\.' 1."':;J' Cal ~íi

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "\.' 1."':;J' Cal ~íi

Transcrição

1 ;::YFE 'REP(JBUCA h f; U) ( ;:: i REG;::LC r:i::)eratva 00 Bllfl:orrm f ::::i A ti r J r c ASAe r SL >';;11 8 ' 1':;J' Cal íi<oqu;';;!jfn te fotoc5pia J ()' ) REGMENTO NTERNO DO CONDoMÍNo CAP 'TULO nl! CT ill' nl' Ol>Jln&u' no UM ':;J o MU L ' 'l &B ''::0 Q'llR()'(1S!;wf o U 8 MAR zoes DF o ;its t Nau' Ari 1 Fica instituído o Regimento nterno do Condomí1JiJ U1t=oi rf' ; ore denominado apenas Condomínioaprovado na Assembléiaih) ªrtl :cle 1996 estando os 'Condôminos moradores comerciantes e empregados sujeitos a clliprimento de SllUS dispositivos CAPíTUlO 11 DA CONSTTUiÇÃO DO CONDOMíNO A 1'1 2 As Unidades autônomas que constituem o Condomínio destinamse a residências e comércios mantendose a observância do indicatívo do projeto original não sendo permitido que imóveis em área destinada à residência sejam usados de forma diversa 11 DOS PODERES CONSTTUíDOS Art: 3 O poder máximo do Condomínio e a Assembléia Geral constituída pelos condôminos ;;)que têm direito a voto desde que em dia com suas obrigações condominiais Ar! r A Administração do Condomínio é exercida por um síndico eleito em Assembléia de Condôminos na forma indicada na Convenção Parágrafo Único O Síndico em caso de vacância será substituído pelo Subsíndico que também é deito junto com o síndico C:0mpéte ao Subsíndico ass: conjunto com o Síudico todos os cheques para pagamentos referentes a transações condominiais A rt 5 O Conselho de Administração formado por representantes de Quadras denominados Administradores de Quadra e do Comércio Local são indicados pelos moradores das respectivas quadras ou comércio local cujo Presidente é o Síndico que tem o voto de minerva (desempate) > Art: 6 O Administrador de Quadra ou do Comércio Local e seu Vice deve ser um morador da sua Quadra ou proprietário de imóvel Comercial e estar em dia com suas obrigações condominiais cabendolhe observar qualquer anormalidade que porventura ocorra em sua Quadra ou Comércio Local comunicando ao Síndico por meio de formulário próprio fornecido pela Secretaria Parágrafo Primeiro O Administrador de Quadra ou Comércio Local deve ser indicado pelos moradores da quadra ande reside com a indicação por meio de formulário próprio a ser encaminhado pela Administração do Condomínio para o devido e registro em livro próprio O Administrador pode candidatarse à' reeleição O mandato do Administrador termina concomitantemente ao do Síndico n ;J;Z; n'''' 5 ;: EL:3j?t :f::er/th;''> DCi BR:'ri Parágrafo Segundo Em caso de vacância os moradores ooáerii Jij:oo!qllir4W:S611tr L representante A H:f;;!;; ::j;:7 Z::::!;Ei;:0];í;%1 s ::ci;=::;::=:;:= com o do Síndico f ::;V::i r i;::cl / t'l'c;':) }Y;'0t' 1 l' :! ''f; r <s;:;:'f;/j!'f' ')': r;):> q

2 :' :< );'::! l:cu:';'< ;: /: 1 i!::;;'?;tl:!'jl' REPUBU:A FEDERnVAÔ BS;L' li j /:(qf<j(itj:'; (k px<rffi :; :;o ' qu4 rru;jvl ;J'O;'n::: 'r L ) = / li 8 '?nn 1 Parágrafo Primeiro ' i O Presidente do Conselho CorisJiM>ão '' '8M3' Marose1itiv susbstitui as funções do Subsíndico e caso de ausêil 1Jimpe en:to deste Wt6e se refere ' assinaturas conjuntas com o Síndico i& 1 10 Nauncá/U; Ln bj ennn João Jr ' ' ; i O azinho H!hOlfta iri/ ArL 8 Sempre que houver necessidade de realização el fflii1 ' (Bervlços de manutenção de valor igualou superidr a 20 Salários Mínimos serão constituídas Comissões de Obras uma para cada projeto e suas especificações cabendo a estas comissões analisar as propostas apresentadas sob aspectos técnicos legais e financeiros indicando a proposta mais vantajosa para o Condominio e se for o caso fazer a previsão do valor a ser cobrado a titulo de taxa extra Parágrafo Único A constituição da Comissão de Obrasdeve ser indicada e aprovada em Assembléia e deve ser composta por nomínimo (04) quatro condôminos que devem estar em dia com as obrigações condominiais V DO ACESSO AO CONDOMíNO Art 9 0 O acesso ao interior do Condomínio é permitido aos Condôminos Moradores c seus Empregados estes devem estar cadastrados na secretaria do Condomínio Trabalhadores em construção ainda que não empregados também devem ser cadastrados na Secretaria AT0 Os visitantes devem identificarse na Portaria indicando o nome do morador e a unidade a que pretende dirigirse Parágrafo Único Em caso de eventos em sua residência o Condômino devera entregar previamente relação nominal de seus convidados Art 11 Não será permitida a entrada de veículos de entregas de materiais fora do horário comercial ou seja de 8:00 às 18:00 h Art 12 A salda de materiais inclusive mudanças e de entulho de obras só poderá ser permitida após comunicação formal à Secretaria pelo Condômino ou Morador responsável Ar! 13 Não sem permitido o acesso ao Condomínio de propagandistas pedintes angariadores de donativos e vendedores estes desde que identificados terão acesso ao comércio Art 14 As medidas de segurança implementadas pela Administração devem ser integralmente observadas pelos Condôminos Moradores e Empregados V DOS EMPREGADOS DO CONDOMíNO Art 15 É de competência exclusiva do Sindico contratar aplicar penalidade e dispensar empregados e prestadores de servis bem mo praticar os da;tqln: rlações de trabalho ou de contratação de SeTVlÇOS sem vínculo empregatíciç; :: 1 i i r' '1: ')!(:DO BHASJL B: 11 :; v Cf;:;::';:;;':;::;!:' ; A rt 16 Os Condôminos Moradores e seus Empregados devliictffltmbsf6mpiig'ju'ã(v;l '' J' } :C; i/lê J'Ui ;) i r er '' f!'ilílulj Condomínio com urbanidade Quaiquer reclamações por deficê*qialdestes empregâdolhie{f mjser dirigidas ao Síndico ou ao Administrador de Quadra ou C:; himakee caráter : :rre se assimdesejaro reclamante ser registrada m1tf!::':;2 tf!!1r;:';:;' ii 2 bnli'rsjurioc#sooo'f OfifiõS EDocUMEM1o: pesso A M ()iiz

3 é: :;{EipBi';': J :: 2: ' ' ;;! d i m ''(EPÚ811t FEDE;:1AT:vACJj:j r < ó'va 00aR': o!om;rfglstrqc1t A J T c N 1 C {9OCUlfOfTO$(Essrb?crs Certifiro que ;; 5enz::}r)lo1:(j 1 l3 'leprodw;áü [ie O documenjo onglnul 1? Síndico fará cons1:8rem quadro próprio ue Cfiki d)fi:;lãsoi egados com a indicação da função e da Jornada de trabalho bem ql?!lilm q strverer a serviço do Condomínio ainda contratados em caa rtraªri ev'endo a ficha ãdos pessoais permanecer na Secretariá: ê E == ' Art V DAS BENFTORAS E SElW::rtt sn'tté 1) UA'Hl y;tp CWJí:) J ; ;:;:: leol '''j j t Art 18 Para a execução de quaisquer benfeitorias e serviços de manutenção no Condomínio de valor igual ou superior a 20 (vinte) salários minimos o Síndico deverá apresentar ao Conselho de Administração no mínimo (03) três propostas que analisara o esquema financeiro para a execução das obras ou serviços pretendidos inclusive indicando se for o caso o valor da taxa extra que set«necessária cobrar dos Condôminos Parágrafo Único Não será aprovada a execução de obras ou serviços para os quais MO haja devidamente equacionada ainda que reconhecidamente necessários ao cobertura financeira Condomínio Arl 19 '0 conserto a substituição de qualquer equipamento ou instalação de utilização comuuitaria salvo se decorrente de desgaste pelo uso normal bem como 8 reparação de danos em arcas comuns corremo por conta de quem lhe der causasendo de atribuição do Administrador da Quadra ou do Comércio Local a apuração de quem seja o responsável fato que deve ser informado ao Síndico para que tome as providências cabíveis Será de responsabilidade do Condômino a reparação de danos causados ao Patrimônio docondominio por atos de seus dependentes empregados ou visitantes V DAS PROBiÇÕES A ri 20 É proibido aos Condôminos aos Moradores e a todos que tenham autorização ingressar no Condomínio: para 01 depredar qualquer bem pertencente ao Patrimônio do Condomínio ou Patrimônio Público sob sua responsabilidade; 02 jogar papéis detritos água proveniente de tanques e máquinas de lavar roupas e louças lixo doméstico e sobras em áreas comuns e circunvizinhos bem como efetuar queimadas e desmatamentos em qualquer área; 03 colocar lixo doméstico inclusive sobras de jardinagem e varredura em lugar diverso do indicado para este fim sendo obrigatório o uso de sacos plásticos para acondicioná/ 10; / 04 exibir cartazes ou faixas de anúncio ou propaganda na Secretaria Portaria muros e áreas internas ou externas próximas ao Condomínio exceto na área destinada ao Comercio Local ou devidamente contratado este anúncio com o Condomínio 05 utilizar as unidades autônomas como clube de dança e/ou jogos de azar; 06 permanecer em áreas comuns em atitudes que atentem ao pudor ou ainda de sunga tanga maiô ou peças intimas; 07 manter animais domésticos soltos em áreas comuns; ir; f'ep('n r<:' 08 utilizar empregados do Condomínio para realiijtçãb 1 de!1fuslt horário de trabalho; (f i f:f;rtii;(;<i;;';' o :<;;:;:;;;;:t ;c;7nc1cw t' 09 ter acesso às chaves elétricas e aos registros de :à 1)a :91&6A<uiê:'L16!i' +» oj'li(li:ro ;:lol'c sejam de responsabilidade de empregados credenciados] J' io 'nstalar qualquer ti de equipto ou lho;i;ex?r}9jj1arem;em areas comuns ou utilizar energia eletnca destinada a: 'S ar êiio(pãrtl!yjm g ' i J 3 ' HiigJ;::Pit :;lo'slr tsioj; :l 1 jl

4 i RESL::::;i:!!!: y utilizar rádios televisores instrumentos musijj tqtj M; ou produtores de ruídos bem como acionar buzini Xe canto 'as ou faz< de modo a perturbar QS vizinhos em qualquer : :bri'n=' o::;sr::: silêncio no horário das 22:00 às 06:00 h sahbxnãl ' VMS J/< c Jr'tJut( comunicando ao Síndico nos1erinos do Art 10':' ' ' '''' ''' t;;(;f!u::1jj;l:' 12 em hipótese alguma será 'Permitido despejat :birqrê'ade â' iy ;rti:?;a1f8s provenientes de esgoto pias de cozinha e similares; dirigir internamente com velocidade acima de 20 km/h e/ou permitir que terceiros inabilitados façam uso de veículo em área comum; 14 esvaziar a água da piscina em intervalos inferiores a 24 meses Sendo que toda piscina deve ter água devidamente tratada; 15 caçar ou apedrejar qualquer tipo de animal silvestre dentro do Condomínio 11 lh F'! o os J Ar! 21 As construções ou reformas que produzam ruídos só serão permitidas no horário de 07 :00 às 20:00 h A ri 22 Os casos de doenças infectocontagiosas em moradores e seus empregados devem ser comunicados ao Síndico de forma a que sejam cumpridas as normas de saúde pública Art 23 Caberá a cada condômino mantera sua unidade limpa mesmo enquanto não edificada A construção de calçada em frente ao terreno também será de responsabilidade do Condômino Ar' 24 Os materiais de construção e os entulhos ou restos de obras devem ser colocados dentro do terreno do Condômino responsável podendo ser autorizada pelo Administrador da Quadra sua colocação na calçada por prazo determinado até a sua destinação Art 25 Não é permitido virar massa ou concreto tio leito das ruas bem como colocar nesse local os materiais previstos no item anterior Art 26 Não é permitido a colocação de redutores de velocidade sem autorização prévia do Condomínio que fará estudo para sua execução V DO COMÉRCO LOCAL Art 27 Não é permitido concorrentes externos fazerem comercializações internas a não ser por meio das lojas do Comércio Local bem como utilizarem as áreas próximas ao Condomínio como Portaria estacionamentos áreas comuns etc E O Comércio Local tem por finalidade primordial atender aos moradores do e nele trabalham O atendimento a pessoas de outras comunidades depende de na Portaria Cada estabelecimento deve ter sua especialidade devidamente Te istrada 'unto aos órgãõs governamentais seu o na a comprovação à A stração do cío de suas ativida'1les 'D'P'''''' li; lc: VÜL: c;0ndo identificação e' ida Condomínio ;:i(/;;:::t:i5 8RSl A rt 29 O Comérciofuncionará entre 06:00 e 22;00 h de tfudji> ti'qjljduiita;qq%/s;; sextasfeiras e sábados podem funcionar até às 24:00 h G;j;!i#mti9((#<fs'(dialttei!:1 mecânico ou ao vivo somente até às 22: 00 h r :1 ; i' 'u'ucw/uitfe ts ficam obrigados a' control:{r 'l'i '/';l'j:t :{12fJ/tlíCU ;; l8! / d bl da :;C o ( 'JLki não permitiu o que sejam oquea s as u :;;'7f;: J''':;ír;:';';'BRS'L A rt 30 Os comerciantes p idade 51 4 mlg):t::;:':ir ;:: ;t/; ( ' ;:t ofico OE ::{'r''''v:f1:!;10oón'j1os G5TRO'tNll'R jjrucs 00 o f ojúf'ios E 'ESSO' 'U J O c :3 F

5 r! r ' :;;:2 ') [;: ;:: r;!2l f? g! i [ REPÚ8LA ' t t Ft) UTE 'J:;jAE:J;: 8i 1' 'tn ' 'V' 8(= Reprodw;ôo fie/:) V:') Ô' f'r&á Certijir:oq;;;;;Pr';:''':' ':o''''nlto r lkí;?oe O:MAR:l' d'ei que rnefyi'âpr;':;t;:ld: 11 <f::mal 1r'31 NãO é permitida a colocação de :sas cadeas e quaisquer ' líqs: obsta os nas vias ou''/ ' acesso e outras áreas comuns que possam dificultar a circulação dos mor ' proibido fazer uso da parte xterna das: lojas para colocar caixas enflo ' gôndolas etc '/4/t/i' intuito de evitar a poluição Vsual do Condomínio f'fl Q<l'N:'::'<':O: ;'=:::: g: :! 1:: [::) f nc lv Lnce'inllnr ';; :' j r Jfi' Parágrafo Único :2j::ManM(:Ln){l ; iqe Jr''f)6tit'tllV Quaisquerialequipamentos de jogos devemo sercoloca'is1nte '' 'lr'imil:'a:'''''adsii'' 71 ' < (na : ':1 'O 1!2rjJSSl'lD5 'tr<;j!odo 'J l( o comerei O lixo deve ser colocado em sacos plásticos apropriados sendo obrigatório o uso de lixeiras para que não seja objeto de uso de animais A limpeza das fossas será de responsabilidade dos comerciantes ainda deve ser mantida a higiene necessária ao bom funcionamento comercial A ri 32 Art 33 Os empregados do Comércio Local devem ser cadastrados na Portaria do Condonnnio para acesso ao seu local de trabalho Quando possível devem usar uniformes apropriados à função que exercem Ar' 34 Os fornecedores para entrar no Condomíniodevem se identificar na Portaria onde receberão crachá de visitante quando da saída devem dar provas de que realmente estiveram no Comércio Local 35 Os comerciantes ficam obrigados a manter a ordem e disciplina respeitar os Condôminos e demais comerciantes Devem manter ahigiene Dedetetizar os estabelecimentos a cada (06) seis meses Não vender cigarros e/ou bebidas alcóolicas para menores A' X DAS PENALDADES Art 36 A inobservância das normas contidas neste Regimento nterno bem como da Convenção sujeita o infrator além das penalidades legais que couberem: 01 à advertência verbal; 02 à advertência por escrito quando da segunda ocorrência que será dada ciência ao infrator por meio de comunicação formal; 03 à multa no valor da taxa condominial a ser cobrada no mês seguinte ao que ocorrer a infração no caso em que o reincidente já tenha sido advertido formalmente Art 37 Toda advertência ou multaaplicada em caso de pedido derecurso deverá ser alçado ao Conselho Consultivo no prazo máximo de 72 horas O Conselho terá (08) dias corridos para a decisão final CAPiTULO X DSPOSiÇÕES FNAS o ' nk 38 O presente Regimento nterno entrará em vigor SiiX'{$/Gl4Xtâlàprão cabendo ao Síndico providenciar a sua divulgação no prazo ge?/(lr5ft;ap:ãjf:9mr;ft!rfpio em local visível e de fácil acesso' ficando Sindicoi:rP9WiÁ'ft11;!é()p:yooaç{í{}) td%iva Assembléia no prazo de 180 (cento e oitenta) dias para suac'aj1l]flzaçã(rh ;/r;o::ij(düdoufe Ar! :J::!Jt!! '' ') {[1) 'ed!1r ;:'/=:':J '0;'nht C s ; y U r '21'C' LJ ::t!i: v ';!J 1'f' };1)rr::l'{lP1)OeftH f;o 'JtFE; Ajf! :1th'1)' i!jv ' R'POBLC ' '' 5

6 : qfje ; l : UJ:(! ;l / REPUBUCA FEDERA/ '''l3&vadoarasl A U TE N T C A C :;t' ;:; 5: :;i Certijio que a f'resen (e' : cõ 'ãé fi Reprodl 'io Jie! ao do Cl6bt:{do:Sl: S7?' l ' lrrorfstoohil'ulo ;;:' ;z ;F : & que me foi aoreser t? 20 ' 2 i X REGULAMENTO PARA AS ]fj<3 CONDOMíNQ lforada DcfBRES Pl ' 1V1Jl OSUCOC(f'fSSOASJUf/lD!CoSOOtlf' L 1PS il C! jo f lr02s433 Ol! 1/ ( ;;; Q '1/0 r dto r 1'1 urit:a;l'1l''q:co J OMazinhc o O '4 c!jhiruto :YYl i1 nomes 'f' VJCl1 rr 1l1MJU: Art 10 chapas deveo estar mondas prontas gl ;:' dos participantes no máximo (10) dez dias antes da data dà: eleção O regatit;i::&ijih;1paarseà por meio do ançamento dos nomes dos componentes pelo cabeça da chapa no livro de ocorrências que encontrase na Portaria no horário comercial A inscrição dos fiscais deverão seguir o mesmo procedimento Art 10 Todos os participantes das chapas deverão estar rigorosamente em dia com as suas obrigações condominiais (taxas regulares e taxas extras) pagas atá o dia da divulgação da chapa Ar! 30 A divulgação das chapas podem ser feita por meio de cartazes faixas e bandeiras a serem afixadas dentro do Condomínio E expressamente proibido colar cartazes pichar ou escrever qualquer propaganda em áreas comuns como postes muros ou árvores ficando a chapa responsável pela limpeza pintura ou reparo do bem danificado A Administração deverá fornecer representante de cada chapa (01) uma istagem completa de todos os Condôminos bem como (02) dois jogos de etiquetas para envio de correspondência no prazo de (10) dez dias antes das eleições O Síndico deverá entregar ao Presidente de Mesa para as eleições (24) vinte e quatro horas antes do inicio dli eleição as listagens completas com os inadimplentes tanto das taxas regulares quanto das taxas extras ao Art 40 Só poderão votar o Condôminos rigorosamente em dia com as SU<lS obrigações condominiais (taxas regulares e taxas extras) paga ate 48 horas antes do início da eleição Arl50 Cada chapa poderá inscrever até 48 (quarenta e oito) horas antes do inicio 'ts ehú ções (02) dois ficais de Uma e (02) dois Fiscais de Apauração dentre os Condôminos Os fiscais não /' devem fazer parte da composição das chapas inscritas; bem como estarem adimplentes com suas obrigações condominiais Art: 60 As eleições serão realizadas na sala da Administração na Portaria deste Condomínio Art; 70 Serão escolhidos em Assembléia para o dia da votação (01) um Presidente de Mesa (02) dois Mesários e (02) dois Escrutinadores No caso do não comparecimento dos mesários e escrutinadores no momento da votação e contagem de votos caberá ao Presidente de Mesa a escolha de novos membros escolhidos entre os ali presentes Na falta do Presidente de caberá ao Síndico a escolhade outro Presidente An: 80 Os Mesmos de posse da listagem dos Condôminos habilitados para a votação deverão solicitar a assinatura do votante na referida listagem e entregar a cédula de votação para o seu preenchimento A cédula será colocada dentro da urna localizadaêfrente da mesa de votação i;:: ht::':'ug!:2:;;; r:(y]:) EtüSL 9 Os Condôminos ausentes habilitados para a votaçãô pef'ãq{sjgeiiit;ntwpi:?r com fuma reco nhecid 1: :; i '' ' ;1j: >' :Lf '''''''''''Jo;{}cop[a é procuração eci a em Cartó no ;'?' i' (r ''''' i!'cilti1eu ' on ';l1:a' AFi :';'j '' ':': '''f'' Aj'XJV!t1reen{>:z/io r {ejt':' :t!:t( (l A rt 10 Aconfecçãó das cédulas de votação é de respopipºª4 '3:AJ1Jt:jTst:fÇão :do Condomínio devendo ser elaborada com no mínimo (04) quatro dias de antecedência dá eleião O Presidente e um Mesário aporão as suas assinaturas na meqad1úprençadojlfi antes dá entregada cédula aos eleitores 6 i! ' J t':i [jt:;;;': ::j ci njulos [ rocwsmos E f'essõâs JURiDCAS00 Dl'' ' ij C'1123H J

7 Art 11 A uma será aberta na presença do Síndico dos cabeças de chapa e dos fiscais às 8:00 horas do dia da eleição e fechada às 14:00 horas do mesmo dia impreterivelmente ArL 12 A coutage dos voy:>sserá fetaap?s o té o hot? oc0 é:ürnl?açãoda chapa vencedora também será feita após o término daf;2l)g' ao Presidente de Mesa lavrar em Ata esta divulgação : jfq C i r C ue a presente jo!oe ópia é ;: '! ertr 'i l do docuffenw (lnguwl '' r: 1(íJrudvÇl(Jtu d D u te F x ' ue me to: aore:;erl1a w o Brasilia (DF) d: d 96AR 2005 )r) '';' Sobrndinho O M 1F g 5 OT &' '4C;'4'fk::::;;;;;;::::;:::: 1L: :; ' :': o viu 'j :; + c CJ talo 8ur1 Df6p 5tituto :::ggjf ]0 lq ;::{AjloreAdaSJi ' :Õ' OMznhC! ltjl::: t; :'!lialpyssilo' // S8'2iE;;;;};;V O;':J l t ;r!í'r:ilwy ( ;r! i ': ' :Y' ;lj &4;) DF li u 'c :Ji;i:21 1J OfjclOlHOrlS f1g!! rmacs EOocudEHOSc::orE5:m D:rtfUtos!J tj '1 1 2 S31JR9cooCJ: 7

REGIMENTO INTERNO. Artigo 8º - Fica estabelecido que os portões de entrada que dão acesso ao CONDOMÍNIO serão mantidos permanentemente fechados.

REGIMENTO INTERNO. Artigo 8º - Fica estabelecido que os portões de entrada que dão acesso ao CONDOMÍNIO serão mantidos permanentemente fechados. SEM MARCADOR TEXTO ORIGINAL GRIFADO EM VERDE ALTERAÇÕES A SEREM APROVADAS NA ASSEMBLÉIA REGIMENTO INTERNO Artigo 8º - Fica estabelecido que os portões de entrada que dão acesso ao CONDOMÍNIO serão mantidos

Leia mais

ASSUNTO: REGULAMENTA O USO DE ADESIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS DE CONDÔMINOS

ASSUNTO: REGULAMENTA O USO DE ADESIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS DE CONDÔMINOS CIRCULAR Nº 003/2015 Curitiba, 05/06/2015. ASSUNTO: REGULAMENTA O USO DE ADESIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS DE CONDÔMINOS A Síndica do Condomínio Le Jardin Residencial, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

TÍTULO I DA GESTÃO DEMOCRÁTICA DO ENSINO PÚBLICO

TÍTULO I DA GESTÃO DEMOCRÁTICA DO ENSINO PÚBLICO QUARTA VERSÃO 07/07/06. Dispõe sobre a gestão democrática e normatiza o processo de escolha de Diretor e Assessor(es) de Direção que integram a equipe gestora das unidades escolares da Rede Pública Estadual

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO FAZENDA TAMBORÉ RESIDENCIAL

REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO FAZENDA TAMBORÉ RESIDENCIAL REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO FAZENDA TAMBORÉ RESIDENCIAL FINALIDADE 1. Este regulamento tem por finalidade definir direitos e deveres e orientar a conduta de todas as pessoas que se encontrarem, a

Leia mais

MANUAL DO CONSTRUTOR

MANUAL DO CONSTRUTOR 1. SOLICITAÇÕES PARA INÍCIO DA OBRA 01 jogo do projeto de arquitetura aprovado; Autorização para Construção emitida pela Associação Jardins Ibiza. 2. IMPLANTAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA 2.1 Fechamento do canteiro

Leia mais

Núcleos Sindicais: Apucarana. Arapongas. Assis Chateaubriand. Cambará. Campo Mourão. Cascavel. Cianorte. Cornélio Procópio

Núcleos Sindicais: Apucarana. Arapongas. Assis Chateaubriand. Cambará. Campo Mourão. Cascavel. Cianorte. Cornélio Procópio REGIMENTO DAS COLÔNIAS DE PRAIA ITAPOÁ E GUARATUBA Curitiba Art. 1º - As Colônias de Praia de Itapoá e Guaratuba são propriedades da APP-Sindicato e destinam-se à hospedagem dos seus sindicalizados e dependentes.

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE

ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE Estrada do Coco, Km 31 Barra do Jacuípe CEP 42.833-000 Camaçari/Bahia CNPJ 03.380.253/0001-26 Telefones : (071) 3678-1690 e 3678-2356 E-mail : vjacuipe@oi.com.br

Leia mais

REGIMENTO INTERNO. CAPÍTULO I Da Aplicação

REGIMENTO INTERNO. CAPÍTULO I Da Aplicação SOCIEDADE AMIGOS DO CURIÓ (SAC) Fundada em 23 de julho de 1980 Rua Prof. Osmarino de Deus Cardoso, 101 CEP 88.036-598 Trindade Florianópolis SC CNPJ 75.329.243/0001-71 www.sacurio.com.br / saccurio@brturbo.com.br

Leia mais

SUCESSÃO DO CONSELHO FISCAL E COORDENAÇÃO COLEGIADA DO SINTET-UFU Biênio 2016-2018 REGIMENTO ELEITORAL PROCEDIMENTOS PRELIMINARES

SUCESSÃO DO CONSELHO FISCAL E COORDENAÇÃO COLEGIADA DO SINTET-UFU Biênio 2016-2018 REGIMENTO ELEITORAL PROCEDIMENTOS PRELIMINARES SUCESSÃO DO CONSELHO FISCAL E COORDENAÇÃO COLEGIADA DO SINTET-UFU Biênio 2016-2018 REGIMENTO ELEITORAL PROCEDIMENTOS PRELIMINARES Art.1º. De acordo com os Art. 39, 40 e 50 do Estatuto Social do Sindicato

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação,Ciência e Tecnologia de Brasília Campus Riacho Fundo

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação,Ciência e Tecnologia de Brasília Campus Riacho Fundo EDITAL Nº 16 CRFI/IFB, DE 20 DE NOVEMBRO DE 2015 ELEIÇÃO PARA COORDENADOR DO CURSO DE LETRAS LÍNGUA INGLESA O DIRETOR-GERAL DO CAMPUS RIACHO FUNDO DO INSTITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA, nomeado pela Portaria

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA UNIDADE DESCENTRALIZADADE EDUCAÇÃO SUPERIORDA UFSM EM SILVEIRA MARTINS UDESSM COMISSÃO ELEITORAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA UNIDADE DESCENTRALIZADADE EDUCAÇÃO SUPERIORDA UFSM EM SILVEIRA MARTINS UDESSM COMISSÃO ELEITORAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA UNIDADE DESCENTRALIZADADE EDUCAÇÃO SUPERIORDA UFSM EM SILVEIRA MARTINS UDESSM COMISSÃO ELEITORAL REGIMENTO INTERNO DE CONSULTA À COMUNIDADE A comissão Eleitoral, no

Leia mais

Associação dos Participantes da CBS Nossa união é nossa força. Regimento Interno. apcbs@oi.com.br www.apcbs.com.br

Associação dos Participantes da CBS Nossa união é nossa força. Regimento Interno. apcbs@oi.com.br www.apcbs.com.br Associação dos Participantes da CBS Nossa união é nossa força. Regimento Interno apcbs@oi.com.br www.apcbs.com.br ÍNDICE SEÇÃO I - DOS SÓCIOS 1 SEÇÃO II - DA ASSEMBLÉIA GERAL 1 SEÇÃO III - DO CONSELHO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 6/2013 (ELEIÇÕES-IBDFAM) ADITIVO

RESOLUÇÃO Nº 6/2013 (ELEIÇÕES-IBDFAM) ADITIVO RESOLUÇÃO Nº 6/2013 (ELEIÇÕES-IBDFAM) ADITIVO Dispõe sobre os procedimentos, critérios, condições de elegibilidade, normas de campanha eleitoral e pressupostos de proclamação dos eleitos nas eleições do

Leia mais

Grêmio Estudantil Aprendizes e Artífices/Cidade de Goiás/Edital nº003/2014

Grêmio Estudantil Aprendizes e Artífices/Cidade de Goiás/Edital nº003/2014 Grêmio Estudantil Aprendizes e Artífices/Cidade de Goiás/Edital nº003/2014 A Comissão Eleitoral, no uso de suas atribuições legais torna pública a convocação dos discentes, regularmente matriculados, cursando

Leia mais

2.2 - A entrada ou saída de pedestres nas dependências da ULIVING BELA VISTA dar-se-á, pela recepção principal Rua Barata Ribeiro, 61

2.2 - A entrada ou saída de pedestres nas dependências da ULIVING BELA VISTA dar-se-á, pela recepção principal Rua Barata Ribeiro, 61 O Regulamento Interno da ULIVING BELA VISTA, localizado na cidade de SÃO PAULO CAPITAL, à Rua Barata Ribeiro nº 61 estabelece as regras de convivência e as relações entre os usuários do empreendimento.

Leia mais

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS ANEXO À RESOLUÇÃO Nº 490, DE 24 DE JANEIRO DE 2008 REGULAMENTO DE CONSELHO DE USUÁRIOS DO STFC CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Este Regulamento estabelece as regras básicas para implantação,

Leia mais

PRESIDÊNCIA 19/06/2013 RESOLUÇÃO Nº 96/2013

PRESIDÊNCIA 19/06/2013 RESOLUÇÃO Nº 96/2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PRESIDÊNCIA 19/06/2013 RESOLUÇÃO Nº 96/2013 EMENTA: Dispõe sobre o acesso,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE CASTANHAL FACULDADE DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE CASTANHAL FACULDADE DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CHAMADA PARA ESCOLHA DA REPRESENTA DISCENTE DA FACULDADE DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (FACSI) A coordenação da Faculdade de Sistemas de Informação Campus Castanhal da Universidade Federal do Pará no uso de

Leia mais

Condomínio Residencial SOLAR DA CHAPADA REGIMENTO INTERNO Aprovado em 06/11/13 e alterado em 13/01 e 31/03/2014

Condomínio Residencial SOLAR DA CHAPADA REGIMENTO INTERNO Aprovado em 06/11/13 e alterado em 13/01 e 31/03/2014 REGIMENTO INTERNO Introdução; Com o intuito de formalizar as ações coletivas e individuais, estabelecendo normas de conduta para a boa convivência e administração do Residencial Solar da Chapada, adotou-se

Leia mais

Associação Brasileira de Profissionais em Controle de Infecção e Epidemiologia Hospitalar - ABIH

Associação Brasileira de Profissionais em Controle de Infecção e Epidemiologia Hospitalar - ABIH Código Eleitoral da Associação Brasileira de Profissionais em Controle de Infecção e Epidemiologia Hospitalar - ABIH Art. 01 - O presente Código tem por objetivo assegurar a organização e o funcionamento

Leia mais

União dos Escoteiros do Brasil Região Rio Grande do Sul Grupo Escoteiro João de Barro 172º RS

União dos Escoteiros do Brasil Região Rio Grande do Sul Grupo Escoteiro João de Barro 172º RS União dos Escoteiros do Brasil Região Rio Grande do Sul Grupo Escoteiro João de Barro 172º RS Capítulo 1 - Apresentação Artigo 1º - O Grupo de Escoteiros João de Barro (João de Barro) é uma associação

Leia mais

REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA E DO CONSELHO FISCAL DA ASUNIRIO PARA BIÊNIO 2014 A 2016.

REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA E DO CONSELHO FISCAL DA ASUNIRIO PARA BIÊNIO 2014 A 2016. Associação dos Trabalhadores em Educação da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro ASUNIRIO Rua Voluntários da Pátria, 107 - Botafogo - RJ CEP 22270-000 CNPJ - 29.260.486/0001-89 Telefax 2541-0924

Leia mais

Processo Eleitoral para Eleições Diretas de Diretores nas Escolas da Rede Municipal de Ensino de Linhares

Processo Eleitoral para Eleições Diretas de Diretores nas Escolas da Rede Municipal de Ensino de Linhares EDITAL Nº. 02/2010 Processo Eleitoral para Eleições Diretas de Diretores nas Escolas da Rede Municipal de Ensino de Linhares A PREFEITURA MUNICIPAL DE LINHARES, por meio da SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO PARA ÁREAS DE LAZER ESPAÇO FRANELLI DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL PONTAL DA LIBERDADE

REGULAMENTO PARA ÁREAS DE LAZER ESPAÇO FRANELLI DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL PONTAL DA LIBERDADE REGULAMENTO PARA ÁREAS DE LAZER ESPAÇO FRANELLI DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL PONTAL DA LIBERDADE Art. 1º - Este documento visa de estabelecer as normas relativas à utilização das áreas comuns do Espaço FRANELLI,

Leia mais

Regimento da Colônia de Férias em Garopaba/SC

Regimento da Colônia de Férias em Garopaba/SC Regimento da Colônia de Férias em Garopaba/SC CAPITULO I - DA UTILIZAÇÃO Artigo 1º - A Colônia de Férias da ASSUFRGS, localizada em Garopaba/SC, é de uso exclusivo dos seus filiados, servidores da UFRGS,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CEPE-FUNDÃO

REGIMENTO INTERNO DO CEPE-FUNDÃO REGIMENTO INTERNO DO CEPE-FUNDÃO CAPÍTULO I ORGANIZAÇÃO SOCIAL ARTIGO 1 O Clube dos Empregados da PETROBRAS CEPE-FUNDÃO reger-se-á pelas leis do País, por seu Estatuto, por este Regimento Interno e pelas

Leia mais

O Prefeito da Cidade do Recife, no uso das atribuições conferidas pelo Art. 54, item IV, da Lei Orgânica do Município.

O Prefeito da Cidade do Recife, no uso das atribuições conferidas pelo Art. 54, item IV, da Lei Orgânica do Município. DECRETO Nº 17.596/97 Ementa: Regulamenta o funcionamento das Comissões de Urbanização e Legalização das Zonas Especiais de Interesse Social, nos termos prescritos pela Lei Municipal nº 16.113/95. O Prefeito

Leia mais

MANUAL DO CONDÔMINO. O edital de convocação deve indicar com clareza os assuntos a serem debatidos, a data, horário e local.

MANUAL DO CONDÔMINO. O edital de convocação deve indicar com clareza os assuntos a serem debatidos, a data, horário e local. MANUAL DO CONDÔMINO REGULAMENTO INTERNO Cada prédio possui as suas próprias necessidades e, por isso, tanto a convenção como o regulamento interno devem ser redigidos especialmente para a edificação em

Leia mais

ANEXO 3 CONDIÇÕES DE COMPARTILHAMENTO DE INFRA-ESTRUTURA PARA INTERCONEXÃO

ANEXO 3 CONDIÇÕES DE COMPARTILHAMENTO DE INFRA-ESTRUTURA PARA INTERCONEXÃO ANEXO 3 CONDIÇÕES DE COMPARTILHAMENTO DE INFRA-ESTRUTURA PARA INTERCONEXÃO 1. CLÁUSULA PRIMEIRA - CONDIÇÕES GERAIS 1.1. A PARTE proprietária dos itens de infra-estrutura cedidos e a PARTE a qual será feita

Leia mais

ARTILHA DO SÍNDICO CARTILHA DO SÍNDICO

ARTILHA DO SÍNDICO CARTILHA DO SÍNDICO ARTILHA DO SÍNDICO CARTILHA DO SÍNDICO 1. Função do Síndico O síndico é aquele eleito pelos condôminos, por um período de até dois anos, para administrar e representar o condomínio, seja judicialmente

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DAS ELEIÇÕES PARA DIRETORIA EXECUTIVA GESTÃO 2015-2018 TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGIMENTO INTERNO DAS ELEIÇÕES PARA DIRETORIA EXECUTIVA GESTÃO 2015-2018 TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGIMENTO INTERNO DAS ELEIÇÕES PARA DIRETORIA EXECUTIVA GESTÃO 2015-2018 TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - A Associação Nacional dos Técnicos de Fiscalização Federal Agropecuária - ANTEFFA

Leia mais

REGRAS A SEREM SEGUIDAS DURANTE O PROCESSO ELEITORAL

REGRAS A SEREM SEGUIDAS DURANTE O PROCESSO ELEITORAL COMISSÃO ELEITORAL DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL CEUERGS ELEIÇÃO DOS CARGOS DE REITOR E VICE-REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL QUADRIÊNIO 2010/2014 REGRAS A SEREM SEGUIDAS

Leia mais

CONDOMÍNIO PANORÂMICO BOMBINHAS

CONDOMÍNIO PANORÂMICO BOMBINHAS CONDOMÍNIO PANORÂMICO BOMBINHAS REGIMENTO INTERNO APROVADO NA A.G.E. DE 01/03/2003 O presente regimento dispõe sobre a utilização das coisas de uso comum do Condomínio Panorâmico Bombinhas pelos respectivos

Leia mais

REGULAMENTO DA HOTELARIA

REGULAMENTO DA HOTELARIA REGULAMENTO DA HOTELARIA I DISPOSIÇÕES GERAIS. Art. 1º. O presente Regulamento, aprovado pela Diretoria Executiva, rege o uso dos serviços de hotelaria disponibilizados pela AMAM aos Associados e seus

Leia mais

Processo Eleitoral para Coordenação do Diretório Acadêmico do Curso de Gastronomia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel)

Processo Eleitoral para Coordenação do Diretório Acadêmico do Curso de Gastronomia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE GASTRONOMIA DIRETÓRIO ACADÊMICO DA GASTRONOMIA Processo Eleitoral para Coordenação do Diretório Acadêmico do Curso de Gastronomia da

Leia mais

EDITAL Nº 023/2014, de 03/06/2014

EDITAL Nº 023/2014, de 03/06/2014 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CAMPUS JUIZ DE FORA RECONHECIDO PELA LEI Nº 11.892, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2008 SUCESSOR DO COLÉGIO TÉCNICO UNIVERSITÁRIO DA

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO LOTEAMENTO FECHADO TERRA PARK CLUB RESIDENCE CAPÍTULO I DA DESTINAÇÃO DO LOTEAMENTO

REGIMENTO INTERNO DO LOTEAMENTO FECHADO TERRA PARK CLUB RESIDENCE CAPÍTULO I DA DESTINAÇÃO DO LOTEAMENTO REGIMENTO INTERNO DO LOTEAMENTO FECHADO TERRA PARK CLUB RESIDENCE CAPÍTULO I DA DESTINAÇÃO DO LOTEAMENTO Art. 1º - O TERRA PARK CLUB RESIDENCE é um loteamento dividido em partes de propriedade privativa,

Leia mais

DICAS PARA CONDÔMINOS

DICAS PARA CONDÔMINOS DICAS PARA CONDÔMINOS Área Privativa: É a unidade de cada proprietário incluindo a vaga de garagem. Áreas Comuns: São utilizadas por todos os moradores, como playground, jardins, elevadores, corredores,

Leia mais

NORMA DE CONTROLE DE CIRCULAÇÃO INTERNA NOR 204

NORMA DE CONTROLE DE CIRCULAÇÃO INTERNA NOR 204 MANUAL DE ADMINISTRAÇÃO CÓD. 200 ASSUNTO: ESTABELECE CRITÉRIOS DE PROCEDIMENTOS PARA O CONTROLE DE CIRCULAÇÃO INTERNA NAS DEPENDÊNCIAS DA EMPRESA CÓD: APROVAÇÃO: Resolução nº 0098/94, de 15/12/1994 NORMA

Leia mais

REGIMENTO INTERNO ELEITORAL (Aprovado na AGE de 10.08.2011)

REGIMENTO INTERNO ELEITORAL (Aprovado na AGE de 10.08.2011) REGIMENTO INTERNO ELEITORAL (Aprovado na AGE de 10.08.2011) I - Das disposições gerais II - Do processo eleitoral A) Da eleição para a Diretoria e o Conselho Fiscal B) Da eleição para o Conselho de Ética

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE RESERVAS

REGULAMENTO GERAL DE RESERVAS REGULAMENTO GERAL DE RESERVAS A diretoria do Candeias Esporte, Lazer e Recreação usando das atribuições conferidas pelo Estatuto Social, (art. 91 alínea b), institui o presente "Regulamento Geral de Reservas",

Leia mais

PORTARIA PRESI/SECBE 222 DE 3 DE JULHO DE 2014

PORTARIA PRESI/SECBE 222 DE 3 DE JULHO DE 2014 PODER JUDICIÁRIO PORTARIA PRESI/SECBE 222 DE 3 DE JULHO DE 2014 Dispõe sobre o processo eletivo para escolha dos representantes dos servidores ativos e inativos no Conselho Deliberativo do Pro-Social.

Leia mais

ESTATUTO ELEITORAL INTERNO

ESTATUTO ELEITORAL INTERNO ESTATUTO ELEITORAL INTERNO Disciplina e regulamenta o processo eleitoral interno do Condomínio Parque Saint Germain para composição de sua administração composta pelo síndico e demais conselheiros e dá

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE BORBA. Artigo 1º (Promoção das Eleições)

REGULAMENTO ELEITORAL DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE BORBA. Artigo 1º (Promoção das Eleições) REGULAMENTO ELEITORAL DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE BORBA Artigo 1º (Promoção das Eleições) 1 A promoção das eleições é da responsabilidade da Mesa da Assembleia Geral da Santa Casa da Misericórdia

Leia mais

CAPÍTULO V. Da Garagem e Estacionamento

CAPÍTULO V. Da Garagem e Estacionamento CAPÍTULO V Da Garagem e Estacionamento Art 37. Cada unidade autônoma tem direito a uma vaga de estacionamento, perfazendo um total de 967 (novecentos e sessenta e sete) vagas, distribuídas de acordo com

Leia mais

Índice. Noções gerais sobre a organização de condóminos 3. Assembleia de condomínios / inquilinos 5. O Administrador 7. Regulamento do Condomínio 9

Índice. Noções gerais sobre a organização de condóminos 3. Assembleia de condomínios / inquilinos 5. O Administrador 7. Regulamento do Condomínio 9 GUIA DE CONDOMÍNIO Índice Noções gerais sobre a organização de condóminos 3 Assembleia de condomínios / inquilinos 5 O Administrador 7 Regulamento do Condomínio 9 2 Noções gerais sobre a organização de

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSSUNTOS JURÍDICOS

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSSUNTOS JURÍDICOS DECRETO N o 525, DE 11 DE JULHO DE 2013. Regulamenta a utilização de veículos oficiais pela administração direta e indireta do Município de Palmas. O PREFEITO DE PALMAS, no uso de suas atribuições que

Leia mais

CONDOMÍNIO DO ED. NUMBER ONE BUSINESS CENTER REGIMENTO INTERNO

CONDOMÍNIO DO ED. NUMBER ONE BUSINESS CENTER REGIMENTO INTERNO CONDOMÍNIO DO ED. NUMBER ONE BUSINESS CENTER REGIMENTO INTERNO O presente regimento interno visa regulamentar o funcionamento do edifício zelando sempre pela segurança e conforto dos condôminos. I REGULAMENTO

Leia mais

ESCLARECIMENTO: O modelo de CARTA a seguir é uma SUGESTÃO, cuja aplicabilidade deverá ser avaliada pelo Internauta.

ESCLARECIMENTO: O modelo de CARTA a seguir é uma SUGESTÃO, cuja aplicabilidade deverá ser avaliada pelo Internauta. ESCLARECIMENTO: O modelo de CARTA a seguir é uma SUGESTÃO, cuja aplicabilidade deverá ser avaliada pelo Internauta. CARTA PROTOCOLADA - NOTIFICAÇÃO DE CONDÔMINOS REPRESENTADOS CT. Nº. 000/20XX Cidade,

Leia mais

1. REGIMENTO INTERNO DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL MANSÕES ITAIPU CNPJ/MF N.º

1. REGIMENTO INTERNO DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL MANSÕES ITAIPU CNPJ/MF N.º 1. REGIMENTO INTERNO DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL MANSÕES ITAIPU CNPJ/MF N.º 2. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Todos os ocupantes de unidades residenciais situadas no CONDOMÍNIO RESIDENCIAL MANSÕES ITAIPU

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO EDITAL PARA ELEIÇÃO DE COORDENADOR DE CURSO Nº 05/2015 DE 03 DE SETEMBRO DE 2015

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO EDITAL PARA ELEIÇÃO DE COORDENADOR DE CURSO Nº 05/2015 DE 03 DE SETEMBRO DE 2015 EDITAL PARA ELEIÇÃO DE COORDENADOR DE CURSO Nº 05/2015 DE 03 DE SETEMBRO DE 2015 A COMISSÃO ELEITORAL, designada pela Portaria nº 302/DG de 27 de agosto de 2015, torna público as normas que regerão o processo

Leia mais

REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL PARA O CONSELHO DELIBERATIVO AUTÁRQUICO DA AUTARQUIA EDUCACIONAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO - AEVSF

REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL PARA O CONSELHO DELIBERATIVO AUTÁRQUICO DA AUTARQUIA EDUCACIONAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO - AEVSF REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL PARA O CONSELHO DELIBERATIVO AUTÁRQUICO DA AUTARQUIA EDUCACIONAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO - AEVSF CAPÍTULO I - OBJETO Artigo 1º. Este Regulamento disciplina o Processo

Leia mais

Arena Porto-Alegrense S.A Av. Padre Leopoldo Brentano, 110 Bairro Humaitá 90250-590 Porto Alegre - RS Fone:+ 55 51 3019.1903

Arena Porto-Alegrense S.A Av. Padre Leopoldo Brentano, 110 Bairro Humaitá 90250-590 Porto Alegre - RS Fone:+ 55 51 3019.1903 REGIMENTO INTERNO DA ARENA DO GRÊMIO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. Este Regimento Interno estabelece as diretrizes e as regras de funcionamento da Arena do Grêmio, a qual deverá ser compreendida

Leia mais

Normas de Procedimentos de Segurança

Normas de Procedimentos de Segurança Normas de Procedimentos de Segurança A AANH (Associação de Amigos de Nova Higienópolis), possui 04 portarias, sendo assim descritas: a primeira a direita de quem de fora vê, é a entrada para moradores.

Leia mais

Propostas de Alteração do Regimento Interno

Propostas de Alteração do Regimento Interno Propostas de Alteração do Regimento Interno 1- Proposta de Antônio de Jesus Ribeiro Q22 L17: Incluir Único no Artigo 1º Parágrafo único Caso o dano seja no meio, caberá ao proprietário da unidade danificada

Leia mais

Regulamento Interno da Associação Alphaville Campo Grande.

Regulamento Interno da Associação Alphaville Campo Grande. Regulamento Interno da Associação Alphaville Campo Grande Capítulo I Da Segurança. 1.1 Cadastro de Associados. Artigo 1º. Todo associado, morador ou não, deverá atualizar anualmente o cadastro de associados

Leia mais

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DAS SEDES DE LAZER DA AMPB

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DAS SEDES DE LAZER DA AMPB Art. 1º. O presente regulamento visa disciplinar o uso do Clube de Areia Dourada, assim como eventuais unidades de lazer a serem construídas ou adquiridas pela Associação dos Magistrados da Paraíba. DOS

Leia mais

REGRAS Processo Eleitoral ANPEI

REGRAS Processo Eleitoral ANPEI REGRAS Processo Eleitoral ANPEI 1. DA CONSTITUIÇÃO DA COMISSÃO ELEITORAL: Conforme definido no Art. 40, as eleições serão realizadas em conformidade com o disposto neste Estatuto Social e de acordo com

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSUNI Nº 022/2014

DELIBERAÇÃO CONSUNI Nº 022/2014 DELIBERAÇÃO CONSUNI Nº 022/2014 Aprova o Regulamento da Propaganda Eleitoral dos candidatos aos cargos de Reitor e de Vice-reitor da Universidade de Taubaté, para o quadriênio 2014-2018. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO,

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO COMERCIAL, INDUSTRIAL, SERVIÇOS E AGROPECUÁRIA DE CASCA - RS

ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO COMERCIAL, INDUSTRIAL, SERVIÇOS E AGROPECUÁRIA DE CASCA - RS 01 ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO COMERCIAL, INDUSTRIAL, SERVIÇOS E AGROPECUÁRIA DE CASCA - RS ÍNDICE CAPÌTULO I PÁG. 2...DAS FINALIDADES II PÁG. 2...DA CONSTITUIÇÃO E SEDE III PÁG. 3...DOS ASSOCIADOS IV

Leia mais

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DEPARTAMENTO DE PESSOAL

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DEPARTAMENTO DE PESSOAL Copia Controlada nº Código: RHP07 V05 Emissão: 30/05/2012 Folha: 1/18 MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS Registro de Ponto Copia Controlada nº Código: RHP07 V05 Emissão: 30/05/2012 Folha: 2/18 1 Conteúdo

Leia mais

MODELO REGIMENTO INTERNO CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO... REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I - DEFINIÇÃO DO CONDOMÍNIO

MODELO REGIMENTO INTERNO CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO... REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I - DEFINIÇÃO DO CONDOMÍNIO MODELO REGIMENTO INTERNO CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO... REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I - DEFINIÇÃO DO CONDOMÍNIO Art. 1º - O presente Regulamento Interno, do Condomínio do Edifício, aprovado em Assembléia Geral

Leia mais

Clube de Campo de São Paulo

Clube de Campo de São Paulo REGULAMENTO DO USO DOS "CHALÉS DO C.C.S.P" 1 - DISPOSIÇÕES GERAIS 1.1 - O uso dos quatro chalés do C.C.S.P construídos na zona residencial "A", doravante denominados "Chalés do CCSP" ou simplesmente "Chalés",

Leia mais

REGIMENTO INTERNO HOME234

REGIMENTO INTERNO HOME234 REGIMENTO INTERNO HOME234 REGRAS PARA UMA BOA CONVIVÊNCIA E SEGURANÇA 01. Porta Principal: Os hóspedes não podem abrir a porta principal a pessoas que não conhecem, e a ninguém após as 22h00min e deverá

Leia mais

Perguntas e Respostas Conselho de Usuários VIVO

Perguntas e Respostas Conselho de Usuários VIVO Perguntas e Respostas Conselho de Usuários VIVO Resolução n o 623, de 18 de Outubro de 2013 1. Qual a Resolução que trata sobre Conselho de Usuários e onde ela está disponível? Trata-se da Resolução n

Leia mais

FORUM PERMANENTE DA AGENDA 21 LOCAL DE SAQUAREMA REGIMENTO INTERNO. CAPITULO 1-Da natureza, sede, finalidade, princípios e atribuições:

FORUM PERMANENTE DA AGENDA 21 LOCAL DE SAQUAREMA REGIMENTO INTERNO. CAPITULO 1-Da natureza, sede, finalidade, princípios e atribuições: FORUM PERMANENTE DA AGENDA 21 LOCAL DE SAQUAREMA REGIMENTO INTERNO CAPITULO 1-Da natureza, sede, finalidade, princípios e atribuições: Artigo I: O Fórum Permanente da Agenda 21 de Saquarema, criado pelo

Leia mais

REGULAMENTO CONSELHO CONSULTIVO DO CONDOMINIO ESTÂNCIA JARDIM BOTÂNICO

REGULAMENTO CONSELHO CONSULTIVO DO CONDOMINIO ESTÂNCIA JARDIM BOTÂNICO REGULAMENTO CONSELHO CONSULTIVO DO CONDOMINIO ESTÂNCIA JARDIM BOTÂNICO Capítulo I Eleição dos Membros Artigo lº - Com mandato de 02(dois) anos, será eleito o Conselho Consultivo, composto de 13 (treze)

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO Art. 1º - O presente Regimento tem por finalidade estabelecer normas para o funcionamento do Conselho Deliberativo da Associação Atlética Banco do Brasil São

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES DE SOJA E MILHO DO ESTADO DE MATO GROSSO

ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES DE SOJA E MILHO DO ESTADO DE MATO GROSSO REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES DE SOJA E MILHO DO ESTADO DE MATO GROSSO CAPÍTULO VI Do Procedimento Eleitoral Da Eleição da Diretoria Art. 21 O processo eleitoral inicia-se no mês de julho

Leia mais

Art. 1.331. Pode haver, em edificações, partes que são propriedade exclusiva, e partes que são propriedade comum dos condôminos.

Art. 1.331. Pode haver, em edificações, partes que são propriedade exclusiva, e partes que são propriedade comum dos condôminos. Lei do Condomínio 10.406/2002 CAPÍTULO VII Do Condomínio Edilício Seção I Disposições Gerais Art. 1.331. Pode haver, em edificações, partes que são propriedade exclusiva, e partes que são propriedade comum

Leia mais

EDITAL Nº 003/2013 ELEIÇÃO PARA CARGO DE DIRETOR ESCOLAR DAS UNIDADES EDUCATIVAS DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO PARA O BIÊNIO 2014/2015.

EDITAL Nº 003/2013 ELEIÇÃO PARA CARGO DE DIRETOR ESCOLAR DAS UNIDADES EDUCATIVAS DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO PARA O BIÊNIO 2014/2015. 1 EDITAL Nº 003/2013 ELEIÇÃO PARA CARGO DE DIRETOR ESCOLAR DAS UNIDADES EDUCATIVAS DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO PARA O BIÊNIO 2014/2015. A Secretaria, através da Comissão Eleitoral Central, designada pela

Leia mais

EVENTO. Centro de Educação Tecnológica

EVENTO. Centro de Educação Tecnológica EVENTO Centro de Educação Tecnológica Nossa Atuação Palestra: Os Direitos e os Deveres dos Locatários dentro da Sociedade Condominial Professor: Dr. Rudnei Maciel Conteúdo 1) Diferenças conceituais entre

Leia mais

Que se celebra entre o Sr. Cristiano Carnelós Peyrer, brasileiro, solteiro, portador da

Que se celebra entre o Sr. Cristiano Carnelós Peyrer, brasileiro, solteiro, portador da INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE LOCAÇÃO DO ESPAÇO PARA EVENTOS Que se celebra entre o Sr. Cristiano Carnelós Peyrer, brasileiro, solteiro, portador da cédula de identidade R.G. sob nº 28.266.412-9,

Leia mais

b - O sócio Institucional terá anuidade correspondente a dez vezes a dos sócios efetivos e colaboradores.

b - O sócio Institucional terá anuidade correspondente a dez vezes a dos sócios efetivos e colaboradores. Regimento Interno da Sociedade dos Zoológicos do Brasil - SZB Da Sociedade Artigo 1º - A sociedade dos Zoológicos do Brasil SZB, fundada em 23 de setembro de 1977, funciona conforme o disposto nos seus

Leia mais

REGULAMENTO DE OBRAS ANEXO I. Cuidados ao iniciar a obra: Horário de funcionamento do prédio:

REGULAMENTO DE OBRAS ANEXO I. Cuidados ao iniciar a obra: Horário de funcionamento do prédio: ANEXO I REGULAMENTO DE OBRAS Cuidados ao iniciar a obra: Toda obra ou reforma na unidade deve ser comunicada ao síndico, com antecedência mínima de 10 dias, através da apresentação de respectivo croqui

Leia mais

DECRETO N. 16.202, DE 20 DE SETEMBRO DE 2011. ( DOE N. 1820 de 20 DE SETEMBRO DE 2011)

DECRETO N. 16.202, DE 20 DE SETEMBRO DE 2011. ( DOE N. 1820 de 20 DE SETEMBRO DE 2011) DECRETO N. 16.202, DE 20 DE SETEMBRO DE 2011. ( DOE N. 1820 de 20 DE SETEMBRO DE 2011) Dispõe sobre critérios e condições para a realização de eleições às funções de Diretor e de Vice-Diretor de Escolas

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL COMITÊ GESTOR DE INVESTIMENTO E PREVIDÊNCIA 2015

REGULAMENTO ELEITORAL COMITÊ GESTOR DE INVESTIMENTO E PREVIDÊNCIA 2015 O Comitê Gestor de Investimento e Previdência é um órgão de deliberação colegiada e de atuação no âmbito exclusivo da ELEKTRO Eletricidade e Serviços S.A. O Comitê Gestor de Investimento e Previdência

Leia mais

CURSO ADMINISTRAÇÃO DE CONDOMÍNIO ESTUDO DIRIGIDO DA LEGISLAÇÃO E QUESTÕES PRÁTICAS

CURSO ADMINISTRAÇÃO DE CONDOMÍNIO ESTUDO DIRIGIDO DA LEGISLAÇÃO E QUESTÕES PRÁTICAS CURSO ADMINISTRAÇÃO DE CONDOMÍNIO ESTUDO DIRIGIDO DA LEGISLAÇÃO E QUESTÕES PRÁTICAS Público alvo: síndicos, condôminos, administradores de condomínio, gerentes de condomínio, advogados e quaisquer pessoas

Leia mais

NORMA RESSARCIMENTO POR DANO ELÉTRICO

NORMA RESSARCIMENTO POR DANO ELÉTRICO PÁGINA 1 de 7 ÍNDICE DO CONTEÚDO 1. Objetivo 1 2. Norma e Documentos Complementares 1 3. Definições 1/2 4. Condições Gerais 2 5. Procedimentos 3/4/5 6. Anexo 6 7. Ficha de Vida 7 1. Objetivo: Esta norma

Leia mais

Regulamento Prêmio Distribuidor Destaque 2011 REGULAMENTO OFICIAL

Regulamento Prêmio Distribuidor Destaque 2011 REGULAMENTO OFICIAL REGULAMENTO OFICIAL CAPÍTULO I DO OBJETIVO GERAL Art. 1º - Reconhecer empresas associadas ao SINCADES que mais se destacaram no seu segmento sob a avaliação de seus clientes. CAPÍTULO II DOS OBJETIVOS

Leia mais

c)praticar os atos que lhe atribuírem as leis, a convenção e o regimento interno;

c)praticar os atos que lhe atribuírem as leis, a convenção e o regimento interno; 3) CONTRATO: SÍNDICO PESSOA JURÍDICA Ser síndico de um condomínio requer compromisso, conhecimento das leis vigentes e disponibilidade de tempo, e é por isso, que nossa empresa é capacitada a assumir as

Leia mais

Corpo Clínico do Hospital e Maternidade São Francisco de Assis Regimento Interno

Corpo Clínico do Hospital e Maternidade São Francisco de Assis Regimento Interno Página1 Corpo Clínico do Hospital e Maternidade São Francisco de Assis Regimento Interno Título I Da definição Art. 1º - O Corpo Clínico do Hospital e Maternidade São Francisco de Assis é uma das entidades

Leia mais

CAPÍTULO I DO OBJETIVO GERAL CAPÍTULO II DOS OBJETIVOS ESPECÍFICOS CAPÍTULO III DAS CATEGORIAS. Revisão 0. 12/03/2013

CAPÍTULO I DO OBJETIVO GERAL CAPÍTULO II DOS OBJETIVOS ESPECÍFICOS CAPÍTULO III DAS CATEGORIAS. Revisão 0. 12/03/2013 REGULAMENTO OFICIAL Revisão 0. 12/03/2013 CAPÍTULO I DO OBJETIVO GERAL Art. 1º - Reconhecer empresas associadas ao SINCADES destacaram no seu segmento sob a avaliação de seus clientes. que mais se CAPÍTULO

Leia mais

CONTRATO DE ADMINISTRAÇÃO DE BENS IMÓVEIS QUADRO RESUMO

CONTRATO DE ADMINISTRAÇÃO DE BENS IMÓVEIS QUADRO RESUMO CONTRATO DE ADMINISTRAÇÃO DE BENS IMÓVEIS QUADRO RESUMO CONTRATADA/ADMINISTRADORA: HB IMOBILIÁRIA LTDA., estabelecida na Avenida Hermes Fontes, nº 1950, Luzia, Aracaju, Sergipe, CEP: 49045-760, inscrita

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS EDITAL N o 01/2014, DO CONSELHO DA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS Regulamenta a eleição

Leia mais

CONDOMÍNIO RURAL RANCHO GRANDE CNPJ/N 0 05.787.238./0001-22 REGULAMENTO INTERNO CAPÍTULO I

CONDOMÍNIO RURAL RANCHO GRANDE CNPJ/N 0 05.787.238./0001-22 REGULAMENTO INTERNO CAPÍTULO I CONDOMÍNIO RURAL RANCHO GRANDE CNPJ/N 0 05.787.238./0001-22 REGULAMENTO INTERNO CAPÍTULO I Art. 1 o - Todos os condôminos do Condomínio Rural Rancho Grande são obrigados a respeitar e cumprir, na íntegra,

Leia mais

REGULAMENTO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UCB

REGULAMENTO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UCB REGULAMENTO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UCB 1. INTRODUÇÃO O Sistema de Bibliotecas da UCB possui um acervo com mais de 200.000 volumes possibilitando o acesso dos usuários aos livros, sistemas de consulta,

Leia mais

MANUAL DO CONSTRUTOR

MANUAL DO CONSTRUTOR 1. SOLICITAÇÕES PARA INÍCIO DA OBRA 01 jogo do projeto de arquitetura aprovado; Autorização para Construção emitida pelo CONDOMÍNIO RESIDENCIAL JARDINS COIMBRA. 2. IMPLANTAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA 2.1 Fechamento

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2 º SEMESTRE DE 2015

PROCESSO SELETIVO 2 º SEMESTRE DE 2015 1 Processo Seletivo 2015.2 Edital FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC RIO PROCESSO SELETIVO 2 º SEMESTRE DE 2015 SENAC RJ FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC RIO O SENAC Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO BLOCOS

REGULAMENTO INTERNO DO BLOCOS 1 REGULAMENTO INTERNO DO BLOCOS 1. A Administração do Condomínio Condomínio Parque Residencial Vitória Régia II Blocos reger-se-á pela Lei 4.591, de 16/12/1964 e outras Leis que forem aplicáveis, a cujo

Leia mais

paralisação dos universitários no Movimento Estudantil

paralisação dos universitários no Movimento Estudantil Edital de Abertura de Eleições para o Diretório Acadêmico e Centros Acadêmicos FEIT/ISEPI/UEMG - Campus Ituiutaba- MG. (RETIFICADO) O Presidente da Comissão Eleitoral, juntamente com os demais componentes

Leia mais

29) CONTRATO DE LOCAÇÃO DE QUARTO POR TEMPORADA. Pelo presente instrumento particular de um lado,...,

29) CONTRATO DE LOCAÇÃO DE QUARTO POR TEMPORADA. Pelo presente instrumento particular de um lado,..., 29) CONTRATO DE LOCAÇÃO DE QUARTO POR TEMPORADA Pelo presente instrumento particular de um lado,..., brasileira, solteira, professora universitária, inscrita no CPF sob o n...., residente e domiciliada

Leia mais

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE FACULDADE nº 002/04

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE FACULDADE nº 002/04 RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE FACULDADE nº 002/04 O Prof. Sérgio Clementi, Diretor da Faculdade de Engenharia, do Centro Universitário Fundação Santo André, no uso de suas atribuições estatutárias e resolve:

Leia mais

DECRETO Nº 32965 DE 20 DE OUTUBRO DE 2010.

DECRETO Nº 32965 DE 20 DE OUTUBRO DE 2010. DECRETO Nº 32965 DE 20 DE OUTUBRO DE 2010. Institui o Regimento Interno do Clube do Servidor Municipal da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Clube do Servidor e dá outras providências. O PREFEITO DA

Leia mais

DIRETORIA DE GESTÃO DG DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO - DGA TERMO DE REFERÊNCIA OBJETO

DIRETORIA DE GESTÃO DG DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO - DGA TERMO DE REFERÊNCIA OBJETO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 010/2014 OBJETO Contratação de empresa especializada para execução dos serviços de instalação e fornecimento de vidros temperados incolor em imóveis da Eletrobrás Distribuição Rondônia,

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DO CLUBE GALP ENERGIA

REGULAMENTO ELEITORAL DO CLUBE GALP ENERGIA REGULAMENTO ELEITORAL DO CLUBE GALP ENERGIA Artigo 1º (Das Eleições) 1. Os Corpos Sociais Regionais do Clube Galp Energia são eleitos em cada Núcleo Regional para um mandato de três anos, conforme disposto

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO PRÓ-MELHORAMENTOS DA PRAIA DOS CASTELHANOS - APPC

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO PRÓ-MELHORAMENTOS DA PRAIA DOS CASTELHANOS - APPC REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO PRÓ-MELHORAMENTOS DA PRAIA DOS CASTELHANOS - APPC CAPÍTULO I Da Natureza, Denominação, Sede, Fins. Art. 1º - A Associação Pró-Melhoramentos da Praia dos Castelhanos, doravante

Leia mais

FUNDAÇÃO BENEDITO PEREIRA NUNES FACULDADE DE MEDICINA DE CAMPOS BIBLIOTECA PROF. LUIZ AUGUSTO NUNES TEIXEIRA

FUNDAÇÃO BENEDITO PEREIRA NUNES FACULDADE DE MEDICINA DE CAMPOS BIBLIOTECA PROF. LUIZ AUGUSTO NUNES TEIXEIRA FUNDAÇÃO BENEDITO PEREIRA NUNES FACULDADE DE MEDICINA DE CAMPOS BIBLIOTECA PROF. LUIZ AUGUSTO NUNES TEIXEIRA REGIMENTO INTERNO DISCIPLINAR DA BIBLIOTECA PROF. LUIZ AUGUSTO NUNES TEIXEIRA DA FACULDADE DE

Leia mais

Regulamento para inscrição na 10ª Semana da Música de Ouro Branco

Regulamento para inscrição na 10ª Semana da Música de Ouro Branco Regulamento para inscrição na 10ª Semana da Música de Ouro Branco 1. Inscrições e seleção 1.1 Para efetuar a inscrições para a 10ª Semana da Música de Ouro Branco, o candidato deverá acessar o site www.semanadamusica.com;

Leia mais

PORTARIA Nº 07/2014. Art. 2º Para efeitos desta Portaria terão direito a votar:

PORTARIA Nº 07/2014. Art. 2º Para efeitos desta Portaria terão direito a votar: PORTARIA Nº 07/2014 Regulamenta o processo de eleição direta para as funções de Diretor e Vice-diretor, de Estabelecimentos de Ensino da Rede Pública Municipal de Rio Bonito, de que trata a Lei Municipal

Leia mais