CARTILHA DE ORIENTAÇÃO À FAMÍLIA ENLUTADA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CARTILHA DE ORIENTAÇÃO À FAMÍLIA ENLUTADA"

Transcrição

1 CARTILHA DE ORIENTAÇÃO À FAMÍLIA ENLUTADA Rev:14/04/93 Projeto: Iniciativa: Apoio: Rotary Club Brasília. Rotary Club Brasília Cruzeiro Rotary Club Brasília Oeste, Rotary Club Brasília Leste, Rotary Club Brasília Octogonal, Rotary Club Núcleo Bandeirante, Rotary Club Lago Norte Esses Rotary Club's antecipadamente doam os direitos econômicos da obra a quem quer que pretenda reproduzir a presente cartilha desde que reproduzam este quadro com a presente mensagem e o logotipo do Rotary Internacional. Reservam-se ao direito de preservar a si os direitos morais.

2 A P R E S E N T A Ç Ã O Esta Cartilha constitui um instrumento de orientação a famílias no momento de óbito de um de seus membros ou amigos. Apresenta de forma objetiva as principais providências a serem colocadas em prática e alguns conselhos úteis a serem seguidos. M otivou-a a experiência dolorosa vivenciada por muitos rotarianos que, em decorrência da falta de orientação correta e desinteressada no momento do infortúnio, tiveram agravadas as dificuldades desse triste momento. As informações apresentadas são baseadas na legislação brasileira e os serviços citados referem-se, em particular, à região de Brasília. Quaisquer sugestões ou pedidos de correções que visem a aprimorar o conteúdo desta cartilha podem ser encaminhados ao ROTARY CLUB DE BRASÍLIA SCES trecho 3, lote 6 Brasília - DF CEP Ref: CARTILHA DE ORIENTAÇÃO À FAMÍLIA ENLUTADA

3 CONTEÚDO M E N S A G E M... 1 C O M P R O V A Ç Ã O D O Ó B I T O... 2 MORTE ACIDENTAL OU VIOLENTA - NECRÓPSIA... 2 MORTE NÃO-ACIDENTAL... 3 TRANSPORTE DO CORPO... 3 ATESTADO DE ÓBITO... 5 CERTIDÃO DE ÓBITO... 5 SERVIÇOS FUNERÁRIOS... 6 SEPULTAMENTO... 8 AUXÍLIO FUNERAL (*)... 9 PENSÃO POR MORTE PARA VINCULADOS À PREVIDÊNCIA SOCIAL PENSÃO POR MORTE DECORRENTE DE ACIDENTE DE TRABALHO (*) PENSÃO MILITARr SERVIDORES PÚBLICOS MILITARES INVENTÁRIO TESTAMENTO...20 CODICILOS ORGANIZAÇÃO DE DOCUMENTOS ESSENCIAIS LEGISLAÇÃO Lei 6015/

4 M E N S A G E M A morte é um acontecimento natural e inevitável. O momento em que ocorre reveste-se de tristeza e dor para todos que estimam a pessoa que parte do convívio. É precisamente nesse instante é que devemos demonstrar, mais efetivamente, o apoio à família enlutada e, conservando a serenidade, aconselhar e auxiliar as pessoas. Algumas orientações básicas podem ser aqui lembradas e se ajustam a qualquer circunstância independentemente da religião que a família adotar. A crença em uma inteligência superior é confortadora nesse momento e deve ser profundamente respeitada. Busque amparar a família e não impor sua vontade, ainda que seja mais esclarecida. Oriente a família a não desperdiçar recursos com o sepultamento e não autorize pessoas estranhas a adotar qualquer providência sem inteirar-se dos propósitos do valor da remuneração. 1

5 C O M P R O V A Ç Ã O D O Ó B I T O Parece mesmo elementar, mas é necessário recomendar que o trabalho de apoio inicie com a comprovação do óbito. Às vezes as circunstâncias de um acidente ou uma redução do batimento cardíaco induz a conclusões incorretas. Verifique a presença de sinais vitais como pulsação, dilatação da pupila, respiração. Observe contudo que se a morte decorre de acidente, suicídio ou homicídio, ou se há suspeitas dessas causas NÃO se deve alterar as circunstâncias, corpos, materiais existentes no local. Comprovando o óbito não se deve remover o corpo ou qualquer objeto, ferramenta, cacos de vidros que estejam ao redor. Se possível isole uma área de 5 a 10 metros para evitar curiosos muito próximos e destruição de marcas no solo. Para preservação da dignidade pode-se cobrir o cadáver com jornal ou um lençol, desde que não se altere o local e as circunstâncias. Após a comprovação do óbito, busque saber as circunstâncias, retire os familiares do local e encontre alguém de confiança para fazer-lhes companhia. Se possível, com uma pessoa da família que esteja em melhores condições emocionais, procure adotar as providências a seguir: 1 - chame a polícia; 2 - isole o local; 3 - chame o médico da família. MORTE ACIDENTAL OU VIOLENTA - NECRÓPSIA A morte acidental, incluindo a por acidente de veículos, bem como a decorrente de homicídio, envenenamentos ou suicídio, basicamente denominadas de violentas, ou mesmo aquelas em que há suspeita de violência, exigem que o corpo seja submetido a necrópsia. A necrópsia é o exame do cadáver para confirmar ou descobrir a causa-mortis (*). Tente localizar o médico ou outro conhecido da família porque podem ajudar muito nesse momento. Em regra é dever da polícia requerer a necrópsia e os familiares, se suspeitam que a morte foi provocada, devem se dirigir logo à autoridade policial esclarecendo os fatos, as razões e provas, se houver. Na dúvida deve-se solicitar a necrópsia. O Instituto de M edicina Legal - IM L é quem procede normalmente à necrópsia, mas os hospitais particulares do DF também podem realizá-la quando autorizados pela família. O IM L, em Brasília, situa-se no SAIS Lote 23 Bloco "A" - Térreo e tem os seguintes telefones e (*) Autópsia é o exame de si mesmo 2

6 Quando a morte é violenta ou há suspeita de violência o corpo só deverá ser removido após perícia no local do óbito. Nesse caso a primeira providência é chamar a autoridade policial que providenciará o isolamento da área e a expedição de um documento que autoriza a remoção do corpo pelo próprio IML. Procure manter a calma e não se aborreça com perguntas e comentários inoportunos e transeuntes, pois infelizmente são bastante comuns. Os serviços do IM L representam uma segurança para a família que passa a ter certeza da causa-mortis e recebe o atestado de óbito. Após a necrópsia, o cadáver é fechado e se a família entregar as vestes, ele será vestido pelos funcionários do IM L, ou do hospital se for o caso, e entregue à família. MORTE NÃO-ACIDENTAL A morte não acidental decorrente de acidente ou a chamada morte natural, por doença, idade, etc, apresenta alguns procedimentos comuns àquela acidental, já analisada. Haverá necessidade de necrópsia quando, por exemplo, a pessoa teve um acidente e ficou internada alguns meses porque nesse caso a morte é considerada violenta. Normalmente, porém, o médico ou hospital comparecem ao local e atestam o óbito, não havendo necessidade de necrópsia. TRANSPORTE DO CORPO Em regra essa providência não caberá à família. Se a morte for acidental ou violenta, na região do Distrito Federal e entorno, o transporte será feito pelo próprio IM L. A rapidez do atendimento é condicionada ao número de acidentes e à distância. Os servidores do IM L são experientes e têm condições de transportar o corpo adequadamente. Há outras vantagens com o transporte do IML, pois além do pessoal e viatura, já se inicia uma rotina que resultará em maior comodidade para a família. Por essa razão é conveniente esperar, mesmo que demore. Leve ao IML as roupas para vestir o cadáver. Os serviços são gratuitos e o próprio pessoal do IM L veste o corpo. Por outro lado se a morte for natural, ou não acidental, e a família tiver condições financeiras, procure auxiliar na escolha de uma funerária, que pode se encarregar do transporte. Não se constranja em ligar para duas ou três e estudar as vantagens que oferecem. Se o óbito ocorrer fora da região atendida pelo IM L, como cidades circunvizinhas ou em local ermo, no mato, também se deve iniciar buscando apoio policial, mas se não for possível, em último 3

7 caso, você pode ter que transportar o corpo. Procure, então, o médico local para lavrar o atestado de óbito e se também não for possível redija um, ainda que manuscrito e peça a duas pessoas idôneas para assiná-lo. Em seguida redija um termo singelo para o transporte do corpo. O médico pode assinar o atestado de óbito e inclusive diagnosticar a causa-mortis. Os leigos podem atestar o óbito, indicar as circunstâncias, mas não devem afirmar nada conclusivamente. Lembre-se, contudo, que é preferível buscar recursos de pessoas especializadas do que apressar o transporte, apenas para atender aos pedidos da família. Para transportar um cadáver, lembre-se: 1 - É necessário estar documentado ou com o atestado de óbito ou com um documento que, normalmente, é emitido pela polícia autorizando o transporte. Se não conseguir nenhum desses dois, utilize a declaração de óbito referida acima. 2 - O transporte deve ser feito na urna funerária - caixão - devidamente fechado e preso - amarrado - no veículo. Se não possuir a urna funerária envolva o corpo em saco plástico e feche-o hermeticamente, amarrando-o ao veículo. ATESTADO DE ÓBITO O atestado de óbito é um documento declarando que a pessoa está morta e serve para que o cartório de registro civil forneça a certidão de óbito. O atestado deve ser fornecido por médico, em regra, mas pode ocorrer casos esporádicos de os médicos se recusarem a fornecer o atestado mesmo a pessoa falecendo em hospital. É porque o médico quando declara a causa mortis assume responsabilidades. Onde não houver médico tanto a autoridade policial quanto outra autoridade podem fornecer um atestado para fins de transporte do corpo. O atestado pode também ser feito por pessoa leiga e se resume, neste caso, a declaração que Fulano de Tal está morto e quais são as testemunhas do óbito. O atestado de óbito do IML ou do hospital é um documento oficial e tem valor de prova quando esclarecer a causamortis. Se o atestado for emitido após necrópsia do IM L ou do hospital, deve ficar clara a causa-mortis e, EM SE TRATANDO DE SERVIDOR PÚBLICO CIVIL OU M ILITAR, O M ÉDICO DEVER SER QUESTIONADO SE O ÓBITO NÃO DECORREU DE CARDIOPATIA GRAVE. Caso afirmativo, no atestado deve constar a especificação da doença tal como foi acima escrito. É que ESSAS DOENÇAS ASSEGURAM UM A PENSÃO DE VALOR SUPERIOR A OUTRAS DECORRENTES DE OUTRAS DOENÇAS. 4

8 CERTIDÃO DE ÓBITO A certidão de óbito é um documento oficial, que só pode ser emitido pelo cartório onde se deu o óbito. CARENTES não pagam certidão de óbito. A certidão de óbito deve conter os seguintes elementos: 1) ano, mês, dia e, se possível, a hora do falecimento; 2) o lugar do falecimento, com indicação precisa; 3) o prenome, nome, sexo, idade, cor, estado, profissão, naturalidade, domicílio e residência do morto; 4) se era casado, o nome do cônjuge sobrevivente, mesmo quando desquitado, se viúvo, o do cônjuge pré-defunto; e o cartório de casamento de ambos os casos. 5) os nomes, prenomes, profissão, naturalidade e residência dos pais; 6) se faleceu com testamento conhecido; 7) se deixou filhos, nome e idade de cada um; 8) se a morte foi natural ou violenta e a causa conhecida, com nome dos atestantes; 9) lugar do sepultamento; 10) se deixou bens e herdeiros menores e interditos; 11) se era eleitor; Nesse documento é muito importante que conste a causa da morte com clareza. Por exemplo, a indicação de acidente em serviço ou doença profissional facilita à família pleitear futuramente seus direitos. É IM PORTANTÍSSIM O VERIFICAR SE OS DADOS CONTIDOS NA CERTIDÃO DE ÓBITO ESTÃO ABSOLUTAM ENTE CORRETOS, COM O NOM ES DO FALECIDO E FAM ILIARES, CAUSA-M ORTIS E NÚM EROS DE DOCUMENTOS PARA EVITAR SÉRIOS PROBLEMAS DE SEGURO, INVENTÁRIO, ETC. QUALQUER CORREÇÃO, APÓS EMITIDA A CERTIDÃO, SÓ PODER SER FEITA COM AUTORIZAÇÃO JUDICIAL. SERVIÇOS FUNERÁRIOS É mais conveniente realizar o serviço de sepultamento por funerária porque abranje tudo, desde vestir o corpo até flores, documentos, sepultura, etc. Mas tenha o cuidado de, reservadamente, cientificar-se de que não realizarão outras despesas, além da autorizada. A título de referência são listados, a seguir, os dados de algumas funerárias pesquisadas em Brasília. Essa lista não abrange 5

9 todas as empresas disponíveis na cidade e nem representa recomendação quanto ao preço ou qualidade dos serviços por elas prestados. Empresa Telefone Cidade Horário Contato Asa Branca Santo Antônio Taguatinga 24h/dia Reinaldo, Eremito Taguatinga, Plano Piloto 24h/dia Baltazar, Vavá Planalto Cruzeiro 24h/dia Brito, Edmilson Bom Pastor Cruzeiro 24h/dia André Fundação de Serviço Social (*) IML: Plano Piloto e no IML 7:00h às 19:00h Balcão de atendim. (*) A Fundação de Serviço Social presta os serviços funerários gratuitamente para pessoas carentes. Procedimento a seguir após o corpo já estiver no hospital ou no 1 - verificar com o hospital ou o IML o horário provável de liberação do corpo. 2 - decidir se o sepultamento será realizado em outra cidade e se o transporte será por via aérea ou terrestre. 3 - contratar a funerária negociando os serviços e preços. 4 - providenciar os documentos necessários de uso imediato como Carteira de identidade, Certidão de Casamento e Título eleitoral. 5 - providenciar roupas para vestir o falecido no sepultamento ou comprá-las na funerária. 6 - providenciar o serviço de sepultamento com a administração do cemitério. Em Brasília tratar com a Fundação do Serviço Social. Normalmente a funerária recebe o ATESTADO DE ÓBITO do hospital ou do IML, retira o corpo para preparar o caixão e, com autorização escrita da família, providencia no cartório devido a obtenção da CERTIDÃO DE ÓBITO, e da GUIA DE SEPULTAM ENTO. Se o sepultamento for ocorrer entre 24 horas e 96 horas após o falecimento o corpo deverá ser FORMOLIZADO. Se o sepultamento for ocorrer mais de 96 horas após o falecimento o corpo deverá ser EMBALSAMADO. Se o falecido for transportado via aérea seu corpo deverá ser EM BALSAM ADO e deverá ser usada uma URNA ZINCADA (entre em contato com a Fundação de Serviço Social para mais 6

10 informações sobre a urna zincada). O hospital ou clínica que realizar o embalsamamento deverá emitir o TERM O DE EMBALSAMAMENTO para que se possa embarcar o corpo. De posse desse documento a funerária providenciará a GUIA DE TRANSLADO em uma delegacia de polícia, também necessária para o embarque do corpo. Tanto o embalsamamento ou a formolização só podem ser feitos por clínicas médicas especializadas mesmo que as providências sejam tomadas por funerárias. Na época da presente pesquisa detetamos em Brasília apenas a Clínica Santa Lúcia, no Plano Piloto, e a Clínica São Luiz, na Ceilândia. Custos aproximados: A seguir são apresentados alguns preços pesquisados em Brasília no mês de fevereiro de 1993 em algumas funerárias e na Fundação do Serviço Social. São apresentados, a título de referências futuras, os valores equivalentes em dólar americano a uma taxa de câmbio de Cr$ /US$. Serviço das funerárias Preço aprox. (US$) Funerárias Translado dentro do DF 15 a 20 8 a 12 Preço aprox. (US$) Fund.Serv.Social Caixão com ou sem visor 25 a a 12 Urna zincada com ou sem 150 a a 17 visor Roupa para o falecido 10 a 75 não providencia Flores decoração dentro do 30 a 40 não providencia caixão Embalsamamento 65 a 80 não providencia Formolização 40 não providencia Despesas de cartório 50 não providencia SEPULTAMENTO A Fundação do Serviço Social é quem administra os cemitérios de Brasília e executa os serviços de sepultamento. Verifique se os custos negociados com a funerária já incluem algum dos ítens abaixo: Serviço Preço aprox. Plano Piloto (US$) Capela Especial 11 - Capelas 5 a 9 5 Sepultamento 6 Cova RASA adulto 1 0,5 Cova RASA criança 0,5 0,3 Preço aprox. Satélites (US$) 7

11 Campa de cimento adulto 2 1 Campa de cimento criança 1 0,5 Campa individual 170 Campa de 2 gavetas 198 Campa de 3 gavetas 254 Lápide em concreto 57 Revestimento de campa 11 Renovação (a cada 5 anos) 1 0,5 Perpetuidade (beira de pista) Perpetuidade (entre sepulturas) Há um posto da Fundação do Serviço Social que funciona no próprio IM L e inicia os procedimentos para sepultamento, bem como fornece as orientações básicas. AUXÍLIO FUNERAL (*) Todos os segurados filiados à previdência fazem jus ao auxílio. A concessão do Auxílio-Funeral independe do número de contribuições pagas pelo segurado. QUEM RECEBE? (*) Carta dos Direitos dos Segurados - Brasília: M PS, 1992 Quem efetuou as despesas com o enterro do segurado. QUANTO RECEBE? O valor do auxílio-funeral é determinado em portaria do M inistério da Previdência Social. Em janeiro de 1993, para quem recebia até Cr$ ,29 era de Cr$ ,47, o que correspondia a uma ajuda aproximada de um salário mínimo para quem recebia até três salários mínimos. QUAIS OS DOCUM ENTOS NECESSÁRIOS? - requerimento em formulário próprio do INSS; - Carteira de Trabalho e Previdência Social ou Cartão de Inscrição e carnê para contribuinte individual; - documento de identidade e CIC/CPF (Cartão de Identificação do Contribuinte); - certidão de óbito do segurado; - carnê de pagamento do benefício, se o segurado estava em gozo do benefício; - recibo da empresa funerária com a discriminação das despesas; e - carnê com o comprovante do último recolhimento da contribuição ou declaração da empresa informando o último salário. 8

12 PENSÃO POR MORTE PARA VINCULADOS À PREVIDÊNCIA SOCIAL Além do auxílio-funeral, a família enlutada pode fazer jus à PENSÃO POR MORTE (*) QUEM RECEBE? Os dependentes, pela morte do segurado. QUEM TEM DIREITO? Para os óbitos ocorridos após , a concessão da pensão por morte independe do número de contribuições pagas pelo segurado. Para os óbitos ocorridos em data anterior, será exigida a comprovação de, pelo menos, doze contribuições mensais sem interrupção que determine a perda da qualidade de segurado. Os segurados especiais estão isentos do cumprimento do período de carência, devendo comprovar exercício de atividade rural nos doze meses imediatamente anteriores ao requerimento (*) Carta dos Direitos dos Segurados - Brasília: M PS, 1992 do benefício. Deverá, ainda, efetuar sua matrícula e inscrição nos postos do INSS. Caso queiram contribuir facultativamente terão o benefício calculado com base no salário de contribuição. QUANDO TEM INÍCIO? Na data da morte do segurado. QUANTO RECEBE? 80% do valor da aposentadoria que o segurado recebia ou da aposentadoria a que teria direito na data do seu falecimento, mais tantas parcelas de 10% do valor dessa aposentadoria, quantos forem os dependentes, até o máximo de dois. O valor do salário-de-benefício da pensão não pode ser inferior ao salário mínimo. Segurado especial: um salário mínimo. Caso esteja contribuindo facultativamente ter benefício concedido com base no saláriode-contribuição. POR QUANTO TEM PO? A cota da pensão por morte se extingue: a) quando os dependentes completarem 21 anos; b) pela morte do pensionista; ou 9

13 c) pela cessação da invalidez para o pensionista inválido. O valor da pensão recebido por um dependente que perdeu o direito, por algum dos motivos acima, será repassado ao(s) dependente(s) que continuar(em) na condição de pensionista(s). QUAIS OS DOCUM ENTOS NECESSÁRIOS? - requerimento em formulário próprio do INSS; - Carteira de Trabalho e Previdência Social ou Certidão de Tempo de Serviço ou outro documento que comprove atividade e tempo de serviço; - relação e discriminação dos salários-de-contribuição, até o máximo de 36, apurados nos últimos 48 meses (em duas vias); - documento de identidade e CIC/CPF (Cartão de Identificação do Contribuinte); - certidão de óbito do segurado; - cartão ou registro do PIS/Pasep; - carnê de pagamento de benefício, se o segurado estava em gozo de benefício; - Cartão de Inscrição e carnês ou Guias de Recolhimento das Contribuições, para o contribuinte individual. - comprovação de invalidez a cargo da perícia médica do INSS, para dependente maior de 21 anos; - comprovante da qualidade de dependente (Certidão de Nascimento de filho(s), ou equiparados menores de 21 anos, ou inválidos e Certidão de Casamento, prova de condição de companheira ou de dependente designada); - termo de responsabilidade, em formulário próprio do INSS; - declaração judicial de curatela (para pessoa com problema mental) ou de tutela (para menor). PENSÃO POR MORTE DECORRENTE DE ACIDENTE DE TRABALHO (*) QUEM RECEBE? Os dependentes do segurado, quando este falecer em conseqüência de acidente de trabalho. A concessão de pensão por acidente de trabalho independe do número de contribuições pagas pelo segurado. QUANDO TEM INÍCIO? Na data da morte do segurado. (*) Carta dos Direitos dos Segurados - Brasília: M PS,

14 QUANTO RECEBE? - 100% do salário de contribuição ou do salário-benefício se mais vantajoso, no dia do falecimento; ou - 100% do valor do auxílio-doença ou da aposentadoria por invalidez, qualquer que seja o número de dependentes. Segurado especial: um salário mínimo. Caso esteja contribuindo facultativamente terá o benefício concedido com base no salário-de-contribuição. Os beneficiários da pensão por acidente de trabalho também receberão um pecúlio, que é uma importância única equivalente a 150% do limite máximo do salário-de-contribuição. ao(s) dependente(s) que continuar(em) na condição de pensionista(s). PENSÃO MILITAR Pensão militar - é o benefício financeiro em favor dos chamados beneficiários, que são os dependentes dos militares falecidos e que contribuíram, mensalmente, para a Pensão Militar. Pensão Especial - é o benefício financeiro recebido por viúva de militar portadora de alguma das chamadas doenças incapacitantes como hanseníase, tuberculose, cegueira, paralisia, neoplasia maligna, AIDS, cardiopatia grave e alienação mental. POR QUANTO TEM PO? O direito à pensão por acidente de trabalho se extingue: a) quando os dependentes completarem 21 anos; b) pela morte do pensionista; ou c) pela cessação da invalidez para o pensionista inválido. O valor da pensão recebida, por um dependente que perdeu o direito à mesma, por algum dos motivos acima, será repassado HABILITAÇÃO DOS BENEFICIÁRIOS O beneficiário entrará com um Requerimento, solicitando a Pensão Militar, na Organizaçào Militar (OM) a que o militar pertencia ou se encontrava vinculado para fins de pagamento. Caso não resida na cidade sede da Organização, poderá formalizar o pedido de Pensão Militar na Organização Pagadora de Inativos e Pensionistas mais próxima de sua residência. 11

15 Para formalizar o pedido de Pensão Militar são necessários os seguintes documentos: - requerimento - declaração do requerente de que nada t\recebe dos cofres públicos; Pode haver acumulação. Esta declaração é preenchida na OM; - certidão de óbito do militar (cópia autenticada); - certidão de nascimento ou casamento de todos os filhos (cópias autenticadas); Além dos documentos acima, deverão apresentar docuemntação específica, ainda que constem da Declaração de Beneficiários: -companheira/companheiro Justificação judicial que comprove ter convivido com o/a militar no mínimo 05 anos e até a data do óbito (aconselha-se que o militar, em vida, regularize a situação, evitando-se constrangimentos futuros); - pai/mãe - Comprovação de que é pessoa de parcos recurss e que vivia sob a dependência econômica do militar (aconslha-se que o militar, em vida, comprove a dependência); - interdito - Termo de Interdição e Termo de Curatela (aconselha-se que o militar, em vida, regularize a situação); - inválido ou gravemente enfermo - Publicação em Boletim da Ata e cópia da Ata de Inspeção de Saúde, homologada por Junta Superior de Saúde da Aeronáutica (aconselha-se que o militar, em vida, regularize a situação); estudante - Declaração do estabelecimento de ensino e do beneficiário comprovando a condição de setudante; e filha solteira - Certidão de nascimento (cópia autenticada) e Declaração de que é solteira; designado - constar da Declaração de Beneficiários com a comprovação prévia de que vivia sob a dependência econômica do contribuinte. O beneficiário não deverá retardar a entrega do requerimento ou outros docuemtnos que lhe forem solicitados durante o processo de Pensão. Deverá tomar esta providência o mais rápido possível para evitar possíveis transtornos. SERVIDORES PÚBLICOS MILITARES As previdências relativas ao óbito do servidor militar são tomadas concomitante e coordenadamente: pela organização a que o servidor militar pertencia como efetivo ou adito; 12

16 pela organização em cuja área de jurisdição ocorreu o óbito; por Comando Regional, quando houver translado do corpo para sepultamento em cemitério situado próximo a sua sede, e for solicitado o apoio da organização a que pertencia o militar; e por organização isolada, quando houver translado do corpo para sepultamento em cemitério situado próximo a sua sede e for solicitado o apoio pela organização a quem pertencia o militar. No caso de translado do corpo para sepultamento em área jurisdicionada a outra organização, são precedidas de mensagem rádio da organização a que o militar pertencia informando: apoio pretendido; posto ou graduação e nome completo do morto; local, data e hora da chegada do corpo; cemitério e hora desejada para o sepultamento; honras fúnebres e atos religiosos desejados; e número provável de acompanhantes. Falecido o militar da organização em cuja área de jurisdição tenha ocorrido o óbito, ou aquela que dele tenha tomado conhecimento, deve comunicar via telefone, ratificado por rádio: ao Gabinete do Ministro; ao Comando-Geral do pessoal; e à Organização a qual pertencia o morto. A participação à família e as providências quanto ao velório, ao translado do corpo, às honras fúnebres, aos atos religiosos e ao sepultamento competem à organização a quem pertencia o militar. Quando qualquer dessas atribuições deva ser desempenhada em local distante da sede da organização, esta pode solicitar a colaboração da organização sediada naquele local, que deveraá atender com a devida prioridade. Cabe ao Comandante da organização a quem pertencia o servidor militar falecido: fazer a comunicação pessoal do óbito à sua família; ou se preferir, designar um representante para fazê-lo; consultar os familiares quanto ao local e hora para o sepultamento e se desejam honras fúnebres e atos religiosos; dar conhecimento à família de que o sepultamento, as honras fúnebres e os atos religiosos serão providenciados, de acordo com a legislação em vigor, pelo M inistério correspondente, salvo se a família o dispensar; e instruir a família, quanto ao auxílio para custear as despesas com o funeral. 13

17 Em cada organização haverá uma comissão permanente, para o trato das providências relativas ao falecimento de militares da ativa. A comissão que trata o parágrafo acima, será composta por Oficiais e Praças, e a ela compete: providenciar o atestado de óbito junto ao médico responsável; retirar o auxílio-funeral do falecido para custear as despesas com o funeral; providenciar a certidão de óbito no cartório correspondente ao local do óbito; providenciar junto as autoridades policiais, nos casos de translado de corpo, a guia de translado; providenciar urna, condução para remoção do corpo, embalsamamento, quando for o caso, e anúncios fúnebres; coordenar as providências referentes ao velório, honras fúnebres e atos religiosos; comunicar às autoridades locais e outras, a data, a hora e local do sepultamento; entregar à família cópias de certidão de óbito, bem como os recibos das despesas realizadas, e saldo, se houver, do auxílio-funeral; comunicar à família, por escrito, a circunscrição onde foi registrado o óbito, cemitério, número da sepultura e quadra onde foi efetuado o seputamento; providenciar o processo para habilitação da pensão militar e seguros de vida existentes, efetuando o devido acompanhamento nas organizações responsáveis; e prestar o apoio necessaário, por determinação do Comandante da organização. INVENTÁRIO O inventário é um tipo especial de ação que se submete ao Juiz para determinação da situação econômica e financeira do "de cujus" - falecido - e quem herdar seus bens e obrigações. É necessário que seja elaborado por advogado que poderá cobrar por seus serviços de acordo com a tabela de honorários da OAB-DF. (*) "Nestas condições o processo de inventário tem por finalidade: a) a arrecadação dos bens do "de cujus", segundo a descrição feita pelo inventariante. Estes bens, tem assim direitos creditórios e outros, tanto se entendem os que se encontravam em poder do falecido, como outrem, desde que a ele pertençam. (*) Silva, De Plácido e, 1990, Vocabulário Jurídico, Forense, Rio de Janeiro, 2ª Edição. 14

18 b) a avaliação destes mesmos bens, segundo as regras estabelecidas na lei processual. c) o reconhecimento da qualidade de herdeiros, quando esta consta de provas inequívocas, de modo a não ser preciso uma investigação estranha ao processo. Assim não sendo, será caso de alta indagação e a verificação se fará por ação própria, à parte; d) a verificação de todos os encargos do "de cujus", sejam oriundos de dívidas ou de outra natureza, os quais pesarão sobre o acervo herdeiro; e) a colação de bens sujeitos a ela; f) o pagamento dos impostos devidos pela massa; g) a solução das questões que se suscitem a respeito dos ítens acima." É necessário fazer o processo de inventário mesmo quando há testamento. TESTAMENTO É um documento que possui várias formalidades, definidas em Lei, por meio do qual uma pessoa dispõe sobre o destino do seu patrimônio, depois de sua morte. Como esclarecido não se deve, no testamento, declarar outros fatos a não ser o próprio patrimônio. Em se tratando de documento bastante formal, é de bom alvitre, embora não seja obrigatório, que seja feito por um advogado habilitado, pois normalmente há interesses em anulá-lo por parte dos prejudicados. É conveniente que em vida se proceda a disposição do patrimônio para reduzir as demandas judiciais posteriores ao óbito e embora existam três tipos de testamento - público, cerrado e particular - este último é bastante e pode ser feito diretamente no cartório. CODICILOS Apesar de pouco utilizado é um instrumento jurídico bastante útil e se resume num documento particular, datado e assinado, no qual a pessoa apresenta seus desejos em relação ao seu enterro, pequenas doações, esmolas, com destinatários determinados ou indeterminados. Também pode se destinar objetos pessoais, móveis, roupas e até jóias de pequeno valor. Se o codicilo estiver fechado, será necessário observar as formalidades legais para abertura que, se não atendidas, o codicilo 15

19 perde o valor jurídico. Se o codicilo estiver fechado, não abra, procure um advogado. ORGANIZAÇÃO DE DOCUMENTOS ESSENCIAIS 1 - Manter em pasta ou envelope: folha de Identificação Pessoal devidamente preenchida, conforme modelo; cópia de declaração de Imposto de Renda; relação de pecúlios, seguros e pensões; certidão de nascimento, se solteiro; certidão de casamento; certidão de casamento com averbação de desquite ou divórcio, se for o caso; certidão de nascimento dos filhos menores ou filhas em quaisquer condições; certidão de nascimento de outros beneficiários; documentação relativa a jazigo de família, cemitério, quadra e número do carneiro; indicação sobre data limite para abertura de Inventário; testamento, se houve. Fotocópia (autenticada): 1 - Cartão de Identificação de Contribuinte (CIC); 2 - Cartão de Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP), caso não tenha resgatado; 3 - cartão de identidade; 4 - cartão de identidade em institutos de previdência complementar; 5 - título de eleitor; Outras providências: a) M anter em pasta ou envelope, devidamente relacionados, e sempre atualizados, todos os documentos que constituam bens ou interesses, tais como, Cópias de Declarações de imposto de Renda, Certificados de Ações, Certificados de Fundo 157, Escrituras, Recibos, Crediários, Juros, Dívidas, etc., dando conhecimento dos mesmos aos beneficiários. b) O seguro de vida deve ser feito com seguradora e corretores de confiança. c) Depois de realizado o enterro registrar a Certidão de Óbito no Cartório e extrair 10 (dez) cópias autenticadas. d) Para receber qualquer benefício, consultadas as empresas beneficentes, e considerando as diferentes exigências de cada uma para o recebimento de benefícios, segue a relação do 16

20 que é realmente indispensável, e daquilo que atende, de uma maneira geral, a todas elas, e a qualquer tipo de benefício. M ORTE NATURAL 1 - requerimento; 2 - uma cópia da Certidão de Óbito, com firma reconhecida; 3 - uma cópia da Certidão de Casamento; 4 - cópia dos três últimos contracheques ou comprovantes de pagamento do benefício; 5 - cópia da Certidão de Nascimento, se solteiro; M ORTE ACIDENTAL 1 - três vias da Certidão de Óbito; 2 - três vias da Certidão de Casamento, ou de nascimento, se solteiro 3 - três vias da ocorrência policial; 4 - três vias do Laudo de Exame Cadavérico ou Auto de Necrópsia, com firma reconhecida; 5 - cópia dos três últimos contracheques ou comprovantes de pagamento de mensalidade de sócio Contas bancárias, caderneta de poupança, papéis de crédito e bens imóveis. Nesses casos, o processamento dever ser feito através de um Advogado, o qual abrirá um inventário junto à Justiça, numa Vara de Órfãos e Sucessões. O inventariante, no caso o Advogado, tratar de todas as questões. Se o falecido deixou apenas saldo bancário ou poupança de pequeno porte, sem outros bens, os beneficiários deverão procurar a Justiça, em uma Vara de Órfãos e Sucessões, onde será aberto um inventário sumário. Os beneficiários solicitarão ao Juiz um mandato de pagamento, para poder receber os valores. Critério idêntico se estende para o recebimento da eventual restituição do Imposto de Renda (cheque devolução). É importante que as economias estejam em contas conjuntas; lembre-se que os beneficiários deverão arcar com as despesas e precisarão lançar mão das economias. LEGISLAÇÃO Lei 6015/73 "Art Das pessoas comprovadamente pobres, à vista de atestado de autoridade competente, não será cobrado emolumento para registro civil e respectiva certidão." 17

Trabalhador avulso, segurado especial e segurado empregado, à exceção do doméstico pensão por acidente do trabalho

Trabalhador avulso, segurado especial e segurado empregado, à exceção do doméstico pensão por acidente do trabalho Previdência social Benefícios Documentação específica, por categoria Pensão por acidente do trabalho trabalhador avulso, segurado especial e segurado empregado, à exceção do doméstico Esposo(a) ou companheiro

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS QUE DEVERÃO SER APRESENTADOS PELO REQUERENTE JUNTAMENTE COM A FICHA PREENCHIDA E ASSINADA.

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS QUE DEVERÃO SER APRESENTADOS PELO REQUERENTE JUNTAMENTE COM A FICHA PREENCHIDA E ASSINADA. LISTA DE DOCUMENTOS RELAÇÃO DE DOCUMENTOS QUE DEVERÃO SER APRESENTADOS PELO REQUERENTE JUNTAMENTE COM A FICHA PREENCHIDA E ASSINADA. O Responsável Financeiro deverá entregar cópias autenticadas/ simples

Leia mais

LISTA DE DOCUMENTOS - PROUNI -

LISTA DE DOCUMENTOS - PROUNI - LISTA DE DOCUMENTOS - PROUNI - Os candidatos pré-selecionados devem entrar em contato com o SAE (Serviço de Assistência ao Estudante) para agendar a entrevista. Telefone: 35-3299-3044 Segue abaixo a relação

Leia mais

PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS PASEP - PROGRAMA DE FORMAÇÃO DO PATRIMÔNIO DO SERVIDOR PÚBLICO

PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS PASEP - PROGRAMA DE FORMAÇÃO DO PATRIMÔNIO DO SERVIDOR PÚBLICO PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS PASEP - PROGRAMA DE FORMAÇÃO DO PATRIMÔNIO DO SERVIDOR PÚBLICO 1 CONCEITO O Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público - PASEP foi criado pelo Governo Federal

Leia mais

O Responsável Financeiro deverá entregar cópias autenticadas/ simples ou originais de todo o grupo familiar os documentos abaixo:

O Responsável Financeiro deverá entregar cópias autenticadas/ simples ou originais de todo o grupo familiar os documentos abaixo: LISTA DE DOCUMENTOS RELAÇÃO DE DOCUMENTOS QUE DEVERÃO SER APRESENTADOS PELO REQUERENTE JUNTAMENTE COM A FICHA PREENCHIDA E ASSINADA. O Responsável Financeiro deverá entregar cópias autenticadas/ simples

Leia mais

OBJETIVO CAPITAL SEGURADO

OBJETIVO CAPITAL SEGURADO OBJETIVO Assegurar aos participantes da SIAS, que aderiram ao seguro, uma indenização aos próprios ou ao(s) seu(s) beneficiário(s), em caso de falecimento ou invalidez, bem como propiciar a utilização

Leia mais

1 Registro de Óbito. 1.1 Prazo: 24h; 15 dias se houver motivo razoável. Após, somente se faz o registro mediante autorização judicial.

1 Registro de Óbito. 1.1 Prazo: 24h; 15 dias se houver motivo razoável. Após, somente se faz o registro mediante autorização judicial. 1 Registro de Óbito 1.1 Prazo: 24h; 15 dias se houver motivo razoável. Após, somente se faz o registro mediante autorização judicial. 1.2 Legitimidade para declaração: a) pelo homem, pela mulher, filhos,

Leia mais

DOS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS AO PROCESSO DE SELEÇÃO E MATRÍCULA

DOS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS AO PROCESSO DE SELEÇÃO E MATRÍCULA DOS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS AO PROCESSO DE SELEÇÃO E MATRÍCULA A Ficha Socioeconômica deve ser preenchida, sem rasuras, assinada pelo (a) candidato(a) ou pelo(a) pai, mãe e/ou responsável legal e, apresentada

Leia mais

LISTA DE DOCUMENTOS RELAÇÃO DE DOCUMENTOS QUE DEVERÃO SER APRESENTADOS PELO REQUERENTE JUNTAMENTE COM A FICHA PREENCHIDA E ASSINADA.

LISTA DE DOCUMENTOS RELAÇÃO DE DOCUMENTOS QUE DEVERÃO SER APRESENTADOS PELO REQUERENTE JUNTAMENTE COM A FICHA PREENCHIDA E ASSINADA. LISTA DE DOCUMENTOS RELAÇÃO DE DOCUMENTOS QUE DEVERÃO SER APRESENTADOS PELO REQUERENTE JUNTAMENTE COM A FICHA PREENCHIDA E ASSINADA. O Responsável Financeiro deverá entregar cópias autenticadas/ simples

Leia mais

Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social SEMCAS

Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social SEMCAS Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social SEMCAS Passo Fundo - RS 2010 Serviços e Seguridade Social Registro Civil Endereço: Morom, 1120 Centro Horário: 9h às 17h sem fechar ao meio-dia Telefone:

Leia mais

PASEP. Conceito. São participantes do PASEP todos os servidores em atividade, civis e militares, cadastrados no Programa.

PASEP. Conceito. São participantes do PASEP todos os servidores em atividade, civis e militares, cadastrados no Programa. PASEP Conceito O Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público PASEP é um programa criado pelo Governo Federal em 1970 para propiciar aos servidores públicos civis e militares a participação na

Leia mais

Passo 1: Entre em contato no numero abaixo em nossa Central Itaú Seguros para registrar a retirada do KIT de sinistro;

Passo 1: Entre em contato no numero abaixo em nossa Central Itaú Seguros para registrar a retirada do KIT de sinistro; Prezado Beneficiário, Para melhor apoiá-lo neste momento, encaminhamos abaixo todos os formulários e documentos necessários, bem como a orientação de como realizar o envio desses documentos. Procedimentos

Leia mais

LEI Nº 0881/1998. Dispõe sobre a concessão de benefícios pelo erário do Município de Dois Vizinhos.

LEI Nº 0881/1998. Dispõe sobre a concessão de benefícios pelo erário do Município de Dois Vizinhos. LEI Nº 0881/1998 Dispõe sobre a concessão de benefícios pelo erário do Município de Dois Vizinhos. A Câmara Municipal de Vereadores aprovou, e eu, Jaime Guzzo, Prefeito de Dois Vizinhos, sanciono a seguinte,

Leia mais

CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DE SANTA CATARINA NÚCLEO IV - SERVENTIAS EXTRAJUDICIAIS

CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DE SANTA CATARINA NÚCLEO IV - SERVENTIAS EXTRAJUDICIAIS Categoria : Casamento religioso com efeitos civis 1207 A serventia possui o Livro B Auxiliar - Registro de Casamento Religioso CNCGJ, art. 589, III - Lei 6.015/73, Lei 6.015/73, art. 33, III para Efeitos

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR CENECISTA DE FARROUPILHA Mantido pela Campanha Nacional de Escolas da Comunidade

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR CENECISTA DE FARROUPILHA Mantido pela Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CENTRO DE ENSINO SUPERIOR CENECISTA DE FARROUPILHA Mantido pela Campanha Nacional de Escolas da Comunidade DOCUMENTAÇÃO QUE DEVE SER APRESENTADA PELO CANDIDATO E MEMBROS DO GRUPO FAMILIAR NO MOMENTO DA

Leia mais

Sinistro de Morte Natural do Segurado Titular

Sinistro de Morte Natural do Segurado Titular Sinistro de Morte Natural do Segurado Titular Os documentos desta lista marcados com (*) não se aplicam a seguros individuais ou contratados pelo próprio segurado titular, mas somente a seguros corporativos,

Leia mais

Nele também são averbados atos como o reconhecimento de paternidade, a separação, o divórcio, entre outros, além de serem expedidas certidões.

Nele também são averbados atos como o reconhecimento de paternidade, a separação, o divórcio, entre outros, além de serem expedidas certidões. No Cartório de Registro Civil das Pessoas Naturais são regis- trados os atos mais importantes da vida de uma pessoa, como o nascimento, o casamento e o óbito, além da emancipação, da interdição, da ausência

Leia mais

Solicitação de Pensão Previdenciária por morte do(a) Associado(a);

Solicitação de Pensão Previdenciária por morte do(a) Associado(a); Solicitação de Pensão Previdenciária por morte do(a) Associado(a); Quem são os dependentes: Cônjuge, companheiro(a), filhos menores de 21 anos, não emancipados ou inválidos e filhos até 24 anos cursando

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O CLUBE CORREIO DO POVO DE VANTAGENS SEGURO DE VIDA

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O CLUBE CORREIO DO POVO DE VANTAGENS SEGURO DE VIDA FAQ Atualizado em 16/10/2014-1 PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O CLUBE CORREIO DO POVO DE VANTAGENS O que é o Clube Correio do Povo de Vantagens? O Correio do Povo volta a proporcionar aos seus assinantes,

Leia mais

GUIA DO SEGURADO da Previdência Social

GUIA DO SEGURADO da Previdência Social CÂMARA DOS DEPUTADOS GUIA DO SEGURADO da Previdência Social Conheça os direitos do seu seguro social. ANTONIO BULHÕES Deputado Federal PRB/SP BRASÍLIA Abril/2009 GUIA DO SEGURADO da Previdência Social

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL 1. - FINALIDADE Este Regulamento dispõe sobre a concessão de empréstimo pessoal pela Fundação de Previdência do Instituto Emater - FAPA, ao participante ativo, assistido,

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA PROCESSO SELETIVO PROUNI 2013.1 1º CHAMADA

EDITAL DE ABERTURA PROCESSO SELETIVO PROUNI 2013.1 1º CHAMADA EDITAL DE ABERTURA PROCESSO SELETIVO PROUNI 2013.1 1º CHAMADA A Faculdade Baiana de Direito e Gestão faz saber que realizará processo seletivo, destinado ao ingresso de estudantes beneficiários do ProUni

Leia mais

CARTA DE SERVIÇOS AO SERVIDOR POLÍCIA FEDERAL

CARTA DE SERVIÇOS AO SERVIDOR POLÍCIA FEDERAL 7PENSÃO CARTA DE SERVIÇOS AO SERVIDOR POLÍCIA FEDERAL CARTA DE SERVIÇOS A Carta de Serviços é uma ferramenta de gestão criada pelo Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização GesPública. A

Leia mais

1º EDITAL UNIFICADO PARA EDUCAÇÃO BÁSICA CONCESSÃO DA BOLSA SOCIAL DE ESTUDO PARA O ANO LETIVO DE 2016

1º EDITAL UNIFICADO PARA EDUCAÇÃO BÁSICA CONCESSÃO DA BOLSA SOCIAL DE ESTUDO PARA O ANO LETIVO DE 2016 CHECKLIST Conferência de Documentos Bolsa Social de Estudo (Concessão) Nº DO PROCESSO: DATA: ALUNO: MATRÍCULA: SÉRIE: Quantidade de Membros: ANO: DOCUMENTOS RG e CPF De todos os membros maiores de 18 anos.

Leia mais

CAMPANHA NACIONAL DE ESCOLAS DA COMUNIDADE

CAMPANHA NACIONAL DE ESCOLAS DA COMUNIDADE No ato de entrega dos documentos o candidato deve apresentar os originais e as cópias para conferência. 1.Documentos Diversos a) Cópia de documento de identificação (ou certidão de nascimento, quando menor

Leia mais

Sinistro Seguros de Vida e Acidentes Pessoais. O que fazer?

Sinistro Seguros de Vida e Acidentes Pessoais. O que fazer? Sinistro Seguros de Vida e Acidentes Pessoais. O que fazer? A fim de auxiliá-lo na prestação de serviços a seus clientes (segurados/beneficiários), a Unibanco Seguros & Previdência preparou este guia para

Leia mais

DIVÓRCIO CONSENSUAL OU DIVÓRCIO LITIGIOSO

DIVÓRCIO CONSENSUAL OU DIVÓRCIO LITIGIOSO DIVÓRCIO CONSENSUAL OU DIVÓRCIO LITIGIOSO Xerox da certidão de casamento; Xerox da carteira de identidade e do CPF do autor (aquele que está procurando a Defensoria Pública) (No caso de Divórcio Consensual,

Leia mais

SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014

SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014 Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Di Informativo 01/2015 SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014 Foi publicado no Diário Oficial da

Leia mais

AVISO DE SINISTRO MORTE ACIDENTAL DO TITULAR

AVISO DE SINISTRO MORTE ACIDENTAL DO TITULAR Pág. 1 /7 AVISO DE SINISTRO MORTE ACIDENTAL DO TITULAR A liquidação do sinistro começa com o AVISO DO SINISTRO à Seguradora. No caso de Evento (s) que possa (m) acarretar em responsabilidade da Seguradora,

Leia mais

Segurada contribuinte individual e facultativa salário-maternidade. Número de inscrição de contribuinte individual / facultativo.

Segurada contribuinte individual e facultativa salário-maternidade. Número de inscrição de contribuinte individual / facultativo. Previdência social Benefícios Documentação específica, por categoria Segurada contribuinte individual e facultativa salário-maternidade Segurada empregada que adotar ou tiver a guarda judicial de criança

Leia mais

Orientações sobre Benefícios do INSS

Orientações sobre Benefícios do INSS Orientações sobre Benefícios do INSS A PREFEITURA DE GUARULHOS MANTÉM UM CONVÊNIO COM O INSS AGÊNCIA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL DE GUARULHOS PARA REQUERIMENTO DOS SEGUINTES BENEFÍCIOS: AUXÍLIO DOENÇA PREVIDENCIÁRIO,

Leia mais

Para melhor atendê-lo, seguem abaixo todos os formulários e documentos necessários, juntamente com a orientação de como proceder ao envio.

Para melhor atendê-lo, seguem abaixo todos os formulários e documentos necessários, juntamente com a orientação de como proceder ao envio. Prezado (a) cliente: Para melhor atendê-lo, seguem abaixo todos os formulários e documentos necessários, juntamente com a orientação de como proceder ao envio. Procedimentos para envio dos documentos de

Leia mais

PROGRAMA PÓS-VIDA 2015

PROGRAMA PÓS-VIDA 2015 PROGRAMA PÓS-VIDA 2015 1) PROGRAMA PÓS-VIDA: É um produto que oferece o serviço de assistência funeral, desenvolvido pela AMBEP TurSeguros para a AMBEP Associação, operado, em todo o Brasil, pela SulAmérica

Leia mais

PROGRAMA PÓS-VIDA 2015

PROGRAMA PÓS-VIDA 2015 PROGRAMA PÓS-VIDA 2015 1) PROGRAMA PÓS-VIDA: É um produto que oferece o serviço de assistência funeral, desenvolvido pela AMBEP TurSeguros para a AMBEP Associação, operado, em todo o Brasil, pela SulAmérica

Leia mais

Passo 1: Entre em contato no numero abaixo em nossa Central Itaú Seguros para registrar a retirada do KIT de sinistro;

Passo 1: Entre em contato no numero abaixo em nossa Central Itaú Seguros para registrar a retirada do KIT de sinistro; Prezado Beneficiário, Para melhor apoiá-lo neste momento, encaminhamos abaixo todos os formulários e documentos necessários, bem como a orientação de como realizar o envio desses documentos. Procedimentos

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DO SERVIDOR PÚBLICO O RPPS é estabelecido por lei elaborada em cada um dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal, e se destina exclusivamente aos servidores públicos titulares

Leia mais

Contribuinte individual / facultativo aposentadoria por invalidez ou auxílio-doença

Contribuinte individual / facultativo aposentadoria por invalidez ou auxílio-doença Previdência social Benefícios Documentação específica, por categoria Contribuinte individual / facultativo aposentadoria por invalidez ou auxílio-doença Empregado(a) doméstico(a) aposentadoria por invalidez

Leia mais

Nº DO SINISTRO CAMPO PREENCHIDO PELA SEGURADORA

Nº DO SINISTRO CAMPO PREENCHIDO PELA SEGURADORA AUTORIZAÇÃO DE PAGAMENTO DE INDENIZAÇÃO DO SEGURO DPVAT Nº DO SINISTRO CAMPO PREENCHIDO PELA SEGURADORA Este formulário deve ser preenchido exclusivamente com dados do beneficiário da indenização do Seguro

Leia mais

INFORMATIVO DO SERVIDOR

INFORMATIVO DO SERVIDOR INFORMATIVO DO SERVIDOR APOSENTADORIA ATENDIMENTO AUXÍLIO-CRECHE AUXÍLIO-FUNERAL AUXÍLIO-RECLUSÃO BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS CALENDÁRIO DE PAGAMENTO CONTRACHEQUE CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA DECLARAÇÃO

Leia mais

Sistel Presente Rio de Janeiro/RJ

Sistel Presente Rio de Janeiro/RJ Sistel Presente Rio de Janeiro/RJ Rio de Janeiro, outubro de 2012 Depois de tanto trabalho, enfim um tempo para organizar as coisas da vida... Por onde começar? Regularizando a papelada sucessão hereditária

Leia mais

Guia Rápido da Pensão Militar - GIRAPEM. Guia Rápido da Pensão Militar GIRAPEM

Guia Rápido da Pensão Militar - GIRAPEM. Guia Rápido da Pensão Militar GIRAPEM Guia Rápido da Pensão Militar - GIRAPEM 1 Guia Rápido da Pensão Militar GIRAPEM 2013 2 Guia Rápido da Pensão Militar - GIRAPEM IMPORTANTE Serviço de Inativos e Pensionistas da Marinha (SIPM) Atendimento

Leia mais

A D V O G A D O S A S S O C I A D O S

A D V O G A D O S A S S O C I A D O S A D V O G A D O S A S S O C I A D O S QUEM É SEGURADO PELO INSS? É toda pessoa que contribui para a Previdência Social, mantida pelo INSS. Podem também ser beneficiários do Regime Geral da Previdência

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA Nº 22, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA Nº 22, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA Nº 22, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014 Altera dispositivos das Portarias Normativas nº 10, de 30 de abril de 2010, e nº 23, de 10 de novembro de

Leia mais

Prezado(a) candidato(a),

Prezado(a) candidato(a), Prezado(a) candidato(a), Por favor, fique atento às informações a seguir, as quais garantirão o bom andamento do seu processo de comprovação de informações para o PROUNI na ULBRA. Dedique alguns minutos

Leia mais

ANEXO V DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA A BOLSA SOCIAL

ANEXO V DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA A BOLSA SOCIAL ANEXO V DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA A BOLSA SOCIAL 1. INFORMAÇÕES GERAIS Para participar da entrevista de avaliação socioeconômica é necessário apresentar os documentos abaixo relacionados (com cópia autenticada),

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA DIRETORIA DE INTENDÊNCIA SUBDIRETORIA DE ENCARGOS ESPECIAIS

COMANDO DA AERONÁUTICA DIRETORIA DE INTENDÊNCIA SUBDIRETORIA DE ENCARGOS ESPECIAIS COMANDO DA AERONÁUTICA DIRETORIA DE INTENDÊNCIA SUBDIRETORIA DE ENCARGOS ESPECIAIS DATAS EMISSÃO EFETIVAÇÃO NPA Nº 009 A /EE1/2005 01 /06 / 2005 / /2005 DISTRIBUIÇÃO - E EE1, EE2, EE3, EE4, EETEC EESEC

Leia mais

Comunicação de Sinistro para Planos de Previdência com Coberturas Acessórias. Evento Morte Natural ou Morte Acidental

Comunicação de Sinistro para Planos de Previdência com Coberturas Acessórias. Evento Morte Natural ou Morte Acidental Planos de Previdência Itaú - Proteção Familiar Comunicação de Sinistro para Planos de Previdência com Coberturas Acessórias Evento Morte Natural ou Morte Acidental O Itaú está a sua disposição e sabe a

Leia mais

Contribuinte individual / facultativo aposentadoria por idade

Contribuinte individual / facultativo aposentadoria por idade Previdência social Aposentadoria por idade Documentação específica, por categoria Contribuinte individual / facultativo aposentadoria por idade Empregado(a) doméstico(a) aposentadoria por idade Segurado

Leia mais

EDITAL N. 01/2015 2. DA DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA ACESSO AOS BENEFÍCIOS DA ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL

EDITAL N. 01/2015 2. DA DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA ACESSO AOS BENEFÍCIOS DA ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL EDITAL N. 01/2015 Dispõe sobre a concessão de benefícios sociais a alunos do Câmpus Gravataí, mediante a realização de estudo socioeconômico, conforme previsto no Regulamento da Política de Assistência

Leia mais

Número de Identificação do Trabalhador NIT (PIS/Pasep) ou número de inscrição do contribuinte individual / facultativo.

Número de Identificação do Trabalhador NIT (PIS/Pasep) ou número de inscrição do contribuinte individual / facultativo. Previdência social Benefícios Documentação específica, por categoria Contribuinte individual e facultativo auxílio-reclusão Segurado(a) empregado(a) e desempregado(a) auxílio reclusão Empregado(a) doméstico(a)

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO 30/12/2014 11:50:21 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO PORTARIA NORMATIVA Nº 22, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014 Altera dispositivos das Portarias Normativas nº 10, de 30 de abril de 2010, e nº 23, de 10 de novembro de

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS ACEITOS PARA FINS COMPROBATÓRIOS I. DOCUMENTO DE IDENTIFICAÇÃO UM)

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS ACEITOS PARA FINS COMPROBATÓRIOS I. DOCUMENTO DE IDENTIFICAÇÃO UM) PARA ALUNOS EM SITUAÇÃO DE VULNERABILIDADE SOCIOECONÔMICA No ato da apresentação dos documentos comprobatórios obrigatórios deverão ser apresentados os originais e cópias dos mesmos OU cópias autenticadas

Leia mais

MANUAL DO SEGURADO VIDA SIMPLES

MANUAL DO SEGURADO VIDA SIMPLES MANUAL DO SEGURADO VIDA SIMPLES ÍNDICE Manual do Segurado Vida Simples 1. OBJETIVO...3 2. REDE DE DESCONTO EM FARMÁCIAS...3 3. CARTÃO CESTA BÁSICA...4 4. ASSISTÊNCIA FUNERAL...5 4.1 ASSISTÊNCIA FUNERAL

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA COMPROVAÇÃO DE INFORMAÇÕES

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA COMPROVAÇÃO DE INFORMAÇÕES DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA COMPROVAÇÃO DE INFORMAÇÕES Documentação que deve ser apresentada pelo candidato e membros do grupo familiar, quando for o caso, na fase de comprovação de informações. É vedado

Leia mais

1/7. Prof. Wilson Roberto

1/7. Prof. Wilson Roberto 1/7 5. Contrato individual de trabalho: Contribuição Sindical, INSS, Salário-família, IRRF trabalho assalariado, PIS/PASEP, e CAGED Contribuição Sindical A contribuição sindical está prevista nos artigos

Leia mais

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA ABERTURA DE SINISTRO VIAGEM INTERNACIONAL

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA ABERTURA DE SINISTRO VIAGEM INTERNACIONAL DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA ABERTURA DE SINISTRO VIAGEM INTERNACIONAL Prezado(a) cliente: Para nós é importante oferecer a você o apoio necessário neste momento. Ocorrendo um evento coberto, ele deverá

Leia mais

Tem direito aos benefícios previdenciários os BENEFICIÁRIOS, ou seja, todos os segurados e seus dependentes.

Tem direito aos benefícios previdenciários os BENEFICIÁRIOS, ou seja, todos os segurados e seus dependentes. CARTILHA DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO O REGIME GERAL DA PREVIDENCIA SOCIAL É REGIDO PELAS LEIS 8.212 E 8.213/91 E TEM POR FINALIDADE ASSEGURAR À SEUS FILIADOS RECEBER BENEFÍCIOS QUE SUBSTITUAM SUA RENDA.

Leia mais

Assistência Funeral Individual. Condições Gerais. Capítulo I OBJETIVO

Assistência Funeral Individual. Condições Gerais. Capítulo I OBJETIVO Assistência Funeral Individual Condições Gerais Capítulo I OBJETIVO Cláusula 1ª. O Serviço de Assistência Funeral tem como objetivo, a prestação do Serviço de Funeral do Segurado bem como o custeio das

Leia mais

ANEXO II PECÚLIO TAXA MÉDIA - VERSÃO 02

ANEXO II PECÚLIO TAXA MÉDIA - VERSÃO 02 ANEXO II PECÚLIO TAXA MÉDIA - VERSÃO 02 REGULAMENTO PLANO INDIVIDUAL DE PECÚLIO POR MORTE TAXA MÉDIA Processo SUSEP 001-10931/79 GBOEX GRÊMIO BENEFICENTE CNPJ Nº 92.872.1000-0001-26 Associados que ingressaram

Leia mais

Direitos do paciente com câncer

Direitos do paciente com câncer Direitos do paciente com câncer Saque do FGTS O trabalhador com câncer pode realizar o saque do FGTS na fase sintomática da doença, o trabalhador cadastrado no FGTS que tiver neoplasia maligna (câncer)

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL DAP/GEPE/UFF

DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL DAP/GEPE/UFF DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL DAP/GEPE/UFF AGOSTO de 2014 Direção: Marlette Rose Galvão Alves Organograma elaborado com base na Portaria nº 45.242,de 21/07/2011-BS nº 117/2011 Departamento de

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE OCORRÊNCIAS NO SISTEMA GRIFO

ORIENTAÇÕES SOBRE OCORRÊNCIAS NO SISTEMA GRIFO ORIENTAÇÕES SOBRE OCORRÊNCIAS NO SISTEMA GRIFO AS OCORRÊNCIAS PODEM SER INCLUÍDAS PELO MENU FREQUÊNCIA (NO ATALHO DISPONÍVEL NO FINAL NA LINHA DO DIA) OU APENAS PELO MENU OCORRÊNCIA TIPOS DE OCORRÊNCIAS

Leia mais

ACORDO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASIL - JAPÃO

ACORDO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASIL - JAPÃO ACORDO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASIL E JAPÃO 63 ACORDO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASIL - JAPÃO Acordo internacional Brasil/Japão, que foi assinado em 29 de julho de 2010 e entrou em vigor em 1º de março de

Leia mais

Atenção Inscrito - Leia com atenção.

Atenção Inscrito - Leia com atenção. Atenção Inscrito - Leia com atenção. A não entrega da documentação comprobatória correta pode comprometer na sua desclassificação. Será necessário somente aquela documentação que comprove os dados informados

Leia mais

DECLARAÇÃO DE ÓBITO Código de Ética Médica (CEM sendo o seu fornecimento direito inquestionável do paciente A Declaração de óbito (DO),

DECLARAÇÃO DE ÓBITO  Código de Ética Médica (CEM sendo o seu fornecimento direito inquestionável do paciente A Declaração de óbito (DO), 1 DECLARAÇÃO DE ÓBITO Atestado é qualquer declaração efetuada por alguém capacitado por lei, podendo ser documento público ou particular, oficial (requisitado por autoridade judicial) ou oficioso (solicitado

Leia mais

A cremação e suas implicações jurídicas:

A cremação e suas implicações jurídicas: A cremação e suas implicações jurídicas: 1.Introdução e considerações iniciais Tendo em vista a crescente procura pelo serviço de cremação no município do Rio de Janeiro e em todo o Brasil, e o grande

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE BOLSA DE ESTUDO NÃO RESTITUÍVEL (BOLSA FILANTRÓPICA)

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE BOLSA DE ESTUDO NÃO RESTITUÍVEL (BOLSA FILANTRÓPICA) RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE BOLSA DE ESTUDO NÃO RESTITUÍVEL (BOLSA FILANTRÓPICA) 1. INFORMAÇÕES GERAIS 1.1 Será concedida a Bolsa Filantrópica com base nos critérios básicos consignados nos

Leia mais

6Estabilidade. 7Justiça. 8Independência. 9Confidencialidade

6Estabilidade. 7Justiça. 8Independência. 9Confidencialidade Fazer um testamento público 1Harmonia O testamento evita brigas de família e disputas patrimoniais entre os herdeiros acerca dos bens deixados pelo falecido. 2Tranquilidade O testamento pode ser utilizado

Leia mais

anexo 3 Instruções Específicas para os Candidatos às Vagas do Sistema de Cotas

anexo 3 Instruções Específicas para os Candidatos às Vagas do Sistema de Cotas anexo 3 Instruções Específicas para os Candidatos às Vagas do Sistema de Cotas 1. DAS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES 1.1 Para concorrer às vagas reservadas pelo sistema de cotas, o candidato deverá: a) atender

Leia mais

Benefícios Previdenciários do INSS Como são concedidos e calculados. Prof. Hilário Bocchi Júnior hilariojunior@bocchiadvogados.com.

Benefícios Previdenciários do INSS Como são concedidos e calculados. Prof. Hilário Bocchi Júnior hilariojunior@bocchiadvogados.com. Benefícios Previdenciários do INSS Como são concedidos e calculados Prof. Hilário Bocchi Júnior hilariojunior@bocchiadvogados.com.br SEGURIDADE SOCIAL Sistema de Seguridade Social Múltipla filiação Filiação

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO N o 1.744, DE 8 DE DEZEMBRO DE 1995 (Revogado pelo Decreto nº 6.214, de 2007) Texto para impressão Regulamenta o benefício

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS Documentação RELAÇÃO DE DOCUMENTOS Os documentos devem ser enviados pelos pré-selecionados, após a inscrição para a FAEL, no prazo definido no Cronograma do Processo Seletivo do Prouni 2015 (clique aqui

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO D E C Ex D E P A COLÉGIO MILITAR DE JUIZ DE FORA

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO D E C Ex D E P A COLÉGIO MILITAR DE JUIZ DE FORA MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO D E C Ex D E P A COLÉGIO MILITAR DE JUIZ DE FORA EDITAL Nº 01 / 2015 PARA ISENÇÃO DA QUOTA MENSAL ESCOLAR PARA ALUNOS CARENTES O Comandante e Diretor de Ensino

Leia mais

REGULAMENTO DOS SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA FUNERAL Plano Familiar

REGULAMENTO DOS SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA FUNERAL Plano Familiar REGULAMENTO DOS SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA FUNERAL Plano Familiar 1. OBJETIVO 1.1 Prestar o serviço de assistência funeral em caso de morte do participante/segurado, por causas naturais ou acidentais, de

Leia mais

A) MATRÍCULA CONSULAR - (PELA PRIMEIRA VEZ, RENOVAR OU ALTERAR DADOS) GRÁTIS.

A) MATRÍCULA CONSULAR - (PELA PRIMEIRA VEZ, RENOVAR OU ALTERAR DADOS) GRÁTIS. A) MATRÍCULA CONSULAR - (PELA PRIMEIRA VEZ, RENOVAR OU ALTERAR DADOS) GRÁTIS. SOMENTE para brasileiros, de qualquer idade e que resida na área de jurisdição do Consulado. A Matrícula Consular NÃO substitui

Leia mais

PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS- PROUNI PROCESSO SELETIVO PROUNI PARA 2015/2

PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS- PROUNI PROCESSO SELETIVO PROUNI PARA 2015/2 FAHESA - Faculdade de Ciências Humanas, Econômicas e da Saúde de Araguaína ITPAC - INSTITUTO TOCANTINENSE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS LTDA. Av. Filadélfia, 568 Setor Oeste Araguaína TO CEP 77.816-540 Fone:

Leia mais

CPF Cadastro de Pessoas Físicas. Perguntas e Respostas

CPF Cadastro de Pessoas Físicas. Perguntas e Respostas CPF Cadastro de Pessoas Físicas Perguntas e Respostas 1. O QUE É CPF? É um banco de dados gerenciado pela Secretaria da Receita Federal do Brasil - RFB que armazena informações cadastrais de contribuintes

Leia mais

DOCUMENTOS COMPROBATÓRIOS PARA CONCESSÃO DE BOLSA SOCIAL

DOCUMENTOS COMPROBATÓRIOS PARA CONCESSÃO DE BOLSA SOCIAL DOCUMENTOS COMPROBATÓRIOS PARA CONCESSÃO DE BOLSA SOCIAL O responsável legal pelo educando deverá apresentar os documentos abaixo relacionados; de todo os membros do grupo familiar onde o aluno esta inserido,

Leia mais

SEÇÃO III- DO PAGAMENTO DO PECÚLIO SIMPLES Art.10 - O pagamento do Pecúlio Simples será efetuado por uma das formas seguintes :

SEÇÃO III- DO PAGAMENTO DO PECÚLIO SIMPLES Art.10 - O pagamento do Pecúlio Simples será efetuado por uma das formas seguintes : REGULAMENTO PLANO INDIVIDUAL DE PECÚLIO POR MORTE TAXA MÉDIA Processo SUSEP 00.10931/79 GBOEX GRÊMIO BENEFICENTE CNPJ Nº 92.872.1000-0001-26 Associados que ingressaram até 31.12.1996, inclusive. TÍTULO

Leia mais

Para análise do processo, favor proceder conforme as instruções a seguir:

Para análise do processo, favor proceder conforme as instruções a seguir: São Paulo, de de 20. Ref.: Solicitação de Documentos Para análise do processo, favor proceder conforme as instruções a seguir: Aviso de Sinistro: devidamente preenchido e assinado. Formulário de Declaração

Leia mais

REGULAMENTO DE BOLSA DE ESTUDO 2013

REGULAMENTO DE BOLSA DE ESTUDO 2013 REGULAMENTO DE BOLSA DE ESTUDO 2013 CAPÍTULO I - FINALIDADE Art. 1º. O Programa de Bolsa de Estudo Doação, instituído pela Fundação Dom Aguirre, Entidade Mantenedora do Colégio Dom Aguirre, tem como objetivo

Leia mais

PROVIMENTO N 001/2003 CGJ

PROVIMENTO N 001/2003 CGJ PROVIMENTO N 001/2003 CGJ Estabelece normas de serviço acerca dos Procedimentos de Registro de Nascimento, Casamento e Óbito de Brasileiros ocorridos em País Estrangeiro, bem como o traslado das certidões

Leia mais

DOCUMENTOS QUE DEVEM SER APRESENTADOS NO MOMENTO DA COMPROVAÇÃO DE INFORMAÇÕES PELO CANDIDATO OU MEMBRO DO GRUPO FAMILIAR 1.

DOCUMENTOS QUE DEVEM SER APRESENTADOS NO MOMENTO DA COMPROVAÇÃO DE INFORMAÇÕES PELO CANDIDATO OU MEMBRO DO GRUPO FAMILIAR 1. DOCUMENTOS QUE DEVEM SER APRESENTADOS NO MOMENTO DA COMPROVAÇÃO DE INFORMAÇÕES PELO CANDIDATO OU MEMBRO DO GRUPO FAMILIAR 1. A documentação deve estar completa e ser apresentada na ordem descrita abaixo.

Leia mais

FUNERAL CARTA DE SERVIÇOS AO SERVIDOR POLÍCIA FEDERAL

FUNERAL CARTA DE SERVIÇOS AO SERVIDOR POLÍCIA FEDERAL 8AUXÍLIO FUNERAL CARTA DE SERVIÇOS AO SERVIDOR POLÍCIA FEDERAL CARTA DE SERVIÇOS A Carta de Serviços é uma ferramenta de gestão criada pelo Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização GesPública.

Leia mais

DOCUMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO DO ESTUDANTE E DOS MEMBROS DE SEU GRUPO FAMILIAR

DOCUMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO DO ESTUDANTE E DOS MEMBROS DE SEU GRUPO FAMILIAR DOCUMENTAÇÃO APRESENTADA PELO ESTUDANTE Após concluir sua inscrição no SisFIES, o estudante deverá procurar a Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) em sua instituição de ensino e validar

Leia mais

Documentação - PROUNI

Documentação - PROUNI Documentação - PROUNI Documentação que deve ser apresentada (original e fotocópia), do candidato e membros do grupo familiar, quando for o caso, na Fase de Comprovação de Informações: Documento de identificação

Leia mais

MANUAL do SEGURAdo AcidENtES pessoais

MANUAL do SEGURAdo AcidENtES pessoais MANUAL do SEGURadO Acidentes pessoais ÍNDICE Manual do Segurado Acidentes Pessoais 1. Objetivo...3 2. Assistência Funeral Individual...3 3. Canais de Atendimento...7 2 Manual do Segurado (SulAmérica Acidentes

Leia mais

RELATÓRIO. - COLAP - Comissão Nacional de Acompanhamento e Controle Social PROUNI 2013.1

RELATÓRIO. - COLAP - Comissão Nacional de Acompanhamento e Controle Social PROUNI 2013.1 RELATÓRIO - COLAP - Comissão Nacional de Acompanhamento e Controle Social PROUNI 2013.1 Ata de Reunião Aos dezessete de maio de dois mil e doze, realizou-se reunião da Comissão de Acompanhamento e Controle

Leia mais

ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA (ELA)

ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA (ELA) ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA (ELA) Recebi o diagnóstico de ELA e agora? Orientações básicas sobre direitos previdenciários Esta cartilha surgiu com a intenção de esclarecer dúvidas frequentes, quando

Leia mais

EDITAL - BOLSA DE ESTUDO ENSINO MÉDIO E SUPERIOR

EDITAL - BOLSA DE ESTUDO ENSINO MÉDIO E SUPERIOR EDITAL - BOLSA DE ESTUDO ENSINO MÉDIO E SUPERIOR Inscrições disponíveis no site da Prefeitura Municipal de Joinville Entrega de formulário preenchido e documentação exigida: Servidores Lotados nas demais

Leia mais

Inscrição de dependente em assentamentos funcionais. Referência: Processo Administrativo nº 10530.001247/2009-55

Inscrição de dependente em assentamentos funcionais. Referência: Processo Administrativo nº 10530.001247/2009-55 Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Recursos Humanos Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais Coordenação-Geral de Elaboração, Sistematização e Aplicação das Normas NOTA

Leia mais

ANEXO I DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS NA CPSA 1. IDENTIFICAÇÃO DO ESTUDANTE E DOS MEMBROS DO SEU GRUPO FAMILIAR

ANEXO I DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS NA CPSA 1. IDENTIFICAÇÃO DO ESTUDANTE E DOS MEMBROS DO SEU GRUPO FAMILIAR ANEXO I DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS NA CPSA 1. IDENTIFICAÇÃO DO ESTUDANTE E DOS MEMBROS DO SEU GRUPO FAMILIAR - Carteira de Identidade fornecida pelos órgãos de segurança pública das Unidades da Federação;

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO 1. AÇÃO DE PENSÃO ALIMENTÍCIA

DOCUMENTAÇÃO 1. AÇÃO DE PENSÃO ALIMENTÍCIA A Faculdade de Ensino Superior de Floriano - FAESF trabalhando para você ter Direito e Cidadania traz a JUSTIÇA ITINERANTE para Floriano e região, em convênio com o Tribunal de Justiça e a Defensoria Pública.

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO REGULAMENTO DO ESTATUTO

ASSOCIAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO REGULAMENTO DO ESTATUTO ASSOCIAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO REGULAMENTO DO ESTATUTO TÍTULO I DOS ASSOCIADOS Art.1º. Os associados distribuem-se pelas seguintes categorias: I - fundadores:

Leia mais

Decreto Nº 46.651, de 21 DE NOVEMBRO de 2014

Decreto Nº 46.651, de 21 DE NOVEMBRO de 2014 Decreto Nº 46.651, de 21 DE NOVEMBRO de 2014 Dispõe sobre os critérios para inscrição de beneficiários no Instituto de Previdência dos Servidores Militares do Estado de Minas Gerais e dá outras providências.

Leia mais