DA RESPOSTA DO RÉU. ESPÉCIES Contestação (Art. 300 a 303 do CPC); Reconvenção (Art. 315 a 318 do CPC); Exceção (Art. 304 a 314 do CPC).

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DA RESPOSTA DO RÉU. ESPÉCIES Contestação (Art. 300 a 303 do CPC); Reconvenção (Art. 315 a 318 do CPC); Exceção (Art. 304 a 314 do CPC)."

Transcrição

1 DA RESPOSTA DO RÉU DISPOSIÇÕES GERAIS Uma vez efetuada a citação válida, a relação jurídica processual está completa, surgindo o ônus do réu de oferecer a defesa contra fatos e direitos sustentados pelo o autor da inicial. Como se sabe, resposta é uma reação a um estímulo externo, não estando o réu obrigado, já que lhe é facultado, conforme art. 269 do CPC. Entretanto, a ausência no caso de contestação a pretensão do autor importa na aplicação dos efeitos decorrentes da revelia. O CPC prevê três espécies distintas de defesa, quais sejam, a contestação, a reconvenção e a exceção. No rito ordinário a resposta do réu será efetivada no prazo de 15 dias, contados a partir já juntada do mandado de citação aos autos, sempre em forma escrita e petições autônomas, aplicando se aqui as regras do art. 188 (prazo quádruplo para a fazenda pública e MP) e do art. 191 (dobro para litisconsortes com advogados diferentes). No rito sumário só são possíveis a contestação, com eventual pedido contraposto, e a exceção. A resposta poderá ser formulada por escrito ou oralmente em audiência de tentativa de conciliação, sendo juntado o mandado de citação dez dias antes da audiência aos autos, a fim de possibilitar o prazo razoável para formulação de defesa. ESPÉCIES Contestação (Art. 300 a 303 do CPC); Reconvenção (Art. 315 a 318 do CPC); Exceção (Art. 304 a 314 do CPC). CONTESTAÇÃO É o ato através do qual o réu apresenta a parte essencial da sua defesa. O réu apresenta suas defesas processuais (como por exemplo, uma alegação de carência da ação, ou qualquer outra questão preliminar art. 301), além das defesas de mérito. Estas, por sua vez, podem ser diretas ou indiretas.

2 Chama-se defesa Direta de mérito a negação do fato constitutivo do direito do autor; assim, por exemplo, numa ação de cobrança de dívida de contrato mútuo, a defesa consistirá em se negar a celebração do contrato de empréstimo. A defesa Indireta consiste na alegação de fato extintivo (prescrição), impeditivo (incapacidade do agente) ou modificativo (pagamento parcial) do direito do autor. Toda a matéria de defesa deve ser alegada na contestação, tanto as matérias de fato como as de direito. Deve ser observado o princípio da eventualidade, que significa que todas as alegações da parte devem ser produzidas de uma só vez, na primeira oportunidade que ele tenha para se manifestar, ainda que contraditórias entre si. As alegações contraditórias entre si, devem ser formuladas ambas na contestação, sob pena de perder a faculdade de arguir. Além disso, o réu deve atender ao ônus da impugnação especificada nos fatos (art. 302 do CPC), que significa que o réu tem o ônus de impugnar cada um dos fatos alegados pelo autor, de forma específica e precisa, sendo certo que o fato narrado pelo autor na inicial e não impugnado pelo réu na contestação se presume verdadeiro. Obs.: Contestar por negação geral é o mesmo que não contestar. REVELIA (ART. 319 A 322, CPC) Pode ser conceituada como ausência de contestação na forma e prazos legais. Em outros termos, sendo citado o réu, e deixando este de oferecer contestação dentro do prazo e com observância das formalidades legais, será considerado revel, ocorrendo assim o fenômeno da revelia. Obs.: Não se pode confundir com a ausência de resposta, pois nada impede que deixe de contestar e ofereça outras formas de resposta, como a reconvenção. Efeitos Material: Efeito de gerar a presunção relativa de veracidade das alegações sobre os fatos alegados, que, por conseguinte, pode ser ilidida por prova em contrário. No direito brasileiro o revel pode intervir no processo a qualquer tempo, recebendo-o no estado em que se encontra. Processual: O primeiro é o julgamento antecipado da lide ; o segundo é que os prazos correrão sem que este seja intimado dos atos e termos do processo.

3 RECONVENÇÃO A reconvenção não é uma modalidade de defesa, e sim um contra-ataque. Trata-se em verdade de uma demanda autônoma, oferecida pelo réu em face do autor, porém não faz nascer um novo processo. Pode se assim, definir a reconvenção como a ação proposta pelo réu em face do autor, aproveitando-se do mesmo processo. Por ser uma demanda autônoma, o réu deve ser tratado aqui como demandante (réu-reconvinte), e o autor como demandado (autor-reconvindo). O processo é único e nele contém a demanda original e demanda reconvencional; tal processo terá assim, seu objeto mais alargado, eis que uma nova pretensão será manifestada por aquele que originalmente ocupava a posição de réu, mas que agora assume uma posição ativa, como reconvinte. A afirmação de ser um único processo é de extrema relevância, pois assim não haverá possibilidade de defesa de posição diversa da que afirma que o ato judicial de indeferimento liminar da reconvenção não põe em termo ao módulo processual (que continuará a existir para que se julgue a demanda principal), não sendo, pois, sentença, e sim decisão interlocutória, o que faz com que o recurso cabível seja o agravo e não apelação. Requisitos Que o juízo da causa principal não seja absolutamente incompetente para á causa apreciar a demanda reconvencional (art. 109 do CPC); A admissão da reconvenção demanda que o juízo da ação principal seja detentor de competência para sua análise. Haver compatibilidade entre os procedimentos aplicáveis da causa principal e à reconvenção; A reconvenção só pode ser oferecida quando seguir o mesmo rito da ação principal. Estar pendente o processo da causa principal; Haver conexão entre a reconvenção e a causa principal ou com o fundamento da defesa (art. 315 do CPC); A conexão decorre da identidade da causa de pedir e pedido. Já a conexão com o fundamento da defesa existe quando o réu-reconvinte deseja dar efeito ativo à sua tese de defesa, ou seja, pretende o reconhecimento por sentença do que alega como fundamento de sua contestação.

4 Destes requisitos, o único a exigir maior atenção é a reconvenção ser conexa com a demanda principal ou com os fundamentos de sua defesa, aqui o sentido e menos amplo, aqui há conexão quando houver, entre duas demandas identidade ou causa de pedir. Há de se considerar duas hipóteses distintas; na primeira, admite-se a reconvenção quando esta for conexa com a demanda principal; na segunda, quando a conexão se der com os fundamentos da defesa. Obs.: A Reconvenção só é permitida na legitimidade ordinária. EXCEÇÃO No sentido mais amplo, designa as matérias de defesa que só podem ser conhecidas se forem suscitadas pela parte; por ser designado de modo diverso dos normalmente mencionados se fala em exceção ritual. No estudo das exceções, é preciso ressaltar o fato de que estas nem sempre se revelam como resposta do réu; tal se dá porque o autor também pode se opor as exceções de impedimento e de suspeição, art Designa-se por exceção uma modalidade de resposta do réu através do qual podem ser arguidas algumas defesas processuais, a saber: impedimento e suspeição do juiz e incompetência relativa do juízo. É preciso no estudo das exceções, ressaltar o fato de que estas nem sempre se revelam como resposta do réu, pois o autor também pode opor as exceções de impedimento e suspeição, e ainda prevê a hipótese de o autor oferecer exceção de incompetência relativa do juízo. Em segundo lugar, as exceções de impedimento e de suspeição do juiz podem ser oferecidas mesmo depois de decorrido o prazo para a resposta do demandado, uma vez que a faculdade de excepcionar pode ser exercida num prazo de 15 dias a contar do fato que ocasionou na arguição da questão, o que pode ocorrer em qualquer tempo e grau de jurisdição (art. 305); o mesmo não se dá com o impedimento e suspeição, já que estes podem vir de causas supervenientes. É importante lembrar, que o oferecimento de qualquer das espécies acarreta a suspensão do processo (arts. 306 e 265, CPC); esta suspensão que é imprópria, perdurará ate que a questão seja definitivamente julgada. Quando o CPC trata da exceção de incompetência nos arts. 307 a 311, diz que a exceção deve ser apresentada em petição autônoma, fundamentada e devidamente instruída, indicando excipiente o juízo que considera competente.

5 Prazos O código afirma que o prazo para o oferecimento de exceção é em regra geral de 15 dias, porém é imprecisa. No que se refere à incompetência relativa, é a mesma sempre originária, aplicando-se as regras atinentes ao prazo comum da resposta do réu. No que se refere às exceções de impedimento e suspeição, o prazo é de 15 dias, contados da data em que a parte tenha ciência da causa de parcialidade do juiz. Obs.: Não se pode considerar extinta a faculdade de arguir o impedimento pelo decurso deste prazo de 15 dias da ciência do fato que originou o vício. Forma Quando o CPC trata da exceção de incompetência nos arts. 307 a 311, diz que a exceção deve ser apresentada em petição autônoma, fundamentada e devidamente instruída, indicando excipiente o juízo que considera competente. Por força da lei 11280/2006, pode ser oferecida no juízo do domicilio do demandado, com requerimento de sua imediata remessa ao juízo que determinou a citação, caso em que caberá ao poder judiciário cuidar da remessa da petição. Sendo manifestadamente improcedente a exceção, deverá a mesma ser rejeitada liminarmente. Caso contrário, sendo recebida a exceção deverá o juiz ouvir o excepto, no prazo de 10 dias, e após tal manifestação, deverá o juiz decidir o incidente em igual prazo. Havendo necessidade de prova testemunhal, deverá o juiz designar audiência de instrução para depois decidir. Julgada procedente será os autos remetidos ao juízo competente. A decisão proferida na exceção de incompetência tem caráter interlocutório, não podendo confundir esta com a sentença Procedimento Art A parte oferecerá a exceção de impedimento ou de suspeição, especificando o motivo da recusa (arts. 134 e 135). A petição, dirigida ao juiz da causa, poderá ser instruída com documentos em que o excipiente fundar a alegação e conterá o rol de testemunhas. Art Despachando a petição, o juiz, se reconhecer o impedimento ou a suspeição, ordenará a remessa dos autos ao seu substituto legal; em caso contrário, dentro de 10

6 (dez) dias, dará as suas razões, acompanhadas de documentos e de rol de testemunhas, se houver, ordenando a remessa dos autos ao tribunal. Art Verificando que a exceção não tem fundamento legal, o tribunal determinará o seu arquivamento; no caso contrário condenará o juiz nas custas, mandando remeter os autos ao seu substituto legal. juízo. Obs.: No caso de exceção por impedimento ou suspeição mudará o juiz e não o

AULA 9 AÇÃO TRABALHISTA Elementos da Resposta do Réu DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFª KILMA GALINDO DO NASCIMENTO

AULA 9 AÇÃO TRABALHISTA Elementos da Resposta do Réu DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFª KILMA GALINDO DO NASCIMENTO AULA 9 AÇÃO TRABALHISTA Elementos da Resposta do Réu DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFª KILMA GALINDO DO NASCIMENTO RESPOSTAS DO RÉU CONTESTAÇÃO; EXCEÇÃO (Incompetência relativa, suspeição

Leia mais

Defesa do réu. Espécies de defesa. 1. Matéria. I. Defesa contra o processo

Defesa do réu. Espécies de defesa. 1. Matéria. I. Defesa contra o processo Defesa do réu O réu ao ser citado é levado a assumir o ônus de defender-se. Bilateralidade da ação/do processo. Ao direito de ação do autor (pretensão deduzida em juízo), equivale o direito de defesa do

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO IV PRÁTICA TRABALHISTA. Respostas do Réu - Contestação

ESTÁGIO SUPERVISIONADO IV PRÁTICA TRABALHISTA. Respostas do Réu - Contestação ESTÁGIO SUPERVISIONADO IV PRÁTICA TRABALHISTA 1 Respostas do Réu - Contestação INTRODUÇÃO - Princípio da bilateralidade: AÇÃO E REAÇÃO - juiz só pode decidir nos autos após ter ouvido as duas partes, a

Leia mais

AULA ) PROCEDIMENTO COMUM (art. 270 e seguintes do CPC a 318 e

AULA ) PROCEDIMENTO COMUM (art. 270 e seguintes do CPC a 318 e Turma e Ano: Master A (2015) 08/06/2015 Matéria / Aula: Direito Processual Civil / Aula 18 Professor: Edward Carlyle Silva Monitor: Alexandre Paiol AULA 18 CONTEÚDO DA AULA: Procedimento, contestação 10)

Leia mais

Olá, pessoal! Chegamos ao nosso sétimo módulo. Falaremos da petição inicial, da(s) resposta(s) do réu e do fenômeno da revelia.

Olá, pessoal! Chegamos ao nosso sétimo módulo. Falaremos da petição inicial, da(s) resposta(s) do réu e do fenômeno da revelia. CURSO DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DE PROCESSO CIVIL PONTO A PONTO PARA TRIBUNAIS MÓDULO 7 PETIÇÃO INICIAL. RESPOSTA DO RÉU. REVELIA. Professora: Janaína Noleto Curso Agora Eu Passo () Olá, pessoal! Chegamos

Leia mais

SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Governador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site:

SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Governador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site: SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Governador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site: www.sei-cesucol.edu.br e-mail: sei-cesucol@vsp.com.br FACULDADE

Leia mais

REVELIA (ART. 319 A 322)

REVELIA (ART. 319 A 322) REVELIA (ART. 319 A 322) Ocorre quando o réu, regularmente citado, deixa de responder à demanda. O CPC regulou esse instituto, considerando revel o réu que deixa de oferecer contestação após regularmente

Leia mais

Manual de Prática Trabalhista - 6ª Edição - Cinthia Machado de Oliveira. Título I PETIÇÃO INICIAL Capítulo I PETIÇÃO INICIAL EM DISSÍDIO INDIVIDUAL

Manual de Prática Trabalhista - 6ª Edição - Cinthia Machado de Oliveira. Título I PETIÇÃO INICIAL Capítulo I PETIÇÃO INICIAL EM DISSÍDIO INDIVIDUAL SUMÁRIO Título I PETIÇÃO INICIAL PETIÇÃO INICIAL EM DISSÍDIO INDIVIDUAL Fundamento legal... 15 Cabimento... 15 Espécies de ritos do processo do trabalho... 16 Rito sumário... 16 Rito sumaríssimo... 16

Leia mais

Sumário Capítulo 1 Prazos Capítulo 2 Incompetência: principais mudanças

Sumário Capítulo 1 Prazos Capítulo 2 Incompetência: principais mudanças Sumário Capítulo 1 Prazos 1.1. Forma de contagem: somente em dias úteis 1.2. Prática do ato processual antes da publicação 1.3. Uniformização dos prazos para recursos 1.4. Prazos para os pronunciamentos

Leia mais

Por iniciativa das partes (art. 262 Regra Geral). Princípio da Inércia. Princípio Dispositivo. Desenvolvimento por impulso oficial.

Por iniciativa das partes (art. 262 Regra Geral). Princípio da Inércia. Princípio Dispositivo. Desenvolvimento por impulso oficial. Direito Processual Civil I EXERCÍCIOS - 2º BIMESTRE Professor: Francisco Henrique J. M. Bomfim 1. a) Explique como ocorre a formação da relação jurídica processual: R. Início do Processo: Por iniciativa

Leia mais

Sumário. Capítulo 1 A Situação Concreta Exposição da Situação Concreta e de suas mais de 50 Petições Vinculadas...1

Sumário. Capítulo 1 A Situação Concreta Exposição da Situação Concreta e de suas mais de 50 Petições Vinculadas...1 Sumário Capítulo 1 A Situação Concreta... 1 1.1. Exposição da Situação Concreta e de suas mais de 50 Petições Vinculadas...1 Capítulo 2 Petições Cíveis: Procedimento Comum... 7 2.1. Petição Inicial...7

Leia mais

Título I PETIÇÃO INICIAL Capítulo I PETIÇÃO INICIAL EM DISSÍDIO INDIVIDUAL Fundamento legal Cabimento Espécies de ritos do processo do

Título I PETIÇÃO INICIAL Capítulo I PETIÇÃO INICIAL EM DISSÍDIO INDIVIDUAL Fundamento legal Cabimento Espécies de ritos do processo do Sumário Manual de Prática Trabalhista Título I PETIÇÃO INICIAL PETIÇÃO INICIAL EM DISSÍDIO INDIVIDUAL Fundamento legal... 19 Cabimento... 19 Espécies de ritos do processo do trabalho... 19 Rito sumário...

Leia mais

DA FORMAÇÃO, SUSPENSÃO E EXTINÇÃO DO PROCESSO. Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO

DA FORMAÇÃO, SUSPENSÃO E EXTINÇÃO DO PROCESSO. Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO DA FORMAÇÃO, SUSPENSÃO E EXTINÇÃO DO PROCESSO Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO Formação do processo ETAPAS DA ESTABILIZAÇÃO DO PROCESSO DA FORMAÇÃO DO PROCESSO Art. 262. O processo civil começa por

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Fase Ordinatória. Professor Rafael Menezes

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Fase Ordinatória. Professor Rafael Menezes DIREITO PROCESSUAL CIVIL Fase Ordinatória Professor Rafael Menezes Fase Ordinatória Providências Preliminares Julgamento Confome o Estado do Processo Audiência Preliminar / Saneamento do Feito Providências

Leia mais

LEI Nº , DE 16 DE MARÇO DE 2015

LEI Nº , DE 16 DE MARÇO DE 2015 LEI Nº 13.105, DE 16 DE MARÇO DE 2015 Código de Processo Civil. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: PARTE GERAL LIVRO V DA TUTELA PROVISÓRIA

Leia mais

AULA 24. Os pressupostos genéricos são a probabilidade do direito, perigo de dano ou risco ao resultado útil do processo.

AULA 24. Os pressupostos genéricos são a probabilidade do direito, perigo de dano ou risco ao resultado útil do processo. Turma e Ano: Master A (2015) 06/07/2015 Matéria / Aula: Direito Processual Civil / Aula 24 Professor: Edward Carlyle Silva Monitor: Alexandre Paiol AULA 24 CONTEÚDO DA AULA: Tutela provisória : tutela

Leia mais

DPRCIV3 Direito Processual Civil III. Questões para Fixação da Aula

DPRCIV3 Direito Processual Civil III. Questões para Fixação da Aula DPRCIV3 Direito Processual Civil III Plano de Ensino - 5. Da Resposta do Réu. Disposições Gerais. - 6. Contestação. Conteúdo e forma da contestação. Defesas processuais e de mérito. Defesas direta e indireta.

Leia mais

Direito Processual Civil III

Direito Processual Civil III Direito Processual Civil III»Aula 19 Providências preliminares: Providências Preliminares Ação Declaratória Incidental X Providências Preliminares 1 Conceito - art. 323 do CPC - providências preliminares

Leia mais

Quebrando a Banca Processo Civil Damião Soares

Quebrando a Banca Processo Civil Damião Soares Quebrando a Banca Processo Civil Damião Soares 2014 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 2014 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

Leia mais

UNIVERSIDADE DE MACAU FACULDADE DE DIREITO. Curso de Licenciatura em Direito em Língua Portuguesa. Ano lectivo de 2014/2015

UNIVERSIDADE DE MACAU FACULDADE DE DIREITO. Curso de Licenciatura em Direito em Língua Portuguesa. Ano lectivo de 2014/2015 UNIVERSIDADE DE MACAU FACULDADE DE DIREITO Curso de Licenciatura em Direito em Língua Portuguesa Ano lectivo de 2014/2015 DIREITO PROCESSUAL CIVIL I (Disciplina anual do 3.º ano) Responsável pela regência:

Leia mais

Pratica Especial Civil 10 sem

Pratica Especial Civil 10 sem AULA 04 Contestação ESTRUTURA BÁSICA DA CONTESTAÇÃO Competência Partes Hipóteses de cabimento Fundamento legal Fatos Fundamentação jurídica Pedido Provas Valor da causa Juiz da causa (art. 297, CPC). Tratamento:

Leia mais

Curso Preparatório para o Concurso Público do TRT 12. Noções de Direito Processual Civil Aula 5 Prof. Esp Daniel Teske Corrêa

Curso Preparatório para o Concurso Público do TRT 12. Noções de Direito Processual Civil Aula 5 Prof. Esp Daniel Teske Corrêa Curso Preparatório para o Concurso Público do TRT 12 Noções de Direito Processual Civil Aula 5 Prof. Esp Daniel Teske Corrêa Sumário Antecipação dos Efeitos da Tutela Teoria Geral da Execução Execução

Leia mais

D A N I E L L E T O S T E 3 A N W W W. D A N I T O S T E. C O M

D A N I E L L E T O S T E 3 A N W W W. D A N I T O S T E. C O M 1. Quando se considera inepta a petição inicial? A petição é considerada inepta quando: A) Lhe faltar pedido ou causa de pedir; B) Da narração dos fatos não decorrer logicamente a conclusão; C) O pedido

Leia mais

SUMÁRIO. Direito do Trabalho Direito Processual Civil Direito Processual do Trabalho

SUMÁRIO. Direito do Trabalho Direito Processual Civil Direito Processual do Trabalho SUMÁRIO Direito do Trabalho... 05 Direito Processual Civil... 139 Direito Processual do Trabalho... 195 DIREITO DO TRABALHO ÍNDICE CAPÍTULO 01... 7 Fontes e Princípios de Direito do Trabalho... 7 Surgimento

Leia mais

Nesta linha, o prazo da contestação, da exceção e da reconvenção é o mesmo, qual seja: 15 dias.

Nesta linha, o prazo da contestação, da exceção e da reconvenção é o mesmo, qual seja: 15 dias. RESPOSTA DO RÉU Contestação; Exceção; Reconvenção DA REVELIA Art. 319. Se o réu não contestar a ação, reputar-se-ão verdadeiros os fatos afirmados pelo autor. Art. 320. A revelia não induz, contudo, o

Leia mais

índice INTRODUÇÃO Abreviaturas... 9 Nota à 5ª edição Nota à 4" edição Nota à 3" edição Nota à 2" edição e sumário)...

índice INTRODUÇÃO Abreviaturas... 9 Nota à 5ª edição Nota à 4 edição Nota à 3 edição Nota à 2 edição e sumário)... índice Abreviaturas... 9 Nota à 5ª edição...... 25 Nota à 4" edição... 27 Nota à 3" edição......... 31 Nota à 2" edição... 33 INTRODUÇÃO 1. O chamado "processo de conhecimento"... 35 2. Do "processo de

Leia mais

NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL E A CLT (DA CONTESTAÇÃO)

NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL E A CLT (DA CONTESTAÇÃO) NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL E A CLT (DA CONTESTAÇÃO) I DA CONTESTAÇÃO OS DISPOSITIVOS CLASSICOS DA CLT: O artigo 769 da CLT (SUBSIDIÁRIA), será aplicada no processo de fase conhecimento observando todas

Leia mais

RECONVENÇÃO - NCPC DESAPARECEM AS EXCEÇÕES

RECONVENÇÃO - NCPC DESAPARECEM AS EXCEÇÕES INTRODUÇÃO - DIREITO À AMPLA DEFESA CONSAGRADO NA CF 5º. LV - CF 5º. LV: AOS LITIGANTES, EM PROCESSO JUDICIAL OU ADMINISTRATIVO, E AOS ACUSADOS EM GERAL SÃO ASSEGURADOS O CONTRADITÓRIO E A AMPLA DEFESA,

Leia mais

Uma vez efetivada a citação poderão ser tomadas pelo Réu três posicionamentos:

Uma vez efetivada a citação poderão ser tomadas pelo Réu três posicionamentos: RESPOSTA DO RÉU Uma vez efetivada a citação poderão ser tomadas pelo Réu três posicionamentos: reconhecer a procedência do pedido; restar omisso, sendo revel; responder (resposta do réu); Assim, dentro

Leia mais

Nulidade de Citação com a conseqüente aplicação dos efeitos da revelia e posterior condenação. Querela Nullitatis art. 475-L, I e art. 741, I do CPC.

Nulidade de Citação com a conseqüente aplicação dos efeitos da revelia e posterior condenação. Querela Nullitatis art. 475-L, I e art. 741, I do CPC. RESPOSTA DO RÉU Contestação; Exceção; Reconvenção DA REVELIA Art. 319. Se o réu não contestar a ação, reputar-se-ão verdadeiros os fatos afirmados pelo autor. Art. 320. A revelia não induz, contudo, o

Leia mais

Turmas Especiais 2015 Programa da disciplina.

Turmas Especiais 2015 Programa da disciplina. Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo FDSBC Curso de Prática Jurídica Civil Prof. Titular Pedro Marini Neto Prof. Substituto Estevan Lo Ré Pousada Turmas Especiais 2015 Calendário de atividades

Leia mais

https://youtu.be/tjdwx0oqbrg Novo CPC Contestação Modelo

https://youtu.be/tjdwx0oqbrg Novo CPC Contestação Modelo Novo CPC Contestação Modelo https://youtu.be/tjdwx0oqbrg Novo CPC Contestação Modelo EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA DA COMARCA.. / UF Pular 3 linhas Processo nº Pular 10 linhas (NOME

Leia mais

Art Os atos do juiz consistirão em sentenças, decisões interlocutórias e despachos.

Art Os atos do juiz consistirão em sentenças, decisões interlocutórias e despachos. SENTENÇA Nos termos dos artigos 162, 1º do CPC: Art. 162. Os atos do juiz consistirão em sentenças, decisões interlocutórias e despachos. 1º Sentença é o ato do juiz que implica alguma das situações previstas

Leia mais

Pratica Jurídica I Civil I 7 semestre. AULA 07 Contestação ESTRUTURA BÁSICA DA CONTESTAÇÃO. Juiz da causa (art. 297, CPC). Tratamento: autor e réu.

Pratica Jurídica I Civil I 7 semestre. AULA 07 Contestação ESTRUTURA BÁSICA DA CONTESTAÇÃO. Juiz da causa (art. 297, CPC). Tratamento: autor e réu. AULA 07 Contestação ESTRUTURA BÁSICA DA CONTESTAÇÃO Competência Partes Hipóteses de cabimento Fundamento legal Fatos Fundamentação jurídica Pedido Provas Valor da causa Juiz da causa (art. 297, CPC). Tratamento:

Leia mais

TABELA DE PRAZOS PROCESSUAIS TJSP 2017

TABELA DE PRAZOS PROCESSUAIS TJSP 2017 NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL TABELA DE PRAZOS PROCESSUAIS TJSP 2017 Dentro do estudo do Direito Processual Civil, o edital do TJSP abrange os seguintes pontos: arts. 144 a 5 impedimento e suspeição auxiliares

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO

COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO Prática Processual Civil Programa I CONSULTA JURÍDICA 1.1 Consulta jurídica 1.2 Tentativa de resolução amigável 1.3 Gestão do cliente e seu processo II PATROCÍNIO

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL ESCOLA DE DIREITO E RELAÇÕES INTERNACIONAIS CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO 10º PERÍODO NIVELAMENTO CONTESTAÇÃO

FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL ESCOLA DE DIREITO E RELAÇÕES INTERNACIONAIS CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO 10º PERÍODO NIVELAMENTO CONTESTAÇÃO FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL ESCOLA DE DIREITO E RELAÇÕES INTERNACIONAIS CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO 10º PERÍODO NIVELAMENTO CONTESTAÇÃO ESTUDO PROVA OAB FGV QUESTIONAMENTOS E REFLEXÕES PARA A PROVA

Leia mais

Temos ainda um Juízo de admissibilidade (a quo) e um Juízo de julgamento (ad quem).

Temos ainda um Juízo de admissibilidade (a quo) e um Juízo de julgamento (ad quem). PARTE II TEORIA GERAL DOS RECURSOS Conceito: Recurso é o direito que a parte vencida ou o terceiro prejudicado possui de, uma vez atendidos os pressupostos de admissibilidade, submeter a matéria contida

Leia mais

AULA ) PROCEDIMENTO COMUM (art. 270 e seguintes do CPC a 318 e

AULA ) PROCEDIMENTO COMUM (art. 270 e seguintes do CPC a 318 e Turma e Ano: Master A (2015) 22/06/2015 Matéria / Aula: Direito Processual Civil / Aula 19 Professor: Edward Carlyle Silva Monitor: Alexandre Paiol AULA 19 CONTEÚDO DA AULA: Procedimento, fase postulatória;

Leia mais

Capítulo I PROCEDIMENTO COMUM

Capítulo I PROCEDIMENTO COMUM SUMÁRIO Capítulo I PROCEDIMENTO COMUM 1.Fundamento legal... 21 2. Finalidade... 21 3. Petição inicial... 21 3.1. Tutela provisória... 22 3.1.1. Tutela de urgência: aspectos gerais... 23 3.1.1.1. Tutela

Leia mais

Preparo efetuado. 1. Data e assinatura.

Preparo efetuado. 1. Data e assinatura. 1. RECEBIMENTO DE PETIÇÃO INICIAL (Rito ordinário) Autos n. Comarca de Preparo efetuado. 1 282). Recebo a petição inicial, por ser a mesma apta (CPC, art. Cite-se o requerido para que, caso queira, apresente

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Cumprimento de sentença II. Prof. Luiz Dellore

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Cumprimento de sentença II. Prof. Luiz Dellore DIREITO PROCESSUAL CIVIL Cumprimento de sentença II Prof. Luiz Dellore 1. Liquidação de sentença: cabível quando o título não determinar exatamente o valor devido pela condenação. Enquanto estiver pendente

Leia mais

Lei /2015/13 2 Novo Código de Processo Civil (NCPC)

Lei /2015/13 2 Novo Código de Processo Civil (NCPC) Top Temas: O Procedimento Comum no Novo CPC (2015) Matéria / Aula: O Procedimento Comum no Novo CPC 02: Professor: Rodolfo Hartmann 1 Monitora: Helena Ribeiro Lei 13.105/2015/13 2 Novo Código de Processo

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL ESCOLA DE DIREITO E RELAÇÕES INTERNACIONAIS CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO 10º PERÍODO NIVELAMENTO CONTESTAÇÃO

FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL ESCOLA DE DIREITO E RELAÇÕES INTERNACIONAIS CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO 10º PERÍODO NIVELAMENTO CONTESTAÇÃO FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL ESCOLA DE DIREITO E RELAÇÕES INTERNACIONAIS CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO 10º PERÍODO NIVELAMENTO CONTESTAÇÃO ESTUDO PROVA OAB FGV QUESTIONAMENTOS E REFLEXÕES PARA A PROVA

Leia mais

TEMA: PROCESSO DE EXECUÇÃO - EXTRAFISCAL PROFESSOR: HAROLDO LOURENÇO

TEMA: PROCESSO DE EXECUÇÃO - EXTRAFISCAL PROFESSOR: HAROLDO LOURENÇO CURSO: OAB X EXAME - NOITE DISCIPLINA: PROCESSO CIVIL PROFESSOR: HAROLDO LOURENÇO AULA 04 BLOCO: 01-04 MATÉRIA: PROCESSO DE EXECUÇÃO - EXTRAFISCAL Indicações de bibliográficas: Código de Processo Civil

Leia mais

LEGALE ADVOCACIA TRABALHISTA E O NOVO CPC - II

LEGALE ADVOCACIA TRABALHISTA E O NOVO CPC - II LEGALE ADVOCACIA TRABALHISTA E O NOVO CPC - II As Defesas Trabalhistas e o Novo CPC Professor: Rogério Martir Doutorando em Ciências Jurídicas e Sociais, Advogado militante e especializado em Direito Empresarial

Leia mais

CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. Prof. Eduardo

CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. Prof. Eduardo CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL Prof. Eduardo A que se presta o Código de Processo Civil? FACULDADE ASSIS GURGACZ CÓDIGO CIVIL DE 2002 Parte Geral Livro I Das pessoas Livro II Dos bens Livro III Dos fatos jurídicos

Leia mais

Processo Civil Juiz de Direito

Processo Civil Juiz de Direito Audiência de Conciliação ou de Mediação Art. 334. Se a petição inicial preencher os requisitos essenciais e não for o caso de improcedência liminar do pedido, o juiz designará audiência de conciliação

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL

DIREITO PROCESSUAL CIVIL DIREITO PROCESSUAL CIVIL FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS (FCC) TÉCNICO TRT s 07 PROVAS 34 QUESTÕES (2012 2010) A apostila contém provas de Direito Processual Civil de concursos da Fundação Carlos Chagas (FCC),

Leia mais

CALÚNIA (art. 138, CP) DIFAMAÇÃO (art. 139, CP) INJÚRIA (art. 140, CP)

CALÚNIA (art. 138, CP) DIFAMAÇÃO (art. 139, CP) INJÚRIA (art. 140, CP) CALÚNIA (art. 138, CP) DIFAMAÇÃO (art. 139, CP) INJÚRIA (art. 140, CP) 1 PEDIDO DE EXPLICAÇÕES - não está disciplinado no CPP - art. 144, CP Se, de referências, alusões ou frases, se infere calúnia, difamação

Leia mais

NOVO CODIGO DE PROCESSO CIVIL

NOVO CODIGO DE PROCESSO CIVIL NOVO CODIGO DE PROCESSO CIVIL INSTITUTOS IMPORTANTES PARA O MERCADO DE SEGUROS MARCIO MALFATTI NOVEMBRO 2016 DO INCIDENTE DE RESOLUÇÃO DE DEMANDAS REPETITIVAS IRDR DO CABIMENTO Art. 976. É cabível a instauração

Leia mais

Processo do Trabalho I Simulados_Corrigidos_UNESA

Processo do Trabalho I Simulados_Corrigidos_UNESA Processo do Trabalho I Simulados_Corrigidos_UNESA SIMULADO 1: 1a Questão: A Consolidação das Leis do Trabalho autoriza que o Direito Processual Comum seja aplicado subsidiariamente ao Direito Processual

Leia mais

Nesta linha, o prazo da contestação, da exceção e da reconvenção é o mesmo, qual seja: 15 dias.

Nesta linha, o prazo da contestação, da exceção e da reconvenção é o mesmo, qual seja: 15 dias. RESPOSTA DO RÉU Contestação; Exceção; Reconvenção DA REVELIA Art. 319. Se o réu não contestar a ação, reputar-se-ão verdadeiros os fatos afirmados pelo autor. Art. 320. A revelia não induz, contudo, o

Leia mais

PRÁTICA SIMULADA II - CCJ0046 Título SEMANA 6. Descrição

PRÁTICA SIMULADA II - CCJ0046 Título SEMANA 6. Descrição PRÁTICA SIMULADA II - CCJ0046 Título SEMANA 6 Descrição 1.Defesa do Reclamado - Aspectos Gerais Inicialmente, cabe destacar que a defesa do reclamado, no âmbito do processo do trabalho, será apresentada

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL PEÇA PROFISSIONAL Trata-se de contestação ou defesa, que deve trazer em seu bojo tópico próprio relativamente à prescrição quinquenal de que trata o art. 7.º, XXIX, da Constituição Federal, por meio do

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Execução II defesa do executado. Prof. Luiz Dellore

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Execução II defesa do executado. Prof. Luiz Dellore DIREITO PROCESSUAL CIVIL Execução II defesa do executado Prof. Luiz Dellore PARTE ESPECIAL LIVRO II DO PROCESSO DE EXECUÇÃO TÍTULO I DA EXECUÇÃO EM GERAL TÍTULO II DAS DIVERSAS ESPÉCIES DE EXECUÇÃO TÍTULO

Leia mais

Respostas do Réu: Contestação e Reconvenção Luis Fernando Guerrero Abril 2016

Respostas do Réu: Contestação e Reconvenção Luis Fernando Guerrero Abril 2016 Respostas do Réu: Contestação e Reconvenção Luis Fernando Guerrero Abril 2016 Aspectos Gerais Instrumentos fundamentais para o exercício do contraditório e da ampla defesa (art. 5º, inc. LV da CF/88),

Leia mais

RESPOSTA DO RÉU CONTESTAÇÃO

RESPOSTA DO RÉU CONTESTAÇÃO RESPOSTA DO RÉU CONTESTAÇÃO ESQUELETO MEMORIZE: ENDEREÇAMENTO QUALIFICAÇÃO PRELIMINAR PREJUDICIAL MÉRITO REQUERIMENTOS FINAIS - art. 847 da CLT fala em defesa - apresentada em audiência reclamado tem 20

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL PROFESSOR EDUARDO FRACISCO

DIREITO PROCESSUAL CIVIL PROFESSOR EDUARDO FRACISCO DIREITO PROCESSUAL CIVIL PROFESSOR EDUARDO FRACISCO INTERVENÇÃO LITISCONSORCIAL VOLUNTARIA 1.1 Intervenção de terceiros. Ex. Alunos movem ação contra a faculdade. Outra turma fica sabendo e fazem uma petição

Leia mais

Foi instituída no ordenamento jurídico brasileiro a partir da Lei. 9079/95, que incluiu os arts A, 1102-B e 1102-C no CPC/73.

Foi instituída no ordenamento jurídico brasileiro a partir da Lei. 9079/95, que incluiu os arts A, 1102-B e 1102-C no CPC/73. AÇÃO MONITÓRIA Observações iniciais Foi instituída no ordenamento jurídico brasileiro a partir da Lei. 9079/95, que incluiu os arts. 1102-A, 1102-B e 1102-C no CPC/73. No NCPC tal matéria é tratada nos

Leia mais

PANORAMA GERAL ANÁLISE CRÍTICA E CONSIDERAÇÕES DA LEI /2015

PANORAMA GERAL ANÁLISE CRÍTICA E CONSIDERAÇÕES DA LEI /2015 PANORAMA GERAL ANÁLISE CRÍTICA E CONSIDERAÇÕES DA LEI 13.105/2015 DIRETRIZES ESSENCIAIS DO NOVO CPC i) busca de celeridade / efetividade processual (art. 4 cc art. 5, LXXVIII CF) X vedação julgamento surpresa

Leia mais

LIVRO I Do Processo de Conhecimento...1

LIVRO I Do Processo de Conhecimento...1 Sumário LIVRO I Do Processo de Conhecimento...1 Capítulo 1 Da Jurisdição...3 1.1. Conceito de Jurisdição... 5 1.2. Exercício da Jurisdição Quem Exerce a Jurisdição?...15 1.3. Características da Jurisdição...17

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS UFAM FACULDADE DE DIREITO FD DEPARTAMENTO DE DIREITO APLICADO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS UFAM FACULDADE DE DIREITO FD DEPARTAMENTO DE DIREITO APLICADO DIREITO PROCESSUAL CIVIL Defesas do Réu no Módulo Processual Cognitivo (parte 1) (Procedimento Ordinário) Professor Rafael Menezes Julho/2013 Tese e Antitese Dialética Devido Processo Legal LIV ninguém

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO N.º 003/2016 DAS NOVIDADES DA CONTESTAÇÃO NO NCPC. Da preliminar de incompetência relativa

BOLETIM INFORMATIVO N.º 003/2016 DAS NOVIDADES DA CONTESTAÇÃO NO NCPC. Da preliminar de incompetência relativa BOLETIM INFORMATIVO N.º 003/2016 DAS NOVIDADES DA CONTESTAÇÃO NO NCPC O NCPC seguindo os princípios básicos definidos em seus primeiros artigos visou otimizar a dinâmica dos mecanismos de defesa a serem

Leia mais

RESUMO DOS TÓPICOS DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL II. Prof. Marcelo Amaral da Silva. DO DIREITO DE RESPOSTA art. 297 a 322 do CPC)

RESUMO DOS TÓPICOS DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL II. Prof. Marcelo Amaral da Silva. DO DIREITO DE RESPOSTA art. 297 a 322 do CPC) RESUMO DOS TÓPICOS DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL II Prof. Marcelo Amaral da Silva DO DIREITO DE RESPOSTA art. 297 a 322 do CPC) DA RESPOSTA DO REÚ O direito de ação é equânime em sua natureza jurídica ao

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Prof.ª Maria Carolina C. de Amorim

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Prof.ª Maria Carolina C. de Amorim DIREITO PROCESSUAL CIVIL Prof.ª Maria Carolina C. de Amorim Introdução ao estudo do direito processual civil Noções gerais Regras de conduta Conflito de interesses Direito material e Direito processual

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 3ª REGIÃO RECORRENTES: CLÁUDIA MÁRCIA VARGAS DA COSTA (1) BANCO CITIBANK S/A (2) RECORRIDOS : OS MESMOS EMENTA: DEVOLUÇÃO TARDIA DOS AUTOS. NÃO CONHECIMENTO DA IMPUGNAÇÃO À DEFESA. CERCEAMENTO DE DEFESA. CONFIGURAÇÃO.

Leia mais

Escola de Ciências Jurídicas-ECJ

Escola de Ciências Jurídicas-ECJ Posição legal Momento processual Necessidade, finalidade, objeto e limites Natureza jurídica Liquidação na pendência de recurso Liquidação concomitante com execução Modalidades Liquidação de sentença Sumário

Leia mais

Aula 1. Sumário. Do impedimento do juiz 2. Da suspeição do juiz 4. Do escrivão 8. Do oficial de justiça 9. Questões 11

Aula 1. Sumário. Do impedimento do juiz 2. Da suspeição do juiz 4. Do escrivão 8. Do oficial de justiça 9. Questões 11 Aula 1 Sumário Conteúdo Página Do impedimento do juiz 2 Da suspeição do juiz 4 Arguição de impedimento e suspeição 7 Do escrivão 8 Do oficial de justiça 9 Questões 11 Dos Impedimentos do Juiz São situações

Leia mais

ESTUDO DIRIGIDO 8 RESPOSTAS

ESTUDO DIRIGIDO 8 RESPOSTAS ESTUDO DIRIGIDO 8 RESPOSTAS 1. Respostas do Réu 1.1. Disserte sobre as variadas formas de resposta. RESPOSTA: O réu pode apenas defender-se das alegações e das pretensões contidas na petição inicial. A

Leia mais

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA OFICINA DO NOVO CPC RECURSOS

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA OFICINA DO NOVO CPC RECURSOS OFICINA DO NOVO CPC RECURSOS RECURSO DE APELAÇÃO Artigos 1.009 a 1.014 do Código de Processo Civil 1. Recurso de Apelação Conceito Cabe recurso de apelação contra a sentença do juiz que põe fim à fase

Leia mais

Direito Processual Penal

Direito Processual Penal Direito Processual Penal Procedimento Comum e Ordinário Professor Joerberth Nunes www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Processual Penal PROCEDIMENTO COMUM E ORDINÁRIO LIVRO II Dos Processos em Espécie

Leia mais

Questão 1 (FCC TJ-PE - Técnico Judiciário - Área Judiciária - e Administrativa)

Questão 1 (FCC TJ-PE - Técnico Judiciário - Área Judiciária - e Administrativa) CURSO DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DE PROCESSO CIVIL PONTO A PONTO PARA TRIBUNAIS MÓDULO 10 RECURSOS. Professora: Janaína Noleto Curso Agora Eu Passo () Olá, pessoal! Chegamos ao nosso décimo módulo. No módulo

Leia mais

SUMÁRIO PARTE I INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS PARA UMA APROPRIADA POSTULAÇÃO EM JUÍZO 1 INTRODUÇÃO

SUMÁRIO PARTE I INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS PARA UMA APROPRIADA POSTULAÇÃO EM JUÍZO 1 INTRODUÇÃO SUMÁRIO PARTE I INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS PARA UMA APROPRIADA POSTULAÇÃO EM JUÍZO 1 INTRODUÇÃO 2 SOLUÇÃO DE LITÍGIOS PERANTE O PODER JUDICIÁRIO 2.1 Estrutura jurisdicional brasileira 2.2 Lide, processo e

Leia mais

- intimação MP ou interventor legal - provas - valor da causa

- intimação MP ou interventor legal - provas - valor da causa PRÁTICA CIVIL Profº Ms. Sérgio Gabriel Tema: Petição Inicial 1) Petição Inicial a) Estrutura: - Endereçamento - Preâmbulo - Fatos - Fundamentos - Pedidos e requerimentos 2) Estrutura b) Regras básicas

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Execução I. Prof. Luiz Dellore

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Execução I. Prof. Luiz Dellore DIREITO PROCESSUAL CIVIL Execução I Prof. Luiz Dellore Inadimplemento + título executivo extrajudicial: Processo de execução. PARTE ESPECIAL LIVRO II DO PROCESSO DE EXECUÇÃO Sempre? Art. 785. A existência

Leia mais

a) A defesa contra o processo - dilatória - peremptória b) A defesa de mérito - direta - indireta As conhecidas como preliminares:

a) A defesa contra o processo - dilatória - peremptória b) A defesa de mérito - direta - indireta As conhecidas como preliminares: A DEFESA DO RECLAMADO 1 a) A defesa contra o processo - dilatória - peremptória b) A defesa de mérito - direta - indireta 2 a) A defesa contra o processo As conhecidas como preliminares: Dilatórias- apenas

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Correlação entre acusação e sentença. Gustavo Badaró aula de

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Correlação entre acusação e sentença. Gustavo Badaró aula de Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Correlação entre acusação e sentença Gustavo Badaró aula de 11.08.2015 1. Noções Gerais PLANO DA AULA 2. Distinção entre fato penal e fato processual penal

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Defesas do Réu no Módulo Processual Cognitivo (parte 2) (Procedimento Ordinário) Professor Rafael Menezes Agosto/2013

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Defesas do Réu no Módulo Processual Cognitivo (parte 2) (Procedimento Ordinário) Professor Rafael Menezes Agosto/2013 DIREITO PROCESSUAL CIVIL Defesas do Réu no Módulo Processual Cognitivo (parte 2) (Procedimento Ordinário) Professor Rafael Menezes Agosto/2013 RECONVENÇÃO O réu pode reconvir ao autor, no mesmo processo,

Leia mais

Tribunal de Contas. Acórdão 4/2008 (vd. Acórdão 2/06 3ª S de 30 de Janeiro) Sumário

Tribunal de Contas. Acórdão 4/2008 (vd. Acórdão 2/06 3ª S de 30 de Janeiro) Sumário Acórdão 4/2008 (vd. Acórdão 2/06 3ª S de 30 de Janeiro) Sumário 1. São duas as questões suscitadas pelo Demandado: - uma que respeita a competência do relator para a decisão tomada e a eventual nulidade

Leia mais

Direito Civil Direito Civil

Direito Civil Direito Civil DIREITO CIVIL PEÇA PROFISSIONAL Ercília, ao parar diante de faixa de pedestre, na cidade de Patos de Minas MG, teve seu veículo abalroado pelo automóvel conduzido por Otávio e, em razão do acidente, teve

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL PROFESSOR EDUARDO FRANCISCO

DIREITO PROCESSUAL CIVIL PROFESSOR EDUARDO FRANCISCO DIREITO PROCESSUAL CIVIL PROFESSOR EDUARDO FRANCISCO 1 Nomeação à autoria arts. 62 a 69, CPC. Intervenção de terceiros Mecanismo de correção do polo passivo Dever do réu, vide art. 69, CPC. 1.1 - A nomeação

Leia mais

Anexo II do Provimento 3/ CÍVEL SENTENÇA DE JULGAMENTO COM RESOLUÇÃO DE MÉRITO (CÍVEL) :

Anexo II do Provimento 3/ CÍVEL SENTENÇA DE JULGAMENTO COM RESOLUÇÃO DE MÉRITO (CÍVEL) : ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO CORREGEDORIA-GERAL DE JUSTIÇA CENTRO ADMINISTRATIVO GOVERNADOR VIRGÍLIO TÁVORA Av. Gal. Afonso Albuquerque de Lima s/n.º - Cambeba Fortaleza Ceará CEP 60.830-120 DDD (0**85)

Leia mais

Processo Civil aula 1

Processo Civil aula 1 Processo Civil aula 1 * Conteúdo da aula: - Jurisdição: conceito, modalidades, estrutura jurisdicional brasileira. - Competência: conceito, espécies, argüição de incompetência, regras de fixação. - Processo:

Leia mais

TUTELA PROVISÓRIA NO NOVO CPC

TUTELA PROVISÓRIA NO NOVO CPC TUTELA PROVISÓRIA NO NOVO CPC Prof. Advogado. Mestre em Processo Civil pela PUC/SP. LL.M pela University of California Berkeley School of Law. DA TUTELA PROVISÓRIA Disposições gerais Art. 294 A tutela

Leia mais

SUMÁRIO. Capítulo II SUBSTABELECIMENTO... 31

SUMÁRIO. Capítulo II SUBSTABELECIMENTO... 31 SUMÁRIO Capítulo I PROCURAÇÃO AD JUDICIA... 19 1. Conceito... 19 2. Extensão dos poderes conferidos pelo outorgante ao advogado... 21 3. Modelo da procuração ad judicia com poderes para o foro em geral...

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Teoria Geral da Prova no Processo Civil Daniel Nobre Morelli INTRODUÇÃO Podemos considerar prova como o meio pelo qual se procura demonstrar que certos fatos, expostos no processo,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS DEFENSORES PÚBLICOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS ADEP MG ANÁLISE PRELIMINAR DO ANTEPROJETO DE REFORMA DO CPC

ASSOCIAÇÃO DOS DEFENSORES PÚBLICOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS ADEP MG ANÁLISE PRELIMINAR DO ANTEPROJETO DE REFORMA DO CPC Nº Aspectos Positivos 1 Capítulo IV, Seção III - Da Defensoria Pública (havia a previsão específica de uma seção para tratar apenas da Defensoria Pública) Há o reconhecimento da instituição como essencial

Leia mais

Ação Monitória. Mattos, Raquel Monteiro Calanzani de. Ação monitória / Raquel Monteiro Calanzani de Mattos. Varginha, slides.

Ação Monitória. Mattos, Raquel Monteiro Calanzani de. Ação monitória / Raquel Monteiro Calanzani de Mattos. Varginha, slides. Ação Monitória M435a Mattos, Raquel Monteiro Calanzani de. Ação monitória / Raquel Monteiro Calanzani de Mattos. Varginha, 2015. 24 slides. Sistema requerido: Adobe Acrobat Reader Modo de Acesso: World

Leia mais

PROCEDIMENTOS ESPECIAIS

PROCEDIMENTOS ESPECIAIS PROCEDIMENTOS ESPECIAIS AÇÃO MONITÓRIA DA AÇÃO MONITÓRIA Art. 700. A ação monitória pode ser proposta por aquele que afirmar, com base em prova escrita sem eficácia de título executivo, ter direito de

Leia mais

Ações judiciais na locação de imóveis urbanos

Ações judiciais na locação de imóveis urbanos Ações judiciais na locação de imóveis urbanos Ação revisional de aluguel Ação de consignação de aluguel e acessórios da locação Prof. Denis Donoso Denis Donoso blogspot.denisdonoso.com.br Apresentação

Leia mais

Parte Especial CURSOS. Código Processo Civil Parte Especial. VIZAM CONSULTORIA ASSESSORIA E PESQUISA Rua México, 21 8º Andar, Centro - RJ

Parte Especial CURSOS. Código Processo Civil Parte Especial. VIZAM CONSULTORIA ASSESSORIA E PESQUISA Rua México, 21 8º Andar, Centro - RJ CURSOS VIZAM CONSULTORIA ASSESSORIA E PESQUISA Rua México, 21 8º Andar, Centro - RJ A VIZAM Consultoria [www.vizam.com.br], empresa de consultoria em relações institucionais, vai promover um curso exclusivo,

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL PROF. MARCU ANTONIO GONÇALVES S. FILHO

DIREITO PROCESSUAL CIVIL PROF. MARCU ANTONIO GONÇALVES S. FILHO DIREITO PROCESSUAL CIVIL PROF. MARCU ANTONIO GONÇALVES S. FILHO I - AÇÃO 1. Que tipo de pretensão é deduzida em ação condenatória, constitutiva e declaratória? - Condenatória = pretensão em impor obrigação

Leia mais

DAS AÇÕES POSSESSÓRIAS

DAS AÇÕES POSSESSÓRIAS DAS AÇÕES POSSESSÓRIAS Posse para Savigny Posse é um fato que se converte em direito justamente pelos interditos concedidos pelo ordenamento Posse para Ihering Teoria da defesa complementar da propriedade

Leia mais

AULA 14. Espécies de Intervenção de terceiro no novo CPC. d) Incidente de desconsideração da personalidade jurídica

AULA 14. Espécies de Intervenção de terceiro no novo CPC. d) Incidente de desconsideração da personalidade jurídica Turma e Ano: Master A (2015) 11/05/2015 Matéria / Aula: Direito Processual Civil / Aula 14 Professor: Edward Carlyle Silva Monitor: Alexandre Paiol AULA 14 CONTEÚDO DA AULA: denunciação da lide a) Assistência

Leia mais

JF CONVOCADO ANTONIO HENRIQUE CORREA DA SILVA em substituição ao Desembargador Federal PAULO ESPIRITO SANTO

JF CONVOCADO ANTONIO HENRIQUE CORREA DA SILVA em substituição ao Desembargador Federal PAULO ESPIRITO SANTO Apelação Cível - Turma Especialidade I - Penal, Previdenciário e Propriedade Industrial Nº CNJ : 0101807-06.2014.4.02.5101 (2014.51.01.101807-8) RELATOR JF CONVOCADO ANTONIO HENRIQUE CORREA DA SILVA em

Leia mais

Exceções Noções introdutórias

Exceções Noções introdutórias Exceções 1 1. Noções introdutórias Há mais de uma modalidade de resposta que o réu pode valer-se para apresentar em juízo. Antes da sua elaboração devem ser observadas as peculiaridades trabalhistas e

Leia mais

1. AÇÃO. 2. CONDIÇÕES DA AÇÃO. Decisão de mérito art. 269, VI, CPC

1. AÇÃO. 2. CONDIÇÕES DA AÇÃO. Decisão de mérito art. 269, VI, CPC 1. AÇÃO. Ação é o direito ao exercício da atividade jurisdicional. Características: subjetivo, público, genérico, tem como sujeito passivo o Estado. O direito de ação é uma garantia constitucional por

Leia mais

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA AÇÃO DE ALIMENTOS COM MODELO DE PETIÇÃO INICIAL E A CONSTRUÇÃO DO PARÁGRAFO JURÍDICO

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA AÇÃO DE ALIMENTOS COM MODELO DE PETIÇÃO INICIAL E A CONSTRUÇÃO DO PARÁGRAFO JURÍDICO AÇÃO DE ALIMENTOS COM MODELO DE PETIÇÃO INICIAL E A CONSTRUÇÃO DO PARÁGRAFO JURÍDICO A ação de alimentos é proposta, quando o autor precisa de pensão alimentícia com o objetivo de prover suas necessidades

Leia mais

Teoria Geral do Processo

Teoria Geral do Processo Arno Melo Schlichting Teoria Geral do Processo Concreta - Objetiva - Atual Livro 2 3 a Edição SUMÁRIO Apresentação 9 Identificação 11 Natureza... 13 Objetivo... 13 1 Teoria Geral das Ações 15 1.1 Ação,

Leia mais