Material disponível em (senha relacoes2).

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Material disponível em desenvolvimentori@gmail.com (senha relacoes2)."

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DEPARTAMENTO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS Disciplina: Introdução ao Desenvolvimento Internacional Professor: Henrique Zeferino de Menezes Período EMENTA: O objetivo do curso é introduzir uma discussão geral e abrangente sobre desenvolvimento econômico e social a partir de um olhar específico: a sua interface com as relações internacionais processos políticos e econômicos globais, o papel das instituições internacionais, estratégias políticas de desenvolvimento, negociações internacionais, etc. Leitura de textos que trazem componentes de variadas teorias e correntes do desenvolvimento econômico, assim como dos padrões estruturais do desenvolvimento e subdesenvolvimento. Estudos de modelos e estratégias de desenvolvimento econômico em perspectiva histórica e discussões contemporâneas sobre o tema. Assim como a abordagem das principais temáticas políticas que se apresentam nas relações internacionais e que tem relação direta com o tema. Material disponível em (senha relacoes2). METODOLOGIA: O curso será organizado em torno de aulas expositivas e discussões em sala de aula. Eventuais seminários pontuais, sobre o desenvolvimento das atividades dos alunos, serão realizados. É altamente recomendada a leitura dos textos obrigatórios e preferencialmente a leitura livre de algum material complementar. AVALIAÇÃO: O desempenho do aluno será avaliado em três momentos: (i) uma discussão preliminar sobre as leituras prévias das Unidades 1 e 2 do Módulo 1 (todos alunos deverão trazer na primeira aula presencial duas perguntas sobre cada um dos textos obrigatórios). (ii) realização de um seminário preliminar sobre o tema do paper final ou sobre material complementar das unidades (as especificidades dessa atividade serão apresentadas em sala); (iii) confecção de um paper final (os alunos se organizarão em pequenos grupos de dois ou três elementos e escolherão uma temática específica para a elaboração de um paper. Durante o semestre os grupos terão que desenvolver atividades orientadas, leituras de textos obrigatórios e complementares e outras atividades de pesquisa, que culminarão na confecção do paper).

2 MODULO 1: HISTÓRIA E DESENVOLVIMENTO: HISTÓRIA DAS TEORIAS E A HISTÓRIA DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO. 1. Uma história do desenvolvimento econômico. Aquecimento: leitura prévia CHANG, Ha-Joon. Chutando a Escada: a estratégia do desenvolvimento em perspectiva histórica. Editora UNESP, Caps 1 e 2. MADDISON, Angus, The World Economy, OECD Development Centre Studies, 2006, Introduction and Summary; e Capítulo 1 The Contours of World Development o O livro The World Economy possui também uma versão dedicada apenas à compilação de dados estatísticos utilizados pelo autor. Leitura Complementar: ABRAMOVITZ, Moses. Catching Up, Forging Ahead, and Falling Behind. The Journal of Economic History, vol. 46, no. 2,, p.p , ARRIGHI, Giovanni. O Longo Século XX: dinheiro, poder e as origens de nosso tempo. São Paulo: Contraponto, BAIROCH, Paul. Economics and World History: myths and paradoxes. The University of Chicago Press, CHANG, Há-Joon. Globalisation Economic Development and the Role of the State. Cap. 1. Theories do State Intervention in Historical Perspective. HOBSBAWN, Eric. Da revolução industrial inglesa ao imperialismo. Rio de Janeiro: Forense-Universitária. HUBERMAN, Leo. História da Riqueza do Homem. Zahar Editores, 1981 KENNEDY, Paul. Ascensão e queda das grandes potências: transformação econômica e conflito militar de 1500 a a. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1989 LANDES, David. Prometeu Desacorrentado: transformação tecnológica e desenvolvimento industrial na Europa ocidental, desde 1750 até a nossa época. São Paulo: Editora Nova Fronteira, WALLERSTEIN, I. M. Capitalismo histórico & civilização capitalista. Rio de Janeiro: Contraponto, WEBER, M. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Ed. Americana, WADE, Robert. Governing the Market: economic theory and the role of government in east asian industrialization. Princeton University Press, 1990 AMSDEN, Alice. Asia s Next Giant: South Korea and Late Industrialization. Oxford:

3 Oxford University Press, AMSDEN, Alice. A Ascensão do Resto : os desafios ao Ocidente de economias com industrialização tardia.são Paulo: Editora da UNESP, o O livro de Wade e os dois de Amsden trazem uma versão sobre as estratégias de desenvolvimento dos países do Leste Asiático nos anos de 1970 a Os dois últimos, também como uma resposta à versão do World Bank sobre esse processo, publicada em The Asian Miracle 2. O Nascimento das Teorias do Desenvolvimento, do Subdesenvolvimento e as Relações Internacionais: Aquecimento: leitura prévia REINERT, Eric. Why Rich Countries Got Rich and Why Poor Stay Poor. Capítulo 2 The Evolution of two Different Approaches MORAES, Reginaldo C. C. Estado, Desenvolvimento e Globalização. São Paulo: Editora UNESP, 2006 (Caps. 2 e 3) FURTADO, Celso. Desenvolvimento e Subdesenvolvimento: Elementos de uma Teoria do Subdesenvolvimento. In. BIELSTHOWSKY, R. 50 anos de Pensamento da Cepal. CEPAL, Leitura Complementar: GILMAN, Nils. Mandarins of the Future: Modernization Theory in Cold War America. John Hopkins University Press, HUNT, E. K. História do Pensamento Econômico. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005 MORAES, Reginaldo. Celso Furtado: o subdesenvolvimento e as idéias da CEPAL. São Paulo: Editora Ática, JOMO, K. S.; REINERT, Erik. The Origins of Development Economics. London: Zed Books, 2005.

4 MODULO 2: DISCUSSÕES INTRODUTÓRIAS: DESENVOLVIMENTO, SUBDESENVOLVIMENTO, INDICADORES, TEORIAS E ATORES 3. Desenvolvimento e Subdesenvolvimento, Pobreza e Riqueza: conceitos básicos e indicadores. Semana 1: TODARO, Michael. SMITH, Stephen Smith. Economic Development, 11th Edition, Prentice Hall, 2011 (caps. 1, 2) RAY, Debraj, Development Economics, Princeton University Press, Capítulo 2 - pg. 7 a 46. Leitura Complementar: SCHAFER, J. Meaning, Measurement and Morality in International Development. In. HASLAM, Paul; SCHAFER, Jessica; BEAUDET, Pierre. Introduction to International Development. Oxford: Oxford University Press, BANERJEE, Abhijit. DUFLO, Esther. Poor Economics, Public Affairs Press, Capítulo Desenvolvimento e as Teorias do Desenvolvimento Semanas 2 e 3: DESAI, Radhika. Theories of Development In. HASLAM, Paul; SCHAFER, Jessica; BEAUDET, Pierre. Introduction to International Development. Oxford: Oxford University Press, SOUZA, Nali de Jesus. Desenvolvimento Econômico. Capítulo 1: Desenvolvimento Econômico SEN, Amartya. Desenvolvimento Como Liberdade. Companhia de Bolso, Introdução: desenvolvimento como liberdade p Leitura Complementar: TODARO, Michael. SMITH, Stephen. Economic Development, 11th Edition, Prentice Hall, 2011 (caps. 3 e 4) PEET, R. HARTWICK. Theories of Development: contentions, arguments, alternatives. Guilford Press, o O livro apresenta, em capítulos, as principais correntes teóricas que tratam do desenvolvimento: abordagens convencionais, perspectivas críticas não convencionais; e críticas às abordagens modernistas. RAPLEY, L. Understanding Development: theory and practice in the Third World. Lynne Rienner Publishers: London, 2007

5 o Livro que aborda as principais correntes teóricas e analíticas do desenvolvimento, olhando com mais especificidade para os países do Terceiro Mundo. LEYS, C. The Rise and Fall of Development Theory. James Currey Ltda, o Livro com uma abordagem crítica às principais correntes que lidaram com a questão do desenvolvimento e analisa especialmente o problema do não desenvolvimento africano e a operacionalização das teorias para o caso do continente. McMICHAEL, P. Development and Social Change: a global perspective. Pine Forge Press, o Livro com abordagem teórica a histórica, que reconta a trajetória e as experiências de desenvolvimento do século XX fazendo uso de case studies.

6 MODULO 3: POLÍTICA INTERNACIONAL E DESENVOLVIMENTO: GLOBALIZAÇÃO E INSTITUIÇÕES INTERNACIONAIS 5. Instituições Internacionais e Desenvolvimento Semanas 4 e 5: MILNER, Helen. Globalization, Development, and International Institutions: Normative and Positive Perspectives. Perspectives on Politics RUGGIE, J. International Regimes, Transactions, and Change: Embedded Liberalism in the Postwar Economic Order. International Organization, vol. 36, n. 02, 1982 SHADLEN, Kenneth. Resources, Rules and International Political Economy: The Politics of Development in the WTO. Global Development And Environment Institute Working Paper, no , Leitura Complementar: COX, Robert. Social Forces, States and World Order: beyond international relations theory. In COX, Robert. Approaches to World Order. Cambrigde: University Press, GALE, Fred. Cave 'Cave! Hic dragones': a neo-gramscian deconstruction and reconstruction of international regime theory. Review of International Political Economy, vol. 05, n. 02, 1998; STRANGE, Susan. Cave! Hic Dragones: A Critique of Regime Analysis. International Organization, Vol. 36, No. 2, o De formas distintas, os três textos acima apresentam críticas à própria definição e operacionalização do conceito de regimes internacionais. Assim como expõem uma abordagem mais crítica e conflituosa sobre a emergência de padrões globais de comportamento. MARTIN, Lisa. The Political Economy of International Cooperation. In. KAUL, I. GRNBERG, I. STERN, M. (ed.). Global Public Goods: International Cooperation in the 21st Century: Oxford University Press, BARNETT, Michael; Martha FINNEMORE, The Politics, Power, and Pathologies of International Organizations, International Organization, Vol. 53, No. 4, pp , ABBOTT, Kenneth; SNIDAL, D. Hard and Soft Law in International Governance, International Organization, Vol. 54, No. 3, pp , ABBOTT, Kenneth. SNIDAL, Duncan. Why States Act through Formal International Organizations, Journal of Conflict Resolution, Vol. 42, No. 1 pp. 3-32, 1998 ROTHSTEIN, Robert L., Regime-Creation by a Coalition of the Weak: Lessons from the NIEO and the Integrated Program for Commodities, International Studies Quarterly, Vol. 28, No. 3, p , 1984.

7 LAKE, David A. Power and the Third World: Toward a Realist Political Economy of North-South Relations. International Studies Quarterly. Vol. 31, No. 2 (June), pp , 1987 KRASNER, Stephen. Structural Conflict: the Third World against global liberalism. University of California Press, o Os textos de Rothstein, Lake e Krasner analisam a questão da emergência de normas internacionais sob uma perspectiva de países não-centrais POLLACK, Mark. SHAFFER, Gregory. Who Governs the Transatlantic Relations. SHAFFER, Gregory. POLLACK, Mark. Hard vs. Soft Law: Alternatives, Complements and Antagonists in International Governance 6. Globalização e Desenvolvimento Semana 6: KIELY, Ray. Globalization and Poverty and the Poverty of Globalization Theory. Current Sociology, vol. 53, 2005 WADE, Robert H. Globalization, growth, poverty, inequality, resentment and imperialism In: Ravenhill, John, (ed.) Global Political Economy. Oxford University Press, Oxford, UK, , WADE, Robert. Is Globalization Reducing Poverty and Inequality? World Development, Vol. 32, No. 4, pp , 2004 Leitura complementar: CRAFTS, Nicholas. Globalisation and Economic Growth: A Historical Perspective. The World Economy, vol. 27, n. 01, CEPAL. Globalization and development. CEPAL, 2002 GILL, Stephen. Globalization, market civilization, and disciplinary neoliberalism. Millennium: journal of international studies, vol. 24, KIELY, Ray. The Clash of Globalisations. Brill, GOLDIN, Ian; REINERT, Ian. Globalization for Development: trade, finance, aid, migration, and policy. The International Bank for Reconstruction and Development, Instituições Internacionais, Desenvolvimento e Policy Space Semana 7 GALLAGHER, Kevin P. Globalization and the Nation-State: reasserting policy autonomy for development. In. GALLAGHER, K. (ed.). Putting Development First: the importance of policy space in the WTO and international financial institutions. New York: Zed books, GALLAGHER, Kevin. Trading Away Stability and Growth: United States Trade Agreements in Latin America. PERI Working Paper Series, University of

8 Massachussetts Amherst, n. 266, KHAN, Shaurukh Rafi. WTO, IMF and the Closing of Development Policy Space for Low-income Countries: a call for neo-developmentalism. Third World Quarterly, vol. 28, n.06, 2007 Leitura Complementar ALESSANDRINI, Donatella. Developing Countries and the Multilateral Trade Regime: the failure and promise of the WTO's development mission. Hart Publishing, AKYUZ, Ylmaz. Global Rules and Markets: Constraints Over Policy Autonomy in Developing Countries. TWN Global Economy Series, vol. 10, AKYUZ, Ylmaz. Multilateral Disciplines and the Question of Policy Space. TWN Global Economy Series, vol. 38, BABB, Sarah. The IMF in sociological perspective: a tale of organizational slippage. Studies in Comparative International Development. Vol.38, no.02, BENVENISTI, Eyal; DOWNS, George. The Empire s New Clothes: political economy and the fragmentation of International Law. Stanford Law Review, vol. 60, n. 02, BIERSTEKER, Thomas. Reducing the Role of State in Economy: a conceptual exploration of IMF and World Bank Prescriptions.InternationalStudiesQuarterly, vol. 34, n. 04, BIERSTEKER, Thomas. O Triunfo da Economia Neoclássica no Mundo em Desenvolvimento. In. ROUSENAU, James & CZEMPIEL, E (org). Governança sem Governo. Brasília: Ed.UNB, CASS, Debora. The Constitutionalization of the World Trade Organization: legitimacy, democracy, and Community in the International Trading System. Oxford, Oxford University Press, CHANG, Há-Joon. Intellectual Property Rights and Economic Development Historical Lessons and Emerging Issues.JournalofHumanDevelopment, CHANG, Há-Joon Policy Space in Historical Perspective with special reference to Trade and Industrial Tarifs.Queen Elizabeth House 50th Anniversary Conference, The Development Threats and Promises, Queen Elizabeth House, University of Oxford, 4-5 July, JOSEPH, James. Stasis and Change in the IMF and World Bank: international context and institutional dynamics. The Social Science Journal. Vol. 37, n. 01, MAYER, Jorg. Policy Space: What, for What, and Where? Development Policy Review, vol. 27, n.4, p.p , 2009 PAGE, Sheila, Policy space: Are WTO Rules Preventing Development? ODI Briefing Paper 14, January RUSE-KHAN, Henning. A Comparative Analysis of Policy Space in WTO Law. Max Planck Institute for Intellectual Property, Competition & Tax Law Research Paper

9 Series, no SHADLEN, Kenneth. Resources, Rules and International Political Economy: The Politics of Development in the WTO. Global Development and Environment Institute Working Paper, No , 2009 SHADLEN, Kenneth. Exchanging Development for Market Access? Deep Integration and Industrial Policy under Multilateral and Regional-Bilateral Trade Agreements. Review of International Political Economy, Vol. 12, No. 5, p.p , 2005 TRASHER, Rachael; GALLAGHER, Kevin. 21st Century Trade Agreement: implications for long-run development policy. The PARDEE Papers, n.02, o Grande parte da literatura aqui apresentada lida especificamente com os impactos da criação de normas internacionais (de comércio) que produz como uma das conseqüências a limitação da discricionariedade dos Estados em implementar políticas públicas de desenvolvimento. Alguns textos, como os de Akyuz, por exemplo, também analisam a questão da limitação do policy space pela ótima dos processos de liberalização financeira e a limitação dos instrumentos de política macroeconômica dos Estados. 8. Instituições Internacionais e Policy Space: quais estratégias viáveis. Semana 8 e 9 WADE, Robert. What Strategies are Viable for Developing Countries Today The world Trade Organization and the Shrinking od Development Space. In. GALLAGHER, K. (ed.). Putting Development First: the importance of policy space in the WTO and international financial institutions. New York: Zed books, LALL, Sanjaya. Technology and Industrial Development in an Era of Globalization. In. CHANG, Há-Joon (ed.). Rethinking Development Economics. London: Anthem Press, CORREA, Carlos. New Intellectual Standards for Intellectual Property: impact on technology flows and innovation in developing countries. Science and Public Policy, vol. 24, n. 02, p , Leitura Complementar AMSDEN, Alice. Promoting Industry under WTO Law. In. GALLAGHER, Kevin P (ed.). Putting Development First: the importance of policy space in the WTO and international financial institutions. New York: Zed books, BASTOS, Pedro Paulo Z. A política comercial estadunidense: a estratégia de liberalização competitiva, os acordos bilaterais e a ALCA. Economia Política Internacional: Análise Estratégica, n 1, abril-junho, BASTOS, Pedro Paulo Z A economia política do novo-desenvolvimentismo e do social desenvolvimentismo. Economia e Sociedade, vol. 21, vol. Especial, p , BLOCK, Fred and KELLER, Matthew R. (ed.). State of Innovation: the US Government s role in technology development. London: Paradigm Publishers, 2011

10 BORA, Bijit; LLOYD, Peter; PANGESTU, Mari. Industrial Policy and the WTO. UNCTAD Policy Issues in International Trade And Commodities Study Series No. 6, CORREA, Carlos. Intellectual Property Rights, the WTO and Developing Countries: The TRIPS Agreement and Policy Options. Zed Books, DOSI, Giovanni; MARENGO, Luigi; PASQUALI, Corrado. How much should society fuel the greed of innovators? On the relations between appropriability, opportunities and rates of innovation.lem Working Paper Series, vol. 17, 2006; EVANS, Peter. Estado como Problema e Solução. Lua Nova, n 28-19, HAMWEY, Robert. Expanding National Policy Space For Development: Why The Multilateral Trading System Must Change. South Center Working Paper, setembro, 2005 LALL, Sanjaya. Technology and Industrial Development in an Era of Globalization. In. CHANG, Há-Joon (ed.). Rethinking Development Economics. London: Anthem Press, LALL, Sanjaya. Rethinking Industrial Strategy: the role of state in the face of globalization. In. GALLAGHER, Kevin P (ed.). Putting Development First: the importance of policy space in the WTO and international financial institutions. New York: Zed books, RUSE-KHAN, Henning Grosse. Policy Space for Domestic Public Interest Measures Under Trips. South Center Research Paper, 22, Junho de SHADLEN, Kenneth. Policy Space for Intellectual Property Management: Contrasting Multilateral and Regional-Bilateral Arrangements. Econômica, Rio de Janeiro, v. 10, n. 2, p , dezembro WEISS, Linda. Global Governance, National Strategies: How Industrialized States Make Room to Move under the WTO. Review of International Political Economy, Vol. 12, no. 5, p.p , WEISS, Linda. Introduction: bringing domestic institutions back in. WEISS, Linda (ed.) States in the Global Economy: bringing domestic institutions back. Cambridge University Press, MODULO 4: COOPERAÇÃO INTERNACIONAL E DESENVOLVIMENTO: Cooperação Internacional, Ajuda e Desenvolvimento: atores, agências internacionais Semana 10 e 11 LANCASTER, Carol. Foreign Aid: diplomacy, Development, Domestic Politics. The University of Chicago Press, 2007 (capítulos 1 e 2) LEITE, Iara. Cooperação Sul-Sul: conceitos, história e marcos interpretativos.

11 Observador On-line, vol. 07, 2012 MILANI, Carlos; SUYAMA, Bianca; LOPES, Luara. Política de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento no Norte e no Sul: que lições e desafios para o Brasil. São Paulo: Friedrich Ebert Stiftung, FEHLING, Maya; NELSON, Brett; VENKATAPURAM, Sridhar. Limitations of the Millennium Development Goals: a literature review. Global Public Health: An International Journal for Research, Policy and Practice, vol. 08, n. 10, Leitura Complementar: MAGARINOS, Carlos. Economic Development and UN Reform: toward a commum agenda for action. A proposal in the context of the Millennium Development Goals UNIDO, 2005 MILANI, Carlos. Aprendendo com a História: críticas à experiência da Cooperação Norte- Sul e atuais desafios à Cooperação Sul-Sul. Cadernos CRH, Salvador, v. 25, n. 65, p , 2012 MOYO, Dambisa. Dead Aid: why aid is not working and who there is a better way for Africa. Farnar, Strauss and Giroux, MURPHY, Craig. The United Nations Development Programme: a better way Cambrigde University Press, Caps. 1 e 2. PEREIRA, João Mauricio. O Banco Mundial como ator político, intelectual e financeiro ( ). REINERT, Eric. Development and Social Goals: Balancing Aid and Development to Prevent Welfare Colonialism. DESA Working Paper No. 14, 2006 TOYE, Jonh; TOYE, Richard. The UN and Global Political Economy: trade, finance and development. Indiana University Press, Cap. 12. MÓDULO EXTRA Leitura complementar da complementar: AMSDEN, Alice; Takashi HIKINO, The Bark is Worse Than the Bite: New WTO Law and Late Industrialization, Annals of the American Academy of Political and Social Sciences, No. 570, pp , CHOREV, Nitsan, The Institutional Project of Neo-Liberal Globalism: The Case of the WTO. Theory and Society, Vol. 34, No. 3, pp , FINGER, J. Michael; SCHULER, P., Implementation of Uruguay Round Commitments: The Development Challenge. World Economy, Vol. 23, pp , GAGNÉ, Gilbert, International Trade Rules and States: Enhanced Authority for the WTO?. In. HIGGOTT, Richard A., UNDERHILL, Geoffrey R.D; BIELER, Andreas, eds.,

12 Non-State Actors and Authority in the Global System (Routledge, 2000). GALLAGHER, Kevin, Understanding Developing Country Resistance to the Doha Round, Review of International Political Economy, Vol. 15, No. 1 pp , 2008 RUDRA, Nita, Why International Organizations Should Bring Basic Needs Back in, International Studies Perspectives, Vol. 10, No. 2, STEINBERG, Richard. In the Shadow of Law or Power? Consensus-Based Bargaining and Outcomes in the GATT/WTO International Organization, Vol. 56, No. 2, pp , WEISS, Linda, Global Governance, National Strategies: How Industrialized States Make Room to Move under the WTO, Review of International Political Economy, Vol. 12, No. 5, pp , 2005 WILKINSON, Rorden, The WTO in Hong Kong: What it Really Means for the Doha Development Agenda, New Political Economy, Vol. 11, No. 2, 2006

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA PLANO DE ENSINO DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA PLANO DE ENSINO DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA PLANO DE ENSINO DE DISCIPLINA Disciplina: ESPE 119 - Capitalismo Concorrencial, Estado e Regulação Professor: Ricardo Dathein

Leia mais

Disciplina: Direito Internacional Econômico (DIE) Curso: Direito Carga Horária: 32 Departamento: Direito Público Área: Direito Público

Disciplina: Direito Internacional Econômico (DIE) Curso: Direito Carga Horária: 32 Departamento: Direito Público Área: Direito Público Faculdade de Direito Milton Campos Disciplina: Direito Internacional Econômico (DIE) Curso: Direito Carga Horária: 32 Departamento: Direito Público Área: Direito Público PLANO DE ENSINO EMENTA Transnacionalização

Leia mais

Desigualdade de renda no mundo Programa

Desigualdade de renda no mundo Programa Desigualdade de renda no mundo Programa Necessidades especiais Importante: se você tem alguma necessidade especial, por favor, contate-me. Terei prazer em fazer todos os ajustes que estiverem a meu alcance.

Leia mais

CS3303 Dinâmica dos Investimentos Produtivos Internacionais (4-0-4) - DIPI

CS3303 Dinâmica dos Investimentos Produtivos Internacionais (4-0-4) - DIPI CS3303 Dinâmica dos Investimentos Produtivos Internacionais (4-0-4) - DIPI Área de Conhecimento Globalização produtiva, Ciência, Tecnologia e Inovação Professoras: Cristina Fróes de Borja Reis (Diurno):

Leia mais

Programa de Mestrado e Doutorado em Administração - PMDA

Programa de Mestrado e Doutorado em Administração - PMDA Programa de Mestrado e Doutorado em Administração - PMDA Mestrado em Administração Disciplina: Internacionalização e Globalização Carga horária: 45 horas-aula Créditos: 3 I. OBJETIVOS DA DISCIPLINA A presente

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE MACAU RELAÇÕES ECONÓMICAS REGIONAIS

FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE MACAU RELAÇÕES ECONÓMICAS REGIONAIS FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE MACAU RELAÇÕES ECONÓMICAS REGIONAIS (Programa e bibliografia geral seleccionada) Revista em 05/11/2014 5.º Ano Ano Lectivo 2014/2015 Regente Rui Pedro de Carvalho

Leia mais

FORMULÁRIO DE CRIAÇÃO DE DISCIPLINA

FORMULÁRIO DE CRIAÇÃO DE DISCIPLINA 1 FORMULÁRIO DE CRIAÇÃO DE DISCIPLINA CD-01 1 NOME DO PROGRAMA: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS 2 Proposta de Criação de disciplina Exclusão de disciplina da grade curricular Mudança de denominação

Leia mais

Departamento de Sociologia, Instituto de Ciências Sociais, Universidade do Minho, Gualtar, 4710-057 Braga Portugal, Telef. 253604212, Fax 253678850

Departamento de Sociologia, Instituto de Ciências Sociais, Universidade do Minho, Gualtar, 4710-057 Braga Portugal, Telef. 253604212, Fax 253678850 Instituto de Ciências Sociais Departamento de Sociologia Licenciatura: Sociologia Unidade Curricular: Desenvolvimento, Sociedade e Estado Regime: 2º semestre Ano lectivo: 2007/2008 Docente: Maria Eugénia

Leia mais

Anais da 64ª Reunião Anual da SBPC São Luís, MA Julho/2012 SABER TECNOLÓGICO PARA QUEM E PARA O QUÊ? A QUESTÃO DAS PATENTES

Anais da 64ª Reunião Anual da SBPC São Luís, MA Julho/2012 SABER TECNOLÓGICO PARA QUEM E PARA O QUÊ? A QUESTÃO DAS PATENTES Anais da 64ª Reunião Anual da SBPC São Luís, MA Julho/2012 SABER TECNOLÓGICO PARA QUEM E PARA O QUÊ? A QUESTÃO DAS PATENTES Introdução Ronaldo Fiani 1 A apropriação privada do conhecimento tecnológico

Leia mais

Seminário: Estado e Sociedade na China Contemporânea :Transformações e Desafios

Seminário: Estado e Sociedade na China Contemporânea :Transformações e Desafios Seminário: Estado e Sociedade na China Contemporânea :Transformações e Desafios Anna Jaguaribe O Seminário :Estado e Sociedade na China Contemporânea; Transformações e Desafios discutirá as principais

Leia mais

Economia dos Recursos Humanos

Economia dos Recursos Humanos Disciplina oferecida ao Curso de MBE Executivo (5ª edição) do Programa de Pós Graduação em Economia da UFRGS. Economia dos Recursos Humanos Professor Responsável: Giácomo Balbinotto Neto. Objetivo: A economia

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS COMISSÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO 2º SEMESTRE/2013

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS COMISSÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO 2º SEMESTRE/2013 CP019-A ORGANIZAÇÕES INTERNACIONAIS PROF. CRISTIANO MORINI 2º SEMESTRE/2013 EMENTA: Classificação das organizações internacionais por natureza, abrangência e funções. Processo decisório. Organizações de

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA Código: HC-800 Nome: Organizações Internacionais

PROGRAMA DE DISCIPLINA Código: HC-800 Nome: Organizações Internacionais 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES PROGRAMA DE MESTRADO EM CIÊNCIA POLÍTICA Disciplina PROGRAMA DE DISCIPLINA Código: HC-800 Nome: Organizações

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES SCHLA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES SCHLA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS Codigo HC 329 RELAÇÕES INTERNACIONAIS Disciplina EMENTA DE DISCIPLINA Ementa O desenvolvimento das principais teorias das relações internacionais; O realismo e suas vertentes contemporâneas; O liberalismo

Leia mais

Periódicos de Relações Internacionais disponíveis em Brasília

Periódicos de Relações Internacionais disponíveis em Brasília Universidade de Brasília Instituto de Relações Internacionais Programa de Educação Tutorial - PET-REL Periódicos de Relações Internacionais disponíveis em Brasília Periódico Local* Anos disponíveis Breve

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO EAD5933 - Empresas e a Conjuntura Econômica Mundial Área: Economia das Organizações Créditos: 08 Professor: Paulo Roberto Feldmann 1. Resumo da disciplina: Nas últimas décadas a acentuada expansão do fenômeno

Leia mais

IEP815 Política Ambiental, Descentralização e Qualidade de Vida Profa. Estela Neves

IEP815 Política Ambiental, Descentralização e Qualidade de Vida Profa. Estela Neves Objetivo: O objetivo do curso é familiarizar os alunos com a base teórica, marcos conceituais e questões operacionais da política ambiental no âmbito municipal, para capacitá-los para analisar propostas

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS Comércio Internacional Professor: Carlos Pio Semestre: 1/2010 Turma: A Horário de atendimento: terças e quintas-feiras, das 12h às 13h, desde

Leia mais

Direito e ciência: Direitos humanos no Ambiente digital

Direito e ciência: Direitos humanos no Ambiente digital MESTRADO Áreas: Políticas Públicas e Relações internacionais. Plano de ensino da disciplina Direitos Prof. Dra. Maria Marinho Direito e ciência: Direitos humanos no Ambiente digital Ementa: O curso tem

Leia mais

CURRICULUM VITÆ. June 2007 Present: Assistant Professor, Faculdade de Economia da Universidade do Porto.

CURRICULUM VITÆ. June 2007 Present: Assistant Professor, Faculdade de Economia da Universidade do Porto. CURRICULUM VITÆ PERSONAL DATA Full name: Birth: Nationality: Address: Manuel Emílio Mota de Almeida Delgado Castelo Branco 30 December 1971, Porto (Portugal) Portuguese Faculdade de Economia da Universidade

Leia mais

Desenvolvimento Económico II PROGRAMA

Desenvolvimento Económico II PROGRAMA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE ANGOLA Faculdade de Economia e Gestão Licenciatura em Economia PROGRAMA Ano lectivo: Semestre: Regente: 2009 2º Dra. Sandrina Berthault Moreira Ano Curricular: Carga horária: Aulas:

Leia mais

CURRICULUM VITÆ. Licenciatura em Economia da Faculdade de Economia da Universidade do Porto, concluída em Julho de 1996.

CURRICULUM VITÆ. Licenciatura em Economia da Faculdade de Economia da Universidade do Porto, concluída em Julho de 1996. CURRICULUM VITÆ DADOS PESSOAIS Nome: Nascimento: Nacionalidade: Morada: Manuel Emílio Mota de Almeida Delgado Castelo Branco 30 de Dezembro de 1971, Porto (Portugal) Portuguesa Faculdade de Economia do

Leia mais

Universidade*Nove*de*Julho*1*UNINOVE* Programa*de*Mestrado*Profissional*em*Administração* *Gestão*em*Sistemas*de*Saúde*

Universidade*Nove*de*Julho*1*UNINOVE* Programa*de*Mestrado*Profissional*em*Administração* *Gestão*em*Sistemas*de*Saúde* UniversidadeNovedeJulho1UNINOVE ProgramadeMestradoProfissionalemAdministração GestãoemSistemasdeSaúde Disciplina ProjetosComplexoseEstratégicosAplicadosàSaúde Códigodadisciplina GSEL04 Linhadepesquisa

Leia mais

MESTRADO RELAÇÕES INTERNACIONAIS EDITAL SELEÇÃO 2013

MESTRADO RELAÇÕES INTERNACIONAIS EDITAL SELEÇÃO 2013 MESTRADO RELAÇÕES INTERNACIONAIS EDITAL SELEÇÃO 2013 O da PUC-Rio torna pública a abertura das inscrições para o exame de seleção ao seu Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais para 2013,

Leia mais

Relatório Final. Discente: Dâmaris Regina Dias Guimarães da Rocha 12/0050251

Relatório Final. Discente: Dâmaris Regina Dias Guimarães da Rocha 12/0050251 Relatório Final Análise do arcabouço institucional jurídico de Costa Rica, Panamá e Honduras por meio do LICS model para fins de comparação de suas conformações institucionais Discente: Dâmaris Regina

Leia mais

Periódicos eletrônicos especializados em Propriedade Intelectual e Inovação 113 títulos, com acesso aos textos integrais

Periódicos eletrônicos especializados em Propriedade Intelectual e Inovação 113 títulos, com acesso aos textos integrais Periódicos eletrônicos especializados em Propriedade Intelectual e Inovação 113 títulos, com acesso aos textos integrais Diretoria de Cooperação para o Desenvolvimento DICOD Centro de Disseminação da Informação

Leia mais

Aspectos Políticos da Adoção das IFRS no Brasil

Aspectos Políticos da Adoção das IFRS no Brasil Aspectos Políticos da Adoção das IFRS no Brasil Pesquisa em andamento para qualificação de doutorado Paulo Frederico Homero Junior paulo.junior@usp.br Doutorando do PPGCC/FEA/USP Orientador: Prof. Dr.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS ESTRATÉGICOS INTERNACIONAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS ESTRATÉGICOS INTERNACIONAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS ESTRATÉGICOS INTERNACIONAIS EDITAL DO EXAME DE SELEÇÃO PARA INGRESSO NO CURSO DE MESTRADO

Leia mais

DIREITO INTERNACIONAL ECONÓMICO

DIREITO INTERNACIONAL ECONÓMICO Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa Regente: Pedro Infante Mota Ano Letivo 2014/2015 3.º Ano, Turma da Noite DIREITO INTERNACIONAL ECONÓMICO 1. APRESENTAÇÃO Apesar de a propensão para trocar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE INSTITUTO DE LETRAS E ARTES CONCURSO PÚBLICO PROFESSOR ASSISTENTE EM LÍNGUA INGLESA. EDITAL No.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE INSTITUTO DE LETRAS E ARTES CONCURSO PÚBLICO PROFESSOR ASSISTENTE EM LÍNGUA INGLESA. EDITAL No. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE INSTITUTO DE LETRAS E ARTES CONCURSO PÚBLICO PROFESSOR ASSISTENTE EM LÍNGUA INGLESA EDITAL No. 011/2009 Dados para o Edital do Concurso para Professor Assistente na área

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA POLÍTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA POLÍTICA DISCIPLINA: Tópicos Especiais em Relações Internacionais - Teoria das Relações Internacionais CÓDIGO: HC808 PERÍODO: 2010/1 PROFESSORES: Danielly Silva Ramos Becard (daniellyr@yahoo.com) Alexsandro Eugênio

Leia mais

Ploy Khumthukthit. A Nova Diplomacia Pública do Japão. Dissertação de Mestrado

Ploy Khumthukthit. A Nova Diplomacia Pública do Japão. Dissertação de Mestrado Ploy Khumthukthit A Nova Diplomacia Pública do Japão Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do título de Mestre pelo Programa de Pós- Graduação em Relações

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais da UNESP, UNICAMP e PUC-SP EDITAL

Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais da UNESP, UNICAMP e PUC-SP EDITAL Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais da UNESP, UNICAMP e PUC-SP EDITAL Processo de Seleção dos Candidatos ao Mestrado Acadêmico para o ano de 2007 O Programa de Pós-Graduação em Relações

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA UFBA INSTITUTO DE HUMANIDADES, ARTES E CIÊNCIAS PROFESSOR MILTON SANTOS IHAC

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA UFBA INSTITUTO DE HUMANIDADES, ARTES E CIÊNCIAS PROFESSOR MILTON SANTOS IHAC UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA UFBA INSTITUTO DE HUMANIDADES, ARTES E CIÊNCIAS PROFESSOR MILTON SANTOS IHAC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS SELEÇÃO 2014 MESTRADO ACADÊMICO O Programa

Leia mais

Análise Econômica para a Gestão Ambiental

Análise Econômica para a Gestão Ambiental Departamento de Economia UnB Curso de Mestrado em Gestão Econômica do Meio-Ambiente CEEMA Análise Econômica para a Gestão Ambiental Professores: Charles C. Mueller e Bernardo P. M. Mueller I. Objetivos

Leia mais

Propriedade Intelectual, Direitos Humanos e Direito à Saúde: acesso a medicamentos e Objetivos de Desenvolvimento do Milênio

Propriedade Intelectual, Direitos Humanos e Direito à Saúde: acesso a medicamentos e Objetivos de Desenvolvimento do Milênio Propriedade Intelectual, Direitos Humanos e Direito à Saúde: acesso a medicamentos e Objetivos de Desenvolvimento do Milênio Maria Cristina Gomes da Silva d Ornellas Doutora em Direito pela Universidade

Leia mais

PROPOSTA DE PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROPOSTA DE PROGRAMA DE DISCIPLINA MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES (MRE) INSTITUTO RIO BRANCO (IRBr) PROPOSTA DE PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: Economia Aplicada à Tomada de Decisão e à Estratégia de Negociação PROFESSOR: Flávio

Leia mais

NSTITUTO DE ILOSOFIA & IÊNCIAS UMANAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS - 16

NSTITUTO DE ILOSOFIA & IÊNCIAS UMANAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS - 16 NSTITUTO DE ILOSOFIA & IÊNCIAS UMANAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS - 16 2 o. Semestre de 2006 DISCIPLINA CÓDIGO / TURMA HZ942/A NOME Relações Internacionais PRÉ-REQUISITOS HZ341/ AA200 CARGA

Leia mais

PROGRAMA OBJETIVOS DA DISCIPLINA

PROGRAMA OBJETIVOS DA DISCIPLINA DEPARTAMENTO Gestão Pública (GEP) CURSO Mestrado Profissional Em Gestão e Políticas Públicas - MPGPP DISCIPLINA Ferramentas aplicadas ao desenho de políticas públicas PROFESSOR Alexis Vargas PERÍODO SEMESTRE/ANO

Leia mais

O modelo de financiamento coletivo crowdfunding e as suas possibilidades de sustentabilidade para a pesquisa científica

O modelo de financiamento coletivo crowdfunding e as suas possibilidades de sustentabilidade para a pesquisa científica O modelo de financiamento coletivo crowdfunding e as suas possibilidades de sustentabilidade para a pesquisa científica Samantha Sasha de Andrade Universidade Estadual Paulista UNESP e-mail: ssashadrade@gmail.com

Leia mais

Agenda. 1. Introdução 2. Acordos comerciais: o debate contemporâneo sobre. 3. Brasil. 4. Rússia. 5. Índia. 6. China. 7. África do Sul. 8.

Agenda. 1. Introdução 2. Acordos comerciais: o debate contemporâneo sobre. 3. Brasil. 4. Rússia. 5. Índia. 6. China. 7. África do Sul. 8. Agenda 1. Introdução 2. Acordos comerciais: o debate contemporâneo sobre 3. Brasil 4. Rússia 5. Índia 6. China 7. África do Sul 8. Conclusões 1. Introdução Relevância dos BRICS em diversas searas coloca

Leia mais

GOVERNANÇA E INOVAÇÃO PARA UM SISTEMA ENERGÉTICO SUSTENTÁVEL:

GOVERNANÇA E INOVAÇÃO PARA UM SISTEMA ENERGÉTICO SUSTENTÁVEL: GOVERNANÇA E INOVAÇÃO PARA UM SISTEMA ENERGÉTICO SUSTENTÁVEL: COMO PODEMOS MELHORAR? Maria Bernadete Sarmiento Gutierrez 1 1 INTRODUÇÃO A transição para um sistema de baixo carbono se constitui em um enorme

Leia mais

Catalogue des nouvelles acquisitions

Catalogue des nouvelles acquisitions Bulletin Bibliographique Edition Nº 03 Bissau, 18/06/2013 CID Centre d Information et Documentation Nations Unies, Guine-Bissau www.gw.one.un.org www.cidnubissau.net Catalogue des nouvelles acquisitions

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE FACULDADE DE DIREITO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO POLÍTICO E ECONÔMICO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE FACULDADE DE DIREITO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO POLÍTICO E ECONÔMICO ESTADO E DESENVOLVIMENTO Estuda, de forma mais aprofundada, algumas das estruturas políticas e jurídico-institucionais do Estado Desenvolvimentista brasileiro, sua formação histórica, potencialidades e

Leia mais

Universidade do Minho. Escola de Engenharia. UC transversais Programas Doutorais 1º semestre 2012-13. 11 de outubro 2012

Universidade do Minho. Escola de Engenharia. UC transversais Programas Doutorais 1º semestre 2012-13. 11 de outubro 2012 Universidade do Minho Escola de Engenharia UC transversais Programas Doutorais 1º semestre 2012-13 11 de outubro 2012 1 2 2 courses offered in the first semestre: Métodos de Investigação em Engenharia

Leia mais

PROPOSTA PARA CURSO DE EXTENSÃO

PROPOSTA PARA CURSO DE EXTENSÃO PROPOSTA PARA CURSO DE EXTENSÃO Título do Curso: A Primavera Árabe: Conquistas e Desafios. Público-Alvo: Estudantes de Relações Internacionais e áreas afins da UFSM, interessados na temática, e comunidade

Leia mais

1 INTRODUÇÃO 2 PERSPECTIVAS SOBRE O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: DIFÍCIL CONCEITUAÇÃO A NECESSIDADE DE UM MARCO DE GOVERNANÇA ADEQUADO

1 INTRODUÇÃO 2 PERSPECTIVAS SOBRE O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: DIFÍCIL CONCEITUAÇÃO A NECESSIDADE DE UM MARCO DE GOVERNANÇA ADEQUADO O Desenvolvimento Sustentável A NECESSIDADE DE UM MARCO DE GOVERNANÇA ADEQUADO Maria Bernadete Sarmiento Gutierrez* 1 INTRODUÇÃO Este artigo tem como objetivo principal sugerir como os conceitos de desenvolvimento

Leia mais

Reforma Educativa: o que é comum nos sistemas educativos de elevado desempenho

Reforma Educativa: o que é comum nos sistemas educativos de elevado desempenho Reforma Educativa: o que é comum nos sistemas educativos de elevado desempenho Stephen P. Heyneman Professor International Education Policy Vanderbilt University s.heyneman@vanderbilt.edu http://www.vanderbilt.edu/peabody/heyneman

Leia mais

Bancos Públicos vantagens comparativas e competitivas

Bancos Públicos vantagens comparativas e competitivas Bancos Públicos vantagens comparativas e competitivas Kurt von Mettenheim FGV-EAESP Aula 4a Ciência Política CGAE, FGV-EAESP Este apresentação foi originalmente preparada para o seminário organizado pelo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO CURSO DE MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO CURSO DE MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO CURSO DE MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: Administração Estratégica PROFESSOR: Dr. André

Leia mais

TEXTO PARA DISCUSSÃO N 328 REDES E POLARIZAÇÃO URBANA E FINANCEIRA: UMA EXPLORAÇÃO INICAL PARA O BRASIL

TEXTO PARA DISCUSSÃO N 328 REDES E POLARIZAÇÃO URBANA E FINANCEIRA: UMA EXPLORAÇÃO INICAL PARA O BRASIL TEXTO PARA DISCUSSÃO N 328 REDES E POLARIZAÇÃO URBANA E FINANCEIRA: UMA EXPLORAÇÃO INICAL PARA O BRASIL Marco Crocco Ricardo Machado Ruiz Anderson Cavalcante Março de 2008 Ficha catalográfica 333.73981

Leia mais

Introdução às relações internacionais

Introdução às relações internacionais Robert Jackson Georg Sørensen Introdução às relações internacionais Teorias e abordagens Tradução: BÁRBARA DUARTE Revisão técnica: ARTHUR ITUASSU, prof. de relações internacionais na PUC-Rio Rio de Janeiro

Leia mais

Diplomacia da Saúde Global *

Diplomacia da Saúde Global * [www.reciis.cict.fiocruz.br] e-issn 1981-6278 Artigo original Diplomacia da Saúde Global * DOI: 10.3395/reciis.v4i1.342pt Ilona Kickbusch Cientista político, PhD da Universidade de Konstanz, Alemanha.

Leia mais

PATENTES MERECEM SER QUEBRADAS?

PATENTES MERECEM SER QUEBRADAS? www.brasil-economia-governo.org.br PATENTES MERECEM SER QUEBRADAS? FERNANDO B. MENEGUIN 1 Vimos no texto Por que proteger a propriedade intelectual? a importância de se garantir direito de propriedade

Leia mais

Período 2015.1. Tuma 1: Quinta-feira: 14h00 as 18h00 Turma 2: Quinta-feira: 19h00 as 22h20

Período 2015.1. Tuma 1: Quinta-feira: 14h00 as 18h00 Turma 2: Quinta-feira: 19h00 as 22h20 UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DEPARTAMENTO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS Disciplina: Teoria das Relações Internacionais II Professor: Henrique Zeferino de Menezes Período

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS PROGRAMA DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS PROGRAMA DE DISCIPLINA Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais Disciplina: PRI 5017 Política Externa Brasileira FLS 5903 Temas

Leia mais

REGULAÇÃO INTERNACIONAL DO INVESTIMENTO DIRETO ESTRANGEIRO: ENTRE A FRAGMENTAÇÃO E A MULTILATERALIZAÇÃO

REGULAÇÃO INTERNACIONAL DO INVESTIMENTO DIRETO ESTRANGEIRO: ENTRE A FRAGMENTAÇÃO E A MULTILATERALIZAÇÃO REGULAÇÃO INTERNACIONAL DO INVESTIMENTO DIRETO ESTRANGEIRO: ENTRE A FRAGMENTAÇÃO E A MULTILATERALIZAÇÃO RESUMO ROCHA, Danylo. Universidade de são Paulo (USP). Este trabalho analisa a evolução da regulação

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ÁFRICA (QUESTÕES POLÍTICAS, ECONÓMICAS E SOCIAIS) Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ÁFRICA (QUESTÕES POLÍTICAS, ECONÓMICAS E SOCIAIS) Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular ÁFRICA (QUESTÕES POLÍTICAS, ECONÓMICAS E SOCIAIS) Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Relações Internacionais 3. Ciclo

Leia mais

6. Monopólios e indústrias em rede 6.1. Monopólio natural 6.2. Monopólio multiproduto 6.3. Indústrias em rede 6.4. Regulação em setores monopolistas

6. Monopólios e indústrias em rede 6.1. Monopólio natural 6.2. Monopólio multiproduto 6.3. Indústrias em rede 6.4. Regulação em setores monopolistas FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E ATUÁRIA PROGRAMA DE ENSINO Curso: Economia Ano: 2009 Disciplina: Economia Industrial Código: 629 Créditos: 04 Carga Horária: 60 H/A Professor: Roland

Leia mais

egovernment The Endless Frontier

egovernment The Endless Frontier CENTRO DE GESTÃO DA REDE INFORMÁTICA DO GOVERNO (Management Center for the Electronic Government Network) egovernment The Endless Frontier Alexandre Caldas 29 th June 2010 Summary VISION AND LEADERSHIP

Leia mais

1. Ementa completa e atualizada: Unidade de Aprendizagem 2 Saúde Global e Política Externa Brasileira: Uma Perspectiva Histórica.

1. Ementa completa e atualizada: Unidade de Aprendizagem 2 Saúde Global e Política Externa Brasileira: Uma Perspectiva Histórica. Relatório Final da Coordenação da Unidade de Aprendizagem 2 Curso de Especialização em Saúde Global e Diplomacia da Saúde Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca Fiocruz 1. Ementa completa e atualizada:

Leia mais

ASSUNTO. em pauta. O contexto de desigualdade social e pobreza no Brasil, China e Índia

ASSUNTO. em pauta. O contexto de desigualdade social e pobreza no Brasil, China e Índia ASSUNTO em pauta O contexto de desigualdade social e pobreza no Brasil, China e Índia Brasil, China e Índia têm apresentado bons resultados na superação da pobreza e miséria, mas os índices de desigualdades

Leia mais

PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO E COMÉRCIO INTERNACIONAL - DA NECESSIDADE DE SUPERAÇÃO DOS OBSTÁCULOS PARA A PROMOÇAO EFETIVA DO DESENVOLVIMENTO

PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO E COMÉRCIO INTERNACIONAL - DA NECESSIDADE DE SUPERAÇÃO DOS OBSTÁCULOS PARA A PROMOÇAO EFETIVA DO DESENVOLVIMENTO UNIVERSIDADE: Universidade Federal de Santa Catarina NÚCLEO DISCIPLINAR/COMITÊ ACADÊMICO: Desenvolvimento Regional (Rural e Urbano) - as alterações na base de sustentação econômica e a estrutura social

Leia mais

Economia criativa: novas oportunidades baseadas no capital intelectual

Economia criativa: novas oportunidades baseadas no capital intelectual Economia criativa: novas oportunidades baseadas no capital intelectual Armando Dalla Costa * Elson Rodrigo de Souza-Santos ** RESUMO - Nas últimas duas décadas ganhou força um novo ramo de estudo denominado

Leia mais

Page 1 of 7. http://www2.unifap.br/borges

Page 1 of 7. http://www2.unifap.br/borges Page 1 of 7 Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia Disciplina: Filosofia da Educação II Educador: João Nascimento Borges Filho Teoria

Leia mais

Panorama Econômico e Político da América Latina -Por que a região vai tão bem

Panorama Econômico e Político da América Latina -Por que a região vai tão bem Panorama Econômico e Político da América Latina -Por que a região vai tão bem economicamente? Thomas J Trebat Centro de Estudos Brasileiros Columbia University Junho de 2011 Uma visão mais favorável sobre

Leia mais

O BNDES e o Novo Ciclo de Desenvolvimento

O BNDES e o Novo Ciclo de Desenvolvimento Texto preparado para publicação na Revista do BNDES O BNDES e o Novo Ciclo de Desenvolvimento * Guido Mantega Introdução A economia brasileira iniciou um novo ciclo de desenvolvimento em 2004, quando o

Leia mais

A Política de Segurança e Defesa Nacional Docente: Ten-General Garcia Leandro 2010/2011 2º semestre. Objectivo

A Política de Segurança e Defesa Nacional Docente: Ten-General Garcia Leandro 2010/2011 2º semestre. Objectivo A Política de Segurança e Defesa Nacional 9h 3ECTS Docente: Ten-General Garcia Leandro 2010/2011 2º semestre Objectivo O objectivo desta Cadeira é fornecer aos alunos as ferramentas conceptuais e analíticas,

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SARA HELENA PEREIRA E SILVA

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SARA HELENA PEREIRA E SILVA FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SARA HELENA PEREIRA E SILVA Propriedade intelectual e a alta modernidade: redefinindo o sistema para adequação aos direitos fundamentais Projeto de pesquisa orientado

Leia mais

Desigualdade nas nações avançadas e periféricas: uma visão do liberalismo nos Estados Unidos e na Índia

Desigualdade nas nações avançadas e periféricas: uma visão do liberalismo nos Estados Unidos e na Índia Desigualdade nas nações avançadas e periféricas: uma visão do liberalismo nos Estados Unidos e na Índia Inequality in the Central and Peripheral Nations: A Vision of the Liberalism in the United States

Leia mais

DISCIPLINA OPTATIVA: FUNDAMENTOS DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE DEFESA. 45h/3 créditos

DISCIPLINA OPTATIVA: FUNDAMENTOS DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE DEFESA. 45h/3 créditos DISCIPLINA OPTATIVA: FUNDAMENTOS DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE DEFESA 45h/3 créditos Ementa: A disciplina envolve as seguintes aproximações: a tecnologia e as inovações tecnológicas como instrumentos de defesa

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS EDITAL/UEPB/PRPGP/PPGRI 01/2015 PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais

EDITAL Nº 002/PPGRI/CSE/2015 PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO EM 2016 NO MESTRADO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS

EDITAL Nº 002/PPGRI/CSE/2015 PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO EM 2016 NO MESTRADO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS EDITAL Nº 002/PPGRI/CSE/2015 PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO EM 2016 NO MESTRADO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS A Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais (PPGRI) da Universidade

Leia mais

EDITAL. Processo de Seleção dos Candidatos aos cursos de Mestrado e Doutorado em Relações Internacionais para o ano de 2012

EDITAL. Processo de Seleção dos Candidatos aos cursos de Mestrado e Doutorado em Relações Internacionais para o ano de 2012 EDITAL Processo de Seleção dos Candidatos aos cursos de Mestrado e Doutorado em Relações Internacionais para o ano de 2012 O Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais, San Tiago Dantas, da Unesp

Leia mais

FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E ATUÁRIA PROGRAMA DE ENSINO

FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E ATUÁRIA PROGRAMA DE ENSINO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E ATUÁRIA PROGRAMA DE ENSINO Curso: Economia Ano: 2006 Disciplina: Economia Industrial Código: 629 Créditos: 04 Carga Horária: 60 H/A Professor: Roland

Leia mais

DIREITO ECONÔMICO INTERNACIONAL - DEF 565 (primeiro semestre de 2007) 5 ANO, DIURNO E NOTURNO

DIREITO ECONÔMICO INTERNACIONAL - DEF 565 (primeiro semestre de 2007) 5 ANO, DIURNO E NOTURNO DIREITO ECONÔMICO INTERNACIONAL - DEF 565 (primeiro semestre de 2007) 5 ANO, DIURNO E NOTURNO Responsável: Prof. Dr. Diogo R. Coutinho Monitores: Juliana Marques, Daniel Colombo e Rodrigo Maitto da Silveira

Leia mais

Programa de Mestrado Profissional em Economia Área de Especialização: Finanças [mestradoprofissional@fgv.br]

Programa de Mestrado Profissional em Economia Área de Especialização: Finanças [mestradoprofissional@fgv.br] Programa de Mestrado Profissional em Economia Área de Especialização: Finanças [mestradoprofissional@fgv.br] Disciplina: ESTRATÉGIA FINANCEIRA Professores: RAFAEL SCHIOZER; 1 Semestre de 2008 EMENTA Esse

Leia mais

Uma leitura crítica da teoria do Pós-desenvolvimento

Uma leitura crítica da teoria do Pós-desenvolvimento Uma leitura crítica da teoria do Pós-desenvolvimento Ana Fantasia (CEsA.UL)e Pedro Pereira Leite (CES.UC) Neste trabalho efetuamos uma leitura crítica do artigo Post-development as a concept and social

Leia mais

The Challenges of Global Food Supply Chains Os Desafios da Cadeia Global de Alimentos. David Acheson, MD Leavitt Partners LLC

The Challenges of Global Food Supply Chains Os Desafios da Cadeia Global de Alimentos. David Acheson, MD Leavitt Partners LLC The Challenges of Global Food Supply Chains Os Desafios da Cadeia Global de Alimentos David Acheson, MD Leavitt Partners LLC Outline Esboço Factors Driving Changes Fatores que impulsionam as mudanças Challenges

Leia mais

EMENTA CONTÉUDO. 1. Justificação Epistêmica 1.1 O debate externismo/internismo acerca da justificação epistêmica 1.2 Confiabilismo e justificação

EMENTA CONTÉUDO. 1. Justificação Epistêmica 1.1 O debate externismo/internismo acerca da justificação epistêmica 1.2 Confiabilismo e justificação UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO DE FILOSOFIA DISCIPLINA: TÓPICOS DE EPISTEMOLOGIA: REFLEXÃO E ENTENDIMENTO HORÁRIO: SEGUNDA-FEIRA, DAS 14 ÀS 18h - CARGA-HORÁRIA: 68 h EMENTA Em

Leia mais

7 Referências bibliográficas

7 Referências bibliográficas 7 Referências bibliográficas ACS, Z. J.; AUDRETSCH, D. B. Innovation in large and small firms: an empirical analysis. The American Economic Review, v. 78, n. 4, p. 678-690, 1988. ANTONCIC, B.; HISRICH,

Leia mais

Carla Tomazini Doutoranda em Ciência Política Unicamp/ IHEAL - Paris III carlatomazini@gmail.com

Carla Tomazini Doutoranda em Ciência Política Unicamp/ IHEAL - Paris III carlatomazini@gmail.com 1 ORIGENS E MUDANÇAS DA AÇÃO PÚBLICA: COMPARAÇÃO DOS PROGRAMAS DE TRANSFERÊNCIA DE RENDA NO BRASIL E NO MÉXICO Carla Tomazini Doutoranda em Ciência Política Unicamp/ IHEAL - Paris III carlatomazini@gmail.com

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA DIREITO INTERNACIONAL ECONÓMICO. (Programa e bibliografia geral seleccionada) 5º Ano

FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA DIREITO INTERNACIONAL ECONÓMICO. (Programa e bibliografia geral seleccionada) 5º Ano FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA DIREITO INTERNACIONAL ECONÓMICO (Programa e bibliografia geral seleccionada) 5º Ano Ano Lectivo 2002/2003 Coordenador Prof. Doutor Eduardo Paz Ferreira Regente

Leia mais

Limites Regulatórios do Acesso Fixo sem Fio: possibilidades convergentes para a interatividade de novas mídias

Limites Regulatórios do Acesso Fixo sem Fio: possibilidades convergentes para a interatividade de novas mídias Limites Regulatórios do Acesso Fixo sem Fio: possibilidades convergentes para a interatividade de novas mídias Márcio Iorio Aranha Seminário Direito, Globalização e Sociedade em Rede. Discurso jurídico

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE DIREITO CURSO DE DIREITO DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO BÁSICA E COMPLEMENTAR

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE DIREITO CURSO DE DIREITO DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO BÁSICA E COMPLEMENTAR UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE DIREITO CURSO DE DIREITO DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO BÁSICA E COMPLEMENTAR O BRASIL E OS REGIMES INTERNACIONAIS AMBIENTAIS, COMERCIAIS E DE PROPRIEDADE INTELECTUAL:

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais da UNESP, UNICAMP e PUC-SP EDITAL

Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais da UNESP, UNICAMP e PUC-SP EDITAL Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais da UNESP, UNICAMP e PUC-SP EDITAL Processo de Seleção dos Candidatos ao Mestrado Acadêmico para o ano de 2009 O Programa de Pós-Graduação em Relações

Leia mais

Local & Regional Development. Expanding the positive impacts of mining projects

Local & Regional Development. Expanding the positive impacts of mining projects Local & Regional Development Expanding the positive impacts of mining projects Defining local and regional development Factors: Economic Social Specific to communities Need for ongoing consultations Link

Leia mais

A Região Norte NUT III como valor acrescentado para o desenvolvimento digital da região e o potencial do Porto como Smart city

A Região Norte NUT III como valor acrescentado para o desenvolvimento digital da região e o potencial do Porto como Smart city A Região Norte NUT III como valor acrescentado para o desenvolvimento digital da região e o potencial do Porto como Smart city Amaro Correia, 19492@ufp.edu.pt Doutoramento em Ciências da Informação, SiTeGI,

Leia mais

TEORIA DO CRESCIMENTO ECONÔMICO CMEA 45 horas

TEORIA DO CRESCIMENTO ECONÔMICO CMEA 45 horas Código: ECO009 Disciplina: Curso de Destino: Carga Horária: Período Letivo: TEORIA DO CRESCIMENTO ECONÔMICO CMEA 45 horas Ementa Introdução. Acumulação de fatores: capital físico, população e capital humano

Leia mais

Organização Industrial - 2ª PARTE

Organização Industrial - 2ª PARTE Departamento de Economia PUC-RIO Introdução Organização Industrial - 2ª PARTE Professores: João Manoel Pinho de Mello/Leonardo Rezende jmpm@econ.puc-rio.br jmpm@stanford.edu Nessa segunda parte do curso

Leia mais

CURRICULUM-VITAE. António Manuel Portugal Duarte

CURRICULUM-VITAE. António Manuel Portugal Duarte CURRICULUM-VITAE António Manuel Portugal Duarte Agosto de 2007 Dados Biográficos: Nome: António Manuel Portugal Duarte Data de Nascimento: 06 de Junho de 1970 Filiação: António Manuel Cardoso Duarte e

Leia mais

MESTRADO PROFISSIONAL EM ADMINISTRAÇÃO UNIVERSITÁRIA. Disciplina

MESTRADO PROFISSIONAL EM ADMINISTRAÇÃO UNIVERSITÁRIA. Disciplina CURSO Ano / Semestre 2015/2 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MESTRADO PROFISSIONAL EM ADMINISTRAÇÃO UNIVERSITÁRIA Disciplina CAD310026 - Internacionalização da Educação Superior e Gestão da Cooperação Internacional

Leia mais

ÁREA: Ciências Econômicas Especulação afeta o preço das commodities agrícolas?

ÁREA: Ciências Econômicas Especulação afeta o preço das commodities agrícolas? ÁREA: Ciências Econômicas Especulação afeta o preço das commodities agrícolas? Eduardo Minga 1 Alexandre Florindo Alves 2 José Luiz Parré 3 Dentro do universo das commodities, um de seus subgrupos que

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA UFBA INSTITUTO DE HUMANIDADES, ARTES E CIÊNCIAS PROFESSOR MILTON SANTOS IHAC

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA UFBA INSTITUTO DE HUMANIDADES, ARTES E CIÊNCIAS PROFESSOR MILTON SANTOS IHAC UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA UFBA INSTITUTO DE HUMANIDADES, ARTES E CIÊNCIAS PROFESSOR MILTON SANTOS IHAC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS SELEÇÃO 2016 MESTRADO ACADÊMICO O Programa

Leia mais

Novo programa curricular para 2012-13

Novo programa curricular para 2012-13 Licenciaturas Novo programa curricular para 2012-13 Regras de transição 04.05.2012 Curriculum: Year 1 F S Int. Empresa* Int. Micro** Int. Micro* Int. Empresa** Cálculo I Cálculo II* Estatística** Algebra

Leia mais

Curriculum Vitae Francisca Guedes de Oliveira

Curriculum Vitae Francisca Guedes de Oliveira Curriculum Vitae Francisca Guedes de Oliveira Identificação Pessoal Nome: Francisca Rodrigues Sarmento Guedes de Oliveira Data de Nascimento: 29 de Setembro de 1973 Estado Civil: Casada, 3 filhos Morada

Leia mais

A Sociologia e os Estudos do Turismo: algumas divagações 1 Vera Maria Guimarães 2 Universidade de Caxias do Sul

A Sociologia e os Estudos do Turismo: algumas divagações 1 Vera Maria Guimarães 2 Universidade de Caxias do Sul - 1- V Seminário de Pesquisa em Turismo do MERCOSUL SeminTUR Turismo: Inovações da Pesquisa na América Latina A Sociologia e os Estudos do Turismo: algumas divagações 1 Vera Maria Guimarães 2 Universidade

Leia mais

Proposta de disciplina G3. Ano Lectivo 2003/2004. Economia das Pensões

Proposta de disciplina G3. Ano Lectivo 2003/2004. Economia das Pensões Proposta de disciplina G3 Ano Lectivo 2003/2004 Economia das Pensões Maria Teresa Medeiros Garcia Lisboa, 31 de Março, 2003 1. Justificação Numa fase de grande incerteza quanto à sustentabilidade financeira

Leia mais

Maria da Graça Derengowski Fonseca (IE-UFRJ) Bioeconomia. Apresentação

Maria da Graça Derengowski Fonseca (IE-UFRJ) Bioeconomia. Apresentação Maria da Graça Derengowski Fonseca (IE-UFRJ) Bioeconomia Apresentação A bioeconomia é uma nova área de conhecimento que investiga o impacto que a difusão dos conhecimentos proporcionados pela biologia

Leia mais