II NOTAÇÃO MUSICAL. NOTAS NATURAIS São 7 (sete) as notas naturais DÓ - RÉ - MI - FA - SOL - LA - SI

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "II NOTAÇÃO MUSICAL. NOTAS NATURAIS São 7 (sete) as notas naturais DÓ - RÉ - MI - FA - SOL - LA - SI"

Transcrição

1 I MÚSICA Música é a arte de combinar os sons, seguindo as variações da altura, proporção, duração e ordenados por afinidades comuns. É através da música que o músico demonstra seus diversos sentimentos, alegria, angustia, tristeza, etc. (Rubens N. da Silva). São elementos fundamentais da música: melodia, harmonia e ritmo. Melodia é a execução de um conjunto de sons, ouvidos um após o outro, obedecendo uma afinidade comum entres eles e combinando alturas e timbres, dando a esse conjunto de sons um sentido musical. Harmonia é a execução de um conjunto de sons, ouvidos ao mesmo tempo e combinados de acordo com as leis que regem os agrupamentos dos sons simultâneos, como na melodia, a harmonia também tem afinidades entre os sons que o compõe, caso contrário passa a ser um amontoado de sons sem sentido e por vezes até incomodando nossa audição. (Rubens N. da Silva). Ritmo é o movimento dos sons regulados pela sua maior ou menor duração, agrupados de dois em dois, três em três, etc. (compassos). A melodia e o ritmo combinados já formam um sentido expressivo musical.

2 II NOTAÇÃO MUSICAL Os sons musicais são representados graficamente por sinais chamados notas, a representação gráfica dos sons e a escrita da música recebe o nome de notação musical. NOTAS NATURAIS São 7 (sete) as notas naturais DÓ - RÉ - MI - FA - SOL - LA - SI

3 NOTAS INTERMEDIÁRIAS Chamamos de notas intermediárias as notas que se encontram entre as notas naturais Considere como notas intermediárias as teclas preta do piano OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: APESAR DA TEORIA RELATAR O USO DE 7 (SETE) SUSTENIDOS PARA GRAFAR AS ALTERAÇÕES ASCENDENTES E 7 (SETE) BEMÓIS PARA GRAFAR AS ALTERAÇÕES DESCENDENTES, ESTA PARTE DA MATÉRIA ESTÁ EXPLICANDO A PARTE PRÁTICA E O RESULTADO FINAL QUE O OUVIDO PERCEBE AO OUVIR OS SONS QUE INTERMEDIAM OS SONS NATURAIS, OUTROSSIM, INFORMO AOS LEITORES QUE ESTA APOSTILA ESTÁ SENDO ELABORADA PARA AJUDAR DE FORMA PRÁTICA E DE FÁCIL ENTENDIMENTO AOS INICIANTES, NÃO EXIMINDO-OS DE BUSCAR DIVERSAS FONTES DE ENSINOS AVANÇADOS DE MÚSICA, INDICO QUE ESTUDEM OS SEGUINTES LIVROS DE TEORIA: PRINCIPIOS BÁSICOS DA MÚSICA PARA A JUVENTUDE 1 E 2 VOLUME (MARIA LUIZA DE MATTOS PRIOLLI), TAMBÉM RECOMENDO OS LIVROS PARA INICIANTES DE MÁRIO MASCARENHAS 1 E 2 VOLUMES, BEM COMO OS LIVROS DE PAULO SILVA.

4 NOTAS INTERMEDIÁRIAS ASCENDENTES Geralmente aplica-se as notas intermediárias ascendentes seguindo a ordem crescente das notas naturais. Usa-se o símbolo do sustenido para grafar as notas intermediárias ascendentes. ( SUSTENIDO = # ) Exemplo : (DÓ, DÓ#, RÉ, RÉ#, MI, FA, FA#, SOL, SOL#, LA, LA#, SI, DÓ). Observação: Entre o MI e o FA, não se aplica nota intermediária ascendente, por se tratar de semitom natural, da mesma forma entre o SI e o DÓ. são 5 (cinco) as notas intermediárias ascendentes ( SIMBOLO DO SUSTENIDO = # ) DÓ# - RÉ# - FA# - SOL# - LA# Entre o DÓ e o RÉ, temos o DO# ( DO - DÓ# - RÉ ) Entre o RÉ e o MI, temos o RÉ# ( RÉ - RÉ# - MI ) Entre o FA e o SOL, temos o FA# ( FA - FA# - SOL ) Entre o SOL e o LA, temos o SOL# ( SOL - SOL# - LA ) Entre o LA e o SI, temos o LA# ( LA - LA# - SI )

5 NOTAS INTERMEDIÁRIAS DESCENDENTES Geralmente aplica-se as notas intermediárias descendentes seguindo a ordem decrescente das notas naturais. Usa-se o símbolo do Bemol para grafar as notas intermediárias descendentes. ( BEMOL = b ) Exemplo : DÓ, SI, SIb, LA, LAb, SOL, SOLb, FA, MI, MIb, RÉ, RÉb, DÓ. Observação: Entre o DÓ e o SI, não se aplica nota intermediária descendente, por se tratar de semitom natural, da mesma forma entre o FA e o MI. são 5 (cinco) as notas intermediárias descendentes ( SIMBOLO DO BEMOL = b ) SIb - LAb - SOLb - MIb - RÉb. Entre o SI e o LA, temos o SIb ( SI - SIb - LA ) Entre o LA e o SOL, temos o LAb ( LA - LAb - SOL ) Entre o SOL e o FA, temos o SOLb ( SOL - SOLb - FA ) Entre o MI e o RÉ, temos o MIb ( MI - MIb - RÉ ) Entre o RÉ e o DÓ, temos o RÉb ( RÉ - RÉb - DÓ ) Finalizando esta parte da matéria que trata separadamente as notas intermediárias, concluímos que o ouvido capita as 7 (sete) notas naturais somado as 5 (cinco ) notas intermediárias, resultando em doze sons consecutivos no limite de uma oitava, na prática, uma nota intermediária ascendente é igual a próxima nota intermediária descente, exemplos: DÓ# = RÉb, RÉ# = MIb, FA# = SOLb, SOL# = LAb, LA# = SIb. ( Rubens N da Silva )

6 ESCALA Chamamos de escala à sucessão de 7 ( sete ) sons, a escala se completa adicionando logo após o sétimo grau a repetição do primeiro grau, transformando em 8 (oitavo) grau da escala, sendo este grau a sucessão do 7 (sétimo) grau e uma oitava mais aguda da nota do 1 (primeiro) grau. Referindo-se a graus da escala, como visto acima, chamamos de grau, a cada uma das notas sucessivas, nomeando cada um dos graus da escala. Representamos os graus da escala em números romanos. I II III IV V VI VII VIII tônica supertônica mediante subdominante dominante superdominante sensível tônica Quando uma escala começa da nota mais grave indo pra mais aguda em sequência, temos uma escala ascendente e quando a escala começa da nota mais aguda indo pra mais grave, sentido inverso da sequência teremos uma escala descendente. Apresentaremos numa próxima oportunidade, uma matéria detalhada especificando os diversos tipos de escalas e seus modos.

7 PAUTA ( PENTAGRAMA ) Pauta também conhecida como pentagrama, é o conjunto de 5 ( cinco ) linhas no sentido horizontal paralelas, guardando entre si 4 ( quatro ) espaços equidistantes entre si. As notas são escritas nas linhas e nos espaços da pauta. Pauta ( pentagrama ) As linhas, e os espaços do pentagrama são contados de baixo pra cima, veja o exemplo logo abaixo. Somados os sons que são grafados na pauta, 5 linhas e 4 espaços, temos um total de 9 ( nove ) sons, sabendo que temos os sons graves e os sons agudos, havendo a necessidade de se complementar a pauta, afim de se grafar os sons graves e os sons agudos, com pequenas linhas acima e abaixo da pauta conseguindo assim grafar os sons graves e agudos nestas linhas e nos espaços que se formam com a adição dessas pequenas linhas.

8 LINHAS E ESPAÇOS SUPLEMENTARES Como dito no tópico anterior temos pequenas linhas e espaços que complementam a pauta chamadas de linhas e espaços complementares superiores, quando colocados acima da pauta e linhas e espaços suplementares inferiores quando colocados abaixo da pauta. As linhas e espaços suplementares superiores, são contados igual a pauta, de baixo para cima e as linhas e espaços suplementares inferiores, são contados de cima para baixo. Podemos colocar a quantidade que desejarmos de linhas e espaços suplementares, porém, não é comum colocar mais 5 ( cinco ).

Prof. Juarez Barcellos

Prof. Juarez Barcellos ou Notação Musical A teoria serve para que o músico organize a aplicação de sua técnica. Ela é o intelecto, a compreensão da arte. É através dela que as composições rompem os séculos com uma linguagem

Leia mais

Apostila de Teoria Musical I

Apostila de Teoria Musical I Apostila de Teoria Musical I 2009 Índice I Propriedades Físicas do Som...03 II O que é Música?...04 III Representação gráfica do pentagrama...05 IV Notação Musical...06 V Figuras e Valores das e pausas...07

Leia mais

TEORIA MUSICAL EM FOCO

TEORIA MUSICAL EM FOCO TEORIA MUSICAL EM FOCO LEM I Módulo 01 HENRIQUE RODRIGUES www.teoriamusicalemfoco.com Teoria Musical em Foco 1 Música, Som e Suas Propriedades O que é Música? Música é a arte que expressa os diversos sentimentos,

Leia mais

Teoria Musical. Prof. Rodrigo Faleiros. Prof. Rodrigo Faleiros. blog: rodfaleiros.wordpress.com

Teoria Musical. Prof. Rodrigo Faleiros. Prof. Rodrigo Faleiros.   blog: rodfaleiros.wordpress.com Teoria Musical Prof. Rodrigo Faleiros Prof. Rodrigo Faleiros e-mail: rodfaleiros@gmail.com blog: rodfaleiros.wordpress.com 2 Aula 1 Ritmo Ritmo é a sucessão de tempos fortes e fracos que se alternam com

Leia mais

INICIAÇÃO À MÚSICA E AO VIOLÃO

INICIAÇÃO À MÚSICA E AO VIOLÃO INICIAÇÃO À MÚSICA E AO VIOLÃO MARIO SALES SANTOS TREINOS COM TRÊS DEDOS E OS PRIMEIROS ACORDES PARA TOCAR AS PRIMEIRAS MÚSICAS São Paulo 2013 SUMARIO OBJETIVO DA AULA... 02 TREINOS A SEREM EXECUTADOS...

Leia mais

Teoria Musical em Foco

Teoria Musical em Foco Henrique Rodrigues Teoria Musical em Foco Primeiros Passos Para Começar a Ler Partituras Versão 1.0 2 Índice Índice 3 Introdução 5 Capítulo 1: Música e Som 6 1.1 O que é Música 6 1.2 Mas o que é som? 7

Leia mais

VIOLÃO 7 CORDAS CURSO BÁSICO

VIOLÃO 7 CORDAS CURSO BÁSICO VIOLÃO 7 CORDAS CURSO BÁSICO NOTAS MUSICAIS: Existem sete notas musicais: DÓ, RÉ, MI, FÁ, SOL, LÁ, SI. De uma nota para a outra, seguindo a seqüência natural, existe um tom de distância, exceto de MI para

Leia mais

Curso Básico de Música

Curso Básico de Música Curso Básico de Música Betel Brasileiro - Juazeirinho Instrutores: Alex Junior e Nilson Barbosa Contatos: (83)9333-4185 Facebook Page: www.facebook.com/musicadicas 1 Dicas Se você deseja ser um bom músico

Leia mais

TESTE ESPECÍFICO - PROVA ESCRITA Processo Seletivo UFAL Curso INSTRUÇÕES GERAIS

TESTE ESPECÍFICO - PROVA ESCRITA Processo Seletivo UFAL Curso INSTRUÇÕES GERAIS Serviço Público Federal UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Pró-Reitoria de Graduação - PROGRAD Instituto de Ciências Humanas, Comunicação e Artes - ICHCA TESTE ESPECÍFICO - PROVA ESCRITA Processo Seletivo

Leia mais

VESTIBULAR MÚSICA

VESTIBULAR MÚSICA 0 UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE PRÓ - REITORIA DE ENSINO COMISSÃO DE PROCESSOS VESTIBULARES UNIDADE ACADEMICA DE ARTE E MÍDIA VESTIBULAR 2014.2 TESTE DE HABILIDADE ESPECÍFICA MÚSICA CONQUISTE

Leia mais

Prova (1º Módulo) Nome do Aluno: data / /

Prova (1º Módulo) Nome do Aluno: data / / Prova (1º Módulo) Nome do Aluno: data / / 1. O que é música? 2. Qual elemento (a matéria) mais importante da música que sem ele, a mesma não existiria? 3. O que é som? 4. Existem duas espécies de sons.

Leia mais

Como ler Partituras. De acordo com a duração do som, a escrita da nota varia na seguinte seqüência:

Como ler Partituras. De acordo com a duração do som, a escrita da nota varia na seguinte seqüência: Como ler Partituras Leitura de Partituras (Teoria) 1. Notas Duração e Altura De acordo com a duração do som, a escrita da nota varia na seguinte seqüência: A duração exata do tempo depende da velocidade

Leia mais

INTERVALO MUSICAL. Nota.: Os intervalos são contados em semitom, que é o menor intervalo entre duas notas, no sistema musical ocidental.

INTERVALO MUSICAL. Nota.: Os intervalos são contados em semitom, que é o menor intervalo entre duas notas, no sistema musical ocidental. 1 Definição: INTERVALO MUSICAL Intervalo é a distância entre duas notas. São numerados segundo a ordem natural das notas musicais. Ex: Do, Re, Mi, Fa, Sol, La, Si, Do... Como as notas musicais sâo teoricamente

Leia mais

TOM, SEMITOM, SUSTENIDO, BEMOL.

TOM, SEMITOM, SUSTENIDO, BEMOL. TOM, SEMITOM, SUSTENIDO, BEMOL. Tom e semitom (ou tono e semitono): são diferenças específicas de altura, existentes entre as notas musicais, isto é, são medidas mínimas de diferença entre grave e agudo.

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DOS INTERVALOS MUSICAIS. Ex.

CLASSIFICAÇÃO DOS INTERVALOS MUSICAIS. Ex. LIÇÃO - 01 INTERVALO MUSICAL As notas musicais indicam as diferentes alturas do som. Assim sendo, entre estas diferentes alturas sonoras, obviamente, cria-se uma distância entre elas, a qual chamamos de

Leia mais

Apostila de Ensino Teclado (Módulo I)

Apostila de Ensino Teclado (Módulo I) Apostila de Ensino Teclado (Módulo I) Edição 2015 APRESENTAÇÃO Esta apostila reúne uma compilação de estudos embasados nas devidas referências bibliográficas, notações complementares e exercícios práticos

Leia mais

NOTAÇÃO MUSICAL TRADICIONAL: Como se escrever música?

NOTAÇÃO MUSICAL TRADICIONAL: Como se escrever música? NOTAÇÃO MUSICAL TRADICIONAL: Como se escrever música? A música é uma linguagem sonora como a fala. Assim como representamos a fala por meio de símbolos do alfabeto, podemos representar graficamente a música

Leia mais

MATERIAL DE REFORÇO PARA USO DO PROFESSOR

MATERIAL DE REFORÇO PARA USO DO PROFESSOR MATERIAL DE REFORÇO PARA USO DO PROFESSOR 1. PROPRIEDADES DO SOM 1.1. Preencher os espaços com a propriedade correta: a)... : é a propriedade de o som ser agudo ou grave. b)... : é o tempo que o som permanece

Leia mais

001. Prova de Conhecimento e Habilidade em Música

001. Prova de Conhecimento e Habilidade em Música vestibular 2014 001. Prova de Conhecimento e Habilidade em Música presencial Confira seus dados impressos neste caderno. Esta prova contém 30 questões objetivas e terá duração total de 2 horas. Para cada

Leia mais

C-FSG-MU/2015 CÓDIGO - 11

C-FSG-MU/2015 CÓDIGO - 11 1) Em relação à escala cromática, ao analisarmos a origem das notas cromáticas podese dizer que estas devem pertencer aos tons afastados da escala diatônica que lhe corresponde. não devem pertencer aos

Leia mais

Intervalo é a diferença de altura entre sons. Na pauta musical é a diferença de altura entre notas musicais.

Intervalo é a diferença de altura entre sons. Na pauta musical é a diferença de altura entre notas musicais. INTERVALO S INTERVALOS Intervalo é a diferença de altura entre sons. Na pauta musical é a diferença de altura entre notas musicais. INTERVALO UNÍSSONO Quando duas notas têm a mesma altura e são simultâneas,

Leia mais

Improvisação. Prof. Juarez Barcellos. Violonistas, músicos, alunos, amigos e companhia, bem vindos!

Improvisação. Prof. Juarez Barcellos. Violonistas, músicos, alunos, amigos e companhia, bem vindos! Improvisação Prof. Juarez Barcellos Licença Creative Commons Violonistas, músicos, alunos, amigos e companhia, bem vindos! Em 2002, comecei a dar aulas particulares nas Em 2002, comecei a dar aulas particulares

Leia mais

C-FSG-MU/2017 CÓDIGO - 11

C-FSG-MU/2017 CÓDIGO - 11 1) São considerados como andamentos médios: (A) Vivo e Adágio. (B) Adagio e Andante. (C) Maestoso e Allegro. (D) Stretto e Animato. (E) Andantino e Sostenuto. 2) Qual o nome do ornamento grafado na pauta

Leia mais

Universidade Metodista de Piracicaba Processo Seletivo 2013 Prova de Aptidão Curso Música Licenciatura Prova 1

Universidade Metodista de Piracicaba Processo Seletivo 2013 Prova de Aptidão Curso Música Licenciatura Prova 1 INSTRUÇÕES A prova de aptidão musical constitui-se de três partes: Universidade Metodista de Piracicaba Processo Seletivo 2013 Prova de Aptidão Curso Música Licenciatura Prova 1 1. HISTÓRICO MUSICAL Você

Leia mais

1º Módulo. 1. O Que é Musica? 2. Qual o elemento (a matéria) mais importante da musica que sem ele, a mesma não. existiria? 3. O que é Som?

1º Módulo. 1. O Que é Musica? 2. Qual o elemento (a matéria) mais importante da musica que sem ele, a mesma não. existiria? 3. O que é Som? 0 *Complementação Teórica Melodia é a Combinação de sons sucessivos (sons tocados um após o outro). Harmonia é a Combinação de sons simultâneos (Conjunto de vários sons tocando ao mesmo tempo). MÚSICA

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO ESCOLA DE SARGENTOS DAS ARMAS ESCOLA SARGENTO MAX WOLF FILHO

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO ESCOLA DE SARGENTOS DAS ARMAS ESCOLA SARGENTO MAX WOLF FILHO MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO ESCOLA DE SARGENTOS DAS ARMAS ESCOLA SARGENTO MAX WOLF FILHO EXAME INTELECTUAL AOS CURSOS DE FORMAÇÃO DE SARGENTOS 2017-18 SOLUÇÃO DAS QUESTÕES DE MÚSICA QUESTÃO:

Leia mais

TEORIA MUSICAL. 01. Os tons vizinhos de Ré Maior são: 02. Classifique os intervalos abaixo:

TEORIA MUSICAL. 01. Os tons vizinhos de Ré Maior são: 02. Classifique os intervalos abaixo: TEORIA MUSICAL 01. Os tons vizinhos de Ré Maior são: 0-0) si m - sol m - Lá M - mi m - fá# m 1-1) si m - Sol M - Lá M - mi m - fá# m 2-2) ré m - Sol M - Lá M - mi m - fá # m 3-3) si m - Sol M - lá m -

Leia mais

Prova de Teoria Musical e Percepção melódica e rítmica

Prova de Teoria Musical e Percepção melódica e rítmica UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Pró-Reitoria de Graduação PROGRAD Escola Técnica de Artes - ETA Prova de Teoria Musical e Percepção Melódica e Rítmica Curso Técnico em Música (Canto Erudito, Canto Popular,

Leia mais

Para responder à questão 1, ouça atentamente o trecho musical I.

Para responder à questão 1, ouça atentamente o trecho musical I. Nas questões de 1 a 10, responda de acordo com o comando de cada uma delas. As questões 1, 3 e 8 exigem respostas a serem construídas; as questões 2, 7, 9 e 10 são de associação. As respostas a essas questões

Leia mais

Exercícios dinâmicos para fixação de Conteúdo

Exercícios dinâmicos para fixação de Conteúdo Exercícios dinâmicos para fixação de Conteúdo Provas optativas 59 NOME: DATA / / 1º Modulo 1. Complete a cruzada abaixo de acordo com as perguntas: a. Manifestação dos afetos da alma mediante o som. b.

Leia mais

INICIAÇÃO À MÚSICA E AO VIOLÃO

INICIAÇÃO À MÚSICA E AO VIOLÃO INICIAÇÃO À MÚSICA E AO VIOLÃO MARIO SALES SANTOS ASSUNTOS IMPORTANTES PARA INICIANTES DA MÚSICA E DO VIOLÃO São Paulo 2013 SUMARIO O QUE É A MÚSICA... 02 AS TRÊS PARTES DA MÚSICA... 02 NOTAS MUSICAIS...

Leia mais

Música faz bem! BOA PROVA

Música faz bem! BOA PROVA Prova de Habilidade Específica em Música PROVA DE APTIDÃO CURSO MÚSICA LICENCIATURA 1. Todos os candidatos deverão se submeter à entrevista, ao teste escrito e oral, bem como escrever seu histórico musical.

Leia mais

TESTE DE HABILIDADE ESPECÍFICA CURSO DE LICENCIATURA EM MÚSICA INSTRUÇÕES E INFORMAÇÕES. 1 ESCREVA seu nome com letra de forma apenas no quadro acima.

TESTE DE HABILIDADE ESPECÍFICA CURSO DE LICENCIATURA EM MÚSICA INSTRUÇÕES E INFORMAÇÕES. 1 ESCREVA seu nome com letra de forma apenas no quadro acima. UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA COORDENADORIA DE PROCESSOS DE SELEÇÃO VESTIBULAR DE VERÃO 2016 PROCESSO SELETIVO SERIADO PSS 2016 TESTE DE HABILIDADE ESPECÍFICA CURSO DE LICENCIATURA EM MÚSICA NOME

Leia mais

Isolde Frank A F I N D O

Isolde Frank A F I N D O Isolde Frank A F I N A N D O A 1 V O Z INTRODUÇÃO A respeito de "cantar", nós nos perguntamos: Por que há tantas pessoas que dizem que não sabem cantar? Por que encontramos pessoas que já tiveram que ouvir

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE CONCURSO VESTIBULAR VESTIBULAR 2016 MÚSICA INSTRUÇÕES - Ao receber este caderno de prova verifique se contém 30 questões. Caso contrário,

Leia mais

Juarez Barcellos OS ACORDES MAIS USADOS NO VIOLÃO

Juarez Barcellos OS ACORDES MAIS USADOS NO VIOLÃO Juarez Barcellos OS ACORDES MAIS USADOS NO VIOLÃO EDIÇÃO 2015 ACORDES MAIORES EM TRÍADES TRÊS NOTAS Estes são os desenhos de acordes maiores mais usados de maneira geral. São tríades (acordes com três

Leia mais

Ensaio Musical Prof. Juarez Barcellos

Ensaio Musical Prof. Juarez Barcellos Ensaio Musical Prof. Juarez Barcellos CURSO DE MÚSICA PARA VIOLÃO Módulo II juarezbarcellos.com Glória a Deus nas maiores alturas, e paz na terra entre os homens, a quem ele quer bem. Glória en excelsis

Leia mais

Teoria Musical PAUTA OU PENTAGRAMA

Teoria Musical PAUTA OU PENTAGRAMA Teoria Musical PAUTA OU PENTAGRAMA É o local onde são escritas as notas. São 5 linhas horizontais, paralelas, que formam 4 espaços. As linhas e espaços são contados de baixo para cima. Pode-se acrescentar

Leia mais

42. Construa a escala maior e indique os tetracordes de cada uma das tonalidades indicadas abaixo:

42. Construa a escala maior e indique os tetracordes de cada uma das tonalidades indicadas abaixo: Escalas Exercícios 42. Construa a escala maior e indique os tetracordes de cada uma das tonalidades indicadas abaixo: A. SOL maior B. LA maior C. SI maior D. FA maior E. MI maior F. RE maior 89 43. Construa

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DECEx DEE ESCOLA DE SARGENTOS DAS ARMAS ESCOLA SARGENTO MAX WOLF FILHO

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DECEx DEE ESCOLA DE SARGENTOS DAS ARMAS ESCOLA SARGENTO MAX WOLF FILHO MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DECEx DEE ESCOLA DE SARGENTOS DAS ARMAS ESCOLA SARGENTO MAX WOLF FILHO EXAME INTELECTUAL AOS CURSOS DE FORMAÇÃO DE SARGENTOS 2013-14 SOLUÇÃO DAS QUESTÕES DE TEORIA

Leia mais

Vejamos abaixo, por exemplo, o campo harmônico de C Maior com suas dominantes secundárias: C7M Dm7 Em7 F7M

Vejamos abaixo, por exemplo, o campo harmônico de C Maior com suas dominantes secundárias: C7M Dm7 Em7 F7M Dominantes Secundárias Cada um dos acordes diatônicos do campo harmônico, pode ser preparado por um acorde de dominante. Esse acorde se chama dominante secundário. A dominante primária de uma tonalidade

Leia mais

Serviço Público Federal UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Pró-Reitoria de Graduação - PROGRAD INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS, COMUNICAÇÃO E ARTES ICHCA

Serviço Público Federal UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Pró-Reitoria de Graduação - PROGRAD INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS, COMUNICAÇÃO E ARTES ICHCA CADERNO DE QUESTÕES Serviço Público Federal UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Pró-Reitoria de Graduação - PROGRAD INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS, COMUNICAÇÃO E ARTES ICHCA TESTE ESPECÍFICO PROVA ESCRITA Processo

Leia mais

GRADE CURRICULAR CAVALLIERI TECLADO

GRADE CURRICULAR CAVALLIERI TECLADO MÓDULO I 1º Semestre 1.1 Apresentação do instrumento - Conhecimento das características e possibilidades de uso com seus recursos sonoros e eletrônicos e diferenças entre o teclado e o piano. 1.2 Postura,

Leia mais

01. Assinale CORRETAMENTE a alternativa que corresponde às possibilidades de tonalidades apresentadas na sequência a seguir.

01. Assinale CORRETAMENTE a alternativa que corresponde às possibilidades de tonalidades apresentadas na sequência a seguir. 01. Assinale CORRETAMENTE a alternativa que corresponde às possibilidades de tonalidades apresentadas na sequência a seguir. Mi menor, Ré b maior, Sol maior Mi Maior, Ré bemol Maior, Lá Maior Sol# Maior,

Leia mais

Teoria Musical. 01. Na primeira linha das claves de sol e de fá, tem-se, respectivamente, as notas : 02. A respeito do termo VALOR, pode-se dizer que:

Teoria Musical. 01. Na primeira linha das claves de sol e de fá, tem-se, respectivamente, as notas : 02. A respeito do termo VALOR, pode-se dizer que: Teoria Musical 01. Na primeira linha das claves de sol e de fá, tem-se, respectivamente, as notas : 0-0) mi e mi. 1-1) sol e mi. 2-2) sol e sol. 3-3) mi e sol. 4-4) mi e si. Resposta: FFFVF A clave de

Leia mais

VESTIBULAR MÚSICA

VESTIBULAR MÚSICA 0 UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE PRÓ - REITORIA DE ENSINO COMISSÃO DE PROCESSOS VESTIBULARES UNIDADE ACADEMICA DE ARTE E MÍDIA VESTIBULAR 2013.2 TESTE DE HABILIDADE ESPECÍFICA MÚSICA CONQUISTE

Leia mais

Marcelo Morales Torcato. Jogos de Música. 1ª Edição. Pauliceia Marcelo Morales Torcato Jogos de Música. 1

Marcelo Morales Torcato. Jogos de Música. 1ª Edição. Pauliceia Marcelo Morales Torcato Jogos de Música.  1 Marcelo Morales Torcato Jogos de Música 1ª Edição Pauliceia Marcelo Morales Torcato 2009 Jogos de Música. 1 Índice. 1. Jogo das Figuras pág. 03 2. Jogo de Cartas pág. 05 3. Jogo do Intervalo pág. 08 4.

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco IFPE Campus Barreiros

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco IFPE Campus Barreiros Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco IFPE Campus Barreiros Exame de Seleção / VESTIBULAR IFPE 2016 Curso Técnico Subsequente em Instrumento Musical Avaliação Específica em

Leia mais

CADERNO DE PROVA (Manhã)

CADERNO DE PROVA (Manhã) Universidade do Estado de Santa Catarina Vestibular 2013.1 CADERNO DE PROVA (Manhã) Conhecimentos Musicais 30 questões NOME DO(A) CANDIDATO(A) Instruções Para fazer a prova você usará: este caderno de

Leia mais

OFICINA DE VIOLÃO - Módulo Básico -

OFICINA DE VIOLÃO - Módulo Básico - OFICINA DE VIOLÃO - Módulo Básico - ELABORAÇÃO: Frank Tagino MMA-RCC-DF REVISÃO: Nilton Vilhena SETOR XII - MMA-RCC-DF 1 HISTÓRIA DO INSTRUMENTO Antes de começarmos a abordar nossos assuntos referente

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE CONCURSO VESTIBULAR VESTIBULAR 2014 MÚSICA INSTRUÇÕES - Ao receber este caderno de prova verifique se contém 30 questões. Caso contrário,

Leia mais

FORMAÇÃO E ESTRUTURAS DOS ACORDES; ESCALAS:

FORMAÇÃO E ESTRUTURAS DOS ACORDES; ESCALAS: FORMAÇÃO E ESTRUTURAS DOS ACORDES; ESCALAS: CROMÁTICA, DIATÔNICA, NATURAL, GREGAS, MELÓDICAS, HARMÔNICAS, DIMINUTAS, PENTATÔNICAS. SINAIS COMUNS E SÍMBOLOS MUSICAIS NOÇÕES DE IMPROVISAÇÃO: RITÍMICA, BASE

Leia mais

TESTE ESPECÍFICO - PROVA ESCRITA Processo Seletivo UFAL 2016 Edital nº 02/2016/PROGRAD-UFAL. Curso INSTRUÇÕES GERAIS

TESTE ESPECÍFICO - PROVA ESCRITA Processo Seletivo UFAL 2016 Edital nº 02/2016/PROGRAD-UFAL. Curso INSTRUÇÕES GERAIS Serviço Público Federal UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Pró-Reitoria de Graduação - PROGRAD Instituto de Ciências Humanas, Comunicação e Artes - ICHCA TESTE ESPECÍFICO - PROVA ESCRITA Processo Seletivo

Leia mais

Para responder às questões 1 e 2, ouça atentamente o trecho musical 1 e considere o exemplo musical I, que corresponde a esse trecho musical.

Para responder às questões 1 e 2, ouça atentamente o trecho musical 1 e considere o exemplo musical I, que corresponde a esse trecho musical. Nas questões de 1 a 10, responda de acordo com o comando de cada uma delas. A questão 1 exige resposta a ser construída pelo próprio candidato; as questões 3, 4, 9 e 10 são de associação ou complementação.

Leia mais

Noções Básicas de Teoria Musical. por Alessandro Penezzi

Noções Básicas de Teoria Musical. por Alessandro Penezzi Noções Básicas de Teoria Musical por Alessandro Penezzi São Paulo, 1999 1) INTRODUÇÃO...4 a) Som é tudo o que ouvimos....4 b) Música é a arte de combinar sons....4 c) Notas Musicais...4 d) Grau Conjunto...5

Leia mais

Prova de Equivalência à Frequência

Prova de Equivalência à Frequência Rubricas dos Professores Vigilantes Prova de Equivalência à Frequência Educação Musical /Prova 12/2ª Fase/2014 Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho A PREENCHER PELO ESTUDANTE Nome completo Documento

Leia mais

INSTITUTO INDEC CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL DE SUMARÉ INSTRUÇÕES MÚSICO SOLISTA

INSTITUTO INDEC CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL DE SUMARÉ INSTRUÇÕES MÚSICO SOLISTA INSTITUTO INDEC CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL DE SUMARÉ INSTRUÇÕES MÚSICO SOLISTA NÃO ABRA O CADERNO DE PROVAS ANTES DE RECEBER ORDEM PARA FAZÊ-LO 01. Este caderno de provas contém questões de

Leia mais

Dó -tom- Ré -tom- Mi -½tom- Fá -tom- Sol -tom- Lá -tom- Si -½tom- Dó...

Dó -tom- Ré -tom- Mi -½tom- Fá -tom- Sol -tom- Lá -tom- Si -½tom- Dó... Artigo Científico 4- A Matemática no mundo da música Guilherme Ramos Informática Manhã IFRS Campus Osório 28/11/2011 Resumo: Realmente sem idéias pra este artigo resolvi pegar uma das coisas que eu mais

Leia mais

trecho musical ì í î ï ð

trecho musical ì í î ï ð Nas questões de 1 a 10, responda de acordo com o comando de cada uma delas. As questões 1, 4, 6, 7 e 9 exigem respostas a serem construídas; as questões 2 e 8 são de associação. As respostas a essas questões

Leia mais

Por Celsinho Gomes. Edição Própria - Celsinho Gomes - Todos os direitos reservados.

Por Celsinho Gomes. Edição Própria - Celsinho Gomes - Todos os direitos reservados. Edição Própria - Celsinho Gomes - Todos os direitos reservados. Por Celsinho Gomes ÍNDICE INTRODUÇÃO 3 SISTEMA DE NOTAÇÃO GRADE 4 ESCALA MAIOR DIATÔNICA 5 ESCALA MENOR DIATÔNICA 7 MENOR HARMÔNICA 9 MENOR

Leia mais

TEORIA MUSICAL Todas as questões estão baseadas no seguinte excerto musical, do Prelúdio da ópera Tristão e Isolda, de Richard Wagner.

TEORIA MUSICAL Todas as questões estão baseadas no seguinte excerto musical, do Prelúdio da ópera Tristão e Isolda, de Richard Wagner. TEORIA MUSICAL Todas as questões estão baseadas no seguinte excerto musical, do Prelúdio da ópera Tristão e Isolda, de Richard Wagner. 01. Em termos matemáticos, quais fórmulas de compasso podem ser utilizadas

Leia mais

FÓRMULA VIOLÃO EXPRESS. Direitos Autorais

FÓRMULA VIOLÃO EXPRESS. Direitos Autorais Direitos Autorais Todos os Direitos reservados a Fábio de Amorim Teodoro. Este e-book só pode ser distribuído juntamente com o Curso Gratuito Fórmula Violão Express. Partes SEJA BEM do Violão VINDO Seja

Leia mais

Intervalos. Classificação numérica. Classificação de dimensão

Intervalos. Classificação numérica. Classificação de dimensão Intervalos Um intervalo é a distância entre duas notas ou sons diferentes, sendo ascendente ou descendente em função da direção melódica que adotar. Estão sujeitos às seguintes classificações: Classificação

Leia mais

Apostila de Iniciação Musical. Baseado no Livro Teoria da Música de Ricci Adams Compilação de: Elsaby Antunes 1ª Edição.

Apostila de Iniciação Musical. Baseado no Livro Teoria da Música de Ricci Adams Compilação de: Elsaby Antunes 1ª Edição. Apostila de Iniciação Musical Baseado no Livro Teoria da Música de Ricci Adams Compilação de: Elsaby Antunes 1ª Edição. Junho 2008 http://www.elsabyantunes.blogspot.com/ elsabyantunes@gmail.com Prefácio

Leia mais

DISCIPLINA EDUCAÇÃO MUSICAL

DISCIPLINA EDUCAÇÃO MUSICAL INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DISCIPLINA EDUCAÇÃO MUSICAL PROVA 12/16 6º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei nº 19/12, de 5 de julho, republicado pelo Decreto-Lei nº 91/1, de 10 de julho)

Leia mais

Exercícios dinâmicos para fixação de Conteúdo

Exercícios dinâmicos para fixação de Conteúdo Exercícios dinâmicos para fixação de Conteúdo 59 1º Modulo 1. Complete a cruzada abaixo de acordo com as perguntas: a. Manifestação dos afetos da alma mediante o som. b. Propriedade da musica que se manifesta

Leia mais

NOTAÇÃO MUSICAL: Como se escreve música?

NOTAÇÃO MUSICAL: Como se escreve música? NOTAÇÃO MUSICAL: Como se escreve música? A música é uma linguagem sonora como a fala. Assim como representamos a fala por meio de símbolos do alfabeto, podemos representar graficamente a música por meio

Leia mais

Partes do Violão 1- Tampo 2- Rastilho 3- Cavalete 4- Boca ou Bocal

Partes do Violão 1- Tampo 2- Rastilho 3- Cavalete 4- Boca ou Bocal Partes da guitarra Basicamente, os modelos dos instrumentos que iremos abordar são os mais tradicionais, em se tratando da guitarra, nós temos o modelo strato, que é o mais versátil modelo de guitarra

Leia mais

Sugestões Metodológicas: Estratégias/Atividades. Metas de Aprendizagem

Sugestões Metodológicas: Estratégias/Atividades. Metas de Aprendizagem Ano Letivo - 2012/201 Conteúdos Objetivos Curriculares Metas de Aprendizagem Sugestões Metodológicas: Estratégias/Atividades Avaliação Calendarização Dinâmica Forma Ficheiro 1 Reconhece diferentes timbres,

Leia mais

Prof. Juarez Barcellos

Prof. Juarez Barcellos Intervalos Intervalo é a distância existente entre duas notas. (harmônico ou melódico) Acorde é um grupo de notas que soam simultaneamente formando a base harmônica da música. (intervalo harmônico) Um

Leia mais

Círculo de Escala. Hidetoshi Arakawa. Aparelho Didático de Escala Musical. Nível 3. H. Arakawa

Círculo de Escala. Hidetoshi Arakawa. Aparelho Didático de Escala Musical. Nível 3. H. Arakawa Hidetoshi Arakawa Círculo de Escala Nível destina-se aos que conhecem número negativo. O número negativo facilita a compreensão dos conceitos da enarmônica e da transposição. Nível destina-se às pessoas

Leia mais

TEORIA MUSICAL UMA INTRODUÇÃO

TEORIA MUSICAL UMA INTRODUÇÃO IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLÉIA DE DEUS MINISTÉRIO JARDIM PALMARES CONGREGAÇÃO BETEL TEORIA MUSICAL UMA INTRODUÇÃO Por LEANDRO AGUIAR FERNANDES Rio de Janeiro 1 2008 LEITURA DE MÚSICA 1. Introdução A música

Leia mais

IGREJA CRISTÃ MARANATA. Apostila De Teclado. Comissão de ensino Vale do Aço

IGREJA CRISTÃ MARANATA. Apostila De Teclado. Comissão de ensino Vale do Aço IGREJA CRISTÃ MARANATA Apostila De Teclado Comissão de ensino Vale do Aço Introdução O Teclado é um dos instrumentos mais utilizados hoje em dia, por sua grande flexibilidade e diversificação. Com um simples

Leia mais

PROVA ESCRITA. 2. Tendo como referencia as escalas maiores abaixo,

PROVA ESCRITA. 2. Tendo como referencia as escalas maiores abaixo, PROVA ESCRITA 1. De acordo com o trecho musical abaixo assinale a alternativa que corresponde as notas escritas em suas devidas alturas, segundo a escala geral. A) Lá3-Sol3-Fá3-Fá4-Sol4-Lá4-Si2-Dó3-Lá2-Sol2-Lá3-Si3-Dó3.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE CONCURSO VESTIBULAR VESTIBULAR 2015 MÚSICA INSTRUÇÕES - Ao receber este caderno de prova verifique se contém 30 questões. Caso contrário,

Leia mais

SÉRIE HARMÔNICA. As notas do contraponto são formadas com intervalos de repouso e/ou tensão,

SÉRIE HARMÔNICA. As notas do contraponto são formadas com intervalos de repouso e/ou tensão, 1 SÉRIE HARMÔNICA Texto: Prof. Dirso Anderle SESC/2001 As notas do contraponto são formadas com intervalos de repouso e/ou tensão, consonantes e/ou dissonantes entre as linhas (vozes) da melodia e as linhas

Leia mais

Prova de Aptidão Musical

Prova de Aptidão Musical Vestibular 2010 Prova de Aptidão Musical Curso de Licenciatura em Música 1. o Caderno Questões Objetivas 18.12.2009 Escreva seu nome e número da carteira na capa e na última folha deste caderno. Esta prova

Leia mais

Curso Teórico/Prático para Iniciantes na Arte. Acompanhamento e Harmonização

Curso Teórico/Prático para Iniciantes na Arte. Acompanhamento e Harmonização Curso Teórico/Prático para Iniciantes na Arte Acompanhamento e Harmonização Edson de Cerqueira Leite Curso Teórico/Prático para Iniciantes na Arte Acompanhamento e Harmonização Editor responsável Zeca

Leia mais

Para responder à questão 1, ouça atentamente o trecho musical I.

Para responder à questão 1, ouça atentamente o trecho musical I. Nas questões de 1 a 10, responda de acordo com o comando de cada uma delas. As questões 1 e 8 exigem respostas a serem construídas; a questão 2 é de associação. A resposta a essa questão deverá ser transcrita

Leia mais

04 Armadura de Clave Como identificar o Tom a partir dos acidentes da Armadura de Clave. 06 Relação Tom x Acidentes. 12 Círculo das Quintas

04 Armadura de Clave Como identificar o Tom a partir dos acidentes da Armadura de Clave. 06 Relação Tom x Acidentes. 12 Círculo das Quintas 03 Introdução onalidade 04 Armadura de Clave Como identificar o om a partir dos acidentes da Armadura de Clave 06 Relação om x Acidentes ons com sustenidos ons com bemóis 12 Círculo das Quintas ons Vizinhos

Leia mais

Exemplo 13 figuras de tempo e suas relações básicas.

Exemplo 13 figuras de tempo e suas relações básicas. 3. FIGURAS DE TEMPO, PAUSAS Figuras de tempo: são usadas para representar as durações das notas. Assim como a representação das notas dentro da pauta, a representação das durações das notas são relativas,

Leia mais

Parâmetros do som. 24 Capítulo 2

Parâmetros do som. 24 Capítulo 2 Parâmetros do som Ouvimos diversos sons produzidos por uma quantidade enorme de fontes sonoras. Sons diferentes e também sons que conhecemos e reconhecemos diariamente. Uma mesma nota musical pode ser

Leia mais

PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2016 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA CURSO DE MÚSICA. Assinatura: PROVA COLETIVA

PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2016 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA CURSO DE MÚSICA. Assinatura: PROVA COLETIVA PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2016 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA CURSO DE MÚSICA Nome do Candidato: Inscrição: Assinatura: PROVA COLETIVA 1- A prova está dividida em 4 questões com as seguintes pontuações:

Leia mais

OS PILARES DA MÚSICA

OS PILARES DA MÚSICA RICARDO SOUSA-CASTRO OS PILARES DA MÚSICA Descomplicando a teoria, a harmonia, o solfejo e a divisão rítmica THESAURUS by Ricardo Sousa-Castro 2016 Ficha Técnica Editoração Eletrônica Cláudia Gomes Arte

Leia mais

T E O R I A E P E R C E P Ç Ã O M U S I C A L

T E O R I A E P E R C E P Ç Ã O M U S I C A L T E O R I A E P E R C E P Ç Ã O M U S I C A L QUESTÃO 1 Assinale, dentre as escalas abaixo, aquela que corresponde à escala de Fá Menor harmônica: QUESTÃO 5 Qual destas tríades corresponde, em Fá Menor,

Leia mais

C-FSG-MU/2013 CÓDIGO 11

C-FSG-MU/2013 CÓDIGO 11 l) O Acorde de 7ª da Dominante dizse estar na 2ª inversão quando o Baixo é a do acorde. (A) 2ª (B) 3ª (C) 4ª (D) 5ª (E) 6ª 2) O baixo recebe o nome de fundamental quando o acorde está na (A) segunda inversão

Leia mais

TIPO A TEORIA MUSICAL. As questões 01 a 03 referem-se ao trecho musical a seguir, de Lulli:

TIPO A TEORIA MUSICAL. As questões 01 a 03 referem-se ao trecho musical a seguir, de Lulli: 1 TEORIA MUSICAL As questões 01 a 03 referem-se ao trecho musical a seguir, de Lulli: 1. Observe o trecho musical acima e responda: 0-0) A tonalidade predominante deste trecho musical é Si bemol Maior.

Leia mais

Princípios básicos de violão - Bruno Grunig 2. Princípios básicos de violão. para iniciantes

Princípios básicos de violão - Bruno Grunig  2. Princípios básicos de violão. para iniciantes Princípios básicos de violão - Bruno Grunig http://videoauladeviolao.com.br 2 Princípios básicos de violão para iniciantes Esta é uma apostila com alguns princípios básicos para estudo de violão, não se

Leia mais

Fundamentos de harmonia

Fundamentos de harmonia Fundamentos de harmonia Hudson Lacerda 19 de Fevereiro de 2010 Resumo Este texto foi escrito originalmente para uso na disciplina Fundamentos de Harmonia ministrada pelo autor na Escola de Música da Universidade

Leia mais

AMOSTRA ATENÇÃO: SUMÁRIO. Introdução...1. Notação musical...3. Teoria musical...13. Harmonia...30. Escalas...44. Dicionário de acordes...

AMOSTRA ATENÇÃO: SUMÁRIO. Introdução...1. Notação musical...3. Teoria musical...13. Harmonia...30. Escalas...44. Dicionário de acordes... AMOSTRA ATENÇÃO: ESTE DOCUMENTO SE TRATA APENAS DE UMA AMOSTRA. AS PÁGINAS AQUI EXPOSTAS SÃO PÁGINAS ALEATÓRIAS DA APOSTILA, MESCLADAS DO APRENDIZADO ADULTO COM O APRENDIZADO INFANTIL, COM EFEITO APENAS

Leia mais

Os obreiros encarregados do ensino musical ensinam todos os instrumentos independentemente da categoria.

Os obreiros encarregados do ensino musical ensinam todos os instrumentos independentemente da categoria. O Método Prático Para Viola - Sua Nova Atualização Com Coletânea De Imagens, Escalas Em Progressão Tonal, Minuetos De Autores Eruditos E 14 Duetos Com Análise Técnica Da Mão Direita. INTRODUÇÃO Convidados

Leia mais

Nome: (ATENÇÃO: coloque seu nome em todas as páginas deste teste) I. TESTE PERCEPTIVO

Nome: (ATENÇÃO: coloque seu nome em todas as páginas deste teste) I. TESTE PERCEPTIVO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE ARTES DEPARTAMENTO DE MÚSICA CONCURSO VESTIBULAR 2016 PROVA ESPECÍFICA TESTE TEÓRICO-PERCEPTIVO Nome: (ATENÇÃO: coloque seu nome em todas as páginas

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES EDUCAÇÃO MUSICAL PLANIFICAÇÃO ANUAL 6º ANO 2016/2017 Metas Conceitos Conteúdos Objetivos Avaliação

Leia mais

Paróquia Nsa. Sra. do Sagrado Coração (Santuário das Almas/Icaraí) Oficina de Teclado 1ª Etapa

Paróquia Nsa. Sra. do Sagrado Coração (Santuário das Almas/Icaraí) Oficina de Teclado 1ª Etapa Paróquia Nsa. Sra. do Sagrado Coração (Santuário das Almas/Icaraí) Oficina de Teclado 1ª Etapa www.oficinademusica.org Olá, pessoal Essa Apostila é direcionada para os alunos (as) da Oficina de Teclado.

Leia mais

Acordes para Teclado e Piano by Ernandes

Acordes para Teclado e Piano by Ernandes Acordes para Teclado e Piano by Ernandes As notas abaixo formam a escala de C, com sua representação na pauta do piano: Os acordes cifrados são formados por três ou mais notas tocadas ao mesmo tempo ou

Leia mais

APONTAMENTOS TEORIA MUSICAL

APONTAMENTOS TEORIA MUSICAL APONTAMENTOS DE TEORIA MUSICAL ISABEL FERREIRA Julho de 2011 Inclinar-me-ei para o teu santo templo, e louvarei o teu nome pela tua benignidade, e pela tua verdade; pois engrandeceste a tua palavra acima

Leia mais

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2013 E MÓDULO III DO PISM TRIÊNIO PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA BACHARELADO EM MÚSICA

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2013 E MÓDULO III DO PISM TRIÊNIO PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA BACHARELADO EM MÚSICA A questão 01 é acompanhada de um exemplo musical gravado, que será repetido 4 vezes, com um silêncio de 30 segundos entre cada repetição; um som de aviso (quatro toques ) aparecerá antes do extrato musical

Leia mais

Três características diferem os sinais sonoros: a altura do som, a intensidade e o timbre.

Três características diferem os sinais sonoros: a altura do som, a intensidade e o timbre. Três características diferem os sinais sonoros: a altura do som, a intensidade e o timbre. A altura do som relaciona-se com a freqüência (audível 20 Hz a 20 khz). Um som mais baixo (respect. alto) é mais

Leia mais

Prova Prática: Curso de Música

Prova Prática: Curso de Música Universidade do Estado de Santa Catarina Vestibular 2014.1 Prova Prática: Curso de Música NOME DO(A) CANDIDATO(A) Instruções Para fazer a prova você usará: este caderno de prova; um cartão-resposta que

Leia mais

Apostila Básica de Violão

Apostila Básica de Violão Apostila Básica de Violão Resumos para aulas MARANATA O Senhor Jesus Vem! Sumário Introdução... 2 Estrutura musical... 3 Cifras... 4 Acordes e Escalas... 4 Conhecendo o violão... 5 Enfim a prática!...

Leia mais