ARGENTINA. Comércio Exterior

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ARGENTINA. Comércio Exterior"

Transcrição

1 Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ARGENTINA Comércio Exterior Janeiro de 2016

2 Principais Indicadores Socioeconômicos da Argentina Indicador (1) 2016 (1) 2017 (1) Crescimento real do PIB (%) 2,89% 0,47% 0,41% -0,75% 0,00% PIB nominal (US$ bilhões) 622,05 543,06 578,71 578,69 589,59 PIB nominal "per capita" (US$) PIB PPP (US$ bilhões) 931,30 951,00 964,28 968,48 985,40 PIB PPP "per capita" (US$) População (milhões de habitantes) 42,20 42,64 43,10 43,56 44,05 Desemprego (%) 7,08% 7,25% 6,92% 8,38% 8,69% Inflação (%) 10,95% 23,92% 19,31% 26,41% 25,16% Saldo em transações correntes (% do PIB) -0,78% -1,04% -1,76% -1,57% -1,22% Dívida externa (US$ bilhões) 133,27 139,56 134,76 138,79 148,22 Câmbio (Ps / US$) 5,46 8,08 9,42 15,49 17,37 Origem do PIB ( 2014 Estimativa ) Agricultura Indústria Serviços 10,2% 29,5% 60,3% Elaborado pelo MRE/DPR/DIC - Divisão de Inteligência Comercial, com base nos dados do IMF - World Economic Outlook Database, October 2015 e da EIU, Economist Intelligence Unit, Country Report January (1) Estimativas FMI e EIU. (2) Média de fim de periodo. 3,50% 3,00% 2,50% 2,00% 1,50% 1,00% 0,50% 0,00% -0,50% -1,00% Crescimento real do PIB (%) ,00% -0,50% -1,00% -1,50% -2,00% Saldo em transações correntes (% do PIB) Inflação (%) População (milhões de habitantes) 30,00% 44,50 25,00% 44,00 20,00% 15,00% 10,00% 5,00% 43,50 43,00 42,50 42,00 41,50 0,00% ,

3 Anos Evolução do Comércio Exterior da Argentina Exportações Var. % em relação ao ano anterior US$ bilhões Importações Var. % em relação ao ano anterior Intercâmbio comercial Var. % em relação ao ano anterior Saldo comercial ,1 16,0% 28,7 27,8% 68,8 20,6% 11, ,5 16,1% 34,2 19,0% 80,7 17,3% 12, ,8 19,8% 44,7 30,9% 100,5 24,5% 11, ,0 25,5% 57,5 28,5% 127,5 26,9% 12, ,7-20,5% 38,8-32,5% 94,5-25,9% 16, ,2 22,5% 56,8 46,4% 125,0 32,3% 11, ,1 23,3% 74,3 30,9% 158,4 26,7% 9, ,9-3,7% 68,5-7,8% 149,4-5,6% 12, ,6-5,3% 73,7 7,5% 150,3 0,6% 3, ,3-10,8% 65,3-11,3% 133,7-11,1% 3,0 2015(jan-jun) 28,3-18,3% 29,1-13,3% 57,2-16,1% -0,8 Var. % ,4% ,7% -- 94,3% -- n.c. Elaborado pelo MRE/DPR/DIC - Divisão de Inteligência Comercial, com base em dados da UN/UNCTAD/ITC/TradeMap, January (n.c.) Dado não calculado, por razões específicas. -18,32% -13,25% -16,10% Exportações Importações Intercâmbio comercial Saldo comercial

4 Direção das Exportações da Argentina US$ bilhões Países Brasil 13,9 20,3% China 4,5 6,5% Estados Unidos 4,0 5,9% Chile 2,8 4,1% Venezuela 2,0 2,9% Índia 1,8 2,6% Espanha 1,7 2,5% Canadá 1,7 2,4% Argélia 1,6 2,3% Países Baixos 1,6 2,3% Subtotal 35,5 51,9% Outros países 32,8 48,1% Total 68,3 100,0% Elaborado pelo MRE/DPR/DIC - Divisão de Inteligência Comercial, com base em dados da UN/UNCTAD/ITC/TradeMap, January principais destinos das exportações Brasil 20,3% China 6,5% Estados Unidos 5,9% Chile 4,1% Venezuela 2,9% Índia 2,6% Espanha 2,5% Canadá 2,4% Argélia 2,3% Países Baixos 2,3%

5 Origem das Importações da Argentina US$ bilhões Países Brasil 14,2 21,8% China 10,7 16,4% Estados Unidos 8,8 13,5% Alemanha 3,5 5,4% Bolívia 2,7 4,2% Trinidad e Tobago 1,8 2,8% México 1,6 2,5% Itália 1,6 2,5% França 1,4 2,2% Japão 1,4 2,1% Subtotal 47,9 73,3% Outros países 17,4 26,7% Total 65,3 100,0% Elaborado pelo MRE/DPR/DIC - Divisão de Inteligência Comercial, com base em dados da UN/UNCTAD/ITC/TradeMap, January principais origens das importações Brasil 21,8% China 16,4% Estados Unidos 13,5% Alemanha 5,4% Bolívia 4,2% Trinidad e Tobago 2,8% México 2,5% Itália 2,5% França 2,2% Japão 2,1%

6 Composição das exportações da Argentina US$ bilhões Grupos de Produtos Desperdícios das inds alimentares 12,8 18,8% Automóveis 8,3 12,2% Cereais 5,2 7,7% Gorduras e óleos 4,3 6,3% Soja em grãos e sementes 4,2 6,2% Combustíveis 3,2 4,7% Diversos inds químicas 2,2 3,2% Ouro e pedras preciosas 2,1 3,0% Carnes 1,8 2,7% Máquinas mecânicas 1,6 2,3% Subtotal 45,8 67,1% Outros 22,5 32,9% Total 68,3 100,0% Elaborado pelo MRE/DPR/DIC - Divisão de Inteligência Comercial, com base em dados da UN/UNCTAD/ITC/TradeMap, January principais grupos de produtos exportados Outros 32,9% Desperdícios das inds alimentares 18,8% Automóveis 12,2% Máquinas mecânicas 2,3% Carnes 2,7% Cereais 7,7% Ouro e pedras preciosas 3,0% Diversos inds químicas 3,2% Combustíveis 4,7% Soja em grãos e sementes 6,2% Gorduras e óleos 6,3%

7 Composição das importações da Argentina US$ bilhões Grupos de produtos Combustíveis 11,0 16,9% Máquinas mecânicas 9,6 14,7% Automóveis 8,8 13,4% Máquinas elétricas 7,2 11,0% Químicos orgânicos 3,0 4,6% Plásticos 2,6 3,9% Farmacêuticos 2,1 3,3% Instrumentos de precisão 1,6 2,5% Diversos inds químicas 1,5 2,4% Borracha 1,2 1,8% Subtotal 48,6 74,4% Outros 16,7 25,6% Total 65,3 100,0% Elaborado pelo MRE/DPR/DIC - Divisão de Inteligência Comercial, com base em dados da UN/UNCTAD/ITC/TradeMap, January principais grupos de produtos importados Outros 25,6% Combustíveis 16,9% Máquinas mecânicas 14,7% Borracha 1,8% Diversos inds químicas 2,4% Instrumentos de precisão 2,5% Farmacêuticos 3,3% Plásticos 3,9% Químicos orgânicos 4,6% Máquinas elétricas 11,0% Automóveis 13,4%

8 Evolução do intercâmbio comercial Brasil - Argentina US$ milhões Exportações Importações Intercâmbio Comercial Anos Var.% Part. % do Brasil Var.% Part. % do Brasil Var.% Part. % do Brasil Saldo ,2% 8,52% ,0% 8,82% ,4% 8,64% ,8% 8,97% ,2% 8,63% ,4% 8,82% ,1% 8,89% ,4% 7,66% ,3% 9,25% ,4% 8,36% ,9% 8,83% ,0% 8,57% ,9% 9,17% ,9% 7,94% ,9% 8,59% ,6% 8,87% ,1% 7,47% ,2% 8,21% ,7% 7,42% ,7% 7,37% ,1% 7,39% ,0% 8,10% ,1% 6,87% ,8% 7,49% ,2% 6,34% ,1% 6,17% ,2% 6,26% ,4% 6,70% ,3% 6,00% ,8% 5,08% Var. % ,0% -- 27,7% -- 16,6% -- n.c. Elaborado pelo MRE/DPR/DIC - Divisão de Inteligência Comercial, com base em dados do MDIC/SECEX/Aliceweb, Janeiro de (n.c.) Dado não calculado, por razões específicas Exportações Importações Intercâmbio Comercial Saldo

9 Part. % do Brasil no Comércio da Argentina US$ milhões Descrição Var. % 2010/2014 Exportações do Brasil para a Argentina (X1) ,9% Importações totais da Argentina (M1) ,0% Part. % (X1 / M1) 32,61% 30,56% 26,27% 26,63% 21,86% -33,0% Importações do Brasil originárias da Argentina (M2) ,0% Exportações totais da Argentina (X2) ,2% Part. % (M2 / X2) 21,17% 20,11% 20,32% 21,48% 20,70% -2,2% Elaborado pelo MRE/DPR/DIC - Divisão de Inteligência Comercial, com base em dados do MDIC/SECEX/AliceWeb e UN/UNCTAD/ITC/TradeMap. As discrepâncias observadas nas estatísticos das exportações brasileiras e das importações da Argentina e vice-versa explicam-se pelo uso de fontes distintas e também por diferentes metodologias de cálculo. 35,00% 30,00% 25,00% 20,00% 15,00% 10,00% 5,00% Part. % (X1 / M1) Part. % (M2 / X2) 0,00%

10 Exportações e importações brasileiras por fator agregado Comparativo 2015 com 2014 Exportações Brasileiras (1) Básicos 8,2% Semimanuf aturados 2,3% Básicos 4,5% Semimanuf aturados 2,4% Manufatura dos 89,5% Manufatura dos 93,0% Importações Brasileiras 2014 Básicos 11,0% Semimanuf aturados 3,7% 2015 Básicos 16,5% Semimanuf aturados 3,7% Manufatura dos 85,3% Manufatura dos 79,9% Elaborado pelo MRE/DPR/DIC - Divisão de Inteligência Comercial, com base em dados do MDIC/SECEX/Aliceweb, Janeiro de (1) Exclusive transações especiais.

11 Composição das exportações brasileiras para a Argentina US$ milhões Grupos de Produtos Automóveis ,9% ,0% ,6% Máquinas mecânicas ,5% ,7% ,4% Plásticos 852 4,3% 776 5,4% 682 5,3% Máquinas elétricas 865 4,4% 718 5,0% 595 4,6% Ferro e aço 631 3,2% 498 3,5% 548 4,3% Papel 407 2,1% 384 2,7% 400 3,1% Minérios 967 4,9% ,1% 397 3,1% Borracha 529 2,7% 432 3,0% 388 3,0% Químicos inorgânicos 300 1,5% 349 2,4% 246 1,9% Químicos orgânicos 421 2,1% 346 2,4% 238 1,9% Subtotal ,7% ,3% ,2% Outros produtos ,3% ,7% ,8% Total ,0% ,0% ,0% Elaborado pelo MRE/DPR/DIC - Divisão de Inteligência Comercial, com base em dados do MDIC/SECEX/Aliceweb, Janeiro de Principais grupos de produtos exportados pelo Brasil, 2015 Automóveis 40,6% Máquinas mecânicas 10,4% Plásticos Máquinas elétricas Ferro e aço Papel Minérios Borracha Químicos inorgânicos Químicos orgânicos 5,3% 4,6% 4,3% 3,1% 3,1% 3,0% 1,9% 1,9%

12 Composição das importações brasileiras originárias da Argentina US$ milhões Grupos de Produtos Automóveis ,1% ,9% ,2% Cereais ,1% 724 5,1% ,8% Plásticos 683 4,1% 765 5,4% 537 5,2% Máquinas mecânicas 736 4,5% 675 4,8% 418 4,1% Diversos inds químicas 325 2,0% 362 2,6% 375 3,6% Amidos e féculas 313 1,9% 396 2,8% 337 3,3% Combustíveis ,2% 699 4,9% 311 3,0% Preparações hortícolas 337 2,0% 294 2,1% 244 2,4% Óleos essenciais 275 1,7% 298 2,1% 239 2,3% Frutas 299 1,8% 269 1,9% 196 1,9% Subtotal ,5% ,6% ,9% Outros produtos ,5% ,4% ,1% Total ,0% ,0% ,0% Elaborado pelo MRE/DPR/DIC - Divisão de Inteligência Comercial, com base em dados do MDIC/SECEX/Aliceweb, Janeiro de Principais grupos de produtos importados pelo Brasil, 2015 Automóveis 42,2% Cereais 10,8% Plásticos Máquinas mecânicas Diversos inds químicas Amidos e féculas Combustíveis Preparações hortícolas Óleos essenciais Frutas 5,2% 4,1% 3,6% 3,3% 3,0% 2,4% 2,3% 1,9%

URUGUAI. Comércio Exterior

URUGUAI. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC URUGUAI Comércio Exterior Janeiro de 2016 Principais indicadores

Leia mais

ESTADOS UNIDOS. Comércio Exterior

ESTADOS UNIDOS. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ESTADOS UNIDOS Comércio Exterior Março de 2016 Principais Indicadores

Leia mais

ISLÂNDIA. Comércio Exterior

ISLÂNDIA. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ISLÂNDIA Comércio Exterior Fevereiro de 2016 Principais indicadores

Leia mais

NOVA ZELÂNDIA. Comércio Exterior

NOVA ZELÂNDIA. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC NOVA ZELÂNDIA Comércio Exterior Março de 2016 Principais indicadores

Leia mais

SENEGAL Comércio Exterior

SENEGAL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC SENEGAL Comércio Exterior Agosto de 2015 Principais Indicadores

Leia mais

DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS I R A Q U E

DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS I R A Q U E Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS I R

Leia mais

JAPÃO Comércio Exterior

JAPÃO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC JAPÃO Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

GUIANA Comércio Exterior

GUIANA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC GUIANA Comércio Exterior Novembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Bahamas Comércio Exterior

Bahamas Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC Bahamas Comércio Exterior Novembro de 215 Tabela 1 Principais Indicadores

Leia mais

PORTUGAL Comércio Exterior

PORTUGAL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC PORTUGAL Comércio Exterior Abril de 2015 Principais Indicadores

Leia mais

LÍBANO Comércio Exterior

LÍBANO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC LÍBANO Comércio Exterior Junho de 2014 Índice. Dados Básicos. Principais

Leia mais

HAITI Comércio Exterior

HAITI Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC HAITI Comércio Exterior Outubro de 2015 Tabela 1 Principais Indicadores

Leia mais

ARGENTINA Comércio Exterior

ARGENTINA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ARGENTINA Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

AUSTRÁLIA Comércio Exterior

AUSTRÁLIA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC AUSTRÁLIA Comércio Exterior Junho de 2015 Principais Indicadores

Leia mais

GRÉCIA Comércio Exterior

GRÉCIA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC GRÉCIA Comércio Exterior Abril de 2015 Principais Indicadores Econômicos

Leia mais

NEPAL Comércio Exterior

NEPAL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC NEPAL Comércio Exterior Fevereiro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

LIBÉRIA Comércio Exterior

LIBÉRIA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC LIBÉRIA Comércio Exterior Setembro de 2015 Tabela 1 Principais

Leia mais

BRASIL Comércio Exterior

BRASIL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC BRASIL Comércio Exterior Novembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

PAÍSES BAIXOS Comércio Exterior

PAÍSES BAIXOS Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC PAÍSES BAIXOS Comércio Exterior Outubro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

ESPANHA DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS

ESPANHA DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS ESPANHA

Leia mais

VANUATU Comércio Exterior

VANUATU Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC VANUATU Comércio Exterior Abril de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASIL / MERCOSUL

BALANÇA COMERCIAL BRASIL / MERCOSUL BALANÇA COMERCIAL Tatiana Lacerda Prazeres Secretária de Comércio Exterior Indicadores Sócioeconômicos dos Países do Mercosul 2010 BRASIL ARGENTINA PARAGUAI URUGUAI PIB (US$ bi) 2.090,3 370,3 18,5 40,3

Leia mais

UNASUL Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

UNASUL Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC UNASUL Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil Agosto

Leia mais

CAZAQUISTÃO Comércio Exterior

CAZAQUISTÃO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC CAZAQUISTÃO Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Relações Comerciais Brasil-Alemanha

Relações Comerciais Brasil-Alemanha Relações Comerciais Brasil-Alemanha Balança Comercial Brasil Alemanha / 2002 Mar 2015 (em mil US$ - FOB) Ano Exportação Importação Saldo Volume de Comércio 2002 2.539.954 4.418.971-1.879.016 6.958.926

Leia mais

BANGLADESH Comércio Exterior

BANGLADESH Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC BANGLADESH Comércio Exterior Fevereiro de 2015 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO DAS RELAÇÕES ECONÔMICAS E COMERCIAIS. BRASIL x CHINA

SUMÁRIO EXECUTIVO DAS RELAÇÕES ECONÔMICAS E COMERCIAIS. BRASIL x CHINA Ministério das Relações Exteriores MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos DPR Divisão de Inteligência Comercial DIC SUMÁRIO EXECUTIVO DAS RELAÇÕES ECONÔMICAS E COMERCIAIS BRASIL x CHINA

Leia mais

BULGÁRIA DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS

BULGÁRIA DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS BULGÁRIA

Leia mais

REINO UNIDO Comércio Exterior

REINO UNIDO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC REINO UNIDO Comércio Exterior Setembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

RÚSSIA Comércio Exterior

RÚSSIA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC RÚSSIA Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

CHILE Comércio Exterior

CHILE Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC CHILE Comércio Exterior Abril de 2014 Índice. Dados Básicos. Principais

Leia mais

COREIA DO NORTE Comércio Exterior

COREIA DO NORTE Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC COREIA DO NORTE Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados

Leia mais

SURINAME Comércio Exterior

SURINAME Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC SURINAME Comércio Exterior Novembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

COREIA DO SUL Comércio Exterior

COREIA DO SUL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC COREIA DO SUL Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados

Leia mais

Países Íbero-Americanos Comércio Exterior

Países Íbero-Americanos Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC Países Íbero-Americanos Comércio Exterior Setembro de 2014 Índice.

Leia mais

BELIZE Comércio Exterior

BELIZE Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC BELIZE Comércio Exterior Setembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG. Vale do Rio Grande

PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG. Vale do Rio Grande PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG Vale do Rio Grande Julho/2016 Objetivo Prover informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria no Estado de Minas Gerais e nas Regionais

Leia mais

LIGA ÁRABE Comércio Exterior

LIGA ÁRABE Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC LIGA ÁRABE Comércio Exterior Outubro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

AUSTRÁLIA Comércio Exterior

AUSTRÁLIA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC AUSTRÁLIA Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

PAPUA NOVA GUINÉ Comércio Exterior

PAPUA NOVA GUINÉ Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC PAPUA NOVA GUINÉ Comércio Exterior Abril de 2014 Índice. Dados

Leia mais

Resultados de Junho de 2014

Resultados de Junho de 2014 Junho / 2014 Resultados de Junho de 2014 - Exportação: US$ 20,5 bi, em valor, e média diária de US$ 1,023 bilhão; sobre mai-14, aumento de 3,6%, pela média diária; sobre jun-13, redução de 3,5%, pela média

Leia mais

Associação Latino-Americana de Integração Comércio Exterior

Associação Latino-Americana de Integração Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC Associação Latino-Americana de Integração Comércio Exterior Outubro

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL GOIANA OUTUBRO 2015 Dados preliminares

BALANÇA COMERCIAL GOIANA OUTUBRO 2015 Dados preliminares BALANÇA COMERCIAL GOIANA OUTUBRO 2015 Dados preliminares 1 BALANÇA COMERCIAL GOIÁS OUTUBRO 2015 US$ FOB MÊS EXPORTAÇÕES IMPORTAÇÕES SALDO OUTUBRO/2015 516.095.546 262.729.719 253.365.827 2 EVOLUÇÃO DA

Leia mais

UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

Leia mais

Perfil País. Moçambique

Perfil País. Moçambique Perfil País Moçambique Elaborado pela: Unidade de - ic@apexbrasil.com.br Apex-Brasil Tel: +55 613426.0202 Fax: +55 613426.0332 www.apexbrasil.com.br 1 Moçambique Indicadores Econômicos Crescimento do PIB

Leia mais

ILHAS SALOMÃO Comércio Exterior

ILHAS SALOMÃO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ILHAS SALOMÃO Comércio Exterior Abril de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL Março/2014 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Mundial 05. População

Leia mais

Números da Indústria Gráfica Brasileira

Números da Indústria Gráfica Brasileira Ago/2016 Números da Indústria Gráfica Brasileira Números da Indústria Gráfica Brasileira Jun/2016 INDÚSTRIA GRÁFICA BRASILEIRA Exportação Importação Indústria Gráfica Brasileira em 2015 FOB - US$ 270,4

Leia mais

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO JOÃO CRUZ REIS FILHO SECRETÁRIO DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Brasília/DF JULHO DE 2015 22 CENÁRIO POPULACIONAL

Leia mais

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais.

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Dezembro/2014 OBJETIVO Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Permitir ainda, uma análise comparativa da evolução

Leia mais

Sudão COMERCIO EXTERIOR

Sudão COMERCIO EXTERIOR Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC Sudão COMERCIO EXTERIOR JANEIRO / 2014 SUDÃO Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Ministério das Relações Exteriores Departamento de Promoção Comercial e Investimentos Divisão de Inteligência Comercial

Ministério das Relações Exteriores Departamento de Promoção Comercial e Investimentos Divisão de Inteligência Comercial Ministério das Relações Exteriores Departamento de Promoção Comercial e Investimentos Divisão de Inteligência Comercial Guia de Negócios Sudão do Sul Guia de Negócios Sudão do Sul Guia de Negócios SUDÃO

Leia mais

GEOGRAFIA 9 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE

GEOGRAFIA 9 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE GEOGRAFIA 9 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade II Comunicação e tecnologia. 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 7.2 Conteúdos A presença da economia

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JULHO Exportações As exportações da indústria atingiram o nível mais baixo desde 2006 para o

Leia mais

EUA - Síntese País. Informação Geral sobre os EUA. Principais Indicadores Macroeconómicos dos EUA

EUA - Síntese País. Informação Geral sobre os EUA. Principais Indicadores Macroeconómicos dos EUA Informação Geral sobre os EUA Área (km 2 ): 9 161 923 Vice-Presidente: Joseph R. Biden População (milhões hab.): 321,3 (2015) Risco de crédito: (**) Capital: Washington, D.C. Risco do país: AA (AAA = risco

Leia mais

Desempenho da Indústria Catarinense

Desempenho da Indústria Catarinense FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA Desempenho da Indústria Catarinense Florianópolis, 20 de março de 2015 SANTA CATARINA e BRASIL Desempenho econômico em 2015 INDICADOR SANTA CATARINA

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 4,0 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DO ANO

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 4,0 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DO ANO São Paulo, 20 de março de 2016 Fevereiro 2016 BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 4,0 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DO ANO Em fevereiro, a corrente de comércio brasileira totalizou US$ 23,7 bilhões,

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal dezembro 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM AGOSTO Exportações As exportações da indústria registraram o nível mais baixo para o mês desde

Leia mais

Indicadores de Exportação e Importação. Dados de Comércio de Importação e Exportação de Biscoitos e outros derivados.

Indicadores de Exportação e Importação. Dados de Comércio de Importação e Exportação de Biscoitos e outros derivados. Dados de Comércio de Importação e Exportação de Biscoitos e outros derivados. Dados extraídos em 17.06.2013 Relação dos Códigos NCM s utilizados: Indicadores de Exportação e Importação NCM Bolachas e biscoitos

Leia mais

NOTA TÉCNICA CHINA. Período: 2014 / 2015* *Valores em US$ FOB. Fonte: Aliceweb/Exportaminas. BALANÇA COMERCIAL BRASIL X CHINA

NOTA TÉCNICA CHINA. Período: 2014 / 2015* *Valores em US$ FOB. Fonte: Aliceweb/Exportaminas. BALANÇA COMERCIAL BRASIL X CHINA NOTA TÉCNICA CHINA Período: 2014 / 2015* *Valores em US$ FOB. Fonte: Aliceweb/. Brasil Gráfico 1. BALANÇA COMERCIAL BRASIL X CHINA Balança Comercial Brasil X China 40.616 37.345 35.608 30.719 US$ 2014

Leia mais

Risco do país: D (A1 = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: Bounnhang Vorachith Tx. câmbio (fim do período): 1 EUR = K (2015)

Risco do país: D (A1 = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: Bounnhang Vorachith Tx. câmbio (fim do período): 1 EUR = K (2015) Informação Geral sobre o Laos Área (km 2 ): 236 800 Primeiro-Ministro: Thongloun Sisoulith População (milhões hab.): 7,0 (estimativa 2015) Risco de crédito: 7 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital:

Leia mais

3º Trimestre de 2011

3º Trimestre de 2011 Contas Nacionais Trimestrais Indicadores de Volume e Valores Correntes 3º Trimestre de 2011 Coordenação de Contas Nacionais 06 de dezembro de 2011 Revisões nas Contas Nacionais Trimestrais No 3º trimestre

Leia mais

DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS R E P Ú B L I C A P O P U L A R D A C H I N A

DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS R E P Ú B L I C A P O P U L A R D A C H I N A MRE - Ministério das Relações Exteriores DPR - Departamento de Promoção Comercial DIC - Divisão de Informação Comercial DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES R E P Ú B L I C A P O P U L A R D A C H I

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2012

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2012 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2012 US$ milhões FOB Período Dias Úteis EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia útil p/dia

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro 2013 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM 2013 Exportações A contabilização como exportação de três plataformas de petróleo e gás somou

Leia mais

Risco do país: BB (AAA = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: Xi Jinping Tx. câmbio (média): 1 EUR = 7,4537 CNY (agosto 2016)

Risco do país: BB (AAA = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: Xi Jinping Tx. câmbio (média): 1 EUR = 7,4537 CNY (agosto 2016) Informação Geral sobre a China Área (km 2 ): 9 561 000 Primeiro-Ministro: Li Keqiang População (milhões hab.): 1 361 (estimativa 2015) Risco de crédito: 2 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Beijing

Leia mais

2º Seminário sobre Comércio Internacional CNI-IBRAC Política Comercial no Novo Governo

2º Seminário sobre Comércio Internacional CNI-IBRAC Política Comercial no Novo Governo 2º Seminário sobre Comércio Internacional CNI-IBRAC Política Comercial no Novo Governo André Alvim de Paula Rizzo Secretário Executivo da CAMEX Confederação Nacional da Indústria - CNI Brasília, 12 de

Leia mais

DADOS GERAIS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES SÓCIO-ECONÔMICOS E COMERCIAIS EGITO

DADOS GERAIS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES SÓCIO-ECONÔMICOS E COMERCIAIS EGITO DADOS GERAIS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES Indice: - Dados Gerais Básicos e Indicadores Sócio-Econômicos - Balanço de Pagamentos - Comércio Exterior - Composição do Comércio Exterior - Direção do Comércio

Leia mais

Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Exportaminas

Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Exportaminas NOTA TÉCNICA MERCOSUL Estados Associados* 2010-2014 * Mercado Comum do Sul Estados Associados é composto por República do Chile, República da Colômbia, República do Equador, República Cooperativa da Guiana,

Leia mais

Comércio Internacional Português

Comércio Internacional Português Evolução das Exportações Portuguesas de Bens eiro a o de 2012 Comércio Internacional Português Exportações Portuguesas de Bens eiro a o de 2012 Informação Portugal, 10 de ho de 2012 Evolução das Exportações

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. Sede Nacional - SP

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. Sede Nacional - SP ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Sede Nacional - SP Fundação: 1937 - origem em um sindicato têxtil; Possui 1.200 empresas associadas e representa 4,5 mil empresas; Sede nacional

Leia mais

Costa do Marfim - Síntese País

Costa do Marfim - Síntese País Informação Geral sobre a Costa do Marfim Área (km 2 ): 322 463 Primeiro-Ministro: Daniel Kablan Duncan População (milhões hab.): 20,8 (Banco Mundial 2014) Risco de crédito: 6 (1 = risco menor; 7 = risco

Leia mais

NOTA TÉCNICA. Bélgica. Período: 2010 a 2015*

NOTA TÉCNICA. Bélgica. Período: 2010 a 2015* NOTA TÉCNICA Bélgica Período: 2010 a 2015* *de 2010 a 2014 foram considerados valores em US$ de janeiro a dezembro. Para 2015 foram considerados os valores em US$ acumulados entre janeiro e agosto do ano

Leia mais

Políticas Públicas. Lélio de Lima Prado

Políticas Públicas. Lélio de Lima Prado Políticas Públicas Lélio de Lima Prado Política Cambial dez/03 abr/04 ago/04 dez/04 abr/05 ago/05 Evolução das Reservas internacionais (Em US$ bilhões) dez/05 abr/06 ago/06 dez/06 abr/07 ago/07 dez/07

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DA ITÁLIA PARA O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO BRASIL

A CONTRIBUIÇÃO DA ITÁLIA PARA O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO BRASIL A CONTRIBUIÇÃO DA ITÁLIA PARA O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO BRASIL 1 Entre 2002 e 2013 o intercâmbio entre a Itália e o Brasil cresceu 211% 12 11,7 10,8 10,8 10 9,4 9,1 8 6 4 3,6 4 5 5,5 6,4 7,8 6,7 2

Leia mais

São Tomé e Príncipe - Síntese País e Relacionamento Bilateral

São Tomé e Príncipe - Síntese País e Relacionamento Bilateral São Tomé e Príncipe - Síntese País e Relacionamento Bilateral Informação Geral sobre São Tomé e Príncipe Área (km 2 ): 1.001 Primeiro-Ministro: Gabriel Costa População (milhares hab.): 186,817 (estimativa

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ECONOMIA INDUSTRIAL MATO GROSSO - RONDONÓPOLIS JUNHO DE 2011

EVOLUÇÃO DA ECONOMIA INDUSTRIAL MATO GROSSO - RONDONÓPOLIS JUNHO DE 2011 EVOLUÇÃO DA ECONOMIA INDUSTRIAL MATO GROSSO - RONDONÓPOLIS JUNHO DE 2011 SETOR INDUSTRIAL DE MT QUEM SOMOS INDICADOR MT INDÚSTRIA % FONTE Número de empresas (Dez/2010) 70.877 9.126 13% RAIS 2010 VAB (Produção)

Leia mais

Perfil País. Cazaquistão

Perfil País. Cazaquistão Perfil País Cazaquistão Elaborado pela: Unidade de - ic@apexbrasil.com.br Apex-Brasil Tel: +55 613426.0202 Fax: +55 613426.0332 www.apexbrasil.com.br 1 Cazaquistão Indicadores Econômicos Crescimento do

Leia mais

Perspectivas para 2012

Perspectivas para 2012 Abiplast Perspectivas para 2012 Antonio Delfim Netto 2 de Dezembro de 2011 São Paulo, SP 1 I.Mundo: Década de 80 e 2010 (% do PIB) 30% 23% 31% 24% 37% 22% 3,7% 3,3% 8% 7% 4,2% 4,0% 1,5% 1,2% Fonte: FMI,

Leia mais

Medindo o tamanho de uma economia

Medindo o tamanho de uma economia Medindo o tamanho de uma economia Roberto Guena de Oliveira 31 de julho de 2016 USP Sumário 1 Renda e despesa na economia 2 O cálculo do produto interno bruto 3 Os componentes do PIB 4 PIB real e PIB nominal

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO

CENÁRIO MACROECONÔMICO CENÁRIO MACROECONÔMICO SEGUE PAUTADO PELAS MUDANÇAS NO CENÁRIO GLOBAL, AFETANDO DIRETAMENTE O CÂMBIO, E PELO CRESCIMENTO MAIS MODERADO DA ECONOMIA DOMÉSTICA Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Leia mais

No mês de junho em 2015 a Produção Física do setor têxtil caiu 1,1% e o vestuário apresentou recuo de 0,4%. (Comparando Jun/15 com Maio/15).

No mês de junho em 2015 a Produção Física do setor têxtil caiu 1,1% e o vestuário apresentou recuo de 0,4%. (Comparando Jun/15 com Maio/15). 1- Comércio Exterior As Importações de têxteis e confeccionados em jan-jul.15 caíram, em valor (US$), 5,93%, as exportações caíram 8,66%, enquanto a queda do déficit na Balança Comercial foi de 5,38% em

Leia mais

Desenvolvimento Produtivo Além da Indústria - O Papel dos Serviços

Desenvolvimento Produtivo Além da Indústria - O Papel dos Serviços Desenvolvimento Produtivo Além da Indústria - O Papel dos Serviços Jorge Arbache UnB e BNDES FGV-SP 27/5/2014 As opiniões são do autor e não necessariamente refletem as visões do BNDES 1 Vivemos uma nova

Leia mais

CUBA Estudo de Oportunidades

CUBA Estudo de Oportunidades CUBA Estudo de Oportunidades Camila Meyer Unidade de Inteligência Comercial CUBA: Características mais importantes destacadas no estudo Pontos Favoráveis Crescimento do PIB de 7,3% (2007) Mudanças graduais

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até maio de Total das exportações do Rio Grande do Sul.

Exportações no período acumulado de janeiro até maio de Total das exportações do Rio Grande do Sul. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de maio de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

Panorama do Setor de HPPC 2016

Panorama do Setor de HPPC 2016 Evolução A Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos apresentou um crescimento médio deflacionado composto próximo a 11,4% aa nos últimos 20 anos, tendo passado de um faturamento

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR JUNHO 2015

COMÉRCIO EXTERIOR JUNHO 2015 Leve aumento das exportações da região de Campinas surpreende, enquanto importações seguem tendência de forte retração Este relatório tem como objetivo analisar os resultados de comércio exterior dos 19

Leia mais

Turquia - Síntese País

Turquia - Síntese País Informação Geral sobre a Turquia Área (km 2 ): 783 562 Primeiro-Ministro: Binali Yildirim População (milhões hab.): 76,7 (estimativa 2015) Risco de crédito: 4 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital:

Leia mais

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS A INDÚSTRIA EM NÚMEROS Dezembro/2016 1. Desempenho conjuntural da indústria Principais indicadores da indústria Variável Out16/Set16 (%) dessaz. Out16/Out15 (%) Taxa acumulada nos últimos 12 meses; até

Leia mais

Ambiente econômico nacional e internacional

Ambiente econômico nacional e internacional Ambiente econômico nacional e internacional Apresentação para elaboração do documento referencial 2015-19 no Ministério do Turismo Manoel Pires - MF Cenário internacional O mundo se recupera da crise,

Leia mais

Caminhos para melhorar o acesso a mercado das exportações brasileiras

Caminhos para melhorar o acesso a mercado das exportações brasileiras Caminhos para melhorar o acesso a mercado das exportações brasileiras Fórum Estadão de Competitividade Carlos Eduardo Abijaodi Diretor de Desenvolvimento Industrial Confederação Nacional da Indústria 1

Leia mais

O cenário econômico internacional e o. comércio exterior dos produtos. transformados de plástico

O cenário econômico internacional e o. comércio exterior dos produtos. transformados de plástico O cenário econômico internacional e o comércio exterior dos produtos transformados de plástico Agosto/2009 Associação Brasileira da Indústria do Plástico A CRISE MUNDIAL O ano de 2008 foi marcado pelo

Leia mais

O Agronegócio e o Sucesso do Brasil no Mercado de Carnes Gedeão Silveira Pereira

O Agronegócio e o Sucesso do Brasil no Mercado de Carnes Gedeão Silveira Pereira O Agronegócio e o Sucesso do Brasil no Mercado de Carnes Gedeão Silveira Pereira Vice Presidente FARSUL Terra arável disponível, por pessoa no mundo Brasil EUA Rússia Índia China União Européia Congo Austrália

Leia mais

Estratégia nacional Inserção internacional Mudanças sócio-demográficas Fernando Nogueira da Costa Professor do IE-UNICAMP

Estratégia nacional Inserção internacional Mudanças sócio-demográficas Fernando Nogueira da Costa Professor do IE-UNICAMP Estratégia nacional Inserção internacional Mudanças sócio-demográficas Fernando Nogueira da Costa Professor do IE-UNICAMP Inserção Internacional Islândia Inglaterra Oceano Atlântico França Espanha Itália

Leia mais

Guia de Negócios São Tomé e Príncipe

Guia de Negócios São Tomé e Príncipe Ministério das Relações Exteriores Departamento de Promoção Comercial e Investimentos Divisão de Inteligência Comercial Guia de Negócios São Tomé e Príncipe Guia de Negócios São Tomé e Príncipe Guia de

Leia mais

As exportações chinesas e o impacto na FIAM 2009

As exportações chinesas e o impacto na FIAM 2009 As exportações chinesas e o impacto na Zona Franca de Manaus FIAM 2009 Modelo econômico de desenvolvimento chinês P d Produção para exportação China A retração do mercado americano e europeu As alternativas

Leia mais

FIESP - 8º Encontro de Logística e Transportes A Hora do Investimento Privado

FIESP - 8º Encontro de Logística e Transportes A Hora do Investimento Privado FIESP - 8º Encontro de Logística e Transportes A Hora do Investimento Privado Painel: Logística e Competitividade Mineração e Agronegócio: Superando Obstáculos para o Escoamento da Produção (São Paulo-SP,

Leia mais

Análise da Balança Comercial Brasileira de 2011

Análise da Balança Comercial Brasileira de 2011 Análise da Balança Comercial Brasileira de 2011 Saldo comercial aumenta em função das altas cotações das commodities No ano de 2011, as exportações em valor cresceram 26,8%, em relação ao ano de 2010.

Leia mais

Brazilian Festival. Cairo - Egito : Setembro de 2016

Brazilian Festival. Cairo - Egito : Setembro de 2016 Brazilian Festival Cairo - Egito : 06-09 Setembro de 2016 Dados de Importação Brasil - Egito 2 Egito em Números População: 90 milhões PIB per Capita: US$ 3.242 Distancia Marítima: 26d14h Principais produtos

Leia mais