TECNOLOGIA ADSL TCP/IP BÁSICO ADSL ROUTER GS-R250S

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TECNOLOGIA ADSL TCP/IP BÁSICO ADSL ROUTER GS-R250S"

Transcrição

1 TECNOLOGIA ADSL TCP/IP BÁSICO ADSL ROUTER GS-R250S Danilo Marchetti Chaves

2 ADSL (Asymmetric Digital Subscriber Line)... 4 A velocidade no ADSL... 5 Casos em que pode haver redução de velocidade... 5 Plataformas que suportam o ADSL... 5 Principais equipamentos utilizados em ADSL... 6 Como os modens para ADSL trabalham?... 6 Parâmetros do ADSL... 8 Tecnologia... 9 Padrões e Associações Funcionamento do ADSL ROUTER Bridged Mode Routed Mode Principais Configurações Routed PPP over ATM (PPPoA) Routed PPP over Ethernet (PPPoE) Bridged PPP over ATM Bridged PPP over Ethernet Configurações Avançadas Configurando o DHCP Configurando o Port Forwarding Atualizando Firmware Alterando Senhas de Acesso Status do Modem

3 Resolução de Problemas Resetando o modem Ligando o Modem em Rede Restaurando Firmware

4 ADSL (Asymmetric Digital Subscriber Line) O termo ADSL foi concebido em 1989 e não se refere a uma linha, mas a modems que convertem o sinal padrão do fio de telefone par-trançado em um duto digital de alta velocidade. Os modems são chamados "assimétricos" porque eles transmitem dados da sua casa em uma velocidade menor do que recebe. O sistema ADSL atinge velocidades altíssimas comparadas aos sistemas de transmissão de dados atuais. O ADSL permite transmissões de mais de 6Mbps (chegando ao máximo, hoje, de 9Mbps) de download para um assinante, e chegando à 640kbps (máximo de 1 Mbps) para upload. Tais taxas ampliam a capacidade de acesso existente para um fator de 50 ou mais sem a utilização de cabeamento público novo. ADSL pode transformar a cadeia de informação pública já existente que é limitada à voz, texto e gráficos de baixa resolução para um sistema poderoso, onipresente capaz de trazer multimídia, incluindo vídeo em fullmotion como, por exemplo, videoconferência, para a casa de todos. ADSL representará um papel crucial nos próximos anos como uma revolução de entrada em novos mercados por parte das companhias telefônicas aonde a entrega de informação em vídeo e formatos multimídia será o novo "boom" em prestação de serviços de comunicação de dados para usuário comuns. Um novo cabeamento levaria décadas para atingir todos os assinantes mas o sucesso destes serviços novos dependerá do alcance de todos os assinantes quanto possível durante os primeiros anos de sua implementação sem a troca do cabeamento já existente. Trazendo filmes, televisão, catálogos vídeos, CD-Roms remotos, LAN incorporadas, e a Internet em casas e negócios pequenos, ADSL fará estes os mercados de comunicação de dados viáveis e lucrativos, para companhias de telefone e provedores de aplicação semelhante. Como funciona o ADSL? Um modem é colocado na sua casa enquanto um outro modem é colocado na central telefônica. Estes dois modems estão permanentemente conectados. O modem divide digitalmente a linha telefônica em 3 canais separados. É como se uma avenida fosse dividida em três faixas para permitir um maior fluxo de veículos. O primeiro canal é utilizado para transmissão de voz. O segundo canal é utilizado para o fluxo de informações no sentido usuário => rede (upstream) e o terceiro canal para o fluxo de dados no sentido rede => usuário (downstream). Esta técnica permite maiores velocidades porque raramente as pessoas fazem o mesmo número de uploads e downloads. Isto significa que o canal de downstream pode ser mais largo sem afetar a velocidade de transmissão de dados. Fazendo este canal mais largo, será possível uma maior velocidade de transmissão, pois haverá mais banda disponível. Por exemplo, quando você clica num link para acessar uma web page, seu computador apenas envia o "click", que é uma pequena quantidade de dados. Em resposta, seu computador recebe muito mais volume de dados quando as páginas estão sendo carregadas. Expandindo a banda de downstream aumenta a velocidade e 4

5 performance. Voltando ao exemplo da avenida, você estaria destinando a faixa mais larga da pista para o tráfego de caminhões pesados, o que evitaria um engarrafamento envolvendo caminhões e carros de passeio. A velocidade no ADSL A exata velocidade de dados são relativas à distância. Por exemplo, se você morar próximo a uma central telefônica que provê seu acesso ADSL, você terá maiores velocidades. A velocidade de recepção de dados será uma média de 4Mbps até 640Kbps, e nunca será inferior a 1 Mbps. A transferência de dados atingirá até 640 Kbps e nunca será inferior à 160 Kbps. Estas velocidades dependem das restrições geográficas e da opção de serviço a ser contratada. Essas velocidades são altíssimas se comparadas com os 56Kbps desenvolvidos pelos melhores modems convencionais. Uma grande vantagem do ADSL está no fato de que sua velocidade continua a mesma independente no número de usuários conectados, pois cada usuário possui uma linha dedicada e não irá compartilhar essa linha com mais ninguém. Casos em que pode haver redução de velocidade Grandes distâncias entre o usuário e a central telefônica. - Mais de um equipamento acessando Internet na mesma casa. - Muitos usuários acessando o mesmo serviço ao mesmo tempo. Por exemplo, 500 usuários efetuando o download do Internet Explorer ao mesmo tempo, isso causará uma certa lentidão, não do ADSL, mais sim do servidor da Microsoft que está disponibilizando o aplicativo naquele instante. O sistema também permite a conversa ao telefone ao mesmo tempo em que os dados estão sendo transmitidos através da Internet. Segundo dados coletados, a voz ocupa apenas 1% do canal, os outros 99% são destinados à rede. Com todos esses parâmetros o ADSL melhora a utilização de recursos multimídia, videoconferência, etc. Plataformas que suportam o ADSL Foram testados microcomputadores rodando Windows 95/98, Mac OS System ou mais atuais com Open Transport 1.1. Outros computadores ou sistemas operacionais podem rodar se atualmente rodarem IP Dial-up e suportarem DHCP (dynamic host configuration protocol) incluindo as seguintes opções de configuração: Endereço IP, máscara de sub-rede, default gateway e servidores DNS. Seu computador e sistema operacional devem também suportar HTTP. 5

6 Principais equipamentos utilizados em ADSL Modem DSL O modem ADSL é que faz o processamento de dados referente à alocação das informações de dowstrem, upstream e voz em seus respectivos canais. DSLAM O DSLAM efetua a conexão do cabo ADSL com a internet. Suporta diversos protocolos e possui a vantagem de estar dedicada apenas a um usuário, o que não ocorrem com o serviço de cable modem onde todos os usuários dividem a mesma linha. Como os modens para ADSL trabalham? Em sua Casa: - Dentro de Seu PC: O modem ADSL de seu computador conecta a uma linha de telefone analógica padrão. - Voz e Dados: Um modem ADSL tem um chip chamado "POTS Splitter" que divide a linha telefônica existente em duas partes: um para voz e um para dados. Voz viaja nos primeiros 4kHz de freqüência. As freqüências mais altas (até 2MHz, dependendo das condições da linha, densidade do arame e distância) é usado para tráfego de dados. -Dividida Novamente: Outro chip no modem, chamado "Channel Separator", divide o canal de dados em duas partes: um maior para download e um menor para o upload de dados. 6

7 Na Central Telefônica -Pelo Fio: Na outra ponta do fio (18,000 pés de distância no máximo) existe outro modem ADSL localizado na central da companhia telefônica. Este modem também tem um "POTS Splitter" que separa os chamados de voz e de dados. -Chamadas de Telefone: Chamadas de voz são roteadas para a rede de comutação de circuitos da companhia telefônica (PSTN - Public Switched Telephone Network) e procede pelo seu caminho como de costume. -Pedidos de Dados: Dados que vem de seu PC passam do modem ADSL ao multiplexador de acesso à linha de assinante digital (DSLAM - Digital Subscriber Line Access Multiplexer). O DSLAM une muitas linhas de ADSL em uma única linha ATM (Asynchronous Transfer Mode) de alta velocidade que fica conectada a Internet por linhas com velocidades acima de 1Gbps. -De Volta para Você: Os dados requeridos anteriormente retornam da Internet e são roteados de volta através do DSLAM e o modem ADSL da central da companhia telefônica chegando novamente ao seu PC. 7

8 Parâmetros do ADSL Na prática, um circuito ADSL conecta um modem ADSL em cada ponta de uma linha de telefone de par-trançado comum e cria três canais lógicos de alta velocidade para download, um canal duplex de média velocidade (dependendo da implementação da arquitetura de ADSL na companhia telefônica), e uma POTS (Plain Old Telephony Services ou linha de voz comum utilizada hoje pelas companhias telefônicas). O canal de POTS é dividido do modem digital por filtros, garantindo canal de voz ininterruptos, até mesmo se houver falhas com o ADSL. As faixas de capacidade do canal de alta velocidade podem ir de 256Kbps a 6.1 Mbps, enquanto a faixa de capacidade das taxas dúplex vão de 16Kbps a 640 kbps. Cada canal pode ser submultiplexado para formar canais de múltiplas taxas mais baixos dependendo do sistema utilizado. Os modems ADSL provêem dados de acordo com os padrões norte-americanos e europeus de hierarquias digitais e pode ser comprado com vários alcances de velocidade e capacidades. A configuração mínima provê 256Kbps para download e um canal duplex de 16Kbps. Outros provedores oferecem taxas de 6.1 Mbps de download e 256Kbps para upload. Produtos com taxas acima dos 8Mbps de download e 640kpbs de upload já existem. Os modems ADSL acomodarão transporte de redes ATM com taxas variáveis e compensação de overhead gerados nestas redes, bem como redes baseadas nos protocolos IP. 8

9 A taxa de passagem dos dados depende de vários fatores, tais como o comprimento da linha de cobre, diâmetro, presença de derivações, e interferência de outros pares. A atenuação da linha aumenta com o comprimento e a freqüência, e diminui com aumento do diâmetro do fio. Ignorando as derivações, o ADSL terá a seguinte performance: Taxa Medida do Fio Distância Diâmetro Distância 1.5/2.0 Mbps 24 AWG pés 0.5 mm 5.5 Km 1.5/2.0 Mbps 26 AWG pés 0.4 mm 4.6 Km 6.1 Mbps 24 AWG pés 0.5 mm 3.7 Km 6.1 Mbps 26 AWG pés 0.4 mm 2.7 Km Enquanto a medida varia conforme a empresa, estas capacidades podem cobrir até 95% da planta dependendo da taxa de dados desejada. Os clientes além destas distâncias podem ser atendidos com um sistema digital baseado em fibras óticas. Enquanto estes sistemas de cabeamento ficam comercialmente disponíveis, as companhias de telefone podem oferecer acesso virtualmente presente em um tempo relativamente pequeno. Muitas aplicações previstas para o ADSL envolvem vídeo comprimido digital. Com um sinal em tempo real, o vídeo digital não pode ter o nivel de erro comumente encontrado em sistemas de comunicações de dados. O modem ADSL incorpora um sistema de correção que dramaticamente reduz os erros causados por ruídos elétricos, além dos presentes nos pares trançados. Tecnologia O ADSL depende de um processo digital avançado de sinal e algoritmos criativos para comprimir a informação para linhas de telefone com pares-trançados. Além disso, foram necessários muitos avanços em transformadores, filtros analógicos, e conversores de A/D. As linhas de telefone longas podem atenuar sinais a um megahertz (a extremidade inferior da faixa usada pelo ADSL) por 90 db, forçando 9

10 as seções analógicas do modem ADSL a trabalhar muito para atingir faixas largas e dinâmicas, canais separados, e manter baixas figuras de ruído. No lado de fora, o ADSL parece um simples duto de dados síncrono transparente com várias taxas de dados em cima de linhas de telefone comuns. No lado de dentro, onde todos os amplificadores trabalham, há um milagre da tecnologia moderna. Ao criar canais múltiplos, os modems ADSL dividem a largura de banda disponível de uma linha telefônica em uma das suas duas formas: Multiplexing por Divisão de Freqüência (FDM) ou Cancelamento de Eco. O FDM determina uma faixa inferior de dados e outra faixa superior. A inferior é dividida então através de multiplexação por divisão de tempo em um ou mais canais de alta velocidade ou em um ou mais canais de baixa velocidade. A faixa superior está também multiplexada em canais correspondentes de baixa velocidade. O cancelamento de eco sobrepõe a faixa superior na inferior, e separa os dois por meio de cancelamento de eco local, uma técnica conhecida em modems V.32 e V.34. Em ambas as técnicas, o ADSL divide uma faixa de 4 khz da linha comum até o final da banda. Um modem de ADSL organiza o fluxo de dados agregado, criado por multiplexação de canais, canais duplex, e manutenção de canais agregados em blocos, prendendo um código de correção de erro a cada bloco. Os receptores, então, corrigem erros que acontecem durante a transmissão até os limites indicados pelo código e extensão do bloco. A unidade pode, por opção do usuário, criar também superblocos de dados intercalando páginas em branco dentro dos subblocos; isto permite ao receptor corrigir qualquer combinação de erros dentro 10

11 de um pedaço específico de bits. Isto permite a transmissão efetiva de dados e vídeo com sinais semelhantes. Padrões e Associações O American National Standart Institute (ANSI), trabalhando no grupo T1E14, aprovou recentemente um padrão de ADSL a taxas de até 6.1 Mbps (ANSI Padrão T1. 413). O European Technical Standart Institute (ETSI) contribuiu com um anexo a T refletindo as exigências européias. T1.413 incorpora uma única interface terminal. A Edição II ampliará o padrão para incluir uma interface de multiplexação nos terminais, protocolos para configuração e administração de cadeia, entre outras melhorias. O ATM Fórum e DAVIC, ambos reconheceram o ADSL como um protocolo de transmissão de camada física para pares trançados sem blindagem. O ADSL Fórum foi formado em dezembro de 1994 para promover o conceito de ADSL e facilitar o desenvolvimento de arquiteturas de sistema ADSL, protocolos, e interfaces para as principais aplicações ADSL. O Fórum tem aproximadamente 300 membros que representam os provedores de serviço, fabricantes de equipamento, e companhias de semicondutores de todo o mundo. Foram testados, com êxito, modems ADSL em mais de 100 companhias de telefone nos EUA, operadoras de telecomunicações, e milhares de linhas foram instaladas com tecnologias variadas na América do Norte, Europa e Ásia. Algumas companhias telefônicas planejam diversas alternativas de mercado que usam o ADSL, principalmente porque têm acesso a dados, mas também incluindo aplicações em vídeo compras on-line, jogos interativos, e programação educacional. As companhias de semicondutores introduziram transceptores de chipsets que já estão sendo usados como alternativa de mercado para os modems. Estes chipsets combinam os componentes comuns, processadores digitais programáveis e otimização da ASICS. O investimento efetuado pelas companhias de semicondutores aumentou a funcionalidade, reduziram custos, baixou o consumo de energia, possibilitando o desenvolvimento em massa de serviços baseados em ADSL. 11

12 Funcionamento do ADSL ROUTER Bridged Mode O Bridged Mode que é conhecido como modo VPN, aqui vamos chamá-lo de modo Bridged é freqüentemente utilizado por empresas e por usuários avançados. Configurando o ADSL ROUTER nesse modo, tanto PPPoE como PPPoA ele se tornará uma ponte (bridged) entre a internet e seu servidor, passando virtualmente o IP público para o computador. Nesse caso o cliente estará abrindo mão de algumas propriedades do ADSL ROUTER e tornando em um MODEM BRIDGED, como: O modem não pode ser compartilhado em rede. Dessa forma o cliente precisará de um servidor proxy para compartilhamento da internet. O Firewall do modem não é utilizado. Temos que habilitar todas as portas do modem para essa configuração. Abrindoas deixando a conexão livre para o funcionamento. Essa configuração torna possível para o cliente a instalação de servidores WEB, FTP, servidores de jogos entre outros. É necessária a instalação de um discador para o acesso, agora quem faz a autenticação é o computador. 12

13 Routed Mode O routed mode é a configuração padrão do modem, pois é nela que podemos tirar o maior proveito do aparelho. Essa configuração é bastante utilizada por usuários domésticos e por pequenas empresas barateando o acesso compartilhado da internet, pois nesse modo não precisamos de servidor proxy para isso o próprio modem faz isso. Nesse modo o modem trabalha com protocolo NAT (Network Address Transfer), gerenciando as solicitações de pacote TCP, é nessa hora que o firewall do modem é utilizado, protegendo a rede interna de hackers e futuras invasões. Isso acontece porque o IP privado, no nosso caso X, não pode ser acessado pela rede pública, a Internet. Quando uma máquina tenta acessar a internet ela na verdade está solicitando ao modem que solicita a página na internet transferindo os dados entre a rede interna e a externa. No modo roteado a autenticação é feita pelo modem, que possui um discador interno. O modem fica conectado constantemente dessa maneira. 13

14 Principais Configurações Todas as configurações abaixo seguem o que já foi dito sobre o modo de funcionamento mudando apenas o tipo de protocolo e acrescentando algumas ferramentas para a conexão. Routed PPP over ATM (PPPoA) Conhecida como PPPoA (RFC2364) é utilizada pela Brasil Telecom em links empresariais e conexões ADSL muito antigas. É a configuração padrão do modem por ser a mais utilizada pela Brasil Telecom. Como é a configuração padrão, temos algumas formas alternativas de se configurar. Segue abaixo essas configurações: Para o estado do Rio Grande do Sul. Entre na página /crt.htm (figura 2) irá solicitar o usuário e senha (figura 1) insira guest para ambos. Figura 1 Figura 2 14

15 Agora é o usuário do provedor do cliente, apenas insira nos campos correspondentes e clique em OK. Aparecerá a seguinte imagem: Pronto o modem já está configurado para funcionar no estado do Rio Grande do Sul. Para o estado de Santa Catarina apenas troque o endereço /telesc.htm. 15

16 Para os demais estados apenas entre com /adslturbo.htm, siga os mesmo passos das configurações anteriores. Agora faremos as configurações através da página de administração do aparelho. Entre em /admin.htm, irá aparecer as seguintes informações. Selecione no Menu Routed Mode a opção PPP over ATM. 16

17 Vemos abaixo as configurações que podem ser alteradas. Mais abaixo tem uma tabela com as configurações de cada região. CONFIGURAÇÕES RS SC DEMAIS ESTADOS ETHERNET IP USER NAME* PASSWORD* VPI VCI ENCAPSULATION MODE VCMUX VCMUX VCMUX AUTHENTICATION MODE PAP PAP PAP NAT ENABLE ENABLE ENABLE ADSL MODE ANSI T1.413 ISSUE2 MULTI MODE MULTI MODE LAN NETMASK User Name e Password são fornecido pelo cliente. 17

18 Routed PPP over Ethernet (PPPoE) A conexão PPPoE (RFC 2516) é utilizada em links residenciais, as configurações dela são as mesmas do capítulo anterior apenas mudando o acesso, como vemos na figura abaixo. Selecione PPP over Ethernet. Depois é só seguir as configurações da tabela no capítulo anterior. 18

19 Bridged PPP over ATM Quando configuramos o modem dessa maneira estamos passando virtualmente o IP válido para o computador que está conectado ao modem. Nesse modo é necessário um discador, para conexões PPPoA pode se utilizar o rede particular virtual do windows (VPN Virtual Private Network). Sempre verifique se está instalado no computador que será utilizado. Nessa apostila iremos utilizar o Windows Primeiro vamos configurar o modem. Entre em /admin.htm e selecione no menu Bridged Mode a opção PPPoA-PPTP Relay. Nesse modelo estamos utilizando as configurações do Rio Grande do Sul. Em conexões PPPoA apenas mantenha as configurações e clique Config Now. Aguarde o tempo terminar e então passe para o passo seguinte. Agora vamos configurar o computador. Entre em Conexões Dial-up e Rede. Depois selecione Fazer nova conexão. Veja a figura abaixo. 19

20 Selecione a 3 opção (Conectar-se a uma rede privada pela Internet). Clique em avançar. Logo após o assistente vai solicitar o endereço do host. Temos que colocar Agora é só concluir. Clique em Propriedades, selecione Segurança, marque o item Avançadas > Configurações. Veja a imagem. 20

21 No campo: Criptografia de dados: Não permitir criptografia. No campo: Permitir estes protocolos: Senha não criptografada (PAP). Clique em OK. Insira nome de usuário, senha do provedor e clique em conectarse. 21

22 Bridged PPP over Ethernet Para configurar nesse modo entre em /admin.htm, no menu Bridged Mode selecione PPP over Ethernet, como vemos na figura abaixo. Apenas altere o Encapsulation Mode de VCMUX (configuração padrão) para LLC. Nessa configuração vamos precisar do discador PPPoE, o único sistema operacional que já possui é o Windows XP, portanto vamos precisar de um programa. Vamos utilizar o Ethernet 300. Instale o programa normalmente, ele irá criar um adaptador PPPoE virtual no Windows. Logo após vamos criar uma conexão selecionando em Create New Profile. Na primeira tela coloque o nome da conexão, depois coloque o usuário e senha do provedor e pronto basta concluir. Abra a conexão e clique em connect, esse programa já identifica o endereço do host. 22

23 Configurações Avançadas Configurando o DHCP Esse é um capítulo importante, pois muitos clientes estão interessados nessas configurações. É nela que configuramos números de máquinas que podem acessar a rede. Abaixo temos o que cada campo significa: SUBNET (IP de rede) O IP de rede depende da sua mascará como já foi explicado no início do curso. Geralmente é o IP que termina em 0. NETMASK (Mascara da rede) Ambos os Netmask definem a mascara em que o modem vai trabalhar e distribuir os IP para os compuatdores. DHCP Range (Faixa DHCP) 23

24 Define o início, fim da rede e quantas máquinas irão acessar a internet, se na rede que estiver configurando você colocar um IP que não está nessa faixa o computador não acessará a internet. É como se o modem não conhecesse os IPs fora dessa faixa. Primary DNS (DNS Primário) e Secondary DNS (DNS Secundário) Configuração de servidores DNS. Lease Time (Tempo de Concessão) Define o tempo que o servidor DHCP demora para atribuir o IP a estação. Idle Define o tempo que o computador fica com o IP. Quanto tempo o computador pode ficar desligado sem trocar o IP. Após ter selecionado as configurações clique Enable DHCP Server. Está configurado. 24

25 Configurando o Port Forwarding O Port Forwarding é conhecido como direcionamento de portas é nele que abrimos as portas do modem para a utilização de ICQ, MSN Messenger, Jogos na Internet, Netmeeting e outros. Ele pode ser considerado o firewall do modem, onde configuramos o que entra pela conexão. Segue abaixo as configurações. PROCEDIMENTO PARA ABERTURA DE PORTAS UTILIZANDO DEFAULT WORKSTATION IP Esse procedimento é apenas para efetuar abertura de portas de serviços comuns de Internet. Informamos que esse procedimento deixará sua conexão de internet mais vulnerável quanto a sua segurança. POR FAVOR, SIGA OS PASSOS ABAIXO: 1. Abra o navegador de Internet (Internet Explorer, Netscape, etc.) e na barra de endereço digite: 2. Após o procedimento acima será necessário digitar o nome de usuário: guest e senha: guest. 25

26 Em seguida aparecerá uma página de internet com as seguintes informações: 3. CLIQUE EM PORT FORWARDING : Abrirá a janela abaixo: 26

27 Selecione a caixa de seleção: 4. DEFAULT WORKSTATION e mude o IP: x (onde x o IP de seu computador) Clique em: Config Now Aguarde os 90 segundos seu modem já estará reconfigurado, pronto para ser utilizado com os serviços padrão de Internet. PROCEDIMENTO PARA ABERTURA DE PORTAS UTILIZANDO SERVICE PORT Siga as configurações até o passo 3, siga os passos abaixo. 4. Clique em Delete All. Tudo que está dentro do quadro será apagado. 5. Em Service Port no primeiro quadro onde está escrito 80 escreva 20 e no segundo quadro escreva Verifique no imagem abaixo. 27

28 6. Depois clique em Add e troque o protocolo TCP para UDP. 7. Clique em Config Now. 8. Aguarde a contagem e estará funcionando. Sempre verifique se o Default Workstation IP está selecionado e se já existe algo no quadro branco, se houver alguma dessas condições o procedimento de adicionar as configurações emitirá um erro. Lembrando que só podemos adicionar uma porta por IP. 28

29 Atualizando Firmware Algumas vezes precisamos atualizar o firmware do modem para corrigir alguns defeitos. Segue o procedimento. 1. entre na URL /admin.htm 2. Username, guest. Password, guest 3. Vá à janela da esquerda, selecione Upgrade Firmware; A versão do firmware padrão é a X01A, nessa imagem temos a tela de configuração da nova versão X01B a mais atual. 4. Coloque o arquivo X01B(0903).bin. 5. Selecione, upgrade, 6. Aguarde, 150 segundos 7. Você terá um firmware novo instalado. 29

30 Alterando Senhas de Acesso Para alterar o usuário e senha selecione Change User Name e Password. Esse procedimento estará alterando o usuário e senha para entrada no aparelho. 30

31 Status do Modem Nesse capítulo vamos abordar as informações que contém na tela de Satus. Recomendo que sempre que for começar uma configuração anote o modo em que o modem está funcionando. Em ADSL Status temos as informações da linha telefônica. Podemos ver a versão do firmware, se o modem está conectado, a velocidade do link, a taxa de atenuação e ruído. Um pouco mais abaixo temos modo que o modem está funcionando, essas são as configurações que devemos anotar. E um pouco mais abaixo temos as configurações de DHCP e Port Forwarding. 31

32 Resolução de Problemas Resetando o modem Uma das opções desse modem é o botão de reset, que está atrás do aparelho. Existem dois tipos de reset: 1. Segurando o botão por 15 segundos ou mais o modem estará restaurando as configuração padrão do modem. Deixando da seguinte forma: DEMAIS CONFIGURAÇÕES ESTADOS ETHERNET IP USER NAME* PASSWORD* guest guest VPI 0 VCI 35 ENCAPSULATION MODE AUTHENTICATION MODE NAT ADSL MODE VCMUX CHAP ENABLE MULTI MODE LAN NETMASK Apertando o botão de reset por 5 vezes seguidas, ele assumirá a memória flash de backup, colocando as configurações da tabela. Ligando o Modem em Rede Para ligar o modem em rede temos que levar em consideração algumas aspectos dos aparelhos utilizados. Sempre verificar se o HUB tem a porta Uplink, pois se tiver apenas ligue o modem nessa porta e o modem deve funcionar. Se o HUB não possuir essa porta, altere a chave com o símbolo X II para o lado do X, você estará invertendo a porta do modem. Esse botão está atrás do modem. 32

33 Restaurando Firmware Esse problema acontece com alguns aparelhos, para saber se o modem está com o firmware corrompido basta olhar na frente do aparelho. Verifique as luzes power e link, se estiverem acesas o modem pode estar com defeito. Para ter certeza retire o fio de telefone do aparelho, se continuar da mesma forma o modem está com problema. Siga os passos abaixo. Verificar se os cabos estão conectados corretamente. 1. Cabo serial RS Cabo RJ-45 (O cabo tem estar conectado diretamente ao computador e confira se a chave com os símbolos X - II, atrás do aparelho está do lado II. Verificar as configurações do computador. 1. Especificar um endereço IP no computador e máscara Instalar o Hyperterminal. É um programa do Windows 3. Instalar o programa BOOTTFTP. Configurações do Hyperterminal 1. Insira um nome para a conexão. 2. Selecione em conectar usando a porta COM 1 3. Coloque as configurações abaixo. 33

34 Reinicie o modem terá que aparecer às informações abaixo. Isso significa que seu modem está realmente com problema de Firmware. Se aparecer escrito VRTA quando digitar Enter, seu modem está com problema na mémoria flash. Nesse caso não podemos reparar o aparelho, caso ao contrário siga para o próximo passo. 4. Retire atrás do modem o cabo da fonte para desliga-lo, segure * no teclado alfa numérico e ligue o aparelho. Deverá aparecer a seguinte mensagem. 34

35 Configurações do Programa TFTP 1. Coloque em IP address e aperte Enter. 2. Em BootP Server o número que está na linha MAC, não se esqueça de trocar os : por -, coloque o IP e File Name selecione Browser. 35

36 Em Browser selecione arquivos de todos os tipos e a pasta em que foi salva. 3. Clique em update as informações irá para o quadro abaixo. 4. Mais abaixo terá as opções. Direct Reply to Boot Request Broadcast Reply to Boot Request -> Selecione essa. O programa de TFTP já está configurado. Comandos no Hyperterminal. Volte ao Hyperterminal, depois de todas as configurações feitas e aperte a tecla E de Ethernet. O modem fará um boot da porta Ethernet buscando o firmware X01B no computador. Deve aparecer. 36

37 DSL> flashfs DSL> wipe DSL> update Agora é só fazer as configurações de senha. 37

Em sua Casa. Na Central Telefônica

Em sua Casa. Na Central Telefônica &RP )XQFLRQ $'6/ Em sua Casa Na Central Telefônica Em sua Casa A. Dentro de Seu PC: O modem ADSL de seu computador conecta a uma linha de telefone analógica padrão. B. Voz e Dados: Um modem ADSL tem um

Leia mais

Redes I Longa distância e alto desempenho ADSL Assymetric Digital Subscriber Line

Redes I Longa distância e alto desempenho ADSL Assymetric Digital Subscriber Line Redes I Longa distância e alto desempenho ADSL Assymetric Digital Subscriber Line TÓPICOS INTRODUÇÃO CARACTERÍSTICAS APLICAÇÕES O FUTURO CONCLUSÃO INTRODUÇÃO Ter que aguardar por vários dias o término

Leia mais

A sigla ADSL refere-se a: Linha Digital Assimétrica para Assinante.

A sigla ADSL refere-se a: Linha Digital Assimétrica para Assinante. ADSL ADSL A sigla ADSL refere-se a: Linha Digital Assimétrica para Assinante. Trata-se de uma tecnologia que permite a transferência digital de dados em alta velocidade por meio da linha telefônica. É

Leia mais

HTVix HA 211. Entrada de alimentação 12VDC / 500mA (Positivo no centro)

HTVix HA 211. Entrada de alimentação 12VDC / 500mA (Positivo no centro) 1 HTVix HA 211 1. Interfaces Entrada de alimentação 12VDC / 500mA (Positivo no centro) Conector RJ11 para conexão de aparelho telefônico analógico ou o adaptador para telefone e rede de telefonia convencional

Leia mais

Guia de configuração para liberar Portas no DSLink 260E para acesso via PPPoE Rev. 3.3

Guia de configuração para liberar Portas no DSLink 260E para acesso via PPPoE Rev. 3.3 Guia de configuração para liberar Portas no DSLink 260E para acesso via PPPoE Rev. 3.3 http://www.dslink.com.br/ Índice Como conectar o modem DSLink 260E ao meu computador?... 3 Configurando o modem como

Leia mais

W-R2000nl Guia de instalação

W-R2000nl Guia de instalação W-R2000nl Guia de instalação Sumário Introdução...3 Instalação...5 Configurando seu computador...6 Acessando a tela de configurações...7 Configuração de Roteamento...8 Trocando senha de sua rede sem fio...13

Leia mais

INSTITUTO TÉCNICO DE BARUERI BRASÍLIO FLORES DE AZEVEDO. Turma: INF 1 A T / 1B T / 1 C T Data de Postagem: 25/08/2009

INSTITUTO TÉCNICO DE BARUERI BRASÍLIO FLORES DE AZEVEDO. Turma: INF 1 A T / 1B T / 1 C T Data de Postagem: 25/08/2009 Turma: INF 1 A T / 1B T / 1 C T Data de Postagem: 25/08/2009 Disciplina: Redes de computadores Professores: Mauricio Nunes REVISÃO DE CONTEÚDO ATIVIDADE 03 - A Internet é a grande rede de computadores.

Leia mais

Guia de Instalação Rápida TDM-C500 TDM-C504 1.01

Guia de Instalação Rápida TDM-C500 TDM-C504 1.01 Guia de Instalação Rápida TDM-C500 TDM-C504 1.01 Índice Português 1 1. Antes de Iniciar 1 2. Instalação de Hardware 3 3. Configure o Modem 4 Troubleshooting 7 Version 10.22.2010 1. Antes de Iniciar Português

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO DISCIPLINA DE REDES DE COMPUTADORES I

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO DISCIPLINA DE REDES DE COMPUTADORES I UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO DISCIPLINA DE REDES DE COMPUTADORES I ADSL Alexandre Martini Fernando Boettcher Julio Cezar Kronbauer Santa

Leia mais

Tecnologias de Banda Larga

Tecnologias de Banda Larga Banda Larga Banda larga é uma comunicação de dados em alta velocidade. Possui diversas tecnologia associadas a ela. Entre essas tecnologias as mais conhecidas são a ADSL, ISDN, e o Cable Modem. Essas tecnologias

Leia mais

Manual para configuração. Siemens Roteador VoIP SpeedStream 3610

Manual para configuração. Siemens Roteador VoIP SpeedStream 3610 Manual para configuração Siemens Roteador VoIP SpeedStream 3610 Indice Guia Rápido de Instalação customizado... 3 Tipo de acesso banda larga... 4 Procedimentos de configuração... 5 Conexões do Painel traseiro...

Leia mais

OBJETIVO: Informar ao cliente como instalar e configurar o equipamento D-Link DVG-1402s para operar com o serviço da rede PhoneClub

OBJETIVO: Informar ao cliente como instalar e configurar o equipamento D-Link DVG-1402s para operar com o serviço da rede PhoneClub ASSUNTO: Manual de instalação do equipamento D-Link DVG-1402s OBJETIVO: Informar ao cliente como instalar e configurar o equipamento D-Link DVG-1402s para operar com o serviço da rede PhoneClub PÚBLICO:

Leia mais

Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2

Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2 Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2 Página 1 de 14 Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2-NA Este guia irá ajudá-lo a instalar o seu ATA,

Leia mais

Roteador Load-Balance / Mikrotik RB750

Roteador Load-Balance / Mikrotik RB750 Roteador Load-Balance / Mikrotik RB750 Equipamento compacto e de alto poder de processamento, ideal para ser utilizado em provedores de Internet ou pequenas empresas no gerenciamento de redes e/ou no balanceamento

Leia mais

Configurando 500B (Router) 1. INSTALE SEU MODEM

Configurando 500B (Router) 1. INSTALE SEU MODEM Configurando 500B (Router) A GVT pensa em você, por isso criou um passo a passo que facilita a instalação e configuração do seu modem ADSL DLink 500B. Você mesmo instala e configura, sem a necessidade

Leia mais

O CD-ROM possui um software de configuração passo a passo para o D810R.

O CD-ROM possui um software de configuração passo a passo para o D810R. GUIA DE CONFIGURAÇÃO Instalação de hardware 1. Conecte o adaptador de energia (incluso) na entrada PWR do modem e ligue-o na tomada de energia. 2. Utilize o cabo Ethernet RJ45 (incluso) para conectar a

Leia mais

Configurando Opticon DSLink 260E 1. INSTALE SEU MODEM

Configurando Opticon DSLink 260E 1. INSTALE SEU MODEM Configurando Opticon DSLink 260E A GVT pensa em você, por isso criou um passo a passo que facilita a instalação e configuração do seu modem Opticom DSLink 260E. Você mesmo instala e configura, sem a necessidade

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Uma Rede de Computadores consistem em dois ou mais dispositivos, tais como computadores, impressoras e equipamentos relacionados, os

Leia mais

Procedimentos para configuração em modo Router Static IP.

Procedimentos para configuração em modo Router Static IP. O equipamento DWL-G730AP tem 3 modos possíveis de configuração: Router, Access Point ou Client. Em baixo do equipamento há um chaveador para que seja efetuada a mudança de modo de configuração. Neste caso,

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do

Leia mais

GUIA RÁPIDO. DARUMA Viva de um novo jeito

GUIA RÁPIDO. DARUMA Viva de um novo jeito GUIA RÁPIDO DARUMA Viva de um novo jeito Dicas e Soluções para IPA210 Leia atentamente as dicas a seguir para configurar seu IPA210. Siga todos os tópicos para que seja feita a configuração básica para

Leia mais

Manual para configuração. Linksys RT31P2

Manual para configuração. Linksys RT31P2 Manual para configuração Linksys RT31P2 Indice Guia de Instalação ATA Linksys RT31P2... 3 Conhecendo o ATA... 4 Antes de Iniciar... 6 Analisando o seu acesso à Internet... 6 Configuração... 9 Configuração

Leia mais

Procedimentos para configuração em modo Router Dynamic IP

Procedimentos para configuração em modo Router Dynamic IP O equipamento DWL-G730AP tem 3 modos possíveis de configuração: Router, Access Point ou Client. Em baixo do equipamento há um chaveador para que seja efetuada a mudança de modo de configuração. Neste caso,

Leia mais

Tornado 830 / 831 ADSL Router - 4 port Ethernet switch - Wireless 802.11G - Access Point - Firewall - USB printer server

Tornado 830 / 831 ADSL Router - 4 port Ethernet switch - Wireless 802.11G - Access Point - Firewall - USB printer server Tornado 830 / 831 ADSL Router - 4 port Ethernet switch - Wireless 802.11G - Access Point - Firewall - USB printer server Tornado 830 Annex A Tornado 831 Annex B 1 1.1 Arrancar e iniciar sessão Active o

Leia mais

Informações sobre a tecnologia ADSL. Seleção de protocolo e de driver. Índice. visão geral. instalação do modem ECI USB ADSL

Informações sobre a tecnologia ADSL. Seleção de protocolo e de driver. Índice. visão geral. instalação do modem ECI USB ADSL um cap tulo capítulo visão geral 3 5 6 14 Índice visão geral informações sobre a tecnologia ADSL seleção de protocolo e de driver recursos instalação do modem ECI USB ADSL instalação do drive ADSL USB

Leia mais

Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2

Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2 Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2 Terra VOIP PAP2 Rev. 1 Ago/06 1 de 15 Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2-NA Este guia irá ajudá-lo

Leia mais

Procedimento para Configuração de Internet em modo Bridge

Procedimento para Configuração de Internet em modo Bridge Procedimento para Configuração de Internet em modo Bridge 1- Para realizar o procedimento de configuração em modo Bridge o computador deve estar conectado via cabo Ethernet em uma das portas LAN do DSL-2640B

Leia mais

Guia para configuração PPPoE com Autenticação no modem (Windows)

Guia para configuração PPPoE com Autenticação no modem (Windows) Guia para configuração PPPoE com Autenticação no modem (Windows) Rev. 4.1 http://www.dslink.com.br/ Guia para configuração PPPoE com autenticação no modem Nesse tipo de configuração, a autenticação do

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO DO EQUIPAMENTO VOIP

MANUAL DE INSTALAÇÃO DO EQUIPAMENTO VOIP MANUAL DE INSTALAÇÃO DO EQUIPAMENTO VOIP 1 INDICE 1. Identifique seu tipo de conexão à internet:... 3 1.1 Como Identificar sua Conexão Banda Larga... 3 1.1.1 Conexão ADSL... 3 1.1.2 Conexão a Cabo... 3

Leia mais

Manual De Configuração

Manual De Configuração Manual De Configuração Modem Roteador ADSL Kaiomy LP-AL2011P LP-AL2011PW LP-AL2014P LP-AL2014PW Revisão: 1.0 Conteúdo: 1. Requisitos do Sistema... 03 2. Login...07 3. Status...08 3.1 Página Inicial...08

Leia mais

Perguntas mais freqüentes sobre o Cisco 675

Perguntas mais freqüentes sobre o Cisco 675 Perguntas mais freqüentes sobre o Cisco 675 Perguntas Introdução Como eu conecto meu PC ao Cisco 675 através da porta de gerenciamento? Como eu faço um cabo de gerenciamento para o Customer Premises Equipment

Leia mais

Procedimento para Configuração de Internet em modo Router

Procedimento para Configuração de Internet em modo Router Procedimento para Configuração de Internet em modo Router 1- Para realizar o procedimento de configuração em modo Router o computador deve estar conectado via cabo Ethernet em uma das portas LAN do DSL-2640B

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1 MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1 SÃO CAETANO DO SUL 06/06/2014 SUMÁRIO Descrição do Produto... 3 Características... 3 Configuração USB... 4 Configuração... 5 Página

Leia mais

Manual B.P.S ATA 5xxx Índice

Manual B.P.S ATA 5xxx Índice Manual B.P.S ATA 5xxx Índice 1. Conectando o Adaptador para Telefone Analógico (ATA)...02 2. Configurações básicas...05 2.1 Configuração dos parâmetros de usuário e senha para acessos de banda larga do

Leia mais

Procedimentos para configuração em modo Router PPPOE

Procedimentos para configuração em modo Router PPPOE O equipamento DWL-G730AP tem 3 modos possíveis de configuração: Router, Access Point ou Client. Em baixo do equipamento há um chaveador para que seja efetuada a mudança de modo de configuração. Neste caso,

Leia mais

DSL-500B Configuração modo Router PPPoE

DSL-500B Configuração modo Router PPPoE DSL-500B Configuração modo Router PPPoE 1- Antes de iniciar qualquer procedimento de configuração verifique se os cabos estão conectados conforme o diagrama de instalação abaixo: Se você possui uma tomada

Leia mais

1. Introdução. 2. Conteúdo da embalagem

1. Introdução. 2. Conteúdo da embalagem 1 1. Introdução / 2. Conteúdo da embalagem 1. Introdução O Repetidor WiFi Multilaser é a combinação entre uma conexão com e sem fio. Foi projetado especificamente para pequenas empresas, escritórios e

Leia mais

O consumidor espera por novos serviços os quais dependem de largura de banda suficiente. Como exemplo destes novos serviços podese citar "fast

O consumidor espera por novos serviços os quais dependem de largura de banda suficiente. Como exemplo destes novos serviços podese citar fast Universidade Católica do Salvador Curso de Bacharelado em Informática Disciplina: Teleprocessamento e Redes Professor: Marco Antônio C. Câmara Alunas: Rejane Mirtes B. de Cerqueira Suzane Tourinho F. da

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do seu firewall Netdeep

Leia mais

Manual para configuração. Linksys/Sipura SPA-2102

Manual para configuração. Linksys/Sipura SPA-2102 Manual para configuração Linksys/Sipura SPA-2102 Indice Guia de Instalação Sipura - Modelo SPA-2102... 3 Conhecendo o SPA... 4 Conectando a SPA... 5 Instruções para conectar a SPA... 5 Usando o menu interativo

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO MANUAL DE CONFIGURAÇÃO CONTMATIC PHOENIX SUMÁRIO CAPÍTULO I APRESENTAÇÃO DO ACESSO REMOTO... 3 1.1 O que é o ACESSO REMOTO... 3 1.2 Como utilizar o ACESSO REMOTO... 3 1.3 Quais as vantagens em usar o PHOENIX

Leia mais

CPE Soft Manual. 125/400mW 2.4GHz. CPE Soft

CPE Soft Manual. 125/400mW 2.4GHz. CPE Soft CPE Soft Manual 125/400mW 2.4GHz CPE Soft Campinas - SP 2010 Indice 1.1 Acessando as configurações. 2 1.2 Opções de configuração... 3 1.3 Wireless... 4 1.4 TCP/IP 5 1.5 Firewall 6 7 1.6 Sistema 8 1.7 Assistente...

Leia mais

Instalando o Mikrotik e configurando para usar com modem bridge (Velox) Caso já tenha o sistema instalado pode pular para a parte de configuração.

Instalando o Mikrotik e configurando para usar com modem bridge (Velox) Caso já tenha o sistema instalado pode pular para a parte de configuração. Ola amigo, primeiramente você deverá fazer a configuração seguindo este tutorial. Depois que fizer a configuração você deverá consultar o outro arquivo em PDF para fazer o cadastro de clientes. Instalando

Leia mais

A. Modos de operação. Introdução. 1.1 - Repetidor Wireless N. Configurações mínimas. 1.2 - Repetidor Wireless N + cabo RJ-45. A embalagem contém

A. Modos de operação. Introdução. 1.1 - Repetidor Wireless N. Configurações mínimas. 1.2 - Repetidor Wireless N + cabo RJ-45. A embalagem contém Introdução O Repetidor Wi-Fi N - 300 Mbps com 2 portas de rede (1 porta LAN + 1 porta WAN/LAN) Comtac modelo WN9254 foi desenvolvido para usuários que buscam ampliar a cobertura de uma rede Wireless existente

Leia mais

Se você possui uma tomada de telefone no padrão TeleBrás siga este diagrama:

Se você possui uma tomada de telefone no padrão TeleBrás siga este diagrama: 1- Antes de iniciar qualquer procedimento de configuração verifique se os cabos estão conectados conforme o diagrama de instalação abaixo: Se você possui uma tomada de telefone no padrão Americano siga

Leia mais

WiNGS Wireless Gateway WiNGS Telecom. Manual. Índice

WiNGS Wireless Gateway WiNGS Telecom. Manual. Índice Wireless Network Global Solutions WiNGS Wireless Gateway Manual Índice Pagina Características Técnicas 3 Descrição do Aparelho 4 Quick Start 5 Utilizando a interface de administração WEB 7 Login 7 Usuários

Leia mais

Manual de Configuração D-LINK Modelo: DVG-1402S Firmware: 1.00.011

Manual de Configuração D-LINK Modelo: DVG-1402S Firmware: 1.00.011 Manual de Configuração D-LINK Modelo: DVG-1402S Firmware: 1.00.011 Para usuários de conexão banda larga do tipo PPPoE (autenticação por usuário e senha) Capítulo 1 Conectando-se à Internet Alguns provedores

Leia mais

ATA. manual do usuário. Version 1.0 ATA 010001

ATA. manual do usuário. Version 1.0 ATA 010001 Version 1.0 ATA 010001 CONTEÚDO DO KIT FLIP ATA - Adaptador de Analógico (Terminal FLIP) Fonte de energia elétrica AC/DC Cabo de Cabo de Rede Manual do Usuário ESPECIFICAÇÃO LED RING LNK/ACT STATUS PWR

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do seu firewall Netdeep Secure em um

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO PÉGASUS (ETHERNET) STUDIO V2.02 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO Rua Coronel Botelho, 64 - Alto da Lapa - CEP: 05088-020 São Paulo - SP - Brasil +55 (11) 3832-6102 PÉGASUS (ETHERNET) STUDIO V2.02 - MANUAL

Leia mais

Procedimento de configuração para usuários VONO

Procedimento de configuração para usuários VONO Adaptador de telefone analógico ZOOM Procedimento de configuração para usuários VONO Modelos 580x pré configurados para VONO 1 - Introdução Conteúdo da Embalagem (ATENÇÃO: UTILIZE APENAS ACESSÓRIOS ORIGINAIS):

Leia mais

PHONE. manual do usuário Version 1.1 FPP 011001

PHONE. manual do usuário Version 1.1 FPP 011001 Version 1.1 FPP 011001 CONTEÚDO DO KIT FLIP ESPECIFICAÇÃO FUNÇÕES DO TERMINAL COMO INSTALAR O TERMINAL ANEXO I ANEXO II ANEXO III ÍNDICE 5 5 6 9 12 17 18 3 CONTEÚDO DO KIT FLIP Terminal FLIP Phone ESPECIFICAÇÃO

Leia mais

Parabéns, você acaba de adquirir um produto com qualidade e tecnologia Identech.

Parabéns, você acaba de adquirir um produto com qualidade e tecnologia Identech. MANUAL Sumário 1 INTRODUÇÃO3 2 LIGANDO/CONECTANDO3 3 CONFIGURAÇÕES4 31 - INICIAL4 32 - REDE8 321-3G8 322 - WAN9 323 - LAN10 324 - Tipo de Reconexão13 325 - Redirecionar14 33 - WIRELESS16 34 - DHCP17 35

Leia mais

MODEM ADSL 2+ Guia Rápido

MODEM ADSL 2+ Guia Rápido MODEM ADSL 2+ Guia Rápido Você acaba de adquirir um produto Leadership, testado e aprovado por diversos consumidores em todo Brasil. Neste manual estão contidas todas as informações necessárias para a

Leia mais

PHONE LINE É A SUA LINHA TELEFÔNICA DO BRASIL INSTALADA NO EXTERIOR.

PHONE LINE É A SUA LINHA TELEFÔNICA DO BRASIL INSTALADA NO EXTERIOR. PHONE LINE É A SUA LINHA TELEFÔNICA DO BRASIL INSTALADA NO EXTERIOR. Não importa a distância, o que importa é dizer oi para os seus amigos e parentes no Brasil. Com o seu Phone Line, isso ficou muito mais

Leia mais

AVISO IMPORTANTE REFERENTE AOS SERVIÇOS DE EMERGÊNCIA

AVISO IMPORTANTE REFERENTE AOS SERVIÇOS DE EMERGÊNCIA AVISO IMPORTANTE REFERENTE AOS SERVIÇOS DE EMERGÊNCIA A sua operadora, e não o fabricante do equipamento, é responsável pela oferta de serviços telefônicos através deste equipamento. Quaisquer serviços

Leia mais

1 Apresentação. 2 Antes de iniciar. O objetivo deste guia é auxiliar o usuário no processo de conexão e configuração do Prestige.

1 Apresentação. 2 Antes de iniciar. O objetivo deste guia é auxiliar o usuário no processo de conexão e configuração do Prestige. 1 Apresentação O objetivo deste guia é auxiliar o usuário no processo de conexão e configuração do Prestige. 2 Antes de iniciar Configuração Default O Prestige é enviado com os seguintes padrões de fábrica:

Leia mais

GUIA RÁPIDO de INSTALAÇÃO e CONFIGURAÇÃO

GUIA RÁPIDO de INSTALAÇÃO e CONFIGURAÇÃO GUIA RÁPIDO de INSTALAÇÃO e CONFIGURAÇÃO ROTEADORES WIRELESS 802.11G Modelos s: TL-WR541G/ TL- -WR542G/ TL- -WR641G/ TL- -WR642G 1. 2. 3. 4. 5. As 1. 2. 3. 4. 5. As 1. 2. 3. 4. 5. As As As s s ções ções

Leia mais

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Disciplina Redes de Banda Larga Prof. Andrey Halysson Lima Barbosa Aula 6 Redes xdsl Sumário Introdução; Taxas de transmissão DSL e qualidade

Leia mais

Manual para configuração D-LINK DVG - 1402S

Manual para configuração D-LINK DVG - 1402S Manual para configuração D-LINK DVG - 1402S Indice Guia de instalação D-LINK DVG-1402S... 3 Qual a função de cada equipamento:... 4 Visualizando Hardware... 5 LIGAÇÕES DO VOIP ROUTER DVG-1402S... 6 Configuração

Leia mais

Data: 22 de junho de 2004. E-mail: ana@lzt.com.br

Data: 22 de junho de 2004. E-mail: ana@lzt.com.br Data: 22 de junho de 2004. E-mail: ana@lzt.com.br Manual do Suporte LZT LZT Soluções em Informática Sumário VPN...3 O que é VPN...3 Configurando a VPN...3 Conectando a VPN... 14 Possíveis erros...16 Desconectando

Leia mais

Line, é uma tecnologia que permite a transmissão de dados, inclusive Internet, em alta

Line, é uma tecnologia que permite a transmissão de dados, inclusive Internet, em alta Como funciona o sinal DSL INTRODUÇÃO: A Linha Digital de Assinante, conhecida por DSL, do inglês Digital Subscriber Line, é uma tecnologia que permite a transmissão de dados, inclusive Internet, em alta

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO RÁPIDA CÓD.:682-0

GUIA DE INSTALAÇÃO RÁPIDA CÓD.:682-0 WPS Roteador Wireless 300N GWA-101 5dBi Bi-Volt GUIA DE INSTALAÇÃO RÁPIDA CÓD.:682-0 Roteador Wireless 300Mbps Guia de Instalação Rápida REV. 2.0 1. Introdução: O Roteador Wireless 300Mbps, modelo 682-0

Leia mais

OIW-5817CPE 802.11a/n 150Mbps Wireless CPE Router

OIW-5817CPE 802.11a/n 150Mbps Wireless CPE Router Manual do Usuário OIW-5817CPE 802.11a/n 150Mbps Wireless CPE Router Este manual também pode ser usado para configuração do produto OIW-5817CPE-PCBA. Versão 1.1 Última atualização Março/2012. 1 Introdução

Leia mais

TECNOLOGIAS xdsl para pares de cobre

TECNOLOGIAS xdsl para pares de cobre TECNOLOGIAS xdsl para pares de cobre ESTV 2002/03 Paulo Coelho Redes e Serviços em Banda Larga 1 Tecnologias para a rede de cobre Evolução da transmissão de dados sobre pares de cobre: Rede s/ elementos

Leia mais

NVS (Servidor de vídeo em rede) e Câmeras IPS

NVS (Servidor de vídeo em rede) e Câmeras IPS NVS (Servidor de vídeo em rede) e Câmeras IPS Guia rápido de usuário (Versão 3.0.4) Nota: Esse manual pode descrever os detalhes técnicos incorretamente e pode ter erros de impressão. Se você tiver algum

Leia mais

PHONE. manual do usuário. Version 1.0 FPP 010001

PHONE. manual do usuário. Version 1.0 FPP 010001 Version 1.0 FPP 010001 índice CONTEÚDO DO KIT FLIP ESPECIFICAÇÃO TERMINAL FUNÇÕES DO TERMINAL COMO INSTALAR O TERMINAL ANEXO I ANEXO II 5 5 5 6 9 12 17 CONTEÚDO DO KIT FLIP RC Terminal FLIP Phone Fonte

Leia mais

Produto: CL Titânio Assunto: Quais as funções que podem ser executadas no software client?

Produto: CL Titânio Assunto: Quais as funções que podem ser executadas no software client? Produto: CL Titânio Assunto: Quais as funções que podem ser executadas no software client? Assim que abrir o DVR Client, no canto superior direito há um grupo de opções denominado Login, preencha de acordo

Leia mais

HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP

HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP Obrigado por utilizar os produtos Dimy s. Antes de operar o equipamento, leia atentamente as instruções deste manual para obter um desempenho adequado. Por favor,

Leia mais

Exigências de Sistema. Significado de cada LED. Conteúdo da embalagem. Instalação e Configurações

Exigências de Sistema. Significado de cada LED. Conteúdo da embalagem. Instalação e Configurações Exigências de Sistema 1. Processador Pentium 200MHZ ou mais 2. Windows 98SE, Windows Me, Windows 2000, Windows XP, Windows Vista e Windows 7. 3. 64MB de RAM ou mais. 4. 25MB de espaço livre no disco Significado

Leia mais

Interface Ethernet SIEMENS 828D T60542A

Interface Ethernet SIEMENS 828D T60542A Interface Ethernet SIEMENS 828D T60542A ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. INSTALAÇÃO... 3 2.1 CNC...3 2.1.1. Configuração...3 2.2 PC...6 2.2.1 Configurar a rede Microsoft...6 2.2.2. Inibir o Firewall da rede

Leia mais

PÉGASUS (ETHERNET POCKET) STUDIO V1.00 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO

PÉGASUS (ETHERNET POCKET) STUDIO V1.00 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO PÉGASUS (ETHERNET POCKET) STUDIO V1.00 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO Rua Coronel Botelho, 64 - Alto da Lapa - CEP: 05088-020 São Paulo - SP - Brasil +55 (11) 3832-6102 PÉGASUS (ETHERNET POCKET) STUDIO

Leia mais

Configurar modem em modo PPPoE - Avançado. Manual de configuração em modo PPPoE Roteamento do modem TG581n, avançado.

Configurar modem em modo PPPoE - Avançado. Manual de configuração em modo PPPoE Roteamento do modem TG581n, avançado. Configurar modem em modo PPPoE - Avançado Manual de configuração em modo PPPoE Roteamento do modem TG581n, avançado. 1. Com o computador ligado via cabo ao modem, pela porta LAN 1, para acessar a interface

Leia mais

1 Introdução... 4. Características... 4 Requisitos do Dispositivo... 5. 2 Conhecendo o dispositivo... 6

1 Introdução... 4. Características... 4 Requisitos do Dispositivo... 5. 2 Conhecendo o dispositivo... 6 Índice 1 Introdução... 4 Características... 4 Requisitos do Dispositivo... 5 2 Conhecendo o dispositivo... 6 Verificação dos itens recebidos... 6 Painel Frontal... 7 Painel Traseiro... 8 3 Conectando o

Leia mais

Gateway TT211S/S+/O/O+/SO/SO+

Gateway TT211S/S+/O/O+/SO/SO+ Guia Rápido de Instalação TT211S/S+/O/O+/SO/SO+ v120511 Índice Introdução 2 Procedimentos para Instalação 2 Conectando o Hardware 2 Configuração Inicial 3 Configuração Network 3 Configuração do DNS (Domain

Leia mais

Conceptronic C100BRS4H Guia de Instalação Rápida. Parabéns pela compra do seu Router de Banda Larga com 4 portas da Conceptronic.

Conceptronic C100BRS4H Guia de Instalação Rápida. Parabéns pela compra do seu Router de Banda Larga com 4 portas da Conceptronic. Conceptronic C100BRS4H Guia de Instalação Rápida Parabéns pela compra do seu Router de Banda Larga com 4 portas da Conceptronic. O seguinte Guia de Instalação de Hardware explica-lhe passo-a-passo como

Leia mais

Manual do Usuário Modem ADSL Router NM200

Manual do Usuário Modem ADSL Router NM200 Manual do Usuário Modem ADSL Router NM200 Índice I - Introdução Características Requisitos do Sistema II - Entendendo o funcionamento do NM200 Desempacotando Painel Frontal Painel Traseiro III -Início

Leia mais

ADSL BÁSICO ADSL. A sigla ADSL refere-se a: Linha Digital Assimétrica para Assinante.

ADSL BÁSICO ADSL. A sigla ADSL refere-se a: Linha Digital Assimétrica para Assinante. ADSL ADSL A sigla ADSL refere-se a: Linha Digital Assimétrica para Assinante. Trata-se de uma tecnologia que permite a transferência digital de dados em alta velocidade por meio da linha telefônica. É

Leia mais

Procedimento para configuração de Redirecionamento de Portas

Procedimento para configuração de Redirecionamento de Portas 1 Procedimento para configuração de Redirecionamento de Portas 1- Para realizar a configuração de redirecionamento de portas o computador deve estar conectado via cabo Ethernet em uma das portas LAN do

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA ELETRÔNICA IV - REDES 4 MÓDULO

CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA ELETRÔNICA IV - REDES 4 MÓDULO CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA ELETRÔNICA IV - REDES 4 MÓDULO 2011 SUMÁRIO 1 PROTOCOLOS (CONTINUAÇÃO) ÇÃO)... 1 1.1 O que é DHCP...1 1.1.1 Funcionamento do DHCP...2 1.1.2 Breve histórico do DHCP...3 1.1.3

Leia mais

Manual de Instalação de Telecentros Comunitários. Ministério das Comunicações

Manual de Instalação de Telecentros Comunitários. Ministério das Comunicações Manual de Instalação de Telecentros Comunitários Ministério das Comunicações As informações contidas no presente documento foram elaboradas pela International Syst. Qualquer dúvida a respeito de seu uso

Leia mais

Certifique-se de que você possui todas as informações necessárias e equipamento em mãos antes de iniciar a instalação.

Certifique-se de que você possui todas as informações necessárias e equipamento em mãos antes de iniciar a instalação. Este produto pode ser configurado utilizando qualquer navegador web atual, como por ex. Internet Explorer 6 ou Netscape Navigator 7 ou superior. DSL-2730B Roteador ADSL Wireless Antes de começar Certifique-se

Leia mais

Configurando DDNS no Stand Alone

Configurando DDNS no Stand Alone Configurando DDNS no Stand Alone Abra o seu navegador de internet e acesse o endereço http://www.advr.com.tw(ou, http://59.124.143.151 ). Clique em Register para efetuar o cadastro de um novo grupo.(foto

Leia mais

Conexões e Protocolo Internet (TCP/IP)

Conexões e Protocolo Internet (TCP/IP) "Visão geral da configuração da rede" na página 3-2 "Escolhendo um método de conexão" na página 3-3 "Conectando via Ethernet (recomendado)" na página 3-3 "Conectando via USB" na página 3-4 "Configurando

Leia mais

Autenticação modo Roteador. Após finalizar a configuração, seu computador obterá o IP e a página de configuração do ATA poderá ser acessada.

Autenticação modo Roteador. Após finalizar a configuração, seu computador obterá o IP e a página de configuração do ATA poderá ser acessada. 2. Conecte a porta WAN do GKM 2210 T ao seu acesso à internet (porta ethernet do modem). O LED WAN acenderá; 3. Conecte a porta LAN à placa de rede do PC. O LED LAN acenderá; 4. Conecte o(s) telefone(s)

Leia mais

CONFIGURAÇÃO DE MODEM ADSL

CONFIGURAÇÃO DE MODEM ADSL CONFIGURAÇÃO DE MODEM ADSL Para localizar seu modem basta pressionar Ctrl + F, e digitar o modelo ou fabricante. Caso tenha dúvidas quando ao seu usuário e/ou senha de autenticação, entre em contato com

Leia mais

Configuração para PPPoE ( Autenticação no Modem Modo Router )

Configuração para PPPoE ( Autenticação no Modem Modo Router ) Caso haja algum problema para se fazer a configuração do Modem via software, utilizando-se o CD de Auto-Instalação, existe a possibilidade de se fazê-la manualmente, acessando a página de configuração

Leia mais

Acesso Remoto Geovision

Acesso Remoto Geovision Inviolável Segurança Acesso Remoto Geovision Manual de apoio para configuração do acesso remoto no sistema Geovision no Windows e Internet Explorer. Luan Santos da Silva luan@w7br.com versão: 1.0 By: Luan

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Professor: Rodrigo Caetano Filgueira Tecnologias WAN TECNOLOGIAS WAN Quando uma empresa cresce e passa a ter instalações em várias localidades, é necessário interconectar as redes

Leia mais

Sumário. 4. Clique no botão Salvar & Aplicar para confirmar as alterações realizadas no. Reiniciar o SIMET- BOX

Sumário. 4. Clique no botão Salvar & Aplicar para confirmar as alterações realizadas no. Reiniciar o SIMET- BOX Manual do usuário Sumário Introdução... 3! Instalar o SIMET-BOX... 4! Primeiro acesso ao SIMET-BOX... 5! Estado Atual... 7! Visão Geral... 7! Gráficos... 8! Rede... 9! Rede sem fio... 9! Ativar rede sem

Leia mais

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF REDES ESAF 01 - (ESAF - Auditor-Fiscal da Previdência Social - AFPS - 2002) Um protocolo é um conjunto de regras e convenções precisamente definidas que possibilitam a comunicação através de uma rede.

Leia mais

2006 GeoVision, Inc. Todos os Direitos Reservados.

2006 GeoVision, Inc. Todos os Direitos Reservados. 2006 GeoVision, Inc. Todos os Direitos Reservados. De acordo com as leis de direitos autorais, este manual não pode ser copiado, em partes ou integralmente, sem o consentimento por escrito da GeoVision.

Leia mais

QUAL O PROCEDIMENTO PARA CONFIGURAR AS IMPRESSORAS DE REDE BROTHER EM UM SISTEMA DEC TCP / IP para VMS (UCX) Procedimento

QUAL O PROCEDIMENTO PARA CONFIGURAR AS IMPRESSORAS DE REDE BROTHER EM UM SISTEMA DEC TCP / IP para VMS (UCX) Procedimento Procedimento Visão geral Antes de usar a máquina Brother em um ambiente de rede, você precisa instalar o software da Brother e também fazer as configurações de rede TCP/IP apropriadas na própria máquina.

Leia mais

PRIMEIROS PASSOS NO CRACKIT MEDIUM VERSION

PRIMEIROS PASSOS NO CRACKIT MEDIUM VERSION PRIMEIROS PASSOS NO CRACKIT MEDIUM VERSION Parabéns por instalar o CRACKIT MV! Agora chegou a hora de configurá-lo e administrá-lo. Todo o ambiente de administração do CRACKIT MV é web, ou seja via Browser

Leia mais

GUIA RÁPIDO SUPLEMENTO. Dome de câmera de rede PTZ AXIS M5013 Dome de câmera de rede PTZ AXIS M5014 PORTUGUÊS

GUIA RÁPIDO SUPLEMENTO. Dome de câmera de rede PTZ AXIS M5013 Dome de câmera de rede PTZ AXIS M5014 PORTUGUÊS GUIA RÁPIDO SUPLEMENTO Dome de câmera de rede PTZ AXIS M5013 Dome de câmera de rede PTZ AXIS M5014 PORTUGUÊS Guia Rápido Suplemento da câmera AXIS M5013/M5014 Página 3 AXIS M5013/M5014 Guia Rápido Suplemento

Leia mais

Configuração de Redirecionamento de Porta. Manual de configuração de redirecionamento de porta do modem TD5130.

Configuração de Redirecionamento de Porta. Manual de configuração de redirecionamento de porta do modem TD5130. Configuração de Redirecionamento de Porta Manual de configuração de redirecionamento de porta do modem TD5130. 1. Com o computador ligado via cabo ao modem, pela porta LAN 1, para acessar a interface web

Leia mais

CONFIGURAÇÃO KIT PROVEDOR DE INTERNET SEM FIO

CONFIGURAÇÃO KIT PROVEDOR DE INTERNET SEM FIO CONFIGURAÇÃO KIT PROVEDOR DE INTERNET SEM FIO IMPORTANTE: Não instale o KIT no mastro sem antes conhecer bem o SOFTWARE (firmware) de gerenciamento. Configure a placa AP e faça todos os testes possíveis,

Leia mais