Seminário Trabalho Social com Famílias: Trabalho com famílias em situação de violência doméstica Marcia Cristina Machado de Oliveira

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Seminário Trabalho Social com Famílias: Trabalho com famílias em situação de violência doméstica Marcia Cristina Machado de Oliveira"

Transcrição

1 Seminário Trabalho Social com Famílias: significados, concepções e metodologias Oficina 1 Trabalho com famílias em situação de violência doméstica Marcia Cristina Machado de Oliveira

2 Dinâmica Dinâmica Meu retrato de infância

3 A construção sócio histórica da violência física como instrumento punitivo-educativo e os efeitos negativos de seu uso O hábito de bater nas crianças, maltratá-las e humilhá-las no processo educativo é mesmo muito antigo. Segundo DeMause (1982, p.1): Quanto mais atrás regressamos na história, mais reduzido o nível de cuidado com as crianças, maior probabilidade de que houvessem sido assassinadas, espancadas, aterrorizadas e abusadas sexualmente. Pátrio poder instituído pelo Direito Romano. Apenas no século XVI a criança começou a ser percebida e representada como um ser frágil. Após a segunda metade do século XX, a criança começa a ser valorizada na sociedade e os casos de violência causam cada vez mais espanto e questionamento.

4 Construção sócio histórica da violência Bater em crianças e em mulheres, assim como votar, era permitido ao chefe da família. Por isso, é compreensível que nossos bisavós pensassem e ensinassem assim a nossos avôs, e eles, a nossos pais (p. 14). O Estudo Mundial da ONU sobre a Violência contra Crianças (2006) atesta que : esse tipo de violência ainda prevalece em quase todos os países do mundo e está presente em todas as culturas, classes, níveis de escolaridade, faixas de renda e origens étnicas. É um fenômeno socialmente aprovado e frequentemente legal e autorizado pelo Estado. Uma violência aceita como uma tradição ou camuflada como uma forma de disciplina. Fonte: Pelos fins dos castigos corporais e do tratamento cruel e degradante: manual de sensibilização para conselheiros tutelares, conselheiros de direitos e profissionais do sistema de garantia de direitos.

5 Crianças e adolescentes vítimas de violência doméstica e familiar Se bater em adultos, mulheres, idosos e até nos animais é agressão, por que bater em criança é educação? Bater em criança não pode ser considerado normal ou uma prática pedagógica.

6 Para pensar! Educação, disciplina ou violência?

7 Por que tanta gente pensa que a punição corporal é um modo eficaz de educar? Porque o castigo físico produz uma resposta rápida que é, aparentemente, funcional. A dor faz com que a criança interrompa por algum tempo o comportamento considerado indesejável... (p.17). Fonte: Pelos fins dos castigos corporais e do tratamento cruel e degradante: manual de sensibilização para conselheiros tutelares, conselheiros de direitos e profissionais do sistema de garantia de direitos

8 Porque enfrentar os castigos físicos e humilhantes Alimentam o ciclo de violência. Imagens obtidas no Gloogle imagens

9 Porque enfrentar os castigos físicos e humilhantes Imagens obtidas no Gloogle imagens

10 Porque enfrentar os castigos físicos e humilhantes Ensina à criança que a violência é uma maneira aceitável de solucionar conflitos e diferenças. Imagens obtidas no Gloogle imagens

11 Os castigos físicos põe em risco as crianças e podem provocar fraturas; hematomas; lesões (marcas) do instrumento utilizado (fivelas, cintos, chinelos, dedos, mordida); fugas; mentiras; baixo nível de desempenho escolar; choro fácil sem motivo aparente; transtorno do sono; episódios de medo e pânico; isolamento e depressão; etc. Fonte: Violência Intrafamiliar orientações para a prática em serviço, Ministério da Saúde, 2002

12 Vídeo e discussão Filme Era uma vez uma família

13 Vídeo e discussão Filme Era uma vez uma família 1. Dividir o grupo 2. Discussão - Que temas aparecem no vídeo? 3. Apresentação dos resultados

14 Princípios da educação/disciplina positiva: fatores de proteção e vulnerabilidade; o brincar como um direito; o controle da raiva; informações sobre o desenvolvimento infantil; estímulo ao afeto e ao diálogo como estratégias de educação não violenta.

15 O que devemos incentivar o respeito o diálogo a confiança o afeto a atenção o amor dar o exemplo a paciência saber ouvir mostrar o que é certo e errado brincar e rir juntos boas maneiras/educação liberdade com responsabilidade o estabelecimento de regras e combinados conjuntos ninguém está autorizado a bater em ninguém Fonte: Site Rede não Bata, Eduque (www.naobataeduque.org.br)

16 É possível educar e cuidar sem bater Todas as famílias convivem com problemas e conflitos. O importante é não usar a violência para resolver as questões. Não existe uma receita de bolo. Temos algumas sugestões. Identificar o problema real: descobrir exatamente o que está incomodando. Acalme-se Escute Converse Explique Estabeleça acordos

17 E quando as crianças quebram as regras? O que fazer? Vale lembrar que o exemplo ensina mais que o sermão. Os adultos também erram. Admita seus erros. Diálogo de advertência é um diálogo calmo e firme com crianças e adolescentes para discutir sua ação, prática ou comportamento indesejado. Fonte: O caminho para uma disciplina infantil construtiva: eliminando os castigos corporais, Editora Cortez, Unesco, 2008

18 E quando as crianças quebram as regras? O que fazer? Reparação de danos e correção dos erros os pais e educadores são responsáveis pelo processo educativo da criança e devem ensinar a criança a pedir desculpas por uma malcriação, a limpar a sujeira que fez, a consertar ou devolver alguma coisa. Fonte: O caminho para uma disciplina infantil construtiva: eliminando os castigos corporais, Editora Cortez, Unesco, 2008

19 E quando as crianças quebram as regras? O que fazer? Restrição de privilégios a redução do horário de lazer, não permitir que a criança assista a um programa de TV favorito ou diminuir o tempo que ela passa com os amigos são alguns exemplos das restrições que são utilizadas. Importante: Essas restrições não devem afetar os direitos fundamentais da criança, como comer ou ser submetida a trabalho forçado. Essa medida pode ensinar à criança a pensar os prós e contras de obedecer ou transgredir os acordos. Fonte: O caminho para uma disciplina infantil construtiva: eliminando os castigos corporais, Editora Cortez, Unesco, 2008

20 Dinâmica Dinâmica: O que você faria se...

21 Dê o exemplo!

22 Educar sem bater dá certo!

23 Obrigada! Marcia Oliveira (21)

Pelo fim dos castigos corporais e tratamento cruel e degradante contra crianças

Pelo fim dos castigos corporais e tratamento cruel e degradante contra crianças Rede Não Bata, Eduque Pelo fim dos castigos corporais e tratamento cruel e degradante contra crianças Rio de Janeiro, 20 de dezembro de 2010 Porque enfrentar os castigos corporais e o tratamento cruel

Leia mais

Promulgação da lei /2014 (Lei Menino Bernardo)

Promulgação da lei /2014 (Lei Menino Bernardo) Promulgação da lei 13.010/2014 (Lei Menino Bernardo) Gabriela Karrosy Xuxa no Senado acompanhando a votação para aprovação da Lei Menino Bernardo Xuxa na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara

Leia mais

Educação de Pais Pastoreando o Coração da Criança

Educação de Pais Pastoreando o Coração da Criança Aula 07 Educação de Pais Pastoreando o Coração da Criança Educação de Filhos Da infância a Pré-Escola A VARA e suas Distorções O coração da criança Educação de Filhos Recordando Educação de Filhos Uma

Leia mais

Uma reflexão O PODER DOS PAIS: ECA E PRÁTICAS EDUCATIVAS

Uma reflexão O PODER DOS PAIS: ECA E PRÁTICAS EDUCATIVAS Uma reflexão O PODER DOS PAIS: ECA E PRÁTICAS EDUCATIVAS 1 Que aconteceu com o poder dos pais? Antigamente... A revolução jovem dos anos 60 As questões de hoje: Ninguém quer ser chamado de autoritário,

Leia mais

3.4 A criança que não vai à escola (Recusa escolar e Gazeta às aulas)

3.4 A criança que não vai à escola (Recusa escolar e Gazeta às aulas) Páginas para pais: Problemas na criança e no adolescente 3.4 A criança que não vai à escola (Recusa escolar e Gazeta às aulas) Introdução É relativamente frequente que, pontualmente, a criança se recuse

Leia mais

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE Grave violação dos direitos fundamentais de toda criança e adolescente, no entanto muito comum. Cerca de 10% das crianças e adolescentes que chegam

Leia mais

PRINCÍPIO 1 AMOR INCONDICIONAL

PRINCÍPIO 1 AMOR INCONDICIONAL PRINCÍPIO 1 AMOR INCONDICIONAL AMOR INCONDICIONAL Ame seu filho e não o seu comportamento: - A gente consegue amar incondicionalmente quando separa a pessoa do comportamento. Fortaleça a capacidade de

Leia mais

3. Roteiro de perguntas para serem aplicadas na tomada de declarações ou oitivas dasvítimas indiretas e testemunhas

3. Roteiro de perguntas para serem aplicadas na tomada de declarações ou oitivas dasvítimas indiretas e testemunhas 3. Roteiro de perguntas para serem aplicadas na tomada de declarações ou oitivas dasvítimas indiretas e testemunhas As questões abaixo contribuem para ilustrar comportamentos prévios de violência contra

Leia mais

LVIII Fórum Estadual de Conselheiros Tutelares. A Política de Educação e Projeto Político Pedagógico para o Enfrentamento à Violência nas Escolas

LVIII Fórum Estadual de Conselheiros Tutelares. A Política de Educação e Projeto Político Pedagógico para o Enfrentamento à Violência nas Escolas LVIII Fórum Estadual de Conselheiros Tutelares A Política de Educação e Projeto Político Pedagógico para o Enfrentamento à Violência nas Escolas Apresentação: Cândido Portinari: painel Guerra e Paz A criança

Leia mais

CANDIDATOS DA MICRORREGIÃO 7

CANDIDATOS DA MICRORREGIÃO 7 CANDIDATOS DA MICRORREGIÃO 7 Nome de urna: Chayenne Silva Número: 7005 - Coordenadora de projetos sociais na Associação Comunitária Núcleo Esperança; - Conselheira Tutelar suplente 2011-2015 -Professora

Leia mais

PLANEJAMENTO (LIVRO INFANTIL)

PLANEJAMENTO (LIVRO INFANTIL) PLANEJAMENTO (LIVRO INFANTIL) Professor (a): NOME DO LIVRO: O MUNDINHO DE BOAS ATITUDES AUTOR:INGRID BIESEMEYER BELLINGHAUSEN Competências Perceber a importância do auto respeito. Desenvolver o senso critico.

Leia mais

3.5 Medos e ansiedade na criança e no adolescente

3.5 Medos e ansiedade na criança e no adolescente Páginas para pais: Problemas na criança e no adolescente 3.5 Medos e ansiedade na criança e no adolescente Introdução À medida que cresce e descobre o mundo à sua volta, a criança vai-se apercebendo como

Leia mais

A equipe de saúde e a violência doméstica contra a criança e o adolescente

A equipe de saúde e a violência doméstica contra a criança e o adolescente A equipe de saúde e a violência doméstica contra a criança e o adolescente Prof. Enf. Cristina Brandt Nunes* Departamento de Enfermagem Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) A EQUIPE DE SAÚDE

Leia mais

V i o lê nci a Se xua l

V i o lê nci a Se xua l V i o lê nci a Se xua l V i sã o M undia l 1 O que é uma violência sexual? É impor a uma criança, menino ou menina, baseada numa relação de poder, uma atividade sexual para benefício de um adulto. Essa

Leia mais

Lei n.º /14 Lei Menino Bernardo

Lei n.º /14 Lei Menino Bernardo Lei n.º 13.010/14 Lei Menino Bernardo Material didático destinado à sistematização do conteúdo da disciplina Direito da Infância Juventude e Idoso Publicação no semestre 2014.1 Autor: Juliana Figueiredo

Leia mais

DRA. ANA RODRIGUES JOGOS VIOLENTOS E A BANALIDADE DO MAL

DRA. ANA RODRIGUES JOGOS VIOLENTOS E A BANALIDADE DO MAL DRA. ANA RODRIGUES JOGOS VIOLENTOS E A BANALIDADE DO MAL HISTÓRIA ESTAMOS MUDANDO PARA MELHOR? mutilação punição física guerra comércio leis IMPACTO NA VISÃO DE INFÂNCIA Mini-adultos - Treinados Castigados

Leia mais

Programa Saúde Perto de Você

Programa Saúde Perto de Você Programa Saúde Perto de Você OBJETIVO: Promover políticas de assistência, de prevenção e promoção da saúde no Estado do Rio Grande do Sul, abrangendo todos os níveis de complexidade do sistema. Projetos:

Leia mais

Lei da palmada, aprovada na Câmara, prevê punições aos pais

Lei da palmada, aprovada na Câmara, prevê punições aos pais http://www.opovo.com.br/app/opovo/brasil/2011/12/15/noticiabrasiljornal,2358157/lei-da-palmada-aprovada-na-camara-preve-punicoesaos-pais.shtml Lei da palmada, aprovada na Câmara, prevê punições aos pais

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº A DE 2010

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº A DE 2010 COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 7.672-A DE 2010 EMENDA DE REDAÇÃO Altera a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, que dispõe sobre o Estatuto da Criança

Leia mais

3.1 Problemas de comportamento na criança e no adolescente

3.1 Problemas de comportamento na criança e no adolescente Páginas para pais: Problemas na criança e no adolescente 3.1 Problemas de comportamento na criança e no adolescente Introdução A criança manifesta os sentimentos face ao mundo que a rodeia através do seu

Leia mais

Centro de Convivência da Pessoa Idosa

Centro de Convivência da Pessoa Idosa Centro de Convivência da Pessoa Idosa Deve-se basear numa concepção de cuidado para um envelhecimento ativo, que privilegie a reintegração sócio-política cultural da pessoa idosa, em conformidade com a

Leia mais

Ações Psicopedagógicas no contexto sócio-educacional e familiar

Ações Psicopedagógicas no contexto sócio-educacional e familiar Quézia Bombonatto Associação Brasileira de Psicopedagogia www.abpp.com.br queziabombonatto@abpp.com.br Ações Psicopedagógicas no contexto sócio-educacional e familiar O que se espera deste conversa: Refletir

Leia mais

Ass. de Comunicação Veículo: Jornal Alô Brasília Data: 14/04/2010 Seção: Cidades Pág.: 7 Assunto: Ludoteca

Ass. de Comunicação  Veículo: Jornal Alô Brasília Data: 14/04/2010 Seção: Cidades Pág.: 7 Assunto: Ludoteca Veículo: Jornal Alô Brasília Data: 14/04/2010 Seção: Cidades Pág.: 7 Veículo: Site Clica Brasília Data: 13/04/2010 Seção: Notícias Pág.: www.clicabrasilia.com.br Atualizado em: Terça-feira, 13/04/2010

Leia mais

Garantias do Estatuto da criança e do adolescente asseguradas pelas práticas restaurativas na seara escolar

Garantias do Estatuto da criança e do adolescente asseguradas pelas práticas restaurativas na seara escolar Garantias do Estatuto da criança e do adolescente asseguradas pelas práticas restaurativas na seara escolar Resumo Paloma Teles Mascarenhas Santos 1 Palomascarenhas27@gmail.com Kayza Caetano Amorim dos

Leia mais

Pelo fim dos castigos físicos e humilhantes contra as crianças

Pelo fim dos castigos físicos e humilhantes contra as crianças O movimento internacional Pelo fim dos castigos físicos e humilhantes contra as crianças Salvador, Bahia Outubro de 2010 A normativa internacional Desde 1948, a Declaração Universal dos Direitos Humanos

Leia mais

2 Ansiedade / Insegurança Comportamento de busca de atenção, medo / ansiedade, roer unhas, fala excessiva

2 Ansiedade / Insegurança Comportamento de busca de atenção, medo / ansiedade, roer unhas, fala excessiva Caracterização das demandas de psicodiagnóstico infantil em uma clínica-escola de São Paulo Characterization of the demands of child psychodiagnosis in a school clinic in São Paulo Tabela 1. Distribuição

Leia mais

VIOLÊNCIA ENTRE NAMORADOS NA ADOLESCÊNCIA (VNA) S. Taquette, C.Moraes, L. Souza, J. Garcia, L.Meira, T. Freitas, M. Carneiro

VIOLÊNCIA ENTRE NAMORADOS NA ADOLESCÊNCIA (VNA) S. Taquette, C.Moraes, L. Souza, J. Garcia, L.Meira, T. Freitas, M. Carneiro VIOLÊNCIA ENTRE NAMORADOS NA ADOLESCÊNCIA (VNA) S. Taquette, C.Moraes, L. Souza, J. Garcia, L.Meira, T. Freitas, M. Carneiro Introdução VNA é aquela que ocorre entre parceiros envolvidos em relacionamento

Leia mais

LDB Lei de Diretrizes e Bases

LDB Lei de Diretrizes e Bases PEDAGOGIA LDB Lei de Diretrizes e Bases Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional O pedagogo estuda as teorias da ciência da educação e do ensino É

Leia mais

Bullying. Psiquilíbrios

Bullying. Psiquilíbrios Psiquilíbrios Bullying Cada vez mais conhecido entre crianças e adultos, o bullying é um fenómeno que merece especial atenção. Muitos alunos já estiveram envolvidos em incidentes de bullying, quer como

Leia mais

senhor texugo e dona raposa a confusão

senhor texugo e dona raposa a confusão projeto pedagógico senhor texugo e dona raposa a confusão Uma História em Quadrinhos Senhor Texugo e Dona Raposa 2. A CONFUSÃO Série Premiada Rua Tito, 479 Lapa São Paulo SP CEP 05051-000 divulgação escolar

Leia mais

MEDIAÇÃO DE CONFLITOS E JUSTIÇA RESTAURATIVA UNIÃO EUROPEIA

MEDIAÇÃO DE CONFLITOS E JUSTIÇA RESTAURATIVA UNIÃO EUROPEIA MEDIAÇÃO DE CONFLITOS E JUSTIÇA RESTAURATIVA UNIÃO EUROPEIA MÉTODOS NÃO VIOLENTOS DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS Arbitragem: é o processo onde as partes em conflito atribuem poderes a outra pessoa, ou pessoas,

Leia mais

Educar para crescer. Serviço de Psicologia e Orientação Agrupamento de Escolas Sebastião da Gama. Fonte:

Educar para crescer. Serviço de Psicologia e Orientação Agrupamento de Escolas Sebastião da Gama. Fonte: Educar para crescer Serviço de Psicologia e Orientação Agrupamento de Escolas Sebastião da Gama Na sua relação com seu filho, você: a) É quem manda e não aceita que a criança o questione. b) Mostra-se

Leia mais

PROTAGONIZAR PARA CONSTRUIR: UM PROJETO DE INTERVENÇÃO PARA ADOLESCENTES DA CIDADE DO RIO GRANDE

PROTAGONIZAR PARA CONSTRUIR: UM PROJETO DE INTERVENÇÃO PARA ADOLESCENTES DA CIDADE DO RIO GRANDE PROTAGONIZAR PARA CONSTRUIR: UM PROJETO DE INTERVENÇÃO PARA ADOLESCENTES DA CIDADE DO RIO GRANDE Área Temática: Direitos Humanos e Justiça Coordenador da Ação de Extensão ou Ensino : Simone Paludo 1 Nome

Leia mais

Depressão: o que você precisa saber

Depressão: o que você precisa saber Depressão: o que você precisa saber Se você acredita que tem depressão, ou conhece alguém que talvez sofra desse transtorno, leia este material. O que é a depressão? A depressão é um transtorno mental

Leia mais

Minha esposa recebeu este texto por e encaminhou para mim.

Minha esposa recebeu este texto por  e encaminhou para mim. Obrigado mãe! Muito obrigado por seus ensinamentos. Provérbios 22.6 e 29.15 Pr. Fernando Fernandes PIB em Penápolis, 11/10/2009 Minha esposa recebeu este texto por e-mail e encaminhou para mim. Gostei

Leia mais

Disciplina. Me Ajuda a. Crescer. Vocês gostariam de fazer uns biscoitos?

Disciplina. Me Ajuda a. Crescer. Vocês gostariam de fazer uns biscoitos? 11 10 9 8 7 Disciplina Me Ajuda a Crescer 5 Vocês gostariam de fazer uns biscoitos? Gostaria! E é minha vez de escolher a receita. Não é não! É a minha. Claro que não, Tina! Você escolheu por último. Ai,

Leia mais

Pró-Reitoria de Graduação. Plano de Ensino 1º Quadrimestre de 2016

Pró-Reitoria de Graduação. Plano de Ensino 1º Quadrimestre de 2016 Caracterização da disciplina Código da NHZ5021-15 Nome da Educação em saúde e sexualidade disciplina: disciplina: Créditos (T-P-I): (3-0-3) Carga horária: 36 horas Aula prática: - Câmpus: SA Código da

Leia mais

BULLYING: DOMÍNIO PELO MEDO

BULLYING: DOMÍNIO PELO MEDO BULLYING: DOMÍNIO PELO MEDO O bullying é o responsável pelo estabelecimento de um clima de medo e perplexidade em torno das vítimas, bem como dos demais membros da comunidade educativa que, indiretamente,

Leia mais

VIOLÊNCIA SEXUAL. Capacitação Coordenadores municipais

VIOLÊNCIA SEXUAL. Capacitação Coordenadores municipais VIOLÊNCIA SEXUAL Capacitação Coordenadores municipais Fórum catarinense pelo fim da violência e exploração sexual infanto-juvenil Regional Alto Vale do Itajaí VIOLÊNCIA Uma ação direta ou indireta, concentrada

Leia mais

1.1. Creche Objectivos gerais

1.1. Creche Objectivos gerais 1.1. Creche 1.1.1. Objectivos gerais Os processos de ensino e aprendizagem deverão contribuir nesta primeira etapa da Educação para a Infância, para que as crianças alcancem os seguintes objectivos: -

Leia mais

"Vendendo para quem não quer comprar" Enrique Staschower

Vendendo para quem não quer comprar Enrique Staschower "Vendendo para quem não quer comprar" Enrique Staschower Outros tempos, outros usos. Calças tinham vincos obrigatoriamente. Quem atendia no balcão detinha o conhecimento do produto, do preço e por isso

Leia mais

AMOR PROVADO Ninho Bagunçado (Décimo primeiro ao décimo nono ano)

AMOR PROVADO Ninho Bagunçado (Décimo primeiro ao décimo nono ano) AMOR PROVADO Ninho Bagunçado (Décimo primeiro ao décimo nono ano) a) Manter uma identidade pessoal e uma identidade para o casamento > Dependência exagerada - A identidade do cônjuge é um reflexo do seu

Leia mais

Cuarta Conferencia Regional Intergubernamental sobre Envejecimiento y Derechos de las Personas Mayores en América Latina y el Caribe Asunción, junio

Cuarta Conferencia Regional Intergubernamental sobre Envejecimiento y Derechos de las Personas Mayores en América Latina y el Caribe Asunción, junio Cuarta Conferencia Regional Intergubernamental sobre Envejecimiento y Derechos de las Personas Mayores en América Latina y el Caribe Asunción, junio de 2017 Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa

Leia mais

A nossa sexualidade é uma construção que se inicia na vida intra-uterina e nos acompanha por toda nossa existência.

A nossa sexualidade é uma construção que se inicia na vida intra-uterina e nos acompanha por toda nossa existência. A nossa sexualidade é uma construção que se inicia na vida intra-uterina e nos acompanha por toda nossa existência. Viver na idade adulta uma sexualidade satisfatória depende do desenvolvimento psicossexual

Leia mais

Pesquisa de opinião Você está satisfeito com a sua vida conjugal?

Pesquisa de opinião Você está satisfeito com a sua vida conjugal? Outubro, 2016 Pesquisa de opinião Você está satisfeito com a sua vida conjugal? Outubro, 2016 Introdução O Instituto do Casal realizou uma pesquisa online com 510 pessoas, entre homens e mulheres, entre

Leia mais

Sequência didática Práticas pedagógicas e cinema: contribuições à Educação Ambiental Crítica

Sequência didática Práticas pedagógicas e cinema: contribuições à Educação Ambiental Crítica Sequência didática Práticas pedagógicas e cinema: contribuições à Educação Ambiental Crítica Objetivos: - Discutir concepções da Educação Ambiental crítica em sala de aula; - Estimular a divulgação de

Leia mais

ADOLESCENTE INFRATOR-UM OLHAR PARA COMPORTAMENTOS NA INFÂNCIA

ADOLESCENTE INFRATOR-UM OLHAR PARA COMPORTAMENTOS NA INFÂNCIA ADOLESCENTE INFRATOR-UM OLHAR PARA COMPORTAMENTOS NA INFÂNCIA Eliana Arara da Costa 1 Neila Rodrigues Oliveira 2 Elisângela Maura Catarino 3 Resumo Este trabalho apresenta a problemática de menores infratores

Leia mais

O que a lei define como bullying

O que a lei define como bullying Todo mundo sabe que fazer bullying é fazer sofrer. O bullying parece uma brincadeira. Mas não é. Mesmo assim, ainda tem gente que faz ou apoia, gente que sofre em silêncio ou fica calado vendo alguém sofrer.

Leia mais

Mal-me-quer, Bem-me-quer!

Mal-me-quer, Bem-me-quer! Mal-me-quer, Bem-me-quer! O ciclo da violência no namoro Prevalência deste fenómeno no contexto universitário Português Segundo um estudo realizado em 2002, em contexto universitário português, concluiu-se

Leia mais

O ATENDIMENTO PSICOLÓGICO ÀS MULHERES EM SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA NO CENTRO DE REFERÊNCIA MARIA DO PARÁ: UM BALANÇO APÓS DOIS ANOS DE FUNCIONAMENTO

O ATENDIMENTO PSICOLÓGICO ÀS MULHERES EM SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA NO CENTRO DE REFERÊNCIA MARIA DO PARÁ: UM BALANÇO APÓS DOIS ANOS DE FUNCIONAMENTO RELATO DE EXPERIÊNCIA O ATENDIMENTO PSICOLÓGICO ÀS MULHERES EM SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA NO CENTRO DE REFERÊNCIA MARIA DO PARÁ: UM BALANÇO APÓS DOIS ANOS DE FUNCIONAMENTO Adriana Alcântara dos Reis 1 O presente

Leia mais

PROGRAMA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO FISCAL. PROJETO: CIDADANIA: APRENDENDO PARA A VIDA Profª Medianeira Garcia Geografia

PROGRAMA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO FISCAL. PROJETO: CIDADANIA: APRENDENDO PARA A VIDA Profª Medianeira Garcia Geografia PROGRAMA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO FISCAL PROJETO: CIDADANIA: APRENDENDO PARA A VIDA Profª Medianeira Garcia Geografia INTRODUÇÃO O projeto foi organizado por acreditarmos que o papel da escola e sua função

Leia mais

ESPORTE E EDUCAÇÃO: UMA RELAÇÃO IMPRESCINDÍVEL. SURAYA CRISTINA DARIDO UNESP Rio Claro - SP Coordenadora do LETPEF

ESPORTE E EDUCAÇÃO: UMA RELAÇÃO IMPRESCINDÍVEL. SURAYA CRISTINA DARIDO UNESP Rio Claro - SP Coordenadora do LETPEF ESPORTE E EDUCAÇÃO: UMA RELAÇÃO IMPRESCINDÍVEL SURAYA CRISTINA DARIDO UNESP Rio Claro - SP Coordenadora do LETPEF PRESSUPOSTO - 1 - Esporte não é educacional em si, depende do tratamento pedagógico utilizado.

Leia mais

Viver: isso a gente curte

Viver: isso a gente curte Viver: isso a gente curte NÃO À VIOLÊNCIA! AF Cartilha Defenda o Adolescente.indd 1 20/07/16 17:26 Nós pedimos com insistência Não digam nunca: Isso é natural! Diante dos acontecimentos de cada dia. Numa

Leia mais

PROJETO REGRINHAS DA ESCOLA E AS PALAVRAS MÁGICAS

PROJETO REGRINHAS DA ESCOLA E AS PALAVRAS MÁGICAS PROJETO REGRINHAS DA ESCOLA E AS PALAVRAS MÁGICAS SITUAÇÃO PROBLEMA 0Alunos de uma mesma sala que NÃO respeitam as regras escolares e NÃO atendem as solicitações dos adultos (professora, gestores, funcionários

Leia mais

destaques da programação: 16/fev a 22/fev A Arte da Persuasão duração: 58 exibição: 16/fev, às 22h

destaques da programação: 16/fev a 22/fev A Arte da Persuasão duração: 58 exibição: 16/fev, às 22h A Arte da Persuasão duração: 58 exibição: 16/fev, às 22h Episódio da série Como a Arte Moldou o Mundo, que mostra manifestações artísticas desde tempos imemoriais e os seus reflexos na formação histórica

Leia mais

Segurança Alimentar e Nutricional Possibilidades de aplicação na ESF. Patrícia Maria de Oliveira Machado

Segurança Alimentar e Nutricional Possibilidades de aplicação na ESF. Patrícia Maria de Oliveira Machado Segurança Alimentar e Nutricional Possibilidades de aplicação na ESF Patrícia Maria de Oliveira Machado Objetivos da aula Apresentar os conceitos de Direito Humano à Alimentação (DHAA) e Segurança Alimentar

Leia mais

Escola de Formação Política Miguel Arraes

Escola de Formação Política Miguel Arraes Escola de Formação Política Miguel Arraes Curso de Atualização e Capacitação Sobre Formulação e Gestão de Políticas Públicas Módulo III Políticas Públicas e Direitos Humanos Aula 7 Gestão em Segurança

Leia mais

Alterações na legislação vigente: O ECA e a busca da efetivação de direitos de crianças e adolescentes.

Alterações na legislação vigente: O ECA e a busca da efetivação de direitos de crianças e adolescentes. Alterações na legislação vigente: O ECA e a busca da efetivação de direitos de crianças e adolescentes. por Vera Cristina de Souza Missão do CEDECA Rio de Janeiro: Promover a prevalência e respeito da

Leia mais

ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTE

ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTE 1 ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTE Daniela Pavan Terada 1 Priscila Fugiwara 2 CRAMI ABCD-Centro Regional de Atenção aos maus tratos na infância do ABCD. RESUMO:Este trabalho

Leia mais

INFORMATIVO 16 / 2014 PALMADAS

INFORMATIVO 16 / 2014 PALMADAS 16inf14 (28/06/2014) - HMF INFORMATIVO 16 / 2014 PALMADAS No dia 27 de junho de 2014 foi publicada a polêmica lei federal 13.010, cujas principais regras são (com nossos destaques em negrito): A PRESIDENTA

Leia mais

LANÇAMENTO DO SITE DO I SIMPOSIO DE FORTALECIMENTO DO SISTEMA DE GARANTIA DE DIREITOS DO CENTRO OESTE E 6º ENCONTRO NACIONAL DE CREAS

LANÇAMENTO DO SITE DO I SIMPOSIO DE FORTALECIMENTO DO SISTEMA DE GARANTIA DE DIREITOS DO CENTRO OESTE E 6º ENCONTRO NACIONAL DE CREAS LANÇAMENTO DO SITE DO I SIMPOSIO DE FORTALECIMENTO DO SISTEMA DE GARANTIA DE DIREITOS DO CENTRO OESTE E 6º ENCONTRO NACIONAL DE CREAS DATA: dia 03 de maio de 2016 LOCAL: Sala das Comissões Deputado Solon

Leia mais

Site: Contato:

Site:  Contato: III Fórum Internacional de Pedagogia FIPED Universidade Estadual do Ceará - UECE Campus da Faculdade de Educação, Ciências e Letras do Sertão Central FECLESC. Quixadá - Ceará Brasil 10, 11,12 e 13 de Novembro

Leia mais

Datas Especiais. MARÇO 08 - Dia Internacional da Mulher 11 - Dia Internacional das Vítimas do Terrorismo 14 - Dia dos Animais Dia Nacional da Poesia

Datas Especiais. MARÇO 08 - Dia Internacional da Mulher 11 - Dia Internacional das Vítimas do Terrorismo 14 - Dia dos Animais Dia Nacional da Poesia Datas Especiais JANEIRO 01 - Dia da Confraternização Universal Dia Mundial da Paz 04 - Dia Mundial do Braille 06 - Dia de Reis Dia da Gratidão 07 - Dia da Liberdade de Cultos 08 - Dia do Fotógrafo Dia

Leia mais

I Congresso Celular IBC. 04 a 06 de maio de 2012

I Congresso Celular IBC. 04 a 06 de maio de 2012 I Congresso Celular IBC 04 a 06 de maio de 2012 OFICINA ACONSELHAMENTO BÍBLICO Ministrante: Pr. Flávio OBJETIVO Esse pequeno ensaio permite delinear alguns princípios básicos para Aconselhamento Pastoral.

Leia mais

Amt für Volksschule. Traços de orientação para os pais de crianças da escola de infância ou escola primária

Amt für Volksschule. Traços de orientação para os pais de crianças da escola de infância ou escola primária Amt für Volksschule Traços de orientação para os pais de crianças da escola de infância ou escola primária Os pais constroem uma relação positiva com a criança M Evidenciar proximidade e carinho Através

Leia mais

CONHECE DEUS NA SUA ESSÊNCIA O AMOR

CONHECE DEUS NA SUA ESSÊNCIA O AMOR 2ªf (28 set) CONHECE DEUS NA SUA ESSÊNCIA O AMOR Guia Bom Dia! Jesus, numa das suas Parábolas, compara Deus a um pastor. Ao apresentar esta parábola, Jesus quis mostrar o tamanho do amor de Deus pelas

Leia mais

3.8 Tristeza e depressão na criança e no adolescente

3.8 Tristeza e depressão na criança e no adolescente Páginas para pais: Problemas na criança e no adolescente 3.8 Tristeza e depressão na criança e no adolescente Introdução Os sentimentos de tristeza, desapontamento, desvalorização e culpa, surgem pontualmente

Leia mais

Violência contra menor

Violência contra menor Violência contra menor que providências tomar e a quem recorrer? Sabine Káteb Estatuto da Criança e do Adolescente Lei nº 8.069, de 13 de Julho de 1990 Por mais que pareça desnecessário deve ser lembrado

Leia mais

A MASSAGEM CONTRA A VIOLÊNCIA NA ESCOLA

A MASSAGEM CONTRA A VIOLÊNCIA NA ESCOLA A MASSAGEM CONTRA A VIOLÊNCIA NA ESCOLA Clayton Dourado Oliveira Prof. de EF da EE Juventina Patrícia Santana, São Paulo SP Paula Costa Teixeira Profa. de EF colaboradora do projeto Resumo A aula de Educação

Leia mais

Associação de Pais, Encarregados de Educação e Amigos dos Alunos da EB1/JI de Pinhal de Frades. Plano de Actividades 2012/2013

Associação de Pais, Encarregados de Educação e Amigos dos Alunos da EB1/JI de Pinhal de Frades. Plano de Actividades 2012/2013 Setembro Recepção dos alunos (dias 03 a 07) Promover a integração/adaptação das crianças Desenvolver atitudes de auto-estima e auto-confiança Conhecer os colegas e a escola Conhecer as regras da sala Recepção

Leia mais

TITLE Bullying preconceito e inclusão. ÁREA DE ENFOQUE: Paz e Prevenção e Resolução de Conflitos! Projeto da Coordenadoria Distrital

TITLE Bullying preconceito e inclusão. ÁREA DE ENFOQUE: Paz e Prevenção e Resolução de Conflitos! Projeto da Coordenadoria Distrital TITLE Bullying preconceito e inclusão ÁREA DE ENFOQUE: Paz e Prevenção e Resolução de Conflitos! Projeto da Coordenadoria Distrital VIOLÊNCIA Força empregada contra o direito natural de outrem; ação que

Leia mais

Casos de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher cadastrados em Macapá

Casos de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher cadastrados em Macapá Casos de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher cadastrados em Macapá No ano de 2012, foram cadastrados pela Promotoria de Justiça de Defesa da Mulher de Macapá, através do Sistema de Cadastro

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PROJETO PROVIDÊNCIA

ASSOCIAÇÃO PROJETO PROVIDÊNCIA ASSOCIAÇÃO PROJETO PROVIDÊNCIA A Associação Projeto Providência é uma associação civil, de cunho filantrópico, de natureza educacional, cultural e assistencial, fundada em 1988, por Pe. Mário Pozzoli,

Leia mais

Um novo olhar sobre o portfólio na educação infantil

Um novo olhar sobre o portfólio na educação infantil Um novo olhar sobre o portfólio na educação infantil Micheline hoffmeister micheline.hoff@aluno.faccat.br EMEI Ursinho Encantado Márcia regina de moraes marcia-moraes2011@bol.com.br EMEI Ursinho Encantado

Leia mais

Crime público desde Lei 7/2000 de Denúncia para além dos seis meses Lei aplicável: vigente no momento prática do último ato Tribunal

Crime público desde Lei 7/2000 de Denúncia para além dos seis meses Lei aplicável: vigente no momento prática do último ato Tribunal 1 Quem, de modo reiterado ou não, infligir maus tratos físicos ou psíquicos, incluindo castigos corporais, privações da liberdade e ofensas sexuais: a) Ao cônjuge ou ex-cônjuge; b) A pessoa de outro ou

Leia mais

COMO MANTER O LAR LIVRE DA DROGA

COMO MANTER O LAR LIVRE DA DROGA COMO MANTER O LAR LIVRE DA DROGA A PREVENÇÃO AO USO DO CRACK COMEÇA DENTRO DE CASA: Estudos apontam que pais ausentes ou superprotetores podem favorecer a queda dos filhos na dependência química. A PREVENÇÃO

Leia mais

Como implementar estratégias de promoção de saúde? A promoção de saúde implica possuir uma cultura de risco.

Como implementar estratégias de promoção de saúde? A promoção de saúde implica possuir uma cultura de risco. Como implementar estratégias de promoção de saúde? A promoção de saúde implica possuir uma cultura de risco. Risco e cultura de risco? O risco é a probabilidade de ocorrência de perturbações que alterem

Leia mais

TJRJ Comissário da Infância, Juventude e do Idoso

TJRJ Comissário da Infância, Juventude e do Idoso TJRJ Comissário da Infância, Juventude e do Idoso - Discas para a prova discursiva Professora Claudete Pessôa O Analista Judiciário na Especialidade de Comissário de Justiça da Infância, da Juventude e

Leia mais

A Constituição Laboral em Alto Risco

A Constituição Laboral em Alto Risco Other universities From the SelectedWorks of Paulo Ferreira da Cunha December 22, 2011 A Constituição Laboral em Alto Risco Paulo Ferreira da Cunha, Universidade do Porto Available at: http://works.bepress.com/pfc/136/

Leia mais

S O L I D A R I E D A D E F R A N Ç A - B R A S I L EM DEFESA DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

S O L I D A R I E D A D E F R A N Ç A - B R A S I L EM DEFESA DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE S O L I D A R I E D A D E F R A N Ç A - B R A S I L EM DEFESA DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Avenida República do Chile, 500, 19º andar Centro - Rio de Janeiro - CEP 20031 170 Tel: (21) 2580-4048 / (21) 2580-5085

Leia mais

V SEMEX URCA-UDI APRESENTAÇÃO DOS RESUMO RODA DE CONVERSA

V SEMEX URCA-UDI APRESENTAÇÃO DOS RESUMO RODA DE CONVERSA V SEMEX URCA-UDI APRESENTAÇÃO DOS RESUMO RODA DE CONVERSA RODA DE CONVERSA NÚMERO I Eixo Saúde: EDUCAÇÃO FÍSICA Autor Principal Titulo Dia 16 de novembro as 18:00h Gabriel bezerra Vieira Lima Perfil antropométrico

Leia mais

BULLYING NA ESCOLA: UM OLHAR DA PSICOLOGIA 1. Jaqueline Tatiane Welke Hasper 2.

BULLYING NA ESCOLA: UM OLHAR DA PSICOLOGIA 1. Jaqueline Tatiane Welke Hasper 2. BULLYING NA ESCOLA: UM OLHAR DA PSICOLOGIA 1 Jaqueline Tatiane Welke Hasper 2. 1 Artigo apresentado para aprovação na disciplina de ESTÁGIO SUPERVISIONADO E SEMINÁRIO EM PSICOLOGIA E PROCESSOS EDUCACIONAIS

Leia mais

Espaços educativos no século XXI - Representações midiáticas de professores Por Talita Moretto

Espaços educativos no século XXI - Representações midiáticas de professores Por Talita Moretto Tecnologias na Aprendizagem Espaços educativos no século XXI - Representações midiáticas de professores Por Talita Moretto Eu na TV! Em um momento em que se fala de tecnologia educacional, e a influência

Leia mais

Agrupamento Vertical de Escolas S. Teotónio. Biblioteca Escolar

Agrupamento Vertical de Escolas S. Teotónio. Biblioteca Escolar Agrupamento Vertical de Escolas S. Teotónio Biblioteca Escolar O que caracteriza o actual momento histórico é o predomínio da tecnologia, do novo, das mudanças constantes, do desenvolvimento contínuo do

Leia mais

A História da Criança

A História da Criança EM FOCO: A HISTÓRIA DA INFÂNCIA A CONCEPÇÃO CONTEMPORÂNEA DE CRIANÇA: DIVERSOS OLHARES DOCUMENTOS NORTEADORES PARA UM OLHAR CRÍTICO E REFLEXIVO SOBRE A INFÂNCIA A História da Criança Não existe o significado

Leia mais

Sou Vivo Não Uso Drogas

Sou Vivo Não Uso Drogas Conselho Tutelar de Santa Maria da Boa Vista Projeto de Intervenção: Trabalho de Conclusão do Curso Aperfeiçoamento Teoria e Pratica de Tutelares e de Direito da Criança e do Adolescente Sou Vivo Não Uso

Leia mais

O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA- 1990) regulamenta o Artigo da Constituição Federal de 1988 que prevê:

O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA- 1990) regulamenta o Artigo da Constituição Federal de 1988 que prevê: 1 O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA- 1990) regulamenta o Artigo - 227 da Constituição Federal de 1988 que prevê: É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente,

Leia mais

Promoção e proteção dos direitos das crianças. A utilidade de critérios, ou pilares concetuais, é

Promoção e proteção dos direitos das crianças. A utilidade de critérios, ou pilares concetuais, é A utilidade de critérios, ou pilares concetuais, é inquestionável para enquadrar as ações de proteção e cuidados à infância. Os profissionais devem partilhar conceitos básicos, que os ajudem a identificar

Leia mais

Ficha Informativa + Segurança. Saúde no Trabalho. Edição N.º 14 Assédio Moral no Local de Trabalho. + Segurança. Saúde no Trabalho.

Ficha Informativa + Segurança. Saúde no Trabalho. Edição N.º 14 Assédio Moral no Local de Trabalho. + Segurança. Saúde no Trabalho. Ficha Informativa + Segurança Saúde no Trabalho Edição N.º 14 Assédio Moral no Local de Trabalho O Assédio Moral no Trabalho não é um fenómeno novo. Podemos dizer que é um problema tão antigo como o trabalho.

Leia mais

Maria Cecília de Souza Minayo

Maria Cecília de Souza Minayo Maria Cecília de Souza Minayo Cecilia@claves.fiocruz.br 24.800.000 pessoas idosas 13.8440 mulheres e 11.010.000 de homens Aumento do número de pessoas idosas vivendo sozinhas (mais de 7 milhões), sendo

Leia mais

Série Paternidade: Desejo, Direito e Compromisso.

Série Paternidade: Desejo, Direito e Compromisso. Série Paternidade: Desejo, Direito e Compromisso. Série Paternidade: Desejo, Direito e Compromisso. Realização Apoio Rede de Estudos e Pesquisas em Psicologia Social Campanha www.genero.org.br SUMÁRIO

Leia mais

PLANO DE CURSO. Código: FIS09 Carga Horária: 60 Créditos: 03 Pré-requisito: Período: IV Ano:

PLANO DE CURSO. Código: FIS09 Carga Horária: 60 Créditos: 03 Pré-requisito: Período: IV Ano: PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Licenciatura em Educação Física Disciplina: Educação Física na Infância Professor: Gilson Pereira Souza E-mail: professorgilsonpereira@gmail.com Código:

Leia mais

AULA 04. Profª DENISE VLASIC HOFFMANN,Jussara Avaliar respeitar primeiro, educar depois.

AULA 04. Profª DENISE VLASIC HOFFMANN,Jussara Avaliar respeitar primeiro, educar depois. AULA 04 Profª DENISE VLASIC HOFFMANN,Jussara Avaliar respeitar primeiro, educar depois. Jussara Hoffmann Avaliar respeitar primeiro, educar depois Interesse questões avaliativas As crianças permanecem

Leia mais

coleção Conversas #12 - SETEMBRO é no Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #12 - SETEMBRO é no Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. a s coleção Conversas #12 - SETEMBRO 2014 - Eu sinto a I tr s ç o ã o por c é no r r m ia a nç a l? s. Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da

Leia mais

A Administração de Conflitos consiste exatamente na escolha e implementação das estratégias mais adequadas para se lidar com cada tipo de situação.

A Administração de Conflitos consiste exatamente na escolha e implementação das estratégias mais adequadas para se lidar com cada tipo de situação. Conceito A Administração de Conflitos consiste exatamente na escolha e implementação das estratégias mais adequadas para se lidar com cada tipo de situação. Lidar com o conflito consiste em trabalhar com

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES DA CRECHE

PLANO DE ATIVIDADES DA CRECHE 01 Início do Ano Letivo Atividades de escolha livre. Atividades de exploração do espaço exterior. - Promover a integração / (re) adaptação das crianças; - Integração da criança no meio envolvente. Materiais

Leia mais

O Pacto Mundial para o Emprego:

O Pacto Mundial para o Emprego: O Pacto Mundial para o Emprego: Uma resposta à crise Escritório da OIT no Brasil Seminário sobre a Elaboração do PNTD e a Participação dos Trabalhadores São Paulo, 29 de setembro de 2009 Objetivo estratégico

Leia mais

ASPECTOS CLÍNICOS E PSÍQUICOS DO ATENDIMENTO A CRIANÇAS E ADOLESCENTES VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA

ASPECTOS CLÍNICOS E PSÍQUICOS DO ATENDIMENTO A CRIANÇAS E ADOLESCENTES VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA ASPECTOS CLÍNICOS E PSÍQUICOS DO ATENDIMENTO A CRIANÇAS E ADOLESCENTES VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA FUNDAMENTOS ÉTICOS E LEGAIS DO ATENDIMENTO A VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA BRASÍLIA 2017 URGÊNCIAS PSIQUIÁTRICAS NA INFÂNCIA

Leia mais

Associação de Pais, Encarregados de Educação e Amigos dos Alunos da EB1/JI de Pinhal de Frades. Plano de Atividades 2013/2014

Associação de Pais, Encarregados de Educação e Amigos dos Alunos da EB1/JI de Pinhal de Frades. Plano de Atividades 2013/2014 Setembro Receção e Acolhimento dos alunos (dias 02 a 06) Integrar as novas crianças e promover a facilidade de interação no grupo Promover o bem-estar e o fácil convívio entre as crianças Atividades relacionadas

Leia mais

Selo UNICEF realiza ciclo de capacitação em todo o País

Selo UNICEF realiza ciclo de capacitação em todo o País 08 novembro de 2010 Selo UNICEF realiza ciclo de capacitação em todo o País O 3º Ciclo de capacitação do Selo UNICEF Município Aprovado está sendo realizado em todo o Brasil, com a participação de conselheiros

Leia mais