MANUAL DE PROCEDIMENTO PARA CÁLCULO E INCLUSÃO DE APOSENTADORIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DE PROCEDIMENTO PARA CÁLCULO E INCLUSÃO DE APOSENTADORIA"

Transcrição

1 MANUAL DE PROCEDIMENTO PARA CÁLCULO E INCLUSÃO DE APOSENTADORIA 2005

2 FIXAÇÃO DOS PROVENTOS PELA MÉDIA DAS MAIORES REMUNERAÇÕES A Emenda Constitucional nº 41, de , introduziu a regra de fixação de proventos de aposentadoria com base na média aritmética simples das maiores remunerações correspondentes a 80% de todo o período de contribuição para a previdência, desde julho de 1994 ou desde o inicio da contribuição, se a admissão do servidor foi posterior a julho de Para efeito desse cálculo considera-se como remuneração o vencimento, as vantagens pessoais, as gratificações, os adicionais e parcelas pecuniárias outras, sobre as quais tenha incidido a contribuição previdenciária, ainda que um desses títulos não tenha se incorporado aos ganhos do servidor. Assim, se durante o período contributivo o servidor tiver exercido cargo em comissão ou função gratificada, contribuindo para o FUNPREV, sobre o valor da correspondente gratificação, esta parcela deverá constar nos meses em que tenha havido o crédito sob o título. Por outro lado, deverão ser excluídas da remuneração as parcelas pagas a título de: a) diárias para viagens; b) ajuda de custo; c) auxilio-transporte; d) auxilio-alimentação; e) auxilio-moradia; f) indenização de transporte; g) salário família; h) vantagem pessoal, correspondente a cota de salário-família, instituída pela Lei nº 7.815, de ; i) abonos especiais instituídos em leis estaduais; j) abono de permanência em atividade de que trata a EC nº 41/2003; k) abono de permanência do magistério público estadual; l) adicional de férias; m) abono pecuniário de férias; n) outras verbas pagas à título de indenização. Os servidores que constarem em contracheque com crédito de remuneração bruta cujo montante ultrapasse o teto estabelecido para os servidores públicos estaduais, deverão ter abatido desse montante o valor do desconto efetuado sob o título de estorno teto. Apuradas as remunerações para cálculo do valor inicial dos proventos serão estas atualizadas, mês a mês, de acordo com a variação integral do INPC, calculado pelo IBGE. A remuneração apurada e atualizada em cada mês não podera ser inferior ao salário mínimo vigente à época; caso isso ocorra, o seu valor deverá ser igualado ao do salário mínimo.

3 Se durante o período contributivo considerado houver sido computado tempo de contribuição para o Regime Geral da Previdência Social a remuneração mensal correspondente a cada mês contido nesse tempo não poderá ser superior ao limite máximo do salário de contribuição para o INSS; ocorrendo registro em algum mês de remuneração superior ao teto de salário de contribuição nele vigente, será o valor apurado reduzido a esse limite. Encontram-se na situação acima, os servidores admitidos inicialmente como contratados e que, posteriormente, foram efetivados por integração ao regime estatutário (Lei nº 6.677, de , art. 263), bem como, os que tendo ocupado cargo em comissão sem vinculo, contribuindo para o INSS, foram posteriormente admitidos como estatutários. O total das remunerações pagas no período contributivo definido, deverá ser dividido pelo número de meses nele contidos, obtendo-se, desta forma, a sua média aritmética simples que servirá de base para fixação dos proventos, nas hipóteses de aposentadoria em que ela se aplique. O valor inicial dos proventos é fixado a partir da média obtida, cabendo registrar que estes não poderão ser: 1) inferiores ao salário mínimo vigente à época da sua fixação; 2) superiores à remuneração do servidor no cargo efetivo em que se deu a sua aposentadoria; 3) excedentes ao teto de remuneração dos servidores públicos do Poder Executivo Estadual, observada a categoria funcional a que pertença o aposentado. Caso ocorra qualquer das três hipóteses acima enumeradas, deverá ser promovido o ajuste de valor na seguinte forma: 1) os proventos serão equivalentes ao padrão de salário mínimo que esteja em vigor; 2) correspondência dos proventos à ultima remuneração percebida pelo servidor quando em atividade; 3) os proventos serão equivalentes ao teto constitucional de remuneração estabelecido para a categoria. ROTINAS PARA CÁLCULO DE PROVENTOS DE INATIVIDADE I. APOSENTADORIA COMPULSÓRIA Idade limite: 70 anos Proventos: proporcionais ao tempo de contribuição a) servidor que tenha completado a idade limite até a data de Os proventos serão calculados com base na remuneração do servidor no cargo efetivo em que se der a aposentadoria, incidindo a proporcionalidade definida sobre todas as parcelas que o compõem.

4 Ex: Servidor A, com 25 anos de tempo de contribuição, tendo completado 70 anos de idade em , será considerado aposentado naquela data, com proventos correspondentes a 25/35 da remuneração do cargo efetivo que ocupava, conforme cálculo abaixo: Remuneração Cargo Efetivo Proventos (25/35) Vencimento 264,15 188,67 CET (85%) 224,52 160,37 Ad. T. de Serv. (25%) 66,03 47,16 554,70 396,20 No cadastro financeiro do servidor serão preservados os títulos das parcelas que compõem os proventos, cuja discriminação continuará sendo efetuada nos avisos de crédito mensais. O reajuste dos proventos acompanhará as majorações do cargo efetivo em que se deu a aposentadoria. b) servidor que tenha completado ou venha a completar a idade limite após Os proventos serão calculados a partir da média aritmética simples das maiores remunerações que serviram de base para realização de contribuições previdenciárias, correspondente a 80% de todo o período contributivo, desde julho de 1994 ou desde a data de admissão do servidor se esta foi posterior a julho de Determinada a média aritmética simples das remunerações percebidas pelo servidor, sobre esta incidirá a proporcionalidade correspondente ao tempo de contribuição. Adotando-se os mesmos dados funcionais e financeiros trabalhados no exemplo da situação a, cuja proporcionalidade estabelecida foi de 25/35, e supondo-se que a média de remunerações apurada seja de R$ 588,45, o valor dos proventos será obtido mediante incidência da proporção sobre essa média, efetuando-se o seguinte cálculo: 25 de 588, ,45: 35 x 25 16,81 x 25 = 420,25 Valor dos proventos: 420,25 Como o valor encontrado não supera a remuneração do servidor, quando em atividade, que no exemplo dado era de R$ 554,70, nem é inferior ao salário mínimo vigente, não caberá qualquer ajuste, passando o mesmo a corresponder aos proventos de inatividade do servidor.

5 O ato aposentador registrará os proventos no valor último encontrado sem qualquer menção aos títulos de pagamento que foram considerados para sua composição. O contracheque do servidor aposentado será emitido registrando os seus ganhos em parcela única, sob o título de proventos, não mais se processando a inscrição do cargo, nível e classe ocupados à época da aposentadoria e somente se creditando em título separado as vantagens de caráter provisório a que o mesmo ainda faça jus consistentes em: a) salário família; b) vantagem pessoal irreajustável correspondente a cotas do salário família, ou c) abonos especiais concedidos em leis estaduais como antecipação de reajuste. Os proventos fixados com base na média não guardam paridade com a remuneração dos servidores ativos, sendo reajustados em épocas próprias e com a aplicação de índices para tal fim definidos. II APOSENTADORIA POR INVALIDEZ PERMANENTE Inativação do servidor que for considerado definitivamente incapacitado para o serviço público, por motivo de deficiência física, mental ou fisiológica. Os proventos de aposentadoria por invalidez serão: 1) Integrais, quando a incapacidade decorrer de acidente em serviço, moléstia profissional ou doença grave, contagiosa ou incurável; nestes casos, é comum dizerse que a invalidez é qualificada. 2) Proporcionais, nos demais casos, que são comumente chamados de invalidez simples. O laudo do exame médico-pericial, expedido pela Junta Médica Oficial do Estado especificará a natureza de incapacidade, classificando-a para fins de fixação dos proventos devidos. O cálculo dos proventos nas aposentadorias por invalidez permanente cujo laudo médico oficial tenha sido expedido em data posterior a , deverá ser efetuado com base na média aritmética simples das maiores remunerações, que será apurada conforme rotina já descrita. a) APOSENTADORIA POR INVALIDEZ QUALIFICADA: Sendo assegurado ao aposentado proventos integrais, o seu tempo de contribuição somente deverá ser considerado, a partir de julho de 1994 ou a partir da data de ingresso, se esta for posterior a competência citada, exclusivamente, para efeitos de apuração da média aritmética simples das maiores remunerações, cujo valor corresponderá aos proventos de inatividade, se este se contiver nos limites estabelecidos para os proventos, dispensando ajustes.

6 b) APOSENTADORIA POR INVALIDEZ SIMPLES: Aplicando-se à hipótese a regra da proporcionalidade, é indispensável que todo o tempo de contribuição seja certificado para apuração da expressão fracionária que incidirá sobre a média de remunerações obtida. Ex: servidor com 27 anos de contribuição, cuja média de remuneração seja de R$ 650,00, tendo como última remuneração em atividade o valor de R$ 680,00. Cálculo de proventos 27 de 650, ,00: 35 x 27 18,57x 27 = 501,39 Como o valor encontrado não ultrapassa os limites previstos, os proventos mensais guardarão a exata correspondência devendo ser fixados em R$ 501,39. O ato de aposentadoria por invalidez permanente, simples ou qualificada, deverá obrigatoriamente registrar o valor dos proventos mensais devidos, não cabendo qualquer menção aos títulos de pagamento que foram considerados para sua composição. O contracheque do servidor aposentado será emitido figurando os seus ganhos em parcela única, sob o título de proventos, não mais se processando os registros de cargo, nível e classe ocupados à época da aposentadoria e somente se creditando em titulo separado vantagens de caráter provisório a que o mesmo ainda faça jus consistentes em: 1) salário família 2) vantagem pessoal irreajustável correspondente a cotas de salário família, 3) abonos especiais concedidos em leis estaduais como antecipação de reajuste. Os proventos fixados com base na média não guardam paridade com a remuneração dos servidores ativos, sendo reajustados em épocas próprias e com a aplicação de índices para tal fim definidos. As aposentadorias por invalidez permanente, simples ou qualificada, cujo laudo médico oficial tenha sido expedido até a data de , manterão a paridade com os servidores ativos de igual categoria, sendo os correspondentes proventos reajustados na mesma época e nas mesmas condições em que o sejam a remuneração destes. III APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA Neste tópico serão abordadas todas as situações de aposentadoria, segundo as regras que lhes sejam aplicáveis, como a seguir enumerado: A regras assecuratórias do direito adquirido Art. 3º da EC nº 41/2003 -, aplicáveis a todos os servidores que preencheram os requisitos previstos para aposentadoria até a data de , compreendendo:

7 1.aposentadoria voluntária por tempo de contribuição e idade, com proventos integrais, CF art. 40, 1º, inciso III, alínea a ; 2.aposentadoria voluntária por idade, com proventos proporcionalizados ao tempo de contribuição, contado até , calculados estes com base no vencimento do cargo efetivo acrescido das vantagens pecuniárias incorporadas aos vencimentos e demais vantagens incorporáveis na forma da lei CF art. 40, 1º, inciso III, alínea b ; 3.aposentadoria com proventos integrais, conforme regra de transição do art. 8º, caput da EC nº 20/98; 4.aposentadoria com proventos proporcionais, conforme regra de transição do art. 8º, 1º da EC nº 20/98. Nas aposentadorias de que trata este item, os proventos serão limitados à remuneração do servidor no cargo efetivo em que se inativar, não podendo, em hipótese alguma, excedê-la. B regra de transição, com redutor, aplicável aos servidores que tenham ingressado no serviço público até , Art. 2º da EC nº 41/2003; C regra especial de transição aplicável aos servidores que tenham ingressado no serviço público até , Art. 6º da EC nº 41/2003; D regra permanente, aplicável a todos os servidores que ingressaram no serviço público a partir de ou àqueles que, tendo ingressado antes desta data e não tendo adquirido o direito à aposentadoria, não optarem pelas regras de transição dos arts. 2º e 6º da EC nº 41/2003. A SERVIDORES QUE ADQUIRIRAM O DIREITO À APOSENTADORIA EM DATA ANTERIOR A A Emenda Constitucional nº 41, de , em seu art. 3º, assegurou a concessão, a qualquer tempo de aposentadoria aos servidores públicos que, até a data de , tenham cumprido todos os requisitos para obtenção do beneficio, com base nos critérios estabelecidos na legislação vigente à época. Para cumprimento da disposição acima referenciada, deverá ser observado o seguinte: 1.APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO E IDADE Art. 40, 1º, inciso III, alínea a da Constituição Federal REQUISITOS HOMEM MULHER Tempo de contribuição 35 anos 30 anos Tempo de serviço público 10 anos 10 anos Tempo de cargo 5 anos 5 anos Idade mínima 60 anos 55 anos

8 Comprovado o preenchimento de todos os requisitos acima indicados, o(a) servidor(a) se aposentará com proventos integrais, calculados com base no vencimento do cargo efetivo ocupado à data da aposentadoria, acrescido das vantagens incorporadas em atividade (anuênios e estabilidade econômica), vantagens pessoais estabelecidas em leis, e das gratificações incorporáveis nos termos do art. 132, 1º da Lei nº 6.677, de APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR IDADE Art. 40, 1º, inciso III, alínea b da Contribuição Federal REQUISITOS HOMEM MULHER Tempo de serviço público 10 anos 10 anos Idade mínima 65 anos 60 anos O servidor ou a servidora que até a data de , tenha preenchido os requisitos acima definidos, poderá se aposentar, por idade, com proventos proporcionais ao tempo de contribuição contado até , calculados estes com base no vencimento do cargo efetivo acrescido das vantagens pecuniárias permanentes (adicional por tempo de serviço e estabilidade econômica), vantagens pessoais estabelecidas em lei e gratificações incorporáveis na forma do 1º do art. 132 da Lei nº 6.677, de Para cálculo dos proventos proporcionais será utilizada fração cujo numerador corresponderá ao tempo de contribuição certificado e o denominador ao tempo necessário à respectiva aposentadoria voluntária com proventos integrais. Essa fração será aplicada sobre o valor de remuneração apurada, cabendo ressaltar que ela se aplica a todas parcelas competentes da remuneração. 3.APOSENTADORIA COM PROVENTOS INTEGRAIS, SEGUNDO A REGRA DE TRANSIÇÃO DO ART. 8º, CAPUT, DA EC nº 20/98. REQUISITOS HOMEM MULHER Tempo de contribuição 35 anos 30 anos Idade mínima 53 anos 48 anos Pedágio Acréscimo de 20% ao tempo que faltava em para atingir o tempo total de contribuição. Se todos os requisitos acima listados, inclusive o tempo adicional de contribuição correspondente ao pedágio, estiverem preenchidos até , o (a) servidor (a) poderá se aposentar voluntariamente, com proventos integrais, calculados com base na remuneração do seu cargo efetivo, entendida esta como o vencimento acrescido das vantagens pecuniárias permanentes (adicional por tempo de serviço e estabilidade econômica), vantagens pessoais estabelecidas em lei e gratificações incorporáveis na forma do art. 132, 1º da Lei nº 6.677, de

9 4.APOSENTADORIA COM PROVENTOS PROPORCIONAIS, CONFORME REGRA DE TRANSIÇÃO DO ART. 8º, 1º DA EC nº 20/98 REQUISITOS HOMEM MULHER Tempo de contribuição 30 anos 25 anos Idade mínima 53 anos 48 anos Pedágio Acréscimo de 40% ao tempo que faltava em para atingir o tempo total de contribuição. Nesta hipótese, os proventos de aposentadoria, calculados com base na remuneração do cargo efetivo do(a) servidor(a), corresponderão a 70% do valor máximo que este(a) poderia obter, acrescido de 5% por ano de contribuição que supere o tempo de contribuição (30 ou 25 anos) mais o pedágio. As quatro modalidades de aposentadoria voluntária tratadas neste título têm em comum os seguintes pontos: a) as condições para concessão do beneficio deverão estar integralmente preenchidas até a data de , b) os proventos de aposentadoria, integrais ou proporcionais, são calculados com base na última remuneração do servidor no seu cargo efetivo, c) preservação da regra de paridade, ou seja, é assegurada a revisão dos proventos, na mesma proporção e na mesma data, sempre que se modificar a remuneração dos servidores em atividade, de igual categoria. Os atos concessores de aposentadoria, nas situações em que o aposentado tenha assegurada a paridade, ao fixar os proventos de inatividade, após declarar o seu valor mensal, deverão discriminar os títulos e correspondentes valores das parcelas que o compõem, indicando a sua correlação percentual nos casos em que esta tenha cabimento. Os contracheques mensais continuarão sendo emitidos com a discriminação das parcelas que compõem os proventos do aposentado. B REGRA DE TRANSIÇÃO COM REDUTOR, APLICÁVEL AOS SERVIDORES QUE TENHAM INGRESSADO NO SERVIÇO PÚBLICO ATÉ ART. 2º DA EC nº 41/2003. Introduzida pela EC nº 41/2003, a regra de transição, com incidência de redutor aos proventos, somente poderá ser aplicada aos servidores que ingressaram no serviço público até a data de e que expressamente optem por esta modalidade de aposentadoria voluntária antecipada, quando, cumulativamente, preencherem os seguintes requisitos:

10 REQUISITOS HOMEM MULHER Tempo de contribuição 35 anos 30 anos Idade mínima 53 anos 48 anos Pedágio Acréscimo de 20% no tempo que faltava em , para atingir o tempo total de contribuição. Sendo de 60 anos, para homem, e 55 anos, para mulher a idade mínima constitucionalmente definida para aposentação voluntária, o servidor ou a servidora ao preencher integralmente os requisitos acima referidos, poderá optar pela sua aposentadoria antes de completar os 60 ou 55 anos de idade, hipótese em que os proventos a faça jus serão reduzidos por ano antecipado em relação aos limites de idade estabelecidos, operando-se esta redução, na seguinte proporção: a) 3,5%, para quem completar as exigências para aposentadoria até , e b) 5%, para quem completar as exigências para aposentadoria a partir de Para aplicação do redutor, poderão ser utilizadas as seguintes tabelas: a) SERVIDOR QUE COMPLETAR OS REQUISITOS PARA APOSENTADORIA ATÉ IDADE % A REDUZIR % A RECEBER HOMEM/MULHER (3,5% a. a.) 53/48 24,5% 75,5% 54/49 21% 79% 55/50 17,5% 82,5% 56/51 14% 86% 57/52 10,5% 89,5% 58/53 7% 93% 59/54 3,5% 96,5% 60/55-100% b) SERVIDOR QUE COMPLETAR OS REQUISITOS PARA APOSENTADORIA A PARTIR DE IDADE % A REDUZIR % A RECEBER HOMEM/MULHER (5% a. a.) 53/48 35% 65% 54/49 30% 70% 55/50 25% 75% 56/51 20% 80% 57/52 15% 85% 58/53 10% 90% 59/54 5% 95% 60/55-100%

11 Os proventos de aposentadoria concedida com fundamento na regra de transição do art. 2º da EC nº 41/2003, deverão ser calculados pela média aritmética simples das maiores remunerações pagas a partir de julho de Obtida a média das remunerações sobre o valor a ela correspondente aplica-se o redutor definido em função dos anos de idade antecipados, representando o resultado desta operação o valor inicial dos proventos devidos. Sendo esse valor inicial superior ao salário mínimo vigente à época e igual ou inferior a ultima remuneração do servidor em atividade, não haverá necessidade de realização de qualquer ajuste, passando o mesmo a representar os proventos mensais que serão devidos. Figurando um exemplo, vamos supor a situação de um servidor que venha a preencher os requisitos para aposentadoria em , contando então 56 anos de idade, correspondendo a média aritmética simples de suas maiores remunerações a R$ 650,00, valor este que se contenha nos limites estabelecidos. Cálculo dos proventos: Valor inicial dos proventos = 650,00 Redutor por idade (tabela a ) = 14% = 91,00 650,00 91,00 = 559,00 ou 86% de 650,00 = 559,00 Valor dos proventos = R$ 559,00 O ato concessor da aposentadoria deverá registrar o valor dos proventos fixados, não comportando a discriminação das parcelas que compuseram as remunerações utilizadas para cálculo da média aritmética simples. Os proventos assim fixados não guardarão paridade com a remuneração do servidor no seu cargo efetivo, e serão reajustados em épocas próprias e com a aplicação de índices especialmente definidos. O contracheque do servidor será emitido registrando os seus ganhos em parcela única, sob o título de proventos, não mais se processando a inscrição do cargo, nível e classe ocupados à época da aposentadoria, somente se creditando em títulos separados as vantagens de caráter provisório que o mesmo, porventura, ainda faça jus, como: a) salário família b) vantagem pessoal irreajustável correspondente a cotas de salário família, ou c) abonos especiais concedidos em leis estaduais como antecipação de reajuste. C REGRA ESPECIAL DE TRANSIÇÃO, APLICAVEL AOS SERVIDORES QUE TENHAM INGRESSADO NO SERVIÇO PÚBLICO ATÉ , ART. 6º DA EC nº 41/2003.

12 A regra especial de transição somente poderá ser aplicada aos servidores que ingressaram no serviço público até a data de e que expressamente optem por tal modalidade de aposentadoria, quando cumpridas os seguintes requisitos: REQUISITOS HOMEM MULHER Tempo de contribuição 35 anos 30 anos Tempo de serviço público 20 anos 20 anos Tempo na carreira 10 anos 10 anos Idade mínima 60 anos 55 anos Nesta regra especial inclui-se como condição para aposentadoria, o tempo mínimo de 10 anos na carreira à qual pertença o cargo em que se dará a inativação e o tempo mínimo de serviço público exigido é de 20 anos, que corresponde ao dobro do estabelecido nas demais modalidades de aposentadoria voluntária em que esta exigência figura. Deste modo, um Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental, admitido anteriormente a , cujo cargo esteja alocado na classe III, que optar pela regra especial de transição, para aposentar-se, deverá contar, no mínimo, 10 anos na Carreira de Especialista e 5 anos na classe III. Os proventos de aposentadoria na modalidade aqui tratada são integrais e calculados com base na última remuneração do cargo efetivo do servidor, valor este que também representa o teto do benefício, se estiver contido no limite constitucional de remuneração dos servidores públicos estaduais. Também nesta hipótese, os proventos guardarão paridade com a remuneração dos servidores ativos de igual categoria, sendo reajustados na mesma época e nas mesmas condições em que o seja a remuneração destes. O ato concessor da aposentadoria deverá fixar os proventos discriminando os títulos e correspondentes valores das parcelas que o compõem. D REGRA PERMANENTE Extinguindo a paridade dos aposentados com os servidores em atividade, à vista do novo critério contributivo, que leva em conta os valores recolhidos ao regime previdenciário, com a respectiva atualização, essa regra é dirigida para as novas aposentadorias a serem concedidas aos servidores que ingressaram no serviço público após a data de Alem dos servidores acima referidos, a regra permanente será também aplicada aos que ingressaram no serviço público anteriormente a , e, não tendo sido alcançados pela regra do direito adquirido, ao requererem a sua aposentadoria, não manifestarem expressamente a sua opção pelas regras de transição do art. 2º ou do art. 6º da EC nº 41/2003. São contempladas nas novas regras de aposentadoria as modalidades de por tempo de contribuição e idade e por idade, para as quais são definidos requisitos:

13 a) APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO E IDADE art. 40, 1º, inciso III, alínea a da CF REQUISITOS HOMEM MULHER Tempo de contribuição 35 anos 30 anos Tempo de serviço público 10 anos 10 anos Idade mínima 60 anos 55 anos Comprovado o preenchimento cumulativo dos requisitos acima indicados, o (a) servidor (a) terá direito a aposentadoria com proventos integrais, calculados com base na média aritmética simples das maiores remunerações utilizadas como base para as contribuições previdenciárias, correspondentes a 80% de todo o período contributivo, desde a competência julho de 1994 (no caso de admitido anteriormente a , que não opte por qualquer das regras de transição), ou desde a data de inicio da contribuição se posterior àquela competência. Obtida a média aritmética das maiores remunerações, corresponderá esta aos proventos mensais devidos, se o seu valor não for inferior ao salário mínimo vigente ou superior a última remuneração no cargo efetivo ocupado à época da aposentadoria. c) APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR IDADE Art. 40, 1º, inciso III, alínea b da CF REQUISITOS HOMEM MULHER Tempo de serviço público 10 anos 10 anos Idade mínima 65 anos 60 anos Implementando o (a) servidor (a) os requisitos acima estabelecidos, poderá requerer a sua aposentadoria com proventos proporcionais ao tempo de contribuição, calculados a partir da média aritmética simples das maiores remunerações utilizadas como base para as contribuições previdenciárias, correspondentes a 80% de todo o período contributivo, desde a competência de julho de 1994 ou desde a do inicio da contribuição, se posterior àquela competência. Obtida a média aritmética simples das maiores remunerações, sobre o valor desta será aplicada a proporcionalidade correspondente ao tempo de contribuição, expressa em fração, cujo numerador será o total desse tempo e o denominador o tempo necessário para aposentadoria com proventos integrais. Figurando um exemplo do cálculo da proporcionalidade na situação de um servidor com os seguintes dados: a) tempo de contribuição na iniciativa privada: 6 anos b) tempo de serviço público: 15 anos c) tempo no cargo: 10 anos d) idade: 67 anos

14 Supondo ter sido apurada a média das maiores remunerações correspondente a R$ 750,00, e sendo o tempo de contribuição igual a 21 anos, expressa a proporcionalidade pela fração 21, será ela aplicada sobre a média, da seguinte forma: de 750, ,00: 35 x 21 21,41 x 21 = 449,89 logo: os proventos proporcionais, calculados sobre a média de remunerações, à razão de 21, corresponderão a R$ 449, Os atos concessores de aposentadoria voluntária pela regra permanente registrarão o valor dos proventos mensais fixados, cabendo, ainda, caso sejam estes proporcionais, a indicação da fração que expressa a proporcionalidade aplicada à média das remunerações apuradas. Em ambos os casos, proventos integrais e proporcionais, não cabe a discriminação dos títulos de pagamento considerados para apuração da media, mesmo porque os proventos nestas situações não guardarão paridade com a remuneração dos servidores ativos, sendo reajustados em épocas próprias e com a aplicação de índices para tal fim definidos. O contracheque do servidor será emitido figurando os seus ganhos em parcela única, sob o título de proventos, não mais se processando os registros de cargo, nível e classe ocupados à época da aposentadoria e somente se creditando em título separado vantagens de caráter provisório a que o mesmo ainda faça jus, como: a) salário família; b) vantagem pessoal irreajustável correspondente a cotas de salário família, c) abonos especiais concedidos em leis estaduais como antecipação de reajuste. REQUISITOS ESPECÍFICOS PARA APOSENTADORIA DE OCUPANTES DO CARGO DE PROFESSOR Apenas nas modalidades de aposentadoria voluntária que a seguir destacamos, o(a) professor(a), que exerça atividades de magistério na educação infantil e no ensino fundamental e médio é contemplado com regras especiais de aposentadoria. Nas demais hipóteses de inativação: compulsória, por invalidez permanente, por idade, subordinam-se os ocupantes do cargo citado às mesmas regras estabelecidas para os servidores públicos em geral. I APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO E IDADE DIREITO ADQUIRIDO Art. 40, 1º, inciso III, alínea a CF, combinado com o art. 3º da EC nº 41/2003.

15 Aplicável a quem tenha preenchido todas os requisitos para aposentadoria até e que comprove exclusivamente tempo de exercício das funções de magistério na educação infantil e no ensino fundamental e médio. REQUISITOS PROFESSOR PROFESSORA Tempo de contribuição 30 anos 25 anos Tempo de serviço público 10 anos 10 anos Idade mínima 55 anos 50 anos O professor ou a professora que tenha preenchido todos estes requisitos até a data de , poderá aposentar-se a qualquer tempo, com proventos integrais calculados com base na última remuneração do cargo efetivo, cabendo ressaltar que o valor dos proventos tem como teto esta remuneração. Os proventos guardarão paridade com a remuneração dos servidores ativos, sendo reajustados nas mesmas épocas e condições em que esta o seja. O ato concessor da aposentadoria, além de consignar o valor mensal dos proventos, deverá conter a discriminação das parcelas que o compõem, com indicação dos títulos e correspondentes valores. II REGRA DE TRANSIÇÃO DO CAPUT DO ART. 8º DA EC nº 20/98. Somente aplicável ao professor ou a professora que tenha cumprido todos os requisitos previstos até a data de , desde que o tempo de exercício seja exclusivamente de funções de magistério na educação infantil e no ensino fundamental e médio. REQUISITOS PROFESSOR PROFESSORA Tempo de contribuição 35 anos 30 anos Idade mínima 53 anos 48 anos Acréscimo ao tempo 17% 20% exercido até Pedágio Acréscimo de 20% no tempo que faltava em , para atingir o tempo total de contribuição. Comprovado o integral preenchimento dos requisitos exigidos até a data de , a aposentadoria será concedida com proventos integrais, calculados com base na última remuneração do cargo efetivo, preservada a paridade com a remuneração dos servidores ativos. O ato concessor da aposentadoria discriminará as parcelas componentes dos proventos fixados, com os respectivos títulos e valores.

16 III REGRA DE TRANSIÇÃO DO ART. 2º DA EC nº 41/2003 Somente aplicável ao professor ou à professora que tenha ingressado no serviço público até e que, expressamente opte por esta modalidade de aposentadoria antecipada em relação aos limites de idade estabelecidas 55 anos, para homem e 50, para mulher quando, cumulativamente, preencherem os seguintes requisitos: REQUISITOS PROFESSOR PROFESSORA Tempo de contribuição 35 anos 30 anos Idade mínima 53 anos 48 anos Acréscimo ao tempo exercido 17% 20% até Pedágio Acréscimo de 20% ao tempo que faltava em para atingir ao tempo total de contribuição Poderá optar pela aposentadoria de acordo com esta regra, o professor ou a professora que conte exclusivamente tempo de magistério e, admitido (a) anteriormente a , tenha implementado ou venha a implementar os requisitos exigidos em data posterior a Nesta hipótese os proventos de aposentadoria são calculados com base na média aritmética simples das maiores remunerações, aplicando-se o índice de redução correspondente a cada ano de idade antecipado em relação aos limites de 55 e 50 anos, conforme rotina descrita quando da definição dessa regra para os demais servidores. O ato concessor da aposentadoria não deverá conter discriminação das parcelas consideradas para cálculo da média, registrando apenas o valor mensal dos proventos fixados, que serão reajustados em épocas próprias e de acordo com índices para tal fim definidos. IV REGRA ESPECIAL DE TRANSIÇÃO DO ART. 6º DA EC nº 41/2003 Aplicável ao professor ou à professora do magistério da educação infantil e do ensino fundamental e médio que, admitido no serviço público até , ao implementar os requisitos previstos, opte expressamente, pela aposentadoria de acordo com esta regra. REQUISITOS PROFESSOR PROFESSORA Tempo de contribuição 30 anos 25 anos Tempo de serviço público 20 anos 20 anos Tempo na carreira 10 anos 10 anos Idade mínima 55 anos 50 anos

17 A aposentadoria, nesta hipótese, será concedida com proventos integrais, calculados com base na última remuneração no cargo efetivo. Como a paridade dos proventos com a remuneração dos servidores ativos ficará mantida, o ato concessor da aposentadoria discriminará as parcelas componentes dos proventos fixados, com os respectivos títulos e valores. V REGRA PERMANENTE Art. 40, 1º, inciso III, alínea a da CF. Aplicável ao professor ou à professora com ingresso no serviço público a partir de , ou que, tendo ingressado antes dessa data, não opte pelas regras de transição dos arts. 2º e 6º da EC nº 41/2003. REQUISITOS PROFESSOR PROFESSORA Tempo de contribuição 30 anos 25 anos Tempo de serviço público 10 anos 10 anos Idade mínima 55 anos 50 anos Os proventos de aposentadoria são calculados com base na média aritmética das maiores remunerações consideradas a partir de julho de 1994, ou do ingresso no serviço público, se este se deu em data posterior àquela competência. Os proventos fixados não poderão ser inferiores ao salário mínimo vigente à época da sua fixação, nem superiores à remuneração do servidor no cargo efetivo e serão reajustados em épocas próprias, com aplicação de índices definidos para tal fim, não guardando paridade com a remuneração dos ativos. O ato concessor da aposentadoria, registrará o valor dos proventos mensais, não comportando a discriminação das parcelas de remuneração que foram consideradas para o seu cálculo.

Abono de Permanência. Modalidades de Aposentadoria. Contribuição Previdenciária do Servidor Inativo

Abono de Permanência. Modalidades de Aposentadoria. Contribuição Previdenciária do Servidor Inativo 1 Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Diretoria Geral de Gestão de Pessoas Departamento de Administração de Pessoal Divisão de Análise de Processos e Administração de Benefícios SUMÁRIO ABONO

Leia mais

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03 EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03 1. NOVAS REGRAS PARA OS SERVIDORES QUE INGRESSAREM NO SERVIÇO PÚBLICO APÓS A PROMULGAÇÃO DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA EC Nº 41/03. a) Principais Características. - fim da paridade

Leia mais

APOSENTADORIAS. Aposentadoria por invalidez permanente;

APOSENTADORIAS. Aposentadoria por invalidez permanente; APOSENTADORIAS Aposentadoria é o direito que o servidor tem à inatividade remunerada, em decorrência de invalidez, da idade, ou oriunda da conjugação de vários requisitos, quais sejam: tempo de exercício

Leia mais

37º FONAI Maceió-AL. Atualização Técnica Princípio para assessorar a gestão.

37º FONAI Maceió-AL. Atualização Técnica Princípio para assessorar a gestão. 37º FONAI Maceió-AL Atualização Técnica Princípio para assessorar a gestão. 26 a 30/11/2012 Oficina Técnica Regras de Aposentadoria no Setor Público Pessoal Civil Cleison Faé Aposentadoria no Setor Público

Leia mais

No âmbito do RPPS Regime Próprio de Previdência Social de Camaçari, não há exigência de cumprimento de carência para percepção deste beneficio.

No âmbito do RPPS Regime Próprio de Previdência Social de Camaçari, não há exigência de cumprimento de carência para percepção deste beneficio. ESPÉCIES DE BENEFÍCIOS PARA OS SEGURADOS 1. APOSENTADORIA Aposentadoria por Invalidez No âmbito do RPPS Regime Próprio de Previdência Social de Camaçari, não há exigência de cumprimento de carência para

Leia mais

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO 1- DEFINIÇÃO APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO 1.1 Passagem do servidor da atividade para a inatividade, com proventos calculados de acordo com a média aritmética das maiores remunerações,

Leia mais

Aposentadoria - Regra GERAL em vigor (Emenda Constitucional nº. 41/2003)

Aposentadoria - Regra GERAL em vigor (Emenda Constitucional nº. 41/2003) (TEMPO COMUM E/OU TEMPO DE MAGISTÉRIO) - Regra 09 Aposentadoria - Regra GERAL em vigor (Emenda Constitucional nº. ) De acordo com a Regra Geral que está em vigor desde 31/12/2003 (Emenda Constitucional

Leia mais

QUADRO COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA

QUADRO COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA ESTUDO ESTUDO QUADRO COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA Cláudia Augusta Ferreira Deud Consultora Legislativa da Área XXI Previdência e Direito Previdenciário ESTUDO ABRIL/2007 Câmara dos Deputados

Leia mais

REGRAS PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIA A SERVIDORES VINCULADOS A REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL

REGRAS PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIA A SERVIDORES VINCULADOS A REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL Secretaria de Políticas de Previdência Social Departamento dos Regimes de Previdência no Serviço Público Coordenação-Geral de Normatização e Acompanhamento Legal REGRAS PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIA

Leia mais

REGRAS DE APOSENTADORIA DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL - RPPS

REGRAS DE APOSENTADORIA DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL - RPPS REGRAS DE APOSENTADORIA DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL - RPPS INTRODUÇÃO Como o objetivo de facilitar o entendimento da matéria relacionada à reforma previdenciária, teceremos alguns comentários

Leia mais

BENEFÍCIOS DO SERVIDOR PÚBLICO

BENEFÍCIOS DO SERVIDOR PÚBLICO BENEFÍCIOS DO SERVIDOR PÚBLICO Simulador de aposentadoria do Servidor Público? A Controladoria-Geral da União (CGU) disponibiliza, em seu site (http://www.cgu.gov.br/simulador/index.asp), um simulador

Leia mais

Vida Funcional. Direitos e benefícios dos Servidores Municipais. Na CF/88, Redação Original. Na EC 20/98, Regras Permanentes.

Vida Funcional. Direitos e benefícios dos Servidores Municipais. Na CF/88, Redação Original. Na EC 20/98, Regras Permanentes. Aposentadoria As Regras de Aposentadoria constantes da redação original da Constituição Federal (C.F.) de 1988 foram alteradas pelas Emendas Constitucionais (E.C.) 20/98, 41/03 e 47/05. A Aprofem, ao longo

Leia mais

REGRAS PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIA A SERVIDORES VINCULADOS AO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE CAPIVARI - IPREM -

REGRAS PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIA A SERVIDORES VINCULADOS AO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE CAPIVARI - IPREM - REGRAS PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIA A SERVIDORES VINCULADOS AO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE CAPIVARI - IPREM - Resumos Esquematizados dos Critérios de Concessão, Cálculo e Reajustamento

Leia mais

Senado Federal Subsecretaria de Informações

Senado Federal Subsecretaria de Informações Senado Federal Subsecretaria de Informações Data 19/12/2003 EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41 Modifica os arts. 37, 40, 42, 48, 96, 149 e 201 da Constituição Federal, revoga o inciso IX do 3º do art. 142 da

Leia mais

ABANDONO DE CARGO Ausência intencional do servidor ao trabalho, por mais de 30 (trinta) dias consecutivos.

ABANDONO DE CARGO Ausência intencional do servidor ao trabalho, por mais de 30 (trinta) dias consecutivos. A ABANDONO DE CARGO Ausência intencional do servidor ao trabalho, por mais de 30 (trinta) dias consecutivos. Abandono de Cargo Lei nº 6.677, de 26.09.94 - Arts. 192, inciso II e 198. ABONO Quantia paga

Leia mais

CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA O servidor público e as alterações do seu regime previdenciário Jose Luis Wagner Luciana Inês Rambo Flavio Alexandre Acosta Ramos Junho de 2009 1 1. Introdução Desde

Leia mais

A PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO

A PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO MPS Ministério da Previdência Social SPS Secretaria de Previdência Social A PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO SALVADOR-BA, 17 DE JULHO DE 2004 PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO RPPS INSTITUÍDOS NO BRASIL Possibilidade

Leia mais

Regras de Aposentadorias e Pensões

Regras de Aposentadorias e Pensões Seguridade Social: A seguridade social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a assegurar os direitos relativos à saúde, à previdência e

Leia mais

SPPREV / UCRH. REGRAS PARA APOSENTADORIAS EMENDAS CONSTITUCIONAIS Nºs 41/03 e 47/05

SPPREV / UCRH. REGRAS PARA APOSENTADORIAS EMENDAS CONSTITUCIONAIS Nºs 41/03 e 47/05 PARA APOSENTADORIAS EMENDAS CONSTITUCIONAIS Nºs e 47/05 ABONO PERMANÊNCIA CONTRIBUIÇÃO Quando o servidor for declarado inválido permanentemente, por Proventos proporcionais ao intermédio de laudo médico

Leia mais

1 Dados do Servidor MATRÍCULA SIAPE CPF DATA DE NASCIMENTO TELEFONE RESIDÊNCIAL TELEFONE DO TRABALHO CIDADE ESTADO CEP

1 Dados do Servidor MATRÍCULA SIAPE CPF DATA DE NASCIMENTO TELEFONE RESIDÊNCIAL TELEFONE DO TRABALHO CIDADE ESTADO CEP MINISTÉRIO DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA-EXECUTIVA DEPARTAMENTO DE ÓRGÃOS EXTINTOS SAN Quadra 03 Lote A Ed. Núcleo dos Transportes Sala nº 2237 CEP: 70.040-902 BRASÍLIA DF ESPAÇO RESERVADO

Leia mais

TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS

TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS O SINTFUB entende que o servidor que está para aposentar tem de ter esclarecimento sobre os tipos e regras para aposentadorias hoje vigentes antes de requerer esse direito.

Leia mais

Previdência Social. As Reformas da. Emenda Constitucional 47/05. Daisson Portanova. Outubro/2009

Previdência Social. As Reformas da. Emenda Constitucional 47/05. Daisson Portanova. Outubro/2009 As Reformas da Previdência Social IV encontro do FUNSEMA Seminário de Previdência da Região Metropolitana Emenda Constitucional 47/05 Outubro/2009 Daisson Portanova ESTRUTURA DO SISTEMA PREVIDENCIÁRIO

Leia mais

MANUAL DO SERVIDOR APOSENTÁVEL. Servidor, este manual tem o objetivo de orientá-lo, por ocasião da aposentadoria.

MANUAL DO SERVIDOR APOSENTÁVEL. Servidor, este manual tem o objetivo de orientá-lo, por ocasião da aposentadoria. MANUAL DO SERVIDOR APOSENTÁVEL Servidor, este manual tem o objetivo de orientá-lo, por ocasião da aposentadoria. Onde requerer sua aposentadoria? Dirigir-se ao Órgão de Pessoal da Secretaria em que estiver

Leia mais

CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA O servidor público e as alterações do seu regime previdenciário Jose Luis Wagner Luciana Inês Rambo Flavio Alexandre Acosta Ramos Junho de 2009 Santa Maria Belo

Leia mais

O seu futuro em boas mãos

O seu futuro em boas mãos O seu futuro em boas mãos Previdência Social de Campina Grande do Sul Paraná Previdência Social de Campina Grande do Sul Paraná Março 1994 Aposentadoria por Tempo de Contribuição Os Servidores Públicos

Leia mais

SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE FORTALEZA

SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE FORTALEZA SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE FORTALEZA O Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Fortaleza- SINDIFORT, com o objetivo de contribuir para o entendimento dos prejuízos causados

Leia mais

As diversas opções de aposentadoria para os Servidores Públicos Federais

As diversas opções de aposentadoria para os Servidores Públicos Federais As diversas opções de aposentadoria para os Servidores Públicos Federais Secretaria de Estudos, Pesquisas e Políticas Públicas e Secretaria de Formação Política e Sindical. SINDICATO DOS TRABALHADORES

Leia mais

Regime Próprio de Previdência Social

Regime Próprio de Previdência Social Regime Próprio de Previdência Social Regime Próprio de Previdência Social RPPS é o regime de previdência, estabelecido no âmbito da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios que assegura,

Leia mais

CARTILHA PREVIDENCIÁRIA

CARTILHA PREVIDENCIÁRIA CARTILHA PREVIDENCIÁRIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES - IPREM IPREM Instituto de Previdência Municipal APRESENTAÇÃO Prezado Servidor, A Lei Complementar nº 35 de 05 de julho de

Leia mais

TANHAÉM PREV Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Itanhaém

TANHAÉM PREV Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Itanhaém TANHAÉM PREV Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Itanhaém Superintendente: Luciano Moura dos Santos Diretor Adm. Financeiro: Olavo Lopes Perez Diretor de Benefícios: Karine Vecci Rua

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DO SERVIDOR PÚBLICO O RPPS é estabelecido por lei elaborada em cada um dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal, e se destina exclusivamente aos servidores públicos titulares

Leia mais

Reforma da Previdência em perguntas e respostas

Reforma da Previdência em perguntas e respostas Reforma da Previdência em perguntas e respostas Por Antônio Augusto de Queiroz Com o propósito de esclarecer algumas dúvidas a respeito da reforma da Previdência (Emenda à Constituição nº 41, de 2003 e

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 Emendas Constitucionais Emendas Constitucionais de Revisão Ato das Disposições

Leia mais

E PENSÕES Seminário Nacional Preparação para Aposentadoria - ANFIP

E PENSÕES Seminário Nacional Preparação para Aposentadoria - ANFIP APOSENTADORIAS E PENSÕES Seminário Nacional Preparação para Aposentadoria - ANFIP Valéria Porto Diretora do Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais Brasília, 26 de outubro de 2010 Regras de Aposentadorias

Leia mais

PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GUARAPARI / ES.

PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GUARAPARI / ES. Fortalecendo o Futuro! PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GUARAPARI / ES. ======================== Informações aos Segurados. ======================== 1 Apresentação Este manual foi elaborado

Leia mais

eduardo.silveira@saeb.ba.gov.br (71) 3116-5476 SUPREV/SAEB

eduardo.silveira@saeb.ba.gov.br (71) 3116-5476 SUPREV/SAEB INATIVAÇÃO DOS SERVIDORES PÚBLICOS Eduardo Matta Milton da Silveira Diretor de Administração dos Benefícios Previdenciários eduardo.silveira@saeb.ba.gov.br (71) 3116-5476 SUPREV/SAEB O que vou levar? Como

Leia mais

CICLOS DE DEBATES DIREITO E GESTÃO PÚBLICA TEXTO X

CICLOS DE DEBATES DIREITO E GESTÃO PÚBLICA TEXTO X CICLOS DE DEBATES DIREITO E GESTÃO PÚBLICA CICLO 2012 TEXTO X A Previdência Social do Servidor Público Valéria Porto Ciclos de Debates - Direito e Gestão Pública A Previdência Social do Servidor Público

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 5, DE 28 DE ABRIL DE 1999

INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 5, DE 28 DE ABRIL DE 1999 INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 5, DE 28 DE ABRIL DE 1999 Estabelece orientação aos órgãos setoriais e seccionais do Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal - SIPEC quanto aos procedimentos operacionais

Leia mais

APOSENTADORIA INTEGRAL X INTEGRALIDADE

APOSENTADORIA INTEGRAL X INTEGRALIDADE APOSENTADORIA INTEGRAL X INTEGRALIDADE Alex Sandro Lial Sertão Assessor Jurídico TCE/PI alex.sertao@tce.pi.gov.br Até o advento da EC nº 41/03, era direito do servidor público aposentar-se com base na

Leia mais

MANUAL DE APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA

MANUAL DE APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS DIRETORIA DE PREVIDÊNCIA GERÊNCIA DE

Leia mais

MAGNO ANTÔNIO CORREIA DE MELLO

MAGNO ANTÔNIO CORREIA DE MELLO ALTERAÇÕES NORMATIVAS DECORRENTES DE REFORMAS PREVIDENCIÁRIAS IMPLEMENTADAS OU PROPOSTAS, CLASSIFICADAS POR ASSUNTO, A PARTIR DA EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 20/98 - QUADRO COMPARATIVO - MAGNO ANTÔNIO CORREIA

Leia mais

REGRAS DE APOSENTADORIAS

REGRAS DE APOSENTADORIAS REGRAS DE APOSENTADORIAS Cartilha elaborada para reunião com servidores de Betim - Maio/2015 O IPREMB O IPREMB é uma autarquia que operacionaliza e administra o Regime Próprio de Previdência Social (RPPS)

Leia mais

ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 03, DE 12 DE AGOSTO DE 2004

ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 03, DE 12 DE AGOSTO DE 2004 IMPRESSA PARCIALMENTE, EXCLUÍDOS OS TÓPICOS NÃO REFERENTES À APOSENTADORIA. SECRETARIA DE PREVIDÊNCIA SOCIAL ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 03, DE 12 DE AGOSTO DE 2004 Publicada no DOU de 17.08.2004 - Atualizada

Leia mais

A Aposentadoria dos. Emendas Constitucionais

A Aposentadoria dos. Emendas Constitucionais A Aposentadoria dos Agentes Públicos P depois das Emendas Constitucionais Carlos Alberto Pereira de Castro Juiz do Trabalho Mestre em Direito Previdenciário rio Introdução Estudo da aposentadoria dos servidores

Leia mais

A Aposentadoria dos Servidores Públicos Federais

A Aposentadoria dos Servidores Públicos Federais A Aposentadoria dos Servidores Públicos Federais Carlos Alberto Pereira de Castro Curitiba, junho de 2008 Introdução Estudo da aposentadoria dos servidores públicos passou a ser relevante com as reformas

Leia mais

Apresentamos neste, as regras de aposentadoria aplicáveis aos servidores públicos vinculados ao Regime Próprio de Previdência.

Apresentamos neste, as regras de aposentadoria aplicáveis aos servidores públicos vinculados ao Regime Próprio de Previdência. L e g i s l a ç õ e s d e A p o s e n t a d o r i a a p l i c á v e i s a o s s e r v i d o r e s e f e t i v a d o s p e l a l e i c o m p l e m e n t a r n º 1 0 0, d e 2 0 0 7, à v i s t a d a s d e

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br A isenção da contribuição previdenciária dos servidores públicos (abono de permanência) Luís Carlos Lomba Júnior* O presente estudo tem como objetivo traçar breves considerações

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE - IPREV CARTILHA PREVIDENCIÁRIA

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE - IPREV CARTILHA PREVIDENCIÁRIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE - IPREV CARTILHA PREVIDENCIÁRIA APRESENTAÇÃO A equipe do Instituto de Previdência Municipal de São Gonçalo do Amarante - IPREV apresenta a

Leia mais

1ª REGRA APOSENTADORIA POR IDADE E TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO

1ª REGRA APOSENTADORIA POR IDADE E TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO 5.1.1.Aposentadoria As informações aqui explicitam de forma objetiva os benefícios previdenciários dos RPPS Regimes Próprios de Previdência Social, em especial os do IPMB Instituto de Previdência do Município

Leia mais

ABONO DE PERMANÊNCIA

ABONO DE PERMANÊNCIA ABONO DE PERMANÊNCIA O abono de permanência foi instituído pela Emenda Constitucional nº 41/03 e consiste no pagamento do valor equivalente ao da contribuição do servidor para a previdência social, a fim

Leia mais

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 14/2012 ATUALIZADA EM JANEIRO/2014 APOSENTADORIA

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 14/2012 ATUALIZADA EM JANEIRO/2014 APOSENTADORIA GERÊNCIA GERAL DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 14/2012 ATUALIZADA EM JANEIRO/2014 APOSENTADORIA

Leia mais

Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas

Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas Comissão: Ana Maria Coelho Laurenti Elisângela Rodrigues Carrijo José Francisco Gregoracci Marco Antonio Zanni Maria Helena Pereira Rosalini Prof. Dr Mauro Rocha Côrtes

Leia mais

TUDO SOBRE APOSENTADORIA DOS SERVIDORES

TUDO SOBRE APOSENTADORIA DOS SERVIDORES TUDO SOBRE APOSENTADORIA DOS SERVIDORES Brasília, 2005 ANASPS Associação Nacional dos Servidores da Previdência Social ANASPS TUDO SOBRE APOSENTADORIA DOS SERVIDORES CAPA Abdi Ramos dos Santos ELABORAÇÃO

Leia mais

FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR - FAPS REGRAS DE APOSENTADORIA

FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR - FAPS REGRAS DE APOSENTADORIA REGRAS DE APOSENTADORIA REGRA PERMANENTE Art. 40 da CF redação da EC 41/03 Servidores que ingressaram no serviço público a partir de 01/01/2004. Média de Contribuições Manutenção do Valor Real INVALIDEZ

Leia mais

RPPS X RGPS. Atuário Sergio Aureliano

RPPS X RGPS. Atuário Sergio Aureliano RPPS X RGPS Atuário Sergio Aureliano RPPS PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO E O SISTEMA PREVIDENCIÁRIO BRASILEIRO ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RGPS e REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO QUE PROMOVE A CÂMARA DE NEGOCIAÇÃO DEDESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

GRUPO DE TRABALHO QUE PROMOVE A CÂMARA DE NEGOCIAÇÃO DEDESENVOLVIMENTO ECONÔMICO GRUPO DE TRABALHO QUE PROMOVE A CÂMARA DE NEGOCIAÇÃO DEDESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL DESTINADA A DISCUTIR PROPOSTAS QUE INTERESSAM À CLASSE TRABALHADORA E AOS EMPRESÁRIOS EMENDA SUBSTITUTIVA GLOBAL

Leia mais

TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS ELABORAÇÃO: LIZEU MAZZIONI VERIFICAÇÃO JURÍDICA E REDAÇÃO FINAL: DR. MARCOS ROGÉRIO PALMEIRA

TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS ELABORAÇÃO: LIZEU MAZZIONI VERIFICAÇÃO JURÍDICA E REDAÇÃO FINAL: DR. MARCOS ROGÉRIO PALMEIRA TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS E POSSIBILIDADES DE APOSENTADORIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL- RGPS ELABORAÇÃO: LIZEU

Leia mais

ADICIONAL/GRATIFICAÇÃO DE PERMANÊNCIA

ADICIONAL/GRATIFICAÇÃO DE PERMANÊNCIA ADICIONAL/GRATIFICAÇÃO DE PERMANÊNCIA Conceito É um adicional por tempo de serviço, que consiste no percentual de 5% (cinco por cento) a cada ano em que o servidor ultrapassar a data do interstício aposentatório

Leia mais

Saiba Mais! FUNPREV. Fundo de Previdência dos Servidores Municipais de Mariana PREFEITURA DE MARIANA

Saiba Mais! FUNPREV. Fundo de Previdência dos Servidores Municipais de Mariana PREFEITURA DE MARIANA Saiba Mais! FUNPREV Fundo de Previdência dos Servidores Municipais de Mariana PREFEITURA DE MARIANA Apresentamos a você servidor público municipal, segurado do FUNPREV, sua Cartilha Previdenciária. Esta

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Valéria Porto Diretora do Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais de Pessoal Brasília, 15 de março de 2012 Regras de Aposentadorias REGRA GERAL REGRA DO DIREITO ADQUIRIDO REGRAS DE TRANSIÇÃO Artigo

Leia mais

REGRAS APLICADAS NA CONCESSÃO DO BENEFÍCIO DE APOSENTADORIA

REGRAS APLICADAS NA CONCESSÃO DO BENEFÍCIO DE APOSENTADORIA 1 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO / RO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO REGRAS APLICADAS NA CONCESSÃO DO BENEFÍCIO DE APOSENTADORIA Rua Dr. Antônio

Leia mais

PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS

PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS O SISTEMA APÓS AS EMENDAS CONSTITUCIONAIS Nº 20/1998, 41/2003 E 47/2005 SINASEFE 27.2.2013 O SISTEMA DE PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASILEIRO Regime Geral de Previdência Social

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE ALAGOAS

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE ALAGOAS TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE ALAGOAS Palestra Tema: Formalização de Processo Administrativo na Gestão de Pessoas Aposentadoria é a contraprestação assistencial por serviços prestados, nos termos da

Leia mais

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA 1.1 Aposentadoria por invalidez Destina-se aos professores cuja incapacidade ao trabalho é confirmada pelo setor de perícias médicas do INSS. Uma vez concedida

Leia mais

ABONO DE PERMANÊNCIA

ABONO DE PERMANÊNCIA ABONO DE PERMANÊNCIA Alex Sandro Lial Sertão Assessor Jurídico - TCE/PI Introdução O presente artigo não tem como escopo exaurir o assunto aqui tratado. Objetivamos, sucinta e didaticamente, fornecer subsídios

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Prezado servidor,

APRESENTAÇÃO. Prezado servidor, 1 3 5 APRESENTAÇÃO Prezado servidor, A Lei Municipal nº 5.111 de 23 de novembro de 2010 criou o AMERIPREV, que é o responsável pela gestão do RPPS, Regime Próprio de Previdência Social do Servidor Público

Leia mais

TUDO SOBRE APOSENTADORIA DOS SERVIDORES

TUDO SOBRE APOSENTADORIA DOS SERVIDORES TUDO SOBRE APOSENTADORIA DOS SERVIDORES Brasília, 2005 ANASPS Associação Nacional dos Servidores da Previdência Social ANASPS TUDO SOBRE APOSENTADORIA DOS SERVIDORES CAPA Abdi Ramos dos Santos ELABORAÇÃO

Leia mais

www.lumenjuris.com.br

www.lumenjuris.com.br www.lumenjuris.com.br Grupo de Discussão www.yahoo.com.br Grupos: DIRPREVI Kerlly Huback Programação Noções sobre o Sistema de Previdência Primeira Reforma (EC n 20/98) Segunda Reforma (EC n 41/03) Terceira

Leia mais

CONHEÇA MELHOR SEU CONTRACHEQUE

CONHEÇA MELHOR SEU CONTRACHEQUE CONHEÇA MELHOR SEU CONTRACHEQUE DIPES/PROGP 2013 Para esclarecer dúvidas sobre seu pagamento, procure imediatamente sua unidade pagadora. COMPROVANTE DE RENDIMENTOS - FOLHA NORMAL FUND. UNIVERSIDADE DE

Leia mais

CARTILHA DA PREVIDÊNCIA MUNICIPAL. TatuíPrev. Instituto de Previdência Própria de Tatuí

CARTILHA DA PREVIDÊNCIA MUNICIPAL. TatuíPrev. Instituto de Previdência Própria de Tatuí CARTILHA DA PREVIDÊNCIA MUNICIPAL TatuíPrev Instituto de Previdência Própria de Tatuí 2013 APRESENTAÇÃO A PREVIDÊNCIA SOCIAL é um direito do trabalhador e de sua família, garantido pela Constituição Federal,

Leia mais

II SEMINÁRIO ASTEC: O Regime Próprio de Previdência em Porto Alegre

II SEMINÁRIO ASTEC: O Regime Próprio de Previdência em Porto Alegre II SEMINÁRIO ASTEC: O Regime Próprio de Previdência em Porto Alegre Realização: Apoio: O Previmpa e o Cadastro Previdenciário Palestrante: Dalvin Gabriel José de Souza Atuário Previmpa Finalidade: Mediante

Leia mais

A Previdência dos Servidores. Previdência Complementar. Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Vice-Presidente do PROIFES

A Previdência dos Servidores. Previdência Complementar. Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Vice-Presidente do PROIFES A Previdência dos Servidores após 2004 Previdência Complementar Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Vice-Presidente do PROIFES Recife, PE 15 e 16/09/2011 Formas de aposentadoria Invalidez Com proventos proporcionais

Leia mais

NOTA JURÍDICA N.º 001/2006 Cuiabá/MT, 04 de abril de 2006.

NOTA JURÍDICA N.º 001/2006 Cuiabá/MT, 04 de abril de 2006. NOTA JURÍDICA N.º 001/2006 Cuiabá/MT, 04 de abril de 2006. A MÉDIA ARITMÉTICA SIMPLES E O CÁLCULO DOS PROVENTOS DE APOSENTADORIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS FACE A EMENDA CONSTITUCIONAL N.º 41, DE 2003 1.

Leia mais

MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI COMPLEMENTAR

MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI COMPLEMENTAR MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Regulamenta o inciso II do 4 do art. 40 da Constituição Federal, que dispõe sobre a concessão de aposentadoria especial ao servidor público titular de cargo efetivo

Leia mais

COGESP/SEPOG/PMF III REUNIÃO

COGESP/SEPOG/PMF III REUNIÃO COGESP/SEPOG/PMF III REUNIÃO Agenda Horário Assunto Palestrante 8:00h às 8:30h Abertura da Reunião pelo Secretário da SEPOG Philipe Nottingham 8:30h às 9:30h Apresentação do Processo de Aposentadoria nova

Leia mais

Aposentadoria por tempo de contribuição e Aposentadoria com proventos integrais. Alda Maria Santarosa 1

Aposentadoria por tempo de contribuição e Aposentadoria com proventos integrais. Alda Maria Santarosa 1 Aposentadoria por tempo de contribuição e Aposentadoria com proventos integrais Alda Maria Santarosa 1 Resumo Nos últimos 25 anos, desde a promulgação da Constituição Federal do Brasil, em 1988, nota-se

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 02/2012/CGNAL/DRPSP/SPPS/MPS CONSIDERAÇÕES SOBRE A APLICAÇÃO DA EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 70, DE 29 DE MARÇO DE 2012.

NOTA TÉCNICA Nº 02/2012/CGNAL/DRPSP/SPPS/MPS CONSIDERAÇÕES SOBRE A APLICAÇÃO DA EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 70, DE 29 DE MARÇO DE 2012. NOTA TÉCNICA Nº 02/2012/CGNAL/DRPSP/SPPS/MPS Brasília, 07 de maio de 2012. CONSIDERAÇÕES SOBRE A APLICAÇÃO DA EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 70, DE 29 DE MARÇO DE 2012. Diversos questionamentos têm sido apresentados

Leia mais

CONHEÇA AS OPÇÕES DE APOSENTADORIA DO SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL

CONHEÇA AS OPÇÕES DE APOSENTADORIA DO SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL CONHEÇA AS OPÇÕES DE APOSENTADORIA DO SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL Documento elaborado por Lindenmeyer Advocacia & Associados. Fonte: Constituição Federal Brasileira de 1988 e Lei 10.887/04 DICA: Primeiro,

Leia mais

Regras de aposentadoria dos servidores públicos.

Regras de aposentadoria dos servidores públicos. Regras de aposentadoria dos servidores públicos. HOMEM QUADRO NORMAL INGRESSO NO SERVIÇO PÚBLICO ANTERIOR À 15/12/1998 Regras vigentes até 15/12/1998 Aposentadoria integral por tempo de serviço Comprovar

Leia mais

AÇÕES COLETIVAS PREVIDENCIÁRIAS SINPRO/RS. a) Repetição de Indébito incidência de contribuição previdenciária em verba indenizatória

AÇÕES COLETIVAS PREVIDENCIÁRIAS SINPRO/RS. a) Repetição de Indébito incidência de contribuição previdenciária em verba indenizatória AÇÕES COLETIVAS PREVIDENCIÁRIAS SINPRO/RS a) Repetição de Indébito incidência de contribuição previdenciária em verba indenizatória A contribuição previdenciária só incide sobre o salário (espécie) e não

Leia mais

DECRETO Nº 5.545, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005

DECRETO Nº 5.545, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005 DECRETO Nº 5.545, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005 DOU 23-09-2005 Altera dispositivos do Regulamento da Previdência Social, aprovado pelo Decreto nº 3.048, de 6 de maio de 1999, e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

Informações sobre Aposentadoria

Informações sobre Aposentadoria MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES Subsecretaria-Geral do Serviço Exterior Departamento do Serviço Exterior Informações sobre Aposentadoria Departamento do Serviço Exterior Divisão de Pagamentos Esplanada

Leia mais

NO SEU TEMPO CRITÉRIOS E REGRAS PARA SE APOSENTAR. novembro de 2008

NO SEU TEMPO CRITÉRIOS E REGRAS PARA SE APOSENTAR. novembro de 2008 NO SEU TEMPO CRITÉRIOS E REGRAS PARA SE APOSENTAR O sistema de previdência dos servidores públicos após as emendas constitucionais nº 20/1998, 41/2003 e 47/2007 novembro de 2008 Crescendo a cada luta.

Leia mais

Críticas e sugestões através do nosso e-mail: iprevi1@hotmail.com

Críticas e sugestões através do nosso e-mail: iprevi1@hotmail.com 1 CARTILHA DO SEGURADO 1. MENSAGEM DA DIRETORA PRESIDENTE Esta cartilha tem como objetivo dar orientação aos segurados do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Itatiaia IPREVI,

Leia mais

TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS

TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS E POSSIBILIDADES DE DOS SERVIDORES PÚBLICOS REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS INGRESSO NO SERVIÇO PÚBLICO ATÉ 19 DE DEZEMBRO DE 2003 TIPO DE Professora

Leia mais

ABONO DE PERMANÊNCIA E APOSENTADORIA DO PROFESSOR DA EDUCAÇÃO INFANTIL, DO ENSINO FUNDAMENTAL E DO ENSINO MÉDIO

ABONO DE PERMANÊNCIA E APOSENTADORIA DO PROFESSOR DA EDUCAÇÃO INFANTIL, DO ENSINO FUNDAMENTAL E DO ENSINO MÉDIO ABONO DE PERMANÊNCIA E APOSENTADORIA DO PROFESSOR DA EDUCAÇÃO INFANTIL, DO ENSINO FUNDAMENTAL E DO ENSINO MÉDIO VANIA MARIA DE SOUZA ALVARIM (Advogada, Estudante de pós-graduação em Direito Público, Mestre

Leia mais

Regras de Aposentadoria e Pensão do Regime Próprio de Previdência Federal. Carlos Alberto Pereira de Castro ria-es, fevereiro de 2011

Regras de Aposentadoria e Pensão do Regime Próprio de Previdência Federal. Carlos Alberto Pereira de Castro ria-es, fevereiro de 2011 Regras de Aposentadoria e Pensão do Regime Próprio de Previdência Federal Carlos Alberto Pereira de Castro Vitória ria-es, fevereiro de 2011 Roteiro Introdução ao tema Evolução da aposentadoria e da pensão

Leia mais

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte?

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? 1 Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? A MP 664 de dezembro de 2014 previu uma carência de 24 meses para a obtenção do benefício pensão por morte. Depois de muita discussão no Congresso

Leia mais

RECENTES DÚVIDAS DO REGIME PRÓPRIO FORMULADAS PELOS SERVIDORES DE AMERICANA - PROFESSORES

RECENTES DÚVIDAS DO REGIME PRÓPRIO FORMULADAS PELOS SERVIDORES DE AMERICANA - PROFESSORES RECENTES DÚVIDAS DO REGIME PRÓPRIO FORMULADAS PELOS SERVIDORES DE AMERICANA - PROFESSORES 1) Já completei 25 anos como professora em sala de aula, tenho hoje 45 anos de idade, com esta idade vou aposentar

Leia mais

DEFINIÇÃO: APOSENTADORIA INTEGRAL REGRA GERAL

DEFINIÇÃO: APOSENTADORIA INTEGRAL REGRA GERAL DEFINIÇÃO: APOSENTADORIA INTEGRAL REGRA GERAL Passagem do servidor da atividade para a inatividade, com proventos integrais, por ter completado o tempo de contribuição e idade exigidas por lei. REQUISITOS

Leia mais

marcelo ávila a d v o g a d o s

marcelo ávila a d v o g a d o s ABONO PERMANÊNCIA DO SERVIDOR PÚBLICO 1 Ementa: Foi instituído pela Emenda Constitucional 41/2003, e corresponde ao valor da contribuição previdenciária mensal do servidor que o requerer, desde que tenha

Leia mais

AReformadaPrevidência eo ServidorPúblico Federal Emenda Constitucionalnº 20/98, Legislação enormas Regulamentadoras

AReformadaPrevidência eo ServidorPúblico Federal Emenda Constitucionalnº 20/98, Legislação enormas Regulamentadoras Administração Secretariade Pública Estado Administração da Administração edo Patrimônio Pública Cadernos de AdministraçãoPública 2 AReformadaPrevidência eo ServidorPúblico Federal Emenda Constitucionalnº

Leia mais

CARTILHA DO PLANO D FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT

CARTILHA DO PLANO D FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT CARTILHA DO PLANO D Cartilha - Plano D INTRODUÇÃO Você está recebendo a Cartilha do Plano D. Nela você encontrará um resumo das principais características do plano. O Plano D é um plano moderno e flexível

Leia mais

APOSENTADORIA POR INVALIDEZ APOSENTADORIA ESPECIAL APOSENTADORIA DOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA. São Bernardo do Campo, setembro de 2013

APOSENTADORIA POR INVALIDEZ APOSENTADORIA ESPECIAL APOSENTADORIA DOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA. São Bernardo do Campo, setembro de 2013 APOSENTADORIA POR INVALIDEZ APOSENTADORIA ESPECIAL APOSENTADORIA DOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA São Bernardo do Campo, setembro de 2013 As regras constitucionais sobre aposentadoria por invalidez EC 41/2003:

Leia mais

AULA 02 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 02

AULA 02 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 02 AULA 02 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 02 CAPÍTULO VII DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA SEÇÃO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

Separata ao Boletim do Exército

Separata ao Boletim do Exército Separata ao Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIAGERAL DO EXÉRCITO SEPARATA AO BE Nº 52/2013 DEPARTAMENTOGERAL DO PESSOAL PORTARIA Nº 283DGP, 3 DE DEZEMBRO DE 2013. Aprova

Leia mais

BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS MANUAL DE. www.santos.sp.gov.br. Manual de Benefícios Previdênciários. CURTA /PrefeituraSantos. INSCREVA-SE /santoscidade

BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS MANUAL DE. www.santos.sp.gov.br. Manual de Benefícios Previdênciários. CURTA /PrefeituraSantos. INSCREVA-SE /santoscidade MANUAL DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS www.santos.sp.gov.br CURTA /PrefeituraSantos SIGA /santos_agora INSCREVA-SE /santoscidade 1 Apresentação A convivência diária com o servidor público municipal, integrante

Leia mais

Maria Nazaré Bandeira

Maria Nazaré Bandeira Maria Nazaré Bandeira Programação dia 19 Recepção Solenidade de Abertura Palestra Intervalo para Almoço Palestra (continuação) Aposentadoria Até 1988 De 1988 a 1998 1. Invalidez Integral Proporcional 1.

Leia mais