SEPARADORES DE HIDROCARBONETOS TUBOFURO NATUR-OIL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SEPARADORES DE HIDROCARBONETOS TUBOFURO NATUR-OIL"

Transcrição

1 SEPARADORES DE HIDROCARBONETOS TUBOFURO

2 SEPARADORES DE HIDROCARBONETOS TUBOFURO Os Separadores de Hidrocarbonetos são construídos com base na Norma EN858-1:2002 e cumprem os requisitos legais da Directiva 89/106/CEE dos Produtos de Construção. Ns óleos C B L He Hs A Tubagem SH x SH x SH x (800x800) 125 SH x (800x800) 160 SH x (800x800) 200 SH x (800x800) 200 SH x (800x800) 200 Características Marca TUBOFURO Norma Filtro Coalescente Classe de reacção ao fogo Decantador Obturação automática Concentração de hidrocarbonetos Tampa de acesso Classe 1 de acordo com a Norma EN858-1 Lamelar e oleofílico F Incorporado Válvula em PEAD Inferior a 5 mg/l nas condições de teste da EN858-1 FF classe B125 EN124 Aplicações Postos de combustível, Armazéns de sucata, Oficinas, Zonas de armazenamento de combustíveis.

3 SEPARADORES DE HIDROCARBONETOS TUBOFURO COM BY-PASS

4 SEPARADORES DE HIDROCARBONETOS TUBOFURO BY-PASS Os Separadores de Hidrocarbonetos são construídos com base na Norma EN858-1:2002 e cumprem os requisitos legais da Directiva 89/106/CEE dos Produtos de Construção. Ns Caudal Ponta óleos C B L He Hs A Tubagem SH 3/ x SH 6/ x (800x800) 125 SH 10/ x (800x800) 160 SH 15/ x (800x800) 200 SH 20/ x (800x800) 200 SH 25/ x (800x800) 200 Características Marca TUBOFURO Norma Filtro Coalescente Classe de reacção ao fogo Decantador Obturação automática Concentração de hidrocarbonetos Tampa de acesso By-pass Classe 1 de acordo com a Norma EN858-1 Lamelar e oleofílico F Incorporado Válvula em PEAD Inferior a 5 mg/l nas condições de teste da EN858-1 FF classe B125 EN124 Incluído Aplicações Postos de combustível, Armazéns de sucata, Oficinas, Zonas de armazenamento de combustíveis.

5 SEPARADORES DE HIDROCARBONETOS TUBOFURO EE

6 SEPARADORES DE HIDROCARBONETOS TUBOFURO Os Separadores de Hidrocarbonetos são construídos com base na Norma EN858-1:2002 e cumprem os requisitos legais da Directiva 89/106/CEE dos Produtos de Construção. Ns óleos C B L He Hs A entrada SH 1.5EE x (800x800) SH 3EE x (800x800) SH 6EE x (800x800) SH 10EE x (800x800) SH 15EE x (800x800) SH 20EE x (800x800) SH 25EE x (800x800) saída Características Marca TUBOFURO Norma Filtro Coalescente Classe de reacção ao fogo Decantador Obturação automática Concentração de hidrocarbonetos Tampa de acesso Electrobomba Classe 1 de acordo com a Norma EN858-1 Lamelar e oleofílico F Incorporado Válvula em PEAD Inferior a 5 mg/l nas condições de teste da EN858-1 FF classe B125 EN124 Lowara Domo 7VX ou equivalente Aplicações Postos de combustível, Armazéns de sucata, Oficinas, Zonas de armazenamento de combustíveis.

7 SEPARADORES DE HIDROCARBONETOS TUBOFURO GRANDES CAUDAIS

8 SEPARADORES DE HIDROCARBONETOS TUBOFURO GRANDES Os Separadores de Hidrocarbonetos são construídos com base na Norma EN858-1:2002 e cumprem os requisitos legais da Directiva 89/106/CEE dos Produtos de Construção. Ns óleos C B L He Hs A Tubagem SH SH SH SH SH Características Marca TUBOFURO Norma Filtro Coalescente Classe de reacção ao fogo Decantador Obturação automática Concentração de hidrocarbonetos Tampa de acesso Classe 1 de acordo com a Norma EN858-1 Lamelar F Incorporado Válvula em PEAD Inferior a 5 mg/l nas condições de teste da EN858-1 FF classe B125 EN124 Aplicações Postos de combustível, Armazéns de sucata, Oficinas, Zonas de armazenamento de combustíveis.

9 SEPARADORES DE HIDROCARBONETOS TUBOFURO GRANDES CAUDAIS CLASSE 2

10 SEPARADORES DE HIDROCARBONETOS TUBOFURO GRANDES Os Separadores de Hidrocarbonetos são construídos com base na Norma EN858-1:2002 e cumprem os requisitos legais da Directiva 89/106/CEE dos Produtos de Construção. Ns óleos C B L He Hs A Tubagem SH SH SH SH SH Características Marca TUBOFURO Norma Filtro Coalescente Classe de reacção ao fogo Decantador Obturação automática Concentração de hidrocarbonetos Tampa de acesso Classe 2 de acordo com a Norma EN858-1 Não F Incorporado Válvula em PEAD Inferior a 100 mg/l nas condições de teste da EN858-1 FF classe B125 EN124 Aplicações Postos de combustível, Armazéns de sucata, Oficinas, Zonas de armazenamento de combustíveis.

SEPARADORES DE HIDROCARBONETOS NATUR-OIL

SEPARADORES DE HIDROCARBONETOS NATUR-OIL TUOURO - Tubos em PV, S.. Produtos para Proteção mbiental SEPRDORES DE HIDRORONETOS NTUR-OI Os separadores de Hidrocarbonetos NTUR-OI são construídos com base na norma EN858-1: 2 e cumprem os requisitos

Leia mais

v1.8-060312 Separadores de Hidrocarbonetos, tipo ECODEPUR, Gama DEPUROIL Classe 1 de acordo com a Norma EN858

v1.8-060312 Separadores de Hidrocarbonetos, tipo ECODEPUR, Gama DEPUROIL Classe 1 de acordo com a Norma EN858 Separadores de Hidrocarbonetos, tipo ECODEPUR, Gama DEPUROIL Classe 1 de acordo com a Norma EN858 APRESENTAÇÃO Os Separadores de Hidrocarbonetos, tipo ECODEPUR, Gama DEPUROIL, são equipamentos destinados

Leia mais

SEPARADORES DE GORDURAS TUBOFURO NATUR-GREASE

SEPARADORES DE GORDURAS TUBOFURO NATUR-GREASE SEPARADORES DE GORDURAS TUBOFURO EN 109 Km 160,3 2425-737 Ortigosa Leiria ; Telf, 244616073 / Fax: 244616074 E-mail: geo@tubofuro,pt www.tubofuro.pt Apresentação Os Separadores de Gorduras são construídos

Leia mais

TABELA DE PREÇOS 2014

TABELA DE PREÇOS 2014 TABELA DE PREÇOS 2014 ECODEPUR - Tecnologias de Protecção Ambiental, Lda Urbanização da Chã Av. 21 de Junho, n.º 103 Apartado 8 2435-087 Caxarias PORTUGAL T. +351 249 571 500 F. +351 249 571 501 geral@ecodepur.pt

Leia mais

FOSSAS SÉPTICAS. TUBOFURO - Tubos em PVC, S.A.

FOSSAS SÉPTICAS. TUBOFURO - Tubos em PVC, S.A. FOSSAS SÉPTICAS As Fossas são aplicáveis no tratamento biológico de efluentes domésticos (cozinha e casa de banho) sempre que se verifique a impossibilidade de ligação à rede de esgotos municipal. Estes

Leia mais

TÉCNICAS DE SEPARAÇÃO DE HIDROCARBONETOS

TÉCNICAS DE SEPARAÇÃO DE HIDROCARBONETOS DE HIDROCARBONETOS INDICE Separador de hidrocarbonetos em PEAD Reforçado 3-15 l/s modelo KESSEL Acessórios para Separadores de hidrocarbonetos em PEAD Reforçado 3-15 l/s modelo KESSEL Separador de hidrocarbonetos

Leia mais

ECODEPUR DEPURWASH. Sistema de Tratamento e. Reciclagem de Águas de Lavagem. v1.2-200213

ECODEPUR DEPURWASH. Sistema de Tratamento e. Reciclagem de Águas de Lavagem. v1.2-200213 ECODEPUR DEPURWASH Sistema de Tratamento e v1.2-200213 Reciclagem de Águas de Lavagem ENQUADRAMENTO A água potável é um bem cada vez mais escasso, e deverão ser efectuados todos os esforços para preservar

Leia mais

Fossas Sépticas, TIPO ECODEPUR De acordo com a Norma EN12566-1

Fossas Sépticas, TIPO ECODEPUR De acordo com a Norma EN12566-1 v1.4-300312 -281011 Fossas Sépticas, TIPO ECODEPUR De acordo com a Norma EN12566-1 APRESENTAÇÃO As Fossa Séptica, tipo ECODEPUR, são recipientes estanques, destinados ao armazenamento de águas residuais

Leia mais

INDICE. Pag.2. Pag.3. Pag.4. Pag.5-6. Pag.7. Acessórios complementares

INDICE. Pag.2. Pag.3. Pag.4. Pag.5-6. Pag.7. Acessórios complementares INDICE Separador de Gorduras em PEAD para montagem apoiada: modelo KESSEL Euro G para aspiração directa ou aspiração à distância Separador de Gorduras em PEAD para montagem apoiada: modelo KESSEL Euro

Leia mais

CONCEPÇÃO DE REDES INTERIORES DE ÁGUAS E ESGOTOS EM EDIFÍCIOS PRINCÍPIOS GERAIS ORIENTADORES NOTA TÉCNICA

CONCEPÇÃO DE REDES INTERIORES DE ÁGUAS E ESGOTOS EM EDIFÍCIOS PRINCÍPIOS GERAIS ORIENTADORES NOTA TÉCNICA CONCEPÇÃO DE REDES INTERIORES DE ÁGUAS E ESGOTOS EM EDIFÍCIOS PRINCÍPIOS GERAIS ORIENTADORES NOTA TÉCNICA 1. ÂMBITO DA NOTA TÉCNICA A presente nota técnica diz respeito aos princípios gerais orientadores

Leia mais

TABELA PREÇOS 2014 rev02 TABELA DE PREÇOS

TABELA PREÇOS 2014 rev02 TABELA DE PREÇOS TABELA DE PREÇOS DEPÓSITOS HORIZONTAIS HORIZONTAL DE PEQUENA CAPACIDADE Imagem Ref. Vol Diâm Comp Alt Tampa Preço Sup. Preço Ref. Lt mm mm mm mm DHS500 500 750 1250 830 300 192 239 DHS1000 1000 900 1550

Leia mais

Sistemas de recuperação de águas pluviais

Sistemas de recuperação de águas pluviais Ambietel Tecnologias Ambientais, Lda UPTEC P.MAR Av. Liberdade, s/n 4450-718 Leça da Palmeira Telef: +351 225 096 087 Sistemas de recuperação de águas pluviais A água da chuva é um recurso natural que

Leia mais

Sistemas de recuperação de águas pluviais

Sistemas de recuperação de águas pluviais Ambietel Tecnologias Ambientais, Lda UPTEC P.MAR Av. Liberdade, s/n 4450-718 Leça da Palmeira Telef: +351 225 096 087 Sistemas de recuperação de águas pluviais A água da chuva é um recurso natural que

Leia mais

Gama Premier Tech. ÍNDICE Premier Tech

Gama Premier Tech. ÍNDICE Premier Tech 4 Gama Premier Tech ÍNDICE Premier Tech Apresentação 3 Depósitos de superfície 6 Depósito para Enterrar 10 Kit Águas Pluviais 14 Depósitos Dosificadores DSD 16 Depósitos com Tampa DCT 17 Fossas Séticas

Leia mais

Edição 02/2006. Nova Gama. Gama Separadores de hidrocarbonetos POLIETILENO. Uma gama completa de 1 a 50 l/s

Edição 02/2006. Nova Gama. Gama Separadores de hidrocarbonetos POLIETILENO. Uma gama completa de 1 a 50 l/s Edição 0/00 Nova Gama Gama es de hidrocarbonetos POLIETILENO Uma gama completa de a 50 POLIETILENO Gama es de hidrocarbonetos Uma gama completa de a 50 ÍNDICE Introdução... Funcionamento... Cómo escolher?...

Leia mais

INTERAGUA AquaBiox. Tecnologia de Tratamento de Esgotos. AquaBiox MBBR-FL. Unidades Compactas. www.interagua.pt. interagua@interagua.

INTERAGUA AquaBiox. Tecnologia de Tratamento de Esgotos. AquaBiox MBBR-FL. Unidades Compactas. www.interagua.pt. interagua@interagua. INTERAGUA Tecnologia de Tratamento de Esgotos Unidades Compactas FL INTERAGUA FL CARACTERISTICAS GERAIS ETAR compacta em contentor marítimo certificado de 20 ou 40 ; Tipo standard com pré-decantação integrada

Leia mais

Informação do Produto Filtros da Linha RCS

Informação do Produto Filtros da Linha RCS Rev-00 Plug: ½ NPT Os filtros da Linha RCS são projetados para separação de água e sólidos de hidrocarbonetos em aplicação no abastecimento industrial, aeronaves e postos de gasolina. Objetivamente, os

Leia mais

BB-DIESEL BIODIESEL SOLUTIONS

BB-DIESEL BIODIESEL SOLUTIONS Unidade de produção de biodiesel BB12000-FA O biodiesel é um metil-éster que resulta de uma reacção entre um álcool (geralmente o metanol) e óleos vegetais ou gorduras animais em ambiente alcalino. Para

Leia mais

CAIXAS SEPARADORAS NUPI BRASIL - MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO -

CAIXAS SEPARADORAS NUPI BRASIL - MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO - CAIXAS SEPARADORAS NUPI BRASIL - MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO - INTRODUÇÃO Conforme a Resolução CONAMA 273 de 2000, postos de revenda e de consumo de combustíveis devem ser dotados de sistema de drenagem

Leia mais

Separadores Água/Óleo

Separadores Água/Óleo Separador Água/Óleo Separadores Água/Óleo Tratamento de Água e Efluentes Folheto Técnico Separadores Água-Óleo (SAO) A poluição da água pela presença de hidrocarbonetos oleosos é especialmente danosa a

Leia mais

Compactos Fossas/Filtro, tipo ECODEPUR, Gama BIOFIX Digestores com Filtro Biológico (Fossa Biológicas)

Compactos Fossas/Filtro, tipo ECODEPUR, Gama BIOFIX Digestores com Filtro Biológico (Fossa Biológicas) Compactos Fossas/Filtro, tipo ECODEPUR, Gama BIOFIX Digestores com Filtro Biológico (Fossa Biológicas) APRESENTAÇÃO Os equipamentos Compactos Fossa/Filtro (Fossa Biológica), tipo ECODEPUR, Gama BIOFIX,

Leia mais

FICHA TECNICA CONTRA RISCO DE INCENDIOS EM EDIFICIOS HABITACIONAIS COMERCIAS E INDUSTRIAIS

FICHA TECNICA CONTRA RISCO DE INCENDIOS EM EDIFICIOS HABITACIONAIS COMERCIAS E INDUSTRIAIS Página 1/5 INSTALAÇÃO ELETRICA CONTADOR ENERGIA / ACE Verificação da não violação do selo do contador Verificação da existência de limitador de potência do distribuidor / Fatura QUADRO ELECTRICO Verificação

Leia mais

COMPACTO FOSSA FILTRO. DRENAGEM O escoamento das águas após tratamento será efectuado através de poços de absorção ou trincheiras infiltrantes.

COMPACTO FOSSA FILTRO. DRENAGEM O escoamento das águas após tratamento será efectuado através de poços de absorção ou trincheiras infiltrantes. Conteúdo COMPACTO FOSSA FILTRO...2 Fossa Biológica em Polietileno...3 Fossa Séptica Biológica...4 Fossa Séptica c/ Pré-Filtro e Filtro Carvão Activo...5 Fossa Séptica Estanque c/ Filtro Carvão Activo...6

Leia mais

III - ANEXO I e ANEXO II (Conforme Resolução CONAMA n. 273/2000)

III - ANEXO I e ANEXO II (Conforme Resolução CONAMA n. 273/2000) III - ANEXO I e ANEXO II (Conforme Resolução CONAMA n. 273/2000) 1. IDENTIFICAÇÃO DO RESPONSÁVEL PELO EMPREENDIMENTO Nome: Endereço: CEP: CPF: RG: e-mail: 2. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDIMENTO Nome Fantasia:

Leia mais

FICHA TÉCNICA RAIN WATER CONTROL RWC 303

FICHA TÉCNICA RAIN WATER CONTROL RWC 303 FICHA TÉCNICA RAIN WATER CONTROL RWC 303 Quadro eléctrico desenvolvido e produzido pela empresa L.N. Águas, Lda., propriedade da mesma, não sendo permitida a sua utilização e reprodução sem autorização

Leia mais

Sector do Meio Ambiente. Armazenamento, transporte, tratamento e reutilização de águas

Sector do Meio Ambiente. Armazenamento, transporte, tratamento e reutilização de águas Sector do Meio Ambiente Armazenamento, transporte, tratamento e reutilização de águas Pág. 2 Introdução Rotomoldagem é um grupo de empresas que se dedica à transformação de polímeros. Estamos inseridos

Leia mais

VÁLVULA DE CORTE GERAL A EDIFÍCIOS

VÁLVULA DE CORTE GERAL A EDIFÍCIOS ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET 402 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET 402 20 de Outubro de 2010 Página 2 de 6 ÍNDICE Registo das revisões... 3 1. Objectivo... 4 2. Âmbito... 4 3. Referências... 4 4. Requisitos da válvula

Leia mais

Tratamento de ar. Filtros Série Delta Exemplos de aplicação. Filtro coal. Grosso Tipo H ou Filtro coal. Fino Tipo D. Filtro Tipo G

Tratamento de ar. Filtros Série Delta Exemplos de aplicação. Filtro coal. Grosso Tipo H ou Filtro coal. Fino Tipo D. Filtro Tipo G Filtros Delta Exemplos de aplicação Qual o filtro Delta utilizado e para que aplicação? Os reservatórios de ar devem ser instalados antes e / ou depois do secador. filtro de aspiração refrigerante reservatório

Leia mais

Pág.2. Pag.3. Pág.4. Pág. 5. Pág.6. Pag.7. Pág.8. Pág.9

Pág.2. Pag.3. Pág.4. Pág. 5. Pág.6. Pag.7. Pág.8. Pág.9 INDICE Separador de Gorduras em aço inoxidável para montagem enterrada, para aplicação no interior de cozinhas comerciais Separador de Gorduras em PEAD para montagem enterrada com ou sem aspiração à distância

Leia mais

BK 212. Instruções de Instalação 810769-00 Purgador BK 212

BK 212. Instruções de Instalação 810769-00 Purgador BK 212 BK 212 Instruções de Instalação 810769-00 Purgador BK 212 1 Índice Advertências Importantes Seite Instruções de segurança... 7 Perigo... 7 Notas Explicativas Conteúdo da embalagem... 8 Descrição... 8 Funcionamento...

Leia mais

SEPARADORES DE GORDURAS E FÉCULAS DE MONTAGEM ENTERRADA

SEPARADORES DE GORDURAS E FÉCULAS DE MONTAGEM ENTERRADA DE MONTAGEM ENTERRADA INDICE Separador de Gorduras em aço inoxidável para montagem enterrada Separador de Gorduras em PEAD para montagem enterrada, para aplicação directa no terreno receptor Zonas de tráfego

Leia mais

ACSS ACSS. ACSS Unidade de Instalações e Equipamentos. Especificações técnicas para Ar Comprimido Industrial em EdifíciosHospitalares.

ACSS ACSS. ACSS Unidade de Instalações e Equipamentos. Especificações técnicas para Ar Comprimido Industrial em EdifíciosHospitalares. Guia para Especificações técnicas para Ar Comprimido Industrial em EdifíciosHospitalares ET 08/2010 V. 2013 ACSS Administração Central do Sistema de Saúde, IP ACSS ACSS Unidade de Instalações e Equipamentos

Leia mais

Electroválvulas Tipo 3963

Electroválvulas Tipo 3963 Instruções de Montagem e Operação Electroválvulas Tipo 3963 Fig. 1 Geral A montagem, colocação em funcionamento e operação destes equipamentos só podem ser efectuadas por pessoal experimentado. São assumidos

Leia mais

FILTRO COALESCENTE PARA GLP FASE VAPOR MODELO : F G L 5000 E. Manual de Informações Técnicas, Instalação e Manutenção

FILTRO COALESCENTE PARA GLP FASE VAPOR MODELO : F G L 5000 E. Manual de Informações Técnicas, Instalação e Manutenção Página1 UTILIZAÇÃO FILTRO COALESCENTE PARA GLP FASE VAPOR MODELO : F G L 5000 E Manual de Informações Técnicas, Instalação e Manutenção Para remoção de Oleína (*) em sistemas que utilizam GLP. Segundo

Leia mais

Soluções destinadas aos profissionais da indústria da água

Soluções destinadas aos profissionais da indústria da água 2 3 Soluções destinadas aos profissionais da indústria da água Premier Tech Aqua é uma unidade de negócio da Premier Tech, especialista portuguesa em rotomoldagem e em soluções avançadas para o tratamento

Leia mais

Válvula Redutora de Pressão Tipo 2422/2424. Instruções de Montagem e Operação EB 2547 PT

Válvula Redutora de Pressão Tipo 2422/2424. Instruções de Montagem e Operação EB 2547 PT Válvula Redutora de Pressão Tipo 2422/2424 Válvula Redutora de Pressão Tipo 2422/2424 Instruções de Montagem e Operação EB 2547 PT Edição de Outubro de 2006 Conteúdo Conteúdo Página 1 Concepção e princípio

Leia mais

Política da Qualidade da Canoliva:

Política da Qualidade da Canoliva: catálogo geral A CANOLIVA é uma empresa que comercializa todo o tipo de mercadoria para águas residuais, pluviais e potáveis que estejam de acordo com as normas e regulamentos aplicáveis. Política da Qualidade

Leia mais

VÁLVULAS DE RETENÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES E MANUTENÇÃO SÉRIE: R

VÁLVULAS DE RETENÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES E MANUTENÇÃO SÉRIE: R 22/04/2013 MANUAL DE INSTRUÇÕES E MANUTENÇÃO SÉRIE: R cmo@cmo.es http://www.cmo.es pág. 1 MONTAGEM DESCRIÇÃO Directiva sobre máquinas: DIR 2006/42/CE (MÁQUINAS). Directiva sobre equipamentos sob pressão:

Leia mais

N? L 105/ 18 Jornal Oficial das Comunidades Europeias 28. 4. 77

N? L 105/ 18 Jornal Oficial das Comunidades Europeias 28. 4. 77 13 / Fase. 07 Jornal Oficial das Comunidades Europeias 35 377L313 N? L 105/ 18 Jornal Oficial das Comunidades Europeias 28. 4. 77 DIRECTIVA DO CONSELHO de 5 de Abril de 1977 relativa à aproximação das

Leia mais

A ETAR da Ponta. Pág. 1 de 6

A ETAR da Ponta. Pág. 1 de 6 A ETAR da Ponta A Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) da Ponta, localizada na encosta poente do Pico Ana Ferreira, junto ao açude da Ponta, trata todas as águas residuais domésticas da ilha

Leia mais

NOTA TÉCNICA nº 14 Complementar do Regime Jurídico de SCIE

NOTA TÉCNICA nº 14 Complementar do Regime Jurídico de SCIE FONTES ABASTECEDORAS DE ÁGUA NOTA TÉCNICA nº 14 Complementar do Regime Jurídico de SCIE FONTES ABASTECEDORAS DE ÁGUA OBJECTIVO Enunciar os tipos de fontes de alimentação de água permitidos pelo RT-SCIE

Leia mais

SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA A IMPLEMENTAR NAS PEDREIRAS A CÉU ABERTO

SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA A IMPLEMENTAR NAS PEDREIRAS A CÉU ABERTO SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA A IMPLEMENTAR NAS PEDREIRAS A CÉU ABERTO Humberto Guerreiro Engenheiro de Minas INTRODUÇÃO A crescente preocupação das entidades oficiais sobre a segurança na indústria extractiva,

Leia mais

GESTÃO, TRATAMENTO E REUTILIZAÇÃO DE EFLUENTES LÍQUIDOS. José dos Santos Santiago (*)

GESTÃO, TRATAMENTO E REUTILIZAÇÃO DE EFLUENTES LÍQUIDOS. José dos Santos Santiago (*) GESTÃO, TRATAMENTO E REUTILIZAÇÃO DE EFLUENTES LÍQUIDOS José dos Santos Santiago (*) RESUMO: Apresenta-se, neste artigo, a metodologia a seguir para gerir, tratar a reutilizar os efluentes industriais,

Leia mais

Série VXA21/22 Para ar, gás, vácuo, água e óleo

Série VXA21/22 Para ar, gás, vácuo, água e óleo Electroválvula de 2 vias de accionamento pneumático directo Série VXA21/22 Para ar, gás, vácuo, água e óleo A selecção adequada dos materiais da junta do corpo permite a aplicação de uma grande variedade

Leia mais

Solução de Aquecimento de Águas de Elevada Eficiência

Solução de Aquecimento de Águas de Elevada Eficiência Solução de Aquecimento de Águas de Elevada Eficiência Gama 04 Gama de 2013 O que é Therma V? 06 O que é Therma V? Vantagens Therma V 08 Elevada Eficiência Energética 10 Programação Semanal 12 Instalação

Leia mais

Central Hidroeléctrica da Calheta de Inverno

Central Hidroeléctrica da Calheta de Inverno Central Hidroeléctrica da Calheta de Inverno Descrição Geral A Central da Calheta de Inverno foi construída em 1992, com o objectivo de aproveitar os caudais excedentários ao abastecimento público e garantidos

Leia mais

LOXIC. de redução de oxigénio

LOXIC. de redução de oxigénio LOXIC de redução de oxigénio APSEI NFPA Fire & Security 2012 Índice 1.Teoria Teoria da da combustão 8. Condições que favorecem estes sistemas 2. Conceito 3. Sistemas hipóxicos vs injeção de azoto 9. Projeto

Leia mais

NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regime Jurídico de SCIE

NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regime Jurídico de SCIE NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regime Jurídico de SCIE OBJECTIVO Indicar os critérios gerais que caracterizam os sinais de segurança aplicáveis em SCIE. Listar os sinais específicos exigidos no RT-SCIE,

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO. Edmundo Casagranda

CATÁLOGO TÉCNICO. Edmundo Casagranda CATÁLOGO TÉCNICO Av. das Industrias, 131 - Parque Industrial Itamaraty Rolandia - Parana - CEP: 86.6- Fone/Fax: ( 43 ) 3255-89 Home page: www.oleofil.com.br 213 Edmundo Casagranda Catálogo geral de Produtos

Leia mais

AULAS 6 SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA ÓRGÃOS E ACESSÓRIOS. PROJECTO DE SANEAMENTO Aula 6 - Sumário

AULAS 6 SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA ÓRGÃOS E ACESSÓRIOS. PROJECTO DE SANEAMENTO Aula 6 - Sumário PROJECTO DE SANEAMENTO Aula 6 - Sumário AULAS 6 ÓRGÃOS E ACESSÓRIOS Órgãos de Manobra e Controlo. Tipos, Função e Localização (devices and appurtenances). Válvulas de seccionamento (gate valves). Válvulas

Leia mais

Manual de instruções RECICLADOR AUTOMOTIVO RECIGASES. Desenvolvido por:

Manual de instruções RECICLADOR AUTOMOTIVO RECIGASES. Desenvolvido por: Manual de instruções RECICLADOR AUTOMOTIVO RECIGASES Desenvolvido por: Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. FUNÇÕES BÁSICAS... 4 3. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS... 5 4. CONDIÇÕES DE SEGURANÇA... 7 5. COMPONENTES

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO N 46, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2012 (*)

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO N 46, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2012 (*) ANO CXLIX Nº 249 Brasília DF, quinta-feira, 27 de dezembro de 2012 pág 232 e 233 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO N 46, DE 20 DE DEZEMBRO

Leia mais

Nota Técnica. Requisitos Gerais para a armazenagem de óleos usados:

Nota Técnica. Requisitos Gerais para a armazenagem de óleos usados: Nota Técnica ARMAZENAGEM DE ÓLEOS USADOS Para efeitos do presente documento, considera-se a definição de óleos usados constante na alínea b) do artigo 2.º do Decreto-lei n.º 153/2003. Define-se reservatório

Leia mais

bombas águas limpas acessórios de instalação de bombas bomba auto-ferrante sondas de nível ligação PPAR latão válvula de retenção

bombas águas limpas acessórios de instalação de bombas bomba auto-ferrante sondas de nível ligação PPAR latão válvula de retenção bombas águas limpas acessórios de instalação de bombas sondas de nível ligação PPAR latão válvula de retenção acessórios aperto tubagens tubagens válvula de esfera autoclave quadro protecção e controle

Leia mais

BK 45 BK 45U. Manual de Instruções 810734-01 Purgador de Condensado BK 45, BK 45U

BK 45 BK 45U. Manual de Instruções 810734-01 Purgador de Condensado BK 45, BK 45U BK 45 BK 45U Manual de Instruções 810734-01 Purgador de Condensado BK 45, BK 45U 1 Indíce Advertências Importantes Página Aplicação...6 Segurança...6 Perigo...6 Classificação de acordo com artigo 9 da

Leia mais

ROTM800GF ROTM1000GF ROTM1500G2F

ROTM800GF ROTM1000GF ROTM1500G2F Apresentação Os es de Gorduras e Féculas, tipo EcoAlcance são recipientes estanques, destinados à recepção de águas residuais gordurosas procedentes do uso doméstico ou industrial, originadas pelo manuseamento

Leia mais

Equipamentos primários. L. Roriz

Equipamentos primários. L. Roriz Equipamentos primários L. Roriz Unidades de Arrefecimento Unidades de Arrefecimento de Ar Unidades Produtoras de Água Refrigerada Sistemas de compressão de vapor Sistemas de expansão directa Sistemas utilizando

Leia mais

Julho de 2015. Horizonte de Projecto - Consultores em Ambiente e Paisagismo, Lda Coordenação do EIA. M.ª Helena Nascimento (Eng.

Julho de 2015. Horizonte de Projecto - Consultores em Ambiente e Paisagismo, Lda Coordenação do EIA. M.ª Helena Nascimento (Eng. A Horizonte de Projecto Consultores em Ambiente e Paisagismo, Lda., em colaboração com o Centro Tecnológico das Indústrias do Couro (CTIC) apresenta o Aditamento ao Estudo de Impacte Ambiental (EIA) da

Leia mais

ÓRGÃOS DE MANOBRA E CONTROLO. Tipos, função e localização

ÓRGÃOS DE MANOBRA E CONTROLO. Tipos, função e localização ÓRGÃOS DE MANOBRA E CONTROLO Tipos, função e localização Órgãos de manobra e controlo de um sistema adutor Principais tipos de órgãos Válvulas de manobra e segurança (manuais ou de funcionamento autónomo)

Leia mais

Recuperadores de Energia RIS H/V...3.2. Recuperadores de Energia RECUP...3.6. Recuperadores de Energia RIS P...3.8

Recuperadores de Energia RIS H/V...3.2. Recuperadores de Energia RECUP...3.6. Recuperadores de Energia RIS P...3.8 Índice Recuperadores de Energia Recuperadores de Energia Recuperadores de Energia RIS H/V...3.2 Recuperadores de Energia RECUP...3.6 Recuperadores de Energia RIS P...3.8 Unidade de Fluxos Cruzados EBF...3.11

Leia mais

SANEAMENTO Aula 5 - Sumário AULA 5. Constituição dos sistemas de abastecimento e de distribuição de água. Saneamento [55]

SANEAMENTO Aula 5 - Sumário AULA 5. Constituição dos sistemas de abastecimento e de distribuição de água. Saneamento [55] SANEAMENTO Aula 5 - Sumário AULA 5 Constituição dos sistemas de abastecimento e de distribuição de água. Saneamento [55] SISTEMAS DE ABASTECIMENTO E DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA Adução / Dimensionamento Hidráulico

Leia mais

Controlo de fumo em edificações. João Carlos Viegas

Controlo de fumo em edificações. João Carlos Viegas Controlo de fumo em edificações João Carlos Viegas Objectivos da apresentação > Esta apresentação centra-se nas alterações introduzidas pelo DL 220/2008 e pela portaria 1532/2008 no domínio dos sistemas

Leia mais

INDÍCE. Tubo PEX e Acessórios Tubo INOX Prensar / Bicone e Acessórios Isolamento

INDÍCE. Tubo PEX e Acessórios Tubo INOX Prensar / Bicone e Acessórios Isolamento T A B E L AS 2 0 1 5 GRUPO A GRUPO B INDÍCE Tubagem em PVC e Acessórios Tubo Corrugado para Saneamento e Acessórios Tubo Corrugado para Telecomunicações e Acessórios Tubo Corrugado para Drenagem PE Abastecimento

Leia mais

6As áreas de abastecimento representam uma possível fonte de poluição ao meio

6As áreas de abastecimento representam uma possível fonte de poluição ao meio ÁREA DE ABASTECIMENTO E ARMAZENAMENTO DE COMBUSTÍVEL 6As áreas de abastecimento representam uma possível fonte de poluição ao meio ambiente e seu manuseio e armazenagem também apresentam considerável grau

Leia mais

Controlo e extinção por água nebulizada

Controlo e extinção por água nebulizada Controlo e extinção por água nebulizada microaqua Agua nebulizada aguilera extinción Índice O que é água nebulizada? 2 O que é microaqua? 3 Componentes do sistema microaqua 4 Aplicações 6 O nosso compromisso:

Leia mais

Pavimento Radiante - Aquecimento. Componentes para Instalação Tipo 2014

Pavimento Radiante - Aquecimento. Componentes para Instalação Tipo 2014 Pavimento Radiante - Aquecimento Componentes para Instalação Tipo 2014 by 1 Componentes para instalação tipo Esquema de instalação de distribuição por pavimento Exemplo com Sistema COVER RDZ e coletor

Leia mais

PROJECTO DA REDE DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA

PROJECTO DA REDE DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA PROJECTO DA REDE DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA CONSTRUÇÃO DE ARRUAMENTO DESDE A ROTUNDA DANMARIE - LÉS - LYS À AV. ENGº CASTRO CALDAS - A2 ARCOS DE VALDEVEZ ÍNDICE 1) Planta de Localização 2) Termo de Responsabilidade

Leia mais

A importância da marca

A importância da marca A importância da marca Vantagens dos compressores BOGE Eficiência energética, optimização de custos e fiabilidade Todos os compressores e acessórios BOGE são desenhados para obter a melhor relação qualidade

Leia mais

EMPRESA DE ELECTRICIDADE DA MADEIRA SA

EMPRESA DE ELECTRICIDADE DA MADEIRA SA EMPRESA DE ELECTRICIDADE DA MADEIRA SA CENTRAL TÉRMICA DO PORTO SANTO EEM/DSP 1 16 MWe Central Térmica do Porto Santo 1 Descrição Geral A Central Térmica do Porto Santo entrou em funcionamento em 1992,

Leia mais

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DE UM POSTO REVENDEDOR DE COMBUSTÍVEIS (PRC) NA CIDADE DE NATAL/RN

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DE UM POSTO REVENDEDOR DE COMBUSTÍVEIS (PRC) NA CIDADE DE NATAL/RN DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DE UM POSTO REVENDEDOR DE COMBUSTÍVEIS (PRC) NA CIDADE DE NATAL/RN Cleciana Raylle Lopes Ferreira¹ ; Dayanne Costa da Silva²; Estefhany Marreiros de Lima³; Robson Garcia da Silva

Leia mais

Truck Tyre Saver GERADOR DE NITROGÊNIO PARA CALIBRAR PNEUS DE CAMINHÕES

Truck Tyre Saver GERADOR DE NITROGÊNIO PARA CALIBRAR PNEUS DE CAMINHÕES Truck Tyre Saver GERADOR DE NITROGÊNIO PARA CALIBRAR PNEUS DE CAMINHÕES Pneu é como uma membrana Ar comprimido O tradicional meio de encher pneus de caminhões e carros, contém 21% de oxigênio e 78% de

Leia mais

Apoiada nestes 3 pilares buscamos oferecer uma completa linha de produtos e serviços (de???), oferecendo aos nosso clientes o mais elevado nível de

Apoiada nestes 3 pilares buscamos oferecer uma completa linha de produtos e serviços (de???), oferecendo aos nosso clientes o mais elevado nível de Apoiada nestes 3 pilares buscamos oferecer uma completa linha de produtos e serviços (de???), oferecendo aos nosso clientes o mais elevado nível de satisfação, de forma sustentável. Solução analítica para

Leia mais

Filtro de Ar Série 322 Médio

Filtro de Ar Série 322 Médio Catálogo 00BR Setembro 008 Filtro de Ar Série 3 Médio Características Técnicas Conexão /, 3/8, / e 3/ BSP Vazão a 7 bar / BSP: 580 l/min Pressão de trabalho Pressão máxima de entrada Fluído Temperatura

Leia mais

Acessório misto - dispositivo destinado a reunir dois troços de tubagem de diferentes materiais;

Acessório misto - dispositivo destinado a reunir dois troços de tubagem de diferentes materiais; Para efeitos do Regulamento Técnico Relativo ao Projecto, Construção, Exploração e Manutenção das Instalações de Gás Combustível Canalizado em Edifícios, entende-se por: Acessibilidade de grau 1 - situação

Leia mais

SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS DOMÉSTICAS ECODEPUR SBR (E.T.A.R. COMPACTA)

SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS DOMÉSTICAS ECODEPUR SBR (E.T.A.R. COMPACTA) 0 SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS DOMÉSTICAS ECODEPUR SBR (E.T.A.R. COMPACTA) ENQUADRAMENTO A ECODEPUR entende a Concepção/Construção de uma E.T.A.R. como um conjunto integrado de Operações Unitárias

Leia mais

PENSE NO MEIO AMBIENTE. KPA KIT DE PROTEÇÃO AMBIENTAL Treinamento teórico e prático COA - Comunicado de Ocorrência Ambiental

PENSE NO MEIO AMBIENTE. KPA KIT DE PROTEÇÃO AMBIENTAL Treinamento teórico e prático COA - Comunicado de Ocorrência Ambiental PENSE NO MEIO AMBIENTE KPA KIT DE PROTEÇÃO AMBIENTAL Treinamento teórico e prático COA - Comunicado de Ocorrência Ambiental Fevereiro/2014 KPA QUANDO UTILIZAR O KIT DE PROTEÇÃO AMBIENTAL? I. Derramamento

Leia mais

NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regulamento Geral de SCIE Ref.ª VII.I.01/2007-05-31

NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regulamento Geral de SCIE Ref.ª VII.I.01/2007-05-31 NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regulamento Geral de SCIE Ref.ª VII.I.01/2007-05-31 RESUMO Indicar os critérios gerais que caracterizam os sinais de segurança aplicáveis em SCIE. Listar os sinais específicos

Leia mais

Armazém Planear a construção

Armazém Planear a construção Planear a construção Surgem muitas vezes problemas associados às infra-estruturas dos armazéns, como por exemplo, a falta de espaço para as existências, para a movimentação nos corredores e áreas externas,

Leia mais

ACSS ACSS. ACSS Unidade de Instalações e Equipamentos. Especificações técnicas para Gás Combustível em Edifícios Hospitalares.

ACSS ACSS. ACSS Unidade de Instalações e Equipamentos. Especificações técnicas para Gás Combustível em Edifícios Hospitalares. Guia para Especificações técnicas para Gás Combustível em Edifícios Hospitalares ET 02/2006 V. 2013 ACSS Administração Central do Sistema de Saúde, IP ACSS ACSS Unidade de Instalações e Equipamentos Especificações

Leia mais

Kits solares para águas quentes sanitárias

Kits solares para águas quentes sanitárias Kit SOLAR A-2.4 e A1-2.4 - AQS 200 lts 1 a 3 pessoas com 1 Permutador apoio com resistência eléctrica 1 x Colector solar selectivo de alto rendimento de 2.4 m 2 1 x Acumulador 200lts de 1 Permutador c/resistência

Leia mais

ACSS ACSS. Gás combustível em edifícios hospitalares. do Sistema de Saúde, IP ET 02/2006 V. 2010. Especificações Técnicas para. Administração Central

ACSS ACSS. Gás combustível em edifícios hospitalares. do Sistema de Saúde, IP ET 02/2006 V. 2010. Especificações Técnicas para. Administração Central Especificações Técnicas para Gás combustível em edifícios hospitalares ACSS Administração Central do Sistema de Saúde, IP ET 02/2006 V. 2010 Administração Central ACSS do Sistema de Saúde Ministério da

Leia mais

O QUE É O HYDROVAR? QUAL É A DIFERENÇA? O HYDROVAR muda tudo. O HYDROVAR põe de lado tudo isto

O QUE É O HYDROVAR? QUAL É A DIFERENÇA? O HYDROVAR muda tudo. O HYDROVAR põe de lado tudo isto Hydrovar www.lowara.com O QUE É O HYDROVAR? O HYDROVAR é um sistema de controlo de uma instalação de bombagem, baseado num microprocessador montado numa bomba. O HYDROVAR faz mais do que variar a velocidade

Leia mais

Manual Instalador e Utilizador Caldeira de Gaseificação a Lenha OFA WOOD GP

Manual Instalador e Utilizador Caldeira de Gaseificação a Lenha OFA WOOD GP Manual Instalador e Utilizador Caldeira de Gaseificação a Lenha OFA WOOD GP ÍNDICE INTRODUÇÃO... 1. DESCRIÇÃO GERAL DA CALDEIRA DE GASEIFICAÇÃO A LENHA OFA WOOD GP... 2. COMPONENTES FORNECIDOS COM A CALDEIRA...

Leia mais

EDP - Gestão da Produção de Energia, S.A. Central Termoelétrica de Sines. Produção de Energia Elétrica e Deposição de resíduos não perigosos em aterro

EDP - Gestão da Produção de Energia, S.A. Central Termoelétrica de Sines. Produção de Energia Elétrica e Deposição de resíduos não perigosos em aterro 2.º ADITAMENTO À LICENÇA AMBIENTAL nº 300/2009 Nos termos da legislação relativa à Prevenção e Controlo Integrados da Poluição (PCIP), é emitido o 2.º Aditamento à Licença Ambiental do operador EDP - Gestão

Leia mais

Descrição cronológica de intervenções no Sistema de Drenagem de Águas Residuais e Pluviais 27º Trimestre 2014

Descrição cronológica de intervenções no Sistema de Drenagem de Águas Residuais e Pluviais 27º Trimestre 2014 277 Rede Residual 1-7-14 EN 118 - coletor que passa nas instalações da Baral Pego Desobstrução de Coletor 278 EE 1-7-14 EE Alferrarede Velha - EN3 Alferrarede Velha Desobstrução da entrada da elevatória

Leia mais

Enunciar as formas de proteção e sinalização adequadas aos diversos tipos de marcos e bocas de incêndio.

Enunciar as formas de proteção e sinalização adequadas aos diversos tipos de marcos e bocas de incêndio. OBJETIVO Definir quais os tipos e especificações técnicas dos modelos de hidrantes exteriores, de modo a cumprirem com a Regulamentação Nacional e Comunitária. Enunciar as formas de proteção e sinalização

Leia mais

flucon válvulas automáticas de controlo

flucon válvulas automáticas de controlo válvulas automáticas de controlo Conteúdos 3 Empresa 4 Apoio ao Cliente 5 Funções / Aplicações 9 Caracteristicas 10 Válvula Principal 11 Sistema Piloto 12 Opções de Montagem / Cavitação 13 Dimensionamento

Leia mais

www.kaeser.com Compressores Portáteis MOBILAIR M 200 Com o mundialmente reconhecido PERFIL SIGMA Caudal: 14,5 a 21,2 m³/min.

www.kaeser.com Compressores Portáteis MOBILAIR M 200 Com o mundialmente reconhecido PERFIL SIGMA Caudal: 14,5 a 21,2 m³/min. www.kaeser.com Compressores Portáteis MOBILAIR M 200 Com o mundialmente reconhecido PERFIL SIGMA Caudal: 14,5 a 21,2 m³/min. Made in Germany Os MOBILAIR compressores portáteis da KAESER COMPRESSORES são

Leia mais

_ esquentadores solares a gás p.34. gama. solasis

_ esquentadores solares a gás p.34. gama. solasis _ esquentadores solares a gás p.34 gama solasis Esquentadores solares. Conforto com a máxima poupança. A Fagor, na sua constante busca de novas soluções que respeitem o ambiente, desenvolveu quatro modelos

Leia mais

GUIA DE PROJECTO E OBRA

GUIA DE PROJECTO E OBRA GUIA DE PROJECTO E OBRA Processos de Loteamento Direcção de Engenharia 2010 ÍNDICE 1. Âmbito de Aplicação e Objectivos... 3 2. Competências e Responsabilidades... 3 2.1 Projectista... 3 2.2 ÁGUAS DO SADO...

Leia mais

AULA 5. PROJECTO DE SANEAMENTO Aula 5 - Sumário RESERVATÓRIOS

AULA 5. PROJECTO DE SANEAMENTO Aula 5 - Sumário RESERVATÓRIOS PROJECTO DE SANEAMENTO Aula 5 - Sumário AULA 5 RESERVATÓRIOS Função dos reservatórios. Tipos de Reservatórios. Localização. Aspectos construtivos. Órgãos e Acessórios e Instrumentação. Dimensionamento

Leia mais

3ª Jornadas Electrotécnicas Máquinas e Instalações Eléctricas

3ª Jornadas Electrotécnicas Máquinas e Instalações Eléctricas 3ª Jornadas Electrotécnicas Máquinas e Instalações Eléctricas Segurança Contra Incêndios em Edifícios Decreto-Lei 220/2008 Portaria 1532/2008 ISEP- Porto - 2010 ISEP - Abril 2010 Cap Eng Luís Bispo 1 Sumário

Leia mais

A seguir, far-se-á a descrição das unidades operacionais dos referidos sistemas:

A seguir, far-se-á a descrição das unidades operacionais dos referidos sistemas: 3.4 MURIAÉ Projeto Preparatório para o Gerenciamento dos Recursos Hídricos do Paraíba do Sul Os sistemas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário da cidade de Muriaé são operados e mantidos

Leia mais

Case Study Boavista Golf. Sistema de Monitorização e Controlo da Produção de Água para Rega de Campos de Golfe.

Case Study Boavista Golf. Sistema de Monitorização e Controlo da Produção de Água para Rega de Campos de Golfe. Case Study Boavista Golf Sistema de Monitorização e Controlo da Produção de Água para Rega de Campos de Golfe. Introdução Portugal é considerado, por muitos especialistas, um dos melhores lugares para

Leia mais

ÖWAMAT TECNOLOGIA NO TRATAMENTO DE CONDENSADOS

ÖWAMAT TECNOLOGIA NO TRATAMENTO DE CONDENSADOS TECNOLOGIA NO TRATAMENTO DE CONDENSADOS Olhe em volta na sua estação de ar comprimido Uma estação de ar comprimido completa inclui, alem de um compressor, um reservatório, um secador por refrigeração,

Leia mais

PLANO DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO

PLANO DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO 258 PLANO DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO Dono da Obra: CÂMARA MUNICIPAL DE COIMBRA Empreitada: Repavimentação da Rua da Alegria incluindo remodelação de infra-estruturas Localização:

Leia mais

EMPRESA DE ELECTRICIDADE DA MADEIRA SA

EMPRESA DE ELECTRICIDADE DA MADEIRA SA EMPRESA DE ELECTRICIDADE DA MADEIRA SA CENTRAL TÉRMICA DA VITÓRIA EEM/DSP 1 117 MWe Central Térmica da Vitória 1 Descrição Geral A Central Térmica da Vitória entrou em funcionamento em 1979, para fazer

Leia mais

A seguir parte do material didático que é distribuído aos participantes do curso.

A seguir parte do material didático que é distribuído aos participantes do curso. A seguir parte do material didático que é distribuído aos participantes do curso. A próxima turma do curso VÁLVULAS INDUSTRIAIS está programada para o período de 16 a 19 de setembro de 2013, no Rio de

Leia mais

Normas da ABNT precisam ser seguidas

Normas da ABNT precisam ser seguidas Normas da ABNT precisam ser seguidas Além das leis ambientais e toda a burocracia que o negócio da revenda exige, o revendedor precisa realizar os procedimentos de acordo com as normas da Associação Brasileira

Leia mais