Manual de Integração do Servidor

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manual de Integração do Servidor"

Transcrição

1 Manual de Integração do Servidor

2 Você no MPSP Após concurso de rigorosa seleção, você passa a integrar o quadro do funcionalismo público estadual de São Paulo. Parabéns!! Agora, além de cidadão, você passa a ser também um servidor no seu Estado. Além de ansioso, acreditamos que você deva estar com uma série de dúvidas a respeito de seu papel nesta Instituição. Nosso objetivo com esta cartilha é fornecer, de forma simples e objetiva, condições para que você conheça um pouco mais de nossa Instituição, bem como sobre seus direitos, deveres e obrigações. Leia-a com atenção. Consulte-a quando precisar. Desejamos-lhe sucesso e esperamos que juntos possamos escrever uma verdadeira história de conquista profissional. Seja bem vindo!

3 CONHEÇA O MPSP O Ministério Público é uma instituição pública autônoma, a quem a Constituição Federal atribuiu a incumbência de defender a ordem jurídica, o regime democrático e os interesses sociais e individuais indisponíveis. Isso significa que o Ministério Público é o grande defensor dos interesses do conjunto da sociedade brasileira. Tem a obrigação, portanto, de defender o interesse público, conduzindo-se sempre com apartidarismo e profissionalismo. Para tanto, todos os seus membros têm as mesmas garantias constitucionais que são asseguradas aos integrantes do Poder Judiciário, embora não tenham qualquer vinculação com esse Poder, nem tampouco com o Executivo ou o Legislativo. Os integrantes do Ministério Público Estadual são os Promotores de Justiça (que atuam no primeiro grau de jurisdição) e os Procuradores de Justiça (que atuam no segundo grau de jurisdição, junto aos Tribunais), auxiliados por servidores, assistentes jurídicos e estagiários, todos com ingresso na Instituição mediante concurso público. A chefia da Instituição cabe ao Procurador-Geral de Justiça, que é eleito pelos promotores e procuradores e nomeado pelo governador do Estado, após apresentação de lista tríplice com os mais votados na eleição interna. O Ministério Público do Estado de São Paulo é o maior do País, com cerca de Membros, e conta com vários Órgãos de Administração Superior: Subprocuradoria-Geral de Justiça Institucional, Subprocuradoria-Geral de Justiça de Gestão, Subprocuradoria-Geral de Justiça Jurídica, Subprocuradoria-Geral de Justiça de Relações Externas, Órgão Especial do Colégio de Procuradores de Justiça, Conselho Superior, Corregedoria-Geral e Ouvidoria. Além da área criminal, o Ministério Público atua na defesa do patrimônio público e social, do meio ambiente, da habitação e urbanismo, da infância e juventude, dos idosos, das pessoas com deficiência, dos direitos humanos, da saúde pública, da educação, do consumidor e ainda em falências e fundações, entre outros. O MP-SP tem vários grupos de atuação especial, tais como o GAECO (contra o crime organizado), GEDEC (contra os delitos econômicos), Gaerpa (contra os crimes ambientas, contra animais e parcelamento irregular do solo), GECEP (controle externo da atividade judicial), GAESP (saúde pública), GEDUC (educação), GAEMA (meio ambiente) e GECAP (crimes ambientais e de parcelamento irregular do solo), além de núcleos como o de Violência Contra a Mulher e de programas de atuação integrada (PAI) do Futebol, da Pirataria e da Cracolândia.

4 ÁREAS REGIONAIS DO MPSP Devido ao tamanho do Estado de São Paulo e para melhor atendimento às necessidades da população, o Ministério Público do Estado de São Paulo conta hoje com 15 Áreas Regionais, conforme figura abaixo. 1) Capital 2) Grande São Paulo I 3) Grande São Paulo II 4) Bauru 5) Campinas 6) Franca 7) Presidente Prudente 8) Ribeirão Preto 9) Santos 10) São José do Rio Preto 11) Sorocaba 12) Taubaté 13) Piracicaba 14) Araçatuba 15) Vale do Ribeira

5 Sua Carreira no MPSP O Plano de Cargos e Carreiras de Apoio Técnico-Administrativo do Ministério Público do Estado de São Paulo foi instituído pela Lei Complementar nº 1.118, de 1º de junho de 2010 e se destina a organizar os cargos em carreiras, com fundamento nos princípios constitucionais aplicáveis à Administração Pública e consoante as diretrizes de: I - qualidade e produtividade dos serviços públicos prestados pelo Ministério Público; II - economicidade; III - valorização do servidor; IV - qualificação profissional; V - progressão na carreira, fundada na avaliação de desempenho e de produtividade; VI - vencimentos compatíveis com a natureza e complexidade das atribuições e qualificação do servidor. Você ficará sujeito a estágio probatório durante o período de 36 (trinta e seis) meses, ao longo do qual assiduidade, pontualidade, aptidão, disciplina, capacidade e eficiência demonstradas serão objeto de avaliação visando sua confirmação na carreira ou a exoneração do respectivo cargo. Os critérios de avaliação e o processo de confirmação do servidor em estágio probatório são diferenciados, de acordo com o cargo ocupado, e definidos em regulamento próprio da Procuradoria-Geral de Justiça. Para facilitar sua integração é importante que você conheça os objetivos, características e peculiaridades do MPSP. Durante seu estágio probatório e ao longo de sua carreira, você receberá treinamentos para seu desenvolvimento pessoal, aperfeiçoamento profissional e adequação a novos sistemas e/ou rotinas de trabalho.

6 Direitos Deveres

7 REMUNERAÇÃO E BENEFÍCIOS Salário (Vencimentos) O pagamento de seu salário é creditado em conta bancária ao 4º dia útil de cada mês. Seu demonstrativo de pagamento é disponibilizado para consulta on-line, no sítio eletrônico Além do Demonstrativo de Pagamento, o sistema também permite a consulta do Comprovante Anual de Rendimentos, para fins de Declaração de Imposto de Renda. Para fazer a consulta você receberá do Centro de Recursos Humanos uma senha. Sugerimos que, no primeiro acesso, a senha seja alterada por outra de fácil memorização, mas que contenha letras e números. Consultando seu demonstrativo: Vá até a página: escolha "Demonstrativo de Pagamento" no menu. Selecione em seguida "Ministério Público", como na figura abaixo:

8 A seguinte tela será apresentada. Entre com sua matrícula (sem o dígito de controle) e coloque a senha recebida pelo demonstrativo em papel. Confirme com "ENTRAR". O menu principal será apresentado. É só seguir as instruções. A senha pode ser alterada para facilitar a memorização, mas deve conter letras e números.

9 Décimo Terceiro Salário Em dezembro, você terá direito ao Décimo Terceiro Salário, que corresponde à somatória dos seus vencimentos multiplicados pelo número de meses trabalhados e dividido por 12. Ele é antecipado em 50% de seu total no mês do seu aniversário, sendo que a segunda parte (sobre a qual incidem os descontos) será paga no mês de dezembro. Férias + 1/3 Após 12 meses de serviço, você terá direito a 30 (trinta) dias de férias que deverão ser concedidas e usufruídas de uma só vez ou em dois períodos iguais, conforme escala de férias previamente definida com seu superior imediato. Este período poderá ser reduzido para 20 (vinte) dias, quando no exercício anterior você tiver mais de 10 (dez) não comparecimentos correspondentes a faltas abonadas, justificadas, injustificadas ou licenças previstas nos itens IV, VI e VII do artigo 181 da Lei nº /68. O gozo das férias deverá ser requerido ao superior imediato, sempre até o 5º (quinto) dia útil do mês anterior ao seu início. Elaborada a escala de férias, não será admitida a sua alteração, salvo por motivo de relevância, a critério do Secretário-Executivo e/ou responsável da Área de lotação do servidor, mediante requisição formulada com pelo menos 45 (quarenta e cinco) dias de antecedência em relação à data de início da fruição, agendada na escala de férias, devendo ser encaminhada cópia da alteração ao responsável da Área. Adicionais A cada cinco anos de efetivo exercício, você terá direito ao acréscimo de 5% em seus vencimentos. Este adicional chama-se quinquênio. Você terá direito também a outro adicional quando completar 20 anos de efetivo exercício. Este adicional chama-se sexta-parte.

10 Aposentadoria Você tem o direito à aposentadoria: Por invalidez permanente: Os proventos serão proporcionais ao tempo de contribuição, exceto se decorrente de acidente em serviço, moléstia profissional ou doença grave, contagiosa ou incurável, concedido pelo Departamento de Perícias Médicas do Estado. Compulsoriamente: quando completar 70 (setenta) anos de idade, sendo os proventos proporcionais ao tempo de contribuição. Voluntariamente: tempo de contribuição e idade Auxílio Funeral Quando ocorrer o falecimento do servidor, a família receberá auxílio destinado à cobertura das despesas comprovadas com seu funeral, no valor equivalente a um mês do último salário ou provento de aposentadoria recebido, nos termos da Lei Complementar nº 1012 de 05 de julho de 2007, que deverá ser requerido junto ao Centro de Recursos Humanos. Auxílio-Creche O Auxílio-Creche é destinado ao custeio de despesas escolares com filhos ou dependentes legais matriculados na pré-escola em escolas particulares, a ele fazendo jus todos os servidores em exercício no Ministério Público do Estado de São Paulo que recebam remuneração até o valor inicial do cargo de Oficial de Promotoria, ainda que acrescida de dois adicionais por tempo de serviço. Consideram se dependentes, para efeito de assistência pré escolar, os menores sob guarda ou tutela do servidor, de 0 (zero) a 6 (seis) anos de idade e filhos portadores de deficiências físicas, mentais e/ou necessidades especiais, não havendo limite quanto à faixa etária a ser atendida. As crianças que completarem 6 (seis) anos farão jus ao benefício até o dia 31 de dezembro do ano correspondente, desde que cursando a educação infantil em pré-escola.

11 Ficam excluídos do Auxílio-Creche os servidores que percebam remuneração superior à correspondente ao valor inicial do cargo de Oficial de Promotoria, ainda que computados dois adicionais por tempo de serviço, como também os servidores que, no mesmo ano, estejam afastados de suas funções por licença-médica por prazo superior a 120 (cento e vinte) dias. Na hipótese de ambos os genitores ou responsáveis legais serem servidores da Instituição, o beneficio deverá ser requerido apenas por um deles. O auxílio creche não será concedido se um dos genitores ou responsáveis já perceber benefício similar em outro órgão ou entidade pública, salvo se optar por recebê-lo desta Instituição. O Ministério Público pagará a importância de R$ 230,00 (duzentos e trinta reais) por filho, até o limite de dois filhos por servidor, exceto nos casos dos portadores de deficiências físicas, mentais e/ou necessidades especiais, para os quais o limite será de R$ 310,00 (trezentos e dez reais) por filho e de até dois filhos por servidor. O benefício será estendido ao terceiro filho apenas quando se tratar de irmãos gêmeos. Residência fora da Comarca Você deverá residir na comarca ou localidade da respectiva lotação de seu cargo. Apenas em caráter excepcional a residência fora da comarca poderá ser autorizada pelo Diretor-Geral. O pedido de autorização deverá estar com o ciente do superior imediato e deverá ser informada a quilometragem entre as cidades e o tempo gasto no percurso. Maiores informações poderão ser obtidas junto Corpo de Apoio Técnico do CRH no localizado no Edifício Sede.

12 Ausências legais OCORRÊNCIA Relevação de Ocorrência: quaisquer ocorrências existentes no registro de ponto, desde que justificadas. QUANTIDADE três relevações por mês 1) as justificações deverão ser apresentadas por escrito; 2) o limite previsto só poderá ser ultrapassado por decisão da DG. Falta Abonada: a critério do superior imediato. seis faltas anuais, não excedendo a uma por mês. 1) não desconta na remuneração, somente nos auxílios alimentação e transporte; 2) é computada na apuração do limite máximo de ausências para concessão de licença-prêmio (30 por quinquênio) e de redução de período de férias do ano seguinte (10 por ano). Falta Justificada: doze faltas a critério do superior imediato e as outras doze a critério do superior mediato. vinte e quatro faltas anuais. 1) gera desconto na remuneração mensal e nos auxílios alimentação e transporte; 2) é computada na apuração do limite máximo de ausências para efeito de concessão de licença-prêmio e de redução de período de férias do ano seguinte; 3) é descontada na contagem de tempo para concessão de adicionais e sexta-parte dos vencimentos, bem como para fins de progressão funcional. Falta Injustificada acima dos limites previstos: configura-se abandono de cargo ou inassiduidade, ambos sujeitos à pena de demissão. trinta faltas consecutivas ou quarenta e cinco interpoladas no decorrer do ano civil. 1) gera desconto na remuneração mensal, bem como nos auxílios alimentação e transporte; 2) interrompe a contagem do período aquisitivo de licença-prêmio; 3) é computada na apuração do limite de redução de período de férias do ano seguinte; 4) é descontada na contagem de tempo para concessão de adicionais e sexta-parte dos vencimentos, bem como para fins de progressão funcional. Falta Médica: anotação vinculada à apresentação de comprovante de saúde. seis faltas anuais, não excedendo a uma por mês. 1) válido para tratamentos de saúde da própria pessoa ou familiares especificados; 2) deverá constar do comprovante a necessidade do repouso no respectivo dia; 3) não gera desconto na remuneração mensal, somente nos auxílios alimentação e transporte; 4) é computada na apuração do limite máximo de ausências para efeito de concessão de licença-prêmio; 5) é descontada na contagem de tempo para concessão de adicionais e sexta-parte dos vencimentos, bem como para fins de progressão funcional.

13 OCORRÊNCIA QUANTIDADE Servidoras: três ausências anuais, com intervalo Doação de Sangue: anotação vinculada à apresentação de comprovante do Órgão de saúde. mínimo de três meses Servidores: quatro ausências anuais, com intervalo mínimo de dois meses 1) o limite previsto só poderá ser ultrapassado por decisão da DG; 2) não gera desconto na remuneração mensal, somente nos auxílios alimentação e transporte. Convocação para prestação de serviços obrigatórios: anotação vinculada à apresentação de comprovante de presença. sem limitação 1) não desconta na remuneração; 2) não gera desconto nos auxílios alimentação e transporte quando convocado para testemunha ou jurado; Compensação de dias: a critério prévio do superior imediato; viável somente com dias em haver anotados no CRH. vinte faltas anuais não acarreta qualquer desconto na retribuição mensal. Atrasos de até quinze minutos: passível de compensação no mesmo dia. cinco ocorrências mensais. ocorrendo a compensação integral, nada perde. A partir do sexto atraso, perda de um terço do valor da remuneração diária. Atrasos de dezesseis a sessenta minutos: passível somente de relevação. sem limitação 1) perda de um terço do valor da remuneração do dia; 2) frequência normal. Atrasos superiores a sessenta minutos: passível somente de relevação sem limitação 1) perda total da remuneração do dia; 2) frequência normal, desde que permaneça em serviço por dois terços da jornada (cinco horas e vinte minutos). Caso contrário, deverá ser anotada falta ao trabalho. Entradas/Retiradas no horário de expediente: a critério prévio do superior imediato; mediante compensação mínima de trinta minutos consecutivos no próprio dia ou nos três seguintes; três vezes ao mês, de no mínimo trinta minutos e no máximo de duas horas. 1) nada perde desde que totalmente compensada; 2) períodos não compensados de até uma hora: perda de um terço da remuneração; 3) períodos não compensados superiores a uma hora: perda de dois terços da remuneração.

14 OCORRÊNCIA Retirada para Bancos sem necessidade de compensação. QUANTIDADE uma vez ao mês (conta como entrada/retirada no horário de expediente) considerada somente quando não houver atendimento bancário no local de trabalho Entrada/Retirada Médica: vinculada à apresentação de atestado ou documento idôneo; e sem necessidade de compensação. até três horas diárias, sem limite de ocorrências. 1) válido para tratamentos de saúde da própria pessoa ou familiares especificados; 2) deverá constar do comprovante o horário de atendimento e, quando for o caso, a necessidade de acompanhante; 3) o limite das horas poderá ser estendido em mais uma hora, desde que autorizado, mediante compensação, até o primeiro dia útil subsequente. Horário Especial de Estudante: concordância do superior hierárquico; autorização da DG; vinculada à apresentação de comprovante de matrícula com horários; intervalo de tempo igual ou inferior a noventa minutos entre o início das aulas e o término do expediente, ou vice-versa. entrar uma hora após o início do seu expediente ou dele retirar-se uma hora antes do término previsto 1) somente para matriculados em cursos regulares (ensino fundamental, médio, superior e pós-graduação) de ensino oficial ou autorizado; 2) poderá usufruir do benefício desde a data do protocolo do pedido nos dias letivos, exceto férias e recessos escolares; 3) no caso de indeferimento, voltará imediatamente a cumprir sua jornada normal, sem compensação de horas anteriores não trabalhadas; 4) comprovação de frequência obrigatória por requisição de superior hierárquico.

15 LICENÇAS E AFASTAMENTOS Licença-Prêmio Você faz jus a três meses de licença prêmio a cada 5 (cinco) anos de efetivo exercício, atendidos os requisitos do art. 209 da Lei n /68, independentemente de requerimento. A contagem de tempo de serviço para concessão de licença prêmio será interrompida se você tiver sofrido, no quinquênio correspondente, pena de suspensão ou de multa, ou ainda se possuir falta injustificada. Você deixará de ter direito se no período de 5 (cinco) anos, tiver mais de 30 dias de ausência, sendo computados para este limite: faltas abonadas, justificadas, médicas, licença para tratamento de saúde e licença por motivo de doença em família. Não há prazo para usufruir a licença, devendo seu pedido ser submetido à chefia imediata para deferimento. Licença-Gestante A servidora poderá fazê-lo em 03 situações diferentes: 1ª - Se estiver no oitavo mês de gestação e necessitar do afastamento, deverá providenciar cópia do atestado médico e requerimento dirigindo-se à Subárea de Expediente de Pessoal (sala 519 do Edifício Sede), para agendamento da perícia médica. Seu atestado médico terá validade de 24 horas para respectivo agendamento. O procedimento para servidoras do interior é o mesmo, no entanto, dirija-se à sua respectiva Área Regional. 2ª - Após o nascimento, a funcionária deverá ingressar com requerimento dirigido à diretora do CRH, via protocolo geral, anexando cópia da Certidão de Nascimento. Neste caso a concessão é administrativa, por período de 180 (cento e oitenta) dias, e poderá retroagir por até 15 (quinze) dias antes do parto.

16 Licença-Paternidade O servidor terá direito a 5 (cinco) dias de licença paternidade, somente a partir da data do nascimento. O pedido deverá ser direcionado ao CRH, anexando-se cópia da Certidão de Nascimento. Licença Adoção A licença adoção é concedida em casos de adoção de menor de até 7 (sete) anos de idade ou quando obtida a guarda judicial para fins de adoção. O requerimento deverá ser dirigido ao CRH anexando-se cópia do Termo de Guarda. O prazo a ser concedido de 180 dias para servidoras e de 5 dias para servidores começa a contar a partir da data do Termo de Guarda, sendo que serão descontados os dias entre a data do termo e a do protocolo. Licença Médica Caso adoeça e necessite ausentar-se do serviço, você ou qualquer familiar terá um prazo de 24 horas contados da expedição do atestado para apresentar requerimento dirigido à Diretoria de sua Área, constando a ciência do Promotor Secretário e/ou Diretor e cópia do respectivo atestado médico. Após, com esses documentos em mãos, deverá dirigir-se à Subárea de Expediente de Pessoal (sala 519 do Edifício Sede), onde irá agendar data e horário para ser periciado junto ao Departamento de Perícias Médicas do Estado, sito à Rua Prefeito Passos s/nº - Glicério. Se você estiver lotado fora da Grande São Paulo, deverá solicitar sua licença junto à sua respectiva Área Regional, apresentando requerimento e cópia do atestado. A licença para tratamento de saúde será concedida com vencimento integral, descontando-se auxílio condução e alimentação.

17 Licença por Acidente no exercício de suas atribuições ou por Doença Profissional Lei nº /68 arts 194 à 197 Você poderá requerer licença por acidente no local de trabalho ou por ter adquirido doença profissional, bem como lesão sofrida quando em trânsito, no percurso usual para o trabalho. Para estes casos, inicialmente você deve requerer licença para tratamento de saúde. O enquadramento legal da licença como acidente de trabalho dependerá do encaminhamento ao DPME do processo de comprovação do acidente, que deverá iniciar-se no prazo de 10 dias contados da data do acidente. Como doenças profissionais enquadram-se lesões por esforços repetitivos L.E.R. ou D.O.R.T. (distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho) Licença por motivo de doença em pessoa da família Pelo mesmo processo, você poderá requerer esta licença, desde que o nome do familiar conste em seus assentamentos individuais. Este período será descontado do seu tempo de efetivo exercício e, quando superior a 30 dias, haverá desconto nos seus vencimentos. Licença Gala A partir do dia do seu casamento civil, você terá direito a oito dias de licença. É necessário entregar a certidão do casamento à sua chefia quando você reassumir.

18 Licença Nojo Em caso de falecimento de cônjuge, companheiro, pais, filhos (inclusive natimortos) e irmãos, você terá direito a oito dias de licença. No caso de falecimento de sogros e padrastos, serão concedidos dois dias de licença. Você deverá encaminhar cópia do atestado de óbito quando reassumir. CONTAGEM DE TEMPO O seu tempo de serviço começa a ser contado a partir do 1º dia de trabalho, para todos os efeitos legais. Para efeito adicional serão contados os dias de efetivo exercício, com exceção dos casos previstos no estatuto. O tempo de serviço prestado a outros Órgãos Públicos ou empresas privadas será acrescido ao seu tempo de serviço mediante a apresentação de certidão própria no Centro de Recursos Humanos. Convém ressaltar que seu tempo em empresa privada só será computado para fins de aposentadoria. ASSISTÊNCIA MÉDICO-HOSPITALAR O servidor público estadual possui assistência médico-hospitalar, odontológica e farmacêutica no Hospital do Servidor Público Estadual. Esta assistência compreende, entre outras, consultas, tratamento, hospitalização, cirurgia, radiografia, exames de laboratório e aquisições de remédios, extensiva a seus dependentes e agregados. Gostaria que os meus pais utilizassem os serviços do IAMSPE. O que devo fazer? O funcionário deverá preencher formulário próprio, junto à Subárea de Expediente de Pessoal ou nas respectivas Áreas Regionais. O Centro de Recursos Humanos providenciará o encaminhamento dos formulários e documentação necessários para o IAMSPE, que efetuará o cadastro.

19 Tenho mais de 180 dias de exercício na Instituição. Posso cadastrá-los? Não. O funcionário tem o prazo de 180 dias a contar de sua posse no cargo para efetuar a inscrição de seus pais, padrasto e/ou madrasta. Após esse período o IAMSPE não aceitará mais a inscrição. Quero fazer uma exclusão. Como proceder? Tenho prazo? O funcionário deverá preencher formulário próprio, junto à Subárea de Expediente de Pessoal ou nas respectivas Áreas Regionais. O Centro de Recursos Humanos providenciará o encaminhamento dos formulários e documentação necessários para o IAMSPE, que efetuará a exclusão. Fiz a exclusão dos meus pais. Posso incluí-los novamente? Não. Uma vez excluído e passado o prazo, o IAMSPE não aceitará nova inscrição. Quero inscrever meu cônjuge e filhos. Como proceder? Cônjuge e filhos são dependentes e não agregados. O funcionário deverá cadastrá-los diretamente no IAMSPE, obtendo assim as carteiras para utilização. Neste caso não existe prazo para inscrição. JORNADA DE TRABALHO A jornada de trabalho no MPSP é de 40 (quarenta) horas semanais para os servidores, excetuando-se psicólogos e assistentes sociais, com jornada de 30 (trinta) horas semanais e médicos, com jornada de 20 horas semanais. O horário de serviço está dividido em dois turnos: 1º turno: das 9:00 às 17:00 horas 2º turno: das 11:00 às 19:00 horas. A definição da escala de horários é elaborada pela autoridade responsável, devendo um terço dos servidores do setor cumprir o horário do 1º turno. O intervalo para almoço é de trinta minutos, podendo ser maior, mediante compensação, por autorização da Diretoria-Geral.

20 RESPONSABILIDADES Como membros de uma comunidade, todos temos responsabilidades. Como servidor público também. Sigilo Os assuntos e informações pertinentes ao seu trabalho no MPSP não devem ser divulgados a ninguém. A retirada de papéis e documentos de seu local de trabalho é expressamente proibida, salvo autorização por escrito. Cuide de seus arquivos eletrônicos para que não sejam disponibilizados em rede, e realize backups com frequência. Preservação do material e equipamentos Cuide bem dos materiais e equipamentos disponibilizados para seu trabalho. Comunique a Área de Atividades Complementares sempre que encontrar algum defeito. Não é permitida a saída de qualquer equipamento ou material sem a prévia autorização por escrito. Conservação do Ambiente Mantenha seu ambiente de trabalho sempre limpo, isto reflete quem você é. Não jogue papéis ou objetos no chão. Gestão Ambiental O MPSP conta com Projeto de Gestão Ambiental, sendo a coleta seletiva uma de suas premissas. Faça sua parte, leia atentamente as cartilhas e aplique em seu dia a dia. Visite o Portal. Desperdício de Material Não desperdice nem use indevidamente materiais. Além de impactar em aumento de custo aos cofres públicos, o uso indiscriminado impacta negativamente o meio ambiente. Lembre-se, também, de que aquilo que não mais lhe serve poderá ser útil a outra unidade. Devolva os materiais sobressalentes.

21 Atendimento Ao ser acionado por um chefe, colega de trabalho ou terceiro, é de sua responsabilidade atendê-lo bem, de maneira polida, ainda que não seja o responsável pela dúvida suscitada. Telefone As linhas telefônicas devem estar sempre à disposição do público e da empresa. Assim, utilize-as para casos pessoais com moderação e bom senso. O mesmo vale para a utilização de telefone celular particular, lembrando sempre que, neste caso, prefira o modo silencioso ao toque. Para o bom uso do telefone, siga as instruções: Atenda ao primeiro toque, com gentileza e presteza; Fale o nome de sua área e o seu, seguidos de saudação; Não confie na memória, tenha sempre à mão papel e caneta; Não deixe esperando quem o chamou. Se necessário, anote o nome e o telefone para posterior retorno; Fale somente o necessário, seja claro, breve e objetivo; Faça ou transfira você mesmo suas ligações; Encerre a conversa cordialmente; Planeje sempre o que você vai tratar antes de fazer uma ligação telefônica; Sempre que possível, evite ligar para celulares porque a tarifa é maior; Possua a listagem de ramais de seu setor sempre à mão. Computadores O computador deve ser utilizado para fins profissionais, não sendo permitido arquivar ou baixar nenhum material de cunho particular, incluindo músicas, vídeos, fotos, jogos e arquivos pessoais. O corporativo deve ser utilizado somente para os mesmos fins, lembrando que a redação e conteúdo utilizados em sua mensagem devem ser condizentes com as normas desta Instituição.

22 Documentação Tenha seus dados sempre atualizados no Centro de Recursos Humanos. Toda e qualquer alteração, como nascimento de filhos, cursos realizados, alteração de nome, RG ou endereço, devem ser imediatamente comunicadas. Fumantes Se você é fumante, lembre-se de que é proibido fumar dentro de repartições públicas. Apresentação pessoal A imagem do servidor deve ser condizente com a imagem do MPSP. Use roupas adequadas e cuide de sua higiene pessoal. Comércio Não é permitida a venda de roupas, doces, joias, cosméticos, ou qualquer outro produto ou serviço, bem como promover empréstimo de dinheiro dentro das dependências do MPSP.

23 INFORMAÇÕES GERAIS Mantenha-se informado sobre rotinas e normas próprias da Administração: Portal da Instituição: Atos Normativos: MPSP no Diário Oficial: Gestão Ambiental: Formulários CRH: Guia Eletrônico do Almoxarifado: Lista telefônica: ENDEREÇOS E TELEFONES ÚTEIS Contagem e Frequência: (11) Expediente da Folha: (11) Expediente de Pessoal: (11) Área de Saúde: (11) Almoxarifado: (11) Patrimônio: (11) Administração: (11) Prédio sede: Rua Riachuelo nº 115 Centro São Paulo SP PABX Sede: (11) Almoxarifado: Av. Casa Verde nº 571

24 Estamos certos de que você não terá dificuldade nesta sua nova vida profissional. Nosso Centro de Recursos Humanos encontra-se à disposição para ajudá-lo no que for preciso. A partir de agora seu sucesso profissional depende muito de você, ou seja, de seus conhecimentos, iniciativa, zelo, dedicação, atitudes, eficiência, e, por fim, de sua capacidade de assumir maiores responsabilidades. Que este seja o início de uma trajetória de muito sucesso! Seja bem vindo e boa sorte!

25 Textos Diretoria-Geral Centro de Recursos Humanos e Projeto de Gestão Ambiental Elaboração Projeto de Gestão Ambiental Alessandra Marchi Macedo Diretora de Divisão

A - Subprocuradoria-Geral de Justiça Assuntos Jurídicos: ATO NORMATIVO Nº 586/2009-PGJ, de 11 de Maio de 2009. (Pt. nº 50.900/09)

A - Subprocuradoria-Geral de Justiça Assuntos Jurídicos: ATO NORMATIVO Nº 586/2009-PGJ, de 11 de Maio de 2009. (Pt. nº 50.900/09) A - Subprocuradoria-Geral de Justiça Assuntos Jurídicos: ATO NORMATIVO Nº 586/2009-PGJ, de 11 de Maio de 2009. (Pt. nº 50.900/09) Texto compilado até o Ato (N) nº 769/2013 PGJ, de 08/04/2013 Estabelece

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 128/2013/TCE-RO

RESOLUÇÃO N. 128/2013/TCE-RO RESOLUÇÃO N. 128/2013/TCE-RO Dispõe sobre a concessão de folgas compensatórias e o gozo de Licença-Prêmio por Assiduidade dos servidores do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL

Leia mais

Da contratação e estabilidade: Estabilidade Após 3 anos de efetivo exercício. (CF 1988, Art. 41)

Da contratação e estabilidade: Estabilidade Após 3 anos de efetivo exercício. (CF 1988, Art. 41) SERVIÇO DE PESSOAL Lista dos benefícios / direitos / deveres dos servidores Legislação trabalhista: ESU http://www.usp.br/drh/novo/esu/esuorig1.html CLT http://www.planalto.gov.br/ccivil/decreto-lei/del5452.htm

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE OCORRÊNCIAS NO SISTEMA GRIFO

ORIENTAÇÕES SOBRE OCORRÊNCIAS NO SISTEMA GRIFO ORIENTAÇÕES SOBRE OCORRÊNCIAS NO SISTEMA GRIFO AS OCORRÊNCIAS PODEM SER INCLUÍDAS PELO MENU FREQUÊNCIA (NO ATALHO DISPONÍVEL NO FINAL NA LINHA DO DIA) OU APENAS PELO MENU OCORRÊNCIA TIPOS DE OCORRÊNCIAS

Leia mais

Cartilha Ponto Biométrico

Cartilha Ponto Biométrico Cartilha Ponto Biométrico Secretaria Municipal de Administração, Orçamento e Informação 2 CONTROLE E APURAÇÃO DA FREQUÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA DO MUNICÍPIO DE DIVINÓPOLIS Prezado

Leia mais

Manual para utilização do ponto pelo servidor/funcionário/estagiário da SMA

Manual para utilização do ponto pelo servidor/funcionário/estagiário da SMA Manual para utilização do ponto pelo servidor/funcionário/estagiário da SMA Acessar o ponto através de: http://ponto CETESBNET Menu Serviços RH Freqüência Controle de Entrada e Saída O login e senha são

Leia mais

NORMA 1/10 NORMA DE CONTROLE DE FREQUÊNCIA S U M Á R I O. 1 Objetivo, 2/10. 2 Definição, 2/10. 3 Competências, 4/10

NORMA 1/10 NORMA DE CONTROLE DE FREQUÊNCIA S U M Á R I O. 1 Objetivo, 2/10. 2 Definição, 2/10. 3 Competências, 4/10 NORMA 1/10 S U M Á R I O 1 Objetivo, 2/10 2 Definição, 2/10 3 Competências, 4/10 4 Procedimentos, 4/10 4.1 Horário de Expediente e Jornada de Trabalho, 4/10 4.2 Registro de Frequência, 5/10 4.3 Apuração

Leia mais

O R I E N T A Ç Ã O T É C N I C A D E P A G A M E N T O ESCLARECENDO DÚVIDAS DE PAGAMENTO

O R I E N T A Ç Ã O T É C N I C A D E P A G A M E N T O ESCLARECENDO DÚVIDAS DE PAGAMENTO O R I E N T A Ç Ã O T É C N I C A D E P A G A M E N T O ESCLARECENDO DÚVIDAS DE PAGAMENTO - Férias regulamentares clique aqui - Pagamento proporcional de férias clique aqui - Fixação de sede de controle

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE ALTO ARAGUAIA Av. Carlos Hugueney, 552 - Centro - CEP.: 78.780-000 Tel/Fax.: (065) 481 1139-481 1431

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE ALTO ARAGUAIA Av. Carlos Hugueney, 552 - Centro - CEP.: 78.780-000 Tel/Fax.: (065) 481 1139-481 1431 LEI N.º 761/93 Dispõe sobre o Estatuto do Magistério Público municipal de Alto Araguaia. O Prefeito Municipal de Alto Araguaia, Estado de Mato Grosso, no uso de suas atribuições legais, faço saber que

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO EDITAL PROGRAD Nº 18/2008, DE 22 DE JULHO DE 2008 SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DO PROGRAMA PRÓ-ESTÁGIO UFGD 2008 O PRÓ-REITOR DE ENSINO DE GRADUAÇÃO da Fundação Universidade Federal da Grande Dourados, no uso

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº 42, DE 16 DE JUNHO DE 2009

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº 42, DE 16 DE JUNHO DE 2009 CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº 42, DE 16 DE JUNHO DE 2009 (Alterada pelas Resoluções nºs 52, de 11 de maio de 2010 e 62, de 31 de agosto de 2010) Dispõe sobre a concessão de estágio

Leia mais

CARTILHA DO PROGRAMA DE ESTÁGIO DO PJERJ

CARTILHA DO PROGRAMA DE ESTÁGIO DO PJERJ Página 1 de 12 PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PJERJ DIRETORIA GERAL DE GESTÃO DE PESSOAS DGPES DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS - DEDEP CARTILHA DO PROGRAMA DE ESTÁGIO DO PJERJ

Leia mais

AGÊNCIA REGULADORA DE ÁGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL PUBLICADA NO BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 03, DE 02/02/2015, PÁGINAS 03 A 08

AGÊNCIA REGULADORA DE ÁGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL PUBLICADA NO BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 03, DE 02/02/2015, PÁGINAS 03 A 08 AGÊNCIA REGULADORA DE ÁGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL PUBLICADA NO BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 03, DE 02/02/2015, PÁGINAS 03 A 08 PORTARIA Nº. 17, DE 23 DE JANEIRO DE 2015. Aprova

Leia mais

SERVIDOR PÚBLICO. Pode-se dizer que são três as categorias de servidor público:

SERVIDOR PÚBLICO. Pode-se dizer que são três as categorias de servidor público: SERVIDOR PÚBLICO São servidores públicos, em sentido amplo, as pessoas físicas que têm vínculo de trabalho com a Administração Municipal, seja direta ou indireta, mediante remuneração paga pelos cofres

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO, que celebram de um lado, o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo SESCOOP NACIONAL - CNPJ N.º 03.087.543/0001-86,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 8, DE 6 DE JULHO DE 1993 I - DAS REGRAS GERAIS SOBRE A CONTAGEM DO TEMPO DE SERVIÇO

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 8, DE 6 DE JULHO DE 1993 I - DAS REGRAS GERAIS SOBRE A CONTAGEM DO TEMPO DE SERVIÇO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 8, DE 6 DE JULHO DE 1993 O MINISTRO DE ESTADO CHEFE DA SECRETARIA DA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe conferem a Lei nº 8.490, de

Leia mais

Servidores, Estagiários e Chefia Imediata

Servidores, Estagiários e Chefia Imediata MANUAL DO USUÁRIO Sistema de Controle de Ponto Eletrônico: Servidores, Estagiários e Chefia Imediata MANUAL DO USUÁRIO Sistema de Controle de Ponto Eletrônico: Servidores, Estagiários e Chefia Imediata

Leia mais

DEPARTAMENTO PESSOAL

DEPARTAMENTO PESSOAL DEPARTAMENTO PESSOAL DÚVIDAS MAIS FREQUENTES 1 1. Documentos necessários para admissão Para o processo de admissão, o novo funcionário deverá apresentar a relação de documentos abaixo: *Carteira de Trabalho

Leia mais

Manual de Recursos Humanos

Manual de Recursos Humanos Manual de Recursos Humanos Associação dos Amigos do Paço das Artes Francisco Matarazzo Sobrinho Organização Social de Cultura 1 Finalidade: Disponibilizar princípios básicos de gestão de pessoal que devem

Leia mais

É o empregado, o requisitado, o contratado para função de confiança da administração superior e o titular de órgão executivo de direção superior.

É o empregado, o requisitado, o contratado para função de confiança da administração superior e o titular de órgão executivo de direção superior. 1/7 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para concessão de licenças. 2. CONCEITOS 2.1. Beneficiado É o empregado, o requisitado, o contratado para função de confiança da administração superior e o titular

Leia mais

Seção de Recursos Humanos E-mail: recursos-humanos@fepagro.rs.gov.br Fones: (51) 3288.8076 ou 3288.8043

Seção de Recursos Humanos E-mail: recursos-humanos@fepagro.rs.gov.br Fones: (51) 3288.8076 ou 3288.8043 Seção de Recursos Humanos E-mail: recursos-humanos@fepagro.rs.gov.br Fones: (51) 3288.8076 ou 3288.8043 Janeiro/2012 1 Í N D I C E ITEM PÁGINA Abono Família 10 Abono Permanência 11 Acidente de Serviço

Leia mais

A Câmara Superior de Gestão Administrativo-Financeira, no uso das atribuições que lhe conferem o Estatuto e o Regimento Geral desta Instituição, e

A Câmara Superior de Gestão Administrativo-Financeira, no uso das atribuições que lhe conferem o Estatuto e o Regimento Geral desta Instituição, e SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE GESTÃO ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA RESOLUÇÃO N.º 05/2013 Regulamenta o sistema de registro eletrônico

Leia mais

PORTARIA PGR/MPU Nº 378 DE 9 DE AGOSTO DE 2010

PORTARIA PGR/MPU Nº 378 DE 9 DE AGOSTO DE 2010 PORTARIA PGR/MPU Nº 378 DE 9 DE AGOSTO DE 2010 Regulamenta o Programa de Estágio no âmbito do Ministério Público da União e da Escola Superior do Ministério Público da União e dá outras providências. O

Leia mais

ABANDONO DE CARGO Ausência intencional do servidor ao trabalho, por mais de 30 (trinta) dias consecutivos.

ABANDONO DE CARGO Ausência intencional do servidor ao trabalho, por mais de 30 (trinta) dias consecutivos. A ABANDONO DE CARGO Ausência intencional do servidor ao trabalho, por mais de 30 (trinta) dias consecutivos. Abandono de Cargo Lei nº 6.677, de 26.09.94 - Arts. 192, inciso II e 198. ABONO Quantia paga

Leia mais

ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MUSEU DE ARTE SACRA SAMAS. MANUAL DE RECURSOS HUMANOS DO MUSEU DE ARTE SACRA

ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MUSEU DE ARTE SACRA SAMAS. MANUAL DE RECURSOS HUMANOS DO MUSEU DE ARTE SACRA ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MUSEU DE ARTE SACRA SAMAS. MANUAL DE RECURSOS HUMANOS DO MUSEU DE ARTE SACRA I -FINALIDADE. Este Regulamento tem por finalidade apresentar os princípios básicos de pessoal que devem

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO CONTROLE DE FREQUÊNCIA (PONTO ELETRÔNICO)

MANUAL DE ORIENTAÇÃO CONTROLE DE FREQUÊNCIA (PONTO ELETRÔNICO) SECRETARIA-EECUTIVA DIRETORIA DE GESTÃO INTERNA COORDENAÇÃO-GERAL DE RECURSOS HUMANOS MANUAL DE ORIENTAÇÃO CONTROLE DE FREQUÊNCIA (PONTO ELETRÔNICO) SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS - SIGRH

Leia mais

Programa de Capacitação e Aperfeiçoamento do DAP

Programa de Capacitação e Aperfeiçoamento do DAP Programa de Capacitação e Aperfeiçoamento do DAP LEGISLAÇÃO DE PESSOAL COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO Regime Jurídico dos Servidores Públicos Federais Lei nº. 8.112/90 Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos

Leia mais

SENAC/DF - SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL

SENAC/DF - SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL CAMPANHA SALARIAL - 2014/2015 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SENAC-SERVICO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COM COMERCIAL-ADMINISTRACAO REGIONAL DO DF O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ENTIDADES DE ASSISTÊNCIA

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 194, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2000.

RESOLUÇÃO Nº 194, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2000. RESOLUÇÃO Nº 194, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2000. Dispõe sobre as férias dos servidores do Supremo Tribunal Federal. O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, no uso das atribuições que lhe confere o art.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 555, DE 19 DE JUNHO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 555, DE 19 DE JUNHO DE 2015 Publicada no DJE/STF, n. 122, p. 1-2 em 24/6/2015. RESOLUÇÃO Nº 555, DE 19 DE JUNHO DE 2015 Dispõe sobre as férias dos servidores do Supremo Tribunal Federal. O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL,

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO POVO

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO POVO LEI Nº516/2012- DE 09 DE ABRIL DE 2012 Altera a Lei Municipal nº 280, de 30 de março de 2004, que dispõe sobre o Estatuto Geral do Servidores Públicos do Município de São José do Povo. JOÃO BATISTA DE

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE GESTÃO ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE GESTÃO ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE GESTÃO ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA RESOLUÇÃO Nº 03/2014 Revoga a Resolução nº 05/2013 e dá nova redação

Leia mais

É a ausência ao trabalho e pode ser justificada nas seguintes situações:

É a ausência ao trabalho e pode ser justificada nas seguintes situações: Frequência Conceito O comparecimento do servidor na unidade organizacional (local de trabalho) onde tem exercício, para o desempenho das atribuições do seu cargo caracteriza a frequência. A ausência do

Leia mais

Em 21 de agosto de 2014, a Reitora da Universidade Federal de São João del- Rei UFSJ, usando de suas atribuições, e considerando:

Em 21 de agosto de 2014, a Reitora da Universidade Federal de São João del- Rei UFSJ, usando de suas atribuições, e considerando: ORDEM DE SERVIÇO N o 062/2014 Em 21 de agosto de 2014, a Reitora da Universidade Federal de São João del- Rei UFSJ, usando de suas atribuições, e considerando: - a Lei n o 8.112 de 11 de dezembro de 1990,

Leia mais

MANUAL DE INTEGRAÇÃO DO NOVO PROFISSIONAL.

MANUAL DE INTEGRAÇÃO DO NOVO PROFISSIONAL. MANUAL DE INTEGRAÇÃO DO NOVO PROFISSIONAL. Introdução A partir de agora, você faz parte da família Multcursos, o que é muito importante para todos nós. Sua integração será feita por meio deste manual que

Leia mais

BOLSA DE ESTUDO PARA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO Perguntas Mais Frequentes

BOLSA DE ESTUDO PARA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO Perguntas Mais Frequentes BOLSA DE ESTUDO PARA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO Perguntas Mais Frequentes Que norma regulamenta a concessão da bolsa de estudo? A Instrução Normativa nº 104, de 25 de janeiro de 2010, regulamenta a concessão

Leia mais

Perguntas frequentes:

Perguntas frequentes: Perguntas frequentes: O equipamento é regulado para bater ponto só às 7 ou às 8 horas, nos horários tradicionais? Não, você pode bater o ponto em qualquer horário tendo como norte os horários institucionais.

Leia mais

MANUAL MANUAL DO PONTO ELETRÔNICO

MANUAL MANUAL DO PONTO ELETRÔNICO Código: MT.GPES.001 Data: 30/08/2010 Versão: 1 Página: 1 de 7 DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: 1. INTRODUÇÃO CONSIDERANDO QUE O REGISTRO DE PONTO ESTÁ PREVISTO NA CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DO TRABALHO CLT, NO ARTIGO

Leia mais

ETEC JUSCELINO KUBITSCHEK DE OLIVEIRA

ETEC JUSCELINO KUBITSCHEK DE OLIVEIRA MANUAL DE INTEGRAÇÃO ENDEREÇO Escola Técnica Estadual Juscelino Kubitschek de Oliveira Rua Guarani, 735 - Bairro Conceição Cidade Diadema - SP CEP:09991-060 Telefone:4044-6431 Fax: 4056-1302 Site: EQUIPE

Leia mais

PORTARIA PGR/MPU N.º 707, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2006.

PORTARIA PGR/MPU N.º 707, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2006. PORTARIA PGR/MPU N.º 707, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2006. Regulamenta a jornada de trabalho, o controle de freqüência, serviços extraordinários dos servidores do Ministério Público da União e dá outras providências.

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31389 de 31/03/2009

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31389 de 31/03/2009 DIÁRIO OFICIAL Nº. 31389 de 31/03/2009 GABINETE DA GOVERNADORA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº_03 /2009. O Defensor Público Geral do Estado do Pará, no uso de atribuições previstas

Leia mais

PRAZOS PARA PROTOCOLO DE SOLICITAÇÕES E OCORRÊNCIAS NO SERVIÇO DE PESSOAL Válidos a partir de 05/10/2015

PRAZOS PARA PROTOCOLO DE SOLICITAÇÕES E OCORRÊNCIAS NO SERVIÇO DE PESSOAL Válidos a partir de 05/10/2015 Abono de permanência se aplica A partir do dia seguinte ao do cumprimento de TODOS os requisitos necessários para aposentadoria Acidente de Trabalho 24 horas 5 dias corridos Atestado Médico Adicional de

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001554/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 12/08/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR032670/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.023032/2010-49 DATA DO

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PROPOSTA DE RESOLUÇÃO CONSELHEIRO LUIZ MOREIRA GOMES JÚNIOR. RESOLUÇÃO Nº, de de de 2013.

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PROPOSTA DE RESOLUÇÃO CONSELHEIRO LUIZ MOREIRA GOMES JÚNIOR. RESOLUÇÃO Nº, de de de 2013. CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PROPOSTA DE RESOLUÇÃO CONSELHEIRO LUIZ MOREIRA GOMES JÚNIOR RESOLUÇÃO Nº, de de de 2013. Dispõe sobre as férias dos Membros dos Ministérios Públicos da União e dos

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável para o Cerrado Brasileiro N. VALEC NGL-03-01-002

Desenvolvimento Sustentável para o Cerrado Brasileiro N. VALEC NGL-03-01-002 Rev./ VALEC INDICAR NESTE QUADRO EM QUE REVISÃO ESTÁ CADA FOLHA Rev. / 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1-1 1 1 1 0 0 0 16 2 17 3 18 4 19 5 20 6 21 7 22 8 23 9 24 10 25 11 26 12 27 13 28 14 29

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000955/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR028972/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009094/2013-61 DATA DO

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE CARIACICA - IPC. Principais procedimentos Perícia Médica e Benefícios Previdenciários

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE CARIACICA - IPC. Principais procedimentos Perícia Médica e Benefícios Previdenciários INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE CARIACICA - IPC Principais procedimentos Perícia Médica e Benefícios Previdenciários APRESENTAÇÃO DE ATESTADO À CHEFIA IMEDIATA As licenças

Leia mais

Tabela de Prazos da Lei 8112/90 - Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União

Tabela de Prazos da Lei 8112/90 - Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União Tabela de Prazos da Lei 8112/90 - Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União Dispositivo Prazo Referência Art. 12 Art. 13 1º Até 2 anos Validade do concurso público - podendo ser prorrogado

Leia mais

ANEXO I DA PORTARIA de Nº 1.088/ 2014 TÍTULO I. Das Disposições Gerais

ANEXO I DA PORTARIA de Nº 1.088/ 2014 TÍTULO I. Das Disposições Gerais ANEXO I DA PORTARIA de Nº 1.088/ 2014 TÍTULO I Das Disposições Gerais Art. 1º - Todos os setores da Universidade deverão observar os procedimentos previstos na legislação pertinente e o disposto nesta

Leia mais

DECRETO Nº. 11391/2013

DECRETO Nº. 11391/2013 Publicado em 08 de maio de 2013 DECRETO Nº. 11391/2013 REGULAMENTA O PROGRAMA MUNICIPAL NITERÓI MAIS SEGURA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS O PREFEITO MUNICIPAL DE NITERÓI, com fundamento no art. 142, inciso

Leia mais

1ª EDIÇÃO CAMPOS DOS GOYTACAZES DEZEMBRO/2010

1ª EDIÇÃO CAMPOS DOS GOYTACAZES DEZEMBRO/2010 1ª EDIÇÃO CAMPOS DOS GOYTACAZES DEZEMBRO/2010 Índice Como tramita o processo...6 e 7 Abono Pecuniário... 8 Abono de Permanência... 8 Aposentadoria... 9 Auxílio Funeral...10 Auxílio Natalidade...11 Averbação

Leia mais

MANUAL PARA PREENCHIMENTO DE REQUERIMENTOS ON-LINE

MANUAL PARA PREENCHIMENTO DE REQUERIMENTOS ON-LINE SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO PÚBLICA DEPARTAMENTO DE RECURSOS EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO MANUAL PARA PREENCHIMENTO DE REQUERIMENTOS ON-LINE Mogi das Cruzes, 2010. Sumário 1. Requerimentos Disponíveis...

Leia mais

ATO Nº 382/2011. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

ATO Nº 382/2011. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, ATO Nº 382/2011 Dispõe sobre a concessão de férias no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região e dá outras providências. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de

Leia mais

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. INTRODUÇÃO O direito previdenciário é o ramo do Direito que disciplina a estrutura das organizações, o custeio, os benefícios e os beneficiários do sistema previdenciário. A

Leia mais

MANUAL DE INTEGRAÇÃO DO FUNCIONÁRIO

MANUAL DE INTEGRAÇÃO DO FUNCIONÁRIO MANUAL DE INTEGRAÇÃO DO FUNCIONÁRIO INTRODUÇÃO A partir de agora, você faz parte da família VENCER ENGENHARIA E SERVÇOS LTDA, o que é muito importante para todos nós. Sua integração será feita por meio

Leia mais

CARTILHA: DIREITOS E VANTAGENS DOS SERVIDORES PÚBLICOS UNIDADE ADMINISTRATIVO FINANCEIRA - UNAFIN

CARTILHA: DIREITOS E VANTAGENS DOS SERVIDORES PÚBLICOS UNIDADE ADMINISTRATIVO FINANCEIRA - UNAFIN CARTILHA: DIREITOS E VANTAGENS DOS SERVIDORES PÚBLICOS UNIDADE ADMINISTRATIVO FINANCEIRA - UNAFIN 1. Que vantagens além do vencimento podem ser pagas ao servidor? a) indenizações, que não se incorporam

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº01/2013-SUGEP Regulamenta as normas para concessão do Auxílio

Leia mais

Perguntas Frequentes - Trabalhista

Perguntas Frequentes - Trabalhista Perguntas Frequentes - Trabalhista 01) O empregador poderá descontar do empregado as importâncias correspondentes a danos por eles causados? 1º do art. 462 da CLT prevê a possibilidade de que, em caso

Leia mais

DIREITOS E DEVERES:TRABALHADOR E EMPREGADOR

DIREITOS E DEVERES:TRABALHADOR E EMPREGADOR DIREITOS E DEVERES:TRABALHADOR E EMPREGADOR Por intermédio destas informações, o SITRIVESCH tem por finalidade informar o trabalhador de seus direitos/deveres. Importante destacar que o não cumprimento

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA ENTREGA DE BOLETINS DE FREQUÊNCIA E DOCUMENTOS CORRELATOS NO SERVIÇO DE PESSOAL DA COORDENADORIA DO CAMPUS DE RIBEIRÃO PRETO - USP

PROCEDIMENTOS PARA ENTREGA DE BOLETINS DE FREQUÊNCIA E DOCUMENTOS CORRELATOS NO SERVIÇO DE PESSOAL DA COORDENADORIA DO CAMPUS DE RIBEIRÃO PRETO - USP UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO COORDENADORIA DO CAMPUS DE RIBEIRÃO PRETO DIVISÃO ADMINISTRATIVA SERVIÇO DE PESSOAL PROCEDIMENTOS PARA ENTREGA DE BOLETINS DE FREQUÊNCIA E DOCUMENTOS CORRELATOS NO SERVIÇO DE

Leia mais

REGULAMENTO/DIGEP Nº 003, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. considerando o Decreto nº 7.003/2009, de 9 de novembro de 2009;

REGULAMENTO/DIGEP Nº 003, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. considerando o Decreto nº 7.003/2009, de 9 de novembro de 2009; REGULAMENTO/DIGEP Nº 003, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. Estabelece orientações sobre a LICENÇA PARA TRATAMENTO DE SAÚDE E RESSARCIMENTO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE SUPLEMENTAR dos servidores do Instituto Federal

Leia mais

DECRETO JUDICIÁRIO Nº 135/2009

DECRETO JUDICIÁRIO Nº 135/2009 DECRETO JUDICIÁRIO Nº 135/2009 Dispõe sobre o registro e controle da freqüência dos servidores do Poder Judiciário. PUBLICADO NO DIÁRIO DO PODER JUDICIÁRIO NO DIA 24 DE AGOSTO DE 2009. A PRESIDENTE DO

Leia mais

TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS

TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS O SINTFUB entende que o servidor que está para aposentar tem de ter esclarecimento sobre os tipos e regras para aposentadorias hoje vigentes antes de requerer esse direito.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº XXX-CONSELHO SUPERIOR, de XXXXXXXXXX de 2015.

RESOLUÇÃO Nº XXX-CONSELHO SUPERIOR, de XXXXXXXXXX de 2015. RESOLUÇÃO Nº XXX-CONSELHO SUPERIOR, de XXXXXXXXXX de 2015. APROVA O REGULAMENTO DA JORNADA DE TRABALHO, CONTROLE DE FREQUÊNCIA, SERVIÇOS EXTRAORDINÁRIOS E ADICIONAL NOTURNO DOS SERVIDORES DO INSTITUTO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 372, DE 31 DE JULHO DE 2008

RESOLUÇÃO Nº 372, DE 31 DE JULHO DE 2008 RESOLUÇÃO Nº 372, DE 31 DE JULHO DE 2008 Dispõe sobre as férias dos servidores do Supremo Tribunal Federal. O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, no uso das atribuições que lhe confere o art. 363,

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MS000224/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 05/06/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR026711/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46312.002952/2014-59 DATA DO

Leia mais

NORMA DE PROCEDIMENTOS. Férias

NORMA DE PROCEDIMENTOS. Férias pág.: 1/6 1 Objetivo Estabelecer critérios e procedimentos para programação, concessão e pagamento de férias aos empregados da COPASA MG. 2 Referências Para aplicação desta norma poderá ser necessário

Leia mais

ATO Nº 20/2011. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

ATO Nº 20/2011. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, ATO Nº 20/2011 Disciplina a concessão de licenças-médicas aos servidores em exercício neste Regional e dá outras providências. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas

Leia mais

Recursos Humanos. Cálculos de Folha de Pagamento - Férias e Décimo-Terceiro. Férias - Finalidade. Férias - Direito. Patrícia Ramos Palmieri

Recursos Humanos. Cálculos de Folha de Pagamento - Férias e Décimo-Terceiro. Férias - Finalidade. Férias - Direito. Patrícia Ramos Palmieri Recursos Humanos Patrícia Ramos Palmieri Cálculos de Folha de Pagamento - Férias e Décimo-Terceiro 1 Férias - Finalidade A finalidade básica da concessão das férias é o restabelecimento das forças físicas

Leia mais

CLÁUSULA 1ª - DATA BASE Fica reconhecida e garantida como data-base da categoria a data de 1º de março.

CLÁUSULA 1ª - DATA BASE Fica reconhecida e garantida como data-base da categoria a data de 1º de março. PAUTA DO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO FIRMADO ENTRE O SINDICATO DOS SERVIDORES EM CONSELHOS E ORDENS DE FISCALIZAÇÃO PROFISSIONAL E ENTIDADES COLIGADAS E AFINS DO ESTADO DO ESPIRITO SANTO SINDICOES-ES E

Leia mais

PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 395/2012 O DESEMBARGADOR-PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais

PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 395/2012 O DESEMBARGADOR-PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 395/2012 O DESEMBARGADOR-PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais e tendo em vista o que dispõem os artigos

Leia mais

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO Orientador Empresarial Servidores Públicos-MTE-Controle de Frequência-REP-Identificação Biométrica PORTARIA MTE nº 206/2011-DOU:

Leia mais

NEGOCIAÇÃO COM COREN PARA ACORDO COLETIVO DE TRABALHO - PERÍODO DE 1º MAIO DE 2012 A 30 DE ABRIL DE 2013.

NEGOCIAÇÃO COM COREN PARA ACORDO COLETIVO DE TRABALHO - PERÍODO DE 1º MAIO DE 2012 A 30 DE ABRIL DE 2013. NEGOCIAÇÃO COM COREN PARA ACORDO COLETIVO DE TRABALHO - PERÍODO DE 1º MAIO DE 2012 A 30 DE ABRIL DE 2013. GARANTIA DA DATA BASE Fica estabelecido primeiro de maio como data base da categoria REAJUSTE SALARIAL

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA N 119, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010

PORTARIA NORMATIVA N 119, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010 INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE PORTARIA NORMATIVA N 119, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010 Dispõe sobre o horário de funcionamento do Instituto Chico Mendes, jornada de trabalho e controle

Leia mais

Orientações aos servidores do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA) quanto aos procedimentos relativos à perícia médica e

Orientações aos servidores do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA) quanto aos procedimentos relativos à perícia médica e Orientações aos servidores do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA) quanto aos procedimentos relativos à perícia médica e odontológica através da UNIDADE SIASS/INSS, de que trata

Leia mais

NORMA PROCEDIMENTAL PROGRAMAÇÃO, REPROGRAMAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE FÉRIAS. Servidores docentes e técnico-administrativos da UFTM.

NORMA PROCEDIMENTAL PROGRAMAÇÃO, REPROGRAMAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE FÉRIAS. Servidores docentes e técnico-administrativos da UFTM. 50.05.009 1/7 1. FINALIDADE Regulamentar os procedimentos relacionados à programação, reprogramação e homologação de férias dos servidores da UFTM. 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO Servidores docentes e técnico-administrativos

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000953/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029282/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009097/2013-02 DATA DO

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 016/2012

ATO NORMATIVO Nº 016/2012 ATO NORMATIVO Nº 016/2012 Dispõe sobre o horário de expediente e a jornada de trabalho dos servidores, no âmbito do Ministério Público do Estado da Bahia, e dá outras providências. O PROCURADOR-GERAL DE

Leia mais

Secretaria de Gestão de Pessoas

Secretaria de Gestão de Pessoas Secretaria de Gestão de Pessoas Organograma Secretaria de Gestão de Pessoas Gerência de Dados Funcionais e Financeiros Anotação de tempo de serviço Empresa privada Contado para aposentadoria para editar

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SINOP ESTADO DE MATO GROSSO INSTRUÇÃO NORMATIVA SRH 001/2010

CÂMARA MUNICIPAL DE SINOP ESTADO DE MATO GROSSO INSTRUÇÃO NORMATIVA SRH 001/2010 CÂMARA MUNICIPAL DE SINOP ESTADO DE MATO GROSSO INSTRUÇÃO NORMATIVA SRH 001/2010 Versão: 02 Aprovação em: 20/10/2014 Unidade Responsável: Secretaria de Administração e Finanças - SAF SRH: Sistema Recursos

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO Nº 010/2001

ORDEM DE SERVIÇO Nº 010/2001 ORDEM DE SERVIÇO Nº 010/2001 Estabelece normatização quanto à frequência, assiduidade e questões funcionais dos servidores além dos fluxos de encaminhamento dos documentos e seu posterior arquivamento.

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/1993 SESI/DR SERVIÇO SOCIAL DA INDUSTRIA SINDAF/DF

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/1993 SESI/DR SERVIÇO SOCIAL DA INDUSTRIA SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/1993 SESI/DR SERVIÇO SOCIAL DA INDUSTRIA SINDAF/DF PRIMEIRO TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CELEBRADA EM 30 DE AGOSTO DE 1993. ENTRE O SINDICATO DOS EMPREGADOS

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense - Reitoria

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense - Reitoria AUXÍLIO-TRANSPORTE Eu,, [nome completo do servidor (a)] 1) DECLARO PARA FINS DE PERCEPÇÃO DE AUXÍLIO-TRANSPORTE, e sob as penas da lei que: Ocupo o cargo de: Matrícula SIAPE n : Local de exercício das

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº 10.435, de 24 de abril de 2002

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº 10.435, de 24 de abril de 2002 NORMA PARA PARTICIPAÇÃO DOS SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DA, EM TREINAMENTO REGULARMENTE INSTITUÍDO EDUCAÇÃO FORMAL CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Estabelece critérios para participação

Leia mais

PORTARIA Nº 2.561, DE 16 DE AGOSTO DE 1995.

PORTARIA Nº 2.561, DE 16 DE AGOSTO DE 1995. PORTARIA Nº 2.561, DE 16 DE AGOSTO DE 1995. O MINISTRO DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL E REFORMA DO ESTADO, no uso das suas atribuições e tendo em vista o disposto no art. 10, do Decreto nº 1.590, de

Leia mais

Orientações aos estagiários sobre a jornada de trabalho

Orientações aos estagiários sobre a jornada de trabalho Orientações aos estagiários sobre a jornada de trabalho Subprocuradoria-Geral de Justiça para Assuntos Administrativos Diretoria-Geral edifício-sede do Ministério Público sala 225 62 3243-8312 diretoria@mpgo.mp.br

Leia mais

NORMA 1 OBJETIVO. Estabelecer diretrizes para concessão e pagamento de férias. 2 CONCEITOS. 2.1 Abono Pecuniário

NORMA 1 OBJETIVO. Estabelecer diretrizes para concessão e pagamento de férias. 2 CONCEITOS. 2.1 Abono Pecuniário 1/6 1 OBJETIVO Estabelecer diretrizes para concessão e pagamento de férias. 2 CONCEITOS 2.1 Abono Pecuniário Valor pago ao beneficiário que optar expressamente por converter 1/3 (um terço) do seu período

Leia mais

SECRETARIA DA ADMINISTRAÇÃO PENITENCIÁRIA DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS Equipe de Assistência Técnica MANUAL DRHU/SAP ASSUNTO: HORÁRIO DE TRABALHO

SECRETARIA DA ADMINISTRAÇÃO PENITENCIÁRIA DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS Equipe de Assistência Técnica MANUAL DRHU/SAP ASSUNTO: HORÁRIO DE TRABALHO MANUAL DRHU/SAP ASSUNTO: HORÁRIO DE TRABALHO E REGISTRO DE PONTO/FREQÜÊNCIA 1 HORÁRIO DE TRABALHO REGISTRO DE PONTO REGISTRO DE FREQÜÊNCIA JORNADA DE TRABALHO 1- Para os que prestam 40 (quarenta) horas

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Página 1 de 5 Imprimir Salvar TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001556/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 20/04/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR076938/2014

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL DAP/GEPE/UFF

DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL DAP/GEPE/UFF DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL DAP/GEPE/UFF AGOSTO de 2014 Direção: Marlette Rose Galvão Alves Organograma elaborado com base na Portaria nº 45.242,de 21/07/2011-BS nº 117/2011 Departamento de

Leia mais

INFORMATIVO PREVIQUAM.

INFORMATIVO PREVIQUAM. INFORMATIVO PREVIQUAM. INSTITUIDO PELA LEI Nº. 480 DE 24/03/1994 O QUE É PREVIQUAM? É uma autarquia com personalidade jurídica própria que destina-se a assegurar aos Servidores públicos Municipais de São

Leia mais

Para efeito desta Lei:

Para efeito desta Lei: LEI ORDINARIA n 39/1993 de 17 de Dezembro de 1993 (Mural 17/12/1993) Estabelece o Plano de carreira do Magistério público do Município, institui o respectivo quadro de cargos e dá outras providências.

Leia mais

ATO DO 1º SECRETÁRIO Nº 2, DE 2013.

ATO DO 1º SECRETÁRIO Nº 2, DE 2013. ATO DO 1º SECRETÁRIO Nº 2, DE 2013. Regulamenta o controle do cumprimento da jornada e do horário de trabalho pelos servidores do Senado Federal, nos termos do Ato da Comissão Diretora nº 7, de 2010. O

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR MPR-007/SGP Revisão 00 Assunto: Aprovada por: LICENÇA À GESTANTE, À ADOTANTE E PATERNIDADE DOS SERVIDORES OCUPANTES DE CARGOS EFETIVOS E OCUPANTES DE CARGO EM COMISSÃO SEM VÍNCULO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 93, DE 27 DE MAIO DE 2010.

RESOLUÇÃO Nº 93, DE 27 DE MAIO DE 2010. Dispõe sobre a concessão de estágio a estudantes no âmbito do Ministério Público do Trabalho. O DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO, no exercício da competência fixada na Lei Complementar n 75/2003; CONSIDERANDO

Leia mais

Regime Jurídico Único Lei nº. 8.112/1990

Regime Jurídico Único Lei nº. 8.112/1990 Integração Regime Jurídico Único Lei nº. 8.112/1990 André Luís dos Santos Lana O que é Regime Jurídico? O regime jurídico é a lei com base na qual são definidos os direitos, deveres garantias, vantagens,

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 530, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014.

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 530, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014. RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 530, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014. Dispõe sobre a criação de estágio para estudantes de pós-graduação, denominado PGE Residência, no âmbito da Procuradoria-Geral do

Leia mais