Saiba Mais! FUNPREV. Fundo de Previdência dos Servidores Municipais de Mariana PREFEITURA DE MARIANA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Saiba Mais! FUNPREV. Fundo de Previdência dos Servidores Municipais de Mariana PREFEITURA DE MARIANA"

Transcrição

1 Saiba Mais! FUNPREV Fundo de Previdência dos Servidores Municipais de Mariana PREFEITURA DE MARIANA

2 Apresentamos a você servidor público municipal, segurado do FUNPREV, sua Cartilha Previdenciária. Esta cartilha foi elaborada com o intuito de informar e esclarecer sobre a questão previdenciária, de forma clara, com observância na atual legislação de Regimes Próprios de Previdência. Acreditando que a solidez e o futuro do nosso sistema previdenciário não podem abrir mão da efetiva participação do servidor público municipal é que o FUNPREV e Município entrega um bem muito precioso aos servidores públicos: a informação. Essa participação somente ocorrerá com a implantação de uma política e de uma cultura de informação, na qual a transparência da gestão do FUNPREV seja fator prioritário ao servidor segurado. Boa leitura! Terezinha Severino Ramos Prefeita Municipal Thaís Celeste Ferreira de Souza Gestora do FUNPREV PREFEITURA DE MARIANA Apresentação Sumário 1 Regime Próprio de Previdência Social 1.1- Vantagens do Regime Próprio de Previdência Social(RPPS) a) Fiscalização b) Facilidade no atendimento c) Gestão Municipal d) Maior valor de e pensão e) Aposentadoria com valor integral e reajuste da ativa f) O Abono de Permanência g) Não há carência na concessão de benefícios 2 - Custeio do FUNPREV 3 Benefícios já concedidos pelo FUNPREV Janeiro de Modalidades de Benefícios do FUNPREV 4.1 Aposentadorias- Regras de Aposentadoria Aposentadoria por Invalidez Aposentadoria Compulsória Auxílio-doença 4.3 Salário-maternidade 4.4 Salário Família 4.5 Pensão por morte 4.6 Auxílio-reclusão 5- Dúvidas Frequentes dos Servidores

3 1 2 Apresentação O Fundo de Previdência dos Servidores Municipais de Mariana FUN- PREV foi criado mediante a Lei Complementar nº 64/2008 e tem como objetivo assegurar aos servidores municipais ocupantes de cargo efetivo os benefícios de, auxílio-doença, salário família, salário maternidade, e aos seus dependentes, os benefícios de pensão por morte e auxílio reclusão. 1- O Regime Próprio de Previdência Social RPPS O FUNPREV é um Regime Próprio de Previdência Social que abrange somente os servidores públicos titulares de cargo efetivo (concursados). Tem previsão legal no art. 40 da Constituição Federal de 1988 e regulamentado pela lei 9717/98. Seus recursos só podem ser utilizados para o pagamento dos benefícios previdenciários, sendo proibida a sua utilização para qualquer outro fim Vantagens do Regime Próprio de Previdência a) Fiscalização Há o Conselho Fiscal (composto por 5 servidores efetivos do município) que possuem todas as informações necessárias para acompanhar a concessão de benefícios e as movimentações bancárias, além da fiscalização do Ministério da Previdência Social e do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais. b) Facilidade no atendimento menos burocracia no atendimento e na solicitação de benefícios, já que a sede do Instituto é no próprio município. c) Gestão Municipal O RPPS traz mais responsabilidade para o gestor público, mas apresenta outras vantagens: Com a avaliação atuarial, o gestor tem a cada ano a situação previdenciária do município, o controle orçamentário, financeiro e patrimonial do fundo. d) Maior valor de e pensão e não limitação ao teto do INSS O Regime Próprio gera benefícios com valores superiores aos pagos pelo INSS, pois no RPPS não há o fator previdenciário que reduz os ganhos do aposentado e não há limite ao teto do RGPS (INSS) para os benefícios. e) Abono de Permanência O servidor com direito à pode optar por permanecer em atividade. Nesse caso, ele receberá o abono de permanência até a data de sua, que é equivalente ao valor de sua contribuição, ou seja, funciona como uma isenção da contribuição. Esse benefício só existe no Regime Próprio de Previdência. f) O servidor poderá ter seu benefício com valor integral à sua última remuneração e o reajuste de acordo com o servidor da ativa, desde que preencha os requisitos do art.6º da emenda 41/2003, ou art.3 o da EC 47/2005, ou art.2 o da EC 41/2003 ou caput do art.8 o da EC 20/1998. g) Não há carência para a Concessão de Benefícios Diferentemente do INSS, no Regime Próprio de Previdência não há carência para a concessão de quaisquer benefícios. 2 Custeio do FUNPREV O FUNPREV tem como fonte de custeio: a contribuição dos servidores efetivos em 11% (onze por cento) mensais de suas remunerações; 19,64 % (dezenove e sessenta e quatro por cento) pagos pela prefeitura mensalmente; a rentabilidade das aplicações financeiras destes recursos. Atualmente, o patrimônio líquido do FUNPREV está em 20 milhões de reais, aplicados em fundos definidos pela legislação, obtendo rentabilidade. 3 Benefícios já concedidos pelo FUNPREV O FUNPREV possui 27 aposentados, paga 8 pensões por morte, 1 auxílio-reclusão e uma média de R$ 45.00,00(quarenta e cinco) mil reais mensais de auxílio-doença. 4 Modalidades de Benefícios do FUNPREV Lei 064/2008 e Constituição Federal de 1988

4 Aposentadorias COMO FICA A APOSENTADORIA DO SERVIDOR? Para ver como será a sua, você precisa saber: - Quando ingressou e quanto tempo tem de efetivo exercício no serviço público, em qualquer órgão público, mesmo sem continuidade; - Quanto tempo tem na carreira e no cargo efetivo no mesmo órgão público; - Quanto tempo de contribuição, contando o tempo de contribuição do INSS com o tempo do FUNPREV. Combinando esses fatores com a sua idade você encontrará, nos quadros a seguir, as regras que se aplicam ao seu caso: SE VOCÊ INGRESSOU NO SER- VIÇO PÚBLICO ATÉ 16/12/1998 (antes da Emenda Constitucional nº 20/1998) Regra de Transição (art. 2º da Emenda Constitucional nº 41) COM PROVENTOS PELA MÉDIA 53 anos de idade 48 anos de idade Acréscimo de 20% do tempo que faltava em Acréscimo de 20% do tempo que 16/12/98, para atingir 35 anos de faltava em 16/12/98, para atingir 30 contribuição anos de contribuição Forma de cálculo: aplicação da média aritmética simples das maiores contribuições efetuadas a partir de julho de Aplica-se a redução de 3,5% (até dezembro/2005) e 5% (após janeiro/2006) sobre cada ano antecipado em relação à idade de 60 anos. Reajuste do benefício: na mesma data em que ocorrer o reajuste do RGPS para manutenção do valor real com base na variação integral do INPC (sem paridade) Forma de cálculo: aplicação da média aritmética simples das maiores contribuições efetuadas a partir de julho de Aplica-se a redução de 3,5% (até dezembro/2005) e 5% (após janeiro/2006) sobre cada ano antecipado em relação à idade de 60 anos. Reajuste do benefício: na mesma data em que ocorrer o reajuste do RGPS para manutenção do valor real com base na variação integral do INPC (sem paridade) - O acréscimo para o professor é de 17% e para professora é de 20% do tempo de exercício até 16/12/98, desde que se aposente exclusivamente com tempo de exercício em sala de aula. SE VOCÊ INGRESSOU NO SERVIÇO PÚBLICO ATÉ 31/12/2003 (data da Emenda Constitucional nº 41) Regra de Transição (art. 6º da Emenda Constitucional nº 41) COM PROVENTOS INTEGRAIS 60 anos de idade 55 anos de idade 20 anos de serviço público 20 anos de serviço público 10 anos na carreira 10 anos na carreira Cálculo: integral (teto: última remuneração no cargo efetivo) Cálculo: integral (teto: última remuneração no cargo efetivo) - Os professores continuam tendo 5 anos de diminuição na idade e 5 anos na contribuição desde que comprovem tempo exclusivo de efetivo exercício das funções de magistério, na Educação Infantil e no Ensino Fundamental e Médio. SE VC PREENCHEU AS REGRAS PARA APOSENTADORIA PREVISTAS ATÉ A DATA DE 31/12/2003 VOCÊ TEM DIREITO ADQUIRIDO (Artigo 3º Emenda Constitucional nº 41) NESTE CASO EXISTEM QUATRO HIPÓTESES Hipótese 1 (art. 40, 1º, III, a da Constituição Federal) COM PROVENTOS INTEGRAIS 60 anos de idade 55 anos de idade Cálculo: integral (teto: última remuneração no cargo efetivo) Cálculo: integral (teto: última remuneração no cargo efetivo) - Os professores continuam tendo 5 anos de diminuição na idade e 5 anos na contribuição desde que comprovem tempo exclusivo de efetivo exercício das funções de magistério, na Educação Infantil e no Ensino Fundamental e Médio.

5 5 6 Hipótese 2 (art. 40, 1º, III, b da Constituição Federal) COM PROVENTOS PROPORCIONAIS 65 anos de idade 60 anos de idade 5 anos no cargo 5 anos no cargo Cálculo: proporcional ao tempo de contribuição Cálculo: proporcional ao tempo de contribuição Hipótese 3 Regra de Transição (art. 8º, 1º, da Emenda Constitucional nº 20) COM PROVENTOS PROPORCIONAIS 53 anos de idade 48 anos de idade 30 anos de contribuição 25 anos de contribuição Cálculo: proventos são proporcionais, Cálculo: proventos são equivalentes a 70% do valor máximo proporcionais, equivalentes a que o servidor poderia obter, acrescido 70% do valor máximo que o de 5% por ano de contribuição que servidor poderia obter, acrescido supere o tempo de contribuição acima, de 5% por ano de contribuição mais o pedágio. que supere o tempo de contribuição acima, mais o pedágio. - O professor tem acréscimo de 17% e a professora de 20% no tempo exercido até 16/12/1998, desde que se aposente, exclusivamente, com tempo de efetivo exercício em sala de aula. Hipótese 4 Regra de Transição (art. 8º, caput da Emenda Constitucional nº 20) COM PROVENTOS INTEGRAIS 53 anos de idade 48 anos de idade 35 anos de contribuição 25 anos de contribuição Pedágio: 20% sobre o tempo que Pedágio: 20% sobre o tempo que faltava em 16/12/98 para atingir o faltava em 16/12/98 para atingir tempo total de contribuição o tempo total de contribuição Cálculo: proventos integrais última remuneração no cargo efetivo. Cálculo: proventos integrais última remuneração no cargo efetivo. As 4 (quatro)hipóteses acima podem ser aplicadas somente ao servidor que em 31/12/2003 já havia preenchido os requisitos para se aposentar em alguma das modalidades de à época existente.ao servidor que somente após esta data obteve os requisitos para uma das s, não lhe assiste o direito a quaisquer destas 4(quatro) hipóteses. SE VOCÊ INGRESSOU NO SERVIÇO PÚBLICO A PARTIR DE 31/12/2003 OU NÃO OPTOU PELAS REGRAS DOS ARTS. 2º E 6º DA EMENDA Nº 41/03, VOCÊ TEM MAIS DUAS OPÇÕES (REGRA PERMANENTE) Opção 1 art. 40, 1º, III, a da Constituição Federal COM PROVENTOS PELA MÉDIA 60 anos de idade 55 anos de idade Cálculo: média aritmética simples Cálculo: média aritmética correspondente a 80% das maiores simples correspondente a 80% contribuições efetuadas a partir de das maiores contribuições julho/94 efetuadas a partir de julho/94 Reajuste do benefício: na mesma data em que ocorrer o reajuste do RGPS para manutenção do valor real com base na variação integral do INPC (sem paridade) Reajuste do benefício: na mesma data em que ocorrer o reajuste do RGPS para manutenção do valor real com base na variação integral do INPC (sem paridade) - Os professores continuam tendo 5 anos de diminuição na idade e 5 anos na contribuição desde que comprovem tempo exclusivo de efetivo exercício das funções de magistério, na Educação Infantil e no Ensino Fundamental e Médio. Opção 2 art. 40, 1º, III, b da Constituição Federal COM PROVENTOS PROPORCIONAIS 65 anos de idade 60 anos de idade Cálculo: proventos proporcionais ao tempo de contribuição Cálculo: proventos proporcionais ao tempo de contribuição Cálculo: média aritmética simples Cálculo: média aritmética correspondente a 80% das maiores simples correspondente a 80% contribuições efetuadas a partir de das maiores contribuições julho/94 efetuadas a partir de julho/94 Reajuste do benefício: na mesma data em que ocorrer o reajuste do RGPS para manutenção do valor real com base na variação integral do INPC (sem paridade) Reajuste do benefício: na mesma data em que ocorrer o reajuste do RGPS para manutenção do valor real com base na variação integral do INPC (sem paridade)

6 7 8 SE VOCÊ INGRESSOU NO SERVIÇO PÚBLICO ATÉ 31/12/2003 E COMPLETOU OS REQUISITOS PARA APOSENTAR POR IDADE VOCÊ TEM MAIS UMA OPÇÃO (REGRA PERMANENTE) A NOVA EMENDA CONSTITUCIONAL EMENDA 47/2005 COM PROVENTOS PROPORCIONAIS 65 anos de idade 60 anos de idade Cálculo: proventos proporcionais ao tempo de contribuição Cálculo: proventos proporcionais ao tempo de contribuição Cálculo: média aritmética simples Cálculo: média aritmética correspondente a 80% das maiores simples correspondente a 80% contribuições efetuadas a partir de das maiores contribuições julho/94 efetuadas a partir de julho/94 Reajuste do benefício: na mesma data em que ocorrer o reajuste do RGPS para manutenção do valor real com base na variação integral do INPC (sem paridade) Reajuste do benefício: na mesma data em que ocorrer o reajuste do RGPS para manutenção do valor real com base na variação integral do INPC (sem paridade) SE VOCÊ INGRESSOU NO SERVIÇO PÚBLICO ATÉ 16/12/1998, ESTA EMENDA TRAZ MAIS UMA OPÇÃO DE APOSENTADORIA COM PROVENTOS INTEGRAIS 25 anos efetivo exercício no serviço público 25 anos efetivo exercício no serviço público 15 anos de carreira 15 anos de carreira Idade mínima resultante da redução, Idade mínima resultante da relativamente aos limites do artigo 40, redução, relativamente aos 1º, inciso III, alínea a da limites do artigo 40, 1º, inciso Constituição Federal, de um ano de III, alínea a da Constituição idade para cada ano de contribuição Federal, de um ano de idade para que exceder a condição prevista no cada ano de contribuição que inciso I do caput deste artigo. exceder a condição prevista no inciso I do caput deste artigo. Cálculo: proventos integrais última remuneração no cargo efetivo. Cálculo: proventos integrais última remuneração no cargo efetivo. A cada ano que o servidor exceder do tempo de contribuição para integral (desde que tenha 20 anos de efetivo serviço público), ou seja, 30 anos/ mulher e 35 anos/homem, diminuirá um ano da idade mínima para Aposentadoria por Invalidez A por invalidez será devida ao segurado, quando a perícia médica do FUNPREV constatar que o mesmo encontra-se incapaz para o trabalho, cuja reabilitação não seja possível.o valor será proporcional ao tempo de contribuição, exceto se decorrente de moléstia profissional, doença grave, contagiosa ou incurável e acidente de serviço, que será de acordo com a última remuneração. Ressaltando que não há carência Aposentadoria Compulsória O segurado será automaticamente aposentado aos 70(setenta) anos de idade, com proventos proporcionais ao tempo de contribuição, calculados na forma estabelecida no art. 40 da Constituição, não podendo ser inferior ao salário mínimo.o tempo trabalhado após 70(setenta) anos não será computado para nenhum efeito Auxílio Doença O auxílio-doença será devido ao segurado que ficar incapacitado para o desempenho do seu trabalho por mais de 15 dias consecutivos. O valor corresponderá à remuneração de contribuição (salário base mais parcelas fixas:biênio, qüinqüênio, etc) do servidor.não há carência Salário Maternidade O salário maternidade é devido à segurada do FUN- PREV durante 120 (cento e vinte) dias consecutivos, com início no período entre 28 (vinte e oito) dias antes do parto e a data de ocorrência deste, observadas as condições comprovadas através de atestado médico.o valor do salário maternidade corresponderá à remuneração de contribuição(salário base mais parcelas fixas) que a servidora percebia em data imediatamente anterior ao da concessão do benefício. A segurada do FUNPREV que adotar ou obtiver guarda judicial para fins de adoção de criança, também é devido nos termos legais.

7 Salário Família O salário família é o benefício previdenciário devido, mensalmente ao segurado de baixa renda, na proporção do respectivo número de filhos ou e quiparados, de até 14 (quatorze) anos ou inválido.é considerado baixa renda o segurado que tenha remuneração igual ou inferior R$ 915,05 (novecentos e quinze reais e cinco centavos)- Portaria n o. 02 de 06/01/2012 do Ministério da Previdência Pensão por Morte A pensão por morte será devida aos dependentes do segurado ativo(servidor público em atividade) ou inativo(servidor público aposentado) que vier a falecer.o valor do benefício é o total da remuneração do cargo efetivo do servidor falecido até o limite do RGPS (INSS), acrescido de 70% da parcela que exceder esse limite e é concedido a partir da data do óbito Auxílio Reclusão O auxílio reclusão consiste numa importância mensal, concedida aos dependentes do servidor recolhido a prisão que tenha remuneração igual ou inferior ao estabelecido pelo RGPS, e será rateado em partes iguais entre os dependentes do servidor. 5 - DÚVIDAS FREQUENTES DOS SERVIDORES Enquanto servidor público efetivo posso escolher ser filiado ou não ao FUNPREV? Uma vez instituído o regime próprio pelo Município, os servidores tornam-se obrigatoriamente segurados. Posso contribuir para o INSS? E na condição de Facultativo? Somente se exerce atividade remunerada na iniciativa privada enquadrandose como contribuinte obrigatório.como facultativo não pode, exceto se estiver licenciado sem contribuir. Como servidor público tenho direito à especial por insalubridade ou periculosidade? A constituição Federal de 1988 deu esse direito, mas não o regulamentou, deixando a cargo de uma lei complementar que ainda não fora editada. Art. 40 da CF, parágrafo 4º. Assim, na ausência de uma lei federal regulamentadora há um remédio constitucional chamado Mandado de Injunção que o servidor poderá utilizar para conseguir sua especial. Se eu contribuí 34 anos com o INSS (homem) e implantaram o FUN- PREV no ano em que eu ia me aposentar, então, perco meus 34 anos contribuídos? Não, o tempo será somado ao do FUNPREV. Se eu pedir exoneração e trabalhar em uma empresa privada, filiando-me portanto ao RGPS, perco o meu tempo contribuído com o FUN- PREV? Não. Quando o servidor é exonerado, pode solicitar a Certidão de Tempo de Contribuição referente ao período contribuído com o FUNPREV e averbá-la junto ao RGPS que seu tempo será somado ao do INSS. Posso me aposentar pelo FUNPREV e continuar trabalhando no meu cargo de concurso? Não, pois o servidor aposentado pelo FUNPREV é segurado do regime e, portanto não pode estar filiado ao mesmo, 2 vezes.também é vedado o acúmulo de no mesmo regime, salvo exceções. Se o perito indeferir meu pedido de auxílio-doença e eu não me conformar com a decisão, o que devo fazer? O servidor deverá solicitar imediatamente, avaliação com outro perito. O FUNPREV é responsável pelo pagamento do acidente de trabalho? Não.Ficou convencionado desde a instituição do fundo, que o Município arcaria com o custo do acidente de trabalho, uma vez que não repassa nenhum valor para o FUNPREV referente a tal benefício, diferentemente do que ocorre com o INSS, que lhe é repassado um valor referente ao pagamento de acidentes de trabalho. 10

8 11 12 E se eu me aposentar pelo INSS sem utilizar nenhum tempo da prefeitura, posso continuar no meu cargo efetivo? Há jurisprudência no sentido de manter o servidor trabalhando, sem exonerá-lo e há também no sentido de exonerá-lo. Como não fora pacificado, depende do entendimento da Procuradoria Geral do Município, que, poderá se colocar a favor ou não da exoneração do servidor aposentado pelo INSS. E se o FUNPREV falir, como ficamos? Como destaca o art. 40 da Constituição, o regime é de caráter contributivo e solidário, ou seja, o Município é solidário com as responsabilidades, logo, em havendo uma falência do fundo, o município assume todas as responsabilidades. e pelo Tribunal de Contas. Principalmente pelo fato de que somente com a publicação desta lei os recursos financeiros dos Regimes Próprios passaram a ser utilizados exclusivamente para pagamentos dos benefícios previdenciários. Quem são os dependentes? I - Classe I o cônjuge, a companheira (o) e o filho não emancipado, de qualquer condição, menor de 21 (vinte e um) anos de idade ou inválido, que viva sob a dependência econômica do segurado; II - Classe II os pais e o irmão não emancipado, de qualquer condição, menor de vinte e um anos ou inválido. Para esta classe, a dependência não é presumida, deverá ser comprovada. Quais são os órgãos que fiscalizam o FUNPREV?De que forma? Ministério da Previdência, o Tribunal de Contas e a Câmara Municipal. Ao Tribunal de Contas todos atos de concessão de benefícios devem ser enviados.ao Ministério da Previdência deve enviar relatório eletrônico bimestralmente das aplicações, política de investimento, dos comprovantes de repasses.não obstante, todas as contas, benefícios e aplicações são postados no site do FUNPREV:www. aspprev.com.br/mariana. O fato de ser servidor público efetivo assegurado pelo FUNPREV me garante a com meu último salário e reajuste de acordo com os servidores da ativa? Desde que preenchido os requisitos do art.6º da emenda 41/2003, ou art.3 o da EC 47/2005, ou art.2 o da EC 41/2003 ou caput do art.8 o da EC 20/1998. Sou servidor efetivo e tenho um cargo comissionado. Por que não descontam minhas contribuições sobre o valor do cargo de comissão? A regra é que a contribuição seja referente valor do cargo de concurso, mas se o servidor solicitar formalmente o desconto sobre o cargo comissionado poderá ocorrer. Por que alguns fundos faliram? A Constituição Federal de 1988 previu a criação de Regime Próprios. Todavia, somente após 10 (dez) anos, ou seja em 1998, editou-se a lei federal regulamentando o funcionamento dos Regimes Próprios(lei 9717/98).Nesse sentido, muitos institutos criados antes da vigência desta lei não tinham a devida fiscalização e uma gestão normatizada. O que mudou a partir de 1998, em que todos os atos de gestão devem ter publicidade, fiscalização pelo Ministério da Previdência O que é feito com o dinheiro do FUNPREV? É utilizado para o pagamento dos benefícios previdenciários e o restante é aplicado em fundos definidos pela lei. No FUNPREV tem a especial para o professor? Sim. O que é CRP? CRP é o documento que atesta a regularidade do regime próprio de previdência social. Se ele estiver irregular o município não realiza convênios, contratos, deixa de receber repasse do governo federal.o CRP do FUNPREV encontra-se regular, o que significa que está sendo gerido conforme dita a legislação. Caro servidor, acompanhe e participe da gestão do fundo de sua previdência; procure informações na sede - Rua Marquês de Pombal, nº 40, Rosário-Mariana/MG, no site ou pelo telefone (31) , e se informe. O FUNPREV representa o Futuro do Funciona lismo Público, invista nesta idéia que já é realidade.

9 PREFEITURA DE MARIANA

No âmbito do RPPS Regime Próprio de Previdência Social de Camaçari, não há exigência de cumprimento de carência para percepção deste beneficio.

No âmbito do RPPS Regime Próprio de Previdência Social de Camaçari, não há exigência de cumprimento de carência para percepção deste beneficio. ESPÉCIES DE BENEFÍCIOS PARA OS SEGURADOS 1. APOSENTADORIA Aposentadoria por Invalidez No âmbito do RPPS Regime Próprio de Previdência Social de Camaçari, não há exigência de cumprimento de carência para

Leia mais

CARTILHA PREVIDENCIÁRIA

CARTILHA PREVIDENCIÁRIA CARTILHA PREVIDENCIÁRIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES - IPREM IPREM Instituto de Previdência Municipal APRESENTAÇÃO Prezado Servidor, A Lei Complementar nº 35 de 05 de julho de

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DO SERVIDOR PÚBLICO O RPPS é estabelecido por lei elaborada em cada um dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal, e se destina exclusivamente aos servidores públicos titulares

Leia mais

TANHAÉM PREV Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Itanhaém

TANHAÉM PREV Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Itanhaém TANHAÉM PREV Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Itanhaém Superintendente: Luciano Moura dos Santos Diretor Adm. Financeiro: Olavo Lopes Perez Diretor de Benefícios: Karine Vecci Rua

Leia mais

REGRAS DE APOSENTADORIA DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL - RPPS

REGRAS DE APOSENTADORIA DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL - RPPS REGRAS DE APOSENTADORIA DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL - RPPS INTRODUÇÃO Como o objetivo de facilitar o entendimento da matéria relacionada à reforma previdenciária, teceremos alguns comentários

Leia mais

REGRAS PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIA A SERVIDORES VINCULADOS A REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL

REGRAS PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIA A SERVIDORES VINCULADOS A REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL Secretaria de Políticas de Previdência Social Departamento dos Regimes de Previdência no Serviço Público Coordenação-Geral de Normatização e Acompanhamento Legal REGRAS PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIA

Leia mais

QUADRO COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA

QUADRO COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA ESTUDO ESTUDO QUADRO COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA Cláudia Augusta Ferreira Deud Consultora Legislativa da Área XXI Previdência e Direito Previdenciário ESTUDO ABRIL/2007 Câmara dos Deputados

Leia mais

TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS ELABORAÇÃO: LIZEU MAZZIONI VERIFICAÇÃO JURÍDICA E REDAÇÃO FINAL: DR. MARCOS ROGÉRIO PALMEIRA

TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS ELABORAÇÃO: LIZEU MAZZIONI VERIFICAÇÃO JURÍDICA E REDAÇÃO FINAL: DR. MARCOS ROGÉRIO PALMEIRA TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS E POSSIBILIDADES DE APOSENTADORIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL- RGPS ELABORAÇÃO: LIZEU

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Valéria Porto Diretora do Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais de Pessoal Brasília, 15 de março de 2012 Regras de Aposentadorias REGRA GERAL REGRA DO DIREITO ADQUIRIDO REGRAS DE TRANSIÇÃO Artigo

Leia mais

Vida Funcional. Direitos e benefícios dos Servidores Municipais. Na CF/88, Redação Original. Na EC 20/98, Regras Permanentes.

Vida Funcional. Direitos e benefícios dos Servidores Municipais. Na CF/88, Redação Original. Na EC 20/98, Regras Permanentes. Aposentadoria As Regras de Aposentadoria constantes da redação original da Constituição Federal (C.F.) de 1988 foram alteradas pelas Emendas Constitucionais (E.C.) 20/98, 41/03 e 47/05. A Aprofem, ao longo

Leia mais

Críticas e sugestões através do nosso e-mail: iprevi1@hotmail.com

Críticas e sugestões através do nosso e-mail: iprevi1@hotmail.com 1 CARTILHA DO SEGURADO 1. MENSAGEM DA DIRETORA PRESIDENTE Esta cartilha tem como objetivo dar orientação aos segurados do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Itatiaia IPREVI,

Leia mais

Senado Federal Subsecretaria de Informações

Senado Federal Subsecretaria de Informações Senado Federal Subsecretaria de Informações Data 19/12/2003 EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41 Modifica os arts. 37, 40, 42, 48, 96, 149 e 201 da Constituição Federal, revoga o inciso IX do 3º do art. 142 da

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 5, DE 28 DE ABRIL DE 1999

INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 5, DE 28 DE ABRIL DE 1999 INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 5, DE 28 DE ABRIL DE 1999 Estabelece orientação aos órgãos setoriais e seccionais do Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal - SIPEC quanto aos procedimentos operacionais

Leia mais

1ª REGRA APOSENTADORIA POR IDADE E TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO

1ª REGRA APOSENTADORIA POR IDADE E TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO 5.1.1.Aposentadoria As informações aqui explicitam de forma objetiva os benefícios previdenciários dos RPPS Regimes Próprios de Previdência Social, em especial os do IPMB Instituto de Previdência do Município

Leia mais

A PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO

A PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO MPS Ministério da Previdência Social SPS Secretaria de Previdência Social A PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO SALVADOR-BA, 17 DE JULHO DE 2004 PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO RPPS INSTITUÍDOS NO BRASIL Possibilidade

Leia mais

REGRAS PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIA A SERVIDORES VINCULADOS AO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE CAPIVARI - IPREM -

REGRAS PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIA A SERVIDORES VINCULADOS AO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE CAPIVARI - IPREM - REGRAS PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIA A SERVIDORES VINCULADOS AO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE CAPIVARI - IPREM - Resumos Esquematizados dos Critérios de Concessão, Cálculo e Reajustamento

Leia mais

CARTILHA DA PREVIDÊNCIA MUNICIPAL. TatuíPrev. Instituto de Previdência Própria de Tatuí

CARTILHA DA PREVIDÊNCIA MUNICIPAL. TatuíPrev. Instituto de Previdência Própria de Tatuí CARTILHA DA PREVIDÊNCIA MUNICIPAL TatuíPrev Instituto de Previdência Própria de Tatuí 2013 APRESENTAÇÃO A PREVIDÊNCIA SOCIAL é um direito do trabalhador e de sua família, garantido pela Constituição Federal,

Leia mais

INFORMATIVO PREVIQUAM.

INFORMATIVO PREVIQUAM. INFORMATIVO PREVIQUAM. INSTITUIDO PELA LEI Nº. 480 DE 24/03/1994 O QUE É PREVIQUAM? É uma autarquia com personalidade jurídica própria que destina-se a assegurar aos Servidores públicos Municipais de São

Leia mais

APOSENTADORIAS. Aposentadoria por invalidez permanente;

APOSENTADORIAS. Aposentadoria por invalidez permanente; APOSENTADORIAS Aposentadoria é o direito que o servidor tem à inatividade remunerada, em decorrência de invalidez, da idade, ou oriunda da conjugação de vários requisitos, quais sejam: tempo de exercício

Leia mais

Previdência Social. As Reformas da. Emenda Constitucional 47/05. Daisson Portanova. Outubro/2009

Previdência Social. As Reformas da. Emenda Constitucional 47/05. Daisson Portanova. Outubro/2009 As Reformas da Previdência Social IV encontro do FUNSEMA Seminário de Previdência da Região Metropolitana Emenda Constitucional 47/05 Outubro/2009 Daisson Portanova ESTRUTURA DO SISTEMA PREVIDENCIÁRIO

Leia mais

REGRAS DE APOSENTADORIAS

REGRAS DE APOSENTADORIAS REGRAS DE APOSENTADORIAS Cartilha elaborada para reunião com servidores de Betim - Maio/2015 O IPREMB O IPREMB é uma autarquia que operacionaliza e administra o Regime Próprio de Previdência Social (RPPS)

Leia mais

37º FONAI Maceió-AL. Atualização Técnica Princípio para assessorar a gestão.

37º FONAI Maceió-AL. Atualização Técnica Princípio para assessorar a gestão. 37º FONAI Maceió-AL Atualização Técnica Princípio para assessorar a gestão. 26 a 30/11/2012 Oficina Técnica Regras de Aposentadoria no Setor Público Pessoal Civil Cleison Faé Aposentadoria no Setor Público

Leia mais

PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GUARAPARI / ES.

PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GUARAPARI / ES. Fortalecendo o Futuro! PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GUARAPARI / ES. ======================== Informações aos Segurados. ======================== 1 Apresentação Este manual foi elaborado

Leia mais

CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA O servidor público e as alterações do seu regime previdenciário Jose Luis Wagner Luciana Inês Rambo Flavio Alexandre Acosta Ramos Junho de 2009 1 1. Introdução Desde

Leia mais

O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE TAQUARITINGA

O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE TAQUARITINGA O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE TAQUARITINGA 1. INTRODUÇÃO A previdência social no Brasil pode ser divida em dois grandes segmentos, a saber: Regime Geral de Previdência Social (RGPS):

Leia mais

BENEFÍCIOS DO SERVIDOR PÚBLICO

BENEFÍCIOS DO SERVIDOR PÚBLICO BENEFÍCIOS DO SERVIDOR PÚBLICO Simulador de aposentadoria do Servidor Público? A Controladoria-Geral da União (CGU) disponibiliza, em seu site (http://www.cgu.gov.br/simulador/index.asp), um simulador

Leia mais

Abono de Permanência. Modalidades de Aposentadoria. Contribuição Previdenciária do Servidor Inativo

Abono de Permanência. Modalidades de Aposentadoria. Contribuição Previdenciária do Servidor Inativo 1 Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Diretoria Geral de Gestão de Pessoas Departamento de Administração de Pessoal Divisão de Análise de Processos e Administração de Benefícios SUMÁRIO ABONO

Leia mais

Aposentadoria - Regra GERAL em vigor (Emenda Constitucional nº. 41/2003)

Aposentadoria - Regra GERAL em vigor (Emenda Constitucional nº. 41/2003) (TEMPO COMUM E/OU TEMPO DE MAGISTÉRIO) - Regra 09 Aposentadoria - Regra GERAL em vigor (Emenda Constitucional nº. ) De acordo com a Regra Geral que está em vigor desde 31/12/2003 (Emenda Constitucional

Leia mais

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03 EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03 1. NOVAS REGRAS PARA OS SERVIDORES QUE INGRESSAREM NO SERVIÇO PÚBLICO APÓS A PROMULGAÇÃO DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA EC Nº 41/03. a) Principais Características. - fim da paridade

Leia mais

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA 1.1 Aposentadoria por invalidez Destina-se aos professores cuja incapacidade ao trabalho é confirmada pelo setor de perícias médicas do INSS. Uma vez concedida

Leia mais

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO 1- DEFINIÇÃO APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO 1.1 Passagem do servidor da atividade para a inatividade, com proventos calculados de acordo com a média aritmética das maiores remunerações,

Leia mais

E PENSÕES Seminário Nacional Preparação para Aposentadoria - ANFIP

E PENSÕES Seminário Nacional Preparação para Aposentadoria - ANFIP APOSENTADORIAS E PENSÕES Seminário Nacional Preparação para Aposentadoria - ANFIP Valéria Porto Diretora do Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais Brasília, 26 de outubro de 2010 Regras de Aposentadorias

Leia mais

A Aposentadoria dos. Emendas Constitucionais

A Aposentadoria dos. Emendas Constitucionais A Aposentadoria dos Agentes Públicos P depois das Emendas Constitucionais Carlos Alberto Pereira de Castro Juiz do Trabalho Mestre em Direito Previdenciário rio Introdução Estudo da aposentadoria dos servidores

Leia mais

RECENTES DÚVIDAS DO REGIME PRÓPRIO FORMULADAS PELOS SERVIDORES DE AMERICANA - PROFESSORES

RECENTES DÚVIDAS DO REGIME PRÓPRIO FORMULADAS PELOS SERVIDORES DE AMERICANA - PROFESSORES RECENTES DÚVIDAS DO REGIME PRÓPRIO FORMULADAS PELOS SERVIDORES DE AMERICANA - PROFESSORES 1) Já completei 25 anos como professora em sala de aula, tenho hoje 45 anos de idade, com esta idade vou aposentar

Leia mais

1 Dados do Servidor MATRÍCULA SIAPE CPF DATA DE NASCIMENTO TELEFONE RESIDÊNCIAL TELEFONE DO TRABALHO CIDADE ESTADO CEP

1 Dados do Servidor MATRÍCULA SIAPE CPF DATA DE NASCIMENTO TELEFONE RESIDÊNCIAL TELEFONE DO TRABALHO CIDADE ESTADO CEP MINISTÉRIO DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA-EXECUTIVA DEPARTAMENTO DE ÓRGÃOS EXTINTOS SAN Quadra 03 Lote A Ed. Núcleo dos Transportes Sala nº 2237 CEP: 70.040-902 BRASÍLIA DF ESPAÇO RESERVADO

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 Emendas Constitucionais Emendas Constitucionais de Revisão Ato das Disposições

Leia mais

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte?

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? 1 Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? A MP 664 de dezembro de 2014 previu uma carência de 24 meses para a obtenção do benefício pensão por morte. Depois de muita discussão no Congresso

Leia mais

MÓDULO RPPS ItabiraPrev. Instituto de Previdência de Itabira Lei Municipal nº 4.456, de 30/08/2011

MÓDULO RPPS ItabiraPrev. Instituto de Previdência de Itabira Lei Municipal nº 4.456, de 30/08/2011 MÓDULO RPPS Instituto de Previdência de Itabira Lei Municipal nº 4.456, de 30/08/2011 Regimes Previdenciários Art. 194, CF/1988 RGPS Regime Geral de Previdência Social RPPS Regime Próprio de Previdência

Leia mais

CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA O servidor público e as alterações do seu regime previdenciário Jose Luis Wagner Luciana Inês Rambo Flavio Alexandre Acosta Ramos Junho de 2009 Santa Maria Belo

Leia mais

TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS

TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS O SINTFUB entende que o servidor que está para aposentar tem de ter esclarecimento sobre os tipos e regras para aposentadorias hoje vigentes antes de requerer esse direito.

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTO PARA CÁLCULO E INCLUSÃO DE APOSENTADORIA

MANUAL DE PROCEDIMENTO PARA CÁLCULO E INCLUSÃO DE APOSENTADORIA MANUAL DE PROCEDIMENTO PARA CÁLCULO E INCLUSÃO DE APOSENTADORIA 2005 FIXAÇÃO DOS PROVENTOS PELA MÉDIA DAS MAIORES REMUNERAÇÕES A Emenda Constitucional nº 41, de 19.12.2003, introduziu a regra de fixação

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE - IPREV CARTILHA PREVIDENCIÁRIA

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE - IPREV CARTILHA PREVIDENCIÁRIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE - IPREV CARTILHA PREVIDENCIÁRIA APRESENTAÇÃO A equipe do Instituto de Previdência Municipal de São Gonçalo do Amarante - IPREV apresenta a

Leia mais

Reforma da Previdência em perguntas e respostas

Reforma da Previdência em perguntas e respostas Reforma da Previdência em perguntas e respostas Por Antônio Augusto de Queiroz Com o propósito de esclarecer algumas dúvidas a respeito da reforma da Previdência (Emenda à Constituição nº 41, de 2003 e

Leia mais

Regras de Aposentadorias e Pensões

Regras de Aposentadorias e Pensões Seguridade Social: A seguridade social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a assegurar os direitos relativos à saúde, à previdência e

Leia mais

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. INTRODUÇÃO O direito previdenciário é o ramo do Direito que disciplina a estrutura das organizações, o custeio, os benefícios e os beneficiários do sistema previdenciário. A

Leia mais

Regime Próprio de Previdência Social

Regime Próprio de Previdência Social Regime Próprio de Previdência Social Regime Próprio de Previdência Social RPPS é o regime de previdência, estabelecido no âmbito da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios que assegura,

Leia mais

AULA 02 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 02

AULA 02 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 02 AULA 02 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 02 CAPÍTULO VII DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA SEÇÃO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

ALTERAÇÕES DIREITO PREVIDENCIÁRIO LEI N.º 13.135/2015 E MEDIDA PROVISÓRIA N.º 676/2015

ALTERAÇÕES DIREITO PREVIDENCIÁRIO LEI N.º 13.135/2015 E MEDIDA PROVISÓRIA N.º 676/2015 ALTERAÇÕES DIREITO PREVIDENCIÁRIO LEI N.º 13.135/215 E MEDIDA PROVISÓRIA N.º 676/215 1. Na Lei n.º 8.213/1991 foi alterada a definição dos dependentes da 3.ª Classe: Art. 16. São beneficiários do Regime

Leia mais

A Aposentadoria dos Servidores Públicos Federais

A Aposentadoria dos Servidores Públicos Federais A Aposentadoria dos Servidores Públicos Federais Carlos Alberto Pereira de Castro Curitiba, junho de 2008 Introdução Estudo da aposentadoria dos servidores públicos passou a ser relevante com as reformas

Leia mais

CARTILHA DO PLANO D FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT

CARTILHA DO PLANO D FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT CARTILHA DO PLANO D Cartilha - Plano D INTRODUÇÃO Você está recebendo a Cartilha do Plano D. Nela você encontrará um resumo das principais características do plano. O Plano D é um plano moderno e flexível

Leia mais

DECRETO Nº 5.545, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005

DECRETO Nº 5.545, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005 DECRETO Nº 5.545, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005 DOU 23-09-2005 Altera dispositivos do Regulamento da Previdência Social, aprovado pelo Decreto nº 3.048, de 6 de maio de 1999, e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014

SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014 Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Di Informativo 01/2015 SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014 Foi publicado no Diário Oficial da

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI COMPLEMENTAR Nº 13.757, DE 15 DE JULHO DE 2011. (publicada no DOE nº 137, de 18 de julho de 2011) Dispõe sobre

Leia mais

CARTILHA DOS DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DOS SERVIDORES

CARTILHA DOS DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DOS SERVIDORES I IPSEMC - INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE CABEDELO ESTADO DA PARAÍBA Site: www.ipsemc.pb.gov.br E-mail: ipsemc@ipsemc.pb.gov.br CARTILHA DOS DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DOS SERVIDORES

Leia mais

Cartilha Plano A. Índice

Cartilha Plano A. Índice Cartilha Plano A Cartilha Plano A Índice Apresentação A Previnorte Histórico Patrimônio Plano de Benefícios e Plano de Custeio Salário Real de Contribuição Jóia Requisitos exigidos para filiação à PREVINORTE

Leia mais

SPPREV / UCRH. REGRAS PARA APOSENTADORIAS EMENDAS CONSTITUCIONAIS Nºs 41/03 e 47/05

SPPREV / UCRH. REGRAS PARA APOSENTADORIAS EMENDAS CONSTITUCIONAIS Nºs 41/03 e 47/05 PARA APOSENTADORIAS EMENDAS CONSTITUCIONAIS Nºs e 47/05 ABONO PERMANÊNCIA CONTRIBUIÇÃO Quando o servidor for declarado inválido permanentemente, por Proventos proporcionais ao intermédio de laudo médico

Leia mais

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR O futuro que você faz agora FUNPRESP-JUD Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Judiciário 2 Funpresp-Jud seja bem-vindo(a)! A Funpresp-Jud ajudará

Leia mais

As diversas opções de aposentadoria para os Servidores Públicos Federais

As diversas opções de aposentadoria para os Servidores Públicos Federais As diversas opções de aposentadoria para os Servidores Públicos Federais Secretaria de Estudos, Pesquisas e Políticas Públicas e Secretaria de Formação Política e Sindical. SINDICATO DOS TRABALHADORES

Leia mais

CICLOS DE DEBATES DIREITO E GESTÃO PÚBLICA TEXTO X

CICLOS DE DEBATES DIREITO E GESTÃO PÚBLICA TEXTO X CICLOS DE DEBATES DIREITO E GESTÃO PÚBLICA CICLO 2012 TEXTO X A Previdência Social do Servidor Público Valéria Porto Ciclos de Debates - Direito e Gestão Pública A Previdência Social do Servidor Público

Leia mais

SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA!

SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA! SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA! Prezado participante, 2 Brasil Foods Sociedade de Previdência Privada Cartilha Plano III Um dos grandes objetivos da política de recursos humanos de

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE CARIACICA - IPC. Principais procedimentos Perícia Médica e Benefícios Previdenciários

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE CARIACICA - IPC. Principais procedimentos Perícia Médica e Benefícios Previdenciários INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE CARIACICA - IPC Principais procedimentos Perícia Médica e Benefícios Previdenciários APRESENTAÇÃO DE ATESTADO À CHEFIA IMEDIATA As licenças

Leia mais

PROVA DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO TCE-CE FCC 2015

PROVA DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO TCE-CE FCC 2015 PROVA DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO TCE-CE FCC 2015 Direito Previdenciário 67. (Auditor de Controle Externo/TCE-CE/FCC/2015): O princípio constitucional estipulando que a Seguridade Social deve contemplar

Leia mais

-Homens, Aposentadoria por tempo de contribuição: -Mulheres, Aposentadoria por tempo de contribuição:

-Homens, Aposentadoria por tempo de contribuição: -Mulheres, Aposentadoria por tempo de contribuição: DA APOSENTADORIA Aposentadoria por: I- Idade e Tempo de Contribuição: -Homens, Aposentadoria por tempo de contribuição: 35 anos de contribuição e 60 anos de idade, 10 anos de serviço público e 05 anos

Leia mais

Assunto: Comparando o Regime Próprio de Previdência Social com o INSS. ANÁLISE

Assunto: Comparando o Regime Próprio de Previdência Social com o INSS. ANÁLISE Assunto: Comparando o Regime Próprio de Previdência Social com o INSS. ANÁLISE A Previdência Social no Brasil é um direito previsto pela Constituição Federal e se organiza por três regimes previdenciários

Leia mais

- Estudo técnico - Art. 67...

- Estudo técnico - Art. 67... Aposentadoria especial para diretores, coordenadores e assessores pedagógicos - Estudo técnico - A Lei nº 11.301, de 10 de maio de 2006, publicada no Diário 0ficial da União de 11 de maio do mesmo ano,

Leia mais

ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 03, DE 12 DE AGOSTO DE 2004

ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 03, DE 12 DE AGOSTO DE 2004 IMPRESSA PARCIALMENTE, EXCLUÍDOS OS TÓPICOS NÃO REFERENTES À APOSENTADORIA. SECRETARIA DE PREVIDÊNCIA SOCIAL ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 03, DE 12 DE AGOSTO DE 2004 Publicada no DOU de 17.08.2004 - Atualizada

Leia mais

EC 70/12 E MUDANÇAS NA LEI 9.717/98

EC 70/12 E MUDANÇAS NA LEI 9.717/98 SPPS Secretaria de Políticas de Previdência Social Departamento dos Regimes de Previdência no Serviço Público-DRPSP EC 70/12 E MUDANÇAS NA LEI 9.717/98 BENTO GONÇALVES, 25 de Maio de 2012 1 EMENDA CONSTITUCIONAL

Leia mais

Manual. Conheça neste manual mais detalhes sobre a SICOOB PREVI

Manual. Conheça neste manual mais detalhes sobre a SICOOB PREVI Manual Conheça neste manual mais detalhes sobre a SICOOB PREVI O melhor da vida é feito em parceria O Plano de Benefícios Previdenciários da SICOOB PREVI é uma importante ferramenta de planejamento financeiro

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br A isenção da contribuição previdenciária dos servidores públicos (abono de permanência) Luís Carlos Lomba Júnior* O presente estudo tem como objetivo traçar breves considerações

Leia mais

RPPS X RGPS. Atuário Sergio Aureliano

RPPS X RGPS. Atuário Sergio Aureliano RPPS X RGPS Atuário Sergio Aureliano RPPS PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO E O SISTEMA PREVIDENCIÁRIO BRASILEIRO ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RGPS e REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA

Leia mais

TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS

TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS E POSSIBILIDADES DE DOS SERVIDORES PÚBLICOS REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS INGRESSO NO SERVIÇO PÚBLICO ATÉ 19 DE DEZEMBRO DE 2003 TIPO DE Professora

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GABINETE DO PREFEITO LEI COMPLEMENTAR Nº 118, DE 17 DE ABRIL 2006. Altera a Lei Complementar nº 008, de 16 de novembro de 1999, que dispõe sobre o estatuto dos servidores públicos da Administração Direta e Indireta dos Poderes

Leia mais

Ministério da Previdência Social MPS Secretaria de Políticas de Previdência Social SPS RPPS E RGPS

Ministério da Previdência Social MPS Secretaria de Políticas de Previdência Social SPS RPPS E RGPS RPPS E RGPS GUAXUPÉ MG AMOG - Associação dos Municípios da Microrregião da Baixa Mogiana. Pedro Antônio Moreira - AFRFB RGPS REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL Art 201 ESTRUTURA DO SISTEMA PREVIDENCIÁRIO

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Prezado servidor,

APRESENTAÇÃO. Prezado servidor, 1 3 5 APRESENTAÇÃO Prezado servidor, A Lei Municipal nº 5.111 de 23 de novembro de 2010 criou o AMERIPREV, que é o responsável pela gestão do RPPS, Regime Próprio de Previdência Social do Servidor Público

Leia mais

CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO JMALUCELLI PREVIDÊNCIA...

CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO JMALUCELLI PREVIDÊNCIA... ÍNDICE CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO JMALUCELLI PREVIDÊNCIA... 8 CONHEÇA O PLANO JMALUCELLI PREVIDÊNCIA... 9 PARTICIPANTES...

Leia mais

Cartilha do Participante

Cartilha do Participante FACEAL Fundação Ceal de Assistência Social e Previdência Cartilha do Participante Manual de Perguntas e Respostas Plano Faceal CD Prezado leitor, A FACEAL apresenta esta cartilha de perguntas e respostas

Leia mais

Aposentadoria por tempo de contribuição e Aposentadoria com proventos integrais. Alda Maria Santarosa 1

Aposentadoria por tempo de contribuição e Aposentadoria com proventos integrais. Alda Maria Santarosa 1 Aposentadoria por tempo de contribuição e Aposentadoria com proventos integrais Alda Maria Santarosa 1 Resumo Nos últimos 25 anos, desde a promulgação da Constituição Federal do Brasil, em 1988, nota-se

Leia mais

Prova Comentada TRT/SP Direito Previdenciário. XX. (Analista Judiciário Área Judiciária/TRT-2/FCC/2014):

Prova Comentada TRT/SP Direito Previdenciário. XX. (Analista Judiciário Área Judiciária/TRT-2/FCC/2014): Prova Comentada TRT/SP Direito Previdenciário XX. (Analista Judiciário Área Judiciária/TRT-2/FCC/2014): 54. Uma vez criados por lei do ente federativo, vinculam-se aos regimes próprios de previdência social

Leia mais

ABONO DE PERMANÊNCIA

ABONO DE PERMANÊNCIA ABONO DE PERMANÊNCIA O abono de permanência foi instituído pela Emenda Constitucional nº 41/03 e consiste no pagamento do valor equivalente ao da contribuição do servidor para a previdência social, a fim

Leia mais

Esta Cartilha vai ajudar você a entender melhor o Fundo Paraná de Previdência Multipatrocinada e o seu Plano de Benefícios ACPrev.

Esta Cartilha vai ajudar você a entender melhor o Fundo Paraná de Previdência Multipatrocinada e o seu Plano de Benefícios ACPrev. ÍNDICE CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO ACPREV... 8 PARTICIPANTES... 8 Participante Ativo... 8 Participante Assistido...

Leia mais

eduardo.silveira@saeb.ba.gov.br (71) 3116-5476 SUPREV/SAEB

eduardo.silveira@saeb.ba.gov.br (71) 3116-5476 SUPREV/SAEB INATIVAÇÃO DOS SERVIDORES PÚBLICOS Eduardo Matta Milton da Silveira Diretor de Administração dos Benefícios Previdenciários eduardo.silveira@saeb.ba.gov.br (71) 3116-5476 SUPREV/SAEB O que vou levar? Como

Leia mais

A D V O G A D O S A S S O C I A D O S

A D V O G A D O S A S S O C I A D O S A D V O G A D O S A S S O C I A D O S QUEM É SEGURADO PELO INSS? É toda pessoa que contribui para a Previdência Social, mantida pelo INSS. Podem também ser beneficiários do Regime Geral da Previdência

Leia mais

ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL. (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000)

ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL. (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000) ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000) PLANO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE LONDRINA

Leia mais

O seu futuro em boas mãos

O seu futuro em boas mãos O seu futuro em boas mãos Previdência Social de Campina Grande do Sul Paraná Previdência Social de Campina Grande do Sul Paraná Março 1994 Aposentadoria por Tempo de Contribuição Os Servidores Públicos

Leia mais

Apresentamos neste, as regras de aposentadoria aplicáveis aos servidores públicos vinculados ao Regime Próprio de Previdência.

Apresentamos neste, as regras de aposentadoria aplicáveis aos servidores públicos vinculados ao Regime Próprio de Previdência. L e g i s l a ç õ e s d e A p o s e n t a d o r i a a p l i c á v e i s a o s s e r v i d o r e s e f e t i v a d o s p e l a l e i c o m p l e m e n t a r n º 1 0 0, d e 2 0 0 7, à v i s t a d a s d e

Leia mais

Para cada valor depositado pelo participante a título de contribuição básica a Patrocinadora depositará valor idêntico.

Para cada valor depositado pelo participante a título de contribuição básica a Patrocinadora depositará valor idêntico. Apresentação Este é o MANUAL DO PARTICIPANTE da PRECE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR, material explicativo que descreve, em linguagem simples e precisa, as características gerais do Plano CD, com o objetivo

Leia mais

Art. 32... Art. 39... IV -...

Art. 32... Art. 39... IV -... DECRETO Nº 8.145, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2013 Art. 1 o O Regulamento da Previdência Social - RPS, aprovado pelo Decreto n o 3.048, de 6 de maio de 1999, passa a vigorar com as seguintes alterações: Art. 19.

Leia mais

MANUAL DO SERVIDOR APOSENTÁVEL. Servidor, este manual tem o objetivo de orientá-lo, por ocasião da aposentadoria.

MANUAL DO SERVIDOR APOSENTÁVEL. Servidor, este manual tem o objetivo de orientá-lo, por ocasião da aposentadoria. MANUAL DO SERVIDOR APOSENTÁVEL Servidor, este manual tem o objetivo de orientá-lo, por ocasião da aposentadoria. Onde requerer sua aposentadoria? Dirigir-se ao Órgão de Pessoal da Secretaria em que estiver

Leia mais

Orientações sobre Benefícios do INSS

Orientações sobre Benefícios do INSS Orientações sobre Benefícios do INSS A PREFEITURA DE GUARULHOS MANTÉM UM CONVÊNIO COM O INSS AGÊNCIA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL DE GUARULHOS PARA REQUERIMENTO DOS SEGUINTES BENEFÍCIOS: AUXÍLIO DOENÇA PREVIDENCIÁRIO,

Leia mais

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de MEDIDA PROVISÓRIA Nº 664 DE 30.12.2014 (DOU 30.12.2014 ED. EXTRA; REP. DOU DE 02.01.2015) Altera as Leis nº 8.213, de 24 de julho de 1991, nº 10.876, de 2 junho de 2004,nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990,

Leia mais

PLANO SUPLEMENTAR. Material Explicativo Plano Suplementar 1

PLANO SUPLEMENTAR. Material Explicativo Plano Suplementar 1 PLANO SUPLEMENTAR Material Explicativo 1 Introdução A CitiPrevi oferece planos para o seu futuro! Recursos da Patrocinadora Plano Principal Benefício Definido Renda Vitalícia Programa Previdenciário CitiPrevi

Leia mais

PLANO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL DO PODER EXECUTIVO

PLANO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL DO PODER EXECUTIVO Universidade Federal de Mato Grosso Pró-Reitoria Administrativa Secretaria de Gestão de Pessoas PLANO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL DO PODER EXECUTIVO Cuiabá-MT Abril/2014 O QUE

Leia mais

Maria Nazaré Bandeira

Maria Nazaré Bandeira Maria Nazaré Bandeira Programação dia 19 Recepção Solenidade de Abertura Palestra Intervalo para Almoço Palestra (continuação) Aposentadoria Até 1988 De 1988 a 1998 1. Invalidez Integral Proporcional 1.

Leia mais

Guia PCD. Conheça melhor o Plano

Guia PCD. Conheça melhor o Plano Guia PCD Conheça melhor o Plano Índice De olho no Futuro...3 Quem é a Fundação Centrus?...5 Conhecendo o Plano de Contribuição Definida - PCD...6 Contribuições do Participante...7 Saldo de Conta...8 Benefícios

Leia mais