Rastrear Medicamentos em Ambiente Hospitalar

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Rastrear Medicamentos em Ambiente Hospitalar"

Transcrição

1 Rastrear Medicamentos em Ambiente Hospitalar Como melhorar as operações logísticas e garantir a segurança do paciente no circuito da Farmácia Hospitalar? Sofia Valongo Vasco Antunes Pereira 25 Junho 2015

2 TÍTULO XPTO 2 Subtítulo O Hospital de Cascais O Medicamento, a Segurança do Doente e os Sistemas de Informação Implementação de um projeto de segurança: Validação da administração da terapêutica Adoção dos Standards GS1

3 1 O Hospital de Cascais

4 O Hospital de Cascais 4 Área de Influência Concelho de Cascais População: habitantes Concelho de Sintra (8 freguesias) (Obstetrícia e Pediatria) População: habitantes

5 O Hospital de Cascais 5 Capacidade Instalada ( m 2 ) 3 Serviços de Urgência 33 Gabinetes de Consulta 277 Camas de Internamento 6 Salas de BO 10 Salas de Parto Produção (2014) Episódios Urgência Consultas Dias de Internamento Cirurgias Partos

6 Aposta na Qualidade 6 Acreditação Certificação Ambiental Certificação de Qualidade

7 Aposta na Qualidade 7 SINAS ÁREAS DE EXCELÊNCIA CLÍNICA Rating Global Nível de Qualidade 3 Área de Cirurgia de Ambulatório - Cirurgia de Ambulatório Área de Cuidados Intensivos - Unidades de Cuidados Intensivos Área de Obstetrícia - Partos e Cuidados Pré-natais Área de Ortopedia - Tratamento cirúrgico da fratura proximal do fémur Segurança do Doente Adequação e Conforto das Instalações Rating Global Nível de Qualidade 2 Área de Cardiologia - Enfarte Agudo do Miocárdio Área de Cirurgia Geral - Cirurgia do Cólon Área de Ginecologia - Histerectomias Área de Neurologia - Acidente Vascular Cerebral Área de Ortopedia - Artroplastias Totais da Anca e do Joelho Área de Pediatria - Cuidados Neonatais, Pneumonia Focalização no Utente

8 2 O Medicamento, a Segurança do Doente e os Sistemas de Informação

9 O Ambiente Hospitalar e o Medicamento 9 Hospital Organização complexa Intervenção diferenciada Processo de Utilização do Medicamento Diversas etapas e profissionais Erros de medicação Compromisso Segurança Eficácia Racionalidade Eficiência

10 Sistemas de Informação 10 O Contributo dos Sistemas de Informação: Aumento da qualidade e segurança dos cuidados prestados Redução dos custos Facilitar a implementação de práticas mais corretas e políticas de saúde ESTRATÉGIA PARA REDUÇÃO DO ERRO PRESCRIÇÃO VALIDAÇÃO DISPENSA ADMINISTRAÇÃO

11 Sistemas de Informação Administração do Medicamento 11 The 5 rights Medicamento Correto Dose Correta O que permite o código de barras no medicamento? Doente Correto Via de Administração Correta Hora Correta

12 Sistemas de Informação Administração do Medicamento 12 Na Farmácia cada medicamento é reembalado e etiquetado passando a possuir um código de barras Substância ativa; Lote; Validade; Dosagem; Laboratório.

13 Sistemas de Informação Administração do Medicamento 13 Na admissão, uma pulseira com código de identificação é colocada no doente. Cada enfermeiro terá consigo um terminal portátil ou tablet PC -Identificação do Enfermeiro -Identificação do Doente: O enfermeiro lê a pulseira do doente

14 Sistemas de Informação Administração do Medicamento 14 Leitura do código do medicamento: O software compara o código do medicamento com a prescrição médica Pela comparação das duas leituras, o sistema emite alerta quando: Medicamento lido não consta da toma prevista O prazo de validade expirou A quantidade a administrar excede a toma prevista A via de administração do medicamento a administrar não corresponde à prescrita

15 Sistemas de Informação Administração do Medicamento 15 Erros de leitura do sistema

16 Sistemas de Informação Administração do Medicamento 16 Registo de Administração do Medicamento

17 Sistemas de Informação Administração do Medicamento 17 Registo de Reembalagem

18 Sistemas de Informação Administração do Medicamento 18 Software da Reembaladora

19 Sistemas de Informação Administração do Medicamento 19 O modelo de segurança permite: Evitar o erro de administração pela validação positiva entre cada doente e o respetivo medicamento prescrito Rastreabilidade do lote do medicamento administrado Registo de ocorrências, permitindo a monitorização dos erros

20 Sistemas de Informação Administração do Medicamento 20 Administração Sem recurso a código de barras Administração com recurso a código de barras Redução (p-value) Erros na Administração Acontecimentos adversos potenciais 11.5 % 6.8% 41% (p<0.001) 3.1% 1.6% 50.8% (p<0.001) Poon EG et al. N Engl J Med 2010;362:36-45

21 Sistemas de Informação Distribuição do Medicamento 21 Processo logístico orientado para a racionalização de custos O nosso modelo logístico otimiza o circuito do medicamento: - Criação de armazéns avançados; - Utilização de códigos de barras para a gestão de consumos; - Registo de consumos em tempo real através de leitura ótica do código de barras e a inserção da quantidade; - Reposição de stocks dos armazéns avançados, consoante as suas necessidades; - Inventário permanente de todos os artigos no hospital; - Consulta de histórico de consumos com/sem imputação ao doente.

22 Sistemas de Informação Administração do Medicamento 22 Projeto Atual Grupo Lusíadas pioneiro na normalização de códigos GS1 na saúde Número único permite a identificação de produtos em qualquer país sem restrições ou erros Impressão de etiquetas no Standard Global GS1 tanto de artigos de consumo clínico como de unidoses hospitalares Identificação única do produto com lote, validade e dosagem no código de barras

23 Sistemas de Informação Administração do Medicamento 23 Vantagens da Adoção dos Standards GS1 Standards abertos e independentes da tecnologia e fabricante, permitem a interoperabilidade e compatibilidade entre sistemas Codificação de lote e validade no código de barras em formato universal possibilita a leitura direta por qualquer sistema aderente ao GS1 sem necessidade de conversões Ganhos de performance pois o código de barras passa a conter toda a informação de lote e validade sem necessidade de consultar uma base de dados Sistema fica preparado para a leitura direta do códigos de barra dos produtores aderentes ao GS1

24 Sistemas de Informação Administração do Medicamento 24 Projeto Atual Código GS1 presente no fármaco! NO FUTURO Código presente em todos os Fármacos

25 Conclusões 25 Ferramenta indispensável à prestação de cuidados de saúde Diminuição do erro com medicação Qualidade, segurança e economia nas instituições de saúde

26

Valorização da Implementação de Standards no Circuito do Medicamento

Valorização da Implementação de Standards no Circuito do Medicamento Valorização da Implementação de Standards no Circuito do Medicamento III Seminário Internacional de Saúde: Standards ao Serviço da Segurança do Doente Nelson Martins 23 Junho 2016 TÍTULO XPTO 2 Subtítulo

Leia mais

SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Da Prescrição à Administração do Medicamento Sofia Valongo Serviços Farmacêuticos 26-09-2015 OBJETIVO 2 Descrever o papel do Farmacêutico na implementação

Leia mais

CH Setúbal, EPE - Hospital de S. Bernardo

CH Setúbal, EPE - Hospital de S. Bernardo Histórico do rating CH Setúbal, EPE - Hospital de S. Bernardo Dimensão Excelência Clínica Área de Ortopedia Artroplastias da Anca e Joelho e Fraturas proximais do fémur Alteração de apresentação da área

Leia mais

Hospital Distrital da Figueira da Foz, EPE

Hospital Distrital da Figueira da Foz, EPE Histórico do rating Hospital Distrital da Figueira da Foz, EPE Dimensão Excelência Clínica Set 2010 Jan Jul Ago Abr 2015 22/02/2016 01/08/2016 Área de Ortopedia Artroplastias da Anca e Joelho e Fraturas

Leia mais

Farmácia Circuito do Medicamento integrado no SGICM

Farmácia Circuito do Medicamento integrado no SGICM Farmácia Circuito do Medicamento integrado no SGICM 1 2 Sistema de Gestão Integrado do Circuito do Medicamento - SGICM O SGICM como parte integrante do circuito do medicamento apresenta como vantagens:

Leia mais

Hospital de Proximidade de Amarante

Hospital de Proximidade de Amarante Hospital de Proximidade de Amarante Novo Hospital de Amarante: Saúde de Proximidade A funcionar desde Dezembro do ano passado, e dotado das mais avançadas tecnologias, o novo Hospital de Amarante é a concretização

Leia mais

Os Sistemas de Informação e a Gestão da Qualidade na ULSAM

Os Sistemas de Informação e a Gestão da Qualidade na ULSAM Os Sistemas de Informação e a Gestão da Qualidade na ULSAM Jorge Freixo - Out/2008 A Unidade Local de Saúde do Alto Minho Jorge Freixo Jun./2016 Viana do Castelo Criada pelo DL 183/2008 de 4 de Setembro

Leia mais

LISTA TELEFÓNICA HOSPITAL PADRE AMÉRICO - PENAFIEL (DIVULGAÇÃO EXTERNA)

LISTA TELEFÓNICA HOSPITAL PADRE AMÉRICO - PENAFIEL (DIVULGAÇÃO EXTERNA) LISTA TELEFÓNICA HOSPITAL PADRE AMÉRICO - PENAFIEL (DIVULGAÇÃO EXTERNA) PISO 0 CASA MORTUÁRIA SERVIÇOS GERAIS (ESPÓLIO) 30037 GABINETE 914208510 31501 SECRETARIADO 255714434 GABINETE MÉDICO LEGAL 30023

Leia mais

Internamento. Circuito do Medicamento. Prescrição. Validação Farmácia. Alertas. Administração. Monitorizações. Mais que ideias... Criamos Soluções...

Internamento. Circuito do Medicamento. Prescrição. Validação Farmácia. Alertas. Administração. Monitorizações. Mais que ideias... Criamos Soluções... Alertas Administração Monitorizações Dose Unitária Validação Farmácia A ST+I tem como missão Ser uma referência Internacional de elevado valor, nos domínios da, garantindo a sustentabilidade das empresas

Leia mais

ULS Matosinhos, EPE - Hospital Pedro Hispano

ULS Matosinhos, EPE - Hospital Pedro Hispano Relatório Individual SINAS @ Hospitais ULS Matosinhos, EPE - Hospital Pedro Hispano Excelência Clínica Segurança do Doente Adequação e Conforto das Instalações Focalização no Utente Satisfação do Utente

Leia mais

Novo Hospital de Proximidade de Lamego

Novo Hospital de Proximidade de Lamego Novo Hospital de Proximidade de Lamego 1 CONCEITO O hospital de proximidade é um conceito inovador, em desenvolvimento na Europa, cujo objectivo é aproximar a prestação de cuidados de saúde diferenciados

Leia mais

O desenvolvimento da Cirurgia de Ambulatório como objectivo estratégico do Hospital

O desenvolvimento da Cirurgia de Ambulatório como objectivo estratégico do Hospital O desenvolvimento da Cirurgia de Ambulatório como objectivo estratégico do Hospital Cirurgia do Ambulatório 15. 12. 2005 CIRURGIA DE AMBULATÓRIO 1 Organização. Manual de Boas práticas 1. Estrutura Organizacional

Leia mais

Dimensão Segurança do Doente Check-list Procedimentos de Segurança

Dimensão Segurança do Doente Check-list Procedimentos de Segurança 1. 1.1 1.2 Cultura de Segurança Existe um elemento(s) definido(s) com responsabilidade atribuída para a segurança do doente Promove o trabalho em equipa multidisciplinar na implementação de processos relativos

Leia mais

Define-se Acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado.

Define-se Acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado. Define-se Acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado. Uma maneira diferente de focar a avaliação. Processo interativo,

Leia mais

A experiência dos Serviços Farmacêuticos da ARSC

A experiência dos Serviços Farmacêuticos da ARSC A experiência dos Serviços Farmacêuticos da ARSC O que fazemos na gestão da medicação nos cuidados de saúde primários (e não só!) Catarina de Oliveira Coelho Serviços Farmacêuticos ARS Centro 19 de abril

Leia mais

Glintt. Sistemas e Tecnologias de Informação e Comunicação. Escola Nacional de Saúde Pública, 9 de Maio de 2015

Glintt. Sistemas e Tecnologias de Informação e Comunicação. Escola Nacional de Saúde Pública, 9 de Maio de 2015 Glintt Sistemas e Tecnologias de Informação e Comunicação Escola Nacional de Saúde Pública, 9 de Maio de 2015 1. Glintt Enquadramento Numerologia Principais números associados à operação da Glintt: + 1.300

Leia mais

08/04/2016. Click to edit Master subtitle style

08/04/2016. Click to edit Master subtitle style Click to edit Master subtitle style CHECAGEM BEIRA LEITO Hospital Unimed Recife III Autor: Dr. Fernando José Barbosa da Cruz Diretor Médico Enf Ana Paula Vasconcelos de Farias Supervisora Geral de Enfermagem

Leia mais

MEDICINA PÓS OPERATÓRIA UNIDADE DE DOR AGUDA

MEDICINA PÓS OPERATÓRIA UNIDADE DE DOR AGUDA MEDICINA PÓS OPERATÓRIA UNIDADE DE DOR AGUDA Sessão Clínica Hospitalar Hospital Fernando Fonseca Departamento de Anestesiologia, Reanimação e Terapêutica da Dor Director : Dr. Lucindo Ormonde Coordenadora

Leia mais

Beneficios do Circuito Fechado da Administração de Medicamentos (CLMA) Hospital Unimed Recife III

Beneficios do Circuito Fechado da Administração de Medicamentos (CLMA) Hospital Unimed Recife III Beneficios do Circuito Fechado da Administração de Medicamentos (CLMA) Hospital Unimed Recife III Brasil 2016 Erros de medicações Na Inglaterra, um levantamento em 19 hospitais apontou que uma em cada

Leia mais

DISPENSA DE MEDICAÇÃO EM DOSE UNITÁRIA: A REALIDADE NO SISTEMA SEMIAUTOMÁTICO KARDEX DOS SERVIÇOS FARMACÊUTICOS DO CENTRO HOSPITALAR DE SÃO JOÃO, EPE.

DISPENSA DE MEDICAÇÃO EM DOSE UNITÁRIA: A REALIDADE NO SISTEMA SEMIAUTOMÁTICO KARDEX DOS SERVIÇOS FARMACÊUTICOS DO CENTRO HOSPITALAR DE SÃO JOÃO, EPE. DISPENSA DE MEDICAÇÃO EM DOSE UNITÁRIA: A REALIDADE NO SISTEMA SEMIAUTOMÁTICO KARDEX DOS SERVIÇOS FARMACÊUTICOS DO CENTRO HOSPITALAR DE SÃO JOÃO, EPE. Alex S. Pereira 1; Sónia Ferreira 2; António Carvalho

Leia mais

V JORNADAS DA ANCI. Custos versus Benefícios em Controlo de Infeção. Nuno Morujão

V JORNADAS DA ANCI. Custos versus Benefícios em Controlo de Infeção. Nuno Morujão V JORNADAS DA ANCI Custos versus Benefícios em O que é a Qualidade em Saúde? Atributos dos cuidados que permitem definir qualidade em saúde Perspectiva dos Doentes Perspectiva dos Gestores Perspectiva

Leia mais

Gestão da Medicação nas Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas (ERPI)

Gestão da Medicação nas Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas (ERPI) RECOMENDAÇÃO DA COMISSÃO SETORIAL PARA A SAÚDE DO SISTEMA PORTUGUÊS DA QUALIDADE CS/09 (REC CS09/01/2014) Gestão da Medicação nas Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas (ERPI) Contexto O número de

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º /X PRESCRIÇÃO POR DENOMINAÇÃO COMUM INTERNACIONAL E DISPENSA DO MEDICAMENTO GENÉRICO DE PREÇO MAIS BAIXO. Exposição de motivos

PROJECTO DE LEI N.º /X PRESCRIÇÃO POR DENOMINAÇÃO COMUM INTERNACIONAL E DISPENSA DO MEDICAMENTO GENÉRICO DE PREÇO MAIS BAIXO. Exposição de motivos Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º /X PRESCRIÇÃO POR DENOMINAÇÃO COMUM INTERNACIONAL E DISPENSA DO MEDICAMENTO GENÉRICO DE PREÇO MAIS BAIXO Exposição de motivos O uso racional do medicamento implica

Leia mais

SISCLI SIGEHP SISPRO

SISCLI SIGEHP SISPRO 2 SIGEHP Sistema Integrado de Sistema Hospitalar SIGEHP Sistema Integrado de Gestão Hospitalar A complexidade organizacional das modernas Unidade de Saúde, exige soluções informáticas adequadas à gestão

Leia mais

Prestação de Cuidados de Saúde na Região de Saúde do Centro

Prestação de Cuidados de Saúde na Região de Saúde do Centro Prestação de Cuidados de Saúde na Região de Saúde do Centro Administração Regional de Saúde do Centro, I.P. www.arscentro.min-saude.pt I. ENQUADRAMENTO MISSÃO: Garantir à população o acesso à prestação

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DOS SERVIÇOS PARA ATRIBUIÇÃO DE IDONEIDADE FORMATIVA PARA O INTERNATO DE ORTOPEDIA

CARACTERIZAÇÃO DOS SERVIÇOS PARA ATRIBUIÇÃO DE IDONEIDADE FORMATIVA PARA O INTERNATO DE ORTOPEDIA CARACTERIZAÇÃO DOS SERVIÇOS PARA ATRIBUIÇÃO DE IDONEIDADE FORMATIVA PARA O INTERNATO DE ORTOPEDIA HOSPITAL: SERVIÇO: ANO DE: 1/12 Departamento/Serviço Hospital Centro Hospitalar Endereço COLÉGIO DE ORTOPEDIA

Leia mais

Informação baseada nos dados de rotina: EAM

Informação baseada nos dados de rotina: EAM EAM Informação baseada nos dados de rotina: EAM Número do País Número do Hospital País 1 a 18 Hospital 1 a 30 Por favor utilize os dados do hospital entre 01.01.2010 e 31.12.2010 Por favor especifique

Leia mais

A Anestesia em Tempos de Crise: O Impacto da Troika na Anestesiologia

A Anestesia em Tempos de Crise: O Impacto da Troika na Anestesiologia A Anestesia em Tempos de Crise: O Impacto da Troika na Anestesiologia Teresa Magalhães Tertúlias de Anestesia 29 de Outubro de 2011 Sumário ObjecCvo da Troika para a saúde Medidas da Troika com impacto

Leia mais

Urgência Geral Polivalente do CHLC (Adultos)

Urgência Geral Polivalente do CHLC (Adultos) Urgência Geral Polivalente do CHLC (Adultos) 17 de Abril de 2015 1 Sumário 1. Caracterização 2. Instalações 3. Pontos Fortes e Fracos 4. Indicadores 2 1. Caracterização: abrangência Atendimento: a) Primeira

Leia mais

CUIDADOS CONTINUADOS INTEGRADOS

CUIDADOS CONTINUADOS INTEGRADOS CUIDADOS CONTINUADOS INTEGRADOS Unidades de Convalescença, Reabilitação e Manutenção O Hospital SOERAD dispõe de programas de Cuidados Continuados adaptados especificamente às necessidades de cada paciente,

Leia mais

PATROCINADORES PRINCIPAIS

PATROCINADORES PRINCIPAIS PATROCINADORES PRINCIPAIS PATROCINADORES PRINCIPAIS Apoio Institucional Patrocinadores Globais APDSI Contributos para a transformação no setor da Saúde As TIC e a Saúde no Portugal de Hoje 2016 APDSI -

Leia mais

Contribuições do SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO para a Melhoria da Qualidade da Assistência e Segurança dos Pacientes

Contribuições do SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO para a Melhoria da Qualidade da Assistência e Segurança dos Pacientes Contribuições do SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO para a Melhoria da Qualidade da Assistência e Segurança dos Pacientes ABRIL/2011 O Universo de Atuação População 190.732.694 habitantes Fonte: IBGE 2010

Leia mais

Região Centro. Instituição Instituição local Contexto de Prática Clínica. Cuidados de Saúde Primários. Unidade de Saúde Familiar Lusitana

Região Centro. Instituição Instituição local Contexto de Prática Clínica. Cuidados de Saúde Primários. Unidade de Saúde Familiar Lusitana Região Centro Instituição Instituição local Contexto de Prática Clínica Cuidados de Saúde Primários ACeS Dão Lafões Unidade de Saúde Familiar Lusitana Unidade de Saúde Familiar Viseu Cidade Unidade de

Leia mais

Identificação Visual x Segurança do Paciente Shirley Frosi Keller

Identificação Visual x Segurança do Paciente Shirley Frosi Keller Identificação Visual x Segurança do Paciente Shirley Frosi Keller Farmacêutica pela ULBRA - 1997 Coordenadora Serviço de Farmácia do HMV 1997 - Jul/15 Coordenadora Serviço de Farmácia da Hospitalar Home

Leia mais

Tabela de Preços Particulares

Tabela de Preços Particulares Diárias Quarto Individual Cirurgia 231,00 Medicina 270,00 Acompanhante c/ Peq. Almoço 60,00 Berçário (Diária) 100,00 Incubadora Fototerapia - até 8 horas 70,00 Fototerapia - Diária 140,00 Cuidados Intermédios

Leia mais

PROPOSTA PARA CÁLCULO DE DOTAÇÕES DE ENFERMAGEM PARA CUIDADOS DIFERENCIADOS EM CONTEXTOS PEDIÁTRICOS

PROPOSTA PARA CÁLCULO DE DOTAÇÕES DE ENFERMAGEM PARA CUIDADOS DIFERENCIADOS EM CONTEXTOS PEDIÁTRICOS PROPOSTA PARA CÁLCULO DE DOTAÇÕES DE ENFERMAGEM PARA CUIDADOS DIFERENCIADOS EM CONTEXTOS PEDIÁTRICOS Não está demonstrado que exista um modelo para determinação de dotações de Enfermagem que considere

Leia mais

Doenças Infecciosas Víricas

Doenças Infecciosas Víricas Doenças Infecciosas Víricas Cuidados Farmacêuticos; Monitorização sérica; Monitorização farmacêutica. Patrocínia Rocha Farmacêutica Hospitalar Diretora dos Serviços Farmacêuticos Centro Hospitalar do Porto

Leia mais

APOIO DOMICILIÁRIO AOS DOENTES DA CONSULTA DE HIPOCOAGULAÇÃO DO CHCB, E.P.E.

APOIO DOMICILIÁRIO AOS DOENTES DA CONSULTA DE HIPOCOAGULAÇÃO DO CHCB, E.P.E. APOIO DOMICILIÁRIO AOS DOENTES DA CONSULTA DE HIPOCOAGULAÇÃO DO CHCB, E.P.E. Centro Hospitalar Cova da Beira, E.P.E. Covilhã/Fundão Manuela Santos; Jorge Martínez Marcos Serviço de Imunohemoterapia, Centro

Leia mais

Farmacêutico na Área Hospitalar. Professor: Dr. Eduardo Arruda

Farmacêutico na Área Hospitalar. Professor: Dr. Eduardo Arruda Farmacêutico na Área Hospitalar Professor: Dr. Eduardo Arruda Introdução Administração de recursos materiais é intimamente ligada ao Farmacêutico Hospitalar; Medicamentos + correlatos = 75% $ no hospital;

Leia mais

Electrocardiografia. Liliana Andrade e Raposo. Centro Hospitalar Lisboa Norte Escola Superior de Saúde da Cruz Vermelha Portuguesa

Electrocardiografia. Liliana Andrade e Raposo. Centro Hospitalar Lisboa Norte Escola Superior de Saúde da Cruz Vermelha Portuguesa Electrocardiografia Liliana Andrade e Raposo Centro Hospitalar Lisboa Norte Escola Superior de Saúde da Cruz Vermelha Portuguesa Há 20 anos Atualmente Centro Hospitalar do Funchal Centro Hospitalar Lisboa

Leia mais

REMODELAÇÃO E AMPLIAÇÃO DO SERVIÇO DE URGÊNCIA HOSPITAL DIVINO ESPIRITO SANTO. PONTA DELGADA

REMODELAÇÃO E AMPLIAÇÃO DO SERVIÇO DE URGÊNCIA HOSPITAL DIVINO ESPIRITO SANTO. PONTA DELGADA INTRODUÇÃO Principal do Recinto Hospitalar Entrada Principal do Hospital OBJECTIVOS - Melhoria do nível de serviço; Secundário do Recinto Hospitalar PLANTA DE IMPLANTAÇÃO - Redução do tempo médio de espera

Leia mais

Sessão pública de apresentação do Relatório de Actividade dos Hospitais SA

Sessão pública de apresentação do Relatório de Actividade dos Hospitais SA Sessão pública de apresentação do Relatório de Actividade dos Hospitais SA Ministério da Saúde Ministro da Saúde Luís Filipe Pereira Apresentação dos Resultados dos Hospitais SA Centro Cultural de Belém,

Leia mais

Fique bem informado sobre os genéricos da Mepha

Fique bem informado sobre os genéricos da Mepha Folheto informativo para pacientes português Fique bem informado sobre os genéricos da Mepha Die mit dem Regenbogen Pergunte pelos genéricos da Mepha a preços acessíveis Preço vantajoso «Os genéricos hoje

Leia mais

o Identificação do medicamento (nome comercial, DCI, n.º de lote, tamanho de embalagem);

o Identificação do medicamento (nome comercial, DCI, n.º de lote, tamanho de embalagem); Requisitos e condições necessários à obtenção de autorização para dispensa de medicamentos ao domicílio e através da Internet por parte das farmácias, ao abrigo da Portaria n.º 1427/2007, de 2 de novembro

Leia mais

Disciplina: Específica

Disciplina: Específica UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Concurso Público para provimento de vagas de cargos Técnico-Administrativos Edital nº 293/2016 Resultado do julgamento dos recursos interpostos contra as questões

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO 2012 CFT COMISSÃO DE FARMÁCIA E TERAPÊUTICA

RELATÓRIO DE GESTÃO 2012 CFT COMISSÃO DE FARMÁCIA E TERAPÊUTICA RELATÓRIO DE GESTÃO 2012 CFT COMISSÃO DE FARMÁCIA E TERAPÊUTICA 1. APRESENTAÇÃO O objetivo principal da Comissão de Farmácia e Terapêutica é elaborar a cada dois anos a padronização de medicamentos disponível

Leia mais

Identificação da empresa. Missão. Objetivos. Políticas da Empresa. Hospital da Senhora da Oliveira - Guimarães, E.P.E.

Identificação da empresa. Missão. Objetivos. Políticas da Empresa. Hospital da Senhora da Oliveira - Guimarães, E.P.E. Identificação da empresa Hospital da Senhora da Oliveira - Guimarães, E.P.E. Missão O Hospital da Senhora da Oliveira tem como missão prestar os melhores cuidados de saúde, com elevados níveis de competência,

Leia mais

Campanha PBCI. Hospital de Braga. Isabel Veloso

Campanha PBCI. Hospital de Braga. Isabel Veloso Campanha PBCI Hospital de Braga Isabel Veloso 5 Maio, 2016 Campanha de Higiene das Mãos 2008 a 2010 Hospital São Marcos - Braga Campanha de Higiene das mãos Campanha de Higiene das Mãos Campanha de Higiene

Leia mais

Rede de Referenciação Hospital de Braga

Rede de Referenciação Hospital de Braga Rede de Referenciação Hospital de Braga ÍNDICE: 1. Contrato de Gestão de Parceria Público Privada 2. Enquadramento assistencial 3. Área de influência 4. Área de influência por Áreas Assistenciais 4.1.

Leia mais

Rui Alexandre Ramos Silva Adjunto de Relações Publicas

Rui Alexandre Ramos Silva Adjunto de Relações Publicas Estimado camarada, O Decreto-Lei n.º 84/2014, de 27 de maio, veio proceder à criação do Hospital das Forças Armadas (HFAR), como um estabelecimento hospitalar militar único, na dependência do Chefe do

Leia mais

MESA REDONDA: INDICADORES

MESA REDONDA: INDICADORES MESA REDONDA: INDICADORES INDICADORES CLÍNICOS Conceição Barata Médica Codificadora Clínica Objectivos A importância do registo no Processo Clínico. Para que serve a Codificação Clínica. Que Indicadores

Leia mais

Oferta Pública de Aquisição da Espírito Santo Saúde. Lisboa, 11 de Setembro de 2014

Oferta Pública de Aquisição da Espírito Santo Saúde. Lisboa, 11 de Setembro de 2014 Oferta Pública de Aquisição da Espírito Santo Saúde Lisboa, 11 de Setembro de 2014 JOSÉ DE MELLO SAÚDE OPERADOR DE REFERÊNCIA NO SECTOR DA SAÚDE EM PORTUGAL Operador com maior experiência no sector Referência

Leia mais

Implementação das Vias Verdes Coronária e de AVC na Região Norte. Dr. Alcindo Maciel Barbosa 30 Setembro 2008

Implementação das Vias Verdes Coronária e de AVC na Região Norte. Dr. Alcindo Maciel Barbosa 30 Setembro 2008 Implementação das Vias Verdes Coronária e de AVC na Região Norte Dr. Alcindo Maciel Barbosa 30 Setembro 2008 UMA REGIÃO EM MOVIMENTO O Problema Tx(/100000) Tx(100000) 70 60 50 40 30 20 10 0 Evolução da

Leia mais

EXPERIÊNCIA DE CERTIFICAÇÃO E ACREDITAÇÃO

EXPERIÊNCIA DE CERTIFICAÇÃO E ACREDITAÇÃO EXPERIÊNCIA DE CERTIFICAÇÃO E ACREDITAÇÃO 18 de Novembro 2016 ENQUADRAMENTO Hospital gerido em regime de Parceria Público-Privada, prestador de cuidados de saúde diferenciados, integrado na rede do SNS

Leia mais

Curso Avançado em Gestão Pré-Hospitalar e Intra-Hospitalar Precoce do Enfarte Agudo de Miocárdio com Supradesnivelamento do Segmento ST

Curso Avançado em Gestão Pré-Hospitalar e Intra-Hospitalar Precoce do Enfarte Agudo de Miocárdio com Supradesnivelamento do Segmento ST Curso Avançado em Gestão Pré-Hospitalar e Intra-Hospitalar Precoce do Enfarte Agudo de Miocárdio com Supradesnivelamento do Segmento ST Perante a suspeita clínica de Síndrome coronária aguda (SCA) é crucial

Leia mais

SNS Recursos Humanos. Dados de junho de Recursos Humanos do SNS por Região. Nº total de Profissionais Nº de Médicos e Enfermeiros.

SNS Recursos Humanos. Dados de junho de Recursos Humanos do SNS por Região. Nº total de Profissionais Nº de Médicos e Enfermeiros. Recursos Humanos do SNS por Região Nº total de Profissionais Nº de Médicos e Enfermeiros 40 740 9 941 13 450 23 894 5 118 8 171 Serviços Centrais 62 42 140 Serviços Centrais 3.528 9 414 13 466 200 Médicos

Leia mais

Análise da administração de medicamentos intravenosos pela enfermagem: uma prática segura.

Análise da administração de medicamentos intravenosos pela enfermagem: uma prática segura. Análise da administração de medicamentos intravenosos pela enfermagem: uma prática segura. Flavia Giron Camerini 1; Lolita Dopico da Silva 2; Marglory Fraga de Carvalho³ Manassés Moura dos Santos ³; Raquel

Leia mais

Pelo Hospital Visconde de Salreu e pela manutenção da Cirurgia de Ambulatório

Pelo Hospital Visconde de Salreu e pela manutenção da Cirurgia de Ambulatório Pelo Hospital Visconde de Salreu e pela manutenção da Cirurgia de Ambulatório Com a criação do Centro Hospitalar do Baixo Vouga (CHBV), em Dezembro de 2010, os hospitais de Aveiro, Estarreja e Águeda passaram

Leia mais

Tabela de Preços Particulares

Tabela de Preços Particulares Diárias Quarto Individual Cirurgia 266,00 Medicina 353,00 Quarto Duplo Cirurgia 224,00 Medicina 298,00 Acompanhante c/ Peq. Almoço 57,00 Berçário (Diária) 86,00 Incubadora Fototerapia - até 8 horas 72,00

Leia mais

MAPA DE REVISÕES. Lei n.º 33/2009 de 14 de Julho Introdução da Sinalização de Risco Adaptações várias

MAPA DE REVISÕES. Lei n.º 33/2009 de 14 de Julho Introdução da Sinalização de Risco Adaptações várias Palavras-Chave: Identificação; Doentes Destinatários Profissionais dos Serviços de Prestação de Cuidados Elaboração Dr. Bilhota Xavier Enf.º Supervisor António Almeida Data 2008.02.12 Aprovação Conselho

Leia mais

Ações da Anvisa na segurança dos serviços de saúde"

Ações da Anvisa na segurança dos serviços de saúde Ações da Anvisa na segurança dos serviços de saúde" QUALIHOSP São Paulo 18/04/2011 Maria Angela da Paz Gerência Geral de Tecnologia em Serviço de Saúde - GGTES - ANVISA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

Leia mais

Soluções que facilitam a gestão da saúde

Soluções que facilitam a gestão da saúde Soluções que facilitam a gestão da saúde A Hospidata Mais eficiência na gestão de saúde Empresa do grupo MV, líder brasileira em soluções de tecnologia para gestão da saúde, a Hospidata oferece um portfólio

Leia mais

SOBRE A COOPERATIVA UNIMED LIMEIRA

SOBRE A COOPERATIVA UNIMED LIMEIRA APRESENTAÇÃO COMERCIAL O NEGÓCIO SISTEMA UNIMED SOBRE A COOPERATIVA UNIMED LIMEIRA Qualidade comprovada Top of Mind (Plano mais lembrado pela sociedade), Certificação ONA Nível 3 (Acreditação de Excelência

Leia mais

PROJETO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS E MELHORIA CONTÍNUA DOS RESULTADOS

PROJETO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS E MELHORIA CONTÍNUA DOS RESULTADOS PROJETO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS E MELHORIA CONTÍNUA DOS RESULTADOS PROJETO Implantação de metodologia para Gestão de Custos com o objetivo de comparar os custos das instituições e custeio de alguns

Leia mais

Sistemas de Informação Hospitalares (Healthcare Information Systems)

Sistemas de Informação Hospitalares (Healthcare Information Systems) Sistemas de Informação Hospitalares (Healthcare Information Systems) Tópicos Contexto Evolução Requisitos de Informação Benefícios Funções e Componentes Futuro HCIS - Contexto Organizações de saúde são

Leia mais

ACREDITAÇÃO HOSPITALAR. Análise Crítica da Pré e Pós Certificação

ACREDITAÇÃO HOSPITALAR. Análise Crítica da Pré e Pós Certificação ACREDITAÇÃO HOSPITALAR Análise Crítica da Pré e Pós Certificação A qualidade não é um conjunto de técnicas, é a maneira de pensar o seu próprio negócio e isso não da pra copiar. Fonte: hsm.com.br Hospital

Leia mais

INFEÇÕES RESPIRATÓRIAS Plano de Prevenção e Resposta para o Outono/Inverno GRAÇA FREITAS

INFEÇÕES RESPIRATÓRIAS Plano de Prevenção e Resposta para o Outono/Inverno GRAÇA FREITAS INFEÇÕES RESPIRATÓRIAS Plano de Prevenção e Resposta para o Outono/Inverno GRAÇA FREITAS Direção-Geral da Saúde 17/12/2014 1 INFEÇÕES RESPIRATÓRIAS Plano de Prevenção e Resposta para o Outono/Inverno Plano:

Leia mais

As TIC e a Saúde no Portugal de 2012

As TIC e a Saúde no Portugal de 2012 As TIC e a Saúde no Portugal de 2012 11 de dezembro de 2012 Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa Patrocinador Ouro Patrocinador Prata Patrocinador Bronze Apoios Patrocinadores Globais Soluções de Mobilidade

Leia mais

Conforto e Segurança

Conforto e Segurança Conforto e Segurança www.oasipor.pt 2 Quem somos A Oasipor MedicalWear coloca à disposição dos profissionais de saúde diversas linhas de produtos que vão de encontro às suas necessidades, tendo como referência

Leia mais

RENOVAÇÃO E APETRECHAMENTO DO AMBULATÓRIO PROGRAMADO DE ALTA RESOLUÇÃO DO HOSPITAL DISTRITAL DE SANTARÉM, EPE

RENOVAÇÃO E APETRECHAMENTO DO AMBULATÓRIO PROGRAMADO DE ALTA RESOLUÇÃO DO HOSPITAL DISTRITAL DE SANTARÉM, EPE RENOVAÇÃO E APETRECHAMENTO DO AMBULATÓRIO PROGRAMADO DE ALTA RESOLUÇÃO DO HOSPITAL DISTRITAL DE SANTARÉM, EPE Operação: Designação: Tipologia: Eixo: ALENT-08-0348-FEDER-000913 Renovação e Apetrechamento

Leia mais

Orçamento do Estado 2016

Orçamento do Estado 2016 Orçamento do Estado 2016 Programa Orçamental da Saúde 25 de fevereiro de 2016 1 1. Orçamento do Estado 2016 2 ORÇAMENTO DO ESTADO 2016 RESPONSÁVEL CONSTITUCIONAL VALORIZA OS PROFISSIONAIS PROMOVE A EQUIDADE

Leia mais

REGULAMENTO REG VISITAS 25/06/2013. Enquadramento

REGULAMENTO REG VISITAS 25/06/2013. Enquadramento Enquadramento As visitas constituem, por regra, um forte contributo para a humanização no período de internamento dos utentes, pois permitem garantir o elo entre o utente e a sua rede social. O Hospital

Leia mais

Debate em foco Tendências e Inovação no Segmento Hospitalar. Inovação na Farmácia Hospitalar

Debate em foco Tendências e Inovação no Segmento Hospitalar. Inovação na Farmácia Hospitalar Debate em foco Tendências e Inovação no Segmento Hospitalar Inovação na Farmácia Hospitalar Nossa instituição hoje 439 Leitos Operacionais UTI com 57 leitos Unidades Críticas 62 leitos 19 Salas Cirúrgicas

Leia mais

CATETERISMO CARDÍACO. O Acompanhamento da Pessoa. Isilda Cardoso José Fernandes Susana Oliveira

CATETERISMO CARDÍACO. O Acompanhamento da Pessoa. Isilda Cardoso José Fernandes Susana Oliveira CATETERISMO CARDÍACO O Acompanhamento da Pessoa Isilda Cardoso José Fernandes Susana Oliveira CATETERISMO CARDÍACO: O ACOMPANHAMENTO DA PESSOA CATETERISMO CARDÍACO Prática clínica baseada na evidência

Leia mais

A Farmácia no Sistema de Saúde

A Farmácia no Sistema de Saúde A Farmácia no Sistema de Saúde João Silveira 24 de Abril de 2008 A Farmácia O Farmacêutico O Medicamento O Doente Farmacêuticos - Competências 1. I&D, fabrico, qualidade, registo, distribuição e dispensa

Leia mais

Ilha Terceira. Codificação nas Regiões Autónomas: 26 e 27 de Fevereiro de Lisandra Martins Médica 4º ano do IFE Cirurgia Geral

Ilha Terceira. Codificação nas Regiões Autónomas: 26 e 27 de Fevereiro de Lisandra Martins Médica 4º ano do IFE Cirurgia Geral 26 e 27 de Fevereiro de 2016 Codificação nas Regiões Autónomas: Ilha Terceira Lisandra Martins Médica 4º ano do IFE Cirurgia Geral Coordenadora do Gabinete de Codificação Clínica: Dr.ª Mª Helena Correia

Leia mais

PROVA ESCRITA DE CONHECIMENTOS PARTE ESPECIFICA (REF G5)

PROVA ESCRITA DE CONHECIMENTOS PARTE ESPECIFICA (REF G5) PROVA ESCRITA DE CONHECIMENTOS PARTE ESPECIFICA (REF G5) A duração desta prova é de 30 minutos MATERIAL O material desta prova é constituído por este caderno de questões e pela folha de respostas para

Leia mais

Circuito Fechado do Medicamento no Sírio-Libanês

Circuito Fechado do Medicamento no Sírio-Libanês Circuito Fechado do Medicamento no Sírio-Libanês Débora C M F de Carvalho Gerente de Farmácia Regina M Y Conishi Gerente Administrativa de Enfermagem Assistência farmacêutica Debora C M F de Carvalho Gerente

Leia mais

No Edital GDG 003/2015, do Processo Seletivo para Estágio de Formação,

No Edital GDG 003/2015, do Processo Seletivo para Estágio de Formação, RETIFICAÇÃO No Edital GDG 003/015, do Processo Seletivo para Estágio de Formação, Onde se lê: 5. DAS 5.1 ESPECIALIDADES CLÍNICAS - Comprovação de pré-requisito de dois anos em Clínica Médica em programa

Leia mais

Associação Médica de Assistência I ntegrada

Associação Médica de Assistência I ntegrada Circular aos Associados (Convênio BACEN) 39/10 Comunicamos aos associados que a partir de 15 de abril de 2010 as guias de atendimento, relativas às consultas e visitas hospitalares deverão ser preenchidas

Leia mais

Manual de Cirurgia Segura

Manual de Cirurgia Segura Manual de Cirurgia Segura Índice Apresentação... pág. 4 Termos de Consentimento Informado... pág. 4 Lateralidade... pág. 5 Profilaxia Antibiótica... pág. 6 Time Out ou Pausa Cirúrgica... pág. 7 NR 32...

Leia mais

Nacional de Cuidados Paliativos (RNCP) e indicadores de referência para a implementação e desenvolvimento destas equipas

Nacional de Cuidados Paliativos (RNCP) e indicadores de referência para a implementação e desenvolvimento destas equipas N. 1/2017/CNCP/ACSS DATA: 12-01-2017 CIRCULAR NORMATIVA PARA: Instituições Hospitalares do SNS, Administrações Regionais de Saúde, IP/Agrupamentos de Centros de Saúde/Unidades Locais de Saúde, EPE ASSUNTO:

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul CLASSIFICADOS PARA SEGUNDA FASE POR NÚMERO DE INSCRIÇÃO 1- ACESSO DIRETO Anestesiologia 107432 107463 107594 107643 107756 107927 107935 108135 108404 108533 108550 108571 108582 Cirurgia Geral 107377

Leia mais

Tabela de Preços Particulares

Tabela de Preços Particulares Diárias Quarto Individual Cirurgia 231,00 Medicina 270,00 Acompanhante c/ Peq. Almoço 60,00 Berçário (Diária) 100,00 Incubadora Fototerapia - até 8 horas 70,00 Fototerapia - Diária 140,00 Cuidados Intermédios

Leia mais

Federação Portuguesa de Voleibol

Federação Portuguesa de Voleibol Federação Portuguesa de Voleibol Hospital de Santa Maria Porto Com o olhar no futuro, o Hospital de Santa Maria Porto tem um sólido passado, com mais de 125 anos de experiência na prestação de cuidados

Leia mais

Estrutura de mapa de pessoal do Hospital de Curry Cabral - Artigo 5.º LVCR

Estrutura de mapa de pessoal do Hospital de Curry Cabral - Artigo 5.º LVCR Estrutura de mapa de pessoal do Hospital de Curry Cabral - Artigo 5.º LVCR Cargos/carreiras/categorias Atribuições/competências/actividades Unidade orgânica/centros de competência ou de produto/área de

Leia mais

CURSO DE SUPORTE BÁSICO DE VIDA PARA FARMACÊUTICOS

CURSO DE SUPORTE BÁSICO DE VIDA PARA FARMACÊUTICOS CURSO DE SUPORTE BÁSICO DE VIDA PARA FARMACÊUTICOS ADMINISTRAÇÃO DE VACINAS E MEDICAMENTOS INJECTÁVEIS EM FARMÁCIA COMUNITÁRIA Formação Inicial Conducente à Certificação A Portaria 1429/2007, de 2 de Novembro,

Leia mais

ORDEM DOS MÉDICOS COLÉGIO DE ESPECIALIDADE DE PEDIATRIA

ORDEM DOS MÉDICOS COLÉGIO DE ESPECIALIDADE DE PEDIATRIA ORDEM DOS MÉDICOS COLÉGIO DE ESPECIALIDADE DE PEDIATRIA Inquérito para avaliação da Idoneidade e da Capacidade Formativa dos Serviços de Pediatria Ano: Hospital: O internato de Pediatria deve ser realizado

Leia mais

Farmácia Clínica e uso racional de antimicrobianos

Farmácia Clínica e uso racional de antimicrobianos Farmácia Clínica e uso racional de antimicrobianos Portaria MS 2.616 / 98 regulamenta as ações de controle de infecção hospitalar no país Estabelece o serviço de farmácia como membro consultor da Comissão

Leia mais

BOAS PRÁTICAS DE FARMÁCIA COMUNITÁRIA

BOAS PRÁTICAS DE FARMÁCIA COMUNITÁRIA A. OBJETIVO BOAS PRÁTICAS DE FARMÁCIA COMUNITÁRIA OF.C-N006-00 P 1 / 9 Definir os princípios gerais a considerar durante o processo de manipulação de medicamentos a realizar em farmácia comunitária. B.

Leia mais

Como Estruturar e Gerenciar o Fluxo do Paciente

Como Estruturar e Gerenciar o Fluxo do Paciente Como Estruturar e Gerenciar o Fluxo do Paciente Variabilidade, Eficiência Operacional: Entendendo Processos, Identificando Gargalos e Mensurando Indicadores de desempenho Fernando Andreatta Torelly Superintendente

Leia mais

Análise de erro de medicação sob a ótica de auxiliares/técnicos de enfermagem em uma Unidade de Terapia Intensiva

Análise de erro de medicação sob a ótica de auxiliares/técnicos de enfermagem em uma Unidade de Terapia Intensiva VI Simpósio Internacional de Enfermagem (SIEN) Análise de erro de medicação sob a ótica de auxiliares/técnicos de enfermagem em uma Unidade de Terapia Intensiva Daniela Benevides Ortega Enfermeira da UTI

Leia mais

Jornadas de Cuidados Continuados Integrados

Jornadas de Cuidados Continuados Integrados WWW.ACSS.MIN-SAUDE.PT 2 May 2016 Jornadas de Cuidados Continuados Integrados Para onde caminhamos? Rede de cuidados continuados como estrutura nacional: evolução, atualidade, futuro e Sustentabilidade

Leia mais

Armazém e Farmácia. Gestão Hospitalar. Concursos. Compras. Inventário. Reports. Gestão Stocks. Armazéns Avançados

Armazém e Farmácia. Gestão Hospitalar. Concursos. Compras. Inventário. Reports. Gestão Stocks. Armazéns Avançados Compras Gestão Stocks Armazéns Avançados Inventário Reports Concursos Saúde A ST+I tem como missão Ser uma referência Internacional de elevado valor, nos domínios da Saúde, garantindo a sustentabilidade

Leia mais

Plataforma / SIARS / 30 de Maio de 2015 Isabel Barbosa

Plataforma  / SIARS / 30 de Maio de 2015 Isabel Barbosa Plataforma SIM@SNS SIM@SNS / SIARS / MIM@UF 30 de Maio de 2015 Isabel Barbosa 1 Agenda Agenda Enquadramento Caraterização (SIM@SNS / SIARS / MIM@UF) Evolução da plataforma SIM@SNS 2 Enquadramento Plataforma

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Qualificação: Auxiliar de Enfermagem

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Qualificação: Auxiliar de Enfermagem Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança Habilitação Profissional: Técnico em Enfermagem Qualificação:

Leia mais

Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes

Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes Nossa história Cenário Cenário Nossa história Setores Previsão segundo o Plano de Trabalho Quando

Leia mais

Tabela de Preços Particulares

Tabela de Preços Particulares Diárias Quarto Individual Cirurgia 231,00 Medicina 270,00 Acompanhante c/ Peq. Almoço 60,00 Berçário (Diária) 100,00 Incubadora Fototerapia - até 8 horas 70,00 Fototerapia - Diária 140,00 Cuidados Intermédios

Leia mais

Garantia de Qualidade e Continuidade da Assistência no Atendimento Domiciliar

Garantia de Qualidade e Continuidade da Assistência no Atendimento Domiciliar Garantia de Qualidade e Continuidade da Assistência no Atendimento Domiciliar ANA ADALGISA DE OLIVEIRA BORGES GESTORA DE ATENÇÃO DOMICILIAR - SERVIÇOS PRÓPRIOS UNIMEB-BH Introdução Definição Conceito de

Leia mais

COMISSÃO REGIONAL DA SAÚDE DA MULHER DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE UNIDADE COORDENADORA FUNCIONAL Hospital Sousa Martins Guarda, 1 de Julho 2010

COMISSÃO REGIONAL DA SAÚDE DA MULHER DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE UNIDADE COORDENADORA FUNCIONAL Hospital Sousa Martins Guarda, 1 de Julho 2010 COMISSÃO REGIONAL DA SAÚDE DA MULHER DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE UNIDADE COORDENADORA FUNCIONAL Hospital Sousa Martins Guarda, 1 de Julho 2010 Ordem de trabalhos: - Rede de Referência - Composição UCF

Leia mais