PROTÓTIPO SISTEMA DE MARKETING

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROTÓTIPO SISTEMA DE E-MAIL MARKETING"

Transcrição

1 PROTÓTIPO SISTEMA DE MARKETING Alexander Arusievicz Edemar Costa Oliveira < > Orientador Universidade Luterana do Brasil (Ulbra) Curso de Sistemas de informação Câmpus Canoas Av. Farroupilha, 8001 Bairro São José CEP Canoas - RS RESUMO 12 de junho de 2011 O objetivo deste trabalho é projetar e desenvolver um protótipo de uma ferramenta de marketing, que seja prático, rápido e de baixo custo, atendendo assim as principais necessidades no envio de s-marketing a serviço de pequenos sites e blogs. Palavras-chave: marketing; Marketing direto; Desenvolvimento de sistemas; ABSTRACT Title: Prototype system of marketing The objective is to design and develop a prototype of a tool for marketing, that are convenient, fast and low cost, thus meeting the main requirements when sending marketing service to small sites and blogs.. Key-words: marketing; Direct Marketing; systems development; 1 INTRODUÇÃO O mercado de marketing digital está em crescente ascensão. O envio de marketing, que é oferecido por terceiros, tem sido de alto custo e não apresenta a qualidade esperada por conta da baixa visibilidade e de servidores saturados, onde a mensagem não chega a caixa de entrada do destinatário. Serviços terceirizados enviam as mensagens sobre um mesmo domínio para diversos clientes, muitos não utilizam listas de opt-in para o envio, ou seja, os destinatários não solicitaram o recebimento daquela mensagem, caracterizando-a como SPAM e o domínio como SPAMMER, degradando assim a qualidade e credibilidade dos serviços oferecidos. Tendo em vista que o sistema a ser desenvolvido estaria utilizando a mesma infraestrutura onde o site/blog do usuário está hospedado, haverá aumento da visibilidade da mensagem, pois esta estaria sobre o próprio domínio por onde seriam enviados os s. Desta forma haverá um maior aproveitamento dos recursos disponibilizados sobre um domínio de internet, pois esses serviços de estariam ociosos na sua maior parte do tempo. Neste artigo serão apresentadas as tecnologias envolvidas para o desenvolvimento da ferramenta, uma breve contextualização do que é marketing direto e como funciona uma ferramenta de marketing. Além disso, serão propostas soluções para o desenvolvimento da ferramenta em que a principal característica é a fácil utilização com os principais recursos de marketing comercial: contabilização de impressões e cliques, cadastro (opt-in) e descadastro (opt-out) de s, relatórios gerenciais, entre outras funcionalidades. 2 REFERENCIAL TEÓRICO Aqui serão apresentadas as tecnologias envolvidas no projeto de uma maneira clara e objetiva. Assim como uma breve contextualização sobre marketing. Primeiramente, será abordado o NET Framework a versão 4.0, utilizando a linguagem C# para os exemplos. Em seguida, o banco de dados SQLite e após, será contextualizado o marketing abordando os principais conceitos e metodologias que serão utilizados para a solução do problema abordado neste trabalho. 2.1 NET Framework O NET Framework define um ambiente que apóia o desenvolvimento, execução altamente distribuída e aplicações baseadas em componentes. Ele permite que diferentes linguagens de computador 1

2 trabalhem juntas, fornecendo segurança, portabilidade do programa e um modelo comum de programação para a plataforma Windows. Ele se divide em duas entidades muito importantes. A primeira é o Common Language Runtime (CLR), um sistema que gerencia a execução do seu programa. Juntamente com outros benefícios, o CLR é a parte do NET Framework que permite aos programas serem portáteis, oferece suporte a programação em várias linguagens de forma mista e proporciona a execução segura. (SCHILDT, 2010, p. 8) 1. A segunda entidade a class library (biblioteca de classes) "[...] é uma biblioteca de classes, interfaces e tipos incluídos no.net Framework, que permite acesso às funcionalidades do sistema operacional, sendo a base a partir da qual são construídas aplicações NET, componentes e controles. Com essa biblioteca de classes, podemos criar aplicações que executam as mais variadas tarefas, como um software de gestão empresarial, um editor de imagens semelhante ao Photoshop ou, ainda, um website de comércio eletrônico." (LOTAR, 2010). Segundo o mesmo autor, as principais funcionalidades oferecidas pela biblioteca de classes são: representar tipos de dados básicos e exceções; permitir o encapsulamento das estruturas de dados; executar operações de entrada e saída; acessar informações sobre tipo de dados carregados; realizar verificações de segurança; fornecer acesso aos dados e à internet; permitir desenvolver a interface de uma aplicação; permitir o desenvolvimento de aplicações Windows e ASP. NET. A Figura 1 apresenta alguns dos principais frameworks e componentes suportados pelo NET Framework 4.0. Figura 1 - Diagrama NET Framework 4.0. Fonte: (CAMBIUCCI, 2010) 1 Traduzido por Alexander Arusievicz

3 Como podemos ver na Figura 1, observando as camadas do diagrama, as versões anteriores estão umas dentro das outras. Segundo a MICROSOFT (2011), no NET Framework 4, existe a alta compatibilidade com os aplicativos que foram criados com versões anteriores do NET Framework, com exceção de algumas alterações que foram feitas para melhorar a segurança, conformidade com padrões, exatidão, confiabilidade e desempenho. Segundo Saade (2011, p. 15) "O Visual C# (ou apenas C#) é uma linguagem de programação da Microsoft projetada para criar aplicações diversas, tanto para Windows, como para a Web, que são executadas no.net Framework. É uma linguagem simples, moderna, segura quanto a tipos, orientada a objetos e familiar a programadores C, C++ e Java, pois destas herda várias características." Embora herde características dessas linguagens, C# traz novos recursos e conceitos de programação, tais como indexadores, propriedades e delegates. Sendo uma linguagem orientada a objetos, segundo Lotar (2010,p. 32), "[...]podemos criar classes que podem ser utilizadas por outras linguagens, por exemplo, o Visual Basic. Uma característica importante é o fato de ainda ser possível utilizar os componentes COM, facilitando assim uma rápida migração para um ambiente de desenvolvimento de alto nível sem precisar reescrever todas as aplicações que você possui.",ou seja, "[...]o código de C# é compilado como um código gerenciado, isto quer dizer que ele se beneficia dos serviços do Common Language Runtime (CLR), que incluem interoperabilidade de linguagens, garbage collection, segurança e melhor suporte ao controle de versões." (SAADE, 2011, p. 15) A sintaxe utilizada pelo C#, segundo Lotar (2010, p. 32), "[...]é relativamente fácil, o que diminui o tempo de aprendizado. Depois que você entender como funciona, não terá mais motivos para utilizar outra linguagem complicada, pois ela tem o poder do C++ e é simples como o Visual Basic. Por ser uma linguagem orientada a objeto, existe a capacidade de uma classe herdar certas características ou métodos de outras classes, sejam elas escritas em C# ou em VB. Todos os programas desenvolvidos devem ser compilados, gerando um arquivo com a extensão DLL ou EXE. Isso torna a execução dos programas mais rápida se comparados com as linguagens de script (VBScript, JavaScript).[...]". A Figura 2, por sua vez, apresenta um exemplo de método para envio de um com anexo, utilizando a linguagem C#. public static void CreateMessageWithAttachment() { string file = "data.xls";. MailMessage message = new MailMessage( "Quarterly data report.", "See the attached spreadsheet."); Attachment data = new Attachment(file, MediaTypeNames.Application.Octet); ContentDisposition disposition = data.contentdisposition; disposition.creationdate = System.IO.File.GetCreationTime(file); disposition.modificationdate = System.IO.File.GetLastWriteTime(file); disposition.readdate = System.IO.File.GetLastAccessTime(file); message.attachments.add(data); SmtpClient client = new SmtpClient("smtp.server.com"); client.credentials = CredentialCache.DefaultNetworkCredentials; try { } client.send(message); } catch (Exception ex) { } data.dispose(); Figura 2 - Exemplo de método para enviar um com anexo em C# 2.2 SQLite 2 SQLite é um motor de banco de dados SQL embutido (biblioteca). Diferentemente da maioria dos 2 Os trechos deste capitulo foram todos traduzidos dos documentos originais por Alexander Arusievicz 3

4 outros bancos de dados SQL, o SQLite não tem um processo separado no servidor. SQLite lê e escreve diretamente nos arquivos do disco. Um banco de dados SQL completo, o formato do de arquivo do banco de dados é multi-plataforma, ou seja, você pode copiar livremente entre um banco de dados em sistemas 32-bit e 64-bit ou entre arquiteturas diferentes. Estas características tornam SQLite uma escolha popular como um arquivo de aplicação.(sqlite,2011) O SQLite é um sistema de gerenciamento de banco de dados (SGBD) que, segundo Haldar (2007, p.3 ) é diferente dos outros bancos de dados SQL modernos, no sentido de que seu principal objetivo é ser simples, mesmo que isso possa ocasionar implementações ineficientes de alguns recursos, por outro lado é simples de manter, customizar, operar e administrar e principalmente de incorporar em aplicações. Segundo o mesmo autor, o SQLite tem suporte a um grande subconjunto de definições do padrão SQL-92, características de manipulação e alguns comandos específicos dele, onde se pode criar tabelas, índices, triggers (gatilhos) e views (visões) usando padrões SQL. No SQLite o armazenamento de um banco de dados inteiro é em um único arquivo comum e nativo que pode residir em qualquer lugar e diretório do sistema de arquivos nativo do sistema operacional, contudo, qualquer usuário que tenha permissão para ler o arquivo pode ler qualquer informação do banco de dados. Por exemplo: um usuário que tenha permissão de escrita no diretório recipiente pode mudar alguma coisa no banco de dados. É o que afirma Haldar (2007). Para existir a tolerância à falhas ou a possibilidade de transações anuladas, segundo Haldar (2007), o SQLite utiliza um arquivo separado para salvar as informações de recuperação, além de adicionar comandos que ajudam a trabalhar com transações em múltiplos bancos de dados simultaneamente. O SQLite permite que vários aplicativos acessem o mesmo banco de dados simultaneamente. No entanto, ele suporta de forma limitada a simultaneidade entre as operações. Ele permite que qualquer número de transações simultâneas de leitura em um banco de dados, mas apenas uma gravação exclusiva por transação. (HALDAR, 2007) Para integrar o SQLite ao ambiente de desenvolvimento do NET Framework e ter basicamente as mesmas funcionalidades que se teria ao se usar o SQL Server, deve ser usado um Data Provider (provedor de dados no NET Framework) e deve ser referenciado ao projeto onde será utilizado o SQLite onde segundo Simpson (2010) O System.Data.SQLite é o motor original banco de dados SQLite em um completo Data Provider ADO.NET 2.0/3.5. Este Data Provider, conforme o mesmo autor, foi escrito do zero utilizando o visual Studio 2005 e o 2008 com as especificações para o ADO.NET 2.0, utilizando-se de todas as novidade dele. Isso inclui suporte a DbProviderFactory completo, inscrição automática de transação distribuída, pool de conexões, suporte a extensive schema e Entity Framework. Haldar afirma que o SQLite é um SGBD de sucesso. Ele tem sido amplamente usada em pequenas e médias aplicações de banco de dados, tais como serviços de Web (SQLite trabalha bem com até 100 mil acessos por dia, a equipe de desenvolvimento do SQLite demonstrou que SQLite podem até resistir a um milhão de visitas por dia), telefones celulares, PDAs, set-top boxes, aparelhos autônomos Marketing O , com a propagação da internet como meio de comunicação, tornou-se uma forma simples, de fácil acesso e rápida de se comunicar. Desta forma, surge o problema das caixas de entrada lotadas de informações indesejadas e incômodas que não foram solicitadas. O marketing é "[...] a mais poderosa ferramenta de marketing direto e, quando usado corretamente, pode aumentar as vendas, construir relacionamento com os clientes e melhorar a imagem de marca da empresa. [...]" (ASSIS, 2003, p. 11). Ou segundo Gun e Queiroz (2008, p. 4) o que poderíamos chamar de "novo" marketing direto, também conhecido como marketing de relacionamento. Marketing Direto é "[...]um sistema de marketing interativo que usa um ou mais meios de comunicação para provocar uma resposta ou transação mensuráveis em qualquer local.[...]" (KOTLER e KELLER, 2006, p. 630). E "[...] a disciplina de Marketing cuja comunicação se utiliza de uma ou mais mídias para obter uma resposta ou transação mensurável junto a públicos específicos, ou simplesmente gerar uma ação de 4

5 relacionamento que gere encantamento junto ao público visado[...]". (ABEMD, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MARKETING DIRETO, 2007). No caso do marketing, é possível atingir o público específico e mensurar com facilidade os resultados de uma ação. "[...] ações de marketing direto têm como foco obter uma resposta direta e por isso, sempre estimulam o usuário a realizar uma ação (call-to-action). Para isso sempre é disponibilizado um mecanismo de resposta, como carta-resposta, número de telefone ou link para um site.", "[...]como a resposta é direta, é possível mensurar com boa precisão os resultados e, principalmente, a origem deles [...]" (GUN e QUEIROZ, 2008). "O marketing direto pode utilizar de diversas mídias, desde que permitam a adoção do conceito de resposta direta, ou seja, ações promocionais que possibilitem a mensuração efetiva e imediata de seus resultados e a aproximação de uma pessoa ou grupo, sem dispersões." (AGUSTINI, 2002, p. 56) Com as definições acima, pode-se perceber que marketing direto consiste em gerar uma resposta direta, de forma mensurável. Contudo, existem também outras características importantes que, segundo Gun e Queiroz (2008), são: Proatividade: Ao contrário das formas tradicionais de marketing, o marketing direto vai em busca do público alvo em vez de esperar por ele. Um site, por exemplo, é passivo em sua essência, pois depende de que o cliente digite o endereço para acessá-lo, enquanto que uma ação de marketing vai em busca do seu cliente. Ou seja, apresenta uma postura proativa. (GUN e QUEIROZ, 2008). Segmentação: Essas ações, normalmente, [...] são baseadas em banco de dados de contatos. Dessa forma, é possível segmentar a comunicação, oferecendo conteúdo relevante apenas para quem realmente se interessa. Uma mensagem pode ser segmentada por sexo, faixa etária, cidade, etc.[...]" (GUN e QUEIROZ, 2008). Personalização: "De acordo a quantidade de informações disponíveis no banco de dados, é possível até fazer uma comunicação individualizada e personalizada. Ações de marketing realizadas de forma individualizada e personalizada são conhecidas como marketing one-toone (um para um), conceito popularizado por Don pepper e Martha Roggers, sócios fundadores da consultoria em gestão Peppers & Rogers Group." (GUN e QUEIROZ, 2008) Segundo (GUN e QUEIROZ, 2008, p. 18) "a comunicação por apresenta os seguintes benefícios: autonomia, velocidade, economia, cadastro e viralidade". Através do marketing as empresas podem gerenciar de maneira autônoma as ações. Diferentemente de outras mídias, pode-se précadastrar modelos de layouts de newsletters (boletins de notícias) de modo que só seja necessário preencher o seu conteúdo. Desta forma a empresa se torna autônoma, já que não depende de fornecedores terceirizados. Outro fator que pode ser considerado diferencial no marketing é a velocidade. Em pouco tempo, após o envio, o destinatário já recebeu a mensagem, possibilitando planejar e executar uma ação de e- mail marketing em poucos minutos, surpreendendo o destinatário. "O é uma das formas de comunicação mais difundidas hoje. Pode-se acessar pessoas de todo o mundo com simplicidade e rapidez; pode-se enviar todo o tipo de arquivos eletrônicos, e os recursos para edição dos textos estão cada vez melhores." (MATTOS, 2010, p. 214) Nada adianta ter autonomia para criação com velocidade na entrega se não existe uma boa relação custo/benefício. Na comunicação por os custos de envio são reduzidos, pois são eliminadas despesas com impressão e o processo de fulfillment 3 é simplificado. Já o cadastro é bastante facilitado, pois para tal é necessário apenas o , mas vale lembrar que para a segmentação e personalização ocorra é preciso mais informações do destinatário, desta forma ele poderá receber apenas informações convenientes a si e de seu possível interesse. Também pode ocorrer um fenômeno chamado "viralidade" que ocorre pela facilidade de 3 Fulfillment - "Resposta a logística que está por trás de uma campanha de marketing direto. Esse processo envolve a administração de materiais, como recebimentos, contagens e envio de peças. Também é responsável pelo manuseio de malas diretas, questionários, cartas personalizadas, envios e recebimentos de produtos/ amostras, impressão de cartas personalizadas, digitação de dados(formação de banco de dados) e controle de retorno de correspondências." (GUN e QUEIROZ, 2008, p. 20) 5

6 se encaminhar um a outra pessoa, pois ninguém costuma bater à porta do vizinho para entregar uma mala direta interessante que recebeu, desta forma o acaba por se espalhar como vírus, é o que Gun e Queiroz (2008) afirmam. Atualmente o spam é a maior ameaça ao marketing legítimo, pois esta "[...] prática somente aborrece o usuário, sobrecarrega os servidores dos provedores e causa efeito contrário ao desejado por quem adota o marketing legitimo." (GUN e QUEIROZ, 2008, p. 42). O termo spam, segundo Pinker (2007, p. 30), surgiu da seguinte forma: "[...]Spam não é, como acreditam alguns, uma sigla para "Short, Pointless as annoying Messages"[mensagens curtas, inúteis e irritantes]. A palavra está, sim, relacionada ao nome do tipo de embutido vendido pela Hormel desde 1937, uma fusão de "spiced ham"[presunto picante].mas como ela passou a se referir a convites por para aumentar o tamanho do membro masculino e para dividir os lucros ilícitos de déspotas africanos depostos? Muita gente supõe que o caminho tenha sido a metáfora.como o presunto, o é barato, abundante e indesejado, e, numa variação dessa etimologia folclórica, spamming é o que acontece quando se joga spam no ventilador. Embora essas intuições possam ter ajudado a tornar a palavra contagiosa, a origem dela é bem diferente. Ela foi inspirada por um esquete do programa de televisão Flyin Circus, do grupo Monty Python, em que um casal entra num café e pergunta a garçonete (um dos integrantes do Python vestido de mulher) o que há de disponível. Ela responde: Bom temos ovo e bacon; ovo com lingüiça e bacon; ovo e spam; ovo com bacon e spam; ovo com bacon e lingüiça e spam; spam com bacon e lingüiça e spam; ovo com spam, spam, spam [...]". Segundo o autor, isso mudou a língua inglesa. A repetição automática da palavra spam acabou inspirando hackers do final dos anos 1980 a usá-la como verbo para inundar grupos de discussão com mensagens idênticas e após uma década ela se disseminou de sua subcultura para a população em geral. O spam é uma mensagem eletrônica não solicitada enviada em massa, pois não se limita mais ao e- mail e mensagens em grupos de discussão, também está presente em mensagens de celular (SMS), mensageiros instantâneos, recados em redes sociais e blogs. Por isso a adoção de um termo mais genérico "mensagem eletrônica". Assim, o principal problema é que ele põe em dúvida a confiabilidade do como ferramenta de comunicação como defendem (GUN e QUEIROZ, 2008). Com o aumento do volume de spam, os provedores são obrigados a criar cada vez mais filtros para bloquear as mensagens indesejadas. Como resultado dessas políticas, muitas mensagens legítimas acabam sendo bloqueadas quando confundidas como spam, não sendo entregues aos destinatários. Essa questão é mais grave em s transacionais, que são s automáticos enviados por empresas para informar, por exemplo: a confirmação de compra de um produto ou da chegada de um produto. Se o não chega, o usuário pode acabar refazendo uma compra que já realizou (GUN e QUEIROZ, 2008, p. 46). Conforme os mesmos autores, existem inúmeras estratégias para otimizar a entrega de uma newsletter, por exemplo, aos destinatários, sem que sejam confundidas pelos filtros anti-spam, entretanto, essas técnicas também são praticadas pelos spammers profissionais. A única forma de realmente se diferenciar e praticando o marketing de permissão. "A década atual já é conhecida como a era do marketing interativo e de permissão, em que o objetivo e criar um dialogo com prospects(possíveis clientes) e clientes, baseado na permissão prévia.primeiro conquiste a atenção deles, depois apresente uma oferta realmente interessante e que possa adicionar valor ao relacionamento empresa-cliente. esta nova era requer uma completa integração do marketing mix,mas o seu ambiente favorito é a web e sua ferramenta preferida é, obviamente, o ." (ASSIS, 2003, p. 14) No marketing tradicional se busca interromper a atenção do consumidor através da exibição de propagandas, por exemplo: a leitura de uma revista é interrompida por uma página de anúncio; o programa de televisão é interrompido pelos comerciais; até mesmo a navegação na internet muitas vezes é interrompida por uma propaganda em pop-up. Em contrapartida, o marketing de permissão prega que antes de fazer a comunicação, é preciso pedir permissão ao consumidor para se comunicar com ele. E, de preferência, com os dados dele em mãos, pois assim pode-se fazer uma abordagem mais personalizada e relevante. O marketing de permissão não é um novo tipo de marketing e sim uma nova abordagem que o marketing direto deve passar a ter. Onde "[...] o marketing de interrupção é ideal para aquisição e o marketing de permissão para a retenção." (GUN e QUEIROZ, 2008, p ). A regra geral para o marketing de permissão é o consentimento do usuário em receber as mensagens, seja ele explícito ou implícito como afirmam (GUN e QUEIROZ, 2008). O consentimento explicito ocorre 6

7 quando há uma prévia e comprovada autorização do destinatário. Por exemplo, quando um usuário se cadastra em um site e opta por receber a newsletter. Quanto ao consentimento implícito pode ocorrer de várias maneiras: Quando há uma prévia e comprovada relação pessoal ou profissional entre o remetente e o destinatário; quando é remetido por qualquer entidade legalmente constituída, exclusivamente aos respectivos membros e/ou associados; quando é remetido pelos provedores de acesso ou conteúdo a seus usuários com a finalidade de transmissão de quaisquer avisos que digam respeito à prestação de serviços, que constitui o objetivo da relação comercial a prestação de serviços entre uns e outros. Nestes casos o destinatário não demonstrou interesse em receber, no entanto há um consentimento implícito por serem clientes, associados ou assinantes, têm interesse em receber o conteúdo. Contudo, essa forma de consentimento é bastante subjetiva e passível de muitos questionamentos. Na dúvida, o consentimento explicito é o mais adequado, é o que afirmam Gun e Queiroz(2008). Mas para pedir permissão, foi visto anteriormente que não existe uma regra, a única orientação é que ela precisa ser feita antes do início da comunicação, como sugerem os autores. No entanto, existem duas abordagens para o marketing que são o opt-out e o opt-in, que por sua vez se divide em duas subcategorias que são o single opt-in (opt-in simples), que é quando o usuário se cadastra e já passa a receber as informações e o double opt-in (opt-in duplo) onde, ao se cadastrar, o usuário recebe automaticamente um , para clicar em um link e confirmar o interesse e assim passar a receber as informações. Quanto ao opt-out os autores não recomendam o uso, pois nele a primeira mensagem é enviada mesmo sem o consentimento do usuário o que, sem dúvida, é spam. Na mensagem enviada é acrescentando um link para o descadastro, ou seja, se o usuário não se descadastrar ele passa a receber a informação. Ao iniciar uma ação de marketing, o levantamento do mailing (banco de dados/lista com e- mails e outras informações dos destinatários) é a principal dificuldade. Pois, como vimos anteriormente, uma lista construída com onde os destinatários não deram sua explicita autorização para o envio, não trará um bom retorno. A informação básica do mailing é o , mas para que ocorra a personalização e segmentação são necessários mais informações do destinatário. A coleta dessas informações normalmente é feita através de formulários, e "[...]quanto maior a quantidade de informação dos assinantes, maior a possibilidade de segmentação. Entretanto, um formulário complexo pode desestimular o preenchimento. É preciso buscar o equilíbrio, de modo que seja possível fazer segmentações básicas, sem criar uma barreira para o usuário." (GUN e QUEIROZ, 2008, p. 80). As formas de segmentações mais comuns segundo Gun e Queiroz (2008) são a geográfica (país, estado, cidade, bairro), demográfica (idade, sexo, escolaridade, ocupação), psicográfica (estilo de vida, personalidade, atividades e opiniões) e comportamental (disposição para comprar, motivação e atitude). Sendo as duas últimas poucos utilizadas, pois há dificuldades em captar essas informações. Para que a personalização possa ocorrer, a variável mais relevante é o nome do destinatário. Como vimos nas definições de marketing direto, a mensuração é uma de suas principais características, e o marketing oferece métricas detalhadas em tempo real. Existem cinco métricas básicas que são: entrega, abertura, clique, conversão e descadastro. Entrega:Segundo Gun e Queiroz (2008, p.156), não é possível confirmar a entrega, por isso se utiliza um artifício de identificar os s que não foram entregues e subtrair do total de enviados. A mensagem não pode ser entregue por alguns motivos: Endereços de inválidos, endereços de retornados e bloqueio Anti-Spam.Sendo o ultimo de difícil mensuração, pois nem sempre os servidores enviam uma mensagem de retorno. Abertura: Segundo os mesmos autores a contabilização da abertura se dá através de uma imagem invisível(conhecida como web beacon) que é inserida quando a mensagem é enviada.quando essa imagem é carregada, a contabilização é realizada. E alertam que para tal ocorrer a mensagem deve estar no formato HTML e o destinatário autorizar o carregamento das imagens no , pois nem todos os programas leitores permitem o carregamento automático. Clique: Cada link que existe em uma mensagem de marketing é modificada pela ferramenta de marketing para apontar para o servidor do sistema, onde depois será redirecionado para o endereço de destino de fato. (GUN e QUEIROZ, 2008, p. 162) Conversão: Seja qual for o objetivo esperado, é necessário rastrear as atividades do usuário 7

8 após o clique nos links da mensagem para ter como analisar se houve conversão em vendas, o preenchimento de um formulário, ou em qualquer outro objetivo proposto. (GUN e QUEIROZ, 2008) Descadastro: Relembrando a importância da prática do marketing de permissão, é importante sempre disponibilizar um link na mensagem para ser realizado o descadastro (opt-out). E, diferentemente dos outros link da mensagem, esse deve ser monitorado com um índice especifico e o que sugerem (GUN e QUEIROZ, 2008, p. 163) 2.4 Ferramentas existentes Em busca na internet por ferramentas comerciais, foram encontradas inúmeras delas. Em sua maioria são comercializadas como serviço, ou seja, é preciso contratar pacotes que são cobrados pela quantidade de s enviados. Foram selecionadas duas dessas ferramentas para análise, que julgou-se mais relevantes ao contexto deste trabalho. Na Figura 3, pode ser visualizada a tela inicial de uma ferramenta de marketing, o Easy Mailing. Figura 3 - Ferramenta Easy Mailing Como pode ser visto na imagem acima, é a ferramenta de marketing comercializada como serviço oferecido pela Dinamize Informática, nomeada Easy Mailing. Essa ferramenta dispõem de quase todas as funcionalidades apontadas por (GUN e QUEIROZ, 2008) no capítulo anterior: criação de grupos de destinatários para facilitar a segmentação; relatórios de visualização, clique e entrega; cadastro de templates; importação de contatos. Contudo, há outras ferramentas, como o manager, que também é comercializada como serviço pela ecentry, porém esta ferramenta tem alguns diferenciais alem das funcionalidades já citadas, como a mensuração de geolocalização, ou seja, pode-se saber em qual país, estado e cidade em que a mensagem foi visualizada, Relatório de Denúncias de spam no YahooMail e Hotmail e integração com redes sociais neste caso Twitter e Facebook. 2.5 Linguagem UML A linguagem Unified Modeling Language (UML) utiliza conceitos fundamentais de orientação a 8

9 objeto, visando a harmonia entre método e utilização prática para cobrir o ciclo de vida do desenvolvimento onde os principais diagramas que o compõem são: 3 METODOLOGIA Casos de Uso (BOOCH, RUMBAUGH e JACOBSON, 2005) - A finalidade do diagrama de casos de uso fornece um modo de apresentar a visão externa do sistema e suas interações com o mundo exterior, representando uma visão de alto nível da funcionalidade do sistema mediante uma requisição do usuário; Seqüência (BOOCH, RUMBAUGH e JACOBSON, 2005) - é o diagrama de interação que enfatiza a ordem temporal das trocas de mensagens. Um objeto é mostrado como uma caixa na parte superior de uma linha tracejada vertical, chamada de linha de vida, que representa a vida do objeto durante a interação. Cada mensagem é representada por uma flecha entre as linhas de vida de dois objetos. A ordem na qual estas mensagens ocorrem é mostrada da parte superior a parte inferior; Classe (BOOCH, RUMBAUGH e JACOBSON, 2005) - Neste diagrama são apresentadas as classes e as relações entre ocorrências e classes. O diagrama de classes mostra atributos e operações de uma classe e as restrições na maneira com que os objetos são conectados; A metodologia definida para o desenvolvimento deste trabalho envolverá conhecimentos já adquiridos ao longo da graduação com apoio em pesquisa bibliográfica para entender quais as necessidades atuais em marketing e quais os principais problemas identificados, para buscar soluções no próximo passo que será o desenvolvimento do sistema de marketing. Para o desenvolvimento do protótipo da ferramenta, será efetuado um levantamento de requisitos baseados no capítulo referencial teórico, onde serão definidas de forma macro todas as funcionalidades necessárias, em seguida será feito o uso de uma metodologia baseada em UML 2.0, permitindo a estruturação, detalhamento e especificação dos requisitos levantados na fase anterior, onde serão utilizados os seguintes diagramas: Caso de uso; Seqüência; Entidade relacionamento; O sistema necessitará de um banco de dados para organizar e reter as informações. Será utilizado um banco de dados relacional e sua modelagem entidade relacionamento (ER) que demonstra os relacionamentos das tabelas que compõe o banco (CHEN, 1990). A ferramenta de marketing será desenvolvida utilizando os recursos do NET Framework 4.0 e a linguagem C#(C Sharp) para a sua codificação, o banco de dados SQLite será usado para o armazenamento dos dados e através do uso de UML2.0 serão detalhados os requisitos. Sendo dividido em três módulos básicos: Gerencial: Responsável, como o próprio nome já diz, pela parte de interação com o usuário, configurações do sistema, cadastros e descadastros de , e relatórios gerenciais. Back-End: Serviço responsável pelo envio dos s propriamente dito e mensuração de entrega. Front-End: Serviço web responsável por contabilizar as visualizações, cliques, opt-in duplo e descadastros. Inicialmente, foram levantados os requisitos do sistema com o auxílio da ferramenta de modelagem Astah Community, onde foram gerados os diagramas de caso de uso e de seqüência. Após, criou-se o modelo entidade relacionamento do banco de dados da aplicação. 3.1 Diagrama casos de uso O diagrama de caso de uso foi utilizado por permitir a visualização das funcionalidades do sistema e seus atores. A Figura 4, logo abaixo, mostra o diagrama de caso de uso do modulo gerencial e seus vínculos com os outros subsistemas. 9

10 Figura 4 - Diagrama Caso de uso modulo gerencia No diagrama acima são demonstradas as funcionalidades disponíveis no modulo gerencial ao administrador do sistema, onde os requisitos funcionais são: Cadastrar destinatário: Cadastrar, alterar e remover os destinatários. Agrupar destinatários: Possibilita a criação, alteração e remoção de grupos de destinatários. Disparar envio de Realiza o envio dos s aos grupos de destinatários de uma campanha. Relatório entrega: Relatório de mensuração da entrega de . Relatório visualizações: Relatório de mensuração dos visualizados. Relatório cliques: Relatório de mensuração dos links clicados. Relatório descadastro: Relatório de mensuração de opt-out. Relatório Opt-In duplo: Relatório de mensuração de opt-in duplo. Cadastrar template 4 : Cadastro, alteração e remoção de templates HTML 5. Cadastrar campanha 6 : Cadastro, alteração e remoção de campanhas. A figura 5 demonstra o diagrama de caso de uso do modulo Front-End, que é o módulo que interage com os destinatários do sistema de forma transparente, ou seja, o usuário interage com o sistema sem saber da existência do mesmo, como por exemplo, quando se clica em um link em uma mensagem de marketing. 4 Template ou "modelo de documento" é um documento sem conteúdo, apenas com a apresentação visual. 5 HTML (acrônimo para a expressão inglesa HyperText Markup Language, que significa Linguagem de Marcação de Hipertexto) é uma linguagem de marcação utilizada para produzir páginas na Web. 6 Campanha é o termo utilizado por profissionais da área de publicidade para explicar o conjunto de anúncios dentro de um único planejamento para um determinado anunciante.

11 3.2 Diagrama de seqüência Figura 5 - Diagrama caso de uso modulo Front-End Os diagramas de seqüência foram utilizados para detalhar o funcionamento de algumas das funcionalidades mais relevantes da ferramenta. Como pode ser visto na Figura 6 o funcionamento do modulo "Back-End" responsável pela codificação das urls e pelo envio dos s aos destinatários cadastrados no sistema. Figura 6 - Diagrama de seqüência Modulo "Back-End" Como visto no diagrama acima o disparo do envio é feito de forma assíncrona, ou seja, trabalha de forma independente dos outros módulos da ferramenta. Uma vez disparado o envio é buscada as informações da campanha que por sua vez contem as informações de qual template utilizar e para quais destinatários serão enviados os s, após é feita à codificação das urls para cada destinatário de modo que torne possíveis as mensurações de abertura, clique, opt-in e opt-out. São realizados o envio das mensagens propriamente dito e, logo após o envio, os s rejeitados por algum motivo são marcados como rejeitados e é realizada a contabilização de envio usando a técnica de subtrair o numero de rejeitados do total de s enviados, mencionada no referencial teórico anteriormente e assim é realizada a

12 mensuração de entrega. A Figura 7 mostra os detalhes de como é realizada a mensuração de abertura de uma mensagem. Figura 7 - Diagrama seqüência mensuração abertura de Quando uma mensagem de em formato HTML é aberta (ver Figura 7), existirá uma imagem invisível conhecida como web beacon que foi inserida no envio. Quando essa imagem é carregada, a contabilização é realizada, mas para tal ocorrer, o destinatário deve autorizar o carregamento das imagens no , pois nem todos os programas leitores permitem o carregamento automático. Na Figura 8 pode ser visto o diagrama de como é realizado um Opt-out(descadastro). Figura 8 - Diagrama de seqüencia mensuração de Opt-Out A figura acima mostra o que ocorre quando o destinatário clica no link de descadastro da mensagem, após realizar o clique é feita uma requisição ao servidor onde é identificado qual usuário está solicitando a operação e é registrado que ele não deseja mais receber as mensagens na sua caixa de , sendo concluído o opt-out é exibida uma mensagem de sucesso. A Figura 9 demonstra como é realizada a mensuração do clique em um link da mensagem. Figura 9 - Diagrama de seqüência mensuração de clique No diagrama acima pode ser visualizado de maneira detalhada como é mensurado um clique em um link, após o clique é identificado qual destinatário esta clicando e em qual link ele clicou, essas informações são mensuradas e o usuário é redirecionado para o destino do link original.

13 3.3 Modelo entidade relacionamento Para esta etapa, foi utilizado o modelo entidade relacionamento a fim de levantar todas as tabelas necessárias para o sistema. O mesmo também servirá de base para a criação do banco de dados do sistema. Figura 10 - Modelo entidade relacionamento A Figura 10 permite verificar as tabelas do sistema e seus relacionamentos. A tabela mais importante é a "campaign", que representa as campanhas. Essa tabela é responsável por associar um template de mensagem a grupos de destinatários que serão enviadas as mensagens. A tabela "contab_item" representa as mensurações realizadas pelo módulo Front-End onde a coluna "tp_action_id" define qual tipo de mensuração foi feita. A tabela "user" representa os usuários administradores, ou seja, armazena os nomes de usuários e suas senhas no sistema. 4 CRONOGRAMA Abaixo segue o cronograma para as atividades do Trabalho de Conclusão do Curso I. Atividade Março Abril Maio Junho Reunião Inicial Elaboração da Proposta Entregas da Proposta Revisão Bibliográfica Elaboração do Artigo Conclusão do Artigo Entrega do Artigo 5 CONCLUSÃO Analisando alguns problemas que são encontrados atualmente nas ferramentas mais utilizadas de e- mail marketing e levando em conta aspectos relacionados às tecnologias estudadas ao longo da graduação, o objetivo desde trabalho é preparar para o desenvolvimento do protótipo usando a teoria, metodologia e solução de problemas apresentados ao longo do estudo. Desta forma, este protótipo irá tornar dispensável a necessidade de contratar serviços de terceiros para envio de marketing, obtendo assim uma singela redução nos custos de envio, além de um ganho na visibilidade e qualidade na entrega. Nesta fase tornam-se necessários testes para mensurar esses ganhos, tanto em diminuição de custos como em visibilidade e qualidade, para tal serão realizados testes comparativos usando a ferramenta desenvolvida e alguns dos serviços oferecidos por terceiros. 13

14 Os conceitos de marketing direto e do marketing como ferramenta de marketing direto dão embasamento teórico, possibilitando um desenvolvimento que vai além dos conhecimentos técnicos, pois também se apóia nas teorias e em estudos que revelam quais as principais necessidades de hoje quando o assunto é marketing. 14

15 REFERÊNCIAS ABEMD, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MARKETING DIRETO. Terminologia Relacionadas aos Serviços de Marketing Direto. Portal ABEMD, Disponivel em: <http://www.abemd.org.br/diretrizes/>. Acesso em: 17 Abril AGUSTINI, A. M. V. E. C. A. D. E-marketing: para bens de consumo durável. [S.l.]: FGV, p. ASSIS, G. Guia De Marketing. [S.l.]: IBRASA, p. BOOCH, G.; RUMBAUGH, J.; JACOBSON, I. UML Guia do Usuário. Segunda. ed. [S.l.]: campus, p. CAMBIUCCI, W..NET Framework 4 Novos Recursos para Novas Aplicações. MSDN Blogs, Disponivel em: <http://blogs.msdn.com/b/wcamb/archive/2010/06/07/net-framework-4-novos-recursos-paranovas-aplica es.aspx>. Acesso em: 24 abr CHEN, P. Modelagem de Dados A Abordagem Entidade-Relacionamento para Projeto Lógico. São Paulo: McGraw-Hill, p. GUN, M.; QUEIROZ, B. Estratégia de Marketing. Rio de Janeiro: BRASPORT, p. HALDAR, S. Inside SQLite. [S.l.]: O'Reilly, p. KOTLER, P.; KELLER, K. L. Administração de Marketing. São Paulo: Person, LOTAR, A. Como Programar com ASP.NET e C# - 2ª Edição. São Paulo: Novatec Editora Ltda., p. MATTOS, A. N. D. Informação é Prata,Compreensão é Ouro. [S.l.]: Alessandro Nicoli de Mattos, p. MICROSOFT CORPORATION. Visão geral conceitual do.net Framework. MSDN, Disponivel em: <http://msdn.microsoft.com/en-us/library/zw4w595w.aspx>. Acesso em: 24 Abril MICROSOFT CORPORATION. What's New in the.net Framework 4. MSDN Library, Disponivel em: <http://msdn.microsoft.com/en-us/library/ms aspx>. Acesso em: 24 abr PINHEIRO, J. M. S. O Retorno do Investimento em Projetos de Redes. Projeto de redes, 18 fevereiro Disponivel em: <http://www.projetoderedes.com.br/artigos/artigo_roi.php>. Acesso em: 09 abril PINKER, S. Do Que É Feito O Pensamento. São Paulo: Editora Companhia das Letras, p. SAADE, J. C# Guia do Programador. São Paulo: Novatec Editora Ltda., p. SCHILDT, H. C# 4.0: The Complete Reference. New York: The McGraw-Hill Companies., p. SIMPSON, R. About. SQLite, Disponivel em: <http://sqlite.phxsoftware.com/>. Acesso em: 25 abr

Manual de Boas Maneiras no E-mail Marketing

Manual de Boas Maneiras no E-mail Marketing Manual de Boas Maneiras no E-mail Marketing Conheça alguns cuidados que você precisa ter quando elaborar suas campanhas de e- mail marketing. A MailSender elaborou para você um breve manual com as melhores

Leia mais

Checklist para ações de E-mail Marketing

Checklist para ações de E-mail Marketing Checklist para ações de E-mail Marketing Os tópicos abordados neste checklist são úteis antes de começar e depois de concluir o desenvolvimento de uma mensagem de email marketing, pois abrange desde os

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA)

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA) SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA) Alessandra Lubbe 1 Alexandre Evangelista 2 Jeandro Perceval 3 José Ramiro Pereira 4 Luiz Gustavo Mahlmann 5 RESUMO

Leia mais

Checklist para ações de email marketing

Checklist para ações de email marketing Checklist para ações de email marketing Publicado em: 15/01/2008 Planejamento Quais os objetivos da campanha (atrair mais visitantes ao site, aumentar as vendas de produtos, conquistar a fidelidade dos

Leia mais

9.1. A Net Server Brasil Hospedagem de Sites possui uma política de tolerância zero em relação a e-mails comerciais não solicitados.

9.1. A Net Server Brasil Hospedagem de Sites possui uma política de tolerância zero em relação a e-mails comerciais não solicitados. 9. POLÍTICA ANTI-SPAM 9.1. A Net Server Brasil Hospedagem de Sites possui uma política de tolerância zero em relação a e-mails comerciais não solicitados. 9.2. Ao utilizar os nossos serviços você se compromete

Leia mais

Manual do Instar Mail Sumário

Manual do Instar Mail Sumário Manual do Instar Mail Sumário 1 - Apresentação do sistema... 2 2 - Menu cliente... 2 3 - Menu Importação... 5 4 - Menu Campanhas... 9 5 - Menu banco de arquivos... 16 6 - Menu agendamento... 16 7 - Menu

Leia mais

Web & Marketing Digital

Web & Marketing Digital Web & Marketing Digital MANUAL DE UTILIZAÇÃO EMAIL MARKETING 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 1.1. ESTRUTURA DO SISTEMA...PG 03 2. CONTATOS...PG 04 2.1. CRIANDO LISTA DE CONTATOS...PG 04 2.2. IMPORTANDO LISTA DE

Leia mais

Serviço Público Federal Conselho Regional de Corretores de Imóveis Estado de São Paulo

Serviço Público Federal Conselho Regional de Corretores de Imóveis Estado de São Paulo 1. OBJETO ANEXO VII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 047/2013 TERMO DE REFERÊNCIA Contratação de empresa para a prestação de serviço de gerenciamento de campanhas de comunicação e marketing via correio eletrônico,

Leia mais

19/05/2009. Módulo 1

19/05/2009. Módulo 1 ASP.NET Módulo 1 Objetivo Mostrar os conceitos fundamentais da plataforma Microsoft.Net e suas ferramentas; Apresentar os conceitos fundamentais de aplicações web e seus elementos; Demonstrar de forma

Leia mais

Guia do Programador Joel Saade

Guia do Programador Joel Saade C# Guia do Programador Joel Saade Novatec Copyright 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução desta obra, mesmo parcial,

Leia mais

Marketing digital NARCISO SANTAELLA

Marketing digital NARCISO SANTAELLA Marketing digital 1 Introdução As agências de publicidade recorrem ao marketing digital para conquistar o público que hoje tem na web uma das principais fontes de informação. Utilizar todos os recursos

Leia mais

VOCÊ SABE O QUE É E-MAIL MARKETING? [[ ][ Aprenda como funciona e quais resultados você pode obter

VOCÊ SABE O QUE É E-MAIL MARKETING? [[ ][ Aprenda como funciona e quais resultados você pode obter VOCÊ SABE O QUE É E-MAIL MARKETING? [[ ][ Aprenda como funciona e quais resultados você pode obter Vivemos a era do conteúdo na Internet. Um e-mail com o conteúdo certo, distribuído às pessoas certas é

Leia mais

Histórico da Revisão. Versão Descrição Autor. 1.0 Versão Inicial

Histórico da Revisão. Versão Descrição Autor. 1.0 Versão Inicial 1 of 14 27/01/2014 17:33 Sistema de Paginação de Esportes Universitários Documento de Arquitetura de Software Versão 1.0 Histórico da Revisão Data 30 de novembro de 1999 Versão Descrição Autor 1.0 Versão

Leia mais

SISTEMA PARA CONTROLE DE RESERVA DE EQUIPAMENTOS MULTIMEIOS E AMBIENTES DE APRENDIZAGEM

SISTEMA PARA CONTROLE DE RESERVA DE EQUIPAMENTOS MULTIMEIOS E AMBIENTES DE APRENDIZAGEM SISTEMA PARA CONTROLE DE RESERVA DE EQUIPAMENTOS MULTIMEIOS E AMBIENTES DE APRENDIZAGEM Marcelo Karpinski Brambila Acadêmico em Sistemas de Informação Universidade Luterana do Brasil Guaíba mkbrambila@connect-rs.com.br

Leia mais

SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO

SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO Marcelo Karpinski Brambila 1, Luiz Gustavo Galves Mahlmann 2 1 Acadêmico do Curso de Sistemas de Informação da ULBRA Guaíba < mkbrambila@terra.com.br

Leia mais

Agenda. 1 Absoluto Web. 2 - E-mail Marketing. - quem somos

Agenda. 1 Absoluto Web. 2 - E-mail Marketing. - quem somos E-mail Marketing Agenda 1 Absoluto Web - quem somos Você irá ver nas próximas páginas: 2 - E-mail Marketing - o que é - nossa base - vantagens - nossa base - tipos de e-mail marketing - teste, envio e

Leia mais

PRINCIPAIS VANTAGENS E BENEFÍCIOS DA MAILRELAY

PRINCIPAIS VANTAGENS E BENEFÍCIOS DA MAILRELAY Mailrelay O melhor sistema de e-mail marketing do mercado O e-mail marketing tornou-se uma das melhores técnicas de redução de custos na internet. Este tipo de marketing consolidou-se como a ferramenta

Leia mais

Engenharia de Software I

Engenharia de Software I Engenharia de Software I Rogério Eduardo Garcia (rogerio@fct.unesp.br) Bacharelado em Ciência da Computação Aula 05 Material preparado por Fernanda Madeiral Delfim Tópicos Aula 5 Contextualização UML Astah

Leia mais

Automação do Processo de Instalação de Softwares

Automação do Processo de Instalação de Softwares Automação do Processo de Instalação de Softwares Aislan Nogueira Diogo Avelino João Rafael Azevedo Milene Moreira Companhia Siderúrgica Nacional - CSN RESUMO Este artigo tem como finalidade apresentar

Leia mais

Manual do Instar Mail v2.0

Manual do Instar Mail v2.0 Manual do Instar Mail v2.0 Sumário Conteúdo Menu Principal... 2 Menu Cliente... 3 Pagina Categorias do Instar-Mail... 4 Importação... 4 Campanhas... 8 Cadastramento de campanhas do Instar-Mail... 9 Ações

Leia mais

Série Manuais. Tudo o que você deve saber sobre SPAM

Série Manuais. Tudo o que você deve saber sobre SPAM Série Manuais Tudo o que você deve saber sobre SPAM www.allinmail.com.br introdução Com o objetivo de instruir cada vez mais nossos clientes, criamos este documento que esclarece as dúvidas mais comuns

Leia mais

Introdução. Nesta guia você aprenderá:

Introdução. Nesta guia você aprenderá: 1 Introdução A criação de uma lista é a primeira coisa que devemos saber no emailmanager. Portanto, esta guia tem por objetivo disponibilizar as principais informações sobre o gerenciamento de contatos.

Leia mais

Índice. E-mail Marketing Nomer. www.nomer.com.br

Índice. E-mail Marketing Nomer. www.nomer.com.br Índice 1 - Visão geral... 2 2 - Acessando o E-mail Marketing Nomer... 2 3 - Passos para concluir o envio de uma campanha... 5 4 - Recursos... 6 4.1 - Listas de contatos... 6 4.2 - Cadastros de contatos

Leia mais

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5 Para entender bancos de dados, é útil ter em mente que os elementos de dados que os compõem são divididos em níveis hierárquicos. Esses elementos de dados lógicos constituem os conceitos de dados básicos

Leia mais

Introdução. Olá! Seja bem-vindo ao emailmanager. O melhor sistema de email marketing do mercado.

Introdução. Olá! Seja bem-vindo ao emailmanager. O melhor sistema de email marketing do mercado. 1 Introdução Olá! Seja bem-vindo ao emailmanager. O melhor sistema de email marketing do mercado. Esta guia disponibiliza as principais etapas para sua iniciação ao uso do emailmanager. Nesta guia você

Leia mais

Desenvolvendo para WEB

Desenvolvendo para WEB Nível - Básico Desenvolvendo para WEB Por: Evandro Silva Neste nosso primeiro artigo vamos revisar alguns conceitos que envolvem a programação de aplicativos WEB. A ideia aqui é explicarmos a arquitetura

Leia mais

Email marketing: os 10 erros mais comuns

Email marketing: os 10 erros mais comuns Email marketing: os 10 erros mais comuns Publicado em: 18/02/2008 Não ter permissão dos contatos para enviar mensagens Um dos princípios fundamentais do email marketing é trabalhar apenas com contatos

Leia mais

Política de Privacidade.

Política de Privacidade. Política de Privacidade Johnson & Johnson do Brasil Indústria e Comércio de Produtos para Saúde Ltda., preocupa se com questões sobre privacidade e quer que você saiba como coletamos, usamos e divulgamos

Leia mais

Email marketing para o B2C Publicado em: 24/06/2008

Email marketing para o B2C Publicado em: 24/06/2008 Email marketing para o B2C Publicado em: 24/06/2008 Direcionar o email marketing - assim como qualquer outra comunicação de acordo com o perfil da audiência é fundamental. Para o ecommerce B2C, existem

Leia mais

USANDO O ROUNDCUBE WEBMAIL

USANDO O ROUNDCUBE WEBMAIL USANDO O ROUNDCUBE WEBMAIL ATENÇÃO! Para utilizar este tutorial não se esqueça: Onde estiver escrito seusite.com.br substitua pelo ENDEREÇO do seu site (domínio). Ex.: Se o endereço do seu site é casadecarnessilva.net

Leia mais

UTILIZANDO ICONIX NO DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES DELPHI

UTILIZANDO ICONIX NO DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES DELPHI UTILIZANDO ICONIX NO DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES DELPHI Dr. George SILVA; Dr. Gilbert SILVA; Gabriel GUIMARÃES; Rodrigo MEDEIROS; Tiago ROSSINI; Centro Federal de Educação Tecnológica do Rio Grande do

Leia mais

Universidade de São Paulo Centro de Informática de Ribeirão Preto TUTORIAL HOTMAIL

Universidade de São Paulo Centro de Informática de Ribeirão Preto TUTORIAL HOTMAIL Universidade de São Paulo Centro de Informática de Ribeirão Preto TUTORIAL HOTMAIL Tutorial Hotmail Sobre o MSN Hotmail Acessando o Hotmail Como criar uma conta Efetuando o login Verificar mensagens Redigir

Leia mais

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4 DMS Documento de Modelagem de Sistema Versão: 1.4 VERANEIO Gibson Macedo Denis Carvalho Matheus Pedro Ingrid Cavalcanti Rafael Ribeiro Tabela de Revisões Versão Principais Autores da Versão Data de Término

Leia mais

SOBRE NÓS. Estamos localizados na Rua Cel Xavier de Toledo, 264 CJ 81, Centro, São Paulo.

SOBRE NÓS. Estamos localizados na Rua Cel Xavier de Toledo, 264 CJ 81, Centro, São Paulo. SOBRE NÓS SOBRE NÓS A Geeklemail é a ferramenta de Email Marketing da Geekle empresa de tecnologia que há 3 anos desenvolve sistemas e projetos on-line. O nome Geekle significa grupo de Geeks ou seja,

Leia mais

guia prático 2a Edição Gilleanes T.A. Guedes Novatec

guia prático 2a Edição Gilleanes T.A. Guedes Novatec guia prático 2a Edição Gilleanes T.A. Guedes Novatec Copyright 2007, 2014 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução desta

Leia mais

Procuramos criar um manual que sirva como uma referência rápida para você.

Procuramos criar um manual que sirva como uma referência rápida para você. Índice 1 Visão geral 2 Acessando o E-mail Marketing 3 Passos para concluir o envio de uma campanha 4 Recursos 4.1 Listas de contatos 4.2 Cadastros de contatos (destinatários) 4.2.1 Adicionando um contato

Leia mais

23 LOCAIS ESTRATÉGICOS PARA INSERIR O OPT-IN DO EMAIL MARKETING

23 LOCAIS ESTRATÉGICOS PARA INSERIR O OPT-IN DO EMAIL MARKETING WHITEPAPER 23 LOCAIS ESTRATÉGICOS PARA INSERIR O OPT-IN DO EMAIL MARKETING Por Juliana Padron CEO da Templateria INFO@TEMPLATERIA.COM WHITEPAPER 23 LOCAIS ESTRATÉGICOS PARA INSERIR O OPT-IN DO EMAIL MARKETING

Leia mais

Geração e execução de scripts de teste em aplicações web a partir de casos de uso direcionados por comportamento 64

Geração e execução de scripts de teste em aplicações web a partir de casos de uso direcionados por comportamento 64 direcionados por comportamento 64 5 Estudo de caso Neste capítulo serão apresentadas as aplicações web utilizadas na aplicação da abordagem proposta, bem como a tecnologia em que foram desenvolvidas, o

Leia mais

Lógica e Programação Java

Lógica e Programação Java Lógica e Programação Java Agenda Orientação a Objetos Parte 2 UML (software astah) Diagramas Estruturais Diagramas Comportamentais Diagramas de Interação astah Diagrama de Classes Antigo Jude Versão Community

Leia mais

Etapas de uma campanha de e-mail marketing

Etapas de uma campanha de e-mail marketing Etapas de uma campanha de e-mail marketing Conheça as principais etapas de uma campanha de e-mail marketing, desde o planejamento de ações, até a análise das métricas de resultados. Ao contrário do que

Leia mais

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software.

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software. 1 - Sumário 1 - Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 4 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 3

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 3 AULA Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 3 Continuando nossa saga pelas ferramentas do Visual FoxPro 8.0, hoje vamos conhecer mais algumas. A Ferramenta Class Designer A Class Designer é a ferramenta

Leia mais

Integração com a Mídia Social

Integração com a Mídia Social Guia rápido sobre... Integração com a Mídia Social Neste guia... Vamos mostrar como integrar seu marketing com as mídias sociais para você tirar o maior proveito de todo esse burburinho online! Nós ajudamos

Leia mais

SENADO FEDERAL Secretaria Especial do Interlegis SINTER Subsecretaria de Tecnologia da Informação SSTIN. Produto I: ATU SAAP

SENADO FEDERAL Secretaria Especial do Interlegis SINTER Subsecretaria de Tecnologia da Informação SSTIN. Produto I: ATU SAAP Produto I: ATU SAAP Documento de projeto do novo sistema. Modelo de Dados, Casos de Usos e Interface Gráfica do Sistema Pablo Nogueira Oliveira Termo de Referência nº 129275 Contrato Número 2008/000988

Leia mais

Benefícios do E-mail marketing e da Benchmark E-mail

Benefícios do E-mail marketing e da Benchmark E-mail 1 1. SOBRE O E-BOOK... 1 2. A BENCHMARK E-MAIL... 5 3. IMPORTÂNCIA DO E-MAIL... 5 4. OS BENEFÍCIOS DO E-MAIL MARKETING... 6 4.1. DIGITAL VS. IMPRESSO... 7 4.1.1. CUSTOS... 7 4.1.2. CONTEÚDO... 7 4.1.3.

Leia mais

CAPÍTULO 4. AG8 Informática

CAPÍTULO 4. AG8 Informática 2ª PARTE CAPÍTULO 4 Este capítulo têm como objetivo: 1. Tratar das etapas do projeto de um Website 2. Quais os profissionais envolvidos 3. Administração do site 4. Dicas para não cometer erros graves na

Leia mais

Sistema para gestão de restaurante

Sistema para gestão de restaurante Sistema para gestão de restaurante Luciana Tavares Rosa luciana.rosa@inf.aedb.br AEDB Fábio Rezende Dutra fabio.dutra@inf.aedb.br AEDB Resumo:O sistema para gestão de restaurante é um software desenvolvido

Leia mais

PRONUNCIAMENTO DE ORIENTAÇÃO Nº 12, de 17 de maio de 2012.

PRONUNCIAMENTO DE ORIENTAÇÃO Nº 12, de 17 de maio de 2012. CODIM COMITÊ DE ORIENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES AO MERCADO (ABRAPP ABRASCA AMEC ANBIMA ANCORD ANEFAC - APIMEC BM&FBOVESPA CFC IBGC IBRACON IBRI) PRONUNCIAMENTO DE ORIENTAÇÃO Nº 12, de 17 de maio

Leia mais

XDR. Solução para Big Data.

XDR. Solução para Big Data. XDR Solução para Big Data. ObJetivo Principal O volume de informações com os quais as empresas de telecomunicações/internet têm que lidar é muito grande, e está em constante crescimento devido à franca

Leia mais

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho vi http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Administração de Redes de Computadores Resumo de Serviços em Rede Linux Controlador de Domínio Servidor DNS

Leia mais

Manual de Integração. Tecnologia: WebServices SOAP XML. Área: CDC. Produto: CDC Estendida (Física) Versão: 1.0. Autor: Angelo Bestetti Junior

Manual de Integração. Tecnologia: WebServices SOAP XML. Área: CDC. Produto: CDC Estendida (Física) Versão: 1.0. Autor: Angelo Bestetti Junior Manual de Integração Tecnologia: WebServices SOAP XML Área: CDC Produto: CDC Estendida (Física) Versão: 1.0 Autor: Angelo Bestetti Junior Conteúdo Introdução... 3 Considerações Iniciais... 4 Privacidade...

Leia mais

Resolvendo Problemas de Métricas de Email. Compartilhe!

Resolvendo Problemas de Métricas de Email. Compartilhe! Resolvendo problemas de Métricas de Email pag.: 1 Resolvendo problemas de Métricas de Email Escrito por Bonnie Malone Com mais de 14 anos de experiência em Marketing e Merchandising, Bonnie gerenciou empresas

Leia mais

Índice. E-mail Marketing DLopes

Índice. E-mail Marketing DLopes Índice 1 - Visão geral... 2 2 - Acessando o E-mail Marketing DLopes... 2 3 - Passos para concluir o envio de uma campanha... 5 4 - Recursos... 6 4.1 - Listas de contatos... 6 4.2 - Cadastros de contatos

Leia mais

Como Criar uma Nova Campanha. Série Manuais

Como Criar uma Nova Campanha. Série Manuais Como Criar uma Nova Campanha Série Manuais Como Criar uma Nova Campanha de Email 2 INTRODUÇÃO Para melhorar a qualidade de envio e o gerenciamento das campanhas de email marketing de nossos clientes, estamos

Leia mais

Notas de Versão. Versão 6.0 SP1

Notas de Versão. Versão 6.0 SP1 Notas de Versão Versão 6.0 SP1 2013 Pitney Bowes Software Inc. Todos os direitos reservados. Esse documento pode conter informações confidenciais ou protegidas por direitos autorais pertencentes à Pitney

Leia mais

Configurações de Campanha

Configurações de Campanha Guia rápido sobre... Configurações de Campanha Neste guia... Aprenda a criar campanhas e a ajustar as configurações para otimizar os resultados. Índice 1. Criar Nova Campanha! 4 1.1 Dar um nome à campanha!

Leia mais

Manual do Ambiente Virtual Moodle

Manual do Ambiente Virtual Moodle Manual do Ambiente Virtual Moodle versão 0.3 Prof. Cristiano Costa Argemon Vieira Prof. Hercules da Costa Sandim Outubro de 2010 Capítulo 1 Primeiros Passos 1.1 Acessando o Ambiente Acesse o Ambiente Virtual

Leia mais

Política de uso de dados

Política de uso de dados Política de uso de dados A política de dados ajudará você a entender como funciona as informações completadas na sua área Minhas Festas. I. Informações que recebemos e como são usadas Suas informações

Leia mais

Curso Marketing Político Digital Por Leandro Rehem Módulo III MULTICANAL. O que é Marketing Multicanal?

Curso Marketing Político Digital Por Leandro Rehem Módulo III MULTICANAL. O que é Marketing Multicanal? Curso Marketing Político Digital Por Leandro Rehem Módulo III MULTICANAL O que é Marketing Multicanal? Uma campanha MultiCanal integra email, SMS, torpedo de voz, sms, fax, chat online, formulários, por

Leia mais

AULA 3 FERRAMENTAS E APLICATIVOS DE NAVEGAÇÃO, DE CORREIO ELETRÔNICO, DE GRUPOS DE DISCUSSÃO, DE BUSCA E PESQUISA (PARTE II)

AULA 3 FERRAMENTAS E APLICATIVOS DE NAVEGAÇÃO, DE CORREIO ELETRÔNICO, DE GRUPOS DE DISCUSSÃO, DE BUSCA E PESQUISA (PARTE II) AULA 3 FERRAMENTAS E APLICATIVOS DE NAVEGAÇÃO, DE CORREIO ELETRÔNICO, DE GRUPOS DE DISCUSSÃO, DE BUSCA E PESQUISA (PARTE II) A seguir vamos ao estudo das ferramentas e aplicativos para utilização do correio

Leia mais

Web & Marketing Digital. Tutorial Email Marketing

Web & Marketing Digital. Tutorial Email Marketing Web & Marketing Digital Tutorial Email Marketing Evitando filtros de spam e dicas de marketing digital 1 E-mail marketing como muitos de nós sabemos, pode ser um método poderoso e barato de alcançar nosso

Leia mais

Marketing Digital de resultado para PMEs. Introdução ao Email Marketing

Marketing Digital de resultado para PMEs. Introdução ao Email Marketing Marketing Digital de resultado para PMEs Introdução ao Email Marketing 1 Sumário 1. O poder do Email Marketing no Marketing Digital 2. Por que tratar sua base com muito respeito 3. Os diferentes tipos

Leia mais

O site www.grey.com é operado e de propriedade do Grupo Grey.

O site www.grey.com é operado e de propriedade do Grupo Grey. Termos e Condições O site www.grey.com é operado e de propriedade do Grupo Grey. Ao acessar este site, você concorda em cumprir estes termos e condições. Leia atentamente. CASO NÃO CONCORDE EM CUMPRIR

Leia mais

M anual: e-m ail M arketing

M anual: e-m ail M arketing M anual: e-m ail M arketing Introdução Obrigado por ter contratado nosso servico de E-mail marketing LojasVirtuais.NET. Procuramos criar um manual que sirva como uma referencia rápida para você. Como sempre

Leia mais

Levantamento, Análise e Gestão Requisitos. Aula 04

Levantamento, Análise e Gestão Requisitos. Aula 04 Levantamento, Análise e Gestão Requisitos Aula 04 Agenda Linguagem de Modelagem Unificada (UML) Modelagem Visual Síntese Histórica da UML Conceitos da UML Notações da UML Diagramas Estruturais Diagramas

Leia mais

Diveo Exchange OWA 2007

Diveo Exchange OWA 2007 Diveo Exchange OWA 2007 Manual do Usuário v.1.0 Autor: Cícero Renato G. Souza Revisão: Antonio Carlos de Jesus Sistemas & IT Introdução... 4 Introdução ao Outlook Web Access 2007... 4 Quais são as funcionalidades

Leia mais

CONSULTA AO MERCADO RFP REQUEST FOR PROPOSAL ÍNDICE

CONSULTA AO MERCADO RFP REQUEST FOR PROPOSAL ÍNDICE CONSULTA AO MERCADO RFP REQUEST FOR PROPOSAL ÍNDICE 1. Introdução 2. Objetivo 3. Termos e Condições 3.1 Publicidade 3.2 Responsabilidades 4. Cronograma e Contato 4.1 Cronograma 4.2 Contato 5. Entrega da

Leia mais

Introdução ao GetResponse

Introdução ao GetResponse Guia rápido sobre... Introdução ao GetResponse Neste guia... Aprenda a construir sua lista, a criar envolventes e-mails e a converter contatos em clientes em GetResponse, com acesso aos melhores recursos

Leia mais

GUSCLA POLÍTICA DE PRIVACIDADE. 1.definições 2. PRIVACIDADE PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES 3. COLETA E USO DAS INFORMAÇÕES 4.

GUSCLA POLÍTICA DE PRIVACIDADE. 1.definições 2. PRIVACIDADE PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES 3. COLETA E USO DAS INFORMAÇÕES 4. GUSCLA POLÍTICA DE PRIVACIDADE 1.definições 1.1. O sistema GUSCLA respeita a sua privacidade, e queremos que você entenda como utilizamos as informações que você fornece ao se tornar um Usuário do nosso

Leia mais

RELEASE F-STORE v. 3.0.0.0

RELEASE F-STORE v. 3.0.0.0 Curitiba (2015) ÍNDICE Aumento de performance no carregamento de imagens Assinatura de produtos Barra de busca flutuante Boleto como imagem Cadastro de cliente com Double opt-in Cadastro de SEO Carrinho

Leia mais

1. E-mail Marketing. 2. Principais componentes do E-mail Marketing. Remetente. Assunto

1. E-mail Marketing. 2. Principais componentes do E-mail Marketing. Remetente. Assunto 1. E-mail Marketing Primeiro é preciso pensar no produto ou serviço oferecido para, no layout, ressaltar as qualidades sejam elas institucionais ou condições comerciais. Para a abertura do e-mail, é importante

Leia mais

O QUE? Dados pessoais e outras informações que coletamos sobre você.

O QUE? Dados pessoais e outras informações que coletamos sobre você. WECOMPANY Coworking POLÍTICA DE PRIVACIDADE Proteger a sua privacidade é importante para nós. Esta política de privacidade ("Política") descreve as nossas práticas relativas à coleta, uso e divulgação

Leia mais

Sistema de Ordens de Serviço HDA Soluções em Informática

Sistema de Ordens de Serviço HDA Soluções em Informática UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO Curso Superior de Graduação em ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Sistema de Ordens de Serviço HDA Soluções em Informática Por AUGUSTO CARRICONDE

Leia mais

NAVEGANDO NA INTERNET

NAVEGANDO NA INTERNET UNIDADE 2 NAVEGANDO NA INTERNET OBJETIVOS ESPECÍFICOS DE APRENDIZAGEM Ao finalizar esta Unidade você deverá ser capaz de: Definir a forma de utilizar um software de navegação; Debater os conteúdos disponibilizados

Leia mais

Como gerar Relacionamentos MÍDIAS SOCIAIS

Como gerar Relacionamentos MÍDIAS SOCIAIS Como gerar Relacionamentos MÍDIAS SOCIAIS REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA 50 milhões de usuários IDADE MÍDIA 90 milhões de brasileiros na WEB, 70 milhões na rede social Facebook e mais de 30 milhões no Twitter ADEUS

Leia mais

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Índice Como acessar o Moodle Editando seu PERFIL Editando o curso / disciplina no Moodle Incluindo Recursos

Leia mais

Primeiro de Tudo. Primeiros Passos. Login

Primeiro de Tudo. Primeiros Passos. Login 1 Primeiro de Tudo O sistema funciona de forma óptima no Firefox e Internet Explorer 8 + Nós recomendamos instalar a última versão atualizada dos seguintes browsers: Firefox or Internet Explorer como também

Leia mais

INDICE 3.APLICAÇÕES QUE PODEM SER DESENVOLVIDAS COM O USO DO SAXES

INDICE 3.APLICAÇÕES QUE PODEM SER DESENVOLVIDAS COM O USO DO SAXES w w w. i d e a l o g i c. c o m. b r INDICE 1.APRESENTAÇÃO 2.ESPECIFICAÇÃO DOS RECURSOS DO SOFTWARE SAXES 2.1. Funcionalidades comuns a outras ferramentas similares 2.2. Funcionalidades próprias do software

Leia mais

MARKETING POLÍTICO DIGITAL. Como utilizar o SMS e o Email Marketing em Campanhas Políticas para engajar eleitores em uma Proposta de Governo

MARKETING POLÍTICO DIGITAL. Como utilizar o SMS e o Email Marketing em Campanhas Políticas para engajar eleitores em uma Proposta de Governo MARKETING POLÍTICO DIGITAL Como utilizar o SMS e o Email Marketing em Campanhas Políticas para engajar eleitores em uma Proposta de Governo Potencial do SMS e do Email Marketing - Potencialize a sua presença

Leia mais

PROVA DE NOÇÕES DE MICROINFORMÁTICA

PROVA DE NOÇÕES DE MICROINFORMÁTICA 18 PROVA DE NOÇÕES DE MICROINFORMÁTICA AS QUESTÕES DE 41 A 60 CONSIDERAM O ESQUEMA PADRÃO DE CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA OPERACIONAL MICROSOFT WINDOWS ME E DAS FERRAMENTAS MICROSOFT WINDOWS EXPLORER, MICRO-

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE DA CLICKSIGN

POLÍTICA DE PRIVACIDADE DA CLICKSIGN Data efetiva: 14 de abril de 2014. POLÍTICA DE PRIVACIDADE DA CLICKSIGN Esta Política de Privacidade abrange a coleta, uso e divulgação de informação coletada em todas as plataformas, sistemas, aplicativos,

Leia mais

Introdução ao. Email Marketing

Introdução ao. Email Marketing Email Marketing SUMÁRIO O poder do Email Marketing no Marketing Digital 3 Por que tratar sua base com muito respeito 5 Os diferentes tipos de emails para diferentes objetivos 7 Boas práticas para código

Leia mais

E-Mail Marketing: Primeiros Passos

E-Mail Marketing: Primeiros Passos E-Mail Marketing: Primeiros Passos E-Mail Marketing: Primeiros Passos Aprenda a utilizar o email marketing para alavancar o seu negócio O Marketing Digital vem ganhando cada vez mais força entre as empresas

Leia mais

Introdução a listas - Windows SharePoint Services - Microsoft Office Online

Introdução a listas - Windows SharePoint Services - Microsoft Office Online Page 1 of 5 Windows SharePoint Services Introdução a listas Ocultar tudo Uma lista é um conjunto de informações que você compartilha com membros da equipe. Por exemplo, você pode criar uma folha de inscrição

Leia mais

Palavras-Chaves: engenharia de requisitos, modelagem, UML.

Palavras-Chaves: engenharia de requisitos, modelagem, UML. APLICAÇÃO DA ENGENHARIA DE REQUISITOS PARA COMPREENSÃO DE DOMÍNIO DO PROBLEMA PARA SISTEMA DE CONTROLE COMERCIAL LEONARDO DE PAULA SANCHES Discente da AEMS Faculdades Integradas de Três Lagoas RENAN HENRIQUE

Leia mais

Uso da ferramenta de mailing

Uso da ferramenta de mailing Uso da ferramenta de mailing A ferramenta e mailing integrada na plataforma SphinxnaWeb permite enviar rapidamente centenas ou milhares de e mails a diversos correspondentes, especialmente para obter respostas

Leia mais

Etapas de uma campanha de email marketing

Etapas de uma campanha de email marketing Etapas de uma campanha de email marketing Conheça as principais etapas de uma campanha de email marketing, desde o planeamento das acções, até a análise das métricas de resultados. Ao contrário do que

Leia mais

Sistemas Enturma: Manual de Ferramentas do Usuário

Sistemas Enturma: Manual de Ferramentas do Usuário versão do manual: 1 1 Apresentação A evolução da tecnologia vem provocando uma revolução no ensino. O acesso à Internet e a disseminação do uso do computador vêm mudando a forma de produzir, armazenar

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN José Agostinho Petry Filho 1 ; Rodrigo de Moraes 2 ; Silvio Regis da Silva Junior 3 ; Yuri Jean Fabris 4 ; Fernando Augusto

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma Orientado a Objetos e com o uso

Leia mais

Política de Privacidade da Golden Táxi Transportes Executivo. Sua Privacidade Na Golden Táxi Transportes Executivo. acredita que, como nosso

Política de Privacidade da Golden Táxi Transportes Executivo. Sua Privacidade Na Golden Táxi Transportes Executivo. acredita que, como nosso Política de Privacidade da Golden Táxi Transportes Executivo. Sua Privacidade Na Golden Táxi Transportes Executivo. acredita que, como nosso visitante on-line, você tem o direito de saber as práticas que

Leia mais

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09 ÍNDICE Sobre o SabeTelemarketing 03 Ícones comuns à várias telas de gerenciamento Contato Verificar registros 09 Telas de cadastro e consultas 03 Menu Atalho Nova pessoa Incluir um novo cliente 06 Novo

Leia mais

A Nova Comunidade EU.IPP Google Apps for Education IGoogle, Google Mail, Talk, Calendar, Docs e Sites

A Nova Comunidade EU.IPP Google Apps for Education IGoogle, Google Mail, Talk, Calendar, Docs e Sites Ciclo de Workshops Departamento de Informática A Nova Comunidade EU.IPP Google Apps for Education IGoogle, Google Mail, Talk, Calendar, Docs e Sites 16 de Dezembro - ESEIG Ricardo Queirós (ESEIG) e Paulo

Leia mais

ALESSANDRO RODRIGO FRANCO FERNANDO MARTINS RAFAEL ALMEIDA DE OLIVEIRA

ALESSANDRO RODRIGO FRANCO FERNANDO MARTINS RAFAEL ALMEIDA DE OLIVEIRA ALESSANDRO RODRIGO FRANCO FERNANDO MARTINS RAFAEL ALMEIDA DE OLIVEIRA INTRODUÇÃO O projeto de um banco de dados é realizado sob um processo sistemático denominado metodologia de projeto. O processo do

Leia mais

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx 1 Introdução O Conecta S_Line permite que o laboratório envie à Central S_Line os resultados de exames gerados pelo Sistema de Informação Laboratorial (LIS) em forma de arquivos digitais. Todo o processo

Leia mais

Manual das funcionalidades Webmail AASP

Manual das funcionalidades Webmail AASP Manual das funcionalidades Webmail AASP 1. Configurações iniciais 2. Regras 3. Histórico da conta 4. Autorresposta 5. Dados de acesso (alterando senha de acesso) 6. Identidade (assinatura) 7. Redirecionamento

Leia mais

Que informações nós coletamos, e de que maneira?

Que informações nós coletamos, e de que maneira? Política de Privacidade Vivertz Esta é a política de privacidade da Affinion International Serviços de Fidelidade e Corretora de Seguros Ltda que dispõe as práticas de proteção à privacidade do serviço

Leia mais

Documentação de um Produto de Software

Documentação de um Produto de Software Documentação de um Produto de Software Versão 3.0 Autora: Profª Ana Paula Gonçalves Serra Revisor: Prof. Fernando Giorno 2005 ÍNDICE DETALHADO PREFÁCIO... 4 1. INTRODUÇÃO AO DOCUMENTO... 6 1.1. TEMA...

Leia mais