TÍTULO: CONSCIENTIZAÇÃO E EDUCAÇÃO SOBRE HIPERTENSÃO ARTERIAL À POPULAÇÃO FREQUENTADORA DA ASSOCIAÇÃO DA TERCEIRA IDADE DE AVANHANDAVA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TÍTULO: CONSCIENTIZAÇÃO E EDUCAÇÃO SOBRE HIPERTENSÃO ARTERIAL À POPULAÇÃO FREQUENTADORA DA ASSOCIAÇÃO DA TERCEIRA IDADE DE AVANHANDAVA"

Transcrição

1 TÍTULO: CONSCIENTIZAÇÃO E EDUCAÇÃO SOBRE HIPERTENSÃO ARTERIAL À POPULAÇÃO FREQUENTADORA DA ASSOCIAÇÃO DA TERCEIRA IDADE DE AVANHANDAVA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: ENFERMAGEM INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE SAÚDE DE SÃO PAULO AUTOR(ES): EDUARDO MARINHO HARTH, MÔNICA APARECIDA MAIA MOTA HARTH ORIENTADOR(ES): LUCILENE DE ANDRADE OLIVEIRA

2 1 RESUMO O presente estudo buscou levar à comunidade por meio de palestra, cartazes e folders, conhecimento e orientação sobre o tema hipertensão arterial (HA), desde sua definição, os fatores de risco associados à doença, como se prevenir e seus agravantes, além de conscientizar os participantes que o principal responsável pela sua saúde é o próprio indivíduo. Para verificar o aproveitamento dos participantes em relação ao que exposto, um questionário relacionado ao nível de conhecimento dos entrevistados sobre a doença foi aplicado antes e após a palestra para fins de comparação, após a análise dos dados coletados, pode-se verificar que houve uma melhora do nível de conhecimento dos participantes quando comparado ao questionário realizado anterior à palestra, e mostrou um grau de aceitação pelos participantes na sua totalidade quando analisado o interesse e avaliação pela população abordada, pelo programa de conscientização e promoção à saúde proposto. Portanto é dever tratar como prioridade tal condição clínica, prevenindo os altos números encontrados de complicações da doença, sabendo que muitos fatores de risco podem ser amenizados por estilo de vida mais saudáveis, colaborando assim na melhor condição de saúde da comunidade. Palavras-chaves: Hipertensão Arterial. Terceira Idade. Prevenção Hipertensão. 2. INTRODUÇÃO A Hipertensão Arterial (HA) é uma condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados de pressão arterial (CRAWFORD, 2003). Associase frequentemente a alteração funcional e estrutural dos órgãos (coração, encéfalo, rins e vasos sanguíneos) e alterações metabólicas, com consequente aumento do risco de eventos cardiovasculares fatais e não fatais. Segundo as Guidelines da Sociedade Europeia de Cardiologia, a HA definese como um aumento constante da pressão sistólica acima de 140 mmhg e da pressão arterial diastólica acima de 90 mmhg (GIUSEPPE et al., 2007). O aumento da idade, excesso de peso e obesidade, ingestão excessiva de sal, ingestão de álcool, sedentarismo, indivíduos com menos escolaridade, além de

3 fatores genéticos e ambientais, são fatores de risco atualmente muito bem considerados. Estudos apontam que a detecção, o controle e tratamento da HA são fundamentais para diminuição dos eventos cardiovasculares (Sociedade Brasileira de Cardiologia, 2006), no entanto sendo uma doença muitas vezes assintomática o diagnóstico tardio dificulta intervenções e colabora para o aumento dos índices de suas complicações envolvendo doenças cérebro vasculares, doença arterial coronariana e periférica, doenças crônicas renais, retinopatias e insuficiências cardíacas. O tratamento da HA envolve a intervenção médica e farmacológica bem como mudanças de estilo de vida com a inclusão de atividades físicas e controle da ingestão de sal e álcool. Além disso, a realização de políticas de prevenção primária e detecção precoce são as formas mais efetivas de evitar a hipertensão e devem ser metas prioritárias dos profissionais de saúde. A falta de conhecimento da população sobre prevenção, controle, tratamento da HA, colabora para sua evolução e gravidade do quadro. Muitos estudos mostram que o grande índice de doenças fatais ou não fatais envolvendo pacientes hipertensos é alarmante, portanto é prioridade levar à população conhecimento e esclarecimento sobre a hipertensão, por meios de comunicação em massa, campanhas, palestras, folders, com o objetivo de prevenir complicações e prevenção da doença, assim como conscientizar o grupo envolvido que é responsável pela própria saúde e pelas medidas adotadas para mantê-la, o que justifica esta pesquisa de campo. Sendo assim este trabalho vem questionar, se palestras de orientação sobre HA, colaboram para melhorar o conhecimento e esclarecimento da população, e a aceitação de projetos similares direcionados à saúde pelos participantes. 3. OBJETIVOS Atender os frequentadores e familiares da Associação 3ª Idade da cidade de Avanhandava/SP, levando a conscientização através de palestra. Avaliar o conhecimento dos participantes sobre o tema hipertensão arterial através de questionário de fácil compreensão.

4 Conscientizar a população sobre sua responsabilidade pela manutenção da sua própria saúde, conhecendo os fatores de risco modificáveis da doença. Verificar a opinião da comunidade envolvida sobre a validade e a importância de projetos de conscientização voltados diretamente para a saúde, bem como temas de interesse dos participantes para novos projetos. 4. METODOLOGIA Foi realizada uma palestra sobre o tema HA, na Associação da Terceira Idade, antes e após o evento foi aplicado um mesmo questionário com o objetivo de avaliar o conhecimento e o aproveitamento das informações recebidas, além de abertas para sugestões da comunidade de novos temas para abordagem, relacionados à promoção de saúde e verificar a aceitação deste tipo de evento. 5. DESENVOLVIMENTO Após divulgação em praça pública, foi organizado o evento no dia 18 de abril de 2014, objetivando promoção e prevenção da HA, além de uma palestra abordando o tema escolhido, que constou de informações relevantes como: os fatores de risco modificáveis e não modificáveis da hipertensão arterial; a definição da doença; a importância da prevenção; o tratamento e as consequências fatais e não fatais da HA no Brasil e no mundo, Cartazes e folders também foram utilizados como meios de informação, dando ênfase ao tema abordado na palestra. O questionário foi aplicado individualmente, sob orientação do entrevistador, e elaborado especialmente para este estudo e finalidade, sendo de fácil interpretação para todas as camadas sociais, constou dos dados pessoais e perguntas objetivando avaliar o conhecimento prévio e posterior dos participantes. Foram elaboradas perguntas abertas para avaliar o nível de aceitação do método utilizado no estudo e verificar sugestões de novos temas de interesse propostos pela comunidade, os participantes assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Todas as informações colhidas foram armazenadas em um banco de dados do programa Excel 2007 (Microsoft ) para posterior análise e representação em gráficos e tabelas

5 6. RESULTADOS 6.1 Dados pessoais De acordo com os dados pessoais dos participantes colhidos, pode-se verificar um número de mulheres (76,47%) entrevistadas em relação ao número de homens (23,53%), como mostrado na figura 1, a figura 2 mostra que a maior porção dos participantes da pesquisa possui o 1º grau (64,71%), seguidos pelo 2º grau (17,65%), enquanto que as porcentagens de entrevistados analfabetos, com cursos técnicos e de nível superior obtiveram os mesmos valores (5,88%), indivíduos pósgraduados não participaram da entrevista. Entrevistados de acordo com o sexo SEXO MASCULINO SEXO FEMININO 24% 76% Figura 1e 2: Entrevistados de acordo com o sexo e grau de escolaridade 6.2 Níveis de Conhecimento dos Entrevistados sobre Hipertensão Arterial Antes e após a palestra. O resultado mostrado nas figuras 3 e 4, são em relação ao conhecimento sobre a definição de hipertensão pelos participantes e fatores de risco respectivamente, a figura 3 mostrou que inicialmente grande parte já tinha conhecimento (76,47%), número que sofreu um pequeno aumento de 5,88%). Em relação aos fatores de risco, percebemos que todos inicialmente já estavam conscientizados sobre o risco que o fumo trás (94,12%), porém o fator hereditariedade mostrou ser de pouco conhecimento pelos participantes (35,29%), porém obteve um aumento de 17,66% após a palestra, em relação ao abuso do sal e álcool os dados foram similares (82,35%) aumentando em 17,65% e 11,77%

6 respectivamente na aplicação do questionário final, em relação ao fator de risco idade em relação a idade inicialmente um pequeno numero tinha conhecimento, 47,06% e após a palestra houve um aumento significativo de 41,18%, sobre obesidade um bom número de pessoas tinham consciência sobre o risco que a obesidade traz, 82,35%, aumentando em 11,77% pós palestra, já em relação ao diabetes o conhecimento era pequeno, 52,94% e após a palestra ficou em 82,24%, mostrando uma diferença considerável, a falta de atividade física obteve como resultado um conhecimento de 58,88% no primeiro momento, chegando a totalidade de 100% após a palestra. Conhecimento do que é HA VOCÊ SABE O QUE É HIPERTENSÃO SIM VOCÊ SABE O QUE É HIPERTENSÃO NÃO 76,47% 82,35% 17,65% 11,76% 1 2 1º 2º Figura 3 e 4: Nível de conhecimento apresentado em relação à definição da hipertensão arterial e fatores de risco anterior e posterior à apresentação da palestra O resultado mostrado em relação aos sinais e sintomas da HA mostra que inicialmente 64,71% sabiam os sinais e sintomas e 35,29% não tinham um grande conhecimento a respeito e após a palestra o conhecimento sobre sinais e sintomas aumentou em 5,88% (fig.5). Na figura 6 pode-se observar que o infarto e derrame cerebral já eram de grande conhecimento dos participantes como fator de complicação (94,12%), em relação a alterações visuais e renais inicialmente o conhecimento era igual (52,94%) e após a palestra obtiveram um aumento de (23,53% e 17,65% respectivamente), com relação a varizes o conhecimento inicial foi (47,06%) e após a palestra teve um aumento de 5,88%.

7 DIMINUIÇÃO DO SAL ELIMINAR BEBIDAS ALCOÓLICAS EVITAR DOCES E FRITURAS EVITAR TEMPEROS PRONTOS LEITES INTEGRAIS DERRAME CEREBRAL INFARTO ALTERAÇÕES VISUAIS RENAIS VARIZES Sinais e sintomas VOCÊ SABE OS SINAIS E SINTOMAS DO AUMENTO DA PRESSÃO SIM VOCÊ SABE OS SINAIS E SINTOMAS DO AUMENTO DA PRESSÃO NÃO 120,00% 80,00% 60,00% 40,00% 20,00% 0,00% Complicações 64,71% 35,29% 70,59% 29,41% Série1 Série º 2º QUAIS AS COMPLICAÇÕES QUE A HIPERTENSÃO CAUSA Figura 5 e 6: Níveis de conhecimento dos entrevistados em relação aos sinais e sintomas da hipertensão arterial e suas complicações antes e após a apresentação da palestra O resultado mostrado abaixo (fig. 7) em relação ao tratamento da hipertensão arterial mostra um conhecimento de 100%entre os participantes, a figura ao lado (fig. 8) observa-se que o sal é o alimento que mais deve ser evitado no controle da HA, 100% dos participantes afirmaram isso, seguido pela ingestão de doces e frituras, inicialmente 88,24% dos participantes já tinham conhecimento, após a palestra esse número aumentou em 11,76%, em relação a eliminar bebidas alcoólicas inicialmente, boa parte dos participantes disseram que sim, que se deve evitar bebidas alcoólicas (64,71%) aumentando para 94,12% dos entrevistados após a palestra, 47,06% dos entrevistados afirmaram que não se deve ingerir leites integrais, aos assistirem a palestra este número aumentou em 35,29%, totalizando 82,35% dos participantes, (35,29%), quanto ao evitar temperos prontos também se pode observar que houve um aumento de 35,30% sobre os 52,94% de participantes que já tinham conhecimento. 120,00% 80,00% 60,00% 40,00% 20,00% 0,00% Existe tratamento para HA SIM 0,00% NÃO EXISTE TRATAMENTO PARA A HIPERTENSÃO Alimentação Série1 Série2 94,12% 88,24% 82,35% 64,71% 88,24% 52,94% 47,06% NA ALIMENTAÇÃO DEVE EVITAR Figura 7 e 8: Níveis de conhecimento dos entrevistados em relação tratamento da hipertensão arterial e o que deve se evitar na alimentação antes e após a apresentação da palestra.

8 PASSAR POR AVALIAÇÃO MÉDICA TER ACOMPANHAMENTO FAZER EXERCÍCIOS COM INTENSIDADE FAZER EXERCÍCIOS ATÉ SE SENTIR EXAUSTO EXERCITAR VIGOROSAMENTE FAZER EXERCÍCIOS 3 A 5 VEZES POR SEMANA AUMENTA A EXPECTATIVA DE PROMOVER MAIOR ELASTICIDADE DOS CONTRIBUIR PARA CONTROLE DOO O resultado em relação ao conhecimento dos participantes sobre a atividade física na figura 9, mostrou que inicialmente todos os participantes já tinham conhecimento sobre a necessidade de uma avaliação médica antes da prática de atividades físicas físicos, o mesmo pode ser verificado e em relação ao aumento da expectativa de devido a atividade, quando se perguntou sobre o acompanhamento de um profissional habilitado durante a prática das atividades, o percentual de conhecimento foi alto 88,24%, após a palestra obteve um acréscimo de 5,88% na opinião dos entrevistado, resultados similares foram encontrados em relaço a intensidade moderado do exercício, 82,35% acrescendo de 5,89% após a palestra, em relação a frequência grande parte 76,47% afirmou que era ideal fazer exercícios 3 a 5 vezes por semana por 30 à 40 minutos, com um aumento de 11,77% na entrevista final. 120,00% 80,00% 60,00% 40,00% 20,00% 0,00% Série1 Série2 EM RELAÇÃO A ATIVIDADE FÍSICA É CORRETO Figura 9 e 10: Níveis de conhecimento dos entrevistados em relação à pratica de exercício físico antes e após a apresentação da palestra. 6.3 Opinião e Propostas dos Entrevistados Conforme dado mostrados na tabela abaixo, a compreensão dos participantes em relação a este tipo de programa de conscientização foi satisfatoriamente esclarecedora, atingindo 100% dos entrevistados.

9 SIM VOCÊ ACHOU QUE A PALESTRA FOI ESCLARECEDORA NÃO 0,00% SIM ESTE TIPO DE ORIENTAÇÃO À POPULAÇÃO DEVE SER MAIS UTILIZADO NÃO 0,00% Figura 11: Opinião dos entrevistados em relação à aceitação e apoio em relação a este tipo de programa apresentado Quando perguntado sobre novos temas de interesse dos participantes, com sugestões para palestras futuras visando promoção e prevenção em saúde, mais da metade dos entrevistados opinaram por diabetes mellitus, como se pode verificar na análise mostrada pela tabela da figura 12. SUGESTÕES PRÓXIMAS PALESTRAS PORCENTAGEM Artrose 11,76% Colesterol 11,76% Depressão 5,88% Derrame Cerebral 5,88% Diabetes 52,94% Drogas 5,88% Infarto 5,88% Osteoporose 5,88% Promoção à saúde em geral 5,88% Colesterol e Triglicérides 5,88% Figura 12: Opinião dos entrevistados em relação à aceitação e apoio em relação a este tipo de programa apresentado

10 7. CONCLUSÃO Este trabalho mostrou que a utilização de palestras, cartazes e folder sobre o tema hipertensão arterial (HA), desde sua definição, os fatores de risco associados à doença, como se prevenir e seus agravantes, por meio de palestras, folders e cartazes aumentou o nível de conhecimento entre os participantes, demonstrando ser um meio de ótima aceitação e esclarecimento entre os participantes. Portanto é dever tratar como prioridade tal condição clínica, procurando a prevenção dos altos números encontrados de complicações da doença, sabendo que muitos fatores de risco podem ser amenizados por estilo de vida mais saudáveis, colaborando assim na melhor condição de saúde da comunidade. 8. REFERÊNCIAS CRAWFORD, M. H. Cardiologia: diagnóstico e tratamento. Rio de Janeiro: McGraw-Hill Interamericana, GIUSEPPE, M. et al.,.guidelines for the Management of Arterial Hypertension, Journal of Hypertension, v. 25, p , Sociedade Brasileira de Cardiologia. V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arq Bras Cardiol, p.1-48, 2006.

11

Hipertensão Arterial Sistêmica

Hipertensão Arterial Sistêmica Hipertensão Arterial Sistêmica Pressão alta merece atenção. o que É HiPerteNsão ArteriAL sistêmica (HAs)? É uma doença crônica caracterizada por níveis elevados e sustentados de Pressão Arterial (PA),

Leia mais

CNC-CENTRO DE NEFROLOGIA DE CANINDÉ

CNC-CENTRO DE NEFROLOGIA DE CANINDÉ CNC-CENTRO DE NEFROLOGIA DE CANINDÉ Praça Frei Aurélio 1397,Centro-Canindé-Ce CEP:62.700-000 Fone:(85)3343-1826 Fax:(85)3343-1838 E-mail:cnccaninde@yahoo.com.br RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO

Leia mais

41 ANOS DE EXISTÊNCIA. 942 Médicos Cooperados 71 mil clientes. 1ª Sede Praça Carlos de Campos

41 ANOS DE EXISTÊNCIA. 942 Médicos Cooperados 71 mil clientes. 1ª Sede Praça Carlos de Campos 41 ANOS DE EXISTÊNCIA 942 Médicos Cooperados 71 mil clientes 1ª Sede Praça Carlos de Campos UNIDADES DE NEGÓCIOS PROGRAMA DR. SAUDÁVEL EQUIPE MEDICINA PREVENTIVA 04 Cooperados Coordenador Médico Supervisor

Leia mais

COMO MEDIR A PRESSÃO ARTERIAL

COMO MEDIR A PRESSÃO ARTERIAL COMO MEDIR A PRESSÃO ARTERIAL REQUISITOS BÁSICOS PARA ADEQUADA AFERIÇÃO DA PRESSÃO ARTERIAL Tele-educação REDE DE TELEASSISTÊNCIA DE MINAS GERAIS Organizadores Edênia S. G. Oliveira Lidiane A. Pereira

Leia mais

ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO DOS FATORES DE RISCO PARA DOENÇA CORONARIANA DOS SERVIDORES DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO DOS FATORES DE RISCO PARA DOENÇA CORONARIANA DOS SERVIDORES DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO DOS FATORES DE RISCO PARA DOENÇA CORONARIANA DOS SERVIDORES DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ Natália Ribeiro (PIBIC/CNPq/FA-UEM), Ana Paula Vilcinski

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA METABÓLICA

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA METABÓLICA O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA METABÓLICA ENTENDENDO a doença metabólica A doença metabólica, também chamada de síndrome metabólica ou ainda de plurimetabólica, em geral faz parte de um conjunto de

Leia mais

Hipertensão arterial, uma inimiga silenciosa e muito perigosa

Hipertensão arterial, uma inimiga silenciosa e muito perigosa Hipertensão arterial, uma inimiga silenciosa e muito perigosa A famosa pressão alta está associada a uma série de outras doenças, como o infarto do miocárdio, a insuficiência cardíaca e morte súbita, entre

Leia mais

Hipertensão Diabetes Dislipidemias

Hipertensão Diabetes Dislipidemias Hipertensão Diabetes Dislipidemias Hipertensão A pressão alta atinge 24,3% da população adulta brasileira e é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, como

Leia mais

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados de pressão arterial (PA).

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados de pressão arterial (PA). A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados de pressão arterial (PA). Associa-se frequentemente a alterações funcionais e/ou

Leia mais

AULA: 5 - Assíncrona TEMA: Cultura- A pluralidade na expressão humana.

AULA: 5 - Assíncrona TEMA: Cultura- A pluralidade na expressão humana. : 5 - Assíncrona TEMA: Cultura- A pluralidade na expressão humana. Conteúdo: Doenças relacionadas ao sedentarismo Diabetes. Doenças relacionadas ao sedentarismo Hipertensão arterial e dislipidemias. Habilidades:

Leia mais

Todos estão propensos a ter hipertensão?

Todos estão propensos a ter hipertensão? Hipertensão O que é hipertensão? Ela é silenciosa e democrática. Atinge jovens, adultos e idosos ao redor do mundo, de ambos os sexos, todas as raças e classes sociais. A pressão arterial alta, ou hipertensão,

Leia mais

O coração. Por isso, recomenda-se o controle dos fatores de risco. o que são doenças cardiovasculares?

O coração. Por isso, recomenda-se o controle dos fatores de risco. o que são doenças cardiovasculares? Coração saudável O coração É o músculo mais importante do nosso corpo, pois é encarregado de bombear o sangue, levando oxigênio e nutrientes a todos os órgãos por meio de vasos sanguíneos chamados artérias.

Leia mais

PREVENÇÃO DE DOENÇAS CARDIOVASCULARES

PREVENÇÃO DE DOENÇAS CARDIOVASCULARES PREVENÇÃO DE DOENÇAS CARDIOVASCULARES Dra Fabrícia de Oliveira Assis Cantadori Cardiologista do HUJM Cuiabá, maio de 2015 UFMT PREVENÇÃO É procurar e utilizar métodos para prevenir doenças e/ou suas complicações,

Leia mais

PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1

PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1 PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1 TEIXEIRA, Giselle 2 ; BOSI, Greice 2 ; FONTOURA, Ethiene 2 ; MUSSOI, Thiago 2 ; BLASI,

Leia mais

PROJETO DE EXTENSÃO PRÓ-SAÚDE UNIVERSITÁRIA EDUCANDO E PROMOVENDO SAÚDE: CONHECER PARA SE PROTEGER.

PROJETO DE EXTENSÃO PRÓ-SAÚDE UNIVERSITÁRIA EDUCANDO E PROMOVENDO SAÚDE: CONHECER PARA SE PROTEGER. PROJETO DE EXTENSÃO PRÓ-SAÚDE UNIVERSITÁRIA EDUCANDO E PROMOVENDO SAÚDE: CONHECER PARA SE PROTEGER. INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE RIBEIRO,Victor Pena *; MOTA, Dayara Rufino; RODRIGUES, Juliana

Leia mais

O que é a obesidade? Nas doenças associadas destacam-se a diabetes tipo II e as doenças cardiovasculares.

O que é a obesidade? Nas doenças associadas destacam-se a diabetes tipo II e as doenças cardiovasculares. obesidade O que é a obesidade? A obesidade é considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) a epidemia do século XXI! O excesso de peso e a obesidade são diferentes graus de uma doença em que se verifica

Leia mais

Vigitel Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico

Vigitel Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico Vigitel Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico Avaliação Dados de 2013 Periodicidade: anual desde 2006 Público: maiores de 18 anos e residentes nas 26

Leia mais

GRUPO COPPA: ATIVIDADE INTERDISCIPLINAR NO PATOLOGIAS ASSOCIADAS BRIGITTE OLICHON LUMENA MOTTA REGINA BOSIO

GRUPO COPPA: ATIVIDADE INTERDISCIPLINAR NO PATOLOGIAS ASSOCIADAS BRIGITTE OLICHON LUMENA MOTTA REGINA BOSIO GRUPO COPPA: ATIVIDADE INTERDISCIPLINAR NO CONTROLE DA OBESIDADE E PATOLOGIAS ASSOCIADAS BRIGITTE OLICHON LUMENA MOTTA REGINA BOSIO Introdução Obesidade Brasil EPIDEMIA 40% em sobrepeso 12,7% adultos obesos

Leia mais

PROMOÇÃO DE SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA EM INDIVÍDUOS HIPERTENSOS E DIABÉTICOS: UMA INICIATIVA DO PET- SAÚDE

PROMOÇÃO DE SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA EM INDIVÍDUOS HIPERTENSOS E DIABÉTICOS: UMA INICIATIVA DO PET- SAÚDE 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( x ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

Dra Eliane Guimarães Área de Gestão de Saúde PROGRAMA PARA VIVER MELHOR

Dra Eliane Guimarães Área de Gestão de Saúde PROGRAMA PARA VIVER MELHOR Dra Eliane Guimarães Área de Gestão de Saúde PROGRAMA PARA VIVER MELHOR Área de Gestão de Saúde Estrutura Organizacional Área de Gestão de Saúde Núcleo Técnico Administrativo Unidade Saúde Corporativa

Leia mais

PREOCUPAÇÃO COM A SAÚDE

PREOCUPAÇÃO COM A SAÚDE PREOCUPAÇÃO COM A SAÚDE Tâmara Barros Cuidar da alimentação, fazer exercícios regularmente e ter uma boa noite de sono são medidas básicas para manter a saúde. Além de prevenir e ajudar na cura de doenças,

Leia mais

Desenvolvendo o Pensamento Matemático em Diversos Espaços Educativos A MATEMÁTICA EM SITUAÇÕES QUE ENGLOBAM ALIMENTAÇÃO E SAÚDE

Desenvolvendo o Pensamento Matemático em Diversos Espaços Educativos A MATEMÁTICA EM SITUAÇÕES QUE ENGLOBAM ALIMENTAÇÃO E SAÚDE A MATEMÁTICA EM SITUAÇÕES QUE ENGLOBAM ALIMENTAÇÃO E SAÚDE Modelagem e Educação Matemática (MEM) GT 4 Ângela Tereza Silva de SOUZA Universidade Federal da Paraíba anjinhatereza@hotmail.com RESUMO Neste

Leia mais

ESTUDO DO PERFIL LIPÍDICO DE INDIVÍDUOS DO MUNICÍPIO DE MIRANDOPOLIS/SP

ESTUDO DO PERFIL LIPÍDICO DE INDIVÍDUOS DO MUNICÍPIO DE MIRANDOPOLIS/SP PALAVRAS-CHAVE Lipídios, Dislipidemias, Lipidograma CONEXÃO ESTUDO DO PERFIL LIPÍDICO DE INDIVÍDUOS DO MUNICÍPIO DE MIRANDOPOLIS/SP Alyne Maia Silva 1 Jéssica Fontoura Junqueira 1 Tatiane Kelly Correa

Leia mais

Ministério da Saúde, Junho de 2016

Ministério da Saúde, Junho de 2016 PROMOÇÃO DA SAÚDE Redução Clique para de adicionar sódio nos alimentos um processados título Clique para adicionar um subtítulo Ministério da Saúde, Junho de 2016 Consumo Clique para de sódio adicionar

Leia mais

Utilização de diretrizes clínicas e resultados na atenção básica b

Utilização de diretrizes clínicas e resultados na atenção básica b Utilização de diretrizes clínicas e resultados na atenção básica b à hipertensão arterial Construindo Estratégias e Avaliando a Implementação de Diretrizes Clínicas no SUS Edital 37/2004 CNPq ENSP/FIOCRUZ

Leia mais

Uso do AAS na Prevenção Primária de Eventos Cardiovasculares

Uso do AAS na Prevenção Primária de Eventos Cardiovasculares Uso do AAS na Prevenção Primária de Eventos Cardiovasculares Camila Belonci Internato em Cirurgia Cardíaca Prof. Mário Augusto Cray da Costa Medicina UEPG Uso do AAS na Prevenção Primária de Eventos Cardiovasculares

Leia mais

DIABETES: ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR (NOV 2016) - PORTO

DIABETES: ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR (NOV 2016) - PORTO DIABETES: ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR (NOV 2016) - PORTO A Diabetes Mellitus é uma doença crónica, cujos índices de incidência e prevalência aumentam a cada ano. Para poderem prestar cuidados de saúde globais

Leia mais

FORMULÁRIO: RELATÓRIO DE PROJETO DE EXTENSÃO RELATÓRIO FINAL - PROJETOS DE EXTENSÃO

FORMULÁRIO: RELATÓRIO DE PROJETO DE EXTENSÃO RELATÓRIO FINAL - PROJETOS DE EXTENSÃO RELATÓRIO FINAL - PROJETOS DE (01) Câmpus: Boa Vista Centro Orientador do Projeto: Ananias Noronha Filho Nome do Curso ou Projeto: Automedicação na terceira idade: perfil dos idosos da Rede Cidadania Melhor

Leia mais

1. Benefícios da atividade física

1. Benefícios da atividade física 1. Benefícios da atividade física "ATIVIDADE FÍSICA É UM DIREITO DE TODOS E UMA NECESSIDADE BÁSICA" (UNESCO). O ser humano, na sua preocupação com o corpo, tem de estar alerta para o fato de que saúde

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde Circular Normativa

Direcção-Geral da Saúde Circular Normativa Ministério da Saúde Direcção-Geral da Saúde Assunto: Risco Global Cardiovascular Nº: 06/DSPCS DATA: 18/04/07 Para: Contacto na DGS: Serviços Prestadores de Cuidados de Saúde do Serviço Nacional de Saúde

Leia mais

TÍTULO: ASSISTÊNCIA BÁSICA NA PREVENÇÃO DE DOENÇAS CRÔNICAS ATRAVÉS DO PAPANICOLAU

TÍTULO: ASSISTÊNCIA BÁSICA NA PREVENÇÃO DE DOENÇAS CRÔNICAS ATRAVÉS DO PAPANICOLAU Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: ASSISTÊNCIA BÁSICA NA PREVENÇÃO DE DOENÇAS CRÔNICAS ATRAVÉS DO PAPANICOLAU CATEGORIA: EM ANDAMENTO

Leia mais

número 29 - setembro/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS

número 29 - setembro/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS número 29 - setembro/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS INSULINAS ANÁLOGAS RÁPIDAS NO TRATAMENTO DO DIABETES MELLITUS

Leia mais

Currículo Disciplina Carga Horária. Aspectos Éticos e Bioéticos na Assistência de Enfermagem ao Paciente Grave ou de Risco

Currículo Disciplina Carga Horária. Aspectos Éticos e Bioéticos na Assistência de Enfermagem ao Paciente Grave ou de Risco Currículo Disciplina Carga Horária Aspectos Éticos e Bioéticos na Assistência de Enfermagem ao Paciente Grave ou de Risco Assistência de Enfermagem a Criança a ao Adolescente Grave ou de Risco Estágio

Leia mais

Avaliação do Índice de Massa Corporal em crianças de escola municipal de Barbacena MG, 2016.

Avaliação do Índice de Massa Corporal em crianças de escola municipal de Barbacena MG, 2016. Avaliação do Índice de Massa Corporal em crianças de escola municipal de Barbacena MG, 2016. Cristiane Aparecida Rosa 1, Tissiane Narai de Oliveira Ferreira 1, Nayane Aparecida Araújo Dias 2, Renata de

Leia mais

Cardiologia. Prof. Claudia Witzel

Cardiologia. Prof. Claudia Witzel Cardiologia Introdução Disfunções circulatórias levam as pessoas a adoecerem. Origem congênita ( já nasce com a doença, como a deficiência na formação de válvulas cardíacas) Origem infecciosa ( bactérias

Leia mais

Projecto MobES, Mobilidade e Envelhecimento Saudável

Projecto MobES, Mobilidade e Envelhecimento Saudável Projecto MobES, Mobilidade e Envelhecimento Saudável Projecto MobES - JUSTIFICAÇÃO Aumento da Esperança Média de Vida associa-se a: Prevalência de doenças crónicas; Custos na saúde. Inatividade Física

Leia mais

PESQUISA DE SATISFAÇÃO

PESQUISA DE SATISFAÇÃO PESQUISA DE SATISFAÇÃO Solicitamos a gentileza de responder às perguntas abaixo, referentes ao Ciclo de Debates Estado e Sociedade - Mudanças Climáticas e Economia, realizado no dia 26 de outubro de 29

Leia mais

Prevenção de Eventos Cardiovasculares em Pacientes com Hipertensão Arterial PREVER 2 SEGUIMENTO 15 MESES

Prevenção de Eventos Cardiovasculares em Pacientes com Hipertensão Arterial PREVER 2 SEGUIMENTO 15 MESES Prevenção de Eventos Cardiovasculares em Pacientes com Hipertensão Arterial PREVER 2 Número do Centro l ID do Participante l Data do Atendimento l l l / l l l / 201l l Iniciais do Participante SEGUIMENTO

Leia mais

Certificação Joint Commission no Programa de Dor Torácica.

Certificação Joint Commission no Programa de Dor Torácica. Certificação Joint Commission no Programa de Dor Torácica. Enf. Ana Paula de Mattos Coelho Hemodinâmica - Hospital TotalCor E-mail: acoelho@totalcor.com.br Joint Commission Acreditação do atendimento hospitalar;

Leia mais

HIPERTENSÃO ARTERIAL: QUANDO INCAPACITA? Julizar Dantas

HIPERTENSÃO ARTERIAL: QUANDO INCAPACITA? Julizar Dantas HIPERTENSÃO ARTERIAL: QUANDO INCAPACITA? Julizar Dantas DECLARAÇÃO DE CONFLITOS DE INTERESSE Declaro não ter conflito de interesses. Currículo Lattes no site CNPQ (Plataforma Lattes) http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=k4434590a5

Leia mais

Semana do Combate ao Colesterol 05 a 10 de abril

Semana do Combate ao Colesterol 05 a 10 de abril Semana do Combate ao Colesterol 05 a 10 de abril Vida saldável Plasc Folder semana do colesterol alt.indd 1 18/3/2010 09:29:20 Dicas para uma vida saudável ou como manter seu Colesterol no nível ideal.

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES HIPERTENSOS E HIPERTENSO/DIABÉTICOS

QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES HIPERTENSOS E HIPERTENSO/DIABÉTICOS QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES HIPERTENSOS E HIPERTENSO/DIABÉTICOS Autores: Ana Raquel de Figueiredo Rego 1, Mônica Oliveira da Silva Simões 2, Rômulo Lustosa Pimenteira de Melo 3, Paulo Cesar Dantas da

Leia mais

Clínica médica e Geriatria

Clínica médica e Geriatria Sérgio Murilo Clínica médica e Geriatria O que é? Qual o foco? Quero todos os exames. Mais benefício ou prejuízo? Como decidir que condições serão avaliadas e como serão avaliadas? Condições (não o teste)

Leia mais

CENÁRIO DO CÂNCER DE MAMA

CENÁRIO DO CÂNCER DE MAMA OUTUBRO ROSA Outubro Rosa é uma campanha de conscientização que tem como objetivo principal alertar as mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama.

Leia mais

Como medir a tensão arterial?

Como medir a tensão arterial? Como medir a tensão arterial? O diagnóstico precoce é importante! PORQUÊ? A hipertensão arterial é fator de risco significativo para: 1. Doença vascular cerebral (trombose e hemorragia cerebral) 2. Doença

Leia mais

Estou à disposição para tirar dúvidas e recebê-los em meu consultório. Seguem meus contatos! Um abraço!

Estou à disposição para tirar dúvidas e recebê-los em meu consultório. Seguem meus contatos!   Um abraço! Olá! Meu nome é Claudia Becker. Sou nutricionista há sete anos e amo demais a profissão que escolhi! É muito gratificante saber que, através do meu conhecimento, posso auxiliar as pessoas a buscarem e

Leia mais

Seminário Nacional Unimed de Medicina Preventiva

Seminário Nacional Unimed de Medicina Preventiva Seminário Nacional Unimed de Medicina Preventiva - 2009 Programa de Reabilitação Pulmonar Rosângela H. Araújo Santos Divisão Cooperados Total: 838 0,04% Gerência Executiva da Assistência e Promoção à Saúde

Leia mais

COORDENAÇÃO DO NÚCLEO CURRICULAR FLEXÍVEL PRÁTICAS EDUCATIVAS FICHA DE OBSERVAÇÃO

COORDENAÇÃO DO NÚCLEO CURRICULAR FLEXÍVEL PRÁTICAS EDUCATIVAS FICHA DE OBSERVAÇÃO FICHA DE OBSERVAÇÃO ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE E ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA Acadêmico: Curso: Período: Turno: Disciplina: Atenção Primária à Saúde e Estratégia de Saúde da Família Local: Profissional

Leia mais

IV Mostra Interna de Trabalhos de Iniciação Científica do Cesumar 20 a 24 de outubro de 2008

IV Mostra Interna de Trabalhos de Iniciação Científica do Cesumar 20 a 24 de outubro de 2008 20 a 24 de outubro de 2008 PREVALÊNCIA DE HIPERTENSÃO ARTERIAL E SUA RELAÇÃO COM FATORES DE RISCO CARDIOVASCULARES EM CUIDADORES DE PACIENTES DE CLÍNICAS DE REABILITAÇÃO DA CIDADE DE MARINGÁ Juliana Barbosa

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Hipertensão arterial. Diabetes mellitus. Glicemia capilar. Medicamentos.

PALAVRAS-CHAVE Hipertensão arterial. Diabetes mellitus. Glicemia capilar. Medicamentos. 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

Quando você precisar, nós estaremos lá.

Quando você precisar, nós estaremos lá. DIA DO COMBATE AO COLESTEROL COLESTEROL, NOÇÕES IMPORTANTES. O controle do colesterol faz parte de um estilo de vida saudável, que inclui atividade física regular, controle do peso, do estresse e parar

Leia mais

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 COMPONENTE CURRICULAR: Fisioterapia Preventiva CÓDIGO: Fisio 212 PRÉ-REQUISITO: ------- PERÍODO LETIVO:

Leia mais

(83)

(83) (83) 3322.3222 contato@cneh.com.br www.cneh.com.br AVALIAÇÃO DO CONSUMO DE ALIMENTOS INDUSTRIALIZADOS EM IDOSOS E SUA RELAÇÃO COM AS DCNT DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS Julia Layse Silva Amaro; Mykaelle

Leia mais

Estudo de prevalência da hipertensão arterial, excesso de peso e obesidade no concelho de Vizela em

Estudo de prevalência da hipertensão arterial, excesso de peso e obesidade no concelho de Vizela em Estudo de prevalência da hipertensão arterial, excesso de peso e obesidade no concelho de Vizela em 2007-2010 Guimarães A. Unidade de Saúde Familiar Physis, Vizela, Portugal Resumo Este estudo teve como

Leia mais

DECLARAÇÃO DO COORDENADOR DO CURSO

DECLARAÇÃO DO COORDENADOR DO CURSO 58 APÊNDICE A DECLARAÇÃO DO COORDENADOR DO CURSO Declaro que conheço o projeto e aceito a realização da pesquisa Avaliação do Índice de Massa Corpórea, Circunferência Braquial e respectivo manguito, em

Leia mais

Áreas Temáticas BVS Atenção Primária à Saúde

Áreas Temáticas BVS Atenção Primária à Saúde Áreas Temáticas BVS Atenção Primária à Saúde SINAIS E SINTOMAS Sinais, sintomas, observações e manifestações clínicas que podem ser tanto objetivas (quando observadas por médicos) como subjetivas (quando

Leia mais

PRESCRIÇÃO DE ATIVIDADE FÍSICA PARA PORTADORES DE DIABETES MELLITUS

PRESCRIÇÃO DE ATIVIDADE FÍSICA PARA PORTADORES DE DIABETES MELLITUS PRESCRIÇÃO DE ATIVIDADE FÍSICA PARA PORTADORES DE DIABETES MELLITUS Acadêmica de medicina: Jéssica Stacciarini Liga de diabetes 15/04/2015 Benefícios do exercício físico em relação ao diabetes mellitus:

Leia mais

AVALIAÇÃO BIOQUÍMICA NO IDOSO

AVALIAÇÃO BIOQUÍMICA NO IDOSO C E N T R O U N I V E R S I T Á R I O C AT Ó L I C O S A L E S I A N O A U X I L I U M C U R S O D E N U T R I Ç Ã O - T U R M A 6 º T E R M O D I S C I P L I N A : N U T R I Ç Ã O E M G E R I AT R I A

Leia mais

CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: NUTRIÇÃO INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE ANHANGUERA DE SÃO PAULO

CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: NUTRIÇÃO INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE ANHANGUERA DE SÃO PAULO TÍTULO: AVALIAÇÃO DO CONSUMO DE GORDURA SATURADA E DA SUA ASSOCIAÇÃO COM OS FATORES DE RISCO PARA DOENÇAS CARDIOVASCULARES DE MULHERES ATENDIDAS NA CLÍNICA DE NUTRIÇÃO DA UNIBAN CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA:

Leia mais

XIV Encontro Nacional de Rede de Alimentação e Nutrição do SUS. Janaína V. dos S. Motta

XIV Encontro Nacional de Rede de Alimentação e Nutrição do SUS. Janaína V. dos S. Motta XIV Encontro Nacional de Rede de Alimentação e Nutrição do SUS Janaína V. dos S. Motta EPIDEMIOLOGIA NUTRICIONAL Relatório Mundial de Saúde 1) Água contaminada e falta de saneamento; 2) Uso de combustíveis

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MARABÁ GABINETE DO VEREADOR GILSON FERREIRA DA SILVA

CÂMARA MUNICIPAL DE MARABÁ GABINETE DO VEREADOR GILSON FERREIRA DA SILVA 1 Requerimento nº 006/2013 Autor: Vereador Gilson Ferreira da Silva Assunto: Solicitar a implantação de academias ao ar livre, em logradouros públicos compatível com o projeto nos bairros do Município

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ATIVIDADE FÍSICA

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ATIVIDADE FÍSICA O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ATIVIDADE FÍSICA 1 a Atividade Física 2013.indd 1 09/03/15 16 SEDENTARISMO é a falta de atividade física suficiente e pode afetar a saúde da pessoa. A falta de atividade física

Leia mais

Programa Cessação do Tabagismo

Programa Cessação do Tabagismo Programa Cessação do Tabagismo Vallourec do Brasil Ramo de atividade: Siderurgia Produto: Tubos de aço sem costura Presença no Brasil: desde 1952 Localização: Belo Horizonte/MG Empregos diretos: 4.000

Leia mais

Homem é aquele que sabe se cuidar

Homem é aquele que sabe se cuidar Saúde do homem Homem é aquele que sabe se cuidar Muitas vezes, tomar conta da saúde acaba sendo mais um incômodo do que um prazer. Achar tempo para saúde com contas a pagar, família e trabalho não é tarefa

Leia mais

AUTOR(ES): LUIS FERNANDO ROCHA, ACKTISON WENZEL SOTANA, ANDRÉ LUIS GOMES, CAIO CÉSAR OLIVEIRA DE SOUZA, CLEBER CARLOS SILVA

AUTOR(ES): LUIS FERNANDO ROCHA, ACKTISON WENZEL SOTANA, ANDRÉ LUIS GOMES, CAIO CÉSAR OLIVEIRA DE SOUZA, CLEBER CARLOS SILVA 16 TÍTULO: NÍVEL DE OBESIDADE ENTRE MÃES E FILHOS ESCOLARES CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: EDUCAÇÃO FÍSICA INSTITUIÇÃO: FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO AUTOR(ES):

Leia mais

a epidemiologia da doença que mais mata

a epidemiologia da doença que mais mata a epidemiologia da doença que mais mata O Acidente Vascular Cerebral (AVC) caracteriza-se pela perda abrupta de uma função neurológica causada pela interrupção do fluxo de sangue para uma região do cérebro

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Enfermagem. Educação em Saúde. Período Pós-Parto

PALAVRAS-CHAVE Enfermagem. Educação em Saúde. Período Pós-Parto 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA PROJETO CONSULTA

Leia mais

Rede Nacional de Vigilância de Morbidade Materna Grave. Frederico Vitório Lopes Barroso

Rede Nacional de Vigilância de Morbidade Materna Grave. Frederico Vitório Lopes Barroso Rede Nacional de Vigilância de Morbidade Materna Grave Frederico Vitório Lopes Barroso Morbidade Materna Grave Nos últimos anos, as mulheres que sobrevivem a complicações graves da gestação, near miss,

Leia mais

Colesterol O que é Isso? Trabalhamos pela vida

Colesterol O que é Isso? Trabalhamos pela vida Colesterol O que é Isso? X O que é o Colesterol? Colesterol é uma gordura encontrada apenas nos animais Importante para a vida: Estrutura do corpo humano (células) Crescimento Reprodução Produção de vit

Leia mais

azul NOVEMBRO azul Saúde também é coisa de homem. Doenças Cardiovasculares (DCV)

azul NOVEMBRO azul Saúde também é coisa de homem. Doenças Cardiovasculares (DCV) Doenças Cardiovasculares (DCV) O que são as Doenças Cardiovasculares? De um modo geral, são o conjunto de doenças que afetam o aparelho cardiovascular, designadamente o coração e os vasos sanguíneos. Quais

Leia mais

O TAMANHO DO PROBLEMA

O TAMANHO DO PROBLEMA O TAMANHO DO PROBLEMA Doenças cardiovasculares Total de mortes: 281.695/ano AVC 89.489 80% DAC 84.798 40% Outras DCV 107.408 Hipertensão Fonte: Datasus 2001 Dados Mundiais Mortes em 2000 atribuíveis a

Leia mais

Exercite-se com seu diabetes

Exercite-se com seu diabetes Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Exercite-se com seu diabetes Benefícios da atividade física Se você é diabético não tenha medo de

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL O CONHECIMENTO CHEGANDO PELAS ONDAS. Palavras-chave: Comunicação; conscientização; meio ambiente; vida

EDUCAÇÃO AMBIENTAL O CONHECIMENTO CHEGANDO PELAS ONDAS. Palavras-chave: Comunicação; conscientização; meio ambiente; vida EDUCAÇÃO AMBIENTAL O CONHECIMENTO CHEGANDO PELAS ONDAS FIUZA, Denise Almeida Fonseca 1 ; HERCOS, Emylciane Costa 2 ; ARAÚJO, Valdinéia Nogueira da Silva 3 Palavras-chave: Comunicação; conscientização;

Leia mais

AULA 2 Fatores de Risco para Crianças e Adolescentes

AULA 2 Fatores de Risco para Crianças e Adolescentes AULA 2 Fatores de Risco para Crianças e Adolescentes Sumário Ver Livro Didático: pág. 37 à 45 e 65 à 71. Lipídeos e Lipoproteínas Sanguíneas Quando pedir ao responsável a análise do perfil lipídico? Pais

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar PeNSE

Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar PeNSE Diretoria de Pesquisas Coordenação de População e Indicadores Sociais Gerência de Estudos e Pesquisas Sociais Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar PeNSE Data 26/08/2016 Introdução Adolescência Transição

Leia mais

Hipertensão Arterial. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho

Hipertensão Arterial. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Hipertensão Arterial Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Hipertensão arterial ou Pressão alta. A hipertensão arterial ou pressão alta está relacionada com a força que o coração

Leia mais

I SIMPÓSIO DE ATUAÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM OBESIDADE, CIRURGIA BARIÁTRICA E METABÓLICA

I SIMPÓSIO DE ATUAÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM OBESIDADE, CIRURGIA BARIÁTRICA E METABÓLICA I SIMPÓSIO DE ATUAÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM OBESIDADE, CIRURGIA BARIÁTRICA E METABÓLICA Avaliação, diagnóstico e acompanhamento do paciente no pré e pós operatório REALIZAÇÃO APOIO JUSTIFICATIVA É crescente

Leia mais

INSEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DE TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE JOÃO PESSOA - PB

INSEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DE TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE JOÃO PESSOA - PB INSEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DE TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE JOÃO PESSOA - PB Lindemberg Medeiros de Araújo Evi Clayton de Lima Brasil TRANSIÇÃO NUTRICIONAL: CAUSAS, SIGNIFICADOS, EFEITOS

Leia mais

OS AMPLOS BENEFÍCIOS DE UM ESTILO DE VIDA SAUDÁVEL Alberto José N. Ogata

OS AMPLOS BENEFÍCIOS DE UM ESTILO DE VIDA SAUDÁVEL Alberto José N. Ogata OS AMPLOS BENEFÍCIOS DE UM ESTILO DE VIDA SAUDÁVEL Alberto José N. Ogata A saúde e a qualidade de vida das pessoas não se resumem ao seu estado de saúde, identificado pelos resultados de exames laboratoriais

Leia mais

FISIOTERAPIA ARAÇATUBA - SP

FISIOTERAPIA ARAÇATUBA - SP UNISALESIANO É SAÚDE FISIOTERAPIA ARAÇATUBA - SP 2006 PROJETO UNISALESIANO É SAÚDE!! O desenvolvimento das diferentes atividades diárias, com alterações de hábitos individuais promove alterações corporais

Leia mais

Tipos de Estudos Clínicos: Classificação da Epidemiologia. Profa. Dra. Maria Meimei Brevidelli

Tipos de Estudos Clínicos: Classificação da Epidemiologia. Profa. Dra. Maria Meimei Brevidelli Tipos de Estudos Clínicos: Classificação da Epidemiologia Profa. Dra. Maria Meimei Brevidelli Roteiro da Apresentação 1. Estrutura da Pesquisa Científica 2. Classificação dos estudos epidemiológicos 3.

Leia mais

Período de Realização. De 3 de julho à 15 de setembro de População em geral. Sujeitos da Ação

Período de Realização. De 3 de julho à 15 de setembro de População em geral. Sujeitos da Ação Objetivos: Pesquisa Nacional sobre Saúde e Nutrição PNSN (1989) O objetivo central desta pesquisa foi apurar os indicadores da situação nutricional da população brasileira. Procurou-se observar quem eram

Leia mais

Título Autores: RESUMO INTRODUÇÃO

Título Autores: RESUMO INTRODUÇÃO Título: Consumo de sal na juventude: Um novo desafio à saúde Autores: Etiene Expedita Pereira Santos 1, Ingrid Tayane Vieira da Silva do Nascimento 1, Suelen Rosana Sampaio de Oliveira 1, Sandra Fernanda

Leia mais

IMPORTÂNCIA DA CONSULTA DE ENFERMAFGEM PARA PREVENÇÃO DA TROMBOSE VENOSA PROFUNDA EM PUÉRPERAS

IMPORTÂNCIA DA CONSULTA DE ENFERMAFGEM PARA PREVENÇÃO DA TROMBOSE VENOSA PROFUNDA EM PUÉRPERAS 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( x ) SAÚDE

Leia mais

O que é O que é. colesterol?

O que é O que é. colesterol? O que é O que é colesterol? 1. O que é colesterol alto e por que ele é ruim? Apesar de a dislipidemia (colesterol alto) ser considerada uma doença extremamente prevalente no Brasil e no mundo, não existem

Leia mais

APRESENTAÇÃO E-PÔSTER DATA: 19/10/16 LOCAL: SALAS PRÉDIO IV

APRESENTAÇÃO E-PÔSTER DATA: 19/10/16 LOCAL: SALAS PRÉDIO IV APRESENTAÇÃO E-PÔSTER DATA: 19/10/16 LOCAL: SALAS PRÉDIO IV TÍTULO E-PÔSTER SALA PRÉDIO IV HORÁRIO RESISTÊNCIA A MÚLTIPLAS DROGAS NA TERAPIA ANTICÂNCER E O POTENCIAL EFEITO DE FLAVONOIDES NA RECUPERAÇÃO

Leia mais

REDUÇÃO & REEDUCAÇÃO PROGRAMA DE EMAGRECIMENTO

REDUÇÃO & REEDUCAÇÃO PROGRAMA DE EMAGRECIMENTO Go Mag R do o Os Efeitos negativos da Obesidade na sua saúde e na sua vida: Menor expectativa de vida Baixa autoestima Mobilidade limitada Problemas nas articulações Ataque cardíaco Pressão alta 2R QUE

Leia mais

APENAS METADE DOS CAPIXABAS PRATICAM EXERCÍCIOS FÍSICOS

APENAS METADE DOS CAPIXABAS PRATICAM EXERCÍCIOS FÍSICOS APENAS METADE DOS CAPIABAS PRATICAM EERCÍCIOS FÍSICOS Lucas Almeida Adotar hábitos saudáveis de alimentação e praticar atividades físicas são medidas que devemos seguir. Pensando assim, a Futura foi às

Leia mais

TRATAMENTO DA HIPERTENSÃO DE DIFÍCIL CONTROLE

TRATAMENTO DA HIPERTENSÃO DE DIFÍCIL CONTROLE Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil Sub-Secretaria de Promoção, Atenção Primária e Vigilância em Saúde Gerência do Programa de Hipertensão TRATAMENTO DA HIPERTENSÃO DE DIFÍCIL CONTROLE São assim

Leia mais

TÍTULO: AVALIAÇÃO DO EFEITO DO FUMO DE MASCAR NAS CARACTERÍSTICAS SALIVARES E CONDIÇÃO PERIODONTAL

TÍTULO: AVALIAÇÃO DO EFEITO DO FUMO DE MASCAR NAS CARACTERÍSTICAS SALIVARES E CONDIÇÃO PERIODONTAL Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: AVALIAÇÃO DO EFEITO DO FUMO DE MASCAR NAS CARACTERÍSTICAS SALIVARES E CONDIÇÃO PERIODONTAL CATEGORIA:

Leia mais

ODONTOLOGIA PREVENTIVA. Saúde Bucal. Periodontite. Sua saúde começa pela boca!

ODONTOLOGIA PREVENTIVA. Saúde Bucal. Periodontite. Sua saúde começa pela boca! ODONTOLOGIA PREVENTIVA Saúde Bucal Periodontite. Sua saúde começa pela boca! O que é doença periodontal ou periodontite? ESMALTE DENTINA GENGIVAS POLPA PERIODONTITE OSSO ALVEOLAR CEMENTO NERVOS E VASOS

Leia mais

Descrição da Pesquisa

Descrição da Pesquisa Projeto de Pesquisa Descrição da Pesquisa Título do Projeto Pesquisador Principal Colaboradores [se houver] Local de Realização Período da Pesquisa 1. Objetivo da Pesquisa [o que se pretende pesquisar]

Leia mais

SAÚDE MENTAL, PESQUISAS E PROGRAMAS

SAÚDE MENTAL, PESQUISAS E PROGRAMAS Seminário Motivações para o Início e o Fim do Consumo de Drogas: uma análise das comunidades virtuais relacionadas ao tema SAÚDE MENTAL, PESQUISAS E PROGRAMAS Arthur Guerra de Andrade Coordenação da Área

Leia mais

Relação entre a Ingestão de Café e a Saúde

Relação entre a Ingestão de Café e a Saúde Licenciatura em Ciências da Nutrição Relação entre a Ingestão de Café e a Saúde Volume II Anexos Elaborado por Gilda Maria Pimentel Brandão Aluna nº 201092225 Orientador Interno: Prof. Doutora Suzana Paz

Leia mais

A saúde dos adolescentes em Portugal: respostas e desafios

A saúde dos adolescentes em Portugal: respostas e desafios A saúde dos adolescentes em Portugal: respostas e desafios Andreia Jorge Silva Direção de Serviços de Prevenção da Doença e Promoção da Saúde 1 PNS/ELS - Obesidade Saúde dos Adolescentes PNS/Saúde dos

Leia mais

Hipertensão Arterial. Promoção para a saúde Prevenção da doença. Trabalho elabora do por: Dr.ª Rosa Marques Enf. Lucinda Salvador

Hipertensão Arterial. Promoção para a saúde Prevenção da doença. Trabalho elabora do por: Dr.ª Rosa Marques Enf. Lucinda Salvador Hipertensão Arterial Promoção para a saúde Prevenção da doença Trabalho elabora do por: Dr.ª Rosa Marques Enf. Lucinda Salvador O que é a Pressão Arterial? É a pressão que o sangue exerce nas paredes das

Leia mais

aca Tratamento Nelson Siqueira de Morais Campo Grande MS Outubro / 2010

aca Tratamento Nelson Siqueira de Morais Campo Grande MS Outubro / 2010 Insuficiência ncia Cardíaca aca Tratamento Nenhum conflito de interesse Nelson Siqueira de Morais Campo Grande MS Outubro / 2010 nsmorais@cardiol.br Conceitos Fisiopatológicos A IC é uma síndrome com múltiplas

Leia mais

Síndroma de apneia do sono

Síndroma de apneia do sono Síndroma de apneia do sono - mais uma peça no puzzle do cluster de fatores de risco cardiovascular Cátia Costa, Joana Rodrigues, Nuno Cabanelas, Filipa Valente, Margarida Leal, Isabel Monteiro Serviço

Leia mais

ÍNDICE DE FUMANTES QUE DEIXARAM DE FUMAR NO PROJETO EDUCANDO E TRATANDO O TABAGISMO

ÍNDICE DE FUMANTES QUE DEIXARAM DE FUMAR NO PROJETO EDUCANDO E TRATANDO O TABAGISMO 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE (X ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA ÍNDICE DE

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NA CONCEPÇÃO DO USO DE SUPLEMENTOS ESPORTIVOS ENTRE ALUNOS DE ESCOLA PÚBLICA EM NATAL/RN

A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NA CONCEPÇÃO DO USO DE SUPLEMENTOS ESPORTIVOS ENTRE ALUNOS DE ESCOLA PÚBLICA EM NATAL/RN A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NA CONCEPÇÃO DO USO DE SUPLEMENTOS ESPORTIVOS ENTRE ALUNOS DE ESCOLA PÚBLICA EM NATAL/RN Victor Henrique dos Santos Silva 1 ; Adriana Moura de Lima 2 Resumo: Perante a abordagem da

Leia mais