Núcleos Sindicais: Apucarana. Arapongas. Assis Chateaubriand. Cambará. Campo Mourão. Cascavel. Cianorte. Cornélio Procópio

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Núcleos Sindicais: Apucarana. Arapongas. Assis Chateaubriand. Cambará. Campo Mourão. Cascavel. Cianorte. Cornélio Procópio"

Transcrição

1 REGIMENTO DAS COLÔNIAS DE PRAIA ITAPOÁ E GUARATUBA Curitiba Art. 1º - As Colônias de Praia de Itapoá e Guaratuba são propriedades da APP-Sindicato e destinam-se à hospedagem dos seus sindicalizados e dependentes. Parágrafo I - O sindicalizado deverá, no ato da inscrição, comprovar ser sindicalizado da APP-Sindicato, bem como a dependência de seus dependentes. Parágrafo II - Por dependente de sindicalizado, entende-se: a)cônjuge; b)filhos menores de 18 anos; c)filhos maiores de 18 anos, desde que apresentado documento comprobatório de dependência; d) pai e mãe. Parágrafo III - Os dependentes ficam sujeitos às normas aqui fixadas. Art. 2º - O sindicalizado poderá fazer-se acompanhar de convidados, desde que a capacidade de alojamento, no apartamento que lhe for destinado, assim o permita. Parágrafo único - O sindicalizado assume total responsabilidade pelos atos de seus convidados, bem como por todos os danos que venham a impingir às dependências e/ou pertencentes das Colônias. Art. 3º - O sindicalizado assume, por si, dependentes e convidados, o dever de zelar pela conservação do patrimônio e segurança nas Colônias de Praia. Art. 4º - A inscrição do sindicalizado ficará assegurada após seu registro no setor das Colônias da Sede da APP-Sindicato, em Curitiba. Parágrafo único - É responsabilidade dos Núcleos da APP-Sindicato enviarem as inscrições dos sindicalizados de sua jurisdição, com 15 dias de antecedência, à Sede da APP-Sindicato, nos períodos considerados livres. Art. 5º - Os períodos de inscrição e de sorteio serão divulgados pela Sede, com antecedência, pela Página da Educação e através dos Núcleos Sindicais. Art. 6º - As inscrições poderão ser feitas: I - Fora da temporada: a) na Sede da APP-Sindicato: b) no Núcleo a que pertencer o sindicalizado. II - Na temporada: a) na Sede, nos períodos livres; b) no Núcleo Sindical a que pertencer o sindicalizado, para o período que couber ao Núcleo por sorteio. Parágrafo I - Por período livre entende-se aqueles cujos sorteios são de responsabilidade da Sede (Páscoa, Carnaval, feriados prolongados). Parágrafo II - A destinação dos apartamentos se fará por sorteio público, em data e horário previamente divulgados, quando dos períodos livres. Nos demais, por inscrição simples. Parágrafo III - O Núcleo Sindical é responsável pelo sorteio referente ao período que lhe couber na temporada, respeitando o prazo estipulado pela Administração Estadual. Art. 7º - Os nomes dos sorteados serão divulgados em editais nos Núcleos Sindicais e outros meios da APP-Sindicato. Art. 8º - A Sede considerará nula a inscrição que não seja confirmada mediante pagamento das respectivas taxas e retirada da Ficha de Autorização e Confirmação com 07 (sete) dias de antecedência, na Sede, passando-se a vaga ao suplente imediato, que deverá confirmar em cinco (05) dias, passando ao segundo suplente e assim sucessivamente. Parágrafo único - A desistência da inscrição somente será aceita se devidamente justificada, no prazo de até cinco dias úteis antes da data de início do seu período de reserva, sob pena da não restituição dos valores já pagos.

2 Art. 9º - Os Administradores das Colônias de Praia considerarão cancelada a reserva de sindicalizado que, até 24 horas após o período sorteado, não comparecer à Colônia, quando comunicarão à Sede, a qual destinará a vaga ao suplente imediato. Curitiba Art O sindicalizado deverá desocupar o apartamento no último dia do período para o qual foi sorteado, no horário estabelecido nos Critérios para Utilização das Colônias. Art As diárias das Colônias serão fixadas pela Diretoria Estadual. Serão cobradas por pessoa, devendo ser pagas por qualquer sindicalizado ou sócio do Clube do Professor Paranaense, ou seus dependentes e convidados. Parágrafo único - Os sócios do Clube do Professor Paranaense pagarão diária diferenciada a menor na Colônia de Férias de Itapoá, uma vez que contribuem com mensalidade para o Clube. Art Todo e qualquer dano causado às Colônias de Praia, pelo sindicalizado, dependente ou convidado, deverá ser assumido e ressarcido pelo sindicalizado junto à Administração. Art O sindicalizado é responsável pela manutenção do apartamento em perfeitas condições de higiene, devendo providenciar a remoção de detritos e lixos para local apropriado, bem como entregar o apartamento em condições de ocupação imediata. Art É vedado ao sindicalizado: a) hospedar no apartamento que lhe foi destinado convidados que não constem na ficha de confirmação e autorização, podendo ser feita a substituição do convidado até 12 horas úteis antes do início do período; b) fazer a reserva enviando às Colônias apenas seus convidados; c) utilizar outras dependências que não as que lhe foram destinadas, salvo com autorização da Diretoria, com a confirmação da existência de vaga para outra dependência; d) manter na Colônia animais domésticos ou de estimação; e) perfurar e/ou riscar paredes e móveis; f) promover jogos coletivos, danças ou outras formas de atividade coletiva, após as 23 horas, salva com o desejo expresso da maioria dos ocupantes da Colônia; g) utilizar os bens e dependências da Colônia para produzir produtos de comercialização. Art Fica expressamente proibida a entrada de hóspedes nas Colônias de Praia sem a apresentação da ficha de autorização e confirmação, acompanhada de identificação pessoal. Art Tempo de hospedagem permitido: a) fora da temporada: 10 dias; b) na temporada: conforme calendário e cronograma aprovados para cada temporada. Art Será proposto pela Secretaria de Administração e Patrimônio da APP-Sindicato e aprovado pelo Conselho Estadual, o que segue: a) o calendário da temporada; b) os grupos; c) os períodos de cada grupo; d) as datas de inscrição e de sorteio; e) os critérios de utilização das Colônias. Parágrafo único - As vagas para os períodos estabelecidos em calendário serão distribuídas por Núcleo Sindical, proporcionais ao número de sindicalizados. Art À Administração das Colônias de Praia compete, entre outras, as seguintes atribuições: a) recepcionar o hóspede; b) receber a ficha de autorização, confirmando a identidade do sindicalizado, dependentes e convidados; c) fornecer-lhes acomodações; d) cuidar da ordem e limpeza;

3 Curitiba e) distribuir, orientar e supervisionar o trabalho dos demais funcionários; f) cumprir e fazer cumprir este regulamento; g) comunicar à Diretoria Estadual ocorrências de transgressão do Regulamento pelo hóspede; h) receber e prestar contas das diárias recebidas. Art As Colônias de Praia não fornecerão ao sindicalizado roupas de cama, banho e alimentação. Art A critério da Diretoria Estadual da APP-Sindicato, o hóspede que infringir este regulamento e seus atos complementares, será punido com a suspensão do direito de uso das Colônias, por até dois anos ou mais, enquanto não reparar o dano causado. Parágrafo único - É assegurado ao sindicalizado o direito de recurso junto ao Conselho Estadual, mediante requerimento por escrito, quando serão ouvidas as partes envolvidas. Art Sobre hospedagem nas Colônias, atendimento, etc., o sindicalizado tem direito e o dever de comunicar, por escrito, à Diretoria Estadual da APP-Sindicato, toda e qualquer reclamação e sugestão que tiver ou desejar propor. Art Os casos omissos serão resolvidos pela Administração das Colônias de Praia ou pela Diretoria Estadual, por meio de requerimento do interessado dirigido à Secretaria de Administração Avenida Iguaçu, 880 Rebouças CEP , Curitiba, Paraná. Art A Administração das Colônias e a APP-Sindicato não se responsabilizam pela perda ou extravio de roupas, joias, valores monetários ou qualquer objeto de uso pessoal, bem como danos causados a automóveis estacionados no pátio das Colônias ou suas proximidades. Art As chaves dos apartamentos são de inteira responsabilidade do hóspede, que deve zelar pela guarda da mesma até o final de sua estadia. Art É destinada uma vaga de estacionamento para cada apartamento. Art Este Regimento entrará em vigor a partir da data de sua aprovação pelo Conselho Estadual, sendo levado ao conhecimento do sindicalizado, através dos órgãos de divulgação, divulgado nos Núcleos Sindicais e afixados nas Colônias de Praia. Curitiba, 02 de agosto de CLOTILDE SANTOS VASCONCELOS - Sec. de Administração e Patrimônio -

4 CRONOGRAMA PARA USO DA COLÔNIA DE PRAIA DE GUARATUBA Curitiba 1º período -20/12/13 a 26/12/13 Metro 05 01,03,08,11, ,15,20, ,09,12, ,16, ,10, ,14,21 2º período 26/12/13 a 02/01/14 Metro 06 02,03,10,11,15, ,06,09,16,19, ,08,17,18, ,12, ,14 3º período 02/01/14 a 08/01/ ,08,11,12,13, ,06,18,20,21, ,07,09,10, ,03, ,17 4º período 08/01/14 a 14/01/ ,03,05,06,08,11,15,16,18, ,07,09,10,12,13,17,19, ,14,20 5º período 14/01/14 a 21/01/14 Curitiba 18 01,02,03,05,06,07,08,09,10,11,12,13,15,16,18,19,20, ,14,17,22 6º período 21/01/14 a 27/01/ ,03,04,05,07,09,10,11,13,15,16,17,19,20, ,08,14,21 União da Vitória 03 06,12,18 7º período 27/01/14 a 02/02/ ,02,05,07,14,15,17,20, ,13,18, ,09, ,10, ,11,12

5 CRONOGRAMA PARA USO DA COLÔNIA DE PRAIA DE ITAPOÁ Curitiba 1º período -20/12/13 a 26/12/13 Metro 07 05,13,15,18,19,24, ,12,17,22,25, ,03,07,08, ,16,21, ,14,20, ,06,29 2º período 26/12/13 a 02/01/14 Metro 08 01,05,06,08,14,21,26, ,03,11,13,17,19, ,15,20,22,24, ,10,16, ,18,23,30 3º período 02/01/14 a 08/01/ ,07,13,16,18,21,24, ,11,12,17,22,23, ,10,08,14,15,19, ,05,20, ,28,30 4º período 08/01/14 a 14/01/ ,03,06,07,10,17,19,21,22,23,24,28, ,13,04,08,12,14,15,16,20,25,27, ,11,18,26 5º período 14/01/14 a 21/01/14 Curitiba 24 01,03,04,05,06,07,08,10,11,12,13,15,16,17,18,19,20,21,22,23, 25,26,27, ,14,24,29,30 6º período 21/01/14 a 27/01/ ,02,04,06,10,11,12,13,14,15,16,17,18,19,20,21,22,23,25, ,07,24,27,29 União da Vitória 04 03,08,26,28 7º período 27/01/14 a 02/02/ ,08,10,11,12,13,15,16,19,22,24, ,17,23,25, ,06,20, ,14,21, ,05,18,27

6 VALORES DAS DIÁRIAS NA TEMPORADA 2013/2014 DEZEMBRO A FEVEREIRO Sindicalizados, dependentes e convidados: R$ 18,64 Curitiba Crianças menores de 5 (cinco) anos são isentas. Obs. Convidados e/ou dependentes, na temporada, não poderão utilizar as Colônias sem a presença do titular. Conforme Estatuto da APP-Sindicato: Art As Colônias de Férias têm regimento próprio proposto pela Secretaria de Administração e Patrimônio da APP-Sindicato e aprovado pelo Conselho Estadual. 1º. As diárias das Colônias serão fixadas pela Diretoria Estadual, com base nas mensalidades da APP-Sindicato, devendo ser pagas por qualquer filiado do sindicato ou sócio do Clube do Professor Paranaense, ou seu dependente. 2º. Os sócios do Clube do Professor Paranaense pagarão diária diferenciada, a menor, na Colônia de Férias de Itapoá, uma vez que contribuem com mensalidades para o Clube do Professor Paranaense. Valor da diária na Colônia de Itapoá para sócios do Clube do Professor Paranaense, em dia com as mensalidades: R$ 9,05 CLOTILDE SANTOS VASCONCELOS - Sec. de Adm. e Patrimônio -

7 CRITÉRIOS PARA UTILIZAÇÃO DAS COLÔNIAS DE PRAIA ITAPOÁ E GUARATUBA TEMPORADA Início 20/12/2013 Término 02/02/2014 Curitiba I - Haverá 07 (sete) períodos na temporada, sendo cada período de 06 (seis) dias. II A entrada de cada período será das 18 às 22 horas e a saída deve ser até às 10 horas. O horário ora estabelecido deverá ser rigorosamente observado, pois, sem isso, não haverá condições de proceder à limpeza dos apartamentos, prejudicando aqueles que ingressarão posteriormente. *III - Como são 29 Núcleos Sindicais, 7 períodos e rodízio na ordem descendente, cada período será utilizado como segue: 1º período - 20/12/2013 a 26/12/2013 Núcleos: Metro,,,, Cambara e. 2º período - 26/12/2013 a 02/01/2014- Núcleos: Metro,,,, 3º período - 02/01/2014 a 08/01/2014 Núcleos:,Campo Mourão,,, 4º período - 08/01/2014 a 14/01/ Núcleos:,. 5º período - 14/01/2014 a 21/01/2014 Núcleos: Curitiba 6º período - 21/01/2014 a 27/01/ Núcleos:, União da Vitória. 7º período 27/01/2014 a 02/02/ Núcleos:,,,, * O total do grupo é dividido pelo número de apartamentos de cada colônia. O coeficiente é dividido pelo número de sindicalizados de cada Núcleo Sindical, resultando no número de apartamentos para cada NS. IV - As inscrições deverão ser feitas nos Núcleos Sindicais, do dia 17/09/13 ao dia 14/11/13. Os interessados poderão inscrever-se para as duas Colônias, Guaratuba e Itapoá, devendo, porém, no ato da inscrição, fazer a opção de sua preferência, uma vez que cada inscrito poderá utilizar APENAS uma das Colônias. O propósito disso é permitir que um maior número de sindicalizados possa concorrer e, consequentemente, usufruir as Colônias. V - O sorteio deverá ser realizado pelos Núcleos Sindicais no dia 20/11/13, impreterivelmente. Parágrafo único - O Núcleo Sindical que alterar o local de realização do sorteio deverá divulgar o novo local na Página da Educação, com até cinco (cinco) dias de antecedência. VI - É imprescindível que sejam sorteados suplentes em número igual a 3/2 ao de efetivos (exemplo: 07 apartamentos : 2 = 3,5 x 3 = 10,5 = 11 suplentes), cuja relação deve ser encaminhada à Sede juntamente com a dos titulares, por ordem de sorteio, evitando-se com isso que algum apartamento fique ocioso, tirando a oportunidade de um outro sindicalizado usufruir a Colônia. VII - A relação dos sorteados deverá ser remetida para a APP- Estadual, até o dia 02/12/13, impreterivelmente. VIII - O pagamento das respectivas taxas e a retirada da Ficha de Autorização e Confirmação deverão ser feitos até o dia 11/12/13 para os 1º, 2º, 3º e 4º períodos e até o dia 09/01/14 para os 5º, 6º e 7º períodos. Eventuais cheques pré-datados serão aceitos para a data de até 3 dias (três) antes do início de cada período.

8 Curitiba IX - A não observância do disposto no item anterior implicará na eliminação do sorteado, destinando-se a vaga ao primeiro suplente do Núcleo a que pertencer aquele que haja sido eliminado (observar item VI), o qual deverá fazer o pagamento e a retirada da autorização em cinco (05) dias, passando ao segundo suplente e assim sucessivamente. X - Os sindicalizados da APP-Sindicato e sócios do Clube do Professor pagarão diária diferenciada com 50% a menor na Colônia de Praia de Itapoá, uma vez que contribuem com mensalidade para o Clube do Professor Paranaense (Artigo 105, 2º do Estatuto da APP-Sindicato). XI A desistência da inscrição somente será aceita se devidamente justificada, no prazo de até cinco dias úteis da data de início do seu período de reserva, sob pena da não restituição dos valores já pagos. XII Todos os acertos de desistência e consequentes substituições pelo suplente imediato deverão necessariamente passar pela APP-Sindicato (Núcleo Sindical e Direção Estadual). XIII - Cada apartamento tem capacidade para hospedagem de 04 (quatro) pessoas. XIII - Tanto para os sindicalizados como para os convidados não sindicalizados, a diária será de R$ 18,64. Para os sócios do Clube do Professor Paranaense, em dia com a mensalidade, a diária será de R$ 9,05 na Colônia de Itapoá. XIV - Faz-se necessário que o sindicalizado apresente no ato da inscrição o contracheque ou comprovante de pagamento da mensalidade. XV - A sede remeterá as autorizações em até 3 (três) após o pagamento das taxas de hospedagem. XVI - Os sindicalizados municipais da APP-Sindicato que queiram participar dos sorteios e usufruir as Colônias deverão pagar as mesmas taxas praticadas para os trabalhadores da rede estadual. XVII - Os períodos imediatamente anteriores e posteriores à temporada de serão considerados livres, para os quais, quando necessário, será feito sorteio. XVIII - Os casos omissos desses critérios serão decididos pela Diretoria Estadual. Curitiba, 02 de agosto de CLOTILDE SANTOS VASCONCELOS - Sec. de Administração e Patrimônio -

REGULAMENTO DA HOTELARIA

REGULAMENTO DA HOTELARIA REGULAMENTO DA HOTELARIA I DISPOSIÇÕES GERAIS. Art. 1º. O presente Regulamento, aprovado pela Diretoria Executiva, rege o uso dos serviços de hotelaria disponibilizados pela AMAM aos Associados e seus

Leia mais

Regimento da Colônia de Férias em Garopaba/SC

Regimento da Colônia de Férias em Garopaba/SC Regimento da Colônia de Férias em Garopaba/SC CAPITULO I - DA UTILIZAÇÃO Artigo 1º - A Colônia de Férias da ASSUFRGS, localizada em Garopaba/SC, é de uso exclusivo dos seus filiados, servidores da UFRGS,

Leia mais

Regulamento da Colônia de Férias e Lazer da ASRUNESP Associação dos Servidores da Reitoria da UNESP

Regulamento da Colônia de Férias e Lazer da ASRUNESP Associação dos Servidores da Reitoria da UNESP ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES DA REITORIA DA UNESP Alameda Santos, 647 CEP. 01419 901 Fone Fax 3141 9410 Sede Própria Regulamento da Colônia de Férias e Lazer da ASRUNESP Associação dos Servidores da Reitoria

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE RESERVAS

REGULAMENTO GERAL DE RESERVAS REGULAMENTO GERAL DE RESERVAS A diretoria do Candeias Esporte, Lazer e Recreação usando das atribuições conferidas pelo Estatuto Social, (art. 91 alínea b), institui o presente "Regulamento Geral de Reservas",

Leia mais

Central de Atendimento: (11) 3292-6100

Central de Atendimento: (11) 3292-6100 Manual das Normas para uso da Colônia de Férias do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Artefatos de Borracha, Pneumáticos e Afins da Grande São Paulo e Região Uma publicação do Sindicato dos

Leia mais

SOCIEDADE BENEFICENTE DOS SUBTENENTES E SARGENTOS DA PMPR COLÔNIA DE FÉRIAS DIRETRIZ TEMPORADA DE VERÃO 2013/ 2014

SOCIEDADE BENEFICENTE DOS SUBTENENTES E SARGENTOS DA PMPR COLÔNIA DE FÉRIAS DIRETRIZ TEMPORADA DE VERÃO 2013/ 2014 SOCIEDADE BENEFICENTE DOS SUBTENENTES E SARGENTOS DA PMPR COLÔNIA DE FÉRIAS DIRETRIZ TEMPORADA DE VERÃO 2013/ 2014 1. FINALIDADE A presente diretriz tem por finalidade cientificar os associados da SBSS/PMPR

Leia mais

REGIMENTO INTERNO. CAPÍTULO I Da Aplicação

REGIMENTO INTERNO. CAPÍTULO I Da Aplicação SOCIEDADE AMIGOS DO CURIÓ (SAC) Fundada em 23 de julho de 1980 Rua Prof. Osmarino de Deus Cardoso, 101 CEP 88.036-598 Trindade Florianópolis SC CNPJ 75.329.243/0001-71 www.sacurio.com.br / saccurio@brturbo.com.br

Leia mais

Hotel Colônia AOJESP PACOTES Alta Temporada 2011/2012

Hotel Colônia AOJESP PACOTES Alta Temporada 2011/2012 Hotel Colônia AOJESP PACOTES Alta Temporada 2011/2012 PACOTE ENTRADA SAÍDA DIÁRIAS DEZEMBRO 30/11/2011 QUA 05/12/2011 SEG 5 07/12/2011 QUA 12/12/2011 SEG 5 14/12/2011 QUA 19/12/2011 SEG 5 NATAL 21, 22,

Leia mais

REGIMENTO DE FUNCIONAMENTO E USO DO HOTEL DE TRÂNSITO

REGIMENTO DE FUNCIONAMENTO E USO DO HOTEL DE TRÂNSITO REGIMENTO DE FUNCIONAMENTO E USO DO HOTEL DE TRÂNSITO Estabelece as normas de funcionamento e uso do Hotel de Trânsito do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (SINPOL/PE), tanto na Sede quanto na

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA POUSADA BUTTERFLY HOUSE. A hospedagem na POUSADA BUTTERFLY HOUSE é regida pelas condições abaixo descritas:

REGIMENTO INTERNO DA POUSADA BUTTERFLY HOUSE. A hospedagem na POUSADA BUTTERFLY HOUSE é regida pelas condições abaixo descritas: REGIMENTO INTERNO DA POUSADA BUTTERFLY HOUSE A hospedagem na POUSADA BUTTERFLY HOUSE é regida pelas condições abaixo descritas: 1. É obrigatório o preenchimento da ficha de identificação, atendendo normas

Leia mais

DECRETO Nº 18.403, DE 12 DE SETEMBRO DE 2013.

DECRETO Nº 18.403, DE 12 DE SETEMBRO DE 2013. DECRETO Nº 18.403, DE 12 DE SETEMBRO DE 2013. Estabelece normas para utilização de Parques e Praças Municipais para Feiras de Adoção de Animais e de Eventos Relacionados à causa animal. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

Cartilha Sintep/MT. Cartilha do Sintep/MT Julho de 2010

Cartilha Sintep/MT. Cartilha do Sintep/MT Julho de 2010 Cartilha Sintep/MT 2010 Cartilha do Sintep/MT Julho de 2010 1 SUMÁRIO REGIMENTO INTERNO DO ALOJAMENTO DO SINTEP/MT...03 RESOLUÇÃO FINANCEIRA - 001/2010...08 3 REGIMENTO INTERNO DO ALOJAMENTO DO SINTEP/MT

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA-INTA DIVISÃO DE PESQUISA EM CIÊNCIA BIOMÉDICA LABORATÓRIO MULTIUSUÁRIO REGIMENTO INTERNO

INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA-INTA DIVISÃO DE PESQUISA EM CIÊNCIA BIOMÉDICA LABORATÓRIO MULTIUSUÁRIO REGIMENTO INTERNO INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA-INTA DIVISÃO DE PESQUISA EM CIÊNCIA BIOMÉDICA LABORATÓRIO MULTIUSUÁRIO REGIMENTO INTERNO SOBRAL-CE JANEIRO - 2012 CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º. O Laboratório de

Leia mais

Condições Gerais de Hospedagem do Arraial do Conto Hotel e Lazer

Condições Gerais de Hospedagem do Arraial do Conto Hotel e Lazer Condições Gerais de Hospedagem do Arraial do Conto Hotel e Lazer A hospedagem no Arraial do Conto Hotel e Lazer é regida pelas seguintes condições: 1. Preenchimento da Ficha de Identificação: É obrigatório

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CAMPUS DE ALEGRE PORTARIA Nº. 358, DE 12 DE SETEMBRO DE 2014.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CAMPUS DE ALEGRE PORTARIA Nº. 358, DE 12 DE SETEMBRO DE 2014. CAMPUS DE ALEGRE PORTARIA Nº. 358, DE 12 DE SETEMBRO DE 2014. A DIRETORA-GERAL DO CAMPUS DE ALEGRE, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista Processo nº 23149.001263/2014-61, resolve: Homologar

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR FÉRIAS DA LIPOR 1. Considerações Gerais A Lipor, Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto, com sede em Baguim do Monte, concelho de Gondomar, realiza atividades de promoção e organização

Leia mais

Jeep Clube de Brasília. Estatuto Social

Jeep Clube de Brasília. Estatuto Social Jeep Clube de Brasília Estatuto Social CAPÍTULO I DA ASSOCIAÇÃO NATUREZA E FINS Art. 1º O JEEP CLUBE DE BRASÍLIA, com a sigla JCB, fundado em 17 de junho de 1989, é uma sociedade civil sem fins lucrativos,

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI

ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI Reconhecida pela SEC/SC - Portarias 0390/86 e 0424/92 ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE PAIS E PROFESSORES DA ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI-ETEVI-FURB-BLUMENAU-SC CAPÍTULO I

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS COLÉGIO DE APLICAÇÃO. EDITAL Nº 238 - ADMISSÃO DE ALUNOS AO CAp 2016

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS COLÉGIO DE APLICAÇÃO. EDITAL Nº 238 - ADMISSÃO DE ALUNOS AO CAp 2016 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS COLÉGIO DE APLICAÇÃO EDITAL Nº 238 - ADMISSÃO DE ALUNOS AO CAp 2016 A Diretora do Colégio de Aplicação da UFRJ, no uso de suas

Leia mais

UNIÃO DINÂMICA DE FACULDADES CATARATAS Centro Universitário Dinâmica das Cataratas

UNIÃO DINÂMICA DE FACULDADES CATARATAS Centro Universitário Dinâmica das Cataratas REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO I CARACTERIZAÇÃO E OBJETIVOS Art. 1º Art. 2º Art. 3º Art. 4º Estágio Supervisionado em Administração (ESA), é a disciplina

Leia mais

Natal na desportiva NORMAS DE PARTICIPAÇÃO

Natal na desportiva NORMAS DE PARTICIPAÇÃO Natal na desportiva 2015 NORMAS DE PARTICIPAÇÃO CML/DRIC/2015 Alvará 694 I. Apresentação e objetivos 1. Entidade Promotora e Organizadora - Município de Loures 1 a) O Programa de Ocupação de Tempos Livres

Leia mais

REGULAMENTO DIÁRIAS: RESERVAS:

REGULAMENTO DIÁRIAS: RESERVAS: REGULAMENTO DIÁRIAS: As diárias iniciam às 13:00 e terminam às 12:00 do dia seguinte, independente do horário em que foi realizado o check-in. Após às 12:00 será cobrada nova diária. Cada diária inclui

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS COLÉGIO DE APLICAÇÃO. EDITAL Nº 184 - ADMISSÃO DE ALUNOS AO CAp 2015

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS COLÉGIO DE APLICAÇÃO. EDITAL Nº 184 - ADMISSÃO DE ALUNOS AO CAp 2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS COLÉGIO DE APLICAÇÃO EDITAL Nº 184 - ADMISSÃO DE ALUNOS AO CAp 2015 A Diretora do Colégio de Aplicação da UFRJ, no uso de suas

Leia mais

Faculdade de Lucas do Rio Verde Credenciada pela Portaria Ministerial nº. 2.653 de 07/12/01 D.O.U. de 10/12/01.

Faculdade de Lucas do Rio Verde Credenciada pela Portaria Ministerial nº. 2.653 de 07/12/01 D.O.U. de 10/12/01. CONSELHO PEDAGÓGICO - COP RESOLUÇÃO Nº. 13/2008, DE 03 DE ABRIL DE 2008 Aprova o Regulamento de Monitoria Faculdade de Lucas do Rio Verde. O Presidente do Conselho Pedagógico - COP, face ao disposto no

Leia mais

PROGRAMA NORMAS DE PARTICIPAÇÃO 2015

PROGRAMA NORMAS DE PARTICIPAÇÃO 2015 PROGRAMA NORMAS DE PARTICIPAÇÃO 2015 I DESTINATÁRIOS O Programa de Ocupação de Jovens, promovido pela Câmara Municipal de Cascais, através da Divisão de Promoção de Emprego (DPRE), destina-se a jovens

Leia mais

Regulamento dos Cursos de Língua Estrangeira da Universidade de Trásos-Montes

Regulamento dos Cursos de Língua Estrangeira da Universidade de Trásos-Montes Regulamento dos Cursos de Língua Estrangeira da Universidade de Trásos-Montes e Alto Douro Artigo 1º Objeto O presente regulamento define um conjunto de normas e orientações dos Cursos de Língua Estrangeira

Leia mais

HOTEL CISNE BRANCO RUA CAMARÃO, Nº 21, PRAIA MARILUZ, CIDADE DE IMBÉ. Para os Diretores e Funcionários da ASCORSAN, a vinda dos associados e seus

HOTEL CISNE BRANCO RUA CAMARÃO, Nº 21, PRAIA MARILUZ, CIDADE DE IMBÉ. Para os Diretores e Funcionários da ASCORSAN, a vinda dos associados e seus HOTEL CISNE BRANCO RUA CAMARÃO, Nº 21, PRAIA MARILUZ, CIDADE DE IMBÉ. Para os Diretores e Funcionários da ASCORSAN, a vinda dos associados e seus familiares é motivo de orgulho e satisfação em atendê-los,

Leia mais

REGULAMENTO PARA FUNCIONAMENTO E UTILIZAÇÃO DOS CENTROS DE LAZER DA FUNDAÇÃO ASSEFAZ

REGULAMENTO PARA FUNCIONAMENTO E UTILIZAÇÃO DOS CENTROS DE LAZER DA FUNDAÇÃO ASSEFAZ Anexo nº 01 à Decisão Presidente Nº 026/07. REGULAMENTO PARA FUNCIONAMENTO E UTILIZAÇÃO DOS CENTROS DE LAZER DA FUNDAÇÃO ASSEFAZ DA FINALIDADE 1- Este Regulamento tem por objetivo estabelecer normas básicas

Leia mais

RESOLUÇÃO N 002/2007 - DG. Regulamenta Procedimentos para o Funcionamento da Biblioteca da FCV.

RESOLUÇÃO N 002/2007 - DG. Regulamenta Procedimentos para o Funcionamento da Biblioteca da FCV. RESOLUÇÃO N 002/2007 - DG Regulamenta Procedimentos para o Funcionamento da Biblioteca da FCV. O Conselho Superior - CONSU, aprovou em 30 de março de 2007, e eu, Prof. José Carlos Barbieri, Diretor da

Leia mais

CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

CAPÍTULO I DAS FINALIDADES REGULAMENTO DA SEDE CAMPESTRE DO SINDICATO DOS SERVIDORES DAS JUSTIÇAS FEDERAIS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISEJUFE. PREÂMBULO O presente regulamento, objetiva a fixação de normas e regras de utilização

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO CHOÇA ESTADO DA BAHIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO CHOÇA ESTADO DA BAHIA LEI Nº 272, DE 06 DE JUNHO DE 2014. Dispõe sobre a criação do Conselho Comunitário de Segurança Pública e Entidades Afins do Município de Barra do Choça e dá outras Providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE

Leia mais

REGULAMENTO DA ESCOLA DE MÚSICA DE MONDIM DE BASTO

REGULAMENTO DA ESCOLA DE MÚSICA DE MONDIM DE BASTO REGULAMENTO DA ESCOLA DE MÚSICA DE MONDIM DE BASTO Artigo 1 (Objecto) 1 - Pelo presente Regulamento é constituída e regulado o funcionamento da Escola de Música Municipal de Mondim de Basto. 2 - A Escola

Leia mais

o artigo 13, VIII do Estatuto da UEPG;

o artigo 13, VIII do Estatuto da UEPG; Certifico que a presente Resolução foi disponibilizada neste local no dia 05/12/2014 Graziela de Fátima Rocha Secretaria da Reitoria RESOLUÇÃO UNIV. N o 43, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2014. Aprova o Regimento

Leia mais

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-UFRJ N O 01/2014 PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NO CURSO DE MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA POLO UFRJ

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-UFRJ N O 01/2014 PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NO CURSO DE MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA POLO UFRJ Universidade Federal do Rio de Janeiro Centro de Ciências Matemáticas e da Natureza Instituto de Física Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-UFRJ N O 01/2014 PROCESSO

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Através do presente VELOCITY ACADEMIA DE GINÁSTICA LTDA regula a contratação, pelo ALUNO, do direito de utilização dos serviços e instalações da VELOCITY, nas condições

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DO NORTE MT CNPJ.: 03.238.672/0001-28

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DO NORTE MT CNPJ.: 03.238.672/0001-28 DECRETO Nº. 810/2015, DE 03 DE FEVEREIRO DE 2015 Regulamenta o estágio de estudantes em órgãos municipais, com base na Lei Federal nº 11.788, de 25 de setembro de 2008, e dá outras providências. O PREFEITO

Leia mais

HOTEL AMAZONAS RUA AMAZONAS, 467 - NOVA TRAMANDAÍ ASCORSAN

HOTEL AMAZONAS RUA AMAZONAS, 467 - NOVA TRAMANDAÍ ASCORSAN HOTEL AMAZONAS RUA AMAZONAS, nº 467 - NOVA TRAMANDAÍ Para os Diretores e Funcionários da ASCORSAN, a vinda dos associados e seus familiares é motivo de orgulho e satisfação em atendê-los, dentro das condições

Leia mais

Curso de Engenharia de Elétrica

Curso de Engenharia de Elétrica Regulamento de Estágio Curricular Obrigatório Curso de Engenharia de Elétrica Cascavel-PR 2011 - 2 - CAPITULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. Este regulamento tem por finalidade normatizar o Estágio

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR 1 1. Considerações Gerais A Lipor, Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto, com sede em Baguim do Monte, concelho de Gondomar,

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA Regimento Interno do Núcleo de Prática Jurídica do Curso de Direito da Faculdade do Norte Pioneiro CAPÍTULO I DOS PRINCÍPIOS GERAIS Art. 1º O Núcleo de Prática

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO REGIMENTO ELEITORAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO REGIMENTO ELEITORAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO REGIMENTO ELEITORAL Regimento da eleição para os representantes dos servidores técnico administrativos em educação para a Comissão Geral de Jornada de Trabalho e para

Leia mais

Resolução nº 004/2015

Resolução nº 004/2015 Resolução nº 004/2015 Dispões sobre o regulamento do Torneio Paranaense de Economia do CORECONPR. O Conselho Regional de Economia da 6ª Região Paraná, no uso das atribuições legais e regulamentares conferidas

Leia mais

Componente de Apoio à Família

Componente de Apoio à Família Capítulo 056 Componente de Apoio à Família MR.003.01.Vers.1.0.a Página 1 de 11 Conteúdo 1. Introdução... 3 2. Planeamento e organização... 3 3. Funcionamento... 4 3.1. Períodos da CAF... 4 3.2. Horários

Leia mais

Curso de Sistema de Informação

Curso de Sistema de Informação 1 Regulamento de Estágio Curricular Obrigatório Curso de Sistema de Informação Cascavel - PR CAPITULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. Este regulamento tem por finalidade normatizar o Estágio Curricular

Leia mais

Faculdade de Ciências da Saúde Archimedes Theodoro. Fundação Educacional de Além Paraíba

Faculdade de Ciências da Saúde Archimedes Theodoro. Fundação Educacional de Além Paraíba Faculdade de Ciências da Saúde Archimedes Theodoro Fundação Educacional de Além Paraíba Regulamento de Monitoria Art. 1º A Faculdade de Ciências da Saúde Archimedes Theodoro admitirá, sem vínculo empregatício,

Leia mais

NORMAS DE PARTICIPAÇÃO DO PROGRAMA DE MINI FÉRIAS DE VERÃO - 2015

NORMAS DE PARTICIPAÇÃO DO PROGRAMA DE MINI FÉRIAS DE VERÃO - 2015 NORMAS DE PARTICIPAÇÃO DO PROGRAMA DE MINI FÉRIAS DE VERÃO - 2015 A criação do Programa de Mini Férias de Verão 2015 foi pensada para o fortalecimento e melhoramento da qualidade de vida dos munícipes,

Leia mais

COORDENADORIA GERAL DE CONCURSOS E PROCESSOS SELETIVOS EDITAL 027/2013-COGEPS

COORDENADORIA GERAL DE CONCURSOS E PROCESSOS SELETIVOS EDITAL 027/2013-COGEPS COORDENADORIA GERAL DE CONS E PROCESSOS SELETIVOS EDITAL 027/2013-COGEPS ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA OCUPAÇÃO DE INICIAIS REMANESCENTES DO CON VESTIBULAR 2013 PELO APROVEITAMENTO DO RESULTADO DO ENEM DE

Leia mais

REGIMENTO INTERNO ACECOVALE. Capítulo I Da Sede. Capítulo II Dos Objetivos

REGIMENTO INTERNO ACECOVALE. Capítulo I Da Sede. Capítulo II Dos Objetivos REGIMENTO INTERNO ACECOVALE Associação e Centro Cultural Morada do Vale Rua Aurélio Porto, 92 - Morada do Vale 1 Gravataí/RS - CEP: 94.110-120 CNPJ: 88.145.677/0001-69. REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO

Leia mais

Regulamento para inscrição na 10ª Semana da Música de Ouro Branco

Regulamento para inscrição na 10ª Semana da Música de Ouro Branco Regulamento para inscrição na 10ª Semana da Música de Ouro Branco 1. Inscrições e seleção 1.1 Para efetuar a inscrições para a 10ª Semana da Música de Ouro Branco, o candidato deverá acessar o site www.semanadamusica.com;

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 13 DE ABRIL DE 2015 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 13 DE ABRIL DE 2015 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 13 DE ABRIL DE 2015 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho Universitário da UNIFAL-MG, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias,

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 26 DE JANEIRO DE 2010

PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 26 DE JANEIRO DE 2010 Edição Número 18 de 27/01/2010 Ministério da Educação Gabinete do Ministro PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 26 DE JANEIRO DE 2010 Institui e regulamenta o Sistema de Seleção Unificada, sistema informatizado

Leia mais

CLUBE DE SEGUROS DE PESSOAS E BENEFÍCIOS DO ESTADO DO PARANÁ CVG/PR ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEUS FINS, SEDE E DURAÇÃO

CLUBE DE SEGUROS DE PESSOAS E BENEFÍCIOS DO ESTADO DO PARANÁ CVG/PR ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEUS FINS, SEDE E DURAÇÃO CLUBE DE SEGUROS DE PESSOAS E BENEFÍCIOS DO ESTADO DO PARANÁ CVG/PR ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEUS FINS, SEDE E DURAÇÃO ARTIGO 1º O Clube de Seguros de Pessoas e Benefícios do Estado

Leia mais

NORMA PROCEDIMENTAL HOSPEDAGEM PARA RESIDENTES

NORMA PROCEDIMENTAL HOSPEDAGEM PARA RESIDENTES 30.01.004 1/06 1. FINALIDADE Disciplinar procedimentos para a utilização e o controle de alojamentos da UFTM oferecidos aos médicos residentes. 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO Divisão de Serviços Gerais DSG, Departamento

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA LINGUAGEM. REGULAMENTO DO CENTRO DE ENSINO DE LÍNGUAS (CELi)

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA LINGUAGEM. REGULAMENTO DO CENTRO DE ENSINO DE LÍNGUAS (CELi) PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA LINGUAGEM REGULAMENTO DO CENTRO DE ENSINO DE LÍNGUAS (CELi) Pouso Alegre MG Junho/2015 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA LINGUAGEM REGULAMENTO DO CENTRO

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS EMPREGADOS DE NÍVEL UNIVERSITÁRIO DA CEDAE DAS FINALIDADES

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS EMPREGADOS DE NÍVEL UNIVERSITÁRIO DA CEDAE DAS FINALIDADES REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS EMPREGADOS DE NÍVEL UNIVERSITÁRIO DA CEDAE DAS FINALIDADES Art.1º- O presente Regimento Interno elaborado na forma do artigo 35 (Trinta e cinco) do Estatuto tem por

Leia mais

REGIMENTO INTERNO FEDERAÇÃO PARANAENSE E CATARINENSE DE GOLFE - FPCG

REGIMENTO INTERNO FEDERAÇÃO PARANAENSE E CATARINENSE DE GOLFE - FPCG REGIMENTO INTERNO FEDERAÇÃO PARANAENSE E CATARINENSE DE GOLFE - FPCG 1 Sumário CAPITULO I... 3 Do Regimento Interno... 3 CAPITULO II... 3 Do Registro e Inscrição dos Golfistas... 3 CAPITULO III... 3 Da

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Educação Superior Norte - RS/UFSM Departamento de Enfermagem

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Educação Superior Norte - RS/UFSM Departamento de Enfermagem Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Educação Superior Norte - RS/UFSM Departamento de Enfermagem REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE ENFERMAGEM UFSM/CESNORS TÍTULO I: DO REGIME

Leia mais

PISCINA MUNICIPAL AO AR LIVRE DE BOQUES PROJETO DE REGULAMENTO

PISCINA MUNICIPAL AO AR LIVRE DE BOQUES PROJETO DE REGULAMENTO PISCINA MUNICIPAL AO AR LIVRE DE BOQUES PROJETO DE REGULAMENTO 2 ÍNDICE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS... 4 Artigo 1.º Destino e funcionamento... 4 Artigo 2.º Época de funcionamento... 5 Artigo 3.º Interrupção

Leia mais

Normas de participação

Normas de participação Verão com desafios 2015 Normas de participação I. Apresentação e objetivos 1. Entidade promotora e organizadora - Município de Loures 1 a) O programa de Ocupação de Tempos Livres Verão com Desafios é promovido

Leia mais

COLÉGIO BRASILEIRO DE CIRURGIA DIGESTIVA CBCD CNPJ: 61.569.372/0001-28 REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

COLÉGIO BRASILEIRO DE CIRURGIA DIGESTIVA CBCD CNPJ: 61.569.372/0001-28 REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DAS FINALIDADES COLÉGIO BRASILEIRO DE CIRURGIA DIGESTIVA CBCD CNPJ: 61.569.372/0001-28 REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Artigo 1 - Este Regimento Interno tem por fim estabelecer a sistemática administrativa

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014. Série. Número 27

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014. Série. Número 27 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014 Série Sumário SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS Portaria n.º 16/2014 Aprova o Regulamento do Programa Jovem

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA. Art. 1º - A Biblioteca poderá ser utilizada por professores, alunos e funcionários da UNIESP.

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA. Art. 1º - A Biblioteca poderá ser utilizada por professores, alunos e funcionários da UNIESP. REGULAMENTO DA BIBLIOTECA A Direção da UNIESP estabelece normas disciplinando o funcionamento da Biblioteca, no ano de 2013/1. CAPÍTULO I DO USO DA BIBLIOTECA Art. 1º - A Biblioteca poderá ser utilizada

Leia mais

EDITAL Nº 5/2015 NORMAS PARA O PROCESSO SELETIVO 01/2016

EDITAL Nº 5/2015 NORMAS PARA O PROCESSO SELETIVO 01/2016 EDITAL Nº 5/2015 NORMAS PARA O PROCESSO SELETIVO 01/2016 A Direção Geral da Faculdade Iguaçu, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, de acordo com a legislação vigente e Regimento Geral, torna

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS REGIMENTO INTERNO Aprovado na reunião do Conselho de Centro do dia 15.03.2007. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE

Leia mais

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEFUFSC PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NO CURSO DE MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA POLO UFSC - FLORIANÓPOLIS

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEFUFSC PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NO CURSO DE MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA POLO UFSC - FLORIANÓPOLIS Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC Centro de Ciências Físicas e Matemáticas - CFM Departamento de Física Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física - Polo UFSC-Florianópolis EDITAL COMPLEMENTAR

Leia mais

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DAS SEDES DE LAZER DA AMPB

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DAS SEDES DE LAZER DA AMPB Art. 1º. O presente regulamento visa disciplinar o uso do Clube de Areia Dourada, assim como eventuais unidades de lazer a serem construídas ou adquiridas pela Associação dos Magistrados da Paraíba. DOS

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO CULTURAL E ESPORTIVA EDUCANDO PARA O FUTURO DE HARMONIA

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO CULTURAL E ESPORTIVA EDUCANDO PARA O FUTURO DE HARMONIA REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO CULTURAL E ESPORTIVA EDUCANDO PARA O FUTURO DE HARMONIA Capítulo I - Da Instituição Art. 1.º - O presente Regimento Interno regula o funcionamento, as atividades e os cursos

Leia mais

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF- UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA N O 01/2014

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF- UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA N O 01/2014 Universidade Estadual de Pomta Grossa UEPG Pró Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física da UEPG Polo UEPG do MNPEF EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF- UNIVERSIDADE ESTADUAL

Leia mais

FACULDADE GUANAMBI RESOLUÇÃO N.º 002/2011 FG

FACULDADE GUANAMBI RESOLUÇÃO N.º 002/2011 FG FACULDADE GUANAMBI RESOLUÇÃO N.º 002/2011 FG RESOLUÇÃO N.º 002/2011 - FG Aprova a Norma Geral do Programa de Concessão de Bolsas-Auxílio para Mestrado e Doutorado. O DIRETOR GERAL DA FACULDADE GUANAMBI,

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná CEP - Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos REGULAMENTO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA ENVOLVENDO SERES HUMANOS DA UNIVERSIDADE

Leia mais

REGULAMENTO DA PORTARIA - DOS LOCAIS DE ACESSO AO CLUBE. - DOCUMENTOS A SEREM EXIGIDOS.

REGULAMENTO DA PORTARIA - DOS LOCAIS DE ACESSO AO CLUBE. - DOCUMENTOS A SEREM EXIGIDOS. REGULAMENTO DA PORTARIA INDICE CAPÍTULO I CAPÍTULO II CAPÍTULO III - DO OBJETIVO. - DOS LOCAIS DE ACESSO AO CLUBE. - DOCUMENTOS A SEREM EXIGIDOS. 1. Dos sócios titulares, seus dependentes e acompanhantes

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES R E S O L U Ç Ã O N.º 85/2005 CONSUN APROVA O REGULAMENTO PARA A ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA NO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DO CCTP CAMPUS TOLEDO. (*) O Presidente do Conselho

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO INTERNO

NORMAS DE FUNCIONAMENTO INTERNO NORMAS DE FUNCIONAMENTO INTERNO BUS Solidário e Loja Solidária Junta de Freguesia de Encosta do Sol Capítulo I Disposições Gerais Artigo I Enquadramento No âmbito das atribuições que lhe são cometidas

Leia mais

PRIMEIRA ALTERAÇÃO DO ESTATUTO DA ARESMUM- ASSOCIAÇÃO RECREATIVA E ESPORTIVA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MAMBORÊ PARANÁ CAPÍTULO I

PRIMEIRA ALTERAÇÃO DO ESTATUTO DA ARESMUM- ASSOCIAÇÃO RECREATIVA E ESPORTIVA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MAMBORÊ PARANÁ CAPÍTULO I PRIMEIRA ALTERAÇÃO DO ESTATUTO DA ARESMUM- ASSOCIAÇÃO RECREATIVA E ESPORTIVA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MAMBORÊ PARANÁ CAPÍTULO I DA FUNDAÇÃO, DENOMINAÇÃO E FINALIDADES Artigo 1º - A Associação Recreativa

Leia mais

Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (PRPPG) Faculdade de Ciências Agrárias de Presidente Prudente

Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (PRPPG) Faculdade de Ciências Agrárias de Presidente Prudente Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (PRPPG) Faculdade de Ciências Agrárias de Presidente Prudente Regulamento do Programa de Capacitação Técnica em Ciências

Leia mais

CONVOCATÓRIA PARA O PROGRAMA TEMPORADA DE PROJETOS 2016

CONVOCATÓRIA PARA O PROGRAMA TEMPORADA DE PROJETOS 2016 CONVOCATÓRIA PARA O PROGRAMA TEMPORADA DE PROJETOS 2016 A Temporada de Projetos do Paço das Artes, um dos programas mais importantes da instituição, abre a Convocatória 2016. A Temporada é um espaço aberto

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA Art. 1. Este Regulamento normatiza as atividades relacionadas com o Trabalho de Conclusão de Curso do Curso

Leia mais

Regulamento de Locações de Dependências da AABB

Regulamento de Locações de Dependências da AABB Art. 1º - Entende-se por dependência os espaços destinados pela AABB para locação de associados e não associados na realização de eventos de seus interesses. Art. 2º - As dependências disponíveis para

Leia mais

REGULAMENTO DO TCC - PROJETO EXPERIMENTAL OU MONOGRÁFICO DOS CURSOS DE BACHARELADO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL JORNALISMO E PUBLICIDADE E PROPAGANDA

REGULAMENTO DO TCC - PROJETO EXPERIMENTAL OU MONOGRÁFICO DOS CURSOS DE BACHARELADO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL JORNALISMO E PUBLICIDADE E PROPAGANDA REGULAMENTO DO TCC - PROJETO EXPERIMENTAL OU MONOGRÁFICO DOS CURSOS DE BACHARELADO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL JORNALISMO E PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Este Regulamento disciplina

Leia mais

FABEL- FACULDADE DE BELÉM EDITAL DO PROCESSO SELETIVO COMPLEMENTAR 2010.1

FABEL- FACULDADE DE BELÉM EDITAL DO PROCESSO SELETIVO COMPLEMENTAR 2010.1 FABEL- FACULDADE DE BELÉM EDITAL DO PROCESSO SELETIVO COMPLEMENTAR 2010.1 O Diretor da FABEL FACULDADE DE BELÉM, Instituição autorizada a funcionar pela Portaria Ministerial nº. 675 de 17 de março de 2004,

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS CENTROS COORDENADORES DE TRANSPORTES DE CAMINHA E VILA PRAIA DE ÂNCORA

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS CENTROS COORDENADORES DE TRANSPORTES DE CAMINHA E VILA PRAIA DE ÂNCORA REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS CENTROS COORDENADORES DE TRANSPORTES DE CAMINHA E VILA PRAIA DE ÂNCORA 1990 1 CAPÍTULO I OBJECTIVO E ÂMBITO DE APLICAÇÕES ARTIGO 1º - O presente regulamento destina-se

Leia mais

LEI N 588, DE 27 DE SETEMBRO DE 2011.

LEI N 588, DE 27 DE SETEMBRO DE 2011. Pág. 1 de 6 LEI N 588, DE 27 DE SETEMBRO DE 2011. ALTERA A LEI N 302, DE 28/12/2001, QUE DISCIPLINA SOBRE A ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO DO MUNICÍPIO DE CRUZEIRO DO SUL/AC E DÁ OUTRAS PROVIDENCIAS.

Leia mais

REGULAMENTO TCC (GRADUAÇÃO) MONOGRAFIA (PÓS-GRADUAÇÃO)

REGULAMENTO TCC (GRADUAÇÃO) MONOGRAFIA (PÓS-GRADUAÇÃO) REGULAMENTO TCC (GRADUAÇÃO) MONOGRAFIA (PÓS-GRADUAÇÃO) RESOLUÇÃO Nº 1/2010 Cuida da regulamentação de TCC e Monografia MANOEL FERNANDO PASSAES, ADMINISTRADOR DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO E LETRAS DON DOMÊNICO

Leia mais

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-UEFS Nº 01/2014 PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NO CURSO DE MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA POLO 06

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-UEFS Nº 01/2014 PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NO CURSO DE MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA POLO 06 Universidade Estadual de Feira de Santana Departamento de Física Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física [Polo 06] EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-UEFS Nº 01/2014 PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NO CURSO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1628/CUN/2011.

RESOLUÇÃO Nº 1628/CUN/2011. RESOLUÇÃO Nº 1628/CUN/2011. Dispõe sobre Criação de Regimento Interno da Comissão de Ética no Uso de Animais - CEUA/URI. O Reitor da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - URI,

Leia mais

EDITAL N. 41/PROPP, DE 17 DE OUTUBRO DE 2014 PERÍODO, LOCAL DE INSCRIÇÃO E INFORMAÇÕES EAD UFGD:

EDITAL N. 41/PROPP, DE 17 DE OUTUBRO DE 2014 PERÍODO, LOCAL DE INSCRIÇÃO E INFORMAÇÕES EAD UFGD: 1 EDITAL N. 41/PROPP, DE 17 DE OUTUBRO DE 2014 O Pró-Reitor de Ensino de Pós-Graduação e Pesquisa da Fundação Universidade Federal da Grande Dourados, Prof. Dr. Cláudio Alves de Vasconcelos, no uso de

Leia mais

REGULAMENTO DA AGÊNCIA EXPERIMENTAL DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA AGÊNCIA BARU. Título I Do objeto

REGULAMENTO DA AGÊNCIA EXPERIMENTAL DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA AGÊNCIA BARU. Título I Do objeto REGULAMENTO DA AGÊNCIA EXPERIMENTAL DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA AGÊNCIA BARU Título I Do objeto Art. 1º. A Agência Experimental é um laboratório vinculado ao Curso de Comunicação Social - com habilitação

Leia mais

Credenciada pelo Decreto Federal de 03/07/97 - D. O. U. Nº 126, de 04/07/97

Credenciada pelo Decreto Federal de 03/07/97 - D. O. U. Nº 126, de 04/07/97 Resolução CONSUN nº 042/2003. Credenciada pelo Decreto Federal de 03/07/97 - D. O. U. Nº 126, de 04/07/97 Aprova o Regulamento do Laboratório de Rádio, integrante do conjunto de Laboratórios de Rádio e

Leia mais

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-UFJF/IF SUDESTE MG N O 01/2014

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-UFJF/IF SUDESTE MG N O 01/2014 Universidade Federal de Juiz de Fora Instituto de Ciências Exatas Departamento de Física Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-UFJF/IF SUDESTE MG N O 01/2014 PROCESSO

Leia mais

CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

CAPÍTULO I DAS FINALIDADES PORTARIA INSTITUCIONAL Nº 08 A Direção Geral da Faculdades SPEI, no uso das suas atribuições, ouvido o Conselho Superior e aprovado pela Mantenedora, conforme Regimento Interno, RESOLVE: Estabelecer o

Leia mais

Resolução PG-Mec 1/2010

Resolução PG-Mec 1/2010 Ministério da Educação Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica (PG-Mec) Estabelece o Regimento do Programa de Pós- Graduação em Engenharia Mecânica

Leia mais

V Inscrições 1. No acto da inscrição o participante deverá entregar toda a documentação solicitada e devidamente preenchida.

V Inscrições 1. No acto da inscrição o participante deverá entregar toda a documentação solicitada e devidamente preenchida. I Entidade Organizadora AFUM Associação de Funcionários da Universidade do Minho (AFUM), Campus de Gualtar, 4710-057 Braga, Contribuinte n.º 503595772, número de registo 65/DRN. II Objectivo e caracterização

Leia mais

Despacho nº 9265-B/2013

Despacho nº 9265-B/2013 Regulamento Interno da Componente de Apoio à Família (CAF) dos Jardim-deinfância e das Escola Básica 1 (EB1) da União de Freguesias de Nogueiró e Tenões 444 Ano Letivo 2014/15 Enquadramento...Quando as

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CARUARUENSE DE ENSINO SUPERIOR FACULDADE ASCES

ASSOCIAÇÃO CARUARUENSE DE ENSINO SUPERIOR FACULDADE ASCES DISPOSIÇÕES GERAIS ASSOCIAÇÃO CARUARUENSE DE ENSINO SUPERIOR FACULDADE ASCES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MONOGRAFIA Art. 1º. Este regulamento define os procedimentos referentes à elaboração,

Leia mais

CONSELHO DE ÓRGÃOS MUNICIPAIS INTEGRADOS AO SISTEMA NACIONAL DE TRÂNSITO (COMITRA) REGIMENTO INTERNO

CONSELHO DE ÓRGÃOS MUNICIPAIS INTEGRADOS AO SISTEMA NACIONAL DE TRÂNSITO (COMITRA) REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ÓRGÃOS MUNICIPAIS INTEGRADOS AO SISTEMA NACIONAL DE TRÂNSITO (COMITRA) REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE E DURAÇÃO Art. 1º. O Conselho de Órgãos Municipais Integrados

Leia mais

ATO CONVOCATÓRIO Nº 05/2015 INSCRIÇÃO DE ARTESÃOS AUTÔNOMOS Participação na Feira de Artesanato: Mostra Mãos e Arte

ATO CONVOCATÓRIO Nº 05/2015 INSCRIÇÃO DE ARTESÃOS AUTÔNOMOS Participação na Feira de Artesanato: Mostra Mãos e Arte ATO CONVOCATÓRIO Nº 05/2015 INSCRIÇÃO DE ARTESÃOS AUTÔNOMOS Participação na Feira de Artesanato: Mostra Mãos e Arte A Associação Joseense para o Fomento da Arte e da Cultura - AJFAC, associação civil sem

Leia mais

PROGRAMA DE CRÉDITO EDUCATIVO - INVESTCREDE REGULAMENTO

PROGRAMA DE CRÉDITO EDUCATIVO - INVESTCREDE REGULAMENTO PROGRAMA DE CRÉDITO EDUCATIVO - INVESTCREDE 1. DAS INFORMAÇÕES GERAIS REGULAMENTO 1.1 - O presente regulamento objetiva a concessão de Crédito Educativo para estudantes devidamente Matriculados nos cursos

Leia mais

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-IES N 01/2013 PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NO CURSO DE MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA POLO 12 - UFES

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-IES N 01/2013 PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NO CURSO DE MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA POLO 12 - UFES EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-IES N 01/2013 PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NO CURSO DE MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA POLO 12 - UFES 1. PREÂMBULO 1.1. A Comissão de Seleção do Polo 12 UFES

Leia mais

Art. 1º. Aprovar as alterações do Estatuto da Universidade Federal de Juiz de Fora, com sede na cidade de Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais.

Art. 1º. Aprovar as alterações do Estatuto da Universidade Federal de Juiz de Fora, com sede na cidade de Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais. Portaria 1.105, de 28 de setembro de 1998 O Ministro de Estado da Educação e do Desporto, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto 1.845, de 28 de março de 1996, e tendo em vista o Parecer

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 61/2013

PROJETO DE LEI Nº 61/2013 CHARLES RIBEIRO DE MORAES, vereador da Câmara Municipal de Osvaldo Cruz, usando das atribuições que lhe são conferidas Regimentalmente apresenta o seguinte... PROJETO DE LEI Nº 61/2013 Artigo 1º - Feira

Leia mais