Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua. Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de de maio de 2018

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua. Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de de maio de 2018"

Transcrição

1 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de de maio de 2018

2

3 P R I N C I P A L O B J E T I V O Produzir informações contínuas Sobre a inserção da população no mercado de trabalho e suas diversas características. PNAD Contínua Permitir assim, o estudo do desenvolvimento socioeconômico Produzir informações anuais Sobre outras formas de trabalho, trabalho infantil, migração, habitação, fecundidade, nupcialidade etc.

4 PNAD Contínua setores municípios Abrangência de Coleta das Informações

5 Tamanho da Amostra da PNAD Contínua por Trimestre Brasil = 211 mil domicílios Cerca de 2000 entrevistadores trabalham na pesquisa mensalmente

6 Recomendações Internacionais Os indicadores aqui apresentados foram desenvolvidos utilizando os novos conceitos, definições e nomenclaturas de acordo com as recomendações da Organização Internacional do Trabalho - OIT, adotadas na última Conferência Internacional dos Estatísticos do Trabalho - 19ª CIET, realizada em Genebra, em outubro de 2013.

7 Rotação da Amostra da PNAD Contínua Um Domicílio, uma vez selecionado para amostra da pesquisa, é visitado uma única vez no trimestre, por 5 trimestres consecutivos. 7

8 Divulgações Trimestres Móveis Dados Brasil 12 divulgações por ano Trimestres Móveis Dados Brasil, GR, Uf, RM e Capitais 4 divulgações por ano Divulgação Trimestres nov-dez-jan P P P P P P 2 dez-jan-fev P P P P P P 3 jan-fev-mar P P P P P P P 4 fev-mar-abr P P P P P P 5 mar-abr-mai P P P P P P 6 abr-mai-jun P P P P P P 7 mai-jun-jul P P P P P P 8 jun-jul-ago P P P P P P 9 jul-ago-set P P P P P P 10 ago-set-out P P P P P P 11 set-out-nov P P P P P P 12 out-nov-dez P P P P P P Divulgação Trimestres º Trim jan-fev-mar P P P P P P P 2º Trim abr-mai-jun P P P P P P 3º Trim jul-ago-set P P P P P P 4º Trim out-nov-dez P P P P P P

9 Material disponibilizado na Internet I) Divulgação Trimestral Trimestres Convencionais SIDRA Material Completo Planilha para cada uma das UFs Planilha para cada uma das RMs das Capitais Planilha para cada um dos municípios das capitais Planilha consolidando todas as UFs Texto para Brasil e Grandes Regiões II) Divulgação Mensal Trimestres Móveis Planilha para Brasil (Trimestres Móveis) III) Microdados (do 1º trimestre de 2012 ao 4º trimestre de 2017) IV) e esta apresentação

10 Relatórios Regionais, disponíveis na Internet

11 Quadros Sintéticos Regionais, disponíveis na Internet

12 Resultados

13 Taxa de desocupação

14 Taxa de desocupação das pessoas de 14 anos ou mais de idade, na semana de referência (em %) - Brasil 16,0 Máximo 13,7 14,0 12,0 10,0 11,8 13,1 8,0 7,9 6,0 Mínimo 6,2 4,0 2,0 0,0 1º 2º 3º 4º 1º 2º 3º 4º 1º 2º 3º 4º 1º 2º 3º 4º 1º 2º 3º 4º 1º 2º 3º 4º 1º FONTE: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua A taxa de desocupação no 1º trimestre de 2018 aumentou 1,3 ponto percentual em relação ao 4º trimestre de 2017 e reduziu frente ao 1º trimestre de 2017.

15 Taxa de desocupação das pessoas de 14 anos ou mais de idade, na semana de referência (em %) Brasil e Grandes Regiões 18,0 16,0 Nordeste 15,9 14,0 12,0 10,0 8,0 Sudeste 13,8 Norte 12,7 Centro-Oeste 10,5 Sul 8,4 6,0 4,0 2,0 0,0 1º 2º 3º 4º 1º 2º 3º 4º 1º 2º 3º 4º 1º 2º 3º 4º 1º 2º 3º 4º 1º 2º 3º 4º 1º FONTE: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Entre as Grandes Regiões, ao longo da série da pesquisa, a Nordeste sempre apresentou a taxa de desocupação mais alta e a Centro-Oeste e a Sul as mais baixas.

16 Taxa de Desocupação Aumento Estabilidade Redução Frente ao 4º trimestre de 2017, 16 unidades da federação apresentaram aumento da taxa de desocupação

17 Taxa de Desocupação Aumento Estabilidade Redução Frente ao 1º trimestre de 2017, 2 unidades da federação apresentaram aumento da taxa de desocupação e 8 unidades da federação apresentaram redução.

18 Brasil, Grandes Regiões e Unidades da Federeção Taxa de desocupação Taxa de desocupação (%) º 2º 3º 4º 1º 2º 3º 4º 1º 2º 3º 4º 1º 2º 3º 4º 1º 2º 3º 4º 1º 2º 3º 4º 1º Brasil 7,9 7,5 7,1 6,9 8,0 7,4 6,9 6,2 7,2 6,8 6,8 6,5 7,9 8,3 8,9 9,0 10,9 11,3 11,8 12,0 13,7 13,0 12,4 11,8 13,1 Norte 8,9 8,1 7,8 7,3 8,6 8,3 7,5 6,5 7,7 7,2 6,9 6,8 8,7 8,5 8,8 8,6 10,5 11,2 11,4 12,7 14,2 12,5 12,2 11,3 12,7 Rondônia 8,0 6,2 5,9 5,3 6,1 4,8 4,5 4,9 4,9 4,1 4,1 3,6 4,4 4,9 6,7 6,3 7,5 7,8 8,4 7,8 8,0 8,9 8,1 7,6 10,4 Acre 9,0 8,9 7,6 8,1 10,8 9,4 8,8 6,9 8,0 9,6 7,0 6,2 8,7 8,7 8,8 7,7 8,7 11,0 12,1 11,7 15,9 14,9 13,5 12,2 14,4 Amazonas 11,0 9,1 9,4 8,4 10,2 10,1 8,3 7,6 8,2 8,3 6,7 7,7 9,4 9,5 10,0 9,1 12,7 13,2 13,6 14,8 17,7 15,5 16,0 13,5 13,9 Roraima 8,5 5,8 7,5 8,4 8,8 8,6 8,0 6,6 7,5 5,2 6,3 6,3 8,9 7,8 9,3 8,1 8,3 8,0 9,7 9,2 10,3 10,8 8,9 9,4 10,3 Pará 7,9 7,7 7,1 6,8 7,8 7,6 7,6 6,0 7,6 7,0 7,2 7,0 9,2 8,9 8,4 8,6 10,0 10,9 11,0 12,7 13,8 11,4 11,1 10,7 12,2 Amapá 12,5 14,6 14,0 11,8 11,4 14,3 10,9 9,2 11,3 9,9 10,6 9,5 9,6 10,1 11,7 12,7 14,3 15,8 14,9 16,8 18,5 17,1 16,6 18,8 21,5 Tocantins 8,4 7,7 7,2 7,6 9,3 8,2 6,2 6,4 8,5 7,7 7,5 6,3 8,7 7,6 9,2 9,0 10,7 11,2 10,8 13,1 12,6 11,7 11,8 10,5 11,0 Nordeste 9,7 9,6 9,4 9,3 10,9 10,0 9,0 7,9 9,3 8,8 8,6 8,3 9,6 10,3 10,8 10,5 12,8 13,2 14,1 14,4 16,3 15,8 14,8 13,8 15,9 Maranhão 7,9 9,1 7,7 7,5 9,3 9,2 7,4 5,5 6,4 7,2 6,7 7,0 8,9 8,8 8,4 8,2 10,8 11,8 11,9 13,0 15,0 14,6 14,4 13,3 15,6 Piauí 7,6 7,0 6,1 6,9 8,3 7,5 7,4 6,9 7,1 7,0 6,1 5,9 7,7 7,7 7,6 7,2 9,6 9,9 9,4 8,8 12,6 13,5 12,0 13,3 13,2 Ceará 7,2 8,1 8,0 7,5 8,8 8,4 7,2 6,9 7,9 7,5 7,4 6,6 8,0 8,8 9,5 9,0 10,8 11,5 13,1 12,4 14,3 13,2 11,8 11,1 12,8 Rio Grande do Norte 11,5 11,3 11,3 11,5 12,1 10,7 10,1 9,8 11,7 11,5 10,5 10,4 11,5 11,6 12,6 12,2 14,3 13,5 14,1 14,7 16,3 15,6 13,7 12,3 14,9 Paraíba 9,9 9,3 8,5 9,0 9,4 8,9 8,5 8,4 9,3 8,8 9,2 8,1 9,1 9,1 10,3 9,5 10,0 10,7 12,8 11,9 13,2 11,4 10,8 10,1 11,7 Pernambuco 9,6 8,2 9,3 9,2 10,6 9,6 8,4 7,3 8,8 7,9 8,3 7,6 8,2 9,1 11,2 11,0 13,3 14,0 15,3 15,6 17,1 18,8 17,9 16,8 17,7 Alagoas 11,3 11,7 11,4 11,0 12,1 10,6 10,4 9,3 9,7 9,7 9,7 9,4 11,1 11,7 10,7 11,3 12,8 13,9 14,8 14,8 17,5 17,8 15,9 15,5 17,7 Sergipe 10,3 10,8 10,4 9,5 11,4 11,1 10,0 8,7 9,4 9,6 9,0 8,9 8,6 9,1 8,6 9,9 11,2 12,6 14,2 15,0 16,1 14,1 13,6 13,4 17,1 Bahia 11,5 11,2 10,7 10,8 13,2 11,8 10,6 9,0 11,5 10,1 9,7 9,7 11,3 12,7 12,8 12,2 15,5 15,4 15,9 16,6 18,6 17,5 16,7 15,0 17,9 Sudeste 7,9 7,4 6,9 6,6 7,6 7,2 7,0 6,2 7,0 6,9 6,9 6,6 8,0 8,3 9,0 9,6 11,4 11,7 12,3 12,3 14,2 13,6 13,2 12,6 13,8 Minas Gerais 7,8 7,1 6,4 6,2 7,4 7,0 6,3 5,7 7,1 6,8 6,8 6,2 8,2 7,8 8,6 9,3 11,1 10,9 11,2 11,1 13,7 12,2 12,3 10,6 12,6 Espírito Santo 7,6 7,3 6,9 6,7 7,8 7,6 7,1 5,9 6,3 6,5 5,8 6,0 6,9 6,6 8,1 9,1 11,1 11,5 12,7 13,6 14,4 13,4 13,0 11,6 12,5 Rio de Janeiro 8,5 7,4 7,4 6,8 7,2 6,9 6,8 6,2 6,7 6,4 6,1 5,8 6,5 7,2 8,2 8,5 10,0 11,4 12,1 13,4 14,5 15,6 14,5 15,1 15,0 São Paulo 7,8 7,5 6,9 6,8 7,7 7,4 7,3 6,5 7,2 7,0 7,2 7,1 8,4 9,0 9,6 10,1 12,0 12,2 12,8 12,4 14,2 13,5 13,2 12,7 14,0 Sul 5,1 4,8 4,3 4,0 4,8 4,3 4,1 3,8 4,4 4,1 4,2 3,8 5,1 5,5 6,0 5,7 7,3 8,0 7,9 7,7 9,3 8,4 7,9 7,7 8,4 Paraná 5,6 5,3 4,6 4,3 4,9 4,5 4,2 3,7 4,1 4,1 4,1 3,7 5,3 6,2 6,1 5,8 8,1 8,2 8,5 8,1 10,3 8,9 8,5 8,3 9,6 Santa Catarina 4,1 3,7 3,2 2,7 3,6 3,4 2,8 2,5 3,1 2,8 2,9 2,7 3,9 3,9 4,4 4,2 6,0 6,7 6,4 6,2 7,9 7,5 6,7 6,3 6,5 Rio Grande do Sul 5,3 5,0 4,6 4,3 5,3 4,5 4,8 4,6 5,4 4,9 5,2 4,5 5,6 5,9 6,8 6,5 7,5 8,7 8,2 8,3 9,1 8,4 8,0 8,0 8,5 Centro-Oeste 7,0 6,2 5,7 5,7 6,8 6,0 5,5 4,9 5,9 5,6 5,4 5,3 7,3 7,4 7,5 7,4 9,7 9,7 10,0 10,9 12,0 10,6 9,7 9,4 10,5 Mato Grosso do Sul 7,5 7,0 4,9 5,0 4,8 5,0 4,4 4,5 4,7 3,9 4,0 3,8 6,1 6,2 6,3 5,9 7,8 7,0 7,7 8,2 9,8 8,9 7,9 7,3 8,4 Mato Grosso 6,6 5,7 5,1 4,6 5,7 4,5 3,8 3,7 4,4 3,9 3,7 4,0 5,7 6,2 6,6 5,7 9,1 9,8 9,0 9,5 10,5 8,6 9,4 7,3 9,3 Goiás 6,3 5,2 4,9 5,1 6,8 5,7 5,1 4,0 5,7 5,4 5,1 5,0 7,0 7,3 7,2 7,7 10,0 10,2 10,5 11,2 12,7 11,0 9,2 9,4 10,2 Distrito Federal 8,7 8,4 8,6 8,8 9,7 9,2 8,8 8,4 9,0 9,2 8,9 8,7 10,8 9,6 10,3 9,7 11,2 10,9 12,0 13,9 14,1 13,1 12,3 13,2 14,0 Fonte: IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Menor taxa da série Maior taxa da série A taxa de desocupação mais alta da série histórica da PNAD Contínua, iniciada no 1º trimestre de 2012, foi 18,8% em Pernambuco, no 2º trimestre de 2017; enquanto a mínima ocorreu em Santa Catarina (2,5%) no 4º trimestre de

19 Taxa de desocupação das pessoas de 14 anos ou mais de idade, na semana de referência (%) Brasil e UFs Amapá Bahia Alagoas Pernambuco Sergipe Maranhão Rio de Janeiro Rio Grande do Norte Acre Distrito Federal São Paulo Amazonas Piauí Brasil Ceará Minas Gerais Espirito Santo Pará Paraíba Tocantins Rondônia Roraima Goiás Paraná Mato Grosso Rio Grande do Sul Mato Grosso do Sul Santa Catarina FONTE: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 6, º T º T 7,3 7,3 7,6 6,5 8,3 8 9,4 9,4 8,5 8,4 10,1 As taxas de desocupação do Amapá (21,5%), Bahia (17,9%), Alagoas (17,7%), Pernambuco (17,7%) e Sergipe (17,1%) foram as mais altas no 1º trimestre de A menores taxas foram observadas em Santa Catarina (6,5%), Mato Grosso do Sul (8,4%), Rio Grande do Sul (8,5%), Mato Grosso (9,3%) e Paraná (9,6%). 10,6 10,5 9,3 11,1 10,7 9,6 11,8 11,6 10,4 10,3 10,2 12,3 12, ,7 13,4 13,3 13,2 11,7 13,5 13,3 12,6 12,5 12,2 13,2 13,1 12, ,5 15, ,9 14, ,9 16,8 15,6 18,8 17,1 17,9 17,7 17,7 21,5 %

20 Taxa de desocupação das pessoas de 14 anos ou mais de idade, na semana de referência (%), do 1º trimestre de 2017 e 2018 Amapá Bahia Alagoas Pernambuco Sergipe Maranhão Rio de Janeiro Rio Grande do Norte Acre Distrito Federal São Paulo Amazonas Piauí Brasil Ceará Minas Gerais Espirito Santo Pará Paraíba Tocantins Rondônia Roraima Goiás Paraná Mato Grosso Rio Grande do Sul Mato Grosso do Sul Santa Catarina 2017_1º T 9,18,5 FONTE: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 8,4 9,8 8,0 6,5 7,9 10,3 10,39,6 10,5 9,3 10,4 10,3 10,2 12,6 11,0 12,6 12,2 13,8 11,7 13,2 12,7 2018_1º T 13,713,1 12,8 14,3 13,7 12,6 14,5 14,1 14,2 13,2 12,5 14,4 15,0 14,4 15,9 14,0 14,0 13,9 16,1 15,0 14,9 16,3 17,1 15,6 17,5 17,7 18,5 18,617,9 17,1 17,7 17,7 21,5 %

21 7,4 6,8 9,2 10,9 10,9 10,4 10,6 10,6 11,8 11,2 12,1 13,5 13,7 13,1 14,0 13,3 13,8 14,0 13,4 15,4 14,8 14,3 14,9 15,2 14,9 15,1 16,0 16,4 15,8 15,7 17,4 17,2 17,5 18,0 18,3 19,2 18,2 18,4 19,2 20,3 19,3 19,8 20,1 20,3 Taxa de desocupação das pessoas de 14 anos ou mais de idade, na semana de referência, segundo as Regiões Metropolitanas-RMs % 2017_1º T 2018_1º T FONTE: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua A Região Metropolitana de Macapá registrou a maior taxa de desocupação (20,3%) e a de Florianópolis, a menor (6,8%)

22 5,7 6,5 7,6 7,3 7,1 8,4 8,1 9,5 9,8 10,5 9,8 9,8 9,5 10,3 10,6 11,5 10,9 11,8 11,3 12,2 12,2 12,6 12,7 12,8 12,3 11,9 13,1 12,4 13,6 13,9 13,2 14,0 13,4 14,2 13,7 14,6 13,3 14,2 13,6 14,9 14,3 14,8 14,4 15,6 15,7 16,8 16,1 17,1 17,3 17,5 18,4 18,9 19,0 19,1 19,8 19,4 Taxa de desocupação das pessoas de 14 anos ou mais de idade, na semana de referência, segundo os Municípios das Capitais. % 2017_4º T 2018_1º T FONTE: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua A cidade de São Luís registrou a maior taxa de desocupação (19,4%) e a de Florianópolis, a menor (6,5%), dentre todas as capitais

23 Taxa de desocupação e características da população desocupada Sexo, Idade, Nível de Instrução e Cor ou Raça

24 1º Tri 2º Tri 3º Tri 4º Tri 1º Tri 2º Tri 3º Tri 4º Tri 1º Tri 2º Tri 3º Tri 4º Tri 1º Tri 2º Tri 3º Tri 4º Tri 1º Tri 2º Tri 3º Tri 4º Tri 1º Tri 2º Tri 3º Tri 4º Tri 1º Tri Distribuição da população desocupada por sexo - Brasil 60,0 50,0 40,0 55,5 44,5 50,9 49,1 30,0 20,0 10,0 0, FONTE: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Homens Mulheres As mulheres continuam sendo maioria na população de desocupados, apesar do aumento da participação dos homens nessa população.

25 1º Tri 2º Tri 3º Tri 4º Tri 1º Tri 2º Tri 3º Tri 4º Tri 1º Tri 2º Tri 3º Tri 4º Tri 1º Tri 2º Tri 3º Tri 4º Tri 1º Tri 2º Tri 3º Tri 4º Tri 1º Tri 2º Tri 3º Tri 4º Tri 1º Tri Taxa de desocupação das pessoas de 14 anos ou mais de idade, na semana de referência, por sexo (%) Brasil 18,0 16,0 14,0 12,0 10,0 8,0 6,0 10,3 7,9 6,2 Mulheres 15,0 Total 13,1 Homens 11,6 4,0 2,0 0, FONTE: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua A taxa de desocupação das mulheres continua superior a dos homens.

26 Taxa de desocupação das pessoas de 14 anos ou mais de idade, na semana de referência, por sexo, segundo as Grandes Regiões 1º trimestre de 2018 % 17,6 13,1 11,6 15,0 12,7 10,6 15,8 15,9 14,7 13,8 12,1 15,8 8,4 7,3 9,8 10,5 8,9 12,6 Brasil Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste Total Homens Mulheres FONTE: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua A taxa de desocupação, das mulheres da Região Nordeste, Norte e Sudeste apresentaram as estimativas mais altas (17,6%, 15,8% e 15,8%, respectivamente) e a da Região Sul a mais baixa (9,8%).

27 Distribuição da população desocupada por grupo de idade - Brasil 25 a 39 anos, 34,2 % 18 a 24 anos, 32,3 % 40 a 59 anos, 22,4 % 14 a 17 anos, 8,7 % 60 anos ou mais, 2,5 % 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T FONTE: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua No 1º trimestre de 2018, a população de 25 a 59 anos representava 56,6% dos desocupados; Os jovens de 18 a 24 anos, 32,3%; Os menores de idade, 8,7%; e os idosos 2,5%.

28 Taxa de desocupação, na semana de referência, das pessoas de 14 anos ou mais de idade, por grupos de idade - Brasil 45,0 % 40,0 % 14 a 17 anos, 43,6 % 35,0 % 30,0 % 25,0 % 18 a 24 anos, 28,1 % 20,0 % 15,0 % 10,0 % 5,0 % 0,0 % Total, 13,1 25 a 39 anos, 11,9 % 40 a 59 anos, 7,8 % 60 anos ou mais; 4,6 % 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T As taxas de desocupação mais elevadas se referem à população jovem dos grupos etários de 14 a 17 anos (43,6%) e de 18 a 24 anos de idade (28,1%). Os grupos de 25 a 39 anos (11,9%), 40 a 59 anos (7,8%) e o de 60 anos ou mais de idade (4,6%) ficam abaixo da taxa nacional (13,1%).

29 Distribuição da população desocupada por cor ou raça - Brasil Preto e Pardo, 64,2 % Pardo, 52,6 % Branco, 35,2 % Preto, 11,6 % 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T FONTE: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua No 1º trimestre de 2018, 64,2% dos desocupados no Brasil eram pretos ou pardos. Os brancos representavam 35,2% dessa distribuição, enquanto pessoas de cor preta respondiam por 11,6%.

30 Taxa de desocupação por cor ou raça - Brasil 18,0 % 16,0 % 14,0 % 12,0 % 10,0 % Preto, 16,0 % Pardo, 15,1 % Total, 13,1 % Branco, 10,5 % 8,0 % 6,0 % 4,0 % 2,0 % 0,0 % 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T FONTE: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua As taxas de desocupação, observadas entre as pessoas de cor preta ou parda vêm apresentando as estimativas mais elevadas ao longo de todo o período de coleta da PNAD Contínua.

31 Distribuição da Desocupação por Nível de Instrução - Brasil 40,0 % 35,0 % 30,0 % 25,0 % Médio completo Fundamental incompleto 20,0 % 15,0 % 10,0 % 5,0 % 0,0 % 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T Sem instrução e menos de 1 ano de estudo 4,5 4,1 4,2 4,2 4,0 4,2 4,0 3,8 3,8 3,3 3,5 3,5 2,9 3,3 3,3 6,5 5,3 5,5 4,9 5,0 3,7 3,1 2,8 2,7 2,8 Fundamental incompleto 22,9 23,7 24,1 24,8 23,1 23,1 21,9 23,0 21,5 22,0 22,1 22,9 21,3 21,9 22,6 19,7 18,5 19,2 20,1 21,1 20,6 22,2 22,0 22,2 21,6 Fundamental completo 11,9 12,0 11,9 11,9 11,1 11,7 11,8 11,7 11,8 12,1 12,0 11,7 11,3 11,6 11,5 11,2 10,9 11,5 11,0 10,8 10,5 10,3 10,7 10,2 9,7 Médio incompleto 11,8 11,8 12,1 11,7 11,3 11,4 12,0 11,6 11,6 11,9 11,9 11,9 11,5 11,2 11,5 11,2 11,7 11,7 12,2 12,4 11,9 12,3 12,5 12,7 12,0 Médio completo 36,1 35,9 35,5 35,1 36,8 36,4 36,8 36,6 37,1 37,1 36,6 36,2 37,4 37,4 35,9 36,5 38,0 36,8 37,0 36,4 37,9 37,3 37,1 36,5 37,9 Superior incompleto 5,3 5,5 5,3 5,2 5,6 5,4 5,8 5,4 5,6 6,0 6,0 5,6 6,4 6,6 6,5 6,1 6,4 6,3 6,5 6,0 6,4 6,3 6,5 6,3 7,0 Superior completo 7,4 7,0 6,9 7,1 8,0 7,8 7,7 8,0 8,6 7,6 8,0 8,2 9,3 8,0 8,8 8,9 9,2 8,9 8,3 8,2 9,0 8,5 8,4 9,4 9,1 No 1º trimestre de 2018, 46,1% desocupados no Brasil não completaram o Ensino Médio. Esse percentual foi de 51,1% no 1º trimestre de

32 Taxa da Desocupação por Nível de Instrução mais elevado alcançado - Brasil 30,0 % 25,0 % 20,0 % 15,0 % Médio incompleto 10,0 % 5,0 % 0,0 % 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T Total 7,9 7,5 7,1 6,9 8,0 7,4 6,9 6,2 7,2 6,8 6,8 6,5 7,9 8,3 8,9 9,0 10,9 11,3 11,8 12,0 13,7 13,0 12,4 11,8 13,1 Sem instrução e menos de 1 ano de estudo 5,4 5,2 5,3 5,4 6,0 5,8 5,1 4,4 5,3 4,5 4,8 4,8 5,0 6,1 6,5 7,0 8,2 8,8 9,2 10,1 10,9 10,8 9,8 9,2 10,8 Fundamental incompleto 6,8 6,6 6,2 6,2 6,9 6,4 5,8 5,4 6,1 6,0 5,9 5,8 6,7 7,3 8,1 8,2 9,3 10,0 10,9 11,6 12,6 12,2 11,7 11,1 12,2 Fundamental completo 8,7 8,3 7,7 7,5 8,2 8,1 7,5 6,6 7,7 7,5 7,4 7,0 8,3 9,0 9,7 9,8 11,6 12,9 13,4 13,4 15,2 15,0 14,8 13,6 14,8 Médio incompleto 13,6 12,9 12,5 12,0 13,8 12,7 12,3 10,7 12,4 12,2 11,8 11,6 14,0 13,8 15,3 16,2 20,4 20,6 21,4 22,0 24,2 21,8 21,0 20,4 22,0 Médio completo 9,5 9,0 8,3 7,9 9,4 8,7 8,2 7,3 8,4 8,0 7,9 7,5 9,4 9,9 10,1 10,1 12,7 12,8 13,2 13,2 15,5 14,6 14,0 13,0 14,8 Superior incompleto 8,2 8,0 7,3 7,1 8,6 7,8 7,8 6,6 7,7 7,8 7,5 6,8 9,1 9,7 10,1 10,8 13,3 13,2 14,4 13,6 15,9 14,0 13,5 12,5 15,1 Superior completo 4,3 3,8 3,5 3,4 4,5 4,0 3,7 3,4 4,1 3,5 3,6 3,4 4,6 4,1 4,8 4,8 5,9 6,0 5,8 5,8 7,1 6,4 6,0 6,2 6,6 Ao longo da série histórica, a maior taxa de desocupação foi observada no grupo formado por pessoas com ensino médio incompleto ou equivalente, atingindo 22,0% no 1º trimestre de

33 Nível da ocupação (Proporção de pessoas ocupadas na população de 14 anos ou mais de idade)

34 Brasil Norte RO AC AM RR PA AP TO Nordeste MA PI CE RN PB PE AL SE BA Sudeste MG ES RJ SP Sul PR SC RS Centro-Oeste MS MG GO DF Nível da ocupação, na semana de referência, das pessoas de 14 anos ou mais de idade, por UF, Grande Região e Brasil (em %) 70,0 % 1º trimestre º trimestre 2017 Média Brasil 60,0 53,6 52,0 56,1 58,6 58,3 50,0 45,9 40,0 30,0 20,0 10,0 0,0 A Região Nordeste foi a única que apresentou todas as suas unidades com Nível da Ocupação inferior à média do Brasil.

35 Brasil, Grande Região e Unidade da Federação Nível da ocupação, na semana de referência, das pessoas de 14 anos ou mais de idade, por UF, Grande Região e Brasil (em %) Nível da ocupação das pessoas de 14 anos ou mais de idade, na semana de referência (%) T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T Brasil 56,3 57,1 57,2 57,1 56,3 56,9 57,1 57,3 56,8 56,9 56,8 56,9 56,2 56,2 56,0 55,9 54,7 54,6 54,0 54,0 53,1 53,7 54,1 54,5 53,6 Norte 55,7 57,3 57,0 58,0 56,9 56,9 56,4 57,1 56,5 56,8 56,9 56,6 56,0 55,9 56,3 56,1 55,0 54,4 53,4 52,8 51,4 52,8 52,8 53,6 52,0 Rondônia 57,2 59,5 59,3 61,5 59,3 60,3 59,2 58,3 58,2 57,5 57,2 58,8 57,6 57,0 57,5 58,8 57,5 58,6 57,0 57,6 55,5 56,4 56,9 57,3 55,5 Acre 52,9 55,1 55,1 55,6 53,5 53,2 53,0 53,6 53,7 53,0 54,3 53,9 54,0 53,0 53,3 53,7 52,9 48,8 46,7 47,5 45,3 47,4 48,6 50,0 48,8 Amazonas 55,8 56,5 56,2 57,9 56,9 57,2 56,9 58,2 56,0 56,9 58,1 56,0 55,5 55,4 55,4 54,7 54,1 55,3 54,1 52,8 52,8 53,8 51,8 52,5 52,7 Roraima 56,6 58,2 59,1 59,1 57,1 58,4 60,8 59,8 61,0 62,2 60,4 62,4 58,8 59,4 58,1 58,8 58,7 58,5 54,8 53,0 52,6 54,2 55,6 57,1 55,9 Pará 55,3 57,9 57,1 57,8 57,5 57,0 55,8 57,0 56,6 56,9 56,5 56,2 56,2 56,0 56,9 56,5 55,3 53,7 53,1 52,6 50,7 52,6 53,5 54,0 51,4 Amapá 56,6 53,8 55,1 56,3 53,6 51,8 54,8 55,6 54,4 56,8 56,6 56,8 55,5 55,7 55,3 55,5 52,6 52,4 52,0 51,3 49,7 50,3 50,8 49,7 48,2 Tocantins 56,5 56,4 56,7 57,4 54,8 55,2 55,8 55,7 55,8 56,1 56,5 56,6 54,6 55,3 54,9 54,2 53,5 53,3 52,5 51,8 51,2 50,7 49,3 52,0 51,7 Nordeste 51,3 51,4 51,7 51,1 49,9 50,5 50,9 52,2 51,6 51,9 51,9 52,2 51,4 51,3 51,3 50,7 49,0 48,6 47,3 47,1 45,8 46,1 46,6 47,3 45,9 Maranhão 51,2 50,8 51,6 50,8 49,8 49,3 49,7 51,6 51,9 51,9 52,2 52,1 51,4 51,3 51,8 51,5 50,0 47,4 45,7 45,5 45,0 44,0 45,1 44,4 42,6 Piauí 53,4 53,3 54,2 53,7 53,2 54,0 53,4 54,7 56,5 55,7 56,0 55,3 54,4 54,9 54,7 53,9 51,8 50,7 50,4 49,5 47,8 48,1 49,2 48,0 46,7 Ceará 51,4 50,6 49,8 49,2 48,6 49,6 49,8 50,6 50,1 50,8 50,4 49,8 48,8 48,9 49,1 48,8 47,2 48,7 47,5 47,6 46,8 47,0 48,1 50,0 48,7 Rio Grande do Norte 46,8 49,7 49,8 49,2 48,2 48,9 49,8 50,8 49,8 49,3 49,2 49,3 49,0 49,7 49,9 49,0 46,7 47,2 46,7 46,1 45,2 45,5 46,5 46,6 45,4 Paraíba 50,0 51,0 51,0 49,9 49,4 51,1 50,3 51,2 51,0 51,3 50,9 51,5 51,8 51,3 50,7 50,3 49,1 47,8 45,9 46,3 45,4 47,0 48,0 48,2 47,2 Pernambuco 50,3 49,9 50,5 49,3 48,0 48,3 49,4 50,4 49,0 49,8 49,7 50,1 49,6 50,1 49,6 48,3 47,1 46,6 44,9 45,4 44,1 43,4 44,1 45,0 45,3 Alagoas 42,7 42,1 43,5 44,7 44,1 45,0 45,5 45,5 44,9 44,9 45,6 46,3 44,3 43,5 43,8 43,7 42,8 42,9 41,8 40,8 38,6 38,6 39,1 37,3 35,4 Sergipe 52,4 52,3 53,4 55,1 53,0 52,8 53,9 53,9 53,8 53,0 53,9 54,6 54,6 53,6 52,9 50,9 50,5 50,2 48,7 48,2 46,1 48,2 48,4 49,8 47,5 Bahia 54,6 54,9 55,1 54,3 52,3 53,1 53,7 55,6 54,7 55,2 55,3 55,9 55,1 54,4 54,5 54,2 51,7 51,5 50,1 49,8 48,0 48,9 48,4 50,0 47,8 Sudeste 57,4 58,4 58,6 58,5 57,8 58,6 58,7 58,3 57,7 57,8 57,5 57,7 57,0 57,1 56,9 56,8 55,9 56,1 55,8 55,9 55,3 55,8 56,3 56,6 56,1 Minas Gerais 57,3 59,1 59,2 58,6 57,4 59,0 59,1 58,6 57,8 57,9 57,5 58,0 56,8 57,6 57,7 56,8 55,5 56,3 56,4 56,3 54,8 56,0 56,1 57,0 55,9 Espírito Santo 58,7 60,5 60,8 60,9 59,7 60,2 60,8 59,5 59,3 59,6 59,4 58,4 58,0 58,5 57,0 56,0 54,7 55,6 53,8 54,3 53,2 55,9 56,8 56,9 56,2 Rio de Janeiro 54,4 55,3 54,7 55,1 54,7 54,7 54,9 54,2 54,5 54,0 54,0 53,6 53,0 53,4 53,1 53,2 52,4 52,0 51,6 51,3 50,7 50,5 51,7 51,5 51,1 São Paulo 58,4 59,1 59,5 59,5 59,0 59,8 59,8 59,5 58,8 59,0 58,7 59,1 58,4 58,2 57,9 58,3 57,6 57,5 57,3 57,7 57,5 57,8 58,2 58,3 58,0 Sul 60,6 61,4 61,4 61,5 61,2 61,6 61,6 61,6 61,4 61,1 61,1 61,2 60,6 60,5 60,0 60,8 59,8 59,1 58,9 59,4 58,8 59,2 59,4 59,7 58,6 Paraná 60,4 61,2 61,8 61,5 61,2 62,1 62,1 62,3 62,1 61,9 61,8 61,0 59,8 59,9 59,8 60,6 59,5 59,2 58,4 58,9 57,7 58,6 58,4 58,8 57,9 Santa Catarina 61,8 63,2 63,0 62,6 62,1 61,9 61,1 61,1 61,4 61,0 61,5 62,4 61,7 61,9 61,4 61,6 60,4 59,4 59,7 60,1 60,2 60,4 61,1 61,8 60,9 Rio Grande do Sul 60,0 60,5 60,0 60,7 60,6 60,9 61,3 61,3 60,7 60,5 60,2 60,6 60,6 60,1 59,4 60,6 59,8 58,9 58,9 59,4 58,9 59,0 59,4 59,2 57,9 Centro-Oeste 60,4 61,1 61,1 61,1 60,7 61,3 62,1 61,7 61,0 61,5 61,6 61,5 60,3 60,4 59,8 60,0 58,6 59,2 58,4 58,5 57,3 58,7 59,3 59,0 58,3 Mato Grosso do Sul 58,7 60,5 60,8 61,8 60,7 61,7 62,3 61,9 60,8 62,1 61,8 62,2 60,4 60,4 61,3 61,3 59,7 61,1 60,0 60,0 59,0 59,8 59,8 60,7 60,2 Mato Grosso 60,5 60,8 61,0 61,3 61,0 62,2 63,2 61,9 62,0 62,3 62,9 62,1 61,6 61,0 59,8 60,4 58,1 58,8 58,2 58,3 56,4 58,2 58,9 59,4 58,1 Goiás 61,0 62,0 61,7 61,1 61,0 60,9 61,3 61,8 60,9 61,5 61,5 62,1 60,5 60,7 60,1 59,8 58,6 59,2 57,6 58,0 56,9 59,0 60,4 59,3 58,5 Distrito Federal 60,2 59,5 60,2 60,4 59,5 60,7 62,6 61,2 60,4 60,1 60,0 59,0 58,5 59,0 58,0 58,9 58,1 58,0 59,1 58,3 57,9 57,8 57,2 56,5 56,2 Fonte: IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Menor taxa da série Maior taxa da série

36 1º trim 2º trim 3º trim 4º trim 1º trim 2º trim 3º trim 4º trim 1º trim 2º trim 3º trim 4º trim 1º trim 2º trim 3º trim 4º trim 1º trim 2º trim 3º trim 4º trim 1º trim 2º trim 3º trim 4º trim 1º trim Nível da ocupação, na semana de referência, das pessoas de 14 anos ou mais de idade, por sexo, de 2012 a Brasil 80,0 70,0 60,0 50,0 40,0 68,5 % 56,3 % 45,2 % Homens 63,6 % Total 53,6 % Mulheres 44,5 % 30,0 20,0 10,0 0, FONTE: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua O Nível da ocupação dos Homens (63,6%) segue sendo superior ao das Mulheres (44,5%).

37 Nível da ocupação das pessoas de 14 anos ou mais de idade, ocupadas na semana de referência, por sexo, segundo as Grande Região - 1º trimestre de ,0 % Total Homens Mulheres 70,0 63,6 69,1 63,5 65,7 68,2 60,0 50,0 40,0 53,6 44,5 58,3 48,2 45,9 56,2 36,7 52,0 40,8 56,1 47,5 58,6 49,7 30,0 20,0 10,0 0,0 Brasil Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua. O maior nível da ocupação foi registrado entre os homens do Norte (69,1%), enquanto o menor ocorreu entre as mulheres do Nordeste (36,7%).

38 Posição na ocupação e categoria do emprego

39 Distribuição de pessoas de 14 anos ou mais de idade, ocupadas na semana de referência, por posição na ocupação do trabalho (%) - 1º Trimestre 2017/2018 % 49,0 48,2 24,9 25,3 12,2 12,4 6,8 6,8 4,6 4,8 2,5 2, Empregado no setor privado, exclusive os trabalhadores domésticos Trabalhador doméstico Empregado no setor público Empregadores Conta própria Trabalhador familiar auxiliar Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua

40 13,3 12,6 11,8 11,8 10,5 9,9 10,5 18,9 17,7 18,7 18,8 18,3 16,9 19,5 24,7 23,9 22,3 21,8 21,9 23,4 24,6 31,9 31,7 31,5 32,3 34,9 31,5 30,0 68,1 68,3 68,5 67,7 65,1 68,5 70,0 67,8 69,7 69,6 69,4 71,2 73,2 70,1 75,3 76,1 77,7 78,2 78,1 76,6 75,4 Distribuição das pessoas de 14 anos ou mais de idade, ocupadas na semana de referência, por categoria do emprego no trabalho principal - Brasil 1º Trimestre Com carteira de trabalho assinada Sem carteira de trabalho assinada Com carteira de trabalho assinada Sem carteira de trabalho assinada Com carteira de trabalho assinada Sem carteira de trabalho assinada Militar e servidor estatutário Empregado no setor privado, exclusive trabalhador doméstico Trabalhador doméstico Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua. Empregado no setor público No 1º trimestre de 2018 foi observado o segundo menor percentual de pessoas com carteira de trabalho assinada entre os empregados do setor privado (75,4%).

41 Brasil Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal 56,7 53,9 55,6 50,0 51,3 51,6 54,4 60,0 62,9 66,1 66,9 63,8 65,6 65,9 61,9 64,2 62,2 59,7 60,3 57,9 56,9 56,0 61,9 61,7 66,6 71,3 68,6 65,1 70,0 69,4 67,0 63,1 63,4 59,6 73,0 76,6 75,4 73,5 74,7 75,0 77,8 75,3 77,7 77,0 77,7 77,7 77,2 77,4 74,4 74,3 81,7 80,4 84,4 83,3 83,9 82,1 84,1 83,3 81,8 80,5 83,2 82,6 85,9 81,9 88,8 88,3 Proporção de pessoas de 14 anos ou mais de idade com carteira de trabalho assinada no setor privado, exclusive os trabalhadores domésticos, nos empregados no setor privado, segundo as Grandes Regiões e Ufs 1º Trimestre Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua

42 Variação percentual de Empregados com carteira de trabalho assinada entre os empregados do setor privado 4º Trim 2017/1º Trim 2018 Somente Amazonas e Distrito Federal apresentaram variação positiva do contingente de empregados com carteira assinada no setor privado (exclusive trabalhador doméstico). A única queda aconteceu em São Paulo

43 Variação percentual de Empregados com carteira de trabalho assinada entre os empregados do setor privado 1º Trim 2017/1º Trim 2018 Somente Amazonas apresentou variação positiva do contingente de empregados com carteira assinada no setor privado (exclusive trabalhador doméstico).

44 Variação percentual de Empregados sem carteira de trabalho assinada entre os empregados do setor privado 4º Trim 2017/1º Trim 2018 Somente no Espirito Santo houve variação positiva do contingente de empregados sem carteira assinada no setor privado (exclusive trabalhador doméstico).

45 Variação percentual de Empregados sem carteira de trabalho assinada entre os empregados do setor privado 1º Trim 2017/1º Trim 2018 Somente Amazonas apresentou variação negativa do contingente de empregados com carteira assinada no setor privado (exclusive trabalhador doméstico).

46 Variação percentual de trabalhadores por conta própria 4º Trim 2017/1º Trim 2018 Bahia, Pará e Rio Grande do Norte reduziram o contingente de trabalhadores por conta própria.

47 Variação percentual de trabalhadores por conta própria 1º Trim 2017/1º Trim unidades da federação apresentaram aumento do contingente de trabalhadores por conta própria e Bahia, Maranhão e Alagoas tiveram redução desse contingente.

48 População ocupada como empregados no setor privado com carteira de trabalho assinada (1 000 pessoas) Brasil, Grande Região e Unidade da Federação T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T Brasil Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal Fonte: IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Menor taxa da série Maior taxa da série

49 População ocupada como empregados no setor privado sem carteira de trabalho assinada (1 000 pessoas) Brasil, Grande Região e Unidade da Federação T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T Brasil Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal Fonte: IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Maior da série Menor da série

50 População ocupada como trabalhador por conta própria (1 000 pessoas) Brasil, Grande Região e Unidade da Federação T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T Brasil Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal Fonte: IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Maior da série Menor da série

51 24,9 25,3 Brasil 31,7 32,4 Norte 28,5 28,3 Rondônia Percentual de pessoas de 14 anos ou mais de idade, ocupadas na semana de referência, na categoria conta própria do trabalho principal (%), segundo GR e UFs 1º Trimestre 25,7 Acre 29,3 31,7 32,7 Amazonas 25,2 Roraima 27,7 34,4 35,0 33,1 Pará Amapá 30,0 25,3 26,9 Tocantins 30,3 29,0 Nordeste 37,6 Maranhão 33,6 29,5 Piauí 32,0 28,1 29,8 27,0 Ceará Rio Grande do Norte 25,2 26,7 27,1 Paraíba 29,5 26,9 27,9 25,6 28,5 29,9 Pernambuco Alagoas Sergipe 31,7 Bahia 28,9 21,9 23,1 22,5 23,8 24,9 25,0 25,5 Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro 27,4 20,3 21,2 São Paulo 22,7 24,0 23,6 24,4 21,3 22,7 22,7 24,6 Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul 23,1 23,2 Centro-Oeste 20,6 Mato Grosso do Sul 22,8 25,3 25,0 24,7 25,0 Mato Grosso Goiás 19,3 17,6 Distrito Federal Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Crescimento da participação dos trabalhadores por conta própria na população ocupada na maioria das UFs.

52 População ocupada como empregador (1 000 pessoas) Brasil, Grande Região e Unidade da Federação T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T Brasil Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal

53 Horas Trabalhadas

54 Média de horas habitualmente trabalhadas por semana, no trabalho principal, das pessoas de 14 anos ou mais de idade, segundo cor ou raça 1º Trimestre 40,9 39,7 40,0 38,3 40,5 38,8 40,5 39,0 Branco Pardo Pre to Total Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Notas 1. A partir do 4º trimestre de 2015 houve mudança da forma de captação do quesito de horas efetivamente trabalhadas. Anteriormente, investigava-se as horas trabalhadas diariamente e somava-se o total de horas para se obter as horas semanais e, a partir do referido trimestre, passou-se a investigar diretamente as horas semanais efetivamente trabalhadas. 2. A categoria Total inclui as pessoas de cor ou raça amarela e indígena

55 Grupamentos de atividade

56 1 2 3 CONSTRUÇÃO SERVIÇOS DOMÉSTICOS ATIVIDADES MAL DEFINIDAS Classificação Nacional de Atividades Econômicas Domiciliar 2.0 (agrupamentos para efeito de divulgação da PNAD Contínua) AGRICULTURA, PECUÁRIA, PRODUÇÃO FLORESTAL, PESCA E AQUICULTURA INDÚSTRIA GERAL COMÉRCIO, REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS TRANSPORTE, ARMAZENAGEM E CORREIO ALOJAMENTO E ALIMENTAÇÃO INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ATIVIDADES FINANCEIRAS, IMOBILIÁRIAS, PROFISSIONAIS E ADMINISTRATIVAS ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, DEFESA, SEGURIDADE SOCIAL, EDUCAÇÃO, SAÚDE HUMANA E OUTROS SERVIÇOS INDÚSTRIAS EXTRATIVAS INDÚSTRIAS DE TRANSFORMAÇÃO ELETRICIDADE E GÁS ÁGUA, ESGOTO, ATIVIDADES DE GESTÃO DE RESÍDUOS E DESCONTAMINAÇÃO CONSTRUÇÃO E INCORPORAÇÃO DE EDIFÍCIOS OBRAS DE INFRA-ESTRUTURA SERVIÇOS ESPECIALIZADOS PARA CONSTRUÇÃO COMÉRCIO EM GERAL (incluindo o comércio de veículos automotores e motocicletas) e (excluindo o serviço de alimentação, tais como: bares restaurante e lanchonete etc) REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS TRANSPORTE TERRESTRE TRANSPORTE AQUAVIÁRIO TRANSPORTE AÉREO ARMAZENAMENTO E ATIVIDADES AUXILIARES DOS TRANSPORTES CORREIO E OUTRAS ATIVIDADES DE ENTREGA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS ATIVIDADES IMOBILIÁRIAS ATIVIDADES PROFISSIONAIS, CIENTÍFICAS E TÉCNICAS ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E SERVIÇOS COMPLEMENTARES ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, DEFESA E SEGURIDADE SOCIAL EDUCAÇÃO (pública e privada) SAÚDE HUMANA (pública e privada) E SERVIÇOS SOCIAIS ARTES, CULTURA, ESPORTE E RECREAÇÃO ATIVIDADES DE ORGANIZAÇÕES ASSOCIATIVAS REPARAÇÃO E MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE INFORMATICA E COMUNICAÇÃO E DE OBJETOS PESSOAIS E DOMÉSTICOS OUTRAS ATIVIDADES DE SERVIÇOS PESSOAIS ORGANISMOS INTERNACIONAIS E OUTRAS INSTITUIÇÕES EXTRATERRITORIAIS

57 Percentual das pessoas de 14 anos ou mais de idade, ocupadas na semana de referência, por grupamentos de atividade no trabalho principal - Brasil Comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas 19,3 19,4 Administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais 17,1 16,9 Indústria geral 12,8 12,8 Indústria de transformação Informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas 11,4 11,4 11,1 11,2 Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura 9,4 9,8 Serviço doméstico 6,9 6,9 1º Trimestre º Trimestre Outro serviço Transporte, armazenagem e correio 5,2 4,8 5,1 5,1 Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua

58 4,6 4,3 5,1 5,2 6,9 6,9 9,4 10,7 11,7 11,1 11,4 13,0 12,8 14,7 16,0 17,1 18,7 19,3 Distribuição das pessoas de 14 anos ou mais de idade, ocupadas na semana de referência, por grupamentos de atividade no trabalho principal - Brasil 25,0 1º Trimestre º Trimestre º Trimestre º Trimestre º Trimestre º Trimestre º Trimestre ,0 15,0 10,0 5,0 0,0 Transporte, armazenagem e correio Outro serviço Serviço doméstico Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura Informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas Indústria de transformação Indústria geral Administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais Comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Em relação a 2012, a Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura; a Indústria Geral e a Indústria da transformação registraram as maiores quedas.

59 Rendimento médio real de trabalho

60 1º trim 2º trim 3º trim 4º trim 1º trim 2º trim 3º trim 4º trim 1º trim 2º trim 3º trim 4º trim 1º trim 2º trim 3º trim 4º trim 1º trim 2º trim 3º trim 4º trim 1º trim 2º trim 3º trim 4º trim 1º trim Rendimento médio real habitualmente recebido pelas pessoas ocupadas em todos os trabalhos (R$) Brasil R$ Máximo Mínimo Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: A preços médios do 1º trimestre de O Rendimento de todos os trabalhos se manteve estável tanto em relação ao 4º trimestre de 2017 como na comparação com 1º trimestre de

61 1º Trim 2º Trim 3º Trim 4º Trim 1º Trim 2º Trim 3º Trim 4º Trim 1º Trim 2º Trim 3º Trim 4º Trim 1º Trim 2º Trim 3º Trim 4º Trim 1º Trim 2º Trim 3º Trim 4º Trim 1º Trim 2º Trim 3º Trim 4º Trim 1º Trim Rendimento médio real, habitualmente recebido no trabalho principal, pelas pessoas de 14 anos ou mais de idade, ocupadas, por sexo - (R$) - Brasil R$ Homens Total Mulheres Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: A preços médios do 1º trimestre de

62 1º Trim 2º Trim 3º Trim 4º Trim 1º Trim 2º Trim 3º Trim 4º Trim 1º Trim 2º Trim 3º Trim 4º Trim 1º Trim 2º Trim 3º Trim 4º Trim 1º Trim 2º Trim 3º Trim 4º Trim 1º Trim 2º Trim 3º Trim 4º Trim 1º Trim Rendimento médio real do trabalho principal, habitualmente recebido, dos empregados no setor privado (R$) - Brasil R$ Com carteira de trabalho Empregados no setor privado Sem carteira de trabalho Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: A preços médios do 1º trimestre de

63 1º Trim 2º Trim 3º Trim 4º Trim 1º Trim 2º Trim 3º Trim 4º Trim 1º Trim 2º Trim 3º Trim 4º Trim 1º Trim 2º Trim 3º Trim 4º Trim 1º Trim 2º Trim 3º Trim 4º Trim 1º Trim 2º Trim 3º Trim 4º Trim 1º Trim R$ Rendimento médio real do trabalho principal, habitualmente recebido, dos empregadores e trabalhadores por conta própria (R$) - Brasil Empregadores Conta Própria Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: A preços médios do 1º trimestre de

64 Rendimento médio real do trabalho principal, habitualmente recebido, por grupamentos de atividade (R$) - Brasil º T º T º T Em R$ Total Agricultura, Indústria geral pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura Indústria de transformação Construção Comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas Transporte, armazenagem e correio Alojamento e alimentação Informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas Administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais Outro serviço Serviço doméstico Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: A preços médios do 1º trimestre de

65 Rendimento médio real de todos os trabalhos, habitualmente recebido por mês, pelas pessoas de 14 anos ou mais de idade, ocupadas na semana de referência, com rendimento de trabalho (Reais) Brasil, Grande Região e Unidade da Federação T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T Brasil Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal Fonte: IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Menor da série Maior da série 2018 Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: A preços médios do 1º trimestre de

66 Rendimento médio real de todos os trabalhos, habitualmente recebido por mês, pelas pessoas de 14 anos ou mais de idade, ocupadas na semana de referência (Reais) Variação trimestral Somente no Mato Grosso foi percebida variação positiva no rendimento. Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: A preços médios do 1º trimestre de 2018.

67 Rendimento médio real de todos os trabalhos, habitualmente recebido por mês, pelas pessoas de 14 anos ou mais de idade, ocupadas na semana de referência (Reais) Variação anual Rondônia e Minas Gerais apresentaram variação positiva no rendimento. Fonte: IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral Nota: A preços médios do 1º trimestre de 2018.

68 Medidas de subutilização da força de trabalho no Brasil

69 Medidas de subutilização da força de trabalho, na semana de referência, das pessoas de 14 anos ou mais de idade - Brasil 30,0 Taxa de desocupação Taxa combinada de subocupação por insuficiência de horas trabalhadas Taxa combinada de desocupação e força de trabalho potencial Taxa composta da subutilização da força de trabalho 25,0 24,7 20,0 20,9 15,0 15,3 14,0 13,1 10,0 7,9 5,0 0,0 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T

70 Medidas de subutilização da força de trabalho, na semana de referência, das pessoas de 14 anos ou mais de idade Brasil, GR 1º trimestre ,0 Taxa de desocupação Taxa combinada de subocupação por insuficiência de horas trabalhadas Taxa combinada de desocupação e força de trabalho potencial Taxa composta da subutilização da força de trabalho 36,4 35,0 30,0 25,0 20,0 15,0 10,0 24,7 19,1 19,2 13,1 12,7 20,0 22,1 28,6 15,9 26,5 27,2 13,8 18,1 17,3 21,4 8,4 12,4 11,3 15,2 10,5 14,3 14,8 18,4 5,0 0,0 Brasil Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste

71 Taxa de desocupação, na semana de referência, das pessoas de 14 anos ou mais de idade Brasil, Grande Região e Unidade da Federação T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T Brasil 7,9 7,5 7,1 6,9 8,0 7,4 6,9 6,2 7,2 6,8 6,8 6,5 7,9 8,3 8,9 9,0 10,9 11,3 11,8 12,0 13,7 13,0 12,4 11,8 13,1 Norte 8,9 8,1 7,8 7,3 8,6 8,3 7,5 6,5 7,7 7,2 6,9 6,8 8,7 8,5 8,8 8,6 10,5 11,2 11,4 12,7 14,2 12,5 12,2 11,3 12,7 Rondônia 8,0 6,2 5,9 5,3 6,1 4,8 4,5 4,9 4,9 4,1 4,1 3,6 4,4 4,9 6,7 6,3 7,5 7,8 8,4 7,8 8,0 8,9 8,1 7,6 10,4 Acre 9,0 8,9 7,6 8,1 10,8 9,4 8,8 6,9 8,0 9,6 7,0 6,2 8,7 8,7 8,8 7,7 8,7 11,0 12,1 11,7 15,9 14,9 13,5 12,2 14,4 Amazonas 11,0 9,1 9,4 8,4 10,2 10,1 8,3 7,6 8,2 8,3 6,7 7,7 9,4 9,5 10,0 9,1 12,7 13,2 13,6 14,8 17,7 15,5 16,0 13,5 13,9 Roraima 8,5 5,8 7,5 8,4 8,8 8,6 8,0 6,6 7,5 5,2 6,3 6,3 8,9 7,8 9,3 8,1 8,3 8,0 9,7 9,2 10,3 10,8 8,9 9,4 10,3 Pará 7,9 7,7 7,1 6,8 7,8 7,6 7,6 6,0 7,6 7,0 7,2 7,0 9,2 8,9 8,4 8,6 10,0 10,9 11,0 12,7 13,8 11,4 11,1 10,7 12,2 Amapá 12,5 14,6 14,0 11,8 11,4 14,3 10,9 9,2 11,3 9,9 10,6 9,5 9,6 10,1 11,7 12,7 14,3 15,8 14,9 16,8 18,5 17,1 16,6 18,8 21,5 Tocantins 8,4 7,7 7,2 7,6 9,3 8,2 6,2 6,4 8,5 7,7 7,5 6,3 8,7 7,6 9,2 9,0 10,7 11,2 10,8 13,1 12,6 11,7 11,8 10,5 11,0 Nordeste 9,7 9,6 9,4 9,3 10,9 10,0 9,0 7,9 9,3 8,8 8,6 8,3 9,6 10,3 10,8 10,5 12,8 13,2 14,1 14,4 16,3 15,8 14,8 13,8 15,9 Maranhão 7,9 9,1 7,7 7,5 9,3 9,2 7,4 5,5 6,4 7,2 6,7 7,0 8,9 8,8 8,4 8,2 10,8 11,8 11,9 13,0 15,0 14,6 14,4 13,3 15,6 Piauí 7,6 7,0 6,1 6,9 8,3 7,5 7,4 6,9 7,1 7,0 6,1 5,9 7,7 7,7 7,6 7,2 9,6 9,9 9,4 8,8 12,6 13,5 12,0 13,3 13,2 Ceará 7,2 8,1 8,0 7,5 8,8 8,4 7,2 6,9 7,9 7,5 7,4 6,6 8,0 8,8 9,5 9,0 10,8 11,5 13,1 12,4 14,3 13,2 11,8 11,1 12,8 Rio Grande do Norte 11,5 11,3 11,3 11,5 12,1 10,7 10,1 9,8 11,7 11,5 10,5 10,4 11,5 11,6 12,6 12,2 14,3 13,5 14,1 14,7 16,3 15,6 13,7 12,3 14,9 Paraíba 9,9 9,3 8,5 9,0 9,4 8,9 8,5 8,4 9,3 8,8 9,2 8,1 9,1 9,1 10,3 9,5 10,0 10,7 12,8 11,9 13,2 11,4 10,8 10,1 11,7 Pernambuco 9,6 8,2 9,3 9,2 10,6 9,6 8,4 7,3 8,8 7,9 8,3 7,6 8,2 9,1 11,2 11,0 13,3 14,0 15,3 15,6 17,1 18,8 17,9 16,8 17,7 Alagoas 11,3 11,7 11,4 11,0 12,1 10,6 10,4 9,3 9,7 9,7 9,7 9,4 11,1 11,7 10,7 11,3 12,8 13,9 14,8 14,8 17,5 17,8 15,9 15,5 17,7 Sergipe 10,3 10,8 10,4 9,5 11,4 11,1 10,0 8,7 9,4 9,6 9,0 8,9 8,6 9,1 8,6 9,9 11,2 12,6 14,2 15,0 16,1 14,1 13,6 13,4 17,1 Bahia 11,5 11,2 10,7 10,8 13,2 11,8 10,6 9,0 11,5 10,1 9,7 9,7 11,3 12,7 12,8 12,2 15,5 15,4 15,9 16,6 18,6 17,5 16,7 15,0 17,9 Sudeste 7,9 7,4 6,9 6,6 7,6 7,2 7,0 6,2 7,0 6,9 6,9 6,6 8,0 8,3 9,0 9,6 11,4 11,7 12,3 12,3 14,2 13,6 13,2 12,6 13,8 Minas Gerais 7,8 7,1 6,4 6,2 7,4 7,0 6,3 5,7 7,1 6,8 6,8 6,2 8,2 7,8 8,6 9,3 11,1 10,9 11,2 11,1 13,7 12,2 12,3 10,6 12,6 Espírito Santo 7,6 7,3 6,9 6,7 7,8 7,6 7,1 5,9 6,3 6,5 5,8 6,0 6,9 6,6 8,1 9,1 11,1 11,5 12,7 13,6 14,4 13,4 13,0 11,6 12,5 Rio de Janeiro 8,5 7,4 7,4 6,8 7,2 6,9 6,8 6,2 6,7 6,4 6,1 5,8 6,5 7,2 8,2 8,5 10,0 11,4 12,1 13,4 14,5 15,6 14,5 15,1 15,0 São Paulo 7,8 7,5 6,9 6,8 7,7 7,4 7,3 6,5 7,2 7,0 7,2 7,1 8,4 9,0 9,6 10,1 12,0 12,2 12,8 12,4 14,2 13,5 13,2 12,7 14,0 Sul 5,1 4,8 4,3 4,0 4,8 4,3 4,1 3,8 4,4 4,1 4,2 3,8 5,1 5,5 6,0 5,7 7,3 8,0 7,9 7,7 9,3 8,4 7,9 7,7 8,4 Paraná 5,6 5,3 4,6 4,3 4,9 4,5 4,2 3,7 4,1 4,1 4,1 3,7 5,3 6,2 6,1 5,8 8,1 8,2 8,5 8,1 10,3 8,9 8,5 8,3 9,6 Santa Catarina 4,1 3,7 3,2 2,7 3,6 3,4 2,8 2,5 3,1 2,8 2,9 2,7 3,9 3,9 4,4 4,2 6,0 6,7 6,4 6,2 7,9 7,5 6,7 6,3 6,5 Rio Grande do Sul 5,3 5,0 4,6 4,3 5,3 4,5 4,8 4,6 5,4 4,9 5,2 4,5 5,6 5,9 6,8 6,5 7,5 8,7 8,2 8,3 9,1 8,4 8,0 8,0 8,5 Centro-Oeste 7,0 6,2 5,7 5,7 6,8 6,0 5,5 4,9 5,9 5,6 5,4 5,3 7,3 7,4 7,5 7,4 9,7 9,7 10,0 10,9 12,0 10,6 9,7 9,4 10,5 Mato Grosso do Sul 7,5 7,0 4,9 5,0 4,8 5,0 4,4 4,5 4,7 3,9 4,0 3,8 6,1 6,2 6,3 5,9 7,8 7,0 7,7 8,2 9,8 8,9 7,9 7,3 8,4 Mato Grosso 6,6 5,7 5,1 4,6 5,7 4,5 3,8 3,7 4,4 3,9 3,7 4,0 5,7 6,2 6,6 5,7 9,1 9,8 9,0 9,5 10,5 8,6 9,4 7,3 9,3 Goiás 6,3 5,2 4,9 5,1 6,8 5,7 5,1 4,0 5,7 5,4 5,1 5,0 7,0 7,3 7,2 7,7 10,0 10,2 10,5 11,2 12,7 11,0 9,2 9,4 10,2 Distrito Federal 8,7 8,4 8,6 8,8 9,7 9,2 8,8 8,4 9,0 9,2 8,9 8,7 10,8 9,6 10,3 9,7 11,2 10,9 12,0 13,9 14,1 13,1 12,3 13,2 14,0 Fonte: IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Maior da série Menor da série

72 Taxa combinada de subocupação por insuficiência de horas trabalhadas 1 e desocupação, na semana de referência, das pessoas de 14 anos ou mais de idade Brasil, Grande Região e Unidade da Federação T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T Brasil 15,3 14,1 12,7 12,3 13,4 12,7 11,9 11,1 11,8 11,3 11,3 11,2 12,8 13,5 14,4 13,0 15,0 16,0 16,5 17,2 18,8 18,6 18,5 18,0 19,1 Norte 18,6 16,4 14,2 14,3 15,2 14,7 13,7 12,6 13,5 12,7 12,2 12,8 14,8 15,4 15,3 13,2 15,2 17,1 17,6 18,6 20,2 19,2 18,8 19,1 20,0 Rondônia 15,8 11,9 10,4 10,5 11,9 8,7 8,3 8,7 8,1 7,5 7,2 7,6 7,5 8,4 10,2 8,4 9,3 11,9 11,8 10,6 11,0 13,7 12,2 12,6 14,6 Acre 18,7 15,5 13,3 13,2 16,6 15,6 14,9 12,4 13,0 12,3 9,3 9,1 13,6 12,9 12,9 11,3 11,1 14,0 14,3 14,2 18,9 20,3 17,9 18,1 20,5 Amazonas 17,1 13,7 13,9 12,4 14,0 13,7 11,8 11,3 11,6 12,1 10,3 10,8 12,7 13,3 13,4 11,4 15,7 18,1 19,0 19,3 21,9 20,3 21,2 18,7 19,2 Roraima 14,1 14,3 13,0 14,2 13,1 15,8 15,4 12,0 12,3 10,9 11,0 13,2 15,2 13,6 14,8 11,0 12,2 12,3 13,9 13,3 14,8 15,0 13,5 13,2 14,7 Pará 20,3 18,9 15,2 15,9 16,0 15,7 15,0 13,8 15,2 14,0 14,0 14,8 17,4 18,0 17,5 15,1 16,8 18,4 19,2 20,8 22,2 20,5 20,0 21,4 22,2 Amapá 21,1 18,8 16,5 15,0 15,1 20,6 18,5 13,7 16,3 14,4 13,5 12,9 13,6 17,7 17,6 14,8 15,2 18,7 19,6 20,4 22,8 21,7 20,9 22,6 25,5 Tocantins 16,8 14,9 13,5 15,9 17,4 15,9 14,7 14,2 14,3 13,4 14,5 15,1 15,6 14,7 14,7 13,4 15,4 15,5 14,4 18,2 16,4 16,0 15,7 15,6 16,1 Nordeste 21,2 20,4 19,3 19,2 20,6 19,6 18,3 17,3 18,3 17,4 17,3 17,2 18,4 19,4 20,3 17,9 20,2 21,8 22,9 23,9 25,6 25,8 25,8 24,8 26,5 Maranhão 18,8 17,7 15,2 15,5 17,2 17,1 14,9 12,4 13,3 14,0 13,3 14,4 16,8 16,2 16,1 14,8 16,9 20,7 20,5 22,5 24,6 25,3 24,9 23,4 24,5 Piauí 24,2 22,5 18,9 20,0 22,4 21,6 20,9 21,3 23,6 24,2 23,1 21,7 21,4 23,3 24,5 19,3 22,3 22,7 22,9 24,8 29,7 29,3 27,7 29,3 28,3 Ceará 17,7 18,6 17,5 16,7 17,5 17,1 15,5 15,2 16,3 15,6 15,4 14,7 15,2 16,7 18,0 15,2 16,6 19,6 21,6 21,6 21,8 22,4 21,6 21,0 22,0 Rio Grande do Norte 19,5 21,4 21,0 20,7 21,3 18,8 19,0 19,8 19,2 20,1 18,8 18,9 18,6 19,3 21,9 18,0 19,8 20,7 21,9 22,8 24,8 23,9 24,2 23,0 25,1 Paraíba 24,1 23,6 21,7 22,6 24,1 23,5 22,9 21,3 21,0 19,6 19,3 18,0 19,1 20,7 21,6 18,4 19,1 20,9 22,9 22,4 23,2 22,4 21,8 21,1 21,9 Pernambuco 17,4 15,2 15,3 15,0 16,0 14,9 14,1 13,2 13,6 12,3 13,3 12,3 12,7 13,7 16,7 15,3 17,3 18,6 20,3 21,1 23,6 24,6 24,5 24,7 26,6 Alagoas 18,1 17,8 16,4 17,1 17,6 16,3 16,8 14,9 14,7 14,4 14,2 15,5 17,7 18,1 17,5 17,6 19,5 20,3 21,9 22,4 23,3 23,1 21,9 22,2 23,2 Sergipe 22,6 21,7 20,6 20,0 22,5 21,7 22,1 20,8 20,2 19,3 19,1 19,9 19,1 20,1 20,7 18,0 20,5 22,4 23,7 23,9 26,2 25,1 25,2 24,9 29,1 Bahia 25,5 24,2 23,6 23,2 24,8 23,5 21,3 20,0 22,3 20,3 20,2 20,6 22,9 24,2 23,9 21,6 24,9 25,5 26,2 27,9 29,5 29,6 30,8 28,3 30,9 Sudeste 13,4 12,1 10,8 10,1 11,4 10,6 10,2 9,4 9,9 9,6 9,7 9,7 11,1 11,9 13,0 12,4 14,4 15,0 15,5 16,0 17,8 17,7 17,5 17,2 18,1 Minas Gerais 15,2 14,1 12,0 11,7 13,4 12,4 11,5 11,3 11,9 11,8 11,7 11,8 14,1 14,7 15,7 14,2 15,9 16,4 16,1 17,0 19,4 18,2 18,5 17,1 19,2 Espírito Santo 13,3 11,6 10,0 10,0 10,7 10,7 9,7 8,2 8,8 8,3 7,5 7,7 8,7 8,6 10,5 10,5 12,9 14,3 15,1 16,6 17,3 17,3 16,9 15,8 16,4 Rio de Janeiro 13,6 11,5 10,7 9,3 9,7 8,8 8,7 7,8 8,1 7,5 7,2 6,9 7,7 8,7 9,8 9,7 11,1 12,6 13,2 14,7 16,1 17,7 16,8 17,5 17,2 São Paulo 12,5 11,5 10,3 9,7 11,1 10,5 10,1 9,2 9,7 9,5 9,9 9,9 11,2 12,0 13,1 12,7 14,9 15,2 16,0 15,9 17,7 17,5 17,4 17,2 18,0 Sul 10,9 10,1 8,4 8,1 8,4 8,2 7,6 6,9 7,3 7,0 7,2 6,7 8,3 9,2 9,8 8,4 10,2 11,1 10,7 10,9 12,6 12,0 12,0 11,6 12,4 Paraná 11,6 11,2 8,9 9,1 8,6 8,7 7,3 7,0 7,1 7,1 7,3 6,7 8,6 9,8 10,0 8,5 11,2 11,4 11,4 11,6 14,0 12,7 13,0 12,4 14,2 Santa Catarina 8,5 7,0 5,6 4,7 5,5 5,2 4,2 3,7 4,4 4,2 4,2 4,3 5,4 5,6 6,2 5,7 7,2 8,3 8,0 7,8 9,5 9,2 8,9 8,7 8,9 Rio Grande do Sul 11,5 10,9 9,5 9,3 10,0 9,4 9,9 8,8 9,2 8,7 8,8 8,1 9,7 10,7 11,8 10,0 11,2 12,6 11,7 12,1 13,2 13,1 13,0 12,8 12,8 Centro-Oeste 12,9 10,8 9,2 9,3 10,7 9,7 8,7 7,5 8,8 8,4 8,1 8,0 10,5 10,4 10,7 9,7 11,7 12,8 12,8 14,0 15,1 14,2 13,7 13,1 14,3 Mato Grosso do Sul 16,4 13,7 8,8 9,9 9,2 9,7 8,7 8,0 9,2 8,4 8,1 8,1 10,9 11,7 12,0 9,8 11,1 10,9 11,7 12,1 13,7 13,4 12,8 12,3 12,5 Mato Grosso 12,5 10,2 8,9 8,4 10,0 7,7 7,0 6,2 7,6 6,7 6,3 6,1 8,1 8,7 9,4 7,1 10,5 11,3 10,6 11,6 12,5 10,9 12,0 10,2 12,3 Goiás 12,1 9,8 8,3 8,7 11,0 9,3 7,6 6,1 8,3 7,7 7,4 7,6 9,8 9,8 10,0 9,8 11,9 13,6 13,1 14,3 15,8 14,8 13,7 13,5 14,4 Distrito Federal 12,2 11,4 11,9 11,3 12,1 12,9 12,8 11,3 11,2 11,9 11,5 10,9 14,3 12,5 12,7 12,1 13,2 13,9 15,1 17,2 17,3 16,8 16,0 16,0 17,6 Fonte: IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Maior da série Menor da série Até o 3º trimestre de 2015 pesquisou-se as horas habitualmente trabalhadas; A partir do 4º trimestre de 2015, pesquisou-se as horas efetivamente trabalhadas na semana de referência.

73 Taxa combinada de desocupação e força de trabalho potencial, na semana de referência, das pessoas de 14 anos ou mais de idade (%) Taxa combinada de desocupação e força de trabalho T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T Brasil 14,0 12,7 11,7 11,5 12,7 11,8 11,2 10,2 11,1 10,6 10,5 10,4 11,9 12,2 12,8 13,5 15,4 16,4 16,8 17,4 19,3 18,5 18,3 17,8 19,2 Norte 17,7 15,4 14,7 14,5 15,4 14,7 14,0 12,1 13,0 12,3 11,6 11,8 14,0 13,8 14,5 14,9 16,6 18,7 18,2 19,8 22,0 20,7 21,2 19,8 22,1 Rondônia 15,0 11,0 10,7 10,2 10,7 7,9 7,6 8,1 7,3 6,6 6,1 6,5 7,3 8,2 10,0 9,6 10,5 12,0 11,8 11,3 12,5 13,2 11,5 11,0 13,7 Acre 19,6 16,5 13,3 13,7 17,8 17,8 17,1 14,0 14,8 15,5 12,8 12,8 15,7 13,5 14,2 14,2 14,8 18,8 19,8 19,5 24,6 24,2 23,6 23,0 25,0 Amazonas 17,7 14,5 14,3 12,8 14,7 14,1 12,0 10,6 11,7 12,1 9,9 10,9 13,1 12,8 13,0 13,1 18,0 20,7 19,2 21,0 24,1 22,2 23,2 20,3 21,8 Roraima 17,2 13,9 15,2 15,8 16,6 18,3 17,4 14,9 15,3 11,2 12,6 13,3 14,6 13,2 14,3 13,4 12,7 15,8 15,9 15,6 18,8 18,4 18,5 16,9 19,0 Pará 18,5 16,7 15,8 16,0 16,3 15,6 15,8 13,1 14,1 13,2 12,9 12,7 15,4 15,6 16,1 16,5 17,7 19,5 19,3 20,9 23,1 21,6 22,5 21,0 24,1 Amapá 19,8 19,2 17,7 16,5 15,6 19,4 14,8 12,3 14,8 13,7 13,8 13,2 13,6 14,6 15,5 16,6 17,0 20,9 21,3 24,4 27,0 24,8 22,9 26,6 27,8 Tocantins 14,6 13,7 13,8 14,5 15,9 14,6 13,7 13,3 14,4 12,3 12,9 13,4 15,2 12,8 14,7 15,7 15,8 16,1 15,6 19,5 19,0 18,1 18,6 17,8 18,1 Nordeste 19,4 18,7 17,7 18,0 19,9 18,3 17,3 16,1 17,2 16,2 15,8 15,8 17,3 17,9 18,2 18,8 21,0 22,4 23,6 24,6 26,9 26,1 26,0 25,0 27,2 Maranhão 17,3 16,5 14,3 14,4 16,2 16,2 15,4 13,7 14,5 15,8 14,2 15,2 16,6 16,1 16,4 17,3 20,2 23,2 24,5 26,0 28,2 28,8 28,2 27,4 30,0 Piauí 21,1 19,5 17,5 17,8 20,4 19,1 19,1 18,7 19,0 18,3 17,8 17,2 20,5 18,9 19,1 18,8 20,3 21,3 20,7 20,8 25,7 24,9 25,2 27,2 27,0 Ceará 18,1 18,4 17,6 17,6 18,8 17,4 16,1 14,8 15,6 15,4 15,1 14,6 16,0 17,2 17,6 17,6 19,9 21,6 22,3 22,3 23,2 23,3 22,4 20,5 22,5 Rio Grande do Norte 20,6 20,7 20,3 20,8 21,6 19,6 18,8 18,2 18,9 19,2 18,5 18,3 18,7 19,7 20,3 21,2 22,5 22,7 24,4 25,7 27,2 26,1 27,1 26,1 27,4 Paraíba 20,6 19,6 18,6 18,6 21,4 20,3 20,2 19,8 20,6 18,7 18,3 16,7 17,3 18,6 20,3 19,1 20,1 20,8 22,6 24,0 24,7 23,2 23,0 22,3 23,7 Pernambuco 17,1 15,6 16,2 16,3 17,3 15,5 13,8 13,3 13,9 12,2 12,2 11,9 13,0 14,0 15,7 16,7 18,7 20,5 22,4 23,6 25,8 26,3 25,7 25,0 25,9 Alagoas 21,2 21,3 18,9 18,4 20,2 17,7 17,3 16,9 17,7 17,0 16,0 16,9 19,1 19,6 18,1 20,6 23,1 23,6 25,4 28,0 30,3 30,0 28,7 31,0 33,8 Sergipe 21,1 19,9 18,7 18,3 20,7 19,0 18,2 17,3 18,1 18,2 17,3 17,0 17,0 16,6 16,3 17,6 18,3 21,3 23,4 23,5 25,6 22,4 21,9 21,8 25,8 Bahia 20,8 19,8 18,8 19,7 22,1 20,1 18,9 16,9 19,1 16,9 16,8 17,2 19,4 20,3 19,6 20,4 23,2 24,0 24,9 26,2 29,1 27,2 27,9 26,1 29,3 Sudeste 12,3 10,7 9,8 9,2 10,4 9,7 9,3 8,4 9,2 8,9 9,0 8,9 10,3 10,5 11,3 12,4 14,2 15,0 15,3 15,7 17,5 17,0 16,7 16,3 17,3 Minas Gerais 13,1 11,4 10,5 10,7 11,9 10,8 10,1 9,4 10,4 9,9 10,1 10,0 12,4 11,8 13,1 14,0 15,4 16,0 15,9 16,3 19,0 17,4 17,4 16,3 18,3 Espírito Santo 11,9 9,9 9,6 9,2 10,2 10,0 9,0 7,9 8,5 8,6 7,5 7,4 8,6 8,1 10,0 11,2 13,6 14,3 15,6 16,7 17,6 16,0 16,1 15,4 16,3 Rio de Janeiro 11,6 9,9 9,5 8,7 9,2 8,6 8,1 7,6 7,8 7,5 7,4 6,9 7,9 8,6 9,2 9,9 11,5 13,4 13,5 15,1 16,4 17,4 16,6 17,2 16,9 São Paulo 12,2 10,8 9,5 8,7 10,0 9,6 9,3 8,2 9,3 8,8 9,1 9,1 10,2 10,8 11,3 12,5 14,6 15,1 15,6 15,5 17,2 16,7 16,5 16,0 17,1 Sul 8,9 8,1 7,0 6,6 7,2 6,6 6,3 5,9 6,4 6,0 6,2 5,7 7,1 7,4 8,2 8,3 9,9 10,8 10,5 10,2 12,0 11,2 10,8 10,8 11,3 Paraná 9,8 9,4 7,6 7,2 7,6 7,0 6,5 6,0 6,4 6,1 6,1 5,7 7,5 7,9 8,2 8,6 10,9 11,3 11,4 11,2 13,7 12,2 12,0 12,1 13,2 Santa Catarina 7,1 5,5 4,8 4,2 5,1 4,9 3,9 3,6 4,1 3,8 3,8 3,8 5,0 5,0 5,4 5,5 7,3 8,4 8,1 7,8 9,6 9,1 8,8 8,4 8,5 Rio Grande do Sul 9,0 8,3 7,7 7,4 8,1 7,1 7,5 7,1 7,7 7,1 7,6 6,8 8,0 8,4 9,8 9,5 10,5 11,7 11,0 10,8 11,9 11,4 10,9 10,8 11,3 Centro-Oeste 11,5 9,8 8,8 8,9 9,8 8,8 8,2 7,5 8,3 7,9 8,0 8,0 10,0 9,6 10,1 10,6 12,5 13,0 13,2 14,0 15,4 14,0 13,5 13,7 14,8 Mato Grosso do Sul 14,0 11,8 8,9 9,6 8,6 8,3 7,7 7,6 8,2 6,7 7,4 7,4 10,0 9,9 9,9 10,3 12,3 10,6 11,6 12,5 14,2 13,0 13,0 12,9 13,8 Mato Grosso 10,6 9,5 7,9 7,5 8,8 7,3 6,4 6,0 6,9 6,8 6,3 6,5 8,4 8,1 8,8 8,7 11,7 12,2 11,6 12,1 13,4 11,2 12,2 11,6 13,1 Goiás 10,6 8,3 7,6 7,5 9,4 8,0 7,1 6,3 7,6 7,3 7,2 7,2 8,9 9,2 9,8 10,8 12,5 13,9 13,6 14,2 16,2 14,3 13,0 13,5 14,2 Distrito Federal 12,1 11,9 12,2 12,7 12,9 12,5 12,6 11,8 11,6 11,4 12,0 11,9 13,9 11,5 12,2 12,3 13,3 14,0 15,1 16,9 16,5 16,7 16,2 17,1 18,4 Fonte: IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Maior da série Menor da série

74 Taxa composta de subutilização da Força de Trabalho, na semana de referência, das pessoas de 14 anos ou mais de idade (%) Taxa combinada de desocupação e força de trabalho T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T Brasil 20,9 18,9 17,1 16,7 17,9 16,8 16,0 14,9 15,6 14,9 14,8 14,9 16,5 17,2 18,0 17,3 19,3 20,9 21,2 22,2 24,1 23,8 23,9 23,6 24,7 Norte 26,5 23,0 20,6 20,9 21,5 20,7 19,7 17,9 18,4 17,5 16,6 17,5 19,8 20,3 20,6 19,1 21,0 24,0 23,9 25,3 27,4 26,8 27,1 26,8 28,6 Rondônia 22,2 16,4 15,0 15,2 16,2 11,7 11,3 11,7 10,4 9,9 9,1 10,4 10,3 11,6 13,4 11,6 12,3 16,0 15,0 14,0 15,3 17,7 15,5 15,8 17,8 Acre 28,2 22,5 18,7 18,5 23,2 23,4 22,6 19,0 19,5 18,1 15,0 15,6 20,2 17,4 18,1 17,6 17,0 21,5 21,8 21,8 27,3 29,0 27,5 28,2 30,3 Amazonas 23,4 18,9 18,6 16,6 18,3 17,4 15,3 14,3 14,9 15,8 13,4 13,9 16,2 16,6 16,3 15,4 20,8 25,2 24,3 25,2 27,9 26,6 27,9 25,1 26,6 Roraima 22,3 21,7 20,3 21,2 20,6 24,8 24,1 19,8 19,7 16,5 17,0 19,6 20,5 18,7 19,5 16,2 16,5 19,7 19,8 19,4 22,9 22,2 22,6 20,5 22,9 Pará 29,5 26,8 23,1 24,2 23,8 23,0 22,5 20,3 21,2 19,8 19,3 20,0 23,1 24,0 24,4 22,5 23,9 26,3 26,7 28,2 30,6 29,6 30,3 30,5 32,7 Amapá 27,7 23,2 20,0 19,5 19,2 25,4 22,1 16,7 19,6 18,0 16,7 16,5 17,4 21,9 21,2 18,7 17,9 23,7 25,7 27,8 30,9 28,9 27,0 30,1 31,5 Tocantins 22,4 20,5 19,6 22,1 23,4 21,8 21,5 20,5 19,8 17,8 19,5 21,5 21,6 19,5 19,8 19,8 20,2 20,2 19,0 24,3 22,5 22,0 22,2 22,6 22,8 Nordeste 29,7 28,4 26,7 27,0 28,5 27,0 25,8 24,6 25,4 24,2 23,8 24,0 25,4 26,3 26,8 25,6 27,7 30,1 31,4 33,0 35,1 34,9 35,5 34,6 36,4 Maranhão 27,1 24,4 21,3 21,8 23,5 23,5 22,3 20,1 20,8 21,9 20,3 21,9 23,7 22,9 23,4 23,2 25,7 30,9 31,9 34,2 36,4 37,7 37,0 35,8 37,4 Piauí 35,2 32,9 28,7 29,3 32,7 31,5 30,9 31,2 33,4 33,4 32,7 31,1 32,3 32,6 33,8 29,4 31,5 32,5 32,6 34,7 40,3 38,6 38,5 40,7 39,7 Ceará 27,4 27,7 26,0 25,9 26,5 25,2 23,7 22,4 23,3 22,8 22,4 22,0 22,6 24,4 25,3 23,3 25,2 28,8 29,9 30,4 30,0 31,4 31,0 29,3 30,6 Rio Grande do Norte 27,8 29,8 29,0 29,1 29,8 26,9 26,8 27,2 25,9 27,0 26,0 26,0 25,2 26,7 28,8 26,5 27,4 29,1 31,3 32,7 34,6 33,4 36,0 35,1 36,1 Paraíba 33,2 32,3 30,4 30,8 34,1 33,1 32,7 31,1 30,8 28,4 27,3 25,7 26,3 29,0 30,4 27,1 28,1 29,9 31,6 33,0 33,4 32,7 32,5 31,9 32,5 Pernambuco 24,2 22,1 21,7 21,7 22,3 20,4 19,2 18,8 18,4 16,4 16,9 16,5 17,3 18,3 20,9 20,7 22,5 24,8 26,9 28,6 31,6 31,5 31,7 32,1 33,8 Alagoas 27,3 26,7 23,4 24,0 25,2 22,9 23,3 22,0 22,2 21,3 20,2 22,4 25,1 25,4 24,4 26,3 29,0 29,2 31,7 34,4 35,2 34,5 33,8 36,5 38,2 Sergipe 31,9 29,6 27,9 27,8 30,6 28,7 29,2 28,2 27,9 27,1 26,4 27,0 26,6 26,7 27,5 25,0 26,8 30,1 31,9 31,5 34,6 32,3 32,4 32,1 36,6 Bahia 33,3 31,5 30,5 30,8 32,5 30,8 28,7 27,0 28,9 26,3 26,5 27,2 29,8 30,8 29,8 28,9 31,7 33,1 34,1 36,2 38,6 37,9 40,1 37,7 40,5 Sudeste 17,5 15,3 13,5 12,7 14,1 13,1 12,4 11,5 12,0 11,6 11,8 11,9 13,3 14,1 15,2 15,1 17,1 18,1 18,4 19,2 21,0 20,9 20,8 20,7 21,4 Minas Gerais 20,0 18,0 15,9 16,0 17,6 16,0 15,1 14,8 15,0 14,7 14,7 15,3 18,1 18,4 19,8 18,7 20,0 21,1 20,6 21,8 24,4 23,1 23,3 22,3 24,4 Espírito Santo 17,3 14,2 12,6 12,5 13,1 13,1 11,5 10,2 10,9 10,4 9,2 9,0 10,4 10,1 12,3 12,7 15,3 17,0 17,9 19,6 20,3 19,9 19,9 19,4 20,0 Rio de Janeiro 16,6 13,8 12,7 11,1 11,7 10,5 10,0 9,2 9,3 8,6 8,5 8,1 9,0 10,1 10,8 11,1 12,6 14,5 14,6 16,4 17,9 19,4 18,9 19,5 19,0 São Paulo 16,7 14,7 12,8 11,7 13,4 12,6 12,1 10,8 11,7 11,3 11,7 11,8 12,9 13,8 14,7 15,0 17,5 17,9 18,7 18,9 20,5 20,5 20,4 20,4 21,0 Sul 14,4 13,2 11,0 10,6 10,8 10,4 9,8 8,9 9,3 8,8 9,1 8,6 10,2 11,0 11,9 10,9 12,7 13,8 13,2 13,4 15,3 14,7 14,8 14,6 15,2 Paraná 15,6 15,0 11,8 11,8 11,2 11,1 9,6 9,1 9,2 9,0 9,3 8,7 10,7 11,5 12,0 11,3 13,9 14,4 14,2 14,6 17,3 15,9 16,4 16,1 17,6 Santa Catarina 11,3 8,8 7,2 6,2 6,9 6,7 5,3 4,7 5,5 5,1 5,1 5,4 6,5 6,7 7,2 7,0 8,5 9,9 9,7 9,4 11,1 10,7 10,9 10,7 10,8 Rio Grande do Sul 14,9 13,9 12,5 12,1 12,6 11,9 12,5 11,1 11,5 10,8 11,1 10,3 12,0 13,1 14,6 12,9 14,1 15,5 14,4 14,6 15,8 16,0 15,7 15,5 15,5 Centro-Oeste 17,0 14,2 12,2 12,4 13,6 12,4 11,3 10,1 11,2 10,6 10,6 10,6 13,1 12,5 13,2 12,8 14,5 15,9 15,8 17,0 18,3 17,4 17,3 17,3 18,4 Mato Grosso do Sul 22,3 18,2 12,7 14,3 12,9 12,9 11,9 11,0 12,6 11,1 11,3 11,6 14,6 15,2 15,4 14,0 15,5 14,4 15,5 16,2 18,0 17,3 17,7 17,6 17,7 Mato Grosso 16,2 13,7 11,7 11,2 12,9 10,4 9,5 8,4 10,0 9,5 8,8 8,5 10,8 10,6 11,4 10,1 13,1 13,7 13,2 14,1 15,3 13,5 14,8 14,3 16,0 Goiás 16,1 12,7 10,9 11,0 13,6 11,4 9,5 8,4 10,1 9,5 9,4 9,7 11,7 11,6 12,5 12,9 14,4 17,2 16,2 17,1 19,2 18,0 17,3 17,4 18,1 Distrito Federal 15,4 14,7 15,3 15,1 15,3 16,1 16,4 14,5 13,7 14,1 14,6 14,1 17,3 14,4 14,5 14,6 15,2 16,8 18,1 20,2 19,6 20,2 19,7 19,8 21,9 Fonte: IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Maior da série Menor da série

75 ,4 46, Perfil dos Subutilizados 2018 Grupos de idade 14 a 17 anos 10, a 24 anos 26, a 39 anos 33, a 59 anos 25, anos ou mais 4,5 100,0 Mulheres Homens , , , , , , , , ,0 50,0 40,0 30,0 20,0 10,0 0,0 Categoria Total Homens Mulheres a 17 anos a 24 anos a 39 anos a 59 anos anos ou mais e

76 Taxas de subutilização da força de trabalho, na semana de referência, das pessoas de 14 anos ou mais de idade Ano Trimestre Taxa de Desocupação (%) Taxa de subocupação por insuficiência de horas trabalhadas e desocupação (%) Taxa de desocupação e força de trabablho potencial (%) Taxa total de subutilização da força de trabalho (%) 1º Trim 7,9 15,3 14,0 20, º Trim 7,5 14,1 12,7 18,9 3º Trim 7,1 12,7 11,7 17,1 4º Trim 6,9 12,3 11,5 16,7 1º Trim 8,0 13,4 12,7 17, º Trim 7,4 12,7 11,8 16,8 3º Trim 6,9 11,9 11,2 16,0 4º Trim 6,2 11,1 10,2 14,9 1º Trim 7,2 11,8 11,1 15, º Trim 6,8 11,3 10,6 14,9 3º Trim 6,8 11,3 10,5 14,8 4º Trim 6,5 11,2 10,4 14,9 1º Trim 7,9 12,8 11,9 16, º Trim 8,3 13,5 12,2 17,2 3º Trim 8,9 14,4 12,8 18,0 4º Trim 9,0 13,0 13,5 17,3 1º Trim 10,9 15,0 15,4 19, º Trim 11,3 16,0 16,4 20,9 3º Trim 11,8 16,5 16,8 21,2 4º Trim 12,0 17,2 17,4 22,2 1º Trim 13,7 18,8 19,3 24, º Trim 13,0 18,6 18,5 23,8 3º Trim 12,4 18,5 18,3 23,9 4º Trim 11,8 18,0 17,8 23, º Trim 13,1 19,1 19,2 24,7

77 Medidas de subutilização da força de trabalho no Brasil Desalento: População Fora da Força de Trabalho, classificada como Força de Trabalho Potencial 1. Que não conseguia trabalho, ou 2. Não tinha experiência, ou 3. Era muito novo/idoso, ou 4. Não havia trabalho na localidade, e 5. Se tivesse conseguido estaria disponível para assumir.

78 Pessoas de 14 anos ou mais de idade, desalentadas na semana de referência (em mil) Abertura territorial T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T Brasil Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal Fonte: IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Maior da série Menor da série

79 Medidas de subutilização da força de trabalho no Brasil Taxa de desalento das pessoas de 14 anos ou mais de idade DESALENTADOS FORÇA DE TRABALHO AMPLIADA

80 Taxa de desalento da pessoas de 14 anos ou mais de idade, na semana de referência (%) Abertura territorial T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2018 Brasil 1,9 1,9 1,9 1,9 2,0 1,8 1,8 1,6 1,5 1,4 1,4 1,5 1,6 1,6 1,8 2,5 2,7 3,0 3,3 3,5 3,7 3,6 3,8 3,9 4,1 Norte 2,6 2,4 2,2 2,3 2,1 2,3 2,4 1,8 1,5 1,3 1,4 1,6 1,7 1,7 1,9 2,9 3,1 3,9 3,8 4,3 5,0 4,8 5,6 4,9 5,9 Rondônia 1,4 1,1 1,5 1,2 1,3 0,9 1,0 0,9 0,6 0,7 0,7 0,6 0,7 1,2 0,8 1,3 1,1 1,5 1,2 2,0 2,8 2,3 2,0 1,8 2,3 Acre 3,9 2,4 1,8 1,9 2,3 3,3 3,3 2,9 2,1 1,9 2,1 2,9 2,8 1,6 2,1 3,3 3,5 4,3 4,7 5,9 5,6 6,5 6,9 7,4 7,5 Amazonas 2,0 1,8 1,4 1,6 1,5 1,4 1,6 1,2 1,2 1,1 1,1 1,2 1,4 1,3 1,1 2,4 2,9 3,8 3,4 4,1 4,4 3,9 4,9 4,9 5,2 Roraima 2,9 3,2 2,4 2,4 2,7 3,8 3,2 2,8 2,0 2,0 2,4 2,6 2,0 1,5 1,8 2,0 2,4 3,7 3,6 2,8 4,0 4,3 6,1 3,9 5,6 Pará 3,2 2,9 2,7 3,0 2,3 2,8 2,9 2,0 1,6 1,2 1,5 1,6 2,0 2,1 2,6 3,5 3,6 4,7 4,6 4,7 5,7 5,6 6,7 5,2 7,2 Amapá 1,8 2,3 1,2 1,1 1,5 1,6 1,0 0,8 1,1 1,3 1,1 1,2 0,9 0,9 0,9 2,5 0,9 2,5 3,4 6,1 6,6 3,9 3,1 5,3 4,3 Tocantins 1,7 2,1 2,6 2,3 3,0 2,8 2,9 2,9 2,0 2,2 1,9 2,6 2,2 1,9 1,9 3,4 3,4 3,4 3,5 4,4 4,8 5,1 5,5 6,0 4,7 Nordeste 4,0 4,3 4,3 4,7 4,9 4,5 4,5 4,2 4,1 3,9 3,7 3,9 4,1 4,1 4,2 5,7 6,2 6,7 7,6 8,4 8,8 8,3 8,9 9,0 9,7 Maranhão 3,9 3,4 2,9 3,1 3,3 3,6 4,1 4,0 3,9 4,2 4,3 4,2 3,9 3,5 4,3 6,1 6,5 8,3 10,2 10,9 11,2 12,7 12,1 12,7 13,3 Piauí 5,9 6,5 6,8 6,7 7,8 7,0 6,3 6,5 6,0 5,2 5,5 6,0 6,7 5,4 5,5 8,0 7,5 8,3 8,4 9,0 10,1 8,5 9,8 10,6 11,2 Ceará 4,1 4,8 4,6 5,1 4,6 4,5 4,7 3,9 3,9 4,1 4,4 4,4 4,3 4,4 4,5 6,2 6,8 6,8 6,8 7,5 7,2 7,7 7,9 7,0 7,2 Rio Grande do Norte 4,4 4,2 4,2 5,0 6,3 5,6 4,2 4,3 3,4 4,7 4,2 4,6 3,7 5,7 5,3 6,2 5,6 6,7 8,2 8,4 8,9 8,3 10,5 10,6 10,1 Paraíba 4,6 4,9 5,2 5,0 6,0 5,7 6,3 6,1 5,8 5,6 5,2 4,4 4,7 5,7 6,4 6,9 7,5 7,8 8,3 9,8 9,4 8,8 9,9 10,3 10,3 Pernambuco 2,6 3,2 3,8 3,8 3,8 3,1 2,9 3,2 2,4 2,1 1,9 2,0 2,2 2,4 2,2 3,7 4,0 4,8 6,0 6,6 7,6 6,4 6,7 7,2 7,1 Alagoas 4,8 5,0 4,6 4,2 5,0 4,4 4,2 4,6 5,1 4,7 3,5 4,1 4,6 5,3 5,0 7,4 9,1 8,4 9,9 12,9 12,8 12,5 12,2 15,4 17,0 Sergipe 5,8 5,3 5,0 5,3 5,6 4,6 4,0 3,5 4,4 3,7 3,6 3,8 4,0 4,1 3,9 5,2 5,6 6,5 7,3 7,9 8,5 6,7 7,0 7,0 8,3 Bahia 3,8 4,1 4,1 4,9 4,8 4,4 4,7 4,2 4,2 3,7 3,3 3,8 4,2 3,7 4,0 5,3 5,9 6,3 7,1 7,8 8,2 7,2 8,2 8,0 9,7 Sudeste 1,1 0,9 0,9 0,8 0,8 0,8 0,7 0,6 0,5 0,5 0,6 0,6 0,7 0,7 0,8 1,2 1,3 1,5 1,6 1,7 1,8 1,8 1,7 1,9 1,9 Minas Gerais 1,5 1,4 1,4 1,6 1,6 1,4 1,4 1,3 1,1 1,0 1,1 1,5 1,6 1,5 1,9 2,3 2,3 2,6 2,9 3,1 3,2 3,0 2,8 3,2 3,4 Espírito Santo 0,8 0,7 0,7 0,6 0,6 0,5 0,5 0,7 0,4 0,4 0,4 0,3 0,4 0,5 0,8 1,1 1,2 1,2 1,6 1,5 1,6 1,6 1,7 1,9 1,8 Rio de Janeiro 0,8 0,6 0,7 0,5 0,4 0,4 0,2 0,3 0,2 0,2 0,2 0,2 0,2 0,2 0,2 0,4 0,5 0,7 0,6 0,7 0,8 0,8 0,9 0,9 0,8 São Paulo 1,0 0,8 0,7 0,5 0,7 0,7 0,5 0,4 0,4 0,4 0,5 0,4 0,4 0,4 0,5 1,0 1,0 1,2 1,4 1,4 1,5 1,6 1,4 1,6 1,5 Sul 0,9 0,9 0,9 0,8 0,7 0,6 0,6 0,5 0,5 0,4 0,5 0,4 0,5 0,5 0,6 1,1 1,0 1,1 1,1 1,0 1,2 1,2 1,3 1,3 1,1 Paraná 0,9 1,1 1,0 0,9 0,7 0,8 0,7 0,6 0,7 0,5 0,6 0,5 0,6 0,5 0,6 1,3 1,3 1,4 1,4 1,5 1,7 1,5 1,7 1,8 1,5 Santa Catarina 0,6 0,3 0,3 0,4 0,4 0,2 0,2 0,2 0,1 0,1 0,2 0,2 0,1 0,1 0,2 0,4 0,4 0,5 0,5 0,6 0,6 0,5 0,9 0,8 0,8 Rio Grande do Sul 1,1 1,1 1,1 0,9 0,9 0,7 0,7 0,6 0,5 0,4 0,5 0,5 0,7 0,7 0,7 1,3 1,2 1,2 1,1 0,9 1,1 1,5 1,3 1,1 1,0 Centro-Oeste 0,9 0,7 0,7 0,6 0,8 0,7 0,5 0,5 0,5 0,5 0,5 0,7 0,6 0,6 0,8 1,3 1,4 1,7 1,6 1,5 1,5 1,7 1,8 2,1 2,1 Mato Grosso do Sul 1,5 1,2 1,0 1,2 0,9 0,8 0,8 0,7 0,7 0,8 0,8 0,9 0,9 1,2 1,2 1,9 2,3 1,6 2,3 2,4 2,3 2,0 2,5 2,6 2,6 Mato Grosso 0,7 0,6 0,6 0,5 0,7 0,6 0,4 0,6 0,2 0,5 0,6 0,8 0,5 0,5 0,5 1,2 1,4 1,3 1,4 1,6 1,3 1,3 1,6 2,3 2,2 Goiás 0,9 0,7 0,8 0,5 0,9 0,6 0,4 0,3 0,4 0,4 0,4 0,4 0,5 0,5 0,8 1,3 1,3 2,1 1,5 1,4 1,6 1,9 2,0 2,1 2,0 Distrito Federal 0,7 0,4 0,4 0,5 0,4 0,7 0,6 0,6 0,6 0,4 0,6 0,9 0,7 0,5 0,5 0,9 0,6 1,2 1,5 1,0 0,7 1,6 1,1 1,5 1,6 Fonte: IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Maior da série Menor da série

81 Medidas de subutilização da força de trabalho no Brasil Percentual de pessoas de 14 anos ou mais de idade desalentadas, na Força de Trabalho Potencial DESALENTADOS FORÇA DE TRABALHO POTENCIAL

82 Percentual de pessoas de 14 anos ou mais de idade desalentadas, na Força de Trabalho Potencial - Brasil (%) 57,9 58,0 58,2 56,9 56,4 57,0 59,5 50,7 52,7 52,0 33,8 37,1 38,0 38,0 38,9 38,4 37,4 35,8 35,9 36,4 37,3 37,1 38,0 40,8 29,6 1º T 2º T 3º T 4º T 1º T 2º T 3º T 4º T 1º T 2º T 3º T 4º T 1º T 2º T 3º T 4º T 1º T 2º T 3º T 4º T 1º T 2º T 3º T 4º T 1º T

83 Medidas de subutilização da força de trabalho no Brasil Percentual de pessoas de 14 anos ou mais de idade desalentadas, na População Fora da Força de Trabalho DESALENTADOS POPULAÇÃO FORA FORÇA DE TRABALHO

84 Percentual de pessoas de 14 anos ou mais de idade, desalentadas, na população Fora da Força de Trabalho - Brasil (%) 7,1 6,0 6,4 6,2 6,6 6,7 5,1 5,5 4,2 4,4 3,3 3,2 3,1 3,2 3,2 3,1 2,9 2,7 2,5 2,3 2,3 2,5 2,6 2,7 2,9 1º T 2º T 3º T 4º T 1º T 2º T 3º T 4º T 1º T 2º T 3º T 4º T 1º T 2º T 3º T 4º T 1º T 2º T 3º T 4º T 1º T 2º T 3º T 4º T 1º T

85 Total Sexo Grupos de idade Cor ou raça Nível de instrução mais elevado alcançado Perfil dos Desalentados Superior completo Superior incompleto Médio completo Médio incompleto Fundamental completo Fundamental incompleto Sem instrução Pardos Pretos Brancos anos ou mais 50 a 59 anos de idade 40 a 49 anos de idade 30 a 39 anos de idade 25 a 29 anos de idade 18 a 24 anos de idade 16 e 17 anos de idade 14 e 15 anos de idade Mulher Homem º trimestre de º trimestre de 2017

86 Características Perfil dos Desalentados 1º trimestre de º trimestre de 2018 Contingente (1 000 pessoas) Distribuição (%) Contingente (1 000 pessoas) Distribuição (%) Total , ,0 Homem , ,8 Mulher , ,2 14 e 15 anos de idade 268 6, ,2 16 e 17 anos de idade , ,4 18 a 24 anos de idade , ,4 25 a 29 anos de idade 396 9, ,4 30 a 39 anos de idade , ,7 40 a 49 anos de idade , ,9 50 a 59 anos de idade , ,8 60 anos ou mais 336 8, ,1 Brancos , ,4 Pretos 377 9, ,5 Pardos , ,6 Outros 23 0,6 25 0,5 Sem instrução e menos de 1 ano de estudo , ,7 Fundamental incompleto ou equivalente , ,5 Fundamental completo ou equivalente , ,6 Médio incompleto ou equivalente , ,5 Médio completo ou equivalente , ,1 Superior incompleto ou equivalente 90 2,2 97 2,1 Superior completo 123 3, ,6

87 População de 14 anos ou mais de idade, ocupada na semana de referência (milhares de pessoas) Regiões T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T Brasil Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal Fonte: IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Menor da série Maior da série 2018

88 Pessoas de 14 anos ou mais de idade desocupadas, na semana de referência (em milhares) Regiões T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2018 Brasil Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal Fonte: IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Maior da série Menor da série

89 Pessoas de 14 anos ou mais de idade subocupadas por insuficiência de horas trabalhadas, na semana de referência (em milhares) Regiões T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2018 Brasil Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal Fonte: IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Maior da série Menor da série 1 Até o 3º trimestre de 2015 pesquisou-se as horas habitualmente trabalhadas; A partir do 4º trimestre de 2015, pesquisou-se as horas efetivamente trabalhadas na semana de referência.

90 Pessoas de 14 anos ou mais de idade na força de trabalho potencial, na semana de referência (em milhares) Regiões T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2018 Brasil Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal Fonte: IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Maior da série Menor da série

91 Pessoas de 14 anos ou mais de idade na força de trabalho ampliada (força de trabalho + força de trabalho potencial), na semana de referência (em milhares) Regiões T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2018 Brasil Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal Fonte: IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Menor da série Maior da série

92 Pessoas de 14 anos ou mais de idade subutilizadas na força de trabalho, na semana de referência (em milhares) Regiões T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2018 Brasil Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal Fonte: IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Maior da série Menor da série

93 Pessoas de 14 anos ou mais de idade, desocupadas na semana de referência, por tempo de procura de trabalho

94 Distribuição das pessoas de 14 anos ou mais de idade, desocupadas na semana de referência, por tempo de procura (%) - Brasil 60,0 % 55,0 50,0 45,0 49,0 46,6 De 1 mês a menos de 1 ano 40,0 35,0 30,0 25,0 20,0 15,0 23,2 14,8 13,0 22,2 16,5 14,7 2 anos ou mais De 1 ano a menos de 2 anos Menos de 1 mês 10,0 5, Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua

95 Pessoas de 14 anos ou mais de idade, desocupadas na semana de referência, por tempo de procura - BRASIL Tempo de procura de trabalho 1º Trimestre Menos de 1 mês De 1 mês a menos de 1 ano De 1 ano a menos de 2 anos anos ou mais Tempo de procura de trabalho 2013/ / 2013 Variação percentual 2015/ / / 2016 Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 2018/ / 2012 Menos de 1 mês 1,7-11,5 0,7 26,2 36,7 14,6 79,1 De 1 mês a menos de 1 ano 11,4-11,2 16,2 34,9 20,6-8,5 71,3 De 1 ano a menos de 2 anos 6,1-2,0 22,0 60,4 27,1-11,4 129,1 2 anos ou mais -20,0-6,4 4,3 46,1 43,5 4,8 71,8

96 Obrigado! Tel

97 Medidas de Subutilização da Força de Trabalho (%) Brasil, Grandes Regiões e Unidades da Federação Taxa de Desocupação Taxa de subocupação por insuficiência de horas trabalhadas e desocupação Taxa de desocupação e força de trabalho potencial Taxa total de subutilização da força de trabalho Taxa de Desalento na força de trabalho ampliada 1º trimestre 1º trimestre 1º trimestre 1º trimestre 1º trimestre Brasil 13,7 13,1 18,8 19,1 19,3 19,2 24,1 24,7 3,7 4,1 Norte 14,2 12,7 20,2 20,0 22,0 22,1 27,4 28,6 5,0 5,9 Rondônia 8,0 10,4 11,0 14,6 12,5 13,7 15,3 17,8 2,8 2,3 Acre 15,9 14,4 18,9 20,5 24,6 25,0 27,3 30,3 5,6 7,5 Amazonas 17,7 13,9 21,9 19,2 24,1 21,8 27,9 26,6 4,4 5,2 Roraima 10,3 10,3 14,8 14,7 18,8 19,0 22,9 22,9 4,0 5,6 Pará 13,8 12,2 22,2 22,2 23,1 24,1 30,6 32,7 5,7 7,2 Amapá 18,5 21,5 22,8 25,5 27,0 27,8 30,9 31,5 6,6 4,3 Tocantins 12,6 11,0 16,4 16,1 19,0 18,1 22,5 22,8 4,8 4,7 Nordeste 16,3 15,9 25,6 26,5 26,9 27,2 35,1 36,4 8,8 9,7 Maranhão 15,0 15,6 24,6 24,5 28,2 30,0 36,4 37,4 11,2 13,3 Piauí 12,6 13,2 29,7 28,3 25,7 27,0 40,3 39,7 10,1 11,2 Ceará 14,3 12,8 21,8 22,0 23,2 22,5 30,0 30,6 7,2 7,2 Rio Grande do Norte 16,3 14,9 24,8 25,1 27,2 27,4 34,6 36,1 8,9 10,1 Paraíba 13,2 11,7 23,2 21,9 24,7 23,7 33,4 32,5 9,4 10,3 Pernambuco 17,1 17,7 23,6 26,6 25,8 25,9 31,6 33,8 7,6 7,1 Alagoas 17,5 17,7 23,3 23,2 30,3 33,8 35,2 38,2 12,8 17,0 Sergipe 16,1 17,1 26,2 29,1 25,6 25,8 34,6 36,6 8,5 8,3 Bahia 18,6 17,9 29,5 30,9 29,1 29,3 38,6 40,5 8,2 9,7 Sudeste 14,2 13,8 17,8 18,1 17,5 17,3 21,0 21,4 1,8 1,9 Minas Gerais 13,7 12,6 19,4 19,2 19,0 18,3 24,4 24,4 3,2 3,4 Espírito Santo 14,4 12,5 17,3 16,4 17,6 16,3 20,3 20,0 1,6 1,8 Rio de Janeiro 14,5 15,0 16,1 17,2 16,4 16,9 17,9 19,0 0,8 0,8 São Paulo 14,2 14,0 17,7 18,0 17,2 17,1 20,5 21,0 1,5 1,5 Sul 9,3 8,4 12,6 12,4 12,0 11,3 15,3 15,2 1,2 1,1 Paraná 10,3 9,6 14,0 14,2 13,7 13,2 17,3 17,6 1,7 1,5 Santa Catarina 7,9 6,5 9,5 8,9 9,6 8,5 11,1 10,8 0,6 0,8 Rio Grande do Sul 9,1 8,5 13,2 12,8 11,9 11,3 15,8 15,5 1,1 1,0 Centro-Oeste 12,0 10,5 15,1 14,3 15,4 14,8 18,3 18,4 1,5 2,1 Mato Grosso do Sul 9,8 8,4 13,7 12,5 14,2 13,8 18,0 17,7 2,3 2,6 Mato Grosso 10,5 9,3 12,5 12,3 13,4 13,1 15,3 16,0 1,3 2,2 Goiás 12,7 10,2 15,8 14,4 16,2 14,2 19,2 18,1 1,6 2,0 Distrito Federal 14,1 14,0 17,3 17,6 16,5 18,4 19,6 21,9 0,7 1,6 Fonte: PNAD Contínua

98 Medidas de Subutilização Estimativas

99 Abertura territorial População Desocupada População Subocupada 1º Trimestre 1º Trimestre População Força de Trabalho Potencial População Força de Trabalho Ampliada População Subutilizada População Desalentada 1º Trimestre 1º Trimestre 1º Trimestre 1º Trimestre Brasil Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal

100 Abertura territorial População Desocupada População Subocupada População Força de Trabalho Potencial População Força de Trabalho Ampliada População Subutilizada População Desalentada 1º Trimestre 1º Trimestre 1º Trimestre 1º Trimestre 1º Trimestre 1º Trimestre Brasil Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal

101 Medidas de Subutilização Variação

102 Abertura territorial População Desocupada População Subocupada População Força de Trabalho Potencial População Força de Trabalho Ampliada População Subutilizada População Desalentada 1º Trimestre 1º Trimestre 1º Trimestre 1º Trimestre 1º Trimestre 1º Trimestre Var Abs 2018/2017 Var % 2018/2017 Var Abs 2018/2017 Var % 2018/2017 Var Abs 2018/2017 Var % 2018/2017 Var Abs 2018/2017 Var % 2018/2017 Var Abs 2018/2017 Var % 2018/2017 Var Abs 2018/2017 Var % 2018/2017 Brasil , , , , , ,4 Norte , , , , , ,0 Rondônia 24 35, , ,5 37 4, , ,4 Acre - 1-2, , ,9 36 9, ,1 9 46,2 Amazonas , , ,4 22 1, , ,0 Roraima 2 8,2 1 7,5 2 10,7 19 8,6 5 9,1 5 52,1 Pará , , , , , ,7 Amapá 13 19, , , ,2 2 1, ,7 Tocantins ,0 9 34,4 7 12,6 19 2,5 6 3,8 0 1,1 Nordeste , , , , , ,4 Maranhão 6 1, ,5 44 8, ,0 22 1, ,4 Piauí 7 3, ,6 14 5,5 1 0, , ,7 Ceará , ,7 44 9, ,9 79 6,0 12 3,9 Rio Grande do Norte , , ,5 27 1,6 36 5, ,6 Paraíba ,5 8 4,6 15 6,1 65 3,4 4 0, ,9 Pernambuco 56 8, , , , , ,9 Alagoas , , , ,7 30 5, ,7 Sergipe 17 10, , ,0 33 2,9 35 9,0 0 0,4 Bahia , ,5 82 7, , , ,6 Sudeste , , , , ,2 62 7,2 Minas Gerais , ,5 62 8, ,2 70 2, ,0 Espírito Santo , , ,2 93 4,4 13 3,1 6 17,2 Rio de Janeiro 73 6, ,8 5 2, , ,4 1 1,2 São Paulo , ,4 60 6, , ,0 18 4,6 Sul , ,1 19 3, , , ,1 Paraná , ,9 11 4,7 15 0,2 20 1, ,6 Santa Catarina , , ,7 49 1, ,0 6 23,3 Rio Grande do Sul ,9 8 3, , , , ,7 Centro-Oeste , , , ,2 55 3, ,2 Mato Grosso do Sul ,6 3 5, ,8 48 3,3 4 1,7 5 16,7 Mato Grosso , , ,7 74 4,3 23 8, ,4 Goiás , , , , , ,4 Distrito Federal - 1-0,3 8 14, ,1 50 3, , ,5

103 Abertura territorial População Desocupada População Subocupada População Força de Trabalho Potencial População Força de Trabalho Ampliada População Subutilizada População Desalentada 1º Trimestre 1º Trimestre 1º Trimestre 1º Trimestre 1º Trimestre 1º Trimestre Var Abs 2017/2014 Var % 2017/2014 Var Abs 2017/2014 Var % 2017/2014 Var Abs 2017/2014 Var % 2017/2014 Var Abs 2017/2014 Var % 2017/2014 Var Abs 2017/2014 Var % 2017/2014 Var Abs 2017/2014 Var % 2017/2014 Brasil , , , , , ,9 Norte , , , , , ,3 Rondônia , , ,9 76 9, , ,5 Acre 25 97,4 5 31, , , , ,7 Amazonas , , , , , ,5 Roraima 7 43,8 0-3,6 4 21,9 14 6, , ,9 Pará , , , , , ,2 Amapá , , , , , ,2 Tocantins 20 34, , ,0 42 5, , ,7 Nordeste , , , , , ,0 Maranhão , , , , , ,6 Piauí 75 71, , , , , ,2 Ceará , , , , , ,6 Rio Grande do Norte 50 28, , , , , ,5 Paraíba 43 27, , ,2 42 2,2 46 7, ,7 Pernambuco , , , , , ,9 Alagoas 83 68,1 0 0, ,7 62 4, , ,0 Sergipe 83 87, , ,1 43 3, , ,7 Bahia , , , , , ,2 Sudeste , , , , , ,5 Minas Gerais , , , , , ,0 Espírito Santo , , , , , ,9 Rio de Janeiro , , , , , ,9 São Paulo , , , , , ,1 Sul , , , , , ,2 Paraná , , , , , ,7 Santa Catarina , , , , , ,3 Rio Grande do Sul , , ,6 94 1, , ,4 Centro-Oeste , , , , , ,2 Mato Grosso do Sul ,0 0 0, , , , ,7 Mato Grosso , , , , , ,5 Goiás , , , , , ,9 Distrito Federal 97 71, , , , , ,4

104

105 Subutilização da Força de Trabalho Conceitos

106 São identificados três componentes mutuamente exclusivos i) os subocupados por insuficiência de horas trabalhadas; ii) desocupados; iii) força de trabalho potencial.

107 Pessoas de 14 anos ou mais de idade: Pessoas subocupadas por insuficiência de horas trabalhadas São as pessoas que, na semana de referência: trabalharam habitualmente menos de 40 horas no seu único trabalho ou no conjunto de todos os seus trabalhos; gostariam de trabalhar mais horas que as habitualmente trabalhadas; e estavam disponíveis para trabalhar mais horas no período de 30 dias, contados a partir do primeiro dia da semana de referência.

108 Pessoas de 14 anos ou mais de idade: Pessoas Desocupadas São as pessoas que, na semana de referência: estavam sem trabalho (que geram rendimentos para o domicílio) nessa semana; que tomaram alguma providência efetiva para conseguir trabalho no período de referência de 30 dias; e que estavam disponíveis para assumi-lo na semana de referência;

109 Pessoas de 14 anos ou mais de idade: Força de trabalho potencial Na Semana de Referência: Ocupadas = Não Desocupadas = Não Mas possuíam um potencial de se transformarem em força de trabalho Este contingente é formado por dois grupos: pessoas que realizaram busca efetiva por trabalho, mas não se encontravam disponíveis para trabalhar na semana de referência, pessoas que, não haviam realizado busca efetiva por trabalho, mas gostariam de ter um trabalho e estavam disponíveis para trabalhar na semana de referência.

110 Força de trabalho Potencial Procurou Trabalho, mas não está disponível para trabalhar na Semana de Referência + Não Procurou Trabalho, mas está disponível para trabalhar na Semana de Referência

111 Força de trabalho Potencial Principal motivo para não poder começar a trabalhar na semana de referência? Procurou Trabalho, mas não está disponível para trabalhar na Semana de Referência 1) Tinha que cuidar dos afazeres domésticos, do(s) filho(s), ou de outro(s) parentes(s)? 2) Estava estudando (em curso de qualquer tipo ou por conta própria); 3) Por problemas de saúde ou gravidez; 4) Não conseguia trabalho por ser considerado muito jovem ou muito idoso; 5) Por não querer trabalhar 6) Por outro motivo?

112 Força de trabalho Potencial Principal motivo de não ter tomado providência para conseguir trabalho? 1) Conseguiu proposta para começar a trabalhar após a semana de referência; 2) Estava aguardando resposta de medida tomada para conseguir trabalho; 3) Não conseguia trabalho adequado; 4) Não tinha experiência profissional ou qualificação; 5) Não conseguia trabalho por ser considerado muito jovem ou muito idoso; 6) Não havia trabalho na localidade; 7) Tinha que cuidar dos afazeres domésticos, do(s) filho(s), ou de outro(s) parentes(s)? 8) Estava estudando; 9) Por problemas de saúde ou gravidez; 10) Por outro motivo? Não Procurou Trabalho, mas está disponível para trabalhar na Semana de Referência Razões de mercado = 3, 4, 5, 6.

113 Força de Trabalho Ampliada Força de trabalho Força de trabalho Potencial Ocupados Procurou Trabalho, mas não está disponível para trabalhar na Semana de Referência Não Procurou Trabalho, mas está disponível para trabalhar na Semana de Referência

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua. Rio de Janeiro, 23 de fevereiro de 2017

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua. Rio de Janeiro, 23 de fevereiro de 2017 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Rio de Janeiro, 23 de fevereiro de 2017 P R I N C I P A L O PNAD Contínua B J E T I Produzir informações contínuas Sobre a inserção da

Leia mais

Rio de Janeiro, 18/05/2017. Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de 2017

Rio de Janeiro, 18/05/2017. Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de 2017 1 Rio de Janeiro, 18/05/2017 Mercado de Trabalho Brasileiro estre de 2017 O B J P R I N C I P A L Produzir informações contínuas PNAD Contínua Produzir informações anuais E T I sobre a inserção da população

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2017

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2017 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua 2012-2017 Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2017 Rio de Janeiro, 17 de novembro de 2017 Força de Trabalho no Brasil Pesquisa

Leia mais

Rio de Janeiro, 22/11/2016. Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2016

Rio de Janeiro, 22/11/2016. Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2016 1 Rio de Janeiro, 22/11/2016 Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2016 O B J P R I N C I P A L Produzir informações contínuas PNAD Contínua Produzir informações anuais E T I sobre a inserção

Leia mais

Rio de Janeiro, 13/052016

Rio de Janeiro, 13/052016 Rio de Janeiro, 13/052016 1 As Pesquisas Domiciliares do IBGE PNAD PME ECINF No Contexto do Sistema Integrado de Pesquisas Domiciliares PNAD Contínua PNS POF Séries históricas Pesquisa Nacional por Amostra

Leia mais

PROCESSO SELETIVO UFAL SiSU GERAL (5.168 vagas ofertadas)

PROCESSO SELETIVO UFAL SiSU GERAL (5.168 vagas ofertadas) PROCESSO SELETIVO UFAL 2014 - SiSU 2014.1 - GERAL (5.168 vagas ofertadas) ALAGOAS AL 2.918 56,46% BAHIA BA 306 5,92% SERGIPE SE 96 1,86% PERNAMBUCO PE 627 12,13% PARAÍBA PB 24 0,46% RIO GRANDE DO NORTE

Leia mais

FONTE DE DADOS. Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde: Dados de todos os estabelecimentos de saúde do Brasil.

FONTE DE DADOS. Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde: Dados de todos os estabelecimentos de saúde do Brasil. CENSO AMIB 2016 OBJETIVO O objetivo desta proposta é prestar serviços de consultoria para a extração e análise de dados do CNES a respeito de leitos de UTI e profissionais da saúde intensivistas, bem como

Leia mais

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 REGIÃO NORTE 5.951.408 87,35 861.892 12,65 6.813.300 RONDÔNIA 760.521 88,11 102.631 11,89 863.152 ACRE 298.081 85,86 49.094

Leia mais

COMPILAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS

COMPILAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS COMPILAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS PNAD Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio última atualização da pesquisa: 2011 1 2 CARACTERÍSTICAS DOS DOMICÍLIOS 3 ACESSO A SERVIÇOS PÚBLICOS EVOLUÇÃO DO PERCENTUAL

Leia mais

FNPETI FÓRUM NACIONAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL. Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014

FNPETI FÓRUM NACIONAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL. Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014 Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014 Fonte: IBGE/Pnad. Elaboração própria. Nota: a PNAD até o ano de 2003 não abrangia a área rural da região Norte (exceto o Tocantins). Nos anos de 1994, 2000

Leia mais

Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Divulgação dos resultados parciais do programa em 2013.

Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Divulgação dos resultados parciais do programa em 2013. Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Divulgação dos resultados parciais do programa em 2013. O Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A tem por objetivo a prevenção e controle da hipovitaminose

Leia mais

Educação Superior Enade e IGC dos Estados e DF

Educação Superior Enade e IGC dos Estados e DF Educação Superior Enade e IGC dos Estados e DF Enade 2015 O Conceito Enade é um indicador de qualidade que avalia o desempenho dos estudantes a partir dos resultados obtidos anualmente para os cursos que

Leia mais

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014)

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) 8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) Elaboração: Contraf-CUT, CNTV e Federação dos Vigilantes do Paraná Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba

Leia mais

ÍNDICE DE TRANSPARÊNCIA DO CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO TRIBUTÁRIO DOS ESTADOS BRASILEIROS

ÍNDICE DE TRANSPARÊNCIA DO CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO TRIBUTÁRIO DOS ESTADOS BRASILEIROS icat 15.5.213 ÍNDICE DE TRANSPARÊNCIA DO CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO TRIBUTÁRIO DOS ESTADOS BRASILEIROS PONTUAÇÃO RESULTADO DOS ESTADOS BRASILEIROS 6 5 4 3 2 1 AC AL AP AM BA CE DF GO ES MA MT MS MG PA

Leia mais

Acre Previsão por Coeficiente no Estado

Acre Previsão por Coeficiente no Estado Acre 0,6 121.073,55 262.729,59 0,8 161.431,39 350.306,12 1,0 201.789,24 437.882,66 1,2 242.147,09 525.459,19 1,4 - - 1,6 322.862,79 700.612,25 1,8 363.220,64 788.188,78 2,0 - - 2,2 - - 2,4 - - 2,6 524.652,03

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL CAMPEONATO BRASILEIRO DA SÉRIE D TABELA BÁSICA / EDIÇÃO 2016 PRIMEIRA FASE REF ROD DATA - DIA HORA GR JOGO ESTÁDIO CIDADE 1ª 12/06 - Dom A1 Rondônia RO x Amazonas AM A1 Acre AC x Amapá AP A2 Tocantins

Leia mais

4ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos 2012

4ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos 2012 4ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos 2012 Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba e Região Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região Fetec-CUT(PR)

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Junho de 2016

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Junho de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Junho de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Junho de 2016 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DA RECEITA DE SERVIÇOS (DEZEMBRO- 2015)

ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DA RECEITA DE SERVIÇOS (DEZEMBRO- 2015) Variação (%) ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DA RECEITA DE SERVIÇOS (DEZEMBRO- 2015) BRASIL: Volume de Negócios do Setor de Serviços Fecha o ano em Queda Em dezembro de 2015, o setor de Serviços recuou 5,0% no

Leia mais

2017. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2017. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Dezembro/2017 e acumulado em 2017 2017. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui

Leia mais

TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015

TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015 ! TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015! Jogos Escolares da Juventude 2015 12 a 14 anos Boletim Oficial de Resultados 04/09/2015 CENTRO DE FORMAÇÃO OLÍMPICA - QUADRA 1 TÊNIS DE MESA - EQUIPE - Feminino 1 09:00

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Fevereiro de 2016

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Fevereiro de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Fevereiro de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Fevereiro de 2016 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

7ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos. (1º semestre de 2014)

7ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos. (1º semestre de 2014) 7ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (1º semestre de 2014) Elaboração: Contraf-CUT, CNTV e Federação dos Vigilantes do Paraná Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Maio / 2014 (dados até Abril)

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Maio / 2014 (dados até Abril) ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Maio / 2014 (dados até Abril) Sumário Executivo Os dados desse relatório são apresentados da ordem geral para específico, ou seja, apresenta primeiro

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Indicadores mensais produzidos com informações do trimestre móvel terminado em setembro de 2017 Rio de Janeiro, 31 de outubro de 2017

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Maio de 2016

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Maio de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Maio de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Maio de 2016 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores antecedentes,

Leia mais

Estatísticas sobre Analfabetismo no Brasil

Estatísticas sobre Analfabetismo no Brasil Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Estatísticas sobre Analfabetismo no Brasil Audiência pública Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa

Leia mais

2018. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2018. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Junho/2018 2018. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, Constitui violação aos direitos

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Abril de 2016

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Abril de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Abril de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Abril de 2016 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Indicadores mensais produzidos com informações do trimestre móvel terminado em novembro de 2017 Rio de Janeiro, 29 de dezembro de 2017

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Agosto de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Agosto de 2015 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA JAN/2015

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA JAN/2015 ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA JAN/015 COMÉRCIO VAREJISTA NO BRASIL RECUPERA VENDAS EM JANEIRO A Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. Fevereiro/2013 (dados até Janeiro)

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. Fevereiro/2013 (dados até Janeiro) ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Fevereiro/2013 (dados até Janeiro) Características da pesquisa Objetivo: - medir o impacto da conjuntura econômica nos Pequenos Negócios e suas

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Maio/2013 (dados até Abril)

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Maio/2013 (dados até Abril) ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Maio/2013 (dados até Abril) Sumário Executivo (entrevistas realizadas em Abr/13) Nesta edição o Índice de Confiança dos Pequenos Negócios (ICPN)

Leia mais

2018. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2018. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Abril/2018 2018. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, Constitui violação aos direitos

Leia mais

9, R$ , , R$ ,

9, R$ , , R$ , Rondônia 2005 R$ 601.575,17 2005 10.154 2004 1.027.983 2004 108.139 2004 10,52 2006 R$ 609.834,21 2006 10.757 2005 1.025.249 2005 101.539 2005 9,90 2007 R$ 1.229.490,00 2007 9.100 2006 1.047.004 2006 111.068

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Abril de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Março de 2015 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 399.473,26 422.403,60 501.033,08 371.050,32 437.918,87 2.131.879,13 Valor

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Fevereiro 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Fevereiro de 2015 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

Dados Básicos sobre Recursos Humanos. ObservaRH - NESP/CEAM/UnB

Dados Básicos sobre Recursos Humanos. ObservaRH - NESP/CEAM/UnB Dados Básicos sobre Recursos Humanos ObservaRH - NESP/CEAM/UnB Brasília/DF 2007 Apresentação O conjunto de dados básicos sobre recursos humanos integra as expectativas das delegações que participaram da

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. Dezembro/2012 (dados até novembro)

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. Dezembro/2012 (dados até novembro) ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Dezembro/2012 (dados até novembro) Características da pesquisa Objetivo: - medir o impacto da conjuntura econômica nos Pequenos Negócios e suas

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Indicadores mensais produzidos com informações do trimestre móvel terminado em janeiro de 2018 Rio de Janeiro, 28 de fevereiro de 2018

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Março/2013 (dados até Fevereiro)

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Março/2013 (dados até Fevereiro) ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Março/2013 (dados até Fevereiro) Sumário Executivo (entrevistas realizadas em fev/13) Este relatório resulta das entrevistas realizadas no mês

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Março de 2016

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Março de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Março de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Março de 2016 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DO MATO GROSSO Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 903.386 10,63% 56,24% População

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Março/15) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Maio/15) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

1. Porcentagem de estudantes com aprendizado adequado em Língua Portuguesa e Matemática nível Brasil, Unidades da Federação e Municípios

1. Porcentagem de estudantes com aprendizado adequado em Língua Portuguesa e Matemática nível Brasil, Unidades da Federação e Municípios 1. Porcentagem de estudantes com aprendizado adequado em Língua Portuguesa e Matemática nível Brasil, Unidades da Federação e Municípios 2. Porcentagem de estudantes com aprendizado adequado em Língua

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2018 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2018 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2018 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 618.931,34 410.212,09 455.952,50 656.360,91 374.803,98 492.235,91 540.100,50

Leia mais

P R I N C I P A L O B J E T I V O. PNAD Contínua. Produzir informações contínuas. Produzir informações anuais

P R I N C I P A L O B J E T I V O. PNAD Contínua. Produzir informações contínuas. Produzir informações anuais 1 Rio de Janeiro, 30/06/2017 O B J P R I N C I P A L Produzir informações contínuas PNAD Contínua Produzir informações anuais E T I Sobre a inserção da população no mercado de trabalho e suas diversas

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Fevereiro/2014 (dados até Janeiro)

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Fevereiro/2014 (dados até Janeiro) ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Fevereiro/2014 (dados até Janeiro) Sumário Executivo Os dados desse relatório são apresentados da ordem geral para específico, ou seja, apresenta

Leia mais

Cursos de Dança no Brasil. Dulce Aquino

Cursos de Dança no Brasil. Dulce Aquino Cursos de Dança no Brasil Dulce Aquino Cursos de Dança no Brasil Instituições Federais Instituições Estaduais 3 cursos 9 cursos Total 3 Total de Cursos de Dança nas IES - 3 3 11 Norte - 3 Nordeste - 11

Leia mais

BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2018 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 618.931,34 410.212,09 455.952,50 656.360,91 374.803,98 492.235,91 540.100,50

Leia mais

III Encontro dos Coordenadores de Saúde do Trabalhador Estratégia e Agenda Renast

III Encontro dos Coordenadores de Saúde do Trabalhador Estratégia e Agenda Renast III Encontro dos Coordenadores de Saúde do Trabalhador Estratégia e Agenda Renast Coordenação Geral de Saúde do Trabalhador Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Secretaria

Leia mais

- Valor - Fob ( Us$/Mil ) - Preço Médio ( Us$/Ton ) OUTROS

- Valor - Fob ( Us$/Mil ) - Preço Médio ( Us$/Ton ) OUTROS BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2018 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ TOTAL ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 618.931,34 618.931,34 Valor Fob ( Us$/Mil ) 115.218,56 115.218,56 Preço

Leia mais

ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DA RECEITA DO SETOR DE SERVIÇOS (JANEIRO- 2015)

ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DA RECEITA DO SETOR DE SERVIÇOS (JANEIRO- 2015) ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DA RECEITA DO SETOR DE SERVIÇOS (JANEIRO- 2015) BRASIL: Receita de Serviços Apresenta Variação Positiva Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) divulgada pelo Instituto Brasileiro

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Julho de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Julho de 2015 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014

MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014 MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDUSTRIAS DE SUPLEMENTOS MINERAIS RUA AUGUSTA, 2676 13 ANDAR SALA 132 CEP 01412-100 SÃO PAULO SP Telefone: (011) 3061-9077 e-mail:

Leia mais

6ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2013)

6ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2013) 6ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2013) Elaboração: Contraf-CUT, CNTV e Federação dos Vigilantes do Paraná Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba

Leia mais

Ranking de salário dos Tribunais de Justiça nos Estados e DF - Junho 2018 SS JUSTIÇA MG

Ranking de salário dos Tribunais de Justiça nos Estados e DF - Junho 2018 SS JUSTIÇA MG Ranking de salário dos Tribunais de Justiça nos Estados e DF - Junho 2018 SS JUSTIÇA MG SS Justiça MG Junho 2018 Tabela 1 Tribunais de Justiça Estaduais posicionados conforme Vencimento Básico Vencimentos

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN. Janeiro de 2016

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN. Janeiro de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Janeiro de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Janeiro de 2016 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

O Retorno da Educaçã. ção no Mercado de Trabalho

O Retorno da Educaçã. ção no Mercado de Trabalho O Retorno da Educaçã ção no Mercado de Trabalho Coordenador: Marcelo Cortes Neri Centro de Políticas Sociais do IBRE/FGV e da EPGE/FGV mcneri@fgv.br 1 Ranking - Município do Rio de Janeiro* Salário 1..Direito

Leia mais

2018. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2018. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Maio/2018 2018. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, Constitui violação aos direitos

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN. Setembro de 2015

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN. Setembro de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Setembro de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Setembro de 2015 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

CAEN-UFC RELATÓRIO DE PESQUISA Nº 02

CAEN-UFC RELATÓRIO DE PESQUISA Nº 02 RELATÓRIO DE PESQUISA Nº 02 EVOLUÇÃO DOS INDICADORES DE RENDA, DESIGUALDADE E POBREZA PARA O CEARÁ E REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA Uma Visão Comparativa Nacional Pós-Plano Real Autores da Pesquisa

Leia mais

Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Divulgação dos resultados parciais do programa em 2013.

Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Divulgação dos resultados parciais do programa em 2013. Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Divulgação dos resultados parciais do programa em 2013. O Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A tem por objetivo a prevenção e controle da hipovitaminose

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO FARINHA DE TRIGO 2018 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO FARINHA DE TRIGO 2018 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE FARINHA DE TRIGO 2018 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 31.148,98 30.567,04 30.668,99 27.234,05 26.012,97 21.396,66 26.979,63

Leia mais

Trabalho Infantil e Trabalho Infantil Doméstico no Brasil

Trabalho Infantil e Trabalho Infantil Doméstico no Brasil Trabalho Infantil e Trabalho Infantil Doméstico no Brasil Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil FNPETI E Realização Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Novembro de 2015

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Novembro de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Novembro de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Novembro de 2015 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

Dados sobre o Programa de Educação Tutorial PET atualizados em abril de Fonte: SESu/MEC Apresentação: Diretoria da CENAPET

Dados sobre o Programa de Educação Tutorial PET atualizados em abril de Fonte: SESu/MEC Apresentação: Diretoria da CENAPET Dados sobre o Programa de Educação Tutorial PET atualizados em abril de 05 Fonte: SESu/MEC Apresentação: Diretoria da CENAPET Informações Gerais Número de Grupos: 84 Número de IES: Categoria Administrativa

Leia mais

Sistema de Mutirão Carcerário RESUMO. Total por Estado. Relatório Geral. Total Geral. Total de Processos Total de Liberdades Total de Benefícios

Sistema de Mutirão Carcerário RESUMO. Total por Estado. Relatório Geral. Total Geral. Total de Processos Total de Liberdades Total de Benefícios Sistema de Mutirão Carcerário Relatório Geral RESUMO Total de Processos Total de Liberdades Total de Benefícios % Liberdade/Processos Total por Estado Total Geral 185.332 27.046 47.166 14 Estado Processos

Leia mais

Nota de Acompanhamento de Beneficiários Edição: Nº Data base: Dezembro de 2017

Nota de Acompanhamento de Beneficiários Edição: Nº Data base: Dezembro de 2017 Nota de Acompanhamento de Beneficiários Edição: Nº 19-2018 Data base: Dezembro de 2017 Sumário Executivo Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (dez/17): 47.304.945; Variação do número de

Leia mais

Contabilizando para o Cidadão

Contabilizando para o Cidadão Gasto Médio por Deputado Estadual - Assembleias Legistativas Estaduais - Ano 2017 R$17,5 R$16,9 R$15,9 Gasto Médio Anual por Deputado Estadual (em Milhões de R$) Média Nacional - Gasto Anual por Deputado

Leia mais

ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DA RECEITA DO SETOR DE SERVIÇOS (FEVEREIRO- 2015)

ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DA RECEITA DO SETOR DE SERVIÇOS (FEVEREIRO- 2015) ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DA RECEITA DO SETOR DE SERVIÇOS (FEVEREIRO- 2015) BRASIL: Receita de Serviços Apresenta Variação Positiva Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS 1 ) divulgada pelo Instituto

Leia mais

Impactos da Crise Financeira Internacional nas MPEs Brasileiras. Junho de 2009

Impactos da Crise Financeira Internacional nas MPEs Brasileiras. Junho de 2009 Impactos da Crise Financeira Internacional nas MPEs Brasileiras Junho de 2009 Introdução Objetivos: - Avaliar o impacto da crise financeira internacional no universo das micro e pequenas empresas (MPEs)

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO FARINHA DE TRIGO 2018 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO FARINHA DE TRIGO 2018 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE FARINHA DE TRIGO 2018 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 31.148,98 30.567,04 30.668,99 27.234,05 26.012,97 145.632,03 Valor

Leia mais

Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast

Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast Coordenação Geral de Saúde do Trabalhador Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Secretaria de Vigilância

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA Relatório Mensal: A Movimentação do Mercado de Trabalho Formal no Município de Diadema Março de 2008 Termo de Contrato Nº. 226/2007 MAIO de 2008 SUMÁRIO Apresentação

Leia mais

Evolução das estatísticas de acidentes por Estado

Evolução das estatísticas de acidentes por Estado Evolução das estatísticas de acidentes por Estado Data: 1/8/218 FILTROS: Acidentes: Todos Veículos: Todos Valores: Absolutos Estado: Todos BR: Todas Este material destaca a evolução das estatísticas de

Leia mais

Contabilizando para o Cidadão

Contabilizando para o Cidadão 14,6% 14,5% 14,0% 14,0% 13,2% 13,1% 12,1% Contabilizando para o Cidadão Nº de Famílias Beneficiadas pelo Bolsa Família em Relação ao Total de Famílias do Estado - Ano 2017 50,00% 48,6% Nº de Famílias Beneficiadas

Leia mais

Estudo: Análise da situação atual da Contribuição para o Custeio da Iluminação Pública CIP nos municípios brasileiros

Estudo: Análise da situação atual da Contribuição para o Custeio da Iluminação Pública CIP nos municípios brasileiros Estudo: Análise da situação atual da Contribuição para o Custeio da Iluminação Pública nos municípios brasileiros Julho/2008 Resumo Está tramitando no congresso nacional um projeto de lei que tem como

Leia mais

INFORME CONJUNTURAL Comportamento do Emprego - Jan-Nov Brasil. 19/12/2014 Subseção DIEESE - Força Sindical

INFORME CONJUNTURAL Comportamento do Emprego - Jan-Nov Brasil. 19/12/2014 Subseção DIEESE - Força Sindical INFORME CONJUNTURAL Comportamento do Emprego - Jan-Nov 2014 - Brasil 19/12/2014 Subseção DIEESE - Força Sindical Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério

Leia mais

Competição e Infraestrutura no Mercado de Combustíveis de Aviação

Competição e Infraestrutura no Mercado de Combustíveis de Aviação Competição e Infraestrutura no Mercado de Combustíveis de Aviação Superintendência de Distribuição e Logística - ANP FGV - SP 29 de novembro de 2018 QUANTITATIVO DE AGENTES REFINARIAS 17 Refinarias no

Leia mais

SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO TAÍS ARRUTI LYRIO LISBOA AUDITORA FISCAL DO TRABALHO RESPONSÁVEL NACIONAL PELO PROJETO DE INSERÇÃO DE APRENDIZES

SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO TAÍS ARRUTI LYRIO LISBOA AUDITORA FISCAL DO TRABALHO RESPONSÁVEL NACIONAL PELO PROJETO DE INSERÇÃO DE APRENDIZES SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO TAÍS ARRUTI LYRIO LISBOA AUDITORA FISCAL DO TRABALHO RESPONSÁVEL NACIONAL PELO PROJETO DE INSERÇÃO DE APRENDIZES APRENDIZAGEM: CARACTERIZAÇÃO, LIMITES E POSSIBILIDADES

Leia mais

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC A EVOLUÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA O movimento Constitucional; O processo de discussão que antecedeu a LDB nº9394/96; A concepção de Educação Básica e a universalização do

Leia mais

Estudo. Desenvolvimento habitacional e políticas públicas. Fernando Garcia, Ana Maria Castelo e Euclides Pedrozo

Estudo. Desenvolvimento habitacional e políticas públicas. Fernando Garcia, Ana Maria Castelo e Euclides Pedrozo Estudo Desenvolvimento habitacional e políticas públicas Fernando Garcia, Ana Maria Castelo e Euclides Pedrozo Publicadas as bases de dados que geram as estatísticas de condições de moradia no país, revela-se

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO FARINHA DE TRIGO 2019 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO FARINHA DE TRIGO 2019 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE FARINHA DE TRIGO 2019 (POR PAÍS) PAÍSES ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 33.213,94 22.249,32 25.225,46 26.146,24 27.869,85 134.704,81 Valor Fob ( Us$/Mil ) 11.177,97 7.645,91 8.634,27

Leia mais

março/2019 CAPA - 22/04/2019

março/2019 CAPA - 22/04/2019 março/2019 CAPA - 22/04/2019 VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO CAFÉ TOTAL (valores em Reais*) REGIÃO-UF's / ANO 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 REGIÃO NORTE 1.385.134.921 617.254.428 638.007.397

Leia mais

14-17 anos 5-13 anos. Faixa etária (anos) Ocupação Outras Ignorada

14-17 anos 5-13 anos. Faixa etária (anos) Ocupação Outras Ignorada Ocupação (N) Acidente de trabalho em crianças e adolescentes com diagnóstico de lesão de traumatismo do punho e da mão (CID, S6-S69), segundo ocupação. Brasil, 27 a 26* 4-7 anos - anos Trabalhador polivalente

Leia mais

Boletim Informativo - Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e contra o Sarampo

Boletim Informativo - Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e contra o Sarampo Boletim Informativo - Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e contra o Sarampo - 2018 O Ministério da Saúde, juntamente com as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde, realizou no período

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2012

Contas Regionais do Brasil 2012 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2012 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio de Janeiro, 14/11/2014 Contas Regionais do Brasil Projeto

Leia mais

Pesquisa sobre o pagamento do 13º Salário pelos municípios brasileiros em 2012

Pesquisa sobre o pagamento do 13º Salário pelos municípios brasileiros em 2012 12 Pesquisa sobre o pagamento do 13º Salário pelos municípios brasileiros em 2012 A Confederação Nacional de Municípios CNM, realizou uma pesquisa com cerca de 60,5% dos municípios brasileiros sobre o

Leia mais

ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DA RECEITA DO SETOR DE SERVIÇOS (ABRIL )

ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DA RECEITA DO SETOR DE SERVIÇOS (ABRIL ) ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DA RECEITA DO SETOR DE SERVIÇOS (ABRIL - 2015) BRASIL: Receita de Serviços Apresenta Variação Positiva Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS 1 ) divulgada pelo Instituto Brasileiro

Leia mais

No Pará, governo gasta R$ 1,93 ao dia com a saúde de cada habitante

No Pará, governo gasta R$ 1,93 ao dia com a saúde de cada habitante No Pará, governo gasta R$ 1,93 ao dia com a saúde de cada habitante Levantamento inédito do CFM revela que valor coloca o Pará em último lugar no ranking dos estados e que fragilidades na assistência persistem

Leia mais

Casos de FHD Óbitos e Taxa de letalidade

Casos de FHD Óbitos e Taxa de letalidade Casos de dengue Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Total 2003 20.471 23.612 - - - - - - - - - - 44.083 2002 94.447 188.522 237.906 128.667 60.646 23.350 12.769 10.149 6.682 7.138 9.246 9.052

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN. Dezembro de 2015

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN. Dezembro de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Dezembro de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Dezembro de 2015 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

Sobre o IPECE Informe

Sobre o IPECE Informe Nº 115 Julho 2017 Dinâmica dos Empregos Formais Cearenses: Uma Análise Comparativa com o Brasil, Grandes Regiões, Estados e Capitais da Federação entre os anos de 2010 e 2015. GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego

Pesquisa Mensal de Emprego Pesquisa Mensal de Emprego Retrospectiva 2003-2011 9 anos 1 1, 26/01/2012 1 Produz indicadores mensais sobre a força de trabalho que permitem avaliar as flutuações e a tendência, a médio e a longo prazos,

Leia mais

A Falta de Médicos no Brasil e no Rio

A Falta de Médicos no Brasil e no Rio A Falta de Médicos no Brasil e no Rio Marcelo Cortes Neri Centro de Políticas Sociais do IBRE/FGV e da EPGE/FGV mcneri@fgv.br Ranking - Município do Rio de Janeiro* Salário 1..Direito - Mestrado ou Doutorado

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS NOVEMBRO/ DEZEMBRO DE 2013 JOB2726-13 OBJETIVO LOCAL ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA Trata-se de uma pesquisa de acompanhamento

Leia mais