"REALIZACOES DE FA LA NA ESCRITA: UM EXEMPLQ NAS CRONICAS DE DRUMMOND." Sylvia Jorge de Almeida Martins IBILCE-UNESP-SJRP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ""REALIZACOES DE FA LA NA ESCRITA: UM EXEMPLQ NAS CRONICAS DE DRUMMOND." Sylvia Jorge de Almeida Martins IBILCE-UNESP-SJRP"

Transcrição

1 "REALIZACOES DE FA LA NA ESCRITA: UM EXEMPLQ NAS CRONICAS DE DRUMMOND." Sylvia Jorge de Almeida Martins IBILCE-UNESP-SJRP Urn exame dalinguagem nas cronicas drummondianas publicadas em livros desde 1944 ate os dias presentes revela, por parte do escritor itabirano, a medida que correm as decadas, urn comportamento lingoistico maisaberto e liberal. Entre outros, como, por exemplo, 0 emprego de girias e expressoes populares, chamou-nos a aten~ao 0 fato de Carlos Drummond de Andrade ten tar aproximar a lingua escrita da falada, registrando desta algumas realiza~oes fonetieas freqtientes na conversa descuidada e informal do falante comum. Para demonstrar isso fazemos 0 levantamento de tais realiza~oes que 0 cronista testemunhou como correntes no discurso quotidiano de suas personagens. Atraves do discurso direto fazem-se presentes as caracteristicas vivas do coloquial, documentado uma postura renovadora diante dos padroes conservadores e normativos da lingua literiuia. Numa analise sobre a linguagem de Vila dos Confins, Antonio Houaiss1 afirma que nessa penetra~ao do discurso direto pelos elementos da fala 0 escritor sempre se mantem atento, em constante vigilia, de forma a evitar que a linguagem seja tao-somente uma representa~ao dialetal, que sua mensagem tenha urn alcance mais limitado. Se concede lugar a tipismos, localismos, modismos, se permite a presen~a de uma cor local, de urn traco s6cio-cultural, 0 escritor tambem rejeita a completa vestimenta que roubaria ao texto 0 carater universalista. E, desse esfor~o permanente de conceder limitando, de limitar permitindo, e que decorre a eficilcia da linguagem. Por trils da ortografia, das transcri~oes de certas realiza~oes foneticas vai-se possibilitando a depreensao de gestos, de "acentos", de deforma~oes caracteristicas de certos niveis de linguagem. Carlos Drummond de Andrade e urn exemplo dessa postura artist i- ca equilibrada. Por entre a sua expressao culta e comedida permite,

2 para a pr6pria eficacia de urn genero comunicativo como e a cronica, a infiltrae40 do coloquial e popular, a expressividade do comum, tornando arte 0 dia a dia. Em Confissoes de Minas, primeiro livco de cronicas de Drummond, datado dos longes de 1944, damos unicamente com os registros "sa" (p. 141) e "seu" (p. 169), esmagamentos das form as senhora e senhor, respectivamente. Em "Passeios na Ilha", datado de 1952, urn tom bastante formal nada nos concede dessa natureza. fala, Amendoeira, de 1957, traz nos dialogos as realizaeoes: praque (p. 12), pra mostra (p. 106), pode aceita (p:l06), bate (p.l07), comuns na fala vulgar ou mesmo quotidiana. A supress40 do r no infinitivo e freqoente entre 0 povo. Em Quadrante (1962), livro de Drummond com outros autores, nas poucas cronic as d:rummondianas damos ainda com varias formas reduzidas, testemunho da vigencia da lei do menor esforeo sobre a express40 lingoistica. Assim, em "Cena Carioca", temos: pera (por espera): "- Pera ai..." (p. 166,4. 0, 1.1); ta (por esta): "- Ta aqui 0 seu troco." (p.l66, 5. 0, 1.1); t40 (por estao): "- T40 vendo?" (p. 167, tilt., 1.1). "A Bolsa & a Vida" (1962), alem dos registros praque, ta, assinala ainda: ne (por n40 e): "- N40 faea isso, ne?" ("Lambretismo", p. 851, 8. 0, 1.1);. tou (por estou): "- Areia Branca. La e minha terra. Tou querendo voltar... " ("Areia Branca", p. 897, 8. 0, 1.1); vo (por vovo): "- Vo, quero abrir esse cofre." ("0 Segredo do Cofre", p. 905, 3. 0, 1.1). Alem de casos que se repetem, "Cadeira de Balaneo" (1967) testemunha urn 'brigada', por obrigada, com aferese do 0, em "Caso de Conversa" (p. 933). o mecanismo de automatizae40 pratica extral6gica nas saudaeoes possibilita redueoes linguisticas n40 compensadas. Na mesma cronica tambem aparece a fonna daonde, esta de cunho vulgar: "- De la daonde?" (2. 0, 1".1) Caminhos de J040 Brandao (1970) repete ta, ne, mas tambem registra, numa s6 palavra, por e ai vem, a forma evem: "- Evem urn helic6ptero! gritou alguem, e veio mesmo... " ("Dois no Corcovado", p. 101, 3. 0, 1.1) e colidade (por qualidade), com a reducao do ditongo ua a vogal fechada 0: "- Limllo, limoncito,..., e de toda colidade,... " e'final (sem drama) da crise", p.139, 4. 0, ). Sobre evem, Houaiss2 explica que e uma forma de expressllo comum entre os cariocas, diante de alguem que venha chegando. o Poder Ultrajovem e mais 79 textos em prosa e verso, publicado pela primeira vez em 1972, apresenta, como realizawes foneticas 00-

3 vas em confronto com as jll comentadas, as redu~oes so, pol' senhor, polu, POl'polui~o, e quede, POl'que e feito de: "- E mesmo, so." ("A fila e 0 que se fala na fila", p.4l, 13, 1.1); "- Da polu? Ora, e 0 seguinte. Polui~ilo nilo dll s6 na llgua, POl' causa do esgoto,... " ("0 Professor Limilo", p. 159, 5. 0, 1.1); "A hora aprazada, no cart6rio, quede aeromo~a." ("Apartamento para Aeromo~, p.l80, 8. 0, 1.1). A obra De Noticias & NAo Noticias faz-se a cronica, de 1974, pareceu-nos a mais rica em registros do coloquial na fonetica. Ocorrem ai de novo ta, pra, tou, pera, polu (estailltima agora accimpanhada POl'uma explica~ilo da pr6pria personagem que a usa - "ja se usa a f6rmula breve, em harmonia com a rapidez de impregna~ilo do meio pelos poluintes" (p. 123). Mas tambem temos: sacume (abrevia~ilo de sabe como e, no portugues apressado do falante popular, qua tambem gosta de ferir os padroes e ostentar.uma expressilo lingtlistica peculiar): "Padre mesmo, desses de batina, sacume? (" Aconteceu alguma coisa", p. 28, 2. 0, 1.2-3); pelai (combina~ o popular de POl'ail: "... Tern muita falsifica~ilo pelal" (Idem, p.28, 3. 0, 1.4); expo (abrevia~ilo de exposi~ilo): "0 poeta nilo previu 0 umbigo em expo,... " su (pol'sucesso): "Novidades assim garantem urn su tremendo para a boutique." (Idem, p. 74, 1. 0, 1.1).. Com estes casos 0 Cronista mostra que vem ocorrendo na fala descuidada, quando 0 exagero nas redu~oes pode mesmo dificultar a comunica~o, apenas inteligivel pelo contexto. A epoca de hoje, desorganizada e irreverente, reflete-se em desarranjos delinguagem. Nessa mesma obra temos ainda: analfa (pol' analfabeto), corrente na fala popular, quando nilo a realiza 'anarfa'; "- Agora e a minha vez de xingar voce de analfa." ("Nome de Boutique", p. 75, 3. 0, 1.1); pro (em lugar de por): -"Entilo trabalha pro governo,... " ("Banco barroco", p.83, 10. 0, 1.1); xicra (pol'xicara); "-... Agora que ja sabe tudo, 0 senhor aceita uma xicra de cafe coado na hora?" (Idem, p.85, illt., 1.6); fessora (pol'professora); "Vivo, fessora?" ("Da utilidade dos animais", p. 100, 10, 1.1); tadinha (pol'coitadinha): "- E a gente torna a cortar? Ela nao tern sossego, tadinha." (Idem, p.100, 14,1.1); ue (interjei~o popular): 171, 23, 1.1). "- Ja li tudo, ue". ("Viilva Loura", p. No livro Os Dias Lindos/Cronicas (1977), algumas das realiza~oes jll comentadas se repetem, como ta, v6, pra, ne, pera, tou, pela ai, mas outras ocorrem, como: taqui (pol'esta aqui):.. "- Eu pago 0 prejuizo, taqui 700 pratas,... " ("NOlva de POJu-

4 ca", p.61, 1.0, 1.1); ce (por voce), Ihufas (redu~lo da giria brasileira bulhufas): "- Ce nlo entendeu Ihufas." ("Equipamento Escolar", p. 95, 11.0, 1.1); tai (por estil ail: - "Tai, dessa eu na.o gostei." (Idem, p. 95, 15,1.1); praquela (por para aquela): "-... Quer dizer que a senhora esta mandando meu presente praquela parte". ("Outro Presente pra a Senhora", p.loo, 611., ). A cronica "Zarandalha", desse livrq, feita em homenagem a Ziraldo, e, talvez por isso, para real~ar 0 z desse nome, e toda uma elabora~a.o fonetica extravagante, pr6pria de poeta, uma brincadeira talvez de Drumond. Nesse escrito, entre alguns vocabulos conhecidos, outros aparecem, nascidos da imagina~a.o do artista, a enfatizar 0 som de hi e a deixar para 0 leitor todo urn trabalho de leitura... 0 pr6prio titulo "Zarandalha" na.o e nome,dicionarizado. A cronica, por sua vez, come~a assim: "Voces 840 uns z6ides - disse Zequim, e emitindo urn zornzorn mais parecido com urn zumbo, zortou apressadamente." - de onde na.o conhecemos sequer urn vocabulo de todos aqueles iniciados por z, exceto Zequim, que pode ser uma abrevia~o de Zequinha, e zumbo, que significa zumbido, ruido confuso, rumor. E claro que nlo se trata de coloquial na fala. Mas de urn 16dico fonematico que joga com 0 plano da expressa.o, que 0 deforma como esta hoje deformado 0 mundo, como estlo hoje deformados os antigos valores. Ha uma desorganiza~o Ii vista que 0 texto poetico busca refletir, significar. A palavra canta por si. Drumond harmoniza desajustamento formal com desajustamento conceptual. Logra 0 seu intento e permite-nos sentir isso. o mesmo parece ocorrer em "As Palavras que Ninguem Diz" (p ), onde estranhamos form as como diadelfo, beltiano, paranzela, oniquito, boedromia, harpaxismo, auriscalpia, aversamento, gamaralogia, subsiles, catexe, chiquete, e Ii p.102, em "Dia Santo e Feriado", onde damos com daspianas. Estas slo ocorrencias diferentes da que aparece em "A Situa~lo Complica-se", de Caminhos de Jolo Brandlo, onde temos a expres- 840 patati-patata, corriqueiramente repetida na linguagem coloquial dos nossos dias, mna especie de realiza~a.o onomatopaica da conversa fiada: "Pensei que ele fosse dizer alguma novidade, e fica nesse patatipatata!".(p.9, 1.0, ) Sempre achamos que 0 nosso levantamento reflete, em,parte, 0 encontro da fala com a escrita nessas realiza~oes foneticas registradas por Drummond. E ainda uma demonstra~o a mais de que 0 Cronista vem tentando documentar, nas cronicas ja chegadas ao tempo presente, 0 comportamento lingtiistico do homem de hoje, a sua maneira de atuar na fala diaria, assim solta, livre, displicente, e$touvada.

5 1 - Cf. HOUAISS, Antonio. "Sobre a Linguagem de Vila dos Confins" in Revista do Livro. R.J., INL, p Idem, ibidem, p ANDRADE, Carlos Drummond de. Confissoes de Minas. R.J., Americ. Edit., "Passeios na Ilba" in Obra Completa. 2. a ed. R.J. Jose Aguillar Editora, 1%7. "Fala, Amendoeira" in Obra Completa. 2. a ed., R.J., Jose Aguillar Editora, "A Boisa & a Vida" in Obra Completa. 2. a -ed. R.J., Livr. Jose Aguillar Ed., ANDRADE, Carlos Drummond de. et alii. Quadrante. R.J., Ed. do Autor, 1%2. ANDRADE, Carlos Drummond de. "Cadeirade Balanl;o" in Obra Completa, R.J., Jose Olympio Editora, Caminbos de Joao Brandao. 2. a ed. R.J., Livr. Jose Aguillar Editoni, Poder Ultrajovem e mais 79 textos em prosa e verso. 6. a ed. R.J., Livr. Jose Olympio Ed., De Noticias e Nao Noticias Faz-se a Cronica. 4. a ed., R.J. Livr. Jose Olympio Ed., Os Dias Lindos/Cronicas. 2. a ed. R.J. Jose Olympio Editora, HOUAISS, Antonio. "SQbre a Linguagem da Vila dos Confins" in Revista do Livro. R.J., INL, p.153.

Bicho de sete cabeças e outros seres fantásticos, de Eucanaã Ferraz: poesia para não ter medo do desconhecido. Ana Paula Klauck

Bicho de sete cabeças e outros seres fantásticos, de Eucanaã Ferraz: poesia para não ter medo do desconhecido. Ana Paula Klauck Publicado na revista eletrônica Tigre Albino Volume 3, Número 3. 2010. ISSN: 1982-9434 Disponível em: http://www.tigrealbino.com.br/texto.php?idtitulo=08f1c7471182e83b619f12bfa4 27e1e0&&idvolume=9a2be2ed7998330d41811b14e9f81f2d

Leia mais

Cópia autorizada. II

Cópia autorizada. II II Sugestões de avaliação Português Compreensão de texto 3 o ano Unidade 1 5 Unidade 1 Compreensã de texto Nome: Data: A carta é uma forma de comunicação escrita que pode ser endereçada a uma ou a várias

Leia mais

TEXTO: Texto Warley di Brito A TURMA DA ZICA. (Esta é uma versão adaptada, da turma do zico)

TEXTO: Texto Warley di Brito A TURMA DA ZICA. (Esta é uma versão adaptada, da turma do zico) TEXTO: Texto Warley di Brito A TURMA DA ZICA (Esta é uma versão adaptada, da turma do zico) Januária setembro/2011 CENÁRIO: Livre, aberto, porém, deve se haver por opção uma cadeira, uma toalha e uma escova

Leia mais

AS TRÊS EXPERIÊNCIAS

AS TRÊS EXPERIÊNCIAS Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 8 Ọ ANO EM 2014 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: Texto para as questões de 1 a 7. AS TRÊS EXPERIÊNCIAS Há três coisas para

Leia mais

O Livro de informática do Menino Maluquinho

O Livro de informática do Menino Maluquinho Coleção ABCD - Lição 1 Lição 1 O Livro de informática do Menino Maluquinho 1 2 3 4 5 6 7 8 Algumas dicas para escrever e-mails: 1. Aprender português. Não adianta fi car orgulhoso por mandar um e-mail

Leia mais

Como escrever um bom Relato de Experiência em Implantação de Sistema de Informações de Custos no setor público. Profa. Msc. Leila Márcia Elias

Como escrever um bom Relato de Experiência em Implantação de Sistema de Informações de Custos no setor público. Profa. Msc. Leila Márcia Elias Como escrever um bom Relato de Experiência em Implantação de Sistema de Informações de Custos no setor público O que é Relato de Experiência? Faz parte dos gêneros pertencentes ao domínio social da memorização

Leia mais

PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa

PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa 7 o ano 2 o bimestre PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa Escola: Nome: Turma: n o : Sotaque mineiro: é ilegal, imoral ou engorda? Gente, simplificar é um pecado. Se a vida não fosse tão corrida, se não tivesse

Leia mais

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Professora Josi e Professora Mara

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Professora Josi e Professora Mara LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Professora Josi e Professora Mara Denotação x Conotação Sentido denotativo: Meus alunos comeram uns doces. Sentido conotativo: Meus alunos são uns doces. Figuras

Leia mais

Colégio Nomelini Ensino Fundamental II LISTA Nº 04 9º ANO

Colégio Nomelini Ensino Fundamental II LISTA Nº 04 9º ANO Trazer a tarefa resolvida no dia: 22/03/2013 (Sexta-feira) Prof. Vanessa Matos Interpretação de textos LISTA Nº 04 9º ANO DESCRIÇÃO: A seleção de atividades é para a leitura e interpretação. Responda os

Leia mais

CONTO OU CRÔNICA? http://64.233.179.104/search?q=cache:mjw9pgoamesj:www.anjosdepr ata.com.br/contocro.htm+livro+do+conto+a+cronica&hl=pt-br

CONTO OU CRÔNICA? http://64.233.179.104/search?q=cache:mjw9pgoamesj:www.anjosdepr ata.com.br/contocro.htm+livro+do+conto+a+cronica&hl=pt-br CONTO OU CRÔNICA? http://64.233.179.104/search?q=cache:mjw9pgoamesj:www.anjosdepr ata.com.br/contocro.htm+livro+do+conto+a+cronica&hl=pt-br O que diferencia um conto de uma crônica? Leia algumas definições

Leia mais

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I FORTALECENDO SABERES CIÊNCIAS NAT. CIÊNCIAS HUM. CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA. Conteúdo:

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I FORTALECENDO SABERES CIÊNCIAS NAT. CIÊNCIAS HUM. CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA. Conteúdo: CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I Conteúdo: - Alguns aspectos que interferem na saúde das pessoas - Saúde como Direito Constitucional dos brasileiros

Leia mais

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO.

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. Roteiro de Telenovela Brasileira Central de Produção CAPÍTULO 007 O BEM OU O MAL? Uma novela de MHS. PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. AGENOR ALBERTO FERNANDO GABRIELE JORGE MARIA CLARA MARIA CAMILLA MARÍLIA

Leia mais

JANELA SOBRE O SONHO

JANELA SOBRE O SONHO JANELA SOBRE O SONHO um roteiro de Rodrigo Robleño Copyright by Rodrigo Robleño Todos os direitos reservados E-mail: rodrigo@robleno.eu PERSONAGENS (Por ordem de aparição) Alice (já idosa). Alice menina(com

Leia mais

Conversando com os pais

Conversando com os pais Conversando com os pais Motivos para falar sobre esse assunto, em casa, com os filhos 1. A criança mais informada, e de forma correta, terá mais chances de saber lidar com sua sexualidade e, no futuro,

Leia mais

AUTO DE NATAL OUTRO NATAL

AUTO DE NATAL OUTRO NATAL AUTO DE NATAL OUTRO NATAL Escrito em conjunto com Cristina Papa para montagem pelo curso Técnico Ator 2007/2008 do SENAC Araraquara-SP, sob supervisão do professor Carlos Fonseca. PERSONAGENS: CORO / NARRADORES

Leia mais

MULHER SOLTEIRA. Marcos O BILAU

MULHER SOLTEIRA. Marcos O BILAU MULHER SOLTEIRA REFRÃO: Ei, quem tá aí Se tem mulher solteira dá um grito que eu quero ouvir Ei, quem tá aí Se tem mulher solteira dá um grito que eu quero ouvir (Essa música foi feita só prás mulheres

Leia mais

Anexo 2.1 - Entrevista G1.1

Anexo 2.1 - Entrevista G1.1 Entrevista G1.1 Entrevistado: E1.1 Idade: Sexo: País de origem: Tempo de permanência 51 anos Masculino Cabo-verde 40 anos em Portugal: Escolaridade: Imigrações prévias : São Tomé (aos 11 anos) Língua materna:

Leia mais

(Vem um Onzeneiro, e pergunta ao Arrais do Inferno, dizendo:)

(Vem um Onzeneiro, e pergunta ao Arrais do Inferno, dizendo:) Língua Portuguesa 9 º ano EBI da Charneca de Caparica FICHA DE AVALIAÇÃO FORMATIVA Nome: N.º: Turma: Data: / / Enc. Educação: Apreciação: Professor: Competências a avaliar: compreensão e expressão escritas;

Leia mais

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES:

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES: Atividades gerais: Verbos irregulares no - ver na página 33 as conjugações dos verbos e completar os quadros com os verbos - fazer o exercício 1 Entrega via e-mail: quarta-feira 8 de julho Verbos irregulares

Leia mais

LITERATURA DE CORDEL

LITERATURA DE CORDEL LITERATURA DE CORDEL O cordel como Gênero Textual Ela pode ser conceituada como poesia de cunho/teor popular, construída, linguisticamente, com base na cultura da raça humana. (FONSÊCA; FONSÊCA, 2008)

Leia mais

PRÉ-LEITURA ATIVIDADES ANTERIORES À LEITURA INTENÇÃO: LEVANTAR HIPÓTESES SOBRE O LIVRO, INSTIGAR A CURIOSIDADE E AMPLIAR O REPERTÓRIO DO ALUNO

PRÉ-LEITURA ATIVIDADES ANTERIORES À LEITURA INTENÇÃO: LEVANTAR HIPÓTESES SOBRE O LIVRO, INSTIGAR A CURIOSIDADE E AMPLIAR O REPERTÓRIO DO ALUNO PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA ATIVIDADES ANTERIORES À LEITURA INTENÇÃO: LEVANTAR HIPÓTESES SOBRE O LIVRO, INSTIGAR A CURIOSIDADE E AMPLIAR O REPERTÓRIO DO ALUNO. Atividade 1 Antes de você iniciar a leitura

Leia mais

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus Ensino - Ensino 11 - Anos 11 Anos Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus História Bíblica: Mateus 3:13 a 17; Marcos 1:9 a 11; Lucas 3:21 a 22 João Batista estava no rio Jordão batizando as pessoas que queriam

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA. Elaborada por Ana Carolina Carvalho

PROPOSTA PEDAGÓGICA. Elaborada por Ana Carolina Carvalho PROPOSTA PEDAGÓGICA Elaborada por Ana Carolina Carvalho PROPOSTA PEDAGÓGICA Crianças do Brasil Suas histórias, seus brinquedos, seus sonhos elaborada por ANA CAROLINA CARVALHO livro de JOSÉ SANTOS ilustrações

Leia mais

Texto 1 O FUTEBOL E A MATEMÁTICA Modelo matemático prevê gols no futebol Moacyr Scliar

Texto 1 O FUTEBOL E A MATEMÁTICA Modelo matemático prevê gols no futebol Moacyr Scliar PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - LÍNGUA PORTUGUESA - 5 ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Texto 1 O FUTEBOL E A MATEMÁTICA

Leia mais

Não saia de seu Caminho! Sinopse: Uma Menina, indo atrasada da casa da avó para a escola. No caminho seu ônibus quebra e ela tem que tomar um caminho

Não saia de seu Caminho! Sinopse: Uma Menina, indo atrasada da casa da avó para a escola. No caminho seu ônibus quebra e ela tem que tomar um caminho Não saia de seu Caminho! Sinopse: Uma Menina, indo atrasada da casa da avó para a escola. No caminho seu ônibus quebra e ela tem que tomar um caminho alternativo, onde encontra com um sujeito estranho.

Leia mais

Harmonizando a família

Harmonizando a família Harmonizando a família Narrador: Em um dia, como tantos outros, como e em vários lares a, mãe está em casa cuidando dos afazeres doméstic os, tranqüilamente. Porém c omo vem ac ontec endo há muito tempo,

Leia mais

ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME

ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME CENA 1. HOSPITAL. QUARTO DE. INTERIOR. NOITE Fernanda está dormindo. Seus pulsos estão enfaixados. Uma enfermeira entra,

Leia mais

O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA E OS GÊNEROS TEXTUAIS

O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA E OS GÊNEROS TEXTUAIS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM LÍNGUA PORTUGUESA COM ÊNFASE EM MULTILETRAMENTOS O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA E OS GÊNEROS TEXTUAIS Monissa Mattos - 2 Ten CMPA LETRAMENTO letrar é mais do que alfabetizar,

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADE

RELATÓRIO DE ATIVIDADE RELATÓRIO DE ATIVIDADE A IMPORTÂNCIA DE CADA ALIMENTO Coordenador da atividade: Thaís Canto Cury Integrantes da equipe: Manha: Bianca Domingues, Fernando Peixoto e Juliana Ravelli Tarde: Thaís Cury, Thalita

Leia mais

Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães. Conhecendo a Cidade

Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães. Conhecendo a Cidade Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães 1 Guia do Professor Episódio Conhecendo a Cidade Programa Vozes da Cidade Apresentação Como já vimos nos trabalhos desenvolvidos para

Leia mais

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento.

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. museudapessoa.net P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. R Eu nasci em Piúma, em primeiro lugar meu nome é Ivo, nasci

Leia mais

SAMUEL, O PROFETA Lição 54. 1. Objetivos: Ensinar que Deus quer que nós falemos a verdade, mesmo quando não é fácil.

SAMUEL, O PROFETA Lição 54. 1. Objetivos: Ensinar que Deus quer que nós falemos a verdade, mesmo quando não é fácil. SAMUEL, O PROFETA Lição 54 1 1. Objetivos: Ensinar que Deus quer que nós falemos a verdade, mesmo quando não é fácil. 2. Lição Bíblica: 1 Samuel 1 a 3 (Base bíblica para a história o professor) Versículo

Leia mais

O Coração Sujo. Tuca Estávamos falando sobre... hm, que cheiro é esse? Tuca Parece cheiro de gambá morto afogado no esgoto.

O Coração Sujo. Tuca Estávamos falando sobre... hm, que cheiro é esse? Tuca Parece cheiro de gambá morto afogado no esgoto. O Coração Sujo Personagens - Tuca - Teco - Tatá - Tia Tuca e Tatá estão conversando. Teco chega. Teco Oi, meninas, sobre o que vocês estão falando? Tuca Estávamos falando sobre... hm, que cheiro é esse?

Leia mais

PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA

PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA ATIVIDADES ANTERIORES À LEITURA INTENÇÃO: LEVANTAR HIPÓTESES SOBRE A AUTORA, SOBRE O LIVRO, INSTIGAR A CURIOSIDADE E AMPLIAR O REPERTÓRIO DO ALUNO Para o professor Ou isto

Leia mais

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE.

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE. OS 4 PASSOS PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA HIGHSTAKESLIFESTYLE. Hey :) Gabriel Goffi aqui. Criei esse PDF para você que assistiu e gostou do vídeo ter sempre por perto

Leia mais

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 1 a Edição Editora Sumário Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9 Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15 Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 Santos, Hugo Moreira, 1976-7 Motivos para fazer

Leia mais

BOLA NA CESTA. Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares

BOLA NA CESTA. Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares BOLA NA CESTA Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares 25/04/2012 SINOPSE Essa é a história de Marlon Almeida. Um adolescente que tem um pai envolvido com a criminalidade. Sua salvação está no esporte.

Leia mais

ulher não fala muito Mulher pensa alto

ulher não fala muito Mulher pensa alto ulher não fala muito Mulher pensa alto bla bla PROF. GRETZ Mulher não fala muito. Mulher pensa alto. Reflexões bem humoradas para uma ótima vida a dois Florianópolis 2014 1. Silêncio 7 2. Percepção 13

Leia mais

Processo Seletivo 1.º Semestre 2012 004. Prova Dissertativa

Processo Seletivo 1.º Semestre 2012 004. Prova Dissertativa Processo Seletivo 1.º Semestre 2012 004. Prova Dissertativa Técnico Concomitante ou Subsequente ao Ensino Médio Instruções Confira seu nome e número de inscrição impressos na capa deste caderno. Assine

Leia mais

COMBINADOS PARA O SEMESTRE:

COMBINADOS PARA O SEMESTRE: COMBINADOS PARA O SEMESTRE: Temas de redação serão dados durantes as aulas. É importante pesquisá-los e estudá-los, pois alguns deles serão utilizados para as produções em sala ou em simulados; Toda a

Leia mais

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Prova de certificação de nível de proficiência linguística no âmbito do Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro,

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Rafael Marques Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Minha idéia inicial de coaching era a de uma pessoa que me ajudaria a me organizar e me trazer idéias novas,

Leia mais

Unidade 3 Como escrever uma carta

Unidade 3 Como escrever uma carta UNIDADE 3 Inicialmente, é preciso destacar dois tipos básicos de carta. O primeiro é a correspondência oficial e comercial, que nos é enviada pelos poderes políticos ou por empresas privadas (comunicações

Leia mais

A criança e as mídias

A criança e as mídias 34 A criança e as mídias - João, vá dormir, já está ficando tarde!!! - Pera aí, mãe, só mais um pouquinho! - Tá na hora de criança dormir! - Mas o desenho já tá acabando... só mais um pouquinho... - Tá

Leia mais

Livro de Nuno Afonso CENTRO CULTURAL MESTRE JOSÉ RODRIGUES. 8 de Agosto 15.00 horas 1 / 8

Livro de Nuno Afonso CENTRO CULTURAL MESTRE JOSÉ RODRIGUES. 8 de Agosto 15.00 horas 1 / 8 CENTRO CULTURAL MESTRE JOSÉ RODRIGUES 8 de Agosto 15.00 horas 1 / 8 Apresentação do livro de Nuno Baptista-Afonso Nuno Baptista-Afonso nasceu em Mirandela, em 1979, mas é um Alfandeguense, pois aqui foi

Leia mais

CÓPULA CLODOALDO TURCATO

CÓPULA CLODOALDO TURCATO CÓPULA CLODOALDO TURCATO 2 CÓPULA Primeira Edição Editora do Livre Pensador Recife, Pernambuco 2013 Titulo Original Cópula Primeira Edição 3 Copyright @ 2012 by Clodoaldo Turcato Copyright da edição @

Leia mais

5º ano. Atividade de Estudo - Português

5º ano. Atividade de Estudo - Português Atividade de Estudo - Português 5º ano O texto que você vai ler abaixo pertence ao gênero crônica. As crônicas transformam um acontecimento comum, do nosso dia a dia, em uma história muito interessante.

Leia mais

Quem tem boca vai a Roma

Quem tem boca vai a Roma Quem tem boca vai a Roma AUUL AL A MÓDULO 14 Um indivíduo que parece desorientado e não consegue encontrar o prédio que procura, aproxima-se de outro com um papel na mão: - Por favor, poderia me informar

Leia mais

CMRJ - LINGUA PORTUGUESA 7º ANO ENSINO FUNDAMENTAL. 1. Observe a imagem abaixo e responda as perguntas a seguir:

CMRJ - LINGUA PORTUGUESA 7º ANO ENSINO FUNDAMENTAL. 1. Observe a imagem abaixo e responda as perguntas a seguir: CMRJ - LINGUA PORTUGUESA 7º ANO ENSINO FUNDAMENTAL NOTA DE AULA: ATIVIDADE DE PORTUGUÊS SOBRE VARIAÇÃO LINGUÍSTICA 1. Observe a imagem abaixo e responda as perguntas a seguir: a) Qual tipo de linguagem

Leia mais

LISTA DE RECUPERAÇÃO 8º ANO

LISTA DE RECUPERAÇÃO 8º ANO 1 Nome: nº Data: / /2012 ano bimestre Profa.: Denise LISTA DE RECUPERAÇÃO 8º ANO Nota: 1) A arte barroca ganhou espaço e passou a inaugurar um novo período na arte européia, que já havia experimentado

Leia mais

Projeto Minha Identidade

Projeto Minha Identidade Projeto Minha Identidade Esta apostila é a primeira a ser desenvolvida com as crianças do Espaço Voar e tem como objetivo fortalecer o senso de identidade da criança como indivíduo, oferecendo situações

Leia mais

Cordel do Software Livre Cárlisson Galdino 1

Cordel do Software Livre Cárlisson Galdino 1 Cordel do Software Livre Cárlisson Galdino 1 Este cordel pode ser distribuído e modificado, desde que você respeite a licença Creative Commons Atribuição Compartilhamento pela Mesma Licença. Ou seja, você

Leia mais

Escolha sua melhor opção e estude para concursos sem gastar nada

Escolha sua melhor opção e estude para concursos sem gastar nada Escolha sua melhor opção e estude para concursos sem gastar nada wwwconcurseirosocialnet PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA Questões numeradas de 01 a 15 INSTRUÇÃO: Leia, com atenção, o texto abaixo e responda

Leia mais

coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - u s a r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - u s a r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - Sou so profes r a, Posso m a s n ão parar d aguento m e ai ensinar s? d a r a u la s Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A

Leia mais

FIM DE SEMANA. Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa

FIM DE SEMANA. Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa FIM DE SEMANA Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa CENA 1 EXTERIOR / REUNIÃO FAMILIAR (VÍDEOS) LOCUTOR Depois de uma longa semana de serviço, cansaço, demoradas viagens de ônibus lotados...

Leia mais

DOCE BALANÇO. Novela de Antonio Figueira. Escrita por. Antonio Figueira. Personagens deste capítulo: DIANA PADRE MARCOS D. SANTINHA BEATA 1 BEATA 2

DOCE BALANÇO. Novela de Antonio Figueira. Escrita por. Antonio Figueira. Personagens deste capítulo: DIANA PADRE MARCOS D. SANTINHA BEATA 1 BEATA 2 DOCE BALANÇO Novela de Antonio Figueira Escrita por Antonio Figueira Personagens deste capítulo: DIANA PADRE MARCOS D. SANTINHA BEATA 1 BEATA 2 DOCE BALANÇO CAPÍTULO 10 PÁGINA 1 DOCE BALANÇO CAPÍTULO 10

Leia mais

STEVEN CARTER. Sou uma. mulher inteligente. porque... Dicas para você se valorizar e transformar sua vida amorosa

STEVEN CARTER. Sou uma. mulher inteligente. porque... Dicas para você se valorizar e transformar sua vida amorosa STEVEN CARTER Sou uma mulher inteligente porque... Dicas para você se valorizar e transformar sua vida amorosa Introdução Você se considera uma mulher inteligente? Antes de responder, tenha em mente o

Leia mais

Lista de Diálogo - Cine Camelô

Lista de Diálogo - Cine Camelô Lista de Diálogo - Cine Camelô Oi amor... tudo bem? Você falou que vinha. É, eu tô aqui esperando. Ah tá, mas você vai vir? Então tá bom vou esperar aqui. Tá bom? Que surpresa boa. Oh mano. Aguá! Bolha!

Leia mais

Sei... Entra, Fredo, vem tomar um copo de suco, comer um biscoito. E você também, Dinho, que está parado aí atrás do muro!

Sei... Entra, Fredo, vem tomar um copo de suco, comer um biscoito. E você também, Dinho, que está parado aí atrás do muro! Capítulo 3 N o meio do caminho tinha uma casa. A casa da Laila, uma menina danada de esperta. Se bem que, de vez em quando, Fredo e Dinho achavam que ela era bastante metida. Essas coisas que acontecem

Leia mais

Sai da frente que atrás vem gente

Sai da frente que atrás vem gente Sai da frente que atrás vem gente Oficina III - O prazer da leitura - infantil http://goo.gl/zsxdnu Tente imaginar dois irmãos briguentos, que gostam de ouvir sua mãe cantar, prestam atenção na voz do

Leia mais

PARA SABER MAIS. Consulte o site do IAB www.alfaebeto.org.br COLEÇÃO PEQUENOS LEITORES GUIA DE LEITURA. Cabe aqui na minha mão!

PARA SABER MAIS. Consulte o site do IAB www.alfaebeto.org.br COLEÇÃO PEQUENOS LEITORES GUIA DE LEITURA. Cabe aqui na minha mão! CLÁUDIO MARTINS & MAURILO ANDREAS PARA SABER MAIS Consulte o site do IAB www.alfaebeto.org.br COLEÇÃO PEQUENOS LEITORES LÚCIA HIRATSUKA JASON GARDNER Priscilla Kellen Cabe aqui na minha mão! Frutas GUIA

Leia mais

PARA SABER MAIS. Consulte o site do IAB www.alfaebeto.org.br COLEÇÃO PEQUENOS LEITORES GUIA DE LEITURA. Cabe aqui na minha mão!

PARA SABER MAIS. Consulte o site do IAB www.alfaebeto.org.br COLEÇÃO PEQUENOS LEITORES GUIA DE LEITURA. Cabe aqui na minha mão! CLÁUDIO MARTINS & MAURILO ANDREAS PARA SABER MAIS Consulte o site do IAB www.alfaebeto.org.br COLEÇÃO PEQUENOS LEITORES LÚCIA HIRATSUKA JASON GARDNER Priscilla Kellen Cabe aqui na minha mão! Frutas GUIA

Leia mais

O trabalho com as cantigas e parlendas

O trabalho com as cantigas e parlendas O trabalho com as cantigas e parlendas nós na sala de aula - módulo: língua portuguesa 1º ao 3º ano - unidade 4 Cantigas e parlendas ajudam a introduzir a criança no mundo da leitura. Isso porque são textos

Leia mais

O ser humano é comunicação

O ser humano é comunicação O ser humano é comunicação Sem. Andrey Nicioli anicioli@hotmail.com Catequese Arqudiocesana Pouso Alegre 14/11/2015 Primeira certeza O termo comunicação é abrangente e não se restringe aos meios midiáticos.

Leia mais

Atividade extra. Lingua falada. Lingua escrita e gêneros textuais. Questão 1. Língua Portuguesa e Literatura

Atividade extra. Lingua falada. Lingua escrita e gêneros textuais. Questão 1. Língua Portuguesa e Literatura Atividade extra Lingua falada. Lingua escrita e gêneros textuais Questão 1 Sabemos que linguagem é todo sistema de signos que serve de meio de comunicação entre indivíduos, e pode ser percebido pelos diversos

Leia mais

Projeto de Zoneamento Ecológico Econômico Participativo Diretrizes, estratégias e ações para a sustentabilidade

Projeto de Zoneamento Ecológico Econômico Participativo Diretrizes, estratégias e ações para a sustentabilidade 1 Projeto de Zoneamento Ecológico Econômico Participativo Diretrizes, estratégias e ações para a sustentabilidade Realização: Prefeitura de Nova Bandeirantes - MT Fundo Nacional do Meio Ambiente (FNMA)

Leia mais

5 o ano Ensino Fundamental Data: / / Atividades Extraclasse Complementares de Língua Portuguesa Nome: SER FILHO É PADECER NO PURGATÓRIO

5 o ano Ensino Fundamental Data: / / Atividades Extraclasse Complementares de Língua Portuguesa Nome: SER FILHO É PADECER NO PURGATÓRIO 5 o ano Ensino Fundamental Data: / / Atividades Extraclasse Complementares de Língua Portuguesa Nome: Leia este texto com atenção: SER FILHO É PADECER NO PURGATÓRIO 1 Psssiu, psssiu. Eu? virou-se Juvenal

Leia mais

História de Trancoso

História de Trancoso Aluno(a): Professor(a): Turma: n o : Data: Leia o texto a seguir com atenção. História de Trancoso Joel Rufi no dos Santos Era uma vez um fazendeiro podre de rico, que viajava solitário. Ah, quem me dera

Leia mais

TEXTO. Visual texto em que a comunicação se dá apenas por meio de imagens. Verbal - texto em que a comunicação se dá por meio de palavras escritas.

TEXTO. Visual texto em que a comunicação se dá apenas por meio de imagens. Verbal - texto em que a comunicação se dá por meio de palavras escritas. Língua Portuguesa 1º trimestre Temas para estudo Em nossas primeiras aulas, vimos que, conforme sua configuração/diagramação, um TEXTO pode ser classificado como: Visual texto em que a comunicação se dá

Leia mais

Palavras do autor. Escrever para jovens é uma grande alegria e, por que não dizer, uma gostosa aventura.

Palavras do autor. Escrever para jovens é uma grande alegria e, por que não dizer, uma gostosa aventura. Palavras do autor Escrever para jovens é uma grande alegria e, por que não dizer, uma gostosa aventura. Durante três anos, tornei-me um leitor voraz de histórias juvenis da literatura nacional, mergulhei

Leia mais

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros s de gramática do uso da língua portuguesa do Brasil Sugestão: estes exercícios devem ser feitos depois de estudar a Unidade 14 por completo

Leia mais

Português Língua Estrangeira Teste (50 horas)

Português Língua Estrangeira Teste (50 horas) Português Língua Estrangeira Teste (50 horas) Nome: Data: A Importa-se de responder a umas perguntas? Está bem. Obrigado. 1 Como é que se chama? 2 O que é que faz? 3 Vive aqui agora? 4 Há quanto tempo

Leia mais

A BOLINHA. por RODRIGO FERRARI. Versão finalíssima

A BOLINHA. por RODRIGO FERRARI. Versão finalíssima A BOLINHA por RODRIGO FERRARI Versão finalíssima rodrigoferrari@gmail.com (21) 9697.0419 Do lado direito do palco, CLÁUDIA está sentada numa cadeira. Ela segura um teste de gravidez. Ela abre a caixa e

Leia mais

JÓ Lição 05. 1. Objetivos: Jô dependeu de Deus com fé; as dificuldades dele o deu força e o ajudou a ficar mais perto de Deus.

JÓ Lição 05. 1. Objetivos: Jô dependeu de Deus com fé; as dificuldades dele o deu força e o ajudou a ficar mais perto de Deus. JÓ Lição 05 1 1. Objetivos: Jô dependeu de Deus com fé; as dificuldades dele o deu força e o ajudou a ficar mais perto de Deus. 2. Lição Bíblica: Jô 1 a 42 (Base bíblica para a história e o professor)

Leia mais

Exercícios de gramática do uso da língua portuguesa do Brasil

Exercícios de gramática do uso da língua portuguesa do Brasil Sugestão: estes exercícios devem ser feitos depois de estudar a Unidade 1 por completo do livrotexto Muito Prazer Unidade 1 - I Pronomes pessoais Eu Tu 1 Você 2 / ele/ela A gente 3 Nós Vós 4 Eles/ elas

Leia mais

OLÁ PESSOAL AQUI É ALEXIA FINK, EU JÁ TRABALHO AQUI DEZ DO ANO PASSADO, EU GOSTO DE FAZER AQUI NA? NA MONITORIA-FAZER JOGOS, NO JORNAL MURAL-FAZER

OLÁ PESSOAL AQUI É ALEXIA FINK, EU JÁ TRABALHO AQUI DEZ DO ANO PASSADO, EU GOSTO DE FAZER AQUI NA? NA MONITORIA-FAZER JOGOS, NO JORNAL MURAL-FAZER OLÁ PESSOAL AQUI É ALEXIA FINK, EU JÁ TRABALHO AQUI DEZ DO ANO PASSADO, EU GOSTO DE FAZER AQUI NA? NA MONITORIA-FAZER JOGOS, NO JORNAL MURAL-FAZER NOTICÍAS NA RADIO MEGA FONE-FALAR POR QUE É BOM SABER

Leia mais

Marcos Leôncio suka02@uol.com.br 1 VOTO VENDIDO, CONSCIÊNCIA PERDIDA. Escrita por: Marcos Leôncio. Elenco: Olga Barroso. Renato Beserra dos Reis

Marcos Leôncio suka02@uol.com.br 1 VOTO VENDIDO, CONSCIÊNCIA PERDIDA. Escrita por: Marcos Leôncio. Elenco: Olga Barroso. Renato Beserra dos Reis VOTO VENDIDO, CONSCIÊNCIA PERDIDA. Escrita por: Marcos Leôncio Elenco: Olga Barroso Renato Beserra dos Reis Zilânia Filgueiras Sérgio Francatti Dodi Reis Preparação de Atores e Direção: Dodi Reis Coordenação

Leia mais

Roteiro de Áudio. SOM: abertura (Vinheta de abertura do programa Hora do Debate )

Roteiro de Áudio. SOM: abertura (Vinheta de abertura do programa Hora do Debate ) 1 Roteiro de Áudio Episódio 1 A língua, a ciência e a produção de efeitos de verdade Programa Hora de Debate. Campanhas de prevenção contra DST: Linguagem em alerta SOM: abertura (Vinheta de abertura do

Leia mais

Tovadorismo. 2 - (UFPA - 2010) Das estrofes abaixo, a que apresenta traços da estética do Trovadorismo é:

Tovadorismo. 2 - (UFPA - 2010) Das estrofes abaixo, a que apresenta traços da estética do Trovadorismo é: Tovadorismo 1 - (PUC-Camp - 2011) A poesia medieval procurou enaltecer os valores e as virtures do cavaleiro. Nessa poesia, o amor cortês, referido no texto, pressupunha uma concepção mítica do amor, que

Leia mais

Linguística Aplicada ao ensino de Língua Portuguesa: a oralidade em sala de aula (Juliana Carvalho) A Linguística Aplicada (LA) nasceu há mais ou menos 60 anos, como uma disciplina voltada para o ensino

Leia mais

PERSONAL SHOPPER MARY KAY

PERSONAL SHOPPER MARY KAY PERSONAL SHOPPER MARY KAY O QUE É? Personal shopping é uma ocupação, na qual se ajuda alguém a fazer suas compras, dando conselhos e fazendo sugestões para os clientes. A personal shopper vai dar ao cliente

Leia mais

Iracema estava na brinquedoteca

Iracema estava na brinquedoteca Estórias de Iracema Maria Helena Magalhães Ilustrações de Veridiana Magalhães Iracema estava na brinquedoteca com toda a turma quando recebeu a notícia de que seu sonho se realizaria. Era felicidade que

Leia mais

30/09/2008. Entrevista do Presidente da República

30/09/2008. Entrevista do Presidente da República Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em conjunto com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, com perguntas respondidas pelo presidente Lula Manaus-AM,

Leia mais

A TURMA DO ZICO EM: CUIDADO COM A DENGUE

A TURMA DO ZICO EM: CUIDADO COM A DENGUE Texto: Warley di Brito A TURMA DO ZICO EM: CUIDADO COM A DENGUE Personagens: Zico, Zefinha, Paulinha e sua mãe Bastiana Cenário: A esquete acontece no quintal da casa da mãe de Zico, para a montagem do

Leia mais

Não deixem nenhuma criança Em suas terras trabalhar Lhes digo com segurança Melhor pra elas é estudar

Não deixem nenhuma criança Em suas terras trabalhar Lhes digo com segurança Melhor pra elas é estudar EMPREGADO VERSOS EMPREGADOR Você empregador Cumpra o seu dever Registre o trabalhador E aperreio não vai ter Ele será seu defensor E vai fazer você crescer A carteira eu entrego Pra ter tudo anotado Ninguém

Leia mais

CAPÍTULO 5: O EMPREGO DE: Este, Esse ou Aquele

CAPÍTULO 5: O EMPREGO DE: Este, Esse ou Aquele CAPÍTULO 5: O EMPREGO DE: Este, Esse ou Aquele Em português existem três pronomes demonstrativos com suas formas variáveis em gênero e número e invariáveis [isto, isso, aquilo]. Eles assinalam a posição

Leia mais

Figura 1 - Saci Urbano no trem às 14h45 O Saci é um ser libertário. Mostra essa passagem do meio rural para a urbanidade.

Figura 1 - Saci Urbano no trem às 14h45 O Saci é um ser libertário. Mostra essa passagem do meio rural para a urbanidade. ARTISTA DO SACI URBANO Figura 1 - Saci Urbano no trem às 14h45 O Saci é um ser libertário. Mostra essa passagem do meio rural para a urbanidade. Por Diana Mendes 1, Ana Maria Dietrich 2, Everson José de

Leia mais

III SEMANA DO MEIO AMBIENTE

III SEMANA DO MEIO AMBIENTE III SEMANA DO MEIO AMBIENTE Durante a Semana do Meio Ambiente de 2008, o CMJF procurou envolver todos os alunos na discussão e reflexão sobre questões relativas ao ambiente. Através dos coordenadores de

Leia mais

Avaliação Português 6º ano Unidade 7

Avaliação Português 6º ano Unidade 7 I. Leia este trecho de um poema de Manuel Bandeira, poeta pernambucano. Em seguida, responda ao que se pede. Trem de ferro Café com pão Café com pão Café com pão Virge Maria que foi isso maquinista? Agora

Leia mais

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23.

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23. Tema: DEUS CUIDA DE MIM. Texto: Salmos 23:1-6 Introdução: Eu estava pesando, Deus um salmo tão poderoso até quem não está nem ai prá Deus conhece uns dos versículos, mas poderosos da bíblia e o Salmo 23,

Leia mais

Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha. Ensino Fundamental

Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha. Ensino Fundamental Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha Ensino Fundamental Turma: PROJETO INTERPRETA AÇÂO (INTERPRETAÇÃO) Nome do (a) Aluno (a): Professor (a): DISCIPLINA:

Leia mais

coleção Conversas #6 Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça.

coleção Conversas #6 Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça. coleção Conversas #6 Eu Posso com a s fazer próprias justiça mãos? Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora AfroReggae nasceu com o desejo

Leia mais

Robson Brino Faggiani. Doutorando Psicologia Experimental Universidade de São Paulo

Robson Brino Faggiani. Doutorando Psicologia Experimental Universidade de São Paulo Contornando os prejuízos de comunicação: Ensino de Comportamento Verbal Robson Brino Faggiani Doutorando Psicologia Experimental Universidade de São Paulo 1 O que é Comportamento Verbal? 2 Análise Funcional

Leia mais

Blog http://conquistadores.com.br. + dinheiro + mulheres + sucesso social (mini e-book grátis)

Blog http://conquistadores.com.br. + dinheiro + mulheres + sucesso social (mini e-book grátis) Blog http://conquistadores.com.br CONQUISTADORES + dinheiro + mulheres + sucesso social (mini e-book grátis) Blog http://conquistadores.com.br CONQUISTADORES + dinheiro + mulheres + sucesso social (Este

Leia mais

CRIARCONTEXTO: ANÁLISE DO DISCURSO EM LETRA DE ROCK 1. Faculdade de Letras, Universidade Federal de Goiás, CEP - 74001-970, Brasil

CRIARCONTEXTO: ANÁLISE DO DISCURSO EM LETRA DE ROCK 1. Faculdade de Letras, Universidade Federal de Goiás, CEP - 74001-970, Brasil CRIARCONTEXTO: ANÁLISE DO DISCURSO EM LETRA DE ROCK 1 Larissa Nogueira de Oliveira 2 e Eliane Marquez da Fonseca Fernandes 3 Faculdade de Letras, Universidade Federal de Goiás, CEP - 74001-970, Brasil

Leia mais

08/11/2012. Palestrante: Jéssica Pereira Costa Mais frequente na população universitária

08/11/2012. Palestrante: Jéssica Pereira Costa Mais frequente na população universitária A arte da apresentação oral de trabalhos científicos Como se comportar durante a apresentação de um pôster em um evento científico? Fobia Social ou Timidez??? (Medo excessivo contato ou exposição social)

Leia mais

Unidade I Tecnologia: Corpo, movimento e linguagem na era da informação.

Unidade I Tecnologia: Corpo, movimento e linguagem na era da informação. Unidade I Tecnologia: Corpo, movimento e linguagem na era da informação. 1.1 Conteúdos: Apresentação do Plano Didático Pedagógico; Classificação das orações coordenadas sindéticas e inferência. 1.1 Habilidade:

Leia mais

Do meio das árvores secas da floresta escura emer giu o maníaco com a máscara de pele humana. Motosserra em mãos, desceu-a entre as pernas do pobre

Do meio das árvores secas da floresta escura emer giu o maníaco com a máscara de pele humana. Motosserra em mãos, desceu-a entre as pernas do pobre 1 Do meio das árvores secas da floresta escura emer giu o maníaco com a máscara de pele humana. Motosserra em mãos, desceu-a entre as pernas do pobre paraplégico, cortando-o ao meio, assim como a sua cadeira

Leia mais

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Autora: Tell Aragão Personagens: Carol (faz só uma participação rápida no começo e no final da peça) Mãe - (só uma voz ela não aparece) Gigi personagem

Leia mais