A Gas Natural São Paulo Sul está completando dez anos de gestão

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A Gas Natural São Paulo Sul está completando dez anos de gestão"

Transcrição

1 A Gas Natural São Paulo Sul está completando dez anos de gestão É uma década de trabalho centrada na evolução da comunidade, das indústrias e da economia da região Sul do Estado de São Paulo. Durante esses 10 anos, a Gas Natural SPS trabalhou muito, não só para evoluir como empresa, mas para fazer a vida das pessoas ao seu redor evoluir também. E este trabalho vai continuar para que os resultados sejam ainda melhores.

2 Os investimentos realizados pela Gas Natural SPS no acumulado até hoje são da ordem de R$ 830 milhões, entre recursos para a aquisição do contrato de concessão e para a realização de obras de infraestrutura, expansão e saturação das redes de distribuição de gás natural. Serão investidos mais R$ 200 milhões nos próximos cinco anos, em um total que irá ultrapassar R$ 1 bilhão até Desde o início das suas operações, a Gas Natural São Paulo Sul estima ter gerado, em conjunto com empresas prestadoras de serviços, mais de 2 mil empregos diretos e indiretos na região onde atua. É a 3ª maior distribuidora do país, tanto em número de clientes, quanto em infraestruturas de distribuição de gás natural (redes de aço e polietileno). Está também entre as dez maiores do país em volume diário de gás natural distribuído. Atende mais de 31 mil clientes e opera km de redes de distribuição de gás natural em quinze cidades do interior do Estado de São Paulo. O Plano de Expansão da empresa até 2015 prevê 19 cidades atendidas - com chegada nos municípios de Botucatu, Ibiúna, Itapetininga e Tietê km de redes em serviço e mais de 50 mil usuários.

3 10 anos de evolução A Gas Natural São Paulo Sul completa, em 2010, 10 anos de gestão para os serviços de distribuição de gás canalizado na região Sul do Estado de São Paulo. A concessão foi outorgada pelo governo do Estado de São Paulo, por meio de sua Comissão de Serviços Públicos de Energia (CSPE), atual ARSESP (Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo), em 31 de maio de Na época, a empresa tinha pela frente o grande desafio de construir toda a infraestrutura necessária para a distribuição do gás canalizado, uma vez que a região era greenfield, ou seja, sem um único metro de rede para o serviço. Realizados os investimentos necessários nos dois primeiros anos de atuação, a empresa começou a distribuir gás natural em 7 de fevereiro de 2002, abastecendo o primeiro ponto, que foi um posto de gás natural veicular (GNV), na cidade de Salto. Gradativamente, com a expansão da infraestrutura, novas cidades foram sendo atendidas e a população, que até então desconhecia outras formas de energia que não as convencionais, conheceu os benefícios da utilização do gás natural, incorporando este energético aos seus hábitos de vida.

4 Hoje, o gás natural faz parte do dia a dia de mais de 31mil usuários, entre clientes residenciais, comerciais, industriais e postos de GNV (gás natural veicular), em 15 cidades do interior do Estado de São Paulo: Alumínio, Araçariguama, Boituva, Cerquilho, Cesário Lange, Iperó, Itu, Laranjal Paulista, Mairinque, Porto Feliz, Salto, São Roque, Sorocaba, Tatuí, Votorantim. Desde o início de suas atividades até hoje, a Gas Natural São Paulo Sul construiu uma rede de distribuição de km de extensão. Foram investidos R$ 830 milhões, somados os recursos para a aquisição do contrato de concessão e para a realização de obras de infra-estrutura, expansão e saturação das redes de distribuição do combustível. A empresa ainda estima um aporte de R$ 200 milhões nos próximos cinco anos, em um total de mais de R$ 1 bilhão investido até A empresa completa sua primeira década de gestão com clientes residenciais, 855 comerciais, 199 industriais e 31 postos de distribuição de GNV. Até o final de 2015, as redes de distribuição de gás natural deverão chegar a mais quatro cidades do interior do Estado: Botucatu, Ibiúna, Itapetininga e Tietê. Não obstante os altos e baixos da economia do país, o consumo de gás natural, assim como a captação de clientes, cresceu. Em 30 de outubro de 2009, as vendas alcançaram recorde histórico de 1,615 milhão de m³/dia, com média atual de 1,419 milhão de m³/dia. Esta mudança de hábitos no consumo de energia da população do interior do Estado fez com que a Gas Natural se tornasse a 3ª maior distribuidora do país em número de clientes e em infraestrutura de distribuição de gás natural (redes de aço e polietileno). Conquistou, ainda, uma posição de destaque entre as dez maiores em volume diário de gás natural distribuído.

5 Residências Até hoje, mais de famílias, o equivalente a 130 mil pessoas na região, já utilizam gás natural, todos os dias, para cozinhar alimentos, aquecer a água do banho, o ambiente externo das residências ou a piscina, entre muitos outros possíveis usos domésticos do energético. Do total de residências atendidas na região até hoje, 80% optam pelos aquecedores de água a gás natural, o que significa, aproximadamente, 25 mil lares ou 100 mil pessoas economizando nos gastos com energia e usufruindo da modernidade com segurança e conforto característicos do gás natural, uma tendência nos principais centros urbanos do mundo. Outra mudança cultural no mercado residencial de gás natural da região é o crescente número de edifícios, condomínios residenciais e casas já projetados para a utilização deste energético. Arquitetos, engenheiros, projetistas, construtoras e a Gas Natural SPS trabalham em conjunto para oferecer as soluções prediais para abastecimento de energia, de acordo com a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

6 Comércios Os estabelecimentos comerciais também comprovam os benefícios do uso do gás natural: a segurança do fornecimento via canalização e a comodidade da distribuição contínua. Atualmente, 855 comércios da região utilizam gás natural. Os hospitais e outros serviços essenciais foram grandes beneficiários da chegada deste combustível, investindo o montante economizado com a troca da fonte de energia em novos leitos, medicamentos e profissionais especializados. Indùstrias A utilização do gás natural é um dos fatores que garantem a obtenção pelas indústrias dos certificados de cumprimento das normas de preservação ambiental, como a ISO 14000, que são emitidos por órgãos internacionais. Com o uso do gás natural, os índices de poluição do meio ambiente são reduzidos significativamente para menos da metade das emissões nocivas. Hoje, as indústrias usuárias de gás natural na região totalizam 199. Grandes companhias, muitas das quais com projeção mundial, contribuíram para a consolidação do mercado industrial da Gas Natural SPS, sendo elas: CBA (Companhia Brasileira de Alumínio), Cargill, Guardian, Gerdau e Ajinomoto. Além dessas, outras indústrias do mesmo porte estão chegando à região e também passarão a utilizar o gás natural em seus processos produtivos, como a Toyota, em Sorocaba.

7 Veículos O GNV (gás natural veicular) mantém-se como a alternativa econômica, rentável e ambientalmente correta de combustível. Em razão das campanhas de comunicação realizadas pela distribuidora e dos consecutivos aumentos do preço do álcool, o número de conversões de veículos para o GNV voltou a crescer, atualmente, na casa das 60 por mês ou 720 por ano, contribuindo decisivamente para a melhoria da qualidade do ar. Os postos de GNV somam 31 na área de atuação da Gas Natural. A Prefeitura Municipal de Sorocaba lançou, em 2005, um projeto piloto de uso do gás natural nos ônibus da frota urbana municipal, em parceria com o governo do Estado de São Paulo e a Gas Natural SPS. O projeto continua, mas está sendo avaliado no que tange à melhor alternativa de motor para oferecer rentabilidade e economia, ao mesmo tempo em que garante os menores índices de emissão de poluentes do ar.

8 Capacitação profissional Por meio do Programa de Pesquisa e Desenvolvimento da AR- SESP, a empresa ampliou as oportunidades de capacitação profissional, passando a oferecer, em parceria com o SENAI- Sorocaba, cursos gratuitos de formação em atividades técnicas e comerciais. Até hoje, foram capacitados 138 profissionais.

9 Ecologia A conservação da Mata Atlântica está relacionada a diversos fatores, sendo que um deles é a infra-estrutura gasista já existente no Estado de São Paulo, evitando o corte de lenha sem autorizações legais. Análises feitas pela Fundação Gas Natural apontam que o uso do gás natural contribui para a redução de até 45% de CO2 (Dióxido de Carbono), 99% de SO2 (Dióxido de Enxofre), 54% de NOX (Óxido Nitroso) e 100% de Particulados.

10 Automação A Tecnologia da Informação (T.I.) dos processos gerenciais das redes de distribuição de gás natural da Gas Natural SPS é uma das prioridades de investimento da empresa. Já foram investidos acima de R$ 1,6 milhão em automação de processos gerenciais. Dentre os sistemas de automação implantados, o GeoGas é o de maior utilização pelas áreas Técnica, Comercial, Industrial e de Controle da distribuidora. Trata-se de um sistema de informações geográficas, que alia desenho a uma base de dados estruturada e possibilita aos usuários a visualização imediata, via computador, do mapa das redes de distribuição de gás natural e das informações úteis sobre essas redes. Outro grande investimento em T.I. realizado pela empresa destinou-se à modernização do sistema de controle e monitoramento da infraestrutura de distribuição de gás natural em operação pela empresa. Um total de R$ 2,5 milhões foi alocado nesse processo de modernização para a melhoria contínua das operações. Todo esse montante permitiu que os técnicos do Centro de Controle e Operação de Redes (CCOR) da Gas Natural São Paulo Sul tenham acesso ao sistema integrado Scada e Telemetria - sendo eles, respectivamente, uma plataforma de software e um meio de transmissão de dados - que permite a visualização de todos os parâmetros das redes de distribuição de gás natural, como pressão, vazão, temperatura, alarmes e composição do gás natural, em uma única tela, on-line, 24 horas por dia, todos os dias, diretamente do CCOR da empresa.

11 Desenvolvimento econômico e geração de empregos Um dos grandes benefícios da chegada do gás natural em uma cidade é o fomento à produção industrial e ao emprego. Desde o início das suas operações, a Gas Natural SPS estima ter gerado, em conjunto com empresas prestadoras de serviços, mais de 2 mil empregos diretos e indiretos nas cidades onde atua. O fornecimento de gás natural nestas cidades também contribuiu para o crescimento do setor industrial, assim como para o desenvolvimento das economias locais. GNC A Gas Natural São Paulo Sul foi pioneira, no Estado de São Paulo, no fornecimento de GNC (gás natural comprimido). Este processo permite, para grandes distâncias, a antecipação do uso do produto, enquanto a tubulação estiver sendo construída.

12 Presença na comunidade A participação ativa da Gas Natural SPS na comunidade faz com que a empresa empenhe-se na realização de programas sociais e ações de responsabilidade cultural e ambiental, que visam o bem-estar da população. Como parte dessas ações, a Gas Natural São Paulo Sul mantém parcerias com instituições filantrópicas em benefício de causas humanitárias. Como exemplo dos trabalhos realizados, há o apoio anual ao Lar Escola Monteiro Lobato, em Sorocaba, que assiste mais de 300 crianças carentes, o auxílio às campanhas de arrecadação de agasalhos do Governo do Estado de São Paulo e aos Fundos de Assistência Social e Fundos da Criança e do Adolescente (FUNCAD) de municípios de atuação. A Gas Natural SPS também promove atividades que contribuem para a formação da consciência ambiental, como a coleta de pilhas e baterias de celular para reciclagem e a realização de palestras sobre a sintonia do gás natural com a natureza e ações de respeito ao meio ambiente. Paralelamente, a empresa utiliza-se de leis estaduais e federais de incentivo fiscal, como Rouanet e Proac, para levar entretenimento de alto nível cultural gratuito à população, em praças públicas, por meio do projeto Tom Natural que, desde 2009, promove a produção musical da região.

13 Dados dos 10 anos de gestão da Gas Natural São Paulo Sul Clientes até 31/01/2010 Residenciais: Comerciais: 855 Industriais: 199 Postos de GNV: 31 Total: Total estimado para 31/12/2015: Redes até 31/01/2010 Extensão da rede de distribuição de gás natural: km Previsão de extensão da rede para 31/12/2009: km Área de atuação Cidades atendidas até 31/01/2010: 15 (Alumínio, Araçariguama, Boituva, Cerquilho, Cesário Lange, Iperó, Itu, Laranjal Paulista, Mairinque, Porto Feliz, Salto, São Roque, Sorocaba, Tatuí, Votorantim). Previsão até 31/12/2015: 19 (Botucatu, Ibiúna, Itapetininga e Tietê)

O Tangará é um pássaro característico da região sudeste paulista que tem seu nome derivado de duas palavras da língua tupi que significam andar em

O Tangará é um pássaro característico da região sudeste paulista que tem seu nome derivado de duas palavras da língua tupi que significam andar em O Tangará é um pássaro característico da região sudeste paulista que tem seu nome derivado de duas palavras da língua tupi que significam andar em volta. Por isso, é considerado um verdadeiro acrobata.

Leia mais

GNV. Combustível de baixo impacto ambiental para frotas de Táxis.

GNV. Combustível de baixo impacto ambiental para frotas de Táxis. GNV Combustível de baixo impacto ambiental para frotas de Táxis. REUNIÃO DE ESPECIALISTAS SOBRE TRANSPORTE URBANO SUSTENTÁVEL MODERNIZAR E TORNAR ECOLÓGICA A FROTA DE TÁXIS NAS CIDADES LATINO AMERICANAS

Leia mais

Porto Alegre, 19 de agosto de 2.004 - ABINEE TEC SUL. A Energia do Futuro Mais Perto de Você!

Porto Alegre, 19 de agosto de 2.004 - ABINEE TEC SUL. A Energia do Futuro Mais Perto de Você! Porto Alegre, 19 de agosto de 2.004 - ABINEE TEC SUL A Energia do Futuro Mais Perto de Você! SULGAS Estrutura Acionária 49% PETROBRAS Capital Social 51% RS Histórico da SULGAS Até 1988 distribuição e comercialização

Leia mais

Sistemas de aquecimento de água residencial e o ASBC: Aquecedor Solar de Baixo Custo Por Felipe Marques Santos Aluno do curso de Engenharia de Energia Projeto Coordenado por Prof. Dr. Rogério Gomes de

Leia mais

Técnicas passivas; Técnicas ativas.

Técnicas passivas; Técnicas ativas. Definição: a conservação de energia deve ser entendida como a utilização de uma menor quantidade de energia para a obtenção de um mesmo produto ou serviço através da eliminação do desperdício; Técnicas

Leia mais

Companhia de Gás de São Paulo

Companhia de Gás de São Paulo Companhia de Gás de São Paulo Autora:Tatiana Helena Marques Orientadora: Profa. Ms. Ana Maria Santiago Jorge de Mello Mestre em Administração de Empresas Universidade Presbiteriana Mackenzie Introdução:

Leia mais

Linha Economia Verde

Linha Economia Verde Linha Economia Verde QUEM SOMOS Instituição Financeira do Estado de São Paulo, regulada pelo Banco Central, com inicio de atividades em Março/2009 Instrumento institucional de apoio àexecução de políticas

Leia mais

NOSSA CAIXA DESENVOLVIMENTO. JULIO THEMES NETO Diretor de Fomento

NOSSA CAIXA DESENVOLVIMENTO. JULIO THEMES NETO Diretor de Fomento NOSSA CAIXA DESENVOLVIMENTO JULIO THEMES NETO Diretor de Fomento 21.10.2011 QUEM SOMOS Instituição Financeira do Estado de São Paulo, regulada pelo Banco Central, com início de atividades em Março/2009

Leia mais

SOLAR EXPO CAPTAÇÃO SOLAR NA ORDEM DO DIA

SOLAR EXPO CAPTAÇÃO SOLAR NA ORDEM DO DIA EXPO SOLAR Feira Internacional de Tecnologia Solar CAPTAÇÃO SOLAR NA ORDEM DO DIA Pesquisas indicam que em 20 anos o mundo vai consumir 50% mais energia do que é consumido atualmente. O mesmo percentual

Leia mais

Mobilidade urbana Eficiência energética Edifícios e suas appliances

Mobilidade urbana Eficiência energética Edifícios e suas appliances Mobilidade urbana Eficiência energética Edifícios e suas appliances O futuro do uso do Gás Natural no novo desenho urbano das cidades Gás na cidade 1872-1999 1872 1890 1900 1900 Missão Possível O desafio

Leia mais

Plano de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte - PlanMob-BH. Marcelo Cintra do Amaral. 20 de novembro de 2012

Plano de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte - PlanMob-BH. Marcelo Cintra do Amaral. 20 de novembro de 2012 Plano de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte - PlanMob-BH Marcelo Cintra do Amaral 20 de novembro de 2012 Roteiro da apresentação: Contexto do PlanMob-BH: prognóstico, caráter de plano diretor, etapas

Leia mais

A LEI SOLAR DE SÃO PAULO CAMINHANDO DOS MITOS PARA A REALIDADE, A CIDADE MOSTRA UMA POLÍTICA MODERNA E REVOLUCIONARIA PARA O BRASIL

A LEI SOLAR DE SÃO PAULO CAMINHANDO DOS MITOS PARA A REALIDADE, A CIDADE MOSTRA UMA POLÍTICA MODERNA E REVOLUCIONARIA PARA O BRASIL A LEI SOLAR DE SÃO PAULO CAMINHANDO DOS MITOS PARA A REALIDADE, A CIDADE MOSTRA UMA POLÍTICA MODERNA E REVOLUCIONARIA PARA O BRASIL O processo de elaboração, tramitação, aprovação e regulamentação da lei

Leia mais

Mudança tecnológica na indústria automotiva

Mudança tecnológica na indústria automotiva ESTUDOS E PESQUISAS Nº 380 Mudança tecnológica na indústria automotiva Dyogo Oliveira * Fórum Especial 2010 Manifesto por um Brasil Desenvolvido (Fórum Nacional) Como Tornar o Brasil um País Desenvolvido,

Leia mais

A Expansão da Rede de Distribuição de Gás Natural da Comgas

A Expansão da Rede de Distribuição de Gás Natural da Comgas A Expansão da Rede de Distribuição de Gás Natural da Comgas Marcelo Menicucci Esteves Diretor de Suprimentos e Projetos de Energia São Paulo - 11/11/2004 Congresso Brasileiro de Eficiência Energética e

Leia mais

Definição do gás natural. Desenvolvimento do mercado de gás natural no Brasil. O uso do gás natural. Sobre a ANP. O uso do gás natural

Definição do gás natural. Desenvolvimento do mercado de gás natural no Brasil. O uso do gás natural. Sobre a ANP. O uso do gás natural Definição do gás natural. Desenvolvimento do mercado de gás natural no Brasil. O gás natural é uma mistura de hidrocarbonetos gasosos, dentre os quais se destacam o metano, o etano e o propano, resultantes

Leia mais

GERAÇÃO DE ENERGIA LIMPA ATRAVÉS DA REFORMA DE GÁS METANO DE ATERROS SANITÁRIOS

GERAÇÃO DE ENERGIA LIMPA ATRAVÉS DA REFORMA DE GÁS METANO DE ATERROS SANITÁRIOS GERAÇÃO DE ENERGIA LIMPA ATRAVÉS DA REFORMA DE GÁS METANO DE ATERROS SANITÁRIOS Luiz Felipe de Camargo Kastrup Faculdade de Saúde Pública USP Paulo Bernardi Junior Instituto de Pesquisas Energéticas e

Leia mais

São José dos Campos e a Política Nacional de Resíduos Sólidos

São José dos Campos e a Política Nacional de Resíduos Sólidos São José dos Campos e a Política Nacional de Resíduos Sólidos Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos Este sistema garante tratamento e destino adequado aos resíduos gerados na cidade, de modo que eles não

Leia mais

Ministério da Fazenda Secretaria da Receita Federal do. Brasil. Delegacia da Receita Federal do Brasil em Sorocaba - DRF/Sorocaba. Receita Federal do

Ministério da Fazenda Secretaria da Receita Federal do. Brasil. Delegacia da Receita Federal do Brasil em Sorocaba - DRF/Sorocaba. Receita Federal do Receita Federal do Brasil Ministério da Fazenda Secretaria da Receita Federal do Brasil Delegacia da Receita Federal do Brasil em Sorocaba - DRF/Sorocaba Receita Federal do Brasil DELEGACIA DA RECEITA

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº /2012

PROJETO DE LEI Nº /2012 PROJETO DE LEI Nº /2012 (Dos Senhores Deputados Heuler Cruvinel e Onofre Santo Agostini) Institui a obrigatoriedade de instalação de pontos de recarga para veículos elétricos em vias públicas e em ambientes

Leia mais

Congresso Nacional Comissão Especial Carro Diesel

Congresso Nacional Comissão Especial Carro Diesel Congresso Nacional Comissão Especial Carro Diesel Brasília, 28 de Outubro de 2015 O que é a APROVE DIESEL Associados: Apoio Institucional: Contexto econômico e tecnológico brasileiro atual difere muito

Leia mais

Com o crescimento de sua área de atuação, surgiu a Dmelo Arquitetura, que conta com colaboradores como arquiteto e designer de interiores.

Com o crescimento de sua área de atuação, surgiu a Dmelo Arquitetura, que conta com colaboradores como arquiteto e designer de interiores. PERFIL Desde 1997, o técnico em edificações e arquiteto Hélio Roberto, trabalha na área da construção civil, com o conhecimento adquirido através de experiência no mercado arquitetônico, desenvolve projetos,

Leia mais

Soluções permitem o monitoramento a distância das instalações da casa, visando redução de consumo e alto desempenho

Soluções permitem o monitoramento a distância das instalações da casa, visando redução de consumo e alto desempenho Casa do futuro Soluções permitem o monitoramento a distância das instalações da casa, visando redução de consumo e alto desempenho Por Heloisa Medeiros A rápida evolução de produtos e equipamentos eletrônicos

Leia mais

JULIO THEMES NETO Diretor de Fomento e Crédito 01.06.2015

JULIO THEMES NETO Diretor de Fomento e Crédito 01.06.2015 JULIO THEMES NETO Diretor de Fomento e Crédito 01.06.2015 Instituição financeira do Governo do Estado de São Paulo, que promove o desenvolvimento sustentável por meio de operações de crédito consciente

Leia mais

A expansão do mercado de gás natural no Brasil

A expansão do mercado de gás natural no Brasil 1 A expansão do mercado de gás natural no Brasil 18 de junho de 2004 V Encontro Brasileiro dos Profissionais do mercado de gás 2 Índice A Empresa Resultados de 2000 maio/2004 O que precisa para expandir

Leia mais

XI SEMINÁRIO NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

XI SEMINÁRIO NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS XI SEMINÁRIO NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Tema: Regulação da distribuição do biogás de RSU Eliésio Francisco da Silva Diretoria de Regulação Técnica e Fiscalização dos Serviços de Distribuição de Gás Canalizado

Leia mais

COPASA COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS

COPASA COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS COPASA COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS Apresentação A Companhia de Saneamento de Minas Gerais, COPASA, criada em 1963, é uma empresa vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Regional e Política

Leia mais

A utilização do Gás LP em. residências

A utilização do Gás LP em. residências A utilização do Gás LP em residências O uso do Gás LP em residências é o mais difundido em todo o mundo, representando 48% do consumo global. No Brasil, essa presença cresce para 95% dos lares devido ao

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SANEAMENTO

PERGUNTAS E RESPOSTAS SANEAMENTO MINISTÉRIO DAS CIDADES SECRETARIA NACIONAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO PAC 2 SELEÇÃO 2013 ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO PERGUNTAS E RESPOSTAS SANEAMENTO

Leia mais

Investimentos da AES Brasil crescem 32% e atingem R$ 641 milhões nos primeiros nove meses do ano

Investimentos da AES Brasil crescem 32% e atingem R$ 641 milhões nos primeiros nove meses do ano Investimentos da AES Brasil crescem 32% e atingem R$ 641 milhões nos primeiros nove meses do ano Valor faz parte de plano de investimentos crescentes focado em manutenção, modernização e expansão das operações

Leia mais

4.1. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS DA CONCESSIONÁRIA PARA O SEGUNDO E TERCEIRO CICLOS TARIFÁRIOS

4.1. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS DA CONCESSIONÁRIA PARA O SEGUNDO E TERCEIRO CICLOS TARIFÁRIOS Resumo Executivo do Plano de Negócios 4.1. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS DA CONCESSIONÁRIA PARA O SEGUNDO E TERCEIRO CICLOS TARIFÁRIOS A. Cobertura de mercado: áreas geográficas e segmentos de usuários A Gas

Leia mais

Sustentabilidade das Edificações Utilizando Energia Solar para Aquecimento de Água

Sustentabilidade das Edificações Utilizando Energia Solar para Aquecimento de Água Seminário: COPA DO MUNDO DE 2014 NORMATIZAÇÃO PARA OBRAS SUSTENTÁVEIS Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle do Senado Sustentabilidade das Edificações Utilizando Energia

Leia mais

PROGRAMA SETPESP DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

PROGRAMA SETPESP DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL PROGRAMA SETPESP DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL ÍNDICE 1- O Que éo SETPESP -Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros no Estado de São Paulo 2- Programa SETPESP de Responsabilidade Socioambiental

Leia mais

Investimentos da AES Brasil chegam a R$ 1,1 bi em 2010 e meta é R$ 1,2 bi para 2011

Investimentos da AES Brasil chegam a R$ 1,1 bi em 2010 e meta é R$ 1,2 bi para 2011 Investimentos da AES Brasil chegam a R$ 1,1 bi em 2010 e meta é R$ 1,2 bi para 2011 Grupo aumentou quadro de colaboradores próprios em 29%. Juntas, AES Eletropaulo e AES Sul distribuíram energia para mais

Leia mais

TÍTULO: VISTORIAS TÉCNICAS DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAS SANITÁRIAS

TÍTULO: VISTORIAS TÉCNICAS DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAS SANITÁRIAS TÍTULO: VISTORIAS TÉCNICAS DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAS SANITÁRIAS Autores: Rita de Cássia Junqueira: Cargo atual: Tecnóloga Sanitarista Formação: Tecnologia Sanitária Universidade de Campinas -

Leia mais

Agosto. São Paulo Brasil. connectedsmartcities.com.br

Agosto. São Paulo Brasil. connectedsmartcities.com.br 03 a 05 Agosto 2015 São Paulo Brasil connectedsmartcities.com.br Por que Connected Smart Cities? As grandes e modernas cidades são, talvez, as mais importantes realizações do homem, por serem responsáveis,

Leia mais

AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Prof.Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Faculdade de Engenharia de Sorocaba Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Engenheiro Agrônomo CCA/UFSCar 1998 Mestre em Desenvolvimento

Leia mais

Experiência americana e incentivo ao mercado de GNV. Richard Nicolas De Jardin

Experiência americana e incentivo ao mercado de GNV. Richard Nicolas De Jardin Experiência americana e incentivo ao mercado de GNV Richard Nicolas De Jardin Missão Técnica USA as Nossas expectativas Fenômeno Shale Gás Foco frotas Públicas e Pesadas Políticas de Incentivos OBJETIVO

Leia mais

PROJETO AMIGOS DO PLANETA. Autor. Rose Mariah de Souza Ferreira. Gestora Ambiental

PROJETO AMIGOS DO PLANETA. Autor. Rose Mariah de Souza Ferreira. Gestora Ambiental PROJETO AMIGOS DO PLANETA Autor Rose Mariah de Souza Ferreira Gestora Ambiental Gravataí, março de 2011. Introdução Pensar em tornar o ambiente em que se vive sustentável, é direcionar ações capazes de

Leia mais

Painel Energias Limpas

Painel Energias Limpas Painel Energias Limpas Délio Malheiros Secretário Municipal de Meio Ambiente Vice Prefeito Prefeitura de Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil Santa Fé, 11 a 13 de setembro de 2013. 1 Energia Solar no

Leia mais

INDICADORES CORK SERVICES ABRIL 2014

INDICADORES CORK SERVICES ABRIL 2014 Página1 1. APRESENTAÇÃO INDICADORES CORK SERVICES ABRIL 2014 Os indicadores Cork Services contemplam os principais números de referência para a gestão de frotas, incluindo índices de inflação e variação

Leia mais

APRESENTAÇÃO ABRIL 2011

APRESENTAÇÃO ABRIL 2011 APRESENTAÇÃO ABRIL 2011 QUEM SOMOS NOSSA CAIXA DESENVOLVIMENTO AGÊNCIA DE FOMENTO DO ESTADO DE SÃO PAULO ÉUMA INSTITUIÇÃO FINANCEIRA CONTROLADA PELO ESTADO DE SÃO PAULO E ATUA COMO BANCO DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Concepção de instalações para o abastecimento de água

Concepção de instalações para o abastecimento de água Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas Departamento de Engenharia Civil CIV 640 Saneamento Urbano Concepção de instalações para o abastecimento de água Prof. Aníbal da Fonseca Santiago Universidade

Leia mais

Estiagem é tema de edição especial deste mês Instituições contam as medidas adotadas para atravessar o período de crise

Estiagem é tema de edição especial deste mês Instituições contam as medidas adotadas para atravessar o período de crise Estiagem é tema de edição especial deste mês Instituições contam as medidas adotadas para atravessar o período de crise O forte período de estiagem que assola a região é o tema desta edição especial do

Leia mais

Biocombustíveis da Amazônia. Primeira Iniciativa Comercial na Produção de Biodiesel no Estado do Amazonas

Biocombustíveis da Amazônia. Primeira Iniciativa Comercial na Produção de Biodiesel no Estado do Amazonas Biocombustíveis da Amazônia Primeira Iniciativa Comercial na Produção de Biodiesel no Estado do Amazonas Biocombustíveis da Amazônia Ltda Capacidade inicial de 15 milhões de litros/ano Expansão em 2011

Leia mais

Unindo forças por um mesmo objetivo

Unindo forças por um mesmo objetivo Unindo forças por um mesmo objetivo Seguindo o conceito do programa em fomentar iniciativas de coleta e reciclagem, a parceria vai ampliar a atuação do Programa de Reciclagem do Óleo de Fritura (PROL),

Leia mais

A Empresa. utilizados em seus equipamentos.

A Empresa. utilizados em seus equipamentos. Grupos Geradores A Empresa Desde sua fundação em 1940, a Heimer tem se dedicado com sucesso à fabricação de Grupos Geradores de Energia, Grupos de Solda, Quadros de Comando, Motobombas e Alternadores.

Leia mais

Em busca do fôlego perdido

Em busca do fôlego perdido gnv Em busca do fôlego perdido Distante dos tempos áureos de crescimento Em 2012, o etanol enfrentou safra ruim e preços elevados, em meio a uma crise que se arrasta desde 2008. Por causa disso, motoristas

Leia mais

MINAS GERAIS, SEU MELHOR INVESTIMENTO. Seminário LIDE Abril de 2012

MINAS GERAIS, SEU MELHOR INVESTIMENTO. Seminário LIDE Abril de 2012 MINAS GERAIS, SEU MELHOR INVESTIMENTO Seminário LIDE Abril de 2012 A NOSSA MINAS GERAIS MINAS EM NÚMEROS América do Sul 588.000 KM² DE TERRITÓRIO. Brasil MAIOR DO QUE PAÍSES COMO A FRANÇA, SUÉCIA E ESPANHA.

Leia mais

Sistema de Aquecimento Therm 8000 S Com inovadora tecnologia de condensação. Mais água quente, mais eficiência.

Sistema de Aquecimento Therm 8000 S Com inovadora tecnologia de condensação. Mais água quente, mais eficiência. Sistema de Aquecimento Therm 8000 S Com inovadora tecnologia de condensação. Mais água quente, mais eficiência. 2 Sistema de Aquecimento Therm 8000 S Therm 8000 S Soluções de aquecimento de água para altas

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 Instituto Lojas Renner Instituto Lojas Renner Promover a inserção de mulheres no mercado de trabalho por meio de projetos de geração de renda é o objetivo do Instituto Lojas

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima Plano Indústria

CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima Plano Indústria CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima Plano Indústria Processo de Construção do Plano Indústria O art. 11 da Lei 12.187/2009 determinou realização de Planos setoriais

Leia mais

OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II NIVELAMENTO DAS INFORMAÇÕES DIRIMIR DÚVIDAS COLHER SUGESTÕES

OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II NIVELAMENTO DAS INFORMAÇÕES DIRIMIR DÚVIDAS COLHER SUGESTÕES OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II NIVELAMENTO DAS INFORMAÇÕES DIRIMIR DÚVIDAS COLHER SUGESTÕES MINHA CASA, MINHA VIDA Ampliação das oportunidades de acesso das famílias

Leia mais

SUSTENTABILIDADE E ECONOMIA ENERGÉTICA

SUSTENTABILIDADE E ECONOMIA ENERGÉTICA 20o. Prêmio Expressão de Ecologia arte: Felipe Cunha 2012-2013 SUSTENTABILIDADE E ECONOMIA ENERGÉTICA Beirais: amplos, com 1,5 m de largura, além de dar segurança aos trabalhos de manutenção externa, auxiliam

Leia mais

Sumário. Expediente. Estatísticas e Mercado...4. Relatório ABEGÁS - Mercado e Distribuição Ano VI - Nº 46 - Janeiro 2012

Sumário. Expediente. Estatísticas e Mercado...4. Relatório ABEGÁS - Mercado e Distribuição Ano VI - Nº 46 - Janeiro 2012 Sumário...4 Expediente Conselho Deliberativo ABEGÁS - Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado Presidente: Luis Domenech Vice-Presidente: Aldo Guedes Conselheiros: Bruno Armbrust,

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014 RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014 Missão Promover a inserção da mulher no mercado de trabalho, apoiando ações sociais empreendedoras, desenvolvidas por organizações da sociedade civil, que contribuam de forma

Leia mais

Vinícius Ladeira Gerente de Projetos Ambientais da CNT Junho de 2010

Vinícius Ladeira Gerente de Projetos Ambientais da CNT Junho de 2010 Combustíveis Alternativos e a Redução das Emissões de Poluentes 12ª Transpo-Sul Vinícius Ladeira Gerente de Projetos Ambientais da CNT Junho de 2010 Tecnologias, Combustíveis mais limpos e Redução das

Leia mais

ESTAÇÃO DE ODORIZAÇÃO CAÇAPAVA - COMGAS

ESTAÇÃO DE ODORIZAÇÃO CAÇAPAVA - COMGAS ESTAÇÃO DE ODORIZAÇÃO CAÇAPAVA - COMGAS FEVEREIRO/2012 17-RT-CG-01/12 1 INDICE: 1. CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO E DA REGIÃO 2. PARECER TÉCNICO PARA O PONTO DE ENTREGA 3. LAY OUT 4. CERTIDÃO DE USO

Leia mais

BOLETIM de ENGENHARIA Nº 001/15

BOLETIM de ENGENHARIA Nº 001/15 BOLETIM de ENGENHARIA Nº 001/15 Este boletim de engenharia busca apresentar informações importantes para conhecimento de SISTEMAS de RECUPERAÇÃO de ENERGIA TÉRMICA - ENERGY RECOVERY aplicados a CENTRAIS

Leia mais

A 1ª Cidade Inteligente da América Latina

A 1ª Cidade Inteligente da América Latina A 1ª Cidade Inteligente da América Latina Imagine... gerar somente a energia que precisamos em nossas casas através de fontes renováveis... saber o consumo de energia de cada aparelho elétrico conectado

Leia mais

Secretaria de Logística e Transportes DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM. Apresentação de Projetos - SP 250 (Piedade)

Secretaria de Logística e Transportes DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM. Apresentação de Projetos - SP 250 (Piedade) Estrutura da Secretaria de Logística e Transportes Malha Rodoviária do Estado de São Paulo TIPO DE ESTRADA EIXO ÓRGÃO DER (km) CONCESSÕES (km) TOTAL ESTADUAL (km) FEDERAL (km) MUNICIPAL (km) TOTAL (km)

Leia mais

Mercado de Automação Residencial Panorama Atual e Tendências

Mercado de Automação Residencial Panorama Atual e Tendências Mercado de Automação Residencial Panorama Atual e Tendências AURESIDE Panorama do mercado O mercado de automação residencial no mundo vem atravessando um momento de agitação caracterizado por: crescimento

Leia mais

Re9 Instalações e Sistemas. contao@re9instalacoes.com.br

Re9 Instalações e Sistemas. contao@re9instalacoes.com.br Re9 Instalações e Sistemas contao@re9instalacoes.com.br A Empresa A Re9 Instalações e Sistemas, uma empresa especializada no fornecimento de Mão de obra especializada e implantação de sistemas para Condomínios

Leia mais

14/10/2011 IBP Rio de Janeiro - RJ

14/10/2011 IBP Rio de Janeiro - RJ Projeções Sindigás Usos Restritos 14/10/2011 IBP Rio de Janeiro - RJ Observância às normas concorrenciais Todas as atividades desenvolvidas no âmbito do Sindigás obedecem às normas previstas no seu MANUAL

Leia mais

SKID para Aquecimento de Água Aplicações Industrias Categoria Aplicações de Gás LP

SKID para Aquecimento de Água Aplicações Industrias Categoria Aplicações de Gás LP CIA ULTRAGAZ SKID para Aquecimento de Água Aplicações Industrias Categoria Aplicações de Gás LP Participantes: Erik Trench Novas Aplicações - Ultragaz Felipe Feitosa Novas Aplicações - Ultragaz Frederico

Leia mais

CONSUMOS DE ÁGUA CONSUMOS DE ÁGUA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA - ETA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA - ETA

CONSUMOS DE ÁGUA CONSUMOS DE ÁGUA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA - ETA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA - ETA CONSUMOS DE ÁGUA Componentes da demanda de água de uma população Doméstico Comercial Industrial Público Especial Perdas Desperdícios Principais fatores influenciam a demanda VOLUME DE ÁGUA A SER TRATADA

Leia mais

5.500 postos de serviço

5.500 postos de serviço 5.500 postos de serviço Em 2009, a Ipiranga manteve sua trajetória de expansão acelerada da escala, com a aquisição das operações da rede de distribuição de combustíveis da Texaco no Brasil e investimentos

Leia mais

A agenda demográfica e de políticas públicas do Estado de São Paulo

A agenda demográfica e de políticas públicas do Estado de São Paulo A agenda demográfica e de políticas públicas do Estado de São Paulo Projeções da Fundação Seade para a trajetória até 2050 indicam que o grupo populacional com mais de 60 anos será triplicado e o com mais

Leia mais

Eficiência Energética em Edificações: Contribuições do Gás LP. O passo a passo para se obter uma certificação

Eficiência Energética em Edificações: Contribuições do Gás LP. O passo a passo para se obter uma certificação Eficiência Energética em Edificações: Contribuições do Gás LP O passo a passo para se obter uma certificação Arthur Cursino IEE/USP Abril/ 2015 Estrutura da Apresentação Regulamento PBE Edifica Introdução:

Leia mais

Gás Natural Veicular alternativa para uma mobilidade mais inteligente. 9º Encontro Transportes em Revista Lisboa, 25 Junho 2015

Gás Natural Veicular alternativa para uma mobilidade mais inteligente. 9º Encontro Transportes em Revista Lisboa, 25 Junho 2015 Gás Natural Veicular alternativa para uma mobilidade mais inteligente 9º Encontro Transportes em Revista Lisboa, 25 Junho 2015 Índice 1. Grupo Dourogás 2. O Gás Natural 3. UE: mobilidade sustentável 4.

Leia mais

Carbon Disclosure Project Supply Chain CDP na cadeia de suprimentos

Carbon Disclosure Project Supply Chain CDP na cadeia de suprimentos w Gestão Ambiental na Sabesp Workshop Carbon Disclosure Project Supply Chain CDP na cadeia de suprimentos Sup. Wanderley da Silva Paganini São Paulo, 05 de maio de 2011. Lei Federal 11.445/07 Lei do Saneamento

Leia mais

OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II

OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II NIVELAMENTO DAS INFORMAÇÕES DIRIMIR DÚVIDAS COLHER SUGESTÕES MINHA CASA, MINHA VIDA Ampliação das oportunidades de acesso das famílias

Leia mais

Células de combustível

Células de combustível Células de combustível A procura de energia no Mundo está a aumentar a um ritmo alarmante. A organização WETO (World Energy Technology and Climate Policy Outlook) prevê um crescimento anual de 1,8 % do

Leia mais

Tecnologia a serviço da saúde.

Tecnologia a serviço da saúde. Tecnologia a serviço da saúde. A Diebold A Diebold é uma empresa multinacional, especializada em automação bancária, segurança eletrônica e líder mundial no fornecimento de equipamentos de autoatendimento.

Leia mais

ORMANO MAGNO. Projeto VIOLÃO BEM BRASILEIRO. Projeto aprovado na Lei Estadual de Incentivo à Cultura ProAC ICMS. Cadastro ProAC nº 9692

ORMANO MAGNO. Projeto VIOLÃO BEM BRASILEIRO. Projeto aprovado na Lei Estadual de Incentivo à Cultura ProAC ICMS. Cadastro ProAC nº 9692 ORMANO MAGNO Projeto VIOLÃO BEM BRASILEIRO Projeto aprovado na Lei Estadual de Incentivo à Cultura ProAC ICMS Cadastro ProAC nº 9692 VIOLÃO BEM BRASILEIRO Resumo do Projeto O projeto Violão Bem Brasileiro

Leia mais

Estimativa de emissões de poluentes e GEE em frotas: Aplicação Prática.

Estimativa de emissões de poluentes e GEE em frotas: Aplicação Prática. Estimativa de emissões de poluentes e GEE em frotas: Aplicação Prática. Marcelo Pereira Bales (1) ; Cristiane Dias (1) ; Silmara Regina da Silva (1) (1) CETESB Companhia Ambiental do Estado de São Paulo

Leia mais

1. O que é uma rede de distribuição interna para gases combustíveis? 5. 2. O que é Inspeção Periódica de Gás, ou Inspeção de Autovistoria?

1. O que é uma rede de distribuição interna para gases combustíveis? 5. 2. O que é Inspeção Periódica de Gás, ou Inspeção de Autovistoria? Sumário 1. O que é uma rede de distribuição interna para gases combustíveis? 5 2. O que é, ou Inspeção de Autovistoria? 6 3. Qual a diferença entre manutenção e inspeção? 6 4. Quem faz manutenção e quem

Leia mais

O DESAFIO ENERGÉTICO NOS GRANDES CENTROS:

O DESAFIO ENERGÉTICO NOS GRANDES CENTROS: O DESAFIO ENERGÉTICO NOS GRANDES CENTROS: CIDADES SUSTENTÁVEIS OU COLAPSO ANUNCIADO? Mudanças Climáticas e o Papel das Cidades Mudanças Climáticas e o Papel das Cidades Cidades são parte do Problema Atividades

Leia mais

EMBRAER ANUNCIA PERSPECTIVAS DE LONGO PRAZO PARA AVIAÇÃO Estimativas de demanda mundial abrangem os mercados de jatos comerciais e executivos

EMBRAER ANUNCIA PERSPECTIVAS DE LONGO PRAZO PARA AVIAÇÃO Estimativas de demanda mundial abrangem os mercados de jatos comerciais e executivos EMBRAER ANUNCIA PERSPECTIVAS DE LONGO PRAZO PARA AVIAÇÃO Estimativas de demanda mundial abrangem os mercados de jatos comerciais e executivos São José dos Campos, 7 de novembro de 2008 A Embraer (BOVESPA:

Leia mais

Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída. Prof. Jamil Haddad UNIFEI-EXCEN

Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída. Prof. Jamil Haddad UNIFEI-EXCEN Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída Prof. Jamil Haddad UNIFEI-EXCEN Brasília, 28 de maio de 2015 Quarto Painel Experiências de Sucesso e Perspectivas: a Percepção da Academia Experiências

Leia mais

Orçamento ANEXO III ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS CONTROLADAS PELO ESTADO

Orçamento ANEXO III ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS CONTROLADAS PELO ESTADO Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão Subsecretaria de Planejamento, Orçamento e Qualidade do Gasto Superintendência Central de Planejamento e Programação Orçamentária

Leia mais

Garrafas PET: Um lixo que Virou Moda nas Coleções Malwee

Garrafas PET: Um lixo que Virou Moda nas Coleções Malwee Malwee Malhas LTDA. Jaraguá do Sul (SC) Garrafas PET: Um lixo que Virou Moda nas Coleções Malwee Categoria Tecnologias Socioambientais 1. Sobre a organização participante: Razão social: - Malwee Malhas

Leia mais

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para Política Nacional de Resíduos Sólidos Agora é lei Novos desafios para poder público, empresas, catadores e população Marco histórico da gestão ambiental no Brasil, a lei que estabelece a Política Nacional

Leia mais

Balanço Social 2007. 1 - Apresentação. 1.1 Carta do Diretor Executivo. Índice. 1 - Apresentação. 2 - Empresa. 3 - Qualidade.

Balanço Social 2007. 1 - Apresentação. 1.1 Carta do Diretor Executivo. Índice. 1 - Apresentação. 2 - Empresa. 3 - Qualidade. 1 - Apresentação Balanço Social Índice 1 - Apresentação 1.1 Carta do Diretor Executivo 1.2 Perfil do Empreendimento 1.3 Nossos Produtos e Serviços 1.4 Abrangência de Atuação 1.5 Setores de Atuação 2 -

Leia mais

NADSON XAVIER SOARES Gerente do Setor Público

NADSON XAVIER SOARES Gerente do Setor Público NADSON XAVIER SOARES Gerente do Setor Público Instituição financeira do Governo do Estado de São Paulo, que promove o desenvolvimento sustentável por meio de operações de crédito consciente e de longo

Leia mais

Eficiência energética em construções na cidade de SP 15.04.2010

Eficiência energética em construções na cidade de SP 15.04.2010 Eficiência energética em construções na cidade de SP 15.04.2010 Estado de São Paulo Fonte: SSE SP Potencial de redução: 7,9% energia elétrica Potencial de redução: 6,6% petróleo & gás Estado de São Paulo

Leia mais

REGULAMENTO PROMOÇÃO TÔ NO GÁS - 2015 30/09/15

REGULAMENTO PROMOÇÃO TÔ NO GÁS - 2015 30/09/15 1. DA CAMPANHA PROMOCIONAL: 1.1. Os proprietários de veículos automotores, pessoas físicas ou jurídicas, que adquirirem e instalarem, no período descrito no item 2.1, kits novos de conversão de veículos

Leia mais

Economia verde, desenvolvimento sustentável e inovação - Os caminhos da indústria brasileira

Economia verde, desenvolvimento sustentável e inovação - Os caminhos da indústria brasileira Economia verde, desenvolvimento sustentável e inovação - Os caminhos da indústria brasileira Nelson Pereira dos Reis Federação das Indústrias do Estado de São Paulo Fiesp Vice presidente Departamento de

Leia mais

Soluções sustentáveis para a vida.

Soluções sustentáveis para a vida. Soluções sustentáveis para a vida. A Ecoservice Uma empresa brasileira que está constantemente em busca de recursos e tecnologias sustentáveis para oferecer aos seus clientes, pessoas que têm como conceito

Leia mais

XVIII Congresso Brasileiro de Recursos Hídricos

XVIII Congresso Brasileiro de Recursos Hídricos SECRETARIA DE SANEAMENTO E ENERGIA XVIII Congresso Brasileiro de Recursos Hídricos Mesa redonda: Marco Regulatório do Setor Saneamento Desafios do Saneamento e Regulação dos Serviços no Estado de São Paulo

Leia mais

Campinas Território Inteligente

Campinas Território Inteligente Campinas Território Inteligente Conteúdo Conceito Dimensões da Cidade Inteligente Território Inteligente Dimensões Inspirações e projetos existentes em outras cidades Campinas Projetos de Território Inteligente

Leia mais

1 Qualificar os serviços de Abastecimento de água potável

1 Qualificar os serviços de Abastecimento de água potável nos núcleos rurais com mais de 10 economias nas áreas quilombolas nas áreas indígenas Planilha de Objetivos, Indicadores e Ações Viabilizadoras GT Saneamento A Santa Maria que queremos Visão: "Que até

Leia mais

Olinda - Pernambuco - Brasil. Torpedo: Um Novo Canal de Relacionamento Uso de novas tecnologias no relacionamento com os clientes

Olinda - Pernambuco - Brasil. Torpedo: Um Novo Canal de Relacionamento Uso de novas tecnologias no relacionamento com os clientes XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil Torpedo: Um Novo Canal de Relacionamento Uso de novas tecnologias no relacionamento

Leia mais

Experiências Mundias com Trólebus

Experiências Mundias com Trólebus 2 Seminário de Trólebus São Paulo Brasil Maio 2013 Experiências Mundias com Trólebus Eleonora Pazos UITP Head of Latin America Office UITP União Internacional de Transporte Público Plataforma mundial 3.400

Leia mais

Emissões e Consumo do Veículo Convencional e VEH: Resultados Medidos

Emissões e Consumo do Veículo Convencional e VEH: Resultados Medidos Emissões e Consumo do Veículo Convencional e VEH: Resultados Medidos Suzana Kahn Ribeiro Programa de Engenharia de Transportes COPPE/UFRJ IVIG Instituto Virtual Internacional de Mudanças Climáticas Estrutura

Leia mais

São Manuel. Anhembi. Botucatu. Pardinho. Itatinga. Pedra Quadra. Guareí. Angatuba. Campina do Monte Alegre. Itapetininga. Buri. São Miguel Arcanjo

São Manuel. Anhembi. Botucatu. Pardinho. Itatinga. Pedra Quadra. Guareí. Angatuba. Campina do Monte Alegre. Itapetininga. Buri. São Miguel Arcanjo Areiópolis Barão de Antonina Piraju Sarutaiá Fartura Itaporanga Riversul Águas de Santa Bárbara Iaras Mandurí Cerqueira César Taguaí Itararé Tejupá Taquarituba Coronel Macedo Itaberá Arandu Itaí Avaré

Leia mais

EVOLUÇÃO INSTITUCIONAL DO SETOR DE ÁGUA EM SÃO PAULO. Edson Giriboni Secretário de Saneamento e Recursos Hídricos

EVOLUÇÃO INSTITUCIONAL DO SETOR DE ÁGUA EM SÃO PAULO. Edson Giriboni Secretário de Saneamento e Recursos Hídricos EVOLUÇÃO INSTITUCIONAL DO SETOR DE ÁGUA EM SÃO PAULO Edson Giriboni Secretário de Saneamento e Recursos Hídricos Organização da Secretaria de Saneamento e Recursos Hidricos Gabinete do Secretario Saneamento

Leia mais

Novas Tecnologias para Ônibus 12/12/2012

Novas Tecnologias para Ônibus 12/12/2012 Novas Tecnologias para Ônibus 12/12/2012 FETRANSPOR Sindicatos filiados: 10 Empresas de ônibus: 208 Frota: 20.300 Passageiros/mês: 240 milhões Viagens/mês: 4,5 milhões Empregos diretos: 100.000 Idade média:

Leia mais

Plano de Distribuição de Veículos Elétricos para Seul

Plano de Distribuição de Veículos Elétricos para Seul Plano de Distribuição de Veículos Elétricos para Seul 2011. 05. 11(4a-f) Matriz de Proteção Ambiental Governo Metropolitano de Seul 1 Conteúdo Qualidade do Ar em Seul Gestão de qualidade do ar Esforços

Leia mais

Fusões e Aquisições no Setor Sucroalcooleiro e a Promoção da Bioeletricidade

Fusões e Aquisições no Setor Sucroalcooleiro e a Promoção da Bioeletricidade Fusões e Aquisições no Setor Sucroalcooleiro e a Promoção da Bioeletricidade Nivalde J. de Castro 1 Guilherme de A. Dantas 2 A indústria sucroalcooleira brasileira passa por um intenso processo de fusões

Leia mais