ESCOLA PROFISSIONAL DE DESENVOLVIMETO RURAL DE SERPA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESCOLA PROFISSIONAL DE DESENVOLVIMETO RURAL DE SERPA"

Transcrição

1 ESCOLA PROFISSIONAL DE DESENVOLVIMETO RURAL DE SERPA ESTABELECIMENTO: SEDE Contrato N.º Setembro de 2014

2 ESCOLA PROFISSIONAL DE DESENVOLVIMETO RURAL DE SERPA ÍNDICE 1 - INTRODUÇÃO IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA MÉTODO UTILIZADO RESULTADO DA AUDITORIA DE SEGURANÇA CONSULTA, INFORMAÇÃO E FORMAÇÃO DOS TRABALHADORES EM MATÉRIA DE SST de 18

3 ESCOLA PROFISSIONAL DE DESENVOLVIMETO RURAL DE SERPA Foi objectivo principal da avaliação efectuada dar cumprimento à legislação em vigor no âmbito da Segurança e Saúde no Trabalho nomeadamente, cumprir com o estabelecido na Lei 3/2014 de 28 de Janeiro. A avaliação foi efectuada no dia 24 de Setembro de 2014 pelo(a) signatário(a) do presente relatório, Ana Dias, que foi acompanhado(a) pelo representante da empresa, Ana Dias. Compete à empresa, através do seu responsável, implementar as medidas propostas no presente relatório. NOME DA EMPRESA: ESCOLA PROFISSIONAL DE DESENVOLVIMETO RURAL DE SERPA MORADA DAS INSTALAÇÕES: HERDADE DE BEMPOSTA - APARTADO SERPA Nº DO CONTRATO: ACTIVIDADE: FORMAÇÃO PROFISSIONAL Nº DE TRABALHADORES: SEXO MASCULINO -> 14 SEXO FEMININO -> 22 3 de 18

4 ESCOLA PROFISSIONAL DE DESENVOLVIMETO RURAL DE SERPA 4 de 18

5 ESCOLA PROFISSIONAL DE DESENVOLVIMETO RURAL DE SERPA 5 de 18

6 4 RESULTADO DA AUDITORIA DE SEGURANÇA Não Conformidade Data: 24 / 09 / 2014 Contrato: Nome: ESCOLA PROFISSIONAL DE DESENVOLVIMETO RURAL DE SERPA Trabalhador es Expostos Avaliação Níveis de Prioridade Medidas Correctivas Conseq. Prob. 1. Condições Estruturais das Instalações Não foram detectadas não conformidades 2. Organização da Segurança Não foi ministrada formação aos trabalhadores em matéria de segurança e saúde Desconhecime nto das regras de segurança / potencial aumento dos riscos de acidente e doenças profissionais Todos Danoso Baixa Aceitável Médio prazo Todos os trabalhadores devem receber uma formação adequada no domínio da segurança e saúde no trabalho, tendo em atenção o posto de trabalho.

7 Não Conformidade Data: 24 / 09 / 2014 Contrato: Nome: ESCOLA PROFISSIONAL DE DESENVOLVIMETO RURAL DE SERPA Trabalhador es Expostos Avaliação Níveis de Prioridade Medidas Correctivas Conseq. Prob. No estabelecimento em apreço, constatou-se a inexistência de medidas de organização e gestão da segurança, designadas por medidas de autoproteção. As medidas de autoproteção devem ser adaptadas às condições reais de exploração da utilização-tipo e proporcionadas à sua categoria de risco, nos termos da Não se encontram implementadas as medidas de autoprotecção. Atraso e confusão em situação de emergência Todos Extremam ente danoso Média Importante Urgente Portaria n.º 1532/2008 de 29 de Dezembro. Estas devem ser enviadas à ANPC (Autoridade Nacional Proteção Civil) para aprovação. Devem ser afixadas, nos locais de trabalho, instruções de segurança simplificadas, incluindo: Procedimentos de alarme, a cumprir em caso de deteção ou perceção de um incêndio; Técnicas de utilização dos meios de primeira intervenção e de outros meios de atuação em caso de incêndio

8 Não Conformidade Data: 24 / 09 / 2014 Contrato: Nome: ESCOLA PROFISSIONAL DE DESENVOLVIMETO RURAL DE SERPA Trabalhador es Expostos Avaliação Níveis de Prioridade Medidas Correctivas Conseq. Prob. Os trabalhadores devem dispor de informação actualizada sobre: Não foi dada informação aos trabalhadores acerca dos riscos a que estão expostos Desconhecime nto dos riscos associados ao posto de trabalho / potencial aumento dos acidentes e doenças profissionais Todos Danoso Baixa Aceitável Médio prazo > Os riscos a que estão expostos nas instalações; > As medidas de protecção e prevenção e a forma como de aplicam; > As medidas e as instruções a adoptar em caso de perigo grave e iminente; > As medidas de primeiros socorros, de combate a incêndios e de evacuação dos trabalhadores em caso de sinistro, bem como os trabalhadores ou serviços encarregues de as pôr em prática. Não foi realizada a consulta aos trabalhadores em matéria de segurança e saúde 3. s Físicos Desconhecime nto das regras de segurança / potencial aumento acidentes e doenças profissionais Não foram detectadas não conformidades 4. s Eléctricos Todos Danoso Média Moderado Curto prazo Compete à entidade empregadora consultar, no mínimo uma vez por ano e por escrito, os trabalhadores ou o(s) seu(s) representante(s), em matéria de Segurança e Saúde no trabalho, de acordo com o art.º 18 da Lei 102/2009 de 10 Setembro, alterada pela Lei 3/2014 de 28 Janeiro.

9 Não Conformidade Data: 24 / 09 / 2014 Contrato: Nome: ESCOLA PROFISSIONAL DE DESENVOLVIMETO RURAL DE SERPA Trabalhador es Expostos Avaliação Níveis de Prioridade Medidas Correctivas Conseq. Prob. Os quadros eléctricos devem ser sinalizados com Os quadros eléctricos que se encontram no Bar, na Sala de Industrias e na sala de arreios, não se encontram sinalizados Electrocussão / Atraso em situação de emergência Todos Extremam ente danoso Média Importante Urgente sinalização rigida de perigo fotoluminescente. 5. Ergonomia Não foram detectadas não conformidades 6. s Químicos Deverá solicitar aos fornecedores as fichas de segurança Inexistência das Fichas de Segurança dos produtos químicos manipulados Desconhecime nto dos riscos associados à utilização dos produtos Todos Danoso Média Moderado Curto prazo dos produtos químicos manipulados. Estas devem ser mantidas em local acessível e do conhecimento do pessoal. A informação das fichas de segurança deve estar actualizada e redigida em português, devendo ser compatível e complementar às informações do rótulo

10 Não Conformidade Data: 24 / 09 / 2014 Contrato: Nome: ESCOLA PROFISSIONAL DE DESENVOLVIMETO RURAL DE SERPA Trabalhador es Expostos Avaliação Níveis de Prioridade Medidas Correctivas Conseq. Prob. Antes da aplicação dos produtos fitofarmacêuticos, após a preparação da calda, é necessário proceder à eliminação dos resíduos remanescentes (calda e embalagens). Para tal devem-se seguir os seguintes passos: 1. O primeiro passo consiste na tripla lavagem das embalagens. Os procedimentos para a lavagem são: Encher a embalagem do produto com água até cerca de Existência de embalagens de produtos fitossanitários em local inapropriado Inalação/Intoxiç ão Todos Extremam ente danoso Média Importante Urgente ¼ do seu volume Tapar a embalagem e agitar durante cerca de 30 segundos Despejar a água de lavagem no tanque do pulverizador Repetir esta operação 3 vezes 2. A embalagem deve de seguida ser inutilizada, perfurando-se-lhe o fundo 3. Devem ser guardadas em local seguro para posterior recolha A eliminação de embalagens de produtos cuja formulação seja em pó ou granulada (sacos de plástico, de papel, de tela, de pano, caixas de cartão) dever ser realizada de modo diferente pois não podem ser lavadas. 7. s Biológicos Não foram detectadas não conformidades 8. Emergência e Evacuação

11 Não Conformidade Data: 24 / 09 / 2014 Contrato: Nome: ESCOLA PROFISSIONAL DE DESENVOLVIMETO RURAL DE SERPA Trabalhador es Expostos Avaliação Níveis de Prioridade Medidas Correctivas Conseq. Prob. Deverá afixar sinalização de emergência fotoluminescente em pictograma com a orientação da Inexistência de sinalização de emergência no pátio do Bar Atraso em situação de emergência Todos Extremam ente danoso Média Importante Urgente saída. Aconselha-se a remoção do autocolante de sinalização existente e a afixação de sinalização de emergência fotoluminescente em pictograma. As placas de Sinalização de emergência colada sobre as lâmpadas de iluminação de emergência Atraso em situação de emergência / redução da iluminação de emergência Todos Extremam ente danoso Média Importante Urgente sinalização devem ser colocadas o mais próximo possível das fontes luminosas existentes, mas não coladas sobre os aparelhos. 9. de Incêndio

12 Não Conformidade Data: 24 / 09 / 2014 Contrato: Nome: ESCOLA PROFISSIONAL DE DESENVOLVIMETO RURAL DE SERPA Trabalhador es Expostos Avaliação Níveis de Prioridade Medidas Correctivas Conseq. Prob. Os edifícios devem ser equipados com instalações que permitam detectar o incêndio e, em caso de emergência, difundir o alarme para os seus ocupantes, alertar os bombeiros e accionar sistemas e equipamentos de segurança - sistema automático de detecção de incêndio. Para efeitos de concepção dos sistemas de alarme devem ser consideradas as configurações que dependem da utilização-tipo e do tipo de categoria de Inexistência de sistema automático de detecção de incêndio no edifício principal Incêndio / explosão Todos Extremam ente danoso Média Importante Urgente risco definidos no Regulamento Técnico de Segurança Contra Incêndio em Edifícios (SCIE) (Portaria n.º 1532/2008, de 29/12).

13 Não Conformidade Data: 24 / 09 / 2014 Contrato: Nome: ESCOLA PROFISSIONAL DE DESENVOLVIMETO RURAL DE SERPA Trabalhador es Expostos Avaliação Níveis de Prioridade Medidas Correctivas Conseq. Prob. Os extintores devem ser colocados em suporte próprio de modo a que o seu manípulo fique a uma altura não superior a 1,2 m do pavimento. Os extintores não se encontram colocados à altura regulamentar Atraso em situação de incêndio Todos Danoso Média Moderado Curto prazo A localização das válvulas de corte de gás na cozinha não está sinalizada Atraso em situação de emergência Todos Danoso Média Moderado Curto prazo A localização das válvulas de corte de gás deve ser sinalizada.

14 Não Conformidade Data: 24 / 09 / 2014 Contrato: Nome: ESCOLA PROFISSIONAL DE DESENVOLVIMETO RURAL DE SERPA Trabalhador es Expostos Avaliação Níveis de Prioridade Medidas Correctivas Conseq. Prob. Bocas de incêndio sem manutenção anual Incêndio Todos Danoso Média Moderado Curto prazo De acordo com a NP EN as bocas-deincêndio devem dispor de instruções de funcionamento nítidas e legíveis. Devem ser submetidas a inspecção e manutenção anual. Os dados de inspecção e manutenção deverão ser registados num rótulo, não devendo este cobrir qualquer marcação do fabricante. Deverão constar do rótulo os seguintes dados: > a palavra INSPECCIONADO > nome e morada do fornecedor da boca-de-incêndio armada > uma marcação que identifique claramente a pessoa competente > data (ano e mês) em que foi realizada a manutenção. Aconselha-se a aquisição de manta contra-fogo, a qual deve ser instalada na cozinha em local acessível, próximo do fogão, e sinalizada com sinalização Inexistência de manta contrafogo na cozinha Incêndio / Atraso em situação de incêndio Todos Danoso Média Moderado Curto prazo fotoluminescente.

15 Não Conformidade Data: 24 / 09 / 2014 Contrato: Nome: ESCOLA PROFISSIONAL DE DESENVOLVIMETO RURAL DE SERPA Trabalhador es Expostos Avaliação Níveis de Prioridade Medidas Correctivas Conseq. Prob. A localização da central de detecção de incêndios do bloco C não está sinalizada Atraso em situação de emergência Todos Danoso Média Moderado Curto prazo A localização da central de detecção de incêndios deve ser sinalizada com sinalização fotoluminescente. 10. Primeiros Socorros Localização da caixa de primeiros socorros não sinalizada Atraso na prestação dos primeiros socorros Todos Danoso Média Moderado Curto prazo A localização da caixa de primeiros socorros deve estar sinalizada com placa fotoluminescente. Inexistência de instruções de primeiros socorros Atraso na prestação dos primeiros socorros Todos Danoso Média Moderado Curto prazo Junto da caixa ou armário de primeiros socorros devem existir procedimentos escritos relativos à actuação a prestar nas situações de acidente mais comuns. 11. Outras Nada a assinalar

16 Data: 24 / 09 / Psicossociais Nada a assinalar 2. Estado de Conservação e Segurança das Instalações Nada a assinalar 3. Organização da Segurança ESCOLA PROFISSIONAL DE DESENVOLVIMETO RURAL DE SERPA Medidas Preventivas Os trabalhadores devem receber uma formação adequada no domínio da segurança e saúde no trabalho, tendo em atenção o posto de trabalho. Formação, Informação e Consulta Para além disso o trabalhador deve dispor de informação actualizada sobre: Os riscos a que estão expostos, de acordo com o conteúdo do presente relatório; As medidas de protecção e prevenção e a forma como de aplicam; As medidas e as instruções a adoptar em caso de perigo grave e iminente; As medidas de primeiros socorros, de combate a incêndios e de evacuação dos trabalhadores em caso de sinistro, bem como os trabalhadores ou serviços encarregues de as pôr em prática. Segue em anexo uma minuta do registo de informação aos trabalhadores, o qual deverá ser assinado por todos os funcionários. 4. s Físicos Nada a assinalar 5. s Ergonomicos Nada a assinalar 6. Outras Compete à entidade empregadora consultar, no mínimo duas vezes por ano e por escrito, os trabalhadores ou o seu representante, em matéria de Higiene e Segurança no trabalho. Segue em anexo uma minuta de modelo para consulta

17 Nada a assinalar Data: 24 / 09 / 2014 ESCOLA PROFISSIONAL DE DESENVOLVIMETO RURAL DE SERPA Medidas Preventivas

18 ESCOLA PROFISSIONAL DE DESENVOLVIMETO RURAL DE SERPA Ana Dias Téc. Sup. de Segurança e Higiene do Trabalho 18 de 18

19 . INSTRUÇÕES BÁSICAS DE PRIMEIROS SOCORROS 1. ESTADO DE CHOQUE Se a vitima apresentar pulso rápido, respiração acelerada e superficial, suores frios, frio e palidez é porque está em ESTADO DE CHOQUE. O que se deve fazer: - Desapertar a roupa; - Acalmar a vítima, conversando com ela; - Levantar as pernas a cerca de 30 cm do chão; - Agasalhar a vítima, por exemplo tapando-a com uma manta. O que não se deve fazer: - Dar de beber à vítima. 2. INCONSCIENTE Se a vítima não reage a estímulos verbais e não reage a estímulos fiscos, mas tem pulsação e respira, encontra-se INCONSCIENTE. O que se deve fazer: - Transportar a vítima para um lugar arejado; - Desapertar a roupa; - Deita-la na posição lateral de segurança (vítima deitada de bruços com a cabeça virada para o lado direito; braço direito flectido, servindo de apoio à cabeça; perna direita flectida, apoiada na perna esquerda). O que não se deve fazer: - Dar de beber à vítima. 5. ENVENENAMENTO POR VIA ORAL Se a vítima ingeriu produto venenoso, sofre um ENVENENAMENTO por via ORAL. O que se deve fazer: - Se ingeriu um PRODUTO NÃO CORROSIVO, provocar-lhe o vómito - o que poderá ser feito dando a beber água morna com muito sal. - Se ingeriu um PRODUTO CORROSIVO OU DERIVADO DO PETRÓLEO, dar-lhe a beber leite frio. O que não se deve fazer: - Se a vítima ingeriu um PRODUTO CORROSIVO OU DERIVADO DO PETRÓLEO, NUNCA provocar o vómito. 6. FRACTURA Se a vítima apresenta dor localizada, mobilidade anormal, incapacidade de fazer alguns movimentos, hemorragia (no caso de fractura exposta), muito possivelmente tem uma FRACTURA. O que se deve fazer: - O menor número possível de movimentos à vítima; - Instala-la confortavelmente; - Cortar a roupa, se necessário e imobilizar a articulação; - Se a fractura for exposta, colocar uma compressa. - Pegar na vítima. O que não se deve fazer: 3. AMPUTAÇÃO Se a vítima apresenta um membro ou parte dele totalmente separado do resto do resto do corpo, sofreu uma AMPUTAÇÃO. O que se deve fazer: - Guardar o membro num saco de plástico limpo e fechá-lo; - Colocar esse saco dentro de outro com gelo e sal e fechá-lo também; - Transportar a vítima, rapidamente para o Hospital, juntamente com o saco que contém o membro. O que não se deve fazer: - Não enviar o membro juntamente com a vítima para o Hospital. 7. HEMORRAGIA Se a vítima apresenta uma ferida de onde jorra sangue vivo, está com uma HEMORRAGIA. O que se deve fazer: - Elevar a parte do corpo que sangra; - Estancar a hemorragia colocando um pano limpo e comprimindo sobre a ferida. - Se o pano ficar ensopado, colocar outro por cima. - Proteger a zona com uma ligadura, sem apertar. O que não se deve fazer: - Garrote caso não seja socorrista, e só em caso extremo. - Aplicar ligaduras apertadas. 4. ENVENENAMENTO POR VIA RESPIRATÓRIA Se a vítima sente tonturas, está eufórica (intoxicação com Monóxido de Carbono), sente-se a desfalecer (intoxicação com Gás Butano), sofreu um ENVENENAMENTO POR VIA RESPIRATÓRIA. O que se deve fazer: - Levar a vítima para um local arejado, tendo o cuidado de não respirar o ar contaminado; - Deixar a vítima em repouso; - Aguardar socorro profissional; - Se a vítima tiver uma paragem respiratória apenas um socorrista deverá aplicar respiração boca-a-boca. O que não se deve fazer: - Entrar no local contaminado, sem protecção respiratória, tornando-se outra vítima. - Se o gás for inflamável, ligar interruptores. 8. QUEIMADURA se a vítima apresenta pele vermelha, quente e seca (queimadura do 1º Grau) e ainda bolhas com liquido claro (queimaduras do 2º Grau); destruição profunda dos tecidos (queimadura do 3º Grau), sofreu uma QUEIMADURA. O que se deve fazer: - No caso de Queimaduras do 1º e 2º Grau, imergir a zona afectada em água fria, até que a vítima não sinta dor e aplicar uma pomada hidratante, tendo o cuidado de não rebentar as bolhas. - Nos casos de Queimaduras do 3º Grau, aplicar uma compressa a cobrir a zona afectada e transportar imediatamente a vítima ao Hospital. O que não se deve fazer: - Rebentar as bolhar. IS031.Rev.09/10/2013

20 REGISTO DE INFORMAÇÃO DA AVALIAÇÃO DE RISCOS AOS TRABALHADORES NOME DA EMPRESA: MORADA DO ESTABELECIMENTO: Serve o presente registo para comprovar a informação prestada aos trabalhadores da empresa supra indicada sobre os riscos profissionais a que estão expostos, de acordo com a avaliação de riscos efectuada pelos serviços de Segurança e Higiene no Trabalho, bem como, do sistema de prevenção em vigor na empresa. Nome: Nome: Nome: Nome: Nome: Nome: Nome: Nome: Nome: Nome: Data: / / Ass.: Data: / / Ass.: Data: / / Ass.: Data: / / Ass.: Data: / / Ass.: Data: / / Ass.: Data: / / Ass.: Data: / / Ass.: Data: / / Ass.: Data: / / Ass.: Procedimento de utilização do modelo: - Ao presente registo deve ser anexada cópia da matriz de avaliação de riscos que acompanha o relatório de Avaliação de s elaborado pelos serviços de Segurança e Higiene no Trabalho, de forma a, que todos os trabalhadores tenham conhecimento do seu conteúdo; - A empresa deverá manter em arquivo o presente registo. Responsável Interno: Data: / / Ass.: MP Rev.18/04/2011

21 Nome da Empresa: Nome do trabalhador (facultativo): Departamento/Função: 1 - Avaliação de s Profissionais CONSULTA AOS TRABALHADORES EM MATÉRIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO 1. Conhece a avaliação de riscos profissionais da sua empresa? Sim Não 2. São-lhe transmitidas informações sobre os riscos a que está exposto aquando da Sim Não execução do seu trabalho? 3. São-lhe transmitidas informações sobre as medidas de prevenção que visam Sim Não eliminar ou minimizar a ocorrência de um risco? 2 - Posto de Trabalho 2.1. Indique, caso existam, quais as condições negativas existentes no seu local de trabalho. a) Limpeza deficiente b) Arrumação deficiente c) Correntes de ar d) Humidade e) Exposição ao calor e ao frio f) Iluminação deficiente g) Mau estado das instalações sanitárias h) Outra situação. Qual? Data: Pede-se que todos os questionários sejam preenchidos e devolvidos. Agradece-se a sua colaboração! 2.2. Identifique quais os riscos a que estão sujeitos no seu local de trabalho. a) ergonómico b) de exposição ao ruído c) de exposição a poeiras d) de exposição a vibrações e) de queda f) de electrocussão g) de queimaduras h) biológico i) químico j) psicossocial (stresse) k) Outro risco. Qual? 2.3. Identifique quais as situações que se adequam mais ao seu trabalho: a) Está muito tempo de pé Sim Não b) Está muito tempo na posição sentada Sim Não c) Realiza tarefas contínuas com equipamentos dotados de visor Sim Não d) Realiza tarefas repetitivas e monótonas Sim Não e) Realiza posturas de trabalho em esforço Sim Não f) Levanta e desloca objectos pesados Sim Não g) Realiza trabalho em altura Sim Não h) Utiliza equipamentos de movimentação de cargas Sim Não i) Utiliza produtos químicos Sim Não j) Os equipamentos/máquinas com que opera são seguros Sim Não i) Proposta de melhoria no seu posto de trabalho MP Rev.30/07/2014 Página1/2

22 CONSULTA AOS TRABALHADORES EM MATÉRIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO 3 - Medidas de Segurança 1. Possui conhecimentos ao nível de combate a incêndios? Sim Não 2. Possui conhecimentos na área de 1.º Socorros? Sim Não 4 - Tecnologias e funções 1. Concorda com a adopção de novas tecnologias e métodos de trabalho? 2. Acha que deviam de ser introduzidos novos equipamentos de trabalho ou alteração dos existentes? 2.1. Se sim indique quais: 5 - Equipamentos de Protecção Individual (EPI s) 1. A empresa disponibiliza os Equipamentos de Protecção Individual (EPI s): máscara, luvas, entre outros? 2. Quando faz uso de um EPI sabe contra que tipo de risco se está a proteger? Sim Sim Não Não Sim Não NA Sim Não NA 3. Acha que é necessário utilizar mais algum EPI em qualquer tarefa por si realizada? Se sim, indique qual (ais): Sim Não NA 4. Sente-se mais protegido quando usa EPI? Sim Não NA 6 - Acidentes de Trabalho 1. Teve conhecimento dos relatórios de acidentes de trabalho da sua empresa? 2. Teve conhecimento da Lista Anual de acidentes de trabalho? 7 - Programa e Organização da Formação Sim Sim Não Não 1. Já frequentou formação em matéria de Segurança e Saúde no Trabalho (SST)? Sim Não 2. Considera que a formação recebida em matéria de SST é suficiente? Sim Não NA 3. Gostaria de ter formação em alguma matéria específica do âmbito da SST? Sim Não 3.1. Se sim, indique qual (ais): 8 - Designação e exoneração dos trabalhadores 1. Sabe quem é o Representante do Empregador que acompanha os serviços de Segurança e Saúde no Trabalho na empresa? 1.1. Se sim, indique o nome: 2. Conhece os elementos que constituem as equipas de evacuação, combate a incêndios e primeiros socorros da empresa? 9 - Modalidade de Serviços de SST 1. Sabe qual o serviço que acompanha a sua empresa em matéria de SST? Sim Não Sim Sim Não Não 1.1. Se sim, indique qual: Serviço externo Serviço Interno 2. A empresa proporciona aos seus trabalhadores a realização de exames médicos? Sim Não MP Rev.30/07/2014 Página2/2

NOTA TÉCNICA nº 22 Complementar do Regime Jurídico de SCIE

NOTA TÉCNICA nº 22 Complementar do Regime Jurídico de SCIE NOTA TÉCNICA nº 22 Complementar do Regime Jurídico de SCIE OBJECTIVO Definir bases técnicas para a elaboração de Plantas de Emergência, em suporte de papel ou em suporte digital, conforme a legislação

Leia mais

A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO

A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO por A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO por Resolução do Conselho 2002/C161/01 Nova Estratégia Comunitária de Saúde e Segurança (2002 2006) Redução dos Acidentes de Trabalho

Leia mais

QUEIMADURAS. Calor Electricidade Produtos químicos Radiações Fricção

QUEIMADURAS. Calor Electricidade Produtos químicos Radiações Fricção QUEIMADURAS Calor Electricidade Produtos químicos Radiações Fricção GRAVIDADE DAS QUEIMADURAS DEPENDE: Zona atingida pela queimadura Extensão da pele queimada Profundidade da queimadura: - 1ºGRAU - 2ºGRAU

Leia mais

Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho SHST

Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho SHST Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho SHST O QUE DIZ A LEI OBSERVAÇÕES Todos os trabalhadores têm direito à prestação de trabalho em condições de segurança, higiene e saúde, competindo ao empregador assegurar

Leia mais

GESTOS QUE SALVAM Departamento de Formação em Emergência Médica janeiro de 2014

GESTOS QUE SALVAM Departamento de Formação em Emergência Médica janeiro de 2014 GESTOS QUE SALVAM Departamento de Formação em Emergência Médica janeiro de 2014 Gestos que Salvam O que fazer? EM CASO DE EMERGÊNCIA O QUE FAZER Número Europeu de Emergência LIGAR PARA O NÚMERO EUROPEU

Leia mais

ARMAZENAGEM. 8 O empilhamento dos materiais obstruí a circulação nas vias. Decreto-lei 243/86 de 20 de Agosto. Foto Nº.

ARMAZENAGEM. 8 O empilhamento dos materiais obstruí a circulação nas vias. Decreto-lei 243/86 de 20 de Agosto. Foto Nº. CHECK LIST DE HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO Resposta à check list. A severidade está dividida em 3 níveis, Leve, Médio e Grave Só é preenchida quando a resposta não corresponde ao que a legislação prevê.

Leia mais

MÓDULO VIII ACIDENTES COM PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS

MÓDULO VIII ACIDENTES COM PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS Acidentes com Programa de formação sobre a aplicação de MÓDULO VIII ACIDENTES COM PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS Acidentes com Os são seguros se forem utilizados com cuidado, de acordo com todas as indicações

Leia mais

Produtos químicos PERIGOSOS

Produtos químicos PERIGOSOS Produtos químicos PERIGOSOS Como podemos identificar os produtos químicos perigosos? Os produtos químicos estão presentes em todo o lado, quer em nossas casas, quer nos locais de trabalho. Mesmo em nossas

Leia mais

SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE NO TRABALHO PROGRAMA DE FORMAÇÃO

SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE NO TRABALHO PROGRAMA DE FORMAÇÃO FORMAÇÃO SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE NO TRABALHO PROGRAMA DE FORMAÇÃO 1 Introdução No actual quadro legislativo (35/2004) é bem claro que a responsabilidade pelas condições de Segurança, Higiene e Saúde

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIÍMICO ( FISPQ )

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIÍMICO ( FISPQ ) 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Anti Ruído Tradicional Aplicação: Reparação e emborrachamento de veículos. Fornecedor: Nome: Mastiflex Indústria e Comércio Ltda Endereço : Rua

Leia mais

Primeiros Socorros Volume III

Primeiros Socorros Volume III Manual Primeiros Socorros Volume III um Manual de Agosto de 2008 Rua Braancamp, 52-4º 1250-051 Lisboa Tel. 212476500 geral@oportalsaude.com Copyright, todos os direitos reservados. Este Manualnão pode

Leia mais

Situado na: Rua Cruz de Portugal, Edifício Avenida, loja C

Situado na: Rua Cruz de Portugal, Edifício Avenida, loja C Designação do estabelecimento: MegaExpansão LDA. Situado na: Rua Cruz de Portugal, Edifício Avenida, loja C 8300-135 Silves Telefone: 282441111 Localização geográfica Sul Estrada Nacional 124 Norte Este

Leia mais

Identificação de Perigos, Avaliação e Controlo de Riscos. Câmara Municipal de Mora

Identificação de Perigos, Avaliação e Controlo de Riscos. Câmara Municipal de Mora Pág.1/12 Identificação de Perigos, Avaliação e Controlo de Riscos Câmara Municipal de Mora 2010 Pág.2/12 Identificação da Entidade Informação da Visita Documento Entidade: Câmara Municipal de Mora Entidade:

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA ORGANIZAÇÃO DO ESTALEIRO 2 DESCRIÇÃO Face à legislação em vigor, estaleiros temporários ou móveis são os locais onde se efectuam trabalhos de

Leia mais

Janeiro 2012. Instruções de Segurança. Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores

Janeiro 2012. Instruções de Segurança. Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores Cenário 1 Alarme de reconhecimento Responsável Bloco faz o reconhecimento Atuação Equipa 1ª Intervenção Alarme Parcial Bloco A Atuação Equipa Evacuação Bloco A Situação Controlada? Sinistro? Sim Não Reposição

Leia mais

Tratar danos causados por produtos químicos; Tratar queimaduras; Estado de choque; Respiração de socorro (respiração boca-a-boca).

Tratar danos causados por produtos químicos; Tratar queimaduras; Estado de choque; Respiração de socorro (respiração boca-a-boca). Quando se trabalha ou se está exposto a substâncias perigosas no local de trabalho, na comunidade ou em casa, é importante estar tão seguro quanto possível e estar preparado para acidentes. Esta secção

Leia mais

TÍTULO DA APRESENTAÇÃO 11 de fevereiro de 2013. Saúde e Segurança na agricultura

TÍTULO DA APRESENTAÇÃO 11 de fevereiro de 2013. Saúde e Segurança na agricultura TÍTULO DA APRESENTAÇÃO Saúde e Segurança na agricultura TÍTULO DA APRESENTAÇÃO TÍTULO DA APRESENTAÇÃO DEVERES GERAIS DO EMPREGADOR DEVERES GERAIS DO TÍTULO EMPREGADOR DA APRESENTAÇÃO Admissão de trabalhadores

Leia mais

SGA. Introdução. Qualidade SGA ISO 14001. SGA por Níveis. Sistemas. Integrados. Sistemas. Sustentáveis. Casos. Prática SGA. Introdução.

SGA. Introdução. Qualidade SGA ISO 14001. SGA por Níveis. Sistemas. Integrados. Sistemas. Sustentáveis. Casos. Prática SGA. Introdução. por A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO por Legislação aplicada no âmbito de S.H.S.T. Prescrições mínimas de segurança e saúde sobre os componentes materiais do Trabalho

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome Comercial do produto: CJI URETANO AR ENDURECEDOR Nome da empresa: Endereço: Rua Hermínio Poltroniere,

Leia mais

PROGRAMA (FORMAÇÃO) Área de educação e formação Código 720. Curso - Emergência e Primeiros Socorros no Local de Trabalho

PROGRAMA (FORMAÇÃO) Área de educação e formação Código 720. Curso - Emergência e Primeiros Socorros no Local de Trabalho 1 - Objetivos: Dotar os trabalhadores de conhecimentos e competências, adequados e específicos à realidade de trabalho da empresa, estabelecimento ou serviço, que permitam aplicar as medidas de primeiros

Leia mais

INQUÉRITO SOBRE O ESTADO DOS LABORATÓRIOS E CONDIÇÕES DE TRABALHO E SEGURANÇA

INQUÉRITO SOBRE O ESTADO DOS LABORATÓRIOS E CONDIÇÕES DE TRABALHO E SEGURANÇA INQUÉRITO SOBRE O ESTADO DOS LABORATÓRIOS E CONDIÇÕES DE TRABALHO E SEGURANÇA Na sequência da Circular nº04/cd/03, de 17 de Janeiro, vimos por este meio solicitar a colaboração dos Responsáveis pelos Laboratórios

Leia mais

PRIMEIROS SOCORROS. RECURSOS HUMANOS - PH/PHA Data: 28/03/2000 PESSOAS: NOSSA MELHOR ENERGIA

PRIMEIROS SOCORROS. RECURSOS HUMANOS - PH/PHA Data: 28/03/2000 PESSOAS: NOSSA MELHOR ENERGIA PRIMEIROS SOCORROS CONCEITO TRATAMENTO IMEDIATO E PROVISÓRIO CARACTERÍSTICAS DO SOCORRISTA CONHECIMENTO INICATIVA CONFIANÇA CRIATIVIDADE CALMA SOLIDARIEDADE ESTADO DE CHOQUE HIPOTENSÃO COM ACENTUADA BAIXA

Leia mais

Avaliação de Riscos no Laboratório de Química Orgânica do IST

Avaliação de Riscos no Laboratório de Química Orgânica do IST Avaliação de Riscos no Laboratório de Química Orgânica do IST Apresentação do Laboratório Armazém de Reagentes aprox. 7 m 2 de armazém Escadas sem apoio e com grande inclinação Armazém de Reagentes Ventilação

Leia mais

NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regime Jurídico de SCIE

NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regime Jurídico de SCIE NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regime Jurídico de SCIE OBJECTIVO Indicar os critérios gerais que caracterizam os sinais de segurança aplicáveis em SCIE. Listar os sinais específicos exigidos no RT-SCIE,

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO. ph (Solução 0,2%) Aproximadamente 2,00. Ponto de Ebulição 110ºC Densidade 1,150 ( 20ºC ) Completamente solúvel em água.

RELATÓRIO TÉCNICO. ph (Solução 0,2%) Aproximadamente 2,00. Ponto de Ebulição 110ºC Densidade 1,150 ( 20ºC ) Completamente solúvel em água. RELATÓRIO TÉCNICO I - DADOS GERAIS: Nome do Produto: ÁCIDO MURIÁTICO Composição: Água e Ácido Clorídrico Estado Físico: Líquido Cuidados para conservação: Conservar o produto na embalagem original. Proteger

Leia mais

Armazenamento Todas as matérias primas são organizadas por secções no armazém, através de prateleiras.

Armazenamento Todas as matérias primas são organizadas por secções no armazém, através de prateleiras. Recepção de matérias primas Após a chegada das matérias primas à fábrica, estas são transportadas para o armazém através do empilhador, porta paletes ou através de transporte manual. Armazenamento Todas

Leia mais

Testes de Diagnóstico

Testes de Diagnóstico INOVAÇÃO E TECNOLOGIA NA FORMAÇÃO AGRÍCOLA agrinov.ajap.pt Coordenação Técnica: Associação dos Jovens Agricultores de Portugal Coordenação Científica: Miguel de Castro Neto Instituto Superior de Estatística

Leia mais

Rebrilhar Catalisador Ureia-Formol

Rebrilhar Catalisador Ureia-Formol 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome comercial do Produto: Nome da Empresa: Rebrilhar Resinas e Vernizes Ltda. Endereço: Rua Luiz de Moraes Rego, nº. 505 Jardim do Bosque Leme/SP Telefones: 19-35186900

Leia mais

Escola Primária da Mexilhoeira da Carregação. Planta de Emergência. Formandos: Dário Afonso, Fernanda Piçarra e Sérgio Inácio. [01 de Março de 2011]

Escola Primária da Mexilhoeira da Carregação. Planta de Emergência. Formandos: Dário Afonso, Fernanda Piçarra e Sérgio Inácio. [01 de Março de 2011] Escola Primária da Mexilhoeira da Carregação Planta de Emergência Formandos: Dário Afonso, Fernanda Piçarra e Sérgio Inácio [01 de Março de 2011] A Planta de Emergência Segundo a norma NP 4386 define a

Leia mais

Índice. Página 1 de 7

Índice. Página 1 de 7 Índice 1 - Considerações gerais...2 1.1 - Introdução...2 2 - Actuação em caso de emergência...2 2.1 - Esquema geral de actuação...2 2.2 - Procedimento gerais de actuação...3 2.2.1 - Em caso de incêndio

Leia mais

1. As Actividades do Técnico de Higiene e Segurança

1. As Actividades do Técnico de Higiene e Segurança BOAS PRÁTICAS PREVENTIVAS PORTUCEL - Fábrica de Cacia Paula Lima (Técnico Sup. HST) 100505PL1P 1. As Actividades do Técnico de Higiene e Segurança ENQUADRAMENTO LEGAL Ver em pormenor no Artº 98º da DL

Leia mais

1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 2 COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES

1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 2 COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES NOME DO PRODUTO: BRANCOL 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome da Empresa: Petra Química Matriz: Estrada do Barreiro, 136 Gleba Nova Ukrânia - CEP: 86.800-970 - Apucarana/PR Fone: (43) 4104-0224

Leia mais

2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS IGREDIENTES: CONCENTRAÇÃO %

2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS IGREDIENTES: CONCENTRAÇÃO % 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do Produto: CONCRELATÉX Tinta acrílica base d agua. Fornecedor:. Av Eng Juarez de Siqueira Britto Wanderley, 380 Jd Vale do Sol CEP: 12.238-565 São José dos

Leia mais

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume XIII Trabalho em Espaços Confinados. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume XIII Trabalho em Espaços Confinados. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção Guia Técnico Segurança e Higiene no Trabalho Volume XIII Trabalho em Espaços Confinados um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído

Leia mais

PLANO DE EMERGÊNCIA EM CASO DE INCÊNDIO PROFESSORES

PLANO DE EMERGÊNCIA EM CASO DE INCÊNDIO PROFESSORES PROFESSORES Competências dos professores Quando os professores se encontram numa sala de aula com um grupo de alunos, devem: 1. Ao ouvir o sinal de alarme, avisar os alunos para não tocarem nos interruptores

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos. SEÇÃO I - Identificação do Produto Químico e da Empresa

Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos. SEÇÃO I - Identificação do Produto Químico e da Empresa SEÇÃO I - Identificação do Produto Químico e da Empresa Nome do produto: COLA PVA EXTRA FORMICA Nome da empresa: Formiline Indústria de Laminados Ltda. Endereço: Estrada Portão do Honda, 120 Rio Abaixo

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Segurança e Higiene no Trabalho Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/7 ÁREA DE ACTIVIDADE OBJECTIVO

Leia mais

SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA

SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA OBJETIVO Indicar os critérios gerais que caracterizam os sinais de segurança aplicáveis em SCIE. Listar os sinais específicos exigidos no RT-SCIE, apresentando soluções disponíveis de possível aplicação.

Leia mais

PRIMEIRO A SEGURANÇA. Armazenamento e Manuseamento Seguro de Produtos de Limpeza e de Desinfecção. Seguir as Regras de Segurança:

PRIMEIRO A SEGURANÇA. Armazenamento e Manuseamento Seguro de Produtos de Limpeza e de Desinfecção. Seguir as Regras de Segurança: Seguir as Regras de Segurança: 1. Seguir sempre as recomendações e instruções de aplicação dos produtos de limpeza e de desinfecção. 2. Observar os pictogramas de perigo, as advertências de perigo e as

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO

CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO 1/19 Programa do curso Módulo Designação Duração (h) Componente Sócio-Cultural 1 Legislação, regulamentos e normas de segurança,

Leia mais

UNIDADES DE SAÚDE com SAÚDE INFANTIL

UNIDADES DE SAÚDE com SAÚDE INFANTIL UCF CRIANÇA e ADOLESCENTE UNIDADES DE SAÚDE com SAÚDE INFANTIL Identificação do Estabelecimento Data: / / Designação: Morada: Freguesia: Concelho: Telefone: Fax: Correio Electrónico: Director / Coordenador

Leia mais

de Segurança de Produtos Químicos

de Segurança de Produtos Químicos 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do Produto: CONCRECOR a base d água. Fornecedor:. Av Eng Juarez de Siqueira Britto Wanderley, 380 Jd Vale do Sol CEP: 12.238-565 São José dos Campos - SP

Leia mais

AULA Nº 9 E 10 HIGIENE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO

AULA Nº 9 E 10 HIGIENE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO AULA Nº 9 E 10 HIGIENE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO Papel da escola na promoção de uma cultura de HSST no trabalho PANORAMA GERAL: 330 000 acidentes de trabalho/ano 22% afecta os jovens com idade inferior

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FIS 00001 1/6 1) IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Empresa: Endereço: Água sanitária Super Cândida Indústrias Anhembi S/A Matriz: Rua André Rovai, 481 Centro Osasco SP Telefone: Matriz:

Leia mais

Ficha de informação de segurança de produto químico (FISPQ) LIMPA INOX MALTEX

Ficha de informação de segurança de produto químico (FISPQ) LIMPA INOX MALTEX Ficha de informação de segurança de produto químico (FISPQ) 01/05 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Limpa inox Maltex. Aplicação: O remove manchas e amarelados de utensílios de

Leia mais

Produto: Denvercril RA701 Nº FISPQ: 079 Revisão: 00. Denver Indústria e Comércio Ltda. denver.resinas@denverresinas.com.br

Produto: Denvercril RA701 Nº FISPQ: 079 Revisão: 00. Denver Indústria e Comércio Ltda. denver.resinas@denverresinas.com.br 1. Identificação do Produto e da Empresa Nome do Produto: Nome da Empresa: Endereço: Denvercril RA701. Denver Indústria e Comércio Ltda. Rua Geny Gusmão dos Santos, 48 Rio Abaixo Suzano-SP. Telefone da

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ PRODUTO: BATERIA MOURA 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Nome da Empresa: Endereço: Bateria Moura Acumuladores Moura

Leia mais

Paraformaldeido Página 1 de 5 FISPQ nº: 002.067 Ultima Revisão: 07/07/2005

Paraformaldeido Página 1 de 5 FISPQ nº: 002.067 Ultima Revisão: 07/07/2005 Paraformaldeido Página 1 de 5 1. Identificação do Produto e da Empresa Nome do produto : Paraformaldeido Código do produto : 002.067 Empresa Corpo de Bombeiros : 193 Polícia Militar : 190 : Metalloys &

Leia mais

Identificação de Perigos, Avaliação e Controlo de Riscos. Câmara Municipal de Mora

Identificação de Perigos, Avaliação e Controlo de Riscos. Câmara Municipal de Mora Pág.1/5 Identificação de Perigos, Avaliação e Controlo de Riscos Câmara Municipal de Mora Pág.2/5 Identificação da Entidade Informação da Visita Documento Entidade: Câmara Municipal de Mora Entidade: Segurévora

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome Comercial do produto: CJI MASTER HARD SS Nome da empresa: Endereço: Rua Hermínio Poltroniere, 198

Leia mais

ELABORAÇÃO DE MEDIDAS DE AUTOPROTEÇÃO

ELABORAÇÃO DE MEDIDAS DE AUTOPROTEÇÃO Praça Nove de Abril, 170. 4200 422 Porto Tel. +351 22 508 94 01/02 www.jct.pt SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM EDIFÍCIOS ELABORAÇÃO DE MEDIDAS DE AUTOPROTEÇÃO JCT - Consultores de Engenharia, Lda tem como

Leia mais

Ficha de informação de segurança de produto químico (FISPQ) LIMPA INOX NÁUTICO MALTEX

Ficha de informação de segurança de produto químico (FISPQ) LIMPA INOX NÁUTICO MALTEX 01/05 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DO DISTRIBUIDOR Nome do produto:. Aplicação: indicado para uso em acessórios e peças em aço inoxidável, como amarradores, guardamancebo, escadas e equipamentos de cozinha,

Leia mais

6. O que indica este sinal? a) um perigo possível b) uma via de evacuação c) material de combate ao fogo d) direcção das casas de banho

6. O que indica este sinal? a) um perigo possível b) uma via de evacuação c) material de combate ao fogo d) direcção das casas de banho 1. Uma autorização de trabalho é um documento: a) que tem de promover a concertação entre todos os que tenham a ver com o trabalho. b) em que vêm estipuladas as condições relativas à maneira de trabalhar

Leia mais

Distribuição e Venda de Produtos Fitofarmacêuticos

Distribuição e Venda de Produtos Fitofarmacêuticos IMPLEMENTAÇÂO DO DECRETO LEI 173/2005 Distribuição e Venda de Produtos Fitofarmacêuticos Algumas orientações para a construção e beneficiação das instalações bem como para o armazenamento de produtos fitofarmacêuticos

Leia mais

Primeiros socorros Material a ter na caixa de primeiros socorros:

Primeiros socorros Material a ter na caixa de primeiros socorros: Primeiros socorros Os primeiros socorros é o tratamento inicial dado a alguém que se magoou ou sofreu um acidente. Se o acidente for grave, não deves mexer na pessoa lesionada e chamar o 112, explicando-lhe

Leia mais

Centro de Saúde de Évora Saúde Escolar. Noções de Primeiros Socorros

Centro de Saúde de Évora Saúde Escolar. Noções de Primeiros Socorros Centro de Saúde de Évora Saúde Escolar Noções de Primeiros Socorros Noções de Primeiros Socorros! O primeiro socorro;! Feridas, picadas e mordeduras;! Produtos e materiais;! Algumas recomendações. O primeiro

Leia mais

INDUFIX FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 014 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

INDUFIX FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 014 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA FISPQ 014 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Indufix Código interno: 2000 Empresa: Indutil Indústria de Tintas Ltda. e-mail: indutil@indutil.com.br

Leia mais

NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regulamento Geral de SCIE Ref.ª VII.I.01/2007-05-31

NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regulamento Geral de SCIE Ref.ª VII.I.01/2007-05-31 NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regulamento Geral de SCIE Ref.ª VII.I.01/2007-05-31 RESUMO Indicar os critérios gerais que caracterizam os sinais de segurança aplicáveis em SCIE. Listar os sinais específicos

Leia mais

Escola Secundária D. Duarte

Escola Secundária D. Duarte 1. CARACTERIZAÇÃO DO ESPAÇO 1.1 Localização geográfica A Escola Secundária D. Duarte fica situada na Rua António Augusto Gonçalves em Santa Clara Coimbra. Vias de acesso para socorros exteriores: Protecção

Leia mais

1. Contextualização da segurança, higiene e saúde do trabalho no regime jurídico

1. Contextualização da segurança, higiene e saúde do trabalho no regime jurídico 1. Contextualização da segurança, higiene e saúde do trabalho no regime jurídico O documento legislativo que estabelece o regime jurídico de enquadramento da segurança, higiene e saúde no trabalho é determinado

Leia mais

PROCEDIMENTOS RELATIVOS À GRIPE A (H1N1) PARA AS COMPETIÇÕES DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE FUTEBOL

PROCEDIMENTOS RELATIVOS À GRIPE A (H1N1) PARA AS COMPETIÇÕES DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE FUTEBOL COMUNICADO OFICIAL N.: 193 DATA: 2009.11.20 PROCEDIMENTOS RELATIVOS À GRIPE A (H1N1) PARA AS COMPETIÇÕES DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE FUTEBOL Para conhecimento dos Sócios Ordinários, Clubes, Sad s e demais

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Nome do produto: Cloreto de Níquel Solução 80%

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Nome do produto: Cloreto de Níquel Solução 80% 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E EMPRESA Nome comercial: Cloreto de Níquel Solução 80% Código interno de identificação do produto: A022 Nome da Empresa: Endereço: Estrada Municipal Engenheiro Abílio Gondin

Leia mais

Conteúdos: 1 Psicossociologia do Trabalho (25 horas)

Conteúdos: 1 Psicossociologia do Trabalho (25 horas) : 1 Psicossociologia do Trabalho (25 horas) Objectivo(s): Aplicar técnicas e métodos de avaliação dos factores psicossociais. Proceder a nível psicossocial a alterações na organização do trabalho ou no

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico CHEMKLEEN 611L Código do produto: CK611L Página 1 de 5

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico CHEMKLEEN 611L Código do produto: CK611L Página 1 de 5 Código do produto: CK611L Página 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Código do produto: Aplicação: Fornecedor: CK611L Telefone de emergência: (19) 2103-6000 DESENGRAXANTE ALCALINO

Leia mais

de Segurança de Produtos Químicos

de Segurança de Produtos Químicos 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do Produto: CONCRECOR CIMENFLEX Fornecedor:. Av Eng Juarez de Siqueira Britto Wanderley, 380 Jd Vale do Sol CEP: 12.238-565 São José dos Campos - SP e-mail:

Leia mais

PLANO DE EMERGÊNCIA: FASES DE ELABORAÇÃO

PLANO DE EMERGÊNCIA: FASES DE ELABORAÇÃO PLANO DE EMERGÊNCIA: FASES DE ELABORAÇÃO www.zonaverde.pt Página 1 de 10 INTRODUÇÃO Os acidentes nas organizações/estabelecimentos são sempre eventos inesperados, em que a falta de conhecimentos/formação,

Leia mais

Acido Crômico Anidro FISPQ nº: 0007 Ultima Revisão: 08/11/2014

Acido Crômico Anidro FISPQ nº: 0007 Ultima Revisão: 08/11/2014 1. Identificação do Produto e da Empresa Nome do produto : Código do produto : 0007 Empresa : Jenifer Martins de Souza (MV Química / Lubrificantes Brasil) Rua José Carlos, 44 Jandira - SP Cep: 06608-330

Leia mais

QUESTIONÁRIO N.º. 1-Sexo: 3- Nacionalidade: 4-Estado Civil: 5-Grau de ensino (completo): 4 anos de escolaridade 11 anos de escolaridade

QUESTIONÁRIO N.º. 1-Sexo: 3- Nacionalidade: 4-Estado Civil: 5-Grau de ensino (completo): 4 anos de escolaridade 11 anos de escolaridade QUESTIONÁRIO N.º O presente inquérito tem como objectivo registar as opiniões dos trabalhadores que trabalham na Construção Civil, com vista a recolher informações relativamente às condições ambientais

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS Página: 1/10 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome comercial: ITA Anti Espumante. Nome químico do principal componente: Cola Coqueiro Granulada. Código interno de identificação do produto: ITA1228.

Leia mais

SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO MEDIDAS DE AUTOPROTECÇÃO

SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO MEDIDAS DE AUTOPROTECÇÃO IV JORNADAS TÉCNICAS DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO DA ESCOLA PROFISSIONAL DE AVEIRO SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO MEDIDAS DE AUTOPROTECÇÃO Manuela Mil-Homens Comando Distrital de Operações de Socorro

Leia mais

PLANTAS DE EMERGÊNCIA

PLANTAS DE EMERGÊNCIA OBJETIVO Definir bases técnicas para a elaboração de Plantas de Emergência, em suporte físico ou em suporte digital, conforme a legislação em vigor (RJ-SCIE e RT-SCIE) e a NP4386, aqui entendidas como

Leia mais

FICHA TECNICA CONTRA RISCO DE INCENDIOS EM EDIFICIOS HABITACIONAIS COMERCIAS E INDUSTRIAIS

FICHA TECNICA CONTRA RISCO DE INCENDIOS EM EDIFICIOS HABITACIONAIS COMERCIAS E INDUSTRIAIS Página 1/5 INSTALAÇÃO ELETRICA CONTADOR ENERGIA / ACE Verificação da não violação do selo do contador Verificação da existência de limitador de potência do distribuidor / Fatura QUADRO ELECTRICO Verificação

Leia mais

weber.col classic plus

weber.col classic plus 1/6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: 1.1. Nome: 1.2. Aplicações: Cimento-Cola. Este produto destina-se à colagem de cerâmica. 1.2. Entidade Responsável: 1.3. Telefone de Emergência: Saint-Gobain

Leia mais

OBJECTIVOS PRINCIPAIS:

OBJECTIVOS PRINCIPAIS: Câmara Municipal de Aveiro SERVIÇO MUNICIPAL DE PROTECÇÃO CIVIL SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS EM EDIFICIOS ESCOLARES (SCIE) Meios de 1ª Intervenção - EXTINTORES AGRUPAMENTO EIXO 28 Setembro 2011 Sandra Fernandes

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA 1. Identificação da substância/preparação e da sociedade / empresa Identificação da substância / preparação Nome comercial: LUSO EXTRUDER Código do produto: TPVE 301 Utilização da substância / da preparação:

Leia mais

de Segurança de Produtos Químicos

de Segurança de Produtos Químicos 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do Produto: Impermeabilizante acrílico a base d água. Fornecedor:. Av Eng Juarez de Siqueira Britto Wanderley, 380 Jd Vale do Sol CEP: 12.238-565 São José

Leia mais

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico Produto Maki Pó

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico Produto Maki Pó 1 Identificação do Produto e da Empresa Nome do Produto Maki Pó Fabricante/Registrante De Sangosse Agroquímica Ltda Endereço Rua Raymundo Ramos Ferreira nº 136 CIC Curitiba/PR CEP: 81.530-040 Telefone

Leia mais

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES Página 1 de 8 Página 01/07 SEÇÃO 1.0 NOME DO PRODUTO NOME DO FABRICANTE ENDEREÇO Rua Dr. Fernão Pompeu de Camargo, 1704/52 Jardim do Trevo - Campinas/SP - CEP: 13040-010 SEÇÃO 2.0 TIPO DE PRODUTO PREPARADO

Leia mais

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO FISPQ N 004/2006 Página 1de 6 1- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Massas Corrida PVA Nome Comercial: Massa Corrida PVA Empresa: Resicolor Tintas e Vernizes Ltda Endereço: Rodovia

Leia mais

FISPQ. Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico DPG. DPG (Difenilguanidina) Acelerador DPG. Principal uso como acelerador de vulcanização.

FISPQ. Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico DPG. DPG (Difenilguanidina) Acelerador DPG. Principal uso como acelerador de vulcanização. Folha: 1 / 6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Código Interno: Principais usos recomendados: (Difenilguanidina) Acelerador Principal uso como acelerador de vulcanização. Cas number:

Leia mais

RISCO DE INCÊNDIO. Risco mais frequente

RISCO DE INCÊNDIO. Risco mais frequente RISCO DE INCÊNDIO (RJ-SCIE / RT-SCIE) Risco mais frequente Fonte: André Kosters / Lusa 29 Abril 2008 (2 mortos) Incêndio no Centro de Recolhimento da Segurança Social no Convento da Encarnação, em Lisboa.

Leia mais

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO NBR 14725

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO NBR 14725 1/7 FISPQ NRº. 004 1- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome da Empresa: Hidroazul Indústria e Comércio Ltda Endereço: Rua João Dias Neto, 18 D Cataguases MG CEP: 36770-902. Telefone da Empresa: (32)

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DO PRODUTO QUÍMICO DESINFETANTES LEITOSOS

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DO PRODUTO QUÍMICO DESINFETANTES LEITOSOS 20/03/24 1 de 10 I. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA E DO PRODUTO Nome do produto: Desinfetante Leitoso Búfalo BÚFALO INDÚSTRIA E COM. DE PROD. QUÍMICOS LTDA. Av. Hélio Ossamu Daikuara, Nº 3071 Vista Alegre Embu

Leia mais

FISPQ. FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO NBR 14725 NOME DO PRODUTO: Solução Titulante

FISPQ. FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO NBR 14725 NOME DO PRODUTO: Solução Titulante NOME DO PRODUTO: Solução Titulante 1/12 FISPQ NRº. 28 1- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome Comercial do Produto: Solução Titulante Nome Químico: Solução Ácida a 0,1 N Nome da Empresa: Hidroazul

Leia mais

Pode causar irritação na mucosa e dores abdominais. Não são conhecidos casos de irritação nas vias respiratórias.

Pode causar irritação na mucosa e dores abdominais. Não são conhecidos casos de irritação nas vias respiratórias. Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos - FISPQ FISPQ nº 032 Página 1 / 5 Data da última revisão 08/05/2008 1 Identificação do produto e da empresa Nome do produto: Tinta P.V.A.para Artesanato

Leia mais

Índice geral. Apresentação. Prólogo à 2.ª edição. Sumário. Siglas. Agradecimentos. 1. Introdução. 2. O risco de incêndio

Índice geral. Apresentação. Prólogo à 2.ª edição. Sumário. Siglas. Agradecimentos. 1. Introdução. 2. O risco de incêndio Índice geral 3 Prólogo à 2.ª edição 5 Sumário 7 Siglas 9 Agradecimentos 11 1. Introdução 13 Tipificação dos incêndios... Causas de incêndio... Consequências dos incêndios... 2.3.1. Considerações gerais...

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS ( FISPQ)

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS ( FISPQ) Nome do Produto Página 01/06 DUG - HERMON SEÇÃO 1.0 NOME DO PRODUTO Desinfetante de Uso Geral - HERMON Limpeza- Ltda Rua Vicente Melle,771-Bairro Ana Jacinta- Presidente Prudente-São Paulo - CEP: IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Guia para a elaboração de Estudos de Segurança contra Incêndio em Edifícios Hospitalares G 02/2006

Guia para a elaboração de Estudos de Segurança contra Incêndio em Edifícios Hospitalares G 02/2006 Guia para a elaboração de Estudos de Segurança contra Incêndio em Edifícios Hospitalares G 02/2006 Ficha técnica Número G 02/2006 Data de aprovação JUL 2006 Data de publicação JUL 2006 Data última revisão

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico CHEMFOS 700 A Código do produto: CF700A Página 1 de 5

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico CHEMFOS 700 A Código do produto: CF700A Página 1 de 5 Código do produto: CF700A Página 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Código do produto: Aplicação: Fornecedor: CF700A Telefone de emergência: (19) 3864-6000 FOSFATO ÁCIDO DE

Leia mais

3ª Jornadas Electrotécnicas Máquinas e Instalações Eléctricas

3ª Jornadas Electrotécnicas Máquinas e Instalações Eléctricas 3ª Jornadas Electrotécnicas Máquinas e Instalações Eléctricas Segurança Contra Incêndios em Edifícios Decreto-Lei 220/2008 Portaria 1532/2008 ISEP- Porto - 2010 ISEP - Abril 2010 Cap Eng Luís Bispo 1 Sumário

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PRODUTO QUÍMICO

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PRODUTO QUÍMICO Nome do Produto: Nome da Empresa: SEÇÃO I Identificação do Produto Químico e da Empresa CITIMANTA CITIMAT MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO LTDA. RUA COMENDADOR SOUZA 72/82 AGUA BRANCA SÃO PAULO SP CEP: 05037-090

Leia mais

SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE NO TRABALHO PROGRAMA DE FORMAÇÃO

SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE NO TRABALHO PROGRAMA DE FORMAÇÃO FORMAÇÃO SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE NO TRABALHO PROGRAMA DE FORMAÇÃO Introdução No actual quadro legislativo (Lei 7/2009 Código do Trabalho) e (Lei 102/2009 Regime jurídico da promoção da segurança e saúde

Leia mais

Criança com deficiência

Criança com deficiência Criança com deficiência Não espero pelos outros. Começo eu mesmo. Como toda criança, a criança com deficiência precisa de muito amor, atenção, cuidados e proteção. Precisa também brincar com outras crianças

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA SIPFOL MAX

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA SIPFOL MAX FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA SIPFOL MAX 1. IDENTIFICAÇÃO DA PREPARAÇÃO E DA EMPRESA Nome do produto: Identificação: Tipo de formulação: Utilização: SIPFOL MAX Aminoácidos, magnésio e oligoelementos Concentrado

Leia mais

TIPOS DE RISCOS. Riscos Físicos Riscos Químicos Riscos Biológicos Riscos Ergonómicos Riscos de Acidentes

TIPOS DE RISCOS. Riscos Físicos Riscos Químicos Riscos Biológicos Riscos Ergonómicos Riscos de Acidentes RISCO Consideram-se Risco de Trabalho todas as situações, reais ou potenciais, suscetíveis de a curto, médio ou longo prazo, causarem lesões aos trabalhadores ou à comunidade, em resultado do trabalho.

Leia mais

SABONETE ANTI-SÉPTICO MAZA

SABONETE ANTI-SÉPTICO MAZA SABONETE ANTI-SÉPTICO MAZA 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO QUÍMICO E DA EMPRESA: Nome do Produto: Sabonete Anti-séptico Maza Nome da Empresa: Maza 2000 Comércio e Indústria Ltda Endereço da Indústria: Via

Leia mais

Como funciona O sistema Valorfito?

Como funciona O sistema Valorfito? Como funciona O sistema Valorfito? Em campo por amor à terra. www.valorfito.com Como funciona O sistema Valorfito? O VALORFITO é responsável pela gestão de: Resíduos de Embalagens de Produtos Fitofarmacêuticos

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA BIOESTIM K 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Data de emissão: 13 / 03 / 08 Nome do produto: Uso do produto: BIOESTIM K Adubo Empresa responsável pela comercialização:

Leia mais

Ibo hydro-stop 1/5 REGISTO FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA MOD.QAS.033. Revisão 01 Data 28-11-06. Data da edição: 23-01-2008 Edição nº: 00

Ibo hydro-stop 1/5 REGISTO FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA MOD.QAS.033. Revisão 01 Data 28-11-06. Data da edição: 23-01-2008 Edição nº: 00 1/5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: 1.1. Nome: 1.2. Aplicações: Aditivo impermeabilizante para argamassas de cimento. 1.2. Entidade Responsável: 1.3. Telefone de Emergência: Saint-Gobain WEBER

Leia mais