Manual de Regularização de Sinistros

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manual de Regularização de Sinistros"

Transcrição

1 Manual de Regularização de Sinistros Participação de Sinistro Abertura de Processo Peritagem Enquadramento e Definição de Responsabilidades Prazos de Regularização Veículo de substituição Perda Total

2 Participação / Comunicação de Sinistro É aconselhável que a participação seja feita num impresso de Declaração Amigável de Acidente Automóvel. Mas pode revestir qualquer outro formato, desde que contenha as informações necessárias, nomeadamente apólice e matrícula do segurado e terceiro (s), condutores e respectivos contactos; O documento pode ser enviado através de fax n.º ou para a seguinte morada: Ocidental Seguros Apartado Lisboa O documento é classificado como DAAA se estiver assinado pelos dois intervenientes, como Participação de Sinistro caso seja subscrito pelo segurado ou como Reclamação, e desde que seja proveniente do terceiro lesado.

3 Abertura de Processo A abertura classifica o sinistro de acordo com as coberturas envolvidas. Desde logo a divisão entre Responsabilidade Civil (ou seja danos causados a terceiros pelos nossos Segurados) ou Danos Próprios, danos causados ao veículo seguro; O sinistro poderá ser classificado segundo uma das seguintes tipologias: IDS (Credor / Devedor / Misto) CIDS (Credor / Devedor / Misto) Tradicional (só danos materiais) Danos Próprios Corporal Internacional É efectuado o contacto com o Segurado e/ou Terceiro para obtenção de outras informações necessárias à definição de responsabilidades na produção do acidente;

4 Peritagem É promovido o contacto com o Segurado e/ou terceiro lesado no espaço máximo de dois (2) dias úteis após ter recepcionado a documentação do sinistro, com vista à marcação da peritagem ao veículo; O Cliente é informado dos seus direitos e deveres na escolha da Oficina que vai reparar a viatura; A Ocidental Seguros dispõe de uma rede de oficinas recomendadas, sendo que, caso a peritagem e consequente reparação sejam efectuadas numa dessas oficinas, a Seguradora assume a condução da reparação, o que permite a agilização da mesma. As oficinas que integram a rede foram seleccionadas segundo critérios técnicos, de capacidade das instalações, infra-estrutura tecnológica, competência dos mecânicos e na convicção que a melhor relação qualidade/preço é prestada aos nossos clientes; - Caso a reparação não seja efectuada numa Oficina que integre a mencionada rede, a Seguradora não poderá ser responsabilizada por eventuais atrasos na conclusão do relatório de peritagem e/ou da reparação. - É marcada a peritagem para a data que for mais conveniente para o Cliente. No caso em que é possível definir de imediato a responsabilidade pela produção do acidente a peritagem é definitiva; O relatório de peritagem deverá ficar concluído em oito (8) dias úteis, ou doze (12) caso seja necessário efectuar desmontagem (sujeita à autorização do proprietário do veículo sinistrado, bem como à disponibilidade da oficina para a realização da mesma);

5 Enquadramento e Definição de Responsabilidades A "Convenção IDS" é um acordo entre Seguradoras (assinado pela quase totalidade das Seguradoras que actuam em Portugal) e que visa facilitar a regularização dos sinistros, proporcionando um melhor serviço, atendimento personalizado, simplicidade, eficácia e rapidez. Em termos práticos, o Segurado poderá dirigir-se à sua própria Seguradora, mesmo quando a responsabilidade não lhe pertence, a qual lhe regulariza o sinistro na proporção da responsabilidade do outro interveniente. O facto de o Segurado preencher e assinar a Declaração Amigável (DAAA), que entrega à sua Seguradora, não dá origem à perda de eventual bónus ou agravamento do contrato. O contrato só é afectado se se vier a verificar que alguma responsabilidade lhe pertence. Existem no entanto alguns sinistros, que pelas suas características, não podem ser regularizados ao abrigo da Convenção IDS, verificando-se os seguintes condicionalismos: é aplicável somente a acidentes ocorridos em Portugal Continental, Açores e Madeira; é necessária a existência de seguros válidos; a Declaração Amigável (DAAA) deverá ser obrigatoriamente assinada pelos dois condutores e preenchida de forma a que não existam dúvidas sobre as circunstâncias do acidente e intervenientes; aplica-se apenas nos casos de colisão directa e quando intervêm somente dois veículos; não se aplica se existirem danos corporais, ainda que ligeiros, indicados na Declaração Amigável (DAAA); o valor da reparação do veículo lesado não pode ultrapassar

6 Enquadramento e Definição de Responsabilidades Encontram-se cobertos pela Convenção IDS os prejuízos / despesas seguintes: custos de reparação ou perda total; privação de uso / paralisação; reboque; recolhas. Não estão cobertos pela Convenção IDS: desvalorização e lucros cessantes; danos em mercadorias, objectos transportados, bagagens, roupas, capacetes, etc.; danos em muros e animais, ou outros danos indirectos. Para efeitos de análise quanto ao enquadramento na Convenção e atribuição de responsabilidades, nos sinistros regularizados ao abrigo da Convenção IDS, somente a frente da Declaração Amigável (DAAA) é relevante, não podendo ser considerados os depoimentos testemunhais, certidão da autoridade, fotografias ou outra informação. Caso o sinistro deva ser desenquadrado ou não tenha enquadramento na Convenção IDS, o cliente terá que ser encaminhado para a Seguradora do responsável e tratar o sinistro da forma tradicional.

7 Enquadramento e Definição de Responsabilidades Após análise da Declaração Amigável e ou da documentação remetida, o sinistro I.D.S. ou CIDS poderá ter o seguinte enquadramento: a) IDS/CIDS Credor A Ocidental regulariza os danos verificados na viatura do seu cliente (após a devida autorização da nossa congénere), cedendo uma viatura de substituição. A regularização do acidente não tem qualquer impacto na apólice do cliente, nem quanto à sinistralidade nem ao agravamento da mesma. b) IDS/CIDS Devedor A Ocidental recepciona a DAAA ou o aviso de reclamação da congénere e verifica que o acidente tem enquadramento na Convenção IDS e a responsabilidade pertence ao seu cliente. Assim, autoriza a outra Seguradora a regularizar os danos do veículo do terceiro lesado. Posteriormente reembolsará a referida Seguradora.

8 Enquadramento e Definição de Responsabilidades c) IDS/CIDS Misto Neste caso, estamos perante uma divisão de responsabilidades, em que as Seguradoras intervenientes acordam quanto à percentagem que impende para cada interveniente. Cada Seguradora regulariza os danos com o seu cliente, de acordo com a percentagem de culpa préviamente determinada. d) Tradicional (só danos materiais) Nesta forma de regularização, são abrangidos todos os acidentes que não sejam regularizáveis ou enquadráveis em IDS ou CIDS. Assim, a Ocidental irá recepcionar a documentação relativa ao sinistro, verificar que a mesma não tem enquadramento nos pressupostos acima indicados, promover as diligências necessárias ao apuramento da responsabilidade, e caso a mesma seja de imputar ao cliente, regularizar os danos verificados nos terceiros lesados.

9 Enquadramento e Definição de Responsabilidades e) Danos Próprios A Ocidental poderá regularizar os danos do veículo do seu cliente, consoante as coberturas contratadas na apólice (QIV, CCC, FRB, etc.), e independentemente da atribuição de responsabilidades. Caberá ao cliente liquidar a franquia contratual junto da oficina, caso seja aplicável. No caso de FRB, o cliente deverá habilitar-nos com cópia da declaração às Autoridades do furto com ou sem desaparecimento da viatura, quando efectua a participação à Seguradora. Existem exclusões contratuais que inviabilizam a regularização ao abrigo de Danos Próprios, as quais destacamos: existência de taxa de Alcoolemia superior ao permitido por Lei; condução sob influência de estupefacientes Dolo; condutor sem se encontrar legalmente habilitado.

10 Enquadramento e Definição de Responsabilidades f) Danos Corporais Nesta forma de regularização, são abrangidos todos os acidentes do qual resultem ferimentos ou morte dos intervenientes. São regularizados os danos corporais do condutor do veículo seguro, desde que este tenha contratado a cobertura de ODV, enquanto que as lesões do condutor e passageiros dos veículos terceiros são regularizados ao abrigo da Responsabilidade Civil. No caso de ODV, regularizam-se as despesas de tratamento por reembolso, bem como se indemniza, de acordo com os capitais contratados, a Incapacidade Parcial Permanente ou a Morte do condutor do veículo seguro sinistrado. Quanto à regularização de danos corporais ao abrigo de Responsabilidade Civil, e após a correcta avaliação as sequelas resultantes do acidente e de os danos se encontrarem totalmente quantificados, a Ocidental efectua uma Proposta Razoável de indemnização. Legislação Aplicável: Decreto-Lei 291/2007, 377/2008 (critérios da proposta razoável) e 352/2007 (avaliação do dano corporal em Direito Civil).

11 Enquadramento e Definição de Responsabilidades g) Internacional Nos sinistros ocorridos no estrangeiro, e para efeitos de atribuição de responsabilidades, aplica-se a legislação vigente no respectivo país. Não obstante os lesados poderão reclamar os seus prejuízos no país de residência habitual (junto do Fundo de Garantia Automóvel). Para sinistros ocorridos em Portugal com veículos de matricula estrangeira, deve contactar o Gabinete Português de Carta Verde, de modo a ser correctamente encaminhado para a Seguradora que irá regularizar a sua reclamação, em representação da congénere estrangeira. Contactos: Fundo de Garantia Automóvel Avenida da República, Nº 59/59A LISBOA Tel: (351) Tel: (351) (gratuito) Fax: (351) Gabinete Português da Carta Verde Rua Rodrigo da Fonseca, nº41 r/c LISBOA Tel: (351) / 102 Fax: (351)

12 Prazos de Regularização Após a comunicação de acidente, a Seguradora deverá cumprir os seguintes prazos, de acordo com o disposto no Decreto-Lei 291/2007 (dias úteis contabilizados desde a data da aludida comunicação): a) 2 dias para efectuar o primeiro contacto com o segurado (caso seja da competência desta Seguradora regularizar com o mesmo) e com o terceiro lesado; b) 8 dias para conclusão da peritagem, ou 12 dias caso seja necessário efectuar desmontagem (sujeita à autorização do proprietário do veículo sinistrado, bem como à disponibilidade da oficina para a realização da mesma); c) 4 dias para disponibilização do relatório de peritagem, após a sua conclusão; d) 30 dias, após o termo do prazo referido na alínea a), para informar a posição quanto a responsabilidades (assunção ou resposta fundamentada da recusa); e) 8 dias para proceder ao pagamento da indemnização acordada e aceite pelo interveniente, a contar da data de recepção de documentos necessários á regularização dos respectivos danos. Contudo, importa salientar que normalmente a Seguradora paga directamente à oficina o custo da reparação, quando a mesma seja viável. Nota: os prazos acima indicados são reduzidos para metade, excepto os mencionados na alínea a) e e), caso exista uma Declaração Amigável (DAAA) subscrita por ambos os condutores. Os mesmos duplicam perante ocorrências com factores climatéricos excepcionais ou com um elevado número de veículos envolvidos.

13 Prazos de Regularização No caso da existência de Danos Corporais (dias corridos de calendário - após a data de entrada de pedido de indemnização na Seguradora): f) 20 dias para convocatória de exame de avaliação corporal, ou 60 dias a contar da data de comunicação do sinistro, caso ainda não exista pedido de indemnização; g) 10 dias para disponibilizar cópia do exame de avaliação, a contar da data da sua recepção na Seguradora; h) 45 dias para a Seguradora se pronunciar quanto á atribuição de responsabilidades. No caso de assunção da responsabilidade, apresentando uma Proposta Razoável de indemnização, mediante uma Proposta Razoável Provisória (caso não exista alta clínica ou o dano não esteja totalmente quantificado), ou Proposta Razoável Final (caso exista alta clínica ou o dano esteja totalmente quantificado); i) No seguimento do prazo indicado na alínea anterior e após conhecimento da alta clínica ou de os danos se encontrarem totalmente quantificados, a Seguradora dispõe de 15 dias para efectuar uma Proposta Razoável Consolidada de indemnização; j) 8 dias úteis para proceder ao pagamento da indemnização acordada e aceite pelo interveniente, a contar da data de recepção de documentos necessários á regularização dos respectivos danos. Nota: Os prazos referidos não se aplicam aos sinistros que envolvam danos em mercadorias ou outros bens transportados, bem como pedidos indemnizatórios de lucros cessantes e ainda danos indemnizáveis totais que excedam o capital mínimo legalmente estabelecido para o seguro obrigatório de Responsabilidade Civil automóvel.

14 Veículo de substituição Não sendo responsável pelo acidente terá direito a um veículo de substituição, de características semelhantes ao seu e pelo tempo que o seu veículo ficou imobilizado; Se tiver contratada a cobertura de Veículo de Substituição e quando accionada uma das coberturas de Danos Próprios, terá direito a uma viatura nas condições estabelecidas na apólice, independentemente da atribuição de responsabilidade; Caso a reparação seja efectuada numa oficina recomendada pela Seguradora, o veículo de substituição ser-lhe-á atribuído por todo o período de imobilização, suportando a Companhia eventuais encargos adicionais resultantes da demora imputável à oficina e/ou ao serviço de fornecimento de peças. Se a reparação for efectuada numa oficina que não integra a rede de oficinas recomendadas, a Seguradora será responsável apenas pelo período de reparação acordado entre o perito e a oficina, cabendo ao interessado suportar o custo do veículo de substituição em caso de demora na conclusão da reparação; Em caso de perda total do veículo, o direito ao veículo de substituição e/ou despesas de transporte cessam no momento em que a Ocidental Seguros coloque à sua disposição o pagamento da respectiva indemnização.

15 Perda Total A Seguradora pode determinar a Perda total do veículo quando se verifique alguma das seguintes hipóteses: Tenha ocorrido o desaparecimento ou destruição total do veículo; Se constate que a reparação é materialmente impossível ou tecnicamente não aconselhável, por terem sido gravemente afectadas as suas condições de segurança; Se constate que o valor estimado para a reparação dos danos sofridos, adicionado do valor do salvado (valor atribuído ao veículo após o acidente), ultrapasse 100% ou 120% do valor da viatura imediatamente antes do sinistro (valor venal) consoante se trate, respectivamente, de um veículo com menos ou mais de dois anos. Neste caso, a reparação é substituída por uma indemnização monetária. Sempre que a Seguradora fique com o salvado, o pagamento da indemnização por perda total só pode ser feito contra a entrega do Documento Único Automóvel ou do Título de Registo de Propriedade e do Livrete, das chaves, do livro de manutenção do veículo e da declaração de compra e venda preenchida na parte respeitante ao vendedor, acompanhada de fotocópia do respectivo BI e NIF. No caso de existir reserva de propriedade do veículo a favor de uma entidade terceira, deverá entregar, igualmente, o documento de extinção da referida reserva.

Procedimentos de Gestão de Sinistros Automóvel

Procedimentos de Gestão de Sinistros Automóvel Procedimentos de Gestão de Sinistros Automóvel I Início e Instrução do Processo 1.1. Participação do Acidente Deve ser feita em impresso de Declaração Amigável de Acidente Automóvel (DAAA), ou através

Leia mais

Decreto-Lei 291/2007, de 21 de Agosto

Decreto-Lei 291/2007, de 21 de Agosto Decreto-Lei 291/2007, de 21 de Agosto (informação prestada nos termos e para os efeitos previstos no n.º 6 da Cláusula Preliminar da Parte Uniforme das Condições Gerais do Seguro Obrigatório de Responsabilidade

Leia mais

AÇOREANA Companhia de Seguros. Informação de Procedimentos. Gestão de Sinistros Automóvel

AÇOREANA Companhia de Seguros. Informação de Procedimentos. Gestão de Sinistros Automóvel Informação de Procedimentos de Gestão de Sinistros Automóvel 1. PARTICIPAÇÃO DO ACIDENTE Deve ser feita em impresso de Declaração Amigável de Acidente Automóvel (DAAA), ou através de qualquer outro meio

Leia mais

SEGURO AUTOMÓVEL. Qual a importância do Seguro Automóvel?

SEGURO AUTOMÓVEL. Qual a importância do Seguro Automóvel? SEGURO AUTOMÓVEL Qual a importância do Seguro Automóvel? O proprietário ou o condutor de um veículo são responsáveis pelos prejuízos que este possa causar e, em caso de acidente, podem incorrer em graves

Leia mais

Qual a importância do seguro automóvel?

Qual a importância do seguro automóvel? Qual a importância do seguro automóvel? O proprietário ou o condutor de um veículo são responsáveis pelos prejuízos que este possa causar e em caso de acidente podem ter de pagar indemnizações elevadas.para

Leia mais

Emitente: CONSELHO DIRECTIVO. Norma Regulamentar N.º 07/2006-R. Data: 30-08-2006. Assunto: REGULAMENTAÇÃO DO DECRETO-LEI N.º 83/2006, DE 3 DE MAIO

Emitente: CONSELHO DIRECTIVO. Norma Regulamentar N.º 07/2006-R. Data: 30-08-2006. Assunto: REGULAMENTAÇÃO DO DECRETO-LEI N.º 83/2006, DE 3 DE MAIO Emitente: CONSELHO DIRECTIVO Norma Regulamentar N.º 07/2006-R Data: 30-08-2006 Assunto: REGULAMENTAÇÃO DO DECRETO-LEI N.º 83/2006, DE 3 DE MAIO O Decreto-Lei n.º 83/2006, de 3 de Maio, transpôs parcialmente

Leia mais

1. Prestação do serviço de reboque ao abrigo da cobertura de assistência em viagem

1. Prestação do serviço de reboque ao abrigo da cobertura de assistência em viagem Estimado(a) Cliente, É com grande satisfação que a Açoreana Seguros, S.A. lhe dá as boas-vindas ao Pontual Auto. Estamos seguros que o nosso serviço vai fazer toda a diferença. Junto encontra a informação

Leia mais

ACORDO DE PARALISAÇÃO 2000

ACORDO DE PARALISAÇÃO 2000 ACORDO DE PARALISAÇÃO 2000 Entre a Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias, Pessoa Colectiva nº 500948470, com sede em Lisboa, na Rua Dr. António Cândido, nº 8, 2º andar,

Leia mais

Seguro Moto. Condições Gerais, Especiais e Particulares

Seguro Moto. Condições Gerais, Especiais e Particulares Seguro Moto Condições Gerais, Especiais e Particulares ÍNDICE CONDIÇÕES GERAIS PARTE I TUDO SOBRE A COBERTURA DE RESPONSABILIDADE CIVIL OBRIGATÓRIA E, NOS CASOS EXPRESSAMENTE ASSINALADOS, ALGO SOBRE AS

Leia mais

I PRINCIPIOS GERAIS 2 II DO ÂMBITO DE APLICAÇÃO 5 III DAS SIGNATÁRIAS E DOS SEGURADOS 9 IV DOS CENTROS IDS 13 V DOS REEMBOLSOS 14

I PRINCIPIOS GERAIS 2 II DO ÂMBITO DE APLICAÇÃO 5 III DAS SIGNATÁRIAS E DOS SEGURADOS 9 IV DOS CENTROS IDS 13 V DOS REEMBOLSOS 14 PROTOCOLO IDS ÍNDICE CAPÍTULOS Págs. I PRINCIPIOS GERAIS 2 II DO ÂMBITO DE APLICAÇÃO 5 III DAS SIGNATÁRIAS E DOS SEGURADOS 9 IV DOS CENTROS IDS 13 V DOS REEMBOLSOS 14 VI DA RESOLUÇÃO DE CONFLITOS ENTRE

Leia mais

AÇÕES DE FORMAÇÃO. Seguros DO PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO FINANCEIRA. 24 de setembro de 2014

AÇÕES DE FORMAÇÃO. Seguros DO PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO FINANCEIRA. 24 de setembro de 2014 AÇÕES DE FORMAÇÃO DO PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO FINANCEIRA Seguros 24 de setembro de 2014 PLANO DE EXPOSIÇÃO Contrato de seguro Principais tipos de seguros Prevenção da fraude nos seguros 2 CONTRATO DE

Leia mais

SOS LIGHT E BASE CONDIÇÃO ESPECIAL ASSISTÊNCIA EM VIAGEM. www.ipronto.pt

SOS LIGHT E BASE CONDIÇÃO ESPECIAL ASSISTÊNCIA EM VIAGEM. www.ipronto.pt www.ipronto.pt CLÁUSULA PRELIMINAR - DISPOSIÇÕES APLICÁVEIS Na parte não especificamente regulamentada, aplicam-se a esta Condição Especial as Condições Gerais do Seguro Automóvel Facultativo. CLÁUSULA

Leia mais

Guia de Informações Úteis em caso de Sinistro Automóvel

Guia de Informações Úteis em caso de Sinistro Automóvel Companhia de Seguros Allianz Portugal, S.A. Guia de Informações Úteis em caso de Sinistro Automóvel Saiba sempre o que fazer para resolver um sinistro de forma célere e segura. Consigo de A a Z. Tive um

Leia mais

Regularização de Sinistros: novos desafios na reparação automóvel Luís Cardoso

Regularização de Sinistros: novos desafios na reparação automóvel Luís Cardoso Regularização de Sinistros: novos desafios na reparação automóvel Luís Cardoso 29-06-2006 1 Agenda O decreto-lei 83/2006 e as alterações à gestão de danos materiais Impactos na reparação automóvel A Liberty

Leia mais

Seguro Automóvel Legislação e Conflito

Seguro Automóvel Legislação e Conflito Mestrado em Engenharia Automóvel Seguro Automóvel Legislação e Conflito Ano Lectivo:2014/2015 Orientadores: Autores: Maria Escudeiro Jorge Baptista, nº2100731 Miguel Carvalho, nº2141497 Resumo Este trabalho

Leia mais

Decreto-Lei nº 83/2006 de 3 de Maio de 2006. Emitido Por Ministério da Economia e da Inovação

Decreto-Lei nº 83/2006 de 3 de Maio de 2006. Emitido Por Ministério da Economia e da Inovação Decreto-Lei nº 83/2006 de 3 de Maio de 2006 Emitido Por Ministério da Economia e da Inovação Transpõe parcialmente para a ordem jurídica nacional a Directiva n.º 2005/14/CE, do Parlamento Europeu e do

Leia mais

Condições Gerais.03 .03 .03 .03 .03 .03 .04 .04 .04 .04 .04 .04 .04 .05 .05 .05 .05 .05 .05 .05

Condições Gerais.03 .03 .03 .03 .03 .03 .04 .04 .04 .04 .04 .04 .04 .05 .05 .05 .05 .05 .05 .05 ÍNDICE Condições Gerais.03 Artigo 1º Definições.03 Artigo 2º Objecto do Contrato.03 Artigo 3º Garantias do Contrato.03 Artigo 4º Âmbito Territorial.03 Artigo 5º Exclusões.03 Artigo 6º Início e Duração

Leia mais

RECONDICIONAMENTOS. Perguntas mais frequentes. Itśeasiertoleaseplan

RECONDICIONAMENTOS. Perguntas mais frequentes. Itśeasiertoleaseplan RECONDICIONAMENTOS Perguntas mais frequentes Itśeasiertoleaseplan RECONDICIONAMENTOS CAROGESTORDEFROTA, No momento da troca do veículo usado pelo veículo novo, surgem por vezes dúvidas relacionadas com

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO REGULAMENTO DE USO DE VEÍCULOS

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO REGULAMENTO DE USO DE VEÍCULOS APROVADO 25 de Junho de 2010 O Presidente, ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO (Paulo Parente) REGULAMENTO DE USO DE VEÍCULOS Capítulo I Disposições gerais Artigo 1.º Objecto Nos termos do n.º 2 do

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO. Regulamento de Uso de Veículos

INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO. Regulamento de Uso de Veículos INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Regulamento de Uso de Veículos Aprovado em Plenário de CG de 11 de Abril de 2013 1 INDICE Índice - Regulamento de Uso de Veículos 2 Secção I Disposições Gerais Artigo 1.º Objecto.

Leia mais

Zurich Auto Assistência Condições Gerais

Zurich Auto Assistência Condições Gerais Zurich Auto Assistência Condições Gerais Veículo Seguro 013 Veículo de Substituição por Acidente Veículos Ligeiros de Passageiros até 500 kg de Peso Bruto Cláusula ª Objeto do Seguro Fica expressamente

Leia mais

Manual de Procedimentos. AIG Mission. Mission

Manual de Procedimentos. AIG Mission. Mission Manual de Procedimentos AIG 1 Apólice Procedimentos em caso de Sinistro (Todo o mundo) Sempre que se torne necessário activar as garantias da apólice e, especialmente, em caso de emergência, as Pessoas

Leia mais

DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL DOS PERITOS AVALIADORES DE IMÓVEIS DOS FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO

DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL DOS PERITOS AVALIADORES DE IMÓVEIS DOS FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO PROTEÇÃO DA ATIVIDADE SEGURO OBRIGATÓRIO CONDIÇÕES GERAIS - 168 DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL DOS PERITOS AVALIADORES DE IMÓVEIS DOS FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO 808 29 39 49 fidelidade.pt

Leia mais

SEGURO AUTOMÓVEL. ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões

SEGURO AUTOMÓVEL. ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões SEGURO AUTOMÓVEL ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões 1 Seguro obrigatório 2 Quais as consequências da falta de seguro? 2 Os seguradores podem recusar-se a celebrar o seguro obrigatório?

Leia mais

Decreto-Lei n.º 72-A/2003 de 14 de Abril

Decreto-Lei n.º 72-A/2003 de 14 de Abril Decreto-Lei n.º 72-A/2003 de 14 de Abril A Directiva n.º 2000/26/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 16 de Maio, relativa à aproximação das legislações dos Estados membros respeitantes ao seguro

Leia mais

Fundo de Garantia Automóvel. Relatório Anual de Actividades 2010. Banco de Cabo Verde

Fundo de Garantia Automóvel. Relatório Anual de Actividades 2010. Banco de Cabo Verde Fundo de Garantia Automóvel Relatório Anual de Actividades 2010 Banco de Cabo Verde Índice 1. Introdução... 03 2. Actividades desenvolvidas em 2010.. 03 2.1 Abertura e encerramento de processos... 04 2.2.

Leia mais

Regulamento de Uso de Veículos. Secção I Disposições Gerais

Regulamento de Uso de Veículos. Secção I Disposições Gerais Regulamento de Uso de Veículos Secção I Disposições Gerais Artigo 1.º Objecto Nos termos do n.º 2 do artigo 11.º do Decreto-Lei n.º 170/2008, de 26 de Agosto, que define o novo regime jurídico do Parque

Leia mais

Apólice N.º AG50001063 SEGURO DE CARTÕES DE DÉBITO PARA NÃO RESIDENTES DA CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS CONDIÇÕES GERAIS - 205

Apólice N.º AG50001063 SEGURO DE CARTÕES DE DÉBITO PARA NÃO RESIDENTES DA CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS CONDIÇÕES GERAIS - 205 ARTIGO PRELIMINAR Entre a FIDELIDADE - COMPANHIA DE SEGUROS, S.A., adiante designada por Segurador, e a Caixa Geral de Depósitos, S.A., adiante designada por Tomador do Seguro, estabelece-se o presente

Leia mais

Poderão contratar este seguro os colaboradores, incluindo os seus familiares directos.

Poderão contratar este seguro os colaboradores, incluindo os seus familiares directos. Ficha técnica 1. TOMADOR DO SEGURO / SEGURADO Poderão contratar este seguro os colaboradores, incluindo os seus familiares directos. São considerados familiares directos: - o cônjuge, desde que viva em

Leia mais

MANUAL TÉCNICO F.P. AIKIDO

MANUAL TÉCNICO F.P. AIKIDO MANUAL TÉCNICO F.P. AIKIDO (Versão 1.2015) Modalidade: Tomador de Seguro: Acidentes Pessoais Grupo Federação Portuguesa de Aikido Apólice: 29019875 Companhia: Açoreana Seguros S.A Contactos: Av. Duque

Leia mais

Condição Especial. Responsabilidade Civil Profissional. Farmacêuticos

Condição Especial. Responsabilidade Civil Profissional. Farmacêuticos Condição Especial Responsabilidade Civil Profissional Farmacêuticos 1. Objectivo Esta Condição Especial destina-se a acompanhar e a clarificar as coberturas e funcionamento dos Certificados de Seguro emitidos

Leia mais

Autoridade Bancária e de Pagamentos de Timor-Leste

Autoridade Bancária e de Pagamentos de Timor-Leste Autoridade Bancária e de Pagamentos de Timor-Leste Banking and Payments Authority of Timor-Leste Av a Bispo Medeiros, PO Box 59, Dili, Timor-Leste Tel. (670) 3 313 718, Fax. (670) 3 313 716 RESOLUÇÃO DO

Leia mais

SEGURO AUTOMÓVEL. ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões

SEGURO AUTOMÓVEL. ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões SEGURO AUTOMÓVEL ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões Ficha Técnica Coleção Guia de Seguros e Fundos de Pensões Título Seguro Automóvel Edição Autoridade de Supervisão de Seguros

Leia mais

SEGURO DE CARTÕES DE CRÉDITO CAIXA WOMAN DA CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS CONDIÇÕES GERAIS - 221 APÓLICE N.º AG62635782. 808 29 39 49 fidelidade.

SEGURO DE CARTÕES DE CRÉDITO CAIXA WOMAN DA CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS CONDIÇÕES GERAIS - 221 APÓLICE N.º AG62635782. 808 29 39 49 fidelidade. PROTEÇÃO PESSOAL E FAMILIAR SEGURO DE CARTÕES DE CRÉDITO CAIXA WOMAN DA CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS CONDIÇÕES GERAIS - 221 APÓLICE N.º AG62635782 808 29 39 49 fidelidade.pt Fidelidade - Companhia de Seguros,

Leia mais

Fundo de Garantia Automóvel

Fundo de Garantia Automóvel Mestrado em Engenharia Automóvel / Pós-Laboral Legislação e Conflito Fundo de Garantia Automóvel Docente: Maria João Escudeiro Mauro Sousa 2140842 Tiago Fialho 2140843 15 de Junho 2015 Índice I Introdução...3

Leia mais

Seguro Auto Montepio Flex Coberturas e Garantias

Seguro Auto Montepio Flex Coberturas e Garantias Quadro síntese das Coberturas/Garantias Coberturas Módulo "S" Módulo "M" Módulo "L" Special Leasing Special Pesados Special Ciclom. e Motoc. Responsabilidade Civil 6.000.000,00 50.000.000,00 6.000.000,00

Leia mais

PROJECTO DE ADESÕES PLENAS AO CIAB NO MUNICÍPIO DA PÓVOA DE LANHOSO Sexta, 22 Setembro 2006 11:17 -

PROJECTO DE ADESÕES PLENAS AO CIAB NO MUNICÍPIO DA PÓVOA DE LANHOSO Sexta, 22 Setembro 2006 11:17 - Assinado o Protocolo de Cooperação entre a Câmara Municipal e o CIABNo passado dia 19 de Setembro decorreu na Casa da Botica a assinatura de um protocolo de cooperação entre o Município da Póvoa de Lanhoso

Leia mais

LIBERTY VELA FICHA DE PRODUTO

LIBERTY VELA FICHA DE PRODUTO FICHA DE PRODUTO O Liberty Vela é um Seguro de Embarcações Particulares de Recreio que garante os danos de Pequenas é Medias Embarcações à Vela, dos respectivos ocupantes, bem como danos causados a terceiros.

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS. Protecção Vida Empresas RAMO VIDA GRUPO - TEMPORÁRIO ANUAL RENOVÁVEL

CONDIÇÕES GERAIS. Protecção Vida Empresas RAMO VIDA GRUPO - TEMPORÁRIO ANUAL RENOVÁVEL CONDIÇÕES GERAIS Protecção Vida Empresas RAMO VIDA GRUPO - TEMPORÁRIO ANUAL RENOVÁVEL CONDIÇÕES GERAIS Protecção Vida Empresas RAMO VIDA GRUPO - TEMPORÁRIO ANUAL RENOVÁVEL 3 DEFINIÇÕES DISPOSIÇÕES FUNDAMENTAIS

Leia mais

Regulamento Interno de Funcionamento da Gestão de Reclamações de Tomadores de Seguros, Segurados, Beneficiários ou Terceiros Lesados.

Regulamento Interno de Funcionamento da Gestão de Reclamações de Tomadores de Seguros, Segurados, Beneficiários ou Terceiros Lesados. Regulamento Interno de Funcionamento da Gestão de Reclamações de Tomadores de Seguros, Segurados, Beneficiários ou Terceiros Lesados Artigo 1º Objecto O presente documento tem por objecto estabelecer um

Leia mais

1.TOMADOR DO SEGURO/ SEGURADO Poderão contratar este seguro os colaboradores, incluindo os seus familiares directos.

1.TOMADOR DO SEGURO/ SEGURADO Poderão contratar este seguro os colaboradores, incluindo os seus familiares directos. Ficha técnica 1.TOMADOR DO SEGURO/ SEGURADO Poderão contratar este seguro os colaboradores, incluindo os seus familiares directos. São considerados familiares directos: - o cônjuge, desde que viva em carácter

Leia mais

CARAVELA SEGUROS RESPONSABILIDADE CIVIL/Geral Condições Gerais e Especiais 3

CARAVELA SEGUROS RESPONSABILIDADE CIVIL/Geral Condições Gerais e Especiais 3 Sem prejuízo da revisão em curso das presentes Condições Gerais, a CARAVELA, Companhia de Seguros, S.A. dá integral cumprimento ao disposto no Decreto-Lei nº 72/2008, de 16 de Abril. CARAVELA SEGUROS RESPONSABILIDADE

Leia mais

Nome Morada. Nome e Morada da Seguradora. ASSUNTO: Apólice nº --------------/renúncia ao seguro. Carta registada com aviso de recepção.

Nome Morada. Nome e Morada da Seguradora. ASSUNTO: Apólice nº --------------/renúncia ao seguro. Carta registada com aviso de recepção. Nome e da Seguradora ASSUNTO: Apólice nº --------------/renúncia ao seguro Nos termos e para os efeitos do artº 182º do Dec-Lei nº 94-B/98, de 17 de Abril (seguro de ramo vida)/ do artº 22º do Dec-Lei

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS N. o 88 14 de Abril de 2003 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A 2452-(3) MINISTÉRIO DAS FINANÇAS Decreto-Lei n. o 72-A/2003 de 14 de Abril A Directiva n. o 2000/26/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de

Leia mais

protec ligeiros INFORMAÇÕES PRÉ-CONTRATUAIS (nos termos do Decreto-Lei n.º 72/2008, de 16 de Abril)

protec ligeiros INFORMAÇÕES PRÉ-CONTRATUAIS (nos termos do Decreto-Lei n.º 72/2008, de 16 de Abril) protec ligeiros INFORMAÇÕES PRÉ-CONTRATUAIS (nos termos do Decreto-Lei n.º 72/2008, de 16 de Abril) Entidade de Supervisão Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões, com sede na Av. da República,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE JUDO DE LISBOA

ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE JUDO DE LISBOA Anexo à Circular n.º 4/11 DIR SEGURO DESPORTIVO PARA 2012 O Seguro Desportivo de Grupo, contratado através da Corretora de Seguros VIP SEGUROS para a época de 2012, abrange toda a prática desportiva do

Leia mais

Preçário BANCO CREDIBOM, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO

Preçário BANCO CREDIBOM, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Preçário BANCO CREDIBOM, SA BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário completo do Banco Credibom, S.A., contém o Folheto de e Despesas (que

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS E SERVIÇOS MÉDICOS CONVENCIONADOS Associação de Futebol da Guarda

MANUAL DE PROCEDIMENTOS E SERVIÇOS MÉDICOS CONVENCIONADOS Associação de Futebol da Guarda MANUAL DE PROCEDIMENTOS E SERVIÇOS MÉDICOS CONVENCIONADOS Associação de Futebol da Guarda SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS DE ATLETAS, AGENTES DESPORTIVOS E ÁRBITROS 1- Definições (de acordo com as Condições

Leia mais

O QUE DEVE SABER SOBRE TRABALHO TEMPORÁRIO. De acordo com as normas previstas no código de trabalho em vigor

O QUE DEVE SABER SOBRE TRABALHO TEMPORÁRIO. De acordo com as normas previstas no código de trabalho em vigor O QUE DEVE SABER SOBRE TRABALHO TEMPORÁRIO De acordo com as normas previstas no código de trabalho em vigor O QUE DEVE SABER SOBRE NECESSIDADES DE RECORRER AO TRABALHO TEMPORÁRIO As Empresas de Trabalho

Leia mais

Decreto-Lei n.º 522/85, de 31 de Dezembro ( 1 ) SEGURO OBRIGATÓRIO DE RESPONSABILIDADE CIVIL AUTOMÓVEL (em vigor até 20.10.2007)

Decreto-Lei n.º 522/85, de 31 de Dezembro ( 1 ) SEGURO OBRIGATÓRIO DE RESPONSABILIDADE CIVIL AUTOMÓVEL (em vigor até 20.10.2007) Decreto-Lei n.º 522/85, de 31 de Dezembro ( 1 ) SEGURO OBRIGATÓRIO DE RESPONSABILIDADE CIVIL AUTOMÓVEL (em vigor até 20.10.2007) Actualizado até ao Decreto-Lei n.º 83/2006, de 3 de Maio ( 2 ) Revogado

Leia mais

(1) Inclui o capital de Responsabilidade Civil Obrigatória: 6.000.000 (Danos Materiais/Danos Corporais).

(1) Inclui o capital de Responsabilidade Civil Obrigatória: 6.000.000 (Danos Materiais/Danos Corporais). 1 FICHA DE PRODUTO Produtos Automóvel A N Seguros tem à sua disposição coberturas que são realmente indispensáveis para a segurança do seu Automóvel, construindo uma proteção à sua medida. Esta ficha de

Leia mais

uma vasta protecção para quem encontra a melhor solução para as avarias motor motor

uma vasta protecção para quem encontra a melhor solução para as avarias motor motor uma vasta protecção para quem encontra a melhor solução para as avarias motor motor segurtrade motor Segurtrade - Motor é uma solução de protecção para a sua empresa, direccionada para pequenas e médias

Leia mais

INFORMAÇÕES PRÉ-CONTRATUAIS PARA PARTICULARES RENTING GO EXPRESS

INFORMAÇÕES PRÉ-CONTRATUAIS PARA PARTICULARES RENTING GO EXPRESS INFORMAÇÕES PRÉ-CONTRATUAIS PARA PARTICULARES RENTING GO EXPRESS Valor da retribuição a pagar pelo Cliente 4ª Valor da retribuição a pagar pelo Cliente 1. Os serviços prestados pela LeasePlan em conformidade

Leia mais

PROPOSTA ÉPOCA DESPORTIVA 2012 / 2013

PROPOSTA ÉPOCA DESPORTIVA 2012 / 2013 PROPOSTA ÉPOCA DESPORTIVA 2012 / 2013 Proponente: Federação Portuguesa de Rugby Pág. 1 SEGURO DESPORTIVO DE ACIDENTES PESSOAIS ( Decreto-Lei Nº. 10/2009 ) FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE RUGBY ÉPOCA DESPORTIVA

Leia mais

3184 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 85 3 de Maio de 2006 MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO

3184 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 85 3 de Maio de 2006 MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO 3184 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 85 3 de Maio de 2006 MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO Decreto-Lei n. o 82/2006 de 3 de Maio O Decreto-Lei n. o 359/91, de 21 de Setembro, procedeu à transposição

Leia mais

Manual de Procedimentos e Serviços Médicos Convencionados Federação Equestre Portuguesa

Manual de Procedimentos e Serviços Médicos Convencionados Federação Equestre Portuguesa Manual de Procedimentos e Serviços Médicos Convencionados Federação Equestre Portuguesa SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS APÓLICE 14-72853 1. Definições (de acordo com as Condições Gerais, Especiais e Particulares

Leia mais

Cert. Provisório n.º. Duração do Contrato: 1 Ano e Seguintes. Temporário. Fax Local de Trabalho

Cert. Provisório n.º. Duração do Contrato: 1 Ano e Seguintes. Temporário. Fax Local de Trabalho Proposta de Seguro Cert. Provisório n.º Domiciliação Bancária Sim (*) Não (*) Impresso anexo Documento Interno N.º Apólice n.º Mediador Cobrador N.º N.º Duração do Contrato: 1 Ano e Seguintes Temporário

Leia mais

Ficha Técnica. Colecção Guia de Seguros e Fundos de Pensões. Título Contrato de Seguro. Edição Instituto de Seguros de Portugal

Ficha Técnica. Colecção Guia de Seguros e Fundos de Pensões. Título Contrato de Seguro. Edição Instituto de Seguros de Portugal Ficha Técnica Colecção Guia de Seguros e Fundos de Pensões Título Contrato de Seguro Edição Instituto de Seguros de Portugal Coordenação editorial Direcção de Comunicação e Relações com os Consumidores

Leia mais

Seguro Escolar (Portaria n.º 413/99, de 8 de Junho)

Seguro Escolar (Portaria n.º 413/99, de 8 de Junho) Seguro Escolar (Portaria n.º 413/99, de 8 de Junho) O Seguro Escolar constitui um sistema de protecção destinado a garantir a cobertura dos danos resultantes do acidente escolar. É uma modalidade de apoio

Leia mais

Município de Alfândega da Fé Câmara Municipal

Município de Alfândega da Fé Câmara Municipal Município de Alfândega da Fé Câmara Municipal REGULAMENTO INTERNO DE USO DE VEÍCULOS MUNICIPAIS Artigo 1º Objectivo O Regulamento Interno de Uso de Veículos Municipais visa definir o regime de utilização

Leia mais

Usados de Confiança. Garantidamente. Serviço Mobilidade. Das Welt Auto. 24 horas

Usados de Confiança. Garantidamente. Serviço Mobilidade. Das Welt Auto. 24 horas Usados de Confiança. Garantidamente. Serviço Mobilidade Das Welt Auto 24 horas Serviço Mobilidade Das Welt Auto 24 horas * Nos termos da lei nº 67/98, de 26.10, a base de dados com todos os clientes desta

Leia mais

Artigo Preliminar... 03. Capítulo I - Definições, Objecto e Garantias do Contrato, Âmbito Territorial e Exclusões

Artigo Preliminar... 03. Capítulo I - Definições, Objecto e Garantias do Contrato, Âmbito Territorial e Exclusões ÍNDICE CONDIÇÕES GERAIS Artigo Preliminar... 03 Capítulo I - Definições, Objecto e Garantias do Contrato, Âmbito Territorial e Exclusões Artigo 1.º - Definições... 03 Artigo 2.º - Objecto do contrato...

Leia mais

Morada: Código Postal: - Morada: Código Postal: - Morada: Código Postal: - N.º de Sinistros com nos Últimos 5 anos: Tomador do seguro/ Segurado

Morada: Código Postal: - Morada: Código Postal: - Morada: Código Postal: - N.º de Sinistros com nos Últimos 5 anos: Tomador do seguro/ Segurado AUTOMÓVEL MÓBIS PROPOSTA DE SEGURO Seguro Novo Alteração Apólice Sucursal Colaborador Mediador 207074605 Banco Comercial Português SA TOMADOR DO SEGURO Morada: Código Postal: Data de Nascimento: Sexo:

Leia mais

FAQ s GENÉRICO. 1. O que é o Renting/AOV?

FAQ s GENÉRICO. 1. O que é o Renting/AOV? FAQ s GENÉRICO 1. O que é o Renting/AOV? "Renting" é uma palavra de origem inglesa que significa "Aluguer a Longo Prazo". O Renting ou Aluguer Operacional de Viaturas (AOV) é uma solução de financiamento

Leia mais

APÓLICE DE SEGURO AUTOMÓVEL Condições Gerais da Apólice

APÓLICE DE SEGURO AUTOMÓVEL Condições Gerais da Apólice PARTE I SEGURO OBRIGATÓRIO DE RESPONSABILIDADE CIVIL ARTIGO PRELIMINAR Entre a Seguros Logo, S.A., adiante designada por Seguradora, e o Tomador de Seguro mencionado nas Condições Particulares, estabelece-se

Leia mais

DE PRONTIDÃO 1. Tenho sempre a viatura disponível? 2. Como proceder para requerer a viatura de substituição?

DE PRONTIDÃO 1. Tenho sempre a viatura disponível? 2. Como proceder para requerer a viatura de substituição? Perguntas e Respostas F.A.Q. s GENÉRICO 1. O que é o Renting/AOV? 2. Qual a diferença entre um Renting/AOV e os outros tipos de financiamento? 3. O que é necessário para obter uma operação em Renting/AOV?

Leia mais

Condições Gerais Condições Especiais.03 .10 .04 .10 .04 .10 .04 .10 .05 .05 .05 .05 .05 .06 .06 .06 .06 .06 .07 .07 .07 .07 .07 .07 .08 .08 .08 .

Condições Gerais Condições Especiais.03 .10 .04 .10 .04 .10 .04 .10 .05 .05 .05 .05 .05 .06 .06 .06 .06 .06 .07 .07 .07 .07 .07 .07 .08 .08 .08 . ÍNDICE Condições Gerais.03 Artigo 1º Definições.04 Artigo 2º Objecto do Contrato.04 Artigo 3º Âmbito da Garantia.04 Artigo 4º Exclusões das Garantias.05 Artigo 5º Início e Duração do Contrato.05 Artigo

Leia mais

Artigo 1.º Âmbito. Artigo 2.º Equidade, Diligência e Transparência

Artigo 1.º Âmbito. Artigo 2.º Equidade, Diligência e Transparência REGULAMENTO DA POLÍTICA DE TRATAMENTO - TOMADORES DE SEGUROS, SEGURADOS, BENEFICIÁRIOS OU TERCEIROS LESADOS - Artigo 1.º Âmbito 1 - O presente Regulamento consagra os princípios adoptados pela Zurich Insurance

Leia mais

APÓLICE DE SEGURO SANOS SORRISO CONDIÇÕES GERAIS

APÓLICE DE SEGURO SANOS SORRISO CONDIÇÕES GERAIS APÓLICE DE SEGURO SANOS SORRISO CONDIÇÕES GERAIS ARTIGO PRELIMINAR Entre a Companhia de Seguros Tranquilidade, S.A., adiante designada por Tranquilidade e o Tomador de Seguro mencionado nas Condições Particulares

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS. ACORDO COMERCIAL para PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ALUGUER AUTOMÓVEL SEM CONDUTOR

CONDIÇÕES GERAIS. ACORDO COMERCIAL para PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ALUGUER AUTOMÓVEL SEM CONDUTOR ACORDO COMERCIAL para PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ALUGUER AUTOMÓVEL SEM CONDUTOR ENTRE: JAPRAC Rent-a-Car, Aluguer de Automóveis, Lda., com sede na Rua Central de Mouriz, n.º 464, 4580-590 Mouriz Paredes,

Leia mais

BIG Alocação Condições Gerais

BIG Alocação Condições Gerais ARTIGO PRELIMINAR Entre a, e o Tomador do Seguro mencionado nas Condições Particulares é estabelecido o contrato de seguro que se regula pelas, Especiais e Particulares da Apólice, de acordo com as declarações

Leia mais

PROPOSTA DE SEGURO SEGURO DE CAPITALIZAÇÃO POUPANÇA AUTO PREENCHER A CANETA PRETA

PROPOSTA DE SEGURO SEGURO DE CAPITALIZAÇÃO POUPANÇA AUTO PREENCHER A CANETA PRETA POUPANÇA E INVESTIMENTO PROPOSTA DE SEGURO SEGURO DE CAPITALIZAÇÃO PREENCHER A CANETA PRETA SEGURO DE CAPITALIZAÇÃO 3 0 ALTERAÇÃO À APÓLICE Nº (*) AGÊNCIA/AGENTE Nº FM IB CONTA COBRANÇA Nº (*) PREENCHER

Leia mais

ficha de produto automóvel 2Rodas

ficha de produto automóvel 2Rodas ficha de produto automóvel 2Rodas O que é? O Seguro auto 2Rodas é um seguro que visa garantir o pagamento de indemnizações dos prejuízos sofridos em consequência direta das coberturas e com os limites

Leia mais

GERAIS DOS PRODUTOS E SERVIÇOS ZON 51, 9000-090 1. OBJECTO

GERAIS DOS PRODUTOS E SERVIÇOS ZON 51, 9000-090 1. OBJECTO CONDIÇÕES GERAIS DOS PRODUTOS E SERVIÇOS ZON Madeira 1. OBJECTO 1.1 As presentes Condições Gerais regulam, em conjunto com os seus Anexos e os demais elementos referidos nas mesmas (conjuntamente Condições

Leia mais

SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL. ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões

SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL. ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões Responsabilidade Civil 1 SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL 2 Quais são os seguros de responsabilidade civil

Leia mais

iii. Responsabilidade Civil Geral: a. Responsabilidade Civil Exploração e Produtos b. Responsabilidade Civil Patronal

iii. Responsabilidade Civil Geral: a. Responsabilidade Civil Exploração e Produtos b. Responsabilidade Civil Patronal Uma solução integrada para profissionais. Podemos proporcionar-lhe um ou todos os módulos de cobertura a seguir descritos: i. Responsabilidade Civil Profissional ii. Módulo de Gestão: a. Responsabilidade

Leia mais

CAIXA SEGURO 2014 6M - ICAE NÃO NORMALIZADO / / (PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO)

CAIXA SEGURO 2014 6M - ICAE NÃO NORMALIZADO / / (PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO) Empresa de Seguros PROSPECTO SIMPLIFICADO (Dezembro de 2009) CAIXA SEGURO 2014 6M - ICAE NÃO NORMALIZADO / / (PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO) Data de início de comercialização a 2 de Dezembro de 2009 Nome

Leia mais

protec 2 rodas INFORMAÇÕES PRÉ-CONTRATUAIS (nos termos do Decreto-Lei n.º 72/2008, de 16 de Abril)

protec 2 rodas INFORMAÇÕES PRÉ-CONTRATUAIS (nos termos do Decreto-Lei n.º 72/2008, de 16 de Abril) protec 2 rodas INFORMAÇÕES PRÉ-CONTRATUAIS (nos termos do Decreto-Lei n.º 72/2008, de 16 de Abril) Entidade de Supervisão Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões, com sede na Av. da República,

Leia mais

Preçário. Banco Cofidis, S.A.

Preçário. Banco Cofidis, S.A. Preçário Banco Cofidis, S.A. BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor do Folheto e Despesas: 05-out-2015 Data de Entrada em vigor do

Leia mais

ficha de produto automóvel

ficha de produto automóvel ficha de produto automóvel O que é? O Seguro de Automóvel é um seguro que visa garantir o pagamento de indemnizações dos prejuízos sofridos em consequência direta das coberturas e com os limites de indemnização

Leia mais

Podem ser contratadas outras coberturas, para além das obrigatórias?

Podem ser contratadas outras coberturas, para além das obrigatórias? SEGURO HABITAÇÃO Qual a importância do Seguro de Habitação? Os bens imóveis, tal como os móveis, estão sujeitos à ocorrência de eventos que lhes podem causar danos. Se não possuir um seguro válido, terá

Leia mais

OFERTA SEGUROS TRANQUILIDADE

OFERTA SEGUROS TRANQUILIDADE OFERTA SEGUROS TRANQUILIDADE AGAP Condições em vigor para a rede Comercial Tranquilidade Agosto 2008 Rectificação dos procedimentos operacionais para os MONITORES DE FITNESS, SÓCIOS E COLABORADORES INTRODUÇÃO

Leia mais

DESPACHO ISEP/P/28/2010

DESPACHO ISEP/P/28/2010 DESPACHO DESPACHO ISEP/P/28/2010 REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DE VEÍCULOS DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO Considerando: 1. O disposto no n.º 2 do artigo 11.º do Decreto-Lei n.º 170/2008, de 26

Leia mais

ESCLARECIMENTOS. Plano Zero oferecido pela CTOC

ESCLARECIMENTOS. Plano Zero oferecido pela CTOC ESCLARECIMENTOS Plano Zero oferecido pela CTOC PERGUNTAS FREQUENTES O que é o seguro de Saúde da CTOC? É um seguro de saúde que foi negociado pela CTOC com o Grupo Espírito Santo (Companhia de Seguros

Leia mais

APÓLICE UNIFORME DO SEGURO OBRIGATÓRIO DE RESPONSABILIDADE CIVIL POR DANOS CAUSADOS POR INSTALAÇÕES DE GÁS CONDIÇÕES GERAIS

APÓLICE UNIFORME DO SEGURO OBRIGATÓRIO DE RESPONSABILIDADE CIVIL POR DANOS CAUSADOS POR INSTALAÇÕES DE GÁS CONDIÇÕES GERAIS APÓLICE UNIFORME DO SEGURO OBRIGATÓRIO DE RESPONSABILIDADE CIVIL POR DANOS CAUSADOS POR INSTALAÇÕES DE GÁS CONDIÇÕES GERAIS ARTIGO PRELIMINAR Entre a Companhia de Seguros Tranquilidade, S.A., adiante designada

Leia mais

CONDIÇÕES ESPECÍFICAS DOS LEILÕES MANHEIM SALVADOS

CONDIÇÕES ESPECÍFICAS DOS LEILÕES MANHEIM SALVADOS CONDIÇÕES ESPECÍFICAS DOS LEILÕES MANHEIM SALVADOS 1. Introdução Por favor, leia atentamente este documento. Nele constam as condições destinadas a regular a participação, licitação e compra e venda de

Leia mais

Procedimentos a adoptar em caso de:

Procedimentos a adoptar em caso de: Procedimentos a adoptar em caso de: Sinistro; Vencimento; Resgate; Reembolso Prazos máximos de liquidação De acordo com a Circular nº 10/2009, de 20 de Agosto, do Instituto de Seguros de Portugal 1. SEGUROS

Leia mais

Apólice SEGURO ENSINO da ZURICH ESCOLA ALEMÃ DE LISBOA

Apólice SEGURO ENSINO da ZURICH ESCOLA ALEMÃ DE LISBOA Apólice SEGURO ENSINO da ZURICH ESCOLA ALEMÃ DE LISBOA Perguntas frequentes sobre sinistros na Escola: 1. Qual a discriminação das coberturas financeiras para o seguro de Acidentes Pessoais em termos de

Leia mais

NORMA REGULAMENTAR N.º 7/2009-R, de 14 de Maio REGULAMENTAÇÃO DO REGIME DE REGULARIZAÇÃO DE SINISTROS NO ÂMBITO DO SEGURO AUTOMÓVEL

NORMA REGULAMENTAR N.º 7/2009-R, de 14 de Maio REGULAMENTAÇÃO DO REGIME DE REGULARIZAÇÃO DE SINISTROS NO ÂMBITO DO SEGURO AUTOMÓVEL Não dispensa a consulta da Norma Regulamentar publicada em Diário da República NORMA REGULAMENTAR N.º 7/2009-R, de 14 de Maio REGULAMENTAÇÃO DO REGIME DE REGULARIZAÇÃO DE SINISTROS NO ÂMBITO DO SEGURO

Leia mais

Regime de Responsabilidade Civil dos Transportadores e Operadores Aéreos Regulamentos Administrativos No 11/2004 e No 19/2011

Regime de Responsabilidade Civil dos Transportadores e Operadores Aéreos Regulamentos Administrativos No 11/2004 e No 19/2011 Regime de Responsabilidade Civil dos Transportadores e Operadores Aéreos Regulamentos Administrativos No 11/2004 e No 19/2011 Perguntas e Respostas 1. A que se referem as expressões transportador aéreo

Leia mais

Índice. Glossário..4. Conceito 5. Vantagens...5. Funcionamento 5. Modalidades Disponíveis...7. Tratamento de dados...7. Condições de Utilização...

Índice. Glossário..4. Conceito 5. Vantagens...5. Funcionamento 5. Modalidades Disponíveis...7. Tratamento de dados...7. Condições de Utilização... DMI_Auto02MAI2014 Índice Glossário..4 Conceito 5 Vantagens....5 Funcionamento 5 Modalidades Disponíveis...7 Tratamento de dados.....7 Condições de Utilização.....11 Condição Especial: Assistência OK! GPS

Leia mais

Preçário GE CONSUMER FINANCE, I.F.I.C., INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO, SA. Instituição Financeira de Crédito

Preçário GE CONSUMER FINANCE, I.F.I.C., INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO, SA. Instituição Financeira de Crédito Preçário GE CONSUMER FINANCE, I.F.I.C., INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO, SA Instituição Financeira de Crédito Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Data de O Preçário completo da GE Consumer Finance,

Leia mais

CONDIÇÕES DE ENTREGA RECREAHOME B.V. COM A SUA SEDE REGISTADA EM ASTEN

CONDIÇÕES DE ENTREGA RECREAHOME B.V. COM A SUA SEDE REGISTADA EM ASTEN 1. DEFINIÇÕES CONDIÇÕES DE ENTREGA RECREAHOME B.V. COM A SUA SEDE REGISTADA EM ASTEN Abaixo Recreahome B.V. será referida como "vendedor". Cada pessoa singular ou entidade legal que adquire bens e/ou serviços

Leia mais

REGULAMENTO DE CEDÊNCIA E UTILIZAÇÃO TEMPORÁRIAS DA VIATURA DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS DO COMITÉ PARALÍMPICO DE PORTUGAL

REGULAMENTO DE CEDÊNCIA E UTILIZAÇÃO TEMPORÁRIAS DA VIATURA DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS DO COMITÉ PARALÍMPICO DE PORTUGAL REGULAMENTO DE CEDÊNCIA E UTILIZAÇÃO TEMPORÁRIAS DA VIATURA DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS DO COMITÉ PARALÍMPICO DE PORTUGAL CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Objeto 1. O presente Regulamento estabelece

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE JUDO DE LISBOA

ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE JUDO DE LISBOA Anexo à Circular n.º SEGURO DESPORTIVO PARA 2011 O Seguro Desportivo de Grupo, contratado através da Corretora de Seguros VIP SEGUROS para a época de 2011, abrange toda a prática desportiva do Judo a nível

Leia mais

CONDIÇÕES ESPECIAIS PROTECÇÃO JURÍDICA SEGURO COLECTIVO DA ORDEM DOS MÉDICOS DENTISTAS APÓLICE 84.10.071839

CONDIÇÕES ESPECIAIS PROTECÇÃO JURÍDICA SEGURO COLECTIVO DA ORDEM DOS MÉDICOS DENTISTAS APÓLICE 84.10.071839 CONDIÇÕES ESPECIAIS PROTECÇÃO JURÍDICA SEGURO COLECTIVO DA ORDEM DOS MÉDICOS DENTISTAS APÓLICE 84.10.071839 As presentes Condições Especiais Protecção Jurídica articulam-se com o disposto nas Condições

Leia mais

SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS DE AGENTES DESPORTIVOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS

SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS DE AGENTES DESPORTIVOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS DE AGENTES DESPORTIVOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS ÉPOCA DESPORTIVA 2015/16 Seguro Desportivo Página 1 1. - DEFINIÇÕES De acordo com as Condições Gerais da Apólice de Acidentes

Leia mais

Cadernos do Banco de Cabo verde. Contrato de Seguros. Banco de Cabo Verde

Cadernos do Banco de Cabo verde. Contrato de Seguros. Banco de Cabo Verde Cadernos do Banco de Cabo verde Contrato de Seguros Banco de Cabo Verde Departamento de Supervisão e Estabilidade do Sistema Financeiro Área de Supervisão do Sector Segurador Contrato de Seguros Banco

Leia mais

Acordo Preferencial para Prestação de Serviços de Aluguer de Automóveis sem Condutor

Acordo Preferencial para Prestação de Serviços de Aluguer de Automóveis sem Condutor PROTOCOLO COMERCIAL Acordo Preferencial para Prestação de Serviços de Aluguer de Automóveis sem Condutor ENTRE, com sede em Lj. 11 e 12 4760-014 V.N. Famalicão, pessoa colectiva 507 591 682, neste acto

Leia mais