Ação Monitória I DA PETIÇÃO INICIAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ação Monitória I DA PETIÇÃO INICIAL"

Transcrição

1 Ação Monitória I DA PETIÇÃO INICIAL A petição inicial da ação monitória deverá ser por escrito, por advogado legalmente constituído e habilitado (CPC, arts. 36 a 38) e deve conter os requisitos do art. 282, do CPC. Vejamos: 282, I aplica-se à ação monitória para demonstrar o juízo a qual a petição inicial é dirigida, de acordo com a respectiva competência para a causa. A monitória a rigor será ajuizada no foro do domicílio do réu (CPC, art. 94), nada impede, contudo, seja a mesma ajuizada em outro foro estabelecido pelas partes (CPC, art. 111) em documento que sirva de base para a ação monitória. Caberá o oferecimento de exceção de incompetência. A incompetência relativa será argüida por meio de exceção (CPC, art. 112 e 307 a 311), não podendo ser declarada de ofício (Súmula n. 33 do STJ). Sua argüição dar-se-a por ocasião da resposta, in casu, os embargos, quando fundadas em motivos preexistentes. Tratando-se de motivo superveniente aplicar-se-á a regra do art. 315 do CPC. Tratando-se de incompetência absoluta deverá essa ser declarada de ofício, podendo ser argüida em qualquer tempo e grau de jurisdição, independentemente de exceção (CPC, art. 113). A exceção será processada em apenso aos autos principais (CPC, art. 299), devendo ser oferecida em petição autônoma, sob pena de não conhecimento. A princípio, a ação monitória deverá ser ajuizada na Justiça Comum, mas nada impede que a parte faça opção por ajuizá-la perante o Juizado Especial Cível, que deterá a respectiva competência, desde que tenha a ação valor correspondente à no máximo 40 vezes o salário mínimo vigente no país. Será, todavia, facultativa tal propositura junto ao JEC. 282, II aplica-se à ação monitória visando a identificação das partes, qualificando-as e fornecendo-se seus endereços. O endereço do réu servirá para que se proceda à citação. 282, III - aplica-se à ação monitória eis que exige que o autor indique o fato e os fundamentos jurídicos do pedido, cabendo-lhe a narração dos fatos e dos fundamentos jurídicos do pedido que constituem a causa de pedir, de modo que não é necessária a citação de artigos de lei, eis que cabe ao juiz aplicar o direito ao fato jura novit curia, ainda que aquele não tenha sido expressamente invocado. Contudo, em caso de exame de ordem, geralmente é avaliado a indicação exata do fundamento legal. A descrição do fato constitutivo do direito do autor, já que este não dispõe de título executivo capaz de dispensálo da demonstração da causa debendi, bem como a exigibilidade (ocorrência do termo ou condição etc) do crédito poderá ser, por exemplo: (a) Narrativa dos fatos que permitam a determinação da quantidade devida, quando se tratar de dinheiro ou bem fungível. Narrativa descritiva do determinado bem móvel. (b) Descrever ou apresentar em anexo o demonstrativo do débito atualizado até a data da propositura da ação, quando se tratar de execução por quantia certa, conforme prescreve art. 614, II, do CPC. 282, IV - determina que o autor faça o pedido, com as suas especificações. Assim, deve o autor pedir a expedição de mandado de pagamento ou de entrega da coisa, no prazo de quinze (15) dias (CPC, art b) O pedido in casu é o próprio objeto da ação que levou a parte a invocar a tutela jurisdicional. Tratando-se de ação monitória onde se pede a entrega de coisa fungível, cabendo a escolha ao credor, caberá a esse fazer a devida menção, para que quando da expedição do mandado de entrega se faça a devida determinação. 282, V o valor da causa é indispensável. O valor da causa é a soma pecuniária da demanda para os fins legais, correspondendo, portanto, ao valor do benefício pleiteado pelo autor à época do ajuizamento da ação, estabilizando-se nessa oportunidade o mencionado valor atribuído pelo autor, ainda que haja modificações supervenientes como por exemplo, atualizações monetárias ou quaisquer outros acréscimos relativos a períodos posteriores.

2 282, VI - Deve a petição inicial indicar as provas com que o autor pretende demonstrar a verdade dos fatos alegados. Ao autor, quanto ao fato constitutivo do seu direito cabe o ônus da prova (CPC, art. 333, I). Não quer dizer aqui que o autor deva fazer as provas de imediato, mas sim que esse indique os meios que utilizará para tanto (depoimento pessoal, prova testemunhal, documental, pericial, etc.). Tal inciso aplica-se à ação monitória, eis que com o oferecimento de embargos por parte do réu, poderá haver lugar para a produção de provas. 282, VII ainda que o art b, do CPC, estabeleça que estando a petição inicial devidamente instruída, o juiz deferirá de plano a expedição de mandado de pagamento ou de entrega da coisa no prazo de quinze dias, temse que o pedido de citação do réu deverá ser feito, para pagar ou entregar a coisa objeto do pedido, no prazo de 15 dias, advertindo-o de que na falta de oposição de embargos, ocorrerá revelia e constituir-se-á de imediato um título executivo judicial, convertendo-se assim o mandado inicial em mandado executivo na forma legal. Cabe esclarecer que tal mandado será rotulado de mandado de citação, citando o réu para fazer o pagamento ou entregar a coisa fungível ou móvel, e para que o mesmo oponha, querendo, embargos dentro de igual prazo, sob pena de revelia, com a conversão do mandado de citação em mandado executivo, e formação do título executivo judicial. Deve-se observar que no caso de coisa fungível, cabendo a escolha da entrega ao credor, caberá ao mesmo fazer a devida especificação na inicial, para que tal menção conste do respectivo mandado de entrega. E, ainda, em decorrência do art. 39, I, do CPC, compete ao advogado, na inicial, declarar o endereço em que receberá intimação. Cabe destacar, ainda, que em se tratando de monitória para a cobrança de crédito, tem-se como necessário que o autor instrua a inicial com o respectivo cálculo atualizado do débito (art. 614, II, CPC). A citação para o réu pagar ou entregar a coisa objeto da ação monitória, em quinze (15) dias, poderá ser feita por correio, que é a regra legal (CPC, art. 221, I e 222), por oficial de justiça, ou por edital (súmula 282/STJ) caso assim pretenda o autor, sendo que em qualquer caso deverá ser esclarecido que o mesmo tem tal prazo para: - Pagar a quantia reclamada pelo autor, ficando nesse caso, isento do pagamento das custas processuais e dos honorários advocatícios; - Entregar a coisa objeto da ação monitória, ficando nesse caso, isento do pagamento das custas processuais e dos honorários advocatícios; - Oferecer embargos, que suspenderão a eficácia do mandado inicial. Deverá constar do ofício o mandado, ficando o réu devidamente advertido, de que não sendo efetuado o pagamento (ou a entrega da coisa) e nem oferecido embargos no prazo de quinze (15) dias, contados da forma prevista pelo art. 241 do CPC, constituir-se-á, de pleno direito, o título executivo judicial, convertendo-se o mandado inicial, em mandado executivo, com o prosseguimento da ação para entrega da coisa (CPC, art.621) ou penhora (CPC, art. 652), sendo o caso, quando a ação prosseguirá sob forma de execução. II - INTRODUÇÃO: Necessidade de facilitar o acesso do credor ao título executivo. Simplificação procedimental: busca-se eliminar a complexidade do juízo ordinário de conhecimento derivada das exigências do contraditório. Sua finalidade é alcançar a formação de título executivo judicial de modo mais rápido do que na ação condenatória convencional. A tutela monitória foi criada para aquelas situações em que, embora não exista título executivo, há concretamente forte aparência de que aquele que se afirma credor tenha razão. III - CONCEITO e OBJETO da Ação Monitória: Art. 1102, a, CPC a ação monitória compete a quem pretender, com base em prova escrita sem eficácia de título executivo, pagamento de soma de dinheiro, entrega de coisa fungível ou de determinado bem móvel. O juiz examinará a prova escrita trazida com a inicial. Considerando a peça devidamente instruída, determinará expedição de mandado para que o réu pague ou entregue a coisa em quinze dias (art. 1102b).

3 a) Para Pagamento de Soma em Dinheiro Para que se possa reivindicar o pagamento de soma em dinheiro, torna-se necessário que concorram os requisitos legais atinentes à liquidez, certeza e exigibilidade da dívida que se pretende cobrar pela ação monitória. Liquidez: é a obrigação certa quanto à sua existência e determinada quanto ao seu objeto. Certeza: é a exatidão do crédito, sem qualquer dúvida ou incerteza da sua existência. Exigibilidade: é a condição de estar vencida a obrigação constante do respectivo título de crédito. Logo, é necessário demonstrar de plano na instrução do processo, mediante prova escrita, a certeza, a liquidez e a exigibilidade da obrigação pretendida, não se admitindo o acertamento do débito no curso dos embargos e eventualmente opostos pelo devedor. b) Para Entrega de Coisa Fungível De acordo com o art. 85 do CC, são fungíveis os móveis que podem substituir-se por outros da mesma espécie, qualidade e quantidade. Uma saca de arroz ou de feijão constitui um bom exemplo de coisa fungível. O dinheiro, por sua vez é bem fungível por excelência. Já uma tela de Da Vinci constitui tipicamente uma coisa infungível. O objetivo da monitória é a entrega de coisa móvel fungível que se encontre em poder de outrem, desde que se faça a respectiva prova escrita, acerca do direito que tem a outra parte de entregar tal coisa fungível. c) Para Entrega de Determinado Bem Móvel De acordo com o art. 82, do CCC, são móveis os bens suscetíveis de movimento próprio, ou de remoção por força alheia, sem alteração da substância ou da destinação econômico-social. Exige-se para o manejo da ação monitória, que o bem móvel seja determinado, ou seja, estabelecido, fixo, e que a parte faça prova escrita de seu pretenso direito sobre tal bem, descrendo-o. IV - LEGITIMIDADE ATIVA: 1. Todo aquele que se apresentar como credor de obrigação de soma de dinheiro, de coisa fungível ou de coisa certa móvel; tanto credor originário, como o cessionário ou sub-rogado. 2. Pode ser Pessoa Física ou Jurídica, de Direito Privado ou Público. V - LEGITIMIDADE PASSIVA: 1. Haverá de ser aquele que, na relação obrigacional de que é titular o promovente da ação, figure como obrigado ou devedor por soma de dinheiro, de coisa fungível ou coisa certa móvel. O mesmo se diz de seu sucessor universal ou singular. 2. O falido ou o insolvente civil não pode ser demandado pela via porque não dispõe de capacidade processual e também porque não pode haver execução contra tais devedores fora do concurso universal. 3. Pessoa Jurídica de Direito Público: a doutrina diverge (não pode ser demandado --- CF / a Fazenda Publica pressupõe precatório com base em sentença condenatória). Porém, o STJ sumulou que É cabível ação monitória contra a Fazenda Pública (Súmula 339) 4. Quanto a pessoas jurídicas de direito privado não há restrições. VI - PROVA 1. Requisito indispensável ao uso da ação monitória é a existência de prova escrita sem eficácia de título executivo, em favor do autor. Exigência essa do art. 1102, a, CPC. Essa prova escrita poderá ser tanto do próprio punho do devedor, como escrita por terceiro e assinada pelo mesmo ou por quem legitimamente o represente. Assim, um bilhete, um recibo ou uma carta, desde que demonstre determinada obrigação será hábil ao ajuizamento da ação monitória. 2. A prova escrita tanto pode ser pré-constituída (instrumento elaborado no ato da realização do negócio jurídico para registro da declaração de vontade), como também pode ser casual (escrito surgido sem a intenção direta de documentar o negócio jurídico, mas que é suficiente para demonstrar sua existência). 3. Se aceita começo de prova por escrito.

4 4. A cognição será sumária. O juízo de probabilidade da existência do direito é mera delibação feita com o objetivo de emitir ou não o mandado, num pronunciamento que no direito brasileiro não tem eficácia declaratória, não fica acobertado pela coisa julgada e serve somente para desencadear para o réu o ônus de embargar, caso pretenda resistir. A probabilidade buscada é menos do que a certeza que num processo ordinário levaria o juiz a emitir juízo de procedência da demanda, mas basta para os fins limitados que caracterizam o mandado1. 5. Quanto ao ônus da prova, não há novidade alguma. Prevalecem as regras gerais do art. 333/CPC, ou seja, ao autor compete provar o fato constitutivo de seu direito e ao réu incumbe a prova do fato impeditivo, modificativo ou extintivo daquele direito. 6. A prova pelo autor deve evidenciar, por si só, a liquidez, certeza e exigibilidade da obrigação, porque o mandado de pagamento a ser expedido liminarmente tem de individuar a prestação reclamada pelo autor e não haverá oportunidade para o credor completar a comprovação do crédito e seu respectivo objeto. Deve-se apresentar memória de cálculo discriminada. VII - DO PROCEDIMENTO A primeira fase se destina à formação do título executório. O JUIZ após verificar a prova deferirá de plano a expedição do mandado de pagamento ou de entrega da coisa, em desfavor do réu, que o cumprirá no prazo de quinze dias. Dentro do prazo de 15 dias, o réu poderá fazer o pagamento ou a entrega da coisa reclamada pela monitória. Poderá, ainda, o réu oferecer, querendo, embargos que suspenderão a eficácia do mandado inicial (CPC, art c), independentemente de segurança do juízo, que não se exige no procedimento monitório, eis que nesse caso, em tal fase, ainda não há um título executivo. Assim, o DEVEDOR citado pode: a) efetuar o pagamento OU de entregar a coisa no prazo de 15 dias2; b) permanecer inerte revel; c) oferecer embargos no prazo de 15 dias3. Na hipótese de o réu não embargar ou ter seus embargos rejeitados, a decisão inicial que havia determinado a expedição do mandado automaticamente se transformará de pleno direito em título executivo judicial (art. 1102c caput e 3º.). Constituído o título executivo e já sendo possível executar, ingressa-se, sem solução de continuidade, na fase executiva do processo. A execução, no processo monitório, independe de nova demanda (petição inicial e demais formalidades). LOGO, CONVERTIDO o mandado inicial em mandado executivo, a execução far-se-á pelas regras do cumprimento da sentença (art. 475-J e seguintes). Não haverá nova citação, conforme determina o 3º, do art c. O ato que dará ciência do mandado (agora já executivo), abrindo-lhe oportunidade para pagar ou garantir o juízo, será a intimação operada no curso do processo. Pela nova disciplina do cumprimento de sentença, deixa de existir a oportunidade para nomear bens à penhora. O devedor, que poderá ser na pessoa de seu advogado, será desde logo intimado da penhora (art. 475-J, 1º., acrescido pela Lei ). O devedor poderá utilizar-se da impugnação prevista no art. 475-L, no prazo de quinze dias a partir da juntada aos autos do comprovante da intimação da penhora. Determina o art. 475-J que caso o devedor, condenado ao pagamento de quantia certa ou já fixada em liquidação, não o efetue no prazo de quinze dias, o montante da condenação será acrescido de multa no percentual de dez por cento e, a requerimento do credor e observado o disposto no art. 614, inciso II, desta Lei, expedir-se-á mandado de penhora e avaliação. VIII - OUTROS PONTOS a) EMBARGOS À AÇÃO MONITÓRIA A defesa do demandado na ação monitória é feita por meio de embargos. Não se fala em contestação porque o mandado de citação não o convida a defender-se.

5 O tema de embargos é ainda bastante controvertido. Para alguns será processado no próprio processo (não será apenso), para outros se trata de nova demanda, geradora de outro processo. A maioria entende que devem ser de forma incidental. b) PEDIDO ALTERNATIVO Segundo o art. 288, do CPC, o pedido será alternativo, quando, pela natureza da obrigação, o devedor puder cumprir a prestação de mais de um modo. No pedido alternativo, pede-se mais de uma coisa, para que se conceda uma ou outra em amparo ao direito do autor. O CC em seus art. 252 e ss. Trata das obrigações alternativas. A ação monitória admitirá o pedido alternativo, cabendo à parte, na hipótese de reivindicação da entrega de coisa móvel, pedir como pedido alternativo, a devolução da importância paga pelo mesmo e consubstanciada em prova escrita da obrigação, facultando-se, assim, ao réu, pagar ou entregar a coisa reivindicada. c) CITAÇÃO POR OFICIAL DE JUSTIÇA, POR EDITAL E POR HORA CERTA A doutrina tem debatido, e os tribunais não chegaram a um consenso, acerca da possibilidade de citação ficta por edital ou hora certa no processo monitório. Destaca-se a Súmula 196 do STJ, segundo a qual ao executado que, citado por edital ou por hora certa, permanecer revel, será nomeado curador especial, com legitimidade para apresentação de embargos, logo, se mesmo na execução, que já se inicia com título executivo, prevalece esse entendimento, não pode ser diferente no processo 2 O réu estará isento de custas e honorários advocatícios se pagar ou entregar os bens no prazo de quinze dias (art. 1102c, 1º.). 3 Havendo embargos ficará suspenso o mandado inicialmente deferido e o procedimento seguirá o rito ordinário do processo comum de conhecimento (art. 1102c, caput e 2º.). Outrossim, não se impõe ao réu o ônus de ter bem penhorado para apresentar embargos (art. 1102c, 2º.) monitório. Assim, não comparecendo o réu para pagar ou embargar, caberá nomeação de curador especial com legitimidade para interpor embargos ao mandado. A Súmula 282 do STJ admite citação por edital no processo monitório. d) Súmulas do STJ: STJ Súmula nº /05/ DJ Contrato de Abertura de Crédito - Ação Monitória O contrato de abertura de crédito em conta-corrente, acompanhado do demonstrativo de débito, constitui documento hábil para o ajuizamento da ação monitória. STJ Súmula nº 282 DJ 13/05/2004 Citação por edital Cabe a citação por edital em ação monitória. STJ Súmula nº /05/ DJ Reconvenção - Ação Monitória - Conversão do Procedimento A reconvenção é cabível na ação monitória, após a conversão do procedimento em ordinário. STJ Súmula nº /10/ DJ Ação Monitória Fundada em Cheque Prescrito É admissível a ação monitória fundada em cheque prescrito. STJ Súmula nº 339 Súmula 339 do STJ: Cabimento de ação monitória contra a Fazenda Pública

Foi instituída no ordenamento jurídico brasileiro a partir da Lei. 9079/95, que incluiu os arts A, 1102-B e 1102-C no CPC/73.

Foi instituída no ordenamento jurídico brasileiro a partir da Lei. 9079/95, que incluiu os arts A, 1102-B e 1102-C no CPC/73. AÇÃO MONITÓRIA Observações iniciais Foi instituída no ordenamento jurídico brasileiro a partir da Lei. 9079/95, que incluiu os arts. 1102-A, 1102-B e 1102-C no CPC/73. No NCPC tal matéria é tratada nos

Leia mais

PROCEDIMENTOS ESPECIAIS

PROCEDIMENTOS ESPECIAIS PROCEDIMENTOS ESPECIAIS AÇÃO MONITÓRIA DA AÇÃO MONITÓRIA Art. 700. A ação monitória pode ser proposta por aquele que afirmar, com base em prova escrita sem eficácia de título executivo, ter direito de

Leia mais

Ação Monitória. Mattos, Raquel Monteiro Calanzani de. Ação monitória / Raquel Monteiro Calanzani de Mattos. Varginha, slides.

Ação Monitória. Mattos, Raquel Monteiro Calanzani de. Ação monitória / Raquel Monteiro Calanzani de Mattos. Varginha, slides. Ação Monitória M435a Mattos, Raquel Monteiro Calanzani de. Ação monitória / Raquel Monteiro Calanzani de Mattos. Varginha, 2015. 24 slides. Sistema requerido: Adobe Acrobat Reader Modo de Acesso: World

Leia mais

AÇÃO MONITORIA. Elan Marcos de Matos TEIXEIRA¹ Priscila Moreira MARCONDES² Ariane Fernandes OLIVEIRA³ 1. INTRODUÇÃO.

AÇÃO MONITORIA. Elan Marcos de Matos TEIXEIRA¹ Priscila Moreira MARCONDES² Ariane Fernandes OLIVEIRA³ 1. INTRODUÇÃO. AÇÃO MONITORIA Elan Marcos de Matos TEIXEIRA¹ Priscila Moreira MARCONDES² Ariane Fernandes OLIVEIRA³ 1. INTRODUÇÃO. O Presente artigo tem como finalidade discutir o processo monitório e seu respective

Leia mais

2. FORO COMPETENTE : Art. 46 do NCPC Pode haver foro de Eleição.

2. FORO COMPETENTE : Art. 46 do NCPC Pode haver foro de Eleição. AULA 10 Ação Monitória 1. CONCEITO: É um expediente que tem como finalidade eliminar o processo de conhecimento, permitindo que o credor de uma obrigação que possua prova escrita desta, sem força executiva,

Leia mais

Curso Preparatório para o Concurso Público do TRT 12. Noções de Direito Processual Civil Aula 5 Prof. Esp Daniel Teske Corrêa

Curso Preparatório para o Concurso Público do TRT 12. Noções de Direito Processual Civil Aula 5 Prof. Esp Daniel Teske Corrêa Curso Preparatório para o Concurso Público do TRT 12 Noções de Direito Processual Civil Aula 5 Prof. Esp Daniel Teske Corrêa Sumário Antecipação dos Efeitos da Tutela Teoria Geral da Execução Execução

Leia mais

EXECUÇÃO PARA A ENTREGA DE COISA CERTA E INCERTA (Art. 621 ao 631, CPC):

EXECUÇÃO PARA A ENTREGA DE COISA CERTA E INCERTA (Art. 621 ao 631, CPC): - A petição inicial do processo de execução, além dos requisitos do art. 282, CPC, deve obedecer aos requisitos dos arts. 614 e 615, CPC: - I conter pedido expresso de citação do devedor; - II ser instruída

Leia mais

ANDRÉ LUIZ M. BITTENCOURT.

ANDRÉ LUIZ M. BITTENCOURT. ANDRÉ LUIZ M. BITTENCOURT IMPORTÂNCIA DA ATRIBUIÇÃO DO VALOR DA CAUSA Art.291. Atodacausaserá atribuídovalorcerto,ainda que não tenha conteúdo econômico imediatamente aferível. IMPORTÂNCIA DA ATRIBUIÇÃO

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Execução I. Prof. Luiz Dellore

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Execução I. Prof. Luiz Dellore DIREITO PROCESSUAL CIVIL Execução I Prof. Luiz Dellore Inadimplemento + título executivo extrajudicial: Processo de execução. PARTE ESPECIAL LIVRO II DO PROCESSO DE EXECUÇÃO Sempre? Art. 785. A existência

Leia mais

PROCESSO DE CONHECIMENTO. Petição Inicial (282 do CPC)

PROCESSO DE CONHECIMENTO. Petição Inicial (282 do CPC) PROCESSO DE CONHECIMENTO Petição Inicial (282 do CPC) Juiz; Qualificações; Fatos e Fundamentos; DEVERÁ INDICAR Pedido; Valor da Causa; Provas; Requerimento. PEDIDO (ART. 282, CPC) O pedido é o último elemento

Leia mais

Escola de Ciências Jurídicas-ECJ

Escola de Ciências Jurídicas-ECJ Posição legal Momento processual Necessidade, finalidade, objeto e limites Natureza jurídica Liquidação na pendência de recurso Liquidação concomitante com execução Modalidades Liquidação de sentença Sumário

Leia mais

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA PROCESSO DE EXECUÇÃO DO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA PROCESSO DE EXECUÇÃO DO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL PROCESSO DE EXECUÇÃO DO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL Programa do curso 1. Cumprimento da sentença na execução por quantia certa 2. Cumprimento de sentença na execução por quantia certa na ação de alimentos

Leia mais

Petição Inicial I. Professor Zulmar Duarte

Petição Inicial I. Professor Zulmar Duarte I Professor Zulmar Duarte Instaura a relação processual (linear) Apresenta a Demanda (causa de pedir e pedido) Litispendência (art. 312) Fixação da competência (art. 43) Requisitos Art. 319 Competência

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Execução II defesa do executado. Prof. Luiz Dellore

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Execução II defesa do executado. Prof. Luiz Dellore DIREITO PROCESSUAL CIVIL Execução II defesa do executado Prof. Luiz Dellore PARTE ESPECIAL LIVRO II DO PROCESSO DE EXECUÇÃO TÍTULO I DA EXECUÇÃO EM GERAL TÍTULO II DAS DIVERSAS ESPÉCIES DE EXECUÇÃO TÍTULO

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Cumprimento de sentença II. Prof. Luiz Dellore

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Cumprimento de sentença II. Prof. Luiz Dellore DIREITO PROCESSUAL CIVIL Cumprimento de sentença II Prof. Luiz Dellore 1. Liquidação de sentença: cabível quando o título não determinar exatamente o valor devido pela condenação. Enquanto estiver pendente

Leia mais

Manual de Prática Trabalhista - 6ª Edição - Cinthia Machado de Oliveira. Título I PETIÇÃO INICIAL Capítulo I PETIÇÃO INICIAL EM DISSÍDIO INDIVIDUAL

Manual de Prática Trabalhista - 6ª Edição - Cinthia Machado de Oliveira. Título I PETIÇÃO INICIAL Capítulo I PETIÇÃO INICIAL EM DISSÍDIO INDIVIDUAL SUMÁRIO Título I PETIÇÃO INICIAL PETIÇÃO INICIAL EM DISSÍDIO INDIVIDUAL Fundamento legal... 15 Cabimento... 15 Espécies de ritos do processo do trabalho... 16 Rito sumário... 16 Rito sumaríssimo... 16

Leia mais

PROCESSO DE EXECUÇÃO CUMPRIMENTO DE SENTENÇA. Prof. Luis Fernando

PROCESSO DE EXECUÇÃO CUMPRIMENTO DE SENTENÇA. Prof. Luis Fernando PROCESSO DE EXECUÇÃO CUMPRIMENTO DE SENTENÇA Prof. Luis Fernando CPC, 475-L Art. 475-I. O cumprimento da sentença far-se-á conforme os arts. 461 e 461-A desta Lei ou, tratando-se de obrigação por quantia

Leia mais

Olá, pessoal! Chegamos ao nosso décimo primeiro módulo. No módulo 10, tratamos dos recursos. Agora veremos algumas questões sobre a fase executiva.

Olá, pessoal! Chegamos ao nosso décimo primeiro módulo. No módulo 10, tratamos dos recursos. Agora veremos algumas questões sobre a fase executiva. CURSO DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DE PROCESSO CIVIL PONTO A PONTO PARA TRIBUNAIS MÓDULO 11 EXECUÇÃO Professora: Janaína Noleto Curso Agora Eu Passo () Olá, pessoal! Chegamos ao nosso décimo primeiro módulo.

Leia mais

Cumprimento provisório da sentença e competência do Juizado Especial Fazendário

Cumprimento provisório da sentença e competência do Juizado Especial Fazendário Cumprimento provisório da sentença e competência do Juizado Especial Fazendário A Lei n 12.153/09, ao disciplinar os Juizados Especiais Fazendários, omitiu-se quanto ao cumprimento da sentença, porém,

Leia mais

Sumário. Capítulo 1 A Situação Concreta Exposição da Situação Concreta e de suas mais de 50 Petições Vinculadas...1

Sumário. Capítulo 1 A Situação Concreta Exposição da Situação Concreta e de suas mais de 50 Petições Vinculadas...1 Sumário Capítulo 1 A Situação Concreta... 1 1.1. Exposição da Situação Concreta e de suas mais de 50 Petições Vinculadas...1 Capítulo 2 Petições Cíveis: Procedimento Comum... 7 2.1. Petição Inicial...7

Leia mais

Cumprimento de Sentença e Execução. Ricardo de Carvalho Aprigliano

Cumprimento de Sentença e Execução. Ricardo de Carvalho Aprigliano Cumprimento de Sentença e Execução Ricardo de Carvalho Aprigliano Considerações iniciais Antes da execução Cumprimento de sentença Intimação do devedor pelo DJE na pessoa do seu advogado (art. 513, 2º,I).

Leia mais

PONTO 1: Procedimentos Especiais 1. PROCEDIMENTOS ESPECIAIS. 1.1 AÇÃO MONITÓRIA Art DO CPC

PONTO 1: Procedimentos Especiais 1. PROCEDIMENTOS ESPECIAIS. 1.1 AÇÃO MONITÓRIA Art DO CPC 1 PROCESSO CIVIL PROCESSO CIVIL PONTO 1: Procedimentos Especiais 1. PROCEDIMENTOS ESPECIAIS 1.1 AÇÃO MONITÓRIA Art. 1.102 DO CPC CABIMENTO: Art. 1.102-A do CPC Títulos Executivos Judiciais art. 475-N Títulos

Leia mais

CPC adota TEORIA ECLÉTICA DA AÇÃO. Que parte de outras duas teorias: b) concreta: sentença favorável. Chiovenda: direito potestativo.

CPC adota TEORIA ECLÉTICA DA AÇÃO. Que parte de outras duas teorias: b) concreta: sentença favorável. Chiovenda: direito potestativo. 1 PROCESSO CIVIL PONTO 1: CONDIÇÕES DA AÇÃO PONTO 2: CÓDIGO REFORMADO - TEORIA DA AÇÃO DOUTRINA PROCESSUAL CONTEMPORÂNEA PONTO 3: RESPOSTA DO RÉU PONTO 4: CONTESTAÇÃO 1. CONDIÇÕES DA AÇÃO ELEMENTOS CONSTITUTIVOS

Leia mais

Pratica Civil I 7º Semestre. AULA 07 Ação de Consignação em pagamento

Pratica Civil I 7º Semestre. AULA 07 Ação de Consignação em pagamento AULA 07 Ação de Consignação em pagamento TEXTO LEGAL COMPARADO TÍTULO III- DOS PROCEDIMENTOS ESPECIAIS- CAPÍTULO I DA AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO Art. 539 Nos casos previstos em lei, poderá o devedor

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Cumprimento de sentença. Prof. Luiz Dellore

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Cumprimento de sentença. Prof. Luiz Dellore DIREITO PROCESSUAL CIVIL Cumprimento de sentença Prof. Luiz Dellore 1. Finalidades dos processos 1.1 Processo de conhecimento: crise de incerteza 1.2 Processo de execução: crise de inadimplemento 2. Requisitos

Leia mais

Ação Monitória. Eunice Bitencourt Haddad 1 INTRODUÇÃO DESENVOLVIMENTO

Ação Monitória. Eunice Bitencourt Haddad 1 INTRODUÇÃO DESENVOLVIMENTO Ação Monitória 83 Eunice Bitencourt Haddad 1 INTRODUÇÃO A ação monitória foi introduzida no ordenamento jurídico brasileiro pela Lei 9.079, de 14 de julho de 1995, que acrescentou o Capítulo XV ao Título

Leia mais

Sumário Capítulo 1 Prazos Capítulo 2 Incompetência: principais mudanças

Sumário Capítulo 1 Prazos Capítulo 2 Incompetência: principais mudanças Sumário Capítulo 1 Prazos 1.1. Forma de contagem: somente em dias úteis 1.2. Prática do ato processual antes da publicação 1.3. Uniformização dos prazos para recursos 1.4. Prazos para os pronunciamentos

Leia mais

AULA 9 AÇÃO TRABALHISTA Elementos da Resposta do Réu DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFª KILMA GALINDO DO NASCIMENTO

AULA 9 AÇÃO TRABALHISTA Elementos da Resposta do Réu DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFª KILMA GALINDO DO NASCIMENTO AULA 9 AÇÃO TRABALHISTA Elementos da Resposta do Réu DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFª KILMA GALINDO DO NASCIMENTO RESPOSTAS DO RÉU CONTESTAÇÃO; EXCEÇÃO (Incompetência relativa, suspeição

Leia mais

Direito Processual Civil Executivo. Programa

Direito Processual Civil Executivo. Programa Direito Processual Civil Executivo Programa Rui Pinto Duarte 2010/2011 I Aspectos Gerais 1. Noção de acção executiva 2. O princípio do dispositivo na acção executiva (3.º, 810 e 675-A) 3. Execução individual

Leia mais

1.1. Legitimidade Ativa Execução Fiscal contra a Fazenda Pública Aplicação Subsidiária do Código de Processo Civil...

1.1. Legitimidade Ativa Execução Fiscal contra a Fazenda Pública Aplicação Subsidiária do Código de Processo Civil... sumário Parte i execução Fiscal Art. 1 o... 3 1.1. Legitimidade Ativa... 3 1.2. Execução Fiscal contra a Fazenda Pública... 6 1.3. Aplicação Subsidiária do Código de Processo Civil... 7 Art. 2 o... 8 2.1.

Leia mais

SUMÁRIO. Direito do Trabalho Direito Processual Civil Direito Processual do Trabalho

SUMÁRIO. Direito do Trabalho Direito Processual Civil Direito Processual do Trabalho SUMÁRIO Direito do Trabalho... 05 Direito Processual Civil... 139 Direito Processual do Trabalho... 195 DIREITO DO TRABALHO ÍNDICE CAPÍTULO 01... 7 Fontes e Princípios de Direito do Trabalho... 7 Surgimento

Leia mais

Preparo efetuado. 1. Data e assinatura.

Preparo efetuado. 1. Data e assinatura. 1. RECEBIMENTO DE PETIÇÃO INICIAL (Rito ordinário) Autos n. Comarca de Preparo efetuado. 1 282). Recebo a petição inicial, por ser a mesma apta (CPC, art. Cite-se o requerido para que, caso queira, apresente

Leia mais

DOS PROCEDIMENTOS ESPECIAIS DE JURISDIÇÃO CONTENCIOSA. DA AÇÃO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS CPC artigos 914 / Introdução

DOS PROCEDIMENTOS ESPECIAIS DE JURISDIÇÃO CONTENCIOSA. DA AÇÃO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS CPC artigos 914 / Introdução DOS PROCEDIMENTOS ESPECIAIS DE JURISDIÇÃO CONTENCIOSA DA AÇÃO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS CPC artigos 914 / 919 Prestação de contas: 1 - Introdução em sentido comum, prestar contas ou dar conta de alguma coisa

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL

DIREITO PROCESSUAL CIVIL DIREITO PROCESSUAL CIVIL FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS (FCC) TÉCNICO TRT s 07 PROVAS 34 QUESTÕES (2012 2010) A apostila contém provas de Direito Processual Civil de concursos da Fundação Carlos Chagas (FCC),

Leia mais

Plano de Ensino 1. Petição inicial. Requisitos.

Plano de Ensino 1. Petição inicial. Requisitos. Plano de Ensino 1. Petição inicial. Requisitos. (CPC, arts. 282 a 285-A) Petição Inicial Conceito: petição inicial é o ato formal do autor que introduz a causa em juízo (Vicente, 135). Características:

Leia mais

Processo de Execução no Direito Previdenciário

Processo de Execução no Direito Previdenciário Processo de Execução no Direito Previdenciário Introdução ao Processo de Execução. A Execução contra a Fazenda Pública Previdenciária - Noções Gerais: objeto, partes, requisitos, prazos, procedimento Execução

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Honorários, gratuidade e prazos. Prof. Luiz Dellore

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Honorários, gratuidade e prazos. Prof. Luiz Dellore DIREITO PROCESSUAL CIVIL Honorários, gratuidade e prazos Prof. Luiz Dellore 1. Honorários Art. 85. A sentença condenará o vencido a pagar honorários ao advogado do vencedor. 1 o São devidos honorários

Leia mais

DA RESPOSTA DO RÉU. ESPÉCIES Contestação (Art. 300 a 303 do CPC); Reconvenção (Art. 315 a 318 do CPC); Exceção (Art. 304 a 314 do CPC).

DA RESPOSTA DO RÉU. ESPÉCIES Contestação (Art. 300 a 303 do CPC); Reconvenção (Art. 315 a 318 do CPC); Exceção (Art. 304 a 314 do CPC). DA RESPOSTA DO RÉU DISPOSIÇÕES GERAIS Uma vez efetuada a citação válida, a relação jurídica processual está completa, surgindo o ônus do réu de oferecer a defesa contra fatos e direitos sustentados pelo

Leia mais

SUMÁRIO INTRODUÇÃO À EXECUÇÃO FISCAL...

SUMÁRIO INTRODUÇÃO À EXECUÇÃO FISCAL... SUMÁRIO 17 SUMÁRIO INTRODUÇÃO À EXECUÇÃO FISCAL... 27 1. A Execução Fiscal como instrumento arrecadatório... 27 2. Caráter social da execução fiscal. Princípios da igualdade e da livre concorrência...

Leia mais

Conteúdos/ Matéria. Categorias/ Questões. Habilidades e Competências. Textos, filmes e outros materiais. Tipo de aula. Semana. Princípios Gerais da

Conteúdos/ Matéria. Categorias/ Questões. Habilidades e Competências. Textos, filmes e outros materiais. Tipo de aula. Semana. Princípios Gerais da PLANO DE CURSO DISCIPLINA: EXECUÇÃO CÍVEL (CÓD. ENEX 60132) ETAPA: 6ª TOTAL DE ENCONTROS: 15 SEMANAS Semana Conteúdos/ Matéria Categorias/ Questões Tipo de aula Habilidades e Competências Textos, filmes

Leia mais

Juizados Especiais. Aula 11 ( ) Vinicius Pedrosa Santos (magistrado e professor)

Juizados Especiais. Aula 11 ( ) Vinicius Pedrosa Santos (magistrado e professor) Juizados Especiais Aula 11 (07.05.13) Vinicius Pedrosa Santos (magistrado e professor) e-mail: vinipedrosa@uol.com.br Ementa da aula Execução e embargos fundados em título judicial Execução e embargos

Leia mais

Pedro, na qualidade de locatário, contratou com Antônio, locador, menor púbere, assistido por seu genitor, Fernando, a locação do imóvel residencial

Pedro, na qualidade de locatário, contratou com Antônio, locador, menor púbere, assistido por seu genitor, Fernando, a locação do imóvel residencial Pedro, na qualidade de locatário, contratou com Antônio, locador, menor púbere, assistido por seu genitor, Fernando, a locação do imóvel residencial de sua propriedade, unidade autônoma e integrante do

Leia mais

1 - O que é ação monitória? (Lei 9079/95)

1 - O que é ação monitória? (Lei 9079/95) CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ Curso: Direito 7º DIV e 7º DIN Disciplina: ESTÁGIO II Profª. Ilza Maria da Silva Facundes UNIDADE II 1.1 O que é uma ação monitória. 1.2 Cabimento da ação. 1.3 Procedimento

Leia mais

SUMÁRIO A ESSÊNCIA DO CPC DE 2015 E AS NOVAS

SUMÁRIO A ESSÊNCIA DO CPC DE 2015 E AS NOVAS Sumário SUMÁRIO A ESSÊNCIA DO CPC DE 2015 E AS NOVAS TENDÊNCIAS PARA OS CONCURSOS PÚBLICOS... 15 CÓDIGO PROCESSUAL CIVIL... 37 PARTE GERAL LIVRO I DAS NORMAS PROCESSUAIS CIVIS... 37 TÍTULO ÚNICO DAS NORMAS

Leia mais

ÍNDICE GERAL ÍNDICE SISTEMÁTICO

ÍNDICE GERAL ÍNDICE SISTEMÁTICO ÍNDICE GERAL Lei 13.105, de 16 de março de 2015 Código de Processo Civil... 19 Referências bibliográficas... 1853 Índice Alfabético-Remissivo do Código de Processo Civil (Lei 13.105/2015)... 1877 ÍNDICE

Leia mais

A ação monitória está regulada no art a, 1.102b e 1.102c do CPC.

A ação monitória está regulada no art a, 1.102b e 1.102c do CPC. Ação Monitória Cabimento: A ação monitória está regulada no art. 1.102a, 1.102b e 1.102c do CPC. Segundo o art. 1.102a do CPC, tem como requisito para a sua propositura a existência de prova escrita sem

Leia mais

Índice (CPC/2015) Índice (CPC/2015) PARTE GERAL TÍTULO I DA JURISDIÇÃO E DA AÇÃO Seção II Do Auxílio Direto Arts.

Índice (CPC/2015) Índice (CPC/2015) PARTE GERAL TÍTULO I DA JURISDIÇÃO E DA AÇÃO Seção II Do Auxílio Direto Arts. Índice (CPC/2015) Índice (CPC/2015) PARTE GERAL LIVRO I DAS NORMAS PROCESSUAIS CIVIS... 39 TÍTULO ÚNICO DAS NORMAS FUNDAMENTAIS E DA APLICAÇÃO DAS NORMAS PROCESSUAIS... 39 CAPÍTULO I DAS NORMAS FUNDAMENTAIS

Leia mais

Ações judiciais na locação de imóveis urbanos

Ações judiciais na locação de imóveis urbanos Ações judiciais na locação de imóveis urbanos Ação revisional de aluguel Ação de consignação de aluguel e acessórios da locação Prof. Denis Donoso Denis Donoso blogspot.denisdonoso.com.br Apresentação

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO IV PRÁTICA TRABALHISTA. Respostas do Réu - Contestação

ESTÁGIO SUPERVISIONADO IV PRÁTICA TRABALHISTA. Respostas do Réu - Contestação ESTÁGIO SUPERVISIONADO IV PRÁTICA TRABALHISTA 1 Respostas do Réu - Contestação INTRODUÇÃO - Princípio da bilateralidade: AÇÃO E REAÇÃO - juiz só pode decidir nos autos após ter ouvido as duas partes, a

Leia mais

Competência no Processo Civil

Competência no Processo Civil Competência no Processo Civil Direito Processual Civil I Prof. Leandro Gobbo 1 Conceito Princípio do juiz natural. A competência quantifica a parcela de exercício de jurisdição atribuída a determinado

Leia mais

OPOSIÇÕES DO EXECUTADO. Murillo Sapia Gutier 1

OPOSIÇÕES DO EXECUTADO. Murillo Sapia Gutier 1 OPOSIÇÕES DO EXECUTADO Murillo Sapia Gutier 1 1. Considerações iniciais Como salientado em outras aulas, a Tutela jurisdicional executiva visa satisfazer obrigação inadimplida em que é fundada em título

Leia mais

AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO

AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO Previsão legal e conceito! No CPC/73 art. 890/900! No NCPC art. 539/549 Tivemos pequenas e pontuais mudanças sobre o tema.! E citado no CC no art. 334 Trata-se do depósito

Leia mais

Curso de férias: Atualidades em Processo do Trabalho

Curso de férias: Atualidades em Processo do Trabalho Curso de férias: Atualidades em Processo do Trabalho FRANCISCO FERREIRA JORGE NETO Desembargador do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região; Mestre pela PUC/SP; Professor na Escola Paulista de Direito

Leia mais

Perspectivas da execução trabalhista com o NCPC

Perspectivas da execução trabalhista com o NCPC Perspectivas da execução trabalhista com o NCPC Homero Batista Mateus da Silva, Autor da coleção Curso de Direito do Trabalho Aplicado 10 volumes Ed. Revista dos Tribunais Protesto extrajudicial Art. 517.

Leia mais

Título I PETIÇÃO INICIAL Capítulo I PETIÇÃO INICIAL EM DISSÍDIO INDIVIDUAL Fundamento legal Cabimento Espécies de ritos do processo do

Título I PETIÇÃO INICIAL Capítulo I PETIÇÃO INICIAL EM DISSÍDIO INDIVIDUAL Fundamento legal Cabimento Espécies de ritos do processo do Sumário Manual de Prática Trabalhista Título I PETIÇÃO INICIAL PETIÇÃO INICIAL EM DISSÍDIO INDIVIDUAL Fundamento legal... 19 Cabimento... 19 Espécies de ritos do processo do trabalho... 19 Rito sumário...

Leia mais

Sumário. Os autores... 5 Lista de abreviaturas e siglas Apresentação Parte I

Sumário. Os autores... 5 Lista de abreviaturas e siglas Apresentação Parte I Sumário Os autores... 5 Lista de abreviaturas e siglas... 15 Apresentação... 17 Parte I Questões preliminares Capítulo I Formação do título executivo... 21 Marilei Fortuna Godoi Introdução... 21 1. Aspectos

Leia mais

- intimação MP ou interventor legal - provas - valor da causa

- intimação MP ou interventor legal - provas - valor da causa PRÁTICA CIVIL Profº Ms. Sérgio Gabriel Tema: Petição Inicial 1) Petição Inicial a) Estrutura: - Endereçamento - Preâmbulo - Fatos - Fundamentos - Pedidos e requerimentos 2) Estrutura b) Regras básicas

Leia mais

Defesa do réu. Espécies de defesa. 1. Matéria. I. Defesa contra o processo

Defesa do réu. Espécies de defesa. 1. Matéria. I. Defesa contra o processo Defesa do réu O réu ao ser citado é levado a assumir o ônus de defender-se. Bilateralidade da ação/do processo. Ao direito de ação do autor (pretensão deduzida em juízo), equivale o direito de defesa do

Leia mais

Impugnação ao Cumprimento de Sentença. André Pagani de Souza

Impugnação ao Cumprimento de Sentença. André Pagani de Souza Impugnação ao Cumprimento de Sentença André Pagani de Souza 10.05.2017 A impugnação prevista no art. 525 do CPC é um instrumento de defesa do executado na fase de cumprimento de sentença. A impugnação

Leia mais

GEORGIOS ALEXANDRIDIS

GEORGIOS ALEXANDRIDIS GEORGIOS ALEXANDRIDIS Leiloeiro Oficial do Estado de São Paulo e Advogado Doutor em Direito das Relações Sociais pela PUC/SP (2016) Mestre em Direito das Relações Sociais pela PUC/SP (2008) Especialista

Leia mais

EMENTA DIREITO PROCESSUAL CIVIL

EMENTA DIREITO PROCESSUAL CIVIL Disciplina: Direito Processual Civil I Período: 2º EMENTA DIREITO PROCESSUAL 1) DIREITO PROCESSUAL: Conceito; fases civilista, autonomista e finalista; fontes Constituição Federal, Lei Federal e Ordinária,

Leia mais

Olá, pessoal! Chegamos ao nosso sétimo módulo. Falaremos da petição inicial, da(s) resposta(s) do réu e do fenômeno da revelia.

Olá, pessoal! Chegamos ao nosso sétimo módulo. Falaremos da petição inicial, da(s) resposta(s) do réu e do fenômeno da revelia. CURSO DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DE PROCESSO CIVIL PONTO A PONTO PARA TRIBUNAIS MÓDULO 7 PETIÇÃO INICIAL. RESPOSTA DO RÉU. REVELIA. Professora: Janaína Noleto Curso Agora Eu Passo () Olá, pessoal! Chegamos

Leia mais

Sem Solução de mérito (artigo 485 CPC) Com Solução de mérito (artigo 487 CPC) Com satisfação da obrigação (artigo 924 CPC) Fase Cognitiva

Sem Solução de mérito (artigo 485 CPC) Com Solução de mérito (artigo 487 CPC) Com satisfação da obrigação (artigo 924 CPC) Fase Cognitiva Processo Civil de Conhecimento Aula VIII 04/05/2017 Extinção do Processo Extinção Sem Solução de mérito (artigo 485 CPC) Com Solução de mérito (artigo 487 CPC) Com satisfação da obrigação (artigo 924 CPC)

Leia mais

ADRIANA SAWARIS NOÇÕES DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL. 1ª Edição MAI 2013

ADRIANA SAWARIS NOÇÕES DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL. 1ª Edição MAI 2013 ADRIANA SAWARIS NOÇÕES DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL 206 QUESTÕES DE PROVAS DE CONCURSOS GABARITADAS Seleção das Questões: Prof.ª Adriana Sawaris Organização e Diagramação: Mariane dos Reis 1ª Edição MAI

Leia mais

EXCELENTISSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DE xxxxxxxxxxxxxx/rs.

EXCELENTISSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DE xxxxxxxxxxxxxx/rs. EXCELENTISSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DE xxxxxxxxxxxxxx/rs. XXXXXXXXXXXXXXXXX, empresário, inscrito no CNPJ sob o n XXXXXXXXXXXXX, com estabelecimento-sede

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação ORGANIZAÇÃO BÁSICA DAS DISCIPLINAS CURRICULARES

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação ORGANIZAÇÃO BÁSICA DAS DISCIPLINAS CURRICULARES UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação 2007/1 ORGANIZAÇÃO BÁSICA DAS DISCIPLINAS CURRICULARES Disciplina: DIREITO PROCESSUAL CIVIL III Curso: DIREITO Código CR PER Co-Requisito Pré-Requisito

Leia mais

RAQUEL BUENO DIREITO PROCESSUAL CIVIL

RAQUEL BUENO DIREITO PROCESSUAL CIVIL RAQUEL BUENO DIREITO PROCESSUAL CIVIL VUNESP 2015 ESCREVENTE TÉCNICO JUDICIÁRIO 1. Incumbe ao escrivão a) estar presente às audiências e coadjuvar o juiz na manutenção da ordem. b) efetuar avaliações e

Leia mais

Tribunais e MPU -Fernando Gajardoni-Camilo Zufelato-Proc Civil-5ed.indb 9 24/03/ :20:57

Tribunais e MPU -Fernando Gajardoni-Camilo Zufelato-Proc Civil-5ed.indb 9 24/03/ :20:57 Capítulo I TEORIA GERAL DO PROCESSO... 17 1. PRINCÍPIOS E NORMAS FUNDAMENTAIS... 17 2. JURISDIÇÃO... 22 2.1. Generalidades e conceito... 22 2.2. Características... 23 2.3. Divisão... 24 3. AÇÃO E PROCESSO...

Leia mais

MARCOS WILSON & CAMPELO A D V O G A D O S

MARCOS WILSON & CAMPELO A D V O G A D O S NCPC Lei 13.105/2015 Vigência: Em 18/03/2016, com suspensão de prazos neste dia (Entendimento do STJ e Comunicado 333 do Egrégio TJSP). Artigo I DA PETIÇÃO INICIAL (Dr. Marcos Wilson Ferreira Martins OAB-SP-

Leia mais

PROCESSO JUDICIAL TRIBUTÁRIO

PROCESSO JUDICIAL TRIBUTÁRIO PROCESSO JUDICIAL TRIBUTÁRIO 1. EXECUÇÃO FISCAL 1.1. Natureza jurídica da execução fiscal A fase judicial de cobrança do débito tributário começa quando da sua inscrição regular, tendo em vista que, a

Leia mais

Sumário PARTE I ASPECTOS PROCESSUAIS GERAIS

Sumário PARTE I ASPECTOS PROCESSUAIS GERAIS Sumário PARTE I ASPECTOS PROCESSUAIS GERAIS 1 Jurisdição 1.1 Introdução 1.2 Conceito e características 1.3 Divisão da jurisdição 1.4 Organização judiciária 2 Direito Processual Civil 2.1 Conceito e delimitação

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br A REFORMA DO CPC E A EXECUÇÃO DOS ALIMENTOS Maria Berenice Dias* Recentes reformas no processo de execução aboliram o processo de execução dos títulos executivos judiciais. O cumprimento

Leia mais

SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Governador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site:

SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Governador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site: SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Governador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site: www.sei-cesucol.edu.br e-mail: sei-cesucol@vsp.com.br FACULDADE

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO. Execução Trabalhista: aula 1. Professora: Maria Inês Gerardo Site:

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO. Execução Trabalhista: aula 1. Professora: Maria Inês Gerardo Site: DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO Execução Trabalhista: aula 1 Professora: Maria Inês Gerardo Site: Facebook: Maria Inês Gerardo MARIA INÊS GERARDO Graduada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Leia mais

XVII EXAME UNIFICADO 2ª Fase Civil #ProfessorAoVivo em 12/1/2016 PROFESSOR AO VIVO. Revisão Prof. Darlan Barroso Estudo Dirigido Execução GABARITO

XVII EXAME UNIFICADO 2ª Fase Civil #ProfessorAoVivo em 12/1/2016 PROFESSOR AO VIVO. Revisão Prof. Darlan Barroso Estudo Dirigido Execução GABARITO PROFESSOR AO VIVO Revisão Prof. Darlan Barroso Estudo Dirigido Execução GABARITO 1) Após tramitar perante juízo criminal competente, Maria foi condenada pela prática de crime de dano. A sentença penal

Leia mais

SUMÁRIO. Capítulo 2 JUSTIÇA DO TRABALHO E MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO 2.1 Organização da Justiça do Trabalho... 59

SUMÁRIO. Capítulo 2 JUSTIÇA DO TRABALHO E MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO 2.1 Organização da Justiça do Trabalho... 59 SUMÁRIO Capítulo 1 INTRODUÇÃO AO DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO 1.1 Evolução histórica... 19 1.2 Direito estrangeiro... 22 1.3 Denominação... 25 1.4 Conceito... 25 1.5 Abrangência... 26 1.6 Autonomia...

Leia mais

Aula 03. Execução. Título executivo judicial (art. 475-N, CPC) e título executivo extrajudicial (art. 585, CPC)

Aula 03. Execução. Título executivo judicial (art. 475-N, CPC) e título executivo extrajudicial (art. 585, CPC) Turma e Ano: Magistratura Estadual 2015/2016 Matéria / Aula: Processo Civil 03 Professor: Raphael Corrêa Monitor: Yasmin Aula 03 Execução Panorama Histórico da Execução A Execução teve relevantes mudanças

Leia mais

Editora LTr. São Paulo, Localização: 331: (81) C512r Código de barras: STJ

Editora LTr. São Paulo, Localização: 331: (81) C512r Código de barras: STJ LUCIANO ATHAYDE CHAVES Juiz do Trabalho da 21ª Região (RN). Mestre em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte(UFRN). Professor de Direito Processual da Faculdade de Direito da

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL PROFESSOR EDUARDO FRANCISCO

DIREITO PROCESSUAL CIVIL PROFESSOR EDUARDO FRANCISCO DIREITO PROCESSUAL CIVIL PROFESSOR EDUARDO FRANCISCO 1 Nomeação à autoria arts. 62 a 69, CPC. Intervenção de terceiros Mecanismo de correção do polo passivo Dever do réu, vide art. 69, CPC. 1.1 - A nomeação

Leia mais

Capítulo I TEORIA GERAL DO PROCESSO PRINCÍPIOS E NORMAS FUNDAMENTAIS JURISDIÇÃO Generalidades e conceito

Capítulo I TEORIA GERAL DO PROCESSO PRINCÍPIOS E NORMAS FUNDAMENTAIS JURISDIÇÃO Generalidades e conceito Capítulo I TEORIA GERAL DO PROCESSO... 21 1. PRINCÍPIOS E NORMAS FUNDAMENTAIS... 21 2. JURISDIÇÃO... 26 2.1. Generalidades e conceito... 26 2.2. Características... 27 2.3. Divisão... 28 3. AÇÃO E PROCESSO...

Leia mais

Direito Processual Civil

Direito Processual Civil Direito Processual Civil Das Diversas Espécies de Execução Disposições Gerais Professor Giuliano Tamagno www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Processual Civil DAS DIVERSAS ESPÉCIES DE EXECUÇÃO DISPOSIÇÕES

Leia mais

Direito Processual Civil III

Direito Processual Civil III Direito Processual Civil III»Aula 8 Petição Inicial Pedido parte 2 Petição Inicial Pedido Alteração da Petição Inicial e estabilização do processo VI Petição inicial Pedido 5 Pedido cominatório -dois meios

Leia mais

Pratica Especial Civil 10 sem

Pratica Especial Civil 10 sem AULA 04 Contestação ESTRUTURA BÁSICA DA CONTESTAÇÃO Competência Partes Hipóteses de cabimento Fundamento legal Fatos Fundamentação jurídica Pedido Provas Valor da causa Juiz da causa (art. 297, CPC). Tratamento:

Leia mais

SUMÁRIO. Capítulo 1 INTRODUÇÃO AO DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO. Capítulo 2 JUSTIÇA DO TRABALHO E MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO

SUMÁRIO. Capítulo 1 INTRODUÇÃO AO DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO. Capítulo 2 JUSTIÇA DO TRABALHO E MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO SUMÁRIO Capítulo 1 INTRODUÇÃO AO DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO 1.1 Evolução histórica... 19 1.2 Direito estrangeiro... 22 1.3 Denominação... 25 1.4 Conceito... 25 1.5 Abrangência... 26 1.6 Autonomia...

Leia mais

Direito do Trabalho e Processo do Trabalho

Direito do Trabalho e Processo do Trabalho Direito do Trabalho e Processo do Trabalho Procedimentos especiais SUMÁRIO Ações especiais no processo do trabalho Ações especiais e nova competência trabalhista Procedimentos aplicáveis Tipos de ações

Leia mais

PÓS GRADUAÇÃO DIREITO E PROCESSO TRIBUTÁRIO

PÓS GRADUAÇÃO DIREITO E PROCESSO TRIBUTÁRIO PÓS GRADUAÇÃO DIREITO E PROCESSO TRIBUTÁRIO AÇÃO ANULATÓRIA L C.T. D.A C.D.A E.F Ação Anulatória Art. 38 A discussão judicial da Dívida Ativa da Fazenda Pública só é admissível em execução, na forma desta

Leia mais

Gustavo Filipe Barbosa Garcia CPC. Novo. e Processo do Trabalho. Atualizado com as Instruções Normativas 39 e 40 de 2016 do TST

Gustavo Filipe Barbosa Garcia CPC. Novo. e Processo do Trabalho. Atualizado com as Instruções Normativas 39 e 40 de 2016 do TST Gustavo Filipe Barbosa Garcia Novo CPC e Processo do Trabalho Atualizado com as Instruções Normativas 39 e 40 de 2016 do TST 2016 NOVO CPC E PROCESSO DO TRABALHO Gustavo Filipe Barbosa Garcia havendo retratação,

Leia mais

Professor Rogerio Licastro Torres de Mello

Professor Rogerio Licastro Torres de Mello Professor Rogerio Licastro Torres de Mello Doutor e Mestre em Direito Direito Processual Civil pela PUC / SP Facebook: Rogerio Licastro NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL Recurso de apelação, agravo e outros

Leia mais

Professora: Daiana Mito

Professora: Daiana Mito Professora: Daiana Mito DEFESA DO RÉU No novo CPC, existem duas formas de resposta do réu à uma petição inicial. Contestação É o meio pelo qual o réu apresenta sua defesa à uma petição inicial. Reconvenção

Leia mais

Direito Empresarial OAB 2ª Fase Giovani Magalhães Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

Direito Empresarial OAB 2ª Fase Giovani Magalhães Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Direito Empresarial OAB 2ª Fase Giovani Magalhães 2013 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. B.O.P.E. Batalhão de Operações para Provas de Empresarial: S.O.S. 2ª Fase

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Noções gerais da execução com advento da Lei 11.232/05 Jeordane Quintino Faria Como citar este artigo: FARIA,Jeordane Quintino. Noções gerais da execução com advento da lei 11.232/05.

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL

DIREITO PROCESSUAL CIVIL DIREITO PROCESSUAL CIVIL FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS (FCC) ANALISTA TRT s 38 PROVAS 180 QUESTÕES (2012 2008) A apostila contém provas de Direito Processual Civil de concursos da Fundação Carlos Chagas (FCC),

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CIVIL.

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CIVIL. CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CIVIL. Aula Ministrada pelo Prof. Joseval Martins Viana (Aula 16/08/2017). E-mail: joseval@legale.com.br Ação de divórcio litigioso. Como escrever artigo científico: https://www.youtube.com/watch?v=hfhpawxjlme

Leia mais

CORREÇÃO DE PROVA. ESCREVENTE TJ 2015.

CORREÇÃO DE PROVA. ESCREVENTE TJ 2015. CORREÇÃO DE PROVA. ESCREVENTE TJ 2015. PROFESSORA JULIANA VIEIRA PEREIRA 37. Incumbe ao escrivão (A) efetuar avaliações e executar as ordens do juiz a que estiver subordinado. (B) estar presente às audiências

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO

COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO Prática Processual Civil Programa I CONSULTA JURÍDICA 1.1 Consulta jurídica 1.2 Tentativa de resolução amigável 1.3 Gestão do cliente e seu processo II PATROCÍNIO

Leia mais

PROCESSO CIVIL 1. PEDIDO

PROCESSO CIVIL 1. PEDIDO 1 PROCESSO CIVIL PONTO 1: Pedido PONTO 2: Espécies de Pedido PONTO 3: O Pedido e as Prestações Periódicas PONTO 4: Obrigação Indivisível PONTO 5: Cumulação de Pedidos PONTO 6: Interpretação do Pedido PONTO

Leia mais

Prof. Anselmo Prieto Alvarez

Prof. Anselmo Prieto Alvarez Prof. Anselmo Prieto Alvarez apalvarez@pucsp.br Histórico 1-65 leis foram editadas reformando o CPC- Lei Federal de 11 de janeiro de 1973 2- Até 1994 foram 24 alterações. Histórico 3- A partir de 1994

Leia mais

NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL E A CLT (DA CONTESTAÇÃO)

NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL E A CLT (DA CONTESTAÇÃO) NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL E A CLT (DA CONTESTAÇÃO) I DA CONTESTAÇÃO OS DISPOSITIVOS CLASSICOS DA CLT: O artigo 769 da CLT (SUBSIDIÁRIA), será aplicada no processo de fase conhecimento observando todas

Leia mais

IMPACTOS CORPORATIVOS SOBRE AS ALTERAÇÕES DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL Carolina Sayuri Nagai Calaf

IMPACTOS CORPORATIVOS SOBRE AS ALTERAÇÕES DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL Carolina Sayuri Nagai Calaf IMPACTOS CORPORATIVOS SOBRE AS ALTERAÇÕES DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL Carolina Sayuri Nagai Calaf O QUE MUDOU EM LINHAS GERAIS Parágrafo 5º, no art. 46: Execução Fiscal sempre será proposta no domicílio

Leia mais

SUMÁRIO PARTE I INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS PARA UMA APROPRIADA POSTULAÇÃO EM JUÍZO 1 INTRODUÇÃO

SUMÁRIO PARTE I INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS PARA UMA APROPRIADA POSTULAÇÃO EM JUÍZO 1 INTRODUÇÃO SUMÁRIO PARTE I INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS PARA UMA APROPRIADA POSTULAÇÃO EM JUÍZO 1 INTRODUÇÃO 2 SOLUÇÃO DE LITÍGIOS PERANTE O PODER JUDICIÁRIO 2.1 Estrutura jurisdicional brasileira 2.2 Lide, processo e

Leia mais