Os Imperialismos. Prof. Thiago História 1 Aula 35

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Os Imperialismos. Prof. Thiago História 1 Aula 35"

Transcrição

1 Os Imperialismos Prof. Thiago História 1 Aula 35

2 TECNOLOGIA x TRABALHADORES DIMINUIÇÃO DO CUSTO MENOR Nº DE TRABALHADORES MENOS CONSUMO 1ª GRANDE DEPRESSÃO DO CAPITALISMO

3 SOLUÇÕES PARA CRISE A) Concentração de capitais Grandes empresas B) Busca por novos mercados consumidores Ásia e África

4 O papel das colônias Fornecem matérias primas industriais Consomem produtos industrializados Receptoras para o excedentes populacional e financeiro Obras de infraestrutura O que justifica o domínio do outro?

5 Missão Civilizatória O fardo do Homem Branco: Assumi o fardo do homem branco, Enviai os melhores dos vossos filhos, Condenai vossos filhos ao exílio, Para que sejam servidores de seus cativos. (RUDYARD KIPLING) Darwinismo social sobrevivência do mais forte Ideia de superioridade do homem branco

6 O avanço sobre a Ásia

7 Conflitos imperialistas GUERRA DOS CIPAIOS ( ) INGLATERRA X ÍNDIA Exército formado por recrutas indianos de diferentes castas, e utilização de gordura animal para impermeabilizar cartuchos; Concorrência inglesa destrói produção local de tecidos. Consequência: Índia torna-se oficialmente uma colônia britânica.

8 Guerra do Ópio ( ): INGLATERRA X CHINA Causas: China tenta proibir o consumo de ópio no país. Um carregamento inglês de 20 mil caixas de ópio é jogado ao mar pelas autoridades chinesas.

9 Guerra do Ópio Consequências: TRATADO DE NANQUIM Abertura de 5 portos ao livre comércio. Eliminação do sistema fiscalizador. Hong Kong é entregue à ING por 155 anos.

10 Revolta dos Taiping ( ): Nacionalistas chineses X potências estrangeiras (ING+FRA+EUA+RUS) Consequência: ampliação da dominação estrangeira sobre a China com a abertura de mais portos ao livre comércio.

11 Guerra dos Boxers (1900): Ataques aos estrangeiros residentes na China Nacionalistas chineses X potências estrangeiras (ING + FRA + EUA + RUS + ALE + JAP) Consequência: reconhecimento das concessões feitas anteriormente aos países estrangeiros.

12 Caso Japonês Até o século XIX afastado dos europeus. Poder nas mãos de aristocracia rural (daimios), amparados por guerreiros profissionais (samurais). Comando do país xogunato (família Tokugawa). Imperador (micado) poder meramente simbólico. 1853: americanos forçam abertura do mercado japonês. Nacionalistas iniciam oposição ao governo do xogunato e unem-se ao imperador Mutsuhito. Meiji Governo Iluminado Centralização política (imperador) impulsiona industrialização.

13 Revolução Meiji Investimentos estatais em setores estratégicos. Incentivos aos projetos industriais. Bolsas estudantis na Europa (formação e capacitação). Emissão monetária. Venda de empresas estratégicas estatais (zaibatsu) ao setor privado para controlar a inflação. Imperialismo sobre a China (Manchúria).

14 O bolo africano

15 Conferência de Berlim Otto von Bismark Regras para a partilha da África Reconhecem a posse pessoal do Congo pelo Rei Belga, Leopoldo II.

16 Expansionismo Britânico Melhores porções Africanas Protetorado sobre o Egito (1882) e conquistas posteriores África Oriental: Quênia, Rodésia, Uganda, Sudão Anglo-Egípcio Costa Ocidental: Gâmbia, Serra Leoa, Nigéria e Costa de Ouro No Sul, colônia do Cabo Tentativa de estabelecer um bloco compacto do Cabo ao Egito Política de Cecil Rhodes (primeiro-ministro de Cabo) Expansão de Cabo em direção ao norte originou a Guerra dos Bôeres.

17 GUERRA DOS BÔERES ( ) Descoberta de ouro e diamantes na República livre de Transvaal (fundada pelos bôeres). Liderados pelo presidente Kruger Resultado: INGLATERRA anexa as Repúblicas de Orange e Transvaal (fundadas pelos bôeres) às colônias do Cabo e Natal, fundando em 1908 a União Sul-Africana. Governado por representante da Coroa Parlamento formado por Holandeses e Ingleses

18 Outros Países França Dominação de Argélia, Tunísia e grande parte do Marrocos, Senegal, Guiné, Daomé, Costa do Marfim, Chade, Madasgar, etc. Itália Participação tardia (pós-unificação) Domínio sobre a Eritreia e a Somália, derrotados na Abissínia, conquista da Tripolitânia que deu origem a Líbia Espanha Conquista do Rio do Ouro, parte do Marrocos e Guiné Espanhola Portugal Manteve as colônias, Guiné-Bissau, Angola e Moçambique, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe Alemanha Também teve participação tardia (pós-unificação) Conquista de Togo, Camarões, Sudoeste Africano Alemão e África Oriental Alemã (Tanganica)

19 Consequências Gerais Desestruturação de sistemas produtivos locais. Fome endêmica, miséria crônica. Submissão econômica das regiões dominadas. Agravamento de conflitos regionais. Desenvolvimento de nações industrializadas. Disputas imperialistas. I Guerra Mundial

IDADE CONTEMPORÂNEA IMPERIALISMO E NEOCOLONIALISMO IMPERIALISMO

IDADE CONTEMPORÂNEA IMPERIALISMO E NEOCOLONIALISMO IMPERIALISMO IMPERIALISMO Definição: domínio de vastas áreas do planeta por parte de nações industrializadas (ING, FRA, HOL, BEL, ALE, ITA, JAP, EUA, RUS). Onde? África e Ásia (Neocolonialismo) e América (Imperialismo).

Leia mais

IDADE CONTEMPORÂNEA IMPERIALISMO E NEOCOLONIALISMO

IDADE CONTEMPORÂNEA IMPERIALISMO E NEOCOLONIALISMO Definição: domínio de vastas áreas do planeta por parte de nações industrializadas (ING, FRA, HOL, BEL, ALE, ITA, JAP, EUA, RUS). Momento Histórico: 2ª REV. INDUSTRIAL 1860 1914 ALE, ITA, RUS, EUA, JAP

Leia mais

Prof. Thiago. Os Imperialismos

Prof. Thiago. Os Imperialismos Prof. Thiago Os Imperialismos TECNOLOGIA x TRABALHADORES DIMINUIÇÃO DO CUSTO MENOR Nº DE TRABALHADORES MENOS CONSUMO 1ª GRANDE DEPRESSÃO DO CAPITALISMO SOLUÇÕES PARA CRISE A) Concentração de capitais Grandes

Leia mais

Definição: domínio de vastas áreas do planeta por parte de nações industrializadas (ING, FRA, HOL, BEL, ALE, ITA, JAP, EUA, RUS). Onde?

Definição: domínio de vastas áreas do planeta por parte de nações industrializadas (ING, FRA, HOL, BEL, ALE, ITA, JAP, EUA, RUS). Onde? Definição: domínio de vastas áreas do planeta por parte de nações industrializadas (ING, FRA, HOL, BEL, ALE, ITA, JAP, EUA, RUS). Onde? África e Ásia (Neocolonialismo) e América (Imperialismo). Causas

Leia mais

IMPERIALISMO E NEOCOLONIALISMO

IMPERIALISMO E NEOCOLONIALISMO IMPERIALISMO E NEOCOLONIALISMO Resultado da 2ª Revolução Industrial 1. CONTEXTO: 2ª Revolução Industrial; Necessidade de novos mercados; Nacionalismo; Produção de armas; Capitalismo Monopolista: Setor

Leia mais

IMPERIALISMO E NEOCOLONIALISMO

IMPERIALISMO E NEOCOLONIALISMO IMPERIALISMO E NEOCOLONIALISMO Resultado da 2ª Revolução Industrial CONTEXTO: 2ª Revolução Industrial; Necessidade de novos mercados; Nacionalismo; Produção de armas; O CAPITALISMO MONOPOLISTA Setor industrial

Leia mais

IMPERIALISMO E NEOCOLONIALISMO NO SÉCULO XIX. MARCOS ROBERTO

IMPERIALISMO E NEOCOLONIALISMO NO SÉCULO XIX. MARCOS ROBERTO IMPERIALISMO E NEOCOLONIALISMO NO SÉCULO XIX. MARCOS ROBERTO CONTEXTO Segunda metade do século XIX quando a expansão dos países europeus industrializados leva a partilha dos continentes africano e asiático;

Leia mais

AVISO: O conteúdo e o contexto das aulas referem-se aos pensamentos emitidos pelos próprios autores que

AVISO: O conteúdo e o contexto das aulas referem-se aos pensamentos emitidos pelos próprios autores que AVISO: O conteúdo e o contexto das aulas referem-se aos pensamentos emitidos pelos próprios autores que foram interpretados por estudiosos dos temas RUBENS expostos. RAMIRO Todo JUNIOR exemplo (TODOS citado

Leia mais

REVOLUÇÃO INDUSTRIAL II REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

REVOLUÇÃO INDUSTRIAL II REVOLUÇÃO INDUSTRIAL REVOLUÇÃO INDUSTRIAL II REVOLUÇÃO INDUSTRIAL I REV. INDUSTRIAL II REV. INDUSTRIAL 1760-1860 1860 1914 ING, FRA e BEL ALE, ITA, RUS, EUA, JAP FERRO CARVÃO - VAPOR CAPITALISMO LIBERAL E INDUSTRIAL AÇO PETRÓLEO

Leia mais

2ª Revolução Industrial

2ª Revolução Industrial IMPERIALISMO 2ª Revolução Industrial Taylorismo Fredericrk W. Taylor (1856-1915) Os trabalhadores deveriam ser organizados de forma hierarquizada e sistematizada (especialização do trabalho) No taylorismo,

Leia mais

CAPÍTULO 1: Segunda Revolução Industrial e Imperialismo Segunda Revolução Industrial Segunda metade do século XIX; Grande desenvolvimento econômico;

CAPÍTULO 1: Segunda Revolução Industrial e Imperialismo Segunda Revolução Industrial Segunda metade do século XIX; Grande desenvolvimento econômico; CAPÍTULO 1: Segunda Revolução Industrial e Imperialismo Segunda Revolução Industrial Segunda metade do século XIX; Grande desenvolvimento econômico; Inglaterra, França, Estados Unidos, Bélgica, Alemanha

Leia mais

Banda Larga - Definià à o Tecnica

Banda Larga - Definià à o Tecnica Banda Larga - Definià à o Tecnica O que e Banda Larga? (Broadband) Banda Larga refere-se à telecomunicação que fornece múltiplos canais de dados por cima de um meio de comunicações único, tipicamente usando

Leia mais

Imperialismo Marco Abreu dos Santos.

Imperialismo Marco Abreu dos Santos. Imperialismo Marco Abreu dos Santos marcoabreu@live.com www.professormarco.wordpress.com Conceito Imperialismo foi a disputa entre as potências capitalistas por colônias ou áreas de influência na Ásia,

Leia mais

a) substituição das intervenções militares pelo uso da diplomacia internacional.

a) substituição das intervenções militares pelo uso da diplomacia internacional. 1-(Cesgranrio 94) A industrialização acelerada de diversos países, ao longo do século XIX, alterou o equilíbrio e a dinâmica das relações internacionais. Com a Segunda Revolução Industrial emergiu o Imperialismo,

Leia mais

ONU (1945) - estimular a autodeterminação dos Povos, difusão de ideais nacionalistas e oposição as metrópoles. Movimentos nacionalistas - formação de

ONU (1945) - estimular a autodeterminação dos Povos, difusão de ideais nacionalistas e oposição as metrópoles. Movimentos nacionalistas - formação de HISTÓRICO E CONTEXTO Conferencia de Berlim (1884/5) Imperialismo e Neocolonialismo (Século XIX): Potencias Europeias impõe seu domínio sobre África e Ásia. ONU (1945) - estimular a autodeterminação dos

Leia mais

IMPERIALISMO / NEOCOLONIALISMO. (Séculos XIX / XX)

IMPERIALISMO / NEOCOLONIALISMO. (Séculos XIX / XX) IMPERIALISMO / NEOCOLONIALISMO (Séculos XIX / XX) 1 - DIFERENÇAS CONCEITUAIS COLONIALISMO MODERNO (Séc. XV-XVII) Aliado às Grandes Navegações. Capitalismo Mercantil. Busca de especiarias e artigos tropicais.

Leia mais

Planejamento das Aulas de História º ano (Prof. Leandro)

Planejamento das Aulas de História º ano (Prof. Leandro) Planejamento das Aulas de História 2016 8º ano (Prof. Leandro) Fevereiro Aula Programada (As tensões na Colônia) Páginas Tarefa 1 As tensões na Colônia 10 e 11 Mapa Mental 2 A viradeira 12 Exerc. 1 a 5

Leia mais

A era do Imperialismo

A era do Imperialismo A era do Imperialismo A Segunda Revolução Industrial O século XIX foi um período de intensas inovações tecnológicas na Europa. Inventos na área dos transportes, das comunicações e da produção de energia

Leia mais

Dados Estatísticos sobre as Comunidades Portuguesas

Dados Estatísticos sobre as Comunidades Portuguesas Dados Estatísticos sobre as Comunidades Portuguesas População portuguesa e de origem portuguesa residente no estrangeiro (estimativa do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Direcção Geral dos Assuntos

Leia mais

Membros da IFC. Corporação Financeira Internacional. Data de afiliação

Membros da IFC. Corporação Financeira Internacional. Data de afiliação Membros da IFC Corporação Financeira Internacional Membro Data de afiliação Afeganistão 23 de setembro de 1957 África do Sul 3 de abril de 1957 Albânia 15 de outubro de 1991 Alemanha 20 de julho de 1956

Leia mais

Membros da MIGA. Agência Multilateral de Garantia de Investimentos. Data de afiliação

Membros da MIGA. Agência Multilateral de Garantia de Investimentos. Data de afiliação Membros da MIGA Agência Multilateral de Garantia de Investimentos Membro Data de afiliação África do Sul 10 de março de 1994 Albânia 15 de outubro de 1991 Alemanha 12 de abril de 1988 Angola 19 de setembro

Leia mais

UNICAMP IMPERIALISMO HISTÓRIA GEAL

UNICAMP IMPERIALISMO HISTÓRIA GEAL 1. (Unicamp 95) Ao exaltar o imperialismo inglês, Rudyard Kipling escreveu em um de seus poemas: "Aceitai o fardo do homem branco, Enviai os melhores dos vossos filhos, Condenai vossos filhos ao exílio,

Leia mais

INDUSTRIALIZAÇÃO E IMPERIALISMO

INDUSTRIALIZAÇÃO E IMPERIALISMO INDUSTRIALIZAÇÃO E IMPERIALISMO SEGUNDA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL: Se caracteriza pela descoberta de novas tecnologias aplicadas na indústria, nos transportes e nas comunicações: Na indústria tivemos: A descoberta

Leia mais

2-A expansão capitalista no século XIX ficou conhecida como imperialismo, e o domínio

2-A expansão capitalista no século XIX ficou conhecida como imperialismo, e o domínio ATIVIDADES ON LINE HISTÓRIA 9º ANO 1-A industrialização acelerada de diversos países, ao longo do século XIX, alterou o equilíbrio e a dinâmica das relações internacionais. Com a Segunda Revolução Industrial

Leia mais

A África na agenda econômica do Brasil Comércio e Investimentos

A África na agenda econômica do Brasil Comércio e Investimentos A África na agenda econômica do Brasil Comércio e Investimentos Ministro Nedilson Jorge Diretor do Departamento da África Ministério das Relações Exteriores CEBRI 22 de novembro 2011 Estrutura da apresentação

Leia mais

População estrangeira residente em Portugal, por nacionalidade e sexo, segundo o grupo etário

População estrangeira residente em Portugal, por nacionalidade e sexo, segundo o grupo etário POPULAÇÃO ESTRANGEIRA RESIDENTE E PORTUGAL 263322 12641 13174 16773 18713 27278 33693 32825 28375 21820 15712 10714 8835 7614 15155 143319 6644 7129 8951 9991 13983 18061 18393 16279 12722 8994 5933 4835

Leia mais

MODOS DE PRODUÇÃO COMUNISMO PRIMITIVO

MODOS DE PRODUÇÃO COMUNISMO PRIMITIVO TEMAS DE SOCIOLOGIA Evolução biológica e cultural do homem. A sociedade pré-histórica. O Paleolítico Bandos e hordas de coletores e caçadores. Divisão natural do trabalho. Economia coletora e nomadismo.

Leia mais

A ocupação africana e suas consequências

A ocupação africana e suas consequências A ocupação africana e suas consequências Introdução Contato europeus X africanos: século XV (criação de entrepostos comerciais no litoral, áreas de descanso e atracadouro). Período marcado pelo povoamento

Leia mais

Construção do Espaço Africano

Construção do Espaço Africano Construção do Espaço Africano Aula 1 Que imagem você tem quando se fala em África? Pense rápido! O modo como a África é vista ou a imagem que dela nos é dada para consumo constitui uma África dos quatro

Leia mais

Envelhecimento populacional, previdência, desafogo fiscal, poupança, investimento e os desafios da produtividade e do crescimento

Envelhecimento populacional, previdência, desafogo fiscal, poupança, investimento e os desafios da produtividade e do crescimento Envelhecimento populacional, previdência, desafogo fiscal, poupança, investimento e os desafios da produtividade e do crescimento Paulo Tafner I n st itut o T eot ônio Villela I T V Br a sília N ov embro

Leia mais

IDADE CONTEMPORÂNEA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

IDADE CONTEMPORÂNEA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL Definição: conjunto de transformações técnicas, econômicas e sociais caracterizadas pela substituição da energia física pela mecânica, da ferramenta pela máquina e da manufatura pela fábrica. ARTESANATO

Leia mais

DESCOLONIZAÇÃO DA ÁSIA

DESCOLONIZAÇÃO DA ÁSIA DESCOLONIZAÇÃO DA ÁSIA CHINA -Revoluções 1911 Revolução Nacionalista. -1949 Revolução Comunista. Antecedentes, Século XIX e XX: - impotência da elite tradicional e Dinastia Manchu frente as imposições

Leia mais

AS LUTAS DE LIBERTAÇÃO NACIONAL ÁSIA E ÁFRICA SÉCULO XX COLÉGIO PEDRO II PROFESSOR: ERIC ASSIS

AS LUTAS DE LIBERTAÇÃO NACIONAL ÁSIA E ÁFRICA SÉCULO XX COLÉGIO PEDRO II PROFESSOR: ERIC ASSIS AS LUTAS DE LIBERTAÇÃO NACIONAL ÁSIA E ÁFRICA SÉCULO XX COLÉGIO PEDRO II PROFESSOR: ERIC ASSIS A partilha do Continente Africano após a Conferência de Berlim (1885) O NEOCOLONIALISMO ENTRE OS SÉCULOS XIX

Leia mais

Níveis de Desenvolvimento Global (Extremos da Distribuição dos Países - 10/10)

Níveis de Desenvolvimento Global (Extremos da Distribuição dos Países - 10/10) Níveis de Desenvolvimento Global (Extremos da Distribuição dos Países - 10/10) IDH País Pontuação Esperança de vida (anos) Média de anos de Anos de esperados RNBpc PPC em USD 2008 Posição no RNBpc menos

Leia mais

Nesta unidade. Formação do território africano. Colonização e independência. Clima e vegetação. População e economia. Regiões. p.

Nesta unidade. Formação do território africano. Colonização e independência. Clima e vegetação. População e economia. Regiões. p. Frente B Unidade 4 África Nesta unidade Formação do território africano. Colonização e independência. Clima e vegetação. População e economia. Regiões. p. 86 Prof. Luiz Gustavo - Profão Capítulo 2 África:

Leia mais

As transformações que a Revolução Industrial trouxe para o campo e para a cidade;

As transformações que a Revolução Industrial trouxe para o campo e para a cidade; A DINÂMICA INDUSTRIAL E A CONCENTRAÇÃO FINANCEIRA 1 A Dinâmica Industrial As transformações que a Revolução Industrial trouxe para o campo e para a cidade; As cidades negras; Mudanças nas relações sociais;

Leia mais

Segunda Revolução Industrial. Um mundo cheio de mudanças

Segunda Revolução Industrial. Um mundo cheio de mudanças Segunda Revolução Industrial Um mundo cheio de mudanças Nas relações humanas da contemporaneidade, a informação circula com muita rapidez. A globalização envolve diferentes esferas sociais tais como a

Leia mais

O imperialismo. Prof Ferrari

O imperialismo. Prof Ferrari O imperialismo Prof Ferrari Imperialismo ou neocolonialismo do séc. XIX Conceitos e definições sobre o imperialismo O imperialismo dos séculos XIX e XX resultou da expansão capitalista e atendia aos interesses

Leia mais

1 Guerra Mundial e seus antecedentes. Professor Leopoldo UP

1 Guerra Mundial e seus antecedentes. Professor Leopoldo UP 1 Guerra Mundial e seus antecedentes Professor Leopoldo UP A Belle Époque e seus Constrates (1871-1914) A ilusão e a crença no avanço progresso contínuo. As inovações tecnológicas. Paris o centro cultural

Leia mais

Plano Didático Pedagógico Unidade I Conteúdos

Plano Didático Pedagógico Unidade I Conteúdos CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA I Plano Didático Pedagógico Unidade I Conteúdos Industrialização e Imperialismo Heranças africanas A Primeira Guerra Mundial A Revolução Russa

Leia mais

SEGUNDA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL IMPERIALISMO

SEGUNDA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL IMPERIALISMO SEGUNDA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL & IMPERIALISMO Observe as imagens e reflita! Definição O que podemos definir como práticas imperialistas? Quem as praticava? Onde as praticava? Quais os objetivos a serem alcançados

Leia mais

R.: R.: R.: R.: R.: R.: R.:

R.: R.: R.: R.: R.: R.: R.: PROFESSOR: EQUIPE DE GEOGRAFIA BANCO DE QUESTÕES - GEOGRAFIA - 8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================= 01- Leia o texto e responda. No

Leia mais

Dividir para dominar

Dividir para dominar ÁFRICA Contexto histórico África século XV: -Grandes navegações -Estabelecimento de feitorias na África A partir do século XIX: -Colonialismo europeu -Partilha da África (Conferência de Berlim, em 1885)

Leia mais

Prof. Iair ARTESANATO MANUFACTURA PRODUÇÃO INDUSTRIAL FERRA- MENTAS MANUAIS DIVISÃO DO TRABALHO TRABALHO INDIVIDUAL

Prof. Iair ARTESANATO MANUFACTURA PRODUÇÃO INDUSTRIAL FERRA- MENTAS MANUAIS DIVISÃO DO TRABALHO TRABALHO INDIVIDUAL Definição: conjunto de transformações técnicas, económicas e sociais caracterizadas pela substituição da energia física pela mecânica, da ferramenta pela máquina e da manufatura pela fábrica. ARTESANATO

Leia mais

O NEOCOLONIALISMO EUROPEU

O NEOCOLONIALISMO EUROPEU O NEOCOLONIALISMO EUROPEU Apresentação cedida, organizada e editada pelos profs. Rodrigo Teixeira e Rafael Ávila A Reestruturação da Ordem de Viena O Período de 1871 à 1914 foi marcado pela ausência de

Leia mais

Gabarito oficial preliminar: História

Gabarito oficial preliminar: História 1) Questão 1 Segundo José Bonifácio, o fim do tráfico de escravos significaria uma ameaça à existência do governo porque Geraria uma crise econômica decorrente da diminuição da mão de obra disponível,

Leia mais

Africanidades: alguns aspectos da História Africana dos Negros no Brasil

Africanidades: alguns aspectos da História Africana dos Negros no Brasil Africanidades: alguns aspectos da História Africana dos Negros no Brasil, travessia dos escravizados e o constrangimento de seres humanos à condição de objetos Africanidades: alguns aspectos da História

Leia mais

ACTA FINAL. AF/ACP/CE/2005/pt 1

ACTA FINAL. AF/ACP/CE/2005/pt 1 ACTA FINAL AF/ACP/CE/2005/pt 1 AF/ACP/CE/2005/pt 2 Os plenipotenciários de: SUA MAJESTADE O REI DOS BELGAS, O PRESIDENTE DA REPÚBLICA CHECA, SUA MAJESTADE A RAINHA DA DINAMARCA, O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Leia mais

1º bimestre 2010_3ª série Contemporânea Unificações tardias (Alemanha e Itália). Cap39, p. 374 até 378. Roberson de Oliveira

1º bimestre 2010_3ª série Contemporânea Unificações tardias (Alemanha e Itália). Cap39, p. 374 até 378. Roberson de Oliveira 1º bimestre 2010_3ª série Contemporânea Unificações tardias (Alemanha e Itália). Cap39, p. 374 até 378. Roberson de Oliveira Expansão capitalista e nacionalismo As transições tardias: Alemanha e Itália

Leia mais

Desenvolvimento financeiro e crescimento sustentado. Perspetivas Económicas Regionais para a África Subsariana. Abril de 2016

Desenvolvimento financeiro e crescimento sustentado. Perspetivas Económicas Regionais para a África Subsariana. Abril de 2016 Desenvolvimento financeiro e crescimento sustentado Perspetivas Económicas Regionais para a África Subsariana Abril de 2016 Perguntas essenciais 1. Como o setor financeiro da África Subsariana desenvolveu-se

Leia mais

RESUMOS 1 CERTFICAÇÃO

RESUMOS 1 CERTFICAÇÃO RESUMOS 1 CERTFICAÇÃO IMPERIALISMO O Imperialismo foi um período histórico em que vários Estados Europeus, Estados Unidos e Japão anexaram e dominaram vários territórios na África e Ásia durante os século

Leia mais

As relações diplomáticas Brasil África

As relações diplomáticas Brasil África As relações diplomáticas Brasil África Secretário André Baker Méio Chefe da Divisão da África I (África Ocidental) Ministério das Relações Exteriores Estrutura da apresentação 1. INTRODUÇÃO 2. LAÇOS HISTÓRICOS

Leia mais

RESOLUÇÃO DE EXERCÍCIOS DISSERTATIVOS. História Prof. Guilherme

RESOLUÇÃO DE EXERCÍCIOS DISSERTATIVOS. História Prof. Guilherme RESOLUÇÃO DE EXERCÍCIOS DISSERTATIVOS História Prof. Guilherme Questão 7 Fuvest 2012 Leia este texto, que se refere à dominação europeia sobre povos e terras africanas. "Desde o século XVI, os portugueses

Leia mais

Guerra Fria ( )

Guerra Fria ( ) Guerra Fria (1946-1991) Guerra improvável, paz impossível Conflito político, Ideológico (cultural), Militar Indireto entre EUA e URSS Início Churchill, Truman e Stalin (1945) - A Conferência de Potsdam

Leia mais

PEP/2012 6ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA

PEP/2012 6ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA PEP/2012 6ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO 1 HISTÓRIA 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) Estudar o declínio dos Impérios Inglês, Português e Francês na África (1945-1975), concluindo sobre o processo

Leia mais

Paulo Tumasz Junior. I e II Revolução Industrial

Paulo Tumasz Junior. I e II Revolução Industrial Paulo Tumasz Junior I e II Revolução Industrial APRESENTAÇÕES Slides - Artesanato, Manufatura e Industria: APRESENTAÇÕES Slides - Período e ocorrência - Características: - Resumo: - II Revolução Industrial:

Leia mais

Política de Escopo Geográfico de Certificação de Produtor para o Comércio Justo Fairtrade

Política de Escopo Geográfico de Certificação de Produtor para o Comércio Justo Fairtrade Política de Escopo Geográfico de Certificação de Produtor para o Comércio Justo Fairtrade 19.01.2015 Objetivo O objetivo do escopo geográfico da Fairtrade International é determinar em quais países as

Leia mais

REDE EDUCACIONAL ADVENTISTA Ementa de Curso

REDE EDUCACIONAL ADVENTISTA Ementa de Curso REDE EDUCACIONAL ADVENTISTA Ementa de Curso DISCIPLINA: HISTÓRIA SÉRIE/ TURMA: 1º ANO MÉDIO ABC BIMESTRE: 4º NÚMERO 1. Módulo 16 - Política e economia no Antigo Introdução do módulo, com aula em slides

Leia mais

Aumenta o número de países democráticos na África

Aumenta o número de países democráticos na África Planejamento Aumenta o número de países democráticos na África Em dez anos, subiu de 11 para 48 o número de países africanos democráticos. Esse avanço fez com que alguns países começassem a atuar com maior

Leia mais

Aulas 45 e 46 O Imperialismo no século XIX

Aulas 45 e 46 O Imperialismo no século XIX Aulas 45 e 46 O Imperialism n sécul XIX 1. Cnceit: 2. Onde? Dmíni de vastas áreas d planeta pr parte de nações industrializadas (ING, FRA, HOL, BEL, ALE, ITA, JAP, EUA, RUS). África e Ásia (Neclnialism)

Leia mais

EXPANSÃO E COLAPSO DO CAPITALISMO

EXPANSÃO E COLAPSO DO CAPITALISMO EXPANSÃO E COLAPSO DO CAPITALISMO 2ªRevolução Industrial HOLDING TRUSTE CARTEL Empresas financeiras que controlam complexos industriais a partir da posse de suas ações. Formação de grandes conglomerados

Leia mais

POLIONU LISTA DE PAÍSES

POLIONU LISTA DE PAÍSES AGH Bolívia 2 Brasil 2 Chile 2 China 2 Colômbia 2 Cuba 2 Equador 2 Espanha 2 Estados Unidos da América 2 França 2 Honduras 2 Israel 2 Itália 2 México 2 Nigéria 2 Panamá 2 Peru 2 Reino Unido 2 Senegal 2

Leia mais

Evolução do capitalismo

Evolução do capitalismo Evolução do capitalismo EVOLUÇÃO DO CAPITALISMO Prof. JÚLIO CÉSAR GABRIEL http://br.groups.yahoo.com/group/atualidadesconcursos Modo de produção Maneira como o seres humanos se organizam para produzirem

Leia mais

Potências marítimas: Novas (burguesia) Antigas (nobreza) Portugal Espanha Holanda Inglaterra França

Potências marítimas: Novas (burguesia) Antigas (nobreza) Portugal Espanha Holanda Inglaterra França 1. O tempo do grande comércio oceânico Criação/crescimento de grandes companhias de comércio europeias: - Companhia das Índias Ocidentais (1600 Londres) - Companhia Inglesa das Índias Orientais (Londres

Leia mais

2ª Guerra Mundial

2ª Guerra Mundial 2ª Guerra Mundial 1939-1945 http://historiaonline.com.br Antecedentes da Guerra Política de apaziguamento: LIGA DAS NAÇÕES Tolerância excessiva em relação às violações do Tratado de Versalhes e Saint Germain.

Leia mais

AULA DE HISTÓRIA PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL. El Sal /02/2014

AULA DE HISTÓRIA PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL. El Sal /02/2014 AULA DE HISTÓRIA PRIMEIRA MUNDIAL El Sal 2014 PRIMEIRA MUNDIAL Inicialmente, os conflitos se deram na Europa. Embora várias nações tenham declarado neutralidade, no decorrer da guerra várias nações não-européias

Leia mais

EUROPA. o velho continente. Professora: Rilvania Flôr.

EUROPA. o velho continente. Professora: Rilvania Flôr. EUROPA o velho continente. Professora: Rilvania Flôr. http://noticias.universia.com.br/carreira/noticia/2015/04/30/1124394/profissionais-iberoamericanos-preferem-trabalhareuropa-aponta-pesquisa.html Ocupação

Leia mais

O ensino de Historia no Ensino Médio tem por finalidade o desenvolvimento e. a construção do saber histórico, procurando promover o resgate e o

O ensino de Historia no Ensino Médio tem por finalidade o desenvolvimento e. a construção do saber histórico, procurando promover o resgate e o DISCIPLINA: História A - EMENTA O ensino de Historia no Ensino Médio tem por finalidade o desenvolvimento e a construção do saber histórico, procurando promover o resgate e o conhecimento de saberes construídos

Leia mais

UNIFICAÇÃO DA ALEMANHA

UNIFICAÇÃO DA ALEMANHA UNIFICAÇÃO DA ALEMANHA PRÚSSIA A Unificação da Alemanha foi um processo iniciado em meados do século XIX e finalizado em 1871 Esse processo de unificação foi liderado pelo primeiro-ministro Otto Von Bismarck

Leia mais

JAPÃO & TIGRES ASIÁTICOS

JAPÃO & TIGRES ASIÁTICOS JAPÃO & TIGRES ASIÁTICOS 6 852 ilhas (378.000 km²) Décima maior população do mundo 128 mil. 337 hab/km² Região Metropolitana de Tóquio, mais de 30 milhões hab. Constituição em 1947 monarquia constitucional

Leia mais

PERCURSO 26 A África e o imperialismo europeu. Prof. Gabriel Rocha 8º ano - EBS

PERCURSO 26 A África e o imperialismo europeu. Prof. Gabriel Rocha 8º ano - EBS PERCURSO 26 A África e o imperialismo europeu. Prof. Gabriel Rocha 8º ano - EBS 1 O início da apropriação de territórios pelos europeus Durante as Grandes Navegações, a América, a Ásia e a África foram

Leia mais

NEOCOLONIALISMO: Capitalismo industrial e financeiro; Objetivos: mercados consumidores de manufaturas e fornecedores de matériasprimas; busca de colôn

NEOCOLONIALISMO: Capitalismo industrial e financeiro; Objetivos: mercados consumidores de manufaturas e fornecedores de matériasprimas; busca de colôn IMPERIALISMO E NEOCOLONIALISMO. Profº Marcos Victor CONTEXTO HISTÓRICO: Segunda metade do século XIX quando a expansão dos países europeus industrializados levam as partilhas dos continentes africano e

Leia mais

VISTOS CONSULARES. Afeganistão Sim Sim. África do Sul Não Não. Albânia Sim Sim. Alemanha Não Não. Andorra Não Sim. Angola Sim Sim

VISTOS CONSULARES. Afeganistão Sim Sim. África do Sul Não Não. Albânia Sim Sim. Alemanha Não Não. Andorra Não Sim. Angola Sim Sim VISTOS CONSULARES - Você vai para o exterior? Uma das primeiras providências a ser tomada é procurar saber se o país de seu destino exige visto no passaporte junto à embaixada ou ao consulado para permitir

Leia mais

DESCOLONIZAÇÃO AFRICANA

DESCOLONIZAÇÃO AFRICANA DESCOLONIZAÇÃO AFRICANA As emancipações tardias e a autodeterminação dos povos História 01 - Aula 51 Prof. Thiago UM CONTINENTE POBRE? 22,5% das terras do planeta 10% da população mundial 1% da prod. Industrial

Leia mais

( ) com o objetivo de decidir a ocupação e divisão dos territórios (partilha de África), e regulamentar as regras de colonização.

( ) com o objetivo de decidir a ocupação e divisão dos territórios (partilha de África), e regulamentar as regras de colonização. Nova Portugalidade 2 hrs O Mapa Cor de Rosa, Serpa Pinto, e o Ultimatum de 1890 Há precisamente 128 anos Portugal recebia, à margem do Tratado de Windsor, o «Ultimatum» Inglês. Foi uma vil e desonesta

Leia mais

CENTRO DE COORDENAÇÃO MULTINACIONAL PARA A "Zona D"

CENTRO DE COORDENAÇÃO MULTINACIONAL PARA A Zona D CENTRO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DE ÁFRICA COORDENAÇÃO INTER-REGIONAL PARA SEGURANÇA MARÍTIMA CENTRO DE COORDENAÇÃO MULTINACIONAL PARA A "Zona D" YAOUNDÉ / 11-14 de julho de 2017 Comandante Cyrille Serge

Leia mais

II GUERRA MUNDIAL

II GUERRA MUNDIAL II GUERRA MUNDIAL 1939-1945 ASCENSÃO DOS REGIMES TOTALITÁRIOS EUROPA NO PÓS GUERRA Com o fim da Primeira Guerra Mundial, a Europa teve de enfrentar uma de suas piores crises econômicas. O uso do território

Leia mais

Escola de Formação Política Miguel Arraes. Módulo IV O Socialismo no Mundo Contemporâneo. Aula 4 O Socialismo Depois da Queda do Muro de Berlim

Escola de Formação Política Miguel Arraes. Módulo IV O Socialismo no Mundo Contemporâneo. Aula 4 O Socialismo Depois da Queda do Muro de Berlim LINHA DO TEMPO Módulo IV O Socialismo no Mundo Contemporâneo Aula 4 O Socialismo Depois da Queda do Muro de Berlim Antecedentes: O Socialismo Depois da Terceira Internacional O Socialismo no Terceiro Mundo

Leia mais

Renascimento, Reformas, Grandes Navegações, Mercantilismo e Colonialismo

Renascimento, Reformas, Grandes Navegações, Mercantilismo e Colonialismo Renascimento, Reformas, Grandes Navegações, Mercantilismo e Colonialismo Renascimento e Reformas 1. As imagens abaixo ilustram alguns procedimentos utilizados por um novo modo de conhecer e explicar a

Leia mais

Unidade 1. Respostas das sugestões de avaliação

Unidade 1. Respostas das sugestões de avaliação Respostas das sugestões de avaliação Unidade 1 1. Não, pois a tabela revela que, nesse período, a maior produtividade industrial cabia aos Estados Unidos, tanto de carvão como de ferro e aço. Na tabela,

Leia mais

Ação Cultural Externa Relatório Anual 2014 Indicadores. 2. Número de iniciativas apoiadas por áreas geográficas

Ação Cultural Externa Relatório Anual 2014 Indicadores. 2. Número de iniciativas apoiadas por áreas geográficas Ação Cultural Externa Relatório Anual 2014 Indicadores 1. Iniciativas apoiadas pelo Camões, IP a) número (total): 1071 2. Número de iniciativas apoiadas por áreas geográficas Áreas Geográficas Nº Iniciativas

Leia mais

Rainforest Alliance Países Autorizados para Atividades de Auditoria e de Certificação de Fazendas Individuais e Administradores de Grupo

Rainforest Alliance Países Autorizados para Atividades de Auditoria e de Certificação de Fazendas Individuais e Administradores de Grupo Rainforest Alliance Países Autorizados para Atividades de Auditoria e de Certificação de Fazendas Individuais e Administradores de Grupo Julho, 2017 Versão 1 D.R. 2017 Red de Agricultura Sostenible, A.C.

Leia mais

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE SEDE REGIONAL AFRICANA. Quinquagésima sessão Ouagadougou, Burkina Faso, 28 de Agosto - 2 de Setembro de 2000

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE SEDE REGIONAL AFRICANA. Quinquagésima sessão Ouagadougou, Burkina Faso, 28 de Agosto - 2 de Setembro de 2000 WORLD HEALTH ORGANIZATION REGIONAL OFFICE FOR AFRICA ORGANISATION MONDIALE DE LA SANTE BUREAU REGIONAL DE L'ÁFRIQUE ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE SEDE REGIONAL AFRICANA COMITÉ REGIONAL AFRICANO Quinquagésima

Leia mais

NEOCOLONIALISMO OU PARTILHA AFROASIÁTICA

NEOCOLONIALISMO OU PARTILHA AFROASIÁTICA IMPERIALISMO CONTEXTO HISTÓRICO: Segunda metade do século XIX quando a expansão dos países europeus industrializados levam as partilhas dos continentes africano e asiático; NEOCOLONIALISMO OU PARTILHA

Leia mais

Revoluções Liberais e Nacionalismo

Revoluções Liberais e Nacionalismo Aula 19 Revoluções Liberais e Nacionalismo 1 A Revolução de 1830 Setor 1606 2 A Revolução de 1848 3 A Comuna de Paris 4 As Unificações Aula 19 19 Revoluções Liberais e e Nacionalismo 1.1 Introdução As

Leia mais

Entre 1871 e 1914 a sociedade européia - liberal e capitalista, passou por uma das fases de maior prosperidade devido ao desenvolvimento industrial

Entre 1871 e 1914 a sociedade européia - liberal e capitalista, passou por uma das fases de maior prosperidade devido ao desenvolvimento industrial 1914-1918 Entre 1871 e 1914 a sociedade européia - liberal e capitalista, passou por uma das fases de maior prosperidade devido ao desenvolvimento industrial que trouxe conforto e a ciência e a técnica

Leia mais

SABADÃO CSP O PERÍODO ENTRE GUERRAS PROF. BRUNO ORNELAS

SABADÃO CSP O PERÍODO ENTRE GUERRAS PROF. BRUNO ORNELAS SABADÃO CSP O PERÍODO ENTRE GUERRAS PROF. BRUNO ORNELAS TEMAS PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL; A REVOLUÇÃO RUSSA; A CRISE DE 1929; A PRIMEIRA REPÚBLICA; O NAZIFASCISMO. ANTECEDENTES SEGUNDA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

Leia mais

Unidade 4 Século XIX: nacionalismo e expansionismo

Unidade 4 Século XIX: nacionalismo e expansionismo Sugestões de atividades Unidade 4 Século XIX: nacionalismo e expansionismo 8 HISTÓRIA Globalização Leia o texto a seguir e responda às questões. Então, o fato maior do século XIX é a criação de uma economia

Leia mais

Aula 11 História 4B OS IMPERIALISMOS I

Aula 11 História 4B OS IMPERIALISMOS I Aula 11 História 4B OS IMPERIALISMOS I Imperialismo Domínio imposto por uma nação poderosa sobre regiões ou países considerados mais fracos sob os aspectos político, militar e econômico. IMPERIALISMO EUROPEU

Leia mais

Capítulo 33. O imperialismo na África e na Ásia

Capítulo 33. O imperialismo na África e na Ásia Capítulo 33 O imperialismo na África e na Ásia 1 - Imperialismo ou neocolonialismo Contexto histórico do imperialismo Processo de expansão colonial promovido pelos Estados europeus industrializados, destacando-se

Leia mais

REVOLUÇÕES INDUSTRIAIS E DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO

REVOLUÇÕES INDUSTRIAIS E DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO REVOLUÇÕES INDUSTRIAIS E DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO www.infoescola.com Revolução da técnica Introduz Forma eficiente de padronizar a mercadoria Menor tempo Menor custo Agrupamento de trabalhadores

Leia mais

07 - MERCANTILISMO E EXPANSÃO MARÍTIMA

07 - MERCANTILISMO E EXPANSÃO MARÍTIMA 07 - MERCANTILISMO E EXPANSÃO MARÍTIMA Mercantilismo Surgimento intervenção das monarquias absolutistas na área econômica expandir o comércio aumentar as reservas financeiras se tornarem governos fortes

Leia mais

ATIVIDADE Nº 23 SITE PADOGEO.COM/8ºANOS EXERCÍCIOS 2 - CONTINENTE AFRICANO - POPULAÇÃO. A sua pontuação é 100%. Resposta Correta Verificar

ATIVIDADE Nº 23 SITE PADOGEO.COM/8ºANOS EXERCÍCIOS 2 - CONTINENTE AFRICANO - POPULAÇÃO. A sua pontuação é 100%. Resposta Correta Verificar ATIVIDADE º 23 SITE PADOGEO.COM/8ºAOS EXERCÍCIOS 2 - COTIETE AFRICAO - POPULAÇÃO Resposta Correta Analise as frases se Verdadeiras ou Falsas a partir do texto "E a população africana? Como está distribuída?"

Leia mais

CP/ECEME/2007 2ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0)

CP/ECEME/2007 2ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) CP/ECEME/07 2ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) Analisar os fatos históricos, ocorridos durante as crises política, econômica e militar portuguesa/européia

Leia mais

UNIFICAÇÃO DA ALEMANHA

UNIFICAÇÃO DA ALEMANHA UNIFICAÇÃO DA ALEMANHA PRÚSSIA -A Unificação da Alemanha foi um processo iniciado em meados do século XIX e finalizado em 1871 -Esse processo de unificação foi liderado pelo primeiro-ministro Otto Von

Leia mais

PORTUGAL: COMÉRCIO INTERNACIONAL DE LEITE E DERIVADOS

PORTUGAL: COMÉRCIO INTERNACIONAL DE LEITE E DERIVADOS Balança Comercial Portuguesa de Leite e Derivados (Milhares de Euros) Exportação 172.852 226.378 271.971 225.496 268.753 13,3 19,2 Importação 367.724 436.717 518.991 480.416 461.748 6,6-3,9 Saldo -194.872-210.340-247.019-254.920-192.995

Leia mais

Colégio Ser! Sorocaba História 8º ano Profª Marilia C Camillo Coltri

Colégio Ser! Sorocaba História 8º ano Profª Marilia C Camillo Coltri Colégio Ser! Sorocaba História 8º ano Profª Marilia C Camillo Coltri Primeira Fase Campanhas sob o Diretório (1796-1799) Enquanto a França organizava-se sob o regime do Diretório (3ª fase da Revolução

Leia mais

História B Aula 21. Os Agitados Anos da

História B Aula 21. Os Agitados Anos da História B Aula 21 Os Agitados Anos da Década de 1930 Salazarismo Português Monarquia portuguesa foi derrubada em 1910 por grupos liberais e republicanos. 1ª Guerra - participação modesta ao lado da ING

Leia mais

CAPÍTULO 2 O MUNDO DIVIDIDO PELO CRITÉRIO IDEOLÓGICO PROF. LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ CAVALCANTE 8º ANO

CAPÍTULO 2 O MUNDO DIVIDIDO PELO CRITÉRIO IDEOLÓGICO PROF. LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ CAVALCANTE 8º ANO CAPÍTULO 2 O MUNDO DIVIDIDO PELO CRITÉRIO IDEOLÓGICO PROF. LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ CAVALCANTE 8º ANO O MUNDO DIVIDIDO P. 23 Existem vários critérios para regionalizar um território. Critério ideológico:

Leia mais

Prof. David Nogueira. quinta-feira, 2 de junho de 2011

Prof. David Nogueira. quinta-feira, 2 de junho de 2011 1 Antecedentes/causas (década de 30): Fortalecimento de regimes totalitários nazifascistas. Invasão da CHI (1931 - Manchúria) pelo JAP. Invasão da Etiópia (1935) pela ITA. Desrespeito da ALE ao Tratado

Leia mais