C R E E M SOLDAGEM DOS MATERIAIS. UNESP Campus de Ilha Solteira. Prof. Dr. Vicente A. Ventrella

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "C R E E M SOLDAGEM DOS MATERIAIS. UNESP Campus de Ilha Solteira. Prof. Dr. Vicente A. Ventrella"

Transcrição

1 C R E E M SOLDAGEM DOS MATERIAIS Prof. Dr. Vicente A. Ventrella UNESP Campus de Ilha Solteira

2 C R E E M SOLDAGEM DOS MATERIAIS 1. Introdução 2. Terminologia de Soldagem 3. Simbologia de Soldagem 4. Processos de Soldagem 5. Descontinuidades

3 O QUE É SOLDAGEM? PROCESSO METALÚRGICO DE FABRICAÇÃO U N I Ã O TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

4 UNIÃO DOS MATERIAIS FIXAÇÃO MECÂNICA COLAGEM SOLDAGEM TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

5 FIXAÇÃO MECÂNICA REBITE PARAFUSO PINO TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

6 COLAGEM ADESIVO TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

7 SOLDAGEM CALOR CORDÃO DE SOLDA TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

8 APLICAÇÕES TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

9 APLICAÇÕES TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

10 APLICAÇÕES TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

11 APLICAÇÕES TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

12 APLICAÇÕES TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

13 APLICAÇÕES TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

14 APLICAÇÕES TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

15 APLICAÇÕES TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

16 APLICAÇÕES TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

17 APLICAÇÕES TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

18 APLICAÇÕES TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

19 APLICAÇÕES TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

20 APLICAÇÕES TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

21 APLICAÇÕES TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

22 APLICAÇÕES TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

23 APLICAÇÕES TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

24 APLICAÇÕES TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

25 APLICAÇÕES TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

26 APLICAÇÕES TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

27 UNESP Campus de Ilha Solteira TERMINOLOGIA DE SOLDAGEM C R E E M METALURGIA DA SOLDAGEM

28 TERMINOLOGIA DE SOLDAGEM

29 TERMINOLOGIA DE SOLDAGEM Tipos de Junta

30 TERMINOLOGIA DE SOLDAGEM Tipos de Chanfro

31 TERMINOLOGIA DE SOLDAGEM

32 TERMINOLOGIA DE SOLDAGEM

33 TERMINOLOGIA DE SOLDAGEM

34 TERMINOLOGIA DE SOLDAGEM

35 TERMINOLOGIA DE SOLDAGEM Seção transversal de uma solda de topo

36 TERMINOLOGIA DE SOLDAGEM Posições de soldagem ( solda de topo )

37 TERMINOLOGIA DE SOLDAGEM Posição de soldagem ( solda em ângulo ) )

38 TERMINOLOGIA DE SOLDAGEM Posição de soldagem (soldas em tubulações)

39 UNESP Campus de Ilha Solteira SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM C R E E M METALURGIA DA SOLDAGEM

40 SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM

41 SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM A - Ângulo do chanfro- incluindo o ângulo de escoriação para a solda de Tampão. (E) - Garganta Efetiva- altura do cordão sem o reforço F - Símbolo de acabamento- pouco utilizado - indica o método de acabamento L (N) - Número de soldas por ponto- utilizado também para soldas por projeção. P - R S T - Comprimento da solda- É utilizado para dimensionar o comprimento da solda. Passo- É utilizado para indicar as distâncias entre centros de solda intermitentes - Abertura da Raiz- - Profundidade do chanfro. - Especificação do processo.

42 SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM

43 SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM

44 SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM

45 SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM

46 SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM SOLDA DE CAMPO

47 SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM O símbolo de vazamento na raiz deve ser usado somente onde for requerido 100% de penetração da junta. Este deve ser colocado no lado da linha de referência oposto ao símbolo da solda.

48 SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM SOLDA EM TODO CONTORNO

49 SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM Perfis: plano (-) côncavo ( ) convexo ( ). Símbolo de acabamento: C - Chimpping (desbastar) G - Grinding (esmerilhar) M - Machining (usinar, fresar, plainar)

50 SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM

51 SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM Solda em Filete

52 SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM Solda em Filete

53 SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM Solda em Filete

54 SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM Solda com chanfro

55 SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM

56 SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM

57 SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM

58 SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM Profundidade do chanfro

59 SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM Profundidade do cordão

60 SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM Abertura de raiz

61 SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM Ângulo do chanfro

62 SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM

63 UNESP Campus de Ilha Solteira PROCESSOS DE SOLDAGEM C R E E M METALURGIA DA SOLDAGEM

64 CLASSIFICAÇÃO DOS PROCESSOS CONVENCIONAIS PROCESSOS NÃO CONVENCIONAIS

65

66 CLASSIFICAÇÃO DOS PROCESSOS DE SOLDAGEM

67 PROCESSOS CONVENCIONAIS PROCESSO OXICOMBUSTÍVEL PROCESSO COM ELETRODO REVESTIDO PROCESSO M I G / M A G PROCESSO ARAME TUBULAR PROCESSO POR ARCO SUBMERSO PROCESSO T I G

68 PROCESSO OXICOMBUSTÍVEL OXIGÊNIO ACETILENO

69 PROCESSO OXICOMBUSTÍVEL

70 PROCESSO OXICOMBUSTÍVEL O X I G Ê N I O + A C E T I L E N O C 2 H 2 + O 2 2 CO calorias de calor

71 PROCESSO OXICOMBUSTÍVEL vantagens: - barato - equipamento portátil desvantagens: - distorções na estrutura - calor pouco concentrado durante a soldagem emprego: - reparos (manutenção) - brasagem

72 PROCESSO COM ELETRODO REVESTIDO

73 PROCESSO COM ELETRODO REVESTIDO

74 PROCESSO COM ELETRODO REVESTIDO

75 PROCESSO COM ELETRODO REVESTIDO

76 PROCESSO COM ELETRODO REVESTIDO E - X X X X

77 PROCESSO COM ELETRODO REVESTIDO E - X X X X POSIÇÃO DE SOLDAGEM

78 PROCESSO COM ELETRODO REVESTIDO

79 PROCESSO COM ELETRODO REVESTIDO vantagens: - baixo custo - soldas em todas posições - uniões com excelentes propriedades desvantagens: emprego: - habilidade do soldador - freqüente mudança de eletrodos - presença de escória - é o processo mais utilizado na fabricação e manutenção

80 PROCESSO MIG / MAG

81 PROCESSO MIG / MAG

82 PROCESSO MIG / MAG

83 PROCESSO M I G / M A G MIG - Metal Inert Gas MAG - Metal Ative Gas Gas Inerte : Argônio, Hélio Gas Ativo: CO 2 ou mistura

84 PROCESSO M I G / M A G

85 PROCESSO M I G / M A G

86 PROCESSO M I G / M A G

87 PROCESSO M I G / M A G

88 PROCESSO M I G / M A G M I G vantagens: desvantagens: - solda a maioria das ligas - solda de alta qualidade - alta taxa de deposição - processo semi ou totalmente automatizado - custo elevado de gás inerte - mão de obra habilidosa emprego: - usado em aços inoxidáveis e ligas não ferrosas

89 PROCESSO M I G / M A G M A G vantagens: desvantagens: emprego: - solda de alta qualidade - alta taxa de deposição - processo semi ou totalmente automatizado - somente para aços carbono e baixa liga - usado em grandes produções para aços carbono e baixa liga

90 PROCESSO ARAME TUBULAR

91 PROCESSO ARAME TUBULAR Arame TUBULAR

92 PROCESSO ARAME TUBULAR

93 PROCESSO ARAME TUBULAR

94 PROCESSO ARAME TUBULAR vantagens: - alta taxa de deposição - pode soldar sem gás de proteção desvantagens: - somente para aços carbono ou de baixa liga emprego: - em grandes produções, soldando aço carbono ou de baixa liga

95 PROCESSO POR ARCO SUBMERSO

96 PROCESSO POR ARCO SUBMERSO

97 PROCESSO POR ARCO SUBMERSO

98 PROCESSO POR ARCO SUBMERSO

99 PROCESSO POR ARCO SUBMERSO vantagens: desvantagens: - alta taxa de deposição - processo automático. - somente na posição plana ou horizontal - restrito aos aços - cuidados no posicionamento das juntas

100 PROCESSO T I G

101 PROCESSO T I G

102 PROCESSO T I G

103 PROCESSO T I G

104 PROCESSO T I G

105 PROCESSO T I G

106 PROCESSO T I G vantagens: - solda com elevada qualidade - adequado para metais ferrosos e não ferrosos - grande versatilidade manual desvantagens: emprego: - habilidade do soldador - elevado custo do eletrodo - solda em vários passes acima de 5,0mm. - passe de raiz - usado em união de não ferrosos e inoxidáveis.

107 PROCESSO T I G

108 PROCESSOS NÃO CONVENCIONAIS SOLDAGEM POR ELETROESCÓRIA SOLDAGEM POR ELETROGÁS SOLDAGEM POR FEIXE DE ELÉTRONS SOLDAGEM A LASER SOLDAGEM POR ATRITO SOLDAGEM POR ULTRA-SOM SOLDAGEM POR EXPLOSÃO

109 SOLDAGEM POR ELETROESCÓRIA

110 SOLDAGEM POR ELETROGÁS

111 SOLDAGEM POR FEIXE DE ELÉTRONS

112 SOLDAGEM A LASER

113 SOLDAGEM POR ATRITO

114 SOLDAGEM POR ULTRA-SOM

115 SOLDAGEM POR EXPLOSÃO

116 Campus de Ilha Solteira UNESP DESCONTINUIDADES EM JUNTAS SOLDADAS C RMETALURGIA E E MDA 2SOLDAGEM 005

117 O QUE É DESCONTINUIDADE? É a interrupção das estruturas típicas de uma peça, no que se refere a HOMOGENEIDADE de características mecânicas ou metalúrgicas. DESCONTINUIDADE DEFEITO A JUNTA SOLDADA NÃO SATISFAZ OS REQUISITOS DA NT APLICÁVEL METALURGIA DA SOLDAGEM

118 DESCONTINUIDADES DA JUNTA SOLDADA GEOMÉTRICAS METALÚRGICAS METALURGIA DA SOLDAGEM

119 DESCONTINUIDADES GEOMÉTRICAS DESALINHAMENTO EMBICAMENTO CONCAVIDADE EXCESSIVA CONVEXIDADE EXCESSIVA DEFORMAÇÃO ANGULAR DEPOSIÇÃO INSUFICIENTE FALTA DE PENETRAÇÃO FALTA DE FUSÃO MORDEDURA REFORÇO EXCESSIVO SOBREPOSIÇÃO METALURGIA DA SOLDAGEM

120 DESALINHAMENTO METALURGIA DA SOLDAGEM

121 DESALINHAMENTO METAL BASE METALURGIA DA SOLDAGEM

122 EMBICAMENTO METALURGIA DA SOLDAGEM

123 EMBICAMENTO METAL BASE METALURGIA DA SOLDAGEM

124 CONCAVIDADE EXCESSIVA METAL BASE METALURGIA DA SOLDAGEM

125 CONCAVIDADE EXCESSIVA METAL BASE METALURGIA DA SOLDAGEM

126 CONVEXIDADE EXCESSIVA METAL BASE METALURGIA DA SOLDAGEM

127 CONVEXIDADE EXCESSIVA METAL BASE METALURGIA DA SOLDAGEM

128 DEFORMAÇÃO ANGULAR METALURGIA DA SOLDAGEM

129 DEFORMAÇÃO ANGULAR METAL BASE METALURGIA DA SOLDAGEM

130 DEPOSIÇÃO INSUFICIENTE METALURGIA DA SOLDAGEM

131 DEPOSIÇÃO INSUFICIENTE METAL BASE METALURGIA DA SOLDAGEM

132 FALTA DE PENETRAÇÃO METAL BASE METALURGIA DA SOLDAGEM

133 FALTA DE PENETRAÇÃO METAL BASE METALURGIA DA SOLDAGEM

134 FALTA DE FUSÃO METAL BASE METALURGIA DA SOLDAGEM

135 FALTA DE FUSÃO METALURGIA DA SOLDAGEM

136 MORDEDURA METAL BASE METALURGIA DA SOLDAGEM

137 MORDEDURA METALURGIA DA SOLDAGEM

138 REFORÇO EXCESSIVO METAL BASE METALURGIA DA SOLDAGEM

139 SOBREPOSIÇÃO METAL BASE METALURGIA DA SOLDAGEM

140 DESCONTINUIDADES METALÚRGICAS POROSIDADE INCLUSÕES DECOESÃO LAMELAR TRINCAS DE REAQUECIMENTO TRINCAS A QUENTE TRINCAS A FRIO METALURGIA DA SOLDAGEM

141 POROSIDADE POROSIDADE METAL BASE METAL DE SOLDA METALURGIA DA SOLDAGEM

142 POROSIDADE METALURGIA DA SOLDAGEM

143 POROSIDADE METALURGIA DA SOLDAGEM

144 INCLUSÕES INCLUSÕES METAL BASE METAL DE SOLDA METALURGIA DA SOLDAGEM

145 INCLUSÕES METALURGIA DA SOLDAGEM

146 DECOESÃO LAMELAR Aparece no metal base ( laminado ) Grandes espessuras Juntas em ângulo ( T ou L ) São Intergranulares METALURGIA DA SOLDAGEM

147 DECOESÃO LAMELAR METAL BASE LAMIANDO METALURGIA DA SOLDAGEM

148 DECOESÃO LAMELAR METALURGIA DA SOLDAGEM

149 Solução para DECOESÃO LAMELAR AMANTEGAMENTO METAL BASE LAMIANDO METALURGIA DA SOLDAGEM

150 TRINCAS DE REAQUECIMENTO Ocorre na Zona Termicamente Afetada ( ZTA ) Em Tratamentos Térmicos Em Serviços a Elevadas Temperaturas São Intergranulares METALURGIA DA SOLDAGEM

151 TRINCAS DE REAQUECIMENTO CONTORNO DE GRÃO NA ZTA C C C C CARBONETOS CARBONETOS C C C ALTAS TEMPERATURAS METALURGIA DA SOLDAGEM

152 TRINCAS DE REAQUECIMENTO METALURGIA DA SOLDAGEM

153 TRINCAS A QUENTE TRINCAS de SOLIDIFICAÇÃO Associa-se a: presença de P e S altos níveis de tensão temperatura elevada METALURGIA DA SOLDAGEM

154 TRINCAS A QUENTE FASE SÓLIDA FASE LÍQUIDA FASE SÓLIDA S P TRINCA METAL BASE P S METAL DE SOLDA S S P METAL DE SOLDA METAL BASE METALURGIA DA SOLDAGEM

155 TRINCAS A QUENTE FÓSFORO ENXOFRE

156 TRINCAS A QUENTE METALURGIA DA SOLDAGEM

157 TRINCAS A QUENTE METALURGIA DA SOLDAGEM

158 TRINCA A FRIO TRINCA INDUZIDA PELO H Associa-se a: presença de H altos níveis de tensão microestrutura frágil temperatura baixa METALURGIA DA SOLDAGEM

159 H 2 O TRINCAS A FRIO H + H+ H+ H 2 O Z T A Z T A H+ H+ H+ H+ H 2 H 2 H+ H+ H+ H+ METAL DE SOLDA METALURGIA DA SOLDAGEM

160 TRINCAS A FRIO METALURGIA DA SOLDAGEM

161 TRINCAS!!! METALURGIA DA SOLDAGEM

162 TIPOS DE TRINCAS METAL BASE ZAC METAL DE SOLDA TRINCA A QUENTE Intergranular TRINCA A FRIO Transgranular Transgranular TRINCA DE REAQUECIMENTO Intergranular DECOESÃO LAMELAR Intergranular METALURGIA DA SOLDAGEM

163 TIPOS DE TRINCAS TRINCA A QUENTE - Reduzir os teores de P e S - Adicionar Mn SOLUÇÃO TRINCA A FRIO - Pré e Pós aquecimento - Tratamento Térm. de Alívio de Tensões TRINCA DE REAQUECIMENTO - Reduzir o teor de C - Minimizar a ZAC DECOESÃO LAMELAR -Realizar um amantegamento - Alterar o projeto METALURGIA DA SOLDAGEM

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 10 DEFEITOS EM OPERAÇÕES DE SOLDAGEM

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 10 DEFEITOS EM OPERAÇÕES DE SOLDAGEM 70 CAPÍTULO 10 DEFEITOS EM OPERAÇÕES DE SOLDAGEM 71 DESCONTINUIDADES MAIS FREQÜENTES NAS OPERAÇÕES DE SOLDAGEM Podemos definir descontinuidade como sendo uma interrupção das estruturas típicas de uma junta

Leia mais

Processo de soldagem: Os processos de soldagem podem ser classificados pelo tipo de fonte de energia ou pela natureza da união.

Processo de soldagem: Os processos de soldagem podem ser classificados pelo tipo de fonte de energia ou pela natureza da união. Soldagem Tipos de Soldagem Soldagem Processo de soldagem: Os processos de soldagem podem ser classificados pelo tipo de fonte de energia ou pela natureza da união. Tipos de Fontes Mecânica: Calor gerado

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: FUNDIÇÃO E SOLDAGEM Código da Disciplina: EMC238 Curso: Engenharia Mecânica Semestre de oferta da disciplina: 9 o Faculdade responsável: Engenharia Mecânica Programa

Leia mais

Processo, Consumíveis, Técnicas e Parâmetros, Defeitos e Causas

Processo, Consumíveis, Técnicas e Parâmetros, Defeitos e Causas INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Processo, Consumíveis, Técnicas e Parâmetros, Defeitos e Causas Professor: Anderson Luís Garcia Correia Unidade Curricular de Processos

Leia mais

Processo, Tipos, Técnicas, Defeitos e Causas

Processo, Tipos, Técnicas, Defeitos e Causas INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Processo, Tipos, Técnicas, Defeitos e Causas Professor: Anderson Luís Garcia Correia 01 de março de 2017 A solda é a união de materiais,

Leia mais

Descontinuidades na solda

Descontinuidades na solda Descontinuidade & Defeito 1. Dimensionais 2. Estruturais 3. Relacionadas com propriedades indesejáveis no perfil da solda 4. Relacionadas com as propriedades do metal de base 1.Descontinuidades Dimensionais:

Leia mais

DEFEITOS EM SOLDAGEM. Preparado por: Ramón S. C. Paredes, Dr. Engº.

DEFEITOS EM SOLDAGEM. Preparado por: Ramón S. C. Paredes, Dr. Engº. DEFEITOS EM SOLDAGEM Preparado por: Ramón S. C. Paredes, Dr. Engº. 1 Trinca longitudinal na ZTA. 2 Trinca longitudinal na ZF 3 Trinca de cratera Defeitos do metal de solda Alguns dos defeitos que podem

Leia mais

Processo de Soldagem Eletrodo Revestido

Processo de Soldagem Eletrodo Revestido Processos de Fabricação I Processo de Soldagem Eletrodo Revestido Prof.: João Carlos Segatto Simões Características gerais O Processo Manual Taxa de deposição: 1 a 5 kg/h Fator de ocupação do soldador

Leia mais

PROCESSOS DE FABRICAÇÃO III SOLDAGEM METALURGIA DA SOLDAGEM

PROCESSOS DE FABRICAÇÃO III SOLDAGEM METALURGIA DA SOLDAGEM PROCESSOS DE FABRICAÇÃO III SOLDAGEM METALURGIA DA SOLDAGEM Professor: Moisés Luiz Lagares Júnior 1 METALURGIA DA SOLDAGEM A JUNTA SOLDADA Consiste: Metal de Solda, Zona Afetada pelo Calor (ZAC), Metal

Leia mais

Processo, Tipos e Classificação de Eletrodos, Técnicas, Defeitos e Causas

Processo, Tipos e Classificação de Eletrodos, Técnicas, Defeitos e Causas INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Processo, Tipos e Classificação de Eletrodos, Técnicas, Defeitos e Causas Professor: Anderson Luís Garcia Correia Unidade Curricular

Leia mais

Professor: Luciano Rodrigues Ornelas de Lima

Professor: Luciano Rodrigues Ornelas de Lima Ligações Soldadas Primeira Parte Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civilil PGECIV - Mestrado Acadêmico Faculdade de Engenharia FEN/UERJ Disciplina: Tópicos Especiais em Estruturas (Ligações em Aço

Leia mais

Avaliação das principais descontinuidades encontradas nas juntas soldadas, causas e possíveis soluções

Avaliação das principais descontinuidades encontradas nas juntas soldadas, causas e possíveis soluções Contribuição técnica nº 9 Avaliação das principais descontinuidades encontradas nas juntas soldadas, causas e possíveis soluções Autor: Paulo Rogerio Santos de Novais novais.welding@gmail.com Resumo: Os

Leia mais

3. PROCESSO DE SOLDAGEM COM ELETRODO REVESTIDO

3. PROCESSO DE SOLDAGEM COM ELETRODO REVESTIDO 1 3. PROCESSO DE SOLDAGEM COM ELETRODO REVESTIDO O processo de soldagem com eletrodo revestido é um processo no qual a fusão do metal é produzida pelo aquecimento de um arco elétrico, mantido entre a ponta

Leia mais

Ligações Soldadas Parte I

Ligações Soldadas Parte I Ligações Soldadas Parte I Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil PGECIV - Mestrado Acadêmico Faculdade de Engenharia FEN/UERJ Disciplina: Ligações em Estruturas de Aço e Mistas Professor: Luciano

Leia mais

Exercício de Fixação Aula 06 MIG-MAG - TIG

Exercício de Fixação Aula 06 MIG-MAG - TIG Exercício de Fixação Aula 06 MIG-MAG - TIG Manufatura Mecânica: Soldagem 8º e 9º Período Aluno: Professor: Julio Cesar Data: Orientações: Os exercícios deverão ser feitos manuscritos e individual; Responda

Leia mais

TECNOLOGIA MECÂNICA. Aula 09 PROCESSOS DE FABRICAÇÃO CONFORMAÇÃO E UNIÃO

TECNOLOGIA MECÂNICA. Aula 09 PROCESSOS DE FABRICAÇÃO CONFORMAÇÃO E UNIÃO Aula 09 PROCESSOS DE FABRICAÇÃO CONFORMAÇÃO E UNIÃO Prof. Me. Dario de Almeida Jané Visão geral dos principais Materiais de Engenharia: METAIS POLÍMEROS ELASTÔMEROS CERÂMICOS COMPÓSITOS FERROSOS TERMOPLÁSTICOS

Leia mais

Processo d e soldagem

Processo d e soldagem Processo de soldagem Conteúdo Descrição do processo Equipamento e consumíveis Técnica de soldagem Principais defeitos e descontinuidades Aplicações Processo MMA ou SMAW Definição: soldagem a arco elétrico

Leia mais

SOLDAGEM MIG/MAG. Prof. Marcos Dorigão Manfrinato 1 MIG/MAG BIG MAC

SOLDAGEM MIG/MAG. Prof. Marcos Dorigão Manfrinato 1 MIG/MAG BIG MAC SOLDAGEM MIG/MAG Prof. Marcos Dorigão Manfrinato 1 MIG/MAG BIG MAC MIG 2 SOLDAGEM MIG/MAG A soldagem a arco com proteção gasosa (gás metal arc welding GMAW). A proteção do arco e da região da solda contra

Leia mais

Processos de Soldagem Soldagem a Arco com Arame Tubular

Processos de Soldagem Soldagem a Arco com Arame Tubular Processos Soldagem a Arco com Arame Tubular A soldagem a arco com arame tubular - Flux Cored Arc Welding (FCAW), foi desenvolvida visando unir as vantagens do processo MIG/MAG (semiautomático ou automático)

Leia mais

SOLDABILIDADE DOS AÇOS INOXIDÁVEIS RESUMO DA SOLDABILIDADE DOS AÇOS INOXIDÁVEIS

SOLDABILIDADE DOS AÇOS INOXIDÁVEIS RESUMO DA SOLDABILIDADE DOS AÇOS INOXIDÁVEIS SOLDABILIDADE DOS AÇOS INOXIDÁVEIS RESUMO DA SOLDABILIDADE DOS AÇOS INOXIDÁVEIS Ramón S. Cortés Paredes, Dr. Eng. LABATS DEMEC UFPR 1 Diagrama de Schaeffler (1) Formação de trincas de solidificação ou

Leia mais

Aula 13 e 14: Soldagem Eletrodo Revestido TIG MIG/MAG Arco Submerso

Aula 13 e 14: Soldagem Eletrodo Revestido TIG MIG/MAG Arco Submerso Aula 13 e 14: Soldagem Eletrodo Revestido TIG MIG/MAG Arco Submerso A solda pode ser definida como uma união de peças metálicas, cujas superfícies se tornaram plásticas ou liquefeitas, por ação de calor

Leia mais

Trabalho de solidificação. Soldagem. João Carlos Pedro Henrique Gomes Carritá Tainá Itacy Zanin de Souza

Trabalho de solidificação. Soldagem. João Carlos Pedro Henrique Gomes Carritá Tainá Itacy Zanin de Souza Trabalho de solidificação Soldagem João Carlos Pedro Henrique Gomes Carritá Tainá Itacy Zanin de Souza Introdução A soldagem é um processo de fabricação, do grupo dos processos de união, que visa o revestimento,

Leia mais

Junção de peças metálicas por contato e aquecimento. Processos por fusão: fusão local das partes, necessidade de metal de adição (geralmente).

Junção de peças metálicas por contato e aquecimento. Processos por fusão: fusão local das partes, necessidade de metal de adição (geralmente). SOLDAGEM 1. Introdução Junção de peças metálicas por contato e aquecimento. Processos por fusão: fusão local das partes, necessidade de metal de adição (geralmente). Processos por pressão: aquecimento

Leia mais

Terminologia de Soldagem Regiões e Geometria da Junta Soldada

Terminologia de Soldagem Regiões e Geometria da Junta Soldada Terminologia de Regiões e Geometria da Junta Soldada As regiões e a geometria da junta soldada possuem relação com a integridade estrutural da junta. Atribuir nomes às distintas regiões da junta equivale

Leia mais

CAPÍTULO 7 SOLDAGEM TIG

CAPÍTULO 7 SOLDAGEM TIG SOLDAGEM DOS METAIS 46 CAPÍTULO 7 SOLDAGEM TIG SOLDAGEM DOS METAIS 47 PROCESSO DE SOLDAGEM TIG (Tungsten Inert Gas) GTAW É um processo de soldagem por fusão, a arco elétrico que utiliza o calor gerado

Leia mais

TÍTULO: ESTUDO COMPARATIVO DAS ZONAS TERMICAMENTE AFETADA DO AÇO ABNT 1045 SOLDADO POR ELETRODO REVESTIDO E MAG

TÍTULO: ESTUDO COMPARATIVO DAS ZONAS TERMICAMENTE AFETADA DO AÇO ABNT 1045 SOLDADO POR ELETRODO REVESTIDO E MAG TÍTULO: ESTUDO COMPARATIVO DAS ZONAS TERMICAMENTE AFETADA DO AÇO ABNT 1045 SOLDADO POR ELETRODO REVESTIDO E MAG CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE

Leia mais

Ensaio Visual e Dimensional Duração: 180 minutos. 1ª PARTE Inspeção Visual e Dimensional de Juntas. Preparadas Para Soldagem

Ensaio Visual e Dimensional Duração: 180 minutos. 1ª PARTE Inspeção Visual e Dimensional de Juntas. Preparadas Para Soldagem Ensaio Visual e Dimensional Duração: 180 minutos Introdução Nesta prova prática, o aluno deve verificar as condições exigíveis para a realização de ensaio visual e dimensional de juntas preparadas para

Leia mais

SOLDAGEM COM PLASMA E FORA DA GRAVIDADE.

SOLDAGEM COM PLASMA E FORA DA GRAVIDADE. SOLDAGEM COM PLASMA E FORA DA GRAVIDADE. HISTÓRICO O processo de soldagem a Plasma (PAW) foi introduzido na indústria em 1964 como um método que possuía um melhor controle de soldagem em níveis mais baixos

Leia mais

Soldagem Mecanizada de Tanques de Estocagem com Alta Produtividade

Soldagem Mecanizada de Tanques de Estocagem com Alta Produtividade Soldagem Mecanizada de Tanques de Estocagem com Alta Produtividade Maio 2016 1 Documento Confidencial da White Martins Objetivo Apresentar tecnologias que possibilitam aumento de produtividade e/ou ganhos

Leia mais

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Módulo IV Aula 07 Solda A soldagem é um tema muito extenso. Basicamente a soldagem é a união de materiais, mas existem inúmeros processos totalmente diferentes

Leia mais

PROCESSOS DE FABRICAÇÃO III SOLDAGEM MODOS DE TRANSFERÊNCIA METÁLICA MIG/MAG DEFEITOS EM SOLDAGEM E ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS

PROCESSOS DE FABRICAÇÃO III SOLDAGEM MODOS DE TRANSFERÊNCIA METÁLICA MIG/MAG DEFEITOS EM SOLDAGEM E ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS PROCESSOS DE FABRICAÇÃO III SOLDAGEM MODOS DE TRANSFERÊNCIA METÁLICA MIG/MAG E ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS Professor: Moisés Luiz Lagares Júnior 1 MODOS DE TRANSFERÊNCIA METÁLICA MIG/MAG Forças que governam

Leia mais

(a) Representação esquemática da soldagem por fusão; (b) Macrografia de uma junta

(a) Representação esquemática da soldagem por fusão; (b) Macrografia de uma junta 1 1. A TÉCNICA DA SOLDAGEM E CONCEITUAÇÕES Um grande número de processos utilizados na fabricação e recuperação de peças, equipamentos e estruturas é abrangido pelo termo SOLDAGEM. Soldagem é a operação

Leia mais

GRSS. MIG Brazing BRITE EURAM III. MIG Brazing

GRSS. MIG Brazing BRITE EURAM III. MIG Brazing MIG BRAZING O processo MIG BRAZING é um processo de SOLDABRASAGEM porque ocorre a fusão parcial do metal de base e a capilaridade é mínima. Soldagem Fusão do MA e MB; Soldabrasagem Fusão do MA e parcial

Leia mais

Processo de Soldagem Eletroescória HISTÓRICO

Processo de Soldagem Eletroescória HISTÓRICO Processo de Soldagem Eletroescória HISTÓRICO Prof. Luiz Gimenes Jr. Prof. Manuel Saraiva Clara Os precursores do processo começaram ainda no século passado com a soldagem na posição vertical em um único

Leia mais

SOLDAGEM A ARCO ELÉTRICO SOB PROTEÇÃO GASOSA

SOLDAGEM A ARCO ELÉTRICO SOB PROTEÇÃO GASOSA SOLDAGEM A ARCO ELÉTRICO SOB PROTEÇÃO GASOSA PROCESSO MIG/MAG Rev. 07/2014 ATENÇÃO Importante: Leia este manual atentamente antes de utilizar o produto. Em caso de falta de experiência ou desconhecimento

Leia mais

Processo de Soldagem a Gás

Processo de Soldagem a Gás Processo a Gás Este texto apresenta aspectos relacionados com o Processo a Gás, envolvendo equipamentos de soldagem, tipos e funções dos gases, tipos e funções dos combustíveis, tipos de chama, características

Leia mais

BACKING CERÂMICO. Conheça as vantagens de utilização deste produto. soldor.com.br

BACKING CERÂMICO. Conheça as vantagens de utilização deste produto. soldor.com.br BACKING CERÂMICO Conheça as vantagens de utilização deste produto. soldor.com.br 21 2450 1121 2450 2544 comercial@soldor.com.br Rua Ibiá, 305 Turiaçú Rio de Janeiro RJ CEP 21540-070 O backing cerâmico

Leia mais

SEM DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I

SEM DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I SEM 0564 - DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I Notas de Aulas v.2017 Aula 07 Componentes de fixação: parafusos, porcas, rebites e Soldas (noções de simbologia) Prof. Assoc. Carlos Alberto Fortulan Departamento

Leia mais

Processos de Soldagem Soldagem TIG

Processos de Soldagem Soldagem TIG Processos Soldagem TIG Na soldagem TIG - Tungsten Inert Gás (GTAW), a união de metais ocorre por meio do aquecimento e fusão destes com um arco elétrico, estabelecido entre a extremidade de um eletrodo

Leia mais

Backings Cerâmicos e suas aplicações

Backings Cerâmicos e suas aplicações Backings Cerâmicos e suas aplicações voestalpine Böhler Welding Backings Cerâmicos e suas aplicações Os backings cerâmicos são produzidos com cerâmica resistente a altas temperaturas, a partir da combinação

Leia mais

2.4- Monitoramento e Controle de Processos de Soldagem e de Linhas de Montagem. Prof. Dr. Rafael Laranja

2.4- Monitoramento e Controle de Processos de Soldagem e de Linhas de Montagem. Prof. Dr. Rafael Laranja 2.4- Monitoramento e Controle de Processos de Soldagem e de Linhas de Montagem Prof. Dr. Rafael Laranja Introdução Todo e qualquer componente fabricado será montado. Um processo de montagem geralmente

Leia mais

Ligações Soldadas FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO - FATEC SP DISCIPLINA: ESTRUTURAS III DEPARTAMENTO: EDIFÍCIOS

Ligações Soldadas FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO - FATEC SP DISCIPLINA: ESTRUTURAS III DEPARTAMENTO: EDIFÍCIOS FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO - FATEC SP Ligações Soldadas DISCIPLINA: ESTRUTURAS III DEPARTAMENTO: EDIFÍCIOS PROFESSOR: JOSÉ NAGIB MIZIARA FILHO 2013 Ligações Soldadas Faculdade de Tecnologia de

Leia mais

Grupo I Caso Prático (10 valores) tempo estimado: 1h05min

Grupo I Caso Prático (10 valores) tempo estimado: 1h05min 1ª Época 24 de Janeiro de 2009 Complementos de Tecnologia Mecânica Mestrado em Engenharia Mecânica Professor Pedro Vilaça 1º Semestre do ano lectivo 2008/2009 Duração: 2h00 Grupo I Caso Prático (10 valores)

Leia mais

Crítica à terminologia de soldagem adotada pela ABNT PONDERAÇÕES SOBRE A NOVA REDAÇÃO DA ABNT/ONS-58 por Almir Quites Fev-2011

Crítica à terminologia de soldagem adotada pela ABNT PONDERAÇÕES SOBRE A NOVA REDAÇÃO DA ABNT/ONS-58 por Almir Quites Fev-2011 www.soldasoft.com.br Crítica à terminologia de soldagem adotada pela ABNT PONDERAÇÕES SOBRE A NOVA REDAÇÃO DA ABNT/ONS-58 por Almir Quites Fev-2011 Prezados Srs e Sras. Apresento aqui minhas ponderações

Leia mais

GUIA DE SOLUÇÕES PARA SOLDAGEM COM ELETRODOS REVESTIDOS

GUIA DE SOLUÇÕES PARA SOLDAGEM COM ELETRODOS REVESTIDOS www.gerdau.com.br GUIA DE SOLUÇÕES PARA SOLDAGEM COM ELETRODOS REVESTIDOS VENDAS SÃO PAULO Tel. (11) 3094-6500 Fax (11) 3094-6303 e-mail: atendimentogerdau.sp@gerdau.com.br NORTE / NORDESTE Pernambuco

Leia mais

CURSO TÉCNICO CAD/CAM ÓRGÃOS DE MÁQUINAS NUNO MIGUEL DINIS

CURSO TÉCNICO CAD/CAM ÓRGÃOS DE MÁQUINAS NUNO MIGUEL DINIS CURSO TÉCNICO CAD/CAM 2008-2009 ÓRGÃOS DE MÁQUINAS NUNO MIGUEL DINIS Este foi um dos módulos mais fáceis e divertidos que tivemos pois a matéria já era do meu conhecimento e já tinha tido experiência a

Leia mais

PROVA DE SELEÇÃO 2016 Página: 1 de 7

PROVA DE SELEÇÃO 2016 Página: 1 de 7 Página: 1 de 7 1) Considerando as responsabilidades do Inspetor de Soldagem Nível 1, em relação à qualificação e certificação dos procedimentos de soldagem e às normas técnicas, identifique a única opção

Leia mais

Soldagem CONTEÚDO 5/2/2013 2

Soldagem CONTEÚDO 5/2/2013 2 2012 5/2/2013 1 Soldagem CONTEÚDO 1. Conceitos fundamentais da soldagem; 2. Introdução a soldagem; 3. Processos de Brasagem, Soldagem e Corte; 4. Terminologia da Soldagem; 5. Simbologia da Soldagem; 6.

Leia mais

Soldagem I Lista de Exercícios

Soldagem I Lista de Exercícios Soldagem I Lista de Exercícios 1. Defina soldagem com base em (a) suas características operacionais e (b) seus mecanismos de união. (c) Dois blocos de gelo colocados em contato com uma pequena pressão

Leia mais

PROCESSOS DE FABRICAÇÃO III SOLDAGEM FORMAÇÃO DO CORDÃO DE SOLDA E CUSTOS DE SOLDAGEM

PROCESSOS DE FABRICAÇÃO III SOLDAGEM FORMAÇÃO DO CORDÃO DE SOLDA E CUSTOS DE SOLDAGEM PROCESSOS DE FABRICAÇÃO III SOLDAGEM FORMAÇÃO DO CORDÃO DE SOLDA E CUSTOS DE SOLDAGEM Professor: Moisés Luiz Lagares Júnior 1 FORMAÇÃO DO CORDÃO DE SOLDA Normalmente o cordão de solda é caracterizado pela

Leia mais

Meios de Ligação. Ligações nas Estruturas Metálicas Aço. O uso do Aço na Arquitetura 1 Aluízio Fontana Margarido. Objetivo.

Meios de Ligação. Ligações nas Estruturas Metálicas Aço. O uso do Aço na Arquitetura 1 Aluízio Fontana Margarido. Objetivo. O uso do Aço na Arquitetura 1 Aluízio Fontana Margarido Meios de Ligação 4 Objetivo Conhecer os sistemas de ligação utilizados nas estruturas de aço Ligações nas Estruturas Metálicas Aço As ligações nas

Leia mais

CORROSÃO INTERGRANULAR EM JUNTAS SOLDADAS - PARTE III

CORROSÃO INTERGRANULAR EM JUNTAS SOLDADAS - PARTE III CORROSÃO INTERGRANULAR EM JUNTAS SOLDADAS - PARTE III Eng. Ricardo Fedele, MSc. Engenheiro de Aplicação da Boehler Thyssen Técnica de Soldagem Ltda Prof. do Dep. de Eng. Mecânica e Metalúrgica da Escola

Leia mais

SOLDAGEM 6/16/2016 BIBLIOGRAFIA CLASSIFICAÇÃO DOS PROCESSOS DE FABRICAÇÃO BIBLIOGRAFIA SUPLEMENTAR

SOLDAGEM 6/16/2016 BIBLIOGRAFIA CLASSIFICAÇÃO DOS PROCESSOS DE FABRICAÇÃO BIBLIOGRAFIA SUPLEMENTAR BIBLIOGRAFIA SOLDAGEM Livro Texto: Tecnologia Metalúrgica Prof. José Luís L. Silveira Curso de graduação em Engenharia Mecânica UFRJ Centro de Tecnologia sala I-241 Introdução aos Processos de Fabricação

Leia mais

SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL

SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL METAL/MECÂNICA SENAI RR SENAI RR SENAI, SUA CONQUISTA ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DOS CURSOS Catálogo de Cursos 1. TÍTULO INTRODUÇÃO À HIDRÁULICA Proporcionar ao treinando a compreensão dos 2. OBJETIVO princípios

Leia mais

Soldagem de Aços Inoxidáveis

Soldagem de Aços Inoxidáveis Soldagem de Aços Inoxidáveis Conceito de Soldabilidade Previsão da soldabilidade Ramón S. Cortés Paredes, Dr. Eng. LABATS DEMEC UFPR Soldagem de Aços Inoxidáveis A Americam Welding AWS define Soldabilidade

Leia mais

4 Soldabilidade. 4.1 Testes de Soldabilidade

4 Soldabilidade. 4.1 Testes de Soldabilidade 27 4 Soldabilidade A soldabilidade pode ser definida como a capacidade que um material apresenta de ser soldado sob as condições impostas pelos códigos e normas de fabricação para uma estrutura específica

Leia mais

Trabalho Prático N o :. Técnica Operatória da Soldagem SAW

Trabalho Prático N o :. Técnica Operatória da Soldagem SAW Trabalho Prático N o :. Técnica Operatória da Soldagem SAW 1. Objetivos: Familiarizar-se com o arranjo e a operação do equipamento utilizado na soldagem mecanizada ao arco submerso. Familiarizar-se com

Leia mais

consumíveis de solda

consumíveis de solda consumíveis de solda TOTALFIX APRESENTA HYUNDAI WELDING TOTALFIX, uma empresa especializada na distribuição exclusiva de marcas que representam qualidade e alto padrão tecnológico, apresenta mais uma inovação.

Leia mais

CONTEÚDOS PROGRAMADOS. (Comando Numérico EEK 561)

CONTEÚDOS PROGRAMADOS. (Comando Numérico EEK 561) (Comando Numérico EEK 5) Introdução Tipos de controle do movimento. Meios de entrada de dados e armazenagem de informações. Elementos de acionamento. Sistemas de controle. Eixos coordenados em maquinas

Leia mais

Metalurgia da Soldagem dos Aços Inoxidáveis Duplex

Metalurgia da Soldagem dos Aços Inoxidáveis Duplex Metalurgia da Soldagem dos Aços Inoxidáveis Duplex Soldagem dos Aços Inoxidáveis Duplex Aspectos Gerais São ligas de uso relativamente recente. Microestrutura tipos austenitico e ferrítico. Em função de

Leia mais

Rev. 08/2014 PROCESSO TIG

Rev. 08/2014 PROCESSO TIG PROCESSO TIG Rev. 08/2014 ATENÇÃO Importante: Leia este manual atentamente antes de utilizar o produto. Em caso de falta de experiência ou desconhecimento dos métodos e o funcionamento seguro, consulte

Leia mais

Metalurgia da Soldagem Aspectos Térmicos da Soldagem

Metalurgia da Soldagem Aspectos Térmicos da Soldagem Metalurgia da Soldagem Aspectos Térmicos da Soldagem Neste texto você conhecerá os aspectos térmicos relacionados com o processo de soldagem, que compreendem a Energia, o Ciclo Térmico, a Repartição Térmica

Leia mais

Preparação de Amostras Metalográficas. Curso de Preparação de Amostras Metalográficas. Karin Soldatelli Borsato

Preparação de Amostras Metalográficas. Curso de Preparação de Amostras Metalográficas. Karin Soldatelli Borsato Curso de Preparação de Amostras Metalográficas Preparação de Amostras Metalográficas Fornecer e fundamentar técnicas de preparação metalográfica. Engenheiros, técnicos, estudantes de graduação e pós-graduação

Leia mais

Gerando Valor ao Cliente. Augusto Franco Gerente Nacional de Vendas

Gerando Valor ao Cliente. Augusto Franco Gerente Nacional de Vendas Gerando Valor ao Cliente Augusto Franco Gerente Nacional de Vendas Gerando Valor ao Cliente Programa da Apresentação: Valores e Missões Tecnologia Gerando Valor Redução de Custos Casos Práticos Ferramentas

Leia mais

Submerged Arc Welding

Submerged Arc Welding SOLDAGEM COM ARCO SUBMERSO SUBMERGED ARC WELDING (SAW) Definição SAW é um processo na qual a união de metais se dá pelo calor fornecido por um arco elétrico entre um eletrodo nu e uma peça. O nome desse

Leia mais

Universidade Estadual de Ponta Grossa Departamento de Engenharia de Materiais Disciplina: Desenho Técnico Simbologia de soldagem

Universidade Estadual de Ponta Grossa Departamento de Engenharia de Materiais Disciplina: Desenho Técnico Simbologia de soldagem Universidade Estadual de Ponta Grossa Departamento de Engenharia de Materiais Disciplina: Desenho Técnico Simbologia de soldagem Terminologia (juntas, tipos de juntas, chanfros) Simbologia 2º semestre

Leia mais

Processos de Soldagem. Valter V de Oliveira

Processos de Soldagem. Valter V de Oliveira Processos de Soldagem Valter V de Oliveira Introdução Processos de junção são empregados para unir dois ou mais componentes, de forma que estes passem a apresentar um movimento de corpo rígido. O termo

Leia mais

LIGAÇÕES SOLDADAS Maj Moniz de Aragão

LIGAÇÕES SOLDADAS Maj Moniz de Aragão SEÇÃO DE ENSINO DE ENGENHARIA DE FORTIFICAÇÃO E CONSTRUÇÃO ESTRUTURAS METÁLICAS LIGAÇÕES SOLDADAS Maj Moniz de Aragão 1. Resistência do material da solda (pág. 11). Coeficientes de ponderação (pág. 14)

Leia mais

Soldagem com Arame Sólido sob Proteção Gasosa - GMAW

Soldagem com Arame Sólido sob Proteção Gasosa - GMAW Soldagem com Arame Sólido sob Proteção Gasosa - GMAW Histórico Concepção básica 1920 Processo de alta densidade de corrente utilizando pequenos diâmetros de eletrodos de metais específicos Alumínio e ligas

Leia mais

Aço Inoxidável Ferrítico com 11% de Cromo para Construção Soldada. Columbus Stainless. Nome X2CrNil2. Elementos C Mn Si Cr Ni N P S

Aço Inoxidável Ferrítico com 11% de Cromo para Construção Soldada. Columbus Stainless. Nome X2CrNil2. Elementos C Mn Si Cr Ni N P S Aço Inoxidável Ferrítico com 11% de Cromo para Construção Soldada ArcelorMittal Inox Brasil S.A. Ugine S.A. Columbus Stainless P410D F12N 3CR12 * equivalência aproximada Designação Européia NF EN 10088-2

Leia mais

Caracterização de soldas dissimilares depositadas pelo processo MIG com uma superliga de níquel

Caracterização de soldas dissimilares depositadas pelo processo MIG com uma superliga de níquel Caracterização de soldas dissimilares depositadas pelo processo MIG com uma superliga de níquel Mota, C. A. M. (1); Nascimento, A. S.(1); Silva, D. A. S.(1); Sodré, R. M. R. (1); Medeiros, F. P.(1); Gil,

Leia mais

Processo de Soldadura com Eléctrodo não consumível de Tungsténio e Protecção Gasosa Inerte TIG / GTAW / WIG / 141

Processo de Soldadura com Eléctrodo não consumível de Tungsténio e Protecção Gasosa Inerte TIG / GTAW / WIG / 141 Processo de Soldadura com Eléctrodo não consumível de Tungsténio e Protecção Gasosa Inerte TIG / GTAW / WIG / 141 Direcção de Formação EWE / IWE Módulo 1.7 Italo Fernandes EWE / IWE - Módulo 1.7 EWE/IWE

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina MEC323 Processos de Fabricação por Soldagem

Programa Analítico de Disciplina MEC323 Processos de Fabricação por Soldagem 0 Programa Analítico de Disciplina Departamento de Engenharia de Produção e Mecânica - Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Número de créditos: Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 15 Carga

Leia mais

Soldagem de Alumínio MIG/TIG

Soldagem de Alumínio MIG/TIG Soldagem de Alumínio MIG/TIG Eng Augusto Franco Gerente de Produtos e Serviços Eutectic do Brasil Programa O Alumínio na industria brasileira Ligas de alumínio Seleção do material de adição Qualidade do

Leia mais

Caracterização microestrutural do aço ASTM-A soldado por GMAW.

Caracterização microestrutural do aço ASTM-A soldado por GMAW. UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO USP ESCOLA DE ENGENHARIA DE LORENA Caracterização microestrutural do aço ASTM-A516-10-60 soldado por GMAW. Alunos: Alexandre Dutra Golanda Guilherme Souza Leite Paulo Ricardo

Leia mais

Soldagem CONTEÚDO 04/05/2013 2

Soldagem CONTEÚDO 04/05/2013 2 2012 04/05/2013 1 Soldagem CONTEÚDO 1. Conceitos Fundamentais da Soldagem; 2. Introdução a Soldagem; 3. Processos de Brasagem, Soldagem e Corte; 4. Terminologia da Soldagem; 5. Simbologia da Soldagem;

Leia mais

Técnica Operatória da Soldagem SAW

Técnica Operatória da Soldagem SAW Técnica Operatória da Soldagem SAW Paulo José Modenesi Objetivos Familiarizar-se com o arranjo e a operação do equipamento utilizado na soldagem mecanizada ao arco submerso. Familiaarizar-se com os consumíveis

Leia mais

SOLDAGEM TIG. Prof. Marcos Dorigão Manfrinato 1 SOLDAGEM TIG

SOLDAGEM TIG. Prof. Marcos Dorigão Manfrinato 1 SOLDAGEM TIG Prof. Marcos Dorigão Manfrinato 1 A Soldagem a Arco Gás-Tungstênio (Gas Tungsten Arc Welding - GTAW) ou, como é mais conhecida no Brasil, TIG (Tungsten Inert Gas) é um processo no qual a união é obtida

Leia mais

Estruturas de Aço e Madeira Aula 10 Ligações com Solda

Estruturas de Aço e Madeira Aula 10 Ligações com Solda Estruturas de Aço e Madeira Aula 10 Ligações com Solda - Tipos de Solda; - Definições para Soldas de Filete; - Simbologia e Dimensionamento de Soldas de Filete; Prof. Juliano J. Scremin 1 Aula 10 - Seção

Leia mais

Metalurgia da Soldagem Particularidades Inerentes aos Aços Carbono

Metalurgia da Soldagem Particularidades Inerentes aos Aços Carbono Metalurgia da Soldagem Particularidades Inerentes aos Aços Carbono A partir do estudo deste texto você conhecerá as particularidades inerentes a diferentes tipos de aços: aços de médio carbono (para temperaturas

Leia mais

DEFINIÇÃO DE FUNDIÇÃO. Processo metalúrgico de fabricação que envolve a. fusão de metais ou ligas metálicas, seguida do

DEFINIÇÃO DE FUNDIÇÃO. Processo metalúrgico de fabricação que envolve a. fusão de metais ou ligas metálicas, seguida do Dr. Eng. Metalúrgica Aula 01: 1. Introdução - Definição de fundição. - Características e potencialidades dos processos de fundição. - Princípios fundamentais. 2. Classificação dos Processos de Fundição

Leia mais

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 7 SOLDAGEM TIG

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 7 SOLDAGEM TIG 45 CAPÍTULO 7 SOLDAGEM TIG 46 PROCESSO DE SOLDAGEM TIG (Tungsten Inert Gas) GTAW É um processo de soldagem por fusão, a arco elétrico que utiliza o calor gerado pelo arco formado entre o eletrodo de Tungstênio

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Processos Mecânicos e Metalúrgicos de Fabricação Código da Disciplina: EPD 022 Curso: Engenharia de Produção

Leia mais

SÃO PAULO TURISMO S.A. PROCESSO SELETIVO Nº 001/2007. Cód 54 Serralheiro

SÃO PAULO TURISMO S.A. PROCESSO SELETIVO Nº 001/2007. Cód 54 Serralheiro SÃO PAULO TURISMO S.A. PROCESSO SELETIVO Nº 001/2007 Cód 54 Serralheiro 1. São alguns EPIs (equipamento de proteção individual) a serem utilizados no processo de soldagem: 1) óculos escuros 6-8 ou máscara/óculos.

Leia mais

Descontinuidades e Defeitos na Soldagem 06/05/2013 2

Descontinuidades e Defeitos na Soldagem 06/05/2013 2 2012 06/05/2013 1 Descontinuidades e Defeitos na Soldagem 06/05/2013 2 Descontinuidades e Defeitos Descontinuidade é toda ou qualquer anomalia que uma junta soldada venha apresentar, que altera ou não

Leia mais

PROVA OBJETIVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PARA O CARGO DE: SOLDADOR. Caderno I INSTRUÇÕES

PROVA OBJETIVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PARA O CARGO DE: SOLDADOR. Caderno I INSTRUÇÕES PROVA OBJETIVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PARA O CARGO DE: SOLDADOR Caderno I INSTRUÇÕES É de inteira responsabilidade do candidato, cumprir as instruções contidas nos cadernos de provas, portanto leia

Leia mais

APOSTILA SOLDAGEM É OBRIGATÓRIO O USO DESTA APOSTILA E DO ÓCULOS DE SEGURANÇA NAS AULAS DE LABORATÓRIO

APOSTILA SOLDAGEM É OBRIGATÓRIO O USO DESTA APOSTILA E DO ÓCULOS DE SEGURANÇA NAS AULAS DE LABORATÓRIO APOSTILA PROCESSOS DE FABRICAÇÃO III - MEC021/MEC022 SOLDAGEM É OBRIGATÓRIO O USO DESTA APOSTILA E DO ÓCULOS DE SEGURANÇA NAS AULAS DE LABORATÓRIO ATENÇÃO: NÃO COPIAR ESTA APOSTILA NO MODO FRENTE E VERSO

Leia mais

INTRODUÇAO. Figura 01 - Dispositivo de elevação e posicionador

INTRODUÇAO. Figura 01 - Dispositivo de elevação e posicionador Soldagem de Pinos Prof. Luiz Gimenes Jr. Prof. Marcos Antonio Tremonti INTRODUÇAO A Soldagem de pinos em inglês é designado por stud welding, trata-se de um processo de soldagem a arco elétrico que une

Leia mais

4. SOLDAGEM 4.1. A SOLDAGEM POR FUSÃO

4. SOLDAGEM 4.1. A SOLDAGEM POR FUSÃO 82 4. SOLDAGEM O processo de soldagem constitui uma das maneiras mais práticas e econômicas de se unir partes de um material, contudo, esse processo pode apresentar alguns problemas que devem ser avaliados,

Leia mais

Disciplina: Fundição e Soldagem

Disciplina: Fundição e Soldagem Disciplina: Fundição e Soldagem Prof. Valtair Antonio Ferraresi Laboratório para o Desenvolvimento de Processos de Soldagem - LAPROSOLDA Tópico 1:Soldagem, corte e operações afins Objetivo Descrever e

Leia mais

Produção Computer Integrated Manufacturing (CIM)

Produção Computer Integrated Manufacturing (CIM) INTRODUÇÃO AOS PROCESSOS DE FABRICAÇÃO (Mar 2007) 1. Fabricação: uma das etapas da obtenção de um produto Ciclo de obtenção de um produto Pesquisa de Mercado Definição das necessidades Estudo de viabilidade

Leia mais

Processos de corte. Figura 2. Corte via plasma e maçarico.

Processos de corte. Figura 2. Corte via plasma e maçarico. Processos de corte Mecânicos: corte por cisalhamento através de guilhotinas, tesouras ou similares e por remoção de cavacos através de serras ou usinagem. Figura 1. Guilhotina, serra automática e corte

Leia mais

O tipo de Metal de Base (MB) escolhido é um aço ASTM A 36, de espessura 3/8 e

O tipo de Metal de Base (MB) escolhido é um aço ASTM A 36, de espessura 3/8 e A INFLUÊNCIA DAS VELOCIDADES DE VENTO NO CORDÃO DE SOLDA NO PROCESSO DE SOLDAGEM ARAME TUBULAR AUTO PROTEGIDO Autores : Cristiano José TURRA¹; Mario Wolfart JUNIOR². Identificação autores: 1 Graduando,

Leia mais

Protegendo a solda. O processo de soldagem TIG é o assunto desta aula. Que sigla é essa?

Protegendo a solda. O processo de soldagem TIG é o assunto desta aula. Que sigla é essa? Protegendo a solda Até agora, falamos de processos de soldagem bastante simples, baratos e versáteis, tanto do ponto de vista da variedade de tipos de metais a serem soldados, quanto do ponto de vista

Leia mais

Norma Técnica Interna SABESP NTS 035

Norma Técnica Interna SABESP NTS 035 Norma Técnica Interna SABESP NTS 035 Consumíveis de Soldagem Especificação São Paulo Dezembro - 1999 NTS 035 : 1999 Norma Técnica Interna SABESP S U M Á R I O 1 QUALIFICAÇÃO DE CONSUMÍVEIS DE SOLDAGEM...1

Leia mais

Equipamentos e Técnicas de Pré, Pós-Aquecimento e Tratamento Térmico

Equipamentos e Técnicas de Pré, Pós-Aquecimento e Tratamento Térmico Equipamentos e Técnicas de Pré, Pós-Aquecimento e Tratamento Térmico Neste texto são apresentadas as técnicas e equipamentos utilizados nos processos de pré e pós-aquecimento e no tratamento térmico. São

Leia mais

Gases de Proteção. Gases de Proteção. Produtos e Processos

Gases de Proteção. Gases de Proteção. Produtos e Processos Gases de Proteção. Gases de Proteção Produtos e Processos 02 Linde Índice Índice. Selecionando o gás de proteção Processos de soldagem Linha de produtos Gases de proteção para soldagem de aços carbono

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO UNIJUÍ - UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DCEENG DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E ENGENHARIAS 1 ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE SOLDAGEM MIG/MAG MANUAL E ROBOTIZADA FERNANDO

Leia mais

ALTO FORNO E ACIARIA. Curso: Engenharia Mecânica Disciplina: Tecnologia Metalúrgica Período: Prof. Ms. Thayza Pacheco dos Santos Barros

ALTO FORNO E ACIARIA. Curso: Engenharia Mecânica Disciplina: Tecnologia Metalúrgica Período: Prof. Ms. Thayza Pacheco dos Santos Barros ALTO FORNO E ACIARIA Curso: Engenharia Mecânica Disciplina: Tecnologia Metalúrgica Período: 2017.1 Prof. Ms. Thayza Pacheco dos Santos Barros 1 Alto forno Serve para produzir o ferro gusa, que é uma forma

Leia mais