AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO (ARI) PERGUNTAS MAIS FREQUENTES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO (ARI) PERGUNTAS MAIS FREQUENTES"

Transcrição

1 AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO (ARI) PERGUNTAS MAIS FREQUENTES 1. O que é o regime especial de Autorização de Residência para Atividade de Investimento (ARI)? O regime de ARI permite que cidadãos nacionais de Estados Terceiros possam obter uma autorização de residência temporária para atividade de investimento com a dispensa de visto de residência para entrar em território nacional. 2. Quais as vantagens do regime especial de ARI? O beneficiário de ARI pode: Entrar em Portugal com dispensa de visto de residência; Residir e trabalhar em Portugal, podendo manter outra residência noutro país; Circular pelo espaço Schengen, sem necessidade de visto; Beneficiar de reagrupamento familiar; Possibilidade de solicitar a concessão de Autorização de Residência Permanente nos termos da Lei de Estrangeiros (Lei n.º23/2007, de 4 julho, com a atual redação); Possibilidade de solicitar a aquisição da nacionalidade portuguesa, por naturalização, cumprindo os demais requisitos exigidos na Lei da Nacionalidade (Lei n.º37/81, de 3 outubro, com a atual redação). 3. Quem pode beneficiar do regime de ARI? Todos os cidadãos nacionais de Estados Terceiros que exerçam uma atividade de investimento, pessoalmente ou através de sociedade constituída em Portugal ou noutro Estado da U.E. e com estabelecimento estável em Portugal, que reúnam um dos requisitos quantitativos e o requisito temporal previstos na legislação aplicável. O regime ARI não é aplicável a cidadãos que possuam a nacionalidade portuguesa e a cidadãos nacionais da U.E. e do EEE. 4. Quais são os requisitos quantitativos que um investidor deve preencher para poder solicitar uma ARI? Considera-se como requisito quantitativo mínimo a verificação de, pelo menos, uma das seguintes situações em território nacional: A transferência de capitais num montante igual ou superior a 1 milhão de euros, incluindo investimento em ações ou quotas de sociedades; A criação de, pelo menos, 30 postos de trabalho; A aquisição de bens imóveis de valor igual ou superior a 500 mil euros. Sempre que o investimento seja realizado através de uma sociedade, considera-se imputável ao requerente de ARI apenas a proporção do investimento correspondente à sua participação no capital social. Os requisitos de ARI podem ser alterados, não devendo o processo de mudança de um requisito para outro ultrapassar os 3 meses. Esta alteração deverá ser validada previamente pelo SEF.

2 5. Quais são os requisitos temporais mínimos para a atividade de investimento? O requisito temporal mínimo para a manutenção do investimento é de cinco (5) anos, contado a partir da data da concessão da Autorização de Residência. 6. Quais os requisitos cautelares e documentais a preencher? Todos os interessados na autorização de ARI deverão reunir cumulativamente os seguintes requisitos cautelares: Ausência de condenação por crime que em Portugal seja punível com pena privativa de liberdade de duração superior a um ano; Não estar interdito de entrar em território nacional, subsequente a uma medida de afastamento do país; Ausência de indicação no Sistema de Informação Schengen; Ausência de indicação no Sistema Integrado do SEF para efeitos de não admissão. Todos os interessados na autorização de ARI deverão reunir cumulativamente os seguintes requisitos documentais: Ser titular de passaporte válido; Ser portador de visto Schengen, se aplicável, e regularizar a situação junto do SEF no prazo de 90 dias a contar da data da primeira entrada em Portugal; Registo criminal do país de origem ou do país onde resida há mais de um ano; Declaração a autorizar consulta do registo criminal português; Declaração negativa de dívida atualizada emitida pela Autoridade Tributária e Aduaneira e pela segurança social. Declaração, sob compromisso de honra, pela qual o requerente atesta que cumprirá os requisitos da atividade de investimento em território nacional; Comprovativo do seguro de saúde; Comprovativo do pagamento da taxa de análise do pedido de ARI (514,80 ). Todos os documentos que não estejam escritos em português ou inglês devem ser traduzidos por tradutor reconhecido do posto diplomático ou consular português no país de origem ou de residência do investidor, devendo ser por ele legalizados e autenticados. 7. Como solicitar a concessão de ARI? Os requerentes podem formular o seu pedido da seguinte forma: Através do pré-registo obrigatório online em ou em através de representante legal devidamente mandatado para o efeito. Depois de efetuado o registo e de receber uma password, o interessado deverá preencher o formulário e enviar os documentos de suporte, bem como o comprovativo do pagamento da taxa de análise de 514,80 ; Presencialmente junto das Direções e Delegações Regionais do SEF da área de residência do requerente, no prazo de 90 dias a contar da data da primeira entrada em Portugal, procedendo à entrega dos documentos mencionados no

3 ponto 6. e dos meios de prova relativos à atividade de investimento realizada em território nacional. 8. Quais os meios de prova necessários para a concessão de ARI? Para prova dos requisitos quantitativos, o investidor deve apresentar os seguintes documentos de acordo com o tipo de investimento realizado: 8.1. Transferência de capitais no montante igual ou superior a 1 milhão de euros: Considera-se preenchido o requisito sempre que o requerente demonstre ter efetuado investimento no valor mínimo exigido, incluindo investimento em ações ou quotas de sociedades, devendo apresentar: Declaração de uma instituição financeira autorizada ao exercício da sua atividade em território nacional atestando a transferência efetiva de capitais, no montante igual ou superior a 1 milhão de euros, para conta de que é o único ou o primeiro titular dos capitais, ou para a aquisição de ações ou quotas de sociedades; e Certidão do registo comercial atualizada que ateste a detenção de participação social em sociedade Criação de, pelo menos, 30 postos de trabalho: Considera-se preenchido o requisito sempre que o requerente apresente certidão atualizada da segurança social Aquisição de bens imóveis de valor igual ou superior a 500 mil: Considera-se preenchido o requisito sempre que o requerente apresente: Título aquisitivo ou de promessa de compra dos imóveis de onde conste declaração de uma instituição financeira autorizada ao exercício da sua atividade em território nacional atestando a transferência efetiva de capitais para a sua aquisição ou para efetivação de sinal de promessa de compra no valor igual ou superior a 500 mil euros; e Certidão atualizada da conservatória do registo predial, da qual deve sempre constar, no caso de contrato-promessa e sempre que legalmente viável, o respetivo registo. 9. Quais os meios de prova necessários para a renovação de ARI? 9.1. Para a renovação do título de ARI, o investidor deve: Apresentar o meio de prova exigido consoante o tipo de investimento realizado; Apresentar declaração negativa de dívida atualizada emitida pela Autoridade Tributária e Aduaneira e pela Segurança Social; Apresentar seguro de saúde válido se não fizer descontos legais em Portugal; Poder ter que provar o período exigido de permanência (7 dias no primeiro ano e 14 dias nos subsequentes períodos de dois anos, contados de forma seguida ou interpolada); Apresentar passaporte válido, assim como de bilhetes de avião ou comprovativo de alojamento; Apresentar a declaração, sob compromisso de honra, pela qual o requerente atesta que cumprirá os requisitos quantitativos 9.2. Consoante o tipo de investimento realizado deve apresentar:

4 Para a transferência de capitais no montante igual ou superior a 1 milhão de euros: Declaração de uma instituição financeira autorizada ao exercício da sua atividade em território nacional atestando a existência de um saldo médio trimestral igual ou superior a 1 milhão de euros; ou Certidão atualizada do registo comercial que ateste a detenção de participação social em sociedade; ou No caso de sociedades cotadas na Bolsa de Valores, documento emitido pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários ou pela instituição financeira autorizada ao exercício da sua atividade em território nacional a atestar a propriedade das ações; ou No caso de sociedades não cotadas na Bolsa de Valores, declaração da administração ou gerência da sociedade e relatório de prestação de contas certificadas a atestar a propriedade e a integridade do requisito quantitativo mínimo Para a criação de, pelo menos, 30 postos de trabalho a apresentação de: Certidão atualizada da Segurança Social a atestar a manutenção dos 30 postos de trabalho Para a aquisição de bens imóveis de valor igual ou superior a 500 mil a apresentação de: Certidão atualizada da conservatória do registo predial com os registos, averbamentos e inscrições em vigor, demonstrando ter a propriedade de bens imóveis. 10. Quanto custa a concessão e renovação de um título de ARI? Caso o pedido de concessão de ARI seja deferido, o investidor deve pagar uma taxa de 5147,80. Caso o pedido de renovação de ARI seja deferido, o investidor deve pagar uma taxa de 2573, Desde quando está em vigor o regime especial de ARI? O regime está em vigor desde o dia 8 de outubro de Existem intermediários acreditados pelo Estado Português? Não. O Estado Português não tem acreditado como bona fide qualquer intermediário, português ou estrangeiro para efeitos de instrução de pedidos de ARI. 13. Como titular de ARI, quais os familiares que podem beneficiar do regime, onde posso solicitar o reagrupamento familiar, quando o devo fazer e quanto custa? São considerados membros da família convencional: - Cônjuge; - Filhos menores ou incapazes a cargo do casal ou de um dos cônjuges; - Menores adotados pelo requerente quando não seja casado, pelo requerente ou pelo cônjuge, por efeito de decisão da autoridade competente do país de origem, desde que a Lei desse país reconheça aos adotados os direitos e

5 deveres idênticos aos da filiação natural e que a decisão reconhecida por Portugal; - Filhos maiores, a cargo do casal ou de um dos cônjuges, que sejam solteiros e se encontrem a estudar num estabelecimento de ensino em Portugal; - Ascendentes na linha reta e em 1º grau do residente ou do cônjuge, desde que se encontrem a cargo; - Irmãos menores desde que se encontrem sob a tutela do residente, de harmonia com decisão proferida pela autoridade competente no país de origem e desde que reconhecida por Portugal. São considerados os membros da família em união de facto: - Parceiro que mantenha, em território nacional ou fora dele, com o cidadão estrangeiro residente uma união de facto, devidamente comprovada nos termos da lei; - Filhos solteiros menores ou incapazes, incluindo os filhos adotados do parceiro de facto, desde que estes lhe estejam legalmente confiados. O reagrupamento familiar deverá ser solicitado junto de uma Direção ou Delegação Regional do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras da área de residência. O pedido de reagrupamento familiar pode ser feito no momento do pedido da concessão de ARI ou numa fase posterior, consoante a conveniência do investidor. Em qualquer caso, está associado à decisão que recaia sobre o pedido de ARI. Caso o pedido de reagrupamento familiar solicitado no âmbito do regime de ARI seja deferido, o investidor terá que pagar 5147,80 por cada familiar reagrupado e, por cada renovação, 2573, Qual o regime fiscal aplicável em Portugal? A compatibilização do regime ARI com o regime fiscal português depende das condições individuais do requerente e deve ser objeto de uma análise específica junto de consultores especializados e devidamente acreditados para o efeito e/ou junto da Autoridade Tributária Portuguesa. Contactos úteis: Ministério dos Negócios Estrangeiros: Serviço de Estrangeiros e Fronteiras: AICEP - Legislação aplicável: Lei 29/2012, de 9 de agosto Lei de Estrangeiros Despacho MNE/MAI n.º A/2012, de 4 de setembro Regime ARI Despacho MNE/MAI n.º 1661-A/2013, de 28 de janeiro Regime ARI Portaria n.º 305 A/2012, de 4 de outubro Taxas ARI

AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO (ARI) PERGUNTAS MAIS FREQUENTES

AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO (ARI) PERGUNTAS MAIS FREQUENTES AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO (ARI) PERGUNTAS MAIS FREQUENTES 1. O que é o regime especial de Autorização de Residência para Atividade de Investimento (ARI)? O regime de ARI

Leia mais

'VISTO GOLD' ou 'GOLDEN VISA'

'VISTO GOLD' ou 'GOLDEN VISA' 'VISTO GOLD' ou 'GOLDEN VISA' 1) A QUEM SE APLICA? A pessoas singulares que exerçam uma actividade de investimento, pessoalmente ou através de uma sociedade, que não sejam cidadãos de território da União

Leia mais

Constituição de Empresa em Portugal por cidadãos de países terceiros à UE e aspetos de permanência em território nacional

Constituição de Empresa em Portugal por cidadãos de países terceiros à UE e aspetos de permanência em território nacional Constituição de Empresa em Portugal por cidadãos de países terceiros à UE e aspetos de permanência em território nacional O princípio que norteia o quadro normativo português é o da não discriminação do

Leia mais

Santana Lopes, Castro, Vieira, Teles, Silva Lopes, Calado, Cardoso & Associados R. L. Rua Castilho, n.º 67-2º andar * Lisboa Tel:

Santana Lopes, Castro, Vieira, Teles, Silva Lopes, Calado, Cardoso & Associados R. L. Rua Castilho, n.º 67-2º andar * Lisboa Tel: A Global Lawyers, Santana Lopes, Castro, Vieira, Teles, Silva Lopes, Calado, Cardoso & Associados Sociedade de Advogados, R. L. resulta da fusão de vontades de vários profissionais com vasto curriculum

Leia mais

À DISTÂNCIA DE UM PASSO AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO Golden Visa

À DISTÂNCIA DE UM PASSO AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO Golden Visa À DISTÂNCIA DE UM PASSO AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO Golden Visa ÍNDEX 1 Quem somos Lisbon Attorneys Corp. 2 Introdução 3 Vantagens 4 Quem pode requerer 5 Contactos Quem somos

Leia mais

VISTO GOLD REGIME JURÍDICO DA AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL

VISTO GOLD REGIME JURÍDICO DA AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL VISTO GOLD VISTO GOLD REGIME JURÍDICO DA AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL Visto Gold: INTRODUÇÃO Regime criado em 2012 para potenciar a captação de investimento estrangeiro.

Leia mais

VISTO GOLD REGIME JURÍDICO DA AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ACTIVIDADE DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL

VISTO GOLD REGIME JURÍDICO DA AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ACTIVIDADE DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL VISTO GOLD VISTO GOLD REGIME JURÍDICO DA AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ACTIVIDADE DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL SUMÁRIO A. INTRODUÇÃO B. PORQUÊ PORTUGAL? C. O VISTO GOLD 1. REQUISITOS GERAIS DA ATIVIDADE

Leia mais

OBJECTIVOS. Elencar (a principal) legislação existente em matéria de obtenção de autorização de residência para atividade de investimento (ARI);

OBJECTIVOS. Elencar (a principal) legislação existente em matéria de obtenção de autorização de residência para atividade de investimento (ARI); ARI Pretende-se com o presente ação: OBJECTIVOS Elencar (a principal) legislação existente em matéria de obtenção de autorização de residência para atividade de investimento (ARI); Destacar as valências,

Leia mais

GOLDEN VISA I VISTOS GOLD NOVAS CONDIÇÕES E REQUISITOS PARA A OBTENÇÃO E RENOVAÇÃO DE AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA INVESTIMENTO EM PORTUGAL

GOLDEN VISA I VISTOS GOLD NOVAS CONDIÇÕES E REQUISITOS PARA A OBTENÇÃO E RENOVAÇÃO DE AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA INVESTIMENTO EM PORTUGAL Pctª Bento Gonçalves, nº 28 S/L dtª 2805-101 Almada T.212732967 F. 212732969 Tm. 938436333I geral@ntl-advogados.com I NOTA INFORMATIVA Outubro de 2015 GOLDEN VA I VTOS GOLD NOVAS CONDIÇÕES E REQUITOS PARA

Leia mais

Regime Jurídico da Autorização de Residência para Atividade de Investimento em Portugal

Regime Jurídico da Autorização de Residência para Atividade de Investimento em Portugal Regime Jurídico da Autorização de Residência para Atividade de Investimento em Portugal Regime Jurídico da Autorização de Residência para Atividade de Investimento em Portugal ÍNDICE INTRODUÇÃO.............................................

Leia mais

Visto de Curta Duração: Visita Familiar: ( Todas as traduções tem que ser para português ou inglês, autenticadas no notário):

Visto de Curta Duração: Visita Familiar: ( Todas as traduções tem que ser para português ou inglês, autenticadas no notário): Visto de Curta Duração: Visita Familiar: ( Todas as traduções tem que ser para português ou inglês, autenticadas no notário): 1) Convite com termo de responsabilidade (incluindo despesas de alojamento,

Leia mais

Reabilitação para uso residencial em Lisboa'17 Oferta e regimes legais para estrangeiros

Reabilitação para uso residencial em Lisboa'17 Oferta e regimes legais para estrangeiros Reabilitação para uso residencial em Lisboa'17 Oferta e regimes legais para estrangeiros Reabilitação para uso residencial em Lisboa'17 // Oferta e regimes legais para estrangeiros Regimes legais e fiscais

Leia mais

VISTO DE RESIDÊNCIA: Trabalho Independente

VISTO DE RESIDÊNCIA: Trabalho Independente VISTO DE RESIDÊNCIA: Trabalho Independente Documentação do Requerente Formulário de pedido de visto devidamente preenchido online (www.cgportugalemluanda.com) e assinado; Duas fotografias 3x4 (tipo passe),

Leia mais

VISTO DE ESTADA TEMPORÁRIA: Atividade Profissional de Carácter Temporário

VISTO DE ESTADA TEMPORÁRIA: Atividade Profissional de Carácter Temporário VISTO DE ESTADA TEMPORÁRIA: Atividade Profissional de Carácter Temporário Documentação do Requerente Formulário de pedido de visto devidamente preenchido online (www.cgportugalemluanda.com) e assinado;

Leia mais

VISTO DE ESTADA TEMPORÁRIA: Transferência de Trabalhadores

VISTO DE ESTADA TEMPORÁRIA: Transferência de Trabalhadores VISTO DE ESTADA TEMPORÁRIA: Transferência de Trabalhadores Documentação do Requerente Formulário de pedido de visto devidamente preenchido online (www.cgportugalemluanda.com) e assinado; Duas fotografias

Leia mais

VISTO DE ESTADA TEMPORÁRIA: Atividade Profissional de Carácter Temporário

VISTO DE ESTADA TEMPORÁRIA: Atividade Profissional de Carácter Temporário VISTO DE ESTADA TEMPORÁRIA: Atividade Profissional de Carácter Temporário Documentação do Requerente Formulário de pedido de visto devidamente preenchido online (www.cgportugalemluanda.com) e assinado;

Leia mais

VISTO DE ESTADA TEMPORÁRIA: Saúde

VISTO DE ESTADA TEMPORÁRIA: Saúde VISTO DE ESTADA TEMPORÁRIA: Saúde Documentação do Requerente Formulário de pedido de visto devidamente preenchido online (www.cgportugalemluanda.com) e assinado; Duas fotografias 3x4 (tipo passe), atualizadas

Leia mais

PORTUGAL COMO PLATAFORMA DE INVESTIMENTO. 30 de Setembro de Quintela e Penalva - Sessão de Formação

PORTUGAL COMO PLATAFORMA DE INVESTIMENTO. 30 de Setembro de Quintela e Penalva - Sessão de Formação PORTUGAL COMO PLATAFORMA DE INVESTIMENTO Quintela e Penalva - Sessão de Formação 30 de Setembro de 2015 Sumário Pessoas singulares Pessoas colectivas 1 Regime dos residentes não habituais 2 Regime dos

Leia mais

VISTO DE ESTADA TEMPORÁRIA: Intercâmbio de Estudantes, Estágio Profissional e Voluntariado

VISTO DE ESTADA TEMPORÁRIA: Intercâmbio de Estudantes, Estágio Profissional e Voluntariado VISTO DE ESTADA TEMPORÁRIA: Intercâmbio de Estudantes, Estágio Profissional e Voluntariado Documentação do Requerente Formulário de pedido de visto devidamente preenchido online (www.cgportugalemluanda.com)

Leia mais

Flash News. Dinis Lucas e Almeida Santos Sociedade de Advogados RL. ARI / Golden Visa NOVAS REGRAS

Flash News. Dinis Lucas e Almeida Santos Sociedade de Advogados RL. ARI / Golden Visa NOVAS REGRAS Flash News Dinis Lucas e Almeida Santos Sociedade de Advogados RL Boutique law firm geral@dlas.pt www.dlas.com.pt 217 816 010 961 277 028 Av. Republica nº 50 7-A 1050-196 Lisboa ARI / Golden Visa NOVAS

Leia mais

Reagrupamento familiar 61

Reagrupamento familiar 61 Reagrupamento familiar 61 INTRODUÇÃO Este capítulo visa informar todos aqueles que, residindo legalmente em Portugal, pretendam trazer para território nacional um ou mais membros da sua família. O Reagrupamento

Leia mais

VISTO DE RESIDÊNCIA: Fixação de Residência (para religiosos e pessoas que vivam de rendimentos próprios)

VISTO DE RESIDÊNCIA: Fixação de Residência (para religiosos e pessoas que vivam de rendimentos próprios) VISTO DE RESIDÊNCIA: Fixação de Residência (para religiosos e pessoas que vivam de rendimentos próprios) Documentação do Requerente Formulário de pedido de visto devidamente preenchido online (www.cgportugalemluanda.com)

Leia mais

REGIME AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA INVESTIMENTO

REGIME AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA INVESTIMENTO REGIME AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA INVESTIMENTO Despacho n.º 1661-A/2013, de 28 de janeiro de 2013 A Lei n.º 29/2012, de 9 de agosto, que alterou a Lei n.º 23/2007, de 4 de julho, que aprova o regime

Leia mais

Prestações de Encargos Familiares (inscritos na CGA)

Prestações de Encargos Familiares (inscritos na CGA) REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL E ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS Para que possa preencher o requerimento, mais facilmente, deve seguir as informações

Leia mais

MEDIDA ESTIMULO 2012 Regulamento do Instituto do Emprego e Formação Profissional

MEDIDA ESTIMULO 2012 Regulamento do Instituto do Emprego e Formação Profissional MEDIDA ESTIMULO 2012 Regulamento do Instituto do Emprego e Formação Profissional No âmbito da medida de incentivos ao emprego "Estímulo 2012", estabelecida pela Portaria n 45/2012, de 13.2, o Instituto

Leia mais

REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES. Nome completo. Morada. Código Postal - Localidade

REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES. Nome completo. Morada. Código Postal - Localidade REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES Abono de Família Pré-Natal Abono de Família para Crianças e Jovens ELEMENTOS RELATIVOS AO REQUERENTE. Identificação Nome completo Data de Nascimento N.º

Leia mais

INSCRIÇÃO DE ADVOGADO BRASILEIRO

INSCRIÇÃO DE ADVOGADO BRASILEIRO INSCRIÇÃO DE ADVOGADO BRASILEIRO [art. 201º do EOA e art. 17º a 19º do RIAAE] Documentação a entregar 1) Norma de Requerimento de Inscrição de Advogado; 2) 2 Certidões de Registo de Nascimento; 3) Certificado

Leia mais

INCENTIVO FISCAL AO ABATE DE VEÍCULOS EM FIM DE VIDA. Condições de acesso ao incentivo 2016/2017

INCENTIVO FISCAL AO ABATE DE VEÍCULOS EM FIM DE VIDA. Condições de acesso ao incentivo 2016/2017 INCENTIVO FISCAL AO ABATE DE VEÍCULOS EM FIM DE VIDA Condições de acesso ao incentivo 2016/2017 A Lei nº 82-D/2014, de 31 de dezembro (Lei da Fiscalidade Verde ), alterada pela Lei n.º 7-A/2016 de 30 de

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º. Exposição de Motivos

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º. Exposição de Motivos PL 396/2013 2013.10.13 Exposição de Motivos A presente proposta de lei visa proceder à alteração dos mapas I, II, III, IV, V, VI, VII, VIII, IX, X, XI, XII, XIII, XIV e XV anexos à Lei n.º 66-B/2012, de

Leia mais

Alojamento local Alteração de dados

Alojamento local Alteração de dados A Alteração de dados Titular Nome/Insígnia do alojamento Número de título de autorização de utilização do edifício/fração Morada do alojamento de alteração toponímica) (A morada do alojamento local apenas

Leia mais

Ao abrigo do disposto no n.º 2 do artigo 36.º do Decreto-Lei n.º 211/2004, de 20 de Agosto:

Ao abrigo do disposto no n.º 2 do artigo 36.º do Decreto-Lei n.º 211/2004, de 20 de Agosto: Legislação Portaria n.º 1327/2004, de 19 de Outubro Publicada no D.R. n.º 246, I Série-B, de 19 de Outubro de 2004 SUMÁRIO: Regulamenta os procedimentos administrativos previstos no Decreto-Lei n.º 211/2004,

Leia mais

ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS E ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DO REQUERIMENTO

ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS E ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DO REQUERIMENTO ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS E ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DO REQUERIMENTO O requerimento deve ser preenchido manualmente. Para este efeito utilize o

Leia mais

VICE-CONSULADO DE PORTUGAL CURITIBA

VICE-CONSULADO DE PORTUGAL CURITIBA ATENÇÃO: NÃO EFECTUAR PAGAMENTO NO SITE DO CONSULADO GERAL EM SÃO PAULO (DÚVIDAS FAVOR CONTACTAR O VICE CONSULADO EM ) VISTO PARA ESTUDAR EM PORTUGAL Estudo, Intercâmbio de estudantes, estagio profissional

Leia mais

Concurso especial de acesso e ingresso do estudante internacional na Universidade dos Açores

Concurso especial de acesso e ingresso do estudante internacional na Universidade dos Açores EDITAL Concurso especial de acesso e ingresso do estudante internacional na Universidade dos Açores 2016-2017 Nos termos do Decreto-lei n.º 36/2014, de 10 de março, alterado pelo Decreto-Lei, n.º 113/2014,

Leia mais

CARTA DE CAÇADOR. A carta de caçador pode ser emitida a favor dos requerentes que reunam simultaneamente as seguintes condições :

CARTA DE CAÇADOR. A carta de caçador pode ser emitida a favor dos requerentes que reunam simultaneamente as seguintes condições : CARTA DE CAÇADOR INDÍCE Requisitos para obter carta de caçador Especificações Validade Concessão, renovação, 2.ºs vias e alteração de dados Quando requerer Renovação de cartas de caçador emitidas antes

Leia mais

VISTO GOLD A porta de entrada na Europa

VISTO GOLD A porta de entrada na Europa VISTO GOLD A porta de entrada na Europa O Visto Gold O QUE É O VISTO GOLD Têm o nome técnico de Autorização de Residência para Atividade de Investimento (ARI), mas são vulgarmente conhecidos por Vistos

Leia mais

REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL E ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS

REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL E ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL E ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO O requerimento deve ser preenchido manualmente.

Leia mais

GOLDEN VISA EM PORTUGAL

GOLDEN VISA EM PORTUGAL GOLDEN VISA EM PORTUGAL 1. PORTUGAL NO MUNDO O QUE É O GOLDEN VISA? O Golden Visa é um programa governamental de investimento que lhe permite obter uma autorização de residência completamente válida em

Leia mais

El Salvador Atualizado em:

El Salvador Atualizado em: SEGURANÇA SOCIAL El Salvador Atualizado em: 12-11-2015 Esta informação destina-se a que cidadãos Pessoas que estejam ou tenham estado sujeitas à legislação de Portugal ou de El Salvador, referida no separador

Leia mais

DECRETO N.º 371/XII. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, a lei orgânica seguinte:

DECRETO N.º 371/XII. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, a lei orgânica seguinte: DECRETO N.º 371/XII Sétima alteração à Lei n.º 37/81, de 3 de outubro (Lei da Nacionalidade), estendendo a nacionalidade portuguesa originária aos netos de portugueses nascidos no estrangeiro A Assembleia

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL EXERCITO PORTUGUÊS DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS DE PESSOAL REPARTIÇÃO DE APOIO SOCIAL

MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL EXERCITO PORTUGUÊS DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS DE PESSOAL REPARTIÇÃO DE APOIO SOCIAL MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL EXERCITO PORTUGUÊS DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS DE PESSOAL REPARTIÇÃO DE APOIO SOCIAL BENEFICIÁRIOS Militar QP (Activo, Reserva, Reforma) ou RV/RC ou Aluno/Cadete de estabelecimento

Leia mais

INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO. Requerimento PRESTAÇÕES FAMILIARES Abono de Família Pré-Natal e Abono de Família para Crianças e Jovens

INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO. Requerimento PRESTAÇÕES FAMILIARES Abono de Família Pré-Natal e Abono de Família para Crianças e Jovens INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO Requerimento PRESTAÇÕES FAMILIARES Abono de Família Pré-Natal e Abono de Família para Crianças e Jovens Nota: Os requerentes de abono de família para crianças

Leia mais

PROJETO CUIDAR TRATAR DAS NOSSAS PESSOAS REDE INTERMUNICIPAL DE CUIDADOS DE SAÚDE. Metodologia de Avaliação e Seleção de Candidatos

PROJETO CUIDAR TRATAR DAS NOSSAS PESSOAS REDE INTERMUNICIPAL DE CUIDADOS DE SAÚDE. Metodologia de Avaliação e Seleção de Candidatos PROJETO CUIDAR TRATAR DAS NOSSAS PESSOAS REDE INTERMUNICIPAL DE CUIDADOS DE SAÚDE PROTOCOLO INTERMUNICIPAL ENTRE OS MUNICÍPIOS DE VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO E OLHÃO Metodologia de Avaliação e Seleção de

Leia mais

Paraguai Atualizado em:

Paraguai Atualizado em: SEGURANÇA SOCIAL Paraguai Atualizado em: 14-12-2017 Esta informação destina-se a que cidadãos Pessoas que estejam ou tenham estado sujeitas à legislação de Portugal ou do Paraguai, referida no separador

Leia mais

João Valadas Coriel CEO Autorização de Residência para Investimento em Portugal (ARI ou Golden Visa) > Vantagens do programa Golden Visa PORTUGAL OPORTUNIDADES PARA INVESTIMENTO, RESIDÊNCIA E CIDADANIA

Leia mais

Check-list: Visto de Visita familiar/amigo ou Estudo de Curta duração Categoria de Visto C

Check-list: Visto de Visita familiar/amigo ou Estudo de Curta duração Categoria de Visto C Check-list: Visto de Visita familiar/amigo ou Estudo de Curta duração Categoria de Visto C Aviso importante: O pedido de visto deverá ser efetuado presencialmente pelo requerente 1 - Formulário Pedido

Leia mais

REGIME MUDANÇA DE PAR INSTITUIÇÃO/CURSO NO ENSINO SUPERIOR LICENCIATURAS ANO LETIVO 2016/2017

REGIME MUDANÇA DE PAR INSTITUIÇÃO/CURSO NO ENSINO SUPERIOR LICENCIATURAS ANO LETIVO 2016/2017 REGIME MUDANÇA DE PAR INSTITUIÇÃO/CURSO NO ENSINO SUPERIOR LICENCIATURAS ANO LETIVO 2016/2017 Mudança de par instituição/curso é o ato pelo qual um estudante se matricula e ou inscreve em par instituição/curso

Leia mais

EMBAIXADA DE PORTUGAL PRAIA SECÇÃO CONSULAR VISTOS DE ESTUDO 2017/18. Informações Gerais

EMBAIXADA DE PORTUGAL PRAIA SECÇÃO CONSULAR VISTOS DE ESTUDO 2017/18. Informações Gerais S. R. EMBAIXADA DE PORTUGAL PRAIA SECÇÃO CONSULAR Abril/2017 VISTOS DE ESTUDO 2017/18 Informações Gerais FASES DO PROCESSO 1. Envio de listas com indicação dos candidatos: Enviadas até 14 de Julho; Para

Leia mais

ADSE - BENEFICIÁRIOS

ADSE - BENEFICIÁRIOS QUEM SE PODE INSCREVER NA ADSE? Podem ser inscritos na ADSE: Os trabalhadores com relação jurídica de emprego público da administração central, regional e local, desde que estejam inscritos na Caixa Geral

Leia mais

AVISO CAMÕES INSTITUTO DA COOPERAÇÃO E DA LÍNGUA, I.P.

AVISO CAMÕES INSTITUTO DA COOPERAÇÃO E DA LÍNGUA, I.P. AVISO CAMÕES INSTITUTO DA COOPERAÇÃO E DA LÍNGUA, I.P. ESTRUTURA DE COORDENAÇÃO DO ENSINO PORTUGUÊS NA SUÍҪA (Abertura de procedimento concursal simplificado destinado ao recrutamento local de docentes

Leia mais

Autorização de Permanência e Residência

Autorização de Permanência e Residência Autorização de Permanência e Residência O Direito de Residência dos Cidadãos Europeus Qualquer cidadão da UE tem direito de residir em Portugal, por período até 3 meses, sendo titular de bilhete de identidade

Leia mais

GOLDEN VISA Junho 2013 AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA ATRAVÉS DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL

GOLDEN VISA Junho 2013 AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA ATRAVÉS DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL GOLDEN VISA Junho 2013 AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA ATRAVÉS DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL Portugal já está a atribuir os Golden Residence Permit a cidadãos não- Europeus no caso de realização de determinados

Leia mais

INSCRIÇÃO DE ADVOGADO INSCRITO NA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL

INSCRIÇÃO DE ADVOGADO INSCRITO NA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL INSCRIÇÃO DE ADVOGADO INSCRITO NA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL 1 - Por força do disposto no EOA, os cidadãos de nacionalidade brasileira diplomados por qualquer faculdade de Direito do Brasil ou de Portugal,

Leia mais

Mudança de par instituição/curso 2017/2018

Mudança de par instituição/curso 2017/2018 Mudança de par instituição/curso 2017/2018 Definição Mudança de par instituição/curso é o ato pelo qual um estudante se matricula e ou inscreve em par instituição/curso diferente daquele(s) em que, em

Leia mais

AVISO CAMÕES INSTITUTO DA COOPERAÇÃO E DA LÍNGUA, I.P.

AVISO CAMÕES INSTITUTO DA COOPERAÇÃO E DA LÍNGUA, I.P. AVISO CAMÕES INSTITUTO DA COOPERAÇÃO E DA LÍNGUA, I.P. ESTRUTURA DE COORDENAÇÃO DO ENSINO PORTUGUÊS EM FRANÇA (Abertura de procedimento concursal simplificado destinado ao recrutamento local de docentes

Leia mais

Nome (1) Filiação e NIF NISS NIB. Residência Código Postal. Tel. Telem. Nome (2) Grau de parentesco. Nome (3) Grau de parentesco

Nome (1) Filiação e NIF NISS NIB. Residência Código Postal.  Tel. Telem. Nome (2) Grau de parentesco. Nome (3) Grau de parentesco CANDIDATURA AO APOIO À RENDA (código regulamentar sobre disposição de recursos e apoio a estratos socialmente desfavorecidos) Publicação: Diário da República, 2.ª Série, n.º 45, de 2 de março de 2012,

Leia mais

LEI DA NACIONALIDADE

LEI DA NACIONALIDADE compilações legislativas VERBOJURIDICO LEI DA NACIONALIDADE LEI N.º 37/81, DE 3 DE OUTUBRO ACTUALIZADA ATÉ À LEI ORGÂNICA 2/2006, DE 17 DE ABRIL NÃO DISPENSA A CONSULTA DO DIÁRIO DA REPÚBLICA verbojuridico

Leia mais

Concursos 2016 ANEXO X

Concursos 2016 ANEXO X ANEXO X PROGRAMA DE APOIO AO CINEMA SUBPROGRAMA DE APOIO À PRODUÇÃO, NA MODALIDADE DE APOIO AUTOMÁTICO 1. Candidatos e beneficiários Podem candidatar-se e beneficiar de apoio os produtores independentes

Leia mais

REGULAMENTO DO PERÍODO DE ADAPTAÇÃO

REGULAMENTO DO PERÍODO DE ADAPTAÇÃO REGULAMENTO DO PERÍODO DE ADAPTAÇÃO ARTIGO 1.º (Objecto) 1. O presente Regulamento estabelece os procedimentos aplicáveis ao período de adaptação dos cidadãos moçambicanos inscritos em Ordem ou Associação

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS - ARRENDAMENTO JOVEM

MANUAL DE PROCEDIMENTOS - ARRENDAMENTO JOVEM MANUAL DE PROCEDIMENTOS - ARRENDAMENTO JOVEM DEPARTAMENTO DE GESTÃO IMOBILIÁRIA E PATRIMÓNIO Abril / 2018 Índice CAPÍTULO I - INTRODUÇÃO... 2 1. Âmbito e enquadramento... 2 CAPÍTULO II PROPOSTA DE ARRENDAMENTO

Leia mais

REQUISITOS GERAIS PARA TODOS OS REQUERENTES DE VISTO

REQUISITOS GERAIS PARA TODOS OS REQUERENTES DE VISTO PORTUGAL CHECKLIST Nome e Apelido do requerente: Endereço de Correio Eletrónico (Email): Contacto telefónico direto: Motivo da Visita: REQUISITOS GERAIS PARA TODOS OS REQUERENTES DE VISTO SIM EM FALTA

Leia mais

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR GABINETE DO MINISTRO

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR GABINETE DO MINISTRO Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo para Frequência no Ensino Superior de Estudantes com incapacidade igual ou superior a 60% Artigo 1.º Objeto O presente regulamento define o processo de atribuição

Leia mais

Regime fiscal dos Residentes não Habituais (RNH)

Regime fiscal dos Residentes não Habituais (RNH) Regime fiscal dos Residentes não Habituais (RNH) SEMINÁRIO DIPLOMÁTICO 2013 PROJETAR PORTUGAL Lisboa, 4 de janeiro de 2013 Fundação Champalimaud Agenda 1. Visão estratégica 2. Principais aspetos do regime

Leia mais

RECOMENDAÇÃO n.º 2-A/2010

RECOMENDAÇÃO n.º 2-A/2010 Sua Excelência O Ministro da Justiça Praça do Comércio 1149-019 Lisboa Sua referência Sua comunicação Nossa referência Proc. P-3333/09 (A5) Assunto: Requisitos relativos à concessão de nacionalidade portuguesa;

Leia mais

Subsídio de Doença Direção-Geral da Segurança Social março 2015

Subsídio de Doença Direção-Geral da Segurança Social março 2015 Direção-Geral da Segurança Social março 2015 O é uma prestação em dinheiro atribuída ao beneficiário para compensar a perda de remuneração, resultante do impedimento temporário para o trabalho, por motivo

Leia mais

NACIONALIDADE ITALIANA

NACIONALIDADE ITALIANA NACIONALIDADE ITALIANA A nacionalidade é a pertença de uma pessoa a um Estado em particular, com todos os direitos e responsabilidades civis e políticas que isso implica. Escritório para a nacionalidade

Leia mais

Da Nacionalidade. Revoga a Lei n.º 13/91, de 11 de Maio

Da Nacionalidade. Revoga a Lei n.º 13/91, de 11 de Maio Da Nacionalidade. Revoga a Lei n.º 13/91, de 11 de Maio Índice LEI DA NACIONALIDADE... 4 CAPÍTULO I Disposições Gerais... 4 ARTIGO 1.º (Objecto)... 4 ARTIGO 2.º (Modalidades)... 4 ARTIGO 3.º (Aplicação

Leia mais

CIRCULAR INFORMATIVA. PARA: Beneficiários no âmbito dos cuidados de saúde transfronteiriços

CIRCULAR INFORMATIVA. PARA: Beneficiários no âmbito dos cuidados de saúde transfronteiriços CIRCULAR INFORMATIVA Nº 5/2015/DPS/ACSS DATA: 16-01-2015 PARA: Beneficiários no âmbito dos cuidados de saúde transfronteiriços Assunto: Informação sobre os direitos referentes à obtenção de cuidados de

Leia mais

- Passaporte, com duas páginas em branco, válido por mais 3 meses após a data de saída prevista do Espaço Schengen;

- Passaporte, com duas páginas em branco, válido por mais 3 meses após a data de saída prevista do Espaço Schengen; PORTUGAL CHECKLIST Nome e Apelido do requerente: Endereço de Correio Eletrónico (Email): Contacto telefónico direto: Motivo da Visita: REQUISITOS GERAIS PARA TODOS OS REQUERENTES DE VISTO SIM EM FALTA

Leia mais

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO DE FUNERAL

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO DE FUNERAL Manual de GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO DE FUNERAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/8 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Subsídio de Funeral (4003 v4.16) PROPRIEDADE Instituto

Leia mais

AVISO ESTRUTURA DE COORDENAÇÃO DO ENSINO PORTUGUÊS NO ESTRANGEIRO EM ÁFRICA DO SUL, NAMÍBIA, SUAZILÂNDIA E ZIMBABUÉ

AVISO ESTRUTURA DE COORDENAÇÃO DO ENSINO PORTUGUÊS NO ESTRANGEIRO EM ÁFRICA DO SUL, NAMÍBIA, SUAZILÂNDIA E ZIMBABUÉ AVISO ESTRUTURA DE COORDENAÇÃO DO ENSINO PORTUGUÊS NO ESTRANGEIRO EM ÁFRICA DO SUL, NAMÍBIA, SUAZILÂNDIA E ZIMBABUÉ (Abertura de procedimento concursal simplificado destinado ao recrutamento local de docentes

Leia mais

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO POR MORTE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO POR MORTE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO POR MORTE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Subsídio por Morte (7011 v4.15) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social, I.P. AUTOR Centro Nacional

Leia mais

Alojamento local Alteração de dados

Alojamento local Alteração de dados A Alteração de dados Titular Nome/Insígnia do alojamento Número de título de autorização de utilização do edifício/fração Morada do alojamento de alteração toponímica) (A morada do alojamento local apenas

Leia mais

AVISO. Camões Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. ESTRUTURA DE COORDENAÇÃO DO ENSINO PORTUGUÊS NO ESTRANGEIRO - ALEMANHA

AVISO. Camões Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. ESTRUTURA DE COORDENAÇÃO DO ENSINO PORTUGUÊS NO ESTRANGEIRO - ALEMANHA AVISO Camões Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. ESTRUTURA DE COORDENAÇÃO DO ENSINO PORTUGUÊS NO ESTRANGEIRO - ALEMANHA (Abertura de procedimento concursal simplificado destinado ao recrutamento

Leia mais

INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO DISPENSA PARCIAL OU ISENÇÃO TOTAL DO PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES - 1º EMPREGO, DESEMPREGADO DE LONGA DURAÇÃO E DESEMPREGADO DE MUITO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA

Leia mais

"Padrão de aceitabilidade dos Documentos Comprovativos"

Padrão de aceitabilidade dos Documentos Comprovativos "Padrão de aceitabilidade dos Documentos Comprovativos" 1. Documentos comprovativos de relação matrimonial Todos os pedidos de Autorização Especial de Permanência do agregado familiar de TNR com fundamento

Leia mais

GUIA PRÁTICO REEMBOLSO DE DESPESAS DE FUNERAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO REEMBOLSO DE DESPESAS DE FUNERAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO REEMBOLSO DE DESPESAS DE FUNERAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Reembolso de Despesas de Funeral (7007 V4.14) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social,

Leia mais

ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO NO DOMÍNIO DA MÚSICA

ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO NO DOMÍNIO DA MÚSICA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO NO DOMÍNIO DA MÚSICA FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO: Todos os campos são de preenchimento obrigatório. O Anexo ao formulário de candidatura deverá

Leia mais

LEI ORGÂNICA N.º 2/2006 QUARTA ALTERAÇÃO À LEI N.º 37/81, DE 3 DE OUTUBRO (LEI DA NACIONALIDADE)

LEI ORGÂNICA N.º 2/2006 QUARTA ALTERAÇÃO À LEI N.º 37/81, DE 3 DE OUTUBRO (LEI DA NACIONALIDADE) LEI ORGÂNICA N.º 2/2006 QUARTA ALTERAÇÃO À LEI N.º 37/81, DE 3 DE OUTUBRO (LEI DA NACIONALIDADE) A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, a lei orgânica

Leia mais

Autorização de Permanência e Residência O Regime do Golden Visa

Autorização de Permanência e Residência O Regime do Golden Visa Autorização de Permanência e Residência O Regime do Golden Visa O Direito de Residência dos Cidadãos Europeus Qualquer cidadão da UE tem direito de residir em Portugal, por período até 3 meses, sendo titular

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 407/XIII/2.ª

PROJETO DE LEI N.º 407/XIII/2.ª Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º 407/XIII/2.ª SIMPLIFICA E PREVINE EVENTUAIS FRAUDES NA ATRIBUIÇÃO DO SUBSÍDIO SOCIAL DE MOBILIDADE ATRIBUÍDO A RESIDENTES NAS REGIÕES AUTÓNOMAS (Primeira alteração

Leia mais

EDITAL. b) não sejam nacionais de um Estado membro da União Europeia;

EDITAL. b) não sejam nacionais de um Estado membro da União Europeia; EDITAL Concurso especial de acesso e ingresso do estudante internacional na Universidade dos Açores 2017-2018 Nos termos do Decreto-Lei n.º 36/2014, de 10 de março, alterado pelo Decreto-Lei, n.º 113/2014,

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS RELATIVO À AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA INVESTIMENTO (ARI)

MANUAL DE PROCEDIMENTOS RELATIVO À AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA INVESTIMENTO (ARI) MANUAL DE PROCEDIMENTOS RELATIVO À AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA INVESTIMENTO (ARI) Índice Índice... 2 Glossário... 4 Introdução... 5 1. Organização do Processo... 6 1.1. Requerimento Inicial... 6 1.1.1.

Leia mais

Instruções para preenchimento de contratos

Instruções para preenchimento de contratos Instruções para preenchimento de contratos Este documento tem como objetivo esclarecer o correto preenchimento dos contratos de emissão e renovação dos certificados digitais qualificados fornecidos pela

Leia mais

GOLDEN VISA. Autorização de Residência INFORMAÇÃO LEGAL I. AUTORIZAÇÃ O DE RESIDÊNCIA PARA INVESTIDORES ESTRANGEIROS

GOLDEN VISA. Autorização de Residência INFORMAÇÃO LEGAL I. AUTORIZAÇÃ O DE RESIDÊNCIA PARA INVESTIDORES ESTRANGEIROS INFORMAÇÃO LEGAL GOLDEN VISA I. AUTORIZAÇÃ O DE RESIDÊNCIA PARA INVESTIDORES ESTRANGEIROS As disposições legais em vigor admitem a possibilidade de cidadãos estrangeiros não residentes na União Europeia

Leia mais

AVISO. 1. Data e autor do ato de autorização de abertura do procedimento:

AVISO. 1. Data e autor do ato de autorização de abertura do procedimento: AVISO ESTRUTURA DE COORDENAÇÃO DO ENSINO PORTUGUÊS NO ESTRANGEIRO NO REINO UNIDO E ILHAS DO CANAL (Abertura de procedimento concursal simplificado destinado ao recrutamento local de docentes do ensino

Leia mais

Através do seguro social voluntário Atualizado em:

Através do seguro social voluntário Atualizado em: SEGURANÇA SOCIAL Através do seguro social voluntário Atualizado em: 05-01-2017 Esta informação destina-se a que cidadãos Pessoas abrangidas pelo seguro social voluntário O que é O regime do seguro social

Leia mais

ORGANISMOS INVESTIMENTO COLETIVO. Síntese do Regime Tributário

ORGANISMOS INVESTIMENTO COLETIVO. Síntese do Regime Tributário ORGANISMOS INVESTIMENTO COLETIVO Síntese do Regime Tributário O presente trabalho tem como objetivo central abordar o regime de tributação dos rendimentos provenientes de fundos de investimento mobiliário

Leia mais

INSCRIÇÃO DE ADVOGADO PROVENIENTE DA UNIÃO EUROPEIA

INSCRIÇÃO DE ADVOGADO PROVENIENTE DA UNIÃO EUROPEIA INSCRIÇÃO DE ADVOGADO PROVENIENTE DA UNIÃO EUROPEIA DOCUMENTOS A ENTREGAR (Reg. Nº 232/2007, de 4 de Setembro) 1) Requerimento de inscrição (Anexo A) 2) Boletim de inscrição com a assinatura pessoal e

Leia mais

Diploma. Regula a atribuição de um subsídio social de mobilidade aos cidadãos beneficiários residentes na ilha da Madeira

Diploma. Regula a atribuição de um subsídio social de mobilidade aos cidadãos beneficiários residentes na ilha da Madeira Diploma Regula a atribuição de um subsídio social de mobilidade aos cidadãos beneficiários residentes na ilha da Madeira Decreto Regulamentar Regional n.º 1-A/2016/M Aprova as condições da atribuição do

Leia mais

6336 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o de Outubro de 2004

6336 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o de Outubro de 2004 6336 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 246 19 de Outubro de 2004 MINISTÉRIOS DAS CIDADES, ADMINISTRAÇÃO LO- CAL, HABITAÇÃO E DESENVOLVIMENTO REGIO- NAL E DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES.

Leia mais

AVISO Coordenação do Ensino Português em França

AVISO Coordenação do Ensino Português em França AVISO Coordenação do Ensino Português em França (Abertura de procedimento concursal simplificado destinado ao recrutamento local de docentes do ensino português no estrangeiro para o cargo de leitor, ao

Leia mais

ANO LETIVO 2015/2016

ANO LETIVO 2015/2016 ORIENTAÇÕES PARA A CANDIDATURA AOS REGIMES DE REINGRESSO, MUDANÇA DE CURSO E TRANSFERÊNCIA (Portaria n.º 401/2007, de 5 de abril, alterada pela Portaria n.º 232-A/2013, de 22 de julho, e pelo Decreto-

Leia mais

AVISO CAMÕES INSTITUTO DA COOPERAÇÃO E DA LÍNGUA, I.P.

AVISO CAMÕES INSTITUTO DA COOPERAÇÃO E DA LÍNGUA, I.P. AVISO CAMÕES INSTITUTO DA COOPERAÇÃO E DA LÍNGUA, I.P. ESTRUTURA DE COORDENAÇÃO DO ENSINO PORTUGUÊS EM FRANÇA (Abertura de procedimento concursal simplificado destinado ao recrutamento local de docentes

Leia mais

Concurso de 2015 ANEXO X

Concurso de 2015 ANEXO X ANEXO X PROGRAMA DE APOIO AO CINEMA SUBPROGRAMA DE APOIO À PRODUÇÃO, NA MODALIDADE DE APOIO AUTOMÁTICO 1. Candidatos e beneficiários Podem candidatar-se e beneficiar de apoio os produtores independentes

Leia mais

GUIA PRÁTICO FUNDO ESPECIAL DE SEGURANÇA SOCIAL DO PESSOAL DA INDÚSTRIA DE LANIFÍCIOS

GUIA PRÁTICO FUNDO ESPECIAL DE SEGURANÇA SOCIAL DO PESSOAL DA INDÚSTRIA DE LANIFÍCIOS GUIA PRÁTICO FUNDO ESPECIAL DE SEGURANÇA SOCIAL DO PESSOAL DA INDÚSTRIA DE LANIFÍCIOS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/11 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Fundo

Leia mais

ESTUDANTE INTERNACIONAL CANDIDATURAS, EMOLUMENTOS, CRITÉRIOS DE SERIAÇÃO E DOCUMENTOS A APRESENTAR

ESTUDANTE INTERNACIONAL CANDIDATURAS, EMOLUMENTOS, CRITÉRIOS DE SERIAÇÃO E DOCUMENTOS A APRESENTAR ESTUDANTE INTERNACIONAL CANDIDATURAS, EMOLUMENTOS, CRITÉRIOS DE SERIAÇÃO E DOCUMENTOS A APRESENTAR Prazos de Candidatura 2017/18: As candidaturas encontram-se abertas em permanência desde 20 de março a

Leia mais

Fundo de Apoio a Famílias

Fundo de Apoio a Famílias C Â M A R A M U N I C I P A L D E A V E I R O D I V I S Ã O A Ç Ã O S O C I A L E S A Ú D E Fundo de Apoio a Famílias Formulário de Candidatura Requerente: Freguesia: Nº de processo: INFORMAÇÃO DE CARÁTER

Leia mais

LEI DA NACIONALIDADE. Lei n.º 37/81, de 03 de Outubro (versão actualizada)

LEI DA NACIONALIDADE. Lei n.º 37/81, de 03 de Outubro (versão actualizada) 8/3/2014 :::Lei n.º 37/81, de 03 de Lei n.º 37/81, de 03 de (versão actualizada) LEI DA NACIONALIDADE Contém as seguintes alterações: - DL n.º 322-A/2001, de 14 de Dezembro - Lei Orgânica n.º 1/2004, de

Leia mais

Diploma. Lei da Nacionalidade. Lei da Nacionalidade

Diploma. Lei da Nacionalidade. Lei da Nacionalidade Diploma Lei da Nacionalidade Lei da Nacionalidade A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea a) do artigo 167.º e do n.º 2 do artigo 169.º da Constituição, o seguinte: Título I Atribuição,

Leia mais