ALEMANHA Comércio Exterior

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ALEMANHA Comércio Exterior"

Transcrição

1 Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ALEMANHA Comércio Exterior Dezembro de 2014

2 Índice. Dados Básicos. Principais Indicadores Econômicos. Comércio Exterior. Intercâmbio Comercial com o Brasil

3 Dados Básicos A Alemanha possui localização estratégica no norte da Europa, entre o Mar Báltico e o Mar do Norte. Faz fronteiras com Áustria, Bélgica, República Tcheca, Dinamarca, França, Luxemburgo, Países Baixos, Polônia e Suíça. É o 63º país em extensão territorial e possui os seguintes recursos naturais: carvão, linhita, gás natural, minério de ferro, cobre, níquel, urânio, potássio. A população de 80,8 milhões de habitantes possui expectativa de vida de 80,7 anos. No ranking do IDH de 2013 o país destacou-se no 6º lugar. Nome oficial República Federal da Alemanha Superfície Km 2 Localização Capital Principais cidades Idioma oficial Moeda População Europa Central Berlim Berlim, Hamburgo, Munique, Colônia, Frankfurt Alemão Euro 80,8 milhões de habitantes Taxa de desemprego 5,3% Expectativa de vida 80,7 anos Ranking IDH 6º Elaborado pelo MRE/DPR/DIC - Divisão de Inteligência Comercial, com base nas seguintes publicações: (1) IMF - World Economic Outlook Database, October 2014; (2) EIU, Economist Intelligence Unit, Country Report December 2014; (3) IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística; e (4) UN/UNDP/Human Development Report 2014.

4 Principais Indicadores Econômicos PIB Crescimento real 0,53% PIB nominal US$ 3,64 trilhões PIB nominal "per capita" US$ PIB PPP US$ 3,51 trilhões PIB PPP "per capita" US$ Origem do PIB Agricultura 0,8% Indústria 30,1% Serviços 69,0% Balanço de pagamentos Saldo em transações correntes US$ 254,9 bilhões Saldo da balança comercial de bens US$ 264 bilhões Saldo da balança comercial de serviços US$ -22,5 bilhões Outros indicadores Inflação (fim do período) 1,2% Câmbio ( / US$) 0,73 Elaborado pelo MRE/DPR/DIC - Divisão de Inteligência Comercial, com base nas seguintes publicações: (1) EIU, Economist Intelligence Unit, Country Report December 2014; (2) IMF - World Economic Outlook Database, Octoberl 2014; (3) World Investment Report 2013; (4) UN/UNCTAD/ITC/Trademap December Com PIB nominal de US$ 3,64 trilhões e crescimento de 0,53% em 2013, a Alemanha destacou-se como a 4ª principal economia do mundo. O setor de serviços é o principal ramo de atividade e respondeu por 69% do PIB, seguido do industrial com 30,1% e do agrícola com 0,8%. A Alemanha apresentou, em 2013, superávit em transações correntes de US$ 254,9 bilhões. O saldo da balança comercial de bens foi superavitário em US$ 264 bilhões. A balança de serviços, por sua vez, registrou saldo negativo de US$ 22,5 bilhões.

5 Evolução do comércio exterior(1) US$ bilhões Anos Exportações Importações Intercâmbio comercial Saldo comercial (jan-ago) (jan-ago) Var. % ,3% 27,3% 28,4% n.c. Elaborado pelo MRE/DPR/DIC - Divisão de Inteligência Comercial, com base em dados do UN/UNCTAD/ITC/Trademap, December (n.c.) Dado não calculado Exportações Importações Intercâmbio comercial Saldo comercial O comércio exterior da Alemanha apresentou, em 2013, crescimento de 28,4% em relação a 2009, de US$ 2,07 trilhões para US$ 2,65 trilhões. No ranking da ONU/UNCTAD de 2013, a Alemanha destacou-se como o 3º principal mercado mundial, sendo o 3º exportador e o 3º importador. O saldo da balança comercial, superavitário em todo o período sob análise, totalizou saldo positivo de US$ 264 bilhões em 2013.

6 Direção das Exportações US$ bilhões Descrição (1) Part.% no total França 132 9,0% Estados Unidos 118 8,1% Reino Unido 95 6,5% Países Baixos 91 6,2% China 89 6,1% Áustria 73 5,0% Itália 70 4,8% Suíça 63 4,3% Polônia 56 3,8% Bélgica 55 3,8%... Brasil 15 1,0% Subtotal ,7% Outros países ,3% Total ,0% Elaborado pelo MRE/DPR/DIC - Divisão de Inteligência Comercial, com base em dados do UN/UNCTAD/ITC/Trademap, December principais destinos das exportações França 9,0% Estados Unidos 8,1% Reino Unido 6,5% Países Baixos 6,2% China 6,1% Áustria 5,0% Itália 4,8% Suíça 4,3% Polônia 3,8% Bélgica 3,8% As vendas alemãs são direcionadas em grande parte aos vizinhos europeus, que absorveram 65% do total em 2013 (União Europeia: 56%), seguidos da Ásia com 18%; do continente americano com 12% e da África com 2%. Individualmente, a França foi o principal destino das vendas alemãs com 9,0% do total, seguida dos Estados Unidos com 8,1%; Reino Unido (6,5%); Países Baixos (6,2%); e China (6,1%). O Brasil posicionou-se no 20º lugar entre os compradores da Alemanha com 1,0% do total.

7 Origem das Importações US$ bilhões Descrição (1) Part.% no total Países Baixos ,9% França 89 7,5% China 76 6,4% Bélgica 73 6,1% Itália 63 5,3% Reino Unido 54 4,5% Áustria 52 4,4% Polônia 51 4,3% Estados Unidos 49 4,1% Suíça 48 4,0%... Brasil 8 0,6% Subtotal ,1% Outros países ,9% Total ,0% Elaborado pelo MRE/DPR/DIC - Divisão de Inteligência Comercial, com base em dados do UN/UNCTAD/ITC/Trademap, December principais origens das importações Países Baixos 12,9% França 7,5% China 6,4% Bélgica 6,1% Itália 5,3% Reino Unido 4,5% Áustria 4,4% Polônia 4,3% Estados Unidos 4,1% Suíça 4,0% Os países vizinhos da Europa são também os principais abastecedores do mercado alemão. Em 2013, somaram 65% do total, seguidos da Ásia com 20% e do continente americano com 8%. Individualmente, os Países Baixos foram o principal fornecedor de bens para a Alemanha, com 12,9% do total. Seguiram-se: França (7,5%); China (6,4%); Bélgica (6,1%); Itália (5,3%); Reino Unido (4,5%). O Brasil posicionou-se no 27º lugar entre os fornecedores do mercado alemão, com 0,6% do total.

8 Composição das exportações US$ bilhões Descrição (1) Part.% no total Máquinas mecânicas ,4% Automóveis ,2% Máquinas elétricas 142 9,7% Farmacêuticos 74 5,1% Plásticos 68 4,7% Instrumentos de precisão 66 4,6% Aviões 46 3,2% Combustíveis 46 3,1% Obras de ferro ou aço 34 2,3% Químicos orgânicos 33 2,3% Subtotal ,6% Outros ,4% Total ,0% Elaborado pelo MRE/DPR/DIC - Divisão de Inteligência Comercial, com base em dados do UN/UNCTAD/ITC/Trademap, December principais grupos de produtos exportados Outros 30,4% Máquinas mecânicas 17,4% Químicos orgânicos 2,3% Obras de ferro ou aço 2,3% Combustíveis 3,1% Aviões 3,2% Instrumentos de precisão 4,6% Plásticos 4,7% Farmacêuticos 5,1% Automóveis 17,2% Máquinas elétricas 9,7% Máquinas mecânicas (partes de motores, máquinas com função própria,impressoras, torneiras e válvulas, árvores de transmissão) foram o principal grupo de produtos exportados pela Alemanha. Em 2013, as máquinas mecânicas representaram 17,4% do total. Seguiram-se: automóveis (carros, incluindo os "wagon station", partes e acessórios, caminhões, tratores) com 17,2%; máquinas elétricas (aparelhos para ligação ou conexão de circuitos elétricos, aparelhos de telefonia, circuitos integrados eletrônicos, quadros ou paínéis de distribuição de energia elétrica, transformadores) com 9,7%; produtos farmacêuticos (medicamentos terapêuticos ou profiláticos em doses, sangue humano) com 5,1%; plásticos (4,7%); Instrumentos de precisão (4,6%).

9 Composição das importações US$ bilhões Descrição (1) Part.% no total Combustíveis ,8% Máquinas mecânicas ,9% Máquinas elétricas ,6% Automóveis 99 8,3% Produtos farmacêuticos 44 3,7% Plásticos 43 3,6% Instrumentos de precisão 36 3,0% Químicos orgânicos 33 2,8% Ferro e aço 30 2,5% Aviões 29 2,4% Subtotal ,5% Outros ,5% Total ,0% Elaborado pelo MRE/DPR/DIC - Divisão de Inteligência Comercial, com base em dados do UN/UNCTAD/ITC/Trademap, December principais grupos de produtos importados Combustíveis 14,8% Outros 36,5% Máquinas mecânicas 11,9% Aviões 2,4% Máquinas elétricas 10,6% Ferro e aço 2,5% Químicos orgânicos 2,8% Instrumentos de precisão 3,0% Plásticos 3,6% Produtos farmacêuticos 3,7% Automóveis 8,3% A pauta das importações da Alemanha apresentou-se concentrada em combustíves e bens com alto valor agregado. Em 2013, os combustíveis (óleo bruto de petróleo, óleo refinado) foram o principal grupo de produtos da pauta e representaram 14,8% do total. Seguiram-se: máquinas mecânicas (computadores, impressoras, turbinas a gás, motores de pistão, de ignição por compressão) com 11,9%; máqunas elétricas (aparelhos de telefonia, circuitos integrados eletrônicos, fios e cabos, aparelhos para ligação ou conexão de circuitos elétricos) com 10,6%; automóveis (carros, incluindo os "station wagon", partes e acessórios de veículos motores, caminhões, tratores) com 8,3%; e produtos farmacêuticos (3,7%).

10 Evolução do intercâmbio comercial com o Brasil US$ bilhões, fob Anos Exportações Importações Intercâmbio Comercial Valor Var.% Valor Var.% Valor Var.% Saldo ,17-30,2% 9,87-17,9% 16,04-23,2% -3, ,14 12,9% 12,55 44,8% 20,69 30,3% -4, ,04 11,1% 15,21 21,2% 24,25 17,2% -6, ,28-19,5% 14,21-6,6% 21,49-11,4% -6, ,55-10,0% 15,18 6,8% 21,73 1,1% -8, (jan-nov) 5,89-13,0% 13,97 6,3% 19,86-0,2% -8, (jan-nov) 6,13 4,1% 12,90-7,6% 19,03-4,2% -6,77 Var. % ,1% 53,8% 35,5% n.c. Elaborado pelo MRE/DPR/DIC - Divisão de Inteligência Comercial, com base em dados do MDIC/SECEX/Aliceweb. (n.c.) Dado não calculado. A Alemanha foi o 4º principal parceiro comercial brasileiro, com participação de 4,5% no comércio exterior do Brasil em Entre 2009 e 2013, o intercâmbio comercial brasileiro com o país cresceu 35,5%, de US$ 16,04 bilhões para US$ 21,73 bilhões. Nesse período, as exportações cresceram 6,1% e as importações, 53,8%. O saldo da balança comercial, deficitário ao Brasil em todo o período sob análise, registrou saldo negativo de US$ 8,63 bilhões em ,00 15,00 0, ,00 Exportações Importações Intercâmbio Comercial Saldo

11 Exportações e importações brasileiras por fator agregado 2013 Exportações Manufaturados 33,4% Transações Especiais 0,4% As exportações brasileiras para a Alemanha são compostas, em sua maior parte, por produtos básicos, que representaram 62,0% do total em 2013, com destaque para minérios, café e farelo de soja. Os manufaturados posicionaram-se em seguida com 33,4% (máquinas mecânicas e elétricas) e os semimanufaturados, com 4,3%. Semimanufatur ados 4,3% Básicos 62,0% Importações Básicos 0,4% Semimanufatur ados 4,5% Os produtos manufaturados somaram 95,1% da pauta de importações em 2013, representados sobretudo por máquinas, automóveis e produtos farmacêuticos. Os semimanufaturados posicionaramse em seguida com 4,5%, e os básicos com 0,4%. Manufaturados 95,1% Elaborado pelo MRE/DPR/DIC - Divisão de Inteligência Comercial, com base em dados do MDIC/SECEX.

12 Composição das exportações brasileiras US$ milhões, fob Descrição Valor Part. % no total Minérios ,3% Café ,9% Farelo de soja ,2% Máquinas mecânicas ,1% Máquinas elétricas ,3% Ouro e pedras preciosas ,8% Grãos ,6% Automóveis ,6% Fumo ,4% Preparações de carne ,1% Subtotal ,5% Outros produtos ,5% Total ,0% Elaborado pelo MRE/DPR/DIC - Divisão de Inteligência Comercial, com base em dados do MDIC/SECEX/Aliceweb. Principais grupos de produtos exportados pelo Brasil Minérios 26,3% Café 13,9% Farelo de soja Máquinas mecânicas Máquinas elétricas Ouro e pedras preciosas Grãos Automóveis Fumo Preparações de carne 4,3% 2,8% 2,6% 2,6% 2,4% 2,1% 10,2% 10,1% Minérios (minério de ferro e de cobre) foram os principais itens brasileiros da pauta das exportações para a Alemanha e somaram 26,3% do total em Seguiram-se: café (café não torrado e pimenta) com 13,9%; farelo de soja com 10,2%; máquinas mecânicas (bombas injetoras de combustível, blocos de cilindros para motores diesel, motores de explosão) com 10,1%; máquinas elétricas (motores e suas partes) com 4,3%; e ouro e pedras preciosas (resíduos de metais preciosos, grades catalisadoras de platina, prata) com 2,8% do total.

13 Composição das importações brasileiras US$ milhões, fob Descrição Valor Part. % no total Máquinas mecânicas ,3% Automóveis ,6% Farmacêuticos ,4% Químicos orgânicos ,7% Máquinas elétricas ,5% Instrumentos de precisão ,7% Plásticos ,0% Adubos ,9% Diversos inds químicas ,7% Obras de ferro/aço ,6% Subtotal ,4% Outros produtos ,6% Total ,0% Elaborado pelo MRE/DPR/DIC - Divisão de Inteligência Comercial, com base em dados do MDIC/SECEX/Aliceweb. Principais grupos de produtos importados pelo Brasil Máquinas mecânicas 25,3% Automóveis 13,6% Farmacêuticos Químicos orgânicos Máquinas elétricas Instrumentos de precisão Plásticos Adubos Diversos inds químicas Obras de ferro/aço 9,4% 8,7% 7,5% 6,7% 5,0% 3,9% 2,7% 2,6% Máquinas mecânicas foram o principal grupo de produtos importado da Alemanha. Em 2013, as máquinas mecânicas (aparelhos e aparelhos com função próprias, caixas de transmissão, impressoras e partes de motores) somaram 25,3% do total, seguidas de automóveis (até 6 passageiros, partes e acessórios para tratores, caixas de marchas e caminhões-guindastes) com 13,6%; produtos farmacêuticos (sangue, anticorpo humano, medicamentos e hormônios) com 9,4%; produtos químicos orgânicos (8,7%); e máquinas elétricas (aparelhos para interrupção de circuitos, aparelhos com função própria, partes de motores elétricos e circuitos integrados) com 7,5% do total.

14 Composição do intercâmbio comercial (dados parciais) US$ milhões, fob DESCRIÇÃO (jan-nov) Part. % no total (jan-nov) Part. % no total Exportações Café ,3% ,1% Minérios ,2% ,1% Farelo de soja ,2% ,9% Máquinas mecânicas ,4% 507 8,3% Grãos 173 2,9% 334 5,4% Ferro e aço 95 1,6% 276 4,5% Máquinas elétricas 261 4,4% 191 3,1% Carnes 97 1,6% 161 2,6% Fumo 157 2,7% 140 2,3% Preparações de carnes 126 2,1% 132 2,2% Principais grupos de produtos exportados pelo Brasil Café 1.233,0 Minérios 1.110,0 Farelo de soja 728,0 Máquinas mecânicas 507,0 Grãos 334,0 Ferro e aço 276,0 Máquinas elétricas 191,0 Carnes 161,0 Subtotal ,5% ,5% Outros produtos ,5% ,5% Total ,0% ,0% Fumo Preparações de carnes 140,0 132,0 Principais grupos de produtos importados pelo Brasil Importações Máquinas mecânicas ,9% ,8% Automóveis ,6% ,5% Farmacêuticos ,3% ,0% Químicos orgânicos ,9% ,6% Máquinas elétricas ,6% 927 7,2% Instrumentos de precisão 922 6,6% 867 6,7% Plásticos 710 5,1% 661 5,1% Adubos 554 4,0% 382 3,0% Diversos inds químicas 388 2,8% 380 2,9% Obras de ferro ou aço 362 2,6% 327 2,5% Máquinas mecânicas Automóveis Farmacêuticos Químicos orgânicos Máquinas elétricas Instrumentos de precisão Plásticos Adubos 1.289, ,0 927,0 867,0 661,0 382, , ,0 Subtotal ,4% ,3% Outros produtos ,6% ,7% Total ,0% ,0% Diversos inds químicas Obras de ferro ou aço 380,0 327,0 Elaborado pelo MRE/DPR/DIC - Divisão de Inteligência Comercial, com base em dados do MDIC/SECEX/Aliceweb.

LÍBANO Comércio Exterior

LÍBANO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC LÍBANO Comércio Exterior Junho de 2014 Índice. Dados Básicos. Principais

Leia mais

JAPÃO Comércio Exterior

JAPÃO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC JAPÃO Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

ESTADOS UNIDOS. Comércio Exterior

ESTADOS UNIDOS. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ESTADOS UNIDOS Comércio Exterior Março de 2016 Principais Indicadores

Leia mais

ISLÂNDIA. Comércio Exterior

ISLÂNDIA. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ISLÂNDIA Comércio Exterior Fevereiro de 2016 Principais indicadores

Leia mais

ARGENTINA. Comércio Exterior

ARGENTINA. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ARGENTINA Comércio Exterior Janeiro de 2016 Principais Indicadores

Leia mais

SENEGAL Comércio Exterior

SENEGAL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC SENEGAL Comércio Exterior Agosto de 2015 Principais Indicadores

Leia mais

GUINÉ-BISSAU Comércio Exterior

GUINÉ-BISSAU Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC GUINÉ-BISSAU Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

COLÔMBIA. Comércio Exterior

COLÔMBIA. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC COLÔMBIA Comércio Exterior Janeiro de 2016 Principais indicadores

Leia mais

GUIANA Comércio Exterior

GUIANA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC GUIANA Comércio Exterior Novembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

COSTA RICA Comércio Exterior

COSTA RICA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC COSTA RICA Comércio Exterior ABRIL 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

URUGUAI. Comércio Exterior

URUGUAI. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC URUGUAI Comércio Exterior Janeiro de 2016 Principais indicadores

Leia mais

NOVA ZELÂNDIA. Comércio Exterior

NOVA ZELÂNDIA. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC NOVA ZELÂNDIA Comércio Exterior Março de 2016 Principais indicadores

Leia mais

DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS I R A Q U E

DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS I R A Q U E Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS I R

Leia mais

REINO UNIDO Comércio Exterior

REINO UNIDO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC REINO UNIDO Comércio Exterior Setembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

PAÍSES BAIXOS Comércio Exterior

PAÍSES BAIXOS Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC PAÍSES BAIXOS Comércio Exterior Outubro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

NEPAL Comércio Exterior

NEPAL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC NEPAL Comércio Exterior Fevereiro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

ARGENTINA Comércio Exterior

ARGENTINA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ARGENTINA Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

CAZAQUISTÃO Comércio Exterior

CAZAQUISTÃO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC CAZAQUISTÃO Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

BRASIL Comércio Exterior

BRASIL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC BRASIL Comércio Exterior Novembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

COREIA DO SUL Comércio Exterior

COREIA DO SUL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC COREIA DO SUL Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados

Leia mais

SURINAME Comércio Exterior

SURINAME Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC SURINAME Comércio Exterior Novembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

RÚSSIA Comércio Exterior

RÚSSIA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC RÚSSIA Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

COREIA DO NORTE Comércio Exterior

COREIA DO NORTE Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC COREIA DO NORTE Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados

Leia mais

BANGLADESH Comércio Exterior

BANGLADESH Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC BANGLADESH Comércio Exterior Fevereiro de 2015 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 4,0 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DO ANO

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 4,0 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DO ANO São Paulo, 20 de março de 2016 Fevereiro 2016 BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 4,0 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DO ANO Em fevereiro, a corrente de comércio brasileira totalizou US$ 23,7 bilhões,

Leia mais

PORTUGAL Comércio Exterior

PORTUGAL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC PORTUGAL Comércio Exterior Abril de 2015 Principais Indicadores

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO DAS RELAÇÕES ECONÔMICAS E COMERCIAIS. BRASIL x CHINA

SUMÁRIO EXECUTIVO DAS RELAÇÕES ECONÔMICAS E COMERCIAIS. BRASIL x CHINA Ministério das Relações Exteriores MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos DPR Divisão de Inteligência Comercial DIC SUMÁRIO EXECUTIVO DAS RELAÇÕES ECONÔMICAS E COMERCIAIS BRASIL x CHINA

Leia mais

CHILE Comércio Exterior

CHILE Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC CHILE Comércio Exterior Abril de 2014 Índice. Dados Básicos. Principais

Leia mais

AUSTRÁLIA Comércio Exterior

AUSTRÁLIA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC AUSTRÁLIA Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

VANUATU Comércio Exterior

VANUATU Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC VANUATU Comércio Exterior Abril de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASIL / MERCOSUL

BALANÇA COMERCIAL BRASIL / MERCOSUL BALANÇA COMERCIAL Tatiana Lacerda Prazeres Secretária de Comércio Exterior Indicadores Sócioeconômicos dos Países do Mercosul 2010 BRASIL ARGENTINA PARAGUAI URUGUAI PIB (US$ bi) 2.090,3 370,3 18,5 40,3

Leia mais

Relações Comerciais Brasil-Alemanha

Relações Comerciais Brasil-Alemanha Relações Comerciais Brasil-Alemanha Balança Comercial Brasil Alemanha / 2002 Mar 2015 (em mil US$ - FOB) Ano Exportação Importação Saldo Volume de Comércio 2002 2.539.954 4.418.971-1.879.016 6.958.926

Leia mais

Bahamas Comércio Exterior

Bahamas Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC Bahamas Comércio Exterior Novembro de 215 Tabela 1 Principais Indicadores

Leia mais

ESPANHA DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS

ESPANHA DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS ESPANHA

Leia mais

BELIZE Comércio Exterior

BELIZE Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC BELIZE Comércio Exterior Setembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

BULGÁRIA DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS

BULGÁRIA DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS BULGÁRIA

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2012

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2012 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2012 US$ milhões FOB Período Dias Úteis EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia útil p/dia

Leia mais

AUSTRÁLIA Comércio Exterior

AUSTRÁLIA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC AUSTRÁLIA Comércio Exterior Junho de 2015 Principais Indicadores

Leia mais

HAITI Comércio Exterior

HAITI Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC HAITI Comércio Exterior Outubro de 2015 Tabela 1 Principais Indicadores

Leia mais

Dezembro 2014 São Paulo, 21 de janeiro de SUPERÁVIT ANUAL COM A CHINA É O MENOR DOS ÚLTIMOS SEIS ANOS

Dezembro 2014 São Paulo, 21 de janeiro de SUPERÁVIT ANUAL COM A CHINA É O MENOR DOS ÚLTIMOS SEIS ANOS Dezembro 2014 São Paulo, 21 de janeiro de 2015. SUPERÁVIT ANUAL COM A CHINA É O MENOR DOS ÚLTIMOS SEIS ANOS Apesar do saldo superavitário com a China, 2014 registrou o menor saldo positivo com o parceiro

Leia mais

PAPUA NOVA GUINÉ Comércio Exterior

PAPUA NOVA GUINÉ Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC PAPUA NOVA GUINÉ Comércio Exterior Abril de 2014 Índice. Dados

Leia mais

Resultados de Junho de 2014

Resultados de Junho de 2014 Junho / 2014 Resultados de Junho de 2014 - Exportação: US$ 20,5 bi, em valor, e média diária de US$ 1,023 bilhão; sobre mai-14, aumento de 3,6%, pela média diária; sobre jun-13, redução de 3,5%, pela média

Leia mais

Abril 2015 São Paulo, 22 de maio de BALANÇA COMERCIAL COM A CHINA REGISTRA SEGUNDO SUPERÁVIT DO ANO

Abril 2015 São Paulo, 22 de maio de BALANÇA COMERCIAL COM A CHINA REGISTRA SEGUNDO SUPERÁVIT DO ANO Abril 2015 São Paulo, 22 de maio de 2015. BALANÇA COMERCIAL COM A CHINA REGISTRA SEGUNDO SUPERÁVIT DO ANO Em abril, a balança comercial brasileira com o país asiático foi superavitária em US$ 948 milhões,

Leia mais

ILHAS SALOMÃO Comércio Exterior

ILHAS SALOMÃO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ILHAS SALOMÃO Comércio Exterior Abril de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Gráfico 1 Corrente de comércio Brasil - China entre 2006 e 2015 (US$ milhões)

Gráfico 1 Corrente de comércio Brasil - China entre 2006 e 2015 (US$ milhões) INFORMATIVO Nº. 48. JANEIRO de 216 COMÉRCIO BILATERAL BRASIL-CHINA Balança Comercial Em 215, a corrente de comércio Brasil-China totalizou 66,3 bilhões, de acordo com dados divulgados pelo Ministério do

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS Dezembro/2011 jan/07 mar/07 mai/07 jul/07 set/07 nov/07 jan/08 mar/08 mai/08 jul/08 set/08 nov/08 jan/09 mar/09 mai/09 jul/09

Leia mais

NOTA TÉCNICA NICARÁGUA. Período: 2014 / 2015* BALANÇA COMERCIAL BRASIL X NICARÁGUA. Balança Comercial Brasil X Nicarágua US$ 2014 US$ 2015

NOTA TÉCNICA NICARÁGUA. Período: 2014 / 2015* BALANÇA COMERCIAL BRASIL X NICARÁGUA. Balança Comercial Brasil X Nicarágua US$ 2014 US$ 2015 NOTA TÉCNICA NICARÁGUA Período: 2014 / 2015* *Valores em US$ FOB. Fonte: Aliceweb/. Brasil BALANÇA COMERCIAL BRASIL X NICARÁGUA Gráfico 1. Balança Comercial Brasil X Nicarágua 97 94 2 3 US$ 2014 US$ 2015

Leia mais

GRÉCIA Comércio Exterior

GRÉCIA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC GRÉCIA Comércio Exterior Abril de 2015 Principais Indicadores Econômicos

Leia mais

NOTA TÉCNICA CHINA. Período: 2014 / 2015* *Valores em US$ FOB. Fonte: Aliceweb/Exportaminas. BALANÇA COMERCIAL BRASIL X CHINA

NOTA TÉCNICA CHINA. Período: 2014 / 2015* *Valores em US$ FOB. Fonte: Aliceweb/Exportaminas. BALANÇA COMERCIAL BRASIL X CHINA NOTA TÉCNICA CHINA Período: 2014 / 2015* *Valores em US$ FOB. Fonte: Aliceweb/. Brasil Gráfico 1. BALANÇA COMERCIAL BRASIL X CHINA Balança Comercial Brasil X China 40.616 37.345 35.608 30.719 US$ 2014

Leia mais

NOTA TÉCNICA. Bélgica. Período: 2010 a 2015*

NOTA TÉCNICA. Bélgica. Período: 2010 a 2015* NOTA TÉCNICA Bélgica Período: 2010 a 2015* *de 2010 a 2014 foram considerados valores em US$ de janeiro a dezembro. Para 2015 foram considerados os valores em US$ acumulados entre janeiro e agosto do ano

Leia mais

LIBÉRIA Comércio Exterior

LIBÉRIA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC LIBÉRIA Comércio Exterior Setembro de 2015 Tabela 1 Principais

Leia mais

UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

Leia mais

Fevereiro 2015 São Paulo, 23 de março de DÉFICIT COM A CHINA ALCANÇA US$ 3,6 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DE 2015.

Fevereiro 2015 São Paulo, 23 de março de DÉFICIT COM A CHINA ALCANÇA US$ 3,6 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DE 2015. Fevereiro 2015 São Paulo, 23 de março de 2015. DÉFICIT COM A CHINA ALCANÇA US$ 3,6 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DE 2015. Em fevereiro, a balança comercial brasileira com a China registrou saldo negativo

Leia mais

Análise da Balança Comercial Brasileira de 2011

Análise da Balança Comercial Brasileira de 2011 Análise da Balança Comercial Brasileira de 2011 Saldo comercial aumenta em função das altas cotações das commodities No ano de 2011, as exportações em valor cresceram 26,8%, em relação ao ano de 2010.

Leia mais

RADAR COMERCIAL Análise do Mercado da França,

RADAR COMERCIAL Análise do Mercado da França, Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC Secretaria de Comércio Exterior SECEX Departamento de Planejamento e Desenvolvimento do Comércio Exterior DEPLA Coordenação Geral de

Leia mais

UNASUL Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

UNASUL Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC UNASUL Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil Agosto

Leia mais

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais.

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Dezembro/2014 OBJETIVO Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Permitir ainda, uma análise comparativa da evolução

Leia mais

Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Exportaminas

Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Exportaminas NOTA TÉCNICA MERCOSUL Estados Associados* 2010-2014 * Mercado Comum do Sul Estados Associados é composto por República do Chile, República da Colômbia, República do Equador, República Cooperativa da Guiana,

Leia mais

LIGA ÁRABE Comércio Exterior

LIGA ÁRABE Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC LIGA ÁRABE Comércio Exterior Outubro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

- Exportação: US$ 13,7 bi, em valor, e média diária de US$ 652,6 milhões; sobre jan-14 (US$ 728,5 bilhões),

- Exportação: US$ 13,7 bi, em valor, e média diária de US$ 652,6 milhões; sobre jan-14 (US$ 728,5 bilhões), Janeiro / 2015 Resultados de Janeiro de 2015 - Exportação: US$ 13,7 bi, em valor, e média diária de US$ 652,6 milhões; sobre jan-14 (US$ 728,5 bilhões), redução de 10,4%, pela média diária; - Importação:

Leia mais

GEOGRAFIA 9 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE

GEOGRAFIA 9 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE GEOGRAFIA 9 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade II Comunicação e tecnologia. 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 7.2 Conteúdos A presença da economia

Leia mais

Risco do país: B (AAA = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: José Eduardo dos Santos Tx. Câmbio: 1 EUR = 117,8535 AOA (janeiro 2015)

Risco do país: B (AAA = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: José Eduardo dos Santos Tx. Câmbio: 1 EUR = 117,8535 AOA (janeiro 2015) Informação Geral sobre Angola Área (km 2 ): 1 246 700 Vice-Presidente: Manuel Vicente População (milhões hab.): 22,1 (estimativa ) Risco de crédito: 5 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Luanda

Leia mais

Associação Latino-Americana de Integração Comércio Exterior

Associação Latino-Americana de Integração Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC Associação Latino-Americana de Integração Comércio Exterior Outubro

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL GOIANA OUTUBRO 2015 Dados preliminares

BALANÇA COMERCIAL GOIANA OUTUBRO 2015 Dados preliminares BALANÇA COMERCIAL GOIANA OUTUBRO 2015 Dados preliminares 1 BALANÇA COMERCIAL GOIÁS OUTUBRO 2015 US$ FOB MÊS EXPORTAÇÕES IMPORTAÇÕES SALDO OUTUBRO/2015 516.095.546 262.729.719 253.365.827 2 EVOLUÇÃO DA

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal dezembro 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

Relatório da Balança Comercial de Autopeças

Relatório da Balança Comercial de Autopeças jul/15 ago/15 out/15 nov/15 jan/16 fev/16 abr/16 mai/16 jul/15 ago/15 out/15 nov/15 jan/16 fev/16 abr/16 mai/16-559 -457-490 -395-386 -404-359 -380-436 -327-226 -113 I Resultados Mensal: -14,22% Acum.

Leia mais

Relatório da Balança Comercial de Autopeças

Relatório da Balança Comercial de Autopeças abr/14 mai/14 jul/14 ago/14 out/14 nov/14 jan/15 fev/15 abr/14 mai/14 jul/14 ago/14 out/14 nov/14 jan/15 fev/15-822 -869-928 -761-829 -678-749 -708-748 -537-482 -349 I Resultados Mensal: -31,9% Acum. Ano:

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. Sede Nacional - SP

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. Sede Nacional - SP ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Sede Nacional - SP Fundação: 1937 - origem em um sindicato têxtil; Possui 1.200 empresas associadas e representa 4,5 mil empresas; Sede nacional

Leia mais

Desempenho da Indústria Catarinense

Desempenho da Indústria Catarinense FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA Desempenho da Indústria Catarinense Florianópolis, 20 de março de 2015 SANTA CATARINA e BRASIL Desempenho econômico em 2015 INDICADOR SANTA CATARINA

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JULHO Exportações As exportações da indústria atingiram o nível mais baixo desde 2006 para o

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM AGOSTO Exportações As exportações da indústria registraram o nível mais baixo para o mês desde

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DA ITÁLIA PARA O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO BRASIL

A CONTRIBUIÇÃO DA ITÁLIA PARA O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO BRASIL A CONTRIBUIÇÃO DA ITÁLIA PARA O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO BRASIL 1 Entre 2002 e 2013 o intercâmbio entre a Itália e o Brasil cresceu 211% 12 11,7 10,8 10,8 10 9,4 9,1 8 6 4 3,6 4 5 5,5 6,4 7,8 6,7 2

Leia mais

PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG. Vale do Rio Grande

PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG. Vale do Rio Grande PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG Vale do Rio Grande Julho/2016 Objetivo Prover informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria no Estado de Minas Gerais e nas Regionais

Leia mais

Contas Nacionais Trimestrais

Contas Nacionais Trimestrais Contas Nacionais Trimestrais Indicadores de Volume e Valores Correntes 2º Trimestre de 2013 Coordenação de Contas Nacionais 30 de agosto de 2013 Tabela Resumo Principais resultados do PIB a preços de mercado

Leia mais

Sudão COMERCIO EXTERIOR

Sudão COMERCIO EXTERIOR Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC Sudão COMERCIO EXTERIOR JANEIRO / 2014 SUDÃO Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Indústria Automobilística Brasileira

Indústria Automobilística Brasileira Indústria Automobilística Brasileira Realidade 2010 Encontro Prof. Manoel A. S. Reis, PhD Os Novos Desafios da Logística O Exemplo da Indústria Automobilística São Paulo 20 de outubro de 2010 Indústria

Leia mais

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução Actualizado em Dezembro de Unid. Fonte Notas 2010

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução Actualizado em Dezembro de Unid. Fonte Notas 2010 Evolução 2004-2010 Actualizado em Dezembro de 2010 Unid. Fonte 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Notas 2010 População a Milhares Hab. INE 10.509 10.563 10.586 10.604 10.623 10.638 10.638 3º Trimestre

Leia mais

Relatório da Balança Comercial de Autopeças

Relatório da Balança Comercial de Autopeças fev/15 mar/15 mai/15 jun/15 ago/15 set/15 nov/15 dez/15 fev/15 mar/15 mai/15 jun/15 ago/15 set/15 nov/15 dez/15-748 -635-482 -548-559 -508-395 -457-386 -404-359 -113 I Resultados Mensal: -67,5% Acum. Ano:

Leia mais

Polónia - Síntese País

Polónia - Síntese País Informação Geral sobre a Polónia Área (km 2 ): 311 889 Primeiro-Ministro: Beata Szydło População (milhões hab.): 38,4 (estimativa 2015) Risco de crédito: (*) Capital: Varsóvia Risco do país: BBB (AAA =

Leia mais

Relatório da Balança Comercial de Autopeças

Relatório da Balança Comercial de Autopeças dez/13 jan/14 mar/14 abr/14 jun/14 jul/14 set/14 out/14 dez/13 jan/14 mar/14 abr/14 jun/14 jul/14 set/14 out/14-1.067-914 -822-869 -707-761 -829-928 -678-749 -708-528 I Resultados Mensal: -30,3% Acum.

Leia mais

As exportações chinesas e o impacto na FIAM 2009

As exportações chinesas e o impacto na FIAM 2009 As exportações chinesas e o impacto na Zona Franca de Manaus FIAM 2009 Modelo econômico de desenvolvimento chinês P d Produção para exportação China A retração do mercado americano e europeu As alternativas

Leia mais

ANO 6 NÚMERO 54 NOVEMBRO DE 2016 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO

ANO 6 NÚMERO 54 NOVEMBRO DE 2016 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO ANO 6 NÚMERO 54 NOVEMBRO DE 2016 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO 1 - CONSIDERAÇÕES INICIAIS Aos poucos a quase totalidade da parte da sociedade brasileira que acreditava no impeachment

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO

CENÁRIO MACROECONÔMICO CENÁRIO MACROECONÔMICO SEGUE PAUTADO PELAS MUDANÇAS NO CENÁRIO GLOBAL, AFETANDO DIRETAMENTE O CÂMBIO, E PELO CRESCIMENTO MAIS MODERADO DA ECONOMIA DOMÉSTICA Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Leia mais

Perfil País. Moçambique

Perfil País. Moçambique Perfil País Moçambique Elaborado pela: Unidade de - ic@apexbrasil.com.br Apex-Brasil Tel: +55 613426.0202 Fax: +55 613426.0332 www.apexbrasil.com.br 1 Moçambique Indicadores Econômicos Crescimento do PIB

Leia mais

São Tomé e Príncipe - Síntese País e Relacionamento Bilateral

São Tomé e Príncipe - Síntese País e Relacionamento Bilateral São Tomé e Príncipe - Síntese País e Relacionamento Bilateral Informação Geral sobre São Tomé e Príncipe Área (km 2 ): 1.001 Primeiro-Ministro: Gabriel Costa População (milhares hab.): 186,817 (estimativa

Leia mais

Países Íbero-Americanos Comércio Exterior

Países Íbero-Americanos Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC Países Íbero-Americanos Comércio Exterior Setembro de 2014 Índice.

Leia mais

O Relacionamento Comercial Brasil-China, Hoje e Amanhã

O Relacionamento Comercial Brasil-China, Hoje e Amanhã São Paulo Rio de Janeiro Brasília Curitiba Porto Alegre Recife Londres Lisboa Shanghai Miami Buenos Aires O Relacionamento Comercial Brasil-China, Hoje e Amanhã Durval de Noronha Goyos Jr. PUC MINAS Poços

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro 2013 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM 2013 Exportações A contabilização como exportação de três plataformas de petróleo e gás somou

Leia mais

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO JOÃO CRUZ REIS FILHO SECRETÁRIO DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Brasília/DF JULHO DE 2015 22 CENÁRIO POPULACIONAL

Leia mais

Ministério das Relações Exteriores Departamento de Promoção Comercial e Investimentos Divisão de Inteligência Comercial

Ministério das Relações Exteriores Departamento de Promoção Comercial e Investimentos Divisão de Inteligência Comercial Ministério das Relações Exteriores Departamento de Promoção Comercial e Investimentos Divisão de Inteligência Comercial Guia de Negócios Sudão do Sul Guia de Negócios Sudão do Sul Guia de Negócios SUDÃO

Leia mais

3º Trimestre de 2011

3º Trimestre de 2011 Contas Nacionais Trimestrais Indicadores de Volume e Valores Correntes 3º Trimestre de 2011 Coordenação de Contas Nacionais 06 de dezembro de 2011 Revisões nas Contas Nacionais Trimestrais No 3º trimestre

Leia mais

Turquia - Síntese País

Turquia - Síntese País Informação Geral sobre a Turquia Área (km 2 ): 783 562 Primeiro-Ministro: Binali Yildirim População (milhões hab.): 76,7 (estimativa 2015) Risco de crédito: 4 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital:

Leia mais

ano IV, n 46 Fevereiro de 2015

ano IV, n 46 Fevereiro de 2015 ano IV, n 46 Fevereiro de 2015 SÍNTESE JANEIRO DE 2015 Em US$ milhões Período Exportações Importações Saldo Janeiro 13.704 16.878-3.174 Variação em relação a Janeiro de 2014-14,5 % -16,0 % 894 Acumulado

Leia mais

Comunidade do Caribe CARICOM

Comunidade do Caribe CARICOM Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC Comunidade do Caribe CARICOM Abril de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até maio de Total das exportações do Rio Grande do Sul.

Exportações no período acumulado de janeiro até maio de Total das exportações do Rio Grande do Sul. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de maio de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

ano V, n 46, Fevereiro de 2015

ano V, n 46, Fevereiro de 2015 ,, Fevereiro de 2015 EM FOCO O Índice de rentabilidade das exportações registrou queda de 10,1% em janeiro de 2015 na comparação com janeiro de 2014 (Tabela 1). A queda do Índice resultou da forte diminuição

Leia mais

Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica. Panorama Econômico e Desempenho Setorial

Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica. Panorama Econômico e Desempenho Setorial Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica Panorama Econômico e Desempenho Setorial 2009 Apresentação Fundada em 1963, a Abinee - Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Leia mais

MAPA ESTRATÉGICO DO COMÉRCIO EXTERIOR CATARINENSE JARAGUÁ DO SUL, 05/12/2014

MAPA ESTRATÉGICO DO COMÉRCIO EXTERIOR CATARINENSE JARAGUÁ DO SUL, 05/12/2014 MAPA ESTRATÉGICO DO COMÉRCIO EXTERIOR CATARINENSE JARAGUÁ DO SUL, 05/12/2014 MAPA ESTRATÉGICO DO COMÉRCIO EXTERIOR CATARINENSE JARAGUÁ DO SUL, 05/12/2014 Focos estratégicos Diversificação e agregação

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE AS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO GAÚCHO

RELATÓRIO SOBRE AS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO GAÚCHO Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de fevereiro de 2015. COMPARAÇÃO DO MÊS DE FEVEREIRO DE

Leia mais

Risco do país: D (A1 = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: Bounnhang Vorachith Tx. câmbio (fim do período): 1 EUR = K (2015)

Risco do país: D (A1 = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: Bounnhang Vorachith Tx. câmbio (fim do período): 1 EUR = K (2015) Informação Geral sobre o Laos Área (km 2 ): 236 800 Primeiro-Ministro: Thongloun Sisoulith População (milhões hab.): 7,0 (estimativa 2015) Risco de crédito: 7 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital:

Leia mais