentos para a seleção de ocupantes dos Cargos em Comissão e Funções Gratificadas serão os seguintes: RESOLUÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA Relator: JEANNE LILIANE MARLENE MICHEL Diretoria de Gestão de Pessoas Número: 008 Data: 24/9/2012 Reunião: 7 a Dispõe sobre os procedimentos e os critérios de seleção para

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO PIAUÍ. FAÇO saber que o Poder Legislativo do Estado decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I

O GOVERNADOR DO ESTADO DO PIAUÍ. FAÇO saber que o Poder Legislativo do Estado decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I LEI ORDINÁRIA Nº 5.673 DE 1 DE AGOSTO DE 2007 Dispõe sobre o Plano de Cargos e Salários do Quadro Efetivo de Pessoal do Tribunal de Contas do Estado do Piauí. O GOVERNADOR DO ESTADO DO PIAUÍ FAÇO saber

Leia mais

CARREIRA DOS DOCENTES DOS INSTITUTOS FEDERAIS

CARREIRA DOS DOCENTES DOS INSTITUTOS FEDERAIS Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica SETEC CARREIRA DOS DOCENTES DOS INSTITUTOS FEDERAIS VEJA O RESUMO DA NOVA PROPOSTA APRESENTADA PELO MEC EM 4/07/01 O que Melhora? O que muda? Aumento mínimo

Leia mais

Lei Complementar Nº 58 de 13 de setembro de 2004 de Natal

Lei Complementar Nº 58 de 13 de setembro de 2004 de Natal Lei Complementar Nº 58 de 13 de setembro de 2004 de Natal O PREFEITO MUNICIPAL DO NATAL, Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei Complementar: TÍTULO I DO PLANO DE CARREIRA

Leia mais

DECRETO /2016 REGULAMENTAÇÃO DA EVOLUÇÃO FUNCIONAL

DECRETO /2016 REGULAMENTAÇÃO DA EVOLUÇÃO FUNCIONAL DECRETO 56.795/2016 REGULAMENTAÇÃO DA EVOLUÇÃO FUNCIONAL Regulamenta o desenvolvimento dos integrantes do Quadro dos Profissionais Técnicos da Guarda Civil Metropolitana QTG na carreira, por meio da promoção

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO NORTE DE MINAS GERAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO NORTE DE MINAS GERAIS REGULAMENTO PARA AFASTAMENTO DE SERVIDORES DOCENTES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO NORTE DE MINAS GERAIS PARA QUALIFICAÇÃO EM PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU e PÓS-DOUTORADO.

Leia mais

SÍNTESE DA PROPOSTA DO PCCV O TEXTO DA LEI DEVE SER ELABORADO DEPOIS DE PACTUADO SEU CONTEÚDO

SÍNTESE DA PROPOSTA DO PCCV O TEXTO DA LEI DEVE SER ELABORADO DEPOIS DE PACTUADO SEU CONTEÚDO SÍNTESE DA PROPOSTA DO PCCV O TEXTO DA LEI DEVE SER ELABORADO DEPOIS DE PACTUADO SEU CONTEÚDO 1) Carreira formada pelo cargo de Segurança Municipal sub-dividido EM Guarda Municipal, Guarda Municipal Supervisor

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 02/2006, DE 08 DE JUNHO DE Aprova o Regimento da Auditoria-Geral da UFMG, e revoga a Resolução n o 08/85, de 14 de junho de 1985

RESOLUÇÃO N o 02/2006, DE 08 DE JUNHO DE Aprova o Regimento da Auditoria-Geral da UFMG, e revoga a Resolução n o 08/85, de 14 de junho de 1985 RESOLUÇÃO N o 02/2006, DE 08 DE JUNHO DE 2006 Aprova o Regimento da Auditoria-Geral da UFMG, e revoga a Resolução n o 08/85, de 14 de junho de 1985 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS

Leia mais

2.2 Elementos formais e informais

2.2 Elementos formais e informais 2.2 Elementos formais e informais A produtividade de um grupo e sua eficiência estão estreitamente relacionadas não somente com a competência de seus membros, mas, sobretudo com a solidariedade de suas

Leia mais

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS NORMA OPERACIONAL Nº 003 DIREH, DE 08 DE NOVEMBRO DE 2007.

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS NORMA OPERACIONAL Nº 003 DIREH, DE 08 DE NOVEMBRO DE 2007. FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS NORMA OPERACIONAL Nº 003 DIREH, DE 08 DE NOVEMBRO DE 2007. Dispõe sobre o pagamento da Gratificação por Encargo de Concurso Público para Seleção de Cargo

Leia mais

PLANO DE CARGOS, SALÁRIOS E DE CARREIRA DOS EMPREGADOS DOCENTES DE ENSINO SUPERIOR DA UNOESC (Alterado pela Resolução nº 030/Cons.

PLANO DE CARGOS, SALÁRIOS E DE CARREIRA DOS EMPREGADOS DOCENTES DE ENSINO SUPERIOR DA UNOESC (Alterado pela Resolução nº 030/Cons. PLANO DE CARGOS, SALÁRIOS E DE CARREIRA DOS EMPREGADOS DOCENTES DE ENSINO SUPERIOR DA UNOESC (Alterado pela Resolução nº 030/Cons.Adm/Funoesc/ 2011) CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. O presente

Leia mais

RESOLUÇÃO. Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogadas as disposições contrárias. São Paulo, 25 de junho de 2008.

RESOLUÇÃO. Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogadas as disposições contrárias. São Paulo, 25 de junho de 2008. RESOLUÇÃO CONSEPE 17/2008 APROVA O REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Presidente

Leia mais

Plano de Cargos e Salários

Plano de Cargos e Salários ASSOCIAÇÃO DE MÚSICOS, ARRANJADORES E REGENTES/ SOCIEDADE MUSICAL BRASILEIRA AMAR/SOMBRÁS Plano de Cargos e Salários Apresentação do plano de administração de Cargos e Salários ADMINISTRAÇÃO 2015 Conteúdo

Leia mais

CONSELHO DELIBERATIVO DA FUNAPE RESOLUÇÃO Nº 04, DE 13 DE JUNHO DE 2002.

CONSELHO DELIBERATIVO DA FUNAPE RESOLUÇÃO Nº 04, DE 13 DE JUNHO DE 2002. CONSELHO DELIBERATIVO DA FUNAPE RESOLUÇÃO Nº 04, DE 13 DE JUNHO DE 2002. CONSOLIDAÇÃO ALTERA A RESOLUÇÃO Nº 02 E TRAZ NOVAS DIRETRIZES PARA AS CONTRATAÇÕES DE PESSOAL PELA FUNDAÇÃO DE APOIO À PESQUISA

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE SELEÇÃO DE GESTORES PÚBLICOS A Experiência do Brasil

ESTRATÉGIAS DE SELEÇÃO DE GESTORES PÚBLICOS A Experiência do Brasil ESTRATÉGIAS DE SELEÇÃO DE GESTORES PÚBLICOS A Experiência do Brasil CIDESP I Congresso Internacional de Desempenho do Setor Público Florianópolis, 04 de Setembro de 2017 Sociedade e Estado no Brasil CLIENTELISMO

Leia mais

POLÍTICA DE AQUISIÇÃO DE BENS E SERVIÇOS

POLÍTICA DE AQUISIÇÃO DE BENS E SERVIÇOS 13/5/2016 Informação Pública ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 REFERÊNCIA... 3 4 PRINCÍPIOS... 4 5 DIRETRIZES... 5 6 RESPONSABILIDADES... 6 7 INFORMAÇÕES DE CONTROLE... 8 13/5/2016 Informação

Leia mais

HOSPITAL DA POLÍCIA MILITAR COMANDANTE LARA RIBAS

HOSPITAL DA POLÍCIA MILITAR COMANDANTE LARA RIBAS EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 12/14 HPM-ABEPOM O Presidente da ABEPOM - Associação Beneficente dos Militares Estaduais, no uso de suas atribuições legais, torna público o presente edital, que estabelece

Leia mais

CARREIRA DO MAGISTÉRIO SUPERIOR

CARREIRA DO MAGISTÉRIO SUPERIOR SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE Pró-Reitoria de Desenvolvimento e Gestão de Pessoas Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenadoria de Administração de Pagamento

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº. Art. 1º. A Lei nº 12.066, de 13 de janeiro de 1993, passa a vigorar com as seguintes alterações:

PROJETO DE LEI Nº. Art. 1º. A Lei nº 12.066, de 13 de janeiro de 1993, passa a vigorar com as seguintes alterações: PROJETO DE LEI Nº Altera, revoga e acrescenta dispositivos das Leis nº 12.066, de 13 de janeiro de 1993, que dispõe sobre a estrutura do Grupo Ocupacional do Magistério da Educação Básica MAG e instituiu

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DO PARANÁ 8ª REGIÃO PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DO PARANÁ 8ª REGIÃO PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DO PARANÁ 8ª REGIÃO PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS Curitiba / PR FEVEREIRO / 2010 ÍNDICE PARTE I IMPLATAÇÃO DO PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS 1 INTRODUÇÃO ------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Novo Plano de Carreira. Agente Comunitário de Saúde ACS e Agente de Combate a Endemias - ACE

Novo Plano de Carreira. Agente Comunitário de Saúde ACS e Agente de Combate a Endemias - ACE Novo Plano de Carreira Agente Comunitário de Saúde ACS e Agente de Combate a Endemias - ACE Ingresso Carreira única: Agente de Vigilância à Saúde Funções específicas: ACS ACE - processo seletivo distinto

Leia mais

NORMA GERAL PARA GESTÃO DE EMPREGOS, CARGOS, FUNÇÕES E SALARIOS CDP

NORMA GERAL PARA GESTÃO DE EMPREGOS, CARGOS, FUNÇÕES E SALARIOS CDP NORMA GERAL PARA GESTÃO DE EMPREGOS, CARGOS, FUNÇÕES E SALARIOS CDP Norma Geral TÍTULO Capítulo Seção Nome Revisão 3 Área Administrativa e Financeira 4 Gestão de Carreiras 05 Plano de Empregos e Salários

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO LEI Nº 1.017,DE 15 DE MAIO DE 1992. Dispõe sobre o Plano de Cargos e Vencimentos dos Funcionários do Instituto de Previdência e Assistência dos Servidores do Município de Porto Velho IPAM e dá outras providências.

Leia mais

ESTRUTURA DA CARREIRA

ESTRUTURA DA CARREIRA ESTRUTURA DA CARREIRA Os 365 cargos foram classificados a partir dos requisitos de escolaridade, nível de responsabilidade, conhecimentos, habilidades específicas, formação especializada, experiência,

Leia mais

CEF: Aditivo ao Acordo Coletivo de Trabalho 2007/2008 sobre PCS

CEF: Aditivo ao Acordo Coletivo de Trabalho 2007/2008 sobre PCS CEF: Aditivo ao Acordo Coletivo de Trabalho 2007/2008 sobre PCS CLÁUSULA 1ª OBJETO DO ACORDO Implantar a unificação das estruturas salariais e regras de promoção das carreiras administrativas dos PCS/89

Leia mais

VIX LOGÍSTICA S/A COMITÊ DE GOVERNANÇA CORPORATIVA E GESTÃO DE PESSOAS

VIX LOGÍSTICA S/A COMITÊ DE GOVERNANÇA CORPORATIVA E GESTÃO DE PESSOAS VIX LOGÍSTICA S/A COMITÊ DE GOVERNANÇA CORPORATIVA E GESTÃO DE PESSOAS 1. Objetivo O Comitê de Governança Corporativa e Gestão de Pessoas é um órgão acessório ao Conselho de Administração (CAD) da VIX

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR Resolução n.º 01, de 14 de fevereiro de 2008 A Presidente do Conselho Diretor da Fundação Universidade Federal do Acre, em exercício, no uso das atribuições

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 79, DE 28 DE AGOSTO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 79, DE 28 DE AGOSTO DE 2014 RESOLUÇÃO Nº 79, DE 28 DE AGOSTO DE 2014 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 56ª Reunião Ordinária, realizada no dia 28 de agosto de 2014, no uso das atribuições que lhe são

Leia mais

PLANO DE CARREIRA, CARGOS E SALÁRIOS

PLANO DE CARREIRA, CARGOS E SALÁRIOS CAPITULO I 1 - Da Natureza e Constituição Art. 1º O Plano de Carreira exclusivo da instituição privada IFASC - Faculdade Santa Rita de Cássia e do ISESC Instituto Superior de Educação Santa Rita de Cássia,

Leia mais

PORTARIA R N.º 080/2009, de 18 de maio de Processo: /

PORTARIA R N.º 080/2009, de 18 de maio de Processo: / PORTARIA R N.º 080/2009, de 18 de maio de 2009 : 23000.091441/2009-33 O Reitor Pro Tempore do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Sudeste de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

Piso Salarial dos ACS e ACE. Lei /14 e Decreto 8.474/15. Natal, 15 de julho de 2015.

Piso Salarial dos ACS e ACE. Lei /14 e Decreto 8.474/15. Natal, 15 de julho de 2015. Piso Salarial dos ACS e ACE Lei 12.994/14 e Decreto 8.474/15 Natal, 15 de julho de 2015. O Piso Nacional criado corresponde ao vencimento inicial dos ACS e ACE (Art. 9º- A). Desse modo, o valor fixado

Leia mais