VISTO GOLD REGIME JURÍDICO DA AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VISTO GOLD REGIME JURÍDICO DA AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL"

Transcrição

1 VISTO GOLD

2 VISTO GOLD REGIME JURÍDICO DA AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL

3 Visto Gold: INTRODUÇÃO Regime criado em 2012 para potenciar a captação de investimento estrangeiro. Destina-se a estrangeiros que pretendam investir em Portugal através de: Transferência de capitais; Criação de postos de trabalho; Aquisição de imóveis; Principais vantagens: A dispensa da obtenção prévia de um visto de residência; A diminuição dos períodos mínimos obrigatórios de permanência em Portugal; A livre circulação em todo o Espaço Schengen.

4 Visto Gold: REQUISITOS GERAIS O investimento deverá ser mantido por um período mínimo de cinco anos. O investimento poderá ser feito: A título pessoal, pelo requerente do visto gold; ou Através de sociedade comercial unipessoal por quotas com sede em Portugal ou na União Europeia e com estabelecimento estável em Portugal

5 Visto Gold: MODALIDADES DE INVESTIMENTO Transferência de capitais no montante igual ou superior a um milhão de euros através de aplicações financeiras, aquisição de ações ou quotas de sociedades; Criação de no mínimo dez postos de trabalho inscritos na Segurança Social Portuguesa; Aquisição de bens imóveis de valor igual ou superior a 500 mil euros (ou 400 mil euros caso o imóvel esteja numa zona de baixa densidade populacional); Aquisição de bens imóveis construídos há pelo menos 30 anos ou localizados em área de reabilitação urbana, e a realização de obras de reabilitação dos mesmos com custo total (aquisição + obras) igual ou superior a 350 mil euros (ou 280 mil euros, em zonas de baixa densidade populacional);

6 Visto Gold: MODALIDADES DE INVESTIMENTO Transferência de capitais em montante igual ou superior a 350 mil euros para aplicação em atividades de investigação científica desenvolvidas por instituições públicas ou privadas integradas no sistema científico e tecnológico nacional; Transferência de capitais no montante igual ou superior a 250 mil euros para apoio à produção artística, recuperação ou manutenção do património cultural nacional; Transferência de capitais em montante igual ou superior a 500 mil euros para aquisição de unidades de participação em fundos de investimento ou de capital de risco para a capitalização de pequenas e médias empresas.

7 Visto Gold: INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO O investidor que optar pelo investimento no imobiliário pode: Adquirir os bens imóveis em regime de compropriedade, desde que cada comproprietário invista um valor igual ou superior a 500 mil euros (350 mil euros, no caso de reabilitação); Adquirir os bens imóveis através de contrato promessa de compra e venda, com pagamento de sinal de valor igual ou superior a 500 mil euros, devendo a escritura definitiva ser apresentada antes do segundo pedido de renovação do visto gold; Onerar os bens imóveis a partir de um valor superior a 500 mil euros ou 350 mil euros, no caso de reabilitação; Alugar os imóveis ou explorá-los para fins comerciais, agrícolas ou turísticos

8 Visto Gold: PERIODOS DE PERMANÊNCIA E RENOVAÇÕES Duração inicial de 1 (um) ano, podendo o titular requerer a sua renovação por períodos sucessivos de 2 (dois) anos. Para as renovações o Requerente deverá demonstrar ter cumprido os seguintes requisitos mínimos de permanência em território português: Sete dias, seguidos ou interpolados, no primeiro ano de duração do visto gold; e Catorze dias, seguidos ou interpolados, nos subsequentes períodos de dois anos. Após 5 anos de titularidade de visto gold o titular poderá requerer a Autorização de Residência Permanente. A titularidade de um visto gold permite o acesso à nacionalidade Portuguesa, nos termos da legislação em vigor.

9 Visto Gold: REAGRUPAMENTO FAMILIAR Os membros da família do titular, que se encontrem na sua dependência, podem requerer o visto gold. O titular do visto gold tem direito ao reagrupamento familiar dos membros da família que: Estejam fora do território português; Tenham vivido com o titular do visto gold noutro país; Dependam ou coabitem com o titular do visto gold, independentemente dos laços familiares serem anteriores ou posteriores à entrada do titular em Portugal.

10 Visto Gold: REAGRUPAMENTO FAMILIAR Consideram-se membros da família do titular do visto gold: Cônjuge; Filhos menores ou incapazes a cargo do casal ou de um dos cônjuges; Menores adotados, nos termos da legislação portuguesa; Filhos maiores que sejam solteiros e estudantes, independentemente do país onde se situa a instituição de ensino; Ascendentes em linha reta e em primeiro grau, desde que sejam dependentes; Irmãos menores sob tutela do titular do visto gold, nos termos da legislação portuguesa.

11 Visto Gold: REAGRUPAMENTO FAMILIAR O direito ao reagrupamento familiar poderá ser extensível a: Pessoa que mantenha com o titular do visto gold uma união estável de fato, devidamente comprovada, nos termos da legislação aplicável. Filhos solteiros, menores ou incapazes, incluindo os filhos adotados do parceiro de fato, desde que estes lhe estejam legalmente confiados.

12 Visto Gold: TAXAS 517,40 EUR: Recepção e análise do pedido de concessão ou renovação de cada visto 80,60 EUR: Recepção e análise do pedido de concessão ou renovação de cada visto no âmbito do reagrupamento familiar 5.173,60 EUR: Emissão de cada título de visto gold 2.586,80 EUR: Emissão de cada título do visto gold nas subsequentes renovações Estes valores estão sujeitos a atualizações anuais

13 Visto Gold: PRAZO PARA CONCESSÃO DO VISTO O prazo médio para a concessão do visto gold, atualmente, não é menor que 10 (dez) meses, dependendo do volume de processos existentes no SEF.

14 Visto Gold: O SUCESSO DO VISTO GOLD Desde o início do regime do visto gold em 2012, foram concedidos mais de 3700 vistos, e o total dos investimentos realizados superou os 2 mil milhões de euros apenas na compra de imóveis.

15 OBRIGADA Contatos: Tel:

16 LISBOA FUNCHAL LUANDA MAPUTO

VISTO GOLD REGIME JURÍDICO DA AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ACTIVIDADE DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL

VISTO GOLD REGIME JURÍDICO DA AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ACTIVIDADE DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL VISTO GOLD VISTO GOLD REGIME JURÍDICO DA AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ACTIVIDADE DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL SUMÁRIO A. INTRODUÇÃO B. PORQUÊ PORTUGAL? C. O VISTO GOLD 1. REQUISITOS GERAIS DA ATIVIDADE

Leia mais

AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO (ARI) PERGUNTAS MAIS FREQUENTES

AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO (ARI) PERGUNTAS MAIS FREQUENTES AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO (ARI) PERGUNTAS MAIS FREQUENTES 1. O que é o regime especial de Autorização de Residência para Atividade de Investimento (ARI)? O regime de ARI

Leia mais

Constituição de Empresa em Portugal por cidadãos de países terceiros à UE e aspetos de permanência em território nacional

Constituição de Empresa em Portugal por cidadãos de países terceiros à UE e aspetos de permanência em território nacional Constituição de Empresa em Portugal por cidadãos de países terceiros à UE e aspetos de permanência em território nacional O princípio que norteia o quadro normativo português é o da não discriminação do

Leia mais

Santana Lopes, Castro, Vieira, Teles, Silva Lopes, Calado, Cardoso & Associados R. L. Rua Castilho, n.º 67-2º andar * Lisboa Tel:

Santana Lopes, Castro, Vieira, Teles, Silva Lopes, Calado, Cardoso & Associados R. L. Rua Castilho, n.º 67-2º andar * Lisboa Tel: A Global Lawyers, Santana Lopes, Castro, Vieira, Teles, Silva Lopes, Calado, Cardoso & Associados Sociedade de Advogados, R. L. resulta da fusão de vontades de vários profissionais com vasto curriculum

Leia mais

'VISTO GOLD' ou 'GOLDEN VISA'

'VISTO GOLD' ou 'GOLDEN VISA' 'VISTO GOLD' ou 'GOLDEN VISA' 1) A QUEM SE APLICA? A pessoas singulares que exerçam uma actividade de investimento, pessoalmente ou através de uma sociedade, que não sejam cidadãos de território da União

Leia mais

PORTUGAL COMO PLATAFORMA DE INVESTIMENTO

PORTUGAL COMO PLATAFORMA DE INVESTIMENTO PORTUGAL COMO PLATAFORMA DE INVESTIMENTO 9-5-2017 PORTUGAL COMO PLATAFORMA DE INVESTIMENTO Vasta Rede de Acórdos de Dupla Tributação 8 Regime dos residentes não habituais 1 Regime dos vistos dourados (golden

Leia mais

GOLDEN VISA 7 PERGUNTAS

GOLDEN VISA 7 PERGUNTAS www.cameiralegal.com Lisbon London Brasília São Paulo Rio de Janeiro Hong Kong Beijing Shangai GOLDEN VISA 7 PERGUNTAS ESSENCIAIS SOBRE UM INVESTIMENTO INTELIGENTE 2016 1 - O que é o regime Golden Visa?

Leia mais

Flash News. Dinis Lucas e Almeida Santos Sociedade de Advogados RL. ARI / Golden Visa NOVAS REGRAS

Flash News. Dinis Lucas e Almeida Santos Sociedade de Advogados RL. ARI / Golden Visa NOVAS REGRAS Flash News Dinis Lucas e Almeida Santos Sociedade de Advogados RL Boutique law firm geral@dlas.pt www.dlas.com.pt 217 816 010 961 277 028 Av. Republica nº 50 7-A 1050-196 Lisboa ARI / Golden Visa NOVAS

Leia mais

VISTOS GOLD NOVAS MODALIDADES ENTRAM. Novas modalidades: EM FUNCIONAMENTO

VISTOS GOLD NOVAS MODALIDADES ENTRAM. Novas modalidades: EM FUNCIONAMENTO VISTOS GOLD NOVAS MODALIDADES ENTRAM EM FUNCIONAMENTO Podem ser atribuídas Autorizações de Residência para Investimento a cidadãos de Estados terceiros i.e., que não pertençam ao Espaço Schengen, que exerçam

Leia mais

GOLDEN VISA E CIDADANIA EUROPEIA. Portugal

GOLDEN VISA E CIDADANIA EUROPEIA. Portugal GOLDEN VISA E CIDADANIA EUROPEIA Portugal Introdução O que é um Golden Visa? É o nome dado para o programa de residência portuguesa. Majoritariamente focado em propriedades, permite que cidadãos não europeus

Leia mais

OBJECTIVOS. Elencar (a principal) legislação existente em matéria de obtenção de autorização de residência para atividade de investimento (ARI);

OBJECTIVOS. Elencar (a principal) legislação existente em matéria de obtenção de autorização de residência para atividade de investimento (ARI); ARI Pretende-se com o presente ação: OBJECTIVOS Elencar (a principal) legislação existente em matéria de obtenção de autorização de residência para atividade de investimento (ARI); Destacar as valências,

Leia mais

AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO (ARI) PERGUNTAS MAIS FREQUENTES

AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO (ARI) PERGUNTAS MAIS FREQUENTES AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO (ARI) PERGUNTAS MAIS FREQUENTES 1. O que é o regime especial de Autorização de Residência para Atividade de Investimento (ARI)? O regime de ARI

Leia mais

Reagrupamento familiar 61

Reagrupamento familiar 61 Reagrupamento familiar 61 INTRODUÇÃO Este capítulo visa informar todos aqueles que, residindo legalmente em Portugal, pretendam trazer para território nacional um ou mais membros da sua família. O Reagrupamento

Leia mais

Doing Business with Brazil : Investimentos em Portugal: Aspectos tributários

Doing Business with Brazil : Investimentos em Portugal: Aspectos tributários Doing Business with Brazil : Investimentos em Portugal: Aspectos tributários Sumário 1. Condições favoráveis ao aumento do investimento externo em Portugal 2. Principais Incentivos Fiscais ao Investimento

Leia mais

El Salvador Atualizado em:

El Salvador Atualizado em: SEGURANÇA SOCIAL El Salvador Atualizado em: 12-11-2015 Esta informação destina-se a que cidadãos Pessoas que estejam ou tenham estado sujeitas à legislação de Portugal ou de El Salvador, referida no separador

Leia mais

Visto de Curta Duração: Visita Familiar: ( Todas as traduções tem que ser para português ou inglês, autenticadas no notário):

Visto de Curta Duração: Visita Familiar: ( Todas as traduções tem que ser para português ou inglês, autenticadas no notário): Visto de Curta Duração: Visita Familiar: ( Todas as traduções tem que ser para português ou inglês, autenticadas no notário): 1) Convite com termo de responsabilidade (incluindo despesas de alojamento,

Leia mais

na Europa e em África

na Europa e em África LISBOA PORTO FUNCHAL SÃO PAULO LUANDA MAPUTO PRAIA MACAU DILI SÃO TOMÉ PEQUIM SHANGAI Portugal: plataforma de investimento na Europa e África Rogério M. Fernandes Ferreira (rff@rffadvogados.pt rff@rffadvogados.pt)

Leia mais

CONSULADO-GERAL DE PORTUGAL EM MAPUTO

CONSULADO-GERAL DE PORTUGAL EM MAPUTO CONSULADO-GERAL DE PORTUGAL EM MAPUTO 5.MAIO.2017 CESSAÇÃO DA EMISSÃO DE VISTOS SCHENGEN A CIDADÃOS DE ESTADOS-MEMBROS DO ESPAÇO SCHENGEN DETENTORES DE DUPLA NACIONALIDADE (MOÇAMBICANA OU OUTRA) PROCEDIMENTOS

Leia mais

Códigos Tributários ª Edição. Errata

Códigos Tributários ª Edição. Errata Códigos Tributários 2013 6ª Edição Errata 1 CÓDIGOS TRIBUTÁRIOS UNIVERSITÁRIO Errata ORGANIZAÇÃO BDJUR BASE DE DADOS JURÍDICA EDITOR EDIÇÕES ALMEDINA, S.A. Rua Fernandes Tomás nºs 76, 78, 80 3000-167 Coimbra

Leia mais

Vistos Gold As Novas Regras das Autorizações de Residência para Investidores

Vistos Gold As Novas Regras das Autorizações de Residência para Investidores COELHO RIBEIRO E ASSOCIADOS SOCIEDADE CIVIL DE ADVOGADOS Vistos Gold As Novas Regras das Autorizações de Residência para Investidores CRA Coelho Ribeiro e Associados, SCARL Luís Moreira Cortez Teresa Fanico

Leia mais

GOLDEN VISA Junho 2013 AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA ATRAVÉS DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL

GOLDEN VISA Junho 2013 AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA ATRAVÉS DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL GOLDEN VISA Junho 2013 AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA ATRAVÉS DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL Portugal já está a atribuir os Golden Residence Permit a cidadãos não- Europeus no caso de realização de determinados

Leia mais

ATRAIR INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PARA PORTUGAL

ATRAIR INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PARA PORTUGAL ATRAIR INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PARA PORTUGAL Os regimes dos Golden Visa e dos Residentes Não Habituais Enquadramento legal António Raposo Subtil / João Ricardo Nóbrega (Managing Partners RSA) ENQUADRAMENTO

Leia mais

Ficha de Informação Normalizada para Depósitos Depósitos à ordem

Ficha de Informação Normalizada para Depósitos Depósitos à ordem Designação Condições de Acesso Modalidade Meios de Movimentação Conta Depósitos à Ordem Particulares Clientes Particulares, maiores de 18 anos Depósito à Ordem. Esta conta pode ser movimentada através

Leia mais

REGIME AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA INVESTIMENTO

REGIME AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA INVESTIMENTO REGIME AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA INVESTIMENTO Despacho n.º 1661-A/2013, de 28 de janeiro de 2013 A Lei n.º 29/2012, de 9 de agosto, que alterou a Lei n.º 23/2007, de 4 de julho, que aprova o regime

Leia mais

PRINCIPAIS BENEFÍCIOS FISCAIS DE INCENTIVO À REABILITAÇÃO URBANA 2014

PRINCIPAIS BENEFÍCIOS FISCAIS DE INCENTIVO À REABILITAÇÃO URBANA 2014 PRINCIPAIS BENEFÍCIOS FISCAIS DE INCENTIVO À REABILITAÇÃO URBANA 2014 LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA E ENQUADRAMENTO A leitura da presente informação não dispensa a consulta da legislação em vigor Estatuto dos

Leia mais

Golden Residence Permit Program BES IMÓVEIS AREA GESTÃO IMOBILIÁRIA

Golden Residence Permit Program BES IMÓVEIS AREA GESTÃO IMOBILIÁRIA Golden Residence Permit Program BES IMÓVEIS AREA GESTÃO IMOBILIÁRIA Em que consiste, razões para a existência do programa e benefício principal Quem pode beneficiar do programa Como beneficiar do programa

Leia mais

GOLDEN VISA. Autorização de Residência INFORMAÇÃO LEGAL I. AUTORIZAÇÃ O DE RESIDÊNCIA PARA INVESTIDORES ESTRANGEIROS

GOLDEN VISA. Autorização de Residência INFORMAÇÃO LEGAL I. AUTORIZAÇÃ O DE RESIDÊNCIA PARA INVESTIDORES ESTRANGEIROS INFORMAÇÃO LEGAL GOLDEN VISA I. AUTORIZAÇÃ O DE RESIDÊNCIA PARA INVESTIDORES ESTRANGEIROS As disposições legais em vigor admitem a possibilidade de cidadãos estrangeiros não residentes na União Europeia

Leia mais

ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS E ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DO REQUERIMENTO

ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS E ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DO REQUERIMENTO ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS E ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DO REQUERIMENTO O requerimento deve ser preenchido manualmente. Para este efeito utilize o

Leia mais

REGULAMENTO ASSISTÊNCIA MÉDICA DO SINDICATO DOS FUNCIONÁRIOS JUDICIAIS

REGULAMENTO ASSISTÊNCIA MÉDICA DO SINDICATO DOS FUNCIONÁRIOS JUDICIAIS REGULAMENTO DA ASSISTÊNCIA MÉDICA DO SINDICATO DOS FUNCIONÁRIOS JUDICIAIS I ASSISTÊNCIA MÉDICA DO SFJ Missão: Facultar aos seus beneficiários o acesso, em condições vantajosas, a um conjunto de serviços

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS RELATIVO À AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA INVESTIMENTO (ARI)

MANUAL DE PROCEDIMENTOS RELATIVO À AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA INVESTIMENTO (ARI) MANUAL DE PROCEDIMENTOS RELATIVO À AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA INVESTIMENTO (ARI) Índice Índice... 2 Glossário... 4 Introdução... 5 1. Organização do Processo... 6 1.1. Requerimento Inicial... 6 1.1.1.

Leia mais

Condições Particulares do Distribuidor Banco de Investimento Global, S.A. DB PLATINUM IV - MARÇO

Condições Particulares do Distribuidor Banco de Investimento Global, S.A. DB PLATINUM IV - MARÇO Condições Particulares do Distribuidor Banco de Investimento Global, S.A. DB PLATINUM IV - MARÇO 2014 - Identificação do Distribuidor O Banco de Investimento Global (de ora em diante o Distribuidor ),

Leia mais

AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ACTIVIDADE DE INVESTIMENTO (ARI)

AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ACTIVIDADE DE INVESTIMENTO (ARI) AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ACTIVIDADE DE INVESTIMENTO (ARI) 投 资 与 移 民 门 道 是 专 门 提 供 投 资 与 移 民 服 务 的 独 立 咨 询 机 构 我 们 的 多 学 科 团 队 精 心 研 究, 旨 在 为 客 户 提 供 最 佳 的 商 业 战 略 和 国 际 投 资 方 案 INVESTIMENTO E EMIGRAÇÃO

Leia mais

GUIA INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO EM PORTUGAL

GUIA INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO EM PORTUGAL GUIA INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO EM PORTUGAL 1. PORQUÊ PORTUGAL?..................................... 04 2. O MERCADO IMOBILIÁRIO NACIONAL....................... 07 3. AQUISIÇÃO DE IMÓVEIS...................................

Leia mais

Lisboa, 25 de novembro de 2011

Lisboa, 25 de novembro de 2011 Lisboa, 25 de novembro de 2011 A reabilitação urbana constitui um fator essencial no desenvolvimento do setor do turismo, enquanto elemento integrante da nossa oferta turística A regeneração urbana estabelece

Leia mais

CARTA DE CAÇADOR. A carta de caçador pode ser emitida a favor dos requerentes que reunam simultaneamente as seguintes condições :

CARTA DE CAÇADOR. A carta de caçador pode ser emitida a favor dos requerentes que reunam simultaneamente as seguintes condições : CARTA DE CAÇADOR INDÍCE Requisitos para obter carta de caçador Especificações Validade Concessão, renovação, 2.ºs vias e alteração de dados Quando requerer Renovação de cartas de caçador emitidas antes

Leia mais

Artigo 2º Conceito de Estudante Internacional 1. É estudante internacional o estudante que não tem nacionalidade portuguesa.

Artigo 2º Conceito de Estudante Internacional 1. É estudante internacional o estudante que não tem nacionalidade portuguesa. Artigo 1º Objetivo e âmbito de aplicação O presente regulamento tem como objetivo dar cumprimento ao artigo 14º do Decreto-Lei nº 36/2014, de 10 março e aplica-se exclusivamente aos estudantes internacionais

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DE EMPRESAS

CONSTITUIÇÃO DE EMPRESAS 1 INVESTIR EM CABO VERDE CONSTITUIÇÃO DE EMPRESAS Os investidores estrangeiros são autorizados a criar empresas 100% privado, excepto no sector das pescas onde se exige uma participação mínima de 51% de

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL EXERCITO PORTUGUÊS DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS DE PESSOAL REPARTIÇÃO DE APOIO SOCIAL

MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL EXERCITO PORTUGUÊS DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS DE PESSOAL REPARTIÇÃO DE APOIO SOCIAL MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL EXERCITO PORTUGUÊS DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS DE PESSOAL REPARTIÇÃO DE APOIO SOCIAL BENEFICIÁRIOS Militar QP (Activo, Reserva, Reforma) ou RV/RC ou Aluno/Cadete de estabelecimento

Leia mais

PDR Jovens Agricultores Investimentos na Exploração Agrícola

PDR Jovens Agricultores Investimentos na Exploração Agrícola PDR 2014-2020 Jovens Agricultores + 3.2 - Investimentos na Exploração Agrícola PSZ CONSULTING 2015 Índice Índice... 1 1 Prémio aos Jovens Agricultores... 2 1.1 Enquadramento... 2 1.2 Beneficiários... 2

Leia mais

Golden Visa em. Portugal

Golden Visa em. Portugal Golden Visa em Portugal Visa Golden Em Portugal Para quem está interessado em obter uma autorização de residência na União Europeia (Schengen) durante a execução, ao mesmo tempo, um investimento rentável.

Leia mais

VISTO DE ESTADA TEMPORÁRIA: Intercâmbio de Estudantes, Estágio Profissional e Voluntariado

VISTO DE ESTADA TEMPORÁRIA: Intercâmbio de Estudantes, Estágio Profissional e Voluntariado VISTO DE ESTADA TEMPORÁRIA: Intercâmbio de Estudantes, Estágio Profissional e Voluntariado Documentação do Requerente Formulário de pedido de visto devidamente preenchido online (www.cgportugalemluanda.com)

Leia mais

Ficha de Informação Normalizada para Depósitos Depósitos à ordem

Ficha de Informação Normalizada para Depósitos Depósitos à ordem Designação Condições de Acesso Modalidade Meios de Movimentação Conta Depósitos à Ordem Particulares Clientes Particulares, maiores de 18 anos Depósito à Ordem. Esta conta pode ser movimentada através

Leia mais

REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL E ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS

REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL E ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL E ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO O requerimento deve ser preenchido manualmente.

Leia mais

FISCALIDADE DE EMPRESA II

FISCALIDADE DE EMPRESA II FISCALIDADE DE EMPRESA II Questionário Ano 2006 Carlos Manuel Freitas Lázaro 1 1. É tributado como rendimento da categoria B: A) A indemnização paga pela companhia de seguros a empresário em nome individual,

Leia mais

COMPRANDO IMÓVEIS EM PORTUGAL

COMPRANDO IMÓVEIS EM PORTUGAL COMPRANDO IMÓVEIS EM PORTUGAL Aspectos Jurídicos e Tributários ESPECIALISTA IMOBILÁRIO EUROPEU Comprar imóveis em Portugal é um processo relativamente simples e direto. Quando comparada a alguns dos países

Leia mais

ATRAIR INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PARA PORTUGAL OS REGIMES DOS GOLDEN VISA E DOS RESIDENTES NÃO HABITUAIS

ATRAIR INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PARA PORTUGAL OS REGIMES DOS GOLDEN VISA E DOS RESIDENTES NÃO HABITUAIS ATRAIR INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PARA PORTUGAL OS REGIMES DOS GOLDEN VISA E DOS RESIDENTES NÃO HABITUAIS ENQUADRAMENTO LEGAL Fontes utilizadas: www.sef.pt; www.portugal.gov.pt ENQUADRAMENTO LEGAL A autorização

Leia mais

Ministério do Comércio

Ministério do Comércio Ministério do Comércio Comércio precário Decreto Executivo n. 43/00 de 2 de Junho O Decreto n.º 29, de 2 de Junho de 2000, estabelece o comércio precário como uma das modalidades do exercício da actividade

Leia mais

PPR ÚNICO - 3ª Série. Ficha de Produto. Plano Poupança Reforma

PPR ÚNICO - 3ª Série. Ficha de Produto. Plano Poupança Reforma Plano Poupança Reforma Tipo de Cliente Particulares, Profissionais Liberais e Empresas. Descrição O PPR Único - 3ª Série é um Plano de Poupança Reforma, que se destina a fomentar poupanças para constituição

Leia mais

REGIME DO SUBSÍDIO POR MORTE DOS FUNCIONÁRIOS E AGENTES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (DECRETO-LEI N.º 223/95, DE 8 DE SETEMBRO)

REGIME DO SUBSÍDIO POR MORTE DOS FUNCIONÁRIOS E AGENTES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (DECRETO-LEI N.º 223/95, DE 8 DE SETEMBRO) REGIME DO SUBSÍDIO POR MORTE DOS FUNCIONÁRIOS E AGENTES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (DECRETO-LEI N.º 223/95, DE 8 DE SETEMBRO) Atualizado pela última vez em 6 de março de 2014 Decreto-Lei n.º 223/95, de 8

Leia mais

Concurso especial de acesso e ingresso do estudante internacional na Universidade dos Açores

Concurso especial de acesso e ingresso do estudante internacional na Universidade dos Açores EDITAL Concurso especial de acesso e ingresso do estudante internacional na Universidade dos Açores 2016-2017 Nos termos do Decreto-lei n.º 36/2014, de 10 de março, alterado pelo Decreto-Lei, n.º 113/2014,

Leia mais

Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo Para o Ensino Superior. Aprovado após deliberação em reunião de Câmara de dia 16 de Dezembro de 2009

Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo Para o Ensino Superior. Aprovado após deliberação em reunião de Câmara de dia 16 de Dezembro de 2009 Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo Para o Ensino Superior Aprovado após deliberação em reunião de Câmara de dia 16 de Dezembro de 2009 Beja, 2009 Artigo 1º Objecto O presente regulamento estabelece

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO DO ESTUDANTE INTERNACIONAL NA ESCOLA SUPERIOR ARTÍSTICA DO PORTO (ESAP)

REGULAMENTO DO CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO DO ESTUDANTE INTERNACIONAL NA ESCOLA SUPERIOR ARTÍSTICA DO PORTO (ESAP) REGULAMENTO DO CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO DO ESTUDANTE INTERNACIONAL NA ESCOLA SUPERIOR ARTÍSTICA DO PORTO (ESAP) Artigo 1º Objeto O presente regulamento disciplina o concurso especial de acesso

Leia mais

REGULAMENTO PARA A ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E.A.S.S.

REGULAMENTO PARA A ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E.A.S.S. REGULAMENTO PARA A ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E.A.S.S. Artigo 1.º Objeto e âmbito 1. O presente regulamento define o processo de atribuição de bolsas de estudo pela Família Soares dos Santos para a

Leia mais

Acordo sobre a Concessão de Visto para Estudantes Nacionais dos Estados membros da CPLP

Acordo sobre a Concessão de Visto para Estudantes Nacionais dos Estados membros da CPLP Acordo sobre a Concessão de Visto para Estudantes Nacionais dos Estados membros da CPLP e-mail: geral@info-angola.com portal: www.info-angola.com Página 1 / 5 Considerando que um dos principais objectivos

Leia mais

Critérios de constituição de turmas para o ano letivo 2013/2014

Critérios de constituição de turmas para o ano letivo 2013/2014 Critérios de constituição de turmas para o ano letivo 2013/2014 A constituição de turmas dos alunos do ensino diurno que ingressem pela primeira vez na Escola far-se-á de acordo com o determinado no Despacho

Leia mais

Mercados. informação regulamentar. Guiné Equatorial Condições Legais de Acesso ao Mercado

Mercados. informação regulamentar. Guiné Equatorial Condições Legais de Acesso ao Mercado Mercados informação regulamentar Guiné Equatorial Condições Legais de Acesso ao Mercado Janeiro 2010 Aicep Portugal Global Índice 1. Regime Geral de Importação 3 2. Regime de Investimento Estrangeiro 4

Leia mais

Informação jurídica. Assunto: Registo de hóspedes. Questões:

Informação jurídica. Assunto: Registo de hóspedes. Questões: Informação jurídica Assunto: Registo de hóspedes Questões: 1- Há alguma lei que obrigue os estabelecimentos hoteleiros a procederem ao registo dos hóspedes estrangeiros? Relativamente a hóspedes estrangeiros,

Leia mais

1. CONTAS DE DEPÓSITO (PARTICULARES) (ÍNDICE)

1. CONTAS DE DEPÓSITO (PARTICULARES) (ÍNDICE) 1.1. Depósitos à ordem 1. Comissão de gestão/manutenção de conta Conta NB 100% (clientes particulares residentes e não residentes, maiores de 18 anos). Conta NB 100% 55+ (clientes particulares residentes

Leia mais

F-1 L-1 E-2 H-1B EB-5 PENSANDO ALÉM. Comparativo de Vistos para os Estados Unidos. Visto de Trabalho. Visto de Estudante.

F-1 L-1 E-2 H-1B EB-5 PENSANDO ALÉM. Comparativo de Vistos para os Estados Unidos. Visto de Trabalho. Visto de Estudante. PENSANDO ALÉM F-1 H-1B Visto de Estudante EB-5 Visto de Trabalho L-1 Green Card E-2 Visto de Executivo Visto de Investidor PENSANDO ALÉM P-1 P-3 Visto para Atletas Reconhecidos Internacionalmente Visto

Leia mais

PAECPE (PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO)

PAECPE (PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO) PAECPE (PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO) Condições de Acesso (Portaria n.º 985/2009 de 4 de Setembro) 0 PAECPE (PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO

Leia mais

Regime Fiscal do Investidor Residente Não Habitual

Regime Fiscal do Investidor Residente Não Habitual Regime Fiscal do Investidor Residente Não Habitual Este regime foi aprovado em 2009 pelo Decreto-Lei n.º 249/2009, de 23 de Setembro. Trata-se dum regime especial de tributação de rendimentos, com múltiplos

Leia mais

1 P. Descarregue gratuitamente actualizações online em Fiscal Col. Legislação ( ).

1 P. Descarregue gratuitamente actualizações online em  Fiscal Col. Legislação ( ). Porquê as actualizações aos livros da COLECÇÃO LEGISLAÇÃO? O panorama legislativo nacional é bastante mutável, sendo constante a publicação de novos diplomas. Ao disponibilizar novas actualizações, a PORTO

Leia mais

CALENDÁRIO DAS OBRIGAÇÕES FISCAIS E DE SEGURANÇA SOCIAL JULHO 2016

CALENDÁRIO DAS OBRIGAÇÕES FISCAIS E DE SEGURANÇA SOCIAL JULHO 2016 CALENDÁRIO DAS OBRIGAÇÕES FISCAIS E DE SEGURANÇA SOCIAL JULHO 2016 Até 10/07/2016 Envio da Declaração periódica acompanhada dos anexos que se mostrem devidos, pelos contribuintes do regime normal mensal,

Leia mais

De destacar, a obrigatoriedade de igualdade de tratamento, pelo Empregador, entre o Trabalhador Nacional e o Trabalhador Estrangeiro.

De destacar, a obrigatoriedade de igualdade de tratamento, pelo Empregador, entre o Trabalhador Nacional e o Trabalhador Estrangeiro. O Decreto n.º 6/01, de 19 de Janeiro aprova o Regulamento Sobre o Exercício da Actividade Profissional do Trabalhador Estrangeiro Não Residente, quer no sector público, quer no sector privado, tendo entrado

Leia mais

1. CONTAS DE DEPÓSITO (PARTICULARES) (ÍNDICE)

1. CONTAS DE DEPÓSITO (PARTICULARES) (ÍNDICE) 1.1. Depósitos à ordem 1. Comissão de gestão/manutenção de conta DO Normal (clientes particulares residentes e não residentes, maiores de 18 anos) e Outros Depósitos à Ordem de Particulares Envolvimento

Leia mais

Tal como referido supra o presente Decreto-Lei aprova ainda o Regulamento de Habilitação

Tal como referido supra o presente Decreto-Lei aprova ainda o Regulamento de Habilitação Decreto-lei n.º 138/2012, de 05 de julho que altera o Código da Estrada e aprova o Regulamento da Habilitação Legal para Conduzir, transpondo parcialmente a Diretiva n.º 2006/126/CE, do Parlamento Europeu

Leia mais

REGIME MUDANÇA DE PAR INSTITUIÇÃO/CURSO NO ENSINO SUPERIOR LICENCIATURAS ANO LETIVO 2016/2017

REGIME MUDANÇA DE PAR INSTITUIÇÃO/CURSO NO ENSINO SUPERIOR LICENCIATURAS ANO LETIVO 2016/2017 REGIME MUDANÇA DE PAR INSTITUIÇÃO/CURSO NO ENSINO SUPERIOR LICENCIATURAS ANO LETIVO 2016/2017 Mudança de par instituição/curso é o ato pelo qual um estudante se matricula e ou inscreve em par instituição/curso

Leia mais

Nacionalidade Alemã I. CONDIÇÕES PARA OBTENÇÃO

Nacionalidade Alemã I. CONDIÇÕES PARA OBTENÇÃO A Embaixada e os Consulados Gerais da República Federal da Alemanha no Brasil 1 informam: Gz.: RK 10 512 (Porto Alegre) Em: 28.08.2007 Nacionalidade Alemã I. CONDIÇÕES PARA OBTENÇÃO 1. Nascimento 1.1 ser

Leia mais

PROTECÇÃO SOCIAL NA PARENTALIDADE FOLHA ANEXA AO REQUERIMENTO DOS SUBSÍDIOS PARENTAL, SOCIAL PARENTAL E PARENTAL ALARGADO, MOD.

PROTECÇÃO SOCIAL NA PARENTALIDADE FOLHA ANEXA AO REQUERIMENTO DOS SUBSÍDIOS PARENTAL, SOCIAL PARENTAL E PARENTAL ALARGADO, MOD. PROTECÇÃO SOCIAL NA PARENTALIDADE FOLHA ANEXA AO REQUERIMENTO DOS SUBSÍDIOS PARENTAL, SOCIAL PARENTAL E PARENTAL ALARGADO, MOD. RP 5049-DGSS 1. Quais os subsídios a requerer I INFORMAÇÕES O formulário

Leia mais

1. CONTAS DE DEPÓSITO (PARTICULARES) (ÍNDICE)

1. CONTAS DE DEPÓSITO (PARTICULARES) (ÍNDICE) 1.1. Depósitos à ordem 1. Comissão de gestão/manutenção de conta Conta NB 100% (clientes particulares residentes e não residentes, maiores de 18 anos). Conta NB 100% 55+ Conta Benfica, BIC 100%, Conta

Leia mais

Ciclo de Palestras ENCONTROS COM O ICNF

Ciclo de Palestras ENCONTROS COM O ICNF Palestra 30 anos de ordenamento cinegético em Portugal: Evolução e caracterização do setor por Gonçalo Lopes (DRNCN/DGRCA) 25 de junho de 2015 Ciclo de Palestras ENCONTROS COM O ICNF Sede do ICNF, Lisboa,

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES, EM CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES, EM CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES, EM CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL Cartão de Crédito Millennium bcp Gold MasterCard A. ELEMENTOS

Leia mais

VICE-CONSULADO DE PORTUGAL CURITIBA

VICE-CONSULADO DE PORTUGAL CURITIBA ATENÇÃO: NÃO EFECTUAR PAGAMENTO NO SITE DO CONSULADO GERAL EM SÃO PAULO (DÚVIDAS FAVOR CONTACTAR O VICE CONSULADO EM ) VISTO PARA ESTUDAR EM PORTUGAL Estudo, Intercâmbio de estudantes, estagio profissional

Leia mais

INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO. Requerimento PRESTAÇÕES FAMILIARES Abono de Família Pré-Natal e Abono de Família para Crianças e Jovens

INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO. Requerimento PRESTAÇÕES FAMILIARES Abono de Família Pré-Natal e Abono de Família para Crianças e Jovens INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO Requerimento PRESTAÇÕES FAMILIARES Abono de Família Pré-Natal e Abono de Família para Crianças e Jovens Nota: Os requerentes de abono de família para crianças

Leia mais

ASSOCIAÃ Ã ES CONTESTAM ANTEPROPOSTA DE LEI DO GOVERNO 09-Ago-2006

ASSOCIAÃ Ã ES CONTESTAM ANTEPROPOSTA DE LEI DO GOVERNO 09-Ago-2006 ASSOCIAÃ Ã ES CONTESTAM ANTEPROPOSTA DE LEI DO GOVERNO 09-Ago-2006 Mais de 30 associações de imigrantes subscreveram um documento com propostas de alteração à nova lei de imigração, posta à discussão pública

Leia mais

Subsídio de Doença Direção-Geral da Segurança Social março 2015

Subsídio de Doença Direção-Geral da Segurança Social março 2015 Direção-Geral da Segurança Social março 2015 O é uma prestação em dinheiro atribuída ao beneficiário para compensar a perda de remuneração, resultante do impedimento temporário para o trabalho, por motivo

Leia mais

POPULAÇÃO ESTRANGEIRA EM PORTUGAL MODERA CRESCIMENTO

POPULAÇÃO ESTRANGEIRA EM PORTUGAL MODERA CRESCIMENTO População Estrangeira Residente em Portugal Resultados provisórios 2002 2 de Julho de 2003 POPULAÇÃO ESTRANGEIRA EM PORTUGAL MODERA CRESCIMENTO Em 2002, a população estrangeira com a situação regularizada,

Leia mais

PPR FUTURO. Informações Pré-Contratuais. Plano Poupança Reforma BPN

PPR FUTURO. Informações Pré-Contratuais. Plano Poupança Reforma BPN TIPO DE CLIENTE Particulares, Profissionais Liberais e Empresas. SEGMENTO-ALVO Destina-se a fomentar a poupança para constituição de um complemento de reforma. Direccionado para Clientes com idade inferior

Leia mais

Desenvolvimento Económico REGULAMENTO PARA A ALIENAÇÃO DE LOTES PARA EMPRESAS DE I&D COM BASE TECNOLÓGICA NOTA JUSTIFICATIVA

Desenvolvimento Económico REGULAMENTO PARA A ALIENAÇÃO DE LOTES PARA EMPRESAS DE I&D COM BASE TECNOLÓGICA NOTA JUSTIFICATIVA REGULAMENTO PARA A ALIENAÇÃO DE LOTES PARA EMPRESAS DE I&D COM BASE TECNOLÓGICA NOTA JUSTIFICATIVA O licenciamento da localização, construção e instalação dos estabelecimentos será feito em conformidade

Leia mais

PROJECTOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS

PROJECTOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 32 / SI / 2009 SISTEMA DE INCENTIVOS À INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO (SI I&DT) PROJECTOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS Nos termos do Regulamento do

Leia mais

NORMAS PARA OPERACIONALIZAÇÃO DAS ISENÇÕES E / OU REDUÇÕES DE TAXAS E BENEFICIOS FISCAIS

NORMAS PARA OPERACIONALIZAÇÃO DAS ISENÇÕES E / OU REDUÇÕES DE TAXAS E BENEFICIOS FISCAIS ANEXO III NORMAS PARA OPERACIONALIZAÇÃO DAS ISENÇÕES E / OU REDUÇÕES DE TAXAS E BENEFICIOS FISCAIS No âmbito da estratégia de reabilitação urbana serão concedidos os seguintes apoios: 1. TAXAS MUNICIPAIS

Leia mais

Economia e Finanças Públicas Aula T O sistema fiscal português. Bibliografia. Conceitos a reter

Economia e Finanças Públicas Aula T O sistema fiscal português. Bibliografia. Conceitos a reter Economia e Finanças Públicas Aula T12 3.4. O sistema fiscal português 3.4.1. Breve caracterização 3.4.2. Impostos sobre o rendimento: IRS e IRC EFP - ISEG 1 Bibliografia Obrigatória: Livro de EFP, Cap.

Leia mais

- REGIME LEGAL DE COMBATE AO BRANQUEAMENTO DE CAPITAIS -

- REGIME LEGAL DE COMBATE AO BRANQUEAMENTO DE CAPITAIS - Ficha de Verificação N.º CMI - REGIME LEGAL DE COMBATE AO BRANQUEAMENTO DE CAPITAIS - 1) IDENTIFICAÇÃO PESSOA SINGULAR CLIENTE: RESIDENTE NÃO RESIDENTE Nome Completo Data de Nascimento Local Nacionalidade

Leia mais

Decreto n.º 6/01 de 19 de Janeiro - Regulamento sobre o Exercício da Actividade Profissional do Trabalhador Estrangeiro Não Residente

Decreto n.º 6/01 de 19 de Janeiro - Regulamento sobre o Exercício da Actividade Profissional do Trabalhador Estrangeiro Não Residente Decreto n.º 6/01 de 19 de Janeiro - Regulamento sobre o Exercício da Actividade Profissional do Trabalhador Estrangeiro Não Residente e-mail: geral@info-angola.com portal: www.info-angola.com Página 1

Leia mais

REGRAS DE EXECUÇÃO DA INICIATIVA NEOTEC. Artigo 1.º. Objecto

REGRAS DE EXECUÇÃO DA INICIATIVA NEOTEC. Artigo 1.º. Objecto REGRAS DE EXECUÇÃO DA INICIATIVA NEOTEC Artigo 1.º Objecto As presentes regras visam definir as condições de acesso e de atribuição de financiamento a projectos no âmbito da Iniciativa NEOTEC, através

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER SMALL CAP AÇÕES / Informações referentes a Novembro de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER SMALL CAP AÇÕES / Informações referentes a Novembro de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER SMALL CAP AÇÕES 08.537.792/0001-40 Informações referentes a Novembro de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER

Leia mais

DOCUMENTO DE TRABALHO

DOCUMENTO DE TRABALHO PARLAMENTO EUROPEU 2014-2019 Comissão das Liberdades Cívicas, da Justiça e dos Assuntos Internos 27.02.2015 DOCUMENTO DE TRABALHO sobre o estabelecimento de um visto de circulação e a alteração tanto da

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES, EM CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES, EM CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES, EM CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL Cartão de Crédito Millennium bcp Fix A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

MANUAL DE APOIO NO DESEMPREGO PROTEÇÃO SOCIAL

MANUAL DE APOIO NO DESEMPREGO PROTEÇÃO SOCIAL A informação contida neste manual de apoio não é exaustiva e, como tal, não dispensa a consulta da legislação aplicável: Decreto-Lei n.º 64/2012, de 15 de março. Altera o Decreto-Lei 220/2006, de 03 de

Leia mais

Sistema de Incentivos Fiscais à I&D Empresarial II

Sistema de Incentivos Fiscais à I&D Empresarial II SIFIDE II Sistema de Incentivos Fiscais à I&D Empresarial II Candidaturas até 31 de Julho de 2016 Porto Rua Dr. Ernesto Soares dos Reis Nº 208, 1º Andar, Sala M 3720 256 Oliveira de Azeméis - Portugal

Leia mais

Mercado Social de Arrendamento Apresentação Pública

Mercado Social de Arrendamento Apresentação Pública Mercado Social de Arrendamento Apresentação Pública Auditório do Ministério da Solidariedade e Segurança Social Lisboa 26 de Junho de 2012 Mercado Social de Arrendamento: o que é? É uma das medidas previstas

Leia mais

Inovação Produtiva PME Qualificação das PME

Inovação Produtiva PME Qualificação das PME Sistema de Incentivos Inovação Empresarial e Empreendedorismo Qualificação das PME Investigação e Desenvolvimento Tecnológico (I&DT) Inovação Empresarial e Empreendedorismo Qualificação e Internacionalização

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES FAQ s Regime Geral de Segurança Social dos Trabalhadores Independentes

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES FAQ s Regime Geral de Segurança Social dos Trabalhadores Independentes PERGUNTAS MAIS FREQUENTES FAQ s Regime Geral de Segurança Social dos Trabalhadores Independentes 1 Que categorias profissionais se encontram abrangidas pelo regime dos trabalhadores independentes? Estão

Leia mais

Alterações de Preçário NOVO BANCO 2017

Alterações de Preçário NOVO BANCO 2017 janeiro de 2017 Alterações de Preçário NOVO BANCO 2017 O NOVO BANCO irá proceder a algumas revisões de preçário, para os contratos em curso de Clientes Particulares. Ao longo do ano, poderá sempre consultar

Leia mais

IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE TRANSMISSÕES ONEROSAS DE IMÓVEIS (IMT)

IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE TRANSMISSÕES ONEROSAS DE IMÓVEIS (IMT) INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP CENTRO DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA UFCD_ 577 Imposto Sobre o Património IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE TRANSMISSÕES ONEROSAS DE IMÓVEIS (IMT) Retirar

Leia mais

CONTRATO-PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DESPORTIVO N.º CP/37/DFQ/2015 FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS

CONTRATO-PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DESPORTIVO N.º CP/37/DFQ/2015 FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS CONTRATO-PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DESPORTIVO N.º CP/37/DFQ/2015 Objeto: FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS Outorgantes: 1. Instituto Português do Desporto e Juventude, I. P. 2. Federação Portuguesa de Pétanca

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS BRASILEIRAS. ESPANHA COMO PLATAFORMA E DESTINO DE INVESTIMENTO.

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS BRASILEIRAS. ESPANHA COMO PLATAFORMA E DESTINO DE INVESTIMENTO. INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS BRASILEIRAS. ESPANHA COMO PLATAFORMA E DESTINO DE INVESTIMENTO. RIO DE JANEIRO, 29 DE SETEMBRO DE 2015. SÃO PAULO, 1 DE OUTUBRO DE 2015. ESPANHA COMO DESTINO DE INVESTIMENTO

Leia mais

Roteiro básico para investimento estrangeiro no Brasil

Roteiro básico para investimento estrangeiro no Brasil Roteiro básico para investimento estrangeiro no Brasil Introdução O presente Roteiro para Investimento Estrangeiro no Brasil tem o objetivo de informar e esclarecer, de forma simples e objetiva, a potenciais

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DOS DOCUMENTOS PARA TRANSAÇÕES IMOBILIÁRIAS

IDENTIFICAÇÃO DOS DOCUMENTOS PARA TRANSAÇÕES IMOBILIÁRIAS IDENTIFICAÇÃO DOS DOCUMENTOS PARA TRANSAÇÕES IMOBILIÁRIAS Caderneta Predial É um documento emitido pelo Serviço de Finanças, onde consta a identificação, localização e descrição do prédio, os dados de

Leia mais

Projeto de Lei nº 364/XIII Altera a Lei nº 37/81 (Lei da Nacionalidade) Exposição de motivos

Projeto de Lei nº 364/XIII Altera a Lei nº 37/81 (Lei da Nacionalidade) Exposição de motivos Projeto de Lei nº 364/XIII Altera a Lei nº 37/81 (Lei da Nacionalidade) Exposição de motivos Considerando que o direito de constituir família e de contrair casamento tem natureza de direito liberdade e

Leia mais