9º VALOR DAS MARCAS DOS CLUBES BRASILEIROS FINANÇAS DOS CLUBES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "9º VALOR DAS MARCAS DOS CLUBES BRASILEIROS FINANÇAS DOS CLUBES"

Transcrição

1 9º VALOR DAS MARCAS DOS CLUBES BRASILEIROS FINANÇAS DOS CLUBES 2016

2

3 Sumário Prefácio 5 FIFA Fédération Internationale 6 de Football Association CBF Confederação Brasileira de Futebol 9 Federações Estaduais 12 Finanças dos clubes brasileiros Receita total e receita sem transferências de atletas 15 Custo do Departamento de Futebol 43 Superávits / (Déficits) do exercício 46 Endividamento 48 Valor das marcas dos 34 clubes 50 mais valiosos do Brasil Conclusão 95

4

5 Introdução Caro leitor Você está recebendo a 9ª edição do estudo sobre as marcas mais valiosas do futebol brasileiro. A metodologia empregada no estudo deste ano foi a mesma da edição de Desta maneira, apresentamos o ranking dos 34 clubes mais valiosos do futebol brasileiro. Utilizamos variadas informações históricas disponíveis no mercado, como dados financeiros dos clubes, perfil e hábitos dos torcedores, dados de marketing esportivo, engajamento em mídias sociais, além de informações econômicas e sociais dos mercados nacional e local em que eles atuam. Os dados foram atualizados para a composição da métrica de mensuração do valor da marca de cada clube analisado. Além do Valor das Marcas dos Clubes Brasileiros, este estudo traz diversas informações do mercado de futebol, incluindo uma breve abertura sobre as receitas da FIFA (Federação Internacional de Futebol), da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), das Federações Estaduais, além da análise das finanças dos maiores clubes de futebol do Brasil. Após a aprovação do PROFUT (Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro), a profissionalização da gestão nos clubes brasileiros ganhou força e, para que possam cumprir os requisitos mínimos do refinanciamento, os clubes aprofundaram seus trabalhos no seu desenvolvimento comercial e financeiro, e o estudo visa colaborar esse trabalho. O estudo sobre o valor das marcas dos clubes de futebol do Brasil tem como objetivo contribuir com o fluxo de informações e ferramentas de marketing para o mercado do futebol. As análises apresentadas e os dados de cada clube podem contribuir para que os players do futebol no Brasil possam executar seus projetos com dados atuais e focados nos negócios dos clubes e de seus patrocinadores. Boa leitura! Raul Corrêa da Silva Presidente da BDO RCS

6 FIFA Fundada em 1904, em Paris-França e sediada em Zurique-Suíça, a Fédération Internationale de Football Association (FIFA) surgiu da união de alguns países europeus com o objetivo de organizar os torneiros internacionais de futebol. Atualmente, a FIFA, que é composta por 211 federações, tendo inclusive mais associados que a Organização das Nações Unidas (ONU), está presente em mais de 30 países e seu objetivo é a melhora contínua do futebol, atuando de acordo com seus estatutos. Com o decorrer dos anos a FIFA se tornou uma grande potência, conhecida principalmente pela criação e organização do maior torneio de futebol do mundo, que fez com que a entidade tivesse um crescimento exponencial de arrecadação de receita, sendo que os recursos com o evento, nos últimos 10 anos, representaram em média 85% do total da receita da FIFA, conforme visto a seguir: Evolução da Participação dos Recursos com a Copa do Mundo sobre a Receita Total da FIFA Fonte: Balanços FIFA Análise BDO Nos últimos 10 anos, a FIFA apresentou um crescimento de 54% em sua receita total, sendo que em 2015 apresentou um resultado de US$ 1,15 bilhão, uma queda de 45% em relação ao ano anterior. 6

7 Evolução - Receitas e Lucro Líquido FIFA Em US$/ milhões Fonte: Balanços FIFA Análise BDO Percebe-se que, nos anos posteriores à realização da Copa do Mundo, o Lucro Líquido da FIFA apresenta queda, isso devido ao alto investimento na realização do evento, conforme visto, chegam a representar de 77% a 91% da receita. O lucro líquido acumulado nos últimos 10 anos foi US$1,10 bilhão. No entanto, se avaliarmos os triênios precedentes à Copa do Mundo da África do Sul e à Copa do Mundo do Brasil, entre o período de 2007 a 2009 o resultado foi de U$429 milhões, enquanto o período de 2011 a 2013 o resultado foi de U$197 milhões, um decréscimo de 54% em relação ao lucro líquido apesar do crescimento de 25% do faturamento no período analisado. Depois de atingir a maior receita de sua história em 2014, a FIFA apresentou recuo em seu faturamento de 2015, resultando no seu primeiro prejuízo no século. As principais fontes de receita da FIFA são os Direitos de TV e Patrocínio que, somados em 2015, representaram 77% da receita total. Apesar de uma forte queda, os Direitos de TV voltaram ao patamar de 2013, enquanto que o faturamento com patrocínios foi a fonte mais afetada no último ano com queda de 45% em relação ao ano anterior. Foi o menor faturamento com patrocínio desde As receitas com licenciamento e hospitality possuem uma participação minoritária da receita, conforme demonstrado a seguir: 7

8 Evolução Fontes de Receita FIFA Em US$ milhões Fonte: Balanços FIFA Análise BDO 8

9 CBF Confederação Brasileira de Futebol No Brasil, a CBF é a entidade máxima em termos de futebol, fundada em 1914, com o antigo nome Confederação Brasileira de Desportos, é filiada à FIFA e à CONMEBOL (Confederação Sul-Americana de Futebol) e, assim como a FIFA, busca controlar e administrar o futebol no país. A CBF é uma associação privada e tem sua formatação atual desde 1979, sendo voltada especificamente ao futebol. Sendo responsável pela organização dos campeonatos como o Campeonato Brasileiro séries A, B, C e D, além da Copa do Brasil e a administração das seleções Feminina e Masculina. Nos últimos cinco anos, a CBF vem demonstrando resultados positivos em sua gestão, apresentando um incremento de 73% em sua receita total. Apesar da estagnação da receita do último ano, se comparado ao ano anterior, a CBF apresentou lucro líquido acumulado de mais de R$ 300 milhões nos últimos 5 anos, conforme demonstrado a seguir: Evolução Receitas e Lucro Líquido - CBF Em R$ milhões Fonte: Balanço CBF Análise BDO Nota: Não considera valores de receitas financeiras 9

10 Assim como a FIFA, a CBF tem como maior fonte de receita os Patrocínios e os Direitos de TV, nos últimos quatro anos, os mesmos têm representando até 90% da receita total Evolução - Fontes de Receita - CBF Fonte: Balanço CBF Análise BDO Depois do faturamento recorde em 2014, as receitas com patrocínio tiveram leve queda em 2015, entretanto, permanecem como a principal fonte de receita da CBF. Se analisarmos os últimos 5 anos, o crescimento de receita com patrocínio foi de 55%, enquanto os direitos de transmissão apresentaram crescimento de 168% no mesmo período, conforme gráfico a seguir. 10

11 Evolução - Fontes de Receita - CBF Em R$ milhões Source: CBF Balance Sheet BDO Analysis 11

12 Federações Estaduais Tendo como objetivo dirigir o futebol em seus estados, fomentar e aperfeiçoar o esporte, além de organizar os campeonatos estaduais, as Federações Estaduais respondem para a entidade máxima do futebol brasileiro (CBF). Nos últimos anos, essas federações tiveram um crescimento em suas receitas, como podemos ver na tabela a seguir: RK 2015 Receita Total - Federações - Em R$ mil Federeção Receita Total 2015 Receita Total 2014 Variação São Paulo % 2 Rio de Janeiro % 3 Minas Gerais % 4 Rio Grande do Sul % 5 Bahia % 6 Pernambuco % 7 Rio Grande do Norte Paraná % 9 Santa Catarina % 10 Goiás % 11 Mato Grosso do Sul % 12 Maranhão % 13 Sergipe % 14 Ceará % 15 Pará % 16 Mato Grosso % 17 Espírito Santo % 18 Distrito Federal % 19 Paraíba Rondônia % 21 Tocantins % 22 Amazonas % 23 Acre % 24 Alagoas % 25 Piauí % 26 Roraima % 27 Amapá % 12

13 A receita das Federações Estaduais cresceu 2% em 2015 e atingiu cerca de R$ 145 milhões, especialmente devido aos resultados em Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo, que correspondem a quase 60% do faturamento total das 27 federações. Com o crescimento das receitas dos últimos anos, 14 Federações Estaduais apresentaram, em 2015, um resultado operacional positivo, como podemos ver na tabela a seguir. Resultado Operacional - Federações - Em R$ mil RK 2015 Federação Superávits / (Déficits) 2015 Superávits / (Déficits) Rio Grande do Sul Minas Gerais Pernambuco São Paulo Goiás Paraná Acre Bahia Santa Catarina Ceará Espírito Santo Rondônia Pará Mato Grosso do Sul Amapá Rio Grande do Norte Sergipe Tocantins Distrito Federal Piauí Mato Grosso Alagoas Rio de Janeiro No consolidado, as Federações Estaduais apresentaram déficit de R$ 12,6 milhões em As Federações de Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Pernambuco continuam se destacando e mantiveram seu posto entre as federações que tiveram melhor resultado operacional. 13

14 Se excluirmos o resultado da Federação do Rio de Janeiro, o consolidado das federações apresentaria superávit de R$ 7,8 milhões em Nesse contexto do mercado, a BDO publica seu estudo anual sobre as finanças dos clubes de futebol do Brasil. A metodologia de análise é a mesma dos anos anteriores, com dados extraídos das demonstrações contábeis publicadas pelos clubes, conforme a Lei nº /11 que dispõe sobre a obrigatoriedade da publicação das demonstrações contábeis auditadas. Essa análise apresenta os seguintes dados de cada um dos clubes com maiores receitas no futebol brasileiro, que já disponibilizaram seus balanços: Receita total e receita sem transferências de atletas Custo do Departamento de Futebol Superávits / (Déficits) do exercício Endividamento 14

15 Receita total e Receita sem Transferências de Atletas Os 24 clubes analisados geraram receita total de R$ 3,81 bilhões, o que representa um crescimento de 21% em relação a Quando desconsideradas as receitas com transferências de atletas, o volume gerado por esses 24 clubes atingiu R$ 3,16 bilhões, um crescimento de 16% em comparação com o exercício anterior.. Receitas Históricas 24 Clubes Em R$ milhões Nos últimos cinco anos, a receita total dos 24 clubes cresceu 65% e as receitas excluídas as transferências de atletas apresentaram incremento de 60%. O resultado das receitas de 2015 demonstra que, depois de 3 anos de estagnação, os contratos televisivos e o maior volume de transferência de atletas tiveram grande impacto na retomada do crescimento do mercado do futebol brasileiro. Com a nova legislação vigente (PROFUT), os clubes tendem a buscar uma melhor exploração nas demais fontes de receita. Vale ressaltar que o crescimento apresentado de mais de R$1,5 bilhão nos últimos 5 anos só comprova o potencial que temos nesse mercado. 15

16 Receita Total - 24 Clubes - Em R$ mil RK 2015 Clubes UF Receita Total 2015 Receita Total 2014 Variação Cruzeiro MG % 2 Flamengo RJ % 3 Palmeiras SP % 4 São Paulo SP % 5 Corinthians SP % 6 Internacional RS % 7 Atlético MG MG % 8 Grêmio RS % 9 Vasco da Gama RJ % 10 Fluminense RJ % 11 Santos SP % 12 Atletico PR PR % 13 Botafogo RJ % 14 Bahia BA % 15 Sport PE % 16 Coritiba PR % 17 Goiás GO % 18 Ponte Preta SP % 19 Vitória BA % 20 Figueirense SC % 21 Chapecoense SC % 22 Avaí SC % 23 Criciúma SC % 24 Náutico PE % Os 24 clubes analisados apresentaram forte crescimento em 2015, em sua receita total consolidada de R$ 661 milhões se comparada ao ano anterior. Quando desconsideradas as transferências de atletas, o volume de recursos aumentou R$ 425 milhões. 75% dos clubes apresentaram crescimento em suas receitas em relação ao ano anterior. 16

17 Receita sem transferência de atletas 22 Clubes - Em R$ mil RK 2015 Clubes UF Receita sem atletas 2015 Receita sem atletas 2014 Variação Flamengo RJ % 2 Palmeiras SP % 3 Corinthians SP % 4 São Paulo SP % 5 Cruzeiro MG % 6 Atlético MG MG % 7 Internacional RS % 8 Vasco da Gama RJ % 9 Grêmio RS % 10 Santos SP % 11 Fluminense RJ % 12 Botafogo RJ % 13 Atletico PR PR % 14 Coritiba PR % 15 Bahia BA % 16 Goiás GO % 17 Vitória BA % 18 Chapecoense SC % 19 Figueirense SC % 20 Ponte Preta SP % 21 Avaí SC % 22 Criciúma SC % Nota: Sport e Náutico não demonstraram a abertura de transferência de atletas no balanço Apenas Botafogo, Atlético PR, Goiás, Vitória e Criciúma apresentaram queda de sua receita sem transferência de atleta em 2015 se comparados ao ano anterior. 17

18 Para uma análise comparativa mais ilustrativa, apresentamos a evolução das receitas dos clubes em valores absolutos e na sequência no ranking. Nos últimos cinco anos, a distribuição das fontes de receitas dos clubes sofreu alterações, porém, a cota de TV permaneceu como principal fonte por todo este período. 18

19 Participação das Fontes de Receitas- 24 clubes A receita proveniente de transferência de atletas retomou o crescimento e voltou a ser a segunda maior fonte de receita dos clubes brasileiros. Com a desvalorização da moeda, os clubes do exterior aproveitaram o momento para contratar diversos atletas que atuavam no Brasil. Com a crise econômica que o Brasil estava no ano passado, a Receita com Patrocínio e publicidade perdeu espaço e, se não fosse o contrato da Caixa com os clubes, ficaria atrás até das receitas com Clube Social. Já a receita com bilheteria, após forte crescimento com as novas arenas do país, estagnou no último ano, demonstrando a baixa exploração que os clubes fazem em seus dias de jogos. Entretanto, destacamos o enorme potencial para o mercado de entretenimento que as novas arenas podem proporcionar ao Brasil. As outras receitas incluem os demais recursos gerados com o estádio, contratos de licenciamento, aluguéis, loterias e premiações. A seguir, a BDO apresenta os dez clubes com as maiores receitas geradas, em cada uma das principais fontes em 2015 e a comparação com

20 Cotas de TV - Em R$ mil Patrocínio e Publicidade - Em R$ mil 20

21 Transferências de Atletas Em R$ milhões Clube Social e Esporte Amador Em R$ milhões 21

22 Bilheteria Em R$ milhões A seguir, a BDO apresenta os dados dos clubes brasileiros em 2015 e a comparação com seu histórico de geração de receitas, além de sua distribuição das fontes receita. 22

23 1º Cruzeiro O Cruzeiro assumiu a liderança de receitas no Brasil depois de uma receita recorde de transferência de atletas. Em 2015, o crescimento de receita foi de 63% em relação ao ano anterior. Esse crescimento representou um incremento de R$ 140 milhões na receita. Quando desconsideradas as receitas com atletas, a evolução foi de 12%. Receitas Históricas Cruzeiro - Em R$ milhões Em 2014 Em 2015 Em 2015, além da receita recorde oriunda de transferência de atleta em 34%, o clube apresentou crescimento de mais de 100% com seu faturamento com cotas de televisão. Nos últimos cinco anos, a receita total do clube apresentou evolução de 183% e as receitas sem atletas cresceram 124% no mesmo período. 23

24 2º Flamengo Depois da liderança na receita total no ano anterior, o Flamengo caiu para a segunda posição do ranking mesmo mantendo a liderança em receita sem transferência de atletas pelo terceiro ano seguido. Em 2015, a sua receita total cresceu 2% em relação a Quando desconsideradas as receitas com atletas, houve um aumento de 5%. Receitas Históricas Flamengo - Em R$ milhões Em 2014 Em 2015 Em 2015, as receitas geradas de patrocínio e publicidade aumentaram 7% em relação a 2014, saltando de R$ 79,9 milhões para R$ 85,5 milhões. Nos últimos cinco anos, a receita total do clube apresentou evolução de 92% e as receitas sem atletas cresceram 91% no mesmo período. 24

25 3º Palmeiras O Palmeiras subiu uma posição no ranking de receitas do futebol brasileiro. Em 2015, o crescimento de sua receita total foi de 44% em relação a Esse crescimento representou um incremento de R$ 107,4 milhões. Quando desconsideradas as receitas com atletas, o crescimento foi de 85%. Receitas Históricas Palmeiras - Em R$ milhões Em 2014 Em 2015 Em 2015, o clube apresentou a maior receita com bilheteria do país com mais R$ 87 milhões de faturamento e um forte crescimento na arrecadação com patrocínio e publicidade. Somente nessas duas fontes o clube teve um aumento de R$ 117 milhões. Nos últimos cinco anos, a receita total do clube apresentou evolução de 137% e as receitas sem atletas cresceram 150% no mesmo período. 25

26 4º São Paulo O São Paulo caiu uma posição no ranking de receitas do futebol brasileiro. Em 2015, houve um aumento de 31% de sua receita total, além de um aumento de 5% de sua receita sem transferência em relação a Receitas Históricas São Paulo - Em R$ milhões Em 2014 Em 2015 Em 2015, as receitas provenientes de transferências de atletas aumentaram 166%, valor que corresponde a R$ 108,8 milhões. Outra importante fonte que cresceu foi bilheteria com 42%. Nos últimos cinco anos, a receita total do clube apresentou evolução de 46% e as receitas sem transferência de atletas cresceram 10% no mesmo período. 26

27 5º Corinthians O Corinthians caiu 3 posições no ranking de receitas do futebol brasileiro. Após 2 anos seguidos de queda de receita, o clube apresentou crescimento de 16% em relação a Quando desconsideradas, as receitas com atletas o crescimento foi de 13% Receitas Históricas Corinthians - Em R$ milhões Em 2014 Em 2015 Em 2015, o clube aumentou as receitas provenientes de contratos televisivos em 12%, valor que corresponde a um acréscimo de R$ 13,5 milhões. Pelo fato de a receita com bilheteria não ir para o caixa do clube, essa fonte de receita não foi contabilizada. Nos últimos cinco anos, a receita total do clube apresentou evolução de 3% e as receitas sem atletas cresceram 7% no mesmo período. 27

28 6º Internacional O Internacional subiu uma posição no ranking de receitas do futebol brasileiro. Em 2015, houve um aumento de receita de 45% em relação a Quando desconsideradas as receitas com atletas, houve um aumento de 16% em relação a Receitas Históricas Internacional - Em R$ milhões Em 2014 Em 2015 Em 2015, o clube obteve um aumento de 210% das receitas com transferência de atletas em relação a 2014, valor que corresponde a um incremento de R$ 63,7 milhões. Nos últimos cinco anos, a receita total do clube apresentou evolução de 50% e as receitas sem atletas cresceram 30% no mesmo período. 28

29 7º Atlético MG O Atlético MG subiu uma posição no ranking de receitas do futebol brasileiro. Em 2015, houve um crescimento de 37% em sua receita total em relação a Quando desconsideradas as receitas com atletas, houve um aumento de 18%, valor que equivale a quase R$ 32 milhões. Receitas Históricas Atlético MG - Em R$ milhões Em 2014 Em 2015 Em 2015, o clube ampliou suas receitas com direitos televisivos em 41%, um acréscimo de R$ 33 milhões, além disso, a receita com transferência de atletas cresceu R$ 34 milhões em relação ao ano anterior. Nos últimos cinco anos, a receita total do clube apresentou evolução de 145% e as receitas sem atletas cresceram 170% no mesmo período. 29

30 8º Grêmio O Grêmio caiu duas posições no ranking de receitas do futebol brasileiro. Em 2015, houve uma queda da receita total de 9% em relação a Quando desconsideradas as receitas com atletas o crescimento foi de 2%. Receitas Históricas Grêmio - Em R$ milhões Em 2014 Em 2015 Em 2015, o clube obteve um aumento de sua receita com direitos televisivos de 34%, o que equivale a um acréscimo de R$ 20,1 milhões. Nos últimos cinco anos, a receita total do clube apresentou evolução de 34% e as receitas sem atletas cresceram 32% no mesmo período. 30

31 9º Vasco da Gama O Vasco da Gama subiu três posições no ranking de receitas do futebol brasileiro. Em 2015, houve um crescimento de sua receita total de 47% em relação a 2014, o que representa R$ 60 milhões. Quando desconsideradas as receitas com atletas, o crescimento foi de 48%. Receitas Históricas Vasco da Gama - Em R$ milhões Em 2014 Em 2015 Em 2015, o valor de direito televisivo do clube teve um aumento de 43%, soma correspondente a R$ 31,5 milhões. Nos últimos cinco anos, a receita total do clube apresentou evolução de 38% e as receitas sem atletas cresceram 41% no mesmo período. 31

32 10º Fluminense O Fluminense subiu três posições no ranking de receitas do futebol brasileiro. Em 2015, houve um crescimento de sua receita total de 47%, em relação a Quando desconsideradas as receitas com transferências de atletas, foi registrado um crescimento de 23%, representando um total de R$ 27,2 milhões. Receitas Históricas Fluminense - Em R$ milhões Em 2014 Em 2015 Em 2015, o clube aumentou suas receitas com patrocínio e publicidade em 94%, que representam a geração de R$ 13,3 milhões. Nos últimos cinco anos, a receita total do clube apresentou evolução de 125% e as receitas sem atletas cresceram 132% no mesmo período. 32

33 11º Santos O Santos caiu duas posições no ranking de receitas do futebol brasileiro. Em 2015, houve uma queda de 1% de sua receita total em relação a Quando desconsideradas as receitas com atletas, houve um crescimento de 27%. Receitas Históricas Santos - Em R$ milhões Em 2014 Em 2015 Em 2015, o clube ampliou suas receitas oriundas dos contratos televisivos em 40%, o que representa a geração de R$ 24,4 milhões. Nos últimos cinco anos, a receita total do clube apresentou queda de 10% e as receitas sem atletas cresceram 4% no mesmo período. 33

34 12º Atlético PR O Atlético PR caiu uma posição no ranking de receitas do futebol brasileiro. Em 2015, houve um crescimento de 14% de sua receita total, em relação a Quando desconsideradas as receitas com atletas, houve uma queda de 6%. Receitas Históricas Atlético PR - Em R$ milhões Em 2014 Em 2015 Em 2015, as receitas provenientes de transferência de atletas, foram ampliadas em 76%, valor que corresponde a R$ 25,9 milhões. Nos últimos cinco anos, a receita total do clube apresentou evolução de 141% e a receita sem transferência de atleta apresentou evolução de 106%. 34

35 13º Botafogo O Botafogo se manteve no 13º lugar do ranking de receitas do futebol brasileiro. Em 2015, houve uma queda de sua receita total de 26% em relação a Quando desconsideradas as receitas com atletas, houve uma queda de 19%, representando um valor de R$ 25,6 milhões. Receitas Históricas Botafogo - Em R$ milhões Em 2014 Em 2015 Em 2015, o clube ampliou suas receitas com direitos televisivos em 10%, o que correspondeu a um acrescimento de R$ 4,9 milhões. Nos últimos cinco anos, a receita total do clube apresentou evolução de 105% e as receitas sem atletas cresceram 150% no mesmo período. 35

36 14º Bahia O Bahia subiu uma posição no ranking de receitas do futebol brasileiro. Em 2014, o clube apresentou um crescimento de 18% na sua receita total em relação a Quando desconsideradas as receitas com atletas, houve um crescimento de 8%. Receitas Históricas Bahia - Em R$ milhões Em 2014 Em 2015 Em 2015, o clube aumentou as receitas provenientes de transferência de atletas em 94%, representando R$ 7,7 milhões. Nos últimos cinco anos, a receita total do clube apresentou evolução de 142% e as receitas sem atletas cresceram 101% no mesmo período. 36

37 15º Sport O Sport subiu três posições no ranking de receitas do futebol brasileiro. Em 2015 apresentou crescimento de 44% de sua receita total em relação a 2014, o correspondente a R$ 26,8 milhões. Além disso, sua receita desconsiderando transferências de atletas teve crescimento de 36%. Receitas Históricas Sport - Em R$ milhões Nos últimos cinco anos, a receita total do clube apresentou evolução de 104%, um incremento de R$ 44,7 milhões 37

38 16º Coritiba O Coritiba caiu duas posições no ranking de receitas do futebol brasileiro. Em 2015, houve uma queda de 2% de sua receita total. Quando desconsideradas as receitas com atletas, houve crescimento de 1%. Receitas Históricas Coritiba - Em R$ milhões Em 2014 Em 2015 O clube aumentou sua receita com direitos televisivos em 10%, passando de R$34,7 milhões para R$38,0 milhões. Nos últimos cinco anos, a receita total do clube apresentou evolução de 29% e as receitas sem atletas cresceram 27% no mesmo período. 38

39 17º Goiás O Goiás perdeu uma posição no ranking de receitas do futebol brasileiro. Em 2015, a sua receita total apresentou crescimento de 13% em relação a Em 2015, quando desconsideradas as receitas com atletas o clube, houve uma queda de 5%. Receitas Históricas Goiás - Em R$ milhões Bilheteria 9% Outras Receitas 22% Em 2014 Em 2015 Transferências 10% Patrocínio e Publicidade 4% Bilheteria 5% Clube Social 5% Outras Receitas 16% Transferências 24% Patrocínio e Publicidade 3% Clube Social 5% Cotas de TV 50% Cotas de TV 47% Em 2015, o clube teve um crescimento das receitas com transferência de atletas de 173%, representando R$ 11,6 milhões. Nos últimos cinco anos, a receita total do clube apresentou evolução de 308% e as receitas sem atletas cresceram 211% no mesmo período. 39

40 18º Ponte Preta A Ponte Preta subiu cinco posições no ranking de receitas do futebol brasileiro. Em 2015, apresentou crescimento de 140% em sua receita total em relação a 2014, valor que representa R$ 31,4 milhões. Receitas Históricas Ponte Preta - Em R$ milhões Em 2014 Em 2015 Em 2015, o clube aumentou a arrecadação em todas as fontes de receitas analisadas. Nos últimos cinco anos, a receita total do clube apresentou evolução de 230% e as receitas sem atletas cresceram 160% no mesmo período. 40

41 19º Vitória O Vitória caiu duas posições no ranking de receitas do futebol brasileiro. Em 2015, a sua receita total apresentou uma queda de 15% em relação a Se desconsiderarmos a receita com transferência, a queda foi de 12%. Receitas Históricas Vitória - Em R$ milhões Em 2014 Em 2015 Os contratos televisivos permanecem como a principal fonte de receita do clube. Nos últimos cinco anos, a receita total do clube apresentou evolução de 53% e as receitas sem atletas cresceram 65% no mesmo período. 41

42 20º Figueirense O Figueirense se manteve na 20ª posição no ranking de receitas do futebol brasileiro. Em 2015, a sua receita total apresentou um crescimento de 14% em relação a 2014, o que representou um aumento de R$ 5,7 milhões. Em 2015, quando desconsideradas as receitas com transferências de atletas do clube, houve um acréscimo de 16%. Receitas Históricas Figueirense - Em R$ milhões Em 2014 Em 2015 Em 2015, o clube teve um aumento de 30% no valor de seus direitos televisivos, o que correspondente a R$ 5,6 milhões de incremento de receita. Nos últimos cinco anos, a receita total do clube apresentou evolução de 17% e as receitas sem atletas cresceram 21% no mesmo período. 42

43 Custo do Departamento de Futebol Os 22 clubes apresentaram um custo com o departamento de futebol de R$ 2,66 bilhões em 2015, frente aos R$ 2,44 bilhões de 2014, aumento de 9%. Custo Futebol 22 Clubes - Em R$ mil RK 2015 Clubes UF Custo Futebol 2015 Custo Futebol 2014 Variação Cruzeiro MG % 2 São Paulo SP % 3 Corinthians SP % 4 Palmeiras SP % 5 Grêmio RS % 6 Atlético MG MG % 7 Internacional RS % 8 Flamengo RJ % 9 Santos SP % 10 Botafogo RJ % 11 Fluminense RJ % 12 Vasco da Gama RJ % 13 Atletico PR PR % 14 Sport PE % 15 Coritiba PR % 16 Bahia BA % 17 Chapecoense SC % 18 Avaí SC % 19 Ponte Preta SP % 20 Figueirense SC % 21 Goiás GO % 22 Criciúma SC % 43

44 Para compreender como evoluíram os custos com o departamento de futebol dos clubes, a BDO criou e calculou o índice % Custo Futebol, que é o resultado da divisão do custo do futebol pela receita total. Esse índice indica quanto cada clube utilizou de sua receita no ano para a manutenção do departamento de futebol. Para os 22 clubes o % Custo Futebol apresentou a seguinte evolução nos últimos anos: Receita Total, Custo do Futebol e % Custo Departamento de Futebol - 22 Clubes Em R$ milhões* Com o aumento de receita dos clubes no último ano, o índice custo do futebol recuou 9%, chegando aos 69%. No período de cinco anos, o indicador % Custo Departamento de Futebol chegou a se aproximar do patamar de 80%. A evolução em 2015 dos custos com o departamento de futebol dos 22 clubes em relação ao ano anterior foi de aproximadamente R$ 155 milhões, enquanto que as receitas geradas tiveram um aumento de R$ 661 milhões. 44

45 RK 2015 Clubes UF Custo Futebol 2015 Custo Futebol Avaí SC 128% 82% 2 Botafogo RJ 102% 77% 3 Grêmio RS 100% 82% 4 Criciúma SC 98% 76% 5 Chapecoense SC 89% 85% 6 Santos SP 84% 90% 7 Cruzeiro MG 84% 87% 8 Corinthians SP 84% 92% 9 São Paulo SP 83% 93% 10 Ponte Preta SP 73% 112% 11 Figueirense SC 72% 90% 12 Atlético MG MG 68% 106% 13 Fluminense RJ 68% 61% 14 Coritiba PR 67% 84% 15 Sport PE 66% 84% 16 Palmeiras SP 62% 74% 17 Atletico PR PR 54% 51% 18 Vasco da Gama RJ 54% 60% 19 Internacional RS 54% 93% 20 Bahia BA 53% 83% 21 Flamengo RJ 41% 49% 22 Goiás GO 38% 48% Com a nova MP 671 do futebol, os clubes agora deverão manter um equilíbrio sobre os custos com o futebol profissional. 45

46 Superávits / (Déficits) do exercício Considerando que o aumento nas receitas foi superior ao crescimento dos custos dos 24 clubes analisados, os clubes apresentaram superávit de R$ 128,4 milhões. Histórico dos Superávits/ (Déficits) do exercício 24 Clubes - Em R$ milhões Os clubes apresentaram, no consolidado, um déficit acumulado de R$ 881 milhões nos últimos 5 anos. Em 2015, o resultado operacional consolidado dos 24 clubes brasileiros apresentou superávit pela 2ª vez nos últimos 5 anos. 46

47 RK 2015 Clubes Superávit / (Déficit) do exercício 24 Clubes UF Superávit / (Déficits) 2015 Superávit / (Déficits) Flamengo RJ Vasco da Gama RJ Botafogo RJ Atletico PR PR Bahia BA Fluminense Superávit RJ / (Déficits) Internacional RS Goiás GO Palmeiras SP Chapecoense SC Figueirense SC Ponte Preta SP Vitória BA Criciúma SC Náutico PE Atlético MG MG Avaí SC Coritiba PR Cruzeiro MG Sport PE Grêmio RS São Paulo SP Santos SP Corinthians SP Em 2014, 12 dos 24 clubes apresentaram balanço superavitário e apenas 8 clubes foram superavitários. 47

48 Endividamento A BDO utiliza em suas análises o conceito de dívida líquida, para calcular o endividamento dos clubes brasileiros. Esse conceito é utilizado no mercado empresarial. Para calcular o real endividamento de cada clube, deve ser considerado o Exigível Total (Passivo-Patrimônio Líquido) descontado o Disponível Realizável (Ativo Circulante + Ativo Realizável em Longo Prazo). Com base nesse cálculo, o gráfico a seguir demonstra a análise da evolução do endividamento dos 24 clubes observados. Nos últimos cinco anos, esses 24 clubes passaram de um endividamento total de R$ 4,09 bilhões em 2011 para R$ 6,61 bilhões em 2015, evolução de 62%. 48

49 Total Endividamento - 24 Clubes - Em R$ mil RK 2015 Clubes UF Endividamento 2015 Endividamento 2014 Variação Botafogo RJ % 2 Flamengo RJ % 3 Atlético MG MG % 4 Vasco da Gama RJ % 5 Fluminense RJ % 6 Corinthians SP % 7 Grêmio RS % 8 Santos SP % 9 Palmeiras SP % 10 São Paulo SP % 11 Cruzeiro MG % 12 Internacional RS % 13 Atletico PR PR % 14 Coritiba PR % 15 Bahia BA % 16 Ponte Preta SP % 17 Náutico PE % 18 Sport PE % 19 Figueirense SC % 20 Avaí SC % 21 Goiás GO % 22 Criciúma SC % 23 Vitória BA % 24 Chapecoense SC % Apenas 7 dos 24 clubes analisados reduziram seu endividamento líquido no último ano. 49

50 Valor das marcas dos 34 clubes mais valiosos do Brasil Nessa 9ª edição, o estudo da BDO, avaliando as marcas dos maiores clubes de futebol do Brasil, manteve as premissas das edições anteriores. A metodologia empregada para a avaliação das marcas faz utilização de dados financeiros, pesquisas com o torcedor, informações de marketing de cada clube e dados econômicos e sociais dos brasileiros. Assim, foram identificados quais são os clubes detentores das marcas mais valiosas do futebol brasileiro, as 34 marcas avaliadas no estudo: 7 Clubes SP - Corinthians, São Paulo, Palmeiras, Santos, Portuguesa, Ponte Preta and Guarani 5 Clubes SC - Figueirense, Avaí, Criciúma, Joinville and Chapecoense 4 Clubes RJ - Flamengo, Vasco da Gama, Fluminense and Botafogo 3 Clubes MG - Cruzeiro, Atlético-MG and América-MG 3 Clubes PR - Atlético-PR, Coritiba and Paraná 3 Clubes PE - Sport, Náutico and Santa Cruz 2 Clubes RS - Grêmio and Internacional 2 Clubes BA - Bahia and Vitória 2 Clubes GO - Goiás and Atlético GO 2 Clubes CE - Ceará and Fortaleza 1 Clube PA - Paysandú As receitas do mercado brasileiro de clubes de futebol permanecem em evolução e atingiram em 2015 um volume de receitas geradas superior a R$ 5 bilhões. Esse resultado representa uma evolução de mais de 300% em relação a 2005 e tende a apresentar evolução para os próximos anos. Uma parte fundamental nesse processo será o desenvolvimento comercial dos negócios gerados pelos grandes clubes, as 34 marcas mais importantes do futebol brasileiro. Na edição desse ano, foram atualizadas as informações sobre as 34 entidades que são consideradas os grandes clubes do Brasil. 50

51 Metodologia do Estudo Para esse nono estudo de avaliação das marcas dos clubes brasileiros foi empregada a mesma metodologia das últimas edições publicadas do estudo. A metodologia para a mensuração das marcas foi criada e aplicada pela BDO. O estudo seguiu uma rigorosa métrica que inclui mais de 30 diferentes variáveis entre dados financeiros históricos dos clubes, informações publicadas em pesquisas com os torcedores, dados de marketing esportivo, hábitos de consumo dos torcedores, engajamento em mídias sociais, dados sociais e econômicos do mercado em que atuam os clubes analisados. As informações financeiras utilizadas foram extraídas das demonstrações contábeis dos clubes entre 2011 e 2015, e não foram considerados os recursos com transferências de atletas. As receitas diretamente relacionadas ao cálculo do valor da marca foram consolidadas em quatro macro receitas: marketing, estádio, licenciamento, sócios e mídia. Os dados de pesquisa e outras informações foram utilizados de acordo com a evolução dos estudos realizados, até suas edições mais recentes. As projeções dos cenários futuros dos clubes, a fim de valorar suas marcas, foram conduzidas considerando a realidade de cada entidade. DADOS FINANCEIROS - Utilização do método de fluxo de caixa descontado, informações financeiras adicionais e diferenciais da marca de cada clube. PESQUISAS E DADOS DO TORCEDOR - Compreensão das diferentes características do torcedor de cada clube, por exemplo: tamanho, faixa etária, nível de renda, distribuição geográfica e hábitos de consumo. O estudo foi conduzido de forma independente pela BDO, pela área Sports Management a fim de que possa contribuir com o mercado do futebol no Brasil, especialmente em novos projetos comerciais entre os clubes e seus parceiros. 51

52 Segundo a análise da BDO, o valor das marcas dos 34 maiores clubes de futebol do Brasil permanece em constante evolução. Essa melhora está diretamente relacionada a diferentes fatores, que vêm se intensificando ao longo dos anos: A profunda evolução em dos valores recebidos com os direitos de transmissão nos últimos anos. A continuidade da ampliação das receitas de cada entidade com marketing, estádio, sócios e mídia. A constante evolução dos programas de sócio torcedor dos clubes. Aumento dos valores recebidos dos patrocinadores e ampliação do interesse de empresas em se associar aos clubes. Maior participação do torcedor nos negócios gerados pelas entidades. Novas arenas com potencial de exploração. A metodologia do estudo não permite que uma variável sozinha eleve substancialmente as marcas dos clubes. Assim, além da força da torcida, o valor da marca considera outras variáveis como as receitas derivadas da sua marca, hábitos do torcedor e características do mercado local, fazendo com que o crescimento ou queda do valor da marca não seja atribuído a um aspecto isolado. Outro aspecto importante é que a metodologia do estudo não considera o valor dos ativos registrados nas demonstrações contábeis dos clubes e sim as receitas derivadas por esses ativos. Assim, para um clube crescer no valor e sua marca, sempre é considerado o esforço de maximizar suas receitas e não o valor contábil do ativo em si. O valor consolidado em 2016 das marcas dos 34 clubes analisados apresentou evolução de 17% em relação ao ranking de 2015 e 71% de crescimento nos últimos 5 anos. Valor da marca - 34 Clubes - Em R$ bilhões 52 Fonte: Análise BDO

53 Os 10 clubes que mais cresceram em valor gerado para as suas marcas entre 2012 e 2016 foram: Flamengo com evolução de R$ 701 milhões, Palmeiras R$ 541 milhões, Corinthians R$ 417 milhões, Cruzeiro R$ 371 milhões, Grêmio R$ 351 milhões, Atlético MG R$ 336 milhões, Internacional R$ 217 milhões, Fluminense R$ 165 milhões, São Paulo R$ 155 milhões e Vasco da Gama R$ 128 milhões. Esses 10 clubes foram responsáveis por 83% dos R$ 4,1 bilhões de evolução do valor de marca registrado pelos maiores clubes brasileiros nos últimos 5 anos. Em relação ao crescimento percentual, a Chapecoense foi o clube que mais evoluiu o seu valor de marca nos últimos 5 anos, com crescimento de 257%, na sequência vem o Atlético MG com 187%, Cruzeiro com 181%, Sport com 179% e Ponte Preta com 157%. O pódio do Valor das Marcas, que até esse ano só tinha conhecido Flamengo, Corinthians e São Paulo, tem um novo integrante que é o Palmeiras. Flamengo e Corinthians mantiveram a liderança e a 2ª colocação, respectivamente, e o Palmeiras, com sua nova arena e um excelente trabalho no engajamento via mídias sociais, ultrapassou o São Paulo alcançando o 3º lugar no ranking. O São Paulo não acompanhou o crescimento dos seus maiores rivais e, além de ser ultrapassado pelo Palmeiras, viu Flamengo e Corinthians se distanciarem ainda mais. Já o Grêmio teve uma valorização de 13% no último ano, consolidando-se no quinto lugar, sendo seguido por Internacional e Cruzeiro, que está com seu eterno rival, Atlético MG na cola e com bom viés de alta. Depois da queda no seu valor da marca em 2015 e baixo crescimento no último ano, o Santos está em 9º lugar e tem sua posição ameaçada pelo Vasco da Gama que, retomou seu crescimento depois de 2 anos de estagnação. Completando os 12 clubes mais valiosos do país, Fluminense e Botafogo mantiveram suas posições em relação ao ano anterior. O Atlético PR é outro clube que merece destaque, pois apresentou forte crescimento nos últimos anos e, com sua nova arena, tende a se aproximar mais dos líderes. Já o Sport, voltou a ter a marca mais valiosa da região nordeste ao ultrapassar o Bahia que ficou na 16ª colocação no ranking desse ano. Sendo o 2º estado com mais clubes no ranking, o mercado catarinense tem no Figueirense o seu principal representante nesse ano com a 19ª marca mais valiosa do país. Avaí em 21º, Criciúma em 23º, Joinville em 24º e Chapecoense, em franco crescimento, na 26º posição, completam a lista dos clubes do estado. 53

54 Ranking Em R$ milhões Fonte: Análise BDO Sports Management Ranking Em R$ milhões Fonte: Análise BDO Sports Management 54

55 Ranking Em R$ milhões Fonte: Análise BDO Sports Management Ranking Em R$ milhões Fonte: Análise BDO Sports Management 55

56 Ranking Em R$ milhões Fonte: Análise BDO Sports Management Um dado interessante é verificar o crescimento em valor absoluto das marcas dos clubes, que demonstra a eficiente exploração desse ativo. O aumento de R$ 4,1 bilhões entre 2012 e 2016 no valor consolidado das marcas dos 34 clubes foi resultado do aumento de receitas e desenvolvimento no ambiente de negócios do futebol brasileiro. O crescimento demonstra uma real melhora dos projetos de marketing dos clubes nos últimos anos, que tendem a se intensificar, graças a um número cada vez maior de ações que os clubes estão implementando. 56

57 Variação do valor da marca em termos absolutos 2012 a 2016 Em R$ millions Fonte: Análise BDO Para ilustrar melhor a evolução do valor da marca dos clubes nos últimos 5 anos, apresentamos a seguir um comparativo de valor e de ranking entre as 14 marcas mais valiosas do país. 57

58 Evolução do valor da marca - Valores Evolução do valor da marca - Ranking

59 O estudo avaliando as marcas dos clubes brasileiros demonstra que cada entidade possui características particulares, de acordo com o perfil de sua torcida, desenvolvimento das receitas, derivadas de sua marca e características do mercado local em que estão localizados. Segundo a metodologia da BDO, esse é o melhor mecanismo para mensurar o valor da marca dos clubes brasileiros. Essa metodologia possibilita avaliar o potencial comercial das marcas de cada clube, de acordo com seu perfil mercadológico. Muito diferente das empresas, que precisam incessantemente buscar novos consumidores de seus concorrentes, os clubes de futebol têm torcedores fiéis. O grande desafio para as marcas é conseguir converter esses milhões de torcedores em consumidores ativos e motivados. Segundo a avaliação, em 2016 o valor consolidado das 34 marcas mais valiosas entre os clubes de futebol do Brasil foi de R$ 9,77 bilhões. Segundo a metodologia empregada no estudo, as variáveis mais representativas para os clubes analisados foram as características e perfil de suas torcidas, com valor consolidado de R$ 4,69 bilhões, seguido das receitas derivadas das marcas com valor de R$ 3,02 bilhões e das características do mercado local, com valor de R$ 2,06 bilhões. Variáveis para formação do valor consolidado das marcas dos 34 clubes em Em R$ bilhões Torcida Receitas Mercado Fonte: Análise BDO 59

60 Essa é a distribuição percentual das variáveis do estudo desse ano: Variáveis para formação do valor da marca de cada clube Valor consolidado das 34 marcas em Em % Mercado Torcida Receitas Fonte: Análise BDO O potencial futuro de geração de receitas de cada marca dependerá de como os departamentos de marketing e comercial dos clubes conseguirão maximizar a relação com seus milhões de torcedores, potencializar suas receitas e explorar as características econômicas e sociais em que estão localizados. 60

61 1º Flamengo Valor da Marca R$ 1.493,4 milhões Evolução do valor da marca - Flamengo Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Flamengo Mercado 12% Receitas 34% Torcida 54% Fonte: Análise BDO 61

62 2º Corinthians Valor da Marca R$ 1.422,9 milhões Evolução do valor da marca - Corinthians Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Corinthians Mercado Torcida Receitas 62 Fonte: Análise BDO

63 3º Palmeiras Valor da Marca R$ 1.021,9 milhões Evolução do valor da marca - Palmeiras Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Palmeiras Mercado Torcida Receitas Fonte: Análise BDO 63

64 4º São Paulo Valor da Marca R$ 926,3 milhões Evolução do valor da marca - São Paulo Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca São Paulo Mercado Torcida Receitas Fonte: Análise BDO 64

65 5º Grêmio Valor da Marca R$ 666,6 milhões Evolução do valor da marca - Grêmio Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Grêmio Fonte: Análise BDO 65

66 6º Internacional Valor da Marca R$ 609,2 milhões Evolução do valor da marca - Internacional Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Internacional Fonte: Análise BDO 66

67 7º Cruzeiro Valor da Marca R$ 575,7 milhões Evolução do valor da marca - Cruzeiro Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Cruzeiro Fonte: Análise BDO 67

68 8º Atlético MG Valor da Marca - R$ 515,5 milhões Evolução do valor da marca - Atlético MG Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Atlético MG Fonte: Análise BDO 68

69 9º Santos Valor da Marca R$ 448,2 milhões Evolução do valor da marca - Santos Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Santos Fonte: Análise BDO 69

70 10º Vasco da Gama Valor da Marca R$ 444,5 milhões Evolução do valor da marca - Vasco da Gama Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Vasco da Gama Fonte: Análise BDO 70

71 11º Fluminense Valor da Marca R$ 322,6 milhões Evolução do valor da marca - Fluminense Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Fluminense Fonte: Análise BDO 71

72 12º Botafogo Valor da Marca R$ 235,5 milhões Evolução do valor da marca - Botafogo Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Botafogo Fonte: Análise BDO 72

73 13º Atlético PR Valor da Marca R$ 165,0 milhões Evolução do valor da marca - Atlético PR Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Atlético PR Fonte: Análise BDO 73

74 14º Coritiba Valor da Marca R$ 159,0 milhões Evolução do valor da marca - Coritiba Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Coritiba Fonte: Análise BDO 74

75 15º Sport Valor da Marca R$ 117,0 milhões Evolução do valor da marca - Sport Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Sport Fonte: Análise BDO 75

76 16º Bahia Valor da Marca R$ 114,5 milhões Evolução do valor da marca - Bahia Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Bahia Fonte: Análise BDO 76

77 17º Vitória Valor da Marca R$ 80,2 milhões Evolução do valor da marca - Vitória Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Vitória Fonte: Análise BDO 77

78 18º Goiás Valor da Marca R$ 75,6 milhões Evolução do valor da marca - Goiás Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Goiás Fonte: Análise BDO 78

79 19º Figueirense Valor da Marca R$ 61,5 milhões Evolução do valor da marca - Figueirense Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Figueirense Fonte: Análise BDO 79

80 20º Ponte Preta Valor da Marca R$ 50,4 milhões Evolução do valor da marca - Ponte Preta Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Ponte Preta Fonte: Análise BDO 80

81 21º Avaí Valor da Marca R$ 43,3 milhões Evolução do valor da marca - Avaí Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Avaí Fonte: Análise BDO 81

82 22º Portuguesa Valor da Marca R$ 41,9 milhões Evolução do valor da marca - Portuguesa Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Portuguesa Fonte: Análise BDO 82

83 23º Criciúma Valor da Marca R$ 37,6 milhões Evolução do valor da marca - Criciúma Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Criciúma Fonte: Análise BDO 83

84 24º Joinville Valor da Marca R$ 35,8 milhões Evolução do valor da marca - Joinville Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Joinville Fonte: Análise BDO 84

85 25º Náutico Valor da Marca R$ 34,9 milhões Evolução do valor da marca - Náutico Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Náutico Fonte: Análise BDO 85

86 26º Chapecoense Valor da Marca R$ 33,2 milhões Evolução do valor da marca - Chapecoense Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Chapecoense Fonte: Análise BDO 86

87 27º Santa Cruz Valor da Marca R$ 23,2 milhões Evolução do valor da marca - Santa Cruz Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Santa Cruz Fonte: Análise BDO 87

88 28º Atlético GO Valor da Marca R$ 19,8 milhões Evolução do valor da marca - Atlético GO Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Atlético GO Fonte: Análise BDO 88

89 29º América MG Valor da Marca R$ 19,7 milhões Evolução do valor da marca - América MG Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca América MG Fonte: Análise BDO 89

90 30º Ceará Valor da Marca R$ 18,9 milhões Evolução do valor da marca - Ceará Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Ceará Fonte: Análise BDO 90

91 31º Paysandu Valor da Marca R$ 18,1 milhões Evolução do valor da marca - Paysandu Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Paysandu Fonte: Análise BDO 91

92 32º Paraná Valor da Marca R$ 16,5 milhões Evolução do valor da marca - Paraná Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Paraná Fonte: Análise BDO 92

93 33º Fortaleza Valor da Marca R$ 15,2 milhões Evolução do valor da marca - Fortaleza Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Fortaleza Fonte: Análise BDO 93

94 34º Guarani Valor da Marca R$ 12,8 milhões Evolução do valor da marca - Guarani Em R$ milhões Valor da Marca Ranking Forças da marca Guarani Fonte: Análise BDO 94

95 Conclusão O mercado brasileiro de clubes de futebol apresentou profunda evolução nos negócios, atingindo a maior receita da história, impulsionados pelo faturamento das cotas de TV. Outra importante fonte que aumentou sua participação foi transferência de atleta que, impulsionado pela desvalorização da moeda, voltou a ser atraente para os clubes do exterior. Já a participação de receita com bilheteria perdeu força depois de 2 anos de crescimento com o fator novidade das novas arenas. Com a aprovação do PROFUT, os clubes são obrigados a cumprir os requisitos mínimos de governança e, para atingí-los, uma ampla reestruturação na gestão se faz necessária. O resultado dessa lei é o incentivo às boas práticas e, consequentemente, maior atratividade para todos os players desse mercado. Como resultado prático desse novo momento do segmento no país, os clubes, no consolidado, apresentaram o maior superávit da sua história com mais de R$ 130 milhões, mesmo com um crescimento no seu custo do departamento de futebol. Outro indicador impactado foi o endividamento líquido que, depois de atingir seu maior valor na história em 2014, recuou, pela 1ª vez, em Os 34 clubes brasileiros analisados nesta 9ª edição do estudo de avaliação das marcas, atingiram um valor recorde de mais de R$ 9,8 bilhões. O valor é uma clara demonstração que os clubes perceberam o potencial que têm e que o processo de branding pode gerar um rentável ciclo para os negócios dos clubes ao longo dos anos. Falar a linguagem dos seus patrocinadores e se relacionar com qualidade com seus mais variados públicos têm sido cada vez mais debatido internamente nos clubes. Como exemplo dessa percepção dos clubes, podemos citar o programa de sócio- -torcedor que, além de facilitar seu planejamento, contribui para um mapeamento dos seus torcedores, acarretando numa maior eficiência das ações que valorizam o clube. Como ocorre em todos os segmentos, os clubes estão começando a mapear os seus torcedores / consumidores e, neste caso, eles têm uma particularidade muito interessante que demanda muito trabalho em outros segmentos, que é a fidelidade. A interação com o torcedor provoca um maior engajamento e, consequentemente, uma maximização das receitas e da percepção por parte dos torcedores que, além de fazerem parte do clube, são tratados como sempre mereceram, consumidores! 95

96 96

97 RESPONSÁVEL PELO ESTUDO Pedro Daniel Gerente responsável pela área de Esporte Total, na BDO Brazil. Economia e Administração de Empresas pela PUC/SP. Especialização com ênfase em Business pela UCSD (Universidade da California Campus San Diego). Experiência de mais 10 anos em projetos esportivos, consultoria e reestruturação de empresas e clubes. Experiência em avaliações de empresas, planos de negócios e análise de rentabilidade e viabilidade econômica. Professor universitário em gestão do esporte. Membro do grupo de trabalho interministerial responsável pela MP 671 (PROFUT); PUBLICAÇÕES 97

98 98

99

10º VALOR DAS MARCAS DOS CLUBES BRASILEIROS FINANÇAS DOS CLUBES

10º VALOR DAS MARCAS DOS CLUBES BRASILEIROS FINANÇAS DOS CLUBES 10º VALOR DAS MARCAS DOS CLUBES BRASILEIROS FINANÇAS DOS CLUBES 2017 Sumário Prefácio 5 FIFA Fédération Internationale 6 de Football Association CBF Confederação Brasileira de Futebol 9 Federações Estaduais

Leia mais

7º Valor das marcas dos clubes brasileiros

7º Valor das marcas dos clubes brasileiros 7º Valor das marcas dos clubes brasileiros finanças dos clubes 2014 Sumário Prefácio 5 FIFA Fédération Internationale de Football Association 6 CBF Confederação Brasileira de Futebol 9 Federações Estaduais

Leia mais

MERCADO DO FUTEBOL 2012 MERCADO DO FUTEBOL BRASILEIRO

MERCADO DO FUTEBOL 2012 MERCADO DO FUTEBOL BRASILEIRO MERCADO DO FUTEBOL 2012 MERCADO DO FUTEBOL BRASILEIRO RECEITA DA FIFA (EM US$ MILHÕES) Receita Total Lucro Líquido 647 663 749 882 114% 957 1.059 1.291 1.070 1.166 19% 1.386 138 162 249 49 184 196 202

Leia mais

Valor das Marcas. 40 Clubes Brasileiros Esporte Total. Setembro de BDO Brazil Page 1

Valor das Marcas. 40 Clubes Brasileiros Esporte Total. Setembro de BDO Brazil Page 1 Valor das Marcas Clubes Brasileiros Esporte Total Setembro de 17 Page 1 Evolução do Valor das Marcas 17 Clubes Em R$ Bilhões 174% 9,92 3%,26 3,74 4,29 4,72,78 6,29 7, 8,46 9 11 12 13 14 16 17 Depois de

Leia mais

Valor das Marcas. 34 Clubes Brasileiros Sports Management. Agosto de BDO Brazil Page 1

Valor das Marcas. 34 Clubes Brasileiros Sports Management. Agosto de BDO Brazil Page 1 Valor das Marcas 34 Clubes Brasileiros Sports Management Agosto de 16 Page 1 Valor das Marcas 16 34 Clubes Em R$ milhões Flamengo Corinthians Palmeiras São Paulo Grêmio Internacional Cruzeiro Atlético-MG

Leia mais

A consolidação das receitas com os direitos de transmissão.

A consolidação das receitas com os direitos de transmissão. Análise Prévia Finanças dos maiores clubes brasileiros em 2012 Maio de 2013 A consolidação das receitas com os direitos de transmissão. Marketing e Gestão Esportiva 1 Receitas dos maiores clubes do Brasil

Leia mais

IPEG Índice PLURI de Eficiência na Gestão do Futebol em 2013

IPEG Índice PLURI de Eficiência na Gestão do Futebol em 2013 PLURI Especial IPEG Índice PLURI de Eficiência na Gestão do Futebol em 2013 Economista, Especialista em Gestão e Marketing do Esporte e Pesquisa de Mercado, Diretor da Pluri Consultoria, da BrSM e Sportfood

Leia mais

documento confidencial copyright 2016

documento confidencial copyright 2016 Consultor de marketing e gestão esportiva com mais de 15 anos de experiência em projetos de consultoria para clubes, patrocinadores, agências e investidores, com foco em estratégias de marketing, patrocínios,

Leia mais

Valor das marcas dos 12 clubes mais valiosos do Brasil

Valor das marcas dos 12 clubes mais valiosos do Brasil VALOR DAS MARCAS DOS CLUBES DE FUTEBOL DO BRASIL edição 2011 Valor das marcas dos 12 clubes mais valiosos do Brasil Pelo terceiro ano consecutivo a BDO RCS publica seu estudo avaliando as marcas dos maiores

Leia mais

As forças econômicas do futebol brasileiro

As forças econômicas do futebol brasileiro As forças econômicas do futebol brasileiro Abril de 2015 Comparação do poderio econômico dos clubes frente às Federações Estaduais. Marketing e Gestão Esportiva 1 Quem tem dinheiro tem o poder Os clubes

Leia mais

8º VALOR DAS MARCAS DOS CLUBES BRASILEIROS FINANÇAS DOS CLUBES

8º VALOR DAS MARCAS DOS CLUBES BRASILEIROS FINANÇAS DOS CLUBES 8º VALOR DAS MARCAS DOS CLUBES BRASILEIROS FINANÇAS DOS CLUBES 2015 Sumário Prefácio 5 FIFA Fédération Internationale de Football Association 6 CBF Confederação Brasileira de Futebol 9 Federações Estaduais

Leia mais

Finanças dos clubes brasileiros em 2014

Finanças dos clubes brasileiros em 2014 Finanças dos clubes brasileiros em 2014 Maio de 2015 Análise dos dados financeiros dos clubes de futebol em 2014. Estagnação das receitas, aumento substancial dos déficits e evolução do endividamento.

Leia mais

Resumo das finanças dos 27 maiores clubes do Brasil (consolidado)

Resumo das finanças dos 27 maiores clubes do Brasil (consolidado) Ressonância Financeira Resumo das finanças dos 27 maiores clubes do Brasil (consolidado) Fernando Ferreira Economista, Especialista em Gestão e Marketing do Esporte e Pesquisa de Mercado, Diretor da Pluri

Leia mais

FINANÇAS DOS CLUBES BRASILEIROS E VALOR DAS MARCAS DOS 17 CLUBES MAIS VALIOSOS DO BRASIL

FINANÇAS DOS CLUBES BRASILEIROS E VALOR DAS MARCAS DOS 17 CLUBES MAIS VALIOSOS DO BRASIL FINANÇAS DOS CLUBES BRASILEIROS E VALOR DAS MARCAS DOS 17 CLUBES MAIS VALIOSOS DO BRASIL edição 2012 Sumário Prefácio 5 Finanças dos clubes brasileiros 6 Receita total e 7 receita sem transferências de

Leia mais

6º VALOR DAS MARCAS DOS CLUBES BRASILEIROS FINANÇAS DOS CLUBES

6º VALOR DAS MARCAS DOS CLUBES BRASILEIROS FINANÇAS DOS CLUBES 6º VALOR DAS MARCAS DOS CLUBES BRASILEIROS FINANÇAS DOS CLUBES 2013 Sumário Prefácio 5 FIFA Fédération Internationale de Football Association 5 CBF Confederação Brasileira de Futebol 5 Finanças dos clubes

Leia mais

1ª Pesquisa PLURI STOCHOS Tamanho das Torcidas por Região Parte 3: Região Nordeste

1ª Pesquisa PLURI STOCHOS Tamanho das Torcidas por Região Parte 3: Região Nordeste 1ª Pesquisa PLURI STOCHOS Tamanho das Torcidas por Região Parte 3: Região Nordeste Contato: Cesar Gualdani Fernando Ferreira www.stochos.com.br www.pluriconsultoria.com.br @pluristochos Tel(11) 3053-6333

Leia mais

1ª Pesquisa PLURI STOCHOS Tamanho de Torcidas por Região Parte 1: Região Norte

1ª Pesquisa PLURI STOCHOS Tamanho de Torcidas por Região Parte 1: Região Norte 1ª Pesquisa PLURI STOCHOS Tamanho de Torcidas por Região Parte 1: Região Norte Contato: Cesar Gualdani Fernando Ferreira www.stochos.com.br www.pluriconsultoria.com.br @pluristochos Tel(11) 3053-6333 Tel(41)

Leia mais

7º Valor das marcas dos clubes brasileiros

7º Valor das marcas dos clubes brasileiros 7º Valor das marcas dos clubes brasileiros finanças dos clubes 2014 Sumário Prefácio 5 FIFA Fédération Internationale de Football Association 6 CBF Confederação Brasileira de Futebol 9 Federações Estaduais

Leia mais

Acre Previsão por Coeficiente no Estado

Acre Previsão por Coeficiente no Estado Acre 0,6 121.073,55 262.729,59 0,8 161.431,39 350.306,12 1,0 201.789,24 437.882,66 1,2 242.147,09 525.459,19 1,4 - - 1,6 322.862,79 700.612,25 1,8 363.220,64 788.188,78 2,0 - - 2,2 - - 2,4 - - 2,6 524.652,03

Leia mais

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 REGIÃO NORTE 5.951.408 87,35 861.892 12,65 6.813.300 RONDÔNIA 760.521 88,11 102.631 11,89 863.152 ACRE 298.081 85,86 49.094

Leia mais

Desempenho financeiro do Flamengo em 2014

Desempenho financeiro do Flamengo em 2014 Desempenho financeiro do Flamengo em 2014 Janeiro de 2015 Análise dos dados financeiros do Flamengo, que apresentaram sensível melhora graças à maximização das receitas e controle do endividamento. Marketing

Leia mais

PLURI Especial Taxa de Ocupação dos Estádios Brasileiros é de 21,8%

PLURI Especial Taxa de Ocupação dos Estádios Brasileiros é de 21,8% PLURI Especial Taxa de Ocupação dos Estádios Brasileiros é de 21,8% Fernando Ferreira Economista, Especialista em Gestão e Marketing do Esporte e Pesquisa de Mercado, Diretor da Pluri Consultoria e da

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL CAMPEONATO BRASILEIRO DA SÉRIE D TABELA BÁSICA / EDIÇÃO 2016 PRIMEIRA FASE REF ROD DATA - DIA HORA GR JOGO ESTÁDIO CIDADE 1ª 12/06 - Dom A1 Rondônia RO x Amazonas AM A1 Acre AC x Amapá AP A2 Tocantins

Leia mais

Receitas dos clubes de futebol do Brasil em 2011. Prévia do estudo anual da BDO sobre as finanças dos clubes

Receitas dos clubes de futebol do Brasil em 2011. Prévia do estudo anual da BDO sobre as finanças dos clubes Receitas dos clubes de futebol do Brasil em 2011 Prévia do estudo anual da BDO sobre as finanças dos clubes Maio 2012 A BDO acaba de publicar uma prévia de seu estudo anual sobre as finanças dos clubes

Leia mais

Valor das marcas de 23 clubes do Brasil

Valor das marcas de 23 clubes do Brasil Valor das marcas de 23 clubes do Brasil Edição de 2013 Valor das marcas de 23 clubes do Brasil Pelo quinto ano consecutivo a BDO publica seu estudo avaliando as marcas dos maiores clubes de futebol do

Leia mais

TABELA BÁSICA DO CAMPEONATO BRASILEIRO/SÉRIE A

TABELA BÁSICA DO CAMPEONATO BRASILEIRO/SÉRIE A TABELA BÁSICA DO CAMPEONATO BRASILEIRO/SÉRIE A - 2014 TABELA DO TURNO Rodada 01 20/04 - Dom Rodada 02 27/04 - Dom Flamengo x Goiás Botafogo x Internacional Fluminense x Figueirense Sport Recife x Chapecoense

Leia mais

Finanças dos clubes de futebol do Brasil em 2011

Finanças dos clubes de futebol do Brasil em 2011 Finanças dos clubes de futebol do Brasil em 2011 Maio 2012 A BDO é a quinta maior empresa de auditoria e consultoria do Brasil, e realiza estudos e análises sobre a Indústria do Esporte, por meio de sua

Leia mais

Mercado brasileiro de clubes Dez anos da era dos pontos corridos

Mercado brasileiro de clubes Dez anos da era dos pontos corridos Mercado brasileiro de clubes Dez anos da era dos pontos corridos Agosto de 2013 Evolução financeira do futebol brasileiro na era dos pontos corridos. Marketing e Gestão Esportiva 1 Receitas na era dos

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL CAMPEONATO BRASILEIRO DA SÉRIE A TABELA BÁSICA / EDIÇÃO 216 TURNO REF ROD DATA - DIA HORA JOGO ESTÁDIO CIDADE 111 12ª 29/6 (qua) Vitória BA x Sport PE ou 3/6 (qui) 112 12ª Flamengo RJ x Internacional RS

Leia mais

Receitas por torcedor dos 18 clubes de maior torcida no Brasil

Receitas por torcedor dos 18 clubes de maior torcida no Brasil PLURI Especial dos 18 clubes de maior torcida no Brasil Economista, Especialista em Gestão e Marketing do Esporte e Pesquisa de Mercado, Diretor da Pluri Consultoria, da BrSM e Sportfood Franchising e

Leia mais

Estimativas e Análises do PIB Regiões, Estados e Municípios. Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 02 Setembro/2012.

Estimativas e Análises do PIB Regiões, Estados e Municípios. Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 02 Setembro/2012. O Atual Potencial Econômico do Brasil Estimativas e Análises do PIB 2011 - Regiões, Estados e Municípios Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 02 Setembro/2012 Edição 2009 www.goncalvesassociados.com

Leia mais

9, R$ , , R$ ,

9, R$ , , R$ , Rondônia 2005 R$ 601.575,17 2005 10.154 2004 1.027.983 2004 108.139 2004 10,52 2006 R$ 609.834,21 2006 10.757 2005 1.025.249 2005 101.539 2005 9,90 2007 R$ 1.229.490,00 2007 9.100 2006 1.047.004 2006 111.068

Leia mais

Valor das marcas dos 17 clubes mais valiosos do Brasil

Valor das marcas dos 17 clubes mais valiosos do Brasil Valor das marcas dos 17 clubes mais valiosos do Brasil Edição de 2012 Valor das marcas dos 12 clubes mais valiosos do Brasil Pelo quarto ano consecutivo a BDO publica seu estudo avaliando as marcas dos

Leia mais

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014)

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) 8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) Elaboração: Contraf-CUT, CNTV e Federação dos Vigilantes do Paraná Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba

Leia mais

Indústria do Esporte. Patrocínio direto no futebol brasileiro

Indústria do Esporte. Patrocínio direto no futebol brasileiro Indústria do Esporte Patrocínio direto no futebol brasileiro Abril 2011 Patrocínio Direto no Futebol Brasileiro Receitas com patrocínio direto no futebol brasileiro atingiram R$ 435 milhões em 2009 O valor

Leia mais

TURNO REF ROD DATA HORA JOGO ESTÁDIO CIDADE

TURNO REF ROD DATA HORA JOGO ESTÁDIO CIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO DA SÉRIE B TABELA BÁSICA / EDIÇÃO 2016 TURNO REF ROD DATA HORA JOGO ESTÁDIO CIDADE 001 1ª 13/05 (sex) ou 14/05 (sáb) Ceará CE x Paysandu PA 002 1ª Bahia BA x Avaí SC 003 1ª Sampaio

Leia mais

Brazil - Position in State Championship. Campeonato Acriano since 1919 (Federação de Futebol do Estado do Acre)

Brazil - Position in State Championship. Campeonato Acriano since 1919 (Federação de Futebol do Estado do Acre) Brazil - Position in State Championship Campeonato Acriano since 99 (Federação de Futebol do Estado do Acre) 99 Rio Branco Football Club [Rio Branco, AC] by soccer library 90 90 906 908 90 9 9 96 98 90

Leia mais

Art. 1º A Copa do Brasil Sub 17, doravante Copa, é regida por dois regulamentos mutuamente complementares identificados a seguir:

Art. 1º A Copa do Brasil Sub 17, doravante Copa, é regida por dois regulamentos mutuamente complementares identificados a seguir: COPA DO BRASIL SUB 17 EDIÇÃO DE 2013 REC REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO CAPÍTULO I Da Denominação e Participação Art. 1º A Copa do Brasil Sub 17, doravante Copa, é regida por dois regulamentos mutuamente

Leia mais

COPA DO BRASIL SUB 20 DE 2013 REC REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO

COPA DO BRASIL SUB 20 DE 2013 REC REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO COPA DO BRASIL SUB 20 DE 2013 REC REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO CAPÍTULO I Da Denominação e Participação Art. 1º A Copa do Brasil Sub 20, edição de 2013, doravante denominada simplesmente Copa,

Leia mais

PLURI Especial 1º RANKING PLURI DE TRANSPARÊNCIA DOS CLUBES DE FUTEBOL

PLURI Especial 1º RANKING PLURI DE TRANSPARÊNCIA DOS CLUBES DE FUTEBOL PLURI Especial 1º RANKING PLURI DE TRANSPARÊNCIA DOS CLUBES DE FUTEBOL PLURI Consultoria Pesquisa, Valuation, Gestão e marketing Esportivo. Curitiba-PR Twitter: @pluriconsult Fernando Ferreira Economista,

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL COPA DO BRASIL SUB 20 DE 2014 REC REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO CAPÍTULO I Da Denominação e Participação Art. 1º A Copa do Brasil Sub 20, edição de 2014, doravante denominada simplesmente Copa,

Leia mais

Confederação Brasileira de Futebol

Confederação Brasileira de Futebol Confederação Brasileira de Futebol Diretoria de Competições Regulamento Específico da Competição Copa do Brasil Sub 17 2015 1 SUMÁRIO DEFINIÇÕES... 3 CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO E PARTICIPAÇÃO... 4 CAPÍTULO

Leia mais

Apresentação de Resultados 2T10

Apresentação de Resultados 2T10 Apresentação de Resultados 2T10 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros. Todas as declarações

Leia mais

4ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos 2012

4ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos 2012 4ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos 2012 Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba e Região Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região Fetec-CUT(PR)

Leia mais

Confederação Brasileira de Futebol

Confederação Brasileira de Futebol Confederação Brasileira de Futebol Diretoria de Competições Regulamento Específico da Competição Copa do Brasil Sub 17 2016 1 SUMÁRIO DEFINIÇÕES... 3 CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO E PARTICIPAÇÃO... 4 CAPÍTULO

Leia mais

Desequilíbrio marca o futebol brasileiro em 2013

Desequilíbrio marca o futebol brasileiro em 2013 Terça-feira, 06/05/2014 às 04:44 por Emerson Gonçalves Globo Esporte Desequilíbrio marca o futebol brasileiro em 2013 O consultor de marketing e gestão esportiva Amir Somoggi apresentou a edição 2013 de

Leia mais

O pagamento do 13º salário pelos Municípios brasileiros em 2010

O pagamento do 13º salário pelos Municípios brasileiros em 2010 15 O pagamento do 13º salário pelos Municípios brasileiros em 2010 A Confederação Nacional de Municípios (CNM) realizou uma pesquisa com 87,6% dos Municípios brasileiros sobre o pagamento do 13º salário

Leia mais

Estado de São Paulo tem a maior quantidade de POS a cada mil habitantes; Maranhão, a menor

Estado de São Paulo tem a maior quantidade de POS a cada mil habitantes; Maranhão, a menor INFORMATIVO PARA A IMPRENSA ML&A Comunicações Fernanda Elen fernanda@mla.com.br (11) 3811-2820 ramal 833 Cresce a aceitação de cartões em 2015, aponta a Boanerges & Cia. Estado de São Paulo tem a maior

Leia mais

Educação Superior Enade e IGC dos Estados e DF

Educação Superior Enade e IGC dos Estados e DF Educação Superior Enade e IGC dos Estados e DF Enade 2015 O Conceito Enade é um indicador de qualidade que avalia o desempenho dos estudantes a partir dos resultados obtidos anualmente para os cursos que

Leia mais

Dívidas por torcedor dos 18 clubes de maior torcida no Brasil

Dívidas por torcedor dos 18 clubes de maior torcida no Brasil PLURI Especial dos 18 clubes de maior torcida no Brasil Economista, Especialista em Gestão e Marketing do Este e Pesquisa de Mercado, Diretor da Pluri Consultoria, da BrSM e Stfood Franchising e Licenciamentos.

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Estado do Rio de Janeiro em 2013 FEVEREIRO DE 2014 RESUMO O país criou 730.687 novos postos de trabalho em 2013, desempenho este 16% menor do que o apresentado em 2012. No

Leia mais

TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015

TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015 ! TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015! Jogos Escolares da Juventude 2015 12 a 14 anos Boletim Oficial de Resultados 04/09/2015 CENTRO DE FORMAÇÃO OLÍMPICA - QUADRA 1 TÊNIS DE MESA - EQUIPE - Feminino 1 09:00

Leia mais

Resultado do Estoque de Empregos Formais RAIS 2002 a 2013

Resultado do Estoque de Empregos Formais RAIS 2002 a 2013 Enfoque Econômico é uma publicação do IPECE que tem por objetivo fornecer informações de forma imediata sobre políticas econômicas, estudos e pesquisas de interesse da população cearense. Por esse instrumento

Leia mais

A DÍVIDA ATIVA INSCRITA PELOS MUNICÍPIOS E A RECEITA COM ELA AUFERIDA: A SITUAÇÃO EM 2010

A DÍVIDA ATIVA INSCRITA PELOS MUNICÍPIOS E A RECEITA COM ELA AUFERIDA: A SITUAÇÃO EM 2010 A DÍVIDA ATIVA INSCRITA PELOS MUNICÍPIOS E A RECEITA COM ELA AUFERIDA: A SITUAÇÃO EM 2010 (Estudo Técnico nº 174) François E. J. de Bremaeker Salvador, junho de 2012 2 A DÍVIDA ATIVA INSCRITA PELOS MUNICÍPIOS

Leia mais

Potencial da Indústria do Esporte no Brasil

Potencial da Indústria do Esporte no Brasil Potencial da Indústria do Esporte no Brasil setembro / 2010 Perspectivas Globais (indústria do esporte) Participação do esporte no PIB das nações desenvolvidas entre 2,0% e 2,5%. Na década d de 1990 participação

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2012

Contas Regionais do Brasil 2012 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2012 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio de Janeiro, 14/11/2014 Contas Regionais do Brasil Projeto

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL COPA DO BRASIL TABELA BÁSICA / EDIÇÃO 215 FASE PRELIMINAR DATA - DIA HORA 1 I 8/2 - Dom Atlético AC x Real Noroeste ES 2 V 22/2 - Dom Real Noroeste ES x Atlético AC PRIMEIRA FASE DATA - DIA HORA GR I 25/2,

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL COPA DO BRASIL TABELA BÁSICA / EDIÇÃO 2017 PRIMEIRA FASE I 08/02 - qua 1 CSA AL X Sport PE I 2 7 de Setembro MS X River PI I 15/02 - qua 3 Boavista RJ X Ceará CE I 4 Uniclinic CE X Portuguesa SP I 5 Rio

Leia mais

O MAPA DA EXTREMA INDIGÊNCIA NO CEARÁ E O CUSTO FINANCEIRO DE SUA EXTINÇÃO

O MAPA DA EXTREMA INDIGÊNCIA NO CEARÁ E O CUSTO FINANCEIRO DE SUA EXTINÇÃO CAEN-UFC RELATÓRIO DE PESQUISA Nº5 O MAPA DA EXTREMA INDIGÊNCIA NO CEARÁ E O CUSTO FINANCEIRO DE SUA EXTINÇÃO (Apresenta um Comparativo com os Estados Brasileiros) Autores da Pesquisa Flávio Ataliba Barreto

Leia mais

Confederação Brasileira de Futebol

Confederação Brasileira de Futebol Confederação Brasileira de Futebol Diretoria de Competições Regulamento Específico da Competição Copa do Brasil Sub-17 2017 1 SUMÁRIO DEFINIÇÕES... 3 CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO E PARTICIPAÇÃO... 4 CAPÍTULO

Leia mais

RANKING NACIONAL EQUIPE SÊNIOR

RANKING NACIONAL EQUIPE SÊNIOR 2017 INTRODUÇÃO A Confederação Brasileira de Judô, entidade máxima no território nacional, responsável pelo desenvolvimento da modalidade, tem como missão representar e fomentar o Judô brasileiro com excelência,

Leia mais

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Janeiro de 2008 Apresentado por Fernando Chacon Diretor de Marketing de Cartões do Banco Itaú 1 Mercado de Cartões Faturamento anual: R$ bilhões

Leia mais

Confederação Brasileira de Futebol

Confederação Brasileira de Futebol Confederação Brasileira de Futebol Diretoria de Competições Regulamento Específico da Competição Copa do Brasil Sub 20 2015 1 SUMÁRIO DEFINIÇÕES... 3 CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO E PARTICIPAÇÃO... 4 CAPÍTULO

Leia mais

Sobre o IPECE Informe

Sobre o IPECE Informe Nº 115 Julho 2017 Dinâmica dos Empregos Formais Cearenses: Uma Análise Comparativa com o Brasil, Grandes Regiões, Estados e Capitais da Federação entre os anos de 2010 e 2015. GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ

Leia mais

Síntese de indicadores. nº 1 setembro 2012 CAGED

Síntese de indicadores. nº 1 setembro 2012 CAGED Síntese de indicadores nº 1 setembro 2012 CAGED Síntese de indicadores CAGED Apresentação A partir deste mês, os Observatórios do Trabalho do DIEESE passam a divulgar a Síntese de Indicadores, com resultados

Leia mais

2. Aquisição de Leite

2. Aquisição de Leite 2. Aquisição de Leite No 1º trimestre de 2017, a aquisição de leite cru feita pelos estabelecimentos que atuam sob algum tipo de inspeção sanitária (Federal, Estadual ou Municipal) foi de 5,87 bilhões

Leia mais

MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA

MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA São Paulo 2010 Sumário 1. Movimentação Nacional do Emprego no segmento da Arquitetura e Engenharia Consultiva 2010...

Leia mais

Contabilizando para o Cidadão Entendendo as Finanças Públicas

Contabilizando para o Cidadão Entendendo as Finanças Públicas - ano 2015 Pernambuco 5,20% Ceará 5,44% Maranhão 5,14% Pará 4,89% Paraná 4,43% Rio Grande do Sul 4,37% Santa Catarina 2,54% Rio Grande do Norte 2,48% Espírito Santo 2,14% Amazonas 2,06% Sergipe 1,87% Alagoas

Leia mais

Déficit Habitacional 2009

Déficit Habitacional 2009 Déficit Habitacional 2009 Eduardo May Zaidan 28 de outubro de 2010 Déficit habitacional: conceito O déficit habitacional é a medida das carências de moradia de uma determinada sociedade. Essas carências

Leia mais

O Desempenho do IPTU em 2010

O Desempenho do IPTU em 2010 O Desempenho do IPTU em 2010 A receita global de IPTU no exercício de 2010 teve um aumento real de 17,2% em relação ao ano de 2009, conforme se verifica abaixo: Exercício Receita Total (R$ Mil) Crescimento

Leia mais

Setor Público Brasileiro

Setor Público Brasileiro PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E ECONOMIA SINDICATO DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS DO RS Parceria FACE/PUCRS e SESCON-RS Relatório 25 Evolução das

Leia mais

Confederação Brasileira de Futebol

Confederação Brasileira de Futebol Confederação Brasileira de Futebol Diretoria de Competições Regulamento Específico da Competição Copa do Brasil Sub-20 2017 1 SUMÁRIO DEFINIÇÕES... 3 CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO E PARTICIPAÇÃO... 4 CAPÍTULO

Leia mais

Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Divulgação dos resultados parciais do programa em 2013.

Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Divulgação dos resultados parciais do programa em 2013. Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Divulgação dos resultados parciais do programa em 2013. O Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A tem por objetivo a prevenção e controle da hipovitaminose

Leia mais

2. Aquisição de Leite

2. Aquisição de Leite 2. Aquisição de Leite No 2º trimestre de 2017, a aquisição de leite cru feita pelos estabelecimentos que atuam sob algum tipo de inspeção sanitária (Federal, Estadual ou Municipal) foi de 5,64 bilhões

Leia mais

IBGE divulga as Contas Regionais 2007

IBGE divulga as Contas Regionais 2007 IBGE divulga as Contas Regionais 2007 Desde 1995, oito estados (SP, RJ, MG, RS, PR, BA, SC e DF) mantém a liderança das participações no PIB do país e, em 2007, eles concentravam quase 80% da economia.

Leia mais

EVIDENCIAÇÃO CONTÁBIL: UMA ANÁLISE DA DIVULGAÇÃO DOS ATIVOS INTANGÍVEIS DOS CLUBES DE FUTEBOL BRASILEIRO

EVIDENCIAÇÃO CONTÁBIL: UMA ANÁLISE DA DIVULGAÇÃO DOS ATIVOS INTANGÍVEIS DOS CLUBES DE FUTEBOL BRASILEIRO EVIDENCIAÇÃO CONTÁBIL: UMA ANÁLISE DA DIVULGAÇÃO DOS ATIVOS INTANGÍVEIS DOS CLUBES DE FUTEBOL BRASILEIRO MARINA VERONA Universidade de Caxias do Sul (UCS) jonatan.primieri@vipal.com.br FERNANDO ANDRADE

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL SUMÁRIO EXECUTIVO EMPREGO MAIO DE 2013 A INDÚSTRIA FOI O SETOR QUE MAIS CONTRATOU EM MAIO E NO ACUMULADO DO ANO.

EMPREGO INDUSTRIAL SUMÁRIO EXECUTIVO EMPREGO MAIO DE 2013 A INDÚSTRIA FOI O SETOR QUE MAIS CONTRATOU EM MAIO E NO ACUMULADO DO ANO. EMPREGO INDUSTRIAL MAIO DE 2013 SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA FOI O SETOR QUE MAIS CONTRATOU EM MAIO E NO ACUMULADO DO ANO. FORAM GERADAS 31.531 VAGAS ENTE JANEIRO E MAIO, correspondendo a um acréscimo

Leia mais

Nível de Emprego Formal Celetista

Nível de Emprego Formal Celetista Nível de Emprego Formal Celetista Cadastro Geral de Empregados e Desempregados CAGED FEVEREIRO de 2014 1 Geração de Empregos Formais Celetistas Total de Admissões em fevereiro de 2014... 1.989.181 Total

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Junho de 2016

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Junho de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Junho de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Junho de 2016 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE TORCIDAS

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE TORCIDAS PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE TORCIDAS FEVEREIRO DE 2014 JOB0159 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO LOCAL O objetivo do estudo é mensurar a proporção das torcidas de times de futebol e coletar

Leia mais

Cursos de Dança no Brasil. Dulce Aquino

Cursos de Dança no Brasil. Dulce Aquino Cursos de Dança no Brasil Dulce Aquino Cursos de Dança no Brasil Instituições Federais Instituições Estaduais 3 cursos 9 cursos Total 3 Total de Cursos de Dança nas IES - 3 3 11 Norte - 3 Nordeste - 11

Leia mais

Finanças dos clubes brasileiros em 2013

Finanças dos clubes brasileiros em 2013 Finanças dos clubes brasileiros em 2013 Maio de 2014 Dados financeiros dos clubes de futebol do Brasil mostram um desequilíbrio entre as receitas e despesas. A bolha do futebol brasileiro enfim apareceu.

Leia mais

Emprego industrial 25 de Fevereiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA. Indústria Janeiro/2014

Emprego industrial 25 de Fevereiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA. Indústria Janeiro/2014 EMPREGO INDUSTRIAL Janeiro de 2014 Emprego industrial 25 de Fevereiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO APRESENTOU O MELHOR DESEMPENHO

Leia mais

REFLEXOS E PARADIGMAS DA GUERRA FISCAL DO ICMS

REFLEXOS E PARADIGMAS DA GUERRA FISCAL DO ICMS REFLEXOS E PARADIGMAS DA GUERRA FISCAL DO ICMS Muito se tem falado sobre os reflexos econômicos da Guerra Fiscal do ICMS para os Estados brasileiros. Criaram-se alguns paradigmas, os quais sustentam que

Leia mais

Nível de Emprego Formal Celetista

Nível de Emprego Formal Celetista Nível de Emprego Formal Celetista Cadastro Geral de Empregados e Desempregados CAGED Abril de 2014 1 Geração de Empregos Formais Celetistas Total de Admissões em abril de 2014... 1.862.515 Total de Desligamentos

Leia mais

Clube de Regatas do Flamengo RESULTADO ECONÔMICO 2014

Clube de Regatas do Flamengo RESULTADO ECONÔMICO 2014 Clube de Regatas do Flamengo RESULTADO ECONÔMICO 2014 O ano de 2014 foi um ano de grandes realizações, não apenas no aspecto esportivo, mas também no processo de resgate das finanças do Clube PRINCIPAIS

Leia mais

O valor de mercado dos Clubes que disputam o Campeonato Brasileiro Série B

O valor de mercado dos Clubes que disputam o Campeonato Brasileiro Série B PLURI Valuation O valor de mercado dos Clubes que disputam o Campeonato Brasileiro Série B - 2013 PLURI Consultoria Pesquisa, Valuation, Gestão e marketing Esportivo. Twitter: @pluriconsult www.facebook/pluriconsultoria

Leia mais

ICMS: um retrato da economia brasileira em 2015

ICMS: um retrato da economia brasileira em 2015 ICMS: um retrato da economia brasileira em 2015 Pedro Jucá Maciel 1 INTRODUÇÃO O ICMS, imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre prestações de serviços de transporte interestadual,

Leia mais

Piores trechos por Unidade Federativa por número de mortos

Piores trechos por Unidade Federativa por número de mortos Piores trechos por Unidade Federativa por número de mortos - 2016 Data: 24/05/2017 FILTROS: Veículos: Todos Valores: Absolutos Estado: Todos BR: Todas Piores trechos por Estado número de mortos 2016 Estado

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA Relatório Mensal: A Movimentação do Mercado de Trabalho Formal no Município de Diadema Março de 2008 Termo de Contrato Nº. 226/2007 MAIO de 2008 SUMÁRIO Apresentação

Leia mais

Rio de Janeiro, 18/05/2017. Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de 2017

Rio de Janeiro, 18/05/2017. Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de 2017 1 Rio de Janeiro, 18/05/2017 Mercado de Trabalho Brasileiro estre de 2017 O B J P R I N C I P A L Produzir informações contínuas PNAD Contínua Produzir informações anuais E T I sobre a inserção da população

Leia mais

Dados sobre o Programa de Educação Tutorial PET atualizados em abril de Fonte: SESu/MEC Apresentação: Diretoria da CENAPET

Dados sobre o Programa de Educação Tutorial PET atualizados em abril de Fonte: SESu/MEC Apresentação: Diretoria da CENAPET Dados sobre o Programa de Educação Tutorial PET atualizados em abril de 05 Fonte: SESu/MEC Apresentação: Diretoria da CENAPET Informações Gerais Número de Grupos: 84 Número de IES: Categoria Administrativa

Leia mais

Relatório de Transparência 1T17 Esporte Clube Vitória

Relatório de Transparência 1T17 Esporte Clube Vitória Relatório de Transparência 1T17 Esporte Clube Vitória Sumário Executivo DRE Receita Líquida Despesas Operacionais Investimentos Sou Mais Vitória Informações Fiscais Demonstração de Resultado do Exercício

Leia mais

RANKING NACIONAL EQUIPE SÊNIOR

RANKING NACIONAL EQUIPE SÊNIOR INTRODUÇÃO A Confederação Brasileira de Judô, entidade máxima no território nacional, responsável pelo desenvolvimento da modalidade, tem como missão fomentar o Judô brasileiro através de ações estratégicas

Leia mais

Futebol Brasileiro fecha 2013 com arrecadação total de R$ 475 milhões

Futebol Brasileiro fecha 2013 com arrecadação total de R$ 475 milhões Futebol Brasileiro fecha 2013 com arrecadação total de R$ 475 milhões PLURI Consultoria Pesquisa, Valuation, Gestão e marketing Esportivo. São Paulo - Brasil Twitter: @pluriconsult www.facebook/pluriconsultoria

Leia mais

Relatório da Frota Circulante 2017

Relatório da Frota Circulante 2017 I Frota circulante total O Relatório da Frota Circulante, elaborado pelo Sindipeças com dados até 2016, apontou aumento de 0,7% na frota de autoveículos brasileira, em comparação com 2015, registrando

Leia mais

EVOLUÇÃO. R$ Bilhões US$ Bilhões 19,6 13,5 11,5 9,7 3,8

EVOLUÇÃO. R$ Bilhões US$ Bilhões 19,6 13,5 11,5 9,7 3,8 EVOLUÇÃO A Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos apresentou um crescimento médio deflacionado composto de 10,5% nos últimos 14 anos, tendo passado de um faturamento "ExFactory",

Leia mais

EVOLUÇÃO 11,5 9,7 8,3 3,8 3,6 3,3

EVOLUÇÃO 11,5 9,7 8,3 3,8 3,6 3,3 EVOLUÇÃO A Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos apresentou um crescimento médio deflacionado composto de 10,6% nos últimos 13 anos, tendo passado de um faturamento "ExFactory",

Leia mais